Você está na página 1de 3

3.

Fundamentação Teórica

O físico alemão George Simon Ohm (1787-1854), em suas experiências,


descobriu que a intensidade da corrente elétrica que atravessa um condutor dependia da
diferença de potencial elétrico aplicada aos seus extremos. Ao variar a ddp, também
variava a intensidade da corrente elétrica. (BONJORNO et al., 1999)

A Primeira Lei de Ohm consiste na interação de corrente (i) e tensão (V) sob a
presença de uma constante que se denomina resistência elétrica (Ω). Através de seus
experimentos, Ohm constatou que a corrente através de um dispositivo é sempre
diretamente proporcional à diferença de potencial aplicada no dispositivo. De acordo
com ele o gráfico da corrente pela tensão teria caráter linear e a resistência do condutor
seria o coeficiente angular. Sendo assim obtêm o seguinte gráfico.

Figura 1: Comportamento de resistores ôhmicos


Fonte: http://ensinoadistancia.pro.br/EaD/Eletromagnetismo/LeiOhm/LeideOhm.html

A Segunda Lei de Ohm indica que fatores influenciam a resistência elétrica. De


acordo com a segunda lei, a resistência depende da geometria do condutor e do material
de que ele é feito. A resistência é diretamente proporcional ao comprimento do condutor
e inversamente proporcional a área de seção.

Figura 2: Condutor cilíndrico


Fonte: https://www.infoescola.com/fisica/segunda-lei-de-ohm/
“... vemos que a resistência R está relacionada com a resistividade ρ do material do
L
condutor obedecendo à equação R  p . Onde R é a resistividade; L o comprimento;
A
A, a área; e p a espessura.” (YOUNG; FREEDMAN, p. 139, 2006)
A resistividade elétrica ρ do material é uma propriedade que define o quanto um
material opõe-se à passagem de corrente elétrica, de forma que: quanto maior for a
resistividade elétrica de um material, mais difícil será a passagem da corrente elétrica, e
quanto menor a resistividade, mais ele permitirá a passagem da corrente elétrica. É
considerada uma constante, porém em altas temperaturas ela pode variar. Como a
unidade de resistência elétrica é o ohm (Ω), então a unidade adotada pelo SI para a
resistividade é Ω∙𝑚.
A resistência é definida como a razão entre a queda de potencial e a corrente
elétrica. Pela lei de Ohm, quando a variação da diferença de potencial e da intensidade
de corrente elétrica são proporcionais, em um condutor, e a resistência não varia com o
decorrer do tempo, sendo constante, dizemos que este condutor é ôhmico. Quando isso
não ocorre, e a resistência depende da corrente, e não é proporcional à diferença de
potencial, dizemos que este condutor é não-ôhmico.
Observa-se, em uma grande família de condutores que, alterando-se a ddp (V) nas
extremidades destes materiais altera-se a intensidade da corrente elétrica i, mas as duas
grandezas não variam proporcionalmente, isto é, o gráfico de V versus i não é uma reta
e, portanto eles não obedecem a lei de Ôhm, Observe o gráfico abaixo. Estes resistores
são denominados de resistores não ôhmicos.

Figura 3: Comportamento de resistores não-ôhmicos


Fonte: http://ensinoadistancia.pro.br/EaD/Eletromagnetismo/LeiOhm/LeideOhm.html

Você também pode gostar