Você está na página 1de 6

CHOMSKY, Noam. Profit over people: neoliberalism and global order.

Nova York;
Toronto; Londres: Seven Stories Press, 1999.

Introdução: [neoliberalismo - definição]/ [capitalismo sem luvas, forças empresariais]/


[neoliberalismo vs. espaços comunitários e democracia]/
Neoliberalismo e ordem global: [consenso de Washington – liberalização, preços de
mercado, estabilidade-inflação, privatização]/ [nacionalismo radical vs. estabilidade]/
[lucro à frente do povo]/ [efeitos das doutrinas neoliberais]/ [duas doutrinas: uma para
os indefesos e para os poderosos]/ [doutrinas de lucro – instituições gigantescas – vs.
democracia]/
Consenso sem consenso: [consenso sem consenso]/ [direitos da minoria opulenta –
civis e de propriedade]/ [golpe de 64 – clima de investimentos]/ [manipulação da
opinião das massas - engenharia do consenso]/ [Lippmann - antidemocracia]/ [agenda
de negócios – consenso sem consenso]/

MCCHESNEY, Robert W. “Introduction”. Em: CHOMSKY, Noam. Profit over


people: neoliberalism and global order. Nova York; Toronto; Londres: Seven Stories
Press, 1999, p. 7-18.

Neoliberalismo – paradigma político-econômico – políticas – punhado de interesses


privados – controle da vida social – maximizar o lucro pessoal – interesses imediatos
de ricos investidores [neoliberalismo - definição] (p. 7).

Consequências econômicas: aumento da desigualdade social e econômica (p. 8).

Neoliberalismo: capitalismo sem as luvas – “forças empresariais são mais fortes e


mais agressivas” – menos oposição organizada [capitalismo sem luvas, forças
empresariais] (p. 8-9).

Friedman: políticas antimercado – antidemocráticas – papel do governo: proteção da


propriedade privada e enforcing contratos (p. 9).
Democracia – necessidade de espaços de conexão – grupos comunitários, etc. –
democracia neoliberal: destruição desses espaços – transformação: cidadãos –
consumidores; comunidades – shopping centers – neoliberalismo como “inimigo de
uma genuína democracia participativa” [neoliberalismo vs. espaços comunitários e
democracia] (p. 11).

CHOMSKY, Noam. Profit over people: neoliberalism and global order. Nova York;
Toronto; Londres: Seven Stories Press, 1999.

1. Neoliberalism and global order

Separação entre doutrina e realidade (p. 19).

Consenso de Washington: conjunto de princípio orientados ao mercado – designação


por Estados Unidos e instituições financeiras internacionais – regras básicas: 1.
Liberação do comércio e das finanças; 2. Definição de preços pelo mercado; 3. Fim
da inflação (estabilidade); 4. Privatização [consenso de Washington – liberalização,
preços de mercado, estabilidade-inflação, privatização] (p. 19).
Distribuição de poder na sociedade mais ampla – onde se encontra o poder – como é
exercido – análise de classe (p. 20).

Principais arquitetos – huge corporations (p. 20).

[Intervenções estadunidenses] – nacionalismo radical – ameaça à estabilidade –


estabilidade: segurança das classes altas + grandes empresas estrangeiras
[nacionalismo radical vs. estabilidade] (p. 21).

Más ideias – interesses de grupos poderosos – ideias muito boas para seus arquitetos –
ideia de colocar o lucro à frente do povo [lucro à frente do povo] (p. 25-26).

Sucesso em desenvolver-se – violação da doutrina do fim mercado (p. 30).

Doutrinas neoliberais – deterioração de saúde e educação – aumento da desigualdade


– redução da participação do trabalho na renda [efeitos das doutrinas neoliberais] (p.
32).

Duas variedades da doutrina do livre-mercado: 1. “A doutrina oficial imposta aos


indefesos”; 2. “A doutrina de livre-mercado realmente existente” [duas doutrinas:
uma para os indefesos e para os poderosos] (p. 34).

Livre mercado após 150 anos de protecionismo e violência (p. 36).

Maiores empresas do mundo – passado protecionista – salvas por parte dos governos
(p. 38).
Conclusão: doutrinas – razões de poder e de lucro – mercantilismo empresarial global
– instituições gigantescas – deterioração do processo decisório democrático [doutrinas
de lucro – instituições gigantescas – vs. democracia] (p. 39).

2. Consent without consent: regimenting the public mind

Dominadores mais brutais – necessidade de algum “consenso dos governados”


[consenso dos governados] (p. 43).

Consenso sem consenso – conquista – anos depois: atenção aos maiores interesses –
autoridade imposta com consenso – produção do consenso – indústria das relações
públicas – controle da mente pública [consenso sem consenso] (p. 45).
James Madison – proteção da minoria opulenta – direitos de propriedade e civis – no
fim: apenas direitos para a propriedade [direitos da minoria opulenta – civis e de
propriedade] (p. 47).

Lincoln Gordon – Golpe de 64 – clima muito melhorado para investimentos privados


– “liberdade” e “democracia” [golpe de 64 – clima de investimentos] (p. 49).

Doutrinas de imposição das formas modernas de democracia política – manipulação


da opinião das massas – propaganda sistemática – controle da mente pública –
liderança e propaganda – moldagem da mente das massas – engenharia do consenso
[manipulação da opinião das massas - engenharia do consenso] (p. 53).

Walter Lippmann – classe especializada – responsabilidade pela opinião pública -


púbico geral: outsiders ignorantes – apenas escolher entre a classe especializada –
massas controladas para seu próprio bem [Lippmann - antidemocracia] (p. 54-55).

Implementação de uma agenda de negócios – contra objeções do público geral –


forma de consenso sem consenso – abismo entre preferências do público e políticas
públicas [agenda de negócios – consenso sem consenso] (p. 55).