Você está na página 1de 7

A História de Sansão

Luz do Sol e Senhora da Noite


A história de Sansão começa de modo maravilhoso, seu nascimento é anunciado por um anjo de Deus. O primeiro
filho de Manoá e sua esposa estéril, ambos da tribo de Dã, moradores de Zorá uma pequena vila situada nas partes
baixas de Judá. O casal recebe a notícia de que teria um filho, este seria nazireu desde o ventre e deveria se chamar
Sansão:

“Você engravidará e dará à luz um filho. Todavia, não beba vinho nem outra bebida fermentada, e não coma nada
impuro, porque o menino será nazireu, consagrado a Deus, desde o nascimento até o dia da sua morte”. Juízes
13:7

E estudando o significado do nome Sansão, encontramos a beleza e o amor de Deus pelo garoto que haveria de
nascer para governar Israel: “luz do sol”, este é o significado de Sansão. Deus o havia gerado para brilhar entre seu
povo. Mas apesar das promessas e consagração desde o ventre, a vida de Sansão, segue por caminhos escuros e a
lâmpada de sua alma é envolvida em trevas, pelo distanciamento da vontade de Deus.

Podemos fazer um paralelo entre a vida de Sansão e a de Samuel: ambos nascidos de mães que eram estéreis,
consagrados a Deus desde o ventre, vivendo em Israel em período de larga apostasia, com a missão de liderar. A
comparação pode ser inevitável, como inevitáveis são as escolhas de cada um. E o que de mais marcante fica nesse
paralelo é a lição de que não existe privilégios quando o assunto é pecado: sacerdotes, profetas, leigos, todos estão
sujeitos a sofrerem as consequências da desobediência.

Sansão tinha todos os atributos para ser um líder porta-voz de Deus, mas preferiu alimentar seu ego se envolvendo
em relacionamentos amorosos pecaminosos. Primeiro se casa com uma filisteia e depois apaixona-se intensamente
por Dalila, moradora de Soreque. Todos esses percalços desastrosos, levam a crer que Sansão havia negligenciado
seu chamado e comunhão com Deus. O Espirito de Deus estava sobre ele, de outra feita, seria incapaz de vencer
qualquer batalha, sua força advinha disso, mas Sansão não se deixava dirigir por Deus, ouvia e não obedecia.

"Assim diz o Senhor, o teu Redentor, o Santo de Israel: Eu sou o Senhor teu Deus, que te ensina o que é útil, e te
guia pelo caminho em que deves andar." Isaías 48:17

Haviam algumas instruções Divinas a serem observadas por um nazireu de Deus:

E falou o Senhor a Moisés, dizendo, Números 6:1-7: Fala aos filhos de Israel, e dize-lhes: Quando um homem ou
mulher se tiver separado, fazendo voto de nazireu, para se separar ao Senhor. De vinho e de bebida forte se
apartará; vinagre de vinho, nem vinagre de bebida forte não beberá; nem beberá alguma beberagem de uvas; nem
uvas frescas nem secas comerá. Todos os dias do seu nazireado não comerá de coisa alguma, que se faz da vinha,
desde os caroços até às cascas. Todos os dias do voto do seu nazireado sobre a sua cabeça não passará navalha; até
que se cumpram os dias, que se separou ao Senhor, santo será, deixando crescer livremente o cabelo da sua cabeça.
Todos os dias que se separar para o Senhor não se aproximará do corpo de um morto. Por seu pai, ou por sua mãe,
por seu irmão, ou por sua irmã, por eles se não contaminará quando forem mortos; porquanto o nazireado do seu
Deus está sobre a sua cabeça.

Sansão infligiu cada um desses votos, e como nada lhe acontecia, ele prosseguia errando, ignorando as
consequências que poderiam vir. Ele parecia estar insensível a voz de Deus e não sei se você observou algo nos
quatro capítulos do livro de juízes que narra a história de Sansão (capítulos 13, 14, 15 e 16). Há um momento, no
final do capitulo 15 que se lê: “ E Sansão julgou a Israel, nos dias dos filisteus, 20 anos” (15:20). É como se a história
acabasse aqui, com Sansão vencendo uma guerra, matando mais de mil homens e por fim, se refugiando em uma
rocha onde Deus milagrosamente faz brotar água para matar sua sede.

