Você está na página 1de 54

A MENTE dos

ACUMULADORES
Conheça tudo sobre
o transtorno de
acumulação

As principais Entenda
TERAPIAS o que é a
para combater ACUMULAÇÃO
o distúrbio VIRTUAL

VOCÊ É ACUMULADOR?
Faça o teste e descubra se está na hora de
procurar ajuda e se livrar de algumas coisas
EDITORIAL

Valor sentimental?
Camisetas, latas de refrigerante, meias, embalagens, restos de comida... Já imaginou tudo
isso amontoado em um único cômodo da sua casa? Pode parecer improvável, mas essa é a
realidade de pessoas que têm a bagunça como mais do que um problema de organização, no
caso, como um distúrbio mental: o transtorno de acumulação (TA). O quadro é caracterizado
pela compulsão por guardar objetos aleatórios, chegando ao ponto de não conseguir se
livrar de tais itens, o que acaba gerando muita ansiedade e outros prejuízos para a saúde.
Então, com a seriedade do transtorno em vista, produzimos esta edição de SEGREDOS DA
MENTE a fim de desvendar tudo sobre A MENTE DOS ACUMULADORES. Além de matérias
para entender melhor o TA, também trouxemos um teste para avaliar se você pode ser um
acumulador – tudo com a consultoria de especialistas. Esperamos que gostem.

Boa leitura!
A redação

SUMÁRIO

03
Além da desordem
07
Você é acumulador?

CAPA – Design: Douglas Noroha/Colaborador – Imagens: Shutterstock Images


Saiba tudo sobre Faça o teste e veja se é
o transtorno de necessário se livrar de
acumulação algumas coisas

06 08
Lixão digital
Tratamento Entenda quais são os
As terapias mais indicadas sintomas da acumulação
para superar o distúrbio virtual

Editora-Chefe Viviane Campos Editor Ricardo Piccinato Redação Érika Alfaro e Giovane Rocha Design Zu Fernandes (editora-chefe), Josemara Nascimento e Vanessa Sueishi Estagiários ©2018 EDITORA ALTO
Camila Ramos, Felipe Monteiro, Jéssica Pirazza, Leonardo Guerino e Rafael Toledo (Redação), Douglas Noronha e Guilherme Laurente (Arte) Imagens Shutterstock Images Tratamento ASTRAL LTDA. TODOS OS
de imagem Edson Iukawa (Editor), Karolina Schezar e Pamela Raul (estagiárias) Grupo Editorial Raquel Luciano (Editora-chefe), Fernanda Villas Bôas (Assistente editorial), Otávio DIREITOS RESERVADOS.
Mattiazzo Neto (Criação e desenvolvimento de produto), Lissandra Mahnis (Circulação) Impressão GRAFILAR Gráfica Distribuição Total Express Publicações PROIBIDA A REPRODUÇÃO.

A MENTE dos
PRESIDENTE João Carlos de Almeida DIRETOR EXECUTIVO Pedro José Chiquito DIRETOR COMERCIAL Silvino Brasolotto Junior DIRETOR DE REDAÇÃO Sandro Paveloski EDITORIAL Gerente Mara De Santi PUBLICIDADE
Gerente Samantha Pestana E-mail publicidade@astral.com.br MARKETING Gerente Flaviana Castro E-mail marketing@astral.com.br SERVIÇOS GRÁFICOS Gerente José Antonio Rodrigues ADMINISTRATIVO/
ACUMULADORES FINANCEIRO Gerente Jason Pereira ENDEREÇOS BAURU Rua Gustavo Maciel, 19-26, CEP 17012-110, Bauru, SP. Caixa Postal 471, CEP 17015-970, Bauru, SP. Fone (14) 3235-3878, Fax (14) 3235-3879  SÃO PAULO Rua Tenerife, Nº
31, Conj. 21 e 22, Bloco A, CEP 04548-904, Vila Olímpia, São Paulo, SP, Fone/Fax (11) 3048-2900 ATENDIMENTO AO LEITOR ✆ (14) 3235-3885 De segunda a sexta, das 8h às 18h E-mail atendimento@astral.com.br Caixa Postal 471,
Ano 2, nº 2 - 2018 CEP 17015-970, Bauru, SP LOJA www.loja.editoraastral.com.br E-mail lojaonline@astral.com.br ANUNCIE E-mail publicidade@astral.com.br Fone (11) 3048-2900
Além da desordem
Impressionante para quem conhece apenas por programas
de TV, o transtorno de acumulação causa muito mais
desconforto do que a falta de espaço
TEXTO GIOVANE ROCHA
ENTREVISTAS ÉRICA AGUIAR E GIOVANE ROCHA
DESIGN DOUGLAS NORONHA/COLABORADOR

A
acumulação compulsiva é um assunto que chama está associado a um sintoma que deve ser destacado
a atenção, tanto que já virou tema de reality show tanto quanto aos montes de objetos acumulados: o
com direito a várias temporadas. Porém, não é desconforto em tomar a decisão de jogá-los fora. “Este
por esse lado que se deve enxergar as pessoas padrão de comportamento se traduz em uma grande
acumuladoras. dificuldade em se desfazer de utensílios e objetos,
Apesar de atrair os olhares pelas pilhas de coisas acumuladas mesmo aqueles sem qualquer significado ou valor
por todos os cômodos da casa, essa compulsividade é definida estimativo”, explica o psiquiatra Rodrigo Pessanha.
como um distúrbio mental. Desse modo, se não for tratada, E esse traço do distúrbio pode significar muito
pode causar grandes prejuízos de ordem psicológica, levando mais do que uma simples dificuldade comportamental.
ao isolamento social. Por isso, é importante ficar atento aos Foi o que provou o estudo mais recente sobre o tema,
principais sintomas do transtorno de acumulação e como ajudar publicado em 2012 na revista científica Archives of
quem sofre com esse quadro. General Psychiatry. Dando uma explicação neurológica
para o desenvolvimento do quadro, os pesquisadores
Cérebro desorganizado concluíram que a comunicação no sistema nervoso
Relacionado à característica mais marcante do transtorno, de indivíduos que se enquadram como acumuladores
o acúmulo exagerado e persistente de diversos itens também compulsivos não ocorre normalmente.
Foram comparados exames de ressonância magnética do
cérebro de pessoas com e sem o distúrbio, e o resultado sugeriu
algumas alterações na região anterior do encéfalo (principal-
mente em estruturas como o córtex cingulado e a ínsula). Essas
diferenças, segundo os cientistas, seriam a causa das falhas em
tomar decisões e o receio de optar por escolhas erradas, além de
justificar o apego aos acúmulos.

Valor sentimental?
Para uma pessoa fora desse quadro, quando questionada se quer guardar
o papel da deliciosa bala que acabou de comer, a resposta é direta: “Não,
pode jogar no lixo”. Porém, para um acumulador compulsivo não é tão simples
assim. Por mais irrelevantes que pareçam a quem vê a situação, cada um dos
itens serve para um propósito no psicológico desse indivíduo, mudando de
acordo com cada caso. As causas podem variar entre diferentes circuns-
tâncias – um trauma causado por alguma decepção ou como a perda de
um ente querido, como relata o psicólogo João Alexandre Borba sobre um
caso de uma mulher cujo namorado faleceu: “Ela começou a ficar com medo
das coisas se afastarem dela e aí foi juntando objetos ao seu redor. Iniciou-se
com uma relação bem clara dela com esse homem, mas depois começou a se
expandir para outras áreas, que não tinham relação com o rapaz”.
Mesmo se mostrando bastante contrária a se livrar de algo, isso
não quer dizer que a pessoa se lembre de cada item que guardou.
Conforme a quantidade de peças se torna incontável, mesmo os
itens mais valiosos para o acumulador acabam caindo no esque-
cimento, escondidos embaixo de montes de embalagens, jornais
velhos e outras coisas mais descartáveis. Porém, “boa parte dos
objetos têm valor afetivo, e a ideia de se desfazer deles é muito mais
difícil”, ressalta a consultora em organização Yolanda Hollaender.

Diagnóstico característico
Nem sempre o transtorno de acumulação teve uma definição
própria. Até a quarta edição do Manual Diagnóstico e Es-
tatístico de Transtornos Mentais, esse distúrbio era visto
como um sintoma do transtorno obsessivo-compulsivo
(TOC). Foi apenas na quinta e mais recente versão do
guia psiquiátrico que os critérios de identificação do
distúrbio ganharam destaque.
Já referido por especialistas como síndrome de
Diógenes ou disposofobia, atualmente é tratado como
transtorno de acumulação. E, dentre as definições
básicas, como a resistência em se livrar de objetos mesmo que não
tenham um valor sentimental e a acumulação excessiva (presente em
cerca de 80% a 90% dos casos, como mostra o DSM-5), se encontram
características relacionadas ao autoconhecimento da disfunção
por parte do paciente.
• Insight bom ou razoável: a pessoa reconhece a acumu-
lação compulsiva como algo problemático.
• Insight pobre: o paciente, mesmo com evidências compro-
vando o oposto, não vê a acumulação como um problema.
• Insight ausente: nessa situação, o acumulador compulsivo
acredita plenamente que seus comportamentos não são um
contratempo.
Difícil admitir
Outro sinal marcante do transtorno de acumulação é a oposição que o indiví-
duo apresenta em admitir que tem o distúrbio, mesmo que todos ao seu redor já
tenham percebido. Isso faz com que, na maioria das vezes, o primeiro contato
com um psiquiatra ou psicólogo seja por meio de familiares ou amigos.
Yolanda esclarece que o acumulador “tem vergonha de se expor com
medo de ser criticado e rejeitado, o que lhe causa muito sofrimento”.
A tendência, segundo a especialista é “não manter uma vida social
ativa, tornando-se reclusa, na maior parte do tempo”.

“Boa parte dos objetos têm valor


afetivo, e a ideia de se desfazer
deles é muito mais difícil”
Yolanda Hollaender, consultora
em organização

Mais adversidades
Como um acumulador consegue manter a higiene de sua residência
se cada parte do lugar fica com coisas entulhadas de cima a baixo? A
resposta é: não consegue. E esse é um dos principais pontos a serem
levantados, tanto relacionados à higiene pessoal quanto às condições
habitacionais. Não só o ambiente onde vive a pessoa com o transtorno
se torna uma bagunça mas, consequentemente, toda a sua rotina.
Quando o distúrbio atinge um grau mais avançado, a sujeira se torna parte
do dia a dia devido à desorganização. Isso porque cômodos essenciais para
necessidades básicas, como a cozinha para a alimentação e os banheiros
para higiene pessoal, ficam tomados, impossibilitando a realização dessas
atividades. Desse modo, a desnutrição e problemas dermatológicos podem
ser acrescentados às dificuldades causadas pela acumulação compulsiva.
Outro obstáculo gerado pelo transtorno é o aparecimento de pes-
tes devido ao descuidado com a grande concentração de pertences.
Montes de embalagens, restos de comida, entre outros, viram um
ambiente propício para o aparecimento de ratos e baratas, por
exemplo, que podem trazer doenças graves.

Reflexos da idade
Apesar de ser mais incomum, os primeiros sinais da acumulação
compulsiva podem aparecer ainda na infância. Entretanto, como
é citado no guia psiquiátrico Manual Diagnóstico e Estatístico
de Transtornos Mentais (DSM-5, na sigla em inglês), o distúrbio
costuma se tornar mais desenvolvido conforme a idade avança,
sendo mais prevalente entre os 55 e 94 anos, segundo dados
apresentados no livro.

CONSULTORIAS João Alexandre Borba, psicólogo; Marcelo Queiroz Hoexter, psiquiatra;


Rodrigo Pessanha, psiquiatra; Yolanda Hollaender, consultora em organização de
ambientes residenciais e corporativos, com certificação pela empresa OZ! Organize
sua Vida (www.organizesuavida.com.br), sócia-fundadora da Associação Nacional de
Profissionais de Organização e Produtividade (ANPOP) e coordenadora da Oficina de
Suporte aos Problemas de Desorganização.
FONTE Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5), Associação
Americana de Medicina; editora Artmed, 2013.
Terapias e
medicamentos
Veja quais são as recomendações e os métodos mais
aplicados pela ciência para tratamento do transtorno
de acumulação compulsiva
TEXTO RAFAEL DE TOLEDO/COLABORADOR
DESIGN JOSEMARA NASCIMENTO

E
d it h Ew i n g Terapia cognitivo- Outras terapias
Bouvier Beale comportamental Os medicamentos são al-
e Edith Bouvier Alguns tratamentos foram ternativas requisitadas em
Beale (mãe e fi- requisitados, principalmente, casos mais graves. Geral-
lha, respectiva- após a inserção dessa psi- mente, o uso característico
mente) são duas ex-socialites copatologia na versão mais de antidepressivos é uma
norte-americanas conside- recente do Manual Diagnós- das saídas para circunstân-
radas emblemáticas. Antes tico e Estatístico de Transtor- cias, nas quais o transtorno
pertencentes a uma vida nos Mentais (DSM-V). Um esteja comprometendo em
cercada de luxos – inclusive, desses métodos é a terapia níveis avançados a rotina do
parentes da Jacqueline Ken- cognitivo-comportamental, indivíduo. “Na maior parte
nedy Onassis, ex-primeira a qual se baseia na interpre- das vezes, contudo, os me-
dama dos Estados Unidos tação do indivíduo a fim de dicamentos são necessários
–, ambas encerraram suas resignificar o seu comporta- para controlar o impulso
vidas falidas, morando em mento a favor da cura. Isso acumulador”, revela o médico
uma mansão que atraiu os permite ao paciente enxergar neurologista Martin Portner.
olhares da mídia devido à as consequências dos hábitos, “Esses podem ser tranquili-
insalubridade ocasionada descobrir como atuar sobre zantes, como o clonazepam
pelo acúmulo de latas de eles e, consequentemente, e alprazolam, ou da classe
ração para gatos, jornais e atenuar os efeitos da condição. dos antidepressivos, como o
jardins a serem podados. Tal Em determinados casos, escitalopram e, mais recen-
fato parecia só o começo o TA pode vir acompanhado temente, a desvenlafaxina”,
do que levou ao completo de outros distúrbios mentais, como cita o profissional.
isolamento das duas perso- como a esquizofrenia. Outra abordagem destina-
nalidades em uma casa que A cientista norte-americana da a pacientes diagnosticados
foi inspecionada tempos após Christina Gillian, por meio com TA é a chamada terapia
muito mistério. de um estudo, verificou que do esquema. Essa técnica per-
O caso de ambas é co- o método, quando assimilado mite ao indivíduo a descons-
nhecido como um resultado em grupo, permite aos pacien- trução da realidade que lhe
do transtorno da acumula- tes interagir com o ambiente foi apresentada, tornando-a
ção compulsiva (TA), sendo social, reduzindo, dessa forma, menos rígida à sua análise. O
essa, passível de ser tratada. os sintomas de depressão e método consiste na descons-
Veja quais são algumas das ansiedade. A análise revelou trução de alguns padrões
terapias indicadas para o que 80% grupo submetido a 26 disfuncionais que, a longo
tratamento desse tipo de sessões de terapia apresentou prazo, comprometem a saúde
distúrbio. redução sintomática. mental do paciente.

CONSULTORIA Martin Portner, neurologista e mestre em neurociência pela Universidade de Oxford, escritor e palestrante.
Você é
acumulador?
Responda às perguntas e descubra se está na hora de
procurar ajuda para se livrar de alguns pertences
TEXTO ÉRIKA ALFARO E GIOVANE ROCHA
ENTREVISTAS RAFAEL DE TOLEDO/COLABORADOR
DESIGN JOSEMARA NASCIMENTO

A
s pessoas que so- Uma boa maneira de veri- • Você prefere não receber
frem com a acu- ficar a necessidade de manter as pessoas na sua casa?
mulação compul- determinados bens é refletir “O transtorno de acumula-
siva dificilmente sobre o uso. ção tem grande impacto sobre
admitem que pos- a vida da pessoa. Trata-se de
suem o distúrbio e, consequen- • Você tem medo de jogar um distúrbio ocasionado por
temente, que precisam de auxílio fora embalagens, papéis ou conexões mal estabelecidas
para jogar algumas coisas fora. etiquetas e sentir falta depois? entre os neurô-
Por isso, com a consultoria de O apego emocional ou a nios que contro-
especialistas no assunto, separa- dificuldade de jogar coisas des- lam as respostas
mos uma série de questões que cartáveis no lixo são sinais da emocionais. Por
vão indicar se você ou alguém acumulação. causa disso, as re-
próximo tem os sintomas do lações interpes-
transtorno de acumulação. É • Os seus materiais acumu- soais se tornam
importante responder às per- lados formam uma bagunça? negativas”, afir-
guntas com total sinceridade É difícil organizá-la porque ma o neurologista
e lembrar que, mesmo o teste você tem muita coisa? Alguma Martin Portner.
indicando a presença do quadro pessoa próxima já reclamou
compulsivo, um profissional dessa desorganização? • Se alguém
(psiquiatra e psicólogo) deve Muitas vezes, a visão de outra te disser para
ser procurado para realizar o pessoa é mais clara do que a sua. jog a r a lg u m a
diagnóstico oficial. Só então as coisa fora, você
medidas cabíveis devem ser to- • O hábito de guardar se sente angus-
madas para melhorar a qualidade coisas costuma atrapalhar tiado, bravo ou
de vida da pessoa em questão. sua vida pessoal, social ou fica violento?
profissional? Quanto? A sensação negativa gerada
• Você possui objetos que A bagunça ocasionada pela pelo descarte é um sinal de que
não usa há um, dois, três, qua- acumulação é capaz de atrapa- a acumulação está afetando a
tro ou cinco anos? Quantos? lhar – e muito – o cotidiano. sua saúde emocional.

