Você está na página 1de 7

MANUAL DE ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS – UNIT

Este manual irá orientar os alunos na construção/elaboração do trabalho de


conclusão de curso (TCC1). Este será o documento final (caso o aluno já tenha concluído
todas as unidades curriculares) que representará a conclusão do seu curso. O resultado
do estudo realizado deve expressar o conhecimento do assunto escolhido e ser feito sob
a supervisão de um professor orientador.
Ressalva-se que cada trabalho deverá ser inédito, não tendo sido publicado sob
qualquer forma impressa ou eletrônica. A comprovação de ineditismo é de
responsabilidade do autor. Recomenda-se que o tamanho do arquivo não seja superior a
um megabyte, evitando-se trabalhos que requeiram softwares não contidos no Microsoft
Office para sua completa visualização.
O manuscrito deve ter entre 12 (doze) e 18 (dezoito) laudas, incluindo resumo,
tabelas, figuras e referências bibliográficas.

REGRA GERAL PARA ELABORAÇÃO DO ARTIGO TÉCNICO CIENTÍFICO - UNIT

 FORMATO
Todo o texto deve ser digitado com espaço 1,5 entrelinhas, exceto as citações
diretas com mais de três linhas, referências, resumos, notas e legendas que devem ser
digitadas em espaço simples.

 FONTE

 Fonte Arial e tamanho 12 para todo o texto;


 Fonte Arial e tamanho 10 para citações com mais de três linhas;
 Fonte Arial e tamanho 10 para as notas de rodapé e legenda das ilustrações;
 Fonte Arial e tamanho 14 para seções de divisão primária (maiúsculas e negrito);
 Fonte Arial e tamanho 12 para seções de divisão secundária (maiúsculas sem
negrito);

1
Para Graduação e Especialização podemos considerar também a elaboração da chamada
Monografia.
 Fonte Arial e tamanho 12 para seções de divisão terciária (em negrito, com
maiúscula apenas na primeira letra do título da seção, à exceção de nomes
próprios).

 MARGENS

 Margem esquerda e superior de 3 cm e direita e inferior 2 cm;


 Recuo de parágrafo para citação com mais de três linhas: 4 cm da margem
esquerda;
 Alinhamento de título sem indicação numérica (RESUMO, ABSTRACT,
REFERÊNCIAS): utilizar a opção “Centralizada” do programa Word;
 Alinhamento de título com indicação numérica (I INTRODUÇÃO, II
METODOLOGIA, III RESULTADOS E DISCUSSÃO, IX CONSIDERAÇÕES
FINAIS). Utilizar o parágrafo alinhado à esquerda.

 PARÁGRAFO

 Texto justificado;
 Texto alinhado à esquerda e o início de cada parágrafo é marcado com um espaços
de 1,5;
 Entre as seções de divisões do desenvolvimento, devem-se usar dois espaços de
1,5;
 No artigo, as seções – primária, secundária ou terciária – do desenvolvimento, não
deve sofrer a quebra de página e devem ser precedidas do indicativo numérico,
alinhados à margem esquerda e separados do texto que os sucede por dois
espaços 1,5 entrelinhas;

 SIGLA
A sigla deve ser usada para evitar a repetição de palavras. Quando aparecer no
texto pela primeira vez deve ser precedido do nome por extenso e a sigla entre
parênteses.
 ILUSTRAÇÃO (tabelas, gráficos, desenhos, mapas e fotografias, lâminas, plantas,
organogramas, fluxogramas e esquemas)2.