Porém, logo em seguida, no começo do capitulo 16:1, vamos ler o começo da maior tragédia da vida desse juiz,
dotado de força extraordinária: “ e foi-se Sansão para Gaza e viu ali uma mulher prostituta e entrou a ela”. Oh,
não! Depois de tão grande livramento a Israel, por suas mãos, Sansão não deveria se mostrar grato a Deus?

Podemos apontar claramente os erros da vida de Sansão, assim como saberemos apontar os nossos próprios erros.
Agora, o que de fascinante aconteceu na vida desse nazireu e que jamais deve ser esquecido é que Deus
proporcionou-lhe um novo começo e também um outro final. Por isso, talvez, e entendo isso como uma revelação,
é que o escritor de juízes, por duas vezes narra o fim da história de Sansão: capítulos 15:20 e capitulo 16:31.

Depois de ter relações com a prostituta em Gaza, Sansão conhece Dalila, por quem se apaixona cegamente. Não
acredito que Dalila seja o verdadeiro nome da mulher que traiu Sansão, pois a tradução de seu nome é: “senhora
da noite, sedutora”. Assim teríamos: Sansão, luz do sol e Dalila, senhora da noite. Penso que o nome Dalila surge
como uma denominação para a mulher que apagou a luz do sol. Ela foi o insistente laço de Satanás na vida do
nazireu. Poderia ter qualquer nome, Dalila porém representa: oposição a Deus, trevas, calabouço, prisão. E
digamos que de fato, se chamasse Dalila, a história ficaria ainda mais assustadora.

A forma como se dá o relacionamento entre Luz do sol e Senhora da Noite configura um romance regado a sexo e
engano. Dalila é procurada por cinco príncipes, governantes das maiores cidades dos filisteus: Gaza, Asquelom,
Asdode, Ecrom e Gate e corrompida a aceitar suborno para acabar com Sansão espiritualmente e moralmente.
Depois de três tentativas frustradas, enfim Dalila consegue arrancar o segredo de Sansão. Ele estava tão
apaixonado que não conseguia ver ou ouvir mais nada, além da voz de Dalila ao seu ouvido: “a alma de Sansão se
angustiou até a morte” 16:16.

Sansão tem seu cabelo cortado pelos filisteus e o Espírito do Senhor deixa de habitar nele, “porquanto o nazireado
do seu Deus está sobre a sua cabeça.” Não é que a força estivesse nos cabelos, mas ao permitir cortarem seus
cabelos, o voto é interrompido, Deus é rejeitado e não encontra mais lugar no coração de Sansão absolutamente
tomado pela luxuria e a concupiscência.

Como vimos antes, o final dessa história, seria reescrito pelas mãos do próprio Deus. Sansão é capturado e desce
até Gaza, para moer trigo no carcere. Gaza, onde começou sua queda e onde começaria sua redenção. Cego e
moendo trigo na prisão, Luz do Sol se encontra na mais terrível escuridão. É quando tem um encontro real com
Deus, se arrepende dos pecados e volta a ter uma vida de comunhão e oração. Sansão reconhece sua fragilidade e
Deus o escuta.

“E Sansão orou ao Senhor: "Ó Soberano Senhor, lembra-te de mim! Ó Deus, eu te suplico, dá-me forças, mais uma
vez, e faze com que eu me vingue dos filisteus por causa dos meus dois olhos!" Juízes 16: 28.

Muitos acusam Sansão de egoísta e vingativo por conta dessa oração, mas não creio que eram más as intenções de
seu coração, se assim fosse, ele não teria recebido destaque na galeria de fé de Hebreus 11: 32-33: "E que mais
direi? Certamente, me faltará o tempo necessário para referir o que há a respeito de Gideão, de Baraque, de Sansão,
de Jefté, de Davi, de Samuel e dos profetas, os quais, por meio da fé, subjugaram reinos, praticaram a justiça,
obtiveram promessas, fecharam a boca de leões."

