Você está na página 1de 95

São Paulo, dezembro 2012

©
2012 by Silmar Coelho Editora Fôlego
www.editorafolego.com.br

Editores
Emilio Fernandes Junior Rosana Espinosa Fernandes

Revisão
Paulo César de Oliveira
Diagramação
Adriana França Cunha
Capa
Emílio Fernandes junior
2a edição brasileira Dezembro de 2012
As citações bíblicas foram extraídas da versão Revista e Atualizada

Todos os direitos são reservados à Editora Fôlego, não podendo a


obra em questão ser reproduzida ou transmitida por qualquer meio
- eletrônico, mecânico, fotocópia etc - sem a devida permissão dos
responsáveis.

Dados de Catalogação na Publicação


Silmar Coelho
O chamado do amor. Coelho, Silmar. São Paulo: Editora Fôlego,
2012
ISBN 978-85-8206-011-7 1. Motivação. 2. Crises. 3. Vida cristã.
4.Autoajuda I Título.
Sumário
Introdução,

5
Resignação, 7
Mudar ou morrer, 9
Novidade de vida, 13
O poder da amizade, 15
Fomos chamados para o amor, 21 Um dia com
mamãe, 25
Ser discípulo, 29
A terrível aflição, 33
Viver dói, 39
Criatividade, 43
Autoestima, 47
Comece onde você está!, 53

Introdução

Não sei quanto a você, mas a maioria das pessoas


sentese encurralada dentro da própria vida, sem
saber o que fazer e para onde ir. Contudo, ainda
existe uma parte delas que lembra

como a vida era boa, cheia de paixão, esperança,


otimismo,

energia e se recusa a sucumbir diante de um mundo


cada vez

mais insensível e, muitas vezes, agressivo e mau.

Mas apesar de essa parte de você continuar lutando,


quase sempre ela luta só e em silêncio.
A verdade é que há gente demais que não vive a
vida que

deseja ou que escolheu. Vive a vida que pode viver


ou a vida

que agrada à grande parte das pessoas à sua volta.


Uma vida

respeitável, mas que não enche o coração de


entusiasmo.
Nela não há paixão; não há felicidade. Uma vida
que ignora

os seus reais sonhos. Os dias passam vazios e


monótonos; transformam-se em meses, os meses em
anos, sem a vida ter

sentido, sem razão de ser.


Muita gente está atolada em uma vida da qual não
gosta;

tornou-se uma pessoa da qual não sente orgulho.


A vida se torna sempre mais difícil. Essa pessoa
deveria

gostar de viver, mas não gosta. Acaba aceitando esse


estado

de coisas, resignada, achando que isso é viver.


Como existem pessoas que admiram esse seu jeito
de viver,

ela se sente como se fosse uma fraude. Está cansada


de estar
cansada. Chateada de acordar sem ânimo a cada
manhã.

Exausta de não fazer nada de que sinta real orgulho.


Fatigada

de não viver a vida que sonha viver.1


As centenas de canais da sua TV roubam-lhe de si
mesma.

As pessoas lhe sorriem porque querem lhe vender


alguma coisa.

Seu telefone toca para lhe oferecer mais um cartão


de crédito. As crianças correm para a escola, a aula
de inglês, de natação, para o treino de futebol e os
jogos de videogame ou computador.

Preferem comer no McDonald’s a comer em casa. A


família quase não se fala. Todos estão tão ocupados
que não têm tempo

para demonstrar carinho, pensar no que é


importante, gostam,
querem ou precisam para ter real felicidade.
Nosso problema está em nossa incapacidade de
desembarcar

de nós mesmos. Será inútil irmos até aos confins da


terra se não sairmos da bolha onde vivemos. Tudo o
que virmos

e pensarmos, nessa viagem, será uma repetição de


nossa

mesmice, daquilo que vemos e aquilo que somos.2


1 Jó10.1.
2 Rubem Alves
Capítulo1
Resignação

Muita gente aceita a vida que leva sem tentar mudá-


la – cansada, infeliz, depressiva e preocupada. Paga
juros e se endivida, mas não para de gastar. Reclama
que está acima do peso, mas

continua a comer. Precisa baixar o colesterol e a


pressão, mas não se exercita. Quer ser promovida,
mas não estuda. Sabe que seu casamento está por
um fio, mas não conversa com o cônjuge.

Quase não vê os filhos, mas persiste em negligenciá-


los.

Daí tem a vida dominada por constante ansiedade,


porém nada faz para mudar a vida que leva. Torna-
se emocionalmente

cínica, sarcástica, apática e abatida. Suas prioridades


são confusas e seus relacionamentos adoeceram.
Mesmo sabendo

que algo está errado, nega-se a encarar o problema.

É mais fácil continuar fingindo que tudo vai bem do


que preocupar ou decepcionar aqueles que a amam
e admiram.
Em vez de procurar a causa da dor que a fere sem
sossego,

de achar a raiz do problema que a aflige, escolhe


trabalhar

feito louca, prosseguir correndo, fingir que é feliz.


Por isso sofre, e um constante vazio aumenta dentro
dela.

Ignora as próprias necessidades e se dedica ao


trabalho, em

frenética busca de paz onde ela não existe. Esquece


os sonhos da juventude. Abafa o pedido de socorro
do seu interior.
Trata de agradar a todo o mundo. Tenta fazer o
melhor que

pode para manter o padrão financeiro da família.


Cumpre metas e propósitos que não são os seus.
Substitui amor por

sexo. Passa tempo com estranhos e não com aqueles


que podem notar e aliviar o seu sofrimento. Acaba
traindo a si

mesma, afirmando para si que essa dor aguda logo


vai passar.

Contudo, o tempo mostra que não é verdade.


Aos poucos, torna-se uma estranha para si mesma.
Nem

lembra mais o propósito de estar viva. Perdeu a


missão que

dava sentido à vida. Trocou os brinquedos infantis


por outros bem mais caros; entretanto, esses
também são abandonados
assim que a graça desaparece.
Então, mais coisas são necessárias e, para adquiri-
las, mais

trabalho, mais tempo, mais distância, mais canseira,


mais solidão, mais tristeza.
Meus dias correm mais velozes que um atleta; eles
voam

sem um vislumbre de alegria.3


3 Jó 9.25.
Capítulo2
Mudar ou morrer

A única maneira de consertar a vida é começar de


dentro para fora. Para isso, pare de dizer para si
mesmo que

não há nada de errado com você.

A única coisa que nos faz chegar mais rápido


quando enguiça é paraquedas.4
Lembra como você era? Tinha enorme energia e, ao
mesmo

tempo, havia uma serena calma em você. Sempre


trabalhou

muito, mas trabalhar era um prazer. Você dizia que


estava transformando o mundo e sentia um
profundo orgulho do
que fazia e era. Era confiante. Divertia-se com
pouca coisa.

Não se incomodava com o que os outros pensavam


de você.

Não havia lugar em sua vida para o medo, a


ansiedade e as dúvidas. Havia otimismo em tudo o
que você fazia.

Acreditava que o amanhã seria melhor do que o


presente. Sua

vida parecia ser multicolorida. Todos em sua casa


esperavam

a sua chegada com alegria. Você tinha sempre uma


surpresa

para sua esposa.


Talvez o mais importante era que você se aceitava
como

era. Sentia-se bem com quem você era.


Chegou a hora de colocar sua vida no lugar, de uma
maneira que você tenha respeito por quem é e por
aquilo que faz. Para que, quando se olhar no
espelho, saiba que você

não está apenas empurrando a sua vida com a


barriga, a fim

de que viva de tal modo que os seus sonhos ainda


estejam

vivos em você.
Pare de viver tão entravado com ocupações sem fim.
A

cor da vida vai acabar fugindo de você. Cesse de


focar sua

vida em aparência e não em substância. Pare de


colocar sua

energia no que é superficial e não nas coisas que


você sabe

serem de real importância.


Você foi criado de dentro para fora; logo, precisa
cuidar

primeiro do seu interior. É do coração que procedem


as coisas

boas e as más.5 O problema está dentro de você.


Enquanto achar que a causa das dificuldades são
coisas ou pessoas, não

achará solução.
A verdadeira guerra se dá no seu interior. Sua
decisão mais

importante é a quem ou a que você entregará seu


coração.
Encontre tempo para olhar-se de verdade e pare de
usar

uma máscara social de felicidade. Quem para de


viver e apenas existe não é feliz.
Quem decide pode errar. Quem não decide já
errou.6
Você acorda; alimenta as crianças; toma café às
pressas;
procura as chaves e os óculos, já se preocupando
com as contas; enfrenta o trânsito caótico; trabalha
como uma mula;

engole o almoço; e fala ao telefone sem parar.


