Você está na página 1de 6

1.

O Pentateuco

Pentateuco, nome dado aos cinco livros do chamado a Tora. A melhor maneira
“instrução” A palavra lei que é muitas vezes empregada comunica a ideia de algo
estático. Na Tora o leitor encontrará algo dinâmico que veio do Deus vivo, ou seja, a
orientação perpetua que Deus passou para seu povo.

2. A história do Estudo do Pentateuco

De acordo com a tradição judaica, a autoria do Pentateuco é de Moises. Como


literatura o Pentateuco foi analisado pelos críticos literários a fim de descobrir a
origem da literatura e a história da sua composição.
Como resultados desta análise estas teorias são designadas hipóteses ou teorias
documentais. A mais é a de Graf e Welhausen.
De acordo com essa teoria, os livros na forma que temos hoje não forma inscritos
por Moises, mas foram resultados de autores desconhecidos que compilaram estes
documentos em épocas posteriores a de Moises.
Graf e Welhausen identificaram quatro camadas literárias principais no Pentateuco,
sendo resultados de um autor ou grupos de autores. Os documentos receberam
designação “J” = Jave, “E” = Elohin, “D” = Deuteromista e “P” = Sacerdote. Assim
cada documento se dirigiu ao povo de uma época histórica e demonstrou
característica teológica do indivíduo ou grupo que escreveu.
As teorias documentarias sofreram várias modificações e revisões pelos críticos.
Essas pressuposições e conclusões da teoria foram questionadas e propostas
outras em vários círculos acadêmicos. Mas podemos dizer que hoje em dia não
existe consenso no meio acadêmico quanto a questão da composição do
Pentateuco.
A forma da Pentateuco que temos hoje é produto de uma longa história de
transmissão, compilação e formulação. A inspiração desta literatura não é resultado
de uma inspiração humana, e sim de autoria divina. O resultado é um corpo de
literatura antiga que preserva antigas tradições de Israel que informa, orienta e
inspira o povo de Deus de hoje.
3. O Pentateuco como Literatura

Como Literarura o Pentateuco é de natureza dupla é uma unidade literária que


contem ao mesmo tempo, uma variedade de estilos literários.
O propósito do Pentateuco é narrar a história do Povo de Israel do ponto de vista do
plano de Deus para o povo que ele mesmo criou. Deus cria e destrói, faz promessas
e cumpre-as, liberta, faz alianças e orienta. Assim o Pentateuco é a instrução divina
para o povo de Deus.
Existe uma diversidade literária, os grandes atos de Deus em favor do seu povo são
registrados em atos diferentes, cores e texturas que atrai o leitor, tanto pela
natureza, pela beleza quanto o seu conteúdo.

4. Tipos de Literatura Pentateuco

 As Narrativas

Dos 187 capítulos do Pentateuco na Bíblia crista a metade são narrativas. Narrativa
é uma história prosaica que relata eventos em ordem cronológica, tem personagens
que se relacionam entre si.
No texto bíblico a narrativa tem função especifica. De acordo com Deuteronômio 4-9
as narrativas do povo de Israel funcionavam como arquivo da história e da tradição
do povo.
As narrativas do Pentateuco são variadas em sua função e não a consenso entre os
críticos quanto a sua classificação. Temos exemplos de relatórios históricos, como a
narrativa de Abraão e Sara, Narrativa que relata a origem de costumes e lugares,
como Genesis 16.
Narrativa e a biografia preserva episódio da vida de uma pessoa como a narrativa de
Jose.

 A Torá: Uma Leitura Inovadora


Milton Schwantes propõe um novo jeito de ler e interpretar a bíblia, particularmente o
AT. Deixando de lado os métodos tradicionais e ele vê a Tora constituída em quatro
conjuntos literários: Torá, conjunto literário, interpretação, exegese e teologioa.
Tinha uma fé contagiante que tirava de seus alunos uma fé que nem eles sabiam ser
capazes, tinha uma preocupação pastoram, em abordar um texto bíblico, ele sempre
perguntava o que esse texto nos ajuda, diz para a pastoral e para o povo. Ele tinha
permanente preocupação com os pobres e por isso fazia teologia a partir dos
pequenos da periferia para o centro.
Milton tinha a capacidade e a facilidade de ler o texto que legitimasse a opressão.
 O Zelo Exegético

Por sua dedicação aos estudos da Bíblia, Milton foi enviado a Universidade de
Heidelberg – Alemanha para seus estudos doutorais. Tendo Hans Walter Woff como
orientador de suas pesquisas.
A confrontação com as obras de Kahler e Hichaodt ajuda a nos perceber o principio
gerado da exegese teológica de Milton Schwantes, se volta para o movimento dos
pobres em busca da libertação.
Milton entende que Van Rad possibilitou um avanço considerável na compreensão
da teologia do Antigo Testamento, pois ele ajudou a observar unidades literárias
como conjuntos de textos que compõem a Torá
 Proposta Teologica de Milton Schawantes
Para ele, a tora não é um livro constituído por conjuntos literários, agrupando
muitos livros, as narrativas litúrgicas são as narrativas que procedem da vida
cultural e tem a característica no culto de Israel de uma narrativa litúrgica.

 Poesia
Estilo literário que encontra no Pentateuco, a poesia hebraica, muitas vezes a poesia
não e reconhecida pelo leitor não é impressa em forma de verso.
As poesias do Pentateuco têm vitórias militares como texto histórico, Vitoria de Miriã
em Ex 15-21. Em forma de canção expressa de maneira lírica.
Um elemento de várias poesias do Pentateuco é a benção, a promessa de abençoar
Abraão e toda a família.
 As Leis
Uma das funções principais do Pentateuco é a preservação da Lei de Deus, as
narrativas do Pentateuco explica como o povo recebeu a lei de Deus por intermédio
de Moises. O propósito da lei foi orientar a vida da comunidade de Israel.
Essas leis visavam a organização da comunidade Israelita de uma maneira justa. As
leis procuraram manter a dignidade de pessoas, essas leis são evidencias de que
Deus é e sensível as necessidades do seu povo e um modo de proteger a estrutura
da sociedade.
O último código de leis no Pentateuco é a lei do deuteronamista que foi dirigida a um
povo na véspera da Conquista de Canaã. Essa lei tem característica de exortação e
obediência, leva o leitor a entender que as leis de Deus não podem ser paradas no
tempo, tem um aspecto dinâmico e vivo, pode ser reinterpretada para cada nova
geração.
Muitas unidades literárias maiores, com títulos e temas próprios, trata-se de uma
nova forma de interpretar o Pentateuco.
Milton propõe que, inicialmente devemos orientar-nos pelo Canon da Bíblia
Hebraica. Para ele não há como evitar este caminho, sob a pena de perdemos o
sentido da intