Você está na página 1de 3

ARTE MODERNA

Contexto Histórico

- Da segunda metade do século XIX até o período entre Guerras Mundiais, desenvolveram-se na Europa
concepções estéticas que foram os pilares do que viria a ser chamada Arte Moderna e Arte Contemporânea.
- As conquistas técnicas e o progresso industrial dos séculos anteriores tornam-se inerentes - para o bem e
para o mal - à vida do homem urbano do século XX, tais como o telégrafo, o rádio, a fotografia, o cinema, a
televisão, a máquina a vapor, a linha de montagem, o avião, etc.
- Nesse período, acentua-se a desigualdade social, o que provoca o acirramento das disputas entre as elites
e a classe trabalhadora. Daí, a ampliação dos movimentos sociais (sindicatos, associações, partidos, etc.)
que passam a atuar ativamente nas sociedades industrializadas.
- Nesse período, ocorrem vários eventos históricos que passam a interferir decisivamente na forma do
homem, pensar, agir, ver e sentir, são eles: as 1ª e 2ª Guerras Mundiais, a Revolução Russa, o Fascismo e
o Nazismo, o Colonialismo Europeu, etc.
- No campo ideológico, o século XIX e a primeira metade do século XX foram profícuos em debates e teorias
que também modificaram a nossa forma de viver, pensar e gostar, são elas: as ideias darwinistas, a Teoria
da Relatividade Geral, a Psicanálise, o Feminismo, o Cientificismo, o Socialismo, o Comunismo, o
Anarquismo, etc.

Conceito

É um conjunto de produções artísticas que surgiram no final do século XIX e meados do século XX, em
oposição às produções artísticas clássicas assim quebrando com os cânones da academia. De maneira
simples a arte moderna representa “aquilo que é recente, do mesmo período em que se fala ou faz”. A arte
moderna tem inicio a partir das vanguardas Artísticas ou Vanguardas Europeias, essas vanguardas são
divididas em 8 dentre elas estão: Impressionismo, Expressionismo, Cubismo, Fauvismo, Surrealismo,
Dadaísmo, Futurismo e Abstracionismo.

Principais características

- Rejeição ao academicismo;
- Informalidade;
- Deformação da figura.
- Liberdade da expressão artística.

IMPRESSIONISMO

O termo “impressionismo” surgiu a partir de uma exposição realizada em Paris, em 1874. O termo
impressionismo surgiu devido a um dos primeiros quadros de Claude Monet na pintura Impressão - Nascer
do Sol, por causa de uma crítica feita ao quadro pelo pintor e escritor Louis Leroy "Impressão, Nascer do Sol
- eu bem o sabia! Pensava eu, se estou impressionado é porque lá há uma impressão. E que liberdade, que
suavidade de pincel! Um papel de parede é mais elaborado que esta cena marinha".

Conceito

O Impressionismo foi um movimento artístico que surgiu na França no início do século XIX, entre os anos
1870, mas em 1874 foi reconhecido através da exposição esse movimento dá inicio a arte moderna na
Europa, propondo uma arte na captação da luz e o movimento refletido pela luz solar, a “impressão”.

Principais características

- Estilo específico de Pincelada - pontos, pinceladas rápidas, redemoinhos, e traços grossos de tinta;
- Representação de luz natural;
- Temas do cotidiano;
- Sombras coloridas, obtidas através do uso das cores complementares;
- Ausência de linha de contorno;
- Empasto - uma aplicação muito espessa de tinta.
Principais artistas

- Claude Monet (1840-1926)


- Édouard Manet (1832 - 1883),
- Pierre Auguste Renoir (1841-1919)
- Edgar Degas (1834-1917)

Impressão, nascer do sol, é a mais célebre e importante


obra de Claude Monet. É um óleo sobre tela, datado de
1872 (mas provavelmente realizado em 1873), que
representa o nascer da manhã no porto de Havre, com
uma névoa cerrada sobre o estaleiro e os barcos e as
chaminés ao fundo da composição. O título da obra acaba
por denominar o grupo dos pintores impressionistas.

Claude Monet - Impressão: nascer do sol, 1872

Uma mulher nua está sentada numa clareira,


displicentemente, fazendo um piquenique com dois
rapazes galantes, vestidos com trajes da época. A
grande tela é tratada com amplas aplicações de
cor, e a luz intensa e direta reduz a modelagem
das figuras ao mínimo. Baseando suas figuras
numa composição de Rafael e evocando a
atmosfera pastoral de Giorgione. Manet tentou
conscientemente evocar os ideais elevados da arte
renascentista. Essa mistura ousada de antigo e
moderno, conferindo à vida boêmia contemporânea
o contexto e a escala da arte clássica levou esta
pintura a ser amplamente condenada pelos críticos
ao ser exibida pela primeira vez.

Édouard Manet - Almoço na Relva, 1863

Pierre - Auguste Renoir ia com frequência ao


restaurante. Muitos dos protagonistas da pintura são
amigos do pintor. A rapariga com o cão é a sua futura
esposa, Aline Charigot. Atrás dela, apoiado na
balaustrada, está o filho do proprietário do
restaurante, Alphonse Fournaise. Ao seu lado, está a
irmã, Alphonsine. Do lado aposto, também vestido de
barqueiro, está Gustave Caillebotte, pintor
impressionista. A actriz Ellen André com um chapéu
com uma flor espetada, ergue o copo até a boca.O
barão Raoul Barbier, com chapéu-coco puxado para
trás, conversa com a jovem filha do proprietário.
Charles Ephrussi, historiador de arte amador,
coleccionador e editor da Gazette des Beaux-Arts ,
aparece com um chapéu alto ao fundo.
Pierre Auguste Renoir - O Almoço dos Remadores, 1881
Edgar Decas-Aula de Dança 1874

Degas era fascinado pelo balé, e mais da metade de seus trabalhos são dedicados a esse tema. Embora também
pintasse bailarinas no palco, ele preferia as cenas mais informais com as dançarinas ensaiando ou relaxando. Há
paralelos entre o balé clássico e o estilo e as técnicas de pintura de Degas que ajudam a explicar o interesse do artista.
O balé clássico é uma arte de grande precisão e equilíbrio, em que só se atinge a perfeição pela repetição e prática
constante. A obra de Degas também é bastante precisa. Mesmo quando seus quadros junto som os impressionistas,
Degas conseguiu uma comunicação imediata mais por seu tema e senso de composição do que pelas pinceladas
espontâneas, típica dos verdadeiros impressionistas.