CONSULTORIAS Bayard Galvão, psicólogo clínico, especialista em hipnose e presidente do Instituto Milton H. Erickson de São
Paulo (SP); Martin Portner, neurologista, mestre em neurociência pela Universidade de Oxford, escritor e palestrante.
Lixão digital
Veja como a modernidade
ajudou a desenvolver um
novo tipo de acumulação,
a virtual
TEXTO LEONARDO GUERINO/COLABORADOR
DESIGN JOSEMARA NASCIMENTO

M
emórias internas, pen
drives, armazenamento
em nuvem... As opções
do mundo moderno
para que consigamos
guardar todos nossos arquivos digitais
são enormes. E não poderia ser diferente,
afinal cada vez mais precisamos que nossa
grande quantidade de documentos pixali- do transtorno acumulativo virtual – o excesso de lixo digital, elaboramos
zados sejam salvos em locais seguros e de mesmo sentimento exagerado de posse algumas dicas que poderão tornar seus
fácil acesso. Porém, em alguns casos, essa por um elemento e extrema dificuldade dispositivos mais organizados e ágeis,
necessidade pode gerar o armazenamento em se desfazer dele, só que agora aplicado sem tanta informação irrelevante neles.
desnecessário de itens, caracterizando a aos arquivos digitais. Mesmo não estando • Comece pelo seu celular: cheque
acumulação virtual. devidamente catalogado nos manuais na galeria do seu dispositivo e no local
de psicologia, as características desse de armazenamento de informações se
O transtorno problema parecem se apresentarem de você possui imagens, vídeos, textos e
Quem nunca baixou um aplicativo no modo mais intenso a cada dia. aplicativos que você não visita há muito
celular sem qualquer funcionalidade para De acordo com uma pesquisa desen- tempo. Verifique se seu conteúdo é
si e deixou-o jogado de lado em meio ao volvida pela Western Digital (empresa relevante ou marcante. Se não, exclua.
vasto armazenamento? Ou guardou vários estadunidense fabricante de discos • Rumo às nuvens: separado o que
vídeos e fotos sem apreço algum no celular, rígidos), por volta de 27% das duas mil lhe é relevante, passe todos os seus arqui-
após tê-los recebidos por meio de grupos pessoas entrevistadas acreditam que um vos para um serviço de armazenamento
no WhatsApp? Por isso, é comum quando quarto da capacidade de seu celular está digital (como Google Drive e Dropbox).
se busca por um novo aparelho eletrônico ocupada com arquivos sem relevância. Lá, organize em pastas os tipos de dados
(sejam celulares ou computadores) visar Esse grande acúmulo de informações salvos. Repita o processo no computador,
aquele com a maior capacidade de armaze- tem gerado transtornos de posse e an- se for o local em questão da acumulação.
namento oferecida. Mas será que possuímos siedade nesses indivíduos, que querem • Dados demais? Envie para outra
mesmo tanta informação essencial para continuar a consumir informações plataforma: caso você tenha informações
nossas vidas a serem guardas desse modo? digitais mas não conseguem, uma vez demais para guardar nos serviços em
A era digital tem modificado o comporta- que seus aparelhos já estão lotados de nuvem, uma alternativa é apostar em um
mento humano de diversas formas. E, com arquivos sem utilidade. dispositivo externo de memória, como
relação ao transtorno de acumulação, não foi os HDs. Eles são opções interessantes
diferente. Na contemporaneidade, além da A saída para armazenar suas informações de
obsessão por guardar elementos físicos, tam- Se você tem ou conhece alguém que modo prático e organizado, sem pesar
bém há a possibilidade do desenvolvimento tenha dificuldades de se livrar desse na memória de seus aparelhos.
O início da
psicanálise Entre polêmicas,
Sigmund Freud
inspirou muitos a
desvendarem os
mistérios sobre
o inconsciente,
comportamento
e mente humana.
Confira sua
trajetória
TEXTO CAMILA RAMOS/COLABORADORA
ENTREVISTA AUGUSTO BIASON/
COLABORADOR E GIOVANE ROCHA
DESIGN JOSEMARA NASCIMENTO

S
igmund Freud é considerado o pai da
psicanálise e contribuiu com o início
do conhecimento do inconsciente
e comportamento humano baseado
nas manifestações psíquicas de seus
pacientes. Apesar de suas teorias serem, muitas
vezes, consideradas ultrapassadas, ainda são
fundamentais para o estudo da mente humana.
O psicanalista foi um homem polêmico em
sua época. Suas principais teorias iam contra ao
que era aceito na sociedade, por exemplo, sobre
as fases do desenvolvimento sexual na infância,
os impulsos do “id” que se expressam em desejos
internos referentes à sexualidade, agressividade e
outros sentimentos perversos à civilidade, além do
conhecido complexo de Édipo, o qual a criança
rivaliza com seu próprio pai pelo carinho da mãe.
De todo modo, suas pesquisas e obras são meio de hipnoses para o método de livre associação, o
fundamentais para o entendimento da mente qual deixava as mulheres falarem sobre seus desejos in-
humana, já que, por seu caráter polêmico, Freud conscientes. Ao obter resultados e melhora nas pacientes,
contribuiu para o enfrentamento de certos ta- Freud publicou em 1895 sua obra Estudo sobre a Histeria.
bus. “Ele foi o pensador que trouxe um outro
olhar para a psiquê humana, alterando a rota Sexualidade e libido
dos estudos psicológicos e tratando as pessoas A partir desse avanço na psicanálise, Freud passou a
em uma unidade, não só pautado em valores pesquisar cada vez mais sobre a sexualidade. Segundo
religiosos ou naturais, como era até então”, a psicologa Lizandra Arita, “em suas investigações na
explica a psicologa Lizandra Arita. prática clínica sobre as causas e funcionamento das
neuroses, o estudioso descobriu que a grande maioria
Onde tudo começou de pensamentos e desejos reprimidos referiam-se a
Sigmund Freud nasceu em seis de maio de 1985 conflitos de ordem sexual, datados dos primeiros anos
na região da Morávia, que até então pertencia de vida dos indivíduos”. Esses traumas sexuais eram as
ao Império Austro-húngaro, onde hoje fica a repressões sofridas pelas pessoas no passado, sejam elas
República Tcheca. Ingressou na Universidade reais ou fantasiadas. Assim, Freud criou os conceitos de
de Viena em 1873 aos 17 anos para cursar di- id, ego e superego (veja mais na página 11) e desenvolveu
reito, mas optou pela faculdade de medicina, teorias sobre o que chamou de complexo de Édipo. “Se-
onde iniciou sua pesquisa em psicanálise. Ao se ria inevitável abordar a sexualidade frente ao complexo
graduar, Freud começou a trabalhar no Hospital de Édipo. Ela pode ser entendida como o fio condutor
Geral de Viena, aprendendo sobre hipnoses e do desenvolvimento psíquico e emocional, no entanto
superando esse método na pesquisa sobre histeria. deve-se deixar claro que sexualidade não é relação sexual,
Ficou conhecido na sociedade científica por sua mas tudo aquilo que de alguma forma fornece prazer
associação do comportamento humano com a ao indivíduo”, conta a psicanalista Fernanda Oliveira.
sexualidade e, por causa disso, foi hostilizado e O complexo de Édipo é fundamentado pela tragédia
desacreditado pela classe média da época. grega do rei Édipo que, na tragédia grega Édipo Rei,
Em 1923, o médico começou a apresentar mata o pai e casa-se com a mãe. É uma fase do desen-
sintomas de câncer no palato. Ao mesmo tempo volvimento masculino que acontece entre os três e cinco
que adoecia, Hitler ganhava poder. No episódio anos de idade, em que a criança se sente atraída (não
da invasão alemã a Viena, Freud – que era des- necessariamente de forma sexual) pela mãe e vê seu pai
cendente de judeus – teve seus bens confiscados como um rival. É um período natural e, quando superado,
e sua biblioteca queimada. Assim, fugiu para a o menino se abre à possibilidade de sentir atração por
Inglaterra, onde passou seus últimos dias de vida. outras meninas. Segundo Fernanda Oliveira, “observa-
-se que a pulsão sexual iniciada com o nascimento tem
Principais teorias papel fundamental para aproximar a criança do mundo,
Freud é tido como o criador da psicanálise, das pessoas e fornecer capacidade para construir todo
e contribuiu em diversos segmentos da área, e qualquer tipo de conexão humana”. Contudo, se não
como inconsciente, interpretação dos sonhos superado corretamente, o menino pode ter problemas
Imagens: Shutterstock Images e Reprodução

e criou o método de livre associação. Além de relacionamento na vida adulta.


disso, Sigmund foi importante para a pesquisa Essa teoria de Freud ainda é válida, entretanto, alguns
da sexualidade e libido. estudiosos acreditam que essa tese deve ser modificada,
Vivendo em uma sociedade em que o sexo ou até mesmo superada, para se enquadrar nos modelos
feminino tinha um papel definido (esposa e modernos de família. Há também a versão feminina do
mãe) e o casamento era uma forma de articu- estudo, desenvolvida de complexo de Electra (novamente
lações políticas entre famílias, muitas mulheres provém da mitologia grega), essa criada por Carl Jung
começaram a ter sua saúde mental prejudicada (saiba mais na página 7).
pela enorme repressão sexual e a opressão pelos
maridos e familiares – o distúrbio ficou conhe- CONSULTORIAS Fernanda do Nascimento Oliveira,
cido como histeria. psicanalista; Lizandra Arita, psicologa.

Freud substituiu o tratamento de histeria por


Nas profundezas
da humanidade
Criador da psicologia analítica, Carl Jung procurou desvendar o ser
humano baseado em emoções e história, do coletivo ao individual
TEXTO CAMILA RAMOS/COLABORADORA
ENTREVISTA VICTOR SANTOS, AUGUSTO BIASON/COLABORADORES E GIOVANE ROCHA
DESIGN DOUGLAS NORONHA/COLABORADOR

Imagens: Shutterstock images

C
arl Jung foi inicialmente discípulo
de Freud e, além das desavenças
e rompimento do companheiris-
mo, foi indicado pelo próprio
como seu sucessor. Jung fundou
a psicologia analítica, ampliando as teorias
do pai da psicanálise como o inconsciente e o
conceito de ego.
Criado em ambiente religioso, o psiquiatra
suiço sempre foi um entusiasta das religiões e
misticismo, procurando compreender o tema
na psicologia, teorizando sobre a história da
humanidade, como o inconsciente coletivo e a
essência do ser humano e das profundezas de
sua alma, com a individualização e interpreta-
ção de sonhos (saiba mais nas páginas 10 e 12).
psicologa Andrezza Ferrari.
Para Jung, o ser humano preserva uma herança psicológi-
ca assim como mantém uma herança biológica. Ou seja, do
mesmo modo que o dente do siso e cóccix são uma parte do
corpo considerada primitiva, a mente tem uma inconsciência
coletiva, conservando dados da humanidade desde seu início.
Assim, “existem imagens emocionais que não são relacionadas
à atitude consciente. Têm como base um padrão universal
(arquétipo) que é o seu núcleo. Este se encontra vinculado ao
inconsciente coletivo com uma natureza impessoal”, explica
a psicoterapeuta Laís Helena da Rocha.
Já os complexos têm uma carga altamente emocional e,
segundo a psicologa Andrezza Ferrari, “são as ideias que ro-
deiam os arquétipos; são condições necessárias para a natureza
psíquica, e podem ser positivos ou negativos, conscientes ou
inconscientes”

Complexo de Electra
Desenvolvido por Jung, o complexo de Electra provém da
mitologia grega. Na história, Electra manda o irmão matar a
própria mãe, já que esta teria assassinado seu pai. A teoria de
Jung é a versão feminina do conhecido complexo de Édipo,
proposto por Freud, que trata do desenvolvimento sexual
masculino na infância.
Segundo o complexo, até os três anos de idade, o bebê do
sexo feminino teria uma relação homoafetiva com a mãe,
Quem foi Jung? sendo atraída por ela (não necessariamente de maneira sexual).
Carl Gustav Jung, filho de um pastor protestante, nasceu em Contudo, a certa idade, ela recebe uma “castração emocio-
1875 em uma esfera familiar religiosa, que foi sua influência nal”, ou seja, a menina deseja ter um pênis, mas, como não o
durante toda a vida. Cursou medicina na Universidade de desenvolve, muda o foco de sua atração para o pai.
Basileia e, então, mudou-se para Zurique, também na Suíça, Entre três e cinco anos, a menina passa a imitar o compor-
para trabalhar no hospital psiquiátrico Burgholzi. tamento da mãe para chamar atenção do pai, e sente ciúmes
Em 1907, Jung foi até Viena, na Áustria, visitar o pai da da mãe por sua aproximação com o seu objeto de desejo – esse
psicanálise, Sigmund Freud, com quem no primeiro encontro, sentimento pode evoluir para uma má convivência com a
conversou por 13 horas ininterruptas. O interesse sobre as mesma. Após essa fase, a superação é de extrema importância
teorias do outro foi recíproco e, assim, iniciou-se uma estrei- para a criança, já que ela volta a estabelecer um vínculo com
ta relação de trabalho, discutindo pensamentos e inclusive a mãe e começa a se interessar por outras pessoas. A não
fazendo palestras juntos nos Estados Unidos. superação desse complexo, para Jung, pode trazer consequ-
Jung seguiu carreira solo e desenvolveu suas teses por meio ências na vida adulta da garota, fazendo-a ter problemas nos
do seu viés religioso e místico, tomando uma via diferente do relacionamentos futuros, como também procurar nos homens
seu então amigo Sigmund. Nessa nova fase, Jung construiu uma semelhança com o pai.
a base da psicologia analítica. Não necessariamente as crianças passam pelos complexos
O psiquiatra morreu em 1961, aos 86 anos, por complica- (de Electra e de Édipo) com os pais no centro de seus desejos,
ções decorrentes de enfartes, embolia pulmonar e acidente podendo ser a figura presente que a criança considere como
vascular cerebral (AVC). mãe e pai, como tios, avós, etc. Contudo, assim como o
complexo de Édipo, essa teoria ainda é discutida, atualizada
Arquétipos e complexos e pode, muitas vezes, ser superada pelos novos pesquisadores
“A teoria arquetípica tem seus primeiros relatos no famoso da área, já que houve uma mudança significativa da mulher
sonho de Jung, quando ele desce até os porões de sua casa na sociedade desde a época de Jung.
e encontra destroços de uma civilização primitiva. Eram já
as estruturas modais daquilo que é mais primitivo em nós CONSULTORIAS Andrezza Ferrari, pós-graduanda no curso psicologia
– os arquétipos. É o molde das figuras que se repetem por junguiana, no Instituto Junguiano de Ensino e Pesquisa (IJEP); Laís Helena da
Rocha, médica, psicoterapeuta, hipniatra e membro da Associação Brasileira de
gerações, ficando alojadas no inconsciente coletivo”, conta a Hipnose (ASBH).
Combate de egos
ou de verdades?
Saiba mais sobre as teorias que marcaram
o conflito intelectual entre Sigmund Freud
e Carl Gustav Jung
TEXTO RAFAEL DE TOLEDO/ COLABORADOR
ENTREVISTAS GIOVANE ROCHA
DESIGN DOUGLAS NORONHA/ COLABORADOR

U
ma das maiores dissidências ocorridas entre mes-
tre e “discípulo” da história se deu no campo da
psicologia. Médico austríaco e pai da psicanálise,
Sigmund Freud, perdeu um aliado de sua teoria
com a publicação do livro Símbolos da Trans-
formação da Libido, em 1902, pelo psiquiatra suíço Carl
Gustav Jung. Nele, o até então “pupilo da teoria freudiana”
debateu os conceitos pregados por Freud, como a análise
libidinal no processo de amadurecimento dos estágios
psicossexuais na criança, além de contestar, mais tarde,
a função dos aspectos que rondavam o inconsciente
para o teórico austríaco.

Início teórico
Ambos caminharam juntos durante a primeira metade do
século XX, quando a Sociedade Psicanalítica se formou em
1908. Posteriormente, a organização se tornou, a Associação
Psicanalítica Internacional, presidida por Carl Gustav Jung por in-
fluência de Freud, em 1910. Porém, após conflitos de pensamentos
entre ambos, os teóricos se afastam, apresentando à psicologia direções
diferentes a respeito da mente humana.
Muitas foram as discordâncias entre as correntes dos dois teóricos,
apesar de um início amigável. Porém, a divergência nos aspectos
essenciais à pesquisa de cada um veio à tona com o posicionamento
a respeito da sexualidade, sempre presente nos conceitos de Freud.
Outra opinião jungiana, que contrastou com as teorias freudianas,
foi sobre a estrutura psíquica da mente, a qual, para ele, possuía três
partes: o id, o ego e o superego. Já para o psiquiatra suíço, a psique
se formava por meio de três partes – o consciente, o inconsciente
pessoal e o inconsciente coletivo.
Assim como afirma Érico Bruno Viana Campos, professor de
psicologia, “a principal questão é que Freud viu desde o início
Jung como um promissor discípulo, em quem investiu suas
expectativas de um continuador de sua obra e também seu
sucessor na liderança do movimento psicana- “Jung, por sua vez, considerava
lítico”. Érico ainda afirma que “Jung, por
sua vez, considerava Freud um parceiro e Freud um parceiro e interlocutor,
interlocutor, mas não se via na posição
de discípulo por não querer abrir
mas não se via na posição de
mão de sua autonomia de pen- discípulo por não querer abrir mão
samento e de autoria intelectual”.
Além desses detalhes, o rompimento
de sua autonomia de pensamento e
de ambos se deu pelas discordâncias existentes de autoria intelectual”
entre o controle do tratamento de pacientes e laços Érico Bruno Viana Campos, psicólogo
emocionais envolvendo a pessoa analisada e o analista.
Inconsciente
Divergências a respeito da sexualidade Além desses aspectos, os desencontros entre os teóricos
A temática sexualidade determinava grande parte da teoria foram percebidos por meio da principal diferença entre os
do austríaco Freud. Para ele, a maioria dos sonhos representava- estudos: a existência de um inconsciente coletivo para Jung
-se por meio de elementos que envolviam o sexo. Com esse era uma ideia totalmente rejeitada por Freud. Assim como
viés, o psicanalista passou a construir teorias como a explica a psicóloga Andrezza Ferrari, “o inconsciente coletivo
do Complexo de Édipo, a qual afirmava que numa é aquele que guarda todos os conhecimentos da humanidade
relação entre pais e filhos, o genitor que possuía o e acessamos através dos mitos, das jornadas, das histórias
mesmo sexo do seu progenitor, criava uma relação primitivas. É herança universal”.
de ciúmes, enquanto que, em relação ao outro, Com tal conceito, Jung apoiou-se na coletividade, inclusi-
havia um vínculo com vestígios libidinosos (veja ve, no tratamento de pacientes. A caracterização arquetípica
mais na página 4). realizada pelo psiquiatra auxiliou na compreensão de tipos
Jung contestava a libido sempre presente definidos durante a terapia. Já para Freud, o inconsciente
nas teorias freudianas. Segundo Érico, Jung estava associado a imagens provindas de traumas vivencia-
“advoga uma noção mais ampla do termo, que dos pelo indivíduo ou por um fundo de desejos reprimidos,
contemple as diversas aspirações humanas, in- considerados eticamente invioláveis.
cluindo suas dimensões estéticas e espirituais”.
Além do aspecto sexual percebido no
comportamento da criança, a teoria jun- NEUROCIÊNCIA: UM CHOQUE COM
giana contestava o conteúdo dos sonhos A TEORIA FREUDIANA?
analisados por Freud. Segundo a teoria A lógica empregada por Freud durante o século 20
do primeiro, a análise dos elementos permaneceu sem contestações por muitos anos. Porém,
oníricos deveria ser feita de maneira a tecnologia avançou e o desejo de saber como as
conjunta (corrente conhecida como interpretações cerebrais eram permitidas fisicamente
método interpretativo sintético) e surgiu em combate às teorias freudianas. Assim como
não individual, assim como é feito afirma Érico, “no auge do movimento na década de 1990,
pela corrente freudiana (método de- houve a renovação da crítica sobre os fundamentos
nominado interpretativo analítico). metodológicos e epistemológicos da psicanálise, que não
se baseia em parâmetros experimentais e quantitativos.”
Para Freud, a memória era constituída por caracteres
provindos do inconsciente, porém, para a neurociência,
os aportes para a construção dessa estrutura mental
viriam com o sistema físico constituído por neurônios
Imagens: Eugênio Tonon/Colaborador

e sinapses. Segundo Érico, “as críticas específicas da


neurociência vieram nesse ponto, mostrando que os
sonhos seriam também processos de categorização e
consolidação da lembrança e que a própria memória é um
processo dinâmico de atualização constante de circuitos
neuronais”.

