Você está na página 1de 5

SUMÁRIO

ROMICRON

1. PRINCÍ
PRINCÍPIOS DO SISTEMA TOYOTA DE PRODUÇ
PRODUÇÃO

2. PRINCÍ
PRINCÍPIOS DO CONTROLE ESTATÍ
ESTATÍSTICO DE PROCESSO (CEP)

3. FUNCIONAMENTO DO SISTEMA DE CONTROLE

4. LÓ
LÓGICA DE CONTROLE

5. TESTES REALIZADOS NO DESENVOLVIMENTO DA TECNOLOGIA

6. RESULTADOS OBTIDOS

7. VIDEO ILUSTRATIVO

PROCESSO DE CALIBRAÇÃO DE FUROS ATRAVÉS DE


CORREÇÕES AUTOMÁTICAS FEITAS NA PRÓPRIA MÁQUINA

1. PRINCÍPIOS DO SISTEMA TOYOTA DE PRODUÇÃO 2. CONTROLE ESTATÍSTICO DE PROCESSO

ROMICRON ROMICRON
Avaliação da Confiabilidade do Processo
Fordismo X Toyotismo Divergências?
Gráficos de Controle
Cp
STP - Princí
Princípio Fundamental Eliminaç
Eliminação das Perdas Índices de Capacidade {C
pk

JUST IN TIME
STP - Pilares de Sustentaç
Sustentação { AUTONOMAÇ
AUTONOMAÇÃO
Valores de Cpk
2,0 ou maior
1,33 até 1,99
Nível do Processo
A
B
Conceito
Excelente, Altamente confiável.
Capaz. Relativamente confiável,
1,00 até 1,32 C Relativamente Incapaz. Pouco confiável.
Menor que 1,00 D Totalmente Incapaz. (Deprê, 2002)
Autonomaç “Para ser totalmente automatizada, uma máquina deve
Autonomação x Automaç
Automação?
ser capaz de detectar e corrigir os seus próprios
problemas operacionais. É técnica e economicamente Desvios Cp, Cpk
viável desenvolver um equipamento que detecte ±3σ ≥1
problemas (pré-automação). Porém, fazer com que ele ±4σ ≥ 1,33
também os corrija é muito caro e tecnicamente difícil e,
±5σ ≥ 1,67
em conseqüência, não é trivial justificar este
≥2 (Torminato, 2004)
custo.”SHIGEO SHINGO ±6σ

3. FUNCIONAMENTO DO SISTEMA DE CONTROLE 3. FUNCIONAMENTO DO SISTEMA DE CONTROLE

ROMICRON ROMICRON
M áquina
Com ando CNC da M áquina
O sistema apresentado neste trabalho foi denominado de CLB – Closed Loop Boring Eixo C

Os principais componentes são:


2 – Instrumento de medição 1º Passo M odelo Rom icron CLB
(Pre-setado em um a m áquina de pré-set)
1 - Romicron

Part
OCNC calcula a correção e com anda
o o ajuste da ferram enta
M esa da M áquina i çã
ed
M M áquina
de M áquina
a ce
em fa
st t er
Si In
M áquina
3 - Centro de Usinagem com eixo C
2º Passo 3º Passo
4º Passo
4 – Software de Controle
A juste da Ferram enta

Ogiva
Pino Retrátil

Peça

M esa da M áquina
Mesa da M áquina
Acabando o furo

1
3. FUNCIONAMENTO DO SISTEMA DE CONTROLE 3. FUNCIONAMENTO DO SISTEMA DE CONTROLE

ROMICRON ROMICRON
1º Passo 3º Passo
Instrumentos de medição

Apalpador
Ogiva

2º Passo 4º Passo 5º Passo (opcional)

3. FUNCIONAMENTO DO SISTEMA DE CONTROLE 3. FUNCIONAMENTO DO SISTEMA DE CONTROLE

ROMICRON ROMICRON

Sistema de Proteção

Performance do Sensor Sistema opcional de segurança

4. LÓGICA DE CONTROLE 4. LÓGICA DE CONTROLE

ROMICRON ROMICRON
Situação Ideal Situação Real - Corrigindo para o LSC
0,015 0,015
LSE LSE

0,01 0,01 Pontos fora do limite


de controle

LSC LSC
Variação no diâmetro (mm)

Variação no diâmetro (mm)

0,005 0,005

0 0
1 6 11 16 21 26 31 1 6 11 16 21 26 31

-0,005 -0,005
LIC LIC
Correção Correção

-0,01 -0,01

LIE LIE
-0,015 -0,015
Medida Medida

2
4. LÓGICA DE CONTROLE 4. LÓGICA DE CONTROLE

ROMICRON ROMICRON

Situação Real - Corrigindo para o diâmetro médio Início

0,015 Usinar o furo


LSE

0,01
Medir a Peça

LSC
Variação no diâmetro (mm)

