Você está na página 1de 11

Se os seus esforços forem vistos com indiferença, não desanime; também o Sol, ao nascer, dá um espetáculo todo

especial e, mesmo assim, a maioria da platéia continua dormindo. (Edu Francisco Teixeira).

ESCOLA SECUNDÁRIA JOAQUIM CHISSANO.

11ᵃ CLASSE. MATEMÁTICA. TURMA: A05T. TRIMESTRE I. 20180326.

FICHA DE APOIO.

Unidade Temática: Introdução à Objectivos:


 Identificar proposições.
lógica matemática.
 Atribuir valor lógico correcto a uma proposição.

Tema: Noção de lógica e  Aplicar as propriedades de negação, disjunção e conjunção.


 Demonstrar as propriedades através de tabelas de verdade (tabela de Bett).
definição de proposições.

NOÇÃO DE LÓGICA.
A lógica matemática é um ramo da ciência que se dedica ao estudo do raciocínio matemático.

Ela cuida das regras do bem pensar, ou do pensar corrente, sendo, portanto, instrumento do pensar.

A palavra “ lógica” deriva da palavra grega logiké, que significa “ciência do raciocínio”.

PROPOSIÇÕES.
Chama-se Proposição a toda a expressão a respeito da qual faz sentido dizer que é verdadeira ou falsa. Ou seja, é uma
expressão à qual é possível atribuir um valor lógico (verdadeiro ou falso). Também pode se usar a notação 1
(equivalente a verdadeiro) e 0 (equivalente a falso).

Exemplos:

 Xai - Xai é capital da Província de Maputo (F ou 0).


 8 − 5 = 3 (V ou 1).
 4 > 4 (F ou 0).
 2 ≠ 5 (V ou 1).
 𝑥 + 3 = 7 (depende do valor de 𝑥).

Princípio de não contradição: Uma proposição não pode ser simultaneamente verdadeira e falsa.

Princípio do terceiro excluído: uma proposição ou é verdadeira ou é falsa, isto é, não existe terceira possibilidade.

Duas proposições são equivalentes se, e só se, tiverem o mesmo valor lógico.

Chama-se condição ou expressão proposicional a toda a expressão com variáveis que se pode transformar numa
proposição, quando são substituidas as variáveis por valores, nos respectivos domínios. Exemplo: A expressão 2𝑥 = 7,
para algum valor de 𝑥 é verdadeira, mas para outros é falsa. Por isso, não é uma proposição.
Outro exemplo: 𝑥 é um número par.

O grupo da disciplina; ESJCXX; Matemática 11a Classe; Trimestre I; Ano de 2018; Página 1
Todas as viagens são lindas, mesmo as que fizeres nas ruas do teu bairro. O encanto dependerá do teu estado de
alma. (Rui Ribeiro Couto, diplomata e escritor).

OPERAÇÕES LÓGICAS.

As operações lógicas estão sujeitas às regras do cálculo proposicional, que são: Negação (~, que lê-se: não); conjunção
(∧, que lê-se: e); disjunção (∨, que lê-se: ou); implicação material (⟹, que lê-se: se…então…) e dupla implicação
ou simplesmente equivalência material (⟺, que lê-se: se, e só se).

NEGAÇÃO DE PROPOSIÇÕES.

Se uma proposição P é verdadeira, a sua negação (~P) é falsa e vice-versa.


P ~P
Exemplo: Seja a proposição P: 2 é um número primo.
1 0
A sua negação (~P), seria: 2 não é um número primo.
0 1

CONJUNÇÃO DE PROPOSIÇÕES.

A conjunção representa-se pelo símbolo ^, que lê-se “e”.


P Q P^Q
A conjunção de duas proposições P e Q é uma nova proposição (P^Q), 1 1 1
1 0 0
que só é verdadeira quando as duas proposições forem verdadeiras. 0 1 0
0 0 0

PROPRIDADES DA CONJUNÇÃO.

