Você está na página 1de 9

1

Índice
1. INTRODUÇÃO .......................................................................................................................... 2
1.1. Considerações gerais ............................................................................................................ 2
1.2 Tema e Problema ................................................................................................................... 3
1.3 Objetivo ................................................................................................................................. 3
1.3.1 Objetivo geral ................................................................................................................. 3
1.3.2 Objetivos específicos ...................................................................................................... 3
1.4 Justificativa............................................................................................................................ 4
1.5. Variáveis............................................................................................................................... 4
1.5.1. Variável Independente ................................................................................................... 4
1.5.2. Variável Dependente ..................................................................................................... 4
1.6. Hipóteses .............................................................................................................................. 4
2. METODOLOGIA ....................................................................................................................... 5
2.1. Universo e Amostra ................................................................................................................. 6
2.1.1. População....................................................................................................................... 6
2.2. Instrumentos de colectas de dados ........................................................................................... 6
2.3. Cálculo do tamanho da amostra ............................................................................................... 6
2.4. Amostragem ......................................................................................................................... 6
3. MÉTODOS ................................................................................................................................. 7
3.1. Medição de resultados .......................................................................................................... 7
3.2. Procedimento do estudo ....................................................................................................... 7
3.3. Instrumentos usados no estudo ............................................................................................. 8
4. LOCAIS DE ESTUDO ............................................................................................................... 8
5. GESTÃO E ANÁLISE DE DADOS .......................................................................................... 8
6. CONSIDERAÇÕES ÉTICAS .................................................................................................... 8
6.1. Recrutamento e consentimento ............................................................................................ 9
7. LIMITAÇÕES ............................................................................................................................ 9
2

1. INTRODUÇÃO
1.1. Considerações gerais
Com o mercado cada vez mais competitivo, é de fundamental importância que os gestores utilizem
a contabilidade gerencial, precisa e confiável, para evidenciar se o resultado final está de acordo
com o planeamento, ou para corrigir situações indesejadas no decorrer do período. O planeamento
e desenvolvimento de uma estratégia competitiva já foi tema de diversos trabalhos. Porter (1991
p.15) descreve que “O desenvolvimento de uma estratégia competitiva é, em essência, o
desenvolvimento de uma fórmula ampla para o modo como uma empresa irá competir, quais
deveriam ser as suas metas e quais as políticas necessárias para levar-se a cabo estas metas”.

Este trabalho tem o objetivo, de estudar uma parte deste planeamento e desenvolvimento, que é a
estratégia na formação do preço de venda, considerada por muitos como um dos principais motivos
para o sucesso das empresas, pois com o correto planeamento e desenvolvimento da formação do
preço de venda, elas poderão atingir os objetivos de lucro planeado, desenvolvimento de seus
colaboradores, diminuir as incertezas do futuro nos planos a longo prazo e ter políticas de
investimentos no curto e longo prazos mais eficazes.
3

1.2 Tema e Problema


Definir o preço de venda é uma tarefa importante para os gestores, pois é por meio da formação
do preço de venda que a empresa começa, efetivamente, a competir no mercado cada vez mais
acirrado. Segundo Wernke (2005 p.147), “a adequada determinação dos preços de venda cada vez
mais é questão fundamental para sobrevivência e crescimento das empresas, independentemente
do porte ou área de atuação”. A formação de um preço competitivo é a palavra-chave para alcançar
o sucesso, pois permiti planear o futuro próximo e diminuir as incertezas a longo prazo. Com uma
“visão mais nítida” sabe-se onde e como investir, de onde retirar recursos e como aumentar o
retorno.

Para Assef (1997 p.15), “tendo uma política eficiente de preços, as empresas podem atingir os
objetivos de lucro, crescimento no longo prazo etc”. Em virtude da importância que a formação
do preço de venda possui na empresa como um todo, reduzindo as incertezas como qualidade do
produto, produtos substitutos competitivos, demanda abaixo do esperado, o presente trabalho, de
acordo com o exposto acima, tem como tema as estratégias de formação de preço de venda
utilizadas pelas empresas na província de Maputo, originando o questionamento que conduz este
estudo: Como as empresas do definem suas estratégias de formação de preço de venda?

