Você está na página 1de 31

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formação de Adultos – Unidade Regional do Norte

Cidadania e Empregabilidade Tecnologias da Informação e Comunicação Matemática Para a Vida CE 2 A –
Cidadania e
Empregabilidade
Tecnologias da
Informação e
Comunicação
Matemática Para a
Vida
CE 2 A – Organização política
dos estados democráticos.
Linguagem e
Comunicação
TIC 2 A – Identificar
necessidades de equipamento
informático.
MV 2 A – Interpretar a
informação e compreender
métodos para a processar
LC 2 A – Compreender e produzir
discursos orais de média extensão e
complexidade crescente, em situações
diversificadas

OO mmuunnddoo eemm mmuuddaannççaa:: vviivvêênncciiaass ddee ttrraabbaallhhoo

Tecnologias da Informação e Comunicação

TIC2A – Identificar necessidades de equipamento informático.

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formação de Adultos – Unidade Regional do Norte

TTeeccnnoollooggiiaass ddaa IInnffoorrmmaaççããoo ee CCoommuunniiccaaççããoo

“ Todo o esforço técnico e científico só tem sentido quando dirigido ao homem e ao seu destino”

Albert Einstein

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formaç ão de Adultos

In revista wired, 1997

2

OO mmuunnddoo eemm mmuuddaannççaa:: vviivvêênncciiaass ddee ttrraabbaallhhoo

Tecnologias da Informação e Comunicação

TIC2A – Identificar necessidades de equipamento informático.

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formação de Adultos – Unidade Regional do Norte

Índice

1- O computador

......................................................................................................................................................................................................

4

2- Os componentes de um computador

3- Comprar um computador

...............................................................................................................................................................

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formaç ão de Adultos

...................................................................................................................................................................................

14

27

3

OO mmuunnddoo eemm mmuuddaannççaa:: vviivvêênncciiaass ddee ttrraabbaallhhoo

Tecnologias da Informação e Comunicação

TIC2A – Identificar necessidades de equipamento informático.

. Identificar as características técnicas mais relevantes de um sistema informático. . Descrever as funções dos principais componentes de um sistema informático.

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formação de Adultos – Unidade Regional do Norte

. Identificar as características técnicas ma is relevantes de um sistema informático. . Descrever as funções

11-- OO ccoommppuuttaaddoorr

. Identificar as características técnicas ma is relevantes de um sistema informático. . Descrever as funções
. Identificar as características técnicas ma is relevantes de um sistema informático. . Descrever as funções

O formador começa por fazer um “brainstorming” com os formandos sobre:

“O que é e para que serve um computador?”

Regista num quadro ou num acetato o que os formandos forem dizendo sobre o que é e

para que serve um computador. Seguidamente distribui pelos formandos o documento 1.1 - OO qquuee éé ee ppaarraa qquuee sseerrvvee

uumm ccoommppuuttaaddoorr??

Cada formando

lê individualmente o texto distribuído.

 
 

   

Organizam-se pequenos grupos. Cada grupo elabora um comentário ao do texto, que irá comunicar à turma.

Discutem-se as conclusões de cada grupo.

Regista-se no quadro uma síntese colectiva.

 

4

OO mmuunnddoo eemm mmuuddaannççaa:: vviivvêênncciiaass ddee ttrraabbaallhhoo

Tecnologias da Informação e Comunicação

TIC2A – Identificar necessidades de equipamento informático.

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formação de Adultos – Unidade Regional do Norte

DDooccuummeennttoo 11..11 OO qquuee éé ee ppaarraa qquuee sseerrvvee uumm ccoommppuuttaaddoorr??

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formaç ão de Adultos

In Público

5

OO mmuunnddoo eemm mmuuddaannççaa:: vviivvêênncciiaass ddee ttrraabbaallhhoo

Tecnologias da Informação e Comunicação

TIC2A – Identificar necessidades de equipamento informático.

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formação de Adultos – Unidade Regional do Norte

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formaç ão de Adultos
Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formaç ão de Adultos

“O termo computador representa na realidade não um, mas um conjunto de vários equipamentos e componentes que, funcionando em conjunto, permitem a obtenção, de

forma automática, de um determinado resultado. Esse conjunto de equipamentos e componentes funciona com base em ordens, escritas e codificadas em linguagens que permitem a comunicação entre a pessoa e o computador. A esses conjuntos de ordens chamamos programas, que são construídos com base em linguagens de programação.

