Você está na página 1de 45

Maquinas Primarias

Aula de apresentação

Prof. Me. Carlos Eduardo da Silva Albuquerque


Programa da disciplina

ENGENHARIA ELERICA GRA-PLE-0245-D

PERÍODO DISCIPLINA CARGA HORÁRIA

TEÓRICA PRÁTICA
8º MÁQUINAS PRIMÁRIAS
40 hr 40 hr

EMENTA: Estudo das máquinas térmicas, máquinas hidráulicas,


bombas hidráulicas e turbinas hidráulicas.
Programa da disciplina

Objetivo

Dar ao aluno conhecimento das máquinas térmicas como máquinas


primárias para geração de energia elétrica, dando ênfase às relações
termodinâmicas e de mecânica de fluidos e Informar e capacitar o aluno a:
conhecer os princípios de funcionamento e transformações de energia que
ocorrem nas máquinas hidráulicas.
Programa da disciplina

Introdução ao Estudo de Máquinas Térmicas


◦ Propriedades de uma substancia pura
◦ Trabalho, Calor e Primeira e Segunda Lei da Termodinâmica
Máquinas Térmicas:
◦ Motores de combustão Externa e Interna
◦ Ciclos termodinâmicos
Introdução ao estudo de Máquinas Hidráulicas
◦ Fundamentos de mecânica dos fluidos aplicados às máquinas hidráulicas
Máquinas e Motores Hidráulicos Máquinas Hidráulicas
◦ Bombas Hidráulicas
◦ Turbinas Hidráulicas.
Programa da disciplina

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO: os títulos dos tópicos e os seus detalhamentos são assim


apresentados:

UNIDADE I UNIDADE II
1. Introdução ao Estudo de Máquinas
7. Introdução ao estudo de Máquinas
Térmicas
Hidráulicas
2. Propriedades de uma substancia pura
8. Fundamentos de mecânica dos fluidos
3. Trabalho, Calor e Primeira e Segunda Lei
aplicados às máquinas hidráulicas
da Termodinâmica
9. Máquinas e Motores Hidráulicos Máquinas
4. Máquinas Térmicas
Hidráulicas
5. Motores de combustão Externa e Interna
10. Bombas Hidráulicas
6. Ciclos termodinâmicos
11. Turbinas Hidráulicas
Programa da disciplina

FORMA DE AVALIAÇÃO: o aluno será avaliado ao longo da disciplina a partir/através de:

No decorrer de cada período letivo são desenvolvidas 02 (duas) avaliações por


disciplina, para efeito do cálculo da média parcial. A média parcial é calculada pela
média aritmética das duas avaliações efetuadas.
O aluno que alcançar a média parcial maior ou igual a 7,0 (sete) é considerado
aprovado.
O aluno que não alcançar a média parcial faz em exame final onde precisa
alcançar média final maior ou igual a 5,0.
São aplicadas avaliações dos tipos: provas teóricas
Introdução ao Estudo
das máquinas térmicas
Introdução ao Estudo
das máquinas térmicas

O que são maquinas térmicas?

 Máquinas térmicas são denominadas como os sistemas responsáveis pelo


câmbio de energia térmica ou de calor em trabalho mecânico.

 Para que um dado sistema realize trabalho às custas da energia retirada na


forma de calor de certa fonte térmica por um processo cíclico são necessárias
duas fontes térmicas com temperaturas diferentes. Os dispositivos que
realizam tal atividade por processos cíclicos são chamados de máquinas
térmicas.

 O objetivo básico de uma máquina térmica é a transformação


contínua de calor em trabalho
Introdução ao Estudo
das máquinas térmicas

O que são maquinas térmicas?


Introdução ao Estudo
das máquinas térmicas

 Todas as máquinas térmicas operam segundo um ciclo termodinâmico.

 Em alguns casos, o fluido de trabalho sofre uma série de processos, mas


retorna ao estado inicial. Este é o caso das centrais a vapor e diz-se que
operam em ciclo fechado.