E depois de vencer pela última vez os filisteus, enfim, o escritor de juízes, encerra a história de Sansão:

Foram, então, os seus irmãos e toda a família do seu pai para buscá-lo. Trouxeram-no e o sepultaram entre Zorá e
Estaol, no túmulo de Manoá, seu pai. Sansão liderou Israel durante vinte anos. Juízes 16:31.

Lições práticas retiradas da vida de Sansão:


- Não basta ser cristão ou seguir alguma religião, é necessário nascer de novo, arrepender-se para uma vida de
comunhão e obediência a Cristo Jesus . João 1: 12-13

- Acostumar-se com o pecado é perigoso, um abismo, chama outro, até que tudo se faz trevas. Por isso, a obediência
deve estar presente nas pequenas coisas do dia a dia . Quem é fiel no pouco, é fiel no muito.

- Sansão brincou com o pecado, por mais de uma vez , foi se aproximando do abismo de passo em passo, até
que...Atenção, dá um clique em um site pornográfico lhe parece sem importância? Cuidado, esse passo pode levar
ao abismo, vigie, resista. Deus tem recompensa maiores do que os momentos de prazer proporcionados pelo sexo
virtual, extraconjugal ou algo parecido.

- Os filisteus que prenderam Sansão se escondiam no quarto de Dalila (juízes 16:9). Uma demonstração de que a
vida sexual de Sansão estava impura, imoral. Como estão nossos quartos? Há filisteus escondidos neles? Adultério,
prostituição, pedofilia, homossexualismo, sodomia...? Se sim, será preciso derrotar esses filisteus para não ser
derrotado por eles.

- Deus é o Deus das muitas chances, mas é bom não abusar. Sansão perdeu tantas oportunidades e poderia ter
feito bem mais por sua nação. Ainda houve tempo para arrepender-se, Deus não rejeita um coração sincero e
contrito.

Deus nos abençoe e nos fortaleça para cumprir Sua vontade.

| Autor: Wilma Rejane


Esboço Sansão de Nazireu a Cego
Sansão foi filho de Manoá, tendo nascido em Zorá. Toda narrativa de sua vida é feita no AT, em Juízes Cap. 13 a0
16. No Cap. 13, vemos que sua mãe era estéril ( v 2 ), que o anjo lhe apareceu ( v 3 ), que foi feito o voto de Nazireu
( V 5 ), no v 6, ela conta para seu marido a benção que recebera e o anjo volta a estar com ela ( v 9 ). Note bem que
o seu nome não é mencionado, mas ela atua com sabedoria e recebe a visita de um anjo por duas vezes. Isto
demonstra que o Senhor conhece o desejo do coração daquele que lhe é fiel e que lhe adora humildemente em
espírito.

Então, Sansão era nazireu desde o seu nascimento, sendo o primeiro nazireu mencionado na Bíblia ( verificar em
Nm 6. 1-21 ).

O primeiro evento de sua vida foi o casamento com uma mulher filistéia ( Jz 14. 1-5 ). Tal casamento não era
proibido pela lei de Moisés, pois os filisteus não faziam parte das 7 nações cananéias condenadas à destruição ( Ex.
34.11-16 e Dt. 7.1-4 ). Foi contudo um casamento não incentivado por seus pais ( Jz 14.1-3 ), não abençoado e pouco
feliz. Não demorou e sua mulher lhe foi tirada e entregue a um seu companheiro ( Jz 14.20 ).

Em Juízes 14.5-9, temos a passagem em que ele mata um leão e depois por causa de um favo de mel, não teve
cautela, " não vigiou " e toca no cadáver deste leão, desrespeitando o seu voto de narizeu. Com isso aprendemos
que temos que andar em espírito para não aceitarmos o " mel suave " que o imimigo nos oferece.

Em Jz 15.14-15, temos o episódio da queixada de jumento.