As imagens, ilustrações e tabelas devem ser enumeradas com algarismos arábicos


em negrito e precedidas do sinal de dois pontos (:). As informações devem vir acima da
imagem, respeitando a sequência numérica no decorrer do texto. Abaixo da imagem,
deve constar a fonte (local de onde foi extraída) como o autor, data e página. Esta deve
constar também nas referências do trabalho.
Caso a imagem ultrapasse as margens adotadas para o texto, ela deverá ser
inserida nos anexos, porém, sugerimos que a mesma apareça na própria folha onde está
inserido o texto a que se refere. A resolução das imagens deve ser de aproximadamente
600 dpi. Imagens de muito alta resolução apenas aumentam desnecessariamente o
tamanho dos arquivos a serem processados, sem impacto sobre o resultado obtido.
Nas tabelas e quadros, não utilize fundos coloridos ou em tons de cinza e evite as
linhas grossas ou duplas, além de linhas de separação desnecessárias. Ao apresentar
dados empíricos, não utilize mais casas decimais do que o garantido pela precisão ou
reprodutibilidade dos eventos geradores.
Títulos de tabelas devem ser apresentados acima das respectivas tabelas,
seguindo as mesmas recomendações para o tipo de letra e formatação do parágrafo
indicadas para os títulos de figuras.
A ABNT faz distinção entre quadros e tabelas: quadros apresentam apenas dados
alfanuméricos, enquanto tabelas possuem números. A formatação também é distinta:
quadros apresentam os quatro lados fechados, enquanto tabelas não têm laterais
fechadas.
Segue os exemplos abaixo:

2
Recomenda-se atenção para inclusão de fotografias e/ou imagens, uma vez que as
mesmas só podem ser publicadas com autorização da utilização da imagem.
Figura I: Exemplo de título de figura

Tabela I: Eficiência do ataque

Time Gols no campeonato


Botafogo 35
Flamengo 15
Vasco da Gama 48

Quadro I: Cores dos times paranaenses

Time Cores
Botafogo preto e branco
Flamengo vermelho e preto
Vasco da Gama preto e branco

 TÍTULO
O título deve vir em caixa alta, em negrito e justificado à esquerda. Alinhado à
direita, entrará o nome e sobrenome do autor principal (orientando), abaixo o e-mail ou
link do currículo Lattes (não podem conter as duas informações). O nome e sobrenome
do orientador virão logo abaixo, precedido das mesmas informações 3.

3
Para a publicação no Portal de periódicos do Grupo Tiradentes e UNIT,
(https://periodicos.set.edu.br/index.php/ideiaseinovacao/about/submissions#onlineSubmissions) deve-se
citar apenas o nome e sobrenome do autor e coautores com a indicação de até oito autores. Considera-se
como autor principal o primeiro a constar na relação.
 RESUMO

Para o artigo científico, utilizar resumo na língua vernácula e traduzido para o


idioma inglês, entre 150 e 200 palavras, ambos seguidos de palavras chave nos idiomas
que as precedem, respeitando-se os limites mínimo e máximo do número de palavras,
As palavras-chave devem ser grafadas em espaço simples e sem negrito; apenas
a primeira palavra com inicial maiúscula, as demais em minúsculas, a não ser em nomes
próprios, separados por vírgula e com ponto final. Se aceita até cinco palavras-chave,
postadas na linha seguinte após o término de cada resumo.

 INTRODUÇÃO (fonte 12, em negrito, maiúsculo e justificado).


Sugere-se que, após a introdução, utilizem-se seções (Títulos centrais) específicas
para tratar do referencial teórico, da metodologia utilizada no trabalho, dos resultados
obtidos e da sua análise.

 DESENVOLVIMENTO
Devem vir precedido de Seções (títulos centrais), enumerados (algarismo romano),
com fonte 12, negrito, letra maiúscula e texto justificado.

 SUBSEÇÕES DO ARTIGO
Enumerados na sequência das seções primárias (ver imagem), com fonte 12, letra
maiúscula e texto justificado. Na numeração das seções, usar números arábicos,
deixando apenas um espaço de caractere entre o número final da seção e a primeira
palavra que nomeia a seção. Não há nem ponto nem traço entre o número e a primeira
palavra.
 REFERÊNCIAS
Devem ser listadas em ordem alfabética de autor, justificadas, em tamanho 10,
espaço simples entre linhas, e duplo entre as referências. Em nossa plataforma, e
consequentemente em todos os periódicos da mesma, as referências seguem as
orientações da ABNT. O “et al.” só pode ser utilizado nas CITAÇÕES e não nas
REFERÊNCIAS, onde deve constar obrigatoriamente o nome de todos os autores.