No fim de um dia estressante, espreme-se no
trânsito de

novo; volta para casa e termina o serviço; faz o


jantar ou o

come em silêncio; grita com os seus filhos para que


fiquem

quietos ou parem de brigar; revisa seus deveres


escolares; preocupa-se um pouco mais com
dinheiro; assiste TV sem

ânimo, navegando inquieto pelos canais; come outra


vez; de

tão ansioso, não consegue dormir; assiste a todos os


jornais

da TV até apagar, extenuado. Pela manhã, acorda


para viver

a mesma rotina penosa outra vez.


Mudar ou morrer - 11

Enquanto não buscar o propósito para o qual


nasceu, você continuará infeliz. Viver é mais do que
correr atrás de coisas, posições e status.

Trabalha muito e ganha pouco. Come, mas não se


farta.

Bebe, mas continua sedento. Veste, mas não se


aquece.

Recebe o salário, mas não dá para nada.7

Quando você não tinha nada, era feliz. Qualquer


brinquedo ou conquista barata lhe davam
contentamento. Não lhe era

preciso muito para dormir em paz.

Em paz me deito e logo adormeço…8


Está na hora de parar, revisar seu modo de vida e
tomar

decisões que não mais podem ser proteladas. Mude


de vida

antes que seja tarde.


Deus nos ama do jeito que somos, mas nos ama
demais

para nos deixar do jeito que somos.9


4 Autor desconhecido.
5 Provérbios 4.23.
6 Herbert Von Karajan, maestro alemão.
7 Veja Ageu 1.6.
8 Salmos 4.8.
9 Leighton Ford.
Capítulo3
Novidade de vida

Ainda há esperança! Não se conforme! Você nunca


foi, não é e nunca será um fracassado. Tudo pode
melhorar,

é só querer.

Viver não significa não enfrentar ou esperar que


tempestades passem. É navegar no meio delas. É
remar o melhor que se

pode, amar o mar e as pessoas que viajam conosco.


É enxergar

o que há de belo na travessia. Ainda que


tempestades nos

metam medo, não estamos sós.

O que seria de Davi se continuasse tomando conta


das ovelhas do seu pai? Ele jamais se tornaria rei de
Israel.10
O que seria de Beethoven se aceitasse a surdez sem
tentar

compor? Ele não teria composto a mais bela de


todas as sinfonias.
O que aconteceria aos judeus se Moisés não tivesse
voltado

para o Egito e enfrentado a fúria de Faraó? O povo


judeu ficaria escravizado por mais quatrocentos
anos.
Que tragédia aconteceria se Maria não cresse na
mensagem

do anjo, estivesse disposta a carregar em seu ventre


a semente do próprio Deus e enfrentasse os olhares
críticos e as palavras ferinas da sociedade da sua
época? Jesus Cristo não teria sido gerado, nascido,
crucificado, morto e ressuscitado. A humanidade
estaria perdida, sem salvação. Essas pessoas

tinham medo e fraquezas iguais as suas. No entanto,


com elas e apesar delas, buscaram e cumpriram o
propósito para o

qual nasceram. Por isso, transformaram-se em seres


humanos

incomparáveis. Mudaram tanto o seu destino como


o dos

seus semelhantes.
Não abandone os desafios nem busque alvos
pequenos,

ou transformará em rotina a sua existência. Vai errar


o alvo

para o qual nasceu. Todos nós nascemos para uma


missão inegável. Sem propósito não há paixão.
Os falsos alvos, como dinheiro, aprovação pública,

acumulação de bens, vícios e sexo, consomem a


energia do

ser humano. Ele passa a não ter compromisso com


nada.
Perde a fé na humanidade e, pior, em si mesmo.
Essa atitude

o leva para um vazio existencial.


Viver uma vida medíocre e sem graça em um
mundo tão

extraordinário é um pecado e uma afronta a Deus.


10 1 Samuel 16.1,11-12.
Capítulo4
O poder da amizade

Amizade faz bem: equilibra batimentos do coração,


afasta

cansaço,

depressão,

infecções

doenças

cardíacas.

Crianças saram depressa, brincam e convivem com


amiguinhos.

Afeto de amigos provoca descarga de interleucina e


endorfina, substâncias que fortalecem as defesas do
organismo. Conclusão: gente fechada e sem amigos
adoece mais fácil.

Separação é sinônimo de doença, indicando que


algo não vai bem. Biblicamente, apenas os que
sofriam de algo contagioso praticavam quarentena.
Mesmo assim, porque não existiam os recursos
preventivos ao contágio que temos hoje.

Aprender a se abrir a respeito dos fracassos e


sucessos é imprescindível para uma vida saudável.
Sem este tipo de honestidade, criamos uma falsa
imagem acerca de nós mesmos que produz pressões
desnecessárias.

Quando encontramos alguém que vê nossas falhas,


aceitando-nos do jeito que somos e nos amando
apesar dos tropeços, somos muito abençoados.
Ouvir, entender e permanecer amigo daquele que
erra é da mesma forma indispensável.14

Um amigo é uma porta aberta, introduzindo o


coração alquebrado em um lugar de refúgio e
descanso. O ferido encontra nos braços de um
amigo apoio, consolo e cura. O

lugar de maior realização de um homem não é o


assento de honra no meio dos poderosos, pois não
existe lugar de maior honra do que a aceitação do
coração de quem nos ama.15

Por toda a minha vida Deus me tem enviado anjos,


mas nunca os vi face a face. Todavia, Deus me tem
enviado seres maiores do que anjos, e a estes eu
encontro frente a frente.

Deus me envia amigos.

Por mais que o ser humano revele segurança e


força, existem certos momentos em que o desejo de
desistir é incontrolável.

Inúmeras vezes nos vestimos de festa e tentamos


ornamentar o rosto com um radiante sorriso. Porém,
no interior, um sentimento de perda e impotência
escurece com as nuvens pesadas do desânimo o
nosso labutar. Nestas horas, o que mais precisamos é
de um amigo.
Existem momentos em que necessitamos não
somente do divino, mas do socorro humano.
No fim de uma reunião na cidade de Marlboro, nos

Estados Unidos, Gustavo veio ao meu encontro com


um sorriso. Estendi-lhe minha mão, a qual ele
apertou

amigavelmente, à medida que seu rosto era


iluminado pela felicidade. Com sinceridade e
lágrimas nos olhos, ele disse: “Fui muitíssimo
abençoado em sua última visita a Boston”.

Encarei seus olhos e indaguei: “De que maneira,


através da mensagem?”. “Não”, respondeu ele
enfático. “Quando

cantei

ou

toquei?”,

insisti.
Novamente

resposta

foi

negativa. “Como, afinal, você foi abençoado?”,


perguntei, curioso. Sua voz, embargada e cheia de
gratidão, revelou: “Ao terminar a mensagem, o
senhor desceu da plataforma, atravessou o corredor
e se dirigiu ao hall de entrada. Eu era a última
pessoa; estava quase na saída, de pé, ao lado da
porta. Quando o senhor ia passando por mim,
parou, me

olhou, caminhou em minha direção, me abraçou e


me deu

um beijo no rosto. Meu pai nunca me beijou.


Aquele foi o dia mais abençoado da minha vida!”.
Um gesto de amor e lealdade fortalece muito além
das palavras. Um amigo compartilha sonhos e
problemas; ele está ao nosso lado, ouvindo,
encorajando e entendendo.

Deus precisa da compaixão de um amigo. A


compaixão o faz enxergar o sofrimento do próximo;
ela o leva a perguntar: “Como vai você?”. Ao
mesmo tempo, a compaixão o faz parar, permanecer
ao lado do ferido e esperar a resposta. A compaixão
é a mãe de todos os milagres. Ela constrói seu lar no
coração de um amigo.
Outra característica da amizade é a franqueza. Ela
faz o ser humano dizer ou ouvir qualquer coisa sem
rodeios ou melindres; dá o poder de olhar no fundo
dos olhos e repreender sem magoar.16 Nas vitórias
ou mancadas, o riso de um amigo se solta na
gargalhada feliz ou brincalhona. Nos fracassos e
tristezas, mesmo os amigos altos, fortes e másculos
ficam ternos e choram em simpatia e emoção.17
Amigos estão sempre prontos a perdoar, pois só
através do perdão a amizade é renovada.18
Terrível coisa é quando já não mais se pode falar o
que vem à mente espontaneamente. A amizade que
mede palavras, medrosa das reações e críticas do
outro, ou mascarada pelo sorriso amarelo,
certamente está se deteriorando.19 Neste caso, ela
precisa ser revista. Faz-se necessário um confronto,
um tête-à-tête aberto, sincero e restaurador.20
Ser irmão não basta, é preciso ser amigo. Ninguém
tem

amigos deste quilate, a não ser que ele mesmo seja


um amigo assim. Somente aqueles que são amigos
de verdade encontram de verdade amigos. Um bom
amigo é um tesouro que não tem preço. Quando
Deus nos dá um amigo, ele nos presenteia com um
companheiro para toda a vida. De fato, nas horas
cruciais, Deus geralmente nos envia anjos sem asas;
Deus nos envia amigos.21
Ao cultivar as memórias que tenho a seu respeito e
você

tem de mim, carregamos uma parte do outro dentro


de nós.

