Você está na página 1de 529

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL

PREFEITURA MUNICIPAL DE DOURADOS


SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO
NÚCLEO DE ENSINO

REFERENCIAL CURRICULAR DO
ENSINO FUNDAMENTAL ANOS INICIAIS E ANOS FINAIS DA
REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE DOURADOS-MS/2016

1
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL
PREFEITURA MUNICIPAL DE DOURADOS
SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO
NÚCLEO DE ENSINO

Educação o caminho do
conhecimento...

2
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
REFERENCIAL CURRICULAR DO
ENSINO FUNDAMENTAL ANOS INICIAIS E ANOS FINAIS DA
REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE DOURADOS-MS/2016
3
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
Murilo Zauith
Prefeito

Odilon Azambuja
Vice-Prefeito

Marinisa Kiyomi Mizoguchi


Secretária Municipal de Educação

Ana Paula Arruda


Diretora do Departamento de Recursos Humanos

Robson Fernandes Melo


Diretor do Departamento de Planejamento, Gestão e Finanças

Clair Moron dos Santos Munhoz


Coordenadora dos Anos Iniciais

Rose Cristiani Franco Seco Liston


Coordenadora dos Anos Finais

4
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
EQUIPE SEMED – NÚCLEO DE EDUCAÇÃO E ENSINO

ARTE E EVENTOS:
Esp. Ilda M. Kudo Sequia - Coordenadora
Esp. Angela Fabiane Gubert

EDUCAÇÃO INFANTIL:
Esp. Simone Denise Gonçalves Ferreira França - Coordenadora
Ma. Claudia Marinho Carneiro Noda

EDUCAÇÃO ESPECIAL:
Esp. Terezinha Aparecida Piva Espósito - Coordenadora
Ma. Cristina Fatima Pires Ávila Santana
Esp. Sandra Francisca da Silva

EDUCAÇÃO DO CAMPO:
Esp. Pablo André Crespan - Coordenador

EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS:


Esp. Elda Flores Barbosa - Coordenadora

EDUCAÇÃO INDÍGENA:

Esp. Elias Moreira - Coordenador

PNAIC:
Esp. Luci Marque Pereira Troian - Coordenadora

PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO:


Esp. Espedito Saraiva Monteiro - Coordenador

5
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
NÚCLEO DE BIBLIOTECAS ESCOLARES E PÚBLICAS:
Bibliotecária Eunice de Lourdes Franco

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR E EDUCACIONAL:

Esp. Mariza Araújo - Coordenadora


Esp. Josymari A. Morais

NÚCLEO DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL MUNICIPAL:


Esp. Valéria Aparecida Ribeiro - Coordenadora
Esp. Daniel R. Icassatti
Esp. Nilcéia Pereira da Silva

6
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
Equipe de Elaboração do Referencial Curricular
2016

EQUIPE ANOS INICIAIS


Ma. Clair Moron dos Santos Munhoz – Coordenadora
Dra. Care Cristiane Hammes - Geografia
Esp. Haroldo Barros Lopes - Arte
Esp. Izabel Claudinete Dias Marques - Leitura, Literatura e Produção Textual – (LLPT) e
Língua Portuguesa
Esp. Josymari Morais – Educação Física
Esp. Leila Tatiana Garcia – Ciências
Esp. Marcio Alves França – Matemática e Conhecimento Lógico Matemático (CLM)
Esp. Mariza Araújo – Educação Física
Esp. Ricardo de Mattos Sacco – Educação, Vida e Sociedade (EVS) e História
Geny Vaz Gomes – Leitura, Literatura e Produção Textual (LLPT)
Ma. Karolinne F. Couto – Língua Inglesa

EQUIPE ANOS FINAIS


Ma. Rose Cristiani Franco Seco Liston - Coordenadora
Benedito Cantelli – Geografia
Dra. Care Cristiane Hammes - Geografia
Esp. Haroldo Barros Lopes - Arte
Esp. Izabel Claudinete Dias Marques – Língua Portuguesa
Esp. Josymari Morais – Educação Física
Esp. Leila Tatiana Garcia – Ciências
Esp. Mariza Araújo – Educação Física
Esp. Ricardo de Mattos Sacco – História
José Bruno Gonzales – Matemática
Ma. Karolinne F. Couto – Língua Inglesa

7
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
EQUIPE DE CORREÇÃO E SISTEMATIZAÇÃO
Ma. Clair Moron dos Santos Munhoz – Coordenadora
Ma. Rose Cristiani Franco Seco Liston - Coordenadora
Esp. Izabel Claudinete Dias Marques – Língua Portuguesa

Dourados-MS/2016
Material de Propriedade do Governo Municipal de Dourados-MS
Secretaria Municipal de Educação de Dourados-MS
Reprodução autorizada desde que citada a fonte

8
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
PALAVRAS DA SECRETÁRIA

Apresentamos à Rede Municipal de Ensino de Dourados-MS, o Referencial


Curricular do Ensino Fundamental dos Anos Iniciais e Finais, como um documento que
articula-se com s Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica, apresentando
conteúdos, competências e habilidades, este referenciado em conjunto com os descritores das
Matrizes de Referência do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio
Teixeira – INEP, nas áreas de Língua Portuguesa, Matemática e Ciências, com as
Capacidades e Direitos de Aprendizagem do PNAIC/MEC, 2012 e 2015, aplicando também
dados da Base Nacional Comum Curricular nas demais áreas de conhecimento da Educação
Básica do Ensino Fundamental em estudos por todo o país. Este documento não se finaliza,
articula-se com as propostas de ensino previstas pelo MEC, por isso trata-se de um
Referencial (modelo, parâmetro, orientação, direção) de como direcionar e aplicar os
conteúdos curriculares para os alunos da Rede Municipal de Ensino de Dourados.
O referido documento tem como objetivo articular uma gestão participativa e
democrática, assegurando o Planejamento, a Participação, o Trabalho Coletivo, a
Responsabilidade, o Comprometimento e o Conhecimento.
Neste contexto, a Secretaria Municipal de Educação, acompanhou durante os 3 anos
de gestão, que os documentos anteriores precisavam se adequar aos novos contextos
educacionais, assim, se tornou necessário reunir especialistas nas diversas áreas de
conhecimento específicos ao ensino fundamental, estes que compõe o Núcleo de Educação do
Ensino Fundamental da SEMED, para pesquisar, analisar, reformular, nesse caso reestruturar
no todo o referido documento, que fora compartilhado com os professores e coordenadores
das escolas da REME, em formações específicas por área de ensino, o que resultou no
Referencial Curricular do Ensino Fundamental dos Anos Iniciais e Anos Finais da Rede
Municipal de Educação do Município de Dourados/2016, aqui apresentado.
Agradeço toda equipe pedagógica da SEMED, professores e coordenadores que se
dedicaram em desenvolver um trabalho pedagógico que viesse atender e resultar no maior
índice de qualidade de ensino.

Marinisa Kiyomi Mizoguchi


Secretária Municipal de Educação

9
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
AOS EDUCADORES

A Prefeitura Municipal de Educação de Dourados, por meio da Secretaria Municipal


de Educação, vem promovendo desde 2012 a elaboração do Referencial Curricular da
Educação Básica da Rede Municipal de Ensino de Dourados – Ensino Fundamental,
disponibilizado às unidades escolares na versão preliminar desde 2014. Esse documento tinha
como objetivo maior sistematizar o currículo, promovendo uma educação de qualidade em
sólidos parâmetros, diante das novas políticas públicas da Educação, Plano Nacional da
Educação, Plano Municipal da Educação e a Base Nacional Comum Curricular, esses todos
estudados e analisados desde 2014, fundamentado em estudos desde 2012.

Nessa perspectiva, a Secretária Municipal de Educação de Dourados Marinisa Kiyomi


Mizoguchi, no cumprimento de sua responsabilidade administrativa dessa Secretaria e
pautada nas novas propostas de currículo e diretrizes que vêm sendo discutidas e apresentadas
pelas instâncias oficiais, em nível nacional, estadual e local, propôs a sua equipe pedagógica a
atualização do Referencial do Ensino Fundamental Anos Iniciais e Anos Finais.

O estudo e reformulação desse Referencial baseou-se na necessidade premente da


SEMED/Dourados-MS em manter-se em consonância com as normas nacionais, estaduais e
locais, principalmente o que tange atender às expectativas de aprendizagem dos alunos.

Assim, estudos, formação continuada e reuniões foram promovidos no âmbito do


Núcleo de Ensino, das unidades escolares, envolvendo formadores de área da SEMED,
docentes, coordenadores pedagógicos, diretores, supervisores de gestão da referida secretaria,
que contribuíram com a análise e sugestões do material em pauta, num processo intenso de
avançar de maneira concisa a proporcionar aos educandos do município de Dourados-MS, um
currículo que atenda às suas particularidades e pluralidade.

O Referencial Curricular da Rede Municipal de Educação de Dourados-MS, Ensino


Fundamental: Anos Iniciais e Anos Finais, que ora chega às mãos de todos aqueles que
efetivam o processo educacional tem como objetivo fundamental subsidiar a prática
pedagógica, contribuindo assim para a melhoria da qualidade do processo de ensino e de
aprendizagem, que garanta o atendimento às expectativas de aprendizagem dos estudantes na
idade/ano equivalente, que orienta de maneira objetiva o atendimento aos estudantes com
10
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
necessidades educacionais específicas, promovendo a implementação do Projeto Político
Pedagógico das escolas.

O referido documento aqui em pauta vem de maneira a proporcionar a todos os


educadores uma visão sistêmica do currículo, articulando os conteúdos as habilidades e
competências, que interage de forma contextualizada os diversos conhecimentos entre as
áreas e componentes curriculares/disciplinas, cabendo a Unidade escolar articulá-lo de acordo
com suas especificidades, com autonomia metodológica, para ampliar conhecimentos,
conteúdos, habilidades, competências e, ainda, o desenvolvimento de um processo
contextualizado com a realidade local.

Assim, não se finaliza uma proposta, mas a articula com as bases educacionais, essas
sempre parceiras no processo de ensino e aprendizagem do educando, nesse sentido
agradecemos a todos os que de forma formal e informal participaram do processo que
culminou o referido documento, esse que a partir de agora, é um instrumento que
consensualiza o compromisso de todos por uma educação de qualidade.

Ma. Clair Moron dos Santos Munhoz


Coordenadora Anos Iniciais

Ma. Rose Cristiani Franco Seco Liston


Coordenadora Anos Finais

11
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
SUMÁRIO

1. EDUCAÇÃO, ESCOLA E CURRÍCULO ................................................................ 14

1.1 ENSINO FUNDAMENTAL E SUAS MODALIDADES DE ENSINO ................ 17

2 A INSERÇÃO DAS TECNOLOGIAS NO FAZER PEDAGÓGICO ..................... 23

3 A AVALIAÇÃO EDUCACIONAL ............................................................................24

4 ORIENTAÇÕES PEDAGÓGICAS:GÊNEROS TEXTUAIS DO 1º AO 9º ANO .26

5 LEGENDAS .................................................................................................................. 46

6 COMPONENTES CURRICULARES DO 1º AO 5º ANO .......................................47

LÍNGUA PORTUGUESA ............................................................................................ 47


LEITURA, LITERATURA E PRODUÇÃO TEXTUAL - LLPT ............................... 104
MATEMÁTICA ...........................................................................................................156
CONHECIMENTO LÓGICO MATEMÁTICO – CLM ............................................. 186
ARTE ............................................................................................................................ 199
CIÊNCIAS .................................................................................................................... 224
GEOGRAFIA ............................................................................................................... 239
HISTÓRIA .................................................................................................................. 257
LÍNGUA INGLESA .....................................................................................................284
EDUCAÇÃO, VIDA E SOCIEDADE .........................................................................288
EDUCAÇÃO FISICA ..................................................................................................299

7 COMPONENTES CURRICULARES DO 6º AO 9º ANO ......................................321

7.1 ÁREA DE LINGUAGENS ...................................................................................... 321

LÍNGUA PORTUGUESA ........................................................................................... 321


ARTE ............................................................................................................................ 369
EDUCAÇÃO FÍSICA ..................................................................................................379
LÍNGUA INGLESA .....................................................................................................401

12
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
7.2 ÁREA DAS CIÊNCIAS DA NATUREZA ............................................................. 410

CIÊNCIAS ..................................................................................................................... 410

7.3 ÁREA DE MATEMÁTICA..................................................................................... 427

MATEMÁTICA ...........................................................................................................427

7.4 ÁREA DE CIÊNCIAS HUMANAS ........................................................................446

HISTÓRIA ................................................................................................................... 446

GEOGRAFIA ............................................................................................................... 506

7.5 ENSINO RELIGIOSO ............................................................................................. 518

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS .........................................................................526

13
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
1. EDUCAÇÃO, ESCOLA E CURRÍCULO

Demandas históricas e políticas têm promovido mudanças na sociedade e,


consequentemente, alterações no processo educacional e na escola, visto que esta instituição
exerce papel importantíssimo para o desenvolvimento humano e social. Por isso, a escola
precisa realizar práticas pedagógicas que atendam às necessidades dos alunos. Nesse sentido,
os Parâmetros Curriculares Nacionais enfatizam: [...] A escola deve assumir-se como um
espaço de vivência e de discussão dos referenciais éticos, não uma instância normativa e
normatizadora, mas um local social privilegiado de construção dos significados éticos
necessários e constitutivos de toda e qualquer ação de cidadania, promovendo discussões
sobre a dignidade do ser humano, igualdade de direitos, recusa categórica de formas de
discriminação, importância da solidariedade e observância das leis. (BRASIL, 1998a, p. 16)
Além disso, ainda segundo os PCN’s, ― é papel do Estado democrático facilitar o acesso à
educação, investir na escola, para que esta instrumentalize e prepare crianças e jovens para as
possibilidades de participação política e social. (BRASIL, 1998a, p. 19).
Em síntese, a escola é um espaço social propício para a formação cidadã, pois acolhe
toda a diversidade, e deve, portanto, promover o respeito e a valorização das diferenças.
Nesse sentido, no contexto brasileiro, uma educação de qualidade diz respeito a uma
educação que contribua para a aquisição e/ou aprimoramento de aprendizagens indispensáveis
à formação cidadã que, por sua vez, faz referência à constituição de sujeitos ― autônomos,
críticos e participativos, capazes de atuar com competência, dignidade e responsabilidade na
sociedade em que vivem e na qual esperam ver atendidas suas necessidades individuais,
sociais, políticas e econômicas. (BRASIL, 1998a, p. 21).
Para alcançar essa formação, há que se ter bem definidos os propósitos de ensino, o
currículo, as metodologias, enfim, a estrutura da educação em todas as suas etapas e
modalidades.
A função da escola em proporcionar um conjunto de práticas preestabelecidas tem o
propósito de contribuir para que os alunos se apropriem de conteúdos sociais e culturais de
maneira crítica e construtiva. A escola, ao tomar para si o objetivo de formar cidadãos capazes
de atuar com competência e dignidade na sociedade, buscará eleger, como objeto de ensino,
conteúdos que estejam em consonância com as questões sociais que marcam cada momento
14
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
histórico, cuja aprendizagem e assimilação são as consideradas essenciais para que os alunos
possam exercer seus direitos e deveres. O artigo 210 da Constituição Brasileira de 1988
prescreve a fixação de conteúdos mínimos, a fim de garantir uma formação básica comum,
sem perder de vista os valores culturais e artísticos característicos da nação brasileira e suas
regiões. Por tudo isso, não se deve pensar em listagem de conteúdos. Antes deve-se pensar em
um currículo que, na maioria das vezes, ultrapassa os limites das normas, das regras, do
ensino prescritivo, unificador para alcançar os horizontes dos saberes coletivos e individuais
intrínsecos ao ser humano e necessários para a atuação em sociedade, A respeito do currículo,
os Parâmetros Curriculares Nacionais esclarecem:
O termo ―currículo, por sua vez, assume vários significados em diferentes
contextos da pedagogia. Currículo pode significar, por exemplo, as matérias
constantes de um curso. Essa definição é a que foi adotada historicamente pelo
Ministério da Educação e do Desporto quando indicava quais as disciplinas que
deveriam constituir o ensino fundamental ou de diferentes cursos do ensino médio.
Currículo é um termo muitas vezes utilizado para se referir a programas de
conteúdos de cada disciplina. Mas, currículo pode significar também a expressão de
princípios e metas do projeto educativo, que precisam ser flexíveis para promover
discussões e reelaborações quando realizado em sala de aula, pois é o professor que
traduz os princípios elencados em prática didática (...). (BRASIL, 1998a, p. 49).

Ao assimilar o conteúdo implícito na leitura, por exemplo, a criança compreende, por


meio da mediação do professor, as formas de pensar, de perceber, de raciocinar, de interpretar
e outras presentes no contexto de inter-relações. Nessa direção, currículo diz respeito também
a conhecimentos, experiências, práticas explícitas e implícitas – ocultas, nos termos de
Sacristán (2000) – produzidas na escola ou na sociedade.
A respeito multiplicidade de sentido da palavra currículo, Moreira (2001) lembra que
isso ocorre porque se trata de um conceito construído e determinado sócio- histórica e
culturalmente. Além disso, diz respeito também às práticas pedagógicas que condicionam e
teorizam o próprio currículo. Ainda, o autor resume:

Dentre as definições existentes, ressalto algumas: Conhecimento escolar e


experiências de aprendizagem representam os dois sentidos mais usuais da palavra
currículo, desde sua incorporação ao vocabulário pedagógico. No primeiro sentido,
que é também o dominante ao longo dos tempos, o currículo é visto como o
conhecimento tratado pedagógica e didaticamente pela escola e que deve ser
aprendido e aplicado pelo aluno. Para os que adotam essa concepção, as seguintes
perguntas tornam-se básicas: O que deve um currículo conter? Como organizar esses
conteúdos? A segunda concepção tem raízes nas visões de educação e de pedagogia
que começam a se delinear a partir do século XVIII, relacionadas às mudanças
econômicas, sociais, políticas e culturais que então ocorriam. A ênfase nas
diferenças individuais e a preocupação com a atividades do aluno levam à maior
valorização da forma em detrimento do conteúdo. Currículo passa a significar o
15
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
conjunto de experiências a serem vividas pelo estudante sob a orientação da escola.
Constituem perguntas centrais nessa segunda abordagem: Como selecionar as
experiências de aprendizagem a serem oferecidas? Como organizá-las relacionando-
as aos interesses e ao desenvolvimento do estudante? (MOREIRA, 2001, p. 12).

Entende-se que ambas as definições coexistem e são vigentes ainda nessa primeira
década do novo milênio. Suas respectivas questões ainda fazem parte do contexto escolar
brasileiro. Todavia, tais definições/questões não devem limitar o fazer pedagógico. A
sociedade contemporânea exige a observação do conhecimento prévio do aluno e, tendo em
vista a formação cidadã dos alunos, novas questões somam-se às existentes.
Diante de várias mudanças e em atendimento ao exposto nas Diretrizes Curriculares
Nacionais Gerais para a Educação Básica e no Plano Nacional de Educação, a Secretaria de
Educação Básica do Ministério da Educação apresenta à consulta pública o documento
preliminar à Base Nacional Comum Curricular – BNCC. Este documento reúne direitos e
objetivos de aprendizagem relacionados às quatro áreas do conhecimento – Ciências da
Natureza, Ciências Humanas, Linguagens e Matemática – e seus respectivos componentes
curriculares para todas as etapas da educação básica. O ponto de partida para a definição dos
objetivos de aprendizagem propostos pelo documento preliminar da Base Nacional Comum
Curricular (BNCC) são os Direitos de Aprendizagem apresentados no texto – Princípios
orientadores da definição de objetivos de aprendizagem das áreas de conhecimento. Os doze
Direitos de Aprendizagem enunciados no referido texto constituem um conjunto de
proposições que orientam as escolhas feitas pelos componentes curriculares na definição de
seus objetivos de aprendizagem, consideradas as dimensões ética, estética e política de
efetivação daqueles direitos de aprendizagem e desenvolvimento.
A BNCC é constituída pelos conhecimentos fundamentais aos quais todos/todas
estudantes brasileiro/a deve ter acesso para que seus Direitos à Aprendizagem e ao
Desenvolvimento sejam assegurados. Esses conhecimentos devem constituir a base comum
do currículo de todas as escolas brasileiras embora não sejam, eles próprios, a totalidade do
currículo, mas parte dele. Deve-se acrescer à parte comum, a diversificada, a ser construída
em diálogo com a primeira e com a realidade de cada escola, em atenção não apenas à cultura
local, mas às escolhas de cada sistema educacional sobre as experiências e conhecimentos que
devem ser oferecidos aos estudantes e às estudantes ao longo de seu processo de
escolarização. O documento preliminar à Base Nacional Comum Curricular está organizado
em quatro áreas de conhecimento: Linguagens, Matemática, Ciências Humanas e Ciências da
16
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
Natureza. Tal organização visa superar a fragmentação na abordagem do conhecimento
escolar pela integração e contextualização desses conhecimentos, respeitando-se as
especificidades dos componentes curriculares que integram as diferentes áreas.

1.1 ENSINO FUNDAMENTAL E SUAS MODALIDADES DE ENSINO


A Constituição Federal de 1988, art. 22, inciso XXIV preconiza que a educação é
direito de todos e dever do Estado e da família, devendo ser promovida e incentivada com a
colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o
exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho. A Lei n. 9.394∕1996 – LDB
estabelece as diretrizes e bases da educação nacional e aponta no artigo 32 que o Ensino
Fundamental constitui etapa obrigatória da educação básica com a duração de nove anos,
iniciando-se aos seis anos de idade, e tem por objetivo a formação básica do cidadão,
inclusive para aqueles que não tiveram acesso ou continuidade de estudos na idade própria.
De modo a garantir o cumprimento da finalidade do Ensino Fundamental na formação do
cidadão nessa etapa da educação básica, esse art. 32, define um conjunto de pressupostos para
essa etapa de ensino:
I. O desenvolvimento da capacidade de aprender, tendo como meios básicos o pleno
desenvolvimento da leitura, da escrita e do cálculo;
II. A compreensão do ambiente natural e social, do sistema político, da tecnologia, das
artes e dos valores em que se fundamenta a sociedade;
III. O desenvolvimento da capacidade de aprendizagem, tendo em vista a aquisição do
conhecimento e habilidades e a formação de atividades e valores;
IV. O fortalecimento dos vínculos de família, dos laços de solidariedade humana e de
tolerância recíproca em que se assenta a vida social. Esse conjunto de objetivos revela
as intenções de formação de um cidadão que, instrumentalizado pelo conhecimento,
possa se desenvolver como sujeito capaz de compreender as inter-relações dos
elementos que constituem sua realidade social e atue criticamente em seu meio.

O desenvolvimento das competências vinculadas a esses objetivos deve ocorrer ao


longo dos nove anos do Ensino Fundamental de forma gradativa e aprofundada, sendo norte
para o desenvolvimento curricular na escola. O Conselho Nacional de Educação, por meio da
Resolução CNE/CEB n.7, de 14/12/2010, fixa as Diretrizes Curriculares Nacionais para o
Ensino Fundamental de nove anos, na qual expressa que os sistemas de ensino e as escolas
adotarão os princípios éticos, políticos e estéticos como norteadores das políticas educativas e
das ações pedagógicas na escola.

17
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
Ainda nesta mesma normativa, o currículo do Ensino Fundamental é entendido como
constituído pelas experiências escolares que se desdobram em torno do conhecimento,
permeadas pelas relações sociais, buscando articular vivências e saberes dos alunos com os
conhecimentos historicamente acumulados, contribuindo para construir identidade dos
estudantes.
A partir do disposto nas normas para a Educação Básica, é imprescindível considerar
as dimensões do educar e cuidar em sua inseparabilidade, buscando recuperar para a função
social desse nível da educação, a sua centralidade, que é o educando, pessoa em formação na
sua essência humana, sendo que, no Ensino Fundamental, acolher significa cuidar e educar,
como forma de garantir a aprendizagem dos conteúdos curriculares, para que o aluno
desenvolva interesses e sensibilidades que lhe permitam usufruir dos bens culturais
disponíveis na comunidade, na sua cidade ou na sociedade em geral, e que lhe possibilite,
ainda, sentir-se como coprodutor desses bens.
Por sua vez, o sistema municipal de ensino, por meio do Conselho Municipal de
Educação, expede normas complementares e de regulamentação do desenvolvimento do
Ensino Fundamental em suas modalidades: Regular, Educação de Jovens e Adultos - EJA,
Educação Especial, Educação do Campo e Educação Escolar Indígena, que, articuladas às
normas nacionais, orientam a Secretaria Municipal da Educação de Dourados no
desenvolvimento da educação fundamental nas escolas públicas municipais.
Descreve-se assim que o ensino fundamental de 9 anos, oferecido pela Rede
Municipal de Ensino de Dourados, que conta com 45 unidades escolares, que atende alunos
da zona urbana, do campo e indígena, ruma para a evolução das operações concretas em
direção às abstratas, o que exige sistematização e rigor do processo de ensino-aprendizagem,
das práticas pedagógicas, da operacionalização do currículo.
Entende-se que a educação escolar é aprimoramento, e reflexão crítica, do
conhecimento prévio. Além disso, a escolar não é a única responsável pela educação dos
sujeitos sociais. Ela é complemento científico que contribui para o desenvolvimento integral
do cidadão.
As alterações no ensino fundamental são, em resumo, possibilidades de a escola
contribuir ainda mais com a formação cidadã, com a sociedade e, especialmente, alcançar os
objetivos propostos para essa etapa de ensino.

18
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
Diante dessas colocações, apresentamos de maneira sucinta as modalidades de ensino
oferecidas pela Rede Municipal de Ensino de Dourados-MS:

Educação de Jovens e Adultos – EJA

O ensino fundamental também é oferecido na Educação de Jovens e Adultos (EJA),


que é a modalidade de ensino essencial para garantir o acesso à educação aos jovens e adultos
que não tiveram oportunidade ou foram excluídos do sistema educacional nas faixas etárias
regulares, atualmente essa modalidade é oferecida no período noturno em 5 escolas da REME
de Dourados.

Educação Especial

Assim, não podemos deixar de mencionar que todo processo educacional, em seu
contexto escolar apresenta alunos com diversas deficiências, seja física ou intelectual, nesse
caso falamos da Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva, essa que é uma
abordagem que procura responder às necessidades de aprendizagem de todas as crianças,
jovens e adultos, com foco específico nas pessoas ou grupo de pessoas que estão excluídas da
efetivação do direito à educação e que estão fora da escola ou enfrentam barreiras para a
participação nos processos de aprendizagem escolar.
Neste processo, a formação dos professores é fundamental para que a aprendizagem
esteja centrada no potencial de cada aluno, de forma que uma incapacidade para andar, ouvir,
enxergar ou déficit no desenvolvimento não sejam classificados com falta de competência
para aprender e nem causa para que os alunos desistam da escolarização. A atitude positiva da
gestão da escola, o trabalho colaborativo desenvolvido por toda a equipe escolar, a parceria
entre escola e família, a organização de recursos e a atenção as necessidades de cada aluno
formam uma estrutura básica para melhorar qualidade da educação.
Hoje a REME conta com 29 Salas de Recursos Multifuncionais, que funcionam no
contra turno, para atender alunos que apresentam ao longo de sua aprendizagem, alguma
necessidade educacional especial, temporária ou permanente, compreendida, segundo
Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica, em 3 grupos: Alunos

19
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
com dificuldades acentuadas – disfunções, limitações ou deficiência; Alunos com
dificuldades de comunicação e sinalização diferenciadas dos demais alunos; Alunos que
evidenciem altas habilidades/superdotação e que apresentem uma grande facilidade ou
interesse em relação a um tema ou grande criatividade ou talento específico.
Assim, são beneficiados com Atendimento Educacional Especializado - AEE todos os
alunos que encontram respostas às suas necessidades educacionais especiais, respostas estas
estabelecidas na relação entre a modalidade da Educação Especial e as etapas da educação.

Educação do Campo

O ensino fundamental também é oferecido aos alunos do Campo, que residem nos
distritos do Ithaum, Picadinha, Barreirinho, Panambi, Vila São Pedro, Vila Formosa, Guassú e
na Fazenda Miya e salas multisseriadas como extensões, contando com 9 escolas do campo.
No contexto do Referencial Curricular da REME, a orientação acerca da Educação do
Campo, caracteriza-se a partir do ponto de vista pedagógico, este já articulado com a nova
proposta curricular, pois a educação do campo no que tange a organização curricular, aponta a
diversidade de culturas, não menos importante, mas vital para a pluralização de ideias e
manutenção das características da comunidade, priorizando um currículo voltado para a
relação entre a cultura local, linguagem e a comunicação entre os sujeitos participantes do
processo o que propicia o resgate os saberes das comunidades através da história local e a
memória coletiva das mesmas.
A consecução do currículo deve considerar atividades de estudo, pesquisas, reflexões,
leituras, oficinas, atividades culturais e esportivas, projetos, dentre outros. As atividades de
pesquisa e projetos, de leitura, escrita e trabalhos serão orientadas e acompanhadas pelo
professor.

Educação Indígena

A Educação Indígena, definida como uma conquista pelo reconhecimento de que o


Brasil é uma nação constituída por muitos povos, de deferentes etnias, com historia, saberes,
culturas e línguas próprias; além da existência de um grande número de povos indígenas do

20
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
país que constituíram, ao longo e sua historia, suas organizações sociais, seus saberes e
processo próprios de aprendizagem; do direito dos povos indígenas á autodeterminação, além
de administrarem seus projetos de futuro dos direitos como cidadão brasileiro a educação
intercultural, específica e diferenciada. Nas Aldeias Indígenas existentes em Dourados MS,
existem sete escolas municipais: A Escola Municipal Francisco Meireles é uma escola
localizada fora da aldeia na Missão Evangélica Caiuá, onde 99% da clientela são indígenas
das aldeias Jaguapiru e Bororó; Escola Municipal Indígena Tengatui Marangatu, Escola
Municipal Indígena Ramão Martins estão localizados na Aldeia Jaguapiru a Escola Municipal
Indígena Araporã, Escola Municipal Indígena Agustinho e Escola Municipal Indígena Lacuí
Roque Isnard estão localizadas na Aldeia Bororó e a Escola Municipal Indígena Paí Chiquito
localiza-se na Aldeia Panambizinho, Distrito de Panambi. A lei de nº 3.619, de 12 de
setembro de 2012, que Institui e regulamenta a Educação Escolar Indígena no município de
Dourados reforça a implementação das escolas indígenas como sendo especifica,
diferenciada, intercultural e multilíngüe com a finalidade de garantir aos povos indígenas uma
educação escolar de qualidade no âmbito municipal, fator esse que pode ser observado pelo
processo de realização e implantação do Primeiro Referencial Curricular Indígena do Primeiro
Ano, e pelos estudos da implantação do Referencial Curricular Indígena até o 9º ano do
Ensino Fundamental, que já esta em fase de ajustes, que deve ser publicado até o início de
2017.

Educação em tempo integral – Programa Mais Educação

A Educação em tempo integral em Dourados é abarcada pelo Programa Mais


Educação, programa este que se trata de uma estratégia do Governo Federal para induzir a
implantação da educação integral no Brasil. No município de Dourados - MS, o Programa foi
implementado no segundo semestre de 2009, sendo que a partir de 2014 todas as 45 escolas
da rede pública municipal participam do referido Programa.
Assim, as atividades do Programa são realizadas no contra turno escolar do aluno.
Cada escola tem cadastrada no Plano do Mais Educação uma média de 4 até 5 atividades e
todos os alunos do Mais Educação participam delas. As atividades que são desenvolvidas em
Dourados são as seguintes: Alfabetização-Letramento, Arte corporal e som, Arte gráfica e

21
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
leitura, Arte gráfica e mídias, Artesanato Popular, Atletismo, Brinquedos e Artesanato
Regional, Brinquedoteca, Campos do Conhecimento, Canteiros Sustentáveis, Canto Coral,
Capoeira, Ciclismo, Clubes de Leitura, Conservação do solo e composteira, Danças, Desenho,
Educação em Direitos Humanos, Esporte na Escola, Esporte na Escola, Fotografia, Futebol,
Futsal, Hip Hop, Horta Escolar e/ou Comunitária, Iniciação Musical de Instrumentos de
Cordas, Jardinagem Escolar, Jornal Escolar, Judô, Karatê, Leitura, Música, Música,
Orientação de Estudos e Leitura, Percussão, Pintura, Práticas Circenses, Rádio Escolar,
Teatro, Tecnologias Educacionais, Tênis de Mesa, Xadrez Tradicional, Yoga-Meditação.
Portanto, podemos mencionar que essas modalidades aqui apresentadas, são suportes
do processo educacional, que ao longo do caminho, vem superando as marcas das
metodologias de ensino excludentes, de bases seletivas e quantitativas com relação ao
desenvolvimento humano. No entanto, com os estudos e reflexões dessas realidades várias
outras formas de ensino têm surgindo, mas o propósito da Educação Municipal de Dourados
aciona e aquece as relações de aprendizagem, assim a SEMED, a partir desse novo
documento, propõe-se às práticas educativas de interação humana desprendidas das diversas
faces de opressão, na luta pela ampliação dos direitos sociais, superando as situações de
injustiça e de desigualdade

22
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
2 A INSERÇÃO DAS TECNOLOGIAS NO FAZER PEDAGÓGICO

A sociedade atual é tecnológica, de modo que não é mais possível pensar em educação
sem a utilização das tecnologias. O processo de ensino-aprendizagem também já se mostra
diferente do de antigamente, pois as formas de ensinar e aprender são diferentes, isto é, o
professor não é mais um simples transmissor do conhecimento. Hoje, ele é um mediador,
facilitador do processo de ensino-aprendizagem e os alunos são os sujeitos ativos desse
processo, deixando de ser simples receptores do conhecimento. Dessa forma, o professor
precisa utilizar recursos que transformem suas aulas, de modo a instigar mais e mais a busca
pelo conhecimento por parte dos alunos, ministrando aulas dinâmicas, motivadoras, atrativas
e entendendo que as tecnologias disponíveis auxiliam no processo de ensino-aprendizagem, as
quais vêm para colaborar com o professor, funcionando como suporte, como um recurso a
mais para esse processo e não como um recurso em sua substituição.
Atualmente, vive-se a era da tecnologia, em que todas as áreas da sociedade se
beneficiam dos aparatos tecnológicos existentes, que surgem para melhorar as atividades e
necessidades de cada uma dessas áreas. Com a educação não poderia ser diferente. Hoje, as
tecnologias contribuem para um melhor processo de ensino-aprendizagem, proporcionando
novas formas de ensinar e aprender.
O principal objetivo do processo de ensino-aprendizagem por meio da tecnologia é
formar alunos mais ativos, de modo que o educador e a tecnologia se tornem mediadores
desse processo, devendo estar unificados para que a aprendizagem se torne eficaz.
Por meio da utilização das tecnologias, a associação das práticas pedagógicas,
juntamente com o aprendizado, representa uma possibilidade a mais para os professores, pois
estimula o aprendizado, de modo que os participantes desse processo passam a investigar as
soluções para os problemas e para as situações em estudo.
Nesse sentido, a Rede Municipal de Ensino de Dourados, investe em tecnologia,
planetário digital, e também 21 lousas digitais, em 21 unidades escolares, recursos esses
voltados para o cunho pedagógico na área de ciências, e nas demais áreas de conhecimento,
que facilita a interação aluno-professor, visando que as propostas pedagógicas aplicadas em
conjunto com as novas tecnologias, proporcionam aulas mais dinâmicas e atrativas, que
incentivam a qualidade de aprendizagem do aluno.

23
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
3 A AVALIAÇÃO EDUCACIONAL

Compreende-se que a avaliação não serve para mensurar o aprendizado do aluno. Ela é
também, e principalmente, etapa inicial e final de verificação do processo ensino-
aprendizagem. Um todo é avaliado, não apenas um sujeito (o aluno, no caso). São avaliados: o
grau de conhecimento e de aprendizagem, as metodologias utilizadas, os conteúdos, a relação
conteúdo-realidade e todos os envolvidos no processo pedagógico. Nesse sentido, a avaliação
é uma possibilidade de análise ampla do ensino, da aprendizagem e do conhecimento.
[...] a utilidade da avaliação é fornecer subsídios imediatos para a correção do
processo em direção ao objetivo, na escola, a avaliação educativa deve significar
precisamente o cuidado com a qualidade do ensino. Isso tem implicações tanto no
caráter da avaliação quando na frequência com que ela é realizada. (PARO, 2001, p.
39).

Por tudo isso, faz-se necessário que a avaliação seja realizada em vários momentos do
processo de ensino-aprendizagem e definida por critérios preestabelecidos. É necessário que
alunos, professores e escola em geral tenham bem claros a que ponto se quer chegar e quais
caminhos podem ser percorridos. Seguir ou desviar-se desses caminhos permitem a avaliação,
ou seja, permitem reconhecer quanto e como um determinado caminho (conteúdo) foi
absorvido ou não.
Os critérios de avaliação explicitam as expectativas de aprendizagem, considerando
objetivos e conteúdos propostos para a área e para o ciclo, a organização lógica e interna dos
conteúdos, as particularidades de cada momento da escolaridade e as possibilidades de
aprendizagem decorrentes de cada etapa do desenvolvimento cognitivo, afetivo e social em
uma determinada desenvolvimento do ponto de vista pessoal e social. Os critérios de
avaliação apontam as experiências educativas a que os alunos devem ter acesso e que são
consideradas essenciais para o seu desenvolvimento e socialização.
Nesse sentido, eles devem refletir de forma equilibrada os diferentes tipos de
capacidades e as três dimensões de conteúdos (conceitos, procedimentos e atitudes),
e servir para encaminhar a programação e as atividades de ensino e aprendizagem.
(BRASIL, 1998a, p. 80)

É imprescindível que a avaliação seja realizada em vários momentos e por meio de


vários instrumentos. A avalição diagnóstica, somativa e formativa devem constituir o
processo de ensino-aprendizagem para que muito mais do que medir resultados seja possível

24
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
aprimorar conhecimentos. Além disso, atividades escritas ou orais, individuais ou em grupo,
com consulta em diversos materiais ou não, de apresentação individual ou coletiva, com uso
das tecnologias ou não, atividades que estimulem o resumo ou a ampliação de um tópico, são
importantes para o alcance dos objetivos do ensino, para a constituição e formação cidadã
contínua dos sujeitos da escola.
Em síntese, entende-se a avaliação como processo e, desta forma, ela está presente em
todos os momentos da escola (do início ao fim de um projeto educativo) e em diferentes
modos e deve ser/estar condicionada às condições do próprio processo de ensino-
aprendizagem, de seus envolvidos e ao Projeto Político Pedagógico da unidade escolar.

25
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
4 ORIENTAÇÕES PEDAGÓGICAS – GÊNEROS TEXTUAIS DO 1º AO
9º ANO

GÊNEROS TEXTUAIS: UMA PROPOSTA PROGRESSIVA

O ensino dos gêneros textuais segundo Schneuwly e Dolz (1996) deve acontecer por
meio de uma proposta didática de agrupamento de gêneros que organize e acompanhe a
proposta curricular progressiva. Para esses teóricos o trabalho/ensino organizado a partir dos
agrupamentos segue critérios como a finalidade social dos gêneros e o ensino que considere
as situações de comunicação na sociedade; ser flexível quanto à sequência discursiva presente
no gênero e possuir relativa homogeneidade quanto às capacidades de linguagem dominantes
presentes nos gêneros agrupados.
A ideia de progressão defendida pelos teóricos de Genebra, baseada nas teorias de
Vygotsky, contempla um modelo modular do currículo que deva levar em conta a necessidade
de trabalhar em espiral, em todos os níveis escolares, os gêneros dos diferentes grupos, por
exemplo, os alunos de um determinado ano vivenciam uma sequência didática do grupo do
narrar, em seguida passam por outra sequência, trabalhando outro gênero do grupo do expor;
e assim por diante. Dando a possibilidade de explorar os gêneros diferentes de grupos
diferentes e numa outra etapa comparar e explorar os gêneros dos mesmos grupos, de acordo
com o grau de dificuldade dos mesmos, da faixa etária dos alunos e com as capacidades que
se pretende desenvolver.
A proposta da progressão é poder “construir” com os alunos, em todos os anos
escolares instrumentos/ferramentas, visando o desenvolvimento das capacidades necessárias
para dominar os gêneros que circulam na sociedade.
Entre os gêneros agrupados deve haver características afins para que os saberes que se
operam em um sejam transferidos a outros; além de capacidades de compreensão/produção de
linguagem que perpassam diferentes agrupamentos. A progressão entre os gêneros nos anos
escolares e a diversidade de gêneros garante que diferentes capacidades de leitura e produção
oral e escrita sejam apropriadas pelos alunos. Assim, todos os agrupamentos devem ser
trabalhados de modo mais complexo em todos os anos escolares (progressão em espiral)
garantindo a diversidade de aprendizagem.

26
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
A proposta didática consiste em apresentar aos alunos os agrupamentos organizados;
observar semelhanças e diferenças entre os gêneros; observar as ações de textualizações que
são regulares, como a combinação de diferentes sequências textuais; durante a leitura e/ou a
produção mostrar aos alunos que há semelhanças entre si, relações temáticas funcionais e
formais.
As orientações dos teóricos Schneuwly e Dolz (1996) sobre o ensino dos gêneros é
compreendida pela equipe pedagógica da SEMED/Dourados-MS como caminhos possíveis a
serem desenvolvidos desde a Educação Infantil até Anos Iniciais e Anos Finais da Educação
Básica, por envolver a oralidade e o letramento no contexto das práticas sociais, pois segundo
Marcuschi (2001, p.23-50), o contexto dessas práticas comunicativas favorece o trabalho do
letramento como prática social situada. Para esse teórico, o letramento situa-se e se insere na
cultura das questões dos domínios discursivos. Portanto, o letramento acontece nas múltiplas
práticas linguísticas em situações em que tanto a escrita como a fala são centrais para as
atividades comunicativas, aspectos que devem ser vivenciados com as múltiplas linguagens
desde a Educação Infantil.
Já nos anos iniciais, mais especificamente para o Bloco Inicial de Alfabetização (1º, 2º
e 3º Ano) deve-se priorizar o desenvolvimento das capacidades argumentativas orais que se
aproximam das situações reais de comunicação vivenciadas no cotidiano. Conforme a
passagem para o 4º e 5º e Anos Finais, a progressão acontece abordando outros textos do
mesmo gênero, utilizados em esferas de comunicação diferentes, em práticas sociais que
exigem o uso de linguagem cada vez mais sofisticada. Dos gêneros orais primários até os
gêneros mais formais há exigências de competência de leitura e escrita cada vez mais
elaboradas, por exemplo: artigo de opinião, carta de leitor, publicidade, pedido formal de
emprego, etc.
O Referencial Curricular da Rede Municipal de Ensino – Dourados-MS garante o
agrupamento de exemplares do mesmo gênero os quais são utilizados em diferentes domínios
sociais de comunicação propondo a comparação com modelos de outros gêneros. A
progressão proposta deve acontecer ano a ano em curso, o que caracteriza uma aprendizagem
em espiral, pois os mesmos aparecem em anos subsequentes e com complexidade cada vez
maior. Dessa forma o aluno terá mais tempo para dominar e produzir o gênero estudado,
maior compreensão da capacidade de ação (ou condições de produção), dos aspectos

27
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
composicionais e da capacidade linguístico-discursiva, proporcionando apropriação e
consolidação da aprendizagem desses conhecimentos. Por isso, o quadro a seguir deve ser
requisito didático para o trabalho com gêneros textuais com foco na leitura, na análise e na
produção oral e escrita dos gêneros nas diferentes disciplinas escolares. Conferir quadro
abaixo:

DESCRITORES1
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES
CAPACIDADES PNAIC – (2012)
Capacidade de Ação ou Reconhecer gêneros textuais e seus contextos de C1 - Analisar a adequação de um texto (lido,
Condições de Produção produção. escrito ou escutado) aos interlocutores e à
aspectos sociodiscursivo formalidade do contexto ao qual se destina.
do texto: Identificar personagem principal, ações, tempo, (Análise Linguística, PNAIC, 2012). A/C ou
 É um gênero oral ou espaço em narrativas verbais lidas Identifica em narrativas verbais lidas
escrito? individualmente. individualmente:
 Personagem principal;
 A qual esfera de Analisar a adequação de um texto (lido, escrito
comunicação pertence
ou escutado) aos interlocutores e à formalidade  Ações;
do contexto ao qual se destina. (Análise
(jornalística, religiosa, Linguística, PNAIC, 2012).  Tempo;
publicitária, literária
etc.)? Usar diferentes suportes textuais, tendo em vista  Espaço
suas características: finalidades, esfera de
 Quais as características circulação, tema, forma de composição, estilo,
gerais dessa esfera? etc. (Análise Linguística, PNAIC, 2012). C C2 - Conhece e usa diferentes suportes
textuais, tendo em vista suas características:
 Quem produz esse Realizar inferências sobre: quem escreve o texto, finalidades, esfera de circulação, tema, forma
gênero (emissor)? para quem ele é dirigido, o assunto, quando o de composição, estilo, etc. (Análise
texto foi produzido, onde foi produzido, para Linguística, PNAIC, 2012). C
que objetivo;
 Para quem se dirige
(destinatário)? C3 - Reconhece gêneros textuais e seus
Avaliar o que é necessário para um texto estar contextos de produção. (Análise Linguística,
 Qual o papel social do adequado à situação na qual se processa a PNAIC, 2012). I/A/C
comunicação;
emissor?

 Qual o papel social do Compreender vocabulário na sua relação com


aspectos sociais e/ou culturais;
destinatário?

 Com que Compreender a relação entre textos e a forma de


ser, pensar, agir e sentir de quem os produz.
finalidade/objetivo
produz o texto?

 Sobre o quê (tema) os


textos desse gênero
tratam?

1
Os descritores foram retirados do documento: BRASIL, Guia de correção e interpretação dos resultados: leitura
e matemática – Provinha Brasil 2015. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
/Inep. Diretoria de Avaliação da Educação Básica/Daeb.MEC, 2015, p. 11-14 e p. 16-17.

28
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
 Qual é a relação
estabelecida entre o
produtor e o
destinatário
(comercial? Afetiva?)?

 Qual o valor desse


gênero na sociedade?

 Qual o suporte?

 Qual o meio de
circulação (onde o
gênero circula)?

 Que conteúdos do
texto podem ser
antecipados em função
de seu suporte, seu
gênero e sua
contextualização?

Capacidade discursiva ou Reconhecer gêneros textuais e suas formas de Reconhece gêneros textuais e suas formas de
aspectos composicionais organização de conteúdo em um texto e sua organização de conteúdo em um texto e sua
(modelo textual): forma de apresentação. forma de apresentação. A/C

 Qual o tipo de Reconhecer a organização do texto como layout,


discurso? Do expor? linguagem não verbal (fotos, gráficos, títulos, D15–Reconhece diferentes formas de tratar
Do narrar? formato de texto) etc. uma informação na comparação de textos que
tratam do mesmo tema, em função das
 É um expor interativo Identificar as características do texto que podem condições em que ele foi produzido e
(escrito em primeira fazer o autor parecer mais distante ou mais daquelas em que será recebido. (I/A/C)
próximo do leitor;
pessoa, se reporta
explicitamente ao
Entender a função da organização do conteúdo
interlocutor, tenta
naquele texto;
manter um diálogo
mais próximo com o
Perceber a diferença entre formas de
interlocutor, explicita o organização diversas.
tempo/espaço da
produção)?

 É um expor teórico
(não deixa marcas de
quem fala, para quem
fala, de onde e quando
fala)?

 É um narrar ficcional?

 É um narrar
acontecimentos vividos

29
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
(relato)?

 Como é a estrutura
geral do texto? Qual a
sua cara? Como ele se
configura? (É dividido
em partes? Tem
título/subtítulo? É
assinado? Qual sua
extensão aproximada?
Acompanha
fotos/figuras? Quais as
características gerais?)

 Como são organizados


os conteúdos no texto
(Em forma de lista?
Versos? Prosa?)?

 Qual o tipo de
sequência
predominante?
Sequência narrativa?
Descritiva?
Explicativa?
Argumentativa?
Dialogal? Injuntiva?

Capacidade linguístico- Analisar emprego de regras básicas, de recursos Identifica repetições e substituições que
discursiva ou aspectos gráficos e visuais dos gêneros textuais. contribuem para a coerência e a coesão
estilísticos, escolha textual: A/C
linguística pautada na
Compreender os elementos que operam na  Substantivo próprio e comum
construção de textos, parágrafos, orações, frases;
intenção que o
 Pronomes e verbos
autor/enunciador Dominar operações que contribuem para a
pretende provocar – coerência de um texto (organizadores, por  Gênero: masculino e feminino.
efeito de sentido: exemplo);
 Número: singular e plural.
 Como são feitas as Dominar operações que colaboram para a coesão
retomadas textuais? nominal de um texto (anáfora, por exemplo);  Advérbios
Mais por pronomes ou
por nomes? Quais as Dominar operações que cooperam para a coesão
estratégias mais verbal de um texto (tempo verbal, por exemplo);
C14 - Reconhece diferentes variantes de
usadas? Substituições
Expandir vocabulário que permita melhor registro de acordo com os gêneros e situações
por sinônimos? Por de uso. (Análise Linguística, PNAIC, 2012).
termos compreensão e produção de textos;
A/C
genéricos/específicos?
Por nominalizações? Compreender e produzir unidades linguísticas C10 - Usa o dicionário, compreendendo sua
adequadas à sintaxe, morfologia, fonética, função e organização. (Análise Linguística,
Por repetições? Como
fonologia e semântica da língua; PNAIC, 2012). A/C
são mobilizados os
artigos Tomar consciência das (diferentes) vozes que C13 - Pontua o texto. (Análise Linguística,
30
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
definidos/indefinidos constroem um texto; PNAIC, 2012). A/C
nas retomadas? Qual o
grau de Notar as escolhas lexicais para tratar de
afetividade/valoração determinado conteúdo temático;
expresso pelas
retomadas? Reconhecer a modalização (ou não) em um
texto;
 Como é feita a coesão
verbal? Quais os Identificar a relação entre os enunciados, as
frases e os parágrafos de um texto, entre outras
tempos verbais usados?
muitas operações que poderiam ser citadas.
E os tipos de verbo: (CRISTOVÃO et al, 2010, p. 194-195).
ação? Estado?
Registro da linguagem formal e informal.
 Quais os tipos de
conectivo usados: Uso dos sinais de pontuação (ponto final,
lógico (mais, portanto, exclamação e interrogação).
assim, dessa forma,
Flexões de gênero (masculino e feminino);
etc.)? Temporal (era
número (singular e plural) e grau aumentativo e
uma vez, um dia, diminutivo,
depois, amanhã, etc.)?
Espacial (lá, aqui, no Função dos substantivos próprios e comuns;
bosque, etc.)?
Concordância nominal (substantivo/artigo) e
verbal (verbos e pronomes);
 Como é dada voz aos
personagens (ficcionais Significado de palavras em diversos textos;
ou não) do texto?
Saber usar o dicionário, compreendendo sua
função e organização.
 Há mobilização de
discurso direto?
Indireto? Quais os
recursos
linguísticos/gráficos
(aspas, travessão, dois
pontos) empregados?

 Qual a variedade
linguística
privilegiada? Mais
formal? Mais
informal? Coloquial?
Estereotipada?
Respeita a norma culta
da língua? Usa gírias?
Como se verifica isso
no texto? Pelo
vocabulário
empregado? Pela
sintaxe?

31
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
 Como se dá a escolha
lexical? Há mais
substantivos
concretos? Abstratos?
Há muitos verbos de
ação? De estado? Há
muitos adjetivos? Que
tipo de adjetivo
(objetivos, subjetivos,
afetivos, físicos,
superlativos,
comparativos)?

 Como são mobilizados


os sinais de pontuação
no texto? Quais os
mais usados? E com
qual finalidade?

 Há uso de metáforas?
De palavras/expressões
com sentido
conotativo?

 Há rimas? Que tipo de


rima?

 Qual o tom do texto?


Mais descontraído?
Humorístico?
Objetivo? Poético?
Coloquial? Sisudo?
Familiar? Moralista?
De poder?

 Há o uso de ironia?

 Como a mobilização
dos elementos
visuais/sonoros age na
construção do sentido
do texto? Observe a
forma de grafar as
palavras, as cores, a
expressão gestual, a
forma das imagens, a
entonação, as pausas,
etc.

32
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
Durante o planejamento e ensino dos gêneros textuais cabe ao professor o trabalho em
espiral que garanta tempo para aquisição das competências necessárias para leitura, análise e
produção de textos orais e escritos. Os exemplos e as sugestões de gêneros textuais ao longo
do Referencial Curricular garantem maiores oportunidades de contato e vivências com os
mesmos; considerando a ampliação das capacidades por parte do aluno e reflexão, de
recuperação e de reformulação dos conhecimentos e das hipóteses construídas em anos
anteriores. Observar os quadros dos agrupamentos dos gêneros textuais propostos para cada
ano escolar:
Organização de Agrupamento de Gêneros
1° ANO 2° ANO 3° ANO 4° ano 5° ano
Domínios sociais
de comunicação

Agrupamentos

Produção de

Produção de

Produção de

Produção de

Produção de

Produção de

Produção de

Produção de

Produção de

Produção de
Prática de

Prática de

Prática de

Prática de

Prática de
Leitura

Leitura

Leitura

Leitura

Leitura
Escrito

Escrito

Escrito

Escrito

Escrito
Texto

Texto

Texto

Texto

Texto

Texto

Texto

Texto

Texto

Texto
Oral

Oral

Oral

Oral

Oral
Cultura Narrar X X X X X X X X X X
literária Mimeses da
ficcional ação
através da
criação de
intriga.
Document Relatar X X X X X X X X X X
ação e Represent
memoriza ação pelo
ção de discurso
ações de
humanas experiênci
as vividas,
situadas
no tempo.
Discussão Argumen X X X X X X X X X X
de tar
problemas Sustentaçã
sociais o,
controvers refutação e
os negociaçã
o de
tomada de
posição.
Transmiss Expor X X X X X X X X X X
ão e Apresenta
construçã ção
o de textual de
saberes diferentes
formas
dos
saberes
Instruções Instruir X X X X X X X X X X
e Regulação
prescriçõe mútua de
s comporta
mentos

33
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
6° ANO 7° ANO 8° ANO 9° ano
Domínios sociais
de comunicação

Agrupamentos

Produção de

Produção de

Produção de

Produção de

Produção de

Produção de

Produção de

Produção de
Prática de

Prática de

Prática de

Prática de
Leitura

Leitura

Leitura

Leitura
Escrito

Escrito

Escrito

Escrito
Texto

Texto

Texto

Texto

Texto

Texto

Texto

Texto
Oral

Oral

Oral

Oral
Cultura Narrar X X X X X X X X
literária Mimeses da ação
ficcional através da criação
de intriga.
Documentação Relatar X X X X X X X X
e Representação
memorização pelo discurso de
de ações experiências
humanas vividas, situadas
no tempo.
Discussão de Argumentar X X X X X X X X
problemas Sustentação,
sociais refutação e
controversos negociação de
tomada de
posição.