A conjunção goza das propriedades: Comutativa (A^B = B^A), associativa [(A^B)^C=A^(B^C)] e a idempotência
(A^A = A).

A^1 = A: o valor lógico 1(verdadeiro) é o elemento neutro na conjunção.


Observa: {
A^0 = 0: o valor lógico 0( falso) é o elemento absorvente na conjunção.

DISJUNÇÃO DE PROPOSIÇÕES.

A disjunção representa-se pelo símbolo ∨, que lê-se “ou”. P Q P∨Q


1 1 1
A disjunção de duas proposições P e Q é uma nova proposição (P∨Q), 1 0 1
0 1 1
que só é falsa quando as duas proposições forem falsas.
0 0 0

PROPRIDADES DA DISJUNÇÃO.

A disjunção goza das propriedades: Comutativa (A∨B = B∨A), associativa [(A∨B) ∨C=A∨ (B∨C)] e a idempotência
(A∨A=A).

O grupo da disciplina; ESJCXX; Matemática 11a Classe; Trimestre I; Ano de 2018; Página 2
Se os seus esforços forem vistos com indiferença, não desanime; também o Sol, ao nascer, dá um espetáculo todo
especial e, mesmo assim, a maioria da platéia continua dormindo. (Edu Francisco Teixeira).

A ∨ 0 = A: o valor lógico 0(falso) é o elemento neutro na disjunção.


Observa: {
A ∨ 1 = 1: o valor lógico 1( verdadeiro) é o elemento absorvente na disjunção.

IMPLICAÇÃO MATERIAL DE PROPOSIÇÕES.

A proposição “se P então Q” chama-se implicação. Simbolicamente P Q P⟹Q


representa-se por P⟹Q, onde o P é antecedente e o Q é consequente. 1 1 1
1 0 0
A implicação de duas proposições, P e Q, é uma nova proposição P⟹Q, que só é falsa se a
0 1 1
antecedente for verdadeira e a consequente for falsa. 0 0 1

Observando o quadro P Q ~P P⟹Q ~P∨Q E observando agora P Q ~Q P⟹Q ~ (P⟹Q) P^~Q


ao lado, podemos ver 1 1 0 1 1 a outra tabela ao lado: 1 1 0 1 0 0
que a implicação pode 1 0 0 0 0 Conclui-se que: 1 0 1 0 1 1
ser transformada 0 1 1 1 1 ~( P⟹Q) = P^~Q, 0 1 0 1 0 0
numa disjunção, 0 0 1 1 1 isto é: a negação 0 0 1 1 0 0
sendo que: da implicação equivale
P⟹Q = ~P∨Q. à conjunção
da antecedente com
a negação
da consequente.

EQUIVALÊNCIA MATERIAL DE PROPOSIÇÕES.

A operação lógica da dupla implicação é traduzida por 𝑝 ⟹ 𝑞 e 𝑞 ⟹ 𝑝 𝑝 𝑞 𝑝⟺𝑞


ou, simplesmente, 𝑝 ⟺ 𝑞 que se lê “se e só se”. 1 1 1
1 0 0
A equivalência de duas proposições só é verdadeira se ambas as
0 1 0
proposições tiverem o mesmo valor lógico. 0 0 1

AS PRIMEIRAS LEIS DE DE MORGAN.

De Morgan estabeleceu a seguinte lei de negação da conjunção: negar a conjunção equivale a uma disjunção com
proposições negadas: ∼ (𝒑 ∧ 𝒒) =∼ 𝒑 ∨∼ 𝒒.

A negação de uma disjunção equivale a uma conjunção com proposições negadas: ∼ (𝒑 ∨ 𝒒) =∼ 𝒑 ∧∼ 𝒒.

T.O: Demonstrar as propriedades das operações lógicas usando a tabela de Bett. Resolver outras tarefas da ficha.