Você deixa uma marca de quem é no meu coração e


eu de

quem sou em você. Estamos um dentro do outro


mesmo que estejamos separados por milhares de
quilômetros. Mesmo depois da minha morte, você
ainda poderá ver a minha face, ouvir a minha voz e
rever os momentos que passamos juntos.

Estaremos gravados um no outro até a morte.


Desde que nos lembremos dos momentos que
vivemos

juntos, nunca estaremos longe. As lembranças se


tornarão marcas da nossa existência. Quando
infelizes, nossas memórias nos consolarão. Quando
estivermos felizes, as lembranças nos farão cócegas
para nos levar a sorrir e serão a causa da nossa
felicidade.
Quando esquecemos um do outro, uma parte de nós

morre. Mas quando somos lembrados, há esperança


para o nosso futuro. O ladrão na cruz pediu: “Jesus,
lembra-te de mim quando entrares no teu Reino”
(Lucas 23.42). Essa é uma oração que todos
sabemos orar muito bem. Desde que não sejamos
esquecidos, podemos viver. Por favor, não me
esqueça. Compaixão é a capacidade de sentir como
é viver na pele de outra pessoa. É o conhecimento
de que nunca haverá paz e alegria completas para
mim enquanto não houver paz e alegria para o
outro.
Todas as pessoas que oram ficam se questionando se
a oração delas é boa ou não. Na verdade, a maioria
ainda não compreende completamente o poder da
oração. Orar é mais do que fazer uma postura
reverente ou uma cara de piedade enquanto se
balbucia palavras bem construídas para o ouvido dos
homens ou inteligíveis aos ouvidos dos homens para
Deus escutar.
Até o silêncio que fazemos quando algo
surpreendente e

lindo nos acontece ou quando alguma coisa feia e


má aparece é oração. O grito de alegria ou
desespero que algumas vezes brota espontâneo ou o
gemido de dor de alguém que sofre é oração. Tudo
isso, mesmo sem nos darmos conta, de certa
maneira, é uma oração. Ninguém geme ou exulta
apenas para si. Ao gemer e exultar, falamos coisas a
Deus ou aos outros sem dizer nenhuma palavra.
Temos

uma

ideia
completamente

errada

do

que

santidade. A maioria acha que santidade é alguma


coisa que você só encontra quanto mais nega, rejeita
e se

abstém das alegrias, prazeres e coisas boas da vida.


Não!

Definitivamente não!
Santidade não vem com isolamento. Muitas vezes

isolamento gera orgulho, solidão, religião que


depende das obras e não da graça e do amor de
Deus. Santidade não nega a vida, mas santifica-a,
embeleza-a e a torna sagrada.
Santidade também não vem com a ausência ou
rejeição do prazer. Santidade não destrói ou anula o
prazer, ela o controla, o faz glorificar a Deus que o
criou, o faz respeitar o outro, sem usar o prazer de
forma egoísta ou maligna.
Santidade torna-o humilde sem humilhá-lo;
apequena-o

enquanto o engrandece, mortifica a carne, mas


beneficia o corpo, fortalece o espírito sem destruir a
vida, arranca-o do mundo, mas não teme a vida,
consagra o prazer enxergando sua beleza e valor.
Santidade faz de você consagrado, mas não
fanático.

Afasta-o do mundo, mas não o leva à esquizofrenia.


Muda seu estilo de vida, mas não o conduz à
esquisitice. Faz você abandonar comportamentos,
mas não condenar pessoas; amar a vida, não fugir
dela.
14 Jó 6.14
15 Provérbios 17.17.
16 Provérbios 27.6.
17 Provérbios 27.9.
18 Provérbios 17.9.
19 2 Reis 10.15.
20 Mateus 18.15.
21 Hebreus 13.2.
Capítulo5
Fomos chamados para o amor

Fala-se muito sobre unidade, porém pratica-se muito


pouco. A carta do apóstolo Paulo aos efésios, em
seu capítulo 4, instrui os crentes a “manterem” a
unidade. Especificamente no versículo 4 e no 13 fala
que a meta do ministério cristão é “atingir” unidade.

“Unidade é definida como o estado de ser indivisível


ou ininterrupto. É a representação de todo numeral
menor. Ela tem a qualidade de ser unida em um.
Unidade pode denotar uma combinação de todas as
peças, elementos e indivíduos em um todo eficaz”
(Wikipedia). “É a representação de todo numeral
menor.” Isso seria a palavra “um”, usada para
descrever a muitos.

Então, como você adora, que igreja frequenta ou


mesmo suas conclusões sobre uma doutrina bíblica
especial não são causas ou até mesmo pistas da
unidade dos cristãos. A maioria tem uma lista de
crenças e práticas que outras pessoas devem aceitar
e praticar antes de poder se unir a eles. Isso não é
“unidade”, e sim “homogeneidade”. Dizer as
mesmas palavras e praticar as mesmas atitudes não
conduz ninguém à unidade.

Uma leitura cuidadosa da oração de Jesus em João


17 revela a verdadeira unidade cristã. Ouça as
palavras do Mestre. Minha oração não é apenas por
eles. Rogo também por aqueles que crerão em mim,
por meio da mensagem deles, para que todos sejam
um, Pai, como tu estás em mim e eu em ti. Que eles
também estejam em nós, para que o mundo creia
que tu me enviaste. Dei-lhes a glória que me deste,
para que eles sejam um, assim como nós somos um:
eu neles e tu em mim. Que eles sejam levados à
plena unidade, para que o mundo saiba que tu me
enviaste, e os amaste como igualmente me amaste.
Pai, quero que os que me deste estejam comigo
onde eu estou e vejam a minha glória, a glória que
me deste porque me amaste antes da criação do
mundo (João 17.20-24).
Assim como o pai e o filho são “um”, se Cristo
habita em nós, temos que ser “um”. Unidade
começa e tem sua origem em nossa relação
individual com Jesus Cristo. Se você não é um com
Deus, por meio de Cristo, é impossível que tenha
unidade com outro cristão. É esta relação de amor
sobrenatural que resulta na “unidade”; não é a
observância de doutrinas, o uso de expressões cristãs
ou a participação na mesma igreja. Unidade nada
tem a ver com a maneira como adoramos ou com o
que aprovamos ou reprovamos.

Cada cristão verdadeiro é um com Deus Pai, um


com Jesus, e por causa dessa unidade infinita e
indivisível também tem que ser um com qualquer
outra pessoa que está em Cristo Jesus. Por isso Jesus
orou estas surpreendentes palavras sobre o amor de
Deus por nós: “... e os amaste a eles como
igualmente me amaste” (João 17.23b).

Quem compreende o que Jesus diz em sua oração


tem que admitir que ainda não vive a unidade. Deus
me ama como Ele ama Jesus! Deus o ama com o
mesmo amor puro que Ele tem pelo seu filho Jesus.
Que maravilha! O alicerce da unidade
Fomos chamados para o amor - 23

dos cristãos é: “Deus tanto amou o mundo…” (João


3.16). O Deus-amor nos une consigo mesmo em
Cristo. E só há um número que pode descrever essa
unidade de Deus com seu povo: “um”.

A unidade é um dom de amor, é a expressão


máxima da graça do Deus incomparável. Deus
estava em Cristo. Jesus, com uma mão, segura a
mão de Deus o Pai e com a outra segura a mão dos
pecadores para, dessa maneira, aproximálos do Deus
Santo, redimir os nossos pecados e tornar-nos “um”.
Fomos “reconciliados”" com Deus e justificados por
Cristo. Tudo isso aconteceu sem nossa mínima
intervenção, sem nossos esquemas e habilidades.