CONSULTORIAS Andrezza Ferrari, terapeuta vibracional; Érico Bruno Viana


Campos, professor do curso de psicologia da Universidade Paulista Júlio de
Mesquita Filho (UNESP).
Uma luz no fim
da mente
A formação do inconsciente
foi um dos pontos de
divergência entre Freud e
Jung. Entenda seus diferentes
conceitos e desvende essa
estrutura da psique
TEXTO E ENTREVISTAS GIOVANE ROCHA
DESIGN DOUGLAS NORONHA/COLABORADOR

C
omo explicado na matéria anterior, o inte- (zero a nove anos) e tem a função de afastar as emoções
resse em comum por estudar os mistérios do desprazerosas da consciência. São atos ligados à moral e
inconsciente não foi o suficiente para manter à ética, que envergonham e expõem a criança a situações
uma relação saudável entre Sigmund Freud de violência”, explica a psicanalista Araceli Albino.
e Carl Jung. Se, por um lado, o rompimento Com esse conceito estabelecido, a partir do pensamento
entre os especialistas se tornou um marco negativo, por que aquilo que se encontra emergido na sua consciência
outro, suas discordâncias abriram ainda mais espaço para pode submergir para o inconsciente futuramente, Freud
discussões a respeito dessa estrutura da mente, visto que o definiu o inconsciente como algo dinâmico. E, com essa
pai da psicologia analítica acrescentou novos conceitos aos do ideia, o médico austríaco dividiu a mente, sendo constituída,
fundador da psicanálise. Ambos deixaram suas heranças para como afirma o psicólogo e mestre em psicanálise Marco
que outros entusiastas da psique perpetuassem suas teorias. Carvalho, “pelo inconsciente, pré-consciente e consciente,
Mas quais são as principais diferenças entre as perspectivas conceitos nos quais ele propõe entender como se dá a di-
de ambos em relação ao inconsciente? Descubra a seguir! nâmica e as forças do recalque para manter inconsciente
o que poderia ser aterrorizador para o sujeito”.
Origens teóricas Formada a base sobre o caminho que Freud percorreu
Em seus estudos, Sigmund Freud propõe que o inconsciente para mapear a psique, ele continua sua busca, localizando
Imagens: Shutterstock Images

é formado por três instâncias hipotéticas de personalidade, a trajetória que vai do inconsciente até o consciente “por
mais conhecidas como id, ego e superego. Mas, antes de meio da abordagem do es, ich e überich, que se traduzem
compreender melhor a divisão proposta pelo psiquiatra, é do alemão para “isso”, “eu” e “supereu”. A tradução des-
preciso entender que essa parte da mente não habitada pela ses termos permaneceu em latim, fazendo com que tais
consciência se constitui de um mecanismo psíquico defen- instâncias fossem conhecidas para nós como id, ego e
sivo chamado recalque. “Ele ocorre na primeira infância superego”, conta Carvalho. Saiba mais nos boxes ao lado.
ID: essa parte, que se encontra EGO: presente majoritariamente SUPEREGO: presente tanto
totalmente submersa no na área inconsciente, essa no inconsciente como na
inconsciente, é originária dos instância também tem uma consciência, é responsável por
nossos instintos mais inatos e ponta na consciência, ou melhor, impor os costumes pessoais, leis
está relacionada às pulsões, ou na realidade. A especialista em e normas culturais no aparelho
seja: “é um grande reservatório psicologia junguiana Andrezza psíquico, balanceando o id e
de energia livre, pura potência Ferrari explica que “o ego é a o ego ao gerar sentimentos de
que colocará em movimento as figura central da personalidade: repressão, como culpa e medo
representações do inconsciente. controla os impulsos do id, de punição.
É constituída por uma energia realizando-os quando possível
ligada a um objeto envolto por ou reprimindo-os quando não
afeto. Esta energia que move o socialmente aceito”. Essas regras
inconsciente Freud denominou de vêm de outra estrutura da mente,
libido”, elucida Andrezza Araceli. o superego.

Uma nova perspectiva PLENITUDE


O principal ponto de divergência entre os dois teóricos em A relação entre as partes inconsciente e
relação às profundezas da mente é a defesa por parte de Jung de consciente da psique levaram Jung a formular
que as definições de Freud acerca do inconsciente eram muito seu conceito de individualização. Segundo o
restritas, alegando que este seria muito mais do que apenas um pai da psicologia analítica, essa é a forma de
reservatório de experiências recalcadas. Para o psiquiatra suíço, autoconhecimento mais profunda da existência
essa porção da mente é muito mais dinâmica, sendo capaz de se da pessoa, sendo que o sentido da vida de um ser
comunicar com a consciência por meio de símbolos e histórias humano não é encontrar a felicidade, mas, sim,
universais. Ele divide o inconsciente em coletivo e pessoal, como sua individualização, promovendo o encontro
conta Andrezza. “O inconsciente coletivo é aquele que guarda entre os inconscientes pessoal e coletivo.
todos os conhecimentos da humanidade e acessamos por meio dos “Quando o homem atinge esse estado, acessa
mitos, das jornadas, das histórias primitivas – é herança univer- o centro da personalidade, realiza-se como
sal”, disserta a especialista em psicologia junguiana. Já o pessoal individualidade, torna-se seu próprio ‘si mesmo’”,
engloba todas as experiências individuais, sejam elas reprimidas, conclui Andrezza Ferrari.
esquecidas ou até mesmo ignoradas por algum motivo.

CONSULTORIAS Andrezza Ferrari, pós-graduanda no curso psicologia junguiana no Instituto Junguiano de Ensino e Pesquisa (IJEP) e terapeuta vibracional;
Araceli Albino, psicanalista e presidente do Sindicato dos Psicanalistas do Estado de São Paulo (Sinpesp) e do Núcleo de Pesquisa Psicanalistas (NPP); Marco
Carvalho, psicólogo e mestre em psicanálise pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)
Chaves de
acesso
É possível explorar as profundezas
inconscientes da mente e ter
contato com o que está escondido
lá. Saiba como isso acontece e
quais são as opiniões de Freud e
Jung sobre essa possibilidade
TEXTO GIOVANE ROCHA
DESIGN JOSEMARA NASCIMENTO

N
as matérias anteriores, foi pos- pessoa. Sendo os sonhos derivados do sono, podemos
sível ter uma melhor noção da identificar outra referência mitológica, visto que, na
complexidade que envolve o história, Hipnos teve um filho, Morfeu, também
nosso inconsciente. Porém, conhecido como o deus dos sonhos.
mesmo com Sigmund Freud Mas, calma, isso é só o começo. Preparado para
e Carl Jung tentando explicar os conceitos por seguir por esse caminho, seja caindo nos braços de
trás dessa misteriosa área da mente humana, é Morfeu ou elevando seu foco ao máximo?
natural que várias questões sejam formuladas.
E uma das principais dúvidas é: como acessar Na calada da noite
o inconsciente? Ao dormir, seu corpo se desliga para que você possa
Primeiro de tudo, por mais místico que pareça se recuperar das atividades realizadas durante o dia,
à primeira instância, saiba que essa é uma pos- correto? Bem, não é exatamente assim que acontece.
sibilidade real, que pode ser realizada por você Durante o sono, o cérebro fica bem acordado, o que
mesmo ou com a ajuda de um especialista que o proporciona as experiências oníricas mais estranhas
guie até a porta desse mundo submerso da sua ou, por outro lado, tão reais ao ponto de parecer não
psique. Para tanto, focamos em dois métodos mais haver distinção entre o que foi fruto de produções
relacionados com o tema – os sonhos e a hipnose. mentais. E esses momentos se tornam portas para
E ambas as opções desenvolvem seus laços diversas áreas da mente, como as memórias mais
juntamente desde a Grécia Antiga e sua mito- recentes, que fazem você reviver seu dia durante
logia. Mesmo que o termo hipnotismo tenha o sono com outra interpretação. Contudo, mais
sido cunhado séculos depois por James Braid, o
médico escocês escolheu o nome em homenagem
ao deus grego Hipnos, conhecido por ser o deus
do sono, sendo esse o significado literal do nome
em grego. Porém, atualmente, é de conhecimento
geral que a ligação entre o transe hipnótico e o
sono é errônea, uma vez que, na verdade, a técnica
tem a ver com a capacidade de foco profundo da
entradas são abertas durante esse profissional, segundo a psicanalista
período, proporcionando acesso ao Araceli Albino, “pode entender o
local mais obscuro da mente, onde que as representações que aparecem
traumas, medos e desejos mais pro- no sonho têm a ver com a vida da
fundos residem. pessoa e com os sintomas que causam
Por isso, não é por nada que os sofrimento”.
sonhos despertam a curiosidade de O psicólogo e mestre em psicaná-
estudiosos desde a Antiguidade, lise Marco Carvalho ainda explica
chegando, consequentemente, aos que, em A Interpretação dos Sonhos,
olhos dos dois expoentes da mente o pai da psicanálise destaca dois
inconsciente: Freud e Jung. objetivos principais dos sonhos para
o ser humano: “além de preservar o
Segundo Freud tempo do sono para que, biologica-
As imagens fantasiosas formadas mente, possamos fazer a renovação
pela mente no período de descanso química necessária para repormos
chamaram a atenção do psiquiatra as energias para o dia seguinte, o
austríaco, tanto que ele dedicou uma sonho é algo muito valioso para o
obra inteira ao assunto. Em sua pu- campo da psicanálise, pois nos leva OUTRA ENTRADA
blicação A Interpretação dos Sonhos, de para algo além da biologia – é a Apesar de os sonhos
1900, o pai da psicanálise dissertou realização dos desejos”. e a hipnose serem
que os sonhos eram uma alternativa os meios mais
eficiente para desvendar a mente Jung também explica relacionados com o
inconsciente. Basicamente, Freud Em contraponto, o criador da inconsciente, existem
estudava as experiências oníricas psicologia analítica, Carl Jung, en- outras formas de
por meio do relato e a interpretação xerga os sonhos como um processo adentrar nesse
delas. Para tanto, leva em conta dois natural, e não como a realização de mistério que “habita”
conceitos: o de conteúdo manifesto desejos inconscientes como Freud. as profundezas da
e o conteúdo latente. “Para ele, é uma reação inconscien- mente. Por induzir
O primeiro conceito faz referência te frente a uma situação de nível a um relaxamento
à parte dos sonhos que as pessoas são consciente, fruto do conflito entre profundo e fazer
capazes de recordar e, em seguida, o consciente e inconsciente, cujo com que o praticante
descrever verbalmente, ou seja, falar objetivo é a modificação de uma aumente seu foco,
o que aconteceu na fantasia, por atitude”, pontua Araceli. Ou seja, a meditação é
exemplo, se estava respirando em os sonhos seriam uma forma de um caminho para
embaixo d’água, voando, etc – esse completar a visão que o ego tem da os elementos
relato seria um meio de censura re- realidade, compensando alguma subconscientes,
alizada pelo superego, uma vez que situação distorcida. “A interpretação além de promover o
não mostraria o real significado do dos sonhos, para Freud, só poderia autoconhecimento,
sonho. Já o segundo tipo, o latente, se referir ao que o sujeito que sonha uma vez que leva se a
diz respeito ao que a ação sonhada vivenciou. Para Jung, essa compreen- ter uma maior noção
significa para a pessoa inconscien- são pode ser feita levando em conta da própria essência,
temente, sendo essa parte analisada algo que não está, necessariamente, acessando, assim,
pelo psicanalista ao desvendar o id, restrito às experiências do sonhador”, emoções e lembranças
reservatório psíquico das pulsões. O complementa. antes inalcançáveis.

“O psicanalista pode entender o que as


representações que aparecem no sonho têm a
ver com a vida da pessoa e com os sintomas
que causam sofrimento”
Araceli Albino, psicanalista
Hipnose
Acompanhada do preconceito de ser apenas
um elemento característico do charlatanismo,
a hipnose foi difundida como meio de entre-
tenimento. Porém, a técnica vem ganhando
mais notoriedade no tratamento de distúrbios
mentais, como depressão, traumas e ansiedade,
e outros quadros, como gagueira e até sobre-
peso. “A técnica hipnótica, se bem empregada,
pode levar à meditação, que acalma o cérebro e
produz a ocitocina, neuromodulador que corta
a noradrenalina e o cortisol, neurotransmissores
que geralmente agitam os ansiosos”, indica a
psiquiatra e hipnoterapeuta Sofia Bauer.
Mas não é de hoje que a terapia se destaca,
como explica a hipnoterapeuta clínica Lissandra
Cristine Bassi: “em 1500 a.C. no Egito antigo,
conforme escrito no Papiro Ebers (em exibição
na biblioteca da Universidade de Leipzig, na Ale-
manha), já se praticava a hipnose com finalidade
de tratamento – naquela época chamava-se de
cura. Ou seja, a hipnose é a mais antiga forma de
tratamento e de acesso ao inconsciente”.
Então, se interpretar seus sonhos para entrar
no inconsciente não é algo plausível para você,
saiba que a hipnose é outra maneira de acessar
esse mundo.

Mas o que acontece?


A hipnose pode ocorrer tanto de forma es-
pontânea ou por meio da indução com ou sem a
ajuda de um profissional especializado. “Ocorre
quando, de forma consciente ou inconsciente, o
ser humano foca/concentra em em um determi-
nado tema com uma intensidade que o abstrai
das demais”, esclarece Lissandra. Um exemplo
de um transe hipnótico involuntário é quando da sua imaginação. Para isso, Sofia explica que
se está com a chave de casa nas mãos, mas está basta pedir ao paciente ter uma percepção maior
tão concentrado, por exemplo, em algum com- da emoção que estava guardando, ou seja, senti-la
promisso, que fica procurando o objeto por todo mais. “Através das sensações que esta produz no
canto, mesmo em posse dele o tempo todo. corpo, ele pode entrar em um estado de consci-
A hipnoterapia, assim como outras práticas, ência mais profundo e buscar memórias difíceis,
atua diretamente no cérebro. Segundo a hip- lembranças antigas e dissolver traumas passados”,
noterapeuta Sofia Bauer, a técnica “rebaixa a elucida a especialista.
velocidade das ondas cerebrais quando o órgão
está em estado de vigília, colocando-o em um
ritmo mais lento, o que nos faz ficar mais focados
internamente e prestar mais atenção ao nosso
“Toda hipnose, na
mundo interno – pensamentos, sentimentos e verdade, é auto-hipnose,
sensações”.
Dessa maneira, a pessoa que passa por um
pois só ocorre de forma
transe hipnótico é capaz de entrar em um estado consensual e amigável”
no qual pode relaxar e até criar situações derivadas Lissandra Cristine Bassi, hipnoterapeuta clínica
SONHOS PERTURBADORES
Opiniões de especialistas Para Freud, além de os sonhos
Mas o que Freud e Jung acham quando representarem os desejos
o assunto é hipnose? Bem, o criador da inconscientes de cada um,
psicanálise teve como mestre o médico também tinham aqueles que
francês Jean-Martin Charcot, profissional não compartilhavam dessa
que afirmava poder curar distúrbios mentais mesma função. “De alguma
por meio da hipnose, como a histeria, um maneira, poderíamos dizer
dos principais objetos de estudo de Freud. que as forças do recalque, as
Porém o austríaco observou falhas nas teorias quais se apresentam como as
de seu mentor, uma vez que, ao voltarem do resistências que não permitem
transe hipnótico, os sintomas dos pacientes que algum material latente
retornavam sem uma retificação subjetiva, perturbador seja revelado,
concluindo, assim, que a prática não estava falharam e uma representação
sanando os sofrimentos deles. Esse pensa- ideativa assustadora rompeu
mento o levou a criar seu próprio método – o a barreira do recalque”, conta
da associação livre. Como explica Marco o psicólogo e mestre em
Carvalho, “a cura pela fala foi logo utilizada psicanálise Marco Carvalho.
por Freud e seus seguidores e sucessores, já Ainda assim, a interpretação
que muitos dos sinais dos quais os pacientes desses sonhos estaria ligada
se queixavam deixaram de exercer tamanha aos desejos mais íntimos e
força, pois os afetos associados a eles são perturbadores da pessoa.
descarregados pelo próprio ato de falar. Entendendo os pesadelos
Quando falamos, deixamos escoar muito por meio das interpretações
dos afetos que estão arraigados às ideias”. simbólicas de Jung, pode-se
Do lado da psicologia analítica, Jung afirmar que a mente se divide
também seguiu um caminho semelhante em quatro funções psicológicas
ao do psicanalista. “Queria se haver com principais que se sobressaem
as representações simbólicas e míticas, entre si dependendo do perfil
trazidas pelo inconsciente coletivo. O uso da pessoa: pensamento/
da hipnose poderia, talvez apenas, tatear a sentimento e sensação/
obscuridade arquetípica, mas não resolvê- intuição. Como explica a
-la”, completa Carvalho. psicanalista Araceli Ribeiro,
essa predominância acarreta
Basta querer a diminuição de uma função,
Como a técnica depende do nível de tornando-a o que Jung chama
concentração e foco e cada pessoa as de- de inferior. “No caso dos
senvolve em um nível diferente, o transe sonhos que causam pesadelos,
hipnótico pode ocorrer mais ou menos ele coloca que é uma das
facilmente. Ainda assim, como afirma funções inferiores que atua. E
Imagens: Shutterstock Images

Lissandra Bassi, todas as pessoas podem como a pessoa não lida bem
ser hipnotizadas, desde que realmente com este aspecto, assusta-se e
queiram que isso aconteça. “Toda hipnose, sente medo, que é vivenciado
na verdade, é auto-hipnose, pois só ocorre como pesadelo”, finaliza a
de forma consensual e amigável”, conclui especialista.
a profissional.