SANSÃO E DALILA: A ESTRETÉGIA DO INIMIGO


Juízes cap. 16, relata a paixão de Sansão pela prostituta Dalila ( Jz. 16.1 ). e da traição desta que recebeu uma oferta
em dinheiro ( Jz 16.4-20 ). No verso 4, se afeiçoa por ela, no v 5, começa o plano para desvendar o segredo de sua
imensa força física. Os filisteus usaram Dalila para tentar destruri Sansão. Tentam por várias vezes, até que nos
versos 15 , 16, 17, Dallila consegue o seu objetivo que é descobrir o segredo de sua força, ou seja, seu cabelo não
poderia ser cortado ( suas 7 tranças ) .

É um exemplo claro das astutas e inteligentes ciladas do diabo para derrubar os homens e mulheres de Deus ( Ef.
6.11 ).

Perdeu sua força, foi dominado pelos filisteus e teve seus olhos arrancados ( v 21 ) e teve que trabalhar para eles
rodando moinhos. Tudo isto por causa de uma sedução malígna que o levou à desobediência. O mesmo aconteceu
com Eva e adão com relação ao fruto da arvore do bem e do mal. O problema não estava no fruto em si e nem no
cabelo, mas na indisciplina espiritual.

A desobediência e a rebeldia dão legalidada para satanás atuar na vida do homem.

Morreu juntamente com seus inimigos. " E foram mais os mortos que matou na sua morte do que os que matara
na sua vida. " ( Jz 16. 28-31 ).

Julgou a Israel por vinte anos ( Jz 16. 31 ).


| Autor: Paulo Augusto Muniz Malafaia

A Vida de Sansão e a Importância da Santificação

Os juízes foram líderes tribais que governaram Israel no período que se seguiu à conquista da terra. Quando se
estabeleceram na terra, os israelitas enfrentaram muitos inimigos vizinhos. Um deles vem da costa do Mar
Mediterrâneo. Trata-se dos filisteus. Saul e Davi muito se empenharam para combatê-los.
Mas antes dos reis, Deus levantou uma pessoa para começar a libertar Israel do domínio dos filisteus: Sansão. Este
foi uma figura um tanto contraditória: foi consagrado desde o ventre da sua mãe para Deus, mas viveu uma vida
dissoluta e imoral. Apesar dos desvios morais, seu nome está na lista dos heróis da fé (Hb 11.32).
I. Veja a biografia de Sansão
1. Seu nome significa PEQUENO SOL
2. O 13º juiz de Israel
3. Filho de Manoá um Danita, Jz 13.2, “ Havia um homem de Zorá, da linhagem de Dã, chamado Manoá, cuja
mulher era estéril e não tinha filhos. (V.3) Apareceu o Anjo do SENHOR a esta mulher e lhe disse: Eis que és estéril
e nunca tiveste filho; porém conceberás e darás à luz um filho”.
4. Nazireu consagrado a Deus desde o ventre (Jz 3.5) “porque eis que tu conceberás e darás à luz um filho sobre
cuja cabeça não passará navalha; porquanto o menino será Nazireu consagrado a Deus desde o ventre de sua mãe;
e ele começará a livrar a Israel do poder dos filisteus”.
5. Casou se com uma filisteia de Timna (Jz 14.1) “ Desceu Sansão a Timna; vendo em Timna uma das filhas dos
filisteus
(V.2) subiu, e declarou-o a seu pai e a sua mãe, e disse: Vi uma mulher em Timna, das filhas dos filisteus; tomai-
ma, pois, por esposa.
(V.3) Porém seu pai e sua mãe lhe disseram: Não há, porventura, mulher entre as filhas de teus irmãos ou entre
todo o meu povo, para que vás tomar esposa dos filisteus, daqueles incircuncisos? “Disse Sansão a seu pai: Toma-
me esta, porque só desta me agrado”.
6. Julgou Israel por 20 anos ( Jz 16.31) “Então, seus irmãos desceram, e toda a casa de seu pai, tomaram-no,
subiram com ele e o sepultaram entre Zorá e Estaol, no sepulcro de Manoá, seu pai. Julgou ele a Israel vinte anos”.