Não temos o direito de decidir com quem temos


comunhão, com quem adoramos ou com quem nos
relacionamos em Cristo. Em qualquer lugar onde
encontramos alguém que confessa Jesus Cristo
como Senhor e Salvador e se relaciona com Jesus,
não podemos decidir se vamos ou não ser “um” com
ele. Em Cristo já somos “um” e não há como mudar
esse fato. Qualquer um que está em comunhão com
Cristo tem que ser bem-vindo à mesa da unidade.
Viver outra coisa é pecado e revela que estamos
longe do Pai.
Capítulo6
Um dia com mamãe

Apesar de estar casado há 36 anos, pelo menos uma


vez por mês visito outra mulher e almoço com ela.
Embora Janice tenha absoluta certeza do meu amor,
ela também sabe que essa outra mulher me ama há
bem mais tempo e precisa que eu passe algum
tempo com ela de vez em quando.

A outra mulher a qual minha esposa não se importa


que eu visite é minha mãe. Viúva há 34 anos, ela
criou os seis filhos, dos quais cinco são pastores.
Mesmo ocupado e viajando constantemente, sempre
encontro tempo para telefonar para ela e passar
algum tempo ouvindo suas histórias e dando-lhe um
pouco de atenção. Todas as vezes que lhe telefono
ela faz questão de agradecer-me, como se eu
estivesse fazendo-lhe um grande favor.

Por mais que eu queira levar mamãe para almoçar


fora, ela faz questão de preparar o meu prato
favorito e nunca se esquece de fazer algumas
“malassadas”, uma espécie de panqueca grossa, que
gosto de comer com café.

Tento desfrutar da companhia de mamãe o mais que


eu posso. Às vezes, depois de uma viagem, mesmo
cansado e ansioso para chegar a casa, encontro
Janice no aeroporto e subimos a serra de Petrópolis
para visitar mamãe por algumas horas.

Quando ela se dispõe a sair comigo ou quando a


levo à igreja, ela aparece vestida com uma roupa que
é minha velha conhecida. Nunca sei o que ela faz
com os vestidos que lhe dou de presente. Seus
cabelos, bem penteados e ainda pretos, são espessos.
Seu inconfundível perfume de Leite de Rosas enche
o ambiente. Dou-lhe meu braço para que ela se
apoie, e com dificuldade ela entra no carro exalando
felicidade.

Certo dia eu a acompanhei em uma visita a alguns


familiares e ao enterro de tia Marieta. Notei que seus
olhos miúdos dançavam de alegria quando ela via
seus amigos e parentes surpresos pela minha
presença. Com orgulho e radiante, ela me exibia
como alguém que recebe um troféu depois de
vencer uma corrida.

Mais tarde levei-a a um restaurante não muito


elegante, mas simpático e rústico, em Itaipava. Ela
entrou apoiandose no meu braço, como se fosse a
primeira-dama de um país imaginário. Depois de
sentar-se, examinou o restaurante, comentando
sobre a decoração e as velas que estavam em cima
da mesa. Li o cardápio para ela, já sabendo que
escolheria filé e fritas. Enquanto esperávamos pela
comida, ela segurou minha mão e acariciou-me com
ternura, colocando seus olhos miúdos nos meus
como um beijo.

Durante o almoço, que ela comeu com avidez, sem


deixar nada no prato, conversamos sobre coisas
triviais, apenas colocando os assuntos em dia. As
horas passaram rapidamente; deixei mamãe em sua
casa e não fui embora sem tomar café e levar
algumas “malassadas” para o meu café da manhã do
dia seguinte. Cheguei a casa à noite feliz e
abençoado pela presença forte e meiga de mamãe.
Sempre que a visito saio de sua casa com uma
certeza renovada. Apesar de todos os erros que
cometemos, ou venhamos a cometer, filhos e pais
sempre vão se amar. Se a gente não aprendeu isso,
não aprendeu nada. Nosso coração chora
Um dia com mamãe - 27

e ri por causa um do outro. Pais não choram por si


mesmos, porque os filhos fazem bobagem, perdem
dinheiro ou deixam de procurá-los. Choram por
saberem que os filhos sofrem e pelas consequências
que seus erros os levam a enfrentar.

Pais amam quando veem os filhos fazendo coisas


boas, das quais se sentem orgulhosos. Mas quando
tudo vai bem, não é o tempo de amar com mais
intensidade. O verdadeiro momento de amar é
quando eles sabem que os filhos estão feridos,
humilhados, desolados e não entendem como
conseguiram fazer certas coisas que não deviam.
Pensam que estão agindo certo, mas acabam por
fazer o que é errado; e por mais que tentem
consertar as coisas, não conseguem. Então,
descobrem que a vontade de ser alguém acaba por
levá-los a um beco sem saída que lhes castiga muito
mais do que o erro em si.

A vontade de fazer os pais orgulhosos é tanta que


passam do ponto. Esquecem que sozinhos a gente
não vai muito longe. Nem filhos nem pais podem
viver sem o outro. Sem ajuda, diálogo, conselho,
verdade, fidelidade e perdão, o amor não vai muito
longe. Filhos precisam descobrir que os pais sempre
os perdoaram, não importa o que aconteça. Ainda
que os pais fiquem abalados. Ainda que eles não
saibam o que fazer para tirar os filhos da confusão
em que se meteram.

Mas, como sempre, com a ajuda de Deus, eles vão


dar um jeito. Trabalharão e se sacrificarão para que
os filhos saiam do emaranhado como tantas outras
vezes saíram. Não porque pais sejam perfeitos ou
porque nunca erraram, ou não erram agora que são
maduros, mas por causa da graça misericordiosa e
amor que parece morar no coração deles. É amor
ofertado quando os filhos nada fazem para merecer.
É o perdão concedido quando nada fizeram para
conquistá-lo. É a dádiva da presença de Deus,
derramada sobre a alma como águas refrescantes
que apaga o fogo ardente da culpa, que faz
desaparecer o gosto amargo da derrota, que arranca
do coração a ira e enche outra vez o coração de
esperança.

O amor que os pais oferecem é como o amor de


Deus, mais abundante que a rejeição que fazemos a
nós mesmos por fracassar. Mesmo que as lutas não
tenham fim. Pais sabem que o amor os mantém
vivos no campo de batalha. Apesar da dor, pais
conseguem se levantar e continuar a jornada. As
dificuldades nos ensinam muito. Eles não
desanimam. Cada manhã, ao acordar, eles se
colocam de pé, sabendo que a possibilidade do erro
é real, mas o amor que os une é mais forte do que as
bobagens que fazemos. Nada pode fazer os pais
deixarem de amar.
Capítulo7
Ser discípulo

Ser discípulo e querer crescer. Somente aquele que


descobre a alegria e o excitamento de crescer está
preparado para liderar o povo de Deus. Crescer e
estar aberto para novos lugares, novas experiências,
nova fé e novos desafios.

Ser um discípulo significa muitas vezes ficar


sozinho, ter uma “pequena fé”, “sentir medo” ou
ficar “cheio de dúvidas” (Mateus 28.17). Contudo,
seguir em frente sem “desistir”, apesar do medo. É
ter fraquezas, sabendo que nelas o poder de Deus se
aperfeiçoa (2 Coríntios 12.9). É ser livre, mas
tornar-se escravo de todos (1 Coríntios 9.19). É
viver numa fronteira, como que andando num fio,
entre a vitória e a derrota, entre o sucesso e a queda.
É viver uma criativa tensão entre a fé e o medo,
entre crer e não crer. É muitas vezes dizer: “… se
queres, afasta de mim este cálice…” (Lucas 22.42).
Na crise surgem nossos velhos “fantasmas” e
problemas, entretanto Deus faz nascer novas
oportunidades e nos revela que passo dar adiante,
fazendo com que vivamos no presente seu futuro
reino. Ser discípulo é trazer o que não existe para o
agora e para o já. É ter um estilo de vida tal que uns
respeitam, outros criticam e muitos querem imitar.

É viver com um Deus criativo, que cada dia faz


acontecer algo novo, de tal modo que nos é
impossível relatar nossas novas experiências. É ter a
experiência do ontem, mas viver um novo e pleno
hoje. Na presença de Deus há uma dinâmica e uma
alegria. Deus é Deus da aventura e do excitamento.
Rotina não existe no dicionário de Deus. Logo, ser
discípulo é viver uma vida de excitamento constante,
de enorme expectativa, sempre esperando que o
novo de Deus apareça.

Quantos já não receberam sua palavra amiga, de


estímulo, revelando sempre a Deus e alguém que
anda com Ele. Todo tempo com um sorriso, pronto
a parar, dar atenção, abraçar e consolar. Tenho
andado com homens assim. Nas muitas viagens que
faço e ao longo da minha vida, encontro discípulos
formidáveis, homens e mulheres, sempre prontos a
servir; não reclamam, procuram atender às
necessidades de todos, fazendo tudo para que
estejamos contentes.