 As máquinas térmicas também podem ser classificadas em: combustão


interna e combustão externa.
Introdução ao Estudo
das máquinas térmicas

Maquinas térmicas de combustão externa

 Na máquina de combustão externa o fluído de trabalho é completamente


separado do ar e do combustível.

 O calor da combustão é transferido para o fluído de trabalho através de


trocadores de calor.

 O exemplo da máquina de combustão externa é a caldeira a vapor. O


fluído de trabalho é a água e ele não entra em contato com os gases da
combustão.
Introdução ao Estudo
das máquinas térmicas
Introdução ao Estudo
das máquinas térmicas
Introdução ao Estudo
das máquinas térmicas

Maquinas térmicas de combustão interna

 Na máquina de combustão interna o fluído de trabalho é a mistura de


gases formados pela combustão.

 As principais máquinas de combustão interna são os motores de


combustão interna e as turbinas a gás.

 A grande vantagem das máquinas de combustão interna é a ausência de


trocadores de calor no fluído de trabalho. Isto simplifica o projeto e reduz as
perdas inerentes aos processos de transferência de calor.
Introdução ao Estudo
das máquinas térmicas
Introdução ao Estudo
das máquinas térmicas

Maquinas térmicas para gerar energia

Do ponto de vista de geração de energia elétrica as seguintes máquinas


térmicas são importantes:

 Turbinas a Vapor;
 Turbinas a Gás;
 Motores de Combustão Interna;
 Máquinas auxiliares:
◦ Chiller de Absorção;
◦ Caldeiras;
◦ Trocadores de Calor.
Introdução ao Estudo
das máquinas térmicas

Maquinas térmicas para gerar energia

 As turbinas a vapor podem ser utilizadas em qualquer usina termelétrica, mas


são largamente empregadas em termelétricas que utilizam combustíveis sólidos;
carvão, urânio e biomassa.

 As turbinas a gás podem ser utilizadas em usinas termelétricas que utilizam


combustível gasoso ou combustível líquido leve.

 Finalmente, os motores de combustão interna podem ser utilizados em


termelétricas movidas a combustível líquido e gasoso.

 A escolha da máquina térmica a ser utilizada é função dos aspectos econômicos


e do combustível utilizado.
Introdução ao Estudo
das máquinas térmicas

Termodinâmica (Therme: calor e dynamis: potência)

Ciência que estuda:

a) a energia,
b) suas transformações de uma
forma para outra e
c) as relações que existem entre as
propriedades da matéria
Introdução ao Estudo
das máquinas térmicas

Energia:

 É a capacidade de produzir um efeito

 Termodinâmica estabelece que a energia é uma


propriedade que se conserva
Introdução ao Estudo
das máquinas térmicas

Sistema
 Um sistema é definido como uma quantidade de matéria ou
região no espaço selecionado para estudo.
Sistema
Fechado Aberto
(massa de controle) (volume de controle)

Massa fixa tomada Região do espaço


para estudo tomada para estudo

Fronteira Real ou Imaginária, Fixa ou Móvel

Fronteira Superfície de Controle


Vizinhança
Introdução ao Estudo
das máquinas térmicas

Sistema Fechado ou Massa de Controle

A massa pode
atravessar as
fronteiras de um
sistema fechado,
mas a energia
pode
Introdução ao Estudo
das máquinas térmicas

Sistema Fechado ou Massa de Controle


Introdução ao Estudo
das máquinas térmicas

Sistema Fechado ou Massa de Controle

W
E

Q
Q e W não cruzam
Sistema Isolado
sua fronteira
Introdução ao Estudo
das máquinas térmicas