Transmissão e Expor X X X X X X X X
construção de Apresentação
saberes textual de
diferentes
formas dos
saberes
Instruções e Instruir X X X X X X X X
prescrições Regulação
mútua de
comportamentos

34
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
Quadro de agrupamento de gêneros – Anos Finais
Domínios sociais de Agrupamentos Exemplos de gêneros orais e escritos
comunicação
Cultura literária ficcional Narrar Adivinhas/Charadas
Mimeses da ação através da criação de Conto (clássico, maravilhoso, parodiado,
intriga. de ficção científica, terror, de
assombração, de enigma, fadas,
fantástico, populares, detetive, etc.)
Cordel
Crônica esportiva
Fábulas clássicas x modernas
Lenda urbana
Mangá
Minicontos
Mito
Narrativa de aventura/ ficção científica/
enigma
Narrativas da literatura infanto-juvenil,
juvenil
Novela fantástica /romance
Peças teatrais
Poema
Sinopse de filme/livro
Documentação e memorização de Relatar Autobiografia
ações humanas Representação pelo discurso de experiências Biografia
vividas, situadas no tempo. Cartaz
Crônica esportiva
Curriculum vitae
Debate oral
Diário virtual (em blogs e redes sociais),
diário romanceado de personalidades
Ensaio biográfico
Entrevista
Memórias
Notícia X Reportagem
Propaganda/publicidade
Relato de experiência vivida /de viagem
Relatório escrito de atividades escolares
(excursão, experiência científica,)
Carta ao leitor, solicitação, reclamação.
Reportagem
Testemunho
Texto de opinião
Tirinha (humor crítico, ironia)
Discussão de problemas sociais Argumentar Artigo de opinião e diálogo
controversos Sustentação, refutação e negociação de argumentativo
tomada de posição. Carta aberta
Carta do leitor, ao leitor, de solicitação,
de reclamação.
Cartum/Charge (humor crítico, ironia)
Debate regrado
Deliberação informal
Diálogo argumentativo
Discurso de acusação (advocacia)
35
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
Discurso de defesa (advocacia)
Editorial
Entrevista (coletando opiniões)
Júri simulado
O artigo enciclopédico
Propaganda/publicidade
Resenha crítica de livro/filme
Roteiro para apresentação de trabalhos
Texto de livro didático
Texto de opinião
Apresentação de trabalhos
Texto publicitário
comercial/institucional; Propaganda,
folder, vídeo propaganda
Verbete de dicionário
Transmissão e construção de Expor Artigo ou verbete de enciclopédia
saberes Apresentação textual de diferentes formas Catálogo de telefone
dos saberes Conferência
Entrevista de especialista
Gráfico e infográficos
Relato
Resumo/Resenha
Roteiro e exposição de trabalhos
escolares
Seminário de apresentação de trabalhos
Tabelas
Texto do livro didático
Tomada de notas
Verbete de enciclopédia
Apresentação de trabalhos
O artigo enciclopédico
Roteiro para apresentação de trabalhos
Verbete de dicionário

Instruções e prescrições Instruir Cartilhas educativas


Regulação mútua de comportamentos Enunciados de provas/simulados
Estatuto/lei/códigos
Instruções de uso/de montagem
Instruções de jogos
Instruções sobre localização de espaços
na escola, redondezas e prédios públicos.
Placas de orientação
Receita culinária /médica
Regimentos, estatutos e textos
normativos.
Regras de convivência
Regras de jogo
Regulamento – estatuto - lei
Manual de instrução de aparelhos
eletrônicos

36
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
1° ANO
de
comunicação

Agrupament

Produção

Produção
Domínios

de Texto

de Texto
Leitura
Prática

Escrito
sociais

Oral

de
os

X X
Conto de fadas
Cultura literária ficcional

Mimeses da ação através

História em quadrinhos
da criação de intriga.

(muda)
Tirinha (muda)
Adivinha
Parlenda
Cantiga de roda
Narrar

Trava Língua

X X
discurso de experiências
memorização de ações

Relato de experiência
vividas, situadas no
Representação pelo

vivida
Documentação e

Agenda do dia na escola


Autorretrato
Cardápio de
humanas

Relatar

tempo.

merenda/cantina
Convite
de tomada de
Sustentação,

X X
controverso

negociação
refutação e
sArgument
problemas
Discussão

Opinião (fatos e
posição.
sociais

atitudes)
Propaganda infantil
de

ar

(impressa e eletrônica)
X X
Apresentação textual de

Rótulo
construção de saberes

diferentes formas dos

Exposição oral de
experiência de Ciências;
“Bichonário” e outros
Transmissão e

tipos de dicionários
temáticos;
saberes
Expor

Lista.

X X
Regulação mútua

comportamentos

Direção/localização oral
com apoio em mapas ou
Instruções e
prescrições

roteiros
Instruir

Receita
Regras de convivência na
de

escola.

37
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
Instruções e Transmissão e Discussão Documentação e Cultura literária Domínios
prescrições construção de de memorização de ficcional
sociais de
saberes problemas ações humanas
sociais comunicação
controvers
os
Instruir Expor Argument Relatar Narrar Agrupamento
Regulação Apresentação ar Representação pelo Mimeses da ação
s
mútua de textual de Sustentação, discurso de através da
comportamen diferentes formas refutação e experiências vividas, criação de
tos dos saberes negociação situadas no tempo. intriga.
de tomada
de posição.

X
X

Produção
de Texto
Fábula
Tirinha

Receita
Oral

Simpatia
Conto de fadas
História em quadrinhos

Placa de trânsito/ícones
apoio em mapas ou roteiros
Lenda do folclore brasileiro

Direção/localização oral com


X
X
X
X
X

Prática de
Leitura
2° ANO

Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri


X
X
X

Produção

Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.


de Texto
vivida

Rótulo
Bilhete

Escrito
Autorretrato

Texto didático
Linha do tempo

Exposição oral de
Propaganda infantil
Relato de experiência

(impressa e eletrônica)

experiência de Ciências;
Agenda do dia na escola

de dicionários temáticos;
Opinião (fatos e atitudes)

38
“Bichonário” e outros tipos
3° ANO
de

Agrupamento
comunicação

Prática de
Produção

Produção
Domínios

de Texto

de Texto
Leitura

Escrito
sociais

Oral
s

X X
Mimeses da ação através da criação

Conto maravilhoso
Tirinha
Fábula
Canções
Cultura literária ficcional

Lenda do folclore
brasileiro (adivinha,
trava-línguas)
Narrativa de aventura
Piada
de intriga.

Textos poéticos
Narrar

(poema): os efeitos
sonoros; o ritmo; as
rimas;
X X
de experiências
e memorização
Documentação

Representação
pelo discurso

Relato de experiência vivida


situadas no

Pequeno relatório de atividades


humanas
de ações

Relatar

vividas,

tempo.

do dia na escola
Anedota ou caso

X X
negociação de

Opinião (fatos e atitudes)


Argumentar
Discussão de

controversos

Sustentação,
refutação e

Carta o leitor
problemas

tomada de
posição.
sociais

Anúncio publicitário (impressa


e eletrônica)
X X
Texto didático
Transmissão e
construção de

Apresentação

Verbete de dicionário
formas dos
diferentes
textual de

Verbete de enciclopédia
saberes

saberes

Tabelas simples
Expor

Gráficos simples

X X
Roteiro para
Instruções e prescrições

direção/localização
Regras de convivência
Regulação mútua de

no trânsito
comportamentos

Instruções de montagem
de pequenos objetos
Enunciado de prova
Instruir

39
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
4° ANO
de

Agrupamento
comunicação

Prática de
Produção

Produção
Domínios

de Texto

de Texto
Leitura

Escrito
sociais

Oral
s

X X
Cultura literária ficcional

Mimeses da ação através

Conto maravilhoso
Lenda de outras
da criação de intriga.

culturas
Vídeos de animações
Narrativas de aventura
História engraçada
Narrar

Pequenas crônicas
literárias

X X
vividas, situadas no tempo.
discurso de experiências

Notícia de
memorização de ações

acontecimentos
Representação pelo

escolares
Documentação e

Notícia
Diário virtual (blog)
Casos engraçados de
humanas

Relatar

experiência de vida
Carta

X X
negociação de
Argumentar
Discussão de

controversos

Sustentação,

Carta de reclamação
refutação e
problemas

tomada de

Texto de opinião
posição.
sociais

Debate regrado
Entrevista

X X
Texto didático
diferentes formas

Verbete de dicionário
Transmissão e
construção de

Apresentação

Verbete de
dos saberes
textual de

enciclopédia
saberes

Tabela simples
Expor

Gráfico simples

X X
Instruções e prescrições

Roteiro de trabalhos
Regulação mútua de

escolares
Regras de jogo
comportamentos

Instrução (participação
em concursos,
promoções)
Instruir

Classificados

40
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
5° ANO
de

Agrupamento
comunicação

Prática de
Produção

Produção
Domínios

de Texto

de Texto
Leitura

Escrito
sociais

Oral
s

X X
Cultura literária

Mimeses da ação

Conto de assombração
Vídeos de animações
criação de
através da

Narrativas de aventura
ficcional

Narrar

intriga.

Narrativas de enigma
História engraçada

X X
Documentação e

vividas, situadas
memorização de

pelo discurso de

Notícia
ações humanas

Representação

experiências

Pequena reportagem
no tempo.

Diário virtual (blog)


Relatar

Diário de bordo
Crônica social

X X
tomada de posição.
problemas sociais

Carta de reclamação
negociação de

Carta de solicitação
Argumentar
Discussão de

controversos

Sustentação,
refutação e

Texto de opinião
Depoimento
Debate regrado

X X
construção de saberes

Apresentação textual

Exposição escrita de experiência


de diferentes formas

científica
Dicionário, glossário para fins
Transmissão e

específicos.
dos saberes

Tabela simples
Expor

Gráfico simples
Exposição oral de trabalhos.

X X
comportamentos

Roteiro de trabalhos
escolares
Instruções e
prescrições

Regulação

Instruções de jogos
mútua de
Instruir

Classificados
Netiqueta

41
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
6° ANO
Domín

comun
sociais

Agrup

icação
ament Produção de Texto Prática de Produção de Texto
ios

de

os
Oral Leitura Escrito
X X
Cultura literária ficcional

Mimeses da ação através

Adivinhas/Charadas
Contos (de assombração, fadas,
da criação de intriga.

fantástico, populares, detetive, etc.)


Fábulas clássicas x modernas
Mito
Narrativas da literatura infanto-juvenil
Narrar

Peças teatrais
Poemas

X X
Documentaçã

memorização

Sustentação, refutação e Representaçã

experiências

Autobiografia
discurso de

situadas no

Diário
humanas
de ações

Relatar

vividas,

tempo.

Notícia
o pelo

Relatório oral de atividades escolares


oe

(excursão, experiência científica).


X X
negociação de tomada

Carta ao leitor, solicitação, reclamação.


Cartaz,
problemas sociais

Debate oral
Argumentar
Discussão de

controversos

Entrevista
de posição.

Propaganda/publicidade
Texto de opinião
Tirinha (humor crítico, ironia)

X X
Apresentação textual de

Apresentação oral de trabalhos


construção de saberes

diferentes formas dos

O artigo enciclopédico
Roteiro para apresentação de trabalhos
Transmissão e

orais
Texto de livro didático
saberes
Expor

Verbete de dicionário

X X
de comportamentos

Cartilhas educativas
Regulação mútua

Instruções de jogos
Instruções sobre localização de espaços
Instruções e
prescrições

na escola, redondezas e prédios


Instruir

públicos
Regras de convivência

42
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
7° ANO
sociais
de comunicação

Agrupamentos

Produção de

Produção de
Prática de
Domínios

Leitura

Escrito
Texto

Texto
Oral
X X
literária

através da criação de

Contos de enigma
Cordel
Mimeses da ação

Crônica
Lenda urbana
Mito
ficcional

Narrar
Cultura

intriga.

Narrativas da literatura infanto-juvenil


Peças teatrais
*Memórias - OLP
X X
memorização de ações

experiências vividas,
Representação pelo

Autobiografia
situadas no tempo.
Documentação e

Diário
Notícia X reportagem
discurso de

Relatório oral de atividades


humanas

Relatar

escolares (excursão,
experiência científica)
Sustentação, refutação e

X X
negociação de tomada

Carta de solicitação
Charge
problemas sociais

Debate oral
Argumentar
Discussão de

controversos

Entrevista
de posição.

Propaganda/publicidade
(cartaz, propaganda).
Texto de opinião

X X
construção de saberes

Apresentação textual

Apresentação oral de trabalhos


de diferentes formas

Catálogos de telefone
Resumo
Transmissão e

Roteiro para apresentação de trabalhos


dos saberes

orais
Expor

Texto de livro didático


Verbete de enciclopédia

X X
comportamen

Manual de instrução de aparelho


Instruções e
prescrições

Regulação

eletrônico
mútua de
Instruir

Regimentos
Regras de jogos
tos

*Memórias – gênero textual requisitado na OLP – Olimpíada de Língua Portuguesa

43
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
8° ANO
Capacidades de
Agrupamento e
comunicação

dominantes
linguagem
Domínios
sociais de

Prática de
Produção

Produção
de Texto

de Texto
Leitura

Escrito
Oral
X X
Cultura literária

ação através da

Contos de ficção científica


Contos de terror
Mimeses da

criação de

Crônica esportiva
ficcional

Narrar

intriga.

Crônica esportiva
Narrativa de enigma
Narrativas de literatura infanto-juvenil
X X
Documentaçã

memorização

Representaçã

experiências

Diário de leitura
discurso de

situadas no

Notícia X Reportagem
humanas
de ações

Relatar

vividas,

tempo.

Relatório escrito de atividades escolares


o pelo

(excursão, experiência científica).


oe

Biografia romanceada de personalidades


X X
Artigo de opinião e Diálogo
Sustentação, refutação e negociação de tomada de

argumentativo
Carta de reclamação/carta de solicitação
Discussão de problemas sociais controversos

Carta do leitor
Cartum/charge
Debate regrado
Deliberação informal/Debate regrado
Editorial
Entrevista (coletando opiniões)
Resenha crítica de filme, livro
Texto publicitário comercial/institucional;
Propaganda, folder, vídeo propaganda
Argumentar

posição.

X X
Artigo ou Verbete de enciclopédia virtual
Transmissão e construção

Apresentação textual de

Relatório de experiência científica


diferentes formas dos

Resumo/Resenha
Roteiros para apresentação de trabalhos
orais
Seminário de apresentação de trabalhos
de saberes

Tabelas
saberes
Expor

Texto de divulgação científica


Tomada de notas

X X
Enunciados (provas)
Regulação mútua de

Instruções de uso/montagem de aparelhos


comportamentos

Placas de orientação
Receita/bula de remédio
Instruções e
prescrições

Regras de jogo
Instruir

Regulamento, estatuto, lei e códigos.


Tutoriais

44
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
9° ANO
de

Agrupamentos
comunicação

Produção de Texto Prática Produção de Texto


Oral de Escrito
Domínios

Leitura
sociais

X X
Contos clássicos
Contos maravilhoso/fantásticos
Mimeses da ação através da

Crônica
Cultura literária ficcional

Mangá
Minicontos
Narrativa de aventura/ ficção científica/
criação de intriga.

enigma
Novela fantástica /romance
Peças teatrais
Narrar

Poema
Sinopse de filme/livro

X X
memorização de ações

experiências vividas,

Biografia
Representação pelo

situadas no tempo.

Curriculum vitae
Documentação e

Diário virtual (em blogs e redes sociais)


Notícia x Reportagem
discurso de

Relato de experiência vivida /de viagem


humanas
Relatar

Relatório escrito de atividades escolares


(excursão, experiência científica).

X X
negociação de tomada de
Sustentação, refutação e
Discussão de problemas

Artigo de opinião
Carta aberta
sociais controversos

Carta do leitor/de reclamação/ao leitor


Debate regrado
Argumentar

Editorial
Júri simulado
posição.

Resenha crítica de filme


Resenha crítica de livro/filme

X X
Artigo ou verbete de enciclopédia
Transmissão e construção

Apresentação textual de

Entrevista de especialista
diferentes formas dos

Gráfico e infográficos
Relato de experiência científica
Relatório científico
Resumo de textos "expositivos" ou
de saberes

explicativos
saberes
Expor

Seminário Conferência
Tomada de notas

X X
de comportamentos

Enunciados de provas/simulados
Regulação mútua

Estatuto/lei/códigos
Instruções de uso/de montagem
Instruções e
prescrições

Receita culinária/médica
Instruir

Regras de jogo
Regulamento/regimento

45
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
5 LEGENDAS:

Legenda:
I INTRODUZIR
A APROFUNDAR
C CONSOLIDAR
ASEA Apropriação do Sistema de Escrita Alfabética

Legenda:
I INTRODUZIR
A APROFUNDAR
C CONSOLIDAR

46
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
6 COMPONENTES CURRICULARES DO 1º ao 5º ANO

LÍNGUA PORTUGUESA
1º Ano – LÍNGUA PORTUGUESA - ANUAL
REFERENCIAL CURRICULAR DA REDE MUNICIPAL DE DOURADOS
ORALIDADE DESCRITORES2 e CAPACIDADES PNAIC – (2012)
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES
Situações de comunicação com instrumentos de Narrar fatos considerando a sequência lógica do gênero. C1 - Participa de interações orais em sala de aula,
socialização e aprendizagem na apresentação de Participar de situações de comunicação direta ou mediada questionando, sugerindo, argumentando e respeitando os
sequências de expressão oral: (TV, telefone, rádio e outros). turnos de fala. I/A
 Narrar histórias lidas pela professora, contada Inferir sobre alguns elementos de intencionalidade implícita C2 - Escuta com atenção textos de diferentes gêneros,
pelos pais e/ou responsáveis, filme/vídeos, contar (sentido figurado, recursos persuasivos e outros). sobretudo os mais formais, comuns em situações públicas,
história utilizando imagens, fantoches, Apropriar-se progressivamente de novas palavras, ampliando analisando-os criticamente. I/A
dramatizando; o seu vocabulário. C3 - Planeja intervenções orais em situações públicas:
 Explicar o caminho que faz de casa até a escola; Desenvolver o hábito de ouvir com atenção como forma de exposição oral, debate, contação de história. I
localização de ambientes da escola (sala da melhorar a comunicação e a interação com o grupo. C8 - Valoriza os textos de tradição oral, reconhecendo-os
direção, da coordenação, refeitório, biblioteca, e Estabelecer o diálogo com os colegas, professores como manifestações culturais. I/A/C
outros); instruções de confecção de brinquedo, reconhecendo o turno de fala e o espaço público escolar. C4 - Produzir textos orais de diferentes gêneros, com
cuidados com uma planta, BNCC - Eixo: Prática da vida cotidiana, com alterações. diferentes propósitos, sobretudo os mais formais comuns
Respeitar os diferentes modos de falar de outras pessoas em instâncias públicas (debate, entrevista, exposição,
-Audição atenta em situações de interlocução, com (variação linguística). notícia, propaganda, relato de experiências orais, dentre
intervenções adequadas, formulação de perguntas e Compreender enunciados de exercícios e tarefas, realizados outros). I
opiniões. em diferentes componentes curriculares; BNCC – Eixo: C5 - Analisar a pertinência e a consistência de textos orais,
-Adequação da linguagem à situação de uso por meio de “Práticas Investigativas”. considerando as finalidades e características dos gêneros. I
conversas, diálogos, debates, dramatizações e simulações. Ditar receitas ou instruções, ainda que de forma não C6 - Reconhecer a diversidade linguística, valorizando as
-Adequação da linguagem coloquial para a linguagem convencional, considerando a situação de interação; BNCC, diferenças culturais entre variedades regionais, sociais, de
formal (respeitando a variação linguística). Eixo: Prática da vida cotidiana, com alterações. faixa etária, de gênero dentre outras. I

2
Os descritores foram retirados do documento: BRASIL, Guia de correção e interpretação dos resultados: leitura e matemática – Provinha Brasil 2015. Instituto Nacional de
Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira /Inep. Diretoria de Avaliação da Educação Básica/Daeb.MEC, 2015, p. 11-14 e p. 16-17.

47
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
-Escuta atenta em situações comunicativas, formulação de Ditar slogans e/ou regras de convivência escolar. BNCC – C7 - Relacionar fala e escrita, tendo em vista a apropriação
perguntas e opiniões. Eixo: Práticas Político-Cidadã. do sistema de escrita, as variantes linguísticas e os
Reconhecer a função dos itens de uma enumeração em textos diferentes gêneros textuais. I
Sugestões de gêneros orais do narrar: instrucionais, utilizando-os para executar ações. BNCC, Eixo:
Conto de fadas Prática da vida cotidiana.
Parlenda Apreciar textos literários tradicionais, da cultura popular,
Cantiga de roda afro-brasileira, africana, indígena e de outros povos; BNCC -
Trava Língua Eixo: Práticas Artístico-Literárias, com alterações.
Ouvir canções e histórias contadas ou lidas. BNCC -- Eixo:
Sugestões de gêneros orais do instruir: Práticas Artístico-Literárias.
Direção/localização oral com apoio em mapas ou roteiros Ouvir e recitar poemas, parlendas, trava-línguas
Regras de convivência na escola. memorizados, respeitando o ritmo, a melodia e a
expressividade; BNCC - Eixo: Práticas Artístico-Literárias.
Recontar textos conhecidos, respeitando a estrutura do gênero
(contos de fadas, contos de repetição, entre outros); BNCC -
Eixo: Práticas Artístico-Literárias.
Recontar histórias lidas/contadas por outros, com apoio em
livros, revistas e outros suportes; BNCC - Eixo: Práticas
Artístico-Literárias.
Memorizar e cantar canções, considerando o ritmo e a
melodia;
Reconhecer marcadores temporais, a partir da audição de
contos narrados pelo professor e outros; BNCC - Eixo:
Práticas Artístico-Literárias.
Antecipar enredo de uma história, a partir de imagens, títulos
e outras pistas; BNCC - Eixo: Práticas Artístico-Literárias.
Ditar e/ou registrar, ainda que de forma não convencional,
textos narrativos; BNCC - Eixo: Práticas Artístico-
Literárias.
Apreciar aspectos lúdicos e sonoros de poemas e
experimentar brincadeiras com a dimensão sonora e gráfica
das palavras; BNCC - Eixo: Práticas Artístico-Literárias.
Formular perguntas para conhecer fenômenos naturais e
sociais que cercam o cotidiano; BNCC - Eixo: Práticas
Investigativas.
48
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
PRATICA DE LEITURA
DESCRITORES3 e CAPACIDADES PNAIC – (2012)
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES
Leitura e interpretação de textos (gêneros textuais): Corresponder palavras ou expressões as respectivas imagens C1 - Ler textos não verbais, em diferentes suportes. I/A
AGRUPAMENTO DO NARRAR (Cultura literária e o próprio desenho. D3.2 - Lê palavras com correspondências regulares diretas
ficcional) Relacionar títulos ao texto. entre letras e fonemas (P, B, T, D, F, V). A/C
Conto de fadas Reconhecer assuntos tratados em textos de diferentes D5.1 - Lê em voz alta uma sentença ou um texto. A/C
Parlenda gêneros, lidos pelo professor ou outro leitor experiente. C2 - Lê textos (poemas, canções, tirinhas, textos de
Cantiga de roda Identificar sequência lógica de uma narrativa com o apoio de tradição oral, dentre outros), com autonomia. I/A
Trava Língua imagens. C14 - Apreende assunto tratado em textos de diferentes
Poemas Reconhecer a função/finalidade do texto. gêneros, lidos com autonomia. I
Ler palavras e textos apoiando-se em imagens. BNCC – D7.1 - Reconhece o assunto do texto com o apoio das
Eixo: Apropriação do Sistema de Escrita características gráficas e do suporte. A/C
AGRUPAMENTO DO RELATAR: (Documentação e Alfabética/Ortográfico e Tecnologias da Escrita. D7.2 - Reconhece o assunto do texto com base no título.
memorização das ações humanas) -Ler, ajustando a pauta sonora ao escrito. BNCC – Eixo: I/A
Relato de experiência vivida Apropriação do Sistema de Escrita Alfabética/Ortográfico e D7.3 - Reconhece o assunto do texto a parir da leitura
Agenda do dia na escola Tecnologias da Escrita. individual (sem apoio das características gráficas ou do
AGRUPAMENTO DO ARGUMENTAR (Discussão de Inferir resposta a partir de pistas de conteúdo dadas no texto; texto-base). I/A.
problemas sociais controversos) BNCC – Eixo: Práticas artístico-Literárias, com adaptação. C13 - Apreender assuntos/temas tratados em textos de
Opinião (fatos e atitudes) Ler e apreciar textos literários tradicionais, da cultura diferentes gêneros, lidos pelo professor ou outro leitor
AGRUPAMENTO DO EXPOR (Transmissão de popular, afro-brasileira, africana, indígena e de outros povos experiente. I/A
conhecimento) comentando temas e imagens. BNCC – Eixo: Práticas
Exposição oral de experiência de Ciências ou outras artístico-Literárias. C8 e D6.1 - Localiza informações explícitas em textos de
disciplinas; Ouvir canções e histórias contadas ou lidas. BNCC – Eixo: diferentes gêneros, temáticas, lidos com autonomia:
“Bichonário” e outros tipos de dicionários temáticos; Práticas artístico-Literárias.. Reconhece: I
AGRUPAMENTO DO INSTRUIR: descrever/regular Identificar o assunto em notícias e reportagens de jornais  Autor
comportamento. infantis lidos por outros; BNCC – Eixo: Práticas Político-  Ilustrador
Direção/localização oral com apoio em mapas ou roteiros Cidadã.  Data de Publicação
Regras de convivência na escola. Compreender slogans de campanhas educativas, voltadas para  Editora
-Estratégias/Práticas de leitura: crianças; BNCC – Eixo: Práticas Político-Cidadã.  Descrição de personagens
Auditiva, Localizar informações em listas, quadros, notas de divulgação  Referência espacial ou cenário
científica para crianças, lidas pelo professor; BNCC – Eixo:

3
Os descritores foram retirados do documento: BRASIL, Guia de correção e interpretação dos resultados: leitura e matemática – Provinha Brasil 2015. Instituto Nacional de
Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira /Inep. Diretoria de Avaliação da Educação Básica/Daeb.MEC, 2015, p. 11-14 e p. 16-17.

49
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
Livre escolha, Práticas Investigativas.  Referência temporal
Informativa Localizar informações explícitas e implícitas no texto.
Silenciosa Compreender, com o apoio do professor, enunciados de C11 e D9 - Estabelece relação entre partes do texto
-Estratégias de leitura: tarefas escolares. BNCC – Eixo: Práticas Investigativas. identificando repetições e substituições que contribuem
Seleção Reconhecer palavras em textos, a partir de alguns índices para a coerência e a coesão textual. I/A
Antecipação sonoros e suas correspondências gráficas; BNCC – Eixo: C13 - Lê ajustando a pauta sonora ao escrito. I/A/C
Verificação Apropriação do Sistema de Escrita Alfabética/Ortográfico e (ASEA)
Inferência. Tecnologias da Escrita. C12 - Estabelece relações lógicas entre partes de textos de
Pontuação Ler oralmente textos familiares e curtos (títulos de histórias, diferentes gêneros e temáticas, lidos com autonomia. I
-Desenvolvimento da educação estética e afetiva manchetes, quadrinhas, entre outros) após leitura silenciosa; C4 - Antecipar sentidos e ativar conhecimentos prévios
explorando o conjunto da obra a ser lida, o caráter dialogal BNCC – Eixo: Apropriação do Sistema de Escrita relativos aos textos a serem lidos pelo professor ou pelas
entre texto e imagem estimulando a aprendizagem, em Alfabética/Ortográfico e Tecnologias da Escrita. crianças. I/A
suas possibilidades de ampliação de horizontes e de Manusear adequadamente livros didáticos e de literatura e C7 - Localiza informações explícitas em textos de
percepções diferenciadas de mundo. outros suportes frequentes no contexto social. BNCC – Eixo: diferentes gêneros, temáticas, lidos pelo professor ou outro
-Leitura de textos literários e não literários, de variados Apropriação do Sistema de Escrita Alfabética/Ortográfico e leitor experiente. I/A
gêneros, que conduz a relação afetiva com a literatura Tecnologias da Escrita.
infantil, da ficção, da fantasia, do imaginário, com poder Compreender os modos de organização da biblioteca da C15 - Interpreta frases e expressões em textos de diferentes
de divertir, de explorar a linguagem artística, a riqueza, a turma. BNCC – Eixo: Apropriação do Sistema de Escrita gêneros e temáticas, lidos pelo professor ou outro leitor
beleza. Alfabética/Ortográfico e Tecnologias da Escrita. experiente. I/A
-Repertório de signos e componentes sensoriais, utilizados Identificar recursos sonoros (ritmo, rimas) e visuais para C16 - Interpreta frases e expressões em textos de diferentes
pelo autor na realização de registros intencionais, que obtenção de efeitos em textos poéticos e narrativos; gêneros e temáticas, lidos com autonomia. I/A
trazem elementos da linguagem do próprio autor para Ouvir canções e histórias contadas ou lidas, de maior C3 - Compreende textos lidos por outras pessoas, de
transmitir ideias e sensações. extensão, e, assistir a apresentações teatrais, desenvolvendo diferentes gêneros e com diferentes propósitos. I/A
Exs.: recursos linguísticos: onomatopeias, expressões atenção e interesse; BNCC – Eixo: Práticas artístico- C6 - Lê em voz alta, com fluência, em diferentes situações.
faciais, corporais e outros elementos das histórias. Literárias. I
-PRÁTICAS DE LEITURA- livros digitais, sites, vídeos Reconhecer que existem critérios de organização da D10.15 - Infere informação. A/C
no celular e mensagens, etc. (BNCC, Eixo: Práticas informação em textos como fichas informativas, tabelas, C9 - Realiza inferências em textos de diferentes gêneros e
culturais das tecnologias de informação e verbetes de divulgação científica para crianças; BNCC – temáticas, lidos pelo professor ou outro leitor experiente.
comunicação). Diferentes espaços de leitura incluindo o Eixo: Práticas Investigativas. I/A
uso da biblioteca escolar. -Ler com fluência e observar o valor expressivo dos sinais de C10 - Realizar inferências em textos de diferentes gêneros
Recursos técnicos e comunicativos utilizados para pontuação (com ajuda do leitor mais experiente): e temáticas, lidos com autonomia. I
expressões de linguagem, convenções literárias (o belo, o  Ponto final C17 - Estabelecer relação de intertextualidade entre textos.
prazer, o lúdico, vinculados com o sensorial, o emocional  Interrogação I
- sentimentos, desejos e ideias).  Exclamação. C5 - Reconhece finalidades de textos lidos pelo professor
-Reconhecer a finalidade do texto. ou pelas crianças. I/A
50
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
-Reconhecer o gênero textual em estudo. D8.1 - Reconhece a finalidade do texto com o apoio das
-Identificar signos e componentes sensoriais nas obras características gráficas do suporte ou do gênero. A/C
literárias. D8.2 - Reconhece a finalidade do texto a partir da leitura
-Explorar novas obras literárias. individual; I/A
-Reconhecer a leitura como fonte de informação, lazer e Compreende sentidos construídos a partir da leitura
cultura. compartilhada. Interpretação da leitura oral. I/A
-Apreciar a literatura como diferentes maneiras de C18 - Relaciona textos verbais e não-verbais, construindo
comunicação. sentidos. I/A (ASEA)
-Recortar, sintetizar e interpretar o real por intermédio do D.1.1 - Diferencia letras de outros sinais gráficos. A/C
ponto de vista do escritor (narrador ou do poeta) com ajuda (ASEA)
do leitor mais experiente; D1.3a - Identifica diferentes tipos de letras: A/C
-Compartilhar leituras. (ASEA)
-Trocar impressões sobre o enredo. *de imprensa maiúscula e minúscula; A/C ASEA
-Construir significados. *cursiva. I/A. (ASEA)
-Comunicar opiniões. D1.3b - Identifica mais de uma palavra que se repete,
Construir uma relação afetiva com a literatura infantil. escrita com letras de diferentes tipos, combinando letras.
Compreender as diferentes formas em que a literatura infantil I/A. (ASEA)
se apresenta, considerando a sua linguagem (conjunto de D2 - Reconhece, a partir de palavra ditada e/ou imagem o
recursos técnicos e expressivos a disposição do escritor). valor sonoro de uma sílaba. A/C ( ASEA)

PRODUÇÃO DE TEXTO DESCRITORES


CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES CAPACIDADES PNAIC – (2012)
Produção de texto individual e coletiva, escrita de letras, Escrever alfabeticamente, palavras, frases e textos com apoio C4 - Produzir textos de diferentes gêneros com autonomia,
sílabas, palavras e frases em diferentes situações de de desenhos. atendendo a diferentes finalidades. I
produção, utilizando o conhecimento de que dispõe sobre Escrever palavras com correspondências regulares diretas C5 - Gerar e organizar o conteúdo textual, estruturando os
o sistema de escrita: entre letras e fonemas; BNCC – Eixo: Apropriação do períodos e utilizando recursos coesivos para articular ideias
Sistema de Escrita Alfabética/Ortográfico e Tecnologias da e fatos. I
AGRUPAMENTO DO RELATAR: documentação e Escrita.
memorização das ações: Escrever palavras e textos, segundo sua compreensão do C8 - Utilizar vocabulário diversificado e adequado ao
Relato de experiência vivida sistema alfabético, ainda que não convencionalmente; BNCC gênero e às finalidades propostas. I/A
Agenda do dia na escola – Eixo: Apropriação do Sistema de Escrita
Alfabética/Ortográfico e Tecnologias da Escrita. D3 - Diferencia letras de outros sinais gráficos, como os
AGRUPAMENTO DO ARGUMENTAR: discussão de Escrever o próprio nome e utilizá-lo como referência para números, sinais de pontuação ou de outros sistemas de
problemas sociais controversos: escrever e ler outras palavras, construindo a correspondência representação. A/C (ASEA)
Opinião (fatos e atitudes) fonema/ grafema; BNCC – Eixo: Apropriação do Sistema de
51
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
Escrita Alfabética/Ortográfico e Tecnologias da Escrita. D7 - Demonstra conhecimentos sobre a escrita do próprio
Reconhecer palavras e frases frequentes em textos, sem a nome. A/C (ASEA)
AGRUPAMENTO DO EXPOR: transmissão de necessidade de decodificação. BNCC – Eixo: Apropriação
conhecimento: do Sistema de Escrita Alfabética/Ortográfico e Tecnologias D8 - Escreve palavras ditadas demonstrando conhecer o
Exposição oral de experiência de Ciências ou outras da Escrita. princípio alfabético. A/C (ASEA)
disciplinas; Usar diferentes tipos de letras em situações de escrita de
“Bichonário” e outros tipos de dicionários temáticos; palavras e textos. (Apropriação do sistema de Escrita D1 - Identifica letras do alfabeto. A/C (ASEA)
Alfabética/ PNAIC, 2012).
Produzir textos diversificados, individual e coletivo (na D2 - Conhece as direções da escrita. A/C (ASEA)
Utilizar recursos diversos - máquina fotográfica, modalidade oral, escrita, imagens ou desenhos) observando
filmadora, computadores – para registrar e comunicar os elementos que caracterizam e estruturam cada gênero C15 - Domina as correspondências entre letras ou grupos
ideias. BNCC – Eixo: Práticas Culturais das Tecnologias textual. de letras e seu valor sonoro, de modo a escrever palavras e
de informação e Comunicação. Desenvolver o tema proposto. textos. I/A (ASEA)
Compreender elementos do texto que marcam suas partes
como títulos, sumário, texto principal, tópicos; BNCC – C1 - Analisa a adequação de um texto (lido, escrito ou
Eixo: Apropriação do Sistema de Escrita escutado) aos interlocutores aos quais se destina e à
Alfabética/Ortográfico e Tecnologias da Escrita. formalidade do contexto. I/A (Análise Línguística:
Segmentar o texto em frases e parágrafos, utilizando recursos Discursividade, Textualidade e Normatividade/ PNAIC,
do sistema de pontuação. 2012)
Utilizar letra maiúscula no início de frases, de nomes próprios
e de títulos. Escrever palavras irregulares que aparecem com frequência
Dominar as correspondências entre letras ou grupos de letras nos textos lidos. I
e seu valor sonoro, de modo a escrever palavras e textos.
Reconhecer as variações fonéticas das palavras e a C2 - Conhecer e usar diferentes suportes textuais, tendo em
necessidade de acentuá-las. vista suas características: finalidades, esfera de circulação,
Registrar, sob a forma de desenhos, gravação em áudio e tema, forma de composição, estilo, etc. I/A/C (Análise
vídeo, ou pequenas anotações escritas, resultados de Línguística: Discursividade, Textualidade e
atividades de pesquisa. BNCC – Eixo: Práticas Normatividade/ PNAIC, 2012)
Investigativas.
Relatar, com coerência, experiências vividas, usando C3 - Reconhecer gêneros textuais e seus contextos de
diferentes elementos que marquem a passagem do tempo; produção. I/A/C (Análise Línguística: Discursividade,
BNCC – Eixo: Práticas da Vida Cotidiana. Textualidade e Normatividade/ PNAIC, 2012)
Argumentar acerca de atitudes e tomadas de decisões
cotidianas; BNCC – Eixo: Práticas da Vida Cotidiana. C4 - Conhecer e usar palavras ou expressões que
Relatar, com objetividade, episódios vividos ou conhecidos, estabelecem a coesão como: progressão do tempo,
52
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
respeitando a ordem de apresentação dos fatos, selecionando marcação do espaço e relações de causalidades. I (Análise
temas principais e secundários. BNCC, Eixo: Prática da vida Línguística: Discursividade, Textualidade e
cotidiana. Normatividade/ PNAIC, 2012)
Apreciar aspectos lúdicos e sonoros de poemas e
experimentar brincadeiras com a dimensão sonora e gráfica C5 - Conhecer e usar palavras ou expressões que retomam
das palavras; BNCC – Eixo: Práticas artístico-Literárias. coesivamente o que já foi escrito (pronomes pessoais,
Produzir antologias, varais e murais, por meio de registro de sinônimos e equivalentes). I (Análise Línguística:
quadrinhas, parlendas, poemas. BNCC – Eixo: Práticas Discursividade, Textualidade e Normatividade/ PNAIC,
artístico-Literárias. 2012)
Utilizar os meios digitais para buscar, a partir de palavras-
chave, informações relevantes. BNCC – Eixo: Práticas C13 - Reconhecer diferentes variantes de registro de
Investigativas. acordo com os gêneros e situações de uso. I (Análise
Línguística: Discursividade, Textualidade e
Normatividade/ PNAIC, 2012)
Recursos utilizados na escrita, com apoio do professor, Noções do estabelecimento de unidade de sentido: D14–Identifica o efeito de sentido decorrente do uso da
para obtenção de determinados efeitos de sentido:  Segmentação do texto em frases e parágrafos, pontuação e de outras notações. I/A/C
 Letra maiúscula em títulos, nomes próprios e utilizando recursos do sistema de pontuação;
início de frases;  Concordância nominal (artigo/substantivo, C12 - Pontua o texto. I (Análise Linguística:
 Tipos de letras; substantivo/adjetivo), flexões de gênero (masculino e Discursividade, Textualidade e Normatividade/ PNAIC,
 Análise fonológica da palavra; feminino), número (singular e plural) e grau (aumentativo e 2012)
 Paragrafação; diminutivo);
 Exploração dos recursos de linguagens: emprego  Coesão e coerência;
dos verbos e dos pronomes (coesão e coerência textual);  Função dos substantivos próprios e comuns; C6 - Usa diferentes tipos de letras em situações de escrita
 Adequação do gênero;  Concordância verbal (verbos e pronomes); de palavras e textos. I/A (ASEA)
 Pontuação  Pontuação
 Vocabulário
 Ortografia.
 Flexão de gênero (masculino e feminino),
número (singular e plural) e grau (diminutivo e
aumentativo).
Planejamento da escrita de textos coletivos Planejar a escrita de textos considerando o contexto de Planejamento da escrita de textos considerando o contexto
considerando o contexto de produção: produção: de produção:
-finalidade  Mobilizar conhecimentos prévios; -Organização das informações mais relevantes:
-especificidade da modalidade textual  Organizar ideias para o desenvolvimento do tema; *o que quer escrever;

53
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
-papéis assumidos pelos interlocutores  Organizar as informações mais relevantes para *para quem (diferentes interlocutores);
-mobilização de conhecimentos prévios atender a diferentes finalidades. *para quê (com diferentes finalidades);
-inventário de ideias para o desenvolvimento do tema  Representar com imagens e textos curtos: roteiros, *qual o gênero que melhor exprime essas ideias;
-organização de informações mais relevantes: cenários, personagens, cenas e espaços, construindo *para circular em diferentes espaços sociais (linguagem
*o que quer escrever significados e compreensão do real. coloquial o formal). I/A
*para quem (diferentes interlocutores)  Escrever texto de memória. -Representa com imagens e textos curtos: roteiros,
*para quê (com diferentes finalidades) cenários, personagens, cenas e espaços, construindo
*qual o gênero que melhor exprime essas ideias Planejar a escrita de textos considerando o contexto de significados e compreensão do real. A/C
*para circular em diferentes espaços sociais (linguagem produção: organizar roteiros, planos gerais para atender a -Escreve textos de memória. I/A/C
coloquial ou formal). diferentes finalidades, com ajuda de escriba. C1 - Planejar a escrita de textos considerando o contexto de
-Produção de novo texto a partir de modelos. produção: organizar roteiros, planos gerais para atender a
-Escrita de textos memorizados. Planejar a escrita de textos considerando o contexto de diferentes finalidades, com ajuda de escriba. I/A
produção: organizar roteiros, planos gerais para atender a C2 - Planejar a escrita de textos considerando o contexto de
diferentes finalidades, com autonomia. produção: organizar roteiros, planos gerais para atender a
diferentes finalidades, com autonomia. I
Condições de Produção/Capacidade de Ação ou aspectos Produzir textos de diferentes gêneros, atendendo a diferentes C3 - Produz textos de diferentes gêneros, atendendo a
sociodiscursivo do texto: finalidades, por meio da atividade de um escriba. diferentes finalidades, por meio da atividade de um escriba.
a.Quem é o destinatário? Identificar a finalidade ou o gênero de diferentes textos e I/A
b.Quem é o emissor? suportes.
c.Qual o papel social de ambos? Realizar reflexões metalinguísticas sobre a construção de D12 - Identifica a finalidade ou o gênero de diferentes
d.Qual a finalidade do texto? palavras, frases e pequenos textos. textos e suportes. A/C
e.Qual o meio de veiculação? Criar e recriar texto ou partes de texto, considerando o
f.De que temas tratam o gênero? contexto de produção. Conhece e compartilha o que sabe sobre a língua. I/A
g.Qual é o gênero textual?
h.Quais papéis assumem os interlocutores? Cria e recria texto ou partes de texto, considerando o
i.Qual a linguagem, coloquial ou formal? contexto de produção a partir de modelos. A/C
Produção escrita (rascunho) e edição final – produção
entendida como frase, palavras e textos.
Reescrita do texto coletivo observando recursos Reescrever, com o apoio do professor, texto, palavras e
linguísticos como: frases, observando: C9 - Revisa coletivamente os textos durante o processo de
 Emprego dos verbos (concordância verbal) e dos  Título do texto escrita em que o professor é escriba, retomando as partes já
pronomes (concordância nominal, coesão e  O desenvolvimento do tema; escritas e planejando os trechos seguintes. I/A
coerência textual;  Concordância nominal e verbal, recursos coesivos
 Utilização da letra maiúscula em títulos, nomes mesmo que da linguagem oral; C8 - Utiliza vocabulário diversificado e adequado ao
gênero e às finalidades propostas. I/A
54
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
próprios e inicio de frases;  A segmentação do texto em palavras e frases;
 Paragrafação (ponto final, dois pontos e  Uso da letra maiúscula em títulos, nomes próprios e
travessão); início de frases.
 Vocabulário  Usar sinais de pontuação (ponto final, travessão e
 Ortografia dois pontos).
 Título do texto  Recursos linguísticos do gênero - linguagem
adequada ao gênero que produz garantindo a
unidade e o sentido do texto: sequência lógica,
Aspectos da escrita: coerência e coesão.
*grafia (escrita),  Parágrafos;
*linguagem (modo de organizar as ideias ao se  Traçar corretamente e legível as letras;
expressar por escrito).  Organizar as ideias no texto
ANÁLISE E REFLEXÃO SOBRE A LÍNGUA DESCRITORES
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES CAPACIDADES PNAIC – (2012)
Análise e reflexão de palavras, frases e textos, Compreender o funcionamento do sistema de escrita D6 - Distingui, como leitor, diferentes tipos de letra. A/C
identificando, sempre na oralidade, elementos alfabética; BNCC – Eixo: Apropriação do sistema de Escrita C5 - Reconhece diferentes tipos de letras em textos de
constitutivos dos textos: Alfabético/Ortográfico e Tecnologias da Escrita. diferentes gêneros e suportes textuais. I/A/C (ASEA)
 Alfabeto; Reconhecer e nomear letras do alfabeto distinguindo-as de C1 - Analisa a adequação de um texto (lido, escrito ou
 Ordem alfabética. outros sinais gráficos; BNCC – Eixo: Apropriação do escutado) aos interlocutores aos quais se destina e à
 Reconhecimento da relação entre imagens, sistema de Escrita Alfabético/Ortográfico e Tecnologias da formalidade do contexto. A/C (Análise Linguística:
ilustrações e textos verbais; Escrita. Discursividade, Textualidade e Normatividade/ PNAIC,
 ORTOGRAFIA - emprego da letra maiúscula e Reconhecer diferentes tipos de letras em diferentes contextos, 2012).
minúscula na escrita de títulos, nomes e início de frases; suportes e gêneros textuais (ACRESCENTAR: instrumentos C15 - Observa e segmenta palavras em texto.. I/A/C
de escrita como papel, lápis/caneta, tela/ teclado); BNCC – (Análise Línguística: Discursividade, Textualidade e
Apropriação do Sistema de Escrita Alfabética e norma Eixo: Apropriação do sistema de Escrita Normatividade/ PNAIC, 2012)
ortográfica: Alfabético/Ortográfico e Tecnologias da Escrita. C7 - Conhece e faz uso das grafias de palavras com
 Relação fonológica: análise e associação de Realizar análise fonológica de palavras, segmentando-as correspondências regulares diretas entre letra e fonemas
fonemas e grafemas (som/letra). oralmente em unidades menores (partes de palavras, sílabas), (P,B,T,D,F,V). I/A (Análise Línguística: Discursividade,
 Grafias de palavras com correspondências identificando rimas, aliterações, observando a função sonora Textualidade e Normatividade/ PNAIC, 2012)
regulares diretas entre letras e fonemas (P, B, T, D, F, V). que os fonemas assumem nas palavras, relacionando os C14 e C15 - Domina as correspondências entre letras ou
(Apropriação do sistema de Escrita Alfabética/ PNAIC, elementos sonoros com sua representação escrita; BNCC – grupos de letras e seu valor sonoro, de modo a ler e
2012). Eixo: Apropriação do sistema de Escrita escrever palavras e textos. I/A (ASEA)
Alfabético/Ortográfico e Tecnologias da Escrita. C1 - Escrever o próprio nome. I/A/C (ASEA)
ACENTUAÇÃO GRÁFICA - regras de acentuação, Reconhecer que as sílabas variam quanto à sua combinação C2 - Reconhecer e nomear as letras do alfabeto. I/A/C

55
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
(oxítona, paroxítona, proparoxítona); entre consoantes e vogais (CV, CCV, CVV, CVC, V,VC, (ASEA)
Relação fonológica: análise e associação de fonemas e VCC, CCVCC) e que as vogais estão presentes em todas as C3 - Diferenciar letras de números e outros símbolos.
grafemas (som/letra). sílabas; BNCC – Eixo: Apropriação do sistema de Escrita I/A/C (ASEA)
. Grafias de palavras com correspondências regulares Alfabético/Ortográfico e Tecnologias da Escrita. C4 - Conhecer a ordem alfabética e seus usos em diferentes
diretas entre letras e fonemas: P, B, T, D, e F. Compreender que alterações na ordem escrita dos grafemas gêneros. I/A/C (ASEA)
provocam alterações na composição da palavra; BNCC – C11 - Identifica e faz uso de letra maiúscula e minúscula
SIGNIFICAÇÃO DAS PALAVRAS - sinônimo e Eixo: Apropriação do sistema de Escrita nos textos produzidos, segundo as convenções. I (Análise
antônimo; Alfabético/Ortográfico e Tecnologias da Escrita. Línguística: Discursividade, Textualidade e
LINGUAGEM FIGURADA (conotação e denotação) - Identificar na leitura e na escrita de textos, frases e palavras. Normatividade/ PNAIC, 2012)
metáfora, onomatopeia, humor, ironia, ( noções iniciais); Separação de sílabas das palavras ao final de linha
FRASE - tipos de frase, segmentação do texto em frases e (segmentação); Identificar e segmentar os sons relativos às C7 - Compreender que palavras diferentes compartilham
parágrafos, utilizando recursos do sistema de pontuação palavras por meio do lúdico - relação fonema/grafema; certas letras. I (ASEA)
(ponto final, exclamação, interrogação e vírgulas nas Usar letras maiúsculas e minúsculas em títulos, nomes C8 - Perceber que palavras diferentes variam quanto ao
enumerações); próprios e início de frases. número, repertório e ordem de letras. I/A/C (ASEA)
CONCORDÂNCIA - nominal(substantivo/artigo, Ordenar alfabeticamente como maneira de organizar C9 - Segmentar oralmente as sílabas de palavras e
substantivo/adjetivo), concordância verbal (sujeito e informações e facilitar procura e busca. comparar as palavras quanto ao tamanho. I/A/C (ASEA)
predicado); Localizar letras e sons do alfabeto no próprio nome e em C10 - Saber usar o dicionário, compreendendo sua função e
outros contextos. organização. I/A/C (ASEA)
-ANÁLISE E REFLEXÃO DA LÍNGUA- jogos nos sites Reconhecer diferentes tipos de letras. C11 - Reconhecer que as sílabas variam quanto às suas
educativos, atividades no "portal do aluno", Power point Identificar e fazer uso de letra maiúscula e minúscula nos composições. I/A/C (ASEA)
no celular e enviar aos colegas e professor, etc. textos produzidos, segundo as convenções. C12 - Perceber que as vogais estão presentes em todas as
Conhecer e fazer uso das grafias de palavras com sílabas. I/A/C (ASEA)
correspondências regulares diretas entre letras e fonemas: P,
B, T, D, e F. Estabelece relação entre unidades sonoras e suas
Identificar a unidade linguística e suas possibilidades representações gráficas. A/C
combinatórias. D5 - Identifica, ao ouvir palavras diferentes, sílabas
semelhantes. A/C (ASEA)
Identificar e segmentar os sons relativos às palavras por meio D3.3 - Identifica relação entre grafema e fonema
do lúdico (letra/som) com mais de uma correspondência sonora; ex. c
e g. I/A (ASEA).

56
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
2º Ano – LÍNGUA PORTUGUESA - ANUAL
REFERENCIAL CURRICULAR DA REDE MUNICIPAL DE DOURADOS
ORALIDADE DESCRITORES4 e CAPACIDADES PNAIC – (2012)
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES
Situações de comunicação com instrumentos de Narrar fatos considerando a sequência lógica do gênero. C1 - Participa de interações orais em sala de aula,
socialização e aprendizagem na apresentação de Participar de situações de comunicação direta ou mediada questionando, sugerindo, argumentando e respeitando os
sequências de expressão oral: (TV, telefone, rádio e outros). turnos de fala. A/C
 Narrar histórias lidas pela professora, contada Inferir sobre alguns elementos de intencionalidade implícita C2 - Escuta com atenção textos de diferentes gêneros,
pelos pais e/ou responsáveis, filme/vídeos, contar (sentido figurado, recursos persuasivos e outros). sobretudo os mais formais, comuns em situações públicas,
história utilizando imagens, fantoches, Apropriar-se progressivamente de novas palavras, ampliando analisando-os criticamente. A/C
dramatizando; o seu vocabulário. C3 - Planeja intervenções orais em situações públicas:
 Explicar o caminho que faz de casa até a escola; Desenvolver o hábito de ouvir com atenção como forma de exposição oral, debate, contação de história. A/C
localização de ambientes da escola (sala da melhorar a comunicação e a interação com o grupo. C8 - Valoriza os textos de tradição oral, reconhecendo-os
direção, da coordenação, refeitório, biblioteca, e Estabelecer o diálogo com os colegas, professores como manifestações culturais. A/C
outros); instruções de confecção de brinquedo, reconhecendo o turno de fala e o espaço público escolar.
cuidados com uma planta, BNCC - Eixo: Prática da vida cotidiana, com alterações. C4 - Produzir textos orais de diferentes gêneros, com
Respeitar os diferentes modos de falar de outras pessoas diferentes propósitos, sobretudo os mais formais comuns
-Audição atenta em situações de interlocução, com (variação linguística). em instâncias públicas (debate, entrevista, exposição,
intervenções adequadas, formulação de perguntas e Compreender enunciados de exercícios e tarefas, realizados notícia, propaganda, relato de experiências orais, dentre
opiniões. em diferentes componentes curriculares; BNCC – Eixo: outros). I/A
-Adequação da linguagem à situação de uso por meio de “Práticas Investigativas”. C5 - Analisar a pertinência e a consistência de textos orais,
conversas, diálogos, debates, dramatizações e simulações. Ditar receitas ou instruções, ainda que de forma não considerando as finalidades e características dos gêneros. A
-Adequação da linguagem coloquial para a linguagem convencional, considerando a situação de interação; BNCC - C6 - Reconhecer a diversidade linguística, valorizando as
formal (respeitando a variação linguística). Eixo: Prática da vida cotidiana, com alterações. diferenças culturais entre variedades regionais, sociais, de
-Escuta atenta em situações comunicativas, formulação de Ditar slogans e/ou regras de convivência escolar. BNCC – faixa etária, de gênero dentre outras. A
perguntas e opiniões. Eixo: Práticas Político-Cidadã. C7 - Relacionar fala e escrita, tendo em vista a apropriação
Reconhecer a função dos itens de uma enumeração em textos do sistema de escrita, as variantes linguísticas e os
instrucionais, utilizando-os para executar ações. BNCC - diferentes gêneros textuais. A
Sugestões de gêneros orais do narrar:
Conto de fadas Eixo: Prática da vida cotidiana.