Não significa isto que para utilizar um computador de forma eficiente e obtendo rápidos resultados práticos seja necessário ser um técnico especializado em informática. Existe hoje em dia um vasto conjunto de programas, previamente concebidos, que permitem a um utilizador com pouca ou nenhuma experiência conseguir, em pouco tempo, bons resultados na utilização do equipamento informático. “

Sérgio Sousa, Tecnologias de informação – O que são? Para que servem?, FCA

6

OO mmuunnddoo eemm mmuuddaannççaa:: vviivvêênncciiaass ddee ttrraabbaallhhoo

Tecnologias da Informação e Comunicação

TIC2A – Identificar necessidades de equipamento informático.

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formação de Adultos – Unidade Regional do Norte

Os computadores vieram revolucionar o nosso dia-a-dia. Transformaram os processos de trabalho, as diversões, o comércio e o ensino. Certas tarefas passaram a ser totalmente desempenhadas pelos computadores. Eis alguns exemplos de como estas máquinas passaram a trabalhar para nós e por nós:

3. 2. A máquina lê a informação contida na banda magnética do cartão - o nome
3.
2. A máquina lê a informação
contida na banda magnética do
cartão - o nome do proprietário,
número da conta bancária e
pormenores sobre a rede a que
pertence.
4.

A máquina envia

Uma caixa multibanco: como funciona?

estes dados, por via

telefónica, para um computador central que detém informações sobre milhares de bancos.

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formaç ão de Adultos

1. O utente introduz o seu cartão na máquina e digita um código secreto no teclado

O computador confere

a conta bancária e envia

uma mensagem de autorização/recusa de pagamento.

7

OO mmuunnddoo eemm mmuuddaannççaa:: vviivvêênncciiaass ddee ttrraabbaallhhoo

Tecnologias da Informação e Comunicação

TIC2A – Identificar necessidades de equipamento informático.

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formação de Adultos – Unidade Regional do Norte

Um Sistema de ordenha Dentro de pouco tempo ao agricultores passarão a dormir descansados toda
Um Sistema de ordenha
Dentro de pouco tempo ao agricultores passarão a dormir
descansados toda a manhã, enquanto os robots ordenham as
vacas. Tudo isto graças ao desenvolvimento de um sistema
mecânico informatizado que dispensa a intervenção do agricultor.
2. O computador busca em memória a
data da última ordenha. As a vaca
necessitar de ser ordenhada, o
computador utiliza um braço mecânico
para procurar o úbere e as tetas.
Braço mecânico
articulado por
computador.
3. Enquanto o robot ordenha a vaca, uma
manjedoura ligada ao computador oferece-lhe
comida para ela ficar sossegada.
4. Se a vaca entrou no estábulo
cedo de mais ao computador abre
as cancelas para a deixar passar.
1. Aplica-se a cada vaca uma
pequena etiqueta magnética.
Quando a vaca entra no
estábulo de ordenha, é
detectada pelo computador,
que procede à leitura da
etiqueta.

8

OO mmuunnddoo eemm mmuuddaannççaa:: vviivvêênncciiaass ddee ttrraabbaallhhoo

Tecnologias da Informação e Comunicação

TIC2A – Identificar necessidades de equipamento informático.

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formação de Adultos – Unidade Regional do Norte

Códigos de Barras

4. Estes sinais são interpretados pelo processador. que informa a caixa registadora do custo do artigo.
4. Estes sinais são
interpretados pelo
processador. que
informa a caixa
registadora do custo do
artigo.
3. O padrão de listas pretas e brancas do
código de barras é convertido em sinais
eléctricos. que são enviados para o PC.

Na maioria das lojas cada artigo tem um código de barras - uma série de linhas negras. No balcão de saída o código de barras passa por uma máquina de leitura de códigos de barras, que por sua vez está ligada a um computador que compara o código de barras com uma lista de preços e envia o resultado para a caixa registadora. Poupa-se assim imenso tempo. Os preços não têm de ser digitados na caixa registadora nem têm de ser colados em cada artigo cada vez que são alterados. A figura abaixo mostra o sistema de leitura do código de barras.