Sistema Aberto ou Volume de Controle


Introdução ao Estudo
das máquinas térmicas

Sistema Aberto ou Volume de Controle


Introdução ao Estudo
das máquinas térmicas

Sistema Aberto ou Volume de Controle


Introdução ao Estudo
das máquinas térmicas

Exemplo: Conforme ilustrado na


figura, a água circula entre um tanque
de estocagem e um coletor solar. A
água aquecida do tanque é utilizada
para fins domésticos. Considerando o
coletor solar como um sistema,
identifique as posições nas fronteiras
onde este interage com as vizinhanças
e descreva o que acontece no interior
do sistema. Repita a análise para um
sistema aumentado que inclui o tanque
de estocagem e a tubulação de
conexão.
Introdução ao Estudo
das máquinas térmicas

Propriedades de um Sistema
Propriedade:

Característica macroscópica de um sistema, em equilíbrio,


a qual se pode atribuir um valor numérico.

Ex: T, p, V, m, E, , etc...
a) Intensivas
Propriedades
b) Extensivas

Pr opriedade extensiva
 Pr opriedade especifica
Massa

Propriedade intensiva
Introdução ao Estudo
das máquinas térmicas

Propriedades Extensivas e Intensivas


Estado de um Sistema
É definido por um grupo de propriedades
que descrevem a condição do sistema em
equilíbrio termodinâmico.

Equilíbrio térmico

Equilíbrio
Equilíbrio mecânico
termodinâmico Equilíbrio de fases
Equilíbrio químico
Introdução ao Estudo
das máquinas térmicas

Equilíbrio termodinâmico:

• Equilíbrio térmico: a temperatura não muda com o tempo

• Equilíbrio mecânico: a pressão não muda com o tempo

• Equilíbrio químico: a composição molecular


não muda com o tempo

• Equilíbrio de fase: a massa de cada fase não muda com o tempo


(i.e., mesma composição liquido/gás ou liquido/sólido)
Introdução ao Estudo
das máquinas térmicas

Postulado de Estado

O estado de um sistema compressível simples é


completamente especificado por duas propriedades
termodinâmicas intensivas e independentes
Processo: é qualquer mudança de
um estado para outro de um sistema.
Caminho: série de estados que o
sistema passa durante um processo.
Processo Propriedade
mantida constante
isobárico pressão
isotérmico temperatura
isocórico volume
isentrópico entropia
Introdução ao Estudo
das máquinas térmicas

Processo quase-estático ou de quase equilíbrio:

O desvio do estado de equilíbrio do


sistema é infinitesimal em todos os
tempos.
Introdução ao Estudo
das máquinas térmicas

Ciclo
Introdução ao Estudo
das máquinas térmicas

Dimensões e Unidades
Dimensões:
Grandezas como massa, tempo, comprimento,
temperatura, etc.
Unidades:
São nomes associados às dimensões que dão idéia de
sua magnitude.
Ex.: metro, quilograma, etc.
Introdução ao Estudo
das máquinas térmicas

a)Primárias ou fundamentais:

Dimensões MLtT FLtT


b) Secundárias ou derivadas

Ex: V, E,p,  e etc


Sistema de unidades SI
Introdução ao Estudo
das máquinas térmicas

Dimensão Unidade

Comprimento metro (m)

Dimensões Massa kilograma (kg)


fundamentais
Tempo segundo (s)
e unidades do
SI Temperatura Kelvin (K)

Corrente Elétrica Ampère (A)

Quantidade de Luz Candela (C)

Quantidade de matéria kmole (mol)


Introdução ao Estudo
das máquinas térmicas

m
Massa Específica 

1  
Volume Específico v   , v   Mv
 m n
Introdução ao Estudo
das máquinas térmicas

Pressão F
p
A
p  Hg
Introdução ao Estudo
das máquinas térmicas

Alguns instrumentos para medição de pressão


Introdução ao Estudo
das máquinas térmicas

Temperatura
Percepção sensorial de “quente”e “frio”.
Lei Zero da Termodinâmica
B

A
C
Escala de Temperatura