Você está na página 1de 8

Faculdade UnYLeYa

Engenharia de Manutenção
Rita Anne Andrade Barreto

GESTÃO DE MANUTENÇÃO – CONFIABILIDADE E


DISPONIBILIDADE DE EQUIPAMENTOS

Icó-CE
2018
Faculdade UnYLeYa
Engenharia de Manutenção
Rita Anne Andrade Barreto

GESTÃO DE MANUTENÇÃO – CONFIABILIDADE E


DISPONIBILIDADE DE EQUIPAMENTOS

Projeto de pesquisa apresentado à


Faculdade UnYLeYa como parte integrante
do conjunto de tarefas avaliativas da disciplina
Metodologia da Pesquisa e da Produção Científica.
Juliana Alberto Costa
Icó-Ce
2018

SUMÁRIO

INTRODUÇÃO......................................................................................4

REVISÃO DE LITERATURA......................................................................5

METODOLOGIA....................................................................................6

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS..............................................................8
INTRODUÇÃO

Tema:

Gestão de Manutenção – Confiabilidade e Disponibilidade de Equipamentos

Problema:

Como a confiabilidade e a disponibilidade podem interferir na qualidade da


manutenção?

Objetivos:

Objetivo geral:

Analisar a confiabilidade e disponibilidade de equipamentos

Objetivos específicos:

– Identificar pontos que possam interferir na disponibilidade dos equipamentos

– Analisar ferramentas que auxiliem no bom desempenho dos equipamentos

– Estudar estratégias que ajudem a elevar a confiabilidade dos ativos

Justificativa:

A disponibilidade dos equipamentos é uma importante necessidade das grandes


e pequenas indústrias, pois quanto mais disponível determinada máquina estiver, maior
será sua produção e consequentemente, maior será o lucro da empresa. No entanto,
surgem problemas não planejados, como a manutenção corretiva, que são paradas
inesperadas, que além de prejudicar a produção e a confiabilidade do equipamento, é
considerada o tipo de intervenção mais dispendiosa. Logo, programação e
planejamento eficiente na manutenção de determinados equipamentos se faz
necessário para que a disponibilidade e a confiabilidade não sejam prejudicadas.

REVISÃO DE LITERATURA

Paschoal et al. (2009) afirma que a visão clássica da manutenção é o reparo de


itens danificados, ou seja, restrita a ações de reparo. Contudo, numa visão mais
recente o objetivo é manter o item funcionando de acordo com as condições de projeto,
ou restaurá-lo para aquelas condições, observando as necessidades físicas
necessárias para o pleno desenvolvimento da produção. Este conceito permite uma
ampliação de visão porque inclui agora uma abordagem proativa, que vai desde
serviços rotineiros e inspeções periódicas ate a reposição preventiva e monitoramento
das condições.
O objetivo de toda indústria é atingir a máxima eficiência de seus serviços,
equipamentos e processos. No entanto, poucas compreendem que a função
manutenção contribui de forma significativa, o que resulta em estratégias equivocadas
ou precipitadas. Durante muito tempo a manutenção foi considerada um “mal
necessário”, mas com a competição entre as organizações, chegou-se a conclusão que
manter os equipamentos de forma adequada é um dos pilares para melhoria da
qualidade e economia no processo produtivo de bens e serviços. Dentro da
organização, a garantia da disponibilidade e confiabilidade dos equipamentos
conseguida com uma função manutenção eficaz e eficiente irá melhorar a
competitividade (PSCHOAL et al., 2009).
Segundo Kardec e Nascif (2009), a Confiabilidade é a habilidade de um produto
desempenhar determinada função, definida como a probabilidade que um equipamento
ou componente irá desempenhar sua função sem falhas durante um período específico
de tempo, sob certas condições. Baseia-se nos princípios de prolongar o tempo de
execução entre paradas programadas, melhorar a produtividade de manutenção, adotar
táticas eficientes para a solução de falhas e problemas.
Ainda de acordo como Kardec e Nascif (2009), Disponibilidade depende do
tempo em operação e do tempo parado, é um resultado de desempenho. Numa
situação favorável, todos os equipamentos têm uma grande disponibilidade,
acarretando na mitigação de falhas e na redução de erros e perdas produtivas.
Planejamentos malfeitos geram manutenções desorganizadas e fazem com que a
disponibilidade das ferramentas de trabalho seja menor. Dessa forma, a disponibilidade
é um indicador que sempre deve ser monitorado e aprimorado.
Tais definições evidenciam a necessidade de medir e controlar o comportamento
dos equipamentos, para a melhor gestão dos problemas que podem vir a surgir e ações
que venham a ser realizadas para que o mesmo não possa acontecer, preservando o
desempenho ideal do equipamento.

METODOLOGIA

A pesquisa qualitativa tem o ambiente natural como sua fonte direta de dados e o
pesquisador como seu principal instrumento, supondo um contato direto e prolongado
do mesmo com o ambiente e a situação que está sendo investigada, normalmente por
meio de um trabalho de campo. Os dados coletados são predominantemente
descritivos, levando em conta o fato de que o material obtido nestas pesquisas é
predominante em descrições de pessoas, situações, fatos (ROMÃO, 2003).
Segundo Romão (2003), a análise de dados tende a seguir um processo
indutivo, no qual os pesquisadores não se preocupam em buscar evidências que
comprovem hipóteses definidas antes do início dos estudos, sendo que as abstrações
se formam a partir da inspeção dos dados do processo. A inexistência de hipóteses ou
questões específicas formuladas a princípio não implica na ausência de um quadro
teórico que oriente a coleta e a análise dos dados.
Muitos autores abordam a questão da disponibilidade e confiabilidade dos
equipamentos, em relação à gestão da manutenção, que hoje se torna um assunto de
grande interesse para as grandes empresas. Evidenciando, as muitas ferramentas
utilizadas como auxilio para se obter bons resultados.
Com isso pretende-se, realizar uma análise do que já foi evidenciado por outros
autores, assim como as metodologias de manutenção existentes, procurando melhorar
os caminhos a serem seguidos e assim elevar a disponibilidade e confiabilidade a partir
de uma ótima gestão de manutenção.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ENGEMAN. O que é confiabilidade, disponibilidade e manutenibilidade na gestão


da manutenção? Disponível em: <http://blog.engeman.com.br/o-que-e-a-
confiabilidade-disponibilidade-e-manutenibilidade-na-gestao-de-manutencao/>. Acesso
em: 21 jun. 2018.

KARDEC, Alan; NASCIF, Júlio. Manutenção – Função Estratégica. 3 ed. rev. e ampl.
Rio de Janeiro. Qualitymark, 2009. 384 p.

PASCHOAL, Debóra et al. DISPONIBILIDADE E CONFIABILIDADE: APLICAÇÃO DA


GESTÃO DA MANUTENÇÃO NA BUSCA DE MAIOR COMPETITIVIDADE. Revista da
Engenharia de Instalações no mar da FSMA, n°. 03 Jan./Jun. 2009.

ROMÃO, Cesar. Abordagens Qualitativas de Pesquisa – Artigos Científicos.


Disponível em: < http://www.cesarromao.com.br/redator/item24132.html>. Acesso em:
22 Jun. 2018.