O grupo da disciplina; ESJCXX; Matemática 11a Classe; Trimestre I; Ano de 2018; Página 3
Todas as viagens são lindas, mesmo as que fizeres nas ruas do teu bairro. O encanto dependerá do teu estado de
alma. (Rui Ribeiro Couto, diplomata e escritor).

Unidade Temática: Introdução à lógica Objectivos:


 Aplicar quantificadores na tradução de expressões
matemática. correntes em expressões quantificadas e vice-versa;
Tema: QUANTIFICADORES.  Aplicar as Leis de De Morgan na resolução de problemas.

- Segundas leis de De Morgan.

EXPRESSÕES PROPOSICIONAIS (CONDIÇÕES).

Uma expressão algébrica ou com variável é uma expressão que tem pelo menos uma variável.

Expressões algébricas podem ser designatórias ou condições.

Chama-se condição ou expressão proposicional a toda a expressão com variáveis que se pode transformar numa
proposição, quando são substituidas as variáveis por valores, nos respectivos domínios. Em geral, as equações e as
inequações são condições.

Expressões designatórias, quando se concretiza a variável ou as variáveis obtém-se uma designação. Exemplo: 𝑥 +
2; 𝑥 − 1; 𝑥 2 + 1.

CLASSIFICAÇÃO DE CONDIÇÕES.

Condição possível é aquela que pode acontecer (pode ser verdadeira) no domínio dado. Exemplo: 𝑥 + 1 = 0 é uma
condição possível em ℤ.

Condição impossível é aquela que nunca ocorre (é sempre falsa) no domínio considerado. Exemplo:
𝑥 + 1 = 0 é uma condição impossível em ℕ.

Condição universal é aquela que acontece sempre (é sempre verdadeira) no domínio considerado. Exemplo: 𝑥 2 ≠ −1
é uma condição universal em ℝ.

NOTA: É evidente que toda a condição universal é possível.

QUANTIFICADORES.

Além das operações lógicas já estudadas, podemos ainda considerar mais duas, as quais se aplicam apenas nas expressões
com variáveis: quantificador universal e quantificador existencial.

Os quantificadores transformam condições em proposições.

QUANTIFICADOR UNIVERSAL.

Consideremos, em ℕ, a condição universal: 𝑥 ≥ 0.

Para dizer em linguagem corrente que esta proposição é universal escreve-se: “ Todo o número natural é maior ou
igual que zero”.

Em linguagem simbólica, e com o mesmo significado, escreve-se: ∀𝑥 ∈ ℕ: 𝑥 ≥ 0.

O grupo da disciplina; ESJCXX; Matemática 11a Classe; Trimestre I; Ano de 2018; Página 4
Se os seus esforços forem vistos com indiferença, não desanime; também o Sol, ao nascer, dá um espetáculo todo
especial e, mesmo assim, a maioria da platéia continua dormindo. (Edu Francisco Teixeira).

Ao símbolo ∀ denomina-se quantificador universal, que lê-se: qualquer que seja ou para todo o … ou para qualquer …
ou para cada … .

Exemplo: Sendo 𝐶 = {1; 3; 5}, dizer que: 1 é ímpar ∧ 3 é ímpar ∧ 5 é ímpar, é o mesmo que dizer: “ todo o elemento
de 𝐶 é ímpar” ou, simbolicamente, ∀𝑥 ∈ 𝐶: 𝑥 é ímpar.

QUANTIFICADOR EXISTENCIAL.

Ao símbolo ∃ dá-se o nome de quantificador existencial. ∃ lê-se “ existe pelo menos um”.

O quantificador existencial transforma uma condição possível numa proposição verdadeira.

O quantificador existencial transforma uma condição impossível numa proposição falsa.

Exemplo: A partir da condição possível em ℝ: 𝑥 + 1 = 0, pode afirmar-se: “ Existe pelo menos um número real que
verifica a condição 𝑥 + 1 = 0”.