7. Sua morte e sepultamento ( Jz 16.30,31), “ E disse: Morra eu com os filisteus. E inclinou-se com força, e a casa
caiu sobre os príncipes e sobre todo o povo que nela estava; e foram mais os que matou na sua morte do que os
que matara na sua vida.
Então, seus irmãos desceram, e toda a casa de seu pai, tomaram-no, subiram com ele e o sepultaram entre Zorá e
Estaol, no sepulcro de Manoá, seu pai. Julgou ele a Israel vinte anos”.

II. OS FEITOS DE SANSÃO


1. Põe fogo na ceara dos filisteus ( Jz 15.5) “Tendo ele chegado fogo aos tições, largou-as na seara dos filisteus e,
assim, incendiou tanto os molhos como o cereal por ceifar, e as vinhas, e os olivais”.
2. Fere mil com uma queixada ( Jz 15.15) “Achou uma queixada de jumento, ainda fresca, à mão, e tomou-a, e feriu
com ela mil homens”.
3. Ele Arranca os portões de Gaza ( Jz 16.3) “Porém Sansão esteve deitado até à meia-noite; então, se levantou, e
pegou ambas as folhas da porta da cidade com suas ombreiras, e, juntamente com a tranca, as tomou, pondo-as
sobre os ombros; e levou-as para cima, até ao cimo do monte que olha para Hebrom”.

4. Na sua morte mata milhares de inimigos ( Jz 16.30) “E disse: Morra eu com os filisteus. E inclinou-se com força,
e a casa caiu sobre os príncipes e sobre todo o povo que nela estava; e foram mais os que matou na sua morte do
que os que matara na sua vida”.

III. OS ERROS DE SANSÃO


1. Brincar com o pecado ( Jz 16.19) “Então, Dalila fez dormir Sansão nos joelhos dela e, tendo chamado um homem,
mandou rapar-lhe as sete tranças da cabeça; passou ela a subjugá-lo; e retirou-se dele a sua força”.

2. Não prestigiar a presença de Deus ( Jz 16.20) “E disse ela: Os filisteus vêm sobre ti, Sansão! Tendo ele
despertado do seu sono, disse consigo mesmo: Sairei ainda esta vez como dantes e me livrarei; porque ele não
sabia ainda que já o SENHOR se tinha retirado dele”.
3. Pecados não confessados ( Pv 28.13) “O que encobre as suas transgressões jamais prosperará; mas o que as
confessa e deixa alcançará misericórdia”.
4. Casar com mulher ímpia ( Jz 14.1-3) “ Desceu Sansão a Timna; vendo em Timna uma das filhas dos filisteus

(V.2) subiu, e declarou-o a seu pai e a sua mãe, e disse: Vi uma mulher em Timna, das filhas dos filisteus; tomai-
ma, pois, por esposa.
(V.3) Porém seu pai e sua mãe lhe disseram: Não há, porventura, mulher entre as filhas de teus irmãos ou entre
todo o meu povo, para que vás tomar esposa dos filisteus, daqueles incircuncisos? “Disse Sansão a seu pai: Toma-
me esta, porque só desta me agrado”. Ver ainda 16.1: “Sansão foi a Gaza, e viu ali uma prostituta, e coabitou com
ela”.

. Revelar segredos espirituais ( Jz 16.16,17) Descobriu-lhe todo o coração e lhe disse: Nunca subiu navalha à minha
cabeça, porque sou Nazireu de Deus, desde o ventre de minha mãe; se vier a ser rapado, ir-se-á de mim a minha
força, e me enfraquecerei e serei como qualquer outro homem.
(V. 18) Vendo, pois, Dalila que já ele lhe descobrira todo o coração, mandou chamar os príncipes dos filisteus,
dizendo: Subi mais esta vez, porque, agora, me descobriu ele todo o coração.