CONSULTORIA Araceli Albino, psicanalista e presidente do Sindicato dos Psicanalistas do


Estado de São Paulo (Sinpesp) e do Núcleo de Pesquisa Psicanalistas (NPP); Lissandra Cristine
Bassi, hipnoterapeuta clínica; Marco Carvalho, psicólogo e mestre em psicanálise pela
Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ); Sofia Bauer, psiquiatra, hipnoterapeuta e
autora em parceria com o psicólogo Gastão Ribeiro dos livros Roteiros de Hipnoterapia, Para
Entender a Hipnoterapia, Manual de Hipnoterapia Ericksoniana e Manual de Hipnoterapia
Avançado e Técnicas Psicossensoriais, publicados pela Wak Editora.
Tensão à
flor da pele
Como Freud explicava a
permanente sensação de ameaça
em quadros de ansiedade?
TEXTO MARCELO RICCIARDI/COLABORADOR
DESIGN DOUGLAS NORONHA/COLABORADOR
Imagem: Shuterstock images

A
ansiedade é vista como um mal da moderni-
dade, da sociedade do século 21 que funciona
em contínua aceleração, como se já não fosse
mais capaz de sequer perceber o quanto se
tornou frenética. Sabe-se que Freud viveu
uma época em que o ritmo de vida era bem mais pacato.
Porém, mesmo naquele tempo, a ansiedade já era tormento
para alguns, por isso mesmo sendo alvo de estudos dentro
da psicanálise freudiana.
Ansiosos por natureza • Ansiedade neurótica
Segundo Freud, sentir ansiedade não é um “pri- Definida como o choque entre o ego e o id. Remete
vilégio” da vida adulta, com sua carga nada suave à infância, surgindo do conflito entre a gratificação e
de responsabilidades (e de expectativas quanto a realidade, quando as crianças são punidas por algum
a dar conta de todas elas). Na verdade, o ser impulso sexual ou agressivo. Nesse caso, o receio nem é
humano já carrega a ansiedade consigo desde o tanto dos instintos que emergem das profundezas do id,
seu primeiro evento traumático, o nascimento. mas sim das punições que surgiriam da sua realização.
Aqui, cabe o esclarecimento: traumático, nesse
contexto, é o termo usado para referir-se a um • Ansiedade moral
acontecimento que estimule profundamente Representada pelo embate entre o id e o superego.
os sentidos – obviamente, Freud não afirmou Ocorre quando se manifesta algum desejo do id que
que nascer seja um problema. esteja em desacordo com o código moral do indivíduo.
Além da mãe, o filho também é profunda- Ocorre, então, uma resposta do superego, na forma de
mente impactado pela experiência do parto culpa ou vergonha. Sendo assim, o nível de ansiedade
(lembrança que sobrevive apenas a nível in- moral é diretamente proporcional ao desenvolvimento
consciente). Afinal de contas, pela primeira vez, da consciência. Pode-se afirmar que pessoas com menos
o bebê deixa o conforto máximo do útero e é virtudes são menos propensas a sofrer de ansiedade moral.
lançado em um mundo onde constantemente
será desafiado a sobreviver. Para Freud, todas Equilíbrio entre razão e emoção
as ansiedades futuras serão a repetição desse E como é possível a alguém viver sob permanente
mesmo sentimento. tensão, seja por conta de problemas reais ou imaginários?
Os anos seguintes também terão seus momentos A resposta da mente nem sempre é das mais louváveis.
de desconforto. Embora a mãe forneça à criança Com frequência, ela varre a sujeira para baixo do tapete,
doses consideráveis de alimento e carinho, a proge- ou seja, esconde bem fundo os agentes causadores da
nitora não consegue lhe dar atenção ou compreender ansiedade. É o que acontece quando entram em ação os
seus anseios 100% das vezes. Quando tais desejos não mecanismos de defesa, como repressão, transferência
são prontamente atendidos, estes ficam em suspenso até o e recalque.
momento da gratificação. Não saber lidar com tais estímulos Para quem sofre de ansiedade a um nível patológico,
durante esse intervalo é, por si só, ansiedade. Com o passar saber teoricamente como ela funciona não deixa de ser
do tempo e o fortalecimento do ego, este passa a garantir válido. Por outro lado, não será o bastante. Por alguns
maior equilíbrio emocional frente a situações ameaçado- momentos, o racional precisará ser deixado de lado para
ras. Fosse esse controle infalível, em última instância, não que se busque também a paz de espírito. Nesse caso,
existiria ansiedade, segundo o inventor da psicanálise. religião, filosofia e meditação serão ótimas ferramentas!

TIPOS DE ANSIEDADE
Estudando as formas que a ansiedade se apresenta, Freud
dividiu-a em três categorias diferentes, a partir de suas NOVAS CLASSIFICAÇÕES
considerações obre id, ego e superego (saiba mais sobre as Hoje em dia, os transtornos de ansiedade são catalogados
três estruturas da psique na matéria da página 10). Confira de uma maneira diferente da concebida por Freud. A grosso
quais são elas: modo, a psicologia atual fala em Estresse Pós-Traumático,
Síndrome do Pânico, Fobias (o que inclui a fobia social),
• Ansiedade objetiva Transtorno Obsessivo-Compulsivo e Transtorno de Ansiedade
Explicada como um conflito entre o ego e a realidade Generalizada. Embora tenham a mesma raiz, são tratados
em si. Freud enxergava-a mais como medo do que ansie- de forma um pouco diferentes – inclusive, com medicação
dade propriamente dita, pois está relacionada a um objeto apropriada, se necessário. Se você considera que pode estar
conscientemente identificado, tangível no mundo real. É sofrendo de algum deles, procure um psicólogo para se
um traço relacionado à própria sobrevivência da espécie, informar melhor, ok?
já que o homem das cavernas não teria resistido à pré-
-história se não estivesse alerta quanto aos predadores e
outras ameaças para seu próprio pescoço. Entretanto, há
casos em que o medo de algo real, por uma questão de CONSULTORIAS Lucia Maria Amaral, especialista em psicanálise e psicóloga
clínica; Fabrício Ribeiro, psicanalista; Luciana Saddi, psicanalista e membro
interpretação, atinge níveis exacerbados. É o que acontece
efetivo da Sociedade Brasileira de Psicanálise; Mauro Gertner, psicanalista e ex-
quando um indivíduo recusa-se a sair de casa por temer a diretor técnico da Sociedade Brasileira de Psiquiatria; Sérgio Lima, psiquiatra e
violência urbana, por exemplo. mestre em psicóloga social.
Saiba mais
Quatro livros para você se aprofundar nas
ideias freudianas e junguianas
TEXTO AUGUSTO BIASON/COLABORADOR
DESIGN DOUGLAS NORONHA/COLABORADOR

S
igmund Freud e Carl Gustav Jung foram grandes nomes da psicologia e da psicanálise e tiveram
importante peso na História – não à toa, foram os criadores de duas teorias que se sustentam até
hoje. Porém, devido à complexidade dos conceitos formulados por eles, suas ideias nem sempre
são fáceis de serem interpretadas. Por isso, separamos algumas obras que têm como objetivo
desvendar e elucidar as teorias e a vida de Freud e Jung.

FREUD, JUNG, LACAN: SOBRE O FREUD E A PSICANÁLISE


INCONSCIENTE Autor: C. G. Jung
Autor: Luís M. Augusto Editora: Vozes
Editora: U.Porto Edições O livro é uma reunião de artigos
A obra é dividida em três grandes escritos por Jung antes do
capítulos dedicados ao aspecto principal rompimento da relação com Freud.
de cada uma das teorias. No caso de A obra mostra as principais ideias
Freud, é abordado o seu estudo sobre o do psiquiatra suíço que, aliadas a
inconsciente de um ponto de vista genético outros aspectos, culminaram no
e do desenvolvimento da teoria da composição do psiquismo distanciamento entre eles.
humano, enquanto o capítulo dedicado a Jung debruça-se
sobre o inconsciente coletivo.

SUBLIMINAR
O LIVRO DE OURO DA PSICANÁLISE: O Autor: Leonard Mlodinow
PENSAMENTO DE FREUD, JUNG, MELAINE Editora: Zahar
KLEIN, LACAN, WINNICOTT E OUTROS Trabalhando de forma mais
Organizador: Manuel da Costa Pinto simples a ciência por trás
Editora: Ediouro da mente humana, o autor
A obra traça a trajetória intelectual de cada busca explicar o modo como o
um dos pensadores da teoria psicanalítica, inconsciente exerce influência nas
inaugurada por Sigmund Freud, mostrando atividades do dia a dia. A obra
como surgiram as teorias, as influências que coloca em questão o poder que essa parte da mente
cada autor impôs sobre o outro, e os diversos tipos de tratamento tem de dizer como e por que tomamos determinadas
e cura dos problemas ligados à mente. decisões ou seguimos ideologias.
Pílulas DA REDAÇÃO TEXTO GIOVANE ROCHA/COLABORADOR DESIGN VANESSA SUEISHI

As últimas pesquisas científicas e novidades sobre o cérebro

>> Novas perspectivas


Uma pesquisa publicada em novembro de 2016 por cientistas da Universidade Estadual de Ohio, nos Estados Unidos, ligou o
aparecimento de sintomas ansiosos após quadros de estresse prolongados aos glóbulos brancos armazenados no baço. Segundo
os especialistas, essas células são produzidas pelo sistema imunológico, aparentemente, também em resposta ao estresse.
O estudo, feito por meio de experiências em cobaias, mostrou que, depois de submetidos a um estresse contínuo, as células
de defesa no baço dos roedores se comunicavam com o cérebro, provocando sinais de ansiedade crônica após o episódio. A
descoberta pode indicar um novo caminho para o tratamento de distúrbios mentais, como a própria ansiedade e o estresse.

>> Cérebro pré-histórico


Vira e mexe vemos notícias de arqueólogos que acharam algum fóssil
de dinossauro em suas expedições e, às vezes, o de alguma espécie
nova. Mas de quantos cérebros de dinossauro você já ouviu falar?
Provavelmente nenhum, uma vez que as chances de algum tecido do
tipo ser conservado por milhões de anos é bastante pequena.
Contudo, contrariando as probabilidades, o explorador Jamie
Hiscocks descobriu uma amostra em
Imagens: iStock.com/Getty Images e Shutterstock.com

uma praia de Behill, cidade e balneário


inglês, em 2004. O tipo do tecido só
pôde ser confirmado como sendo
encefálico em 2016.
Os cientistas responsáveis pelos estudos acerca do
fóssil, pertencente a um “parente” da espécie herbívora Iguanodon,
acreditam na possibilidade de o dinossauro ter morrido perto de um
local com água. E, desse modo, sua cabeça acabou encoberta pelos
sedimentos, explicando o alto nível de preservação do material.
>> Olho no olho
Já notou como pode ser complicado manter o contato visual
com uma pessoa enquanto conversam? O que parece ser
apenas uma situação constrangedora para algumas pessoas.
Pode ter uma explicação envolvendo o complexo sistema
cerebral, como indicou um estudo recente realizado por
estudiosos da Universidade de Kyoto, no Japão.
A pesquisa indica que os sistemas de comunicação verbal e
não verbal podem estar muito conectados. Isso porque os
japoneses acreditam que ambos os sistemas compartilham
funções cognitivas, o que pode demandar um esforço
extra do cérebro. Desse modo, é explicada a dificuldade
de concentração em manter o “olho no olho” enquanto se
desenvolve algum raciocínio no diálogo.

>> Crianças tímidas


Existem crianças que são totalmente
extrovertidas, que conversam com todo
mundo e gostam de interagir, assim como
as que são um pouco mais reclusas, ou
seja, tímidas. E não há nada de errado, uma
vez que o comportamento da pessoa pode
mudar completamente conforme evolui.
Porém, em certos casos, como indicou
uma pesquisa publicada na revista
científica Psychological Science,
liderada pela especialista Johanna
M. Jarcho, do Departamento de
Psicologia da Universidade de Stony
Brook, nos Estados Unidos, a timidez
na infância pode influenciar na
alteração de determinadas atividades
cerebrais com o tempo. Posteriormente,
segundo o estudo, há a possibilidade
de um aumento na dificuldade em
relacionamentos interpessoais.
Exames de imagens por ressonância
magnética funcional (fMRI, na sigla em
inglês) mostraram alterações cerebrais
Imagens: Vinicius Tupinamba e Shutterstock.com

em pré-adolescentes (com 11 anos) que


apresentavam dificuldades maiores
relacionadas à timidez na infância (na
faixa etária entre 2 e 7 anos). O teste,
que envolveu interações sociais virtuais,
revelou padrões nas funções cerebrais
desses indivíduos em áreas responsáveis
por reconhecer emoções, além de prejuízos
em regiões relacionadas ao afeto.
Em estado
Recurso natural do ser
humano para enfrentar
situações de ameaça,

de alerta
a ansiedade fora de
controle provoca
várias disfunções no
cérebro. Veja como esse
alarme se torna um
transtorno
TEXTO E ENTREVISTAS GIOVANE
ROCHA/COLABORADOR
DESIGN JOSEMARA NASCIMENTO

O
mal do século”,
“alarme nat u-
ral”... Essas são
a s def i n içõe s
que costumam
aparecer para a ansiedade. Esse
sentimento está presente na vida
do ser humano justamente para
que a raça sobreviva aos perigos de
cada período, seja se protegendo
de predadores mortais como na
pré-história ou, em um contexto
mais atual, evitando ser assaltado
ou atropelado nos grandes centros
urbanos.
Definição básica mais do que ajudar, essa reação também tem a
Para compreender a definição de ansiedade e capacidade de prejudicar tanto fisiologicamente
a importância dela no cotidiano, é interessante quanto psicologicamente, evoluindo para um
imaginar como seria a vida sem esse sentimento transtorno de ansiedade generalizada (TAG), ou
— desde situações mais inocentes, como aquele outros derivados dos mesmos sintomas (síndrome
frio na barriga, que deixa um momento inédito do pânico, fobias, distúrbios compulsivos, etc).
mais especial, àquelas que despertam sua atenção “Muitas vezes, a pessoa foge sem saber do que está
para um perigo, como fugir de um cachorro com medo e, assim, entra no campo da ansiedade
bravo na rua. Ou seja, é um recurso nato do ser patológica”, destaca Alfredo.
humano que acaba impulsionando as pessoas a Se parar para observar as rotinas de pessoas
progredirem dia após dia; sem isso, elas ficam próximas à você, perceberá que esse tipo de
presas no mesmo lugar, desmotivadas. distúrbio não é chamado de “o mal do século”
As reações ansiosas, envolvendo hormônios sem motivos. “As cobranças sociais constantes
e neurotransmissores (“mensageiros dos neurô- somadas às expectativas individuais, responsa-
nios”) no cérebro e no resto do corpo, despertam bilidades e sensação de despreparo para lidar
comportamentos que já estão pré-programados com situações, além das distorções de angústias
em cada pessoa, mas que precisam desse pequeno inconscientes são alguns geradores dos quadros
empurrão para serem ativados. “É uma vivência ansiosos patológicos”, elenca o psicólogo clínico
do universo do medo direcionada ao futuro, Roberto Renzi.
com variados tons de expectativa, angústia e Por fim, é importante ressaltar a dimensão
agitação. Isso resulta em manifestações físicas, desse tipo de transtorno e não julgá-lo como
psíquicas e comportamentais variadíssimas, tais um nervosismo qualquer e passageiro, uma vez
como inquietação, uma sensação ruim de algo que pode gerar crises, as quais, gradualmente,
ruim prestes a acontecer, um aperto no peito, causam diversos prejuízos na vida do paciente.
entre outras”, define o psiquiatra e professor de “Nesses casos, os critérios diagnósticos para
psicologia Alfredo Simonetti. transtornos ansiosos podem ser preenchidos, e
o psicólogo e o médico psiquiatra deverão ser
Para o bem consultados”, alerta Thais.
Como uma parte do processo evolutivo do
ser humano (e de animais também) que ajudou Por dentro do cérebro ansioso
a garantir a conservação da espécie, a ansiedade
é uma emoção normal e ajustável de acordo com
A relação entre a ansiedade e o cérebro humano
ocorre, metaforicamente, da mesma forma que o
“A ansiedade
diversos fatores. “Ela nos ajuda a lidar com as álcool e o fogo, representados respectivamente é uma
situações difíceis, desafiadoras ou perigosas”,
afirma a mestre em psiquiatria Thais Rabanéa.
pela adrenalina (neurotransmissor que estimula
as reações do corpo ao estresse) e o organismo.
vivência do
Segundo a especialista, os reflexos da ansiedade “Essa adrenalina circulante precisa ser queimada, universo
pelo corpo (reações autonômicas, endócrinas o que causa ações diferentes em cada parte do do medo
e motoras — veja mais na página 18) auxiliam corpo: provoca tontura, boca seca, taquicardia,
na sobrevivência frente à qualquer situação dificuldade de respirar, tremores, inquietação física, direcionada
ameaçadora. Além disso, Thais ressalta que o frio na barriga, visão turva, arrepios, sensação
sentimento “atua na tarefa de fazer previsões de queda e muitas outras coisas. Como podemos
ao futuro,
de um futuro incerto e planejar as nossas ações ver, a ansiedade dá vários sinais”, explica Alfredo. com variados
de acordo com essas antecipações, contribuindo Além da adrenalina, a disfunção dos neu-
para importantes funções cognitivas, como a rotransmissores serotonina (que regula o sono
tons de
tomada de decisão”. e humor) e dopamina (proporciona sensações expectativa,
de recompensa) também é uma característica
Quando é um transtorno marcante dos quadros de ansiedade patológica.
angústia e
Por um lado, com toda a influência na sobre- Para compreender melhor como e por que agitação”
vivência do indivíduo, a ansiedade aparenta ter ocorrem as reações ansiosas, confira o infográfico
um aspecto muito positivo para o ser humano. a seguir, que mostra o funcionamento cerebral Alfredo Simonetti,
Mas, como tudo em exagero acaba por atrapalhar durante um pico de ansiedade. psicólogo
Raio-x cerebral