1. O código de barras é lido por um feixe de raios

laser.

2. O feixe reflectido pelo código de barras é lido pela máquina.

9

OO mmuunnddoo eemm mmuuddaannççaa:: vviivvêênncciiaass ddee ttrraabbaallhhoo

Tecnologias da Informação e Comunicação

TIC2A – Identificar necessidades de equipamento informático.

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formação de Adultos – Unidade Regional do Norte

Telefones computorizados

A France Telecom utiliza uma lista telefónica computorizada que dá pelo nome de Minitel.

Mais de 6,4 milhões de lares em toda a França estão equipados com pequenos terminais ligados a um computador central que contém uma base de dados com os números de telefone.

Os terminais também podem ser ligados a outros componentes, de forma a que o utente possa recorrer a eles para fazer reservas de lugares em comboios ou informar-se acerca das previsões meteorológicas.

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formaç ão de Adultos

10

OO mmuunnddoo eemm mmuuddaannççaa:: vviivvêênncciiaass ddee ttrraabbaallhhoo

Tecnologias da Informação e Comunicação

TIC2A – Identificar necessidades de equipamento informático.

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formação de Adultos – Unidade Regional do Norte

Computadores militares

De certeza que já encontrou, nos órgãos de comunicação social, referencias à utilização de armas de destruição programadas para encontrarem alvos pré-establecidos.

Os mísseis contêm computadores que os guiam em direcção ao alvo. São carregados com mapas electr6nicos e processam informações recebidas via satélite. São elas que lhes indicam em que ponto se encontram e para onde devem seguir.

Estas armas possuem um tal grau de exactidão que podem ser cidade.

guiadas através das ruas de uma

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formaç ão de Adultos

Míssil Trident , lançado de um submarino.

11

OO mmuunnddoo eemm mmuuddaannççaa:: vviivvêênncciiaass ddee ttrraabbaallhhoo

Tecnologias da Informação e Comunicação

TIC2A – Identificar necessidades de equipamento informático.

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formação de Adultos – Unidade Regional do Norte

Medicina

Os computadores servem a medicina em centenas de tarefas. Existem desde simples programas destinados a facilitar
Os computadores servem a medicina em centenas de tarefas. Existem desde
simples programas destinados a facilitar o diagnóstico de doenças, até
máquinas complexas que rastreiam o cérebro humano - os computadores
passaram a ser parte vital da medicina moderna.
Os computadores revelam dados
importantes acerca da saúde do
paciente. Também podem controlar a
quantidade de medicamentos
introduzidos na corrente sanguínea.
A tomografia computorizada (TAC) combina séries de
raios X tirados de diferentes ângulos para criar imagens
tridimensionais de partes do corpo humano, que são
depois apresentadas no ecrã.
Fonte rotativa
de raios x
Feixe de raios x
Detector
Imagem de
uma secção de
um rim
humano.

12

OO mmuunnddoo eemm mmuuddaannççaa:: vviivvêênncciiaass ddee ttrraabbaallhhoo

Tecnologias da Informação e Comunicação

TIC2A – Identificar necessidades de equipamento informático.

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formação de Adultos – Unidade Regional do Norte

Correio Electrónico

Envio de correio electrónico A pessoa 1 tecla e envia a mensagem A pessoa 3 ausente
Envio de correio electrónico
A pessoa 1 tecla e
envia a mensagem
A pessoa 3
ausente do seu
computador,
recebe uma
mensagem
intermitente
quando o liga.
A pessoa 2 lê a
mensagem
imediatamente no
monitor.
In Computadores para principiantes, Verbo (adaptado)

O correio electrónico (e-mail) é um dos maiores benefícios das redes informáticas. Graças a ele, cada operador de computador pessoal pode enviar documentos ou imagens para os outros computadores pessoais O remetente tem de teclar os nomes dos destinatários do documento e carregar numa tecla. Os destinatários que se encontram a trabalhar nos seus computadores receberão no ecrã uma mensagem que os informa de que «o Correio aguarda». Podem então ler a mensagem e responder de imediato.