0,005 SIM
Diâmetro maior Parar a linha e
Analisar causa
que o LSC? emitir alarme

0
1 6 11 16 21 26 31
NÃO

-0,005
LIC
NÃO Diâmetro menor
que o LIC?
-0,01

SIM
LIE
-0,015
Calcular o número
Medida Ajustar a ferramenta
de Clicks

5. TESTES REALIZADOS 5. TESTES REALIZADOS

ROMICRON ROMICRON

Validação do Avaliaç
Testes para Sistema
Avaliação do Sistema de Controle Validaçãofinal:
Objetivo do Sistema
Controlar o processo de usinagem de Cilindros
em Blocos de Motores.
Requisitos:

• Tolerância do diâmetro: ± 0,025 mm = ± 25 µm


• Cpk requerido: 1,67

Testes Realizados:

• Repetibilidade do ajuste do diâmetro


• Repetibilidade no posicionamento da máquina
• Repetibilidade do instrumento de medição
• Desgaste do inserto
• Macro de Controle

5. TESTES REALIZADOS 5. TESTES REALIZADOS

ROMICRON ROMICRON
Repetibilidade no ajuste do diâmetro Repetibilidade no posicionamento

Procedimento:
• Fixou-se o diâmetro do Romicron;
• Trocou-se a Ferramenta e movimentou-se os eixos X, Y e Z da máquina;
• A variação do diâmetro foi medida com relógio comparador.

Resultados

σ = 0,6189 µm

10σ = 6,1890 µm

24,7% da Tolerância

3
5. TESTES REALIZADOS 5. TESTES REALIZADOS

ROMICRON ROMICRON
Repetibilidade do instrumento de medição Desgaste do Inserto

Procedimento:
Procedimento:
• Fixou-se um anel padrão na mesa da máquina;
• Usinou-se 100 furos a 305m/min e 0,15mm/volta;
• Trocou-se a Ogiva e movimentou-se os eixos X, Y e Z da máquina;
• O desgaste foi medido de forma indireta, através da diminuição do diâmetro do furo.
• Coletou-se 32 medidas.

Resultados Resultados
0
1 21 41 61 81 101

-0,02

σ = 0,2961 µm -0,04
Comportamento linear:
linear y = -0,0009x - 0,0077

Diferença (mm)
Importante para a lógica
10σ = 2,9610 µm -0,06

de controle

11,7% da Tolerância -0,08

-0,1

-0,12

Cilindro

5. TESTES REALIZADOS 6. RESULTADOS OBTIDOS

ROMICRON ROMICRON

Avaliação da macro de correção do diâmetro Resultados com o sistema em produç


produção
Procedimento:
• Montou-se um relógio comparador na mesa da máquina; Os testes que avaliaram o sistema de controle mostraram que as variações
• O diâmetro a ser corrigido foi digitado no teclado do CNC; inerentes ao mesmo não ultrapassavam os limites necessários para alcançar
• Coletou-se 32 medidas, para uma correção de 0,01mm. um CPK de 1,67. Além disso o desgaste do inserto apresentou um
comportamento linear, necessário para permitir o funcionamento da lógica de
Resultados controle. Sendo assim, decidiu-se seguir adiante, colocadno o sistema em
produção.

O teste final foi realizado na fabricação de blocos de motores V6.


σ = 1,3357 µm

10σ = 13,3570 µm
Incialmente, as medições dos diâmetros mostraram as variações inerentes
ao processo de usinagem, advindas dos parâmetros de corte e da geometria
53% da Tolerância
da peça.

6. RESULTADOS OBTIDOS 6. RESULTADOS OBTIDOS

ROMICRON ROMICRON

Sistema em Produç
Produção - Variaç
Variações ocorridas na prá
prática
A correção dos parâmetros de corte e pequenas mudanças no dispositivo de
Uma das variações encontradas se deve a assimetria da peça, como mostrado no fixação da peça, permitiram diminuir a amplitude das variações de usinagem.
exemplo abaixo, feito para um motor de 4 cilindros. Como resultado obteve-se um CPK de 2,20, significativamente melhor do que o
planejado de 1,67.

4
7. VIDEO ILUSTRATIVO 7. VIDEO ILUSTRATIVO

ROMICRON ROMICRON

DIVISÃO

Marcelo Eurípedes da Silva


Assessor de Desenvolvimento de Produtos

(19) 3455-9186
mesilva@romi.com.br

Indústrias Romi S.A.


www.romi.com.br

28/11/2007