Já senti sua mão amiga tocando meu ombro. Já vi


seu rosto molhado por lágrimas derramadas por
aqueles que se foram e por aqueles que voltaram. Já
sentei ao seu lado, vendo adorar a Deus com a
alegria de um novo convertido, adorando a Deus
como se fosse seu primeiro dia, orando pelos
colegas e pela igreja como se disso dependesse sua
própria vida.

Essas pessoas frequentam estudos bíblicos sem se


importar se são mencionadas ou não. Ouvem
colegas pregar, vibrando com a Palavra de Deus,
parecendo que vão aceitar o apelo de tanta atenção.
Dizem amém e aleluia no gozo do Espírito e na
satisfação de ver seu discípulo dizendo verdades que
elas ensinaram. Em nossas derrotas seus olhares não
criticam e na vitória vibram como se fosse a deles.

Já as vi limpando cadeiras e varrendo o chão. São as


primeiras a contribuir com o quer que seja. Têm
sempre uma nova ideia, um novo motivo e uma
nova emoção. Embora as critiquem, elas
permanecem mansas. Na calúnia, oferecem perdão.
Sofrem pela igreja amada, levando marcas na alma,
Ser discípulo - 31

que os fazem gemer na intercessão, derramando o


coração em favor da igreja. Elas conseguem
enxergar adiante, fortalecendo a esperança do
começar de novo, do esquecer o ontem e correr
como um menino para o amanhã que entendem por
certo e vitorioso. Seus lábios tremem na emoção
incontida. Suas mãos se erguem em adoração
Àquele a quem elas dão sua vida. Contemplam a
face adorada com consagração sem medida.

Posso vê-las felizes quando contemplam um


batismo. Só a eternidade poderá recompensá-las,
pois em tudo que somos, em tudo que pensamos,
em tudo que cremos, em tudo que esperamos, em
tudo que temos e em tudo que sonhamos está um
pouco do que esses discípulos são. Muitos de nós
nada seríamos sem a ajuda e trabalho dessas pessoas
formidáveis.

Elas são o amor encarnado, consagrando seus dias


ao Senhor da Igreja que elas ajudaram a erguer. São
pessoas para admirar, honrar e imitar. “Dele dou
testemunho de que se esforça muito por vocês…”
(Colossenses 4.13); “Valorizem homens como estes”
(1 Coríntios 16.18).
Capítulo8
A terrível aflição

Sei que suas lutas não têm sido fáceis. Às vezes elas
são tão grandes que você pensa até que Deus o
esqueceu. Em

sua mente vem uma porção de porquês. Não


entende o que

está acontecendo e lhe faz muito mal o aparente


silêncio de Deus. Quando essas coisas acontecem, é
difícil ver uma saída.

Você se fecha dentro de si mesmo e levanta um


muro à sua

volta. Às vezes, como Elias, sente pena de si. Tem


vontade de morrer, de parar, de sumir, de ir para o
céu de uma vez, como uma forma de escapar do
que está sentindo.
Com tudo isso, vem a doença não diagnosticada e
uma tristeza profunda. O céu parece de bronze,
fechado a sete chaves, poucos o procuram e na
verdade não tem ninguém

que o ajude. Nessas horas quer orar, mas não pode.


Quer ler a Bíblia, mas não encontra a palavra que
gostaria de ler.

Quer companhia, mas teima em ficar sozinho. Diz


que quer

morrer, quando na verdade deseja viver. Acaba


magoando aqueles a quem mais ama. Faltam-lhe
forças, existe um aperto no coração, uma angústia
na alma e uma dor no peito. A fome se vai, o prazer
se acaba, a esperança parece morrer e se sente
vencido e mal.

Quanto mais pensa nos seus problemas, quanto mais


fala neles, quanto mais lembra o passado, quanto
mais magoa a

si mesmo, quanto mais culpa a todos, quanto mais


questiona
a Deus, mais se sente
34 - O chamado do amor
abandonado e só. Procura em si ou em outros a
razão de tanto sofrimento. Pensa que se coisas

ruins lhe acontecem tem que haver um culpado.


Muitas vezes ninguém é culpado. Coisas ruins
acontecem com

todos. Acredite, você é amado, foi limpo e lavado. É


preciso acreditar em si mesmo. Aceite as coisas que
lhe aconteceram.

Creia que elas podem ser mudadas. Você tem que


dar a volta

por cima. Disso depende a sua própria vida. Dessa


atitude

depende o futuro da sua família. Depende a igreja e


o reino de Deus. Não aceite esse estado de coisas.
Você não foi salvo para este tipo de vida. Afinal,
você é filho do Rei dos reis e Senhor dos senhores.

O remédio é o mesmo que você tantas vezes ensinou


aos outros. Tem que tomar do mesmo cálice que por
tantas vezes deu para curar a outros. Tem que
esquecer. Tem que

perdoar. Tem que lutar. Tem que parar de lamentar.


Tem que

se levantar. Tem que saber que ainda há esperança,


que Deus não está morto nem aposentado. Ele não
mudou, é o mesmo,

Ele operou no passado e fará um milagre outra vez.


Tem que

se agarrar à esperança, abraçar a vitória. Tem que


crer no futuro. Tem que ter convicção de que foi
chamado, escolhido, separado, importante e amado.
Para uma grande obra e um

grande momento na história você está vivo. Tem que


colocar

dentro de si a mesma fé que tantas vezes já colocou


na vida dos outros. Tem que voltar a orar com o
mesmo poder. Ter a
mesma sede de Deus. Ter a mesma paixão pelas
almas. Tem

que ficar curado da desilusão. Tem que voltar a


acreditar nos homens, pois Deus acredita em você.
Tem que encarar as mesmas pessoas, enfrentar os
mesmos riscos, lutar as mesmas lutas, trilhar os
mesmos caminhos, carregar a mesma cruz e

vencer, como sempre, em Deus.

Sei que não é fácil, mas não foi fácil o princípio da


sua vida de fé; não foi fácil começar a igreja; não foi
fácil enfrentar demônios; não foram fáceis os
primeiros anos, não foi fácil a solidão e não foram
fáceis as vigílias, os jejuns e as intempéries. A
diferença é que no passado você acreditava no
impossível. Olhava o futuro com alegria. Estava
pronto a morrer pelos outros e por seu Deus.
Acreditava, trabalhava, doava-se, amava, perdoava,
buscava, ajudava, não havia obstáculo alto demais
ou rio fundo demais.

O tempo de ontem jamais voltará. Foi uma coisa


boa que passou. Dura realidade! Isso é mau? NÃO,
NÃO, mil vezes

NÃO! Deus é Deus do novo. Deus é Deus do


ontem, mas

é muito mais Deus do hoje e do amanhã. Deus é


Deus do

renovo, de milagres maiores, de glória em glória, de


triunfo em triunfo e de fé em fé.

Acredite em você, Deus sempre acreditou. Eu


acredito no homem/mulher de Deus que você é.
Todos lhe devem muito. A igreja e a sua família
precisam daquela pessoa cheia de fé e ideias, alegre,
feliz, que lutava, caía, levantava, vencia, pregava,
orava, evangelizava, visitava, chorava, derramava o
coração. Você via coisas que outros não viam e
abençoou milhares. Você é amado e muitos
dependem de você. Se você

for vencido, muitos o serão também. Você tem um


grande

Deus e não será agora que Ele deixará de fazer


grandes coisas em sua vida. Cuide do seu coração,
da sua mente, da sua própria saúde e seja feliz. Um
coração sangrando só ajuda alguém se não sangrar
até a morte. Continue lutando!

No filme em que Silvester Stallone interpreta Rocky


Balboa na meia-idade, ele não se sente feliz a não
ser lutando.

Então, resolve voltar a lutar pelo menos mais uma


vez, mesmo estando com 54 anos. O campeão
mundial dos pesos-pesados
O chamado do amor
resolve fazer uma luta de exibição e convida Rocky
para lutar

contra ele.

O único filho de Rocky, que pouco se relaciona com


o pai, resolve demovê-lo da luta. Argumenta que
sempre viveu à sombra do pai, que todos o
conhecem como filho de Rocky e

que agora que ele está vivendo sua própria vida


Rocky resolve chamar atenção e fazer do filho um
coadjuvante mais uma vez.

Seu filho tenta mudar quem Rocky é a qualquer


custo. Ele ainda não sabe que, infeliz ou felizmente,
ninguém consegue mudar as outras pessoas. Temos
apenas o poder de mudar a nós mesmos. Tentar
mudar o outro ou fazer os outros escolherem entre
quem são e quem gostaríamos que eles fossem não
adianta, só cria atritos. O rapaz deveria aprender a
mudar o que podia mudar – a si mesmo –, deixando
o que

não podia mudar para Deus – os outros. Deus é


poderoso

para fazer aquilo que somos incapazes de fazer.