13

OO mmuunnddoo eemm mmuuddaannççaa:: vviivvêênncciiaass ddee ttrraabbaallhhoo

Tecnologias da Informação e Comunicação

TIC2A – Identificar necessidades de equipamento informático.

. Identificar as características técnicas mais relevantes de um sistema informático. . Descrever as funções dos principais componentes de um sistema informático.

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formação de Adultos – Unidade Regional do Norte

22-- OOss ccoommppoonneenntteess ddee uumm ccoommppuuttaaddoorr

. Identificar as características técnicas ma is relevantes de um sistema informático. . Descrever as funções

O formador começa por fazer um levantamento para averiguar se alguns dos formandos já

haviam trabalhado, ou contactado, com um computador e de quais os componentes que os formandos já conhecem. O formador convida cada formando a retirar um cartão (Documento 2.1) que contem

informação sobre um dos componentes de um computador. Cada formando deverá analisar o cartão e dele retirar a informação mais relevante, para depois comunicar à turma. Sugere-se que se construa um painel gigante, por exemplo em papel de cenário, onde se vai

montando a imagem de um computador (usando as imagens dos cartões, recortes de revistas, etc). No final, os formandos deverão trabalhar agora já num computador real tentando identificar agora os vários componentes analisados.

14

OO mmuunnddoo eemm mmuuddaannççaa:: vviivvêênncciiaass ddee ttrraabbaallhhoo

Tecnologias da Informação e Comunicação

TIC2A – Identificar necessidades de equipamento informático.

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formação de Adultos – Unidade Regional do Norte

DDooccuummeennttoo 22..11 OOss ccoommppoonneenntteess ddee uumm ccoommppuuttaaddoorr

O computador não existe isoladamente, está normalmente ligado a vários equipamentos de apoio. A Unidade do sistema é a parte central do computador e os outros equipamentos designam-se por periféricos. Existem periféricos de entrada (pelos quais a informação é introduzida no computador), de saída (através dos quais a informação é transmitida para o utilizador) e de entrada/ saída (através dos quais se introduz/recebe informação). Eis alguns exemplos:

periféricos de entrada (teclado, rato, leitores ópticos, microfone, unidade CD-ROM, câmara digital); periféricos de saída (ecrã/monitor, impressora); periféricos de entrada/saída (unidade de disquetes, unidade de discos, modem).

Propomos-lhe agora uma breve análise de cada um destes componentes.

15

OO mmuunnddoo eemm mmuuddaannççaa:: vviivvêênncciiaass ddee ttrraabbaallhhoo

Tecnologias da Informação e Comunicação

TIC2A – Identificar necessidades de equipamento informático.

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formação de Adultos – Unidade Regional do Norte

A Unidade do sistema

A unidade do sistema é a parte central do computador. Normalmente com a forma de uma caixa rectangular, colocada em posição horizontal ou vertical, contém um conjunto de componentes e dispositivos responsáveis pelo processamento e funcionamento do computador e equipamentos auxiliares.

A Unidade do sistema A unidade do sistema é a part e central do computador. Normalmente

16

OO mmuunnddoo eemm mmuuddaannççaa:: vviivvêênncciiaass ddee ttrraabbaallhhoo

Tecnologias da Informação e Comunicação

TIC2A – Identificar necessidades de equipamento informático.

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formação de Adultos – Unidade Regional do Norte

O teclado A forma mais comum de introduzir dados no computador é através do teclado (por

O teclado

A forma mais comum de introduzir dados no computador é através do teclado (por isso é designado um periférico de entrada). O teclado tem normalmente teclas alfanuméricas (letras e números), dispostas da mesma forma que numa máquina de escrever. Há também teclas adicionais, chamadas teclas especiais e teclas de função.

O teclado A forma mais comum de introduzir dados no computador é através do teclado (por

17

OO mmuunnddoo eemm mmuuddaannççaa:: vviivvêênncciiaass ddee ttrraabbaallhhoo

Tecnologias da Informação e Comunicação

TIC2A – Identificar necessidades de equipamento informático.