Basicamente, como explica a mestre em psiquiatria Thais Rabanéa, as reações ansiosas se voltam
para disfunções em uma estrutura do cérebro chamada amígdala. Esta é uma “área cujas conexões
anatômicas permitem que ela integre informações sensoriais e cognitivas e, assim, determine a
resposta do indivíduo a uma situação amedrontadora”, define a especialista.
A amígdala possui conexões recíprocas com regiões responsáveis pelo controle emocional no córtex
pré-frontal, por exemplo, como o córtex orbitofrontal e o córtex cingulado anterior. Além dessas áreas,
Thaís destaca algumas outras ligadas à amígdala e relacionadas à ansiedade:

ÁREA CINZENTA
PERIAQUEDUTAL DO
TRONCO CEREBRAL
Nessa parte do cérebro,
são reguladas as respostas
motoras em relação ao
medo – ou seja, sua reação
imediata de fuga, luta ou
congelamento em uma
situação ameaçadora.

HIPOCAMPO LOCUS COERULEUS


Essa área, grande responsável A ligação da amígdala com o locus
pela formação das memórias coerulus se relaciona às respostas
de longo prazo, se relaciona fisiológicas em decorrência do
com a ansiedade pois “pode ser medo ou estresse, como aumento
desencadeada não apenas por AMÍGDALA da frequência cardíaca, sudorese e
estímulo externo, mas, também, palpitações.
por recordações traumáticas do
indivíduo”, explica a mestre em
psiquiatria.
HIPOTÁLAMO NÚCLEO PARABRAQUIAL
Por ter a função de controlar o O vínculo entre esse núcleo e a amígdala
ciclo entre os estados de sono e é o encarregado pelas alterações na
alerta, além de sensações de sede respiração da pessoa durante um pico de
e fome e regulação de hormônios, ansiedade, geralmente, devido ao medo. Em
as conexões da amígdala com essa descontrole, esse sinal pode evoluir para
estrutura “provocam alterações casos de asma, dispneia e até a impressão
no eixo hipotalâmico-hipofisário- de estar sendo sufocado.
adrenal, logo, nos níveis de
cortisol (hormônio do estresse).
Pode causar comorbidades CONSULTORIAS
severas, como doença arterial Alfredo Simonetti, psiquiatra e professor titular de psicologia
coronária, diabete tipo dois e médica do curso de medicina do Centro Universitário São
Camilo, em São Paulo (SP); Reinaldo Renzi, psicólogo clínico;
acidente vascular cerebral”, indica Thais Rabanéa de Souza, mestre em psiquiatria, psicologia
a especialista. médica e especialista em neuropsicologia.
Dia a dia
acelerado
Com uma mente
inquieta, a
ansiedade prejudica
as atividades do
cotidiano – mais do
que até um ansioso
pode imaginar!
TEXTO RICARDO PICCINATO ENTREVISTAS NATÁLIA
NEGRETTI DESIGN JOSEMARA NASCIMENTO

O
i, preciso falar com você”, diz sua amiga, com uma cara
um tanto séria. A maioria das pessoas ficaria curiosa em
saber o que ela quer falar – e só isso. Porém, para uma
pessoa ansiosa, já é o suficiente para inundar a mente com
uma série de pensamentos do tipo: “Será que eu tenho
bafo?”, “Meu namorado está me traindo?”, “Eu disse besteira demais na
festa ontem?” ou até mesmo “Quem morreu?”.
“Ansiedade é o excesso de futuro”, resume Marcelo Santiago, coach
de alta performance e palestrante motivacional. Marcelo lembra de um
estudo feito pelo Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo que
constatou que 95% do sofrimento humano é causado pelo pensamento e
pela imaginação. “As pessoas ficam presas ao passado e não conseguem
se desligar do ‘problema’ ou de um fato que já aconteceu ou então estão
preocupadas demais com o futuro (‘pré-ocupar’ significa ocupar-se antes).
Às vezes, aquele filmezinho só acontece na mente e nem chega de fato a
acontecer. Isso acaba gerando medo, estresse e ansiedade”, explica o coach.
OFERECENDO (Sempre) correndo atrás “Vem comigo no hospital?”
AJUDA Na era da informação, o acesso a tecnologias O organismo e a mente também dão sinais
“Por que meu amigo não possibilitou cumprir tarefas de uma forma mais do transtorno em meio a tarefas do dia a
quer mais sair com a gente? rápida e eficiente. Com essa facilidade, muita dia. Essa irritação toda decorre do fato de a
Por que anda tão irritado gente acha que pode fazer tudo “rapidinho” e pessoa não conseguir se concentrar e manter
sem motivo ultimamente? assumir outras responsabilidades, antes mesmo o foco em suas atividades. “Alguém que sofre
Por que não consegue de finalizar outras que tinha assumido anterior- de ansiedade tem prejuízos importantes na
mais entregar seus mente. É aí que mora o perigo: “A ansiedade vida funcional, seja porque não consegue se
relatórios em dia? Quando é um transtorno que faz a pessoa sentir total concentrar para executar uma tarefa, dorme
se consegue visualizar o sensação de impotência em relação ao seu tempo mal e vive cansado no dia seguinte ou se
que a pessoa sente e se e como administrar seus afazeres”, define Dió- irrita facilmente com pessoas e situações, o
colocar no lugar dela, genes Gomes, coach de transformação pessoal impedindo de concluir, muitas vezes, suas
fica mais fácil identificar e especialista em programação neurolinguística. funções no trabalho ou estudar direito”,
que está precisando de “Esse acúmulo de funções faz o indivíduo perder diz Fernanda.
ajuda”, reflete Fernanda o senso de prioridade. Às vezes, na pressa, ela A ansiedade pode causar também ou-
Ramallo, psiquiatra. No compromete também a qualidade da execução”, tros tipos de sintomas que preocupam o
momento em que ela não salienta o coach. paciente, como taquicardia, palpitações,
consegue se concentrar É comum o ansioso ter a impressão de que não sudorese excessiva, picos na pressão arterial
em determinado assunto está no momento certo ou na hora certa. Com e aperto no peito. É por isso que ele logo
profissional, pessoal ou isso, vem uma sensação de perda, de falta, como procura o pronto-socorro ou emergências
sentimental, é sinal de que se o presente não importasse mais, e o futuro, pensando que está sofrendo de algum
a rotina está sendo afetada que está sempre para chegar, não chega. “Isso ataque no coração. “O prejuízo no dia a
e está na hora de buscar frustra; faz a pessoa achar que não é capaz ou dia se estende aos familiares, que acabam
uma ajuda especializada, boa o bastante”, explica Diógenes. indo ao pronto-socorro junto do paciente,
como uma terapia. “Muita preocupados com a possibilidade de um
gente pensa que pode se Vício em celular infarto ou outra doença grave em curso”,
curar sozinha. Porém, uma Não é apenas em momentos de trabalho que indica a psiquiatra.
conversa sincera com um podemos reconhecer um ansioso. Por exemplo, Os ansiosos ainda procuram médicos
amigo pode ser um bom em um restaurante ou em casa, ele fica olhando de várias especialidades em busca de uma
começo”, indica Marcelo o celular ou computador, visitando redes sociais, justificativa para seus sintomas físicos.
Santiago, coach de alta vendo fotos e vídeos de gente que pouco conhece “Visitas a emergências e cardiologistas são
performance. ou trocando mensagens com outras pessoas. “A bastante comuns. Por pensarem que estão
Além disso, pessoas impressão é que o aqui e agora ou mesmo quem sofrendo de algum mal cardíaco e com medo
próximas e a família está ao lado é menos importante no momento. da gravidade, acabam solicitando sempre o
podem colaborar ao Esse comportamento pode gerar muito desgaste acompanhamento de alguém nas consultas”,
promover mais encontros no convívio com as pessoas mais próximas”, explica Fernanda.
físicos, como festas e complementa Diógenes.
almoços. Diógenes Gomes, Também pode ser aquele tipo que estoura
coach de transformação devido a situações pouco estressantes. Devido a “Pessoas ansiosas
pessoal e especialista uma irritabilidade excessiva, costuma responder
em programação mal e brigar com quem está ao seu redor por têm um ‘estopim’
motivos bobos. “Essas pessoas têm um ‘estopim’
neurolinguística, indica
propor jogos e brincadeiras curto, vivem com os nervos à flor da pele, estão
curto, vivem com os
como “vamos conversar e geralmente irritadas e têm dificuldade para nervos à flor da pele,
Imagens: Shutterstock e iStock.com/Getty Images

relaxar”, exemplifica Marcelo.


todos guardam o celular
por duas horas”, trazendo Por conta desse comportamento, parentes,
estão geralmente
o diálogo e o convívio amigos e colegas de trabalho podem ficar chate- irritadas e têm
ados e se afastar. “Isso afeta bastante as relações
para o mundo físico. “Isso
faz o individuo lembrar o interpessoais. Como o paciente sente-se mal em
dificuldade para
quanto isso é importante; diversos locais, acaba se isolando em casa, paran- relaxar”
o presente é o momento do de sair para se divertir com o companheiro
Marcelo Santiago, coach de
de viver aquele instante”, ou companheira e colegas”, ressalta Fernanda
alta performance
finaliza Diógenes. Ramallo, psiquiatra.
COMO PENSA UM ANSIOSO
A seguir, separamos algumas situações que exemplificam como funciona a mente de quem possui o transtorno. São
comparações de momentos do cotidiano que envolvem pessoas comuns por um lado e ansiosos de outro. As frases possuem
um toque de humor, mas é sempre bom lembrar que o distúrbio de ansiedade é algo sério e que precisa de tratamento.

Quando o chefe chama


Na hora de dormir para conversar

“Beleza, chefia. Diga lá!”

“Hora do descanso! ZZZ ...”

“Nossa, mais um dia ruim”


“Não devia ter batido boca
com meu amigo”

“O que foi que eu fiz?”


“Outra noite sem dormir
direito, afe!”

“Quando isso vai ter fim?”

“É hoje que vou ser demitido”

“Não posso perder


Quando alguém meu emprego”
demora para responder
a uma mensagem

“Puxa, ele não viu a Deu uma dor no peito


mensagem ainda...”

“Que dorzinha chata, rapaz”


“Não respondeu por quê?”

“Será que está


bravo comigo?”

“Vou mandar outra mensagem”

“Ou é melhor esperar?”


“Já vi isso no Google”

“Ai, meu Deus, é infarto!”

“Gente, me leva para


o hospital”

“Chama a
CONSULTORIAS Diógenes Gomes, coach de transformação pessoal e especialista ambulância AGORA”
em programação neurolinguística com formação em neurossemântica; Fernanda
Ramallo, psiquiatra do Hospital Adventista Silvestre; Marcelo Santiago, coach de alta
performance formado pela ABRACOACHING (Associação Brasileira de Coaching),
especialista em programação neurolinguística e palestrante motivacional.
Teste o seu
nível de
ansiedade Responda as perguntas com
sinceridade e identifique os sinais para
verificar a gravidade da sua ansiedade
TEXTO ÉRIKA ALFARO/COLABORADORA
ENTREVISTAS NATÁLIA NEGRETTI
DESIGN JOSEMARA NASCIMENTO

N
os dias de hoje, muitas pessoas se consideram ansiosas.
No entanto, existem comportamentos característicos de
seres humanos em momentos de ansiedade e outros que
configuram sintomas do transtorno de ansiedade gene-
ralizada (TAG). Para diferenciar esses casos, o psiquiatra
americano Aaron Beck desenvolveu um teste que auxilia as pessoas a
reconhecerem os sinais que possuem e observarem qual a gravidade deles.
O método é conhecido como Escala de Ansiedade de Beck ou Inventário
de Ansiedade de Beck (BAI - sigla em inglês). De acordo com a psicóloga
clínica Angélica Mafra, a confiabilidade depende exclusivamente da ho-
nestidade da pessoa ao responder cada questão.
Dessa forma, após atribuir números à intensidade dos sintomas, a soma
gera uma indicação do estado emocional. Mas, atenção: o resultado do
teste não substitui o diagnóstico de profissionais especializados, como os
da área da psicologia ou psiquiatria.

Acompanhamento profissional
A Escala de Ansiedade de Beck consiste em uma ferramenta, por isso,
os especialistas utilizam outros meios para chegar a um diagnóstico sobre
o nível de ansiedade de uma pessoa. O diálogo é a principal
maneira, uma vez que perguntas sobre os sintomas, a
rotina e o momento pelo qual o indivíduo está pas-
sando na vida pessoal e profissional são aspectos
importantes a serem explorados.
Além disso, exames físicos podem ser
requeridos para investigar reações do or-
ganismo e até mesmo verificar se existe
algum tipo de condição médica capaz de
gerar o quadro descrito pelo paciente.
TESTE
Assinale a opção que melhor se encaixa na frequência e intensidade com as quais você enfrenta os sintomas abaixo.

Dormência ou Aterrorizado Medo de morrer Depois de responder todas as


formigamento em Nunca ( ) Nunca ( ) questões, some as respostas
algumas partes do Leve ( ) Leve ( ) com os valores correspondentes
corpo Médio ( ) Médio ( ) a cada uma das opções para
Nunca ( ) Intenso ( ) Intenso ( ) verificar o resultado:
Leve ( ) Nunca = 0
Médio ( ) Nervoso Assustado Leve = 1
Intenso ( ) Nunca ( ) Nunca ( ) Médio = 2
Leve ( ) Leve ( ) Intenso = 3
Sensação de calor Médio ( ) Médio ( )
Nunca ( ) Intenso ( ) Intenso ( ) DE 0 A 7
Leve ( ) Não há nada para se
Médio ( ) Sensação de Sensação de desmaio preocupar! No máximo, você
Intenso ( ) sufocamento Nunca ( ) fica ansioso(a) em alguns
Nunca ( ) Leve ( ) momentos esporádicos, que são
Tremores nas pernas Leve ( ) Médio ( ) completamente naturais para o
Nunca ( ) Médio ( ) Intenso ( ) organismo.
Leve ( ) Intenso ( )
Médio ( ) Calor no rosto DE 8 A 15
Intenso ( ) Tremores nas mãos Nunca ( ) Pode haver alguns pequenos
Nunca ( ) Leve ( ) indícios de ansiedade, mas
Dificuldade em relaxar Leve ( ) Médio ( ) nada muito grave. Por isso, é
Nunca ( ) Médio ( ) Intenso ( ) importante manter a atenção e
Leve ( ) Intenso ( ) tentar controlar essas situações
Médio ( ) Suor (não devido ao que o deixam ansioso.
Intenso ( ) Trêmulo como um calor)
todo Nunca ( ) DE 16 A 25
Medo de que aconteça Nunca ( ) Leve ( ) Sinal de alerta ligado. Observe
o pior Leve ( ) Médio ( ) se as crises de ansiedade estão
Nunca ( ) Médio ( ) Intenso ( ) interferindo diretamente nas
Leve ( ) Intenso ( ) atividades diárias e se isso tem
Médio ( ) Palpitações ou atrapalhado seu rendimento e as
Intenso ( ) Medo de perder o coração acelerado relações interpessoais. Para evitar
controle Nunca ( ) que piore, psicoterapias podem
Atordoado ou tonto Nunca ( ) Leve ( ) ajudar.
Nunca ( ) Leve ( ) Médio ( )
Leve ( ) Médio ( ) Intenso ( ) DE 26 A 63
Médio ( ) Intenso ( ) Procure um psicólogo ou
Intenso ( ) Indigestão ou psiquiatra o quanto antes para
Dificuldade para desconforto no uma avaliação profissional.
Sem equilíbrio respirar abdômen Com o diagnóstico, será
Imagens: Shutterstock Images

Nunca ( ) Nunca ( ) Nunca ( ) possível entender por que essas


Leve ( ) Leve ( ) Leve ( ) ocorrências têm acontecido
Médio ( ) Médio ( ) Médio ( ) em um curto espaço de tempo.
Intenso ( ) Intenso ( ) Intenso ( ) Assim, você poderá se livrar dessa
adversidade e ter uma vida mais
tranquila.
CONSULTORIA Angélica Mafra, especialista em psicologia clínica.
FONTE Teste baseado no Inventário de Ansiedade de Beck (BAI - sigla em inglês).
Dietas
descontroladas
Os transtornos alimentares
estão diretamente relacionados
com a ansiedade; veja como
ocorre essa ligação e os
diferentes tipos do distúrbio
TEXTO E ENTREVISTAS GIOVANE ROCHA/COLABORADOR
DESIGN JOSEMARA NASCIMENTO