Em linguagem simbólica, escrever-se-ia com o mesmo significado: ∃𝑥 ∈ ℝ: 𝑥 + 1 = 0.

2𝑥 − 1 = 0, condição possível em ℝ. 𝑥 2 + 1 = 0, condição impossível em ℝ.


∃𝑥 ∈ ℝ: 2𝑥 − 1 = 0, proposição verdadeira. ∃𝑥 ∈ ℝ: 𝑥 2 + 1 = 0, proposição falsa.

QUANTIFICAÇÃO MÚLTIPLA.

Consideremos, em ℝ, a condição: 𝑦 = 𝑥.

Para obtermos uma proposição a partir desta condição, temos de utilizar dois quantificadores (quantificação múltipla).

 Utilizando duas vezes o quantificador universal: ∀𝑥 ∈ ℝ, ∀𝑦 ∈ ℝ: 𝑦 = 𝑥 ou

∀𝑥, 𝑦 ∈ ℝ: 𝑦 = 𝑥. Em linguagem corrente: quaisquer dois números reais são iguais (proposição falsa).

 Utilizando duas vezes o quantificador existencial: ∃𝑥 ∈ ℝ, ∃𝑦 ∈ ℝ: 𝑦 = 𝑥 ou

∃𝑥, 𝑦 ∈ ℝ: 𝑦 = 𝑥. Em linguagem corrente: existem pelo menos dois números reais que são iguais (proposição
verdadeira).

 Utilizando quantificadores diferentes:


1. ∀𝑥 ∈ ℝ, ∃𝑦 ∈ ℝ: 𝑦 = 𝑥

Em linguagem corrente: Para todo número real existe pelo menos um número real igual a ele. (proposição verdadeira).

2. ∃𝑥 ∈ ℝ, ∀𝑦 ∈ ℝ: 𝑥 = 𝑦.

Em linguagem corrente: existe pelo menos um número real que é igual a todos os outros números reais (proposição
falsa).

Quando se utilizam quantificadores diferentes e se troca a sua ordem, obtêm-se proposições diferentes que podem ter ou
não o mesmo valor lógico.

O grupo da disciplina; ESJCXX; Matemática 11a Classe; Trimestre I; Ano de 2018; Página 5
Todas as viagens são lindas, mesmo as que fizeres nas ruas do teu bairro. O encanto dependerá do teu estado de
alma. (Rui Ribeiro Couto, diplomata e escritor).

TAREFAS.

1. Traduza em linguagem simbólica, utilizando quantificadores, as seguintes proposições:


a) “Dado um número inteiro qualquer, existe pelo menos outro número inteiro menor do que ele”.
b) “Há pelo menos um número inteiro que é menor que todos os outros inteiros”.
2. Indique o valor lógico das proposições:
a) ∀𝑥 ∈ ℕ, ∃𝑦 ∈ ℕ: 𝑦 < 𝑥 b) ∃𝑦 ∈ ℕ, ∀𝑥 ∈ ℕ: 𝑦 ≤ 𝑥.

NEGAÇÃO DE UM QUANTIFICADOR (SEGUNDAS LEIS DE DE MORGAN).

Negar que uma condição é universal equivale a afirmar que nem todos os elementos a verificam, isto é, que há pelo
menos um que não a verifica.

𝐏𝐫𝐨𝐩𝐨𝐬𝐢çã𝐨: Todo losango é um quadrado.


Exemplo: {
𝐍𝐞𝐠𝐚çã𝐨 𝐝𝐚 𝐩𝐫𝐨𝐩𝐨𝐬𝐢çã𝐨: Existe pelo menos um losango que não é quadrado.

Em geral:

1. A negação transforma o quantificador universal em quantificador existencial seguido de negação. ~(∀𝒙) = ∃~𝒙.
2. A negação transforma o quantificador existencial em quantificador universal seguido de negação. ~(∃𝒙) = ∀~𝒙.
Estes dois enunciados acima são conhecidos por segundas leis de De Morgan.