“Então, os príncipes dos filisteus subiram a ter com ela e trouxeram com eles o dinheiro”.

IV. O PREÇO QUE SANSÃO PAGOU


1. Traído por pessoas próximas ( Jz 14.15-17) “ Ao sétimo dia, disseram à mulher de Sansão: Persuade a teu marido
que nos declare o enigma, para que não queimemos a ti e a casa de teu pai. Convidastes-nos para vos apossardes
do que é nosso, não é assim?
(V.16) A mulher de Sansão chorou diante dele e disse: Tão-somente me aborreces e não me amas; pois deste aos
meus patrícios um enigma a decifrar e ainda não mo declaraste a mim. E ele lhe disse: Nem a meu pai nem a minha
mãe o declarei e to declararia a ti?
(“V.17) Ela chorava diante dele os sete dias em que celebravam as bodas; ao sétimo dia, lhe declarou, porquanto o
importunava; então, ela declarou o enigma aos seus patrícios”.
( 16.4,5): “ Depois disto, aconteceu que se afeiçoou a uma mulher do vale de Soreque, a qual se chamava Dalila.

(“V. 5) Então, os príncipes dos filisteus subiram a ela e lhe disseram: Persuade-o e vê em que consiste a sua grande
força e com que poderíamos dominá-lo e amarrá-lo, para assim o subjugarmos; e te daremos cada um mil e cem
siclos de prata”.

2. Ser vencido e dominado pelo inimigo ( Jz 16.21) “Então, os filisteus pegaram nele, e lhe vazaram os olhos, e o
fizeram descer a Gaza; amarraram-no com duas cadeias de bronze, e virava um moinho no cárcere”.

3. Ser envergonhado e envergonhar seu povo ( Jz 16.23,24) “ Então, os príncipes dos filisteus se ajuntaram para
oferecer grande sacrifício a seu deus Dagom e para se alegrarem; e diziam: Nosso deus nos entregou nas mãos a
Sansão, nosso inimigo.
(V. 24) Vendo-o o povo, louvavam ao seu deus, porque diziam: Nosso deus nos entregou nas mãos o nosso inimigo,
e o que destruía a nossa terra, e o que multiplicava os nossos mortos.

4. Ter os olhos vazados ( Jz 16.21) “Então, os filisteus pegaram nele, e lhe vazaram os olhos, e o fizeram descer a
Gaza; amarraram-no com duas cadeias de bronze, e virava um moinho no cárcere”.
5. Ser motivo de escárnio ( Jz 16.25), “Alegrando-se-lhes o coração, disseram: Mandai vir Sansão, para que nos
divirta. Trouxeram Sansão do cárcere, o qual os divertia”.
6. Tombar junto com os inimigos ( Jz 16.30) “E disse: Morra eu com os filisteus. E inclinou-se com força, e a casa
caiu sobre os príncipes e sobre todo o povo que nela estava; e foram mais os que matou na sua morte do que os
que matara na sua vida”.
• Sansão deveria Fugir
A maioria dos homens não gosta de admitir que foge de alguma coisa.
Fugir projeta uma imagem de covardia em nossas mentes, que é estranha aos nossos pensamentos, exceto em raras
ocasiões. Contudo, quando estamos pensando corretamente, percebemos que há certas coisas que justificam uma
retirada apressada.
O Senhor nos advertiu contra um pecado do qual precisamos "fugir" (1 Co 6.18). O pecado da imoralidade sexual
(chamada fornicação ou relações sexuais ilícitas em algumas traduções) é de tal força destrutiva que quando
Satanás nos tenta com suas seduções precisamos dar-lhe as costas e fugir. Muitos homens, que pensaram que
podiam enfrentar tentação prolongada, caíram (1 Co 10.12).
É verdade que não podemos remover todas as tentações sexuais de nossas vidas, mas não temos que sujeitar-nos
a situações desnecessárias e insensatas que dão a Satanás vantagem sobre nós. Na primeira investida da tentação
é hora de buscar a ajuda do Senhor.
Como qualquer outra sedução de Satanás, as tentações sexuais são comuns para o homem. Contudo, temos a
convicção de que seremos capazes de resistir e que ele proverá "o livramento" (1 Co 10.13). Talvez nosso problema
seja que não estejamos realmente procurando o livramento.