N
o senso comum, o principal sinal
da ansiedade é comer demais
quando se está nervoso. Segundo o
psicólogo clínico Reinaldo Renzi,
“a sensação de enganar o tempo
é um processo ansioso que muitas vezes dispara o
gatilho alimentar, o que faz a pessoa comer muito,
rápido e sem perceber. Por esse motivo, na maioria
dos casos de ansiedade crônica, ocorre aumento
de peso”.
Então, a pergunta que fica é: a ansiedade engorda?
A resposta é sim, mas não somente. Isso porque
existem alguns tipos de distúrbios alimentares que se
relacionam aos sintomas ansiosos, mas apresentam
diagnósticos diferenciados.
Relação com a ansiedade podem levar a um quadro de distúrbio
A partir do momento que a ansie- alimentar. Além disso, “muitas vezes,
dade se torna patológica — fugindo os fatores emocionais são considerados
da sua posição natural como uma importantes gatilhos na manifestação
reação ao medo ou um sentimento desses quadros clínicos”, explica Vânia.
que impulsiona o ser humano no Outra questão a ser levantada em
dia a dia —, ela pode se relacionar relação aos pretextos para esses casos
com diversas funções básicas, seja é a supervalorização do corpo, ainda
no comportamento, nas emoções ou, muito presente na sociedade. O culto
no caso dos transtornos alimentares, ao padrão da silhueta magra, principal-
na nutrição. mente por pessoas que estão na mídia,
Quando uma pessoa apresenta seja em novelas ou comerciais, pode
dificuldades em administrar sua ansie- levar seguidores que não atendem aos
dade, uma sensação de desprazer toma padrões a hábitos alimentares extre-
conta dela por conta da influência no mamente nocivos à saúde. Por isso,
corpo (saiba mais na página 18). Desse como orienta Patrícia, “seja a melhor
modo, ela procura meios de escape versão de você - não se compare com
para aliviar o desconforto, podendo ninguém, pois cada ser humano é
encontrá-los na alimentação. único em suas qualidades e defeitos.
Como aponta a psicóloga clínica Se espelhar em alguém é diferente de
Vânica Calazans, “em nossa cultura, querer ser igual”.
a comida está associada ao prazer
e bem-estar e, por muitas vezes, os As consequências
alimentos são utilizados para se obter Comer demais ou de menos pode
uma sensação imediata de satisfação”. parecer uma questão inocente que se
Por isso, é comum ouvir pessoas rela- resolve com qualquer dieta. Porém, se
tando que comem por ansiedade “mas, não tratada com a devida seriedade, há
na realidade, elas comem na tentativa o risco de vários prejuízos, tanto em
de aliviar o desconforto gerado pelo relação à saúde corporal quanto mental,
estado ansioso”, conclui a profissional. como assinala a nutricionista Patrícia
Bertoni. “O quadro pode desencadear
Por trás dos distúrbios depressão, isolamento social, crises
Para apontar um elemento desenca- de ansiedade, desnutrição, carências
deador de um transtorno alimentar, é nutricionais, problemas gástricos, des-
preciso, primeiramente, procurar um maios, entre outros. Muitos condições
profissional especializado (psiquiatra vão precisar de internação hospitalar
ou psicólogo) para que o diagnóstico para tratamento imediato de distúrbios
seja feito com base em uma análi- hidroeletrolíticos causado pelo excesso
se completa sobre o paciente. “São de vômitos, diarreias ou excesso de
múltiplos os fatores que causam esse jejum, podendo levar o indivíduo a
tipo de transtorno. Eles vão desde óbito”, alerta a nutricionista.
predisposições genéticas, passando
por vulnerabilidades biológicas, como Diferentes diagnósticos
tendência a obesidade, fragilidade Segundo a quinta edição do Manual
psicológica, baixa autoestima, traços Diagnóstico e Estatístico de Transtornos
obsessivos e perfeccionistas ou ins- Mentais (DSM-5, na sigla em inglês),
tabilidade afetiva e impulsividade”, são especificados critérios diagnósticos
pontua a psicóloga Juliana Guimarães. para algumas categorias de distúrbios
A especialista aponta que doenças alimentares: compulsão alimentar,
de caráter psiquiátrico, como o desen- bulimia nervosa, anorexia nervosa,
volvimento da depressão e o próprio transtorno de ruminação, transtorno
transtorno de ansiedade, também alimentar restritivo/evitativo e pica.
CÉREBRO No entanto, além destes, especialistas apontam outros
SATISFEITO tipos considerados mais “modernos”, como a orto-
Já parou para pensar rexia e a vigorexia. Confira abaixo as características
como seu corpo sabe de cada um desses quadros:
que você não precisa
comer mais, mesmo Compulsão alimentar: esse transtorno é definido
que aquela sobremesa pela ingestão de quantidades exageradas de alimentos
de dar água na boca em pouco tempo. “As pessoas que se enquadram
passe bem diante nesse caso relatam uma sensação de descontrole tanto
dos seus olhos? Pois sobre o que comem como em relação à quantidade.
é, culpe seu cérebro. Mas, diferentemente da bulimia, não apresentam
É o que indica uma comportamento purgativo”, distingue Vânia Calazan.
pesquisa liderada
por especialistas da Bulimia nervosa: após um episódio de compulsão
Universidade Johns alimentar, o paciente busca eliminar as calorias con-
Hopkins, em Baltimore, sumidas. “Ele tem medo de ganhar peso, porém não
nos Estados Unidos. deixa de comer e/ou come compulsivamente. Mas,
O estudo, realizado em logo depois, força o vômito, faz o uso de laxantes
roedores, revelou que e/ou diuréticos ou até pratica exercícios físicos em
a enzima OGT é grande excesso”, explica a nutricionista Lorena Martins.
responsável pela
sensação de saciedade. Anorexia nervosa: nesse cenário, a pessoa,
Na experiência, intencionalmente, fica sem comer, promovendo
os pesquisadores uma rigorosa restrição alimentar. “Ela sempre está
eliminaram a preocupada com seu ganho de peso, causando uma
substância em uma severa perda do mesmo”, expõe Lorena. A bulimia
parte do hipotálamo geralmente está presente em pessoas anoréxicas.
(entre outras funções,
responsável por Transtorno de ruminação: “é mais comumente
regular a sede e a observado em bebês e refere-se a um processo de
fome) das cobaias. repetidas situações de regurgitação repetida e remas-
E, em decorrência tigação dos alimentos”, elucida a psicóloga clínica.
da ação, eles
começaram a comer Transtorno alimentar restritivo/evitativo: por
excessivamente, aversão (pela textura ou cor da comida) ou simples
apresentando um desinteresse no alimento, o paciente pode apresentar
maior ganho de peso. deficiências nutricionais. Por vezes, é indicada uma
Os especialistas suplementação na dieta do indivíduo para suprir
acreditam que essa esse déficit.
descoberta pode
ajudar em tratamentos
contra distúrbios
alimentares e seus
reflexos, como
“A sensação de enganar o tempo é um
obesidade, um processo ansioso que dispara o gatilho
problema de saúde
que, atualmente, vem alimentar, que faz a pessoa comer
crescendo bastante na muito. Por esse motivo, na maioria dos
Imagens: Shutterstock Images

sociedade.
casos de ansiedade crônica ocorre o
aumento de peso”
Reinaldo Renzi, psicólogo clínico
Pica: mais incomum entre o que podem trazer muitos benefícios
grande público do que os anteriores, na qualidade de vida dessa pessoa
esse distúrbio, como sugere Vânia, (veja mais a partir da página 28),
“caracteriza-se pelo apetite por o apoio das pessoas próximas é
substâncias não alimentares como um fator essencial na recuperação.
terra, giz, tecido, etc. Também pode “É importante que participem do
se manifestar na forma de desejo tratamento psicológico. Além disso,
excessivo por alguns ingredientes a família deve ser orientada como
de determinados alimentos, farinha, proceder com o paciente”, recomenda
raízes, etc”. Vânia Calazans.

Ortorexia: ter uma dieta rica em Cuidados na


alimentos naturais é ótimo para a alimentação
saúde, isso é fato. Porém, no caso A reeducação na dieta é uma peça
da ortorexia, a pessoa fica obcecada fundamental no tratamento para um
pela comida orgânica, que ela con- transtorno alimentar, uma vez que
sidere totalmente limpa e saudável, existem alimentos que controlam e
se preocupando constantemente em outros que estimulam a ansiedade.
ler rótulos dos produtos. O problema “Há alguns grupos que dão uma
é que, devido à alimentação muito ‘freada’ na ansiedade, são eles: água;
restrita, o indivíduo pode apresentar frutas e hortaliças – principalmente
deficiências nutricionais graves. as ricas em vitamina C; azeite de
oliva; linhaça; óleos de peixe, como
Vigorexia: mais recorrente em salmão, atum ou sardinha; nozes,
jovens, esse quadro é determina- castanhas ou amêndoas; alimentos
do por uma dieta excessivamente integrais, leite e seus derivados”,
rigorosa para o desenvolvimento aconselha Lorena.
dos músculos. Porém, a obsessão Alimentos como açúcar, gorduras
por ficar “grande” pode signifi- e café são conhecidos por provoca-
car um risco caso ocorra o uso de rem um aumento na ansiedade, por
determinadas substâncias, como isso, devem ser evitados em trans-
esteroides anabolizantes, as quais tornos alimentares intensificados
causam grande prejuízo à saúde. por esse sentimento. Porém, como
Além disso, a rotina do vigoréxico explica Patrícia Bertoni, é importante
também sofre, uma vez que seu dia a não classificá-los como proibidos,
dia passa a ser cada vez mais focado o que pode aumentar a ansiedade.
na hipertrofia muscular. “Não se culpe por sair da dieta, isso
pode acontecer em várias situações.
Como enfrentar? Você não é mais fraco por isso, só
Em um caso de transtorno ali- precisa saber trabalhar melhor o
mentar, é essencial que o paciente contato com os alimentos pouco
tenha um acompanhamento mul- saudáveis”, finaliza a nutricionista.
tidisciplinar em seu processo de
tratamento. Ou seja, o indivíduo deve
CONSULTORIAS
ser acompanhado por profissionais
Juliana Guimarães, psicóloga; Lorena
de diferentes especialidades que vão
Táboas Martins, nutricionista; Patrícia
contemplar diferentes áreas, tanto Bertoni, nutricionista; Reinaldo Renzi,
física quanto emocional, afetadas psicólogo clínico; Vânia Calazans,
pelo distúrbio. Os principais são: psicóloga clínica e hipnoterapeuta.

médico clínico, psiquiatra, psicólogo, FONTE


Manual de Diagnóstico e Estatística de
nutricionista e educador físico.
Transtornos Mentais (DSM-5), Associação
Além de terapias relacionadas Americana de Medicina; editora Artmed,
também ao tratamento da ansiedade, 2013.
Veja quais os principais
Reação além sintomas no organismo
durante uma crise

TEXTO E ENTREVISTAS NATÁLIA NEGRETTI


DESIGN KARINA ARRUDA
da mente ansiedade exacerbada é recorrente em quem sofre do transtorno. Porém, é durante as
crises que seus sintomas são potencializados. Além dos pensamentos, o corpo também
reflete o estado de alerta, gerando reações tão agudas que podem ser confundidas com
outros problemas, como um ataque cardíaco. “Os sintomas estão relacionados ao sistema Dor de cabeça
límbico cerebral, formado pela amígdala, hipotálamo e matéria cinzenta periaquedutal, A sensação de ameaça de perigo que a ansie-
que utilizam memórias de experiências passadas”, explica o psiquiatra Tito Paes de Barros Neto. dade dispara no cérebro faz o sistema nervoso
A Ainda que cada organismo reaja diferentemente, alguns sinais são mais corriqueiros. Confira! acelerar seu funcionamento. O aumento do
fluxo sanguíneo pode gerar dor de cabeça.
Além disso, é comum que as pessoas que
sofrem do transtorno apresentarem falhas na
memória e dificuldade de concentração devido
a este funcionamento desregulado da mente.

Respiração alterada
A crise de ansiedade está diretamente
ligada ao ato de respirar. “Um segmento na
linha corporal, o torácico, que faz parte do
peitoral, fica imobilizado durante a crise”,
afirma o psicólogo João Alexandre Borba. Boca seca
Nesse período, há um bloqueio no peito na Chamado de xerostomia ou de hipossalivação,
parte onde ficam os pulmões e, por isso, a o ato de ficar com a boca seca acontece porque
respiração fica desregulada e, geralmente, a ansiedade provoca alterações na liberação dos
se torna rápida e curta. A dificuldade em hormônios adrenalina, noradrenalina e acetilcoli-
respirar recebe o nome de dispneia. na. Além disso, durante a crise, com a respiração
ofegante, pode ocorrer de a pessoa respirar pela
boca, o que aumenta ainda mais a sensação.
Sudorese
Transpirar em excesso não tem
nada a ver com o clima quente, Músculos tensos
podendo ocorrer durante a crise O disparo de hormônios e a mensa-
mesmo em dias frios. Isso acontece gem do cérebro de que algum perigo
porque há uma estimulação do sis- está iminente faz com que os músculos
tema nervoso simpático, e, com isso, fiquem rígidos, como se o corpo esti-
as glândulas sudoríparas produzem vesse se preparando para um ataque.
mais suor. A transpiração pode ser Em algumas crises, a rigidez é tanta
generalizada ou concentrada em que pode provocar dores, principal-
algumas partes, como mãos e axilas. mente nos ombros e pescoço, que
costumam ficar mais tensos.

Tremores
A grande liberação de hormônios
interfere no controle do corpo. Por
isso, mãos, pés e pernas trêmulos Taquicardia
podem ser um dos sintomas. Um dos sintomas que mais as-
sustam, a taquicardia pode levar a
pessoa a acreditar que está tendo
um infarto. Porém, no caso da crise
de ansiedade, não passa de uma
resposta do coração ao metabolismo
acelerado. O sintoma também é
Paralisação muito comum em crises de pânico.
A crise pode ser tão aguda que
paralisa o indivíduo, ao ponto de
ele não ter vontade e forças para
sair de casa. Ou então, fazer tudo
no “automático”, sem ter ânimo de
se empenhar nas tarefas cotidianas.

CONSULTORIA João Alexandre Borba, psicólogo; Tito


Paes de Barros Neto, psiquiatra e docente do Programa
Ansiedade (Amban) no Instituto de Psiquiatria do
Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da

Imagens: Istock/Getty Images


Universidade de São Paulo (IPq-HCFMUSP).
Na hora da crise
Um acesso de ansiedade pode acontecer de uma hora
para outra e causar muito sofrimento em poucos
minutos. Descubra o que fazer em uma situação dessas
TEXTO E ENTREVISTAS GIOVANE ROCHA/COLABORADOR
DESIGN DOUGLAS NORONHA/COLABORADOR

M
uito se fala em como combater uma situação nova, o primeiro dia no emprego, o
os sintomas da ansiedade à resultado de um exame, o primeiro encontro ou às
longo prazo. Mas, e quando vezes, a lembrança de um momento ruim”, elenca
se trata de uma crise ansiosa? a psicóloga Ester Nascimento.
Quais ações podem ajudar a Porém, quando a ansiedade descontrolada é uma
recuperar o controle naquele exato momento? Saiba reação recorrente no organismo da pessoa, “a crise
o que ocorre e como agir quando seu corpo e sua pode se manifestar em um momento de lazer ou
mente ameaçam entrar em colapso. relaxamento, e não somente no momento de tensão
e sensação de perigo”, indica a psicóloga clínica
Dentro de um contexto Graziela Vanni
Se a pessoa possui uma predisposição, seja genética

Imagens: iStock.com/Getty Images


ou psicológica, que favoreça o desenvolvimento da No olho do furacão
ansiedade, ela corre o risco de passar por uma crise. As mãos começam a tremer e a formigar, o coração
Hoje, os gatilhos desse tipo de acesso são facilitados acelera, aquela primeira gota de suor escorre pela têm-
pelas rotinas frenéticas que colocam o “estressômetro” pora, a respiração fica pesada e sai do “modo silencioso”
de grande parte da população à toda prova. Alguns e até uma sensação real de que vai morrer toma conta
exemplos são “quando a pessoa precisa enfrentar da pessoa. Esses são os sinais mais recorrentes durante
uma crise de ansiedade, porém, dependendo de cada “Se ela tiver comorbidade com algum distúrbio de
quadro, o indivíduo pode apresentar menos ou mais personalidade, pode querer agredir a quem estiver pró-
sintomas. “Conhecer quais são as manifestações ximo. Tratando-se da ansiedade, transtorno de pânico
sintomáticas que costumam acompanhar o ataque ou alguma fobia, ela se enfraquece, não sendo uma
é um passo muito importante para que a pessoa ameaça para si ou outros a sua volta”, avalia Graziela.
consiga identificar quando a crise está começando”, A utilização de remédios por indicação de pessoas
informa a psicóloga Letícia Rapôso. próximas também pode ser um ato de desespero na
Segundo Graziela, a reação se intensifica por tentativa de amenizar o sofrimento. Ou, até mesmo,
um período médio de sete minutos. Tempo esse como aponta Letícia, “aumentar por conta própria a
relativamente rápido para quem observa, mas que dose de uma medicação que já toma, visando atenuar
perdura uma eternidade para o ansioso. os sintomas rapidamente”. Essa atitude, segundo a
“Após a crise, é bem comum, pelo desgaste cerebral psicóloga, é um grande risco, uma vez que os medi-
vivido, que a pessoa sinta por mais ou menos três dias camentos contra a ansiedade podem causar efeitos
sensações depressivas, como desânimo, tristeza, pensa- colaterais severos se não administrados de forma
mentos negativos constantes”, explica a psicóloga clínica. correta, com o acompanhamento de um profissional
especializado (saiba mais na página 26).
Em situação de desespero E no mais extremo dos casos, se a ansiedade da
Além de os sintomas da ansiedade serem capazes pessoa estiver relacionada com pensamentos suicidas,
de causar grandes prejuízos por si só, a reação da na hora do desespero, ela pode vir a se matar. Assim,
pessoa durante uma crise também pode representar é possível ter a real dimensão da importância de não
um grande risco à ela mesma. deixar que as crises evoluam a tais pontos.