Exemplos:

Consideremos, no conjunto T dos alunos da turma A05, as proposições:

1. ∀𝑥 ∈ 𝑇, 𝑥 estuda Matemática Em linguagem corrente traduzem-se,


2. ∃𝑥 ∈ 𝑇, 𝑥 é inteligente. respectivamente, por:
1. Todos os alunos estudam Matemática.
2. Há pelo menos um aluno que é inteligente.
A negação destas proposições em linguagem corrente é: Traduzindo em linguagem simbólica:
1. Nem todos os alunos da turma B01 estudam 1. ∃𝑥 ∈ 𝑇, 𝑥 não estuda Matemática
Matemática. 2. ∀𝑥 ∈ 𝑇, 𝑥 não é inteligente.
2. Nenhum aluno da turma B01 é inteligente.

~ (∀𝑥 ∈ 𝑇, 𝑥 estuda Matemática) = ∃𝑥 ∈ 𝑇, 𝑥 não estuda Matemática.


Isto é: {
~(∃𝑥 ∈ 𝑇, 𝑥 é inteligente) = ∀𝑥 ∈ 𝑇, 𝑥 não é inteligente.

Relação de negação.
Operação Negação
∨ ∧
∀ ∃
⟹ ⟺

O grupo da disciplina; ESJCXX; Matemática 11a Classe; Trimestre I; Ano de 2018; Página 6
Se os seus esforços forem vistos com indiferença, não desanime; também o Sol, ao nascer, dá um espetáculo todo
especial e, mesmo assim, a maioria da platéia continua dormindo. (Edu Francisco Teixeira).

> ≤
< ≥
= ≠
∈ ∉
⊃ ⊈
⊂ ⊉

Exercícios:

3. Negue as seguintes proposições e diga o seu valor lógico:


a) ∀𝑥 ∈ ℕ, |𝑥| ≥ 2 ∧ 𝑥 < 1
b) ∃𝑥 ∈ ℝ: 𝑥 ≠ 0
c) ∀𝑥 ∈ ℤ: 𝑥 ∈ ℚ
d) ∀𝑥 ∈ ℝ: 2 ≤ 𝑥 < 3
e) ∃𝑥 ∈ ℝ: 𝑥 > 4 ∨ 𝑥 = 6

1. Distinga das expressões seguintes, as designações das proposições e dê o valor lógico às proposições:

a) Cidade de Xai-Xai é capital de Niassa. b) Matemática. 15 d) π é um número irracional.


c)  IN
3
e) Malangatana foi um pintor. f) 2 2  3 2  13 g) 20  3  7 h) 79

2. Dadas as proposições: p: Está frio e q: Está chovendo.

Traduza em linguagem corrente:

a) p  ~ q b) ~ q  p c) p  q d) ~ p  q e) ( p ~ p)  q
f) ~ ( p  q) g) ~ ( p  q) h) p  q i) p ~ q j) p  ~ q

3. Considere as proposições:

p: Malangatana foi pintor. q: Josina é heroína. r: Craveirinha foi escritor.

Traduza em linguagem simbólica cada uma das seguintes proposições:

a) Malangatana foi pintor e Craveirinha foi escritor. b) Josina não é heroína ou Malangatana foi pintor.
c) Se Craveirinha foi escritor então Malangatana foi d) Josina é heroína SSE Craveirinha foi escritor.
pintor.
e) Nem Josina é heroína nem Malangatana foi pintor. f) Se Malangatana foi pintor então Josina não é heroína
e Craveirinha foi escritor.
g) Se Craveirinha não foi escritor então Josina é heroína h) Malangatana foi pintor ou Josina é heroína mas não
ou Malangatana foi pintor. simultaneamente.