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formação de Adultos – Unidade Regional do Norte

O rato O rato é um aparelho de entrada operado manualmente. A maior parte dos ratos
O rato O rato é um aparelho de entrada operado manualmente. A maior parte dos ratos

O rato

O rato é um aparelho de entrada operado manualmente. A maior parte dos ratos tem dois ou três botões, embora quase todas as funções sejam executadas através de clics com o botão esquerdo. O rato possui na sua parte inferior uma esfera que ao deslocar o rato, transmite ao computador um conjunto de sinais que irão corresponder à posição de um pequeno símbolo visível no écran – o apontador do rato. Para um funcionamento adequado do rato será importante proceder regularmente à limpeza dos rolamentos onde gira a esfera (parte inferior), assim como possuir um “tapete” próprio para deslocar o rato.

18

OO mmuunnddoo eemm mmuuddaannççaa:: vviivvêênncciiaass ddee ttrraabbaallhhoo

Tecnologias da Informação e Comunicação

TIC2A – Identificar necessidades de equipamento informático.

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formação de Adultos – Unidade Regional do Norte

Unidade CD-ROM

Unidade CD-ROM Na informática também são usados compact Discs para armazenar grandes quantidades de informação. A

Na informática também são usados compact Discs para armazenar grandes quantidades de informação. A Unidade CD-ROM é o equipamento responsável pela leitura dos CDs, e é muito semelhante aos hoje em dia vulgares CDs áudio. A designação ROM significa que este tipo de equipamento é utilizado apenas para “leitura” da informação gr avada no CD, não sendo possível a sua alteração. A Unidade de CD-RW é o equipamento que já permite a leitura e gravação de CDs.

19

OO mmuunnddoo eemm mmuuddaannççaa:: vviivvêênncciiaass ddee ttrraabbaallhhoo

Tecnologias da Informação e Comunicação

TIC2A – Identificar necessidades de equipamento informático.

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formação de Adultos – Unidade Regional do Norte

Os leitores ópticos

Os leitores ópticos são normalmente utilizados em funções que exigem uma grande rapidez na introdução dos dados por parte do utilizador ou uma grande precisão na sua inserção. Existem vários tipos de leitores ópticos:

digitalizador (scanner)- é extremamente

útil quando o utilizador pretende trabalhar uma imagem que está impressa numa folha (imagens de um livro, catálogo); leitor de códigos de barras- normalmente utilizados para descodificar produtos em actividades comerciais.

Os leitores ópticos Os leitores ópticos são normalmente utilizados em funções qu e exigem uma grande

20

OO mmuunnddoo eemm mmuuddaannççaa:: vviivvêênncciiaass ddee ttrraabbaallhhoo

Tecnologias da Informação e Comunicação

TIC2A – Identificar necessidades de equipamento informático.

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formação de Adultos – Unidade Regional do Norte

O microfone

O microfone O microfone é utilizado para gravar sons. Normalmente está integrado num Kit multimédia, que

O microfone é utilizado para gravar sons. Normalmente está integrado num Kit multimédia, que inclui também uma unidade de CD-ROM, colunas, auscultadores, uma placa de som e uma placa gráfica. Tudo isto é necessário para combinar o texto, som, gráficos e vídeo.

21

OO mmuunnddoo eemm mmuuddaannççaa:: vviivvêênncciiaass ddee ttrraabbaallhhoo

Tecnologias da Informação e Comunicação

TIC2A – Identificar necessidades de equipamento informático.

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formação de Adultos – Unidade Regional do Norte

A câmara digital

As câmaras fotográficas digitais convertem a luz em dados binários (linguagem utilizada pelo computador). Pode-se ligar a câmara digital ao computador e visualizam-se as imagens “fotografadas” no écran. Do mesmo modo as câmaras de vídeo digitais introduzem no computador as imagens com movimento. São muito utilizadas nas videoconferências ou teleconferências em que uma ou mais pessoas estão ligadas por uma rede (de computadores) e podem, enquanto falam, ver-se umas às outras.

A câmara digital As câmaras fotográficas digitais converte m a luz em dados binários (linguagem utilizada
A câmara digital As câmaras fotográficas digitais converte m a luz em dados binários (linguagem utilizada

22

OO mmuunnddoo eemm mmuuddaannççaa:: vviivvêênncciiaass ddee ttrraabbaallhhoo

Tecnologias da Informação e Comunicação

TIC2A – Identificar necessidades de equipamento informático.