“A crise pode se manifestar em um momento de lazer


ou relaxamento e não somente no momento de tensão e
sensação de perigo”
Graziela Vanni, psicóloga clínica

ASSUMINDO O CONTROLE começam a se dissipar. Por isso, a importância de familiares e


Como destaca a psicóloga Letícia Rapôso, é essencial ter amigos saberem manter a calma caso alguém próximo entre
em mente que nem toda crise pode ser interrompida, “e isso em crise.
depende de alguns fatores, como a intensidade com a qual os
traços se manifestam e o tipo de sintoma que aparece”. Caso Remédios: desde que o paciente tenha uma indicação médica,
contrário, existem algumas medidas que podem ajudar no há calmantes que são colocados embaixo da língua na
controle de um acesso de ansiedade. momento do ataque e os sinais passam em questão de minutos.
“Porém, não se recomenda que a pessoa utilize mais de três
Autoconhecimento: se o indivíduo souber o ponto em que seu por dia”, alerta Graziela. E sempre dar preferência aos métodos
corpo pode entrar em colapso, ele começa a entender o que mais naturais (saiba mais na página 28), não deixando essas
deve fazer para evitar a crise. “A pessoa fica bem antenada substâncias se tornarem a primeira opção.
quanto a essas mudanças e consegue parar a evolução desse
ciclo, porém, quando não, ela fica mais vulnerável”, ressalta a Respiração controlada: se concentrar na respiração e buscar
psicóloga clínica Graziela Vanni. deixá-la mais pausada também pode ajudar. Entretanto, “a
respiração profunda em alguns casos exatamente na hora da
Foco e conforto: essas são palavras-chave quando se trata crise não ajuda, principalmente se ela está com o sintoma de
de uma crise. Isso porque, se a pessoa tem algo, como um falta de ar. O melhor, nesse momento, é fazê-la mudar o foco”,
copo de água ou alguém que lhe passe segurança, os sintomas orienta a profissional.

CONSULTORIAS
Ester Torres Nascimento, psicóloga; Graziela Vanni, psicóloga clínica cognitiva-comportamental; Leticia Rapôso, psicóloga, mestre em psicologia clínica,
especialista em mediação de conflitos, pós-graduada em terapia de família e em terapia infanto-juvenil.
A mil por hora!
A Síndrome do Pensamento Acelerado é um
mal que acomete a sociedade moderna e causa
consequências profundas na vida das pessoas
TEXTO ÉRIKA ALFARO/COLABORADORA
ENTREVISTAS NATÁLIA NEGRETTI
DESIGN VANESSA SUEISHI

A
ntes de dormir, diálogos, Doença coletiva
informações e atitudes A Organização Mundial da Saúde (OMS)
que envolveram a roti- prevê que, até 2030, 20% da população mundial
na passam pela cabeça, desenvolverá o transtorno de depressão. No
e os compromissos do entanto, o médico, psiquiatra e psicoterapeuta
dia seguinte, até da próxima semana, Augusto Cury discorda da denominação atribu-
atormentam os pensamentos. É difí- ída ao quadro depressivo, apesar de reconhecer
cil controlar a velocidade do fluxo de quão alarmante os números são. Em seu livro
ideias e acalmar a mente. Ao acordar, Ansiedade, como enfrentar o mal do século, o escritor
é impossível se concentrar em algo ao deixa clara a conclusão dos seus estudos quando,
imaginar tudo o que está por vir. Afinal, no prefácio da obra, apresenta a ansiedade de-
com tantas coisas para fazer, pensar e corrente da Síndrome do Pensamento Acelerado
decidir, é comum que o cérebro fique como um mal talvez mais grave, todavia, menos
sobrecarregado. perceptível do que a depressão.
Você se identificou com a linha de “Pensar é bom, pensar com lucidez é ótimo,
raciocínio apresentada? Pois saiba que porém pensar demais é uma bomba contra a saúde
tal comportamento pode ultrapassar psíquica, o prazer de viver e a criatividade. Não
a normalidade e se transformar em são apenas as drogas psicotrópicas que viciam,
um distúrbio, chamado de Síndrome mas também o excesso de informação, de trabalho
do Pensamento Acelerado (SPA). De intelectual, de atividades, de preocupação, de uso
acordo com a psicóloga clínica Angélica de celular. Você vive esses excessos? Todos eles
Mafra, sofrer por antecipação é uma das levam a mente humana ao mais penetrante de todos
características mais marcantes da SPA, os vícios: o vício em pensar”, escreve Augusto.
mas os sintomas podem variar muito: E ninguém está a salvo desse risco: o distúr-
hiperatividade, insatisfação, fadiga, humor bio se manifesta em pessoas de todas as faixas
instável, dores de cabeça e musculares etárias, classes sociais e gêneros. “Geralmente,
constantes, déficit de atenção, memória o transtorno e os sintomas são comuns em
prejudicada, insônia, sinais psicossomá- psicólogos, médicos, profissionais da área de
ticos (aumento da pressão arterial, queda comunicação social e executivos, por exemplo.
de cabelo, entre outros), além de cansaço Ou seja, profissionais que devem manter o foco
físico e esgotamento mental. Dessa for- de atenção constante e lidar com uma grande
ma, se os sintomas estiverem aliados ao quantidade de estímulos, o que gera uma sensa-
pensamento anterior, fique atento e se ção de apreensão e falta de tempo para realizar
informe sobre o assunto para entendê-lo tudo o que é preciso”, explica a neuropsicóloga
melhor e buscar as melhores soluções. Priscilla Gasparini Fernandes.
POR QUE NUNCA HÁ Era da informação
TEMPO SUFICIENTE? A Síndrome do Pensamento Acelerado é fortemente associada à
Se as novas sociedade moderna, isso porque uma das principais causas para o seu
tecnologias e os desenvolvimento é a dificuldade em lidar com o excesso de informações.
avanços da medicina Dia após dia, os seres humanos são cercados por uma quantidade assus-
proporcionaram uma tadora de assuntos distintos. Assim, além da vontade natural pela busca
expectativa de vida do conhecimento, ainda existe a pressão social para fazer parte das mais
maior para os seres variadas discussões e conversas, sempre de acordo com as informações
humanos, por qual mais atualizadas.
motivo, hoje em dia, Uma pesquisa promovida pela Universidade do Sul da Califórnia, nos
nós temos a sensação Estados Unidos, publicada na revista científica Science Express, concluiu
de que estamos sem que um indivíduo é capaz de comunicar uma média de seis jornais inteiros
tempo mesmo vivendo em um dia, tudo isso por meio da troca de mensagens, diálogos
mais? A resposta e compartilhamento de dados.
está justamente Tal cenário, possibilitado pelas novas tecnologias e
na quantidade pelos meios de comunicação, gera efeitos significati-
de informações vos na mente das pessoas. A consciência de que,
disponíveis. Essa por meio de alguns cliques, há a possibilidade
questão interfere de conhecer desde fatos históricos até
até mesmo na a receita da sua comida preferida, ao
nossa percepção do
tempo pelo fato de
que imaginamos a
impossibilidade de
acessar toda a gama
de conhecimentos ao
nosso dispor.
Além disso, a
velocidade com a
qual fatos ocorrem,
são divulgados,
modificam-se e
ficam desatualizados
contribui para o
sentimento de não
estar acompanhando
o que está
acontecendo. Os
produtos consumidos
são modernos
em um dia, mas,
em pouco tempo,
tornam-se obsoletos
e sem utilidade.
Sendo assim, a
agilidade com a
qual as mudanças
ocorrem também
é responsável pela
noção de que o tempo
está passando cada
vez mais rápido.
mesmo tempo em que a televisão ligada oferece de pensar e você é
notícias internacionais, faz as pessoas serem a única pessoa que
mais ansiosas e afobadas, criando a sensação de pode monitorar o
nunca haverá tempo para assimilar a infinidade processo.
de conteúdos acessíveis. Segundo Angélica,
De acordo com Ryon Braga no artigo O Excesso ter consciência do seu
de Informação - A Neurose do Século XXI, outra próprio limite (físico e
sequela desse excesso é a dificuldade na tomada mental) é uma forma de
de decisão. “A imensa quantidade de informações se policiar. Quando há a
disponíveis para tomar como base cada vez que percepção de que essa marca
precisa decidir sobre algo faz com que o indiví- foi atingida, pense no seu próprio
duo sinta-se cada vez mais inseguro na hora de bem-estar e faça o que for melhor para
tomar decisões. Ele fica com a sensação de que você. “Desacelerar os pensamentos, diminuir
ainda poderia obter mais algumas informações o excesso de tarefas, desligar ou minimizar a
que lhe dariam mais embasamento. Além de tecnologia no cotidiano, extrair prazer em coisas
tudo, o tempo para reflexão vai ficando cada simples como ouvir uma boa música, ter contato
vez mais escasso, cedendo lugar para o tempo com a natureza, fazer exercícios físicos, ler um
gasto na absorção de mais e mais informações”, bom livro, dormir pelo menos oito horas por
escreveu Ryon. dia e antes de dormir não utilizar dispositivos
eletrônicos” são dicas da psicóloga para aplicar
Crianças e adolescentes no dia a dia.
Quem imaginou que apenas um adulto repleto Embora existam mecanismos dependentes
de preocupações se enquadra nos casos de SPA unicamente do esforço próprio para ajudar quem
está muito enganado. O atual ritmo acelerado é sofre com a SPA, a psicologia é muito indicada para
capaz de atingir as crianças e também os adoles- o tratamento. O acompanhamento profissional
centes. Augusto Cury ressalta em seu livro que, de psicólogos, neuropsicólogos, psiquiatras e
em todo o mundo, neurologistas, psiquiatras psicoterapeutas pode auxiliar o indivíduo a criar
e psicopedagogos estão fazendo diagnósticos essa nova postura diante da rotina, promover a
errados. “Ao verem um jovem desconcentrado, autorreflexão e cuidar de aspectos como estresse
irritadiço, inquieto, com baixo limiar para a e ansiedade.
frustração, diagnosticam como hiperatividade Angélica ressalta que, para as crianças, é fun-
ou transtorno de déficit de atenção, em vez de damental a participação dos pais para “colocar
SPA. Os sintomas são semelhantes, mas as causas limites no excesso de informações, evitando
e a abordagem são distintas”, afirma. que fiquem até tarde na frente do computador,
Assim, para diferenciar os dois transtornos, celulares ou tablets. Elas precisam de uma rotina
o autor explica que, na hiperatividade, há um diária que inclua, também, exercícios físicos e
fundo genético; frequentemente, um dos pais é contato com a natureza”.
hiperativo. “Além disso, a agitação e a inquietação
de uma pessoa hiperativa manifestam-se já na
primeira infância, enquanto na SPA a inquieta-
ção é construída pouco a pouco, ao longo dos
anos. Entre as causas da SPA, estão o excesso de
“Pensar é bom, pensar com CONSULTORIAS Angélica
lucidez é ótimo, porém Mafra, especialista em
Imagens: Shutterstock Images e iStock.com/Getty Images

estimulação, de brinquedos, de atividades e de psicologia clínica; Priscilla


informação”, aponta Augusto.
pensar demais é uma Gasparini Fernandes,
mestre e doutora em
Muita calma nessa hora bomba contra a saúde neuropsicologia pela
Universidade de São
Ao ler as informações sobre a síndrome você já
pensou em mil situações nas quais se encaixou?
psíquica, o prazer de viver e Paulo, especializada em
depressão, síndrome do
Pois bem, então tenha calma e saiba que existem a criatividade” pânico e suicidas.
LIVRO Ansiedade, como
meios para a melhora desse quadro. Primeiramente,
enfrentar o mal do século
são necessárias disposição e disciplina, uma vez Augusto Cury no livro Ansiedade, como – Augusto Cury, Editora
que o resultado esperado é a mudança na maneira enfrentar o mal do século Saraiva (2013).
A melhor saída?
Recomendado apenas sob prescrição médica, o uso de
medicamentos contra a ansiedade é eficaz, mas pode
trazer alguns efeitos colaterais. Entenda como essas
substâncias agem no corpo
TEXTO E ENTREVISTAS GIOVANE ROCHA/COLABORADOR
DESIGN GUILHERME LAURENTE/COLABORADOR

N
a rotina frenética em que vivemos, ficar dicamentos para determinados sintomas e apresentaram uma
doente é encarado como perda de tempo, melhora significativa. Isso, porém, não quer dizer que o que
e quando se perde tempo, o dinheiro não funcionou para seu amigo beneficiará você da mesma forma.
vem. Por isso, a utilização de remédios Remédios, principalmente quando se tratam dos que com-
pelo grande público, buscando com ime- batem a ansiedade, podem ter efeitos colaterais severos, uma
diatismo a remissão de uma doença, é cada vez mais recorrente. vez que modificam diretamente o funcionamento cerebral.
E, geralmente, isso ocorre sem uma prescrição médica, Saiba até que ponto o tratamento medicamentoso contra os
seguindo os conselhos de outras pessoas que tomaram me- traços ansiosos vale a pena.
Padrões alterados Efeitos colaterais FECHANDO AS
Como o transtorno de ansiedade pode se “Vide bula” não é uma expressão criada a toa, PORTAS DA
manifestar devido a algumas disfunções cere- uma vez que as consequências de usar um medi- ANSIEDADE
brais, os medicamentos prescritos para tratar camento ignorando um diagnóstico podem causar Uma pesquisa
distúrbios associados agem diretamente no muitos prejuízos à qualidade de vida da pessoa. publicada na revista
sistema nervoso, com a finalidade de combater Em relação à ansiedade, “os remédios psiquiá- científica Cell Reports,
os sintomas psicossomáticos. tricos têm muitos efeitos colaterais: alguns criam realizada por cientistas
Visto que os traços de ansiedade e medo se dependência, outros engordam e muitos diminuem da Universidade da
relacionam com uma pequena área do cérebro a libido. Essas substâncias são eficientes e fortes Carolina do Norte,
chamada amígdala (veja mais na página 8), é em vários sentidos”, alerta Alfredo. nos Estados Unidos,
nesse circuito que as drogas atuam, regulando mostrou um meio de
neurotransmissores (substâncias que enviam Compensa? desativar a ansiedade.
sinais de um neurônio para o outro). A psicóloga Juliana Guimarães ressalta que o Esse processo, segundo
“Quando se decide pelo tratamento farmaco- tratamento por meio de remédios deve ser ava- o estudo, se dá pela
lógico dos transtornos ansiosos, os remédios mais liado e realizado de forma muito criteriosa. No desativação de
utilizados são os antidepressivos (os inibidores da momento em que a ansiedade começa a interferir proteínas chamadas
receptação serotoninérgica). Não são empregados em áreas importantes da vida da pessoa, “como de receptores de
porque os pacientes estejam deprimidos, mas por- sono, alimentação, foco e concentração no trabalho opioides kappa (KORs,
que a química dessas drogas também tem efeito ou até mesmo dificultando o aproveitamento de em inglês). Elas
como redutora de ansiedade”, pontua o psiquiatra um processo psicoterapêutico, caso o paciente atuam na regulação
e professor de psicologia Alfredo Simonetti. A esteja em terapia, com certeza é o caso de fazer do neurotransmissor
atuação dos antidepressivos se dá por meio da um encaminhamento para uma avaliação com um glutamato (liberado
regulação de neurotransmissores que influenciam psiquiatra para possível introdução de medicação pela amígdala), um
em uma reação ansiosa (serotonina, adrenalina e específica”, destaca a profissional. dos responsáveis por
dopamina). “Esta ação química se traduz, do ponto Entretanto, pelo fato de a ansiedade poder controlar a ansiedade
de vista clínico, em uma vivência de tranquilidade se tornar uma sensação crônica na vida do ser no cérebro.
que, em alguns casos, chega até mesmo na ataraxia humano, fazer o uso constante de substâncias A descoberta, que
(ausência de ansiedade)”, explica. para cortar esse sentimento ao menor sinal de ainda apresenta
Outra composição mais utilizada no trata- sua manifestação pode anular os benefícios que alguns pontos incertos
mento de distúrbios ansiosos avançados são os ele traz se controlado (saiba mais na página 6). para os pesquisadores,
benzodiazepínicos que. Como explica a mestre Mesmo as drogas apresentando resultados mais gera expectativas
em psiquiatria Thais Rabanéa, “eles agem esti- rápidos, recorrer a algumas terapias alternativas para a sintetização de
mulando as ações do ácido gama-aminobutírico para deixar os sintomas ansiosos administrados uma nova medicação
(GABA), principal neurotransmissor inibitório é uma opção interessante, sem efeitos colaterais, contra distúrbios
do cérebro, que tem como principal objetivo o mas que exige um pouco mais de paciência do ansiosos.
alívio dos sintomas de ansiedade e medo”. Uma paciente para sentir os benefícios.
terceira opção é a utilização de ansiolíticos,
substâncias que proporcionam efeitos calmantes,
ajudando bastante no controle dos incômodos.
Em todas as três alternativas, é fundamental “Os remédios psiquiátricos têm muitos
frisar que o consumo só deve ocorrer após a efeitos colaterais: alguns criam
indicação de um médico psiquiatra, que é o
“profissional habilitado para avaliar as espe- dependência, outros engordam e muitos
cificidades de cada caso e definir as diretrizes diminuem a libido. Essas substâncias são
do tratamento medicamentoso. O psiquiatra
considera o histórico individual e a condição eficientes e fortes em vários sentidos”
médica geral, de modo a evitar possíveis efeitos Alfredo Simonetti, psiquiatra
colaterais indesejáveis”, resume Thais.