Quem ama e quer o bem dos outros é uma boa


pessoa.

Lógico que há limites para esse cuidado. Mas


quando alguém

não enxerga o ponto de vista do outro, o caminho


não é ficar apontando seus erros. Erros, quando
apontados, têm a

tendência de aumentar. Melhor focalizar os lados


positivos

dos outros, não os negativos. Dialogar é uma coisa,


discutir e querer impor sua vontade é outra bem
diferente. Não aponte

erros, aponte soluções. Não diga o que está errado,


diga como você se sente. Não culpe os outros, ou os
outros ficarão na defensiva e se defenderão,
atacando-o. Procure não colocar

ninguém contra a parede. Há momentos em que não


dá para

escolher lados. Tente amar a todos como são. É


melhor não

concorrer com ninguém. Falar bem de todos dá mais


fruto

do que criticar. Quando não conseguir dar jeito nas


coisas, lembre-se, Deus dá jeito naquilo que parece
não ter jeito.

Assim, em tudo, façam aos outros o que vocês


querem que eles lhes façam; pois esta é a Lei e os
Profetas (Mateus 7.12).
Após desabafar e agredir os sonhos do pai, seu filho
diz:

“Pai, eu sinto vergonha de você”. Rocky responde:


“Você não sente vergonha de mim, sente vergonha
de si mesmo. Você

tem se humilhado para todo mundo, sendo a pessoa


que os

outros querem, não sendo quem nasceu para ser.


Meu filho,

você nasceu para ser mais do que isto. A vida não é


um arcoíris colorido. Nada bate mais duro na gente
do que a vida.

Nesta vida, meu filho, o que importa não é quantos


socos você é capaz de dar ou a força com que pode
bater; o que

importa é o quanto você é capaz de apanhar, cair,


levantar e continuar lutando”.
Rocky está certo. Não queira agradar os outros à
custa dos

seus sonhos. Não sinta vergonha de ser quem é. Não


tenha

receio das pancadas da vida. Tenha medo de desistir,


de parar de tentar. Levante-se! Deus é com você.
Nada é impossível!

Você vai conseguir!


Por essa causa também sofro, mas não me
envergonho,

porque sei em quem tenho crido e estou bem certo


de que

ele é poderoso para guardar o que lhe confiei até


aquele dia (2 Timóteo 1.12).
Capítulo9
Viver dói

O grande ator Anthony Quinn interpreta um


esquimó chamado Inuk no filme Sangue sobre a
neve. Talvez você não saiba, mas para um esquimó
nada é mais importante do que seus cães. Ele é
capaz de emprestar a mulher, porém nunca
emprestará os cachorros, pois depende deles para
sobreviver no gelo. Sem os cães, ele não pode
locomover-se, caçar, pescar ou continuar vivo.

No filme, Inuk é preso por dois homens brancos, e


eles viajam em meio a uma tempestade de neve. O
vento sopra sem parar, trazendo lufadas de neve e
atrapalhando a visão do caminho. Inuk avisa aos
brancos que eles estão viajando sobre o mar e que o
gelo pode quebrar a qualquer momento. Pede para
que os policiais permitam que ele os guie, já que
conhece melhor o Ártico. De repente, o gelo se abre
e um dos homens cai na água gelada. Rapidamente,
o outro policial segura as mãos do amigo para salvá-
lo. Inuk grita para que ele não enfie as mãos na água
congelante. O policial não o escuta, coloca as mãos
na água e puxa o amigo para fora. As roupas
molhadas congelam imediatamente; o policial tenta
arrancá-las cortando-as com uma faca.

Inuk avisa que o esforço é inútil. Em segundos o


homem está morto. Como as mãos do policial
ficaram por tempo demais na água gélida, Inuk,
sabiamente, arranca as luvas do policial
40 - O chamado do amor

para ver o estrago. As mãos estão congeladas por


causa do frio. Sem tempo para acender uma
fogueira, já que precisa aquecer as mãos do policial
rapidamente para salvá-lo, Inuk corre até os cães,
solta um deles e o traz para perto do policial. Pega a
faca e sem dó a enfia na barriga do cão, rasgando-a.
Então coloca as mãos dormentes do policial dentro
da barriga do cão. Assim, o sangue quente aquece-
as, salvando-o da morte. Ele grita sem parar: “Está
doendo, está doendo!”. Inuk permite que ele tire as
mãos de dentro do cão e diz: “Você não é capaz de
suportar a dor?”. O policial, querendo demonstrar
coragem, enfia as mãos no sangue quente outra vez.
Inuk afirma: “Está doendo? É a vida voltando. Só a
morte não dói”. O policial foi salvo.

A dor diz que você ainda está vivo. Enquanto


houver dor é sinal de que o Espírito Santo ainda está
agindo em sua vida. A ausência da dor significa que
a morte está perto. É possível morrer sem dor, mas
nada nasce sem dor. Portanto, não se desespere.
Está doendo? É sinal de que Deus está agindo para
realizar o parto da vitória em sua vida. Está doendo?
Chegou a hora de dar à luz o milagre.

A mulher que está dando à luz sente dores, porque


chegou a sua hora; mas, quando o bebê nasce, ela
esquece a angústia, por causa da alegria de ter vindo
ao mundo um menino. Assim acontece com vocês:
agora é hora de tristeza para vocês, mas eu os verei
outra vez, e vocês se alegrarão, e ninguém lhes tirará
essa alegria (João 16.21-22).

Não quer sentir dor? Então jamais será um


guerreiro. É preciso preparar-se, pois viver dói. Um
soldado, antes de ir à guerra, deve preparar-se –
entrar em forma, aprender a usar as armas, obedecer
às ordens dos superiores sem titubear, confiar nos
seus líderes cegamente e estar pronto para os
imprevistos, sem medo.
Viver dói - 41

Antes de querer viver pela fé, prepare-se, estude,


aprenda a pregar, obedeça às ordens do seu pastor,
arrume sua vida para não deixar nada que o inimigo
possa usar contra você, conserte tudo, rompa com o
passado, abandone as coisas desnecessárias que
impeçam o seu livre caminhar e esteja disposto a
enfrentar as dificuldades. Só depois Deus o levará a
viver pela fé. Não coloque o carro antes dos bois.

Nenhum soldado se deixa envolver pelos negócios


da vida civil, já que deseja agradar aquele que o
alistou. Semelhantemente, nenhum atleta é coroado
como vencedor, se não competir de acordo com as
regras (2 Timóteo 2.4-5).
C a p í t u l o 10
Criatividade

Os melhores líderes não resistem a mudanças, eles


a simbolizam.
David Ogilvy

Tenha coragem de mudar, criar e ser diferente.

Desenvolva a audácia de ser desigual e arriscar. Não


tema tornar-se diferente daqueles que o
influenciaram. Você não precisa tornar-se um clone
das pessoas que o instruíram.

Duplicar seus métodos e posturas não garante o


sucesso. Você não foi criado para ser um eterno
coadjuvante. Atreva-se a desempenhar o papel de
ator principal. Descubra o poder criativo, força e
aptidão existentes em você.

Para chegar ao sucesso não se pode imitar gestos


conhecidos para sempre; ouse criar.
Uma nova ideia encontra um visionário ou morre.

um visionário tem a energia e a persistência para


lidar com a indiferença e resistência que as
mudanças provocam. Na verdade, a inovação, a
princípio, só tem uma pessoa que acredita nela. O
biógrafo de Thomas Edison disse que o que
impulsionava o inventor é que, não importava qual
era o obstáculo, ele com firmeza inabalável
trabalhava até demolilo. Edison, com vontade férrea,
estava determinado a vencer as barreiras até dar
forma às suas ideias.
Hoje, alguns líderes, como alguns técnicos de
futebol, preferem liderar subalternos táticos,
obedientes, disciplinados e equilibrados. Para alguns
liderados, obedecer cegamente é também mais
cômodo. Quando a instituição vai mal e não

cresce, é seguro dizer que a culpa não é deles, pois


cumpriram fielmente as ordens superiores.
Já os “superiores” justificam a ineficácia do
crescimento apontando a negligência dos seguidores.
Se a organização vai bem, é porque os educandos
foram fiéis, determinados e aplicados, cumprindo à
risca as determinações dos chefes.

Os dirigentes raramente tecem elogios afirmando


que o fator responsável pelo sucesso da entidade
deve-se a uma belíssima “jogada” individual, ao
carisma, à coragem em arriscar e inovar do servidor.
É sempre a sociedade, o trabalho em grupo, o
esquema tático ensinado pelos superiores as razões
fundamentais do crescimento e não a individualidade
de um

“jogador” solitário.
Queira ou não, existem alguns jogadores que
nasceram

com aptidões especiais e sabem como decidir “uma


partida”.