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formação de Adultos – Unidade Regional do Norte

O monitor/ecrã

O ecrã (também designado por monitor) é o periférico de saída mais utilizado para a visualização dos resultados do processamento, ou seja, das informações. O monitor é um dos periféricos em que devem ser tidas em conta não só as suas características técnicas, mas também quanto à qualidade da imagem e ao respeito pela visão do utilizador. É fundamental uma escolha cuidada, pois muitos utilizadores estão longas horas a fixar o ecrã.

O monitor/ecrã O ecrã (também designado por monitor) é o pe riférico de saída mais utilizado
O monitor/ecrã O ecrã (também designado por monitor) é o pe riférico de saída mais utilizado

23

OO mmuunnddoo eemm mmuuddaannççaa:: vviivvêênncciiaass ddee ttrraabbaallhhoo

Tecnologias da Informação e Comunicação

TIC2A – Identificar necessidades de equipamento informático.

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formação de Adultos – Unidade Regional do Norte

A impressora

Paralelamente ao écrã, a impressora é um dos periféricos de saída de informação mais utilizados. Na realidade a maioria das tarefas realizadas com o auxílio de equipamentos informáticos e respectivos programas têm como objectivo final um output em papel. Hoje em dia existem impressoras capazes de imprimir documentos com excepcional qualidade, com imagens de cor real e a velocidades muito elevadas, que nas impressoras de maior capacidade pode atingir as 30 páginas por minuto.

A impressora Paralelamente ao écrã, a impressora é um dos periféricos de saída de informação mais

24

OO mmuunnddoo eemm mmuuddaannççaa:: vviivvêênncciiaass ddee ttrraabbaallhhoo

Tecnologias da Informação e Comunicação

TIC2A – Identificar necessidades de equipamento informático.

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formação de Adultos – Unidade Regional do Norte

A unidade de disquetes

As unidades de disquetes continuam a ser o periférico de entrada/saída mais utilizado em todos os tipos de computadores pessoais, representando o meio mais barato de transmitir informação. A unidade de disquetes tem como função ler e gravar a disquete, ou seja o seu suporte de informação correspondente. A unidade de disquetes está normalmente embutida na caixa da unidade do sistema.

A unidade de disquetes As unidades de disquetes continuam a ser o periférico de entrada/saída mais
A unidade de disquetes As unidades de disquetes continuam a ser o periférico de entrada/saída mais
disquete
disquete

25

OO mmuunnddoo eemm mmuuddaannççaa:: vviivvêênncciiaass ddee ttrraabbaallhhoo

Tecnologias da Informação e Comunicação

TIC2A – Identificar necessidades de equipamento informático.

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formação de Adultos – Unidade Regional do Norte

O modem

Uma das grandes vantagens da informática é a comunicação de informações à distância, entre vários computadores. Neste processo de transmissão torna-se necessário transformar os sinais digitais utilizados internamente pelo computador em sinais analógicos, possíveis de enviar através das normais linhas de comunicação telefónica (e inclusivamente, via satélite). O modem é o periférico responsável por esta tarefa e pode ter duas formas:

. modem externo, com a forma de uma caixa rectangular conectado à fonte de energia, à linha telefónica e ao próprio computador. As suas vantagens são a facilidade de ligação a qualquer computador e o facto de possuírem um conjunto de luzes indicadores que facilitam a verificação da transmissão; . modem interno, normalmente designado por placa modem. Tem a vantagem de ser mais barato do que o externo e de ocupar menos espaço, pois fica dentro da unidade do sistema.

O modem Uma das grandes vantagens da informática é a comunicação de informações à distância, entre

26

OO mmuunnddoo eemm mmuuddaannççaa:: vviivvêênncciiaass ddee ttrraabbaallhhoo

Tecnologias da Informação e Comunicação

TIC2A – Identificar necessidades de equipamento informático.

. Identificar as características técnicas mais relevantes de um sistema informático. . Descrever as funções dos principais componentes de um sistema informático.