4
Os descritores foram retirados do documento: BRASIL, Guia de correção e interpretação dos resultados: leitura e matemática – Provinha Brasil 2015. Instituto Nacional de
Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira /Inep. Diretoria de Avaliação da Educação Básica/Daeb.MEC, 2015, p. 11-14 e p. 16-17.

57
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
Fábula Apreciar textos literários tradicionais, da cultura popular,
Lenda do folclore brasileiro afro-brasileira, africana, indígena e de outros povos; BNCC -
Eixo: Práticas Artístico-Literárias, com alterações.
Sugestões de gêneros orais do instruir: Ouvir canções e histórias contadas ou lidas. BNCC - Eixo:
Receita Práticas Artístico-Literárias.
Simpatia Ouvir e recitar poemas, parlendas, trava-línguas
memorizados, respeitando o ritmo, a melodia e a
expressividade; BNCC - Eixo: Práticas Artístico-Literárias.
Recontar textos conhecidos, respeitando a estrutura do gênero
(contos de fadas, contos de repetição, entre outros); BNCC -
Eixo: Práticas Artístico-Literárias.
Recontar histórias lidas/contadas por outros, com apoio em
livros, revistas e outros suportes; BNCC - Eixo: Práticas
Artístico-Literárias.
Memorizar e cantar canções, considerando o ritmo e a
melodia;
Reconhecer marcadores temporais, a partir da audição de
contos narrados pelo professor e outros; BNCC - Eixo:
Práticas Artístico-Literárias.
Antecipar enredo de uma história, a partir de imagens, títulos
e outras pistas; BNCC - Eixo: Práticas Artístico-Literárias.
Ditar e/ou registrar, ainda que de forma não convencional,
textos narrativos; BNCC - Eixo: Práticas Artístico-
Literárias.
Apreciar aspectos lúdicos e sonoros de poemas e
experimentar brincadeiras com a dimensão sonora e gráfica
das palavras; BNCC - Eixo: Práticas Artístico-Literárias.
Formular perguntas para conhecer fenômenos naturais e
sociais que cercam o cotidiano; BNCC - Eixo: Práticas
Investigativas.

58
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
PRATICA DE LEITURA
DESCRITORES5 e CAPACIDADES PNAIC – (2012)
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES
Leitura e interpretação de textos (gêneros textuais): Corresponder palavras ou expressões as respectivas imagens C1 - Ler textos não verbais, em diferentes suportes. A/C
AGRUPAMENTO DO NARRAR (Cultura literária e o próprio desenho. D3.2 - Lê palavras com correspondências regulares diretas
ficcional) Relacionar títulos ao texto. entre letras e fonemas (P, B, T, D, F, V). A/C
Conto de fadas Reconhecer assuntos tratados em textos de diferentes gêneros, D5.1 - Lê em voz alta uma sentença ou um texto.
Fábula lidos pelo professor ou outro leitor experiente. C2 - Lê textos (poemas, canções, tirinhas, textos de
Lenda do folclore brasileiro Identificar sequência lógica de uma narrativa com o apoio de tradição oral, dentre outros), com autonomia. A/C
Poemas imagens. C14 - Apreende assunto tratado em textos de diferentes
Reconhecer a função/finalidade do texto. gêneros, lidos com autonomia. A/C
Ler palavras e textos apoiando-se em imagens. BNCC – D7.1 - Reconhece o assunto do texto com o apoio das
AGRUPAMENTO DO RELATAR: (Documentação e Eixo: Apropriação do Sistema de Escrita características gráficas e do suporte. A/C
memorização das ações humanas) Alfabética/Ortográfico e Tecnologias da Escrita. D7.2 - Reconhece o assunto do texto com base no título.
Agenda do dia na escola -Ler, ajustando a pauta sonora ao escrito. BNCC – Eixo: I/A
Bilhete Apropriação do Sistema de Escrita Alfabética/Ortográfico e D7.3 - Reconhece o assunto do texto a parir da leitura
Linha do tempo Tecnologias da Escrita. individual (sem apoio das características gráficas ou do
Inferir resposta a partir de pistas de conteúdo dadas no texto; texto-base). I/A.
BNCC – Eixo: Práticas artístico-Literárias, com adaptação. C13 - Apreender assuntos/temas tratados em textos de
AGRUPAMENTO DO ARGUMENTAR (Discussão de Ler e apreciar textos literários tradicionais, da cultura diferentes gêneros, lidos pelo professor ou outro leitor
problemas sociais controversos) popular, afro-brasileira, africana, indígena e de outros povos experiente. A
Opinião (fatos e atitudes) comentando temas e imagens. BNCC – Eixo: Práticas C14 - Apreender assuntos/temas tratados em textos de
artístico-Literárias. diferentes gêneros, lidos com autonomia A/C
Ouvir canções e histórias contadas ou lidas. BNCC – Eixo:
AGRUPAMENTO DO EXPOR (Transmissão de Práticas artístico-Literárias. C8 e D6.1 - Localiza informações explícitas em textos de
conhecimento) Identificar o assunto em notícias e reportagens de jornais diferentes gêneros, temáticas, lidos com autonomia:
Exposição oral de experiência de Ciências ou outras infantis lidos por outros; BNCC – Eixo: Práticas Político- Reconhece: A/C
disciplinas; Cidadã.  Autor
“Bichonário” e outros tipos de dicionários temáticos; Compreender slogans de campanhas educativas, voltadas para  Ilustrador
crianças; BNCC – Eixo: Práticas Político-Cidadã.  Data de Publicação
Localizar informações em listas, quadros, notas de divulgação

5
Os descritores foram retirados do documento: BRASIL, Guia de correção e interpretação dos resultados: leitura e matemática – Provinha Brasil 2015. Instituto Nacional de
Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira /Inep. Diretoria de Avaliação da Educação Básica/Daeb.MEC, 2015, p. 11-14 e p. 16-17.

59
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
AGRUPAMENTO DO INSTRUIR: descrever/regular científica para crianças, lidas pelo professor; BNCC – Eixo:  Editora
comportamento. Práticas Investigativas.  Descrição de personagens
Receita Localizar informações explícitas e implícitas no texto.  Referência espacial ou cenário
Simpatia Compreender, com o apoio do professor, enunciados de  Referência temporal
tarefas escolares. BNCC – Eixo: Práticas Investigativas.
-Estratégias/Práticas de leitura: Reconhecer palavras em textos, a partir de alguns índices C11 e D9 - Estabelece relação entre partes do texto
Auditiva, sonoros e suas correspondências gráficas; BNCC – Eixo: identificando repetições e substituições que contribuem
Livre escolha, Apropriação do Sistema de Escrita Alfabética/Ortográfico e para a coerência e a coesão textual. A/C
Informativa Tecnologias da Escrita.
Silenciosa Ler oralmente textos familiares e curtos (títulos de histórias, C12 - Estabelece relações lógicas entre partes de textos de
manchetes, quadrinhas, entre outros) após leitura silenciosa; diferentes gêneros e temáticas, lidos com autonomia. A/C
-Estratégias de leitura: BNCC – Eixo: Apropriação do Sistema de Escrita C4 - Antecipar sentidos e ativar conhecimentos prévios
Seleção Alfabética/Ortográfico e Tecnologias da Escrita. relativos aos textos a serem lidos pelo professor ou pelas
Antecipação Manusear adequadamente livros didáticos e de literatura e crianças. A/C
Verificação outros suportes frequentes no contexto social. BNCC – Eixo: C7 - Localiza informações explícitas em textos de
Inferência. Apropriação do Sistema de Escrita Alfabética/Ortográfico e diferentes gêneros, temáticas, lidos pelo professor ou outro
Pontuação Tecnologias da Escrita. leitor experiente. A/C
Compreender os modos de organização da biblioteca da
-Desenvolvimento da educação estética e afetiva turma. BNCC – Eixo: Apropriação do Sistema de Escrita C15 - Interpreta frases e expressões em textos de diferentes
explorando o conjunto da obra a ser lida, o caráter dialogal Alfabética/Ortográfico e Tecnologias da Escrita. gêneros e temáticas, lidos pelo professor ou outro leitor
entre texto e imagem estimulando a aprendizagem, em Identificar recursos sonoros (ritmo, rimas) e visuais para experiente. A/C
suas possibilidades de ampliação de horizontes e de obtenção de efeitos em textos poéticos e narrativos; C16 - Interpreta frases e expressões em textos de diferentes
percepções diferenciadas de mundo. Ouvir canções e histórias contadas ou lidas, de maior gêneros e temáticas, lidos com autonomia. A/C
-Leitura de textos literários e não literários, de variados extensão, e, assistir a apresentações teatrais, desenvolvendo C3 - Compreende textos lidos por outras pessoas, de
gêneros, que conduz a relação afetiva com a literatura atenção e interesse; BNCC – Eixo: Práticas artístico- diferentes gêneros e com diferentes propósitos. A/C
infantil, da ficção, da fantasia, do imaginário, com poder Literárias. C6 - Lê em voz alta, com fluência, em diferentes situações.
de divertir, de explorar a linguagem artística, a riqueza, a Reconhecer que existem critérios de organização da A
beleza. informação em textos como fichas informativas, tabelas, D10.15 - Infere informação. A/C
-Repertório de signos e componentes sensoriais, utilizados verbetes de divulgação científica para crianças; BNCC – C9 - Realiza inferências em textos de diferentes gêneros e
pelo autor na realização de registros intencionais, que Eixo: Práticas Investigativas. temáticas, lidos pelo professor ou outro leitor experiente.
trazem elementos da linguagem do próprio autor para -Ler com fluência e observar o valor expressivo dos sinais de A/C
transmitir ideias e sensações. pontuação (com ajuda do leitor mais experiente): C10 - Realizar inferências em textos de diferentes gêneros
Exs.: recursos linguísticos: onomatopeias, expressões  Ponto final e temáticas, lidos com autonomia. I/A
faciais, corporais e outros elementos das histórias.  Interrogação C17 - Estabelecer relação de intertextualidade entre textos.
 Exclamação. I/A
60
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
-PRÁTICAS DE LEITURA- livros digitais, sites, vídeos -Reconhecer a finalidade do texto. C5 - Reconhece finalidades de textos lidos pelo professor
no celular e mensagens, etc. (BNCC, Eixo: Práticas -Reconhecer o gênero textual em estudo. ou pelas crianças. A/C
culturais das tecnologias de informação e -Identificar signos e componentes sensoriais nas obras D8.1 - Reconhece a finalidade do texto com o apoio das
comunicação). Diferentes espaços de leitura incluindo o literárias. características gráficas do suporte ou do gênero. A/C
uso da biblioteca escolar. -Explorar novas obras literárias. D8.2 - Reconhece a finalidade do texto a partir da leitura
Recursos técnicos e comunicativos utilizados para -Reconhecer a leitura como fonte de informação, lazer e individual; I/A
expressões de linguagem, convenções literárias (o belo, o cultura. Compreende sentidos construídos a partir da leitura
prazer, o lúdico, vinculados com o sensorial, o emocional -Apreciar a literatura como diferentes maneiras de compartilhada. Interpretação da leitura oral. I/A
comunicação. C18 - Relaciona textos verbais e não-verbais, construindo
- sentimentos, desejos e ideias).
-Recortar, sintetizar e interpretar o real por intermédio do sentidos. A/C (ASEA)
ponto de vista do escritor (narrador ou do poeta) com ajuda D.1.1 - Diferencia letras de outros sinais gráficos. (ASEA)
do leitor mais experiente; A/C
-Compartilhar leituras. D1.3a - Identifica diferentes tipos de letras: (ASEA) A/C
-Trocar impressões sobre o enredo. *de imprensa maiúscula e minúscula; (ASEA) A/C
-Construir significados. *cursiva. (ASEA) I/A.
-Comunicar opiniões. D1.3b - Identifica mais de uma palavra que se repete,
Construir uma relação afetiva com a literatura infantil. escrita com letras de diferentes tipos, combinando letras.
Compreender as diferentes formas em que a literatura infantil (ASEA) I/A.
se apresenta, considerando a sua linguagem (conjunto de D2 - Reconhece, a partir de palavra ditada e/ou imagem o
recursos técnicos e expressivos a disposição do escritor). valor sonoro de uma sílaba. (ASEA) A/C

PRODUÇÃO DE TEXTO DESCRITORES


CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES CAPACIDADES PNAIC – (2012)
Produção de texto individual e coletiva, escrita de letras, Escrever alfabeticamente, palavras, frases e textos com apoio C4 - Produzir textos de diferentes gêneros com autonomia,
sílabas, palavras e frases em diferentes situações de de desenhos. atendendo a diferentes finalidades. I/A
produção, utilizando o conhecimento de que dispõe sobre Escrever palavras com correspondências regulares diretas C5 - Gerar e organizar o conteúdo textual, estruturando os
o sistema de escrita: entre letras e fonemas; BNCC – Eixo: Apropriação do períodos e utilizando recursos coesivos para articular ideias
Sistema de Escrita Alfabética/Ortográfico e Tecnologias da e fatos. I/A
AGRUPAMENTO DO RELATAR: documentação e Escrita. C6 - Organizar o texto, dividindo-o em tópicos e
memorização das ações: Escrever palavras e textos, segundo sua compreensão do parágrafos. I
Agenda do dia na escola sistema alfabético, ainda que não convencionalmente; BNCC C7 - Pontuar os textos, favorecendo a compreensão do
Bilhete – Eixo: Apropriação do Sistema de Escrita leitor. I
Linha do tempo Alfabética/Ortográfico e Tecnologias da Escrita. C8 - Utilizar vocabulário diversificado e adequado ao
Escrever o próprio nome e utilizá-lo como referência para gênero e às finalidades propostas. A/C
escrever e ler outras palavras, construindo a correspondência
61
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
AGRUPAMENTO DO ARGUMENTAR: discussão de fonema/ grafema; BNCC – Eixo: Apropriação do Sistema D3 - Diferencia letras de outros sinais gráficos, como os
problemas sociais controversos: de Escrita Alfabética/Ortográfico e Tecnologias da Escrita. números, sinais de pontuação ou de outros sistemas de
Opinião (fatos e atitudes) Reconhecer palavras e frases frequentes em textos, sem a representação. A/C (ASEA)
necessidade de decodificação. BNCC – Eixo: Apropriação
do Sistema de Escrita Alfabética/Ortográfico e Tecnologias D7 - Demonstra conhecimentos sobre a escrita do próprio
AGRUPAMENTO DO EXPOR: transmissão de da Escrita. nome. A/C (ASEA)
conhecimento: Usar diferentes tipos de letras em situações de escrita de
Exposição oral de experiência de Ciências; palavras e textos. (Apropriação do sistema de Escrita D8 - Escreve palavras ditadas demonstrando conhecer o
“Bichonário” e outros tipos de dicionários temáticos; Alfabética/ PNAIC, 2012). princípio alfabético. A/C (ASEA)
Produzir textos diversificados, individual e coletivo (na
modalidade oral, escrita, imagens ou desenhos) observando D1 - Identifica letras do alfabeto. A/C (ASEA)
Utilizar recursos diversos - máquina fotográfica, os elementos que caracterizam e estruturam cada gênero
filmadora, computadores – para registrar e comunicar textual. D2 - Conhece as direções da escrita. A/C
ideias. BNCC – Eixo: Práticas Culturais das Tecnologias Desenvolver o tema proposto. (ASEA)
de informação e Comunicação. Compreender elementos do texto que marcam suas partes C15 - Domina as correspondências entre letras ou grupos
como títulos, sumário, texto principal, tópicos; BNCC – de letras e seu valor sonoro, de modo a escrever palavras e
Eixo: Apropriação do Sistema de Escrita textos. A/C (ASEA)
Alfabética/Ortográfico e Tecnologias da Escrita.
Segmentar o texto em frases e parágrafos, utilizando recursos C1 - Analisa a adequação de um texto (lido, escrito ou
do sistema de pontuação. escutado) aos interlocutores aos quais se destina e à
Utilizar letra maiúscula no início de frases, de nomes próprios formalidade do contexto. A/C (Análise Línguística:
e de títulos. Discursividade, Textualidade e Normatividade/ PNAIC,
Dominar as correspondências entre letras ou grupos de letras 2012)
e seu valor sonoro, de modo a escrever palavras e textos.
Reconhecer as variações fonéticas das palavras e a
necessidade de acentuá-las. Escrever palavras irregulares que aparecem com frequência
Registrar, sob a forma de desenhos, gravação em áudio e nos textos lidos. I
vídeo, ou pequenas anotações escritas, resultados de
atividades de pesquisa. BNCC – Eixo: Práticas
Investigativas. C2.Conhecer e usar diferentes suportes textuais, tendo em
Relatar, com coerência, experiências vividas, usando vista suas características: finalidades, esfera de circulação,
diferentes elementos que marquem a passagem do tempo; tema, forma de composição, estilo, etc. A/C (Análise
BNCC – Eixo: Práticas da Vida Cotidiana. Línguística: Discursividade, Textualidade e
Argumentar acerca de atitudes e tomadas de decisões Normatividade/ PNAIC, 2012)
cotidianas; BNCC – Eixo: Práticas da Vida Cotidiana.
62
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
Relatar, com objetividade, episódios vividos ou conhecidos, C3 - Reconhecer gêneros textuais e seus contextos de
respeitando a ordem de apresentação dos fatos, selecionando produção. I/A/C (Análise Línguística: Discursividade,
temas principais e secundários. BNCC - Eixo: Prática da Textualidade e Normatividade/ PNAIC, 2012)
vida cotidiana.
Apreciar aspectos lúdicos e sonoros de poemas e C4 - Conhecer e usar palavras ou expressões que
experimentar brincadeiras com a dimensão sonora e gráfica estabelecem a coesão como: progressão do tempo,
das palavras; BNCC – Eixo: Práticas artístico-Literárias. marcação do espaço e relações de causalidades. A (Análise
Produzir antologias, varais e murais, por meio de registro de Línguística: Discursividade, Textualidade e
quadrinhas, parlendas, poemas. BNCC – Eixo: Práticas Normatividade/ PNAIC, 2012)
artístico-Literárias.
Utilizar os meios digitais para buscar, a partir de palavras- C5 - Conhecer e usar palavras ou expressões que retomam
chave, informações relevantes. BNCC – Eixo: Práticas coesivamente o que já foi escrito (pronomes pessoais,
Investigativas. sinônimos e equivalentes). A (Análise Línguística:
Discursividade, Textualidade e Normatividade/ PNAIC,
2012)

C6 - Usar adequadamente a concordância e reconhecer


violações de concordância nominal e verbal. I (Análise
Línguística: Discursividade, Textualidade e
Normatividade/ PNAIC, 2012)

C13 - Reconhecer diferentes variantes de registro de


acordo com os gêneros e situações de uso. A (Análise
Línguística: Discursividade, Textualidade e
Normatividade/ PNAIC, 2012)

63
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
Recursos utilizados na escrita, com apoio do professor, Noções do estabelecimento de unidade de sentido: D14–Identifica o efeito de sentido decorrente do uso da
para obtenção de determinados efeitos de sentido:  Segmentação do texto em frases e parágrafos, pontuação e de outras notações. (I/A/C)
 Letra maiúscula em títulos, nomes próprios e utilizando recursos do sistema de pontuação;
início de frases;  Concordância nominal (artigo/substantivo, C12 - Pontua o texto. (Análise Línguística:
 Tipos de letras; substantivo/adjetivo), flexões de gênero (masculino e Discursividade, Textualidade e Normatividade/ PNAIC,
 Análise fonológica da palavra; feminino), número (singular e plural) e grau (aumentativo e 2012)
 Paragrafação; diminutivo);
 Exploração dos recursos de linguagens: emprego  Coesão e coerência; C13 - Reconhecer diferentes variantes de registro de
dos verbos e dos pronomes (coesão e coerência textual);  Função dos substantivos próprios e comuns; acordo com os gêneros e situações de uso.
 Adequação do gênero;  Concordância verbal (verbos e pronomes); (Análise Línguística: Discursividade, Textualidade e
 Pontuação  Pontuação Normatividade/ PNAIC, 2012)
 Vocabulário
C6 - Usa diferentes tipos de letras em situações de escrita
 Ortografia.
de palavras e textos. A/C (ASEA)
 Flexão de gênero (masculino e feminino),
número (singular e plural) e grau (diminutivo e
aumentativo)
Planejamento da escrita de textos coletivos Planejar a escrita de textos considerando o contexto de Planejamento da escrita de textos considerando o
considerando o contexto de produção: produção: contexto de produção:
-finalidade  Mobilizar conhecimentos prévios; -Organização das informações mais relevantes:
-especificidade da modalidade textual  Organizar ideias para o desenvolvimento do tema; *o que quer escrever;
-papéis assumidos pelos interlocutores  Organizar as informações mais relevantes para *para quem (diferentes interlocutores);
-mobilização de conhecimentos prévios atender a diferentes finalidades. *para quê (com diferentes finalidades);
-inventário de ideias para o desenvolvimento do tema  Representar com imagens e textos curtos: roteiros, *qual o gênero que melhor exprime essas ideias;
-organização de informações mais relevantes: cenários, personagens, cenas e espaços, construindo *para circular em diferentes espaços sociais (linguagem
*o que quer escrever significados e compreensão do real. coloquial o formal). ( I/A).
*para quem (diferentes interlocutores)  Escrever texto de memória. -Representa com imagens e textos curtos: roteiros,
*para quê (com diferentes finalidades) cenários, personagens, cenas e espaços, construindo
*qual o gênero que melhor exprime essas ideias Planejar a escrita de textos considerando o contexto de significados e compreensão do real. A/C
*para circular em diferentes espaços sociais (linguagem produção: organizar roteiros, planos gerais para atender a -Escreve textos de memória. I/A/C
coloquial ou formal). diferentes finalidades, com ajuda de escriba. C1 - Planejar a escrita de textos considerando o contexto de
-Produção de novo texto a partir de modelos. produção: organizar roteiros, planos gerais para atender a
-Escrita de textos memorizados. Planejar a escrita de textos considerando o contexto de diferentes finalidades, com ajuda de escriba. A/C
produção: organizar roteiros, planos gerais para atender a C2 - Planejar a escrita de textos considerando o contexto de
diferentes finalidades, com autonomia. produção: organizar roteiros, planos gerais para atender a
64
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
diferentes finalidades, com autonomia. A

Condições de Produção/Capacidade de Ação ou aspectos Produzir textos de diferentes gêneros, atendendo a diferentes C3 - Produz textos de diferentes gêneros, atendendo a
sociodiscursivo do texto: finalidades, por meio da atividade de um escriba. diferentes finalidades, por meio da atividade de um escriba.
a.Quem é o destinatário? Identificar a finalidade ou o gênero de diferentes textos e A/C
b.Quem é o emissor? suportes.
c.Qual o papel social de ambos? Realizar reflexões metalinguísticas sobre a construção de D12 - Identifica a finalidade ou o gênero de diferentes
d.Qual a finalidade do texto? palavras, frases e pequenos textos. textos e suportes. A/C
e.Qual o meio de veiculação? Criar e recriar texto ou partes de texto, considerando o
f.De que temas tratam o gênero? contexto de produção. Conhece e compartilha o que sabe sobre a língua. I/A
g.Qual é o gênero textual?
h.Quais papéis assumem os interlocutores? Cria e recria texto ou partes de texto, considerando o
i.Qual a linguagem, coloquial ou formal? contexto de produção a partir de modelos. A/C
Produção escrita (rascunho) e edição final – produção
entendida como frase, palavras e textos.
Reescrita do texto coletivo observando recursos Reescrever, com o apoio do professor, texto, palavras e C10 - Revisar autonomamente os textos durante o processo
linguísticos como: frases, observando: de escrita, retomando as partes já escritas e planejando os
 Emprego dos verbos (concordância verbal) e dos  Título do texto trechos seguintes. I/A
pronomes (concordância nominal, coesão e  O desenvolvimento do tema;
coerência textual;  Concordância nominal e verbal, recursos coesivos
 Utilização da letra maiúscula em títulos, nomes mesmo que da linguagem oral; C11 - Revisa os textos após diferentes versões,
próprios e inicio de frases;  A segmentação do texto em palavras e frases; reescrevendo-os de modo a aperfeiçoar as estratégias
 Paragrafação (ponto final, dois pontos e  Uso da letra maiúscula em títulos, nomes próprios e discursivas. I
travessão); início de frases.
 Vocabulário  Usar sinais de pontuação (ponto final, travessão e C9 - Revisa coletivamente os textos durante o processo de
 Ortografia dois pontos). escrita em que o professor é escriba, retomando as partes já
 Título do texto escritas e planejando os trechos seguintes. A
 Recursos linguísticos do gênero - linguagem
adequada ao gênero que produz garantindo a unidade
C8 - Utiliza vocabulário diversificado e adequado ao
e o sentido do texto: sequência lógica, coerência e
Aspectos da escrita: gênero e às finalidades propostas. A/C
coesão.
*grafia (escrita),  Parágrafos;
*linguagem (modo de organizar as ideias ao se  Traçar corretamente e legível as letras;
expressar por escrito).  Organizar as ideias no texto

65
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
ANÁLISE E REFLEXÃO SOBRE A LÍNGUA DESCRITORES
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES CAPACIDADES PNAIC – (2012)
Análise e reflexão de palavras, frases e textos, Compreender o funcionamento do sistema de escrita D6 - Distingui, como leitor, diferentes tipos de letra. A/C
identificando, sempre na oralidade, elementos alfabética; BNCC – Eixo: Apropriação do sistema de Escrita C5 - Reconhece diferentes tipos de letras em textos de
constitutivos dos textos: Alfabético/Ortográfico e Tecnologias da Escrita. diferentes gêneros e suportes textuais. A/C (ASEA)
 Alfabeto; Reconhecer e nomear letras do alfabeto distinguindo-as de
 Ordem alfabética. outros sinais gráficos; BNCC – Eixo: Apropriação do C1 - Analisa a adequação de um texto (lido, escrito ou
 Reconhecimento da relação entre imagens, sistema de Escrita Alfabético/Ortográfico e Tecnologias da escutado) aos interlocutores aos quais se destina e à
ilustrações e textos verbais; Escrita. formalidade do contexto. A/C (ASEA)
 ORTOGRAFIA - emprego da letra maiúscula e Reconhecer diferentes tipos de letras em diferentes contextos,
minúscula na escrita de títulos, nomes e início de frases; suportes e gêneros textuais (ACRESCENTAR: instrumentos C15 - Observa e segmenta palavras em texto.. A/C(Análise
de escrita como papel, lápis/caneta, tela/ teclado); BNCC – Línguística: Discursividade, Textualidade e
Apropriação do Sistema de Escrita Alfabética e norma Eixo: Apropriação do sistema de Escrita Normatividade/ PNAIC, 2012)
ortográfica: Alfabético/Ortográfico e Tecnologias da Escrita.
 Relação fonológica: análise e associação de Realizar análise fonológica de palavras, segmentando-as C7 - Conhece e faz uso das grafias de palavras com
fonemas e grafemas (som/letra). oralmente em unidades menores (partes de palavras, sílabas), correspondências regulares diretas entre letra e fonemas
 Grafias de palavras com correspondências identificando rimas, aliterações, observando a função sonora (P,B,T,D,F,V). A (Análise Línguística: Discursividade,
regulares diretas entre letras e fonemas (P, B, T, D, F, V). que os fonemas assumem nas palavras, relacionando os Textualidade e Normatividade/ PNAIC, 2012)
(Apropriação do sistema de Escrita Alfabética/ PNAIC, elementos sonoros com sua representação escrita; BNCC –
2012). Eixo: Apropriação do sistema de Escrita
Alfabético/Ortográfico e Tecnologias da Escrita. C14 e C15 - Domina as correspondências entre letras ou
 Grafias de palavras com correspondências
Reconhecer que as sílabas variam quanto à sua combinação grupos de letras e seu valor sonoro, de modo a ler e
regulares contextuais entre letras ou grupos de letras e seu
entre consoantes e vogais (CV, CCV, CVV, CVC, V,VC, escrever palavras e textos. A/C (ASEA)
valor sonoro (C/QU; G/GU; R/RR; SA/SO/SU em início
VCC, CCVCC) e que as vogais estão presentes em todas as
de palavra; JA/JO/JU; Z inicial; O ou U/ E ou I em sílaba
final; M e N nasalizando final de sílaba; NH; Ã e ÃO em sílabas; BNCC – Eixo: Apropriação do sistema de Escrita C9 - Conhecer e fazer uso de palavras com
correspondências irregulares, mas de uso frequente. I
final de substantivos e adjetivos). (Apropriação do Alfabético/Ortográfico e Tecnologias da Escrita.
Compreender que alterações na ordem escrita dos grafemas (Análise Línguística: Discursividade, Textualidade e
sistema de Escrita Alfabética/ PNAIC, 2012).
provocam alterações na composição da palavra; BNCC – Normatividade/ PNAIC, 2012)
 Grafias de palavras com correspondências
Eixo: Apropriação do sistema de Escrita
irregulares, mas de uso frequente. (Apropriação do
Alfabético/Ortográfico e Tecnologias da Escrita.
sistema de Escrita Alfabética/ PNAIC, 2012). Exemplos:
Identificar na leitura e na escrita de textos, frases e palavras. C12 - Identifica e faz uso de letra maiúscula e minúscula
M antes de P/B; AM/NA; S/SS, C/Ç, Z/S, X/CH;
Separação de sílabas das palavras ao final de linha nos textos produzidos, segundo as convenções. A (Análise
AS/ES/IS; AN/EN; H inicial;-U/L; GUE/QUE; AZ,
(segmentação); Identificar e segmentar os sons relativos às Línguística: Discursividade, Textualidade e
AS/AZ; R intercalado.
palavras por meio do lúdico - relação fonema/grafema; Normatividade/ PNAIC, 2012)
Usar letras maiúsculas e minúsculas em títulos, nomes
66
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
ACENTUAÇÃO GRÁFICA - regras de acentuação, próprios e início de frases.
(oxítona, paroxítona, proparoxítona); Ordenar alfabeticamente como maneira de organizar Estabelece relação entre unidades sonoras e suas
Relação fonológica: análise e associação de fonemas e informações e facilitar procura e busca. representações gráficas. A/C
grafemas (som/letra). Localizar letras e sons do alfabeto no próprio nome e em D5 - Identifica, ao ouvir palavras diferentes, sílabas
. Grafias de palavras com correspondências regulares outros contextos. semelhantes. A/C (ASEA)
diretas entre letras e fonemas: P, B, T, D, e F. Reconhecer diferentes tipos de letras. D3.3 - Identifica relação entre grafema e fonema
Identificar e fazer uso de letra maiúscula e minúscula nos (letra/som) com mais de uma correspondência sonora; ex. c
SIGNIFICAÇÃO DAS PALAVRAS - sinônimo e textos produzidos, segundo as convenções. e g. I/A (ASEA).
antônimo; Conhecer e fazer uso das grafias de palavras com
LINGUAGEM FIGURADA (conotação e denotação) - correspondências regulares diretas entre letras e fonemas: P, C8 - Conhecer e fazer uso das grafias de palavras com
metáfora, onomatopeia, humor, ironia, ( noções iniciais); B, T, D, e F. correspondências regulares contextuais entre letras ou
FRASE - tipos de frase, segmentação do texto em frases Identificar a unidade linguística e suas possibilidades grupos de letras e seu valor sonoro (C/QU; G/GU; R/RR;
e parágrafos, utilizando recursos do sistema de pontuação combinatórias. SA/SO/SU em início de palavra; JA/JO/JU; Z inicial; O ou
(ponto final, exclamação, interrogação e vírgulas nas U/ E ou I em sílaba final; M e N nasalizando final de
enumerações); Identificar e segmentar os sons relativos às palavras por meio sílaba; NH; Ã e ÃO em final de substantivos e adjetivos). I
CONCORDÂNCIA - nominal(substantivo/artigo, do lúdico (Análise Línguística: Discursividade, Textualidade e
substantivo/adjetivo), concordância verbal (sujeito e Normatividade/ PNAIC, 2012)
predicado);

-ANÁLISE E REFLEXÃO DA LÍNGUA- jogos nos


sites educativos, atividades no "portal do aluno", Power
point no celular e enviar aos colegas e professor, etc.

67
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
PROGRAMA DE AVALIAÇÃO FORMATIVA6
3º Ano – LÍNGUA PORTUGUESA - ANUAL
REFERENCIAL CURRICULAR DA REDE MUNICIPAL DE DOURADOS DESCRITORES7
ORALIDADE CAPACIDADES PNAIC – (2012)
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES
Situações de comunicação com instrumentos de Desenvolver o hábito de ouvir com atenção como forma de C1 - Participa de interações orais em sala de aula,
socialização e aprendizagem na apresentação de melhorar a comunicação e a interação com o grupo. questionando, sugerindo, argumentando e respeitando os
sequências de expressão oral: Estabelecer o diálogo com os colegas, professores turnos de fala. A/C
 Relato de experiências pessoais e/ou reconhecendo o turno de fala e o espaço público escolar. C2 - Escuta com atenção textos de diferentes gêneros,
coletivas de forma clara e ordenada; BNCC - Eixo: Prática da vida cotidiana, com alterações. sobretudo os mais formais, comuns em situações públicas,
relatos de atividades da sala de aula, rotina Relatar, com objetividade, episódios vividos ou conhecidos, analisando-os criticamente. A/C
respeitando a ordem de apresentação dos fatos, selecionando C3 - Planeja intervenções orais em situações públicas:
do trabalho pedagógico, um passeio ou
temas principais e secundários. Posicionar-se, com clareza, exposição oral e debate. C
atividades extraclasse. sobre um tema do seu cotidiano. BNCC - Eixo: Prática da C8 - Valoriza os textos de tradição oral, reconhecendo-os
 Discussão, debate e argumentação vida cotidiana. como manifestações culturais. C
referente a problemas sociais utilizando a Levantar argumentos que ajudem a defender determinado
ponto de vista, acerca do tema dos direitos humanos; BNCC –
linguagem adequada à situação de uso por
Eixo: Práticas Político-Cidadã. C4 - Produzir textos orais de diferentes gêneros, com
meio de conversas, debates, dramatizações Apropriar-se progressivamente de novas palavras, ampliando diferentes propósitos, sobretudo os mais formais comuns
e simulação. o seu vocabulário. em instâncias públicas (debate, entrevista, exposição,
Respeitar os diferentes modos de falar de outras pessoas. notícia, propaganda, relato de experiências orais, dentre
Relatar experiências pessoais, fatos e acontecimentos outros). A/C
-Audição atenta em situações de interlocução, com C5 - Analisar a pertinência e a consistência de textos orais,
seguindo uma sequência lógica do gênero. (memorização das
intervenções adequadas, formulação de perguntas e considerando as finalidades e características dos gêneros.
ações humanas);
opiniões. A/C
-Adequação da linguagem à situação de uso por Participar de situações de comunicação direta ou mediada C6 - Reconhecer a diversidade linguística, valorizando as
meio de conversas, diálogos, debates, (TV, telefone, rádio, etc). diferenças culturais entre variedades regionais, sociais, de
dramatizações e simulações. Compreender enunciados de exercícios e tarefas, realizados faixa etária, de gênero dentre outras. A/C

6
Nos casos das Comunidades Indígenas as aulas podem ser trabalhadas a partir da língua materna, respeitando a especificidade de cada etnia: Guarani, Kaiowa, Terena
conforme decisão da Comunidade e do Projeto Político Pedagógico da Escola.
7
Os descritores foram retirados do documento: BRASIL, Guia de correção e interpretação dos resultados: leitura e matemática – Provinha Brasil 2015. Instituto Nacional de
Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira /Inep. Diretoria de Avaliação da Educação Básica/Daeb.MEC, 2015, p. 11-14 e p. 16-17.

68
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
-Adequação da linguagem coloquial para a em diferentes componentes curriculares; BNCC – Eixo: C7 - Relacionar fala e escrita, tendo em vista a apropriação
linguagem formal (respeitando a variação Práticas Investigativas. do sistema de escrita, as variantes linguísticas e os
linguística). diferentes gêneros textuais. C
-Escuta atenta em situações comunicativas, Recontar histórias cumulativas, apropriando-se das
formulação de perguntas e opiniões. características do texto fonte; BNCC – Eixo: Práticas
Artístico-Literárias.
Sugestões de gêneros orais do relatar: Recontar oralmente histórias lidas silenciosamente, de forma
Relato de experiência vivida autônoma; BNCC – Eixo: Práticas Artístico-Literárias.
Anedota ou caso

Sugestões de gêneros orais do argumentar:


Opinião (fatos e atitudes)
Carta o leitor

ORALIDADE- podcast, áudio whatsApp e outros,


etc. (BNCC, Eixo: Práticas culturais das
tecnologias de informação e comunicação).
PRATICA DE LEITURA DESCRITORES
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES CAPACIDADES PNAIC – (2012)
Leitura e interpretação de textos (gêneros textuais): Corresponder palavras ou expressões as respectivas imagens e C1 - Ler textos não verbais, em diferentes suportes. A/C
o próprio desenho. Ler palavras e textos apoiando-se em D3.2 - Lê palavras com correspondências regulares diretas
AGRUPAMENTO DO NARRAR (Cultura imagens. BNCC – Eixo: Apropriação do Sistema de Escrita entre letras e fonemas (P, B, T, D, F, V). A/C
literária ficcional): Alfabética/Ortográfico e Tecnologias da Escrita. D5.1 - Lê em voz alta uma sentença ou um text0.
Conto maravilhoso -Ler, ajustando a pauta sonora ao escrito, compreender e C2 - Lê textos (poemas, canções, tirinhas, textos de
Lenda do folclore brasileiro (adivinha, trava- dominar as correspondências entre letras ou grupos de letras e tradição oral, dentre outros), com autonomia. C
línguas) seu valor sonoro, construindo a correspondência C14 - Apreende assunto tratado em textos de diferentes
Narrativa de aventura fonema/grafema- grafema/fonema de modo a ler e a escrever gêneros, lidos com autonomia. A/C
Textos poéticos (poema): os efeitos sonoros; o palavras e textos. D7.1 - Reconhece o assunto do texto com o apoio das
ritmo; as rimas; Ler palavras com estruturas dialéticas diversas, características gráficas e do suporte. A/C
Adivinhas compreendendo regras contextuais que explicam o valor D7.2 - Reconhece o assunto do texto com base no título.
sonoro de grafemas. BNCC - Eixo: Apropriação do sistema I/A
AGRUPAMENTO DO RELATAR: de escrita alfabética/ortográfico e tecnologias da escrita,
documentação e memorização das ações: com alterações. D7.3 - Reconhece o assunto do texto a parir da leitura
Compreender e dominar as correspondências entre letras ou
69
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
Relato de experiência vivida grupos de letras e seu valor sonoro, construindo a individual (sem apoio das características gráficas ou do
Anedota ou caso correspondência fonema/grafema- grafema/fonema de modo a texto-base). I/A.
ler e a escrever palavras e textos, BNCC – Eixo: Apropriação C13 - Apreender assuntos/temas tratados em textos de
AGRUPAMENTO DO ARGUMENTAR. do Sistema de Escrita Alfabética/Ortográfico e Tecnologias diferentes gêneros, lidos pelo professor ou outro leitor
Discussão de problemas sociais controversos: da Escrita. experiente. C
Opinião (fatos e atitudes) Inferir resposta de uma adivinha lida ou ouvida, a partir de
Carta do leitor pistas de conteúdo dadas no texto; BNCC – Eixo: Práticas C14 - Apreender assuntos/temas tratados em textos de
artístico-Literárias.
diferentes gêneros, lidos com autonomia A/C
AGRUPAMENTO DO EXPOR: Transmissão de Ler e apreciar textos literários tradicionais, da cultura popular,
conhecimentos e saberes: afro-brasileira, africana, indígena e de outros povos
Texto didático comentando temas e imagens. BNCC – Eixo: Práticas
C8 e D6.1 - Localiza informações explícitas em textos de
Verbete de dicionário: recursos próprios de artístico-Literárias.
diferentes gêneros, temáticas, lidos com autonomia:
verbetes - abreviaturas, significados. Identificar recursos sonoros (aliterações, assonâncias, ritmo,
Reconhece: A/C
Verbete de enciclopédia ou artigo enciclopédico rimas) e visuais para obtenção de efeitos em textos poéticos e
 Autor
(Textos de Ciências, História, Geografia – em livro narrativos;
didático) Observar os aspectos rítmicos e sonoros de poemas infantis;
BNCC – Eixo: Práticas Artístico-Literárias.  Ilustrador
AGRUPAMENTO DO INSTRUIR: Relacionar títulos ao texto.
descrever/regular comportamento: Reconhecer assuntos tratados em textos de diferentes gêneros,  Data de Publicação
Instruções de montagem de pequenos objetos lidos pelo professor ou outro leitor experiente.
Enunciado de prova Localizar informações explícitas e implícitas no texto.  Editora
Regras de jogo Identificar sequência lógica.
Reconhecer a função/finalidade do texto.  Descrição de personagens
-Estratégias/Práticas de leitura: Ouvir canções e histórias contadas ou lidas, de maior
Auditiva, extensão, e, assistir a apresentações teatrais, desenvolvendo  Referência espacial ou cenário
Livre escolha, atenção e interesse; (BNCC – Eixo: Práticas artístico-
Informativa Literárias).  Referência temporal
Silenciosa Identificar e compreender argumentos em cartas de
reclamação ou de reivindicação, oriundas do universo de
-Estratégias de leitura: sociabilidade das crianças; (BNCC – Eixo: Práticas Político- C11 e D9.Estabelece relação entre partes do texto
Seleção Cidadã). identificando repetições e substituições que contribuem
Antecipação Reconhecer que existem critérios de organização da para a coerência e a coesão textual. A/C
Verificação informação em textos como fichas informativas, tabelas,
Inferência. verbetes de divulgação científica para crianças; (BNCC – C12. Estabelece relações lógicas entre partes de textos de
Pontuação Eixo: Práticas Investigativas). diferentes gêneros e temáticas, lidos com autonomia. A/C
70
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
Compreender enunciados de exercícios e tarefas, realizados C4.Antecipar sentidos e ativar conhecimentos prévios
-Desenvolvimento da educação estética e afetiva em diferentes componentes curriculares; (BNCC – Eixo: relativos aos textos a serem lidos pelo professor ou pelas
explorando o conjunto da obra a ser lida, o caráter Práticas Investigativas). crianças. A/C
dialogal entre texto e imagem estimulando a Observar aspectos de variação linguística, a partir da leitura de
causos e letras de música. BNCC – Eixo: Práticas artístico- C7 - Localiza informações explícitas em textos de
aprendizagem, em suas possibilidades de
Literárias.
ampliação de horizontes e de percepções diferentes gêneros, temáticas, lidos pelo professor ou outro
Reconhecer e compreender recursos de persuasão e de
diferenciadas de mundo. convencimento que compõem os textos publicitários. BNCC – leitor experiente. C
Eixo: Práticas Político-Cidadã.
-Leitura de textos literários e não literários, de Manusear adequadamente livros didáticos e de literatura e
variados gêneros, que conduz a relação afetiva com outros suportes frequentes no contexto social (livros, folhetos, C15 - Interpreta frases e expressões em textos de
a literatura infantil, da ficção, da fantasia, do jornais, compreendendo as formas de sequência ou diferentes gêneros e temáticas, lidos pelo professor ou
imaginário, com poder de divertir, de explorar a organização em seções, no 4º e 5º Ano); BNCC Eixo: outro leitor experiente. A/C
linguagem artística, a riqueza, a beleza. Práticas culturais das tecnologias de informação e C16 - Interpreta frases e expressões em textos de
-Repertório de signos e componentes sensoriais, comunicação. diferentes gêneros e temáticas, lidos com autonomia. A/C
utilizados pelo autor na realização de registros Compreender os modos de organização da biblioteca da C3 - Compreende textos lidos por outras pessoas, de
intencionais, que trazem elementos da linguagem turma. ; BNCC – Eixo: Apropriação do Sistema de Escrita diferentes gêneros e com diferentes propósitos. A/C
do próprio autor para transmitir ideias e sensações. Alfabética/ortográfico e Tecnologia de Escrita.
Reconhecer, em textos narrativos, recursos para marcar a fala C6 - Lê em voz alta, com fluência, em diferentes
direta de personagens; BNCC – Eixo: Práticas Artístico- situações. C
Exs.: recursos linguísticos: onomatopeias,
Literárias. D10.15 - Infere informação. A/C
expressões faciais, corporais e outros elementos C9 - Realiza inferências em textos de diferentes gêneros e
-Ler com fluência e observar o valor expressivo dos sinais de
das histórias. temáticas, lidos pelo professor ou outro leitor experiente.
pontuação:
 Ponto final A/C
C10 - Realizar inferências em textos de diferentes gêneros
-PRÁTICAS DE LEITURA- livros digitais, sites, e temáticas, lidos com autonomia. A/C
vídeos no celular e mensagens, etc. (BNCC, Eixo:  Interrogação
C17 - Estabelecer relação de intertextualidade entre textos.
Práticas culturais das tecnologias de informação C
e comunicação). Diferentes espaços de leitura  Exclamação.
C5 - Reconhece finalidades de textos lidos pelo professor
incluindo o uso da biblioteca escolar. ou pelas crianças. A/C
-Reconhecer a finalidade do texto.
-Reconhecer o gênero textual em estudo. D8.1 - Reconhece a finalidade do texto com o apoio das
características gráficas do suporte ou do gênero. A/C
-Identificar signos e componentes sensoriais nas obras
D8.2- Reconhece a finalidade do texto a partir da
literárias.
leitura individual; I/A
-Explorar novas obras literárias.
-Reconhecer a leitura como fonte de informação, lazer e Compreende sentidos construídos a partir da leitura

71
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
cultura. compartilhada. Interpretação da leitura oral. I/A
-Apreciar a literatura como diferentes maneiras de
Recursos técnicos e comunicativos utilizados para comunicação. C18 - Relaciona textos verbais e não-verbais, construindo
expressões de linguagem, convenções literárias (o -Recortar, sintetizar e interpretar o real por intermédio do sentidos. A/C
belo, o prazer, o lúdico, vinculados com o ponto de vista do escritor (narrador ou do poeta); D.1.1 - Diferencia letras de outros sinais gráficos. (ASEA)
-Compartilhar leituras. A/C
sensorial, o emocional - sentimentos, desejos e
-Trocar impressões sobre o enredo.
ideias). -Construir significados. D1.3a - Identifica diferentes tipos de letras: (ASEA)
-Comunicar opiniões. A/C
Uso do dicionário, compreendendo sua função e -Ler em voz alta com fluência, ritmo e entonação.
organização. -Utilizar informações oferecidas por um glossário, verbete de *de imprensa maiúscula e minúscula; (ASEA) A/C
dicionário para a compreensão da leitura. -Reconhecer e
empregar o valor diferencial do acento em determinadas *cursiva. (ASEA) I/A.
palavras
-Reconhecer a mudança de foco narrativo (narrador em 1ª e 3ª D1.3b - Identifica mais de uma palavra que se repete,
pessoa).
escrita com letras de diferentes tipos, combinando letras.
Construir uma relação afetiva com a literatura infantil.
Compreender as diferentes formas em que a literatura infantil (ASEA) I/A.
se apresenta, considerando a sua linguagem (conjunto de
recursos técnicos e expressivos a disposição do escritor). D2 - Reconhece, a partir de palavra ditada e/ou imagem o
Saber usar o dicionário, compreendendo sua função e valor sonoro de uma sílaba. (ASEA) A/C
organização.
C19 - Saber procurar no dicionário os significados das
palavras e a acepção mais adequada ao contexto de uso. A
PRODUÇÃO DE TEXTO DESCRITORES
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES CAPACIDADES PNAIC – (2012)
Produção de texto individual e coletiva utilizando o Produzir textos narrativos ficcionais: contos, poemas, lendas; C4 - Produz textos de diferentes gêneros com autonomia,
conhecimento de que dispõe sobre o sistema de Manter a coerência textual na atribuição de título, na atendendo a diferentes finalidades. A/C
escrita: continuidade temática e sentido geral do texto. C5 - Gera e organizar o conteúdo textual, estruturando os
Desenvolver o tema proposto. períodos e utilizando recursos coesivos para articular
AGRUPAMENTO DO NARRAR (Cultura Segmentar o texto em frases e parágrafos, utilizando recursos ideias e fatos. A/C
literária ficcional) do sistema de pontuação. C6 - Organiza o texto, dividindo-o em tópicos e
Conto maravilhoso Utilizar letra maiúscula no início de frases, de nomes próprios parágrafos. A/C
Lenda do folclore brasileiro (adivinha, trava- e de títulos. C7 - Pontua os textos, favorecendo a compreensão do
línguas) Escrever alfabeticamente, palavras, frases e textos; leitor. A/C
72
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
Narrativa de aventura Produzir textos diversificados, individual e coletivo (na C8 - Utiliza vocabulário diversificado e adequado ao
Textos poéticos (poema): os efeitos sonoros; o modalidade escrita, imagens ou desenhos) observando os gênero e às finalidades propostas. A/C
ritmo; as rimas; elementos que caracterizam e estruturam cada gênero textual. D3 - Diferencia letras de outros sinais gráficos, como os
Por exemplo, os classificados (especificação do produto; números, sinais de pontuação ou de outros sistemas de
AGRUPAMENTO DO EXPOR: Transmissão de dados do anunciante; características do objeto anunciado; representação. A/C (ASEA)
conhecimentos e saberes: concisão; abreviaturas); consideração das condições de D7 - Demonstra conhecimentos sobre a escrita do próprio
Texto didático produção: finalidade, especificidade da modalidade textual e nome. A/C (ASEA)
Verbete de dicionário: recursos próprios de do suporte, papéis assumidos pelos interlocutores. D8 - Escreve palavras ditadas demonstrando conhecer o
verbetes - abreviaturas, significados. Usar diferentes tipos de letras em situações de escrita de princípio alfabético. A/C (ASEA)
Verbete de enciclopédia ou artigo enciclopédico palavras e textos. (Apropriação do sistema de Escrita D1 - Identifica letras do alfabeto. A/C (ASEA)
(Textos de Ciências, História, Geografia – em livro Alfabética/ PNAIC, 2012). D2 - Conhece as direções da escrita. A/C
didático) Dominar as correspondências entre letras ou grupos de letras e (ASEA)
seu valor sonoro, de modo a escrever palavras e textos. C15 - Domina as correspondências entre letras ou grupos
AGRUPAMENTO DO INSTRUIR: Perceber que não se escreve do modo como se pronuncia; de letras e seu valor sonoro, de modo a escrever palavras e
descrever/regular comportamento: Compreender e utilizar convenções ortográficas relativas às textos. A/C
Instruções de montagem de pequenos objetos regularidades contextuais; BNCC – Eixo: Apropriação do C1 - Analisa a adequação de um texto (lido, escrito ou
Enunciado de prova Sistema de Escrita Alfabética/Ortográfico e Tecnologias da escutado) aos interlocutores aos quais se destina e à
Regras de jogo Escrita. formalidade do contexto. A/C (Análise Linguística:
Classificado Reconhecer as variações fonéticas das palavras e a Discursividade, Textualidade e Normatividade/
necessidade de acentuá-las. PNAIC, 2012)
Produzir e reconhecer textos Informativos (verbetes de C2 - Conhecer e usar diferentes suportes textuais, tendo
dicionário, enciclopédia e texto didático): recursos próprios de em vista suas características: finalidades, esfera de
verbetes: abreviaturas, significados. circulação, tema, forma de composição, estilo, etc. A/C
(Análise Linguística: Discursividade, Textualidade e
-PRODUÇÃO DE TEXTO- mensagens no Produzir e reconhecer instrucionais (receitas, regras de jogo e Normatividade/ PNAIC, 2012)
whatsApp, Messenger, e-mail, whattpad, etc manual): predominância das linguagens: explicativa, C3 - Reconhecer gêneros textuais e seus contextos de
BNCC, Eixo: Práticas culturais das tecnologias informativa (descritiva) e incitativa (que induz o leitor a produção. I/A/C Análise Linguística: Discursividade,
de informação e comunicação. realizar a tarefa); Textualidade e Normatividade/ PNAIC, 2012)
Escrever palavras com correspondências regulares diretas C4.Conhecer e usar palavras ou expressões que
-OUTROS- produzir vídeos curtos de aula, entre letras e fonemas; BNCC – Eixo: Apropriação do estabelecem a coesão como: progressão do tempo,
dramatização em vídeos, simulação de telejornal, Sistema de Escrita Alfabética/Ortográfico e Tecnologias da marcação do espaço e relações de causalidades. A/C
telenovela, programas de estúdio, (tudo com fins Escrita. (Análise Línguística: Discursividade, Textualidade e
pedagógicos) etc. BNCC, Eixo: Práticas culturais Escrever palavras irregulares que aparecem com frequência Normatividade/ PNAIC, 2012)
das tecnologias de informação e comunicação. nos textos lidos; BNCC – Eixo: Apropriação do Sistema de C5.Conhecer e usar palavras ou expressões que
Escrita Alfabética/Ortográfico e Tecnologias da Escrita. retomam coesivamente o que já foi escrito (pronomes
73
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
Registrar e ler adequadamente palavras com marcas de pessoais, sinônimos e equivalentes). A (Análise
nasalidade (til, m, n); BNCC – Eixo: Apropriação do Sistema Linguística: Discursividade, Textualidade e
de Escrita Alfabética/Ortográfico e Tecnologias da Escrita. Normatividade/ PNAIC, 2012)
Produzir textos voltados à organização da vida escolar, como C6.Usar adequadamente a concordância e reconhecer
campanha educativa, em forma de folhetos instrucionais; violações de concordância nominal e verbal. A/C
BNCC – Eixo: Práticas Político-Cidadã. (Análise Linguística: Discursividade, Textualidade e
Produzir textos multimodais – perfis, linhas de tempo, Normatividade/ PNAIC, 2012)
portfólios - utilizando as ferramentas das mídias digitais que C13 - Reconhecer diferentes variantes de registro de
proporcionam o registro, o apagamento, o armazenamento e o acordo com os gêneros e situações de uso. A (Análise
arquivamento de informações. BNCC – Eixo: Práticas Linguística: Discursividade, Textualidade e
Culturais das Tecnologias de Informação e Comunicação. Normatividade/ PNAIC, 2012)
Utilizar os meios digitais para buscar, a partir de palavras- Produz textos de diferentes gêneros com autonomia,
chave, informações relevantes. BNCC – Eixo: Práticas atendendo a diferentes finalidades. A/C.
Investigativas. Utiliza vocabulário diversificado e adequado ao gênero e
Compreender elementos do texto que marcam suas partes às finalidades propostas. A/C
como títulos, sumário, texto principal, tópicos; BNCC – Eixo: Produz poemas, parafraseando os poemas conhecidos;
Apropriação do Sistema de Escrita Alfabética/Ortográfico e BNCC – Eixo: Práticas artístico-Literárias.
Tecnologias da Escrita. Produz início e desfecho para narrativas literárias,
utilizando recursos linguísticos apreendidos em histórias
lidas e contadas; BNCC – Eixo: Práticas artístico-
Literárias.
Registrar e ler adequadamente palavras com marcas de
nasalidade (til, m, n); BNCC – Eixo: Apropriação do
Sistema de Escrita Alfabética/Ortográfico e
Tecnologias da Escrita.
Recursos utilizados na escrita, com apoio do Noções do estabelecimento de unidade de sentido: D14–Identifica o efeito de sentido decorrente do uso da
professor, para obtenção de determinados  Segmentação do texto em frases e parágrafos, pontuação e de outras notações. I/A/C
efeitos de sentido: utilizando recursos do sistema de pontuação;
 Letra maiúscula em títulos, nomes
próprios e início de frases;  Concordância nominal (artigo/substantivo, C12 - Pontua o texto. (Análise Linguística:
Discursividade, Textualidade e Normatividade/
substantivo/adjetivo), flexões de gênero (masculino e
 Tipos de letras; PNAIC, 2012)
feminino), número (singular e plural) e grau (aumentativo e
diminutivo);
C13 - Reconhecer diferentes variantes de registro de
74
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
 Análise fonológica da palavra;  Coesão e coerência; acordo com os gêneros e situações de uso.
(Análise Linguística: Discursividade, Textualidade e
 Paragrafação;  Função dos substantivos próprios e comuns; Normatividade/ PNAIC, 2012)

 Exploração dos recursos de linguagens:  Concordância verbal (verbos e pronomes);


emprego dos verbos e dos pronomes (coesão e
 Pontuação C6 - Usa diferentes tipos de letras em situações de escrita
coerência textual);
de palavras e textos. A/C (ASEA)
 Adequação do gênero;

 Pontuação

 Vocabulário

 Ortografia.