O grupo da disciplina; ESJCXX; Matemática 11a Classe; Trimestre I; Ano de 2018; Página 7
Todas as viagens são lindas, mesmo as que fizeres nas ruas do teu bairro. O encanto dependerá do teu estado de
alma. (Rui Ribeiro Couto, diplomata e escritor).

i) Josina é heroína SSE Craveirinha foi escritor. j) Não é verdade que Malangatana foi pintor SSE
Craveirinha foi escritor.
k) Se Craveirinha não foi escritor e Malangatana não foi pintor então Josina é heroína.

4. Sabendo que p designa proposição de valor lógico F, determine o valor lógico da proposição r nas seguintes
expressões:

a) ~ r  ~ p  1 b) r  ~ p  0 c)  p  r   p   1 d)~ p  r  ~ r   0
e)(~ p  r )  p   1 f)~ p  r   ~ r   1 g) ~ p  r  0 h) ~ (~ p  r )  0

5. Sendo pq uma proposição falsa, diga qual o valor lógico de cada proposição seguinte:
a) ~ p  q b) ~  p  q c) ~ p  q d) ~ p  ~ p  q e) ~  p  q  q f) p  ~ q  p

6. Mostre, usando tabelas de verdades, que:

a) p  ( ~ q  p)  p b)  p  q   ~ p  q   q

c)  p  q   ~ p  ~ q  ~ ( p  q) d) p  (q  r )  ( p  ~ q)  r 

7. Verifique que é uma tautologia cada uma das seguintes expressões:

a) ~ (~ p  ~ q)  p  b) ~ p  ( q ~ p )
c) p  (~ p  q) d) (~ a  b) ~ (~ a  b) e) p  ( p  q)

8. Sem recorrer a tabelas de verdades, verifique as seguintes equivalências:

a) ~ a  (a ~ b) ~ (a  b) b)(~ a ~ b)  (a  b) ~ a ~ a c) ~ p  ( p  q) ~ q   ~ ( p  q)


d) ~ ( p  q )  p  ~ q  p e) ~ ~ (~ a ~ b)  a   ~ (b  a) f) a  (b  c) ~ a  F

9. Sem utilizar o símbolo de negação, negue cada uma das seguintes proposições:

a) 2  3  4 b) 2 2  32  13 c) 1  3  4 d) 10  8  5  4 e) 2  3  6  1  2 f) 8  IN

10. Negue as seguintes proposições e simplifique, quando possível:

a) p  q b) p  q c) ~ p  q d) ~ p ~ q e) ~ p  ( p  q) f) p  (~ p  q)
g) ( p  q)  (q  r ) h) p  q i) p  ~ q j) ~ p  (q  r ) k) ( p  q) ~ q

11. Negue cada uma das seguintes proposições:


a) 5 é um número ímpar e divisor de 10. b) 10 não é um número ímpar mas é múltiplo de 2.

c) 12 é um número par ou um múltiplo de 5. d) Se for sair vou para a biblioteca estudar.

e) Se Manuel estudar transita de ano.

O grupo da disciplina; ESJCXX; Matemática 11a Classe; Trimestre I; Ano de 2018; Página 8
Se os seus esforços forem vistos com indiferença, não desanime; também o Sol, ao nascer, dá um espetáculo todo
especial e, mesmo assim, a maioria da platéia continua dormindo. (Edu Francisco Teixeira).

12. Dadas as expressões:

a) 2 x  3 b) x  1  0 c) x 2  y 2  0 d) x  y  1 e) ( x  y )( x  y )  0 f) x  y
1
g) 2 x  1  0 h) (4 x  6) i) x  1  0 j) 5( x  3) k) x  1  y l) x 2  3  0
2

Indique:

12.1. As expressões designatórias; 12.2. As expresses proposicionais; 12.3. Condições equivalentes.

13. Não utilize o símbolo ~, indique, em cada um dos casos, uma condição contrária à dada:

a) x  2  0 b) x  3  2 x  1  0 c) 3 x  1  0  x  3  0
x2
d)  x  0  2x  1  3 e) x 2  1  0 ~ ( x  3)  0
3

14. Traduza em linguagem quantificada:

a) Todos os números naturais são positivos. b) Existem números primos ímpares.

c) Algum número real 𝒚 é negativo. d) Existe um número natural superior a 5 e inferior a 7.

e) Todo o número inteiro admite 1 como divisor. f) Todo o número real é múltiplo de si próprio.

g) Entre −5 e 5 há alguns números inteiros. h) Todos os múltiplos de um número natural são iguais
ou superior a ele.

i) Existe um número real x tal que x  3  1 . j) Há pelo menos um número inteiro que é menor que
todos os outros.