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formação de Adultos – Unidade Regional do Norte

33-- CCoommpprraarr uumm ccoommppuuttaaddoorr

. Identificar as características técnicas ma is relevantes de um sistema informático. . Descrever as funções

O formador propõe aos formandos que simulem uma situação: “É preciso comprar um computador para a nossa sala de aula”. Organizam-se grupos de 4/5 elementos. O formador distribui por cada grupo o documento 3.1 – “Se quer comprar um computador”. Cada grupo deverá analisar o documento. O formador propõe que cada grupo defina, de acordo com as orientações do documento, que tipo de computador quer comprar (terão de reflectir se irão necessitar de aceder à internet, que tipo de impressora comprar, etc). De seguida propõe que cada grupo faça uma recolha, junto de casas de informática, na internet, etc, de preços de computadores. (Esta tarefa, ou parte dela, terá de ser realizada no exterior da sala de formação).

27

OO mmuunnddoo eemm mmuuddaannççaa:: vviivvêênncciiaass ddee ttrraabbaallhhoo

Tecnologias da Informação e Comunicação

TIC2A – Identificar necessidades de equipamento informático.

. Identificar as características técnicas mais relevantes de um sistema informático. . Descrever as funções dos principais componentes de um sistema informático.

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formação de Adultos – Unidade Regional do Norte

Depois de esta recolha ter sido feita cada grupo analisa os documentos que recolheu e elege o que lhe parece mais indicado, tendo em conta a qualidade e o preço.

Nota:

Esta proposta de trabalho pressupõe que já se tenh am realizado as propostas anteriores para que os formandos dominem minimamente a linguagem técnica e conheçam razoavelmente os vários componentes de um computador.

28

OO mmuunnddoo eemm mmuuddaannççaa:: vviivvêênncciiaass ddee ttrraabbaallhhoo

Tecnologias da Informação e Comunicação

TIC2A – Identificar necessidades de equipamento informático.

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formação de Adultos – Unidade Regional do Norte

DDooccuummeennttoo 33..11 SSee qquueerr ccoommpprraarr uumm ccoommppuuttaaddoorr

Antes de escolher o computador a comprar é necessário tomar algumas decisões:

Faça uma lista das tarefas que espera do computador.

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formaç ão de Adultos

Estabeleça o montante máximo a gastar e cinja-se a ele.

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formaç ão de Adultos

29

OO mmuunnddoo eemm mmuuddaannççaa:: vviivvêênncciiaass ddee ttrraabbaallhhoo

Tecnologias da Informação e Comunicação

TIC2A – Identificar necessidades de equipamento informático.

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formação de Adultos – Unidade Regional do Norte

Escolha um teclado confortável (ergonómico).

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formaç ão de Adultos

Compre o computador com o maior disco rígido que o seu orçamento permitir. Um disco rígido de pequena capacidade pode fazer com que os programas trabalhem devagar.

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formaç ão de Adultos

Para conseguir aceder e explorar a internet e enviar e-mail terá de adquirir um modem.

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formaç ão de Adultos

Se pretender usar programas multimédia precisará de uma drive para CD. Hoje quase todos os computadores vêm com este hardware. Não se esqueça também de comprar uma placa de som e as colunas para tirar todo o partido dos programas.

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formaç ão de Adultos

30

OO mmuunnddoo eemm mmuuddaannççaa:: vviivvêênncciiaass ddee ttrraabbaallhhoo

Tecnologias da Informação e Comunicação

TIC2A – Identificar necessidades de equipamento informático.

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formação de Adultos – Unidade Regional do Norte

Na escolha da impressora, há que ponderar custo, velocidade, ruído e qualidade de impressão. Só o trabalho profissional justifica a melhor qualidade. Peça provas ou amostras de impressão.

Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formaç ão de Adultos
Direcção Geral de Formação Vocacional ANEFA – Agência Nacional de Educação e Formaç ão de Adultos

Verifique se tem espaço para instalar todo o material que pretende comprar.

In Computadores para principiantes, Verbo (adaptado)

31

OO mmuunnddoo eemm mmuuddaannççaa:: vviivvêênncciiaass ddee ttrraabbaallhhoo

Tecnologias da Informação e Comunicação

TIC2A – Identificar necessidades de equipamento informático.