 Flexão de gênero (masculino e feminino),


número (singular e plural) e grau (diminutivo e
aumentativo).

Planejamento da escrita de textos coletivos Planejar a escrita de textos considerando o contexto de Planejamento da escrita de textos considerando o contexto
considerando o contexto de produção: produção: de produção:
-finalidade  Mobilizar conhecimentos prévios; -Organização das informações mais relevantes:
-especificidade da modalidade textual *o que quer escrever;
-papéis assumidos pelos interlocutores  Organizar ideias para o desenvolvimento do tema; *para quem (diferentes interlocutores);
-mobilização de conhecimentos prévios *para quê (com diferentes finalidades);
-inventário de ideias para o desenvolvimento do  Organizar as informações mais relevantes para *qual o gênero que melhor exprime essas ideias;
tema atender a diferentes finalidades. *para circular em diferentes espaços sociais (linguagem
-organização de informações mais relevantes: coloquial o formal). I/A.
*o que quer escrever -Representa com imagens e textos curtos: roteiros,
 Representar com imagens e textos curtos: roteiros,
*para quem (diferentes interlocutores) cenários, personagens, cenas e espaços, construindo
*para quê (com diferentes finalidades) cenários, personagens, cenas e espaços, construindo significados e compreensão do real. A/C
*qual o gênero que melhor exprime essas ideias significados e compreensão do real. -Escreve textos de memória. I/A/C
*para circular em diferentes espaços sociais C1 - Planejar a escrita de textos considerando o contexto
75
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
(linguagem coloquial ou formal).  Escrever texto de memória. de produção: organizar roteiros, planos gerais para atender
-Produção de novo texto a partir de modelos. a diferentes finalidades, com ajuda de escriba. A/C
-Escrita de textos memorizados. C2 - Planejar a escrita de textos considerando o contexto
Planejar a escrita de textos considerando o contexto de de produção: organizar roteiros, planos gerais para atender
produção: organizar roteiros, planos gerais para atender a a diferentes finalidades, com autonomia. A/C
diferentes finalidades, com ajuda de escriba.

Planejar a escrita de textos considerando o contexto de


produção: organizar roteiros, planos gerais para atender a
diferentes finalidades, com autonomia.
Condições de Produção/Capacidade de Ação ou -Produzir textos de diferentes gêneros, atendendo a diferentes D14 – Identifica o efeito de sentido decorrente do uso da
aspectos sociodiscursivo do texto: finalidades. pontuação e de outras notações. I/A/C
a.Quem é o destinatário?
b.Quem é o emissor? -Identificar a finalidade ou o gênero de diferentes textos e
c.Qual o papel social de ambos? suportes.
d.Qual a finalidade do texto? D9-Identifica a finalidade de textos de diferentes gêneros.
e.Qual o meio de veiculação? -Realizar reflexões metalinguísticas sobre a construção de A/C
f.De que temas tratam o gênero?
palavras, frases e pequenos textos.
g.Qual é o gênero textual?
h.Quais papéis assumem os interlocutores?
-Criar e recriar texto ou partes de texto, considerando o
i.Qual a linguagem, coloquial ou formal?
contexto de produção.
Produção escrita (rascunho) e edição final:
- estabelecimento de unidade de sentido;
-fatores de textualidade (coesão e coerência);
-pontuação, ortografia, acentuação e segmentação;
-concordância verbal e nominal.
Segmentação do texto em frases e parágrafos.
Reescrita do texto coletivo ou não, observando Reescrever o texto, palavras e frases, observando: C10 - Revisar autonomamente os textos durante o
recursos linguísticos como:  Título do texto; processo de escrita, retomando as partes já escritas e
 o desenvolvimento do tema; planejando os trechos seguintes. A/C
 O desenvolvimento do tema;
 a adequação necessária, em função do D6 – Identifica o tema de um texto. A/C

D11 – Distingue um fato da opinião relativa a esse fato.


76
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
interlocutor,  Concordância nominal e verbal, recursos coesivos; I/A/C

Finalidade do texto, características do gênero,  A segmentação do texto em palavras e frases;


pontuação, segmentação do texto em palavras,
frases e parágrafos;  Uso da letra maiúscula em títulos, nomes próprios e
 Emprego dos verbos (concordância início de frases;
verbal) e dos pronomes (concordância nominal,
coesão e coerência textual);  Uso sinais de pontuação (ponto final, travessão e dois
pontos);
 Utilização da letra maiúscula em títulos,
nomes próprios e inicio de frases;  Recursos linguísticos do gênero - linguagem
adequada ao gênero que produz garantindo a unidade e o
 Paragrafação (ponto final, dois pontos e sentido do texto: sequência lógica, coerência e coesão;
travessão);
 Parágrafos;
 Vocabulário;
 Traçar corretamente e legível as letras;
 Ortografia;
 Organizar as ideias no texto.
 Título do texto.

Aspectos da escrita:
*grafia (escrita),
*linguagem (modo de organizar as ideias
ao se expressar por escrito).
ANÁLISE E REFLEXÃO SOBRE A LÍNGUA DESCRITORES
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES CAPACIDADES PNAIC – (2012)
Gramática aplicada ao texto no contexto -Identificar e segmentar os sons relativos às palavras por meio D6 - Distingui, como leitor, diferentes tipos de letra. A/C
morfológico e semântico: do lúdico - relação fonema/grafema; Identificar na leitura e na C5 - Reconhece diferentes tipos de letras em textos de
 FONÉTICA - fonemas e fonologia, escrita de textos, frases e palavras: separação de sílabas das diferentes gêneros e suportes textuais. A/C (ASEA)
encontros vocálicos (ditongo, tritongo e hiato) e palavras ao final de linha (segmentação); C1 - Analisa a adequação de um texto (lido, escrito ou
encontros consonantais, dígrafos; Identificar a unidade linguística e suas possibilidades escutado) aos interlocutores aos quais se destina e à
combinatórias. formalidade do contexto. A/C (ASEA)
Identificar e segmentar os sons relativos às palavras por meio
77
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
 SÍLABA- tonicidade - acento tônico, do lúdico. C15 - Observa e segmenta palavras em texto.. A/C
classificação das sílabas (quantidade de sílabas) Reconhecer classes gramaticais em estruturação de textos e (Análise Linguística: Discursividade, Textualidade e
quanto posição da sílaba acentuação gráfica; frases nas diversas modalidades de linguagem, observando o Normatividade/ PNAIC, 2012)
uso da concordância verbal (sujeito e predicado).
divisão silábica e partição de palavras;
Reconhecer que diferentes palavras podem substituir outras no C7 - Conhece e faz uso das grafias de palavras com
contexto (sinônimo). correspondências regulares diretas entre letra e fonemas
 ORTOGRAFIA - emprego da letra -Compreender que algumas marcas (acentos) podem modificar (P,B,T,D,F,V). A/C (Análise Linguística:
maiúscula e minúscula na escrita de títulos, nomes a tonicidade das palavras e que a tonicidade nem sempre é Discursividade, Textualidade e Normatividade/
e início de frases; marcada por acento gráfico; BNCC – Eixo: Apropriação do PNAIC, 2012)
Sistema de Escrita Alfabética/Ortográfico e Tecnologias da
Escrita. C8 - Conhece e faz uso das grafias de palavras com
Apropriação do Sistema de Escrita Alfabética e -Empregar letras maiúsculas no início de frases, nomes correspondências regulares contextuais entre letra ou
norma ortográfica: próprios e títulos. grupos de letras e seu valor sonoro. Ortografia aplicada ao
 Relação fonológica: análise e associação -Reconhecer diferentes tipos de letras em diferentes contextos, texto: C/QU; G/GU; R/RR; SA/SO/SU em início de
de fonemas e grafemas (som/letra). suportes e gêneros textuais, instrumentos de escrita como palavra; JA/JO/JU; Z inicial; O ou U/ E ou I em sílaba
papel, lápis/caneta, tela/ teclado; BNCC Eixo: Apropriação final; M e N nasalizando final de sílaba; NH; Ã e ÃO em
 Grafias de palavras com correspondências do sistema de escrita alfabética/ortográfico e tecnologias da final de substantivos e adjetivos). (Apropriação do sistema
regulares diretas entre letras e fonemas (P, B, T, D, escrita, com alterações. de Escrita Alfabética/ PNAIC, 2012).. I/A
-Conhecer e fazer uso das grafias de palavras com
F, V). (Apropriação do sistema de Escrita
correspondências regulares diretas entre letras e fonema - C7 - Conhece e faz uso das grafias de palavras com
Alfabética/ PNAIC, 2012). Ortografia aplicada ao texto. correspondências irregulares, mas de uso frequente.
(Apropriação do sistema de Escrita Alfabética/ PNAIC,
 Grafias de palavras com correspondências -Reconhecer que as sílabas variam quanto à sua combinação 2012). Exemplos: M antes de P/B; AM/NA; S/SS, C/Ç,
regulares contextuais entre letras ou grupos de entre consoantes e vogais (CV, CCV, CVV, CVC, V,VC, Z/S, X/CH; AS/ES/IS; AN/EN; H inicial;-U/L;
letras e seu valor sonoro (C/QU; G/GU; R/RR; VCC, CCVCC) e que as vogais estão presentes em todas as GUE/QUE; AZ, AS/AZ; R intercalado. I/A
SA/SO/SU em início de palavra; JA/JO/JU; Z sílabas; BNCC - Eixo: Apropriação do sistema de escrita
inicial; O ou U/ E ou I em sílaba final; M e N alfabética/ortográfico e tecnologias da escrita, com C14 e C15 - Domina as correspondências entre letras ou
alterações. grupos de letras e seu valor sonoro, de modo a ler e
nasalizando final de sílaba; NH; Ã e ÃO em final
-Ler palavras com estruturas silábicas diversas, escrever palavras e textos. A/C (ASEA)
de substantivos e adjetivos). (Apropriação do compreendendo regras contextuais que explicam o valor
sistema de Escrita Alfabética/ PNAIC, 2012). sonoro de grafemas. BNCC- Eixo: Apropriação do sistema C9 - Conhecer e fazer uso de palavras com
de escrita alfabética/ortográfico e tecnologias da escrita, correspondências irregulares, mas de uso frequente. I
 Grafias de palavras com correspondências com alterações. (Análise Linguística: Discursividade, Textualidade e
irregulares, mas de uso frequente. (Apropriação do -Compreender e ordenar o funcionamento do sistema de Normatividade/ PNAIC, 2012)
sistema de Escrita Alfabética/ PNAIC, 2012). escrita alfabética; Exemplo: organizar informações e facilitar
78
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
Exemplos: M antes de P/B; AM/NA; S/SS, C/Ç, procura e busca. (BNCC - Eixo: Apropriação do sistema de C12 - Identifica e faz uso de letra maiúscula e minúscula
Z/S, X/CH; AS/ES/IS; AN/EN; H inicial;-U/L; escrita alfabética/ortográfico e tecnologias da escrita, com nos textos produzidos, segundo as convenções. A/C
GUE/QUE; AZ, AS/AZ; R intercalado. alterações). (Análise Linguística: Discursividade, Textualidade e
-Identificar e fazer uso de letra maiúscula e minúscula nos Normatividade/ PNAIC, 2012)
textos produzidos, segundo as convenções.
ACENTUAÇÃO GRÁFICA - regras de -Reconhecer o acento gráfico como marca da tonicidade: a D1-Localiza informações explícitas do texto. I/A/C
posição da sílaba tônica; D5- Interpreta texto com auxílio de material gráfico
acentuação, (oxítona, paroxítona, proparoxítona);
Conhecer e usar palavras ou expressões que estabelecem a diverso (propagandas, quadrinhos, foto,etc. I/A/C
coesão como: progressão do tempo, marcação do espaço e D14–Identifica o efeito de sentido decorrente do uso da
Relação fonológica: análise e associação de
relações de causalidades. (Análise Linguística, PNAIC, pontuação e de outras notações. I/A/C
fonemas e grafemas (som/letra).
2012). Ou - Reconhecer em textos escritos, recursos
utilizados pelo autor para obter determinados efeitos de Identificar e fazer uso de letra maiúscula e minúscula nos
sentido: textos produzidos, segundo as convenções. (Análise
CLASSE GRAMATICAL:
- recursos coesivos e suas finalidades; Linguística, PNAIC, 2012)
-classificação dos substantivos (flexão: gênero,
- o valor expressivo dos sinais de pontuação;
número e grau)
- recursos linguísticos (modo, tempo verbal e pronomes) D12–Estabelece relações lógico-discursivas presentes no
-artigo - definido e indefinido;
utilizados nos textos; texto, marcadas por conjunções, advérbios, etc.
-adjetivos, artigos;
- formas verbais imperativos no gerúndio;
-numeral (cardinais,ordinais e romanos);
- reconhecer recursos de linguagem figurada; os D3.3 - Identifica relação entre grafema e fonema
-pronome (noções iniciais);
elementos de intencionalidade implícita (recursos persuasivos, (letra/som) com mais de uma correspondência sonora; ex.
-advérbios e expressões adverbiais;
humor, metáforas); C e G. A
-verbo - formas verbais imperativos (indicativos da
Conhecer e usar palavras ou expressões que retomam
continuidade dos processos noções iniciais);
coesivamente o que já foi escrito (pronomes pessoais, C5 - Reconhece diferentes tipos de letras em textos de
-formas verbais no gerúndio e no infinitivo;
sinônimos e equivalentes). (Análise Linguística, PNAIC, diferentes gêneros e suportes textuais. A/C
-conjunção, preposição, interjeição (noções
2012).
iniciais);
Usar adequadamente a concordância e reconhecer violações Estabelece relação entre unidades sonoras e suas
 SIGNIFICAÇÃO DAS PALAVRAS - de concordância nominal e verbal. (Análise Linguística, representações gráficas. A/C
sinônimo e antônimo; PNAIC, 2012).
-Identificar as classes gramaticais (adjetivo, conjunção e C4 - Conhece e usa palavras ou expressões que
 LINGUAGEM FIGURADA (conotação e preposição) em estruturação de textos e frases, observando o estabelecem a coesão como: progressão do tempo,
denotação) - metáfora, onomatopeia, humor, uso da concordância nominal; marcação do espaço e relações de causalidades. (Análise
ironia, ( noções iniciais); -Utilizar regras padrão de concordância verbal (sujeito e Linguística, PNAIC, 2012). A/C
predicado), concordância nominal (artigo e substantivo,
 FRASE - tipos de frase, segmentação do substantivo e adjetivo) e flexão de gênero (masculino e C5 - Conhecer e usar palavras ou expressões que retomam
feminino) e número (singular e plural); coesivamente o que já foi escrito (pronomes pessoais,
79
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
texto em frases e parágrafos, utilizando recursos -Comparar textos considerando o tema, características sinônimos e equivalentes). (Análise Linguística, PNAIC,
do sistema de pontuação (ponto final, textuais, organização das ideias e finalidade; 2012). A/C
exclamação, interrogação e vírgulas nas -Compreender o sentido das palavras sinônimo, antônimo,
prefixos, sufixos e outras estratégias para formar palavras; C6 - Usar adequadamente a concordância e reconhecer
enumerações);
-Identificar as regras gramaticais (substantivos, adjetivo, violações de concordância nominal e verbal. (Análise
numeral, verbos, pronomes e advérbios,) em estruturação de Linguística, PNAIC, 2012). A/C
 CONECTIVOS - Elementos de coesão
textos e frases, nas diversas modalidades da linguagem,
mais adequados à língua escrita garantindo observando a concordância nominal e verbal. C19 - Saber procurar no dicionário os significados das
progressão e continuidade das ideias -Perceber que não se escreve do modo como se pronuncia; palavras e a acepção mais adequada ao contexto de uso.
Compreender e utilizar convenções ortográficas relativas às (Leitura, PNAIC, 2012). A
 CONCORDÂNCIA - regularidades contextuais; BNCC - Eixo: Apropriação do
nominal(substantivo/artigo, substantivo/adjetivo), sistema de escrita alfabética/ortográfico e tecnologias da
concordância verbal (sujeito e predicado); escrita, com alterações.
-Reconhecer diferentes tipos de letras em diferentes contextos,
suportes e gêneros textuais, instrumentos de escrita como
papel, lápis/caneta, tela/ teclado); BNCC – Eixo:
-ANÁLISE E REFLEXÃO DA LÍNGUA- jogos Apropriação do Sistema de Escrita Alfabética/Ortográfico e
nos sites educativos, atividades no "portal do Tecnologias da Escrita.
aluno", Power point no celular e enviar aos colegas Saber usar o dicionário, compreendendo sua função e
e professor, etc. organização.

Uso do dicionário, compreendendo sua função e


organização.

80
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
4º Ano – LÍNGUA PORTUGUESA - ANUAL
REFERENCIAL CURRICULAR DA REDE MUNICIPAL DE DOURADOS
O R A L I D A D E9 DESCRITORES8 DO INEP - BNCC
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES
Situações de comunicação com instrumentos de socialização e -Narrar fatos considerando a sequência lógica do gênero. D1 - Localiza informações explícitas do texto I/A/C
aprendizagem na apresentação de sequências de expressão oral: -Participar de situações de comunicação direta ou mediada
 Contação de histórias considerando a sequência da (TV, telefone, rádio e outros).
narração (dos fatos, do tempo e espaço), narração de -Inferir sobre alguns elementos de intencionalidade implícita D4 – Infere uma informação implícita em um texto.
fatos considerando a temporalidade e a causalidade e (sentido figurado, recursos persuasivos e outros). A/C
narração de histórias conhecidas buscando aproximação -Desenvolver o hábito de ouvir com atenção como forma de
das características discursivas do texto fonte. melhorar a comunicação e a interação com o grupo.
Estabelecer o diálogo com os colegas, professores D8 - Estabelece relação de causa/ consequência entre
-Audição atenta em situações de interlocução, com intervenções reconhecendo o turno de fala e o espaço público escolar. partes e elementos do texto. I/A/C
adequadas, formulação de perguntas e opiniões. (BNCC, Eixo: Prática da vida cotidiana, com alterações).
-Adequação da linguagem à situação de uso por meio de -Reconhecer o significado contextual e o papel complementar
conversas, diálogos, debates, dramatizações e simulações. de alguns elementos não linguísticos para conferir significação D14 – Identifica o efeito de sentido decorrente do uso
-Adequação da linguagem coloquial para a linguagem formal aos textos. da pontuação e de outras notações. I/A/C
(respeitando a variação linguística). -Dramatizar o texto observando as diferentes formas de
Sugestões de gêneros orais do narrar: expressão empregando dicção, gesto, postura, expressão
Conto maravilhoso facial, tom de voz e entonação adequada ao contexto.
Lenda de outras culturas -Utilizar recursos tecnológicos diversos para criar, com apoio
Narrativas de aventura de roteiros, simulações de programas de rádio e TV que tratem
de temáticas próprias ao universo infantil; BNCC Eixo:
Sugestões de gêneros orais do expor: Práticas culturais das tecnologias de informação e
Texto didático comunicação.
Verbete de enciclopédia -Compreender os modos de organização da biblioteca da
Tabela simples turma e comunidade. BNCC - Eixo: Práticas culturais das
Gráfico simples tecnologias de informação e comunicação.

8
Os descritores foram retirados do documento: BRASIL, Guia de correção e interpretação dos resultados: leitura e matemática – Provinha Brasil 2015. Instituto Nacional de
Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira /Inep. Diretoria de Avaliação da Educação Básica/Daeb.MEC, 2015, p. 11-14 e p. 16-17.
9
Os Eixos: Oralidade, Prática de Leitura, Produção de Texto, Análise e reflexão sobre a Língua ao serem trabalhados devem objetivar a inter-relação entre si ao mesmo tempo
atendendo eixos previstos na Base Nacional Comum Curricular: Práticas da vida cotidiana, Práticas artístico-literárias, Práticas político-cidadã, Práticas investigativas,
Práticas culturais das tecnologias de informação e comunicação e Apropriação do sistema de escrita alfabética/ortográfico e tecnologias da escrita.
81
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
-ORALIDADE- podcast, áudio whatsApp e outros, etc. (BNCC,
Eixo: Práticas culturais das tecnologias de informação e
comunicação).

PRATICA DE LEITURA DESCRITORES DO INEP - BNCC - Base


CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES Nacional Curricular Comum
Leitura e interpretação de textos (gêneros textuais): -Relacionar as características do tipo de texto e os indicadores D1-Localiza informações explícitas e implícitas. I/A/C
de suporte e de autoria na atribuição de sentido ao texto.
AGRUPAMENTO DO NARRAR (Cultura literária ficcional) -Ler palavras e textos, apoiando-se em imagens; BNCC -
Conto maravilhoso Eixo: Apropriação do sistema de escrita D9- Identifica a finalidade de textos de diferentes
Lenda de outras culturas alfabética/ortográfico e tecnologias da escrita. gêneros. I/A/C
Narrativas de aventura -Localizar informações implícitas e explícitas.
Canções -Inferir o sentido de uma palavra e/ou de uma expressão no
Poema10 texto. D3- Infere o sentido de uma palavra ou expressão.
-Obras literárias tradicionais, de diversas culturas como regional, -Identificar em textos poéticos (poemas) recursos sonoros I/A/C
afro-brasileira, indígena e africana. (aliteração, assonância, ritmo, rimas) e visuais e recitar
poemas lidos, usando esses recursos expressivos da entonação
AGRUPAMENTO DO RELATAR: (Documentação e e do corpo; BNCC - Eixo: Práticas artístico-literárias, com D6- Identifica o tema de um texto. I/A/C
memorização das ações humanas) alterações.
Notícia de acontecimentos escolares -Identificar traços de intertextualidade.
Notícia -Desenvolver fluência na leitura de textos. Reconhecendo D7- Identifica o conflito gerador do enredo e os
Carta palavras e frases frequentes em textos, sem a necessidade de elementos que constroem a narrativa. I/A/C
decodificação e com rapidez. BNCC - Eixo: Apropriação
AGRUPAMENTO DO ARGUMENTAR (Discussão de do sistema de escrita alfabética/ortográfico e tecnologias da
problemas sociais controversos) escrita, com alterações. D14- Identifica o efeito de sentido decorrente do uso da
Carta de reclamação - Ler oralmente textos familiares e curtos (títulos de histórias, pontuação e de outras notações. I/A/C
Texto de opinião manchetes, quadrinhas, entre outros) após leitura silenciosa;
Carta ao leitor BNCC - Eixo: Apropriação do sistema de escrita
D10–Identifica as marcas linguísticas que evidenciam o
alfabética/ortográfico e tecnologias da escrita, com
locutor e o interlocutor de um texto. I/A/C
AGRUPAMENTO DO EXPOR (Transmissão de alterações.
conhecimento) -Relacionar o título ao texto.

10
O Poema é um gênero que pode mudar de agrupamento de acordo com a necessidade/situação de comunicação.
82
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
Texto didático -Ler e apreciar textos literários tradicionais, da cultura
Verbete de enciclopédia popular, afro-brasileira, africana, indígena e de outros povos;
D13 – Identificar efeitos de ironia ou humor em textos
Tabela simples comentando temas e imagens; BNCC - Eixo: Práticas
variados. I/A/C
Gráfico simples artístico-literárias.
-Ouvir canções e histórias contadas ou lidas e assistir à
AGRUPAMENTO DO INSTRUIR: descrever/regular apresentações teatrais, desenvolvendo atenção e interesse;
comportamento. (BNCC, Eixo: Práticas artístico-literárias com alterações). D5 – Interpretar texto com auxílio de material gráfico
-Reconhecer marcadores temporais e relações de causalidade, diverso (propagandas, quadrinhos, foto, etc.). I/A/C
Receita de médico
em contos acessíveis às crianças; BNCC - Eixo: Práticas
Regras de Jogos artístico-literárias. Reconhece o gênero textual. A/C
Instruções (de montagem, participação de concursos, promoções) -Identificar, em notícias e reportagens de jornais ouvidas ou
Classificados em concursos, promoções. lidas com apoio do/a professor/a, elementos como o quê,
quem, onde, quando e como. BNCC - Eixo: Práticas político-
-Instâncias do discurso literário (os personagens, o narrador, o cidadã.
espaço-tempo, o gênero) e a relação que estes elementos -Compreender a estrutura de cartazes e faixas que circulam na
estabelecem entre si no desenrolar da narrativa. escola e no seu entorno e os principais recursos de
convencimento neles utilizados. BNCC - Eixo: Práticas
-Estratégias/Práticas de leitura: político-cidadã.
Auditiva, -Localizar informação em quadros e tabelas que apresentam
Livre escolha, levantamentos ou agrupamentos de itens; BNCC - Eixo:
Informativa Práticas investigativas.
Silenciosa -Realizar buscas, a partir do uso de palavras-chave em sites
infantis da Web; BNCC - Eixo: Práticas culturais das
-Estratégias de leitura: tecnologias de informação e comunicação.
Seleção -Compreender a função e a importância dos lugares de
Antecipação armazenamento e circulação de textos, tais como biblioteca da
Verificação escola, sites, livrarias, bancas, etc. BNCC Eixo: Práticas
Inferência. culturais das tecnologias de informação e comunicação.
Pontuação -Localizar, identificar elementos sociodiscursivo do texto
reconhecendo os propósitos para os quais os textos foram
-Desenvolvimento da educação estética e afetiva explorando o produzidos:
conjunto da obra a ser lida, o caráter dialogal entre texto e *Ações e fatos
imagem estimulando a aprendizagem, em suas possibilidades de *Aspectos históricos da produção textual
ampliação de horizontes e de percepções diferenciadas de mundo. *Autor – quem escreveu (enunciador)
-Leitura de textos literários e não literários, de variados gêneros, *Data de Publicação
83
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
que conduz a relação afetiva com a literatura infantojuvenil, da *Destinatários
ficção, da fantasia, do imaginário, com poder de divertir, de *Editora
explorar a linguagem artística, a riqueza, a beleza. *Espaço em que acontecem os fatos no texto
-Repertório de signos e componentes sensoriais, utilizados pelo *Espaços sociais de circulação do texto
autor na realização de registros intencionais, que trazem *Gênero Textual
elementos da linguagem do próprio autor para transmitir ideias e *Ilustrador
sensações. *O que motivou a seleção e produção do texto
Exs.: recursos linguísticos: onomatopeias, expressões faciais, *Objetivos do autor
corporais e outros elementos das histórias. *Personagens
*Qual o contexto da época em que o texto foi escrito
-PRÁTICAS DE LEITURA- livros digitais, sites, vídeos no *Tema do texto
celular e mensagens, etc. (BNCC, Eixo: Práticas culturais das *Tempo (passado/presente/futuro)
tecnologias de informação e comunicação). -Ler com fluência e observar o valor expressivo dos sinais de
pontuação:
 Ponto final
Recursos técnicos e comunicativos utilizados para expressões de  Interrogação
linguagem, convenções literárias (o belo, o prazer, o lúdico,  Exclamação.
vinculados com o sensorial, o emocional - sentimentos, desejos e -Reconhecer a finalidade do texto.
ideias). -Reconhecer o gênero textual em estudo.
-Identificar signos e componentes sensoriais nas obras
literárias.
-Explorar novas obras literárias.
-Reconhecer a leitura como fonte de informação, lazer e
cultura.
-Apreciar a literatura como diferentes maneiras de
comunicação.
-Recortar, sintetizar e interpretar o real por intermédio do
ponto de vista do escritor (narrador ou do poeta);
-Compartilhar leituras.
-Trocar impressões sobre o enredo.
-Construir significados.
-Comunicar opiniões.
-Ler em voz alta com fluência, ritmo e entonação.
-Utilizar informações oferecidas por um glossário, verbete de
dicionário para a compreensão da leitura. -Reconhecer e
84
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
empregar o valor diferencial do acento em determinadas
palavras
-Reconhecer a mudança de foco narrativo (narrador em 1ª e 3ª
pessoa).
-Manusear adequadamente livros didáticos e de literatura e
outros suportes frequentes no contexto social (livros, folhetos,
jornais, compreendendo as formas de sequência ou
organização em seções, no 4º e 5º Ano); BNCC - Eixo:
Práticas culturais das tecnologias de informação e
comunicação.
Construir uma relação afetiva com a literatura infantil.
Compreender as diferentes formas em que a literatura infantil
se apresenta, considerando a sua linguagem (conjunto de
recursos técnicos e expressivos a disposição do escritor).

PRODUÇÃO DE TEXTO
DESCRITORES DO INEP - BNCC
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES
Produção de texto individual e coletiva utilizando o -Manter a coerência textual na atribuição de título, na D2- Estabelece relações entre partes de um texto,
conhecimento de que dispõe sobre o sistema de escrita: continuidade temática e de sentido geral do texto como os identificando repetições ou substituições que
procedimentos de coesão mais adequados à língua escrita, contribuem para a continuidade de um texto. I/A/C
AGRUPAMENTO DO RELATAR: (Documentação e garantindo a progressão e a continuidade das ideias.
memorização das ações humanas) -Reelaborar e organizar histórias substituindo ou D9-Identifica a finalidade de textos de diferentes
Notícia de acontecimentos escolares acrescentando partes. gêneros. A/C
Notícia -Identificar recursos utilizados para obter determinados efeitos
Carta de sentido: elementos constitutivos de texto, coerência e D7–Identifica o conflito gerador do enredo e os
coesão, pontuação, concordância nominal e verbal, ortografia elementos que constroem a narrativa. I/A/C
e paragrafação.
-Reconhecer a estrutura do gênero textual a ser produzido. D8–Estabelece relação causa /consequência entre partes
AGRUPAMENTO DO ARGUMENTAR (Discussão de -Relatar, com coerência, experiências vividas, usando e elementos do texto. I/A/C
problemas sociais controversos) diferentes elementos que marquem a passagem do tempo;
Carta de reclamação BNCC - Eixo: Prática da vida cotidiana.
Texto de opinião -Relatar, com objetividade, episódios vividos ou conhecidos, D12–Estabelece relações lógico-discursivas presentes
Debate regrado respeitando a ordem de apresentação dos fatos, selecionando no texto, marcadas por conjunções, advérbios, etc.
Entrevista temas principais e secundários e posicionar-se, com clareza, I/A/C
Carta ao leitor sobre um tema do seu cotidiano; BNCC - Eixo: Prática da
85
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
vida cotidiana.
-Recontar contos tradicionais, respeitando a descrição do
D10–Identifica as marcas linguísticas que evidenciam o
AGRUPAMENTO DO INSTRUIR: descrever/regular cenário, dos personagens, o conflito e o desfecho, usando de
locutor e o interlocutor de um texto. I/A/C
comportamento. modo coerente a sequência temporal; BNCC- Eixo: Prática
Receita de médico da vida cotidiana.
D15–Reconhece diferentes formas de tratar uma
-Recontar o enredo de um filme ou de um desenho que viu,
Regras de Jogos informação na comparação de textos que tratam do
com base na memorização de cenas; BNCC - Eixo: Prática
Instruções (de montagem, participação de concursos, promoções) mesmo tema, em função das condições em que ele foi
da vida cotidiana.
Classificados em concursos, promoções. produzido e daquelas em que será recebido. I/A/C
-Reconhecer marcadores temporais e relações de causalidade,
em contos acessíveis às crianças; BNCC - Eixo: Prática da
vida cotidiana.
-PRODUÇÃO DE TEXTO- mensagens no whatsApp, -Identificar, em notícias e reportagens de jornais ouvidas ou
Messenger, e-mail, whattpad, etc .BNCC - Eixo: Práticas lidas com apoio do/a professor/a, elementos como o quê,
culturais das tecnologias de informação e comunicação. quem, onde, quando e como. BNCC - Eixo: Práticas político-
cidadã.
-Reescrever histórias conhecidas, recuperando os diferentes
-OUTROS- produzir vídeos curtos de aula, dramatização em personagens e as ações que se desenvolvem no tempo; BNCC
vídeos,simulação de telejornal, telenovela, programas de estúdio, - Eixo: Práticas artístico-literárias.
(tudo com fins pedagógicos) etc. BNCC - Eixo: Práticas -Reconhecer marcadores temporais e relações de causalidade,
culturais das tecnologias de informação e comunicação. em contos acessíveis às crianças; BNCC - Eixo: Práticas
artístico-literárias.
-Produzir, individual e coletivamente, receitas e instruções
diversas, montagem de objetos, brincadeiras e jogos, regras de
jogos e de brincadeiras, etc. BNCC em alteração.
-Reconhecer a finalidade de textos da vida cotidiana como
bilhetes, agendas, calendários, receitas; (BNCC)
-Reconhecer características de textos instrucionais. BNCC -
Eixo: Práticas da vida cotidiana.
-Compreender a estrutura de cartazes e faixas que circulam na
escola e no seu entorno e os principais recursos de
convencimento neles utilizados. BNCC - Eixo: Práticas
político-cidadã.
-Escrever cartazes e faixas educativas, usando recursos
argumentativos adequados à situação comunicativa. BNCC -
Eixo: Práticas político-cidadã.
86
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
-Formular perguntas pertinentes ao conteúdo de um tema
estudado. BNCC - Eixo: Práticas investigativas.
-Registrar resultados de pesquisa em áudio, vídeo, a partir de
relatos construídos com o/a professor/a. BNCC - Eixo:
Práticas investigativas.
-Exercitar a escrita em editores de textos e outros programas
oferecidos nas mídias digitais, fazendo uso de diferentes
linguagens. BNCC - Eixo: Práticas culturais das tecnologias
de informação e comunicação.
Recursos utilizados na escrita, com apoio do professor, para Noções do estabelecimento de unidade de sentido:
obtenção de determinados efeitos de sentido:  Segmentação do texto em frases e parágrafos, D14–Identifica o efeito de sentido decorrente do uso da
 Letra maiúscula em títulos, nomes próprios e início de utilizando recursos do sistema de pontuação; pontuação e de outras notações. I/A/C
frases;  Concordância nominal (artigo/substantivo,
 Tipos de letras; substantivo/adjetivo), flexões de gênero (masculino e
 Análise fonológica da palavra; feminino), número (singular e plural) e grau (aumentativo e
 Paragrafação; diminutivo);
 Exploração dos recursos de linguagens: emprego dos  Coesão e coerência;
verbos e dos pronomes (coesão e coerência textual);  Função dos substantivos próprios e comuns;
 Adequação do gênero;  Concordância verbal (verbos e pronomes);
 Pontuação
 Vocabulário
 Ortografia.
 Flexão de gênero (masculino e feminino), número
(singular e plural) e grau (diminutivo e aumentativo).

Planejamento da escrita de textos coletivos considerando o Planejar a escrita de textos considerando o contexto de Planejamento da escrita de textos considerando o
contexto de produção: produção: contexto de produção:
-finalidade  Mobilizar conhecimentos prévios; -Organização das informações mais relevantes:
-especificidade da modalidade textual  Organizar ideias para o desenvolvimento do tema; *o que quer escrever;
-papéis assumidos pelos interlocutores  Organizar as informações mais relevantes para *para quem (diferentes interlocutores);
-mobilização de conhecimentos prévios atender a diferentes finalidades. *para quê (com diferentes finalidades);
-inventário de ideias para o desenvolvimento do tema  Representar com imagens e textos curtos: roteiros, *qual o gênero que melhor exprime essas ideias;
-organização de informações mais relevantes: cenários, personagens, cenas e espaços, construindo *para circular em diferentes espaços sociais (linguagem
*o que quer escrever significados e compreensão do real. coloquial o formal). I/A

87
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
*para quem (diferentes interlocutores)  Escrever texto de memória.
*para quê (com diferentes finalidades) -Representa com imagens e textos curtos: roteiros,
*qual o gênero que melhor exprime essas ideias cenários, personagens, cenas e espaços, construindo
*para circular em diferentes espaços sociais (linguagem significados e compreensão do real. A/C
coloquial ou formal). -Escreve textos de memória. I/A/C
-Produção de novo texto a partir de modelos.
-Escrita de textos memorizados.
Condições de Produção/Capacidade de Ação ou aspectos -Produzir textos de diferentes gêneros, atendendo a diferentes D14 – Identifica o efeito de sentido decorrente do uso
sociodiscursivo do texto: finalidades. da pontuação e de outras notações. I/A/C
a.Quem é o destinatário? -Identificar a finalidade ou o gênero de diferentes textos e
b.Quem é o emissor? suportes.
c.Qual o papel social de ambos? -Realizar reflexões metalinguísticas sobre a construção de
d.Qual a finalidade do texto? palavras, frases e pequenos textos. D9 - Identifica a finalidade de textos de diferentes
e.Qual o meio de veiculação? -Criar e recriar texto ou partes de texto, considerando o gêneros. A/C
f.De que temas tratam o gênero? contexto de produção.
g.Qual é o gênero textual?
h.Quais papéis assumem os interlocutores?
i.Qual a linguagem, coloquial ou formal?
Produção escrita (rascunho) e edição final:
- estabelecimento de unidade de sentido;
-fatores de textualidade (coesão e coerência);
-pontuação, ortografia, acentuação e segmentação;
-concordância verbal e nominal.
Segmentação do texto em frases e parágrafos.
Reescrita do texto coletivo ou não, observando recursos Reescrever o texto, palavras e frases, observando: D6 – Identifica o tema de um texto. A/C
linguísticos como:  Título do texto;
 o desenvolvimento do tema;  O desenvolvimento do tema; D11 – Distingue um fato da opinião relativa a esse fato.
 a adequação necessária, em função do interlocutor,  Concordância nominal e verbal, recursos coesivos; I/A/C
Finalidade do texto, características do gênero, pontuação,  A segmentação do texto em palavras e frases;
segmentação do texto em palavras, frases e parágrafos;  Uso da letra maiúscula em títulos, nomes próprios e
 Emprego dos verbos (concordância verbal) e dos início de frases;
pronomes (concordância nominal, coesão e coerência textual);  Uso sinais de pontuação (ponto final, travessão e dois
 Utilização da letra maiúscula em títulos, nomes próprios pontos);
e inicio de frases;  Recursos linguísticos do gênero - linguagem

88
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
 Paragrafação (ponto final, dois pontos e travessão); adequada ao gênero que produz garantindo a unidade e o
 Vocabulário; sentido do texto: sequência lógica, coerência e coesão;
 Ortografia;  Parágrafos;
 Título do texto.  Traçar corretamente e legível as letras;
Aspectos da escrita:  Organizar as ideias no texto.
*grafia (escrita),
*linguagem (modo de organizar as ideias ao se
expressar por escrito).
ANÁLISE E REFLEXÃO SOBRE A LÍNGUA DESCRITORES DO INEP - BNCC
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES
Gramática aplicada ao texto no contexto morfológico e --Identificar e segmentar os sons relativos às palavras por D1-Localiza informações explícitas do texto. I/A/C
semântico: meio do lúdico - relação fonema/grafema;
 FONÉTICA - fonemas e fonologia, encontros vocálicos -Identificar na leitura e na escrita de textos, frases e palavras: D5-Interpreta texto com auxílio de material gráfico
(ditongo, tritongo e hiato) e encontros consonantais, dígrafos; separação de sílabas das palavras ao final de linha diverso (propagandas, quadrinhos, foto,etc. I/A/C
 SÍLABA- tonicidade - acento tônico, classificação das (segmentação);
sílabas (quantidade de sílabas) quanto posição da sílaba -Empregar letras maiúsculas no início de frases, nomes D14–Identifica o efeito de sentido decorrente do uso da
acentuação gráfica; próprios e títulos. pontuação e de outras notações. I/A/C
 ORTOGRAFIA - emprego da letra maiúscula e Reconhecer diferentes tipos de letras em diferentes contextos,
minúscula na escrita de títulos, nomes e início de frases; suportes e gêneros textuais, instrumentos de escrita como D12–Estabelece relações lógico-discursivas presentes
-Sistema alfabético e norma ortográfica: papel, lápis/caneta, tela/ teclado; BNCC - Eixo: Apropriação no texto, marcadas por conjunções, advérbios, etc.
-Ordem alfabética do sistema de escrita alfabética/ortográfico e tecnologias da
-Ortografia considerando as irregularidades da língua escrita: M escrita, com alterações.
antes de P/B; AM/ (NA não seria an) NA; LH/LI; F/V; C/G; D/T; - Reconhecer que as sílabas variam quanto à sua combinação
GE/GI; JE/JI; AS/AZ ou conforme necessidades encontradas; entre consoantes e vogais (CV, CCV, CVV, CVC, V,VC, C19 - Saber procurar no dicionário os significados das
- Ortografia aplicada ao texto: SC, XC, Ç, X, S, Z. VCC, CCVCC) e que as vogais estão presentes em todas as palavras e a acepção mais adequada ao contexto de uso.
- Ortografia: QUA/QUE/QUI, AM, NS, X, CH, H, TIL (Ã, ÃO, sílabas; BNCC - Eixo: Apropriação do sistema de escrita A/C
ÕES + S).entre outras; alfabética/ortográfico e tecnologias da escrita, com
- Grafia das palavras mais usuais que apresentam dígrafos, alterações.
ditongos: O/U, E/I, U/L, ÃO /AM, R final, QUA/QUE/QUI, AM, Ler palavras com estruturas silábicas diversas,
NS, X, CH, H, TIL (Ã, ÃO, ÕES + S). compreendendo regras contextuais que explicam o valor
 ACENTUAÇÃO GRÁFICA - regras de acentuação, sonoro de grafemas. BNCC - Eixo: Apropriação do sistema
(oxítona, paroxítona, proparoxítona); de escrita alfabética/ortográfico e tecnologias da escrita,
 NOTAÇÕES LEXICAS - divisão silábica e partição de com alterações.
palavras;

89
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
 CLASSE GRAMATICAL: -Compreender e ordenar o funcionamento do sistema de
-classificação dos substantivos (flexão: gênero, número e grau) escrita alfabética; Exemplo: organizar informações e facilitar
-artigo - definido e indefinido; procura e busca. BNCC - Eixo: Apropriação do sistema de
-adjetivos, artigos; escrita alfabética/ortográfico e tecnologias da escrita, com
-numeral(cardinais,ordinais e romanos); alterações .
-pronome (noções iniciais); -Identificar e fazer uso de letra maiúscula e minúscula nos
-advérbios e expressões adverbiais; textos produzidos, segundo as convenções.
-verbo - formas verbais imperativos (indicativo da continuidade -Reconhecer o acento gráfico como marca da tonicidade: a
do processo noções iniciais); posição da sílaba tônica;
-formas verbais no gerúndio e no infinitivo; -Reconhecer em textos escritos, recursos utilizados pelo autor
-conjunção, preposição, interjeição( noções iniciais); para obter determinados efeitos de sentido:
 SIGNIFICAÇÃO DAS PALAVRAS - sinônimo e -recursos coesivos e suas finalidades;
antônimo; -o valor expressivo dos sinais de pontuação;
 LINGUAGEM FIGURADA (conotação e denotação) - -recursos linguísticos (modo, tempo verbal e pronomes)
metáfora, onomatopeia, humor, ironia, ( noções iniciais); utilizados nos textos;
 FRASE - tipos de frase, segmentação do texto em -formas verbais imperativos no gerúndio;
frases e parágrafos, utilizando recursos do sistema de pontuação -reconhecer recursos de linguagem figurada; os
(ponto final, exclamação, interrogação e vírgulas nas elementos de intencionalidade implícita (recursos
enumerações); persuasivos, humor, metáforas);
 CONECTIVOS - Elementos de coesão mais adequados
à língua escrita garantindo progressão e continuidade das ideias -Identificar as classes gramaticais (adjetivo, conjunção e
 CONCORDÂNCIA - nominal (substantivo/artigo, preposição) em estruturação de textos e frases, observando o
substantivo/adjetivo), concordância verbal (sujeito e predicado); uso da concordância nominal;
-Utilizar regras padrão de concordância verbal (sujeito e
-ANÁLISE E REFLEXÃO DA LÍNGUA- jogos nos sites predicado), concordância nominal (artigo e substantivo,
educativos, atividades no "portal do aluno", Power point no substantivo e adjetivo) e flexão de gênero (masculino e
celular e enviar aos colegas e professor, etc. feminino) e número (singular e plural);
-Comparar textos considerando o tema, características
textuais, organização das ideias e finalidade;
-Compreender o sentido das palavras sinônimo, antônimo,
prefixos, sufixos e outras estratégias para formar palavras;
-Identificar as regras gramaticais (substantivos, adjetivo,
numeral, verbos, pronomes e advérbios,) em estruturação de
textos e frases, nas diversas modalidades da linguagem,
observando a concordância nominal e verbal.
90
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
-Perceber que não se escreve do modo como se pronuncia;
Compreender e utilizar convenções ortográficas relativas às
regularidades contextuais; BNCC - Eixo: Apropriação do
sistema de escrita alfabética/ortográfico e tecnologias da
escrita, com alterações.
Saber usar o dicionário, compreendendo sua função e
organização.
Identificar a unidade linguística e suas possibilidades
combinatórias.
Identificar e segmentar os sons relativos às palavras por meio
do lúdico.
Reconhecer classes gramaticais em estruturação de textos e
frases nas diversas modalidades de linguagem, observando o
uso da concordância verbal (sujeito e predicado).
Reconhecer que diferentes palavras podem substituir outras no
contexto.
Ler, ajustando a pauta sonora ao escrito, compreender e
dominar as correspondências entre letras ou grupos de letras e
seu valor sonoro, construindo a correspondência
fonema/grafema- grafema/fonema de modo a ler e a escrever
palavras e textos. Ler palavras com estruturas dialéticas
diversas, compreendendo regras contextuais que explicam o
valor sonoro de grafemas. BNCC - Eixo: Apropriação do
sistema de escrita alfabética/ortográfico e tecnologias da
escrita, com alterações.

91
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
5º Ano – LÍNGUA PORTUGUESA - ANUAL
REFERENCIAL CURRICULAR DA REDE MUNICIPAL DE DOURADOS
ORALIDADE DESCRITORES DO INEP e BNCC
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES
-Situações de comunicação com instrumentos de socialização -Participar de situações de comunicação direta ou mediada D1 - Localiza informações explícitas do texto. I/A/C
e aprendizagem na apresentação de sequências de expressão (TV, telefone, rádio, internet, etc.).
oral: -Inferir sobre alguns elementos de intencionalidade implícita
 Debate/exposição de opinião sobre temas na fala (sentido figurado, recursos persuasivos, humor e D4 – Infere uma informação implícita em um texto.
determinados pelo professor ou mediador, outros). A/C
argumentar demonstrando clareza e objetividade e -Perceber os elementos intencionais do texto: humor, ironia,
respeitando o turno de fala. Argumentar sobre tom catastrófico, inflexão de voz.
assuntos polêmicos. -Desenvolver o hábito de ouvir com atenção como forma de D8 - Estabelece relação de causa/ consequência entre
melhorar a comunicação e a interação com o grupo. partes e elementos do texto. I/A/C
-Situação de comunicação direta ou mediada (telefone, rádio, Estabelecer o diálogo com os colegas, professores
televisão e outros). reconhecendo o turno de fala e o espaço público escolar.
-Elementos não linguísticos para conferir significação aos BNCC - Eixo: Prática da vida cotidiana. D14 – Identifica o efeito de sentido decorrente do uso
textos (gesto, postura corporal, expressão facial, tom de voz, -Dramatizar textos simulando os meios de comunicação: da pontuação e de outras notações. I/A/C
entonação). conversas por telefone, anúncios de rádio ou locuções dos
-Audição atenta em situações de interlocução, com apresentadores.
intervenções adequadas, formulação de perguntas e opiniões. -Reconhecer o significado contextual do papel complementar
-Adequação da linguagem à situação de uso por meio de de alguns elementos não linguísticos para conferir
conversas, diálogos, debates, dramatizações e simulações. significação aos textos (gesto, postura corporal, expressão
-Adequação da linguagem coloquial para a linguagem formal facial, tom de voz, entonação).
(respeitando a variação linguística). -Utilizar a linguagem oral em situações que exijam:
preparação prévia, maior grau de formalidade, manutenção do
SUGESTÕES DE GÊNEROS ORAIS: ponto de vista ao longo da fala, procedimentos de negociação
AGRUPAMENTO DO ARGUMENTAR (Discussão de de acordos.
problemas sociais controversos): -Interpretar texto com o auxílio de material gráfico diverso
 Carta de reclamação (propagandas, quadrinhos, fotos etc.).
 Carta de solicitação -Utilizar recursos tecnológicos diversos para criar, com apoio
 Texto de opinião de roteiros, simulações de programas de rádio e TV que
 Depoimento tratem de temáticas próprias ao universo infantil; BNCC -
 Debate regrado Eixo: Práticas culturais das tecnologias de informação e
comunicação.
92
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
-Identificar a finalidade de textos de diferentes gêneros.
AGRUPAMENTO DO INSTRUIR (descrever/regular -Identificar repetições ou substituições que contribuem para a
comportamento): continuidade do texto.
 Roteiro de trabalhos escolares -Empregar linguagem com maior nível de formalidade quando
 Receita de médico a situação social exigir mantendo o ponto de vista.
 Receita de culinária -Argumentar sobre assuntos polêmicos.
 Regras de Jogos Compreender enunciados de exercícios e tarefas, realizados
 Instruções de jogos em diferentes componentes curriculares; BNCC – Eixo:
 Classificados “Práticas Investigativas”.