Vejamos a importância de mantermos uma vida de santificação mantendo uma boa distância do pecado

O que é fornicação?
Já observamos que algumas traduções da Bíblia usam a palavra "fornicação" onde outras usam a expressão
"relações sexuais ilícitas" ou "imoralidade sexual". A palavra original grega é porneia, que é definida como
"relações sexuais ilícitas" (Dicionário da Bíblia Almeida), que inclui, mas não é limitado ao adultério.

A palavra "ilícito" (que significa ilegal ou impróprio) pode confundir algumas pessoas, uma vez que vivemos num
tempo quando pouca coisa é considerada ilícita. Somente porque nossas autoridades civis legalizaram algumas
atividades que Deus não autorizou não as tornam corretas.
Um homem que, mesmo com a aprovação do governo, se divorcia de sua esposa sexualmente fiel, ou cuja esposa
se divorcia dele, e se casa com outra, comete adultério ( Mt 5.32; 19.9).
Desde que Deus autorizou cada homem a "ter sua própria esposa" e vice-versa (1 Coríntios 7:2), qualquer variação
(sexo pré-marital ou extra-marital, bem como bigamia, poligamia e homossexualismo) é ilícito e cai dentro da
definição de fornicação.

O que é casamento?
É triste que tenhamos de definir o casamento, mas as forças do mal tentaram legitimar a perversão chamando-a
casamento. Em alguns lugares os governos estão sancionando relações entre pessoas do mesmo sexo e chamando-
as de casamento. Uma vez que Deus é o autor do casamento, ele é o único que tem o direito de defini-lo.

A Bíblia inspirada por Deus é consistente do início ao fim em qualquer afirmação, e exemplo na aplicação da
palavra casamento exclusivamente à relação entre homem e mulher.
Ainda que em certo tempo Deus permitisse a um homem ter uma pluralidade de esposas, no Novo Testamento
não há autorização para poligamia, e ainda que pudesse ser chamada "casamento", ainda é ilegal.

Evitar a fornicação
Um dos propósitos do casamento é prover um ambiente no quais homens e mulheres possam satisfazer seus
desejos sexuais e evitar a fornicação. Para que o casamento sirva como um impedimento efetivo da imoralidade
sexual, as necessidades de ambos os parceiros precisam ser satisfeitas, e assim Deus ordena a ambos os cônjuges
que cedam uns aos outros às necessidades sexuais de cada um (1 Co 7:2-5).
A relação sexual deveria ser uma experiência satisfatória para ambos os parceiros, e não uma oportunidade para
prazer egoísta. Não é segredo que homens e mulheres reagem aos estímulos sexuais de modo diferente, e como
resultado alguns homens ficam impacientes. Assim como um artífice hábil não se apressa durante um projeto para
produzir uma obra de arte, um esposo hábil dedica o tempo necessário a aprender como agradar sua esposa neste
importante aspecto de sua vida comum.
Algumas vezes casais casados pensam no que é permitido e no que é proibido dentro da relação de casamento.
Porque por Deus, "pelo seu divino poder, nos têm sido doadas todas as coisas que conduzem à vida e à piedade..."
(2 Pe 1:3), podemos confiar no que é revelado em sua palavra sobre este assunto. O Novo Testamento diz que
"Digno de honra entre todos seja o matrimônio, bem como o leito sem mácula; porque Deus julgará os impuros e
adúlteros" (He 13:4).
Portanto, por autorização geral, qualquer intimidade envolvendo somente o esposo e sua esposa que: não ofenda
a consciência de nenhum deles (Rm 14.22); e não viole algum outro princípio dado por Deus, é "imaculada".