15. Traduza em linguagem corrente as seguintes expressões e indique o seu valor lógico:

a) x, y  IR : x  y  0 b) x  IN , y  IR : x  y c) x  IR : x   x d) x  IR : x 2  0

16. Quantifique convenientemente cada uma das seguintes condições de modo a obter proposições verdadeiras:
a) x  y  3 b) x 2  3x  1  0 c) x  0 d) x  y e) 2  x  5  0

17. Sem utilizar o símbolo de negação, negue cada uma das seguintes proposições:

a)x  IR : x  5  x  7 b) x  IR : x  3  x  7 c) x  IR : x  1  2 d) x  IR : x 2  1  3  x  1
e) x  IR, y  IR : x  y  2 f) 2 x  3  0  x  IQ g) x 2  1  0  x  2 h) x  IN  x  IR

O grupo da disciplina; ESJCXX; Matemática 11a Classe; Trimestre I; Ano de 2018; Página 9
Todas as viagens são lindas, mesmo as que fizeres nas ruas do teu bairro. O encanto dependerá do teu estado de
alma. (Rui Ribeiro Couto, diplomata e escritor).

18. Determine o valor lógico de:


x2
a)x  IR : x  3  0 b) x  IR : x 2  x  7  0 c) x  IR : 2 x 2  x  0 d) x  IN : 2
x 1
1
e) x  Z : 2   3 f) x  IR : x  1  x  7  6 g) ~ (x  IR : x 2  1  x 2  3  0)
x
h) x  IR : x  2  3 i)x, y  IR : x 2  y 2  0 j) x  IR : x 2  2 x  1 k) x  IR : 2 x 2  5  0
Os exercícios abaixo são compostos por (11) questões, todas com quatro (4) alternativas de resposta, estando
correcta somente UMA (1) das alternativas. Assinale a correcta, circundando a letra.

1. Considere as proposições: A. ~ a  b  c B. ~ a  (b  c)
a : Maputo é uma cidade.
C. ~ (a  b) ~ c D. (a  b)  c
b : Paulino escreveu um livro.
7. Qual das seguintes afirmações é verdadeira?
A tradução em linguagem corrente da
A. x  IR, x  0 B. n  IN , n  1
2 *
proposição a ~ b é:
C. x  IR, x  IR D. x  IR, x  IR
3
A. Ou Maputo é uma cidade, ou Paulino
escreveu um livro. 8. Das seguintes expressões, qual delas não é
B. Se Maputo é uma cidade, então Paulino uma proposição?
escreveu um livro.
A. x  IR , x  1 B. x  IN , x  1
*

C. Se Maputo é uma cidade, então Paulino não 


C. x  Z , x  0 D. x  IN , x  y  0
*
escreveu um livro.
D. Maputo é uma cidade e Paulino escreveu um 9. Qual das seguintes expressões, traduz a
livro. proposição:
2. Sabe-se que a proposição p  q é falsa. 1000
̏ Há um número racional maior que 10 ̋