-ORALIDADE- podcast, áudio whatsApp e outros, etc. -Produzir, individual e coletivamente, receitas e instruções
(BNCC - Eixo: Práticas culturais das tecnologias de diversas, montagem de objetos, brincadeiras e jogos, regras de
informação e comunicação). jogos e de brincadeiras, etc. (BNCC em alteração)

PRATICA DE LEITURA
DESCRITORES DO INEP e BNCC
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES
Leitura e interpretação de textos (gêneros textuais): -Identificar informações explícitas e implícitas, relevantes D1-Localiza informações explícitas e implícitas. I/A/C
AGRUPAMENTO DO NARRAR (Cultura literária para a compreensão do texto.
ficcional): -Reconhecer a unidade temática do texto.
 Contos (de assombração, mistério e outros). -Relacionar título ao texto.
 Narrativa de aventura, de enigma. -Distinguir autor de narrador e personagens;
 Poemas 11 -Relacionar as características do gênero textual e os D9- Identifica a finalidade de textos de diferentes
 Canções indicadores de suporte e de autoria na atribuição de sentido ao gêneros. I/A/C
 História engraçada texto.
 Vídeos e animações -Identificar marcas que evidenciam o locutor e o interlocutor
de um texto nos diversos domínios sociais.
 Obras literárias tradicionais, de diversas culturas
-Identificar procedimentos paródicos.
como regional, afro-brasileira, indígena e africana.
-Identificar a finalidade de textos de diferentes gêneros. D3- Infere o sentido de uma palavra ou expressão.
AGRUPAMENTO DO RELATAR: (Documentação e
-Identificar o conflito gerador do enredo e os elementos que I/A/C
memorização das ações humanas):
constroem a narrativa.
 Pequena reportagem
-Estabelecer a relação causa/consequência entre partes e
 Notícia
elementos do texto.
 Diário virtual (blog)

11
O Poema é um gênero que pode mudar de agrupamento de acordo com a necessidade/situação de comunicação.
93
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
 Diário de bordo -Inferir o sentido de uma palavra ou de uma expressão no
 Crônica social texto. D6-Identifica o tema de um texto. I/A/C
AGRUPAMENTO DO ARGUMENTAR (Discussão de -Identificar traços de intertextualidade.
problemas sociais controversos): -Distinguir as características físicas e psicológicas dos
 Carta de reclamação personagens.
 Carta de solicitação -Identificar marcas que caracterizam o nível de registro
 Texto de opinião empregado, formal ou informal, considerando a relação entre D7-Identifica o conflito gerador do enredo e os
 Depoimento os interlocutores. elementos que constroem a narrativa. I/A/C
-Perceber o valor expressivo dos sinais de pontuação e de
 Debate regrado
AGRUPAMENTO DO EXPOR (Transmissão de outras notações.
-Ler palavras e textos, apoiando-se em imagens; BNCC -
conhecimento):
Eixo: Apropriação do sistema de escrita
 Exposição escrita de experiência científica
alfabética/ortográfico e tecnologias da escrita. D14-Identifica o efeito de sentido decorrente do uso da
 Dicionário, glossário para fins específicos.
-Identificar em textos poéticos (poemas) recursos sonoros pontuação e de outras notações. I/A/C
 Tabelas simples (aliteração, assonância, ritmo, rimas) e visuais e recitar
 Gráficos simples poemas lidos, usando esses recursos expressivos da entonação
 Exposição oral de trabalhos e do corpo; BNCC - Eixo: Práticas artístico-literárias, com
AGRUPAMENTO DO INSTRUIR (descrever/regular alterações.
comportamento): -Desenvolver fluência na leitura reconhecendo palavras e
 Roteiro de trabalhos escolares frases frequentes em textos, sem a necessidade de
 Receita de médico D10 – Identifica as marcas linguísticas que evidenciam
decodificação e com rapidez. (BNCC Eixo: Apropriação do
o locutor e o interlocutor de um texto. I/A/C
 Receita de culinária sistema de escrita alfabética/ortográfico e tecnologias da
 Regras de Jogos escrita, com alterações).
 Instruções de jogos -Ler, palavras com estruturas silábicas diversas,
 Classificados compreendendo regras contextuais que explicam o vlor
-Instâncias do discurso literário (os personagens, o narrador, o sonoro de grafemas. (BNCC Eixo: Apropriação do sistema de D13 – Identificar efeitos de ironia ou humor em textos
espaço-tempo, o gênero) e a relação que estes elementos escrita alfabética/ortográfico e tecnologias da escrita, com variados. I/A/C
estabelecem entre si no desenrolar da narrativa. alterações).
-Estratégias/Práticas de leitura: -Ler oralmente textos familiares e curtos (títulos de histórias,
 Auditiva, manchetes, quadrinhas, entre outros) após leitura silenciosa;
 Livre escolha, (BNCC Eixo: Apropriação do sistema de escrita
 Informativa alfabética/ortográfico e tecnologias da escrita, com D5 – Interpreta texto com auxílio de material gráfico
 Silenciosa alterações). diverso (propagandas, quadrinhos, foto, etc.). I/A/C
-Ler e apreciar textos literários tradicionais, da cultura
 Seleção
popular, afro-brasileira, africana, indígena e de outros povos;
94
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
 Antecipação comentando temas e imagens; BNCC - Eixo: Práticas Reconhecer o gênero textual. A/C
 Verificação artístico-literárias.
 Inferência. -Ouvir canções e histórias contadas ou lidas e assistir às
 Pontuação apresentações teatrais, desenvolvendo atenção e interesse;
Textos narrativos ficcionais, (contos clássicos e (BNCC, Eixo: Práticas artístico-literárias com alterações).
contemporâneos, contos populares, lendas, fábulas histórias -Reconhecer marcadores temporais e relações de causalidade
em quadrinhos): em contos acessíveis às crianças; BNCC - Eixo: Práticas
 Tempo; espaço; narrador (foco narrativo: narrador- artístico-literárias.
personagem e narrador observador); -Identificar, em notícias e reportagens de jornais ouvidas ou
 Enredo; ordenação temporal; caracterização dos lidas com apoio do/a professor/a, elementos como o quê,
personagens, ações e modo como se expressam. quem, onde, quando e como. BNCC - Eixo: Práticas político-
Textos Poéticos (poemas): cidadã.
-Compreender a estrutura de cartazes e faixas que circulam na
 Efeitos sonoros obtidos por meio de rimas;
escola e no seu entorno e os principais recursos de
 Aliterações; assonâncias;
convencimento neles utilizados. . BNCC - Eixo: Práticas
 Disposição gráfica e
político-cidadã.
 Linguagem figurada. -Localizar informação em quadros e tabelas que apresentam
Textos informativos (relato de experiência científica, levantamentos ou agrupamentos de itens; BNCC - Eixo:
folhetos): Práticas investigativas.
 Impessoalidade, -Realizar buscas, a partir do uso de palavras-chave em sites
 Objetividade, infantis da Web; BNCC - Eixo: Práticas culturais das
 Usa de sequências descritivas, tecnologias de informação e comunicação.
 Discurso expositivo, -Compreender a função e a importância dos lugares de
 Adequação do registro mais formal ou menos formal armazenamento e circulação de textos, tais como biblioteca da
de acordo com a finalidade do texto e o interlocutor. escola, sites, livrarias, bancas, etc. BNCC - Eixo: Práticas
Textos epistolares (carta e bilhete): culturais das tecnologias de informação e comunicação.
 Local e data, -Identificar elementos que estruturam e caracterizam os textos
 Invocação (saudação), narrativos e jornalísticos.
 Assunto, despedida, assinatura Compreender enunciados de exercícios e tarefas, realizados
Textos publicitários (propaganda, folheto, anúncio): em diferentes componentes curriculares; BNCC – Eixo:
 Imagens, “Práticas Investigativas”.
 Código verbal e não verbal, -Localizar, identificar elementos sociodiscursivo do texto
 Sinais gráficos, reconhecendo os propósitos para os quais os textos foram
 Balões, produzidos:
*Ações e fatos
95
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
 Traços e *Aspectos históricos da produção textual
 Indicadores de movimento. *Autor – quem escreveu (enunciador)
Textos instrucionais (receita, regra de jogo, bula, manual de *Data de Publicação
instrução): *Destinatários
 Verbo no imperativo, *Editora
 Modo de fazer *Espaço em que acontecem os fatos no texto
 Linguagem descritiva, e outros. *Espaços sociais de circulação do texto
-Desenvolvimento da educação estética e afetiva explorando o *Gênero Textual
conjunto da obra a ser lida, o caráter dialogal entre texto e *Ilustrador
imagem estimulando a aprendizagem, em suas possibilidades *O que motivou a seleção e produção do texto
de ampliação de horizontes e de percepções diferenciadas de *Objetivos do autor
mundo. *Personagens
-Leitura de textos literários e não literários, de variados *Qual o contexto da época em que o texto foi escrito
gêneros, que conduz a relação afetiva com a literatura *Tema do texto
infantojuvenil, da ficção, da fantasia, do imaginário, com *Tempo (passado/presente/futuro)
poder de divertir, de explorar a linguagem artística, a riqueza, -Ler com fluência e observar o valor expressivo dos sinais de
a beleza. pontuação:
-Repertório de signos e componentes sensoriais, utilizados  Ponto final
pelo autor na realização de registros intencionais, que trazem  Interrogação
elementos da linguagem do próprio autor para transmitir  Exclamação.
ideias e sensações. -Reconhecer o gênero textual em estudo.
Exs.: recursos linguísticos: onomatopeias, expressões faciais, -Identificar signos e componentes sensoriais nas obras
corporais e outros elementos das histórias. literárias.
-PRÁTICAS DE LEITURA- Textos de diferentes gêneros. -Explorar novas obras literárias.
Exemplo: texto eletrônico, hipertextos, livros digitais, sites, -Reconhecer a leitura como fonte de informação, lazer e
vídeos no celular e mensagens, e-book etc. (BNCC - Eixo: cultura.
Práticas culturais das tecnologias de informação e -Apreciar a literatura como diferentes maneiras de
comunicação, com alterações). comunicação.
Recursos técnicos e comunicativos utilizados para expressões -Recortar, sintetizar e interpretar o real por intermédio do
de linguagem, convenções literárias (o belo, o prazer, o ponto de vista do escritor (narrador ou do poeta);
lúdico, vinculados com o sensorial, o emocional - -Compartilhar leituras.
sentimentos, desejos e ideias). -Trocar impressões sobre o enredo.
-Construir significados.
-Comunicar opiniões.
-Ler em voz alta com fluência, ritmo e entonação.
96
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
-Utilizar informações oferecidas por um glossário, verbete de
dicionário para a compreensão da leitura.
-Reconhecer e empregar o valor diferencial do acento em
determinadas palavras
-Reconhecer a mudança de foco narrativo (narrador em 1ª e 3ª
pessoa).
-Manusear adequadamente livros didáticos e de literatura e
outros suportes frequentes no contexto social (livros, folhetos,
jornais, compreendendo as formas de sequência ou
organização em seções, no 4º e 5º Ano); BNCC - Eixo:
Práticas culturais das tecnologias de informação e
comunicação.
Construir uma relação afetiva com a literatura infantil.
Compreender as diferentes formas em que a literatura infantil
se apresenta, considerando a sua linguagem (conjunto de
recursos técnicos e expressivos a disposição do escritor).
PRODUÇÃO DE TEXTO
REFERENCIAL CURRICULAR DA REDE MUNICIPAL DE DOURADOS DESCRITORES DO INEP e BNCC
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES
Produção de texto individual e coletiva utilizando o -(RE) Produzir textos de acordo com os gêneros trabalhados D2-Estabelece relações entre partes de um texto,
conhecimento de que dispõe sobre o sistema de escrita: considerando elementos que os estruturam e caracterizam. identificando repetições ou substituições que
Manter a coerência textual na atribuição de título, na contribuem para a continuidade de um texto. I/A/C
AGRUPAMENTO DO NARRAR (Cultura literária continuidade temática e de sentido geral do texto como os
ficcional): procedimentos de coesão mais adequados à língua escrita,
 Contos (de assombração, mistério e outros). garantindo a progressão e a continuidade das ideias. D9-Identifica a finalidade de textos de diferentes
 Narrativa de aventura, de enigma. -Reelaborar e organizar histórias substituindo ou gêneros. A/C
 Poemas12 acrescentando partes.
 Canções -Identificar recursos utilizados para obter determinados efeitos
 História engraçada de sentido: elementos constitutivos de texto, coerência e D7 – Identifica o conflito gerador do enredo e os
 Vídeos e animações coesão, pontuação, concordância nominal e verbal, ortografia elementos que constroem a narrativa. I/A/C
e paragrafação.
-Reconhecer a estrutura do gênero textual a ser produzido.

12
O Poema é um gênero que pode mudar de agrupamento de acordo com a necessidade/situação de comunicação.
97
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
AGRUPAMENTO DO RELATAR: (Documentação e -Produzir antologias de poemas infantis por meio de registros D8 – Estabelece relação causa /consequência entre
memorização das ações humanas) do texto selecionado ou de recriação. BNCC - Eixo: Práticas partes e elementos do texto. I/A/C
 Pequena reportagem artístico-literárias.
 Notícia -Recontar contos tradicionais, respeitando a descrição do
 Diário virtual (blog) cenário, dos personagens, o conflito e o desfecho, usando de D12 – Estabelece relações lógico-discursivas presentes
 Diário de bordo modo coerente a sequência temporal; BNCC - Eixo: Prática no texto, marcadas por conjunções, advérbios, etc.
 Crônica social da vida cotidiana. I/A/C
-Reescrever histórias conhecidas, recuperando os diferentes
AGRUPAMENTO DO EXPOR (Transmissão de personagens e as ações que se desenvolvem no tempo; BNCC
conhecimento): - Eixo: Práticas artístico-literárias.
 Exposição escrita de experiência científica -Reconhecer marcadores temporais e relações de causalidade,
D10 – Identifica as marcas linguísticas que evidenciam
em contos acessíveis às crianças; BNCC - Eixo: Práticas
 Dicionário, glossário para fins específicos. o locutor e o interlocutor de um texto. I/A/C
Artístico-Literárias.
 Tabelas simples
-Relatar, com coerência, experiências vividas, usando
 Gráficos simples Relatar, com coerência e objetividade experiências
diferentes elementos que marquem a passagem do tempo;
 Exposição oral de trabalhos BNCC - Eixo: Prática da vida cotidiana.
vividas. BNCC - Eixo: Prática da vida cotidiana, com
 Cartaz, faixa educativa. -Relatar, com objetividade, episódios vividos ou conhecidos,
alteração.
respeitando a ordem de apresentação dos fatos, selecionando
temas principais e secundários e posicionar-se, com clareza,
D15 – Reconhece diferentes formas de tratar uma
sobre um tema do seu cotidiano; BNCC - Eixo: Prática da
-PRODUÇÃO DE TEXTO- mensagens no whatsApp, informação na comparação de textos que tratam do
vida cotidiana.
Messenger, e-mail, whattpad, etc BNCC - Eixo: Práticas mesmo tema, em função das condições em que ele foi
-Recontar o enredo de um filme ou de um desenho que viu,
culturais das tecnologias de informação e comunicação. produzido e daquelas em que será recebido. I/A/C
com base na memorização de cenas; BNCC - Eixo: Prática
da vida cotidiana.
-Identificar, em notícias e reportagens de jornais ouvidas ou
-OUTROS- produzir vídeos curtos de aula, dramatização em lidas com apoio do/a professor/a, elementos como o quê,
vídeos,simulação de telejornal, telenovela, programas de D6 – Identificar o tema de um texto. A/C
quem, onde, quando e como. BNCC - Eixo: Práticas político-
estúdio, (tudo com fins pedagógicos) etc. BNCC - Eixo: cidadã.
Práticas culturais das tecnologias de informação e -Compreender a estrutura de cartazes e faixas que circulam na
comunicação. escola e no seu entorno e os principais recursos de
D11 – Distinguir um fato da opinião relativa a esse
convencimento neles utilizados. BNCC - Eixo: Práticas
fato. I/A/C
político-cidadã.
-Escrever cartazes e faixas educativas, usando recursos
argumentativos adequados à situação comunicativa. BNCC -
Eixo: Práticas político-cidadã.
98
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
-Formular perguntas pertinentes ao conteúdo de um tema
estudado. BNCC - Eixo: Práticas investigativas.
-Registrar resultados de pesquisa em áudio, vídeo, a partir de
relatos construídos com o/a professor/a. BNCC - Eixo:
Práticas investigativas.
-Exercitar a escrita em editores de textos e outros programas
oferecidos nas mídias digitais, fazendo uso de diferentes
linguagens. BNCC - Eixo: Práticas culturais das tecnologias
de informação e comunicação.
Recursos utilizados na escrita, com apoio do professor, Noções do estabelecimento de unidade de sentido:
para obtenção de determinados efeitos de sentido:  Segmentação do texto em frases e parágrafos, D14 - Identifica o efeito de sentido decorrente do uso
 Letra maiúscula em títulos, nomes próprios e início utilizando recursos do sistema de pontuação; da pontuação e de outras notações. I/A/C
de frases;  Concordância nominal (artigo/substantivo,
 Tipos de letras; substantivo/adjetivo), flexões de gênero (masculino e
 Análise fonológica da palavra; feminino), número (singular e plural) e grau (aumentativo e
 Paragrafação; diminutivo);
 Exploração dos recursos de linguagens: emprego dos  Coesão e coerência;
verbos e dos pronomes (coesão e coerência textual);  Função dos substantivos próprios e comuns;
 Adequação do gênero;  Concordância verbal (verbos e pronomes);
 Pontuação
 Vocabulário
 Ortografia.
 Flexão de gênero (masculino e feminino), número
(singular e plural) e grau (diminutivo e aumentativo).

Planejamento da escrita de textos coletivos considerando o Planejar a escrita de textos considerando o contexto de Planejamento da escrita de textos considerando o
contexto de produção: produção: contexto de produção:
-finalidade  Mobilizar conhecimentos prévios; -Organização das informações mais relevantes:
-especificidade da modalidade textual  Organizar ideias para o desenvolvimento do tema; *o que quer escrever;
-papéis assumidos pelos interlocutores  Organizar as informações mais relevantes para atender a *para quem (diferentes interlocutores);
-mobilização de conhecimentos prévios diferentes finalidades. *para quê (com diferentes finalidades);
-inventário de ideias para o desenvolvimento do tema  Representar com imagens e textos curtos: roteiros, *qual o gênero que melhor exprime essas ideias;
-organização de informações mais relevantes: cenários, personagens, cenas e espaços, construindo *para circular em diferentes espaços sociais
*o que quer escrever significados e compreensão do real. (linguagem coloquial o formal). I/A

99
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
*para quem (diferentes interlocutores)  Escrever texto de memória. -Representa com imagens e textos curtos: roteiros,
*para quê (com diferentes finalidades) cenários, personagens, cenas e espaços, construindo
*qual o gênero que melhor exprime essas ideias significados e compreensão do real. A/C
*para circular em diferentes espaços sociais (linguagem -Escrever textos de memória. I/A/C
coloquial ou formal).
-Produção de novo texto a partir de modelos.
-Escrita de textos memorizados.
Condições de Produção/Capacidade de Ação ou aspectos -Produzir textos de diferentes gêneros, atendendo a diferentes D14 - Identificar o efeito de sentido decorrente do uso
sociodiscursivo do texto: finalidades. da pontuação e de outras notações. I/A/C
a.Quem é o destinatário? -Identificar a finalidade ou o gênero de diferentes textos e
b.Quem é o emissor? suportes.
c.Qual o papel social de ambos? -Realizar reflexões metalinguísticas sobre a construção de
d.Qual a finalidade do texto? palavras, frases e pequenos textos. D9-Identificar a finalidade de textos de diferentes
e.Qual o meio de veiculação? -Criar e recriar texto ou partes de texto, considerando o gêneros. A/C
f.De que temas tratam o gênero? contexto de produção.
g.Qual é o gênero textual?
h.Quais papéis assumem os interlocutores?
i.Qual a linguagem, coloquial ou formal?
Produção escrita (rascunho) e edição final:
-estabelecimento de unidade de sentido;
-fatores de textualidade (coesão e coerência)
-pontuação, ortografia, acentuação e segmentação;
-concordância verbal e nominal.
Segmentação do texto em frases e parágrafos.
Reescrita do texto coletivo ou não observando recursos Reescrever o texto, palavras e frases, observando: D6 – Identificar o tema de um texto. A/C
linguísticos como:  Título do texto;
 o desenvolvimento do tema;  O desenvolvimento do tema;
 a adequação necessária, em função do interlocutor,  Concordância nominal e verbal, recursos coesivos;
finalidade do texto, características do gênero, pontuação,  A segmentação do texto em palavras e frases; D11 – Distinguir um fato da opinião relativa a esse
segmentação do texto em palavras, frases e parágrafos;  Uso da letra maiúscula em títulos, nomes próprios e fato. I/A/C
 Emprego dos verbos (concordância verbal) e dos início de frases;
pronomes (concordância nominal, coesão e coerência textual);  Uso sinais de pontuação (ponto final, travessão e dois
 Utilização da letra maiúscula em títulos, nomes pontos);
próprios e início de frases;  Recursos linguísticos do gênero - linguagem

100
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
 Paragrafação (ponto final, dois pontos e travessão); adequada ao gênero que produz garantindo a unidade e o
 Vocabulário; sentido do texto: sequência lógica, coerência e coesão;
 Ortografia;  Parágrafos;
 Título do texto.  Traçar corretamente e legível as letras;
Aspectos da escrita:  Organizar as ideias no texto.
*grafia (escrita),
*linguagem (modo de organizar as ideias ao se
expressar por escrito).
ANÁLISE E REFLEXÃO SOBRE A LÍNGUA
REFERENCIAL CURRICULAR DA REDE MUNICIPAL DE DOURADOS DESCRITORES DO INEP e BNCC
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES
Gramática aplicada ao texto no contexto morfológico e --Identificar e segmentar os sons relativos às palavras por D1-Localizar informações explícitas do texto. I/A/C
semântico: meio do lúdico - relação fonema/grafema;
 FONÉTICA - fonemas e fonologia, encontros -Identificar na leitura e na escrita de textos, frases e palavras:
vocálicos (ditongo, tritongo e hiato) e encontros separação de sílabas das palavras ao final de linha D5-Interpretar texto com auxílio de material gráfico
consonantais, dígrafos; (segmentação); diverso (propagandas, quadrinhos, foto, etc). I/A/C
 SÍLABA- tonicidade - acento tônico, classificação -Empregar letras maiúsculas no início de frases, nomes
das sílabas (quantidade de sílabas) quanto posição da sílaba próprios e títulos.
acentuação gráfica; Reconhecer diferentes tipos de letras em diferentes contextos, D14–Identificar o efeito de sentido decorrente do uso
 ORTOGRAFIA - emprego da letra maiúscula e suportes e gêneros textuais, instrumentos de escrita como da pontuação e de outras notações. I/A/C
minúscula na escrita de títulos, nomes e início de frases; papel, lápis/caneta, tela/ teclado; BNCC - Eixo: Apropriação
-Sistema alfabético e norma ortográfica: do sistema de escrita alfabética/ortográfico e tecnologias da
-Ordem alfabética escrita, com alterações. D12–Estabelecer relações lógico-discursivas presentes
-Ortografia considerando as irregularidades da língua escrita: - Reconhecer que as sílabas variam quanto à sua combinação no texto, marcadas por conjunções, advérbios, etc.
M antes de P/B; AM/ (NA não seria an) NA; LH/LI; F/V; entre consoantes e vogais (CV, CCV, CVV, CVC, V,VC,
C/G; D/T; GE/GI; JE/JI; AS/AZ ou conforme necessidades VCC, CCVCC) e que as vogais estão presentes em todas as
encontradas; sílabas; ; BNCC - Eixo: Apropriação do sistema de escrita
- Ortografia aplicada ao texto: S/Ç/SS/X/SC, S/Z, R/RR, U/L, alfabética/ortográfico e tecnologias da escrita, com
E/I, O/U, X/CH, J/G, SC, XC, Ç, X, S, Z. alterações.
- Ortografia: QUA/QUE/QUI, AM, NS, X, CH, H, TIL (Ã, Ler palavras com estruturas silábicas diversas,
ÃO, ÕES + S).entre outras; compreendendo regras contextuais que explicam o valor
- Grafia das palavras mais usuais que apresentam dígrafos, sonoro de grafemas. BNCC - Eixo: Apropriação do sistema
ditongos: O/U, E/I, U/L, ÃO /AM, R final, QUA/QUE/QUI, de escrita alfabética/ortográfico e tecnologias da escrita,
AM, NS, X, CH, H, TIL (Ã, ÃO, ÕES + S). com alterações.

101
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
 ACENTUAÇÃO GRÁFICA - regras de acentuação, -Compreender e ordenar o funcionamento do sistema de
(oxítona, paroxítona, proparoxítona); escrita alfabética; Exemplo: organizar informações e facilitar
 NOTAÇÕES LEXICAS - divisão silábica e partição procura e busca; BNCC - Eixo: Apropriação do sistema de
de palavras; escrita alfabética/ortográfico e tecnologias da escrita, com
 CLASSE GRAMATICAL: alterações.
-classificação dos substantivos (flexão: gênero, número e -Reconhecer o acento gráfico como marca da tonicidade: a
grau) posição da sílaba tônica;
-artigo - definido e indefinido; -Reconhecer em textos escritos, recursos utilizados pelo autor
-adjetivos, artigos; para obter determinados efeitos de sentido:
-numeral(cardinais,ordinais e romanos); -recursos coesivos e suas finalidades;
-pronome (noções iniciais); -o valor expressivo dos sinais de pontuação;
-advérbios e expressões adverbiais; -recursos linguísticos (modo, tempo verbal e pronomes)
-verbo - formas verbais imperativos (indicativos da utilizados nos textos;
continuidade do processo noções iniciais); -formas verbais imperativos no gerúndio;
-formas verbais no gerúndio e no infinitivo; -reconhecer recursos de linguagem figurada; os
-conjunção, preposição, interjeição ( noções iniciais); elementos de intencionalidade implícita (recursos
 SIGNIFICAÇÃO DAS PALAVRAS - sinônimo e persuasivos, humor, metáforas);
antônimo; -Identificar as classes gramaticais (adjetivo, conjunção e
 LINGUAGEM FIGURADA (conotação e preposição) em estruturação de textos e frases, observando o
denotação) - metáfora, onomatopeia, humor, ironia, ( noções uso da concordância nominal;
iniciais); -Utilizar regras padrão de concordância verbal (sujeito e
 FRASE - tipos de frase, segmentação do texto em predicado), concordância nominal (artigo e substantivo,
frases e parágrafos, utilizando recursos do sistema de substantivo e adjetivo) e flexão de gênero (masculino e
pontuação (ponto final, exclamação, interrogação e vírgulas feminino) e número (singular e plural);
nas enumerações); -Comparar textos considerando o tema, características
textuais, organização das ideias e finalidade;
 CONECTIVOS - Elementos de coesão mais
adequados à língua escrita garantindo progressão e -Compreender o sentido das palavras sinônimo, antônimo,
prefixos, sufixos e outras estratégias para formar palavras;
continuidade das ideias
-Identificar as regras gramaticais (substantivos, adjetivo,
 CONCORDÂNCIA - nominal (substantivo/artigo,
numeral, verbos, pronomes e advérbios,) em estruturação de
substantivo/adjetivo), concordância verbal (sujeito e
textos e frases, nas diversas modalidades da linguagem,
predicado);
observando a concordância nominal e verbal.
-Perceber que não se escreve do modo como se pronuncia;
-ANÁLISE E REFLEXÃO DA LÍNGUA- jogos nos sites
Compreender e utilizar convenções ortográficas relativas às
educativos, atividades no "portal do aluno", Power point no
regularidades contextuais; BNCC - Eixo: Apropriação do
102
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
celular e enviar aos colegas e professor, etc. sistema de escrita alfabética/ortográfico e tecnologias da
escrita, com alterações.
Uso do dicionário, compreendendo sua função e organização. Saber usar o dicionário, compreendendo sua função e
organização.
Relação fonológica: análise e associação de fonemas e -Ler, ajustando a pauta sonora ao escrito, compreender e
grafemas (som/letra). dominar as correspondências entre letras ou grupos de letras e
seu valor sonoro, construindo a correspondência
fonema/grafema- grafema/fonema de modo a ler e a escrever
palavras e textos.
Ler palavras com estruturas dialéticas diversas,
compreendendo regras contextuais que explicam o valor
sonoro de grafemas. BNCC - Eixo: Apropriação do sistema
de escrita alfabética/ortográfico e tecnologias da escrita,
com alterações.

103
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
LEITURA, LITERATURA E PRODUÇÃO TEXTUAL - LLPT
1º Ano – LEITURA, LITERATURA E PRODUÇÃO TEXTUAL - ANUAL
REFERENCIAL CURRICULAR DA REDE MUNICIPAL DE DOURADOS
ORALIDADE DESCRITORES13 e CAPACIDADES PNAIC – (2012)
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES
Situações de comunicação com instrumentos de Narrar fatos considerando a sequência lógica do gênero. C1 - Participa de interações orais em sala de aula,
socialização e aprendizagem na apresentação de Participar de situações de comunicação direta ou mediada questionando, sugerindo, argumentando e respeitando os
sequências de expressão oral: (TV, telefone, rádio e outros). turnos de fala. I/A
 Narrar histórias lidas pela professora, contada Inferir sobre alguns elementos de intencionalidade implícita C2 - Escuta com atenção textos de diferentes gêneros,
pelos pais e/ou responsáveis, filme/vídeos, contar (sentido figurado, recursos persuasivos e outros). sobretudo os mais formais, comuns em situações públicas,
história utilizando imagens, fantoches, Apropriar-se progressivamente de novas palavras, ampliando analisando-os criticamente. I/A
dramatizando; o seu vocabulário. C3 - Planeja intervenções orais em situações públicas:
 Explicar o caminho que faz de casa até a escola; Desenvolver o hábito de ouvir com atenção como forma de exposição oral, debate, contação de história. I
localização de ambientes da escola (sala da melhorar a comunicação e a interação com o grupo. C8 - Valoriza os textos de tradição oral, reconhecendo-os
direção, da coordenação, refeitório, biblioteca, e Estabelecer o diálogo com os colegas, professores como manifestações culturais. I/A/C
outros); instruções de confecção de brinquedo, reconhecendo o turno de fala e o espaço público escolar. C4 - Produzir textos orais de diferentes gêneros, com
cuidados com uma planta, BNCC - Eixo: Prática da vida cotidiana, com alterações. diferentes propósitos, sobretudo os mais formais comuns em
Respeitar os diferentes modos de falar de outras pessoas instâncias públicas (debate, entrevista, exposição, notícia,
-Audição atenta em situações de interlocução, com (variação linguística). propaganda, relato de experiências orais, dentre outros). I
intervenções adequadas, formulação de perguntas e Compreender enunciados de exercícios e tarefas, realizados C5 - Analisar a pertinência e a consistência de textos orais,
opiniões. em diferentes componentes curriculares; BNCC – Eixo: considerando as finalidades e características dos gêneros. I
-Adequação da linguagem à situação de uso por meio de “Práticas Investigativas”. C6 - Reconhecer a diversidade linguística, valorizando as
conversas, diálogos, debates, dramatizações e simulações. Ditar receitas ou instruções, ainda que de forma não diferenças culturais entre variedades regionais, sociais, de
-Adequação da linguagem coloquial para a linguagem convencional, considerando a situação de interação; BNCC - faixa etária, de gênero dentre outras. I
formal (respeitando a variação linguística). Eixo: Prática da vida cotidiana, com alterações. C7 - Relacionar fala e escrita, tendo em vista a apropriação
-Escuta atenta em situações comunicativas, formulação de Ditar slogans e/ou regras de convivência escolar. BNCC – do sistema de escrita, as variantes linguísticas e os diferentes
perguntas e opiniões. Eixo: Práticas Político-Cidadã. gêneros textuais. I
Reconhecer a função dos itens de uma enumeração em textos
Sugestões de gêneros orais do narrar: instrucionais, utilizando-os para executar ações. BNCC -

13
Os descritores foram retirados do documento: BRASIL, Guia de correção e interpretação dos resultados: leitura e matemática – Provinha Brasil 2015. Instituto Nacional de
Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira /Inep. Diretoria de Avaliação da Educação Básica/Daeb.MEC, 2015, p. 11-14 e p. 16-17.

104
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
Conto de fadas Eixo: Prática da vida cotidiana.
História em quadrinhos (muda) Apreciar textos literários tradicionais, da cultura popular,
Tirinha (muda) afro-brasileira, africana, indígena e de outros povos; BNCC -
Adivinha Eixo: Práticas Artístico-Literárias, com alterações.
Ouvir canções e histórias contadas ou lidas. BNCC - Eixo:
Sugestões de gêneros orais do instruir: Práticas Artístico-Literárias.
Direção/localização oral com apoio em mapas ou roteiros Ouvir e recitar poemas, parlendas, trava-línguas
Receita/instrução para confecção de um brinquedo memorizados, respeitando o ritmo, a melodia e a
expressividade; BNCC - Eixo: Práticas Artístico-Literárias.
Recontar textos conhecidos, respeitando a estrutura do gênero
(contos de fadas, contos de repetição, entre outros); BNCC -
Eixo: Práticas Artístico-Literárias.
Recontar histórias lidas/contadas por outros, com apoio em
livros, revistas e outros suportes; BNCC - Eixo: Práticas
Artístico-Literárias.
Memorizar e cantar canções, considerando o ritmo e a
melodia;
Reconhecer marcadores temporais, a partir da audição de
contos narrados pelo professor e outros; BNCC - Eixo:
Práticas Artístico-Literárias.
Antecipar enredo de uma história, a partir de imagens, títulos
e outras pistas; BNCC - Eixo: Práticas Artístico-Literárias.
Ditar e/ou registrar, ainda que de forma não convencional,
textos narrativos; BNCC - Eixo: Práticas Artístico-
Literárias.
Apreciar aspectos lúdicos e sonoros de poemas e
experimentar brincadeiras com a dimensão sonora e gráfica
das palavras; BNCC - Eixo: Práticas Artístico-Literárias.
Formular perguntas para conhecer fenômenos naturais e
sociais que cercam o cotidiano; BNCC - Eixo: Práticas
Investigativas.

105
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
PRATICA DE LEITURA
DESCRITORES14 e CAPACIDADES PNAIC – (2012)
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES
Leitura e interpretação de textos (gêneros textuais): Corresponder palavras ou expressões as respectivas imagens C1 - Ler textos não verbais, em diferentes suportes. I/A
AGRUPAMENTO DO NARRAR (Cultura literária e o próprio desenho. D3.2 - Lê palavras com correspondências regulares diretas
ficcional) Relacionar títulos ao texto. entre letras e fonemas (P, B, T, D, F, V). A/C
Conto de fadas Reconhecer assuntos tratados em textos de diferentes gêneros, D5.1- Lê em voz alta uma sentença ou um texto. A/C
História em quadrinhos (muda) lidos pelo professor ou outro leitor experiente. C2 - Lê textos (poemas, canções, tirinhas, textos de tradição
Tirinha (muda) Identificar sequência lógica de uma narrativa com o apoio de oral, dentre outros), com autonomia. I/A
imagens. C14 - Apreende assunto tratado em textos de diferentes
AGRUPAMENTO DO RELATAR: (Documentação e Reconhecer a função/finalidade do texto. gêneros, lidos com autonomia. I
memorização das ações humanas) Ler palavras e textos apoiando-se em imagens. BNCC – D7.1 - Reconhece o assunto do texto com o apoio das
Autorretrato Eixo: Apropriação do Sistema de Escrita características gráficas e do suporte. A/C
Cardápio de merenda/cantina Alfabética/Ortográfico e Tecnologias da Escrita. D7.2 - Reconhece o assunto do texto com base no título. I/A
Convite -Ler, ajustando a pauta sonora ao escrito. BNCC – Eixo: D7.3 - Reconhece o assunto do texto a parir da leitura
Apropriação do Sistema de Escrita Alfabética/Ortográfico e individual (sem apoio das características gráficas ou do texto-
AGRUPAMENTO DO ARGUMENTAR (Discussão de Tecnologias da Escrita. base). I/A.
problemas sociais controversos) Inferir resposta a partir de pistas de conteúdo dadas no texto; C13 - Apreender assuntos/temas tratados em textos de
Propaganda infantil (impressa e eletrônica) BNCC – Eixo: Práticas artístico-Literárias, com adaptação. diferentes gêneros, lidos pelo professor ou outro leitor
Ler e apreciar textos literários tradicionais, da cultura experiente. I/A
AGRUPAMENTO DO EXPOR (Transmissão de popular, afro-brasileira, africana, indígena e de outros povos
conhecimento) comentando temas e imagens. BNCC – Eixo: Práticas C8 e D6.1 - Localiza informações explícitas em textos de
Rótulo artístico-Literárias. diferentes gêneros, temáticas, lidos com autonomia:
Lista. Ouvir canções e histórias contadas ou lidas. BNCC – Eixo: Reconhece: I
Práticas artístico-Literárias.  Autor
AGRUPAMENTO DO INSTRUIR: descrever/regular Identificar o assunto em notícias e reportagens de jornais  Ilustrador
comportamento. infantis lidos por outros; BNCC – Eixo: Práticas Político-  Data de Publicação
Receita/instrução para confecção de um brinquedo Cidadã.  Editora
Compreender slogans de campanhas educativas, voltadas para  Descrição de personagens
crianças; BNCC – Eixo: Práticas Político-Cidadã.  Referência espacial ou cenário
Localizar informações em listas, quadros, notas de divulgação

14
Os descritores foram retirados do documento: BRASIL, Guia de correção e interpretação dos resultados: leitura e matemática – Provinha Brasil 2015. Instituto Nacional de
Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira /Inep. Diretoria de Avaliação da Educação Básica/Daeb.MEC, 2015, p. 11-14 e p. 16-17.

106
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
Estratégias/Práticas de leitura: científica para crianças, lidas pelo professor; BNCC – Eixo:  Referência temporal
Auditiva, Práticas Investigativas.
Livre escolha, Localizar informações explícitas e implícitas no texto. C11 e D9 - Estabelece relação entre partes do texto
Informativa Compreender, com o apoio do professor, enunciados de identificando repetições e substituições que contribuem para
Silenciosa tarefas escolares. BNCC – Eixo: Práticas Investigativas. a coerência e a coesão textual. I/A
-Estratégias de leitura: Reconhecer palavras em textos, a partir de alguns índices C13 - Lê ajustando a pauta sonora ao escrito. I/A/C (ASEA)
Seleção sonoros e suas correspondências gráficas; BNCC – Eixo: C12 - Estabelece relações lógicas entre partes de textos de
Antecipação Apropriação do Sistema de Escrita Alfabética/Ortográfico e diferentes gêneros e temáticas, lidos com autonomia. I
Verificação Tecnologias da Escrita. C4 - Antecipar sentidos e ativar conhecimentos prévios
Inferência. Ler oralmente textos familiares e curtos (títulos de histórias, relativos aos textos a serem lidos pelo professor ou pelas
Pontuação manchetes, quadrinhas, entre outros) após leitura silenciosa; crianças. I/A
-Desenvolvimento da educação estética e afetiva BNCC – Eixo: Apropriação do Sistema de Escrita C7 - Localiza informações explícitas em textos de diferentes
explorando o conjunto da obra a ser lida, o caráter dialogal Alfabética/Ortográfico e Tecnologias da Escrita. gêneros, temáticas, lidos pelo professor ou outro leitor
entre texto e imagem estimulando a aprendizagem, em Manusear adequadamente livros didáticos e de literatura e experiente. I/A
suas possibilidades de ampliação de horizontes e de outros suportes frequentes no contexto social. BNCC – Eixo:
percepções diferenciadas de mundo. Apropriação do Sistema de Escrita Alfabética/Ortográfico e C15 - Interpreta frases e expressões em textos de diferentes
-Leitura de textos literários e não literários, de variados Tecnologias da Escrita. gêneros e temáticas, lidos pelo professor ou outro leitor
gêneros, que conduz a relação afetiva com a literatura Compreender os modos de organização da biblioteca da experiente. I/A
infantil, da ficção, da fantasia, do imaginário, com poder turma. BNCC – Eixo: Apropriação do Sistema de Escrita C16 - Interpreta frases e expressões em textos de diferentes
de divertir, de explorar a linguagem artística, a riqueza, a Alfabética/Ortográfico e Tecnologias da Escrita. gêneros e temáticas, lidos com autonomia. I/A
beleza. Identificar recursos sonoros (ritmo, rimas) e visuais para C3 - Compreende textos lidos por outras pessoas, de
-Repertório de signos e componentes sensoriais, utilizados obtenção de efeitos em textos poéticos e narrativos; diferentes gêneros e com diferentes propósitos. I/A
pelo autor na realização de registros intencionais, que Ouvir canções e histórias contadas ou lidas, de maior C6 - Lê em voz alta, com fluência, em diferentes situações. I
trazem elementos da linguagem do próprio autor para extensão, e, assistir a apresentações teatrais, desenvolvendo D10.15 - Infere informação. A/C
transmitir ideias e sensações. atenção e interesse; BNCC – Eixo: Práticas artístico- C9 - Realiza inferências em textos de diferentes gêneros e
Exs.: recursos linguísticos: onomatopeias, expressões Literárias. temáticas, lidos pelo professor ou outro leitor experiente. I/A
faciais, corporais e outros elementos das histórias. Reconhecer que existem critérios de organização da C10 - Realizar inferências em textos de diferentes gêneros e
-PRÁTICAS DE LEITURA- livros digitais, sites, vídeos informação em textos como fichas informativas, tabelas, temáticas, lidos com autonomia. I
no celular e mensagens, etc. (BNCC, Eixo: Práticas verbetes de divulgação científica para crianças; BNCC – C17 - Estabelecer relação de intertextualidade entre textos. I
culturais das tecnologias de informação e Eixo: Práticas Investigativas. C5 - Reconhece finalidades de textos lidos pelo professor ou
comunicação). Diferentes espaços de leitura incluindo o -Ler com fluência e observar o valor expressivo dos sinais de pelas crianças. I/A
uso da biblioteca escolar. pontuação (com ajuda do leitor mais experiente): D8.1 - Reconhece a finalidade do texto com o apoio das
Recursos técnicos e comunicativos utilizados para  Ponto final características gráficas do suporte ou do gênero. A/C
expressões de linguagem, convenções literárias (o belo, o  Interrogação D8.2 - Reconhece a finalidade do texto a partir da leitura
 Exclamação. individual; I/A
107
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
prazer, o lúdico, vinculados com o sensorial, o emocional -Reconhecer a finalidade do texto. Compreende sentidos construídos a partir da leitura
- sentimentos, desejos e ideias). -Reconhecer o gênero textual em estudo. compartilhada. Interpretação da leitura oral. I/A
-Identificar signos e componentes sensoriais nas obras C18 - Relaciona textos verbais e não-verbais, construindo
literárias. sentidos. I/A (ASEA)
-Explorar novas obras literárias. D.1.1 - Diferencia letras de outros sinais gráficos. A/C
-Reconhecer a leitura como fonte de informação, lazer e (ASEA)
cultura. D1.3a - Identifica diferentes tipos de letras: A/C (ASEA)
-Apreciar a literatura como diferentes maneiras de *de imprensa maiúscula e minúscula; A/C (ASEA)
comunicação. *cursiva. I/A. (ASEA)
-Recortar, sintetizar e interpretar o real por intermédio do D1.3b - Identifica mais de uma palavra que se repete, escrita
ponto de vista do escritor (narrador ou do poeta) com ajuda com letras de diferentes tipos, combinando letras. I/A.
do leitor mais experiente; (ASEA)
-Compartilhar leituras. D2 - Reconhece, a partir de palavra ditada e/ou imagem o
-Trocar impressões sobre o enredo. valor sonoro de uma sílaba. A/C (ASEA)
-Construir significados.
-Comunicar opiniões.
Construir uma relação afetiva com a literatura infantil.
Compreender as diferentes formas em que a literatura infantil
se apresenta, considerando a sua linguagem (conjunto de
recursos técnicos e expressivos a disposição do escritor).
PRODUÇÃO DE TEXTO DESCRITORES
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES CAPACIDADES PNAIC – (2012)
Produção de texto individual e coletiva, escrita de letras, Escrever alfabeticamente, palavras, frases e textos com apoio C4 - Produzir textos de diferentes gêneros com autonomia,
sílabas, palavras e frases em diferentes situações de de desenhos. atendendo a diferentes finalidades. I
produção, utilizando o conhecimento de que dispõe sobre Escrever palavras com correspondências regulares diretas C5 - Gerar e organizar o conteúdo textual, estruturando os
o sistema de escrita: entre letras e fonemas; BNCC – Eixo: Apropriação do períodos e utilizando recursos coesivos para articular ideias e
Sistema de Escrita Alfabética/Ortográfico e Tecnologias da fatos. I
AGRUPAMENTO DO RELATAR: documentação e Escrita.
memorização das ações: Escrever palavras e textos, segundo sua compreensão do C8 - Utilizar vocabulário diversificado e adequado ao gênero
Autorretrato sistema alfabético, ainda que não convencionalmente; BNCC e às finalidades propostas. I/A
Cardápio de merenda/cantina – Eixo: Apropriação do Sistema de Escrita
Convite Alfabética/Ortográfico e Tecnologias da Escrita. D3 - Diferencia letras de outros sinais gráficos, como os
Escrever o próprio nome e utilizá-lo como referência para números, sinais de pontuação ou de outros sistemas de
escrever e ler outras palavras, construindo a correspondência representação. A/C (ASEA)
AGRUPAMENTO DO ARGUMENTAR: discussão de fonema/ grafema; BNCC – Eixo: Apropriação do Sistema
108
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
problemas sociais controversos: de Escrita Alfabética/Ortográfico e Tecnologias da Escrita. D7 - Demonstra conhecimentos sobre a escrita do próprio
Propaganda infantil (impressa e eletrônica) Reconhecer palavras e frases frequentes em textos, sem a nome. A/C (ASEA)
necessidade de decodificação. BNCC – Eixo: Apropriação
do Sistema de Escrita Alfabética/Ortográfico e Tecnologias D8 - Escreve palavras ditadas demonstrando conhecer o
AGRUPAMENTO DO EXPOR: transmissão de da Escrita. princípio alfabético. A/C (ASEA)
conhecimento: Usar diferentes tipos de letras em situações de escrita de
Rótulo palavras e textos. (Apropriação do sistema de Escrita D1 - Identifica letras do alfabeto. A/C (ASEA)
Lista. Alfabética/ PNAIC, 2012).
Produzir textos diversificados, individual e coletivo (na D2 - Conhece as direções da escrita. A/C (ASEA)
modalidade oral, escrita, imagens ou desenhos) observando
Utilizar recursos diversos - máquina fotográfica, os elementos que caracterizam e estruturam cada gênero C15 - Domina as correspondências entre letras ou grupos de
filmadora, computadores – para registrar e comunicar textual. letras e seu valor sonoro, de modo a escrever palavras e
ideias. BNCC – Eixo: Práticas Culturais das Tecnologias Desenvolver o tema proposto. textos. I/A (ASEA)
de informação e Comunicação. Compreender elementos do texto que marcam suas partes
como títulos, sumário, texto principal, tópicos; BNCC – C1 - Analisa a adequação de um texto (lido, escrito ou
Eixo: Apropriação do Sistema de Escrita escutado) aos interlocutores aos quais se destina e à
Alfabética/Ortográfico e Tecnologias da Escrita. formalidade do contexto. I/A (Análise Línguística:
Segmentar o texto em frases e parágrafos, utilizando recursos Discursividade, Textualidade e Normatividade/ PNAIC,
do sistema de pontuação. 2012)
Utilizar letra maiúscula no início de frases, de nomes próprios
e de títulos. Escrever palavras irregulares que aparecem com frequência
Dominar as correspondências entre letras ou grupos de letras nos textos lidos. I
e seu valor sonoro, de modo a escrever palavras e textos.
Reconhecer as variações fonéticas das palavras e a C2 - Conhecer e usar diferentes suportes textuais, tendo em
necessidade de acentuá-las. vista suas características: finalidades, esfera de circulação,
Registrar, sob a forma de desenhos, gravação em áudio e tema, forma de composição, estilo, etc. I/A/C (Análise
vídeo, ou pequenas anotações escritas, resultados de Línguística: Discursividade, Textualidade e
atividades de pesquisa. BNCC – Eixo: Práticas Normatividade/ PNAIC, 2012)
Investigativas.
Relatar, com coerência, experiências vividas, usando C3 - Reconhecer gêneros textuais e seus contextos de
diferentes elementos que marquem a passagem do tempo; produção. I/A/C (Análise Línguística: Discursividade,
BNCC – Eixo: Práticas da Vida Cotidiana. Textualidade e Normatividade/ PNAIC, 2012)
Argumentar acerca de atitudes e tomadas de decisões
cotidianas; BNCC – Eixo: Práticas da Vida Cotidiana. C4 - Conhecer e usar palavras ou expressões que estabelecem
Relatar, com objetividade, episódios vividos ou conhecidos, a coesão como: progressão do tempo, marcação do espaço e
109
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
respeitando a ordem de apresentação dos fatos, selecionando relações de causalidades. I (Análise Línguística:
temas principais e secundários. BNCC - Eixo: Prática da Discursividade, Textualidade e Normatividade/ PNAIC,
vida cotidiana. 2012)
Apreciar aspectos lúdicos e sonoros de poemas e
experimentar brincadeiras com a dimensão sonora e gráfica C5 - Conhecer e usar palavras ou expressões que retomam
das palavras; BNCC – Eixo: Práticas artístico-Literárias. coesivamente o que já foi escrito (pronomes pessoais,
Produzir antologias, varais e murais, por meio de registro de sinônimos e equivalentes). I (Análise Línguística:
quadrinhas, parlendas, poemas. BNCC – Eixo: Práticas Discursividade, Textualidade e Normatividade/ PNAIC,
artístico-Literárias. 2012)
Utilizar os meios digitais para buscar, a partir de palavras-
chave, informações relevantes. BNCC – Eixo: Práticas C13 - Reconhecer diferentes variantes de registro de acordo
Investigativas. com os gêneros e situações de uso. I (Análise Línguística:
Discursividade, Textualidade e Normatividade/ PNAIC,
2012)

Recursos utilizados na escrita, com apoio do professor, Noções do estabelecimento de unidade de sentido: D14 – Identifica o efeito de sentido decorrente do uso da
para obtenção de determinados efeitos de sentido:  Segmentação do texto em frases e parágrafos, pontuação e de outras notações. I/A/C
 Letra maiúscula em títulos, nomes próprios e utilizando recursos do sistema de pontuação;
início de frases;  Concordância nominal (artigo/substantivo, C12 - Pontua o texto. I (Análise Linguística:
 Tipos de letras; substantivo/adjetivo), flexões de gênero (masculino e Discursividade, Textualidade e Normatividade/ PNAIC,
 Análise fonológica da palavra; feminino), número (singular e plural) e grau (aumentativo e 2012)
 Paragrafação; diminutivo);
 Exploração dos recursos de linguagens: emprego  Coesão e coerência;
dos verbos e dos pronomes (coesão e coerência textual);  Função dos substantivos próprios e comuns; C6 - Usa diferentes tipos de letras em situações de escrita de
 Adequação do gênero;  Concordância verbal (verbos e pronomes); palavras e textos. I/A (ASEA)
 Pontuação  Pontuação
 Vocabulário
 Ortografia.
 Flexão de gênero (masculino e feminino),
número (singular e plural) e grau (diminutivo e
aumentativo).