1.3 Objetivo
1.3.1 Objetivo geral
Evidenciar as principais estratégias de formação do preço de venda utilizadas pelas empresas na
província de Maputo

1.3.2 Objetivos específicos


Para atingir o objetivo geral têm-se como objetivos específicos:

 Descrever as principais estratégias para a formação do preço de venda;


 Verificar quem define a formação dos preços de venda praticados pelas empresas
pesquisadas;
 Identificar as principais estratégias de formação de preço de venda adotadas pelas empresas
estudadas.
4

1.4 Justificativa
O mercado, cada vez mais competitivo, gera a necessidade, nas indústrias, de adoção de políticas
que as permitam atingirem o sucesso mantendo-se nesse patamar o maior tempo possível. Entre as
variáveis que corroboram para a obtenção do almejado sucesso, está a estratégia na formação do
preço de venda. Pode-se definir estratégia como um caminho feito de maneira adequada para
alcançarmos os objetivos estabelecidos, no melhor posicionamento da empresa perante seu
ambiente. Oliveira apud Porter (1985, p.21) define estratégia como a: busca de uma posição
competitiva favorável em uma indústria, a arena fundamental onde ocorre a concorrência e a
escolha desta estratégia competitiva está baseada no nível de atratividade da indústria e nos
determinantes da posição competitiva relativa dentro desta indústria.

Assim, a definição da estratégia de formação de preço de venda é fundamental para as empresas


atingirem o sucesso e a maximização do lucro esperado no planeamento. Santos (1994 p.133)
descreve que “o problema da formação dos preços está ligado às condições de mercado, (...) aos
custos, ao nível de atividade e à remuneração do capital investido (lucro) ”.

A formação de preço deve estar ligada à realidade da empresa e da economia do mercado alvo, o
preço deve estar em equilíbrio com a demanda e oferta dos produtos, pois “num mercado onde o
cliente é mais exigente e tende a ditar o preço que está disposto a pagar (...) e deve ser atendido
com excelência, por toda a organização (...) ” (BERNARDI, 1998 p.217), não pode ser
desconsiderado quando da definição da estratégia de formação de preços de venda. A adoção da
correta estratégia para formar os preços de venda facilita as tomadas de decisões dos gestores,
tornando-as mais precisas e dinâmicas.

1.5. Variáveis
1.5.1. Variável Independente
 Mercados.
1.5.2. Variável Dependente
 Estratégias de Formação de Preços.
1.6. Hipóteses
A fixação de um preço eficiente requer juntar e integrar um grande volume de informações sobre
os objetivos estratégicos e a estrutura de custos da empresa, sobre a preferência do consumidor e
suas necessidades reais, e sobre as intenções estratégicas e a fixação de preços dos concorrentes.
5

2. METODOLOGIA
A realização de uma pesquisa científica agrega conhecimento ao ser humano, que pode aplicar este
aprendizado no cotidiano. Gil (1991, p.19) afirma que a pesquisa é “como um procedimento
racional e sistemático que tem o objetivo de proporcionar respostas aos problemas que são
propostos“. Gil (1994, p.43) coloca, ainda, que as “pesquisas que têm o objetivo de proporcionar
maior familiaridade com o problema, com vistas a torná-lo mais explícito ou a construir hipóteses”.
Assim a presente pesquisa busca sistematizar o conhecimento sobre a formação de preço de venda
nas empresas da província de Maputo.