O adultério e outras formas de fornicação começam no coração. Jesus reorganizou isto e advertiu contra olhar para
outra mulher com o propósito de provocar desejos sexuais (Mateus 5:28). Uma das mais óbvias avenidas
conduzindo a este pecado é a pornografia, que precisa ser evitada para se ter pensamentos sadios (Fp 4.8).
Deverá também ser lembrado que não é bom ficar muito familiar com outras mulheres que não a própria esposa.
Se outra mulher é sua amiga, a amizade deverá ser cultivada somente na presença de sua esposa, e mesmo então
deverá ser isenta de qualquer provocação sexual. Cuidado com qualquer mulher que tente ser sua "amiguinha".

A sexualidade é parte da criação de Deus e nos foi dada para nosso deleite. Deus sabe o que é melhor para nós e
nos autorizou a satisfazer esses desejos dentro da relação de casamento. Qualquer desvio do plano de Deus trará
desastre para o seu casamento e sua alma.
Continuem progredindo (4:1-2). Ao ouvir o evangelho de Cristo e ao recebê-lo como a palavra de Deus e não como
a dos homens (1 Ts 2.13), os tessalonicenses aprenderam a maneira pela qual deviam viver e agradar a Deus (4:1).
O evangelho revela "a justiça de Deus", ou seja, tudo aquilo que Deus julga necessário que saibamos, a fim de
vivermos vidas que lhe sejam agradáveis e que levem à vida eterna ( Rm 1:16-17; 2 Pe 1:3-4). Estes irmãos foram
"inteirados" nas instruções do Senhor Jesus (4:2; Mt 28:18-20), e precisavam continuar "progredindo cada vez
mais" (4:1).
A vida cristã não é o resultado do mero conhecimento da vontade de Deus, e sim da prática desta vontade (Tg 1:22-
25).
Da santidade (4:3-8). O ensino do evangelho visa a vontade de Deus para nos santificar (4:3; veja 1 Pedro 2:4-5,
9-10). "Santificar" (e assim, "santo," "santidade," etc.) literalmente quer dizer "separar", e significa que Deus, pelo
evangelho, separa do mundo para salvação as pessoas que lhe obedecem ( Hb 5:9; 2 Ts 2:13-14; 1 Pe 1:14-16).

Quem é santo se disciplinará na vontade de Deus em todos os aspectos da sua vida, mas aqui Paulo fala
explicitamente de santidade nas relações sexuais. A ordem de Deus é que o cristão não participe de prostituição,
ou seja, relações sexuais antes de casar ou com quem não é seu cônjuge (4:3).
Estas não são meras recomendações de Paulo baseadas na ética ou na moralidade, e sim são mandamentos de
Deus, visando a disciplina e a santidade do corpo e da mente, pois até "o desejo de lascívia" não cabe a pessoas que
conhecem a Deus (4:4-5). O cristão se afastará da sensualidade do mundo, sabendo que Deus vai julgar toda
impureza, quer seja pública, quer seja em particular (4:6-8; Hb 4:12-13).
Do amor fraternal (4:9-12). Nunca é possível amar demais, e mesmo que os irmãos já fossem instruídos e
estivessem fazendo bem na prática do amor fraternal, Paulo achou necessário exortá-los a progredir (4:9-10). Ele
lhes deu exemplos de como aplicar o amor em suas vidas: vivendo sua própria vida de maneira que não
perturbassem a outros (Rm 12:17-18, 13:13-14), e trabalhando para suprir as suas necessidades e as de outras
pessoas ( Ef 4:28), para que não viessem a ser um peso a ninguém (4:11-12).
A biografia de Sansão tem sido até um exemplo para aqueles que se descuidam de sua vida de comunhão com
Deus. Achamos que está tudo bem, quando o Espírito Santo já está triste conosco (Ef 4.30). Perdemos as forças
espirituais, a graça, a unção e só nos resta a angústia, uma vida de derrota e tristeza.
Mas se reconhecermos nosso estado e clamarmos ao Senhor, Ele nos renovará e nos levantará para glória do seu
nome, amém!

Autor: Jânio Santos de Oliveira

Você também pode gostar