110
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
Planejamento da escrita de textos coletivos Planejar a escrita de textos considerando o contexto de Planejamento da escrita de textos considerando o contexto de
considerando o contexto de produção: produção: produção:
-finalidade  Mobilizar conhecimentos prévios; -Organização das informações mais relevantes:
-especificidade da modalidade textual  Organizar ideias para o desenvolvimento do tema; *o que quer escrever;
-papéis assumidos pelos interlocutores  Organizar as informações mais relevantes para *para quem (diferentes interlocutores);
-mobilização de conhecimentos prévios atender a diferentes finalidades. *para quê (com diferentes finalidades);
-inventário de ideias para o desenvolvimento do tema  Representar com imagens e textos curtos: roteiros, *qual o gênero que melhor exprime essas ideias;
-organização de informações mais relevantes: cenários, personagens, cenas e espaços, construindo *para circular em diferentes espaços sociais (linguagem
*o que quer escrever significados e compreensão do real. coloquial o formal). I/A.
*para quem (diferentes interlocutores)  Escrever texto de memória. -Representa com imagens e textos curtos: roteiros, cenários,
*para quê (com diferentes finalidades) personagens, cenas e espaços, construindo significados e
*qual o gênero que melhor exprime essas ideias Planejar a escrita de textos considerando o contexto de compreensão do real. A/C
*para circular em diferentes espaços sociais (linguagem produção: organizar roteiros, planos gerais para atender a -Escreve textos de memória. I/A/C
coloquial ou formal). diferentes finalidades, com ajuda de escriba. C1 - Planejar a escrita de textos considerando o contexto de
-Produção de novo texto a partir de modelos. produção: organizar roteiros, planos gerais para atender a
-Escrita de textos memorizados. Planejar a escrita de textos considerando o contexto de diferentes finalidades, com ajuda de escriba. I/A
produção: organizar roteiros, planos gerais para atender a C2 - Planejar a escrita de textos considerando o contexto de
diferentes finalidades, com autonomia. produção: organizar roteiros, planos gerais para atender a
diferentes finalidades, com autonomia. I
Condições de Produção/Capacidade de Ação ou aspectos Produzir textos de diferentes gêneros, atendendo a diferentes C3 - Produz textos de diferentes gêneros, atendendo a
sociodiscursivo do texto: finalidades, por meio da atividade de um escriba. diferentes finalidades, por meio da atividade de um escriba.
a.Quem é o destinatário? Identificar a finalidade ou o gênero de diferentes textos e I/A
b.Quem é o emissor? suportes.
c.Qual o papel social de ambos? Realizar reflexões metalinguísticas sobre a construção de D12 - Identifica a finalidade ou o gênero de diferentes textos
d.Qual a finalidade do texto? palavras, frases e pequenos textos. e suportes. A/C
e.Qual o meio de veiculação? Criar e recriar texto ou partes de texto, considerando o
f.De que temas tratam o gênero? contexto de produção. Conhece e compartilha o que sabe sobre a língua. I/A
g.Qual é o gênero textual?
h.Quais papéis assumem os interlocutores? Cria e recria texto ou partes de texto, considerando o contexto
i.Qual a linguagem, coloquial ou formal? de produção a partir de modelos. A/C
Produção escrita (rascunho) e edição final – produção
entendida como frase, palavras e textos.
Reescrita do texto coletivo observando recursos Reescrever, com o apoio do professor, texto, palavras e
linguísticos como: frases, observando: C9 - Revisa coletivamente os textos durante o processo de

111
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
 Emprego dos verbos (concordância verbal) e dos  Título do texto escrita em que o professor é escriba, retomando as partes já
pronomes (concordância nominal, coesão e  O desenvolvimento do tema; escritas e planejando os trechos seguintes. I/A
coerência textual;  Concordância nominal e verbal, recursos coesivos
 Utilização da letra maiúscula em títulos, nomes mesmo que da linguagem oral; C8 - Utiliza vocabulário diversificado e adequado ao gênero
próprios e inicio de frases;  A segmentação do texto em palavras e frases; e às finalidades propostas. I/A
 Paragrafação (ponto final, dois pontos e  Uso da letra maiúscula em títulos, nomes próprios e
travessão); início de frases.
 Vocabulário  Usar sinais de pontuação (ponto final, travessão e
 Ortografia dois pontos).
 Título do texto  Recursos linguísticos do gênero - linguagem
adequada ao gênero que produz garantindo a unidade
e o sentido do texto: sequência lógica, coerência e
Aspectos da escrita: coesão.
*grafia (escrita),  Parágrafos;
*linguagem (modo de organizar as ideias ao se  Traçar corretamente e legível as letras;
expressar por escrito).  Organizar as ideias no texto
ANÁLISE E REFLEXÃO SOBRE A LÍNGUA DESCRITORES
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES CAPACIDADES PNAIC – (2012)
Análise e reflexão de palavras, frases e textos, Compreender o funcionamento do sistema de escrita D6 - Distingui, como leitor, diferentes tipos de letra. A/C
identificando, sempre na oralidade, elementos alfabética; BNCC – Eixo: Apropriação do sistema de C5 - Reconhece diferentes tipos de letras em textos de
constitutivos dos textos: Escrita Alfabético/Ortográfico e Tecnologias da Escrita. diferentes gêneros e suportes textuais. I/A/C (ASEA)
 Alfabeto; Reconhecer e nomear letras do alfabeto distinguindo-as de C1 - Analisa a adequação de um texto (lido, escrito ou
 Ordem alfabética. outros sinais gráficos; BNCC – Eixo: Apropriação do escutado) aos interlocutores aos quais se destina e à
 Reconhecimento da relação entre imagens, sistema de Escrita Alfabético/Ortográfico e Tecnologias da formalidade do contexto. A/C (Análise Linguística:
ilustrações e textos verbais; Escrita. Discursividade, Textualidade e Normatividade/ PNAIC,
 ORTOGRAFIA - emprego da letra maiúscula e Reconhecer diferentes tipos de letras em diferentes contextos, 2012).
minúscula na escrita de títulos, nomes e início de frases; suportes e gêneros textuais (ACRESCENTAR: instrumentos C15 - Observa e segmenta palavras em texto. I/A/C (Análise
de escrita como papel, lápis/caneta, tela/ teclado); BNCC – Línguística: Discursividade, Textualidade e
Apropriação do Sistema de Escrita Alfabética e norma Eixo: Apropriação do sistema de Escrita Normatividade/ PNAIC, 2012)
ortográfica: Alfabético/Ortográfico e Tecnologias da Escrita. C7 - Conhece e faz uso das grafias de palavras com
 Relação fonológica: análise e associação de Realizar análise fonológica de palavras, segmentando-as correspondências regulares diretas entre letra e fonemas
fonemas e grafemas (som/letra). oralmente em unidades menores (partes de palavras, sílabas), (P,B,T,D,F,V). I/A (Análise Línguística: Discursividade,
 Grafias de palavras com correspondências identificando rimas, aliterações, observando a função sonora Textualidade e Normatividade/ PNAIC, 2012)
regulares diretas entre letras e fonemas (P, B, T, D, F, V). que os fonemas assumem nas palavras, relacionando os C14 e C15 - Domina as correspondências entre letras ou

112
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
(Apropriação do sistema de Escrita Alfabética/ PNAIC, elementos sonoros com sua representação escrita; BNCC – grupos de letras e seu valor sonoro, de modo a ler e escrever
2012). Eixo: Apropriação do sistema de Escrita palavras e textos. I/A (ASEA)
Alfabético/Ortográfico e Tecnologias da Escrita. C1 - Escrever o próprio nome. I/A/C (ASEA)
ACENTUAÇÃO GRÁFICA - regras de acentuação, Reconhecer que as sílabas variam quanto à sua combinação C2 - Reconhecer e nomear as letras do alfabeto. I/A/C
(oxítona, paroxítona, proparoxítona); entre consoantes e vogais (CV, CCV, CVV, CVC, V,VC, (ASEA)
Relação fonológica: análise e associação de fonemas e VCC, CCVCC) e que as vogais estão presentes em todas as C3 - Diferenciar letras de números e outros símbolos. I/A/C
grafemas (som/letra). sílabas; BNCC – Eixo: Apropriação do sistema de Escrita (ASEA)
. Grafias de palavras com correspondências regulares Alfabético/Ortográfico e Tecnologias da Escrita. C4 - Conhecer a ordem alfabética e seus usos em diferentes
diretas entre letras e fonemas: P, B, T, D, e F. Compreender que alterações na ordem escrita dos grafemas gêneros. I/A/C (ASEA)
provocam alterações na composição da palavra; BNCC – C11 - Identifica e faz uso de letra maiúscula e minúscula nos
SIGNIFICAÇÃO DAS PALAVRAS - sinônimo e Eixo: Apropriação do sistema de Escrita textos produzidos, segundo as convenções. I (Análise
antônimo; Alfabético/Ortográfico e Tecnologias da Escrita. Línguística: Discursividade, Textualidade e
LINGUAGEM FIGURADA (conotação e denotação) - Identificar na leitura e na escrita de textos, frases e palavras. Normatividade/ PNAIC, 2012)
metáfora, onomatopeia, humor, ironia, ( noções iniciais); Separação de sílabas das palavras ao final de linha
FRASE - tipos de frase, segmentação do texto em frases e (segmentação); Identificar e segmentar os sons relativos às C7 - Compreender que palavras diferentes compartilham
parágrafos, utilizando recursos do sistema de pontuação palavras por meio do lúdico - relação fonema/grafema; certas letras. I (ASEA)
(ponto final, exclamação, interrogação e vírgulas nas Usar letras maiúsculas e minúsculas em títulos, nomes C8 - Perceber que palavras diferentes variam quanto ao
enumerações); próprios e início de frases. número, repertório e ordem de letras. I/A/C (ASEA)
CONCORDÂNCIA - nominal(substantivo/artigo, Ordenar alfabeticamente como maneira de organizar C9 - Segmentar oralmente as sílabas de palavras e comparar
substantivo/adjetivo), concordância verbal (sujeito e informações e facilitar procura e busca. as palavras quanto ao tamanho. I/A/C (ASEA)
predicado); Localizar letras e sons do alfabeto no próprio nome e em C10 - Saber usar o dicionário, compreendendo sua função e
outros contextos. organização. I/A/C (ASEA)
-ANÁLISE E REFLEXÃO DA LÍNGUA- jogos nos sites Reconhecer diferentes tipos de letras. C11 - Reconhecer que as sílabas variam quanto às suas
educativos, atividades no "portal do aluno", Power point Identificar e fazer uso de letra maiúscula e minúscula nos composições. I/A/C (ASEA)
no celular e enviar aos colegas e professor, etc. textos produzidos, segundo as convenções. C12 - Perceber que as vogais estão presentes em todas as
Conhecer e fazer uso das grafias de palavras com sílabas. I/A/C (ASEA)
correspondências regulares diretas entre letras e fonemas: P,
B, T, D, e F. Estabelece relação entre unidades sonoras e suas
Identificar a unidade linguística e suas possibilidades representações gráficas. A/C
combinatórias. D5 - Identifica, ao ouvir palavras diferentes, sílabas
semelhantes. A/C (ASEA)
Identificar e segmentar os sons relativos às palavras por meio D3.3 - Identifica relação entre grafema e fonema (letra/som)
do lúdico com mais de uma correspondência sonora; ex. c e g. I/A
(ASEA).

113
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
2º Ano – LEITURA, LITERATURA E PRODUÇÃO TEXTUAL - ANUAL
REFERENCIAL CURRICULAR DA REDE MUNICIPAL DE DOURADOS
ORALIDADE DESCRITORES15 e CAPACIDADES
PNAIC – (2012)
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES
Situações de comunicação com instrumentos de socialização e Narrar fatos considerando a sequência lógica do gênero. C1 - Participa de interações orais em sala
aprendizagem na apresentação de sequências de expressão oral: Participar de situações de comunicação direta ou mediada (TV, telefone, de aula, questionando, sugerindo,
 Narrar histórias lidas pela professora, contada pelos rádio e outros). argumentando e respeitando os turnos de
pais e/ou responsáveis, filme/vídeos, contar história Inferir sobre alguns elementos de intencionalidade implícita (sentido fala. A/C
utilizando imagens, fantoches, dramatizando; figurado, recursos persuasivos e outros). C2 - Escuta com atenção textos de
 Explicar o caminho que faz de casa até a escola; Apropriar-se progressivamente de novas palavras, ampliando o seu diferentes gêneros, sobretudo os mais
localização de ambientes da escola (sala da direção, da vocabulário. formais, comuns em situações públicas,
coordenação, refeitório, biblioteca, e outros); Desenvolver o hábito de ouvir com atenção como forma de melhorar a analisando-os criticamente. I/A/C
instruções de confecção de brinquedo, cuidados com comunicação e a interação com o grupo. C3 - Planeja intervenções orais em
uma planta, Estabelecer o diálogo com os colegas, professores reconhecendo o turno situações públicas: exposição oral, debate,
de fala e o espaço público escolar. BNCC - Eixo: Prática da vida contação de história. A/C
-Audição atenta em situações de interlocução, com intervenções cotidiana, com alterações. C8 - Valoriza os textos de tradição oral,
adequadas, formulação de perguntas e opiniões. Respeitar os diferentes modos de falar de outras pessoas (variação reconhecendo-os como manifestações
-Adequação da linguagem à situação de uso por meio de linguística). culturais. A/C
conversas, diálogos, debates, dramatizações e simulações. Compreender enunciados de exercícios e tarefas, realizados em diferentes
-Adequação da linguagem coloquial para a linguagem formal componentes curriculares; BNCC – Eixo: “Práticas Investigativas”.
(respeitando a variação linguística). Ditar receitas ou instruções, ainda que de forma não convencional,
-Escuta atenta em situações comunicativas, formulação de considerando a situação de interação; BNCC - Eixo: Prática da vida
perguntas e opiniões. cotidiana, com alterações.
Ditar slogans e/ou regras de convivência escolar. BNCC – Eixo: Práticas
Sugestões de gêneros orais do narrar: Político-Cidadã.
História em quadrinhos Reconhecer a função dos itens de uma enumeração em textos
Tirinha instrucionais, utilizando-os para executar ações. BNCC - Eixo: Prática da

15
Os descritores foram retirados do documento: BRASIL, Guia de correção e interpretação dos resultados: leitura e matemática – Provinha Brasil 2015. Instituto Nacional de
Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira /Inep. Diretoria de Avaliação da Educação Básica/Daeb.MEC, 2015, p. 11-14 e p. 16-17.

114
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
vida cotidiana.
Sugestões de gêneros orais do instruir: Apreciar textos literários tradicionais, da cultura popular, afro-brasileira,
Direção/localização oral com apoio em mapas ou roteiros africana, indígena e de outros povos; BNCC - Eixo: Práticas Artístico-
Placa de trânsito/ícones. Literárias, com alterações.
Ouvir canções e histórias contadas ou lidas. BNCC - Eixo: Práticas
Artístico-Literárias.
Ouvir e recitar poemas, parlendas, trava-línguas memorizados, respeitando
o ritmo, a melodia e a expressividade; BNCC - Eixo: Práticas Artístico-
Literárias.
Recontar textos conhecidos, respeitando a estrutura do gênero (contos de
fadas, contos de repetição, entre outros); BNCC - Eixo: Práticas
Artístico-Literárias.
Recontar histórias lidas/contadas por outros, com apoio em livros, revistas
e outros suportes; BNCC - Eixo: Práticas Artístico-Literárias.
Memorizar e cantar canções, considerando o ritmo e a melodia;
Reconhecer marcadores temporais, a partir da audição de contos narrados
pelo professor e outros; BNCC - Eixo: Práticas Artístico-Literárias.
Antecipar enredo de uma história, a partir de imagens, títulos e outras
pistas; BNCC - Eixo: Práticas Artístico-Literárias.
Ditar e/ou registrar, ainda que de forma não convencional, textos
narrativos; BNCC - Eixo: Práticas Artístico-Literárias.
Apreciar aspectos lúdicos e sonoros de poemas e experimentar
brincadeiras com a dimensão sonora e gráfica das palavras; BNCC - Eixo:
Práticas Artístico-Literárias.
Formular perguntas para conhecer fenômenos naturais e sociais que
cercam o cotidiano; BNCC - Eixo: Práticas Investigativas.

115
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
PRATICA DE LEITURA DESCRITORES16 e CAPACIDADES
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES PNAIC – (2012)
Leitura e interpretação de textos (gêneros textuais): Corresponder palavras ou expressões as respectivas imagens e o próprio D3.2.- Lê palavras com correspondências
AGRUPAMENTO DO NARRAR (Cultura literária ficcional) desenho. regulares diretas entre letras e fonemas (P,
História em quadrinhos Relacionar títulos ao texto. B, T, D, F, V). A/C
Tirinha Reconhecer assuntos tratados em textos de diferentes gêneros, lidos pelo D5.1 - Lê em voz alta uma sentença ou
Histórias Rimadas professor ou outro leitor experiente. um texto e C2 - Lê textos (poemas,
Canções Identificar sequência lógica de uma narrativa com o apoio de imagens. canções, tirinhas, textos de tradição oral,
Reconhecer a função/finalidade do texto. dentre outros), com autonomia. A/C
Ler palavras e textos apoiando-se em imagens. BNCC – Eixo: C14 - Apreende assunto tratado em textos
Apropriação do Sistema de Escrita Alfabética/Ortográfico e Tecnologias de diferentes gêneros, lidos com
AGRUPAMENTO DO RELATAR: (Documentação e da Escrita. autonomia. A/C
memorização das ações humanas) -Ler, ajustando a pauta sonora ao escrito, BNCC – Eixo: Apropriação do D7.1 - Reconhece o assunto do texto com
Relato de experiência vivida Sistema de Escrita Alfabética/Ortográfico e Tecnologias da Escrita. o apoio das características gráficas e do
Autorretrato Inferir resposta a partir de pistas de conteúdo dadas no texto; BNCC – suporte. A/C
Eixo: Práticas artístico-Literárias, com adaptação. D7.2 - Reconhece o assunto do texto com
Ler e apreciar textos literários tradicionais, da cultura popular, afro- base no título. I/A
AGRUPAMENTO DO ARGUMENTAR (Discussão de brasileira, africana, indígena e de outros povos comentando temas e D7.3 - Reconhece o assunto do texto a
problemas sociais controversos) imagens. BNCC – Eixo: Práticas artístico-Literárias. parir da leitura individual (sem apoio das
Propaganda infantil (impressa e eletrônica) Ouvir canções e histórias contadas ou lidas. BNCC – Eixo: Práticas características gráficas ou do texto-base).
artístico-Literárias. I/A.
Identificar o assunto em notícias e reportagens de jornais infantis lidos por C8 e D6.1 -Localiza informações
AGRUPAMENTO DO EXPOR (Transmissão de outros; BNCC – Eixo: Práticas Político-Cidadã. explícitas em textos de diferentes
conhecimento) Compreender slogans de campanhas educativas, voltadas para crianças; gêneros, temáticas, lidos com autonomia:
Rótulo BNCC – Eixo: Práticas Político-Cidadã. Reconhece: A/C
Texto didático Localizar informações em listas, quadros, notas de divulgação científica  Autor
para crianças, lidas pelo professor; BNCC – Eixo: Práticas  Ilustrador
Investigativas.  Data de Publicação
Localizar informações explícitas e implícitas no texto.  Editora
Compreender, com o apoio do professor, enunciados de tarefas escolares.

16
Os descritores foram retirados do documento: BRASIL, Guia de correção e interpretação dos resultados: leitura e matemática – Provinha Brasil 2015. Instituto Nacional de
Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira /Inep. Diretoria de Avaliação da Educação Básica/Daeb.MEC, 2015, p. 11-14 e p. 16-17.

116
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
AGRUPAMENTO DO INSTRUIR: descrever/regular BNCC – Eixo: Práticas Investigativas.  Descrição de personagens
comportamento. Reconhecer palavras em textos, a partir de alguns índices sonoros e suas  Referência espacial ou cenário
Direção/localização oral com apoio em mapas ou roteiros correspondências gráficas; BNCC – Eixo: Apropriação do Sistema de  Referência temporal
Placa de trânsito/ícones. Escrita Alfabética/Ortográfico e Tecnologias da Escrita. C11 e D9 - Estabelece relação entre partes
do texto identificando repetições e
Ler oralmente textos familiares e curtos (títulos de histórias, manchetes, substituições que contribuem para a
-Estratégias/Práticas de leitura: quadrinhas, entre outros) após leitura silenciosa; BNCC – Eixo: coerência e a coesão textual. A/C
Auditiva, Apropriação do Sistema de Escrita Alfabética/Ortográfico e Tecnologias C12 - Estabelece relações lógicas entre
Livre escolha, da Escrita. partes de textos de diferentes gêneros e
Informativa Manusear adequadamente livros didáticos e de literatura e outros suportes temáticas, lidos com autonomia. I/A
Silenciosa frequentes no contexto social. BNCC – Eixo: Apropriação do Sistema de C7 - Localiza informações explícitas em
Escrita Alfabética/Ortográfico e Tecnologias da Escrita. textos de diferentes gêneros, temáticas,
-Estratégias de leitura: Compreender os modos de organização da biblioteca da turma. BNCC – lidos pelo professor ou outro leitor
Seleção Eixo: Apropriação do Sistema de Escrita Alfabética/Ortográfico e experiente. A/C
Antecipação Tecnologias da Escrita. C15 - Interpreta frases e expressões em
Verificação Identificar recursos sonoros (ritmo, rimas) e visuais para obtenção de textos de diferentes gêneros e temáticas,
Inferência. efeitos em textos poéticos e narrativos; lidos pelo professor ou outro leitor
Pontuação Ouvir canções e histórias contadas ou lidas, de maior extensão, e, assistir a experiente. A/C
apresentações teatrais, desenvolvendo atenção e interesse; BNCC – Eixo: C16 - Interpreta frases e expressões em
-Desenvolvimento da educação estética e afetiva explorando o Práticas artístico-Literárias. textos de diferentes gêneros e temáticas,
conjunto da obra a ser lida, o caráter dialogal entre texto e Reconhecer que existem critérios de organização da informação em textos lidos com autonomia. A/C
imagem estimulando a aprendizagem, em suas possibilidades de como fichas informativas, tabelas, verbetes de divulgação científica para C3 - Compreende textos lidos por outras
ampliação de horizontes e de percepções diferenciadas de crianças; BNCC – Eixo: Práticas Investigativas. pessoas, de diferentes gêneros e com
mundo. -Ler com fluência e observar o valor expressivo dos sinais de pontuação diferentes propósitos. A/C
-Leitura de textos literários e não literários, de variados gêneros, (com ajuda do leitor mais experiente): C6 - Lê em voz alta, com fluência, em
que conduz a relação afetiva com a literatura infantil, da ficção,  Ponto final diferentes situações. A
da fantasia, do imaginário, com poder de divertir, de explorar a  Interrogação D10.15 - Infere informação. A/C
linguagem artística, a riqueza, a beleza.  Exclamação. C9 - Realiza inferências em textos de
-Repertório de signos e componentes sensoriais, utilizados pelo -Reconhecer a finalidade do texto. diferentes gêneros e temáticas, lidos pelo
autor na realização de registros intencionais, que trazem -Reconhecer o gênero textual em estudo. professor ou outro leitor experiente. A/C
elementos da linguagem do próprio autor para transmitir ideias e -Identificar signos e componentes sensoriais nas obras literárias. C5 - Reconhece finalidades de textos
sensações. -Explorar novas obras literárias. lidos pelo professor ou pelas crianças.
Exs.: recursos linguísticos: onomatopeias, expressões faciais, -Reconhecer a leitura como fonte de informação, lazer e cultura. A/C
corporais e outros elementos das histórias. -Apreciar a literatura como diferentes maneiras de comunicação. D8.1- Reconhece a finalidade do texto
-Recortar, sintetizar e interpretar o real por intermédio do ponto de vista do com o apoio das características gráficas
117
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
-PRÁTICAS DE LEITURA- livros digitais, sites, vídeos no escritor (narrador ou do poeta) com ajuda do leitor mais experiente; do suporte ou do gênero. A/C
celular e mensagens, etc. (BNCC, Eixo: Práticas culturais das -Compartilhar leituras. D8.2 - Reconhece a finalidade do texto a
tecnologias de informação e comunicação). Diferentes -Trocar impressões sobre o enredo. partir da leitura individual; I/A
espaços de leitura incluindo o uso da biblioteca escolar. -Construir significados. Compreende sentidos construídos a partir
-Comunicar opiniões. da leitura compartilhada. Interpretação da
leitura oral. I/A
Recursos técnicos e comunicativos utilizados para expressões de Construir uma relação afetiva com a literatura infantil. C18 - Relaciona textos verbais e não-
linguagem, convenções literárias (o belo, o prazer, o lúdico, Compreender as diferentes formas em que a literatura infantil se apresenta, verbais, construindo sentidos. A/C
considerando a sua linguagem (conjunto de recursos técnicos e expressivos (ASEA)
vinculados com o sensorial, o emocional - sentimentos, desejos
a disposição do escritor). D.1.1 - Diferencia letras de outros sinais
e ideias). gráficos. (ASEA) A/C
D1.3a - Identifica diferentes tipos de
letras: (ASEA) A/C
*de imprensa maiúscula e minúscula;
(ASEA) A/C
*cursiva. (ASEA) I/A.
D1.3b - Identifica mais de uma palavra
que se repete, escrita com letras de
diferentes tipos, combinando letras.
(ASEA) I/A.
D2 - Reconhece, a partir de palavra ditada
e/ou imagem o valor sonoro de uma
sílaba. (ASEA) A/C
PRODUÇÃO DE TEXTO DESCRITORES
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES CAPACIDADES PNAIC – (2012)
Produção de texto individual e coletiva, escrita de letras, sílabas, Escrever alfabeticamente, palavras, frases e textos com apoio de desenhos. D3 - Diferencia letras de outros sinais
palavras e frases em diferentes situações de produção, utilizando Escrever palavras com correspondências regulares diretas entre letras e gráficos, como os números, sinais de
o conhecimento de que dispõe sobre o sistema de escrita: fonemas; BNCC – Eixo: Apropriação do Sistema de Escrita pontuação ou de outros sistemas de
Alfabética/Ortográfico e Tecnologias da Escrita. representação. A/C (ASEA)
AGRUPAMENTO DO RELATAR: documentação e Escrever palavras e textos, segundo sua compreensão do sistema
memorização das ações: alfabético, ainda que não convencionalmente; BNCC – Eixo: Apropriação D7 - Demonstra conhecimentos sobre a
Relato de experiência vivida do Sistema de Escrita Alfabética/Ortográfico e Tecnologias da Escrita. escrita do próprio nome. A/C (ASEA)
Autorretrato Escrever o próprio nome e utilizá-lo como referência para escrever e ler
outras palavras, construindo a correspondência fonema/ grafema; BNCC – D8 - Escreve palavras ditadas
Eixo: Apropriação do Sistema de Escrita Alfabética/Ortográfico e demonstrando conhecer o princípio
118
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
AGRUPAMENTO DO ARGUMENTAR: discussão de Tecnologias da Escrita. alfabético. A/C (ASEA)
problemas sociais controversos: Reconhecer palavras e frases frequentes em textos, sem a necessidade de
Propaganda infantil (impressa e eletrônica) decodificação. BNCC – Eixo: Apropriação do Sistema de Escrita D1 - Identifica letras do alfabeto. A/C
Alfabética/Ortográfico e Tecnologias da Escrita. (ASEA)
Usar diferentes tipos de letras em situações de escrita de palavras e textos.
AGRUPAMENTO DO EXPOR: transmissão de (Apropriação do sistema de Escrita Alfabética/ PNAIC, 2012). D2 - Conhece as direções da escrita. A/C
conhecimento: Produzir textos diversificados, individual e coletivo (na modalidade oral, (ASEA)
Rótulo escrita, imagens ou desenhos) observando os elementos que caracterizam e
Texto didático estruturam cada gênero textual. C15 - Domina as correspondências entre
Desenvolver o tema proposto. letras ou grupos de letras e seu valor
Compreender elementos do texto que marcam suas partes como títulos, sonoro, de modo a escrever palavras e
Recursos diversos - máquina fotográfica, filmadora, sumário, texto principal, tópicos; BNCC – Eixo: Apropriação do Sistema textos. A/C (ASEA)
computadores – para registrar e comunicar ideias. BNCC – de Escrita Alfabética/Ortográfico e Tecnologias da Escrita.
Eixo: Práticas Culturais das Tecnologias de informação e Segmentar o texto em frases e parágrafos, utilizando recursos do sistema Escrever palavras irregulares que
Comunicação. de pontuação. aparecem com frequência nos textos lidos.
Utilizar letra maiúscula no início de frases, de nomes próprios e de títulos. I
Dominar as correspondências entre letras ou grupos de letras e seu valor
sonoro, de modo a escrever palavras e textos.
Reconhecer as variações fonéticas das palavras e a necessidade de acentuá-
las.
Registrar, sob a forma de desenhos, gravação em áudio e vídeo, ou
pequenas anotações escritas, resultados de atividades de pesquisa. BNCC –
Eixo: Práticas Investigativas.
Relatar, com coerência, experiências vividas, usando diferentes elementos
que marquem a passagem do tempo; BNCC – Eixo: Práticas da Vida
Cotidiana.
Argumentar acerca de atitudes e tomadas de decisões cotidianas; BNCC –
Eixo: Práticas da Vida Cotidiana.
Relatar, com objetividade, episódios vividos ou conhecidos, respeitando a
ordem de apresentação dos fatos, selecionando temas principais e
secundários. BNCC - Eixo: Prática da vida cotidiana.
Apreciar aspectos lúdicos e sonoros de poemas e experimentar
brincadeiras com a dimensão sonora e gráfica das palavras; BNCC –
Eixo: Práticas artístico-Literárias.
Produzir antologias, varais e murais, por meio de registro de quadrinhas,
119
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
parlendas, poemas. BNCC – Eixo: Práticas artístico-Literárias.
Utilizar os meios digitais para buscar, a partir de palavras-chave,
informações relevantes. BNCC – Eixo: Práticas Investigativas.
Recursos utilizados na escrita, com apoio do professor, para Noções do estabelecimento de unidade de sentido: D14–Identifica o efeito de sentido
obtenção de determinados efeitos de sentido:  Segmentação do texto em frases e parágrafos, utilizando recursos decorrente do uso da pontuação e de
 Letra maiúscula em títulos, nomes próprios e início de do sistema de pontuação; outras notações. I/A/C
frases;  Concordância nominal (artigo/substantivo, substantivo/adjetivo),
 Tipos de letras; flexões de gênero (masculino e feminino), número (singular e plural) e
 Análise fonológica da palavra; grau (aumentativo e diminutivo);
 Paragrafação;  Coesão e coerência;
 Exploração dos recursos de linguagens: emprego dos  Função dos substantivos próprios e comuns;
verbos e dos pronomes (coesão e coerência textual);  Concordância verbal (verbos e pronomes);
 Adequação do gênero;
 Pontuação
 Vocabulário
 Ortografia.
 Flexão de gênero (masculino e feminino), número
(singular e plural) e grau (diminutivo e aumentativo).
Planejamento da escrita de textos coletivos considerando o Planejar a escrita de textos considerando o contexto de produção: Planejamento da escrita de textos
contexto de produção:  Mobilizar conhecimentos prévios; considerando o contexto de produção:
-finalidade  Organizar ideias para o desenvolvimento do tema; -Organização das informações mais
-especificidade da modalidade textual  Organizar as informações mais relevantes para atender a relevantes:
-papéis assumidos pelos interlocutores diferentes finalidades. *o que quer escrever;
-mobilização de conhecimentos prévios  Representar com imagens e textos curtos: roteiros, cenários, *para quem (diferentes interlocutores);
-inventário de ideias para o desenvolvimento do tema personagens, cenas e espaços, construindo significados e *para quê (com diferentes finalidades);
-organização de informações mais relevantes: compreensão do real. *qual o gênero que melhor exprime essas
*o que quer escrever  Escrever texto de memória. ideias;
*para quem (diferentes interlocutores) *para circular em diferentes espaços
*para quê (com diferentes finalidades) sociais (linguagem coloquial o formal).
*qual o gênero que melhor exprime essas ideias I/A.
*para circular em diferentes espaços sociais (linguagem -Representa com imagens e textos curtos:
coloquial ou formal). roteiros, cenários, personagens, cenas e
-Produção de novo texto a partir de modelos. espaços, construindo significados e
-Escrita de textos memorizados. compreensão do real. A/C

120
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
-Escreve textos de memória. I/A/C

Condições de Produção/Capacidade de Ação ou aspectos Produzir textos de diferentes gêneros, atendendo a diferentes finalidades, C3 - Produz textos de diferentes gêneros,
sociodiscursivo do texto: por meio da atividade de um escriba. atendendo a diferentes finalidades, por
a.Quem é o destinatário? Identificar a finalidade ou o gênero de diferentes textos e suportes. meio da atividade de um escriba. I/A
b.Quem é o emissor? Realizar reflexões metalinguísticas sobre a construção de palavras, frases e
c.Qual o papel social de ambos? pequenos textos. D12 - Identifica a finalidade ou o gênero
d.Qual a finalidade do texto? Criar e recriar texto ou partes de texto, considerando o contexto de de diferentes textos e suportes. A/C
e.Qual o meio de veiculação? produção.
f.De que temas tratam o gênero? Conhece e compartilha o que sabe sobre a
g.Qual é o gênero textual? língua. I/A
h.Quais papéis assumem os interlocutores?
i.Qual a linguagem, coloquial ou formal? Cria e recria texto ou partes de texto,
Produção escrita (rascunho) e edição final – produção entendida considerando o contexto de produção a
como frase, palavras e textos. partir de modelos. A/C
Reescrita do texto coletivo observando recursos linguísticos Reescrever, com o apoio do professor, texto, palavras e frases, observando: C11 - Revisa os textos após diferentes
como:  Título do texto versões, reescrevendo-os de modo a
 Emprego dos verbos (concordância verbal) e dos  O desenvolvimento do tema; aperfeiçoar as estratégias discursivas. I
pronomes (concordância nominal, coesão e coerência  Concordância nominal e verbal, recursos coesivos mesmo que da
textual); linguagem oral; C9 - Revisa coletivamente os textos
 Utilização da letra maiúscula em títulos, nomes  A segmentação do texto em palavras e frases; durante o processo de escrita em que o
próprios e inicio de frases;  Uso da letra maiúscula em títulos, nomes próprios e início de professor é escriba, retomando as partes já
 Paragrafação (ponto final, dois pontos e travessão); frases. escritas e planejando os trechos seguintes.
 Vocabulário  Usar sinais de pontuação (ponto final, travessão e dois pontos). A
 Ortografia  Recursos linguísticos do gênero - linguagem adequada ao gênero
 Título do texto C8 - Utiliza vocabulário diversificado e
que produz garantindo a unidade e o sentido do texto: sequência
lógica, coerência e coesão. adequado ao gênero e às finalidades
propostas. I/A
 Parágrafos;
Aspectos da escrita:  Traçar corretamente e legível as letras;
*grafia (escrita),  Organizar as ideias no texto
*linguagem (modo de organizar as ideias ao se
expressar por escrito).

121
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
ANÁLISE E REFLEXÃO SOBRE A LÍNGUA DESCRITORES
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES CAPACIDADES PNAIC – (2012)
Análise e reflexão de palavras, frases e textos, identificando, Compreender o funcionamento do sistema de escrita alfabética; BNCC – D6 - Distingui, como leitor, diferentes
sempre na oralidade, elementos constitutivos dos textos: Eixo: Apropriação do sistema de Escrita Alfabético/Ortográfico e tipos de letra. A/C
 Alfabeto; Tecnologias da Escrita. C5 - Reconhece diferentes tipos de letras
 Ordem alfabética. Reconhecer e nomear letras do alfabeto distinguindo-as de outros sinais em textos de diferentes gêneros e suportes
 Reconhecimento da relação entre imagens, ilustrações gráficos; BNCC – Eixo: Apropriação do sistema de Escrita textuais. A/C (ASEA)
e textos verbais; Alfabético/Ortográfico e Tecnologias da Escrita.
 ORTOGRAFIA - emprego da letra maiúscula e Reconhecer diferentes tipos de letras em diferentes contextos, suportes e C1 - Analisa a adequação de um texto
minúscula na escrita de títulos, nomes e início de frases; gêneros textuais (ACRESCENTAR: instrumentos de escrita como papel, (lido, escrito ou escutado) aos
Apropriação do Sistema de Escrita Alfabética e norma lápis/caneta, tela/ teclado); BNCC – Eixo: Apropriação do sistema de interlocutores aos quais se destina e à
ortográfica: Escrita Alfabético/Ortográfico e Tecnologias da Escrita. formalidade do contexto. A/C
 Relação fonológica: análise e associação de fonemas e Realizar análise fonológica de palavras, segmentando-as oralmente em
grafemas (som/letra). unidades menores (partes de palavras, sílabas), identificando rimas, C15 - Observa e segmenta palavras em
 Grafias de palavras com correspondências regulares aliterações, observando a função sonora que os fonemas assumem nas texto.. A/C
diretas entre letras e fonemas (P, B, T, D, F, V). (Apropriação palavras, relacionando os elementos sonoros com sua representação
do sistema de Escrita Alfabética/ PNAIC, 2012). escrita; BNCC – Eixo: Apropriação do sistema de Escrita
C7 - Conhece e faz uso das grafias de
 Grafias de palavras com correspondências regulares Alfabético/Ortográfico e Tecnologias da Escrita.
Reconhecer que as sílabas variam quanto à sua combinação entre palavras com correspondências regulares
contextuais entre letras ou grupos de letras e seu valor sonoro
consoantes e vogais (CV, CCV, CVV, CVC, V,VC, VCC, CCVCC) e que diretas entre letra e fonemas
(C/QU; G/GU; R/RR; SA/SO/SU em início de palavra;
as vogais estão presentes em todas as sílabas; BNCC – Eixo: Apropriação (P,B,T,D,F,V). A/C
JA/JO/JU; Z inicial; O ou U/ E ou I em sílaba final; M e N
do sistema de Escrita Alfabético/Ortográfico e Tecnologias da Escrita.
nasalizando final de sílaba; (Apropriação do sistema de Escrita
Compreender que alterações na ordem escrita dos grafemas provocam C14 e C15 - Domina as correspondências
Alfabética/ PNAIC, 2012).
alterações na composição da palavra; BNCC – Eixo: Apropriação do entre letras ou grupos de letras e seu valor
 Grafias de palavras com correspondências irregulares,
sistema de Escrita Alfabético/Ortográfico e Tecnologias da Escrita. sonoro, de modo a ler e escrever palavras
mas de uso frequente. (Apropriação do sistema de Escrita
Identificar na leitura e na escrita de textos, frases e palavras. e textos. A/C (ASEA)
Alfabética/ PNAIC, 2012). Exemplos: M antes de P/B;
Separação de sílabas das palavras ao final de linha (segmentação);
AM/NA; S/SS, C/Ç, Z/S, X/CH; AS/ES/IS.
Identificar e segmentar os sons relativos às palavras por meio do lúdico - C9 - Conhecer e fazer uso de palavras
relação fonema/grafema; com correspondências irregulares, mas de
ACENTUAÇÃO GRÁFICA - regras de acentuação, (oxítona,
Usar letras maiúsculas e minúsculas em títulos, nomes próprios e início de uso frequente. I (ASEA)
paroxítona, proparoxítona);
frases.
Relação fonológica: análise e associação de fonemas e grafemas
Ordenar alfabeticamente como maneira de organizar informações e C12 - Identifica e faz uso de letra
(som/letra).
facilitar procura e busca. maiúscula e minúscula nos textos
. Grafias de palavras com correspondências regulares diretas
Localizar letras e sons do alfabeto no próprio nome e em outros contextos. produzidos, segundo as convenções. A
entre letras e fonemas: P, B, T, D, e F.
Reconhecer diferentes tipos de letras.
122
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
Identificar e fazer uso de letra maiúscula e minúscula nos textos Estabelece relação entre unidades sonoras
SIGNIFICAÇÃO DAS PALAVRAS - sinônimo e antônimo; produzidos, segundo as convenções. e suas representações gráficas. A/C
LINGUAGEM FIGURADA (conotação e denotação) - Conhecer e fazer uso das grafias de palavras com correspondências D5. Identifica, ao ouvir palavras
metáfora, onomatopeia, humor, ironia, ( noções iniciais); regulares diretas entre letras e fonemas: P, B, T, D, e F. diferentes, sílabas semelhantes. A/C
FRASE - tipos de frase, segmentação do texto em frases e Identificar a unidade linguística e suas possibilidades combinatórias. (ASEA)
parágrafos, utilizando recursos do sistema de pontuação (ponto D3.3. Identifica relação entre grafema e
final, exclamação, interrogação e vírgulas nas enumerações); Identificar e segmentar os sons relativos às palavras por meio do lúdico. fonema (letra/som) com mais de uma
CONCORDÂNCIA - nominal(substantivo/artigo, correspondência sonora; ex. c e g. I/A
substantivo/adjetivo), concordância verbal (sujeito e predicado); (ASEA).
C8. Conhecer e fazer uso das grafias de
-ANÁLISE E REFLEXÃO DA LÍNGUA- jogos nos sites palavras com correspondências regulares
educativos, atividades no "portal do aluno", Power point no contextuais entre letras ou grupos de letras
celular e enviar aos colegas e professor, etc. e seu valor sonoro (C/QU; G/GU; R/RR;
SA/SO/SU em início de palavra;
JA/JO/JU; Z inicial; O ou U/ E ou I em
sílaba final; M e N nasalizando final de
sílaba; NH; Ã e ÃO em final de
substantivos e adjetivos). I/A (ASEA).

123
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
PROGRAMA DE AVALIAÇÃO FORMATIVA17

3º Ano – LEITURA, LITERATURA E PRODUÇÃO TEXTUAL - ANUAL


REFERENCIAL CURRICULAR DA REDE MUNICIPAL DE DOURADOS DESCRITORES18
ORALIDADE CAPACIDADES PNAIC – (2012)
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES
Situações de comunicação com instrumentos de Desenvolver o hábito de ouvir com atenção como forma de melhorar a C1 - Participa de interações orais em sala de aula,
socialização e aprendizagem na apresentação de comunicação e a interação com o grupo. Estabelecer o diálogo com os questionando, sugerindo, argumentando e respeitando os
sequências de expressão oral: colegas, professores reconhecendo o turno de fala e o espaço público turnos de fala. C
 Relato de experiências pessoais e/ou escolar. BNCC - Eixo: Prática da vida cotidiana, com alterações. C2 - Escuta com atenção textos de diferentes gêneros,
coletivas de forma clara e ordenada; sobretudo os mais formais, comuns em situações
relatos de atividades da sala de aula, Relatar, com objetividade, episódios vividos ou conhecidos, respeitando a públicas, analisando-os criticamente. A/C
ordem de apresentação dos fatos, selecionando temas principais e C3 - Planeja intervenções orais em situações públicas:
rotina do trabalho pedagógico, um
secundários. Posicionar-se, com clareza, sobre um tema do seu cotidiano. exposição oral e debate. C
passeio ou atividades extraclasse. BNCC - Eixo: Prática da vida cotidiana. C8 - Valoriza os textos de tradição oral, reconhecendo-
 Discussão, debate e argumentação Levantar argumentos que ajudem a defender determinado ponto de vista, os como manifestações culturais. A/C
referente a problemas sociais utilizando acerca do tema dos direitos humanos; BNCC – Práticas Político-Cidadã.
Apropriar-se progressivamente de novas palavras, ampliando o seu
a linguagem adequada à situação de uso
vocabulário.
por meio de conversas, debates, Respeitar os diferentes modos de falar de outras pessoas.
dramatizações e simulação.
Relatar experiências pessoais, fatos e acontecimentos seguindo uma
sequência lógica do gênero. (memorização das ações humanas);
-Audição atenta em situações de interlocução, Participar de situações de comunicação direta ou mediada (TV, telefone,
com intervenções adequadas, formulação de rádio, etc).

17
Nos casos das Comunidades Indígenas as aulas podem ser trabalhadas a partir da língua materna, respeitando a especificidade de cada etnia: Guarani, Kaiowa, Terena
conforme decisão da Comunidade e do Projeto Político Pedagógico da Escola.
18
Os descritores foram retirados do documento: BRASIL, Guia de correção e interpretação dos resultados: leitura e matemática – Provinha Brasil 2015. Instituto Nacional de
Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira /Inep. Diretoria de Avaliação da Educação Básica/Daeb.MEC, 2015, p. 11-14 e p. 16-17.

124
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
perguntas e opiniões. Compreender enunciados de exercícios e tarefas, realizados em diferentes
-Adequação da linguagem à situação de uso por componentes curriculares; BNCC – Eixo: “Práticas Investigativas”.
meio de conversas, diálogos, debates,
dramatizações e simulações.
-Adequação da linguagem coloquial para a
linguagem formal (respeitando a variação
linguística).
-Escuta atenta em situações comunicativas,
formulação de perguntas e opiniões.

Sugestões de gêneros orais do relatar:


Pequeno relatório de atividades do dia na escola

Sugestões de gêneros orais do argumentar:


Anúncio publicitário (impressa e eletrônica)
PRATICA DE LEITURA DESCRITORES
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES CAPACIDADES PNAIC – (2012)
Leitura e interpretação de textos (gêneros -Corresponder palavras ou expressões as respectivas imagens e o próprio D3.2 - Lê palavras com correspondências regulares
textuais): desenho. Ler palavras e textos apoiando-se em imagens. BNCC – Eixo: diretas entre letras e fonemas (P, B, T, D, F, V). C
Apropriação do Sistema de Escrita Alfabética/Ortográfico e Tecnologias Lê palavras e textos, apoiando-se em imagens; BNCC –
AGRUPAMENTO DO NARRAR (Cultura da Escrita”. Eixo: Apropriação do Sistema de Escrita
literária ficcional) -Ler, ajustando a pauta sonora ao escrito. -Compreender e dominar as Alfabética/Ortográfico e Tecnologias da Escrita”.
Tirinha correspondências entre letras ou grupos de letras e seu valor sonoro, Reconhece, em textos narrativos, recursos para marcar a
Fábula construindo a correspondência fonema/grafema- grafema/fonema de modo fala direta de personagens. BNCC – Eixo: “Práticas
Canções a ler e a escrever palavras e textos, BNCC – Eixo: Apropriação do artístico-Literárias.
Piada Sistema de Escrita Alfabética/Ortográfico e Tecnologias da Escrita”. Infere resposta de uma adivinha lida ou ouvida, a partir
-Inferir resposta de uma adivinha lida ou ouvida, a partir de pistas de de pistas de conteúdo dadas no texto; BNCC, Eixo:
AGRUPAMENTO DO RELATAR: conteúdo dadas no texto; BNCC – Eixo: “Práticas artístico-Literárias. “Práticas artístico-Literárias.
documentação e memorização das ações: -Ler e apreciar textos literários tradicionais, da cultura popular, afro- D5.1 - Lê em voz alta uma sentença ou um texto e
Pequeno relatório de atividades do dia na escola brasileira, africana, indígena e de outros povos comentando temas e observa os aspectos rítmicos e sonoros de poemas
imagens. BNCC – Eixo: “Práticas artístico-Literárias”. infantis; BNCC – Eixo: “Práticas artístico-Literárias.
Identificar recursos sonoros (aliterações, assonâncias, ritmo, rimas) e C2 - Lê textos (poemas, canções, tirinhas, textos de
AGRUPAMENTO DO ARGUMENTAR visuais para obtenção de efeitos em textos poéticos e narrativos; Observar tradição oral, dentre outros), com autonomia. A/C
os aspectos rítmicos e sonoros de poemas infantis; BNCC – Eixo: C14 - Apreende assunto tratado em textos de diferentes
125
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
Discussão de problemas sociais controversos: Práticas Artístico-Literárias. gêneros, lidos com autonomia. A/C
Anúncio publicitário (impressa e eletrônica) -Relacionar títulos ao texto.
-Reconhecer assuntos tratados em textos de diferentes gêneros, lidos pelo D7.1 - Reconhece o assunto do texto com o apoio das
professor ou outro leitor experiente. características gráficas e do suporte. A/C
AGRUPAMENTO DO EXPOR: Transmissão -Localizar informações explícitas e implícitas no texto.
de conhecimentos e saberes: -Identificar sequência lógica. D7.2 - Reconhece o assunto do texto com base no título.
Tabelas simples -Reconhecer a função/finalidade do texto. A/C
Gráficos simples -Ouvir canções e histórias contadas ou lidas, de maior extensão, e,assistir a
apresentações teatrais, desenvolvendo atenção e interesse; BNCC – Eixo: D7.3 - Reconhece o assunto do texto a partir da leitura
AGRUPAMENTO DO INSTRUIR: “Práticas artístico-Literárias. individual (sem apoio das características gráficas ou do
descrever/regular comportamento: -Identificar e compreender argumentos em cartas de reclamação ou de texto-base).A/C.
Roteiro para direção/localização reivindicação, oriundas do universo de sociabilidade das crianças; BNCC
Regras de convivência no trânsito – Eixo: Práticas Político-Cidadã. Compreende enunciados de exercícios e tarefas,
-Reconhecer que existem critérios de organização da informação em textos realizados em diferentes componentes curriculares;
como fichas informativas, tabelas, verbetes de divulgação científica para BNCC – Eixo: “Práticas Investigativas”.
-Instâncias do discurso literário (os personagens, crianças; BNCC – Eixo: “Práticas Investigativas”.
o narrador, o espaço-tempo, o gênero) e a relação -Compreender enunciados de exercícios e tarefas, realizados em diferentes C8 e D6.1 - Localiza informações explícitas em textos
que estes elementos estabelecem entre si no componentes curriculares; BNCC – Eixo: “Práticas Investigativas”. de diferentes gêneros, temáticas, lidos com autonomia:
desenrolar da narrativa. -Observar aspectos de variação linguística, a partir da leitura de causos e Reconhece: A/C
letras de música. . BNCC – Eixo: “Práticas artístico-Literárias.  Autor
-Estratégias/Práticas de leitura: -Reconhecer e compreender recursos de persuasão e de convencimento
Auditiva, que compõem os textos publicitários. BNCC – Eixo: Práticas Político-  Ilustrador
Livre escolha, Cidadã.
Informativa  Data de Publicação
Silenciosa -Localizar, identificar elementos sociodiscursivo do texto reconhecendo os
propósitos para os quais os textos foram produzidos:  Editora
-Estratégias de leitura: *Ações e fatos
Seleção *Aspectos históricos da produção textual  Descrição de personagens
Antecipação *Autor – quem escreveu (enunciador)
Verificação *Data de Publicação
 Referência espacial ou cenário
Inferência. *Destinatários
Pontuação *Editora
 Referência temporal
*Espaço em que acontecem os fatos no texto
-Desenvolvimento da educação estética e afetiva *Espaços sociais de circulação do texto
*Gênero Textual
126
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
explorando o conjunto da obra a ser lida, o *Ilustrador C12. Estabelece relações lógicas entre partes de textos de
caráter dialogal entre texto e imagem estimulando *O que motivou a seleção e produção do texto diferentes gêneros e temáticas, lidos com autonomia.
a aprendizagem, em suas possibilidades de *Objetivos do autor A/C
*Personagens
ampliação de horizontes e de percepções
*Qual o contexto da época em que o texto foi escrito C7 - Localiza informações explícitas em textos de
diferenciadas de mundo. *Tema do texto diferentes gêneros, temáticas, lidos pelo professor ou
*Tempo (passado/presente/futuro) outro leitor experiente. A/C
-Leitura de textos literários e não literários, de -Ler com fluência e observar o valor expressivo dos sinais de pontuação:
variados gêneros, que conduz a relação afetiva
 Ponto final C15 - Interpreta frases e expressões em textos de
com a literatura infantil, da ficção, da fantasia, do
 Interrogação diferentes gêneros e temáticas, lidos pelo professor ou
imaginário, com poder de divertir, de explorar a
 Exclamação. outro leitor experiente. A/C
linguagem artística, a riqueza, a beleza.
-Reconhecer a finalidade do texto.
-Repertório de signos e componentes sensoriais, C16 - Interpreta frases e expressões em textos de
-Reconhecer o gênero textual em estudo.
utilizados pelo autor na realização de registros -Identificar signos e componentes sensoriais nas obras literárias. diferentes gêneros e temáticas, lidos com autonomia.
intencionais, que trazem elementos da linguagem -Explorar novas obras literárias. A/C
do próprio autor para transmitir ideias e -Reconhecer a leitura como fonte de informação, lazer e cultura.
sensações. -Apreciar a literatura como diferentes maneiras de comunicação. C3 - Compreende textos lidos por outras pessoas, de
-Recortar, sintetizar e interpretar o real por intermédio do ponto de vista do diferentes gêneros e com diferentes propósitos. A/C
Exs.: recursos linguísticos: onomatopeias, escritor (narrador ou do poeta);
expressões faciais, corporais e outros elementos -Compartilhar leituras. C6 - Lê em voz alta, com fluência, em diferentes
-Trocar impressões sobre o enredo. situações. A
das histórias.
-Construir significados.
-Comunicar opiniões. Reconhece palavras e frases frequentes em textos, sem a
-Ler em voz alta com fluência, ritmo e entonação. necessidade de decodificação. BNCC – Eixo:”
-PRÁTICAS DE LEITURA- livros digitais,
-Utilizar informações oferecidas por um glossário, verbete de dicionário Apropriação do Sistema de Escrita
sites, vídeos no celular e mensagens, etc. (BNCC
para a compreensão da leitura. -Reconhecer e empregar o valor Alfabética/Ortográfico e Tecnologias da Escrita”.
- Eixo: Práticas culturais das tecnologias de
informação e comunicação). diferencial do acento em determinadas palavras
-Reconhecer a mudança de foco narrativo (narrador em 1ª e 3ª pessoa). D10.15 - Infere informação. A/C ou C9 - Realiza
-Manusear adequadamente livros didáticos e de literatura e outros suportes inferências em textos de diferentes gêneros e temáticas,
frequentes no contexto social (livros, folhetos, jornais, compreendendo as lidos pelo professor ou outro leitor experiente. A/C
formas de sequência ou organização em seções, no 4º e 5º Ano); BNCC
Recursos técnicos e comunicativos utilizados Eixo: Práticas culturais das tecnologias de informação e comunicação. C5 - Reconhece finalidades de textos lidos pelo
para expressões de linguagem, convenções Construir uma relação afetiva com a literatura infantil. professor ou pelas crianças. A/C
literárias (o belo, o prazer, o lúdico, vinculados Compreender as diferentes formas em que a literatura infantil se apresenta,
considerando a sua linguagem (conjunto de recursos técnicos e expressivos D8.1 - Reconhece a finalidade do texto com o apoio das
127
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
com o sensorial, o emocional - sentimentos, a disposição do escritor). características gráficas do suporte ou do gênero. A/C
desejos e ideias).
D8.2 - Reconhece a finalidade do texto a partir da leitura
individual; I/A

C18 - Relaciona textos verbais e não verbais,


construindo sentidos. A/C

D2 - Reconhece, a partir de palavra ditada e/ou imagem


o valor sonoro de uma sílaba. A/C
PRODUÇÃO DE TEXTO DESCRITORES
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES CAPACIDADES PNAIC – (2012)
Produção de texto individual e coletiva utilizando Produzir textos narrativos ficcionais: História em quadrinhos, por meio de C15 - Domina as correspondências entre letras ou grupos
o conhecimento de que dispõe sobre o sistema de imagens, os códigos verbais e não verbais, os sinais gráficos: balões e os de letras e seu valor sonoro, de modo a escrever palavras
escrita: sinais indicadores de som e movimento; fábulas, canções, piadas. e textos. A/C
Aplicar adequadamente, no texto, as flexões de gênero e número.
AGRUPAMENTO DO NARRAR (Cultura Manter a coerência textual na atribuição de título, na continuidade Produz textos de diferentes gêneros com autonomia,
literária ficcional) temática e sentido geral do texto. atendendo a diferentes finalidades. A/C.
Tirinha Desenvolver o tema proposto.
Fábula Segmentar o texto em frases e parágrafos, utilizando recursos do sistema Utiliza vocabulário diversificado e adequado ao gênero e
Canções de pontuação. às finalidades propostas. A/C
Piada Utilizar letra maiúscula no início de frases, de nomes próprios e de títulos.
Registrar, por meio de cartazes e fichas informativas que conjuguem texto Produz poemas, parafraseando os poemas conhecidos;
escrito e imagem, os resultados de trabalhos realizados; BNCC – Eixo: BNCC – Eixo: “Práticas artístico-Literárias.
AGRUPAMENTO DO EXPOR: Transmissão Práticas Investigativas.
de conhecimentos e saberes: Escrever alfabeticamente, palavras, frases e textos; Produz início e desfecho para narrativas literárias,
Tabelas simples Produzir textos diversificados, individual e coletivo (na modalidade utilizando recursos linguísticos apreendidos em histórias
Gráficos simples escrita, imagens ou desenhos) observando os elementos que caracterizam e lidas e contadas; BNCC – Eixo: “Práticas artístico-
Cartazes e fichas informativas estruturam cada gênero textual. Por exemplo, os classificados Literárias.
(especificação do produto; dados do anunciante; características do objeto
AGRUPAMENTO DO INSTRUIR: anunciado; concisão; abreviaturas); consideração das condições de Registrar e ler adequadamente palavras com marcas de
descrever/regular comportamento: produção: finalidade, especificidade da modalidade textual e do suporte, nasalidade (til, m, n); BNCC – Eixo: Apropriação do
Roteiro para direção/localização papéis assumidos pelos interlocutores. Sistema de Escrita Alfabética/Ortográfico e
Regras de convivência no trânsito Tecnologias da Escrita”.
Dominar as correspondências entre letras ou grupos de letras e seu valor
128
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
sonoro, de modo a escrever palavras e textos.
Reconhecer as variações fonéticas das palavras e a necessidade de acentuá-
-PRODUÇÃO DE TEXTO- mensagens no las. Reconhece o gênero textual. A/C
whatsapp, Messenger, e-mail, whattpad, etc Textos Informativos (verbetes de dicionário e texto didático): recursos
BNCC, Eixo: Práticas culturais das tecnologias próprios de verbetes: abreviaturas, significados.
de informação e comunicação.
Textos instrucionais (receitas, regras de jogo e manual): predominância
das linguagens: explicativa, informativa (descritiva) e incitativa (que induz
o leitor a realizar a tarefa);
-OUTROS- produzir vídeos curtos de aula,
dramatização em vídeos, simulação de telejornal,
Perceber que não se escreve do modo como se pronuncia; Compreender e
telenovela, programas de estúdio, (tudo com fins
utilizar convenções ortográficas relativas às regularidades contextuais;
pedagógicos) etc. BNCC, Eixo: Práticas
BNCC – Eixo: Apropriação do Sistema de Escrita
culturais das tecnologias de informação e
Alfabética/Ortográfico e Tecnologias da Escrita”.
comunicação.
Escrever palavras com correspondências regulares diretas entre letras e
fonemas; BNCC – Eixo: Apropriação do Sistema de Escrita
Alfabética/Ortográfico e Tecnologias da Escrita”.

Escrever palavras irregulares que aparecem com frequência nos textos


lidos; BNCC – Eixo: Apropriação do Sistema de Escrita
Alfabética/Ortográfico e Tecnologias da Escrita”.

Registrar e ler adequadamente palavras com marcas de nasalidade (til, m,


n); BNCC – Eixo: Apropriação do Sistema de Escrita
Alfabética/Ortográfico e Tecnologias da Escrita”.
Produzir textos voltados à organização da vida escolar, como campanha
educativa, em forma de folhetos instrucionais; BNCC – Eixo: Práticas
Político-Cidadã.