O sucesso da pesquisa se dá com a escolha adequada de um método que correlacione os dados e


as informações obtidas. Segundo Lakatos (1991, p.83), o método pode ser definido como o
“conjunto das atividades sistemáticas e racionais que, com maior segurança e economia, permite
alcançar o objetivo – conhecimentos válidos e verdadeiros, traçando o caminho a ser seguido,
detectando erros e auxiliando as decisões do cientista”. Este trabalho de monografia usa uma
metodologia de pesquisa exploratória, que busca, através do objetivo principal do estudo, a
descoberta de respostas ou aprimoramento de ideias.

Para atender o objetivo do estudo, a pesquisa utiliza abordagens quantitativas, pois conforme
Trujillo Ferrari (1982 p.242) a pesquisa quantitativa utiliza-se de métodos estatísticos e
matemáticos a fim de formar modelos e quadros operacionais. A pesquisa utiliza, ainda,
abordagens qualitativas que, segundo Richardson (1999, p.80) “pode descrever a complexidade de
determinado problema, analisar a interação de certas variáveis, compreender e classificar
processos dinâmicos vividos por grupos sociais”.

A pesquisa caracteriza-se, também, como sendo do tipo survey, que é definida por Pinsonneault
e Kraemer (apud Freitas eta al., 2000 p.105) como “a obtenção de dados ou informações sobre
características, ações ou opiniões de determinado grupo de pessoas, indicado como representante
de uma população alvo, por meio de um instrumento de pesquisa, normalmente questionário”. Os
dados são analisados de forma descritiva. Segundo Oliveira (1997 p.114) “o estudo descritivo
possibilita o desenvolvimento de um nível de análise em que se permite identificar as diferentes
formas dos fenômenos, sua ordenação e classificação”.
6

2.1. Universo e Amostra

O universo será empresas da cidade de Maputo, dez empresas selecionadas na cidade de Maputo.

2.1.1. População

A população, isto é, o conjunto de todos os valores que descrevem o fenómeno que interessa ao
investigador, será apresentada mediante dados do último senso populacional realizado em 2007, e
a amostra, será aleatória simples, isto é, a que todos os elementos da população têm a mesma
probabilidade de ser escolhidos como elementos da mesma.

2.2. Instrumentos de colectas de dados

 Inquérito;
 Entrevista;
 Observação.

2.3. Cálculo do tamanho da amostra


Considerando que a população é razoavelmente homogénea (em vários aspectos) de dimensão N
habitantes, e dela pretende-se extrair uma amostra aleatória de dimensão n em que todos os
elementos são distintos, esta amostra será escolhida dentre as (𝑁𝑛) amostras distintas possíveis.
−1
Isto é o mesmo que dizer que cada uma das (𝑁𝑛) amostras tem probabilidade igual a (𝑁𝑛) de ser
escolhida. As unidades na população serão enumeradas de 1 ate N. E depois, números aleatórios
entre 1 e N da tabela de números aleatórios serão lidos em sequência até se atingir o número n,
tamanho da amostra. As unidades que tomarem os números lidos da tabela constituirão a amostra.

Em cada etapa da escolha, este processo dará aos números a mesma probabilidade de serem
escolhidos. Desta forma, ao usar-se a tabela os números aleatórios o número que já foi lido será
ignorado.

2.4. Amostragem

2.4.1. Amostragem aleatória simples sem reposição


7

Consistirá basicamente em atribuir a cada elemento do universo de unidades e cada etapa um


número único para depois seleccionar alguns desses elementos de maneira casual, e cada elemento
da população só poderá entrar uma vez na amostra.

Sistema de referência: será efectuada uma listagem completa de todas as unidades da população
amostral (aptas a serem seleccionadas para compor a amostra).

3. MÉTODOS

3.1. Medição de resultados

Tratando-se de uma pesquisa de opinião, para uma medição dos resultados mais rigorosa e com
resultados expressos numericamente a mesma deveria ser feita mediante a aplicação de um dos
métodos da família de análises multi-variadas de dados, denominado Análise Factorial, para poder
medir a significância estatística dos resultados através de inferências, contudo, sendo uma
abordagem pioneira deste tipo de estudo e que se pretende realizar simultaneamente uma análise
descritiva e exploratória de factores, sem fazer qualquer classificação ou ordem de importância, a
medição dos resultados resumir-se-á meramente no levantamento daqueles factores que estão
intrinsecamente ligadas a estratégias de formação de preços usadas pelas empresas.