CONSULTORIAS
Alfredo Simonetti, psiquiatra e professor titular de psicologia médica do curso de medicina do Centro Universitário São Camilo, em São Paulo (SP); Juliana
Guimarães, psicóloga e terapeuta familiar; Thais Rabanéa de Souza, mestre em psiquiatria, psicologia médica e especialista em neuropsicologia.
Caminhos
alternativos
Além dos remédios, existem práticas e
terapias bastante eficientes para o controle
da ansiedade. Conheça as principais!
TEXTO ÉRIKA ALFARO E GIOVANE ROCHA/COLABORADORES
ENTREVISTAS NATÁLIA NEGRETTI
DESIGN JOSEMARA NASCIMENTO

O
s lucros anuais das indústrias farmacêuticas, que chegam
à casa dos bilhões de reais, mostram como os remédios
fazem parte das nossas rotinas atualmente. Porém, optar
pelo tratamento medicamentoso, mesmo que se mostre
mais eficaz em um período menor de tempo, pode ser
uma escolha precipitada, principalmente quando o assunto é a remissão
dos sintomas da ansiedade. Com isso em mente, procurar caminhos mais
naturais, sem efeitos colaterais, pode ser uma boa saída.

Opção válida
O nome “terapias alternativas” pode causar estranhamento, como se
fossem opções “não oficiais”. Mas a verdade é que, em casos menos gra-
ves, que não exigem a urgência da prescrição de medicamentos, algumas
práticas mais naturais são as primeiras recomendações de especialistas.
“Hoje, há inúmeros profissionais que buscam ajudar a aliviar as ten-
sões da ansiedade a partir de meios mais naturais, como a meditação, a
alimentação e a prática de exercícios físicos”, indica a assistente social
e especialista em desenvolvimento humano Heloisa Capelas. A seguir,
confira exemplos de caminhos que, gradualmente, ajudam a combater os
sintomas ansiosos.

Exercícios físicos
A prática de atividades aeróbicas proporciona a liberação de substâncias
que exercem muita influência no humor e, consequentemente, na ansie-
dade, como a serotonina e a dopamina. Sem falar também do aumento de
endorfina, que produz aquela sensação de bem-estar após o desempenho.
E, para isso, não precisa entrar na onda fitness. Caminhadas de meia
hora por, pelo menos, três vezes na semana, já são suficientes para sentir
os benefícios da atividade física contra a ansiedade.

Acupuntura
Mesmo que, em primeira instância, imaginar agulhas perfurando seu
corpo todo não seja uma ideia agradável, a acupuntura traz muitos benefí-
cios contra a ansiedade. O acupunturista aplica agulhas em determinados
pontos do corpo, onde passam vias nervosas, estimulando a libe-
ração dos neurotransmissores que atuam na regulação do humor
e proporcionam relaxamento.

Meditação
Essa técnica milenar já se provou muito benéfica à saúde, incluin-
do vantagens contra a ansiedade. “Ela ajuda você a se desligar do
mundo ao redor para voltar a atenção para si mesmo, essencialmente
a partir de técnicas de respiração”, complementa Heloisa.

Ioga
Prática que incorpora a meditação em suas características, por
meio do controle da respiração e do trabalho postural, também
é uma alternativa muito recomendada contra os traços ansiosos.

Hipnoterapia
Antes considerada uma técnica voltada apenas para o entrete-
nimento, hoje possui muita credibilidade na medicina como uma
forma de terapia. O hipnoterapeuta, através da ressignificação do
subconsciente, é capaz de ajudar a pessoa a refazer o sentido de
uma ideia que ativa o gatilho da ansiedade (traumas, medos, etc.).
Outros processos psicoterapêuticos, como a Terapia Cognitivo-
-Comportamental (TCC), também trabalham a reconstrução de
ideias, proporcionando a compreensão do distúrbio como um todo
e, assim, a capacidade de controlá-lo.

Fitoterapia
O uso de plantas para o tratamento de doenças, incluindo a
ansiedade, é uma prática antiga — mais do que os chás que as avós
adoram sugerir para curar qualquer coisa. E, com a evolução dos
estudos sobre o tema, novos conceitos sobre essa terapia surgiram,
como explica Patrícia Cândido, uma das desenvolvedoras da Fitoe-
nergética, sistema natural de cura por meio da energia das plantas:
“elas possuem um caráter energético capaz de repor a energia que
perdemos em momentos de tensão, estresse e ansiedade, mantendo
o nosso equilíbrio de forma geral”.
Patrícia considera que o benefício da fitoterapia abrange o tra-
tamento de quatro tipos de ansiedade: física (excesso de energia
física), emocional (acúmulo de emoções nocivas), espiritual (falta de
integração entre o “eu” físico e o espiritual) e mental (concentração
excessiva de ideias na mente).
Para combater esses tipos de ansiedade, como sugere a especialista,
“as plantas mais indicadas no caso de ansiedade são a camomila,
cavalinha, marcela, valeriana, boldo do Chile e arruda”. Lembrando
que a infusão em água quente não é o único meio de consumo,
Patrícia também sugere a absorção das propriedades por meio de
banhos, incensos, compressas, essências e sprays.

O poder da alimentação
Os alimentos que integram o nosso cardápio estão intimamente
ligados à nossa saúde física e emocional. É claro que a alimentação
sozinha não pode curar a ansiedade. No entanto, de fato, é muito útil
para amenizá-la, preveni-la e auxiliar o corpo em diversos aspectos.
Alguns alimentos, se preparados assim, nada de abusar do alimento,
adequadamente, consumidos com pois é calórico.
frequência e na quantidade certa,
fornecem nutrientes que atuam Leite e derivados magros
no sistema nervoso e ajudam o Aliados do bom funcionamento
trabalho das células nervosas, do sistema nervoso, o leite e seus
evitando o desenvolvimento da derivados sem excesso de gor-
ansiedade. dura, como o iogurte e o queijo
branco, são fontes de vitaminas
Carboidratos integrais do complexo B.
O carboidrato é primordial
para o bom funcionamento do Peixes
cérebro por causa do fornecimento Os peixes de água fria, como o
de energia. Além disso, eleva o salmão, o atum e a sardinha, são
nível de glicose no sangue, o que ricos em ômega-3 e vitaminas do
oferece mais disposição. complexo B – substâncias essenciais
O ideal é a versão integral dos para a saúde do cérebro. Ainda são
alimentos, como pães e bolos, ou benéficos porque contêm um amino-
consumi-los diretamente, como ácido chamado taurina, responsável
mandioca e batata, por possuírem pelo aumento da disponibilidade do
mais fibras e vitaminas, auxiliando, neurotransmissor GABA.
assim, a digestão e as necessidades
nutricionais. Triptofano
A substância – encontrada em
Castanha-do-pará alimentos como grão-de-bico e ba-
É riquíssima em selênio, uma nana – é um aminoácido participante
substância que ajuda no trabalho da produção de serotonina, impor-
do sistema nervoso. A medida tante para o bem-estar e as reações
certa é duas castanhas por dia químicas no cérebro, regulando o
porque o excesso de selênio pode sono, o bom humor e o apetite.
ser maléfico ao organismo.
Vitamina C
Chás A vitamina atua no organismo
Erva-cidreira, valeriana e ca- diminuindo a liberação de corti-
momila: diversas ervas possuem sol, um hormônio disparado em
efeito relaxante. As folhas de ma- resposta à ansiedade. O consumo
racujá também são indicadas, já dessa substância também promove
que possuem substâncias com o bom funcionamento do sistema
atividade sedativa, calmante e nervoso e o aumento da sensação
analgésica. de bem-estar. A vitamina C pode
ser encontrada em grande quan-
Chocolate tidade nas frutas cítricas, como
Isso mesmo, o doce também é acerola, laranja e caju.
bem-vindo na dieta! A indicação
se dá pelo fato de ser rico em Verduras verde-escuras
flavonoides, um tipo de subs- Verduras como espinafre e a
tância que ajuda na produção rúcula possuem ácido fólico, uma
de serotonina. Porém, a melhor vitamina que atua na produção
opção são aqueles chocolates com de serotonina. Além disso, favo-
grande concentração de cacau, no recem a saúde do cérebro pelos
mínimo 70%, porque possuem antioxidantes que fazem parte de
menos gordura e açúcar. Mesmo suas composições.
Desenvolvimento pessoal
A ajuda profissional é indispensável para casos de ansiedade. No entanto, existem
acordos estabelecidos internamente, com você mesmo, capazes de mudar signifi-
cativamente a percepção da sua realidade.
Heloisa Capelas separou dicas preciosas para refletir e começar a exercitar a
partir de agora:

1) Desenvolva o autoconhecimento
Pense em si mesmo e questione a maneira com a qual você se sente e o motivo
dessa sensação. “Se for capaz de reconhecer os gatilhos que lhe deixam ansioso,
terá mais facilidade em manter afastada essa emoção”, explica Heloisa.

2) O único tempo que você possui é o agora


O que você quer e precisa fazer no presente deve ser prioridade, uma vez que
perder oportunidades por não estar focado no agora pode acarretar em grandes
arrependimentos. “Por mais clichê que isso pareça, perceba: o passado já foi, o futuro
ainda não chegou e o único momento possível é o agora”, afirma a profissional.

3) Pratique a positividade
Pensar em coisas boas e tentar deixar para trás o pessimismo pode mudar sua
postura diante da vida. Mesmo em situações negativas, veja o lado bom e saiba que
os erros podem ensinar mais do que os acertos.

4) Respire com consciência


Respirar com consciência significa prestar atenção. Esse simples ato pode ajudar
a acalmar a mente, despertar a racionalidade e sair do piloto automático. “Experi-
mente realizar esse exercício antes de tomar decisões difíceis. Você vai ver como sua
impulsividade perderá espaço para escolhas mais sustentáveis e positivas”, destaca
a especialista em desenvolvimento humano.

5) Assuma a responsabilidade por si mesmo


Para a assistente social, as escolhas diárias determinam os resultados que cada
um obtém. “Perdoe-se por suas falhas e siga em frente; aplauda vitórias e siga em
frente. É só você quem pode fazer isso”, conclui.

“Se for capaz de reconhecer os gatilhos que


lhe deixam ansioso, terá mais facilidade em
manter afastada essa emoção”
Imagens: Shutterstock Images

Heloisa Capelas, especialista em desenvolvimento humano

CONSULTORIAS
Heloisa Capelas, assistente social especialista em desenvolvimento humano, autoconhecimento e
inteligência comportamental, além de palestrante, coach, autora do livro O Mapa da Felicidade e
diretora do Centro Hoffman no Brasil; Patrícia Cândido, co-desenvolvedora da Fitoenergética (www.
fitoenergetica.com.br), sistema natural de cura por meio da energia das plantas.
Casos reais
EDIÇÃO GIOVANE ROCHA/COLABORADOR
Confira depoimentos de
ENTREVISTAS NATÁLIA NEGRETTI
DESIGN VANESSA SUEISHI pessoas que compreenderam
como lidar com a ansiedade

“Busco sempre o conhecimento e desenvolvimento pessoal”


"Há uns quatro anos, iniciei um quadro de ansiedade e depressão. Isso me fez buscar alternativas para entender as causas do
que eu sentia, pois influenciava minha vida como um todo, já que eu tinha um filho pequeno, ficava em casa e frustrada.
Então, comecei a pesquisar pela internet sobre meditação guiada, e encontrei o professor e palestrante Bruno J.
Gimenes. Procurei mais informações sobre o que ele falava, comprei alguns materiais no site da Luz da Serra e me
apaixonei pela proposta da Fitoenergética, que trabalha o equilíbrio da energia corporal e mental por meio de terapias
com plantas, por tratar de forma mais sutil a causa da doença já instalada e não apenas o sintoma. Fiz o curso, comecei
a aplicar em mim os tratamentos e, conforme me aprofundei, me apaixonei ainda mais.
Meu marido sempre me apoiou e, hoje, não preciso mais de acompanhamento médico alopático, pois a melhora foi
visível a cada tratamento que eu aplicava em mim mesma.
A Fitoenergética me alinhou de volta e, desde então, busco sempre o conhecimento e desenvolvimento pessoal. Hoje,
sou terapeuta em Programação Neurolinguística (PNL) e utilizo os aprendizados que venho somando com os cursos e
treinamentos que continuo fazendo."
Adriana de Castro, Porto Velho (RO)
“Cada vez que caio por causa da qualquer coisa que me mandassem para que eu
doença, levanto mais forte” ficasse bem.
"Comecei a sentir os primeiros sintomas Crio a minha filha de oito anos com a doença.
de ansiedade aos 21 anos. Estava em uma fase Passei a gravidez com o distúrbio. Ela sabe de
ótima da minha vida, cursando o último ano da absolutamente tudo o que sinto, não escondo
faculdade de jornalismo, fazendo estágio e mais nada. Hoje, não tenho vergonha do TAG. Eu
alguns trabalhos, morava sozinha e namorava simplesmente aceito e procuro conviver com os
sério havia uns três anos. sintomas da melhor forma possível.
Na ocasião, passava um final de semana no Faço ioga há um ano e descobri nessa prática
litoral com meu namorado e a família dele. Meu uma grande chance de melhora. Mesmo assim,
coração disparou do nada, senti um aperto no peito não gosto que minha filha me veja em crise —
gigantesco, mal-estar e enjoo. Fui até a farmácia detesto. Nesses momentos, tenho vontade de me
medir a pressão e estava tudo normal — mas aquilo isolar completamente para que ela não presencie
durou horas. Cada minuto que passava, eu ficava nada disso. Mas uma mãe não pode simplesmente
mais apavorada, achando que estava com algum fugir das coisas.
problema no coração. Muitas vezes, eu acordo e penso: quando é
Algumas semanas depois, tive a segunda que terei minha verdadeira essência de volta?
crise. Essa durou dias. Os mesmos sintomas e Porque minha essência é cheia de alegria e
o mesmo sentimento de terror. Fiquei três dias entusiasmo, coisas que ficam escondidas por
sem comer. Fui parar no pronto-socorro umas debaixo dessa doença.
quatro ou cinco vezes. Nenhum médico me dizia Meus amigos e familiares são extremamente
o que estava acontecendo, e eu achava que poderia importantes nesse processo todo. Recebo muito
estar morrendo. apoio e carinho e tenho certeza de que só consigo
Pedi uns dias de folga do trabalho e fui para a viver com a doença porque tenho essas pessoas, que
casa da minha mãe no interior. Ela me levou ao acreditam na minha força interior e me motivam
cardiologista da família e, após vários exames, veio a levantar, sem que precisem dizer coisas clichês.
o diagnóstico: eu estava com síndrome do pânico. Eles simplesmente estão ali, e isso já me basta.
Na época, não tínhamos muita informação sobre A convivência com o TAG é complicada. A
a doença. Eu apenas sentia que poderia ficar louca gente vive uma ansiedade absurda em todos os
a qualquer momento. Iniciei um tratamento com momentos e situações. Esse sentimento nos faz
psiquiatra, terapia e prática esportiva. Durante perder a noção da realidade, de como ponderar as
aproximadamente três anos tive uma grande coisas. É sempre tudo ou nada. Vemos problemas
melhora e finalmente ganhei alta médica. onde não existem, imaginamos situações.
Mas não demorou muito para que eu tivesse Tento levar uma vida mais normal possível.
recaídas. Foram muitas; já perdi as contas de Lido com as limitações da doença, que são os
quantos médicos me trataram, quantos medica- sintomas constantes – as dores no peito, coração
mentos tomei. Aos poucos, fomos percebendo acelerado, cérebro a mil por hora e um medo
que a síndrome do pânico era só um ponto e sem explicação. Enfrento tudo isso e faço o que
tive o diagnóstico de transtorno de ansiedade eu posso e quero. Mesmo que eu tenha uma crise
generalizada (TAG). Foram diversos episódios de forte após fazer certas coisas, eu faço. Porque eu
depressão também. Depois de muitas crises, meu acredito muito na vida, apesar de já ter pensado
corpo reagia querendo apenas dormir ou chorar. em tomar um monte de remédios e não acordar
Não tenho casos na família. Muitas vezes me mais. Acredito que temos que viver plenamente
questionei como a doença foi se instalar. Com a e intensamente. Cada vez que caio por causa da
terapia, descobri formas de lidar com sentimentos doença, levanto mais forte. Ela está comigo e
e coisas que são gatilhos para crises de ansiedade muitas vezes domina minha vida, mas não quero
ou pânico. E a minha constatação é que se trata que a ansiedade tenha poder nenhum sobre a
de algo muito difícil de controlar. Passei 16 anos minha felicidade."
tentando achar a cura, pesquisando, fazendo Aline Rollo, Santos (SP)
Saiba mais Obras para ficar por dentro do
Transtorno de Ansiedade
TEXTO NATÁLIA NEGRETTI
DESIGN JOSEMARA NASCIMENTO

Ansiedade – Como Enfrentar Adaptação (2002)


o Mal do Século Diretor: Spike Jonze
Autor: Augusto Cury O roteirista do filme Quero ser John
Editora: Saraiva Malkovitch se torna o personagem
Considerado pelo autor como o principal nesse longa. Depois do
novo mal do século, a Síndrome do sucesso da obra, Charlie (Nicolas
Pensamento Acelerado (SPA) passa Cage) recebe o convite para adaptar
a depressão quando o assunto é o um livro para o cinema. A partir daí, é
número de pessoas afetadas em todo possível perceber seu comportamento
o mundo. Neste livro, Cury apresenta obsessivo, paranoico, depressivo e
como funciona a mente humana completamente inepto na relação com
para o leitor ser capaz de desacelerar as mulheres. Charlie tem Transtorno
os pensamentos, gerir emoções de de Ansiedade Generalizado (TAG), o
maneira eficaz e resgatar a qualidade que explica a preocupação excessiva.
de vida.

Ansiedade Sob Controle


Autora: Lourdes Possatto
Editora: Lumen Editorial
Definitivamente não é possível
deixar de ser ansioso, pois

Imagens: iStock.com/Getty Images e Reprodução


precisamos desse mecanismo
natural de defesa para
sobreviver. Porém, pode-se
conseguir viver o aqui-e-agora,
centrados no momento presente
e controlando a ansiedade e
seus males.