Registrar, por meio de cartazes e fichas informativas que conjuguem texto


escrito e imagem, os resultados de trabalhos realizados; BNCC – Eixo:
“Práticas Investigativas”.

Produzir textos multimodais – perfis, linhas de tempo, portfólios -

129
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
utilizando as ferramentas das mídias digitais que proporcionam o registro,
o apagamento, o armazenamento e o arquivamento de informações. BNCC
– Eixo: “Práticas Culturais das Tecnologias de Informação e
Comunicação”.
Utilizar os meios digitais para buscar, a partir de palavras-chave,
informações relevantes. BNCC – Eixo: “Práticas Investigativas”.
Compreender elementos do texto que marcam suas partes como títulos,
sumário, texto principal, tópicos; BNCC – Eixo: Apropriação do Sistema
de Escrita Alfabética/Ortográfico e Tecnologias da Escrita”.
Recursos utilizados na escrita, com apoio do Noções do estabelecimento de unidade de sentido: D14–Identifica o efeito de sentido decorrente do uso da
professor, para obtenção de determinados  Segmentação do texto em frases e parágrafos, utilizando recursos pontuação e de outras notações. I/A/C
efeitos de sentido: do sistema de pontuação;
 Letra maiúscula em títulos, nomes
próprios e início de frases;  Concordância nominal (artigo/substantivo,
substantivo/adjetivo),flexões de gênero (masculino e feminino), número
 Tipos de letras; (singular e plural) e grau (aumentativo e diminutivo);

 Análise fonológica da palavra;  Coesão e coerência;

 Paragrafação;  Função dos substantivos próprios e comuns;

 Exploração dos recursos de linguagens:  Concordância verbal (verbos e pronomes);


emprego dos verbos e dos pronomes (coesão e
coerência textual);

 Adequação do gênero;

 Pontuação

 Vocabulário

 Ortografia.

130
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
 Flexão de gênero (masculino e
feminino), número (singular e plural) e grau
(diminutivo e aumentativo).

Planejamento da escrita de textos coletivos Planejar a escrita de textos considerando o contexto de produção: Planejamento da escrita de textos considerando o
considerando o contexto de produção: contexto de produção:
-finalidade  Mobilizar conhecimentos prévios; -Organização das informações mais relevantes:
-especificidade da modalidade textual *o que quer escrever;
-papéis assumidos pelos interlocutores  Organizar ideias para o desenvolvimento do tema; *para quem (diferentes interlocutores);
-mobilização de conhecimentos prévios *para quê (com diferentes finalidades);
-inventário de ideias para o desenvolvimento do  Organizar as informações mais relevantes para atender a *qual o gênero que melhor exprime essas ideias;
tema diferentes finalidades. *para circular em diferentes espaços sociais (linguagem
-organização de informações mais relevantes: coloquial o formal). I/A
*o que quer escrever -Representa com imagens e textos curtos: roteiros,
 Representar com imagens e textos curtos: roteiros, cenários,
*para quem (diferentes interlocutores) cenários, personagens, cenas e espaços, construindo
*para quê (com diferentes finalidades) personagens, cenas e espaços, construindo significados e significados e compreensão do real. A/C
*qual o gênero que melhor exprime essas compreensão do real. -Escreve textos de memória. I/A/C
ideias
*para circular em diferentes espaços sociais  Escrever texto de memória.
(linguagem coloquial ou formal).
-Produção de novo texto a partir de modelos.
-Escrita de textos memorizados.
Condições de Produção/Capacidade de Ação -Produzir textos de diferentes gêneros, atendendo a diferentes finalidades. D14 – Identifica o efeito de sentido decorrente do uso da
ou aspectos sociodiscursivo do texto: pontuação e de outras notações. I/A/C
a.Quem é o destinatário? -Identificar a finalidade ou o gênero de diferentes textos e suportes.
b.Quem é o emissor?
c.Qual o papel social de ambos? -Realizar reflexões metalinguísticas sobre a construção de palavras, frases
d.Qual a finalidade do texto? e pequenos textos. D9 -Identifica a finalidade de textos de diferentes
e.Qual o meio de veiculação? gêneros. A/C
f.De que temas tratam o gênero? -Criar e recriar texto ou partes de texto, considerando o contexto de
g.Qual é o gênero textual? produção.
h.Quais papéis assumem os interlocutores?
i.Qual a linguagem, coloquial ou formal?
Produção escrita (rascunho) e edição final:

131
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
- estabelecimento de unidade de sentido;
-fatores de textualidade (coesão e coerência);
-pontuação, ortografia, acentuação e
segmentação;
-concordância verbal e nominal.
Segmentação do texto em frases e parágrafos.
Reescrita do texto coletivo ou não observando Reescrever o texto, palavras e frases, observando:
recursos linguísticos como:  Título do texto; D6 – Identifica o tema de um texto. A/C
 o desenvolvimento do tema;
 O desenvolvimento do tema; D11 – Distingue um fato da opinião relativa a esse fato.
 a adequação necessária, em função do I/A/C
interlocutor,  Concordância nominal e verbal, recursos coesivos;

Finalidade do texto, características do gênero,  A segmentação do texto em palavras e frases;


pontuação, segmentação do texto em palavras,
frases e parágrafos;  Uso da letra maiúscula em títulos, nomes próprios e início de
 Emprego dos verbos (concordância frases;
verbal) e dos pronomes (concordância nominal,
coesão e coerência textual);  Uso sinais de pontuação (ponto final, travessão e dois pontos);

 Utilização da letra maiúscula em títulos,  Recursos linguísticos do gênero - linguagem adequada ao gênero
nomes próprios e inicio de frases; que produz garantindo a unidade e o sentido do texto: sequência lógica,
coerência e coesão;
 Paragrafação (ponto final, dois pontos e
travessão);  Parágrafos;

 Vocabulário;  Traçar corretamente e legível as letras;

 Ortografia;  Organizar as ideias no texto.

 Título do texto.

Aspectos da escrita:

132
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
*grafia (escrita),
*linguagem (modo de organizar as
ideias ao se expressar por escrito).
ANÁLISE E REFLEXÃO SOBRE A LÍNGUA DESCRITORES
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES CAPACIDADES PNAIC – (2012)
Gramática aplicada ao texto no contexto -Identificar e segmentar os sons relativos às palavras por meio do lúdico - D1-Localiza informações explícitas do texto. I/A/C
morfológico e semântico: relação fonema/grafema;
 FONÉTICA - fonemas e fonologia, -Identificar na leitura e na escrita de textos, frases e palavras: separação de D5-Interpreta texto com auxílio de material gráfico
encontros vocálicos (ditongo, tritongo e hiato) e sílabas das palavras ao final de linha (segmentação); diverso (propagandas, quadrinhos, foto,etc. I/A/C
encontros consonantais, dígrafos; -Compreender que algumas marcas (acentos) podem modificar a
tonicidade das palavras e que a tonicidade nem sempre é marcada por D14–Identifica o efeito de sentido decorrente do uso da
acento gráfico; BNCC – Eixo: Apropriação do Sistema de Escrita pontuação e de outras notações. I/A/C
 SÍLABA- tonicidade - acento tônico,
Alfabética/Ortográfico e Tecnologias da Escrita”.
classificação das sílabas (quantidade de sílabas) -Empregar letras maiúsculas no início de frases, nomes próprios e títulos.
quanto posição da sílaba acentuação gráfica; -Reconhecer diferentes tipos de letras em diferentes contextos, suportes e D12–Estabelece relações lógico-discursivas presentes no
gêneros textuais, instrumentos de escrita como papel, lápis/caneta, tela/ texto, marcadas por conjunções, advérbios, etc.
 ORTOGRAFIA - emprego da letra teclado; BNCC - Eixo: Apropriação do sistema de escrita
maiúscula e minúscula na escrita de títulos, alfabética/ortográfico e tecnologias da escrita, com alterações. D3.3 - Identifica relação entre grafema e fonema
nomes e início de frases; -Conhecer e fazer uso das grafias de palavras com correspondências (letra/som) com mais de uma correspondência sonora;
regulares diretas entre letras e fonema - Ortografia aplicada ao texto: ex. C e G. A
Apropriação do Sistema de Escrita Alfabética e a) M antes de P/B; AM/AN
norma ortográfica: b) S/SS, C/Ç, Z/S, X/CH
-Relação fonológica: análise e associação de c) AS/ES/IS; C5 - Reconhece diferentes tipos de letras em textos de
fonemas e grafemas (som/letra). d) AN/EN; diferentes gêneros e suportes textuais. A/C
-Sistema alfabético e norma ortográfica: e) H inicial; C1 - Analisa a adequação de um texto (lido, escrito ou
-Ordem alfabética f) -U/L; GUE/QUE; escutado) aos interlocutores aos quais se destina e à
-Ortografia considerando as irregularidades da g) AZ, AS/AZ; R intercalado. formalidade do contexto. A/C
língua escrita: Reconhecer que as sílabas variam quanto à sua combinação entre
a) M antes de P/B; AM/AN consoantes e vogais (CV, CCV, CVV, CVC, V,VC, VCC, CCVCC) e que C15 - Observa e segmenta palavras em texto.. A/C
as vogais estão presentes em todas as sílabas; BNCC - Eixo:
b) S/SS, C/Ç, Z/S, X/CH Apropriação do sistema de escrita alfabética/ortográfico e tecnologias da C7 - Conhece e faz uso das grafias de palavras com
escrita, com alterações. correspondências regulares diretas entre letra e fonema -
c) AS/ES/IS; Ler palavras com estruturas silábicas diversas, compreendendo regras Ortografia aplicada ao texto:
contextuais que explicam o valor sonoro de grafemas. BNCC - Eixo:

133
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
d) AN/EN; Apropriação do sistema de escrita alfabética/ortográfico e tecnologias da a) S/SS, C/Ç, Z/S, X/CH entre outras.
escrita, com alterações;
e) H inicial; b) AS/ES/IS; AN/EN; H inicial.
-Compreender e ordenar o funcionamento do sistema de escrita alfabética;
f) -U/L; GUE/QUE; Exemplo: organizar informações e facilitar procura e busca. BNCC Eixo: c) U/L; GUE/QUE; AS/AZ; R intercalado
Apropriação do sistema de escrita alfabética/ortográfico e tecnologias da
g) AZ, AS/AZ; R intercalado. escrita, com alterações.
-Identificar e fazer uso de letra maiúscula e minúscula nos textos
produzidos, segundo as convenções.
ACENTUAÇÃO GRÁFICA - regras de -Reconhecer o acento gráfico como marca da tonicidade: a posição da
acentuação, (oxítona, paroxítona, proparoxítona); sílaba tônica;
-Reconhecer em textos escritos, recursos utilizados pelo autor para obter
NOTAÇÕES LEXICAS - divisão silábica e determinados efeitos de sentido:
partição de palavras; -recursos coesivos e suas finalidades;
-o valor expressivo dos sinais de pontuação;
CLASSE GRAMATICAL: -recursos linguísticos (modo, tempo verbal e pronomes) utilizados nos
-classificação dos substantivos (flexão: gênero, textos;
número e grau) -formas verbais imperativos no gerúndio;
-artigo - definido e indefinido; -reconhecer recursos de linguagem figurada; os elementos de
-adjetivos, artigos; intencionalidade implícita (recursos persuasivos, humor, metáforas);
-numeral(cardinais,ordinais e romanos); -Identificar as classes gramaticais (adjetivo, conjunção e preposição) em
-pronome (noções iniciais); estruturação de textos e frases, observando o uso da concordância nominal;
-advérbios e expressões adverbiais; -Utilizar regras padrão de concordância verbal (sujeito e predicado),
-verbo - formas verbais imperativos (indicativo concordância nominal (artigo e substantivo, substantivo e adjetivo) e
da continuidade dos processos noções iniciais); flexão de gênero (masculino e feminino) e número (singular e plural);
-formas verbais no gerúndio e no infinitivo; -Comparar textos considerando o tema, características textuais,
-conjunção, preposição, interjeição ( noções organização das ideias e finalidade;
iniciais); -Compreender o sentido das palavras sinônimo, antônimo, prefixos,
 SIGNIFICAÇÃO DAS PALAVRAS - sufixos e outras estratégias para formar palavras;
sinônimo e antônimo; -Identificar as regras gramaticais (substantivos, adjetivo, numeral, verbos,
pronomes e advérbios,) em estruturação de textos e frases, nas diversas
 LINGUAGEM FIGURADA modalidades da linguagem, observando a concordância nominal e verbal.
-Perceber que não se escreve do modo como se pronuncia; Compreender e
(conotação e denotação) - metáfora,
utilizar convenções ortográficas relativas às regularidades contextuais;
BNCC Eixo: Apropriação do sistema de escrita alfabética/ortográfico e
134
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
onomatopeia, humor, ironia, ( noções iniciais); tecnologias da escrita, com alterações. C14 e C15 - Domina as correspondências entre letras ou
-Reconhecer diferentes tipos de letras em diferentes contextos, suportes e grupos de letras e seu valor sonoro, de modo a ler e
gêneros textuais, instrumentos de escrita como papel, lápis/caneta, tela/ escrever palavras e textos. A/C
teclado); BNCC – Eixo: Apropriação do Sistema de Escrita C12 - Identifica e faz uso de letra maiúscula e minúscula
 FRASE - tipos de frase, segmentação Alfabética/Ortográfico e Tecnologias da Escrita”. nos textos produzidos, segundo as convenções. A/C
do texto em frases e parágrafos, utilizando
recursos do sistema de pontuação (ponto final, Estabelece relação entre unidades sonoras e suas
representações gráficas. A/C
exclamação, interrogação e vírgulas nas
C8 - Conhecer e fazer uso das grafias de palavras com
enumerações); correspondências regulares contextuais entre letras ou
grupos de letras e seu valor sonoro (C/QU; G/GU; R/RR;
 CONECTIVOS - Elementos de coesão SA/SO/SU em início de palavra; JA/JO/JU; Z inicial; O
mais adequados à língua escrita garantindo ou U/ E ou I em sílaba final; M e N nasalizando final de
progressão e continuidade das ideias sílaba; NH; Ã e ÃO em final de substantivos e
adjetivos). A/C
 CONCORDÂNCIA - Identificar a unidade linguística e suas possibilidades
nominal(substantivo/artigo, substantivo/adjetivo), combinatórias.
Identificar e segmentar os sons relativos às palavras por
concordância verbal (sujeito e predicado);
meio do lúdico.
Reconhecer classes gramaticais em estruturação de
textos e frases nas diversas modalidades de linguagem,
observando o uso da concordância verbal (sujeito e
-ANÁLISE E REFLEXÃO DA LÍNGUA-
predicado).
jogos nos sites educativos, atividades no "portal
Reconhecer que diferentes palavras podem substituir
do aluno", Power point no celular e enviar aos
outras no contexto.
colegas e professor, etc.
-Ler, ajustando a pauta sonora ao escrito, compreender e
dominar as correspondências entre letras ou grupos de
letras e seu valor sonoro, construindo a correspondência
fonema/grafema- grafema/fonema de modo a ler e a
escrever palavras e textos. Ler palavras com estruturas
dialéticas diversas, compreendendo regras contextuais
que explicam o valor sonoro de grafemas. BNCC Eixo:
Apropriação do sistema de escrita
alfabética/ortográfico e tecnologias da escrita, com
alterações.
135
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
4º Ano – LEITURA, LITERATURA E PRODUÇÃO TEXTUAL - ANUAL
REFERENCIAL CURRICULAR DA REDE MUNICIPAL DE DOURADOS
O R A L I D A D E19 DESCRITORES20 DO INEP
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES BNCC
Situações de comunicação com instrumentos de socialização e -Desenvolver o hábito de ouvir com atenção como forma de melhorar D1 - Localiza informações explícitas do texto.
aprendizagem na apresentação de sequências de expressão oral: a comunicação e a interação com o grupo. Estabelecer o diálogo com I/A/C
 Contação de histórias considerando a sequência da os colegas, professores reconhecendo o turno de fala e o espaço
narração (dos fatos, do tempo e espaço), narração de público escolar. BNCC - Eixo: Prática da vida cotidiana, com
fatos considerando a temporalidade e a causalidade e alterações. D4 – Infere uma informação implícita em um
narração de histórias conhecidas buscando aproximação -Dramatizar o texto observando as diferentes formas de expressão texto. A/C
das características discursivas do texto fonte. empregando dicção, gesto, postura, expressão facial, tom de voz e
 Exposição de ideias quando solicitado, atividades entonação adequada ao contexto.
desenvolvidas em sala, pesquisas, leituras, apresentação -Utilizar recursos tecnológicos diversos para criar, com apoio de D8 - Estabelece relação de causa/ consequência
de trabalho, tabelas, gráficos e outros. roteiros, simulações de programas de rádio e TV que tratem de entre partes e elementos do texto. I/A/C
-Audição atenta em situações de interlocução, com intervenções temáticas próprias ao universo infantil; BNCC - Eixo: Práticas
adequadas, formulação de perguntas e opiniões. culturais das tecnologias de informação e comunicação.
-Adequação da linguagem à situação de uso por meio de -Compreender os modos de organização da biblioteca da turma e D14 – Identifica o efeito de sentido decorrente
conversas, diálogos, debates, dramatizações e simulações. comunidade. BNCC - Eixo: Práticas culturais das tecnologias de do uso da pontuação e de outras notações. I/A/C
-Adequação da linguagem coloquial para a linguagem formal informação e comunicação.
(respeitando a variação linguística). -Expor opinião quando solicitado sobre o resultado de pesquisas e
trabalhos organizados em grupo ou individualmente na sala de aula
Sugestões de gêneros orais do narrar: ou extraclasse.
Vídeos de animações
História engraçada
Pequenas crônicas literárias

19
Os Eixos: Oralidade, Prática de Leitura, Produção de Texto, Análise e reflexão sobre a Língua ao serem trabalhados devem objetivar a inter-relação entre si ao mesmo
tempo atendendo eixos previstos na Base Nacional Comum Curricular: Práticas da vida cotidiana, Práticas artístico-literárias, Práticas político-cidadã, Práticas investigativas,
Práticas culturais das tecnologias de informação e comunicação e Apropriação do sistema de escrita alfabética/ortográfico e tecnologias da escrita.
20
Os descritores foram retirados do documento: BRASIL, Guia de correção e interpretação dos resultados: leitura e matemática – Provinha Brasil 2015. Instituto Nacional de
Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira /Inep. Diretoria de Avaliação da Educação Básica/Daeb.MEC, 2015, p. 11-14 e p. 16-17.

136
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
Sugestões de gêneros orais do expor:
Verbete de dicionário
Cartaz e faixa educativa
-ORALIDADE- podcast, áudio whatsApp e outros, etc. (BNCC,
Eixo: Práticas culturais das tecnologias de informação e
comunicação).
PRATICA DE LEITURA DESCRITORES DO INEP
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES BNCC
Leitura e interpretação de textos (gêneros textuais): -Estabelecer metas e ações na prática da leitura em sala e extraclasse D1-Localiza informações explícitas e implícitas.
utilizando-se do projeto de leitura vigente na escola: cantinho da I/A/C
AGRUPAMENTO DO NARRAR (Cultura literária ficcional) leitura, leitura extraclasse, dia da leitura, maleta de leitura, hora do
Vídeos de animações conto, visita à biblioteca da escola, do SESI e outras;
História engraçada -Relacionar as características do tipo de texto e os indicadores de D9- Identifica a finalidade de textos de
Pequenas crônicas literárias suporte e de autoria na atribuição de sentido ao texto. diferentes gêneros. I/A/C
Canções -Ler palavras e textos, apoiando-se em imagens; BNCC, Eixo:
Poema21 Apropriação do sistema de escrita alfabética/ortográfico e
-Obras literárias tradicionais, de diversas culturas como regional, tecnologias da escrita. D3- Infere o sentido de uma palavra ou
afro-brasileira, indígena e africana. -Localizar informações implícitas e explícitas. expressão. I/A/C
-Inferir o sentido de uma palavra e/ou de uma expressão no texto.
AGRUPAMENTO DO RELATAR: (Documentação e -Identificar traços de intertextualidade.
memorização das ações humanas) -Desenvolver fluência na leitura de textos. D6-Identifica o tema de um texto. I/A/C
Diário virtual (blog) Reconhecendo palavras e frases frequentes em textos, sem a
Casos engraçados de experiência de vida necessidade de decodificação e com rapidez. BNCC Eixo:
Carta - (e-mail), bilhetes, calendários. Apropriação do sistema de escrita alfabética/ortográfico e D7-Identifica o conflito gerador do enredo e os
tecnologias da escrita, com alterações. elementos que constroem a narrativa. I/A/C
AGRUPAMENTO DO ARGUMENTAR (Discussão de -Ler oralmente textos familiares e curtos (títulos de histórias,
problemas sociais controversos) manchetes, quadrinhas, entre outros) após leitura silenciosa; BNCC
Debate regrado Eixo: Apropriação do sistema de escrita alfabética/ortográfico e D14-Identifica o efeito de sentido decorrente do
Entrevista tecnologias da escrita, com alterações. uso da pontuação e de outras notações. I/A/C
Propaganda (folhetos, avisos): - logotipo, slogan e anuncio. -Ler e apreciar textos literários tradicionais, da cultura popular, afro-
brasileira, africana, indígena e de outros povos; comentando temas e
D10–Identifica as marcas linguísticas que
AGRUPAMENTO DO EXPOR (Transmissão de imagens; BNCC - Eixo: Práticas artístico-literárias.
evidenciam o locutor e o interlocutor de um
conhecimento) -Ouvir canções e histórias contadas ou lidas e assistir à apresentações

21
O Poema é um gênero que pode mudar de agrupamento de acordo com a necessidade/situação de comunicação.
137
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
Verbete de dicionário teatrais, desenvolvendo atenção e interesse; BNCC - Eixo: Práticas texto. I/A/C
Cartaz e faixa educativa artístico-literárias com alterações.
-Identificar, em notícias e reportagens de jornais ouvidas ou lidas D6 – Identifica o tema de um texto. A/C
AGRUPAMENTO DO INSTRUIR: descrever/regular com apoio do/a professor/a, elementos como o quê, quem, onde,
comportamento. quando e como. BNCC - Eixo: Práticas político-cidadã.
-Compreender a estrutura de cartazes e faixas que circulam na escola
Roteiro de trabalhos escolares
e no seu entorno e os principais recursos de convencimento neles
Receita de cozinha
utilizados. BNCC - Eixo: Práticas político-cidadã.
Classificados -Localizar informação em quadros e tabelas que apresentam
levantamentos ou agrupamentos de itens; BNCC - Eixo: Práticas
-Instâncias do discurso literário (os personagens, o narrador, o investigativas.
espaço-tempo, o gênero) e a relação que estes elementos
estabelecem entre si no desenrolar da narrativa. -Localizar, identificar elementos sociodiscursivo do texto
-Estratégias/Práticas de leitura: reconhecendo os propósitos para os quais os textos foram produzidos:
Auditiva, *Ações e fatos
Livre escolha, *Aspectos históricos da produção textual
Informativa *Autor – quem escreveu (enunciador)
Silenciosa *Data de Publicação
*Destinatários
-Estratégias de leitura: *Editora
Seleção *Espaço em que acontecem os fatos no texto
Antecipação *Espaços sociais de circulação do texto
Verificação *Gênero Textual
Inferência. *Ilustrador
Pontuação *O que motivou a seleção e produção do texto
*Objetivos do autor
-Desenvolvimento da educação estética e afetiva explorando o *Personagens
conjunto da obra a ser lida, o caráter dialogal entre texto e *Qual o contexto da época em que o texto foi escrito
imagem estimulando a aprendizagem, em suas possibilidades de *Tema do texto
ampliação de horizontes e de percepções diferenciadas de mundo. *Tempo (passado/presente/futuro)
-Leitura de textos literários e não literários, de variados gêneros, -Ler com fluência e observar o valor expressivo dos sinais de
que conduz a relação afetiva com a literatura infantojuvenil, da pontuação:
ficção, da fantasia, do imaginário, com poder de divertir, de
 Ponto final
explorar a linguagem artística, a riqueza, a beleza.
 Interrogação
-Repertório de signos e componentes sensoriais, utilizados pelo
 Exclamação.
138
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
autor na realização de registros intencionais, que trazem -Reconhecer a finalidade do texto.
elementos da linguagem do próprio autor para transmitir ideias e
-Reconhecer o gênero textual em estudo.
sensações. -Identificar signos e componentes sensoriais nas obras literárias.
Exs.: recursos linguísticos: onomatopeias, expressões faciais, -Explorar novas obras literárias.
corporais e outros elementos das histórias. -Reconhecer a leitura como fonte de informação, lazer e cultura.
-Apreciar a literatura como diferentes maneiras de comunicação.
-PRÁTICAS DE LEITURA- livros digitais, sites, vídeos no -Recortar, sintetizar e interpretar o real por intermédio do ponto de
celular e mensagens, etc. (BNCC - Eixo: Práticas culturais das vista do escritor (narrador ou do poeta);
tecnologias de informação e comunicação). -Compartilhar leituras.
-Trocar impressões sobre o enredo.
-Construir significados.
-Comunicar opiniões.
-Ler em voz alta com fluência, ritmo e entonação.
-Utilizar informações oferecidas por um glossário, verbete de
dicionário para a compreensão da leitura. -Reconhecer e empregar o
valor diferencial do acento em determinadas palavras
-Reconhecer a mudança de foco narrativo (narrador em 1ª e 3ª
pessoa).
-Manusear adequadamente livros didáticos e de literatura e outros
suportes frequentes no contexto social (livros, folhetos, jornais,
compreendendo as formas de sequência ou organização em seções,
no 4º e 5º Ano); BNCC - Eixo: Práticas culturais das tecnologias
de informação e comunicação.
PRODUÇÃO DE TEXTO DESCRITORES DO INEP
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES BNCC
Produção de texto individual e coletiva utilizando o - Produzir texto individual e coletivamente utilizando o D2-Estabelece relações entre partes de um texto,
conhecimento de que dispõe sobre o sistema de escrita: conhecimento de que dispõe sobre o sistema de escrita. identificando repetições ou substituições que
-Manter a coerência textual na atribuição de título, na continuidade contribuem para a continuidade de um texto.
AGRUPAMENTO DO RELATAR: (Documentação e temática e de sentido geral do texto como os procedimentos de I/A/C
memorização das ações humanas) coesão mais adequados à língua escrita, garantindo a progressão e a
Diário virtual (blog) continuidade das ideias. D9-Identifica a finalidade de textos de diferentes
Casos engraçados de experiência de vida -Reelaborar e organizar histórias substituindo ou acrescentando gêneros. A/C
Carta - (e-mail), bilhetes, calendários. partes.
-Identificar recursos utilizados para obter determinados efeitos de D7–Identifica o conflito gerador do enredo e os
AGRUPAMENTO DO ARGUMENTAR (Discussão de sentido: elementos constitutivos de texto, coerência e coesão, elementos que constroem a narrativa. I/A/C
139
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
problemas sociais controversos) pontuação, concordância nominal e verbal, ortografia e paragrafação.
Carta de reclamação -Reconhecer a estrutura do gênero textual a ser produzido. D8–Estabelece relação causa /consequência
Propaganda (folhetos, avisos): - logotipo, slogan e anuncio. -Relatar, com coerência, experiências vividas, usando diferentes entre partes e elementos do texto. I/A/C
elementos que marquem a passagem do tempo; BNCC - Eixo:
AGRUPAMENTO DO INSTRUIR: descrever/regular Prática da vida cotidiana.
comportamento. -Relatar, com objetividade, episódios vividos ou conhecidos, D12–Estabelece relações lógico-discursivas
Regras de Jogos respeitando a ordem de apresentação dos fatos, selecionando temas presentes no texto, marcadas por conjunções,
principais e secundários e posicionar-se, com clareza, sobre um tema advérbios, etc. I/A/C
Instruções (de montagem, participação de concursos, promoções)
do seu cotidiano; BNCC - Eixo: Prática da Vida Cotidiana.
-Identificar, em notícias e reportagens de jornais ouvidas ou lidas
-PRODUÇÃO DE TEXTO- mensagens no whatsApp, com apoio do/a professor/a, elementos como o quê, quem, onde,
Messenger, e-mail, whattpad, etc. BNCC - Eixo: Práticas D10–Identifica as marcas linguísticas que
quando e como. BNCC - Eixo: Práticas Político-Cidadã.
culturais das tecnologias de informação e comunicação. evidenciam o locutor e o interlocutor de um
-Produzir, individual e coletivamente, receitas e instruções diversas,
texto. I/A/C
montagem de objetos, brincadeiras e jogos, regras de jogos e de
brincadeiras, etc. BNCC, Eixo: Prática da Vida Cotidiana em
-OUTROS- produzir vídeos curtos de aula, dramatização em D15–Reconhece diferentes formas de tratar uma
alteração.
vídeos,simulação de telejornal, telenovela, programas de estúdio, informação na comparação de textos que tratam
-Reconhecer a finalidade de textos da vida cotidiana como bilhetes,
(tudo com fins pedagógicos) etc. BNCC - Eixo: Práticas do mesmo tema, em função das condições em
agendas, calendários, receitas; BNCC - Eixo: Prática da Vida
culturais das tecnologias de informação e comunicação. que ele foi produzido e daquelas em que será
Cotidiana.
recebido. I/A/C
-Reconhecer características de textos instrucionais. BNCC - Eixo:
Práticas da vida cotidiana.
-Formular perguntas pertinentes ao conteúdo de um tema estudado.
BNCC - Eixo: Práticas investigativas.
-Registrar resultados de pesquisa em áudio, vídeo, a partir de relatos
construídos com o/a professor/a. BNCC - Eixo: Práticas
investigativas.
-Exercitar a escrita em editores de textos e outros programas
oferecidos nas mídias digitais, fazendo uso de diferentes linguagens.
BNCC - Eixo: Práticas Culturais das Tecnologias de Informação e
Comunicação.
Recursos utilizados na escrita, com apoio do professor, para Noções do estabelecimento de unidade de sentido:
obtenção de determinados efeitos de sentido:  Segmentação do texto em frases e parágrafos, utilizando D14–Identifica o efeito de sentido decorrente do
 Letra maiúscula em títulos, nomes próprios e início de recursos do sistema de pontuação; uso da pontuação e de outras notações. I/A/C
frases;  Concordância nominal (artigo/substantivo,
 Tipos de letras; substantivo/adjetivo),flexões de gênero (masculino e feminino),
140
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
 Análise fonológica da palavra; número (singular e plural) e grau (aumentativo e diminutivo);
 Paragrafação;  Coesão e coerência;
 Exploração dos recursos de linguagens: emprego dos  Função dos substantivos próprios e comuns;
verbos e dos pronomes (coesão e coerência textual);  Concordância verbal (verbos e pronomes);
 Adequação do gênero;
 Pontuação
 Vocabulário
 Ortografia.
 Flexão de gênero (masculino e feminino), número
(singular e plural) e grau (diminutivo e aumentativo).
Planejamento da escrita de textos coletivos considerando o Planejar a escrita de textos considerando o contexto de produção: Planejamento da escrita de textos
contexto de produção:  Mobilizar conhecimentos prévios; considerando o contexto de produção:
-finalidade  Organizar ideias para o desenvolvimento do tema; -Organização das informações mais relevantes:
-especificidade da modalidade textual  Organizar as informações mais relevantes para atender a *o que quer escrever;
-papéis assumidos pelos interlocutores diferentes finalidades. *para quem (diferentes interlocutores);
-mobilização de conhecimentos prévios  Representar com imagens e textos curtos: roteiros, cenários, *para quê (com diferentes finalidades);
-inventário de ideias para o desenvolvimento do tema personagens, cenas e espaços, construindo significados e *qual o gênero que melhor exprime essas ideias;
-organização de informações mais relevantes: compreensão do real. *para circular em diferentes espaços sociais
*o que quer escrever  Escrever texto de memória. (linguagem coloquial o formal). I/A
*para quem (diferentes interlocutores) -Representa com imagens e textos curtos:
*para quê (com diferentes finalidades) roteiros, cenários, personagens, cenas e espaços,
*qual o gênero que melhor exprime essas ideias construindo significados e compreensão do real.
*para circular em diferentes espaços sociais (linguagem A/C
coloquial ou formal). -Escreve textos de memória. I/A/C
-Produção de novo texto a partir de modelos.
-Escrita de textos memorizados.
Condições de Produção/Capacidade de Ação ou aspectos -Produzir textos de diferentes gêneros, atendendo a diferentes D14 –Identifica o efeito de sentido decorrente do
sociodiscursivo do texto: finalidades. uso da pontuação e de outras notações. I/A/C
a.Quem é o destinatário? -Identificar a finalidade ou o gênero de diferentes textos e suportes.
b.Quem é o emissor? -Realizar reflexões metalinguísticas sobre a construção de palavras,
c.Qual o papel social de ambos? frases e pequenos textos.
d.Qual a finalidade do texto? -Criar e recriar texto ou partes de texto, considerando o contexto de D9-Identifica a finalidade de textos de diferentes
e.Qual o meio de veiculação? produção. gêneros. A/C
f.De que temas tratam o gênero?

141
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
g.Qual é o gênero textual?
h.Quais papéis assumem os interlocutores?
i.Qual a linguagem, coloquial ou formal?
Produção escrita (rascunho) e edição final:
- estabelecimento de unidade de sentido;
-fatores de textualidade (coesão e coerência);
-pontuação, ortografia, acentuação e segmentação;
-concordância verbal e nominal.
Segmentação do texto em frases e parágrafos.
Reescrita do texto coletivo ou não observando recursos Reescrever o texto, palavras e frases, observando: D6 – Identifica o tema de um texto. A/C
linguísticos como:  Título do texto;
 o desenvolvimento do tema;  O desenvolvimento do tema; D11 – Distingue um fato da opinião relativa a
 a adequação necessária, em função do interlocutor,  Concordância nominal e verbal, recursos coesivos; esse fato. I/A/C
Finalidade do texto, características do gênero, pontuação,  A segmentação do texto em palavras e frases;
segmentação do texto em palavras, frases e parágrafos;  Uso da letra maiúscula em títulos, nomes próprios e início
 Emprego dos verbos (concordância verbal) e dos de frases;
pronomes (concordância nominal, coesão e coerência textual);  Uso sinais de pontuação (ponto final, travessão e dois
 Utilização da letra maiúscula em títulos, nomes próprios pontos);
e inicio de frases;  Recursos linguísticos do gênero - linguagem adequada ao
 Paragrafação (ponto final, dois pontos e travessão); gênero que produz garantindo a unidade e o sentido do texto:
 Vocabulário; sequência lógica, coerência e coesão;
 Ortografia;  Parágrafos;
 Título do texto.  Traçar corretamente e legível as letras;
Aspectos da escrita:  Organizar as ideias no texto.
*grafia (escrita),
*linguagem (modo de organizar as ideias ao se
expressar por escrito).
ANÁLISE E REFLEXÃO SOBRE A LÍNGUA DESCRITORES DO INEP
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES BNCC

142
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
Gramática aplicada ao texto no contexto morfológico e -Identificar e segmentar os sons relativos às palavras por meio do D1-Localiza informações explícitas do texto.
semântico: lúdico - relação fonema/grafema; I/A/C
 FONÉTICA -Identificar na leitura e na escrita de textos, frases e palavras: D5-Interpreta texto com auxílio de material
 SÍLABA separação de sílabas das palavras ao final de linha (segmentação); gráfico diverso (propagandas, quadrinhos,
 ORTOGRAFIA -Empregar letras maiúsculas no início de frases, nomes próprios e foto,etc. I/A/C
 ACENTUAÇÃO GRÁFICA - títulos.
 NOTAÇÕES LEXICAS - -Reconhecer diferentes tipos de letras em diferentes contextos, D14–Identifica o efeito de sentido decorrente do
 CLASSE GRAMATICAL: suportes e gêneros textuais. BNCC - Eixo: Apropriação do sistema uso da pontuação e de outras notações. I/A/C
de escrita alfabética/ortográfico e tecnologias da escrita, com
 SIGNIFICAÇÃO DAS LINGUAGENS
alterações. D12–Estabelece relações lógico-discursivas
 FIGURADA (conotação e denotação) - metáfora,
-Compreender e ordenar o funcionamento do sistema de escrita presentes no texto, marcadas por conjunções,
onomatopeia, humor, ironia, ( noções iniciais);
alfabética; Exemplo: organizar informações e facilitar procura e advérbios, etc.
 FRASE - tipos de frase, segmentação do texto em
busca. BNCC - Eixo: Apropriação do sistema de escrita
frases e parágrafos, utilizando recursos do sistema de pontuação
alfabética/ortográfico e tecnologias da escrita, com alterações. Identifica em narrativas verbais lidas
(ponto final, exclamação, interrogação e vírgulas nas
-Identificar e fazer uso de letra maiúscula e minúscula nos textos individualmente.:
enumerações);
produzidos, segundo as convenções.  Personagem principal;
 CONECTIVOS - Elementos de coesão mais adequados -Reconhecer o acento gráfico como marca da tonicidade: a posição da  Ações;
à língua escrita garantindo progressão e continuidade das ideias sílaba tônica;  Tempo;
 CONCORDÂNCIA – nominal (substantivo/artigo, -Reconhecer em textos escritos, recursos utilizados pelo autor para  Espaço A/C
substantivo/adjetivo), concordância verbal (sujeito e predicado); obter determinados efeitos de sentido:
-recursos coesivos e suas finalidades; Reconhece o gênero textual. A/C
 ANÁLISE E REFLEXÃO DA LÍNGUA- jogos nos -o valor expressivo dos sinais de pontuação;
sites educativos, atividades no "portal do aluno", Power -recursos linguísticos (modo, tempo verbal e pronomes)
point no celular e enviar aos colegas e professor, etc. utilizados nos textos;
Relação fonológica: análise e associação de fonemas e grafemas -formas verbais imperativos no gerúndio;
(som/letra). -reconhecer recursos de linguagem figurada; os elementos de
intencionalidade implícita (recursos persuasivos, humor,
Recursos técnicos e comunicativos utilizados para expressões de metáforas);
linguagem, convenções literárias (o belo, o prazer, o lúdico, -Utilizar regras padrão de concordância verbal (sujeito e predicado),
vinculados com o sensorial, o emocional - sentimentos, desejos e concordância nominal (artigo e substantivo, substantivo e adjetivo) e
ideias). flexão de gênero (masculino e feminino) e número (singular e plural);
-Comparar textos considerando o tema, características textuais,
organização das ideias e finalidade;
-Compreender o sentido das palavras sinônimo, antônimo, prefixos,
sufixos e outras estratégias para formar palavras;
143
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
-Perceber que não se escreve do modo como se pronuncia;
Compreender e utilizar convenções ortográficas relativas às
regularidades contextuais; BNCC - Eixo: Apropriação do sistema de
escrita alfabética/ortográfico e tecnologias da escrita, com
alterações.
-Identificar e segmentar os sons relativos às palavras por meio do
lúdico.
-Reconhecer classes gramaticais em estruturação de textos e frases
nas diversas modalidades de linguagem, observando o uso da
concordância verbal (sujeito e predicado).
-Reconhecer que diferentes palavras podem substituir outras no
contexto.
-Ler, ajustando a pauta sonora ao escrito, compreender e dominar as
correspondências entre letras ou grupos de letras e seu valor sonoro,
construindo a correspondência fonema/grafema- grafema/fonema de
modo a ler e a escrever palavras e textos. Ler palavras com estruturas
dialéticas diversas, compreendendo regras contextuais que explicam
o valor sonoro de grafemas. BNCC Eixo: Apropriação do sistema
de escrita alfabética/ortográfico e tecnologias da escrita, com
alterações.
Construir uma relação afetiva com a literatura infanto-juvenil.
Compreender as diferentes formas em que a literatura se apresenta,
considerando a sua linguagem (conjunto de recursos técnicos e
expressivos a disposição do escritor).

144
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
5º Ano – LEITURA, LITERATURA E PRODUÇÃO TEXTUAL - ANUAL
REFERENCIAL CURRICULAR DA REDE MUNICIPAL DE DOURADOS
ORALIDADE
DESCRITORES DO INEP
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES
BNCC
-Situações de comunicação com instrumentos de socialização -Desenvolver o hábito de ouvir com atenção como forma de melhorar D1 - Localiza informações explícitas do texto
e aprendizagem na apresentação de sequências de expressão a comunicação e a interação com o grupo. Estabelecer o diálogo com I/A/C
oral: os colegas, professores reconhecendo o turno de fala e o espaço
 Debate/exposição de opinião sobre temas público escolar. BNCC - Eixo: Prática da vida cotidiana.
determinados pelo professor ou mediador, -Inferir sobre alguns elementos de intencionalidade implícita na fala D4 – Infere uma informação implícita em um
argumentar demonstrando clareza e objetividade e (sentido figurado, recursos persuasivos, humor e outros). texto. A/C
respeitando o turno de fala. Argumentar sobre -Perceber os elementos intencionais do texto: humor, ironia, tom
assuntos polêmicos. catastrófico, inflexão de voz.
 Instruções e prescrições sobre regras de jogo, roteiro -Dramatizar textos simulando os meios de comunicação: conversas D8 - Estabelece relação de causa/ consequência
de trabalhos, receitas culinárias, localização de por telefone, anúncios de rádio ou locuções dos apresentadores. entre partes e elementos do texto. I/A/C
espaços na escola, trajeto de casa pra escola e outros. -Reconhecer o significado contextual do papel complementar de
alguns elementos não linguísticos para conferir significação aos
-Situação de comunicação direta ou mediada (telefone, rádio, textos (gesto, postura corporal, expressão facial, tom de voz, D14 – Identifica o efeito de sentido decorrente do
televisão e outros). entonação). uso da pontuação e de outras notações. I/A/C
-Elementos não linguísticos para conferir significação aos -Utilizar recursos tecnológicos diversos para criar, com apoio de
textos (gesto, postura corporal, expressão facial, tom de voz, roteiros, simulações de programas de rádio e TV que tratem de
entonação). temáticas próprias ao universo infantil; BNCC Eixo: Práticas
-Audição atenta em situações de interlocução, com culturais das tecnologias de informação e comunicação.
intervenções adequadas, formulação de perguntas e opiniões. -Identificar a finalidade de textos de diferentes gêneros.
-Adequação da linguagem à situação de uso por meio de -Empregar linguagem com maior nível de formalidade quando a
conversas, diálogos, debates, dramatizações e simulações. situação social exigir mantendo o ponto de vista.
-Adequação da linguagem coloquial para a linguagem formal -Argumentar sobre assuntos polêmicos.
(respeitando a variação linguística).

Sugestões de gêneros orais:


AGRUPAMENTO DO ARGUMENTAR:
Depoimento
Debate regrado

145
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
AGRUPAMENTO DO INSTRUIR:
Receita de médico
Classificados

-ORALIDADE- podcast, áudio whatsApp e outros, etc.


(BNCC, Eixo: Práticas culturais das tecnologias de
informação e comunicação).
PRATICA DE LEITURA DESCRITORES DO INEP
BNCC
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES
Leitura e interpretação de textos (gêneros textuais): -Identificar informações explícitas e implícitas, relevantes para a D1-Localiza informações explícitas e implícitas.
AGRUPAMENTO DO NARRAR (Cultura literária compreensão do texto, reconhecendo a unidade temática. I/A/C
ficcional): -Relacionar título ao texto.
 Contos (de assombração, mistério e outros). -Relacionar as características do gênero textual e os indicadores de
 História engraçada suporte e de autoria na atribuição de sentido ao texto.
 Vídeos e animações -Identificar marcas que evidenciam o locutor e o interlocutor de um
 Obras literárias tradicionais, de diversas culturas texto nos diversos domínios sociais. D9- Identifica a finalidade de textos de diferentes
como regional, afro-brasileira, indígena e africana. -Identificar a finalidade de textos de diferentes gêneros. gêneros. I/A/C
-Identificar o conflito gerador do enredo e os elementos que
AGRUPAMENTO DO RELATAR: (Documentação e constroem a narrativa, distinguir as características físicas e
memorização das ações humanas): psicológicas dos personagens, autor de narrador e personagens;
 Pequena reportagem -Inferir o sentido de uma palavra ou de uma expressão no texto,
 Notícia identificar traços de intertextualidade. D3- Infere o sentido de uma palavra ou expressão.
-Identificar a linguagem formal ou informal, considerando a relação I/A/C
 Diário virtual (blog)
entre os interlocutores.
-Perceber o valor expressivo dos sinais de pontuação e de outras
AGRUPAMENTO DO ARGUMENTAR (Discussão de
notações.
problemas sociais controversos):
-Ler palavras e textos, apoiando-se em imagens; BNCC - Eixo:
 Depoimento
Apropriação do sistema de escrita alfabética/ortográfico e D6-Identifica o tema de um texto. I/A/C
 Debate regrado
tecnologias da escrita.
-Identificar em textos poéticos (poemas) recursos sonoros (aliteração,
AGRUPAMENTO DO EXPOR (Transmissão de
assonância, ritmo, rimas) e visuais e recitar poemas lidos, usando
conhecimento):
esses recursos expressivos da entonação e do corpo; BNCC - Eixo:
 Exposição escrita de experiência científica Práticas artístico-literárias, com alterações. D7-Identifica o conflito gerador do enredo e os
 Dicionário, glossário para fins específicos. -Desenvolver fluência na leitura reconhecendo palavras e frases elementos que constroem a narrativa. (I/A/C)
146
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
 Tabelas simples frequentes em textos, sem a necessidade de decodificação e com
 Gráficos simples rapidez. BNCC - Eixo: Apropriação do sistema de escrita
 Exposição oral de trabalhos alfabética/ortográfico e tecnologias da escrita, com alterações.
 Cartaz, faixa educativa. -Ler, palavras com estruturas silábicas diversas, compreendendo
regras contextuais que explicam o valor sonoro de grafemas. BNCC - D14-Identifica o efeito de sentido decorrente do
AGRUPAMENTO DO INSTRUIR (descrever/regular Eixo: Apropriação do sistema de escrita alfabética/ortográfico e uso da pontuação e de outras notações. I/A/C
comportamento): tecnologias da escrita, com alterações.
 Roteiro de trabalhos escolares -Ler e apreciar textos literários tradicionais, da cultura popular, afro-
 Regras de Jogos ou instruções de jogos brasileira, africana, indígena e de outros povos; comentando temas e
 Classificados imagens; BNCC - Eixo: Práticas artístico-literárias.
-Ouvir canções e histórias contadas ou lidas e assistir às
apresentações teatrais, desenvolvendo atenção e interesse; BNCC-
-Instâncias do discurso literário (os personagens, o narrador, o D10 – Identifica as marcas linguísticas que
espaço-tempo, o gênero) e a relação que estes elementos Eixo: Práticas artístico-literárias com alterações.
evidenciam o locutor e o interlocutor de um texto.
-Reconhecer marcadores temporais e relações de causalidade em
estabelecem entre si no desenrolar da narrativa. I/A/C
contos acessíveis às crianças; BNCC - Eixo: Práticas artístico-
-Estratégias/Práticas de leitura: literárias.
-Identificar, em notícias e reportagens de jornais ouvidas ou lidas com
 Auditiva,
apoio do/a professor/a, elementos como o quê, quem, onde, quando e
 Livre escolha,
como. BNCC - Eixo: Práticas político-cidadã.
 Informativa -Compreender a estrutura de cartazes e faixas que circulam na escola
 Silenciosa e no seu entorno e os principais recursos de convencimento neles
 Seleção utilizados. BNCC - Eixo: Práticas político-cidadã.
 Antecipação -Localizar informação em quadros e tabelas que apresentam
 Verificação levantamentos ou agrupamentos de itens; BNCC - Eixo: Práticas D5 – Interpreta texto com auxílio de material
 Inferência. investigativas. gráfico diverso (propagandas, quadrinhos, foto,
 Pontuação -Realizar buscas, a partir do uso de palavras-chave em sites infantis etc.). I/A/C
da Web; BNCC - Eixo: Práticas culturais das tecnologias de
Textos narrativos ficcionais, (contos clássicos e informação e comunicação.
contemporâneos, contos populares, lendas, fábulas histórias -Compreender a função e a importância dos lugares de
em quadrinhos): armazenamento e circulação de textos, tais como biblioteca da escola,
 Tempo; espaço; narrador (foco narrativo: narrador- sites, livrarias, bancas, etc. BNCC - Eixo: Práticas culturais das
personagem e narrador observador); tecnologias de informação e comunicação.
 Enredo; ordenação temporal; caracterização dos -Identificar elementos que estruturam e caracterizam os textos
personagens, ações e modo como se expressam. narrativos e jornalísticos.
-Compreender enunciados de exercícios e tarefas, realizados em
147
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
Textos Poéticos (poemas): diferentes componentes curriculares; BNCC – Eixo: “Práticas
 Efeitos sonoros obtidos por meio de rimas; Investigativas”.
 Aliterações; assonâncias; -Localizar, identificar elementos sociodiscursivo do texto
 Disposição gráfica e reconhecendo os propósitos para os quais os textos foram produzidos:
 Linguagem figurada. *Ações e fatos
*Aspectos históricos da produção textual
Textos informativos (relato de experiência científica, *Autor – quem escreveu (enunciador)
folhetos): *Data de Publicação
 Impessoalidade, *Destinatários
 Objetividade, *Editora
*Espaço em que acontecem os fatos no texto
 Usa de sequências descritivas,
*Espaços sociais de circulação do texto
 Discurso expositivo,
*Gênero Textual
 Adequação do registro mais formal ou menos formal
*Ilustrador
de acordo com a finalidade do texto e o interlocutor.
*O que motivou a seleção e produção do texto
*Objetivos do autor
Textos epistolares (carta e bilhete):
*Personagens
 Local e data, *Qual o contexto da época em que o texto foi escrito
 Invocação (saudação), *Tema do texto
 Assunto, despedida, assinatura *Tempo (passado/presente/futuro)

Textos publicitários (propaganda, folheto, anúncio): -Ler com fluência e observar o valor expressivo dos sinais de
 Imagens, pontuação: Reconhecer o gênero textual. A/C
 Código verbal e não verbal,  Ponto final
 Sinais gráficos,  Interrogação
 Balões,  Exclamação.
 Traços e
 Indicadores de movimento. -Reconhecer o gênero textual em estudo.
-Identificar signos e componentes sensoriais nas obras literárias.
Textos instrucionais (receita, regra de jogo, bula, manual de -Explorar novas obras literárias.
instrução): -Reconhecer a leitura como fonte de informação, lazer e cultura.
 Verbo no imperativo, -Apreciar a literatura como diferentes maneiras de comunicação.
 Modo de fazer -Recortar, sintetizar e interpretar o real por intermédio do ponto de
 Linguagem descritiva, e outros. vista do escritor (narrador ou do poeta);
-Compartilhar leituras.
148
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
-Desenvolvimento da educação estética e afetiva explorando o -Trocar impressões sobre o enredo.
conjunto da obra a ser lida, o caráter dialogal entre texto e -Construir significados.
imagem estimulando a aprendizagem, em suas possibilidades -Comunicar opiniões.
de ampliação de horizontes e de percepções diferenciadas de -Ler em voz alta com fluência, ritmo e entonação.
mundo. -Utilizar informações oferecidas por um glossário, verbete de
-Leitura de textos literários e não literários, de variados dicionário para a compreensão da leitura.
gêneros, que conduz a relação afetiva com a literatura -Reconhecer e empregar o valor diferencial do acento em
infantojuvenil, da ficção, da fantasia, do imaginário, com determinadas palavras
poder de divertir, de explorar a linguagem artística, a riqueza, -Reconhecer a mudança de foco narrativo (narrador em 1ª e 3ª
a beleza. pessoa).
-Repertório de signos e componentes sensoriais, utilizados
pelo autor na realização de registros intencionais, que trazem -Manusear adequadamente livros didáticos e de literatura e outros
elementos da linguagem do próprio autor para transmitir suportes frequentes no contexto social (livros, folhetos, jornais,
ideias e sensações. compreendendo as formas de sequência ou organização em seções, no
Exs.: recursos linguísticos: onomatopeias, expressões faciais, 4º e 5º Ano); BNCC - Eixo: Práticas culturais das tecnologias de
corporais e outros elementos das histórias. informação e comunicação.

-PRÁTICAS DE LEITURA- Textos de diferentes gêneros.