3.2. Procedimento do estudo

Em termos de procedimentos, destaca-se para o presente estudo, a natureza qualitativa por


tencionar em gerar conhecimentos para aplicação prática dirigidos à solução de um problema
especificamente identificado como é o da agressividade envolvendo pesquisa do tipo exploratória,
isto é, a que permite maior conhecimento do problema e de seus contornos mediante interacção
com população-alvo. Esta mesma pesquisa, será conjugada com a bibliográfica, a que permite ao
conhecimento e compreensão do problema, seus fundamentos e implicações mediante referenciais
teóricos, estudos e publicações científicas sobre o fenómeno em causa.

Quanto à forma de abordagem do problema, são conjugadas as pesquisas qualitativa e quantitativa,


uma vez tratar-se de um problema que exige contacto directo com a fonte sobre a qual influi. Na
quantitativa, considera-se que os dados relativos à frequência do problema (agressividade) sobre a
população alvo podem ser traduzidos numericamente para uma posterior análise. Na qualitativa
considera-se que há uma relação dinâmica entre o fenómeno da agressividade e os sujeitos da
8

investigação, que deve ser explicada. Neste caso, interpretação dos fenómenos e a atribuição de
significados são cruciais no processo de pesquisa, onde o ambiente de estudo é a fonte directa de
colecta de dados.

3.3. Instrumentos usados no estudo

Na perspectiva do alcance dos objectivos, a pesquisa objectiva proporcionar maior familiaridade


com o fenómeno da agressividade mediante entrevistas com pessoas residentes no bairro e bem
conhecedoras da matéria em causa, sendo por isso exploratória.

Assim, constituirão técnicas ou instrumentos essenciais no processo de recolha da informação


necessária para que fique evidente a fenomenologia do problema em causa, a entrevista semi-
estruturada para o caso de dados de natureza qualitativa e o inquérito por questionário para dados
de natureza quantitativa.

4. LOCAIS DE ESTUDO

A pesquisa sera realizada na cidade de Maputo.

5. GESTÃO E ANÁLISE DE DADOS

Após a recolha dos dados pelos métodos de amostragem descritos na amostragem, os boletins de
inquérito serão todos revistos e descartados aqueles que não se apresentam em condições de ser
considerados válidos, ou seja, que são os que apresentarem omissões ou problemas de
desinformação (se houverem casos), de seguida as observações válidas serão repassadas para o
software estatístico SPSS, recontadas, classificadas e categorizadas de acordo com as suas
características. Posto isso será produzido tabelas e gráficos para as devidas interpretações e
conclusões.

6. CONSIDERAÇÕES ÉTICAS

Havendo necessidade de garantir e preservar a sua cientificidade, a pesquisa envolve consultas


bibliográficas e referências a fontes científicas como sustentáculo do pensamento e respeito à ética
da investigação em decorrência da transparência e salvaguarda da integridade normativa no estudo.
9

6.1. Recrutamento e consentimento

Para a efectivação da presente pesquisa contar-se-á com o consentimento das empresas-alvo


mediante pedido de autorização, com vista a garantir a sua autonomia de recolha e transparência
nos dados necessários. Neste caso, todos os que estarão envolvidos nesta pesquisa, o farão de
forma voluntária após a explicação dos benefícios do mesmo estudo.

7. LIMITAÇÕES

O presente estudo, por envolver uma pesquisa quantitativa onde serão recolhidos dados
recorrendo-se a uma amostra, reconhece-se haver uma probabilidade de não corresponder aos
anseios da maioria constituinte da cidade de Maputo, oscilando assim entre ela, o valor do estudo,
de suas conclusões e implementação.