Alguns líderes, ainda como certos treinadores de


futebol, têm dificuldades em lidar com os “craques”.
O talento é relegado a plano secundário em favor da
obediência sem contestação tática. Os talentosos e
inovadores são, às vezes, considerados como
indisciplinados taticamente, perturbadores da
unidade, inventores que querem mudar a ordem das
coisas. São

transgressores, no sentido de ir além dos limites, de


ultrapassar as barreiras e violar as leis e regras
institucionais.
A disciplina, a ordem, o equilíbrio são essenciais em

qualquer atividade, mas precisam estar associados à

criatividade, à improvisação e à beleza. Não basta


ser eficiente na mesmice e burocracia. É necessário
encantar, inovar,
Criatividade - 45

fazer o velho de maneira nova e atraente. Não basta


apenas conservar os “marcos antigos”; é preciso
conquistar novas terras. É lógico que existem pontos
e princípios inegociáveis, mas perdendo os sonhos
também perdemos a vida, pois deixar de criar é
deixar de viver.

Exaltar a inalterabilidade da instituição, negando aos


novos pensadores o direito de criar e teologizar, é
trancar os líderes emergentes na prisão da
indiferença. É querer mantê-los numa camisa de
força. É induzi-los a uma vida menor e enterrar seus
talentos. Não se pode rejeitar o novo que já não se
pode ter. Não se deve controlar a juventude para
manter posições arraigadas.

Neste “campo” abstrato, o “jogo” é feito para


anular, suprimir, eliminando na origem o que
poderia causar futuros problemas, onde não é
permitido reinventar. A visão proposta, ao invés de
contagiosa e entusiástica, é anestesiante.

Assim, novos líderes, com as incertezas da sua


juventude, ficam entre a dúvida e a própria
realidade. Como enfrentar líderes maduros que os
conduzem a acreditar na negação das suas visões
interiores? Como realizar seu próprio sonho se eles
são obrigados a apenas preservar posições
preconcebidas?

Com medo de serem taxados de rebeldes ou


desobedientes, os líderes emergentes adaptam-se,
acomodam-se e interiorizam seus anelos. Passam
apenas a “jogar o jogo” sem nenhuma ousadia ou
entusiasmo inovador; tornam-se especialistas em
“retranca”. Reprimem seus sonhos. Param de
crescer como pessoa. Mostram-se apáticos e
atordoados pela experiência de liderar. Abafam suas
próprias convicções. Perdem o chamado visionário e
o trocam pelo chamado à estabilidade.

Submissos e passivos ao “esquema tático”, cumprem


todas as ordens com eficiência engessada; correm
como loucos, o

tempo todo, assegurando o continuísmo à custa da


realização e contentamento; ficam seguros e
passivos defendendo posições, cargos institucionais e
a própria segurança.

O problema com este modelo e atitude é que o


“jogo”, na maioria absoluta das vezes, acaba zero a
zero, pois o medo de perder lhes rouba a vontade de
ganhar.

Mas agora, morrendo para aquilo que antes nos


prendia, fomos libertados da Lei, para que
sirvamos conforme o novo modo do Espírito, e
não segundo a velha forma da

Lei escrita.

Paulo de Tarso22
22 Romanos 7.6.
C a p í t u l o 11
Autoestima

Aquilo em que você acredita forma a base para sua


conduta, caráter e destino.

Enxergue muito além da imagem refletida no


espelho. Veja além das dores do passado, além das
aflições do presente, além

das dúvidas do futuro. Vislumbre os planos


extraordinários

que Deus tem para você; planos de fazê-lo


prosperar, de encher

de esperança o seu amanhã. Em vez de aceitar


passivamente

os limites de si mesmo ou impostos pela vida,


circunstâncias
ou pessoas, revele bravura, duvide de suas dúvidas;
permita

que o brilhantismo que Deus plantou em você cintile


com

exuberância. Ele quer resplandecer sua luz em você


e através

de você até que o mundo esteja cheio da sua glória.

O que você acredita a respeito de si, das pessoas, da


vida e de Deus molda sua vida. O que você crê é a
base de sua conduta,

caráter e destino. Uma conduta errada tem como


base uma

crença errada. Os criminosos acreditam que podem


se safar.

Os prisioneiros creem que alguém os colocou na


cadeia.

Drogados acreditam que as drogas lhes darão


felicidade. Os

homossexuais entendem que foram feitos do jeito


que são. E

os derrotados acreditam que não podem vencer.

Você é aquilo que acredita ser.


Aristóteles, o grande filósofo, ensinou que um
objeto

pesado atinge o chão mais rápido do que um mais


leve. Porque

ele era um dos maiores pensadores de todos os


tempos, as pessoas acreditaram nele sem questionar.
Finalmente, dois mil anos depois da morte de
Aristóteles, Galileu convidou alguns estudiosos para
comparecerem à base da torre italiana

de Piza. Então, ele subiu até o topo da torre e jogou


dois pesos torre abaixo, um de 10 e outro de 1 quilo.
Para surpresa de

todos, os pesos atingiram a terra ao mesmo tempo.


Entretanto, o ensino errado de Aristóteles estava tão
arraigado nas mentes dos professores que assistiram
à

demonstração que eles se recusaram a acreditar no


que viram.

Eles negaram o experimento de Galileu e insistiram


em

continuar ensinando a teoria errada de Aristóteles. O


poder

do que eles acreditavam e aprenderam era tão forte


que não

admitia a possibilidade de eles estarem errados. Ao


invés de

aceitarem a verdade, eles persistiram acreditando no


erro.

O que você crê pode impulsioná-lo para a vitória ou


encarcerá-lo na derrota; pode liberar suas emoções
para a alegria ou amarrá-lo em um estado de dor e
autopiedade.

Muitas pessoas aprenderam ensinos errados e por


causa deles

continuam a viver errado. Elas se agarram tão


fortemente ao que acreditam ser verdade que não
admitem mudanças.

Existem momentos em que é preciso mudar.

Maxwell Maltz, um cirurgião plástico e escritor, fez


um estudo por causa da atitude dos seus pacientes
após a cirurgia.

Ele descobriu que a aceitação ou rejeição de si e do


trabalho

do cirurgião é determinada por aquilo que os


pacientes

acreditam a respeito deles antes e depois da


operação.

O que você crê determina os seus relacionamentos -


não somente com os outros, mas muito mais com si
mesmo. A

maneira como você se enxerga influencia o modo


como vê os

outros. As verdades nas quais você acredita têm o


poder de

atrair ou repelir. Fé atrai o positivo. Medo chama o


negativo.

Quando você acredita em algo, seja ele verdadeiro


ou não,

para você é real. Se você acredita, não importa se


tem base na

verdade, percepção, fantasia ou em ouvir dizer,


acredita no

fato, então para você ele é verdadeiro. O que


cremos pode

trabalhar tanto a nosso favor como contra nós.


A incredulidade é a mais cara de todas as
comodidades.

Como cavar um poço sem acreditar na possibilidade


de

achar água? Como procurar ouro sem crer que é


possível encontrá-lo? Como se lançar em uma
aventura sem acreditar

que pode terminá-la vitoriosamente? Como buscar o


invisível

sem achar que vai contemplá-lo? Você é o que crê.


Você alcança o que espera.
As pessoas, tanto as que o amam como as que não o

suportam, exercerão pressões sobre você, dizendo o


que

vestir e como agir; elas tentarão regrar suas atitudes


de acordo com o que pensam e acreditam ser o
melhor para você. É

importante escutar opiniões e conselhos para não


cometer os mesmos erros que elas cometeram, mas
isso não significa

que você deve tornar-se um manequim vestido para


enfeitar

a vitrine de outras pessoas. Seja, acima de tudo,


você mesmo.

Deus lhe criou de modo especial e admirável; não


deixe que

as criaturas critiquem e queiram moldar quem foi


esculpido

com carinho pelo Criador.


Abra-se às possibilidades do invisível. Não construa
sua

autoestima no alicerce da areia movediça da imagem


de

outras pessoas ou afundará devagar, gradualmente,


ano após
ano, cada vez mais distante da sua verdadeira
identidade. É

muito triste viver atrás de uma máscara por esquecer


ou não

saber quem realmente se é. Ao manter a ilusão de


ser o que

os outros dizem quem você deve ser, você perde


muito tempo

e sufoca a sua personalidade extraordinária e enterra


a sua beleza única.
Você nasceu para ser você mesmo; para completar e
não

duplicar as pessoas que o influenciaram e lhe são


caras.