Exemplo: texto eletrônico, hipertextos, livros digitais, sites,
vídeos no celular e mensagens, e-book etc. (BNCC - Eixo:
Práticas culturais das tecnologias de informação e
comunicação, com alterações).
PRODUÇÃO DE TEXTO DESCRITORES DO INEP
BNCC
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES
Produção de texto individual e coletiva utilizando o -Manter a coerência textual na atribuição de título, na continuidade D2-Estabelece relações entre partes de um texto,
conhecimento de que dispõe sobre o sistema de escrita: temática e de sentido geral do texto como os procedimentos de coesão identificando repetições ou substituições que
AGRUPAMENTO DO NARRAR (Cultura literária mais adequados à língua escrita, garantindo a progressão e a contribuem para a continuidade de um texto.
ficcional): continuidade das ideias. I/A/C
 Contos (de assombração, mistério e outros). -Reelaborar e organizar histórias substituindo ou acrescentando
 História engraçada partes.
 Vídeos e animações -Identificar recursos utilizados para obter determinados efeitos de D9-Identifica a finalidade de textos de diferentes
sentido: elementos constitutivos de texto, coerência e coesão, gêneros. A/C
AGRUPAMENTO DO RELATAR: (Documentação e pontuação, concordância nominal e verbal, ortografia e paragrafação.
memorização das ações humanas) -Reconhecer a estrutura do gênero textual a ser produzido.
149
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
 Pequena reportagem -Produzir antologias de poemas infantis por meio de registros do texto D7 – Identifica o conflito gerador do enredo e os
selecionado ou de recriação. BNCC - Eixo: Práticas artístico- elementos que constroem a narrativa. I/A/C
AGRUPAMENTO DO EXPOR (Transmissão de literárias.
conhecimento): -Recontar contos tradicionais, respeitando a descrição do cenário, dos
 Exposição escrita de experiência científica personagens, o conflito e o desfecho, usando de modo coerente a D8 – Estabelece relação causa /consequência
 Dicionário, glossário para fins específicos. sequência temporal; BNCC - Eixo: Prática da vida cotidiana. entre partes e elementos do texto. I/A/C
 Cartaz, faixa educativa. -Reescrever histórias conhecidas, recuperando os diferentes
personagens e as ações que se desenvolvem no tempo; BNCC -
Eixo: Práticas artístico-literárias. D12 – Estabelece relações lógico-discursivas
-Reconhecer marcadores temporais e relações de causalidade, em presentes no texto, marcadas por conjunções,
contos acessíveis às crianças; BNCC - Eixo: Práticas artístico- advérbios, etc. I/A/C
literárias.
-Relatar, com coerência, experiências vividas, usando diferentes
elementos que marquem a passagem do tempo; BNCC - Eixo:
Prática da vida cotidiana.
-Relatar, com objetividade, episódios vividos ou conhecidos,
D10 – Identifica as marcas linguísticas que
respeitando a ordem de apresentação dos fatos, selecionando temas
evidenciam o locutor e o interlocutor de um texto.
principais e secundários e posicionar-se, com clareza, sobre um tema
I/A/C
do seu cotidiano; BNCC - Eixo: Prática da vida cotidiana.
-Recontar o enredo de um filme ou de um desenho que viu, com base
Relatar, com coerência e objetividade
na memorização de cenas; BNCC - Eixo: Prática da vida cotidiana.
experiências vividas. BNCC, Eixo: Prática da
-Identificar, em notícias e reportagens de jornais ouvidas ou lidas com
vida cotidiana, com alteração.
apoio do/a professor/a, elementos como o quê, quem, onde, quando e
como. BNCC - Eixo: Práticas político-cidadã.
-Compreender a estrutura de cartazes e faixas que circulam na escola
e no seu entorno e os principais recursos de convencimento neles
D15 – Reconhece diferentes formas de tratar uma
utilizados. BNCC - Eixo: Práticas político-cidadã.
informação na comparação de textos que tratam
-Escrever cartazes e faixas educativas, usando recursos
do mesmo tema, em função das condições em que
argumentativos adequados à situação comunicativa. BNCC - Eixo:
ele foi produzido e daquelas em que será
Práticas político-cidadã.
recebido. I/A/C
-Formular perguntas pertinentes ao conteúdo de um tema estudado.
BNCC - Eixo: Práticas investigativas.
-Registrar resultados de pesquisa em áudio, vídeo, a partir de relatos
construídos com o/a professor/a. (BNCC - Eixo: Práticas
D6 – Identificar o tema de um texto. A/C
investigativas.
150
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
-Exercitar a escrita em editores de textos e outros programas
oferecidos nas mídias digitais, fazendo uso de diferentes linguagens. D11 – Distinguir um fato da opinião relativa a
BNCC - Eixo: Práticas culturais das tecnologias de informação e esse fato. I/A/C
comunicação.
Recursos utilizados na escrita, com apoio do professor, Noções do estabelecimento de unidade de sentido:
para obtenção de determinados efeitos de sentido:  Segmentação do texto em frases e parágrafos, utilizando D14 - Identifica o efeito de sentido decorrente do
 Letra maiúscula em títulos, nomes próprios e início recursos do sistema de pontuação; uso da pontuação e de outras notações. I/A/C
de frases;  Concordância nominal (artigo/substantivo,
 Tipos de letras; substantivo/adjetivo), flexões de gênero (masculino e feminino),
 Análise fonológica da palavra; número (singular e plural) e grau (aumentativo e diminutivo);
 Paragrafação;  Coesão e coerência;
 Exploração dos recursos de linguagens: emprego dos  Função dos substantivos próprios e comuns;
verbos e dos pronomes (coesão e coerência textual);  Concordância verbal (verbos e pronomes);
 Adequação do gênero;
 Pontuação
 Vocabulário
 Ortografia.
 Flexão de gênero (masculino e feminino), número
(singular e plural) e grau (diminutivo e aumentativo).
Planejamento da escrita de textos coletivos considerando o Planejar a escrita de textos considerando o contexto de produção: Planejamento da escrita de textos
contexto de produção:  Mobilizar conhecimentos prévios; considerando o contexto de produção:
-finalidade  Organizar ideias para o desenvolvimento do tema; -Organização das informações mais relevantes:
-especificidade da modalidade textual  Organizar as informações mais relevantes para atender a diferentes *o que quer escrever;
-papéis assumidos pelos interlocutores finalidades. *para quem (diferentes interlocutores);
-mobilização de conhecimentos prévios  Representar com imagens e textos curtos: roteiros, cenários, *para quê (com diferentes finalidades);
-inventário de ideias para o desenvolvimento do tema personagens, cenas e espaços, construindo significados e *qual o gênero que melhor exprime essas ideias;
-organização de informações mais relevantes: compreensão do real. *para circular em diferentes espaços sociais
*o que quer escrever  Escrever texto de memória. (linguagem coloquial o formal). I/A
*para quem (diferentes interlocutores) -Representa com imagens e textos curtos:
*para quê (com diferentes finalidades) roteiros, cenários, personagens, cenas e espaços,
*qual o gênero que melhor exprime essas ideias construindo significados e compreensão do real.
*para circular em diferentes espaços sociais (linguagem A/C
coloquial ou formal). -Escrever textos de memória. I/A/C
-Produção de novo texto a partir de modelos.

151
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
-Escrita de textos memorizados.

Condições de Produção/Capacidade de Ação ou aspectos -Produzir textos de diferentes gêneros, atendendo a diferentes D14 - Identificar o efeito de sentido decorrente do
sociodiscursivo do texto: finalidades. uso da pontuação e de outras notações. I/A/C
a.Quem é o destinatário? -Identificar a finalidade ou o gênero de diferentes textos e suportes.
b.Quem é o emissor? -Realizar reflexões metalinguísticas sobre a construção de palavras,
c.Qual o papel social de ambos? frases e pequenos textos.
d.Qual a finalidade do texto? -Criar e recriar texto ou partes de texto, considerando o contexto de D9-Identificar a finalidade de textos de diferentes
e.Qual o meio de veiculação? produção. gêneros. A/C
f.De que temas tratam o gênero?
g.Qual é o gênero textual?
h.Quais papéis assumem os interlocutores?
i.Qual a linguagem, coloquial ou formal?

Produção escrita (rascunho) e edição final:


-estabelecimento de unidade de sentido;
-fatores de textualidade (coesão e coerência)
-pontuação, ortografia, acentuação e segmentação;
-concordância verbal e nominal.
Segmentação do texto em frases e parágrafos.
Reescrita do texto coletivo ou não observando recursos Reescrever o texto, palavras e frases, observando: D6 – Identificar o tema de um texto. A/C
linguísticos como:  Título do texto;
 o desenvolvimento do tema;  O desenvolvimento do tema;
 a adequação necessária, em função do interlocutor,  Concordância nominal e verbal, recursos coesivos;
Finalidade do texto, características do gênero, pontuação,  A segmentação do texto em palavras e frases; D11 – Distinguir um fato da opinião relativa a
segmentação do texto em palavras, frases e parágrafos;  Uso da letra maiúscula em títulos, nomes próprios e início de esse fato. I/A/C
 Emprego dos verbos (concordância verbal) e dos frases;
pronomes (concordância nominal, coesão e coerência textual);  Uso sinais de pontuação (ponto final, travessão e dois
 Utilização da letra maiúscula em títulos, nomes pontos);
próprios e início de frases;  Recursos linguísticos do gênero - linguagem adequada ao
 Paragrafação (ponto final, dois pontos e travessão); gênero que produz garantindo a unidade e o sentido do texto:
 Vocabulário; sequência lógica, coerência e coesão;
 Ortografia;  Parágrafos;
 Título do texto.  Traçar corretamente e legível as letras;

152
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
Aspectos da escrita:  Organizar as ideias no texto.
*grafia (escrita),
*linguagem (modo de organizar as ideias ao se
expressar por escrito).
ANÁLISE E REFLEXÃO SOBRE A LÍNGUA DESCRITORES DO INEP
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES BNCC
Gramática aplicada ao texto no contexto morfológico, -Identificar e segmentar os sons relativos às palavras por meio do D1-Localizar informações explícitas do texto.
semântico. lúdico, relação fonema/grafema; I/A/C
-Identificar na leitura e na escrita de textos, frases e palavras:
CLASSE GRAMATICAL: separação de sílabas das palavras ao final de linha (segmentação);
 SIGNIFICAÇÃO DAS PALAVRAS – homônimo, -Empregar letras maiúsculas no início de frases, nomes próprios e
sinônimo e antônimo; títulos.
 LINGUAGEM FIGURADA (conotação) - Reconhecer diferentes tipos de letras em diferentes contextos, D5-Interpretar texto com auxílio de material
metáfora, onomatopeia, humor, ironia, (noções iniciais); suportes e gêneros textuais, instrumentos de escrita como papel, gráfico diverso (propagandas, quadrinhos, foto,
 FRASE - tipos de frase, segmentação do texto em lápis/caneta, tela/ teclado; BNCC - Eixo: Apropriação do sistema de etc. I/A/C
frases e parágrafos, utilizando recursos do sistema de escrita alfabética/ortográfico e tecnologias da escrita, com
pontuação (ponto final, exclamação, interrogação, vírgulas, alterações.
dois pontos e reticências); -Ler palavras com estruturas silábicas diversas, compreendendo
-Segmentar o texto em frases e parágrafos, utilizando regras contextuais que explicam o valor sonoro de grafemas. BNCC -
adequadamente os recursos de pontuação de final de frases e Eixo: Apropriação do sistema de escrita alfabética/ortográfico e D14–Identificar o efeito de sentido decorrente do
no interior de frases (letras maiúsculas, ponto final, tecnologias da escrita, com alterações. uso da pontuação e de outras notações. I/A/C
exclamação, interrogação, vírgula, dois pontos, reticências); -Compreender e ordenar o funcionamento do sistema de escrita
-Observar no texto a separação entre discurso do narrador alfabética. Exemplo: organizar informações e facilitar procura e
e o discurso direto dos personagens e usar as marcas dessa busca. BNCC - Eixo: Apropriação do sistema de escrita
separação (travessão e dois pontos); alfabética/ortográfico e tecnologias da escrita, com alterações. D12–Estabelecer relações lógico-discursivas
-Utilizar recursos linguísticos próprios do texto -Identificar e fazer uso de letra maiúscula e minúscula nos textos presentes no texto, marcadas por conjunções,
jornalístico como: tempo verbal, 3ª pessoa, linguagem produzidos, segundo as convenções. advérbios, etc.
objetiva, uso de aspas para marcar discurso direto; -Reconhecer o acento gráfico como marca da tonicidade: a posição da
 CONECTIVOS - Elementos de coesão mais sílaba tônica; Reconhecer o gênero textual. A/C
adequados à língua escrita garantindo progressão e -Reconhecer em textos escritos, recursos utilizados pelo autor para
continuidade das ideias obter determinados efeitos de sentido:
 CONCORDÂNCIA:  recursos coesivos e suas finalidades;
-Obedecer às regras da norma padrão de concordâncias verbal  o valor expressivo dos sinais de pontuação;
(sujeito e predicado);  recursos linguísticos (modo, tempo verbal e pronomes)
utilizados nos textos;
153
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
-nominal (substantivo/artigo, substantivo/adjetivo);  reconhecer recursos de linguagem figurada; os elementos de
intencionalidade implícita (recursos persuasivos, humor,
 ANÁLISE E REFLEXÃO DA LÍNGUA- jogos metáforas);
nos sites educativos, atividades no "portal do aluno", Power -Identificar as classes gramaticais (adjetivo, conjunção e preposição)
point no celular e enviar aos colegas e professor, etc. em estruturação de textos e frases, observando o uso da concordância
nominal;
-Utilizar regras padrão de concordância verbal (sujeito e predicado),
concordância nominal (artigo e substantivo, substantivo e adjetivo) e
Recursos técnicos e comunicativos utilizados para expressões flexão de gênero (masculino e feminino) e número (singular e plural);
de linguagem, convenções literárias (o belo, o prazer, o -Comparar textos considerando o tema, características textuais,
lúdico, vinculados com o sensorial, o emocional - organização das ideias e finalidade;
sentimentos, desejos e ideias). -Compreender o sentido das palavras sinônimo, antônimo, prefixos,
sufixos e outras estratégias para formar palavras;
-Identificar repetições ou substituições que contribuem para a
continuidade do texto.

-Perceber que não se escreve do modo como se pronuncia;


Compreender e utilizar convenções ortográficas relativas às
regularidades contextuais; BNCC Eixo: Apropriação do sistema de
escrita alfabética/ortográfico e tecnologias da escrita, com
alterações.
-Reescrever o próprio texto com ajuda do professor.
-Reconhecer em textos escritos recursos utilizados pelo autor para
obter determinados efeitos de sentido:
 recursos de linguagem figurada;
 elementos de intencionalidade implícita (recursos
persuasivos, humor, metáfora);
 marcas que caracterizam o nível de registro empregado,
formal ou informal, considerando a relação entre os
interlocutores;
 recursos utilizados para marcar as falas do narrador e das
personagens;
 expressões utilizadas para indicar a mudança de lugar e
tempo na narrativa ficcional.

154
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
 recursos coesivos e o papel desses recursos no sistema de
pontuação para marcar o discurso direto e indireto;
 recursos linguísticos (modo, tempo verbal e pronomes) e
argumentativos utilizados em textos publicitários para
convencer o leitor;
 elementos de intencionalidade implícita (recursos
persuasivos, humor, metáfora;
 recursos sonoros (aliterações, assonâncias, rimas), visuais e
de sentido para obtenção de efeitos poéticos;
-Identificar o emprego das classes gramaticais (verbo e adjetivo) em
estruturação de textos e frases.
-Perceber os recursos de escrita utilizados para representar pausas e
entonação em diferentes contextos.
-Identificar, na frase, a possibilidade de substituição de elementos por
outros, sem alterar a concordância nominal e verbal.
-Identificar o uso de elementos coesivos, estabelecendo relações entre
palavras, frases e parágrafos, por meio do emprego de conectivos
apropriados ao desenvolvimento do texto.
Compreender enunciados de exercícios e tarefas, realizados em
diferentes componentes curriculares; BNCC – Eixo: “Práticas
Investigativas”.
Construir uma relação afetiva com a literatura infantojuvenil.
Compreender as diferentes formas em que a literatura se apresenta,
considerando a sua linguagem (conjunto de recursos técnicos e
expressivos a disposição do escritor).
Relação fonológica: análise e associação de fonemas e Identificar a unidade linguística e suas possibilidades combinatórias.
grafemas (som/letra). Identificar e segmentar os sons relativos às palavras por meio do
lúdico.

Reconhecer classes gramaticais em estruturação de textos e frases nas


diversas modalidades de linguagem, observando o uso da
concordância verbal (sujeito e predicado).
Reconhecer que diferentes palavras podem substituir outras no
contexto.

155
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
MATEMÁTICA
1º Ano – MATEMÁTICA - ANUAL
REFERENCIAL CURRICULAR DA REDE MUNICIPAL DE DOURADOS
NÚMEROS E OPERAÇÕES CAPACIDADES PNAIC22/MEC e DESCRITORES23 INEP
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES
Números Naturais Relacionar a história do surgimento dos números a situações diversas. C1 - Identifica números nos diferentes contextos em que se encontram,
Conceito de número - Reconhecer os diferentes usos dos numerais na vida cotidiana. em suas diferentes funções: indicador da quantidade de elementos de
conhecimento lógico matemático. Ler e escrever numericamente as unidades de 0 até 100. uma coleção discreta (cardinalidade); medida de grandezas (2 quilos, 3
Numeral - conhecimento social. Comparar numericamente as unidades de 0 até 100. dias, etc); indicador de posição (número ordinal); e código (número de
Associação número/numeral. Ordenar e sequenciar numericamente as unidades de 0 até 100. telefone, placa de carro, etc.). I
Contagem. Estimar e contar elementos de coleções de, pelo menos, 30 objetos, D1.1 – Associar a contagem de coleções de objetos à representação
Leitura, escrita dos números. dispostos nas formas ordenada e desordenada, apresentando o resultado numérica das suas respectivas quantidades.
Símbolos matemáticos. por meio de gestos, oralmente e usando registro (desenhos ou símbolos). C2 - Utilizar diferentes estratégias para quantificar e comunicar
Representação e estimativa de Eixo: Números e Operações do BNCC. quantidades de elementos de uma coleção, nas brincadeiras e em
quantidade. Compor e decompor números, pelo menos até 30 (exemplo: 10 = 2 + 8 ou situações nas quais as crianças reconheçam sua necessidade: contagem
Comparação e ordenação. 10 = 5 + 5 ou 10 = 1 + 9 ou 10 = 11 - 1; 17 = 10 + 7 ou 17 = 12 + 5). oral, pareamento, estimativa e correspondência de agrupamentos;
Sequência numérica. Eixo: Números e Operações do BNCC. comunicar quantidades, utilizando a linguagem oral, a notação
Sucessor e antecessor. Reconhecer o padrão de sequencia com figuras diversas. numérica e/ou registros não convencionais. I
Agrupamento de 10 em 10. Reconhecer e diferenciar os significados dos sinais: (mais +, menos - e C3 - Associar a denominação do número a sua respectiva
Ordem e classe (unidade, dezena). igual=). representação simbólica. I/A
Ideias de adição e subtração. Realizar contagem numérica, representando simbolicamente os numerais D1.2 – Associar a denominação do número à sua respectiva
Ideia de dobro e metade. em variados contextos: jogos, cantigas, brincadeiras e outros. representação simbólica.
Cálculo mental. Estimar e relacionar numericamente quantidades em situações do C4.Identificar posição de um objeto ou número numa série,
Noções de multiplicação e divisão. cotidiano. explicitando a noção de sucessor e antecessor. I/A
Números ordinais até o 10º. Associar a quantidade de objetos à suas representações numéricas. C5 - Comparar ou ordenar quantidades por contagem; pela formulação
(contagem de objetos simples dispostos de forma linear e aleatória). de hipóteses sobre a grandeza numérica, pela identificação da
Identificar sucessor e antecessor de um número até 99. quantidade de algarismos e da posição ocupada por eles na escrita
Contar de 1 em 1 (0 a 100). numérica. I
Realizar agrupamentos e troca de 2 em 2, 5 em 5, 10 em 10 e outros. D1.3 – Comparar ou ordenar quantidades pela contagem para
Formular hipótese sobre a escrita numérica, pela identificação da posição identificar igualdade ou desigualdade numérica.

22
Fonte: PNAIC, 2012, Unidade 1, p. 31-34.
23
Fonte: Matriz de Referência para a Avaliação da Alfabetização Matemática Inicial da Provinha Brasil, INEP/MEC, 2015, p. 18-20.
156
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
ocupada pelos algarismos (unidade e dezena). C6 - Contar em escalas ascendentes e descendentes de um em um, de
Estabelecer relação entre unidades e dezena utilizando materiais concretos. dois em dois, de cinco em cinco, de dez em dez, etc., a partir de
Relatar e registrar estratégias de resolução de problemas envolvendo qualquer número dado. I/A
adição e subtração de números naturais. C7 - Identificar regularidades na série numérica para nomear, ler e
Resolver problemas de adição que envolve ideias de juntar e acrescentar escrever números menos frequentes. I
números naturais. C8 - Utilizar calculadora para produzir e comparar escritas numéricas.
Resolver problemas de subtração que envolve ideias de tirar e completar I
números naturais. C9 - Resolver e elaborar problemas com os significados de juntar,
Utilizar os conceitos de dobro e metade na resolução de situação-problema acrescentar quantidades, separar e retirar quantidades, utilizando
utilizando materiais concretos.. estratégias próprias como desenhos, decomposições numéricas e
Resolver problemas de adição e subtração envolvendo sistema monetário palavras. I
brasileiro, sem algoritmo. C11 - Reconhecer termos como dúzia e meia dúzia; dezena e meia
Desenvolver noções de multiplicação por combinatória e soma de parcelas dezena; centena e meia centena, associando-os às suas respectivas
iguais. quantidades. I
Desenvolver noções de divisão como repartição em partes iguais. C12 - Resolver e elaborar problemas aditivos envolvendo os
significados de juntar e acrescentar quantidades, separar e retirar
quantidades, comparar e completar quantidades, em situações de
contexto familiar e utilizando o cálculo mental ou outras estratégias
pessoais. I
D2.1 – Resolver problemas que demandam as ações de juntar, separar,
acrescentar e retirar quantidades.
D2.2 – Resolver problemas que demandam as ações de comparar a e
completar quantidades.
C13 - Resolver e elaborar problemas de multiplicação em linguagem
verbal (com o suporte de imagens ou materiais de manipulação),
envolvendo as ideias de adição de parcelas iguais, elementos
apresentados em disposição retangular, proporcionalidade e
combinatória. I
D3.1 – Resolver problemas que envolvam as ideias da multiplicação;
C14.Resolver e elaborar problemas de divisão em linguagem verbal
(com o suporte de imagens ou materiais de manipulação), envolvendo
as ideias de repartir uma coleção em partes iguais e a determinação de
quantas vezes uma quantidade cabe em outra. I
D3.2 – Resolver problemas que envolvam as ideias da divisão.

157
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
ESPAÇO E FORMA/GEOMETRIA
CAPACIDADES PNAIC/MEC e DESCRITORES INEP
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES
Representações de figuras Explorar diferentes percepções (olfativos, auditivos, táteis e visuais). C1 - Explicitar e/ou representar informalmente a posição de pessoas e
geométricas. Perceber os atributos no próprio corpo, em diferentes materiais e em objetos, dimensionar espaços, utilizando vocabulário pertinente nos
Percepção em diferentes contextos. diferentes contextos. jogos, nas brincadeiras e nas diversas situações nas quais as crianças
Poliedros e Corpos Redondos Distinguir objetos quadrados e esféricos. considerarem necessário essa ação, por meio de desenhos, croquis,
(objetos que rolam e que não Reconhecer a superfície plana em um sólido geométrico. plantas baixas, mapas e maquetes, desenvolvendo noções de tamanho,
rolam). Reconhecer os círculos em diferentes objetos. de lateralidade, de localização, de direcionamento, de sentido e de
Noções de figuras planas e não Reconhecer diferentes tipos de formas geométricas representadas por meio vistas. I
planas (superfície). dos objetos. C5 - Descrever, comparar e classificar verbalmente figuras planas ou
Formas geométricas. Descrever objetos do mundo físico comparando-os com figuras espaciais por características comuns, mesmo que apresentadas em
Noções de Lateralidade. geométricas espaciais, sem nomeá-las. Eixo: Geometria do BNCC. diferentes disposições (por translação, rotação ou reflexão),
Localização espacial: espaço Fazer experiências de dobraduras com a observação das diferentes descrevendo a transformação com suas próprias palavras. I
corporal transformações na figura inicial. C6 - Usar rotação, reflexão e translação para criar composições (por
Semelhanças e diferenças. Classificar as figuras segundo o critério (triângulo, retângulo, círculo e exemplo: mosaicos ou faixas decorativas, utilizando malhas
quadrado). quadriculadas). I
Descrever, comparar e nomear figuras planas (círculo, quadrado, C8 - Identificar e descrever a localização e a movimentação de objetos
retângulo e triângulo), por características comuns, apresentadas em no espaço, identificando mudanças de direções e considerando mais de
diferentes disposições, ou seja, com e sem lados paralelos às bordas da um referencial. I
folha de papel. Eixo: Geometria do BNCC.
Explorar localização espacial utilizando vocabulário adequado como
direita/esquerda, frente/atrás, embaixo/em cima, usando como referência o
seu corpo.
Explorar localização espacial utilizando vocabulário adequado como ideia
de posição: antes, depois, atrás, logo depois, etc.
Explorar o espaço físico, através da observação, representação e vivências
de trajetos percorridos.
Identificar e descrever a localização de pessoas e objetos no espaço,
considerando um ponto de referência. Eixo: Geometria do BNCC.
Localizar pessoas e objetos no espaço físico.
Reconhecer semelhanças e diferenças entre: (maior que/menor que,
perto/longe, comprido/curto, distante/próximo grosso/fino...).

158
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
GRANDEZAS E MEDIDAS
CAPACIDADES PNAIC/MEC e DESCRITORES INEP
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES
Unidades de medidas. Participar de situações, associações, inversões, comparações e ações C1 - Comparar comprimento de dois ou mais objetos por comparação
Medidas de tempo. reversíveis na construção das noções de conservação. direta (sem o uso de unidades de medidas convencionais) para
Medidas de comprimento. Perceber a sequencia temporal (início, meio e fim) e causal (causa e identificar: maior, menor, igual, mais alto, mais baixo, mais comprido,
Medidas de capacidade. efeito) por meio de atividades realizadas. mais curto, mais grosso, mais fino, mais largo, etc. I
Medidas de massa. Identificar e utilizar as unidades de medidas de tempo: dia, semana, D5.1 - Comparar e ordenar comprimentos.
Sistema monetário brasileiro. mês e ano a partir dos fatos do cotidiano. C11 - Reconhecer cédulas e moedas que circulam no Brasil e de
Reconhecer as medidas de tempo: manhã/ tarde/ noite e possíveis trocas entre cédulas e moedas em função de seus valores em
ontem/hoje/amanhã. experiências com dinheiro em brincadeiras ou em situações de
Leitura de horas, comparando relógios digitais e de ponteiros. interesse das crianças. I
Identificar e ordenar períodos do dia; dias da semana, meses do ano, D5.2 - Identificar e relacionar cédulas e moedas.
datas e relações entre esses períodos de tempo, utilizando calendários. C3 - Selecionar e utilizar instrumentos de medida apropriados à
Eixo: Grandezas e Medidas do BNCC. grandeza a ser medida (por exemplo: tempo, comprimento, massa,
Comparar, diferenças básicas: pesado/leve, maior/menor, capacidade), com compreensão do processo de medição e das
comprido/curto, largo/estreito, líquido/sólido, quente/frio em objetos e características do instrumento escolhido. I
ambientes. C5 - Identificar unidades de tempo — dia, semana, mês, bimestre,
semestre, ano — e utilizar calendários.
Ler e localizar no calendário dia da semana, mês e ano, utilizando-o D5.3 - Identificar, comparar, relacionar e ordenar tempo em diferentes
como um dos instrumentos que marca o tempo. sistemas de medida. I
Conhecer e utilizar em situações concretas unidades de medidas de C9.Comparar intuitivamente capacidades de recipientes de diferentes
comprimento não padronizadas: partes do corpo (palmo, dedo, pé, formas e tamanhos. I
passo) e objetos (barbante, palito e etc.). C2 - Comparar grandezas de mesma natureza, por meio de estratégias
Conhecer e utilizar em situações concretas unidades de medidas de pessoais e uso de instrumentos de medida conhecidos — fita métrica,
capacidade não convencionais (xícara, copo, etc.). balança, recipientes de um litro, etc.
Observar e manusear objetos do cotidiano estabelecendo relações com C4 - Identificar ordem de eventos em programações diárias, usando
a forma, a cor, o tamanho e espessura que apresenta. palavras como: antes, depois. I/A/C
Conhecer e utilizar em situações concretas unidades de medidas de C7 - Leitura de horas, comparando relógios digitais e de ponteiros. I
massa não convencionais. C6 - Relação entre unidades de tempo — dia, semana, mês, bimestre,
Comparar e ordenar objetos em relação a comprimentos, capacidades semestre, ano. I
e massas, utilizando linguagem natural. Eixo: grandezas e medidas do C8 - Fazer e utilizar estimativas de medida de tempo e comprimento. I
BNCC. C10 - Identificação dos elementos necessários para comunicar o
resultado de uma medição e produção de escritas que representem essa
medição. I

159
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO
CAPACIDADES PNAIC/MEC e DESCRITORES INEP
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES
Listas, tabelas e gráficos. Ler, interpretar informações contidas em imagens. C1 - Ler, interpretar e transpor informações em diversas situações e
Localizar informação em listas, tabelas e gráficos simples. diferentes configurações (do tipo: anúncios, gráficos, tabelas,
Classificar eventos familiares envolvendo o acaso (exemplo: propagandas), utilizando-as na compreensão de fenômenos sociais e na
“acontecerá com certeza”, “talvez aconteça” ou “é impossível comunicação, agindo de forma efetiva na realidade em que vive. I
acontecer”).Eixo: Estatísticas e Probabilidades do BNCC. D6.1- Identificar informações apresentadas em tabelas.
Coletar dados em uma pesquisa envolvendo apenas uma variável D6.2 - Identificar informações apresentadas em gráficos de colunas.
(exemplo: “Qual o time?”, “Qual o número do sapato?”, “Qual a cor C2 - Formular questões sobre aspectos familiares que gerem pesquisas
preferida?”), descrever os seus resultados e construir representações e observações para coletar dados quantitativos e qualitativos. I
próprias para comunicar esses dados. Eixo: Estatísticas e C3 - Coletar, organizar, classificar, ordenar e construir representações
Probabilidades do BNCC. próprias para a comunicação de dados coletados. I

160
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
2º Ano – MATEMÁTICA - ANUAL
REFERENCIAL CURRICULAR DA REDE MUNICIPAL DE DOURADOS CAPACIDADES PNAIC24/MEC e DESCRITORES25 INEP
NÚMEROS E OPERAÇÕES
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES
Números Naturais Relacionar a história dos números naturais à sua utilização no C1 - Identifica números nos diferentes contextos em que se encontram, em
Contagem. cotidiano. suas diferentes funções: indicador da quantidade de elementos de uma
Comparação e ordenação. Realizar leitura e contagem simples (lineares e aleatórias) de objetos. coleção discreta (cardinalidade); medida de grandezas (2 quilos, 3 dias, etc);
Leitura e escrita dos números (até Ordenar, sequenciar, expressar e comparar quantidades de objetos indicador de posição (número ordinal); e código (número de telefone, placa
50) ampliando ao longo do ano organizados ou apresentados desordenadamente, até 30, até 50, até de carro, etc.). I/A
até 100. 70; ampliando ao longo do ano até 100, (crescente e decrescente), por D1.1 – Associar a contagem de coleções de objetos à representação
Valor posicional dos algarismos meio da oralidade, da escrita numérica (escrita posicional); numérica das suas respectivas quantidades.
nos números. Estimar e contar elementos de coleções de, pelo menos, 30 objetos,
Composição e decomposição. dispostos nas formas ordenada e desordenada, apresentando o C2 - Utilizar diferentes estratégias para quantificar e comunicar quantidades
Representações de quantidade. resultado por meio de gestos, oralmente e usando registro (desenhos de elementos de uma coleção, nas brincadeiras e em situações nas quais as
Símbolos matemáticos. ou símbolos).Eixo: Números e Operações do BNCC. crianças reconheçam sua necessidade: contagem oral, pareamento,
Cálculo mental. Identificar decomposição de números de dois algarismos pela soma estimativa e correspondência de agrupamentos; comunicar quantidades,
Números ordinais. dos valores relativos de seus algarismos. utilizando a linguagem oral, a notação numérica e/ou registros não
Antecessor e sucessor. Compor e decompor números (unidades e dezenas) reconhecendo a convencionais. I/A
Ordens (unidades/dezenas). equivalência. C3 - Associar a denominação do número a sua respectiva representação
Classe Compor e decompor números, pelo menos até 30 (exemplo: simbólica. A/C
Ordem crescente e decrescente 10 = 2 + 8 ou 10 = 5 + 5 ou 10 = 1 + 9 ou 10 = 11 - 1; 17 = 10 + 7 D1.2 – Associar a denominação do número à sua respectiva representação
Par e impar ou 17 = 12 + 5).Eixo: Números e Operações do BNCC. simbólica.
Agrupamentos. Realizar agrupamentos e troca de 2 em 2, 5 em 5, 10 em 10 e outros. C4 - Identificar posição de um objeto ou número numa série, explicitando a
Situações problemas envolvendo: Reconhecer e utilizar os símbolos convencionais (+; -; =) na escrita noção de sucessor e antecessor. A/C
Adição e subtração. das operações. C5 - Comparar ou ordenar quantidades por contagem; pela formulação de
Dúzia e meia-dúzia. Compreender várias possibilidades de resolução de problemas por hipóteses sobre a grandeza numérica, pela identificação da quantidade de
Dobro e metade meio de estratégias pessoais, cálculo mentais e convencionais: algarismos e da posição ocupada por eles na escrita numérica. I/A
Multiplicação e  Formular hipóteses. D1.3 – Comparar ou ordenar quantidades pela contagem para identificar
Divisão  Resolver e elaborar problemas de adição e subtração em linguagem igualdade ou desigualdade numérica.

24
Fonte: PNAIC, 2012, Unidade 1, p. 31-34.
25
Fonte: Matriz de Referência para a Avaliação da Alfabetização Matemática Inicial da Provinha Brasil, INEP/MEC, 2015, p. 18-20.
161
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
oral (com o suporte de imagem ou material de manipulação) com os C6 - Contar em escalas ascendentes e descendentes de um em um, de dois
significados de juntar, acrescentar, separar, retirar, comparar e em dois, de cinco em cinco, de dez em dez, etc., a partir de qualquer número
completar quantidades de até 30 elementos, utilizando estratégias dado. A/C
próprias (por meio de desenho, decomposição numérica ou C7 - Identificar regularidades na série numérica para nomear, ler e escrever
oralmente). Eixo: Números e Operações do BNCC. números menos frequentes. I/A
 Calcular a adição (de parcelas iguais) e subtração de dois e três C8 - Utilizar calculadora para produzir e comparar escritas numéricas. I/A
números naturais de um algarismo (sem reservas) C9 - Resolver e elaborar problemas com os significados de juntar,
 Reconhecer as ideias da subtração: retirar, comparar e completar. acrescentar quantidades, separar e retirar quantidades, utilizando estratégias
 Comparar quantidades: mais que, menos que, sobra, falta, diferença. próprias como desenhos, decomposições numéricas e palavras. I/A
 Utilizar os números ordinais. C10 - Reconhecer frações unitárias usuais (um meio, um terço, um quarto e
 Identificar expressão numérica aditiva ou subtrativa um décimo) de quantidades contínuas e discretas em situação de contexto
 Agrupar e (des)agrupar (estimativa do resultado, cálculo mental e familiar, sem recurso à representação simbólica. I
escrito). C11 - Reconhecer termos como dúzia e meia dúzia; dezena e meia dezena;
centena e meia centena, associando-os às suas respectivas quantidades. I/A
 Envolver números pares e ímpares.
C12 - Resolver e elaborar problemas aditivos envolvendo os significados de
 A noção de divisão como distribuição em partes iguais (quantas
juntar e acrescentar quantidades, separar e retirar quantidades, comparar e
vezes uma quantidade cabe em outra).
completar quantidades, em situações de contexto familiar e utilizando o
 Com dúzia e meia dúzia.
cálculo mental ou outras estratégias pessoais. I/A
 Identificar unidades e dezenas no conjunto dos números naturais D2.1 – Resolver problemas que demandam as ações de juntar, separar,
(com e sem apoio de imagem). acrescentar e retirar quantidades.
Reconhecer elementos pertencentes a conjuntos, observando D2.2 – Resolver problemas que demandam as ações de comparar a e
semelhanças e diferenças. completar quantidades.
Representar e identificar o sucessor e antecessor de um número até C13 - Resolver e elaborar problemas de multiplicação em linguagem verbal
99. (com o suporte de imagens ou materiais de manipulação), envolvendo as
ideias de adição de parcelas iguais, elementos apresentados em disposição
retangular, proporcionalidade e combinatória. I/A
D3.1 – Resolver problemas que envolvam as ideias da multiplicação;
C14 - Resolver e elaborar problemas de divisão em linguagem verbal (com
o suporte de imagens ou materiais de manipulação), envolvendo as ideias de
repartir uma coleção em partes iguais e a determinação de quantas vezes
uma quantidade cabe em outra. I/A
D3.2 – Resolver problemas que envolvam as ideias da divisão.

162
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
ESPAÇO E FORMA/GEOMETRIA CAPACIDADES PNAIC/MEC e DESCRITORES INEP
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES
Localização espacial: espaço Conhecer e identificar os diversos conceitos de localização/ C1 - Explicitar e/ou representar informalmente a posição de pessoas e
corporal movimentação (mais próximo, mais distante, entre, embaixo, em objetos, dimensionar espaços, utilizando vocabulário pertinente nos jogos,
Lateralidade. cima, dentro, fora, direita, esquerda, na frente de, atrás de, último, nas brincadeiras e nas diversas situações nas quais as crianças considerarem
Semelhanças e diferenças entre perto, longe, ao lado e etc.). necessário essa ação, por meio de desenhos, croquis, plantas baixas, mapas e
objetos do espaço de convivência. Organizar e ordenar objetos familiares ou representações por maquetes, desenvolvendo noções de tamanho, de lateralidade, de
Sólidos geométricos. figuras, por meio de atributos (exemplo: cor, forma e localização, de direcionamento, de sentido e de vistas. I/A
Retas, linhas e curvas abertas e tamanho).Eixo: Álgebra e Funções do BNCC. C2 - Estabelecer comparações entre objetos do espaço físico e objetos
fechadas Identificar a localização de pessoas e/ou objetos no espaço, usando geométricos — esféricos, cilíndricos, cônicos, cúbicos, piramidais,
Figuras planas (quadrado, como referências o próprio corpo ou objetos da sala de aula (mesmo prismáticos — sem uso obrigatório de nomenclatura. I
retângulo, triângulo, círculos) e sentido, sentido oposto, mesma direção, direção oposta) na resolução D4.1 - Identificar figuras geométricas planas.
não planas (cubo). de problemas. C3 - Perceber semelhanças e diferenças entre cubos e quadrados,
Identificar e descrever a localização de pessoas e objetos no espaço, paralelepípedos e retângulos, pirâmides e triângulos, esferas e círculos. I
considerando um ponto de referência. Eixo: Geometria do BNCC. C4 - Construir e representar formas geométricas planas, reconhecendo e
Identificar nas atividades propostas (brincadeiras, problemas, descrevendo informalmente características como número de lados e de
recreação, jogos e outras) os espaços externos, internos, as fronteiras, vértices. I
bem como limites utilizando linhas e curvas. D4.2 - Reconhecer as representações de figuras geométricas espaciais.
Comparar tamanho, forma e espessura dos objetos em diferentes C5 - Descrever, comparar e classificar verbalmente figuras planas ou
situações. espaciais por características comuns, mesmo que apresentadas em diferentes
Acrescentar elementos ausentes em sequências de números naturais, disposições (por translação, rotação ou reflexão), descrevendo a
objetos ou figuras de acordo com regra pré-determinada. Eixo: transformação com suas próprias palavras. I/A
Álgebra e Funções do BNCC. C6 - Usar rotação, reflexão e translação para criar composições (por
Associar objetos do mundo físico à representação de alguns sólidos exemplo: mosaicos ou faixas decorativas, utilizando malhas quadriculadas).
geométricos simples: cubo, paralelepípedo, cilindro, cone, esfera sem I/A
denominá-los. C7 - Descrever e classificar figuras espaciais iguais (congruentes),
Descrever, comparar e nomear figuras planas (círculo, quadrado, apresentadas em diferentes disposições, nomeando-as (cubo, bloco
retângulo e triângulo), por características comuns, apresentadas em retangular ou paralelepípedo, pirâmide, cilindro e cone). I
diferentes disposições, ou seja, com e sem lados paralelos às bordas C8 - Identificar e descrever a localização e a movimentação de objetos no
da folha de papel. Eixo: Geometria do BNCC. espaço, identificando mudanças de direções e considerando mais de um
Comparar os sólidos, identificando-os pelas semelhanças e referencial. I/A
diferenças.
Reconhecer e relacionar a forma geométrica como atributo dos
objetos.
Distinguir retas, linhas e curvas abertas e fechadas na representação
163
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
de caminhos.
Observar figuras geométricas em obras de arte.
Identificar e construir as figuras planas e não planas nos diversos
contextos (representação do retângulo, quadrado, triângulo e círculo).
Descrever objetos do mundo físico comparando-os com figuras
geométricas espaciais, sem nomeá-las. Eixo: Geometria do BNCC.
GRANDEZAS E MEDIDAS CAPACIDADES PNAIC/MEC e DESCRITORES INEP
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES
Calendário Associar e ordenar os acontecimentos do dia a dia (logo depois e C1 - Comparar comprimento de dois ou mais objetos por comparação direta
Unidades de medidas: pouco antes). (sem o uso de unidades de medidas convencionais) para identificar: maior,
 de capacidade Identificar e utilizar a unidade de medida de tempo: dia, semana, mês menor, igual, mais alto, mais baixo, mais comprido, mais curto, mais grosso,
 de massa e ano no calendário; períodos do dia (manhã, tarde e noite) e períodos mais fino, mais largo, etc. A/C
 de tempo de tempo (ontem, hoje e amanhã). D5.1- Comparar e ordenar comprimentos.
Reconhecer informações diversas no calendário (ler e completar). C11 - Reconhecer cédulas e moedas que circulam no Brasil e de possíveis
Sistema Monetário Brasileiro Identificar e ordenar períodos do dia; dias da semana, meses do ano, trocas entre cédulas e moedas em função de seus valores em experiências
datas e relações entre esses períodos de tempo, utilizando com dinheiro em brincadeiras ou em situações de interesse das crianças. I/A
Temperatura. calendários. Eixo: Grandezas e Medidas do BNCC. D5.2 - Identificar e relacionar cédulas e moedas.
Conhecer e utilizar em situações concretas medidas de capacidade C3 - Selecionar e utilizar instrumentos de medida apropriados à grandeza a
Medidas de comprimento. não convencionais (xícara, copo, etc.) e convencionais (litro). ser medida (por exemplo: tempo, comprimento, massa, capacidade), com
 Noção de metro e centímetro. Comparar e ordenar objetos em relação a comprimentos, compreensão do processo de medição e das características do instrumento
capacidades e massas, utilizando linguagem natural. Eixo: escolhido. I/A
Grandezas e Medidas do BNCC. C5 - Identificar unidades de tempo — dia, semana, mês, bimestre, semestre,
Identificar e resolver situações problemas utilizando cédulas e ano — e utilizar calendários. A/C
moedas de real (fazer agrupamento). C6 - Relação entre unidades de tempo — dia, semana, mês, bimestre,
Reconhecer, nomear e comparar valores de moedas e cédulas do semestre, ano. I/A
sistema monetário brasileiro, comparar seus valores D5.3 - Identificar, comparar, relacionar e ordenar tempo em diferentes
(ACRESCENTAR: estabelecer equivalências de um mesmo valor sistemas de medida.
utilizando diferentes cédulas e moedas do sistema monetário C9 - Comparar intuitivamente capacidades de recipientes de diferentes
brasileiro. Eixo: Grandezas e Medidas do BNCC. formas e tamanhos. A/C
Comparar grandezas, utilizando medidas de massa não convencionais C2 - Comparar grandezas de mesma natureza, por meio de estratégias
(pedras, massa de modelar etc.) e convencionais (quilo). pessoais e uso de instrumentos de medida conhecidos — fita métrica,
Comparar diferenças básicas de temperatura em objetos e ambientes balança, recipientes de um litro, etc. A/C
(quente, frio e outros). C7 - Leitura de horas, comparando relógios digitais e de ponteiros. I/A
Utilizar instrumentos de medida de tempo e registrar horas exatas em C8 - Fazer e utilizar estimativas de medida de tempo e comprimento. A/C
relógios analógicos e digitais. C10 - Identificação dos elementos necessários para comunicar o resultado
164
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
Conhecer e utilizar em situações concreta as medidas de de uma medição e produção de escritas que representem essa medição. I/A
comprimento não padronizadas: partes do corpo (palmo, dedo, pé,
passo etc.), objetos (barbante, palito etc.) e padronizadas: (metro
articulado, fita métrica, régua e trena).
Identificar o centímetro como partes do metro.
Comparar objetos para determinar o maior, o menor, igual, o mais
alto, o mais baixo, o mais comprido, o mais curto, o mais grosso, o
mais fino, o mais estreito e o mais largo
TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO CAPACIDADES PNAIC/MEC e DESCRITORES INEP
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES
Leitura matemática em diferentes Ler, interpretar e usar/construir informações em diferentes listas, C1 - Ler, interpretar e transpor informações em diversas situações e
gêneros textuais: tabelas e gráficos simples (de coluna) a partir de imagens, textos diferentes configurações (do tipo: anúncios, gráficos, tabelas, propagandas),
 Listas escritos e em situações problemas, dados coletados para representar utilizando-as na compreensão de fenômenos sociais e na comunicação,
 Tabelas quantidades. agindo de forma efetiva na realidade em que vive. I/A
 Gráficos de barras Classificar eventos familiares envolvendo o acaso (exemplo: D6.1 - Identificar informações apresentadas em tabelas.
“acontecerá com certeza”, “talvez aconteça” ou “é impossível D6.2 - Identificar informações apresentadas em gráficos de colunas.
Produção textual com base nas acontecer”). Eixo: Estatística e Probabilidade do BNCC. C2 - Formular questões sobre aspectos familiares que gerem pesquisas e
leituras de listas, tabelas e Observar, comparar e relatar oralmente os dados de tabelas simples. observações para coletar dados quantitativos e qualitativos. I/A
gráficos. Localizar informação correspondente em gráficos de barras e C3 - Coletar, organizar, classificar, ordenar e construir representações
pictórico. próprias para a comunicação de dados coletados. I/A
Produzir textos escritos a partir de interpretação de gráficos e tabelas. C4 - Interpreta e transpõe informações em diversas situações e diferentes
Coletar dados em uma pesquisa envolvendo apenas uma variável configurações (do tipo: anúncios, gráficos, tabelas, propagandas), utilizando-
(exemplo: “Qual o time?”, “Qual o número do sapato?”, “Qual a as na compreensão de fenômenos sociais e na comunicação, agindo de
cor preferida?”), descrever os seus resultados e construir forma efetiva na realidade em que vive. I
representações próprias para comunicar esses dados. Eixo: C5 - Produção de textos escritos a partir da interpretação de gráficos e
Estatística e Probabilidade do BNCC. tabelas. I
C6 - Resolver e elaborar problema a partir das informações de um gráfico. I

165
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
3º Ano – MATEMÁTICA - ANUAL
REFERENCIAL CURRICULAR DA REDE MUNICIPAL DE DOURADOS-MS
NÚMEROS E OPERAÇÕES CAPACIDADES PNAIC26/MEC e DESCRITORES27 INEP
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES
Números naturais. (Até 999) Conhecer a importância dos números naturais no contexto histórico. C1 - Identifica números nos diferentes contextos em que se encontram,
Ordem crescente e decrescente Reconhecer características do sistema de numeração decimal. em suas diferentes funções: indicador da quantidade de elementos de
Ler e escrever os números naturais de acordo com as classes/ordens até uma coleção discreta (cardinalidade); medida de grandezas (2 quilos, 3
Sistema de numeração decimal. centena simples. dias, etc); indicador de posição (número ordinal); e código (número de
Unidade, dezena e introduzir a Identificar relações entre dúzia e meia dúzia; dezena e meia dezena; telefone, placa de carro, etc.). A/C
centena. centena e meia centena através de agrupamentos e trocas na base 10. D1.1 – Associar a contagem de coleções de objetos à representação
Leitura e escrita. BNCC – Eixo: “Números Naturais” com alterações. numérica das suas respectivas quantidades.
Identificar a decomposição de número de até três algarismos pelas suas C2 - Utilizar diferentes estratégias para quantificar e comunicar
Comparação e ordenação.
ordens e pela soma dos valores relativos de seus algarismos. quantidades de elementos de uma coleção, nas brincadeiras e em
Sucessor e antecessor. Identificar e associar um número de três algarismos a sua decomposição. situações nas quais as crianças reconheçam sua necessidade: contagem
Adição. Ler, escrever, comparar e ordenar os números naturais respeitando a oral, pareamento, estimativa e correspondência de agrupamentos;
Subtração. sequência numérica de 0 a 999, pela compreensão das características do comunicar quantidades, utilizando a linguagem oral, a notação numérica
Multiplicação (0 ao 5). sistema de numeração decimal. BNCC – Eixo: “Números Naturais” e/ou registros não convencionais. A/C
com alterações. D1.2 – Associar a denominação do número à sua respectiva
Noções de divisão Associar o número escrito por extenso a sua representação numérica. representação simbólica.
Composição e decomposição. Ampliar os significados do conceito de número natural a partir de C5 - Comparar ou ordenar quantidades por contagem; pela formulação
Dobro, triplo e quádruplo. situações do cotidiano. de hipóteses sobre a grandeza numérica, pela identificação da quantidade
Metade (conceito de Identificar e representar o sucessor e o antecessor de um número natural de algarismos e da posição ocupada por eles na escrita numérica. A/C
divisibilidade). de até três algarismos. D1.3 – Comparar ou ordenar quantidades pela contagem para identificar
Resolver problemas de adição e subtração compreendendo ideias de igualdade ou desigualdade numérica.
Números pares e impares.
juntar, separar, acrescentar, retirar, comparar e completar quantidades, na C7 - Identificar regularidades na série numérica para nomear, ler e
Números ordinais operação de adição de duas ou mais parcelas com números naturais de escrever números menos frequentes. A/C
Noção de fração. até três algarismos com ou sem reserva por escrito. C8 - Utilizar calculadora para produzir e comparar escritas numéricas.
Resolver problemas com as operações de adição e subtração utilizando o A/C
cálculo mental. C9 - Resolver e elaborar problemas com os significados de juntar,
Identificar expressão numérica aditiva ou subtrativa relacionada à acrescentar quantidades, separar e retirar quantidades, utilizando
resolução e problemas. estratégias próprias como desenhos, decomposições numéricas e

26
Fonte: PNAIC, 2012, Unidade 1, p. 31-34.
27
Fonte: Matriz de Referência para a Avaliação da Alfabetização Matemática Inicial da Provinha Brasil, INEP/MEC, 2015, p. 18-20.
166
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
Efetuar operação de multiplicação por 10, 100. palavras. A/C
Ampliar os procedimentos de cálculo mental de divisões. C10 - Reconhecer frações unitárias usuais (um meio, um terço, um
Números ordinais até 30 quarto e um décimo) de quantidades contínuas e discretas em situação de
Resolver problemas de multiplicação e divisão que explicitem a ideia da contexto familiar, sem recurso à representação simbólica. I/A
adição de parcelas iguais elementos apresentados em disposição C11 - Reconhecer termos como dúzia e meia dúzia; dezena e meia
retangular, proporcionalidade, dobro, metade e triplo. BNCC – Eixo: dezena; centena e meia centena, associando-os às suas respectivas
“Números Naturais” com alterações. quantidades. A/C
Resolver e elaborar problemas de divisão com números de até dois C12 - Resolver e elaborar problemas aditivos envolvendo os significados
algarismos por outro de um algarismo, (repartir uma coleção em partes de juntar e acrescentar quantidades, separar e retirar quantidades,
iguais, determinar quantas vezes uma quantidade cabe em outra, metade comparar e completar quantidades, em situações de contexto familiar e
e terça parte) em linguagem verbal, com o suporte de imagens ou utilizando o cálculo mental ou outras estratégias pessoais. I/A
materiais de manipulação. BNCC – Eixo: “Números Naturais” com D2.1 – Resolver problemas que demandam as ações de juntar, separar,
alterações. acrescentar e retirar quantidades.
Representar na forma fracionária por meio de desenhos e tiras de papel. D2.2 – Resolver problemas que demandam as ações de comparar a e
completar quantidades.
C13 - Resolver e elaborar problemas de multiplicação em linguagem
verbal (com o suporte de imagens ou materiais de manipulação),
envolvendo as ideias de adição de parcelas iguais, elementos
apresentados em disposição retangular, proporcionalidade e
combinatória. I/A
D3.1 – Resolver problemas que envolvam as ideias da multiplicação;
C14 - Resolver e elaborar problemas de divisão em linguagem verbal
(com o suporte de imagens ou materiais de manipulação), envolvendo as
ideias de repartir uma coleção em partes iguais e a determinação de
quantas vezes uma quantidade cabe em outra. I/A
D3.2 – Resolver problemas que envolvam as ideias da divisão.

ESPAÇO E FORMA/GEOMETRIA
CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES CAPACIDADES PNAIC/MEC e DESCRITORES INEP
Localização /movimentação de Identificar a localização e a movimentação em mapas, croquis e outras C1 - Explicitar e/ou representar informalmente a posição de pessoas e
pessoas e objetos (lateralidade) representações gráficas de objetos ou pessoas tomando com referência a objetos, dimensionar espaços, utilizando vocabulário pertinente nos
Classificação dos sólidos posição do aluno (esquerda/direita) e a posição de objetos com base em jogos, nas brincadeiras e nas diversas situações nas quais as crianças
geométricos: corpos redondos e referencial diferente do aluno (perto/longe, entre, à frente/atrás, considerarem necessário essa ação, por meio de desenhos, croquis,
corpos não redondos. dentro/fora, em cima/embaixo). plantas baixas, mapas e maquetes, desenvolvendo noções de tamanho, de
Localizar pessoas ou objetos no espaço, a partir de um referencial lateralidade, de localização, de direcionamento, de sentido e de vistas.
167
Núcleo de Ensino e Educação da SEMED/Dourados-MS.
Rua: Coronel Ponciano, 245 – Jd. Colibri
Poliedros e não poliedros. estabelecido (lateral frontal e superior). A/C
Sólidos Geométricos. Diferenciar formas geométricas planas e não planas em uma coleção de C2 - Estabelecer comparações entre objetos do espaço físico e objetos
Simetria. figuras. geométricos — esféricos, cilíndricos, cônicos, cúbicos, piramidais,
Figuras Planas Descrever, comparar e nomear figuras planas com seus respectivos prismáticos — sem uso obrigatório de nomenclatura. I/A
nomes: triângulos, quadrados, retângulos e círculos em um conjunto de D4.1 Identificar figuras geométricas planas.
figuras planas, por características comuns, apresentadas em diferentes C3 - Perceber semelhanças e diferenças entre cubos e quadrados,
disposições. BNCC – Eixo: “Geometria”, com adaptações. paralelepípedos e retângulos, pirâmides e triângulos, esferas e círculos.
Reconhecer figuras iguais (congruentes), usando sobreposição, desenhos I/A
em malhas quadriculadas ou triangulares, e usando tecnologias digitais. C4 - Construir e representar formas geométricas planas, reconhecendo e
BNCC – Eixo: “Geometria”. descrevendo informalmente características como número de lados e de
Classificar os sólidos geométricos segundo a forma, em corpos redondos vértices. I/A
e não redondos. D4.2 - Reconhecer as representações de figuras geométricas espaciais.
Identificar figuras não planas reconhecendo particularmente o cubo, o C5 - Descrever, comparar e classificar verbalmente figuras planas ou