A. p  q é verdadeira. B. ~ p  q é falsa. A. x  IQ, x  10 B. x  IR, x  10


1000 1000

C. p  q é falsa. D. ~ p  p  q é falsa. C. x  IQ, x  10 D. x  IQ, x  10


1000 1000

3. Considere a proposição: a  (a  ~ b) uma 10. Qual das seguintes expressões, traduz a


proposição equivalente é: proposição:
A. a ~ b B. ~ a  b ̏ Todos números naturais, excepto zero são não
negativos ̋
C. a ~ b D. a  b
A. x  IN , x  0 B. x  IN , x  0
* *
4. Considere a proposição: (~ a  b)  a uma
C. x  IN , x  0 D. x  IN , x  0
* *
proposição equivalente é:
A. ~ a  b B. a  b 11. A negação da proposição,
C. ~ a ~ b D. ~ a ~ b x  IN : x  3  x  2 é a proposição:
5. A negação da proposição: a ~ b é:
A. x  IN : x  3  x  2
A. ~ a  b B. a ~ b
B. x  IN : x  3  x  2
C. ~ a ~ b D. a  b
6. A negação da proposição: (a ~ b) ~ c é a C. x  IN : x  3  x  2
proposição: D. x  IN : x  3  x  2

O grupo da disciplina; ESJCXX; Matemática 11a Classe; Trimestre I; Ano de 2018; Página 10
Se os seus esforços forem vistos com indiferença, não desanime; também o Sol, ao nascer, dá um espetáculo
todo especial e, mesmo assim, a maioria da platéia continua dormindo. (Edu Francisco Teixeira).

PROPRIEDADES DAS OPERAÇÕES LÓGICAS.


1. ∼∼ 𝒑 = 𝒑 Dupla negação

2. 𝒑∧𝒒=𝒒∧𝒑 Propriedade comutativa da conjunção

3. 𝒑∧𝒑 =𝒑 A idempotência

4. 𝒑 ∧ (𝒒 ∧ 𝒓) = (𝒑 ∧ 𝒒) ∧ 𝒓 Propriedade associativa da conjunção

5. 𝒑∨𝒒=𝒒∨𝒑 Propriedade comutativa da disjunção

6. 𝒑∨𝒑 =𝒑 A idempotência

7. ∼ (𝒑 ∧ 𝒒) =∼ 𝒑 ∨∼ 𝒒 Lei de De Morgan (negação da conjunção)

8. ∼ (𝒑 ∨ 𝒒) =∼ 𝒑 ∧∼ 𝒒 Lei de De Morgan (negação da disjunção)

9. 𝒑 ∨ (𝒒 ∨ 𝒓) = (𝒑 ∨ 𝒒) ∨ 𝒓 Propriedade associativa da disjunção

10. 𝒑 ⟹ 𝒒 =∼ 𝒑 ∨ 𝒒 Transformação da implicação em disjunção

11. ∼ (𝒑 ⟹ 𝒒) = 𝒑 ∧∼ 𝒒 Negação da implicação

12. 𝒑 ∨∼ 𝒑 = 𝟏

13. 𝒑 ∨ (𝒒 ∧ 𝒓) = (𝒑 ∨ 𝒒) ∧ (𝒑 ∨ 𝒓) Distribuição da disjunção em relação a conjunção

14. 𝒑 ∧ (𝒒 ∨ 𝒓) = (𝒑 ∧ 𝒒) ∨ (𝒑 ∧ 𝒓) Distribuição da conjunção em relação a disjunção

15. 𝒑 ∧∼ 𝒑 = 𝟎

16. 𝒑 ∨ 𝒒 =∼ 𝒑 ⟹ 𝒒

17. 𝒑 ⟹ 𝒒 =∼ 𝒒 ⟹∼ 𝒑 Contra-recíproco

18. 𝒑 ⟺ 𝒒 = (𝒑 ⟹ 𝒒) ∧ (𝒒 ⟹ 𝒑)

19. ∼ (𝒑 ⟺ 𝒒) = (𝒑 ∧∼ 𝒒) ∨ (𝒒 ∧∼ 𝒑) Negação da equivalência

Elaborado por: ARONE, João Matangue; Matemática 11a Classe; Trimestre I; Ano de 2018; Página 11