Desenvolva a capacidade de ser você mesmo.


Arrisque ser quem você deseja ser e fazer o que
você imagina. Dê forma

às suas ideias. Quando outros limites surgirem fora


do seu

controle, permita que os dons que Deus plantou em


você rompam a casca das suas limitações com
criatividade,

sensibilidade e a habilidade de vencer as barreiras


que levam

à estagnação e à “terra do nunca”.


Alguns destes obstáculos são as tradições culturais,

religiosas e familiares. Eles podem aprisionar a


personalidade, levando-o a aceitar atitudes que
muitas vezes abafam ou ignoram os talentos e dons.
Não espere a permissão da

sociedade para seguir em frente.


Seus sonhos estão bradando por liberdade; eles
contam

com a sua audácia e saúde interior. Não aceite o


emprego simplesmente por causa do salário. Não se
envolva com alguém
apenas porque está sozinho. Não estude apenas para
passar de

ano. Não se tranque na prisão da indiferença, ou os


meses se

tornarão anos e o trabalho em apenas uma carreira,


o amor em

decepção, o estudo em um fardo, a apatia em


definhamento.

Pior, você descobrirá que a paixão que possuía


desapareceu e

você se tornou igual àqueles que apenas vivem e


deixam viver,

cuja filosofia de vida é “não me incomode e o


deixarei em paz”.

Pior ainda, você se transformou em um derrotado.


É claro que Deus é o autor e consumador da vida,
mas
não espere passivamente um milagre cair do céu.
Deus opera milagres, porém nunca sozinho. Ele os
realiza em você e através de você. De certa forma,
somos também autores e condutores

da vida. Você não tem tempo para esperar a


mulher/homem certo, o ambiente adequado, as
circunstâncias perfeitas para dar um passo à frente e
ser quem deseja ser. Encare a vida e seja feliz, ainda
que a situação não seja favorável; descubra que é
vivendo que se vive. A felicidade só é encontrada
quando é procurada.
Tente voar com as asas que você tem; não espere
um par

de asas brancas e angelicais aparecer. (T. D. Jakes)


Preste atenção; não estou aconselhando-o a tomar
riscos

bobos nos negócios ou entregar o seu coração ao


primeiro que

aparecer ou a alguém que tem demonstrado não ser


confiável.
Também não lhe estou recomendando agir
impulsivamente

por falta de paciência, prudência e força de vontade.


Lembrese de que não é a rapidez do maratonista,
mas sim os passos cronometrados e a perseverança
que lhe dão a vitória.
Não acredite que o mundo e Deus estão contra
você.

Creia que você tem as mesmas possibilidades de


criar e ser

bem sucedido que todas as outras pessoas. Quem


acredita que pode conseguir, certamente conseguirá.
Seus objetivos podem parecer enormes e
impossíveis a princípio, mas

enquanto você tiver o sopro de vida não é tarde para


levantarse, sacudir as dúvidas e partir em busca do
seu sonho.
Não é a pobreza, a solidão ou a falta de estudo que
o

fazem andar para trás e tornar-se amargo. É viver


com a memória do que você poderia ter sido,
deveria ter sido e como as coisas seriam diferentes
se isso ou aquilo não tivesse

acontecido ou se as pessoas tivessem agido com


você dessa ou

daquela maneira. Não olhe apenas para o passado,


nem seja

dominado por ele. O passado é importante, dá-nos


raízes para o presente, mas ele não pode controlá-lo.
Aviste as novas

possibilidades. Floresça mais uma vez.


Em princípio, todo grande sonho sempre está além

da capacidade do sonhador. Todos se sentem


incapazes e

pequenos para realizá-lo num momento ou outro.


Deus

escolheu as coisas fracas para confundir as fortes.


Ele pode
suprir as suas inabilidades. O que o impede de
realizar seus

sonhos não são os sentimentos de desconforto e


inadequação

que você sente, mas o que você pensa a respeito


desses sentimentos determina o que vai acontecer na
sua vida.
Pare de fugir do seu destino. Você pode tornar seus

sonhos realidade. Nunca somos velhos demais para


começar;

sempre há tempo para alcançar o sucesso! Tenha


bom ânimo,

fortifique o seu coração; Deus o ajudará, curará suas


feridas e o dirigirá pelo caminho do triunfo.
A palavra hebraica shalom é usualmente traduzida
por paz, que é mais do que ausência de guerra.
Shalom significa um senso de completa satisfação,
todas as coisas se completando,

de nada tendo falta e nada está partido ou magoado.


Da mesma forma que para o mundo paz significa
que não existe

guerra entre as nações ou briga entre os indivíduos,


shalom para você significa não lutar contra si
mesmo; sua alma não

está dividida guerreando por uma parte do seu


interior que

ainda não foi conquistada. Ter shalom é ter a


bênção de sentir-se plenamente realizado, totalmente
feliz tanto consigo

mesmo como com as pessoas, a vida e Deus.


C a p í t u l o 12
Comece onde você está!

O derrotismo vem aos pouquinhos, sorrateiro. Os


homens se acostumam com ele. Há quanto tempo
você não se entusiasma com alguma coisa? Não
estou falando de um carro novo, um computador
sofisticado nem a vitória do seu time. Mesmo a
alegria dessas coisas dura só um momento. Logo, é
preciso ter mais coisas para manter em alta a
adrenalina e a produção diária de contentamento.

Estou falando de uma paz que ultrapassa todas as


angústias; de uma alegria a qual nem mesmo a perda
de dinheiro pode apagar; de um amor que excede
todo entendimento humano; de uma felicidade que
não habita nas coisas que possuímos, mas no
coração.23

Existe uma segurança que não tem como base a sua


conta bancária, mas a certeza de que você nunca
está só. Haja o que houver, mesmo errando, se você
crê em Deus, não pode ser derrotado.24

Estou falando em possuir um tipo de coragem que


só recebe aquele que admite suas fraquezas; de um
tipo de felicidade que não conquistamos lutando,
mas nos rendendo; de um modo de vida que não
descobrimos quando o buscamos a todo custo, mas
quando o recebemos de graça.

Ouvindo isso, Jesus disse a Jairo: “Não tenha medo;


tão somente creia, e ela será curada”.25

Chegou a hora da verdade. Pare de procurar


resolver a sua vida comprando mais bens,
trabalhando mais algumas horas, bebendo mais um
copo, ganhando mais dinheiro ou arrumando outra
mulher.

A dor que você sente não vai passar com coisas. Seu
problema é interior e não existe médico ou psicólogo
capaz de resolvê-lo.

Toda a água do mundo, não importa quão furiosa


ela tente, jamais pode afundar o menor dos navios a
não ser que consiga entrar dentro dele; e todo o mal
do mundo, o pior e mais negro de todos os pecados,
jamais pode derrubar o menor de nós, a não ser que
permitamos que eles entrem em nós.26

A menos que você se deixe confrontar e permita que


o mal que o consome seja tratado, a dor não vai
sumir. Não adianta procurar a chave para os seus
problemas do lado de fora quando você a perdeu do
lado de dentro.

É sua alma que está infeliz. É o seu interior que está


vazio. O seu espírito chora por alguém e você quer
lhe dar coisas. Esse alguém é Deus. Ele o ama e
quer ser seu amigo. Foi para aliviar a sua dor que
Ele enviou seu filho Jesus ao mundo.

Jesus é o caminho que você procura; é a verdade


que o guiará a Deus; é a vida que você anela; é a
porta que você procura. A porta que se abre para
uma vida de aventura, amor e satisfação.

Eu sou a porta; quem entra por mim será salvo.


Entrará e sairá, e encontrará pastagem.27
Deus está se abrindo e chamando-o, o tempo todo.
Só o que você tem que fazer é ouvi-lo, abrir-se
também e responder ao seu chamado orando.
Orar é entregar de volta a Deus o amor que Ele nos
dá. De contínuo ouço um chamado, uma voz que
me fala de amor,
Comece onde você está! - 55

alegria e exaltação. Então oro e respondo ao


chamado que ouço. Sei que Deus me ama, e meu
maior desejo é oferecerlhe de volta o amor que
d’Ele recebi. Por essa razão entregueilhe meu
coração.
23 Hebreus 13.5; Josué 1.5.
24 João 16.33.
25 Lucas 8.50.
26 Rubem Alves.
27 João 10.9.
Editora Fôlego Caixa Postal 16.610 CEP
03149-970 - São Paulo - SP
Caso queira conhecer outros lançamentos
da Editora Fôlego, visite nosso site:
www.editorafolego.com.br