Seguem orientações especificas para listagem de referências de alguns tipos mais


usuais de obras consultadas:

a) periódicos (artigos de revistas cientificas)


ARAÚJO, P. C.; CRUZ, J. B.; WOLF, S. M.; RIBEIRO, T. V. A. R.. Empreendedorismo e
educação empreendedora: confrontação entre a teoria e a prática. Revista de Ciência da
Administração, Florianópolis, v.8, n.15, p.45‐67, 2006.

b) livros
MARCONI; M. A.; LAKATOS, E. M.. Técnicas de pesquisa: planejamento e execução de
pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisas, elaboração, análise e interpretação de
dados. 6 ed. São Paulo: Atlas, 2007.

c) capítulos de livro
BOO, E.. O planejamento ecoturístico para áreas protegidas. In: LINDBERG, K.;
HAWKINS, D. E.. Ecoturismo: um guia para planejamento e gestão. São Paulo: Senac
São Paulo, 1999. p.65‐80.

d) anais de eventos
SILVA, C. E.. Ecoturismo no Horto Florestal do Ibura como potencial fomento de
sociedades sustentáveis. In: ENCONTRO PARANAENSE DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL,
9. Anais. Guarapuava: Unicentro, 2006. CD‐ROM. PAIVA JÚNIOR, F. G.; CORDEIRO, A.
T.. Empreendedorismo e o espírito empreendedor: uma análise da evolução dos estudos
na produção acadêmica brasileira. In: ENCONTRO ANUAL DA ASSOCIAÇÃO
NACIONAL DOS PROGRAMAS DE PÓSGRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, 27.
Anais. Salvador: UFBA, 2002.

e) revistas de noticias
NILIPOUR, A. H.; BUTCHER, G. D.. Manejo de broilers: las primeras 24 horas. Industria
Avicola, Mount Morris, v.46, n.11, p.34‐37, nov. 1999.

f) teses, dissertações e monografias


CARVALHO, F.. Práticas de planejamento estratégico e sua aplicação em organizações
do terceiro setor. Dissertação (Mestrado em Administração) – Faculdade de Economia,
Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004.
g) leis ou normas jurídicas
BRASIL. Lei nº 11.428 de 22 de dezembro de 2006. Dispõe sobre a utilização e proteção
da vegetação nativa do bioma Mata Atlântica, e dá outras providências. Brasília, 22 Dez
2006.

h) documentos governamentais ou empresariais


BRASIL. Diretrizes e prioridades do plano de ação para implementação da Política
Nacional da Biodiversidade. Brasília: MMA, 2006. PETROBRAS. Indicadores de
desenvolvimento sustentável: campos de petróleo e gás 2008. Rio de Janeiro: CENPES,
2009. MMA; MEC. Coletivos jovens de meio ambiente: manual orientador. Brasília:
Dreams, 2005.

i) material coletado na internet


Observação relevante: Para referenciar materiais coletados na internet, os autores
deverão utilizar um dos itens anteriores, se não for possível fazer referência nas formas
acima citadas, a mesma não será válida.

j) obras que tiverem registro internacional do tipo DOI da CrossRef devem ter ao final o
número de registro
SILVA, C. E.; PINTO, J. B.; GOMES, L. J.. Ecoturismo na Floresta Nacional do Ibura
como potencial fomento de sociedades sustentáveis. Revista Nordestina de Ecoturismo,
Aracaju, v.1, n.1, p.10‐22, 2008. DOI: http://dx.doi.org/10.6008/ESS1983-
8344.2008.001.0001.

Pós Graduação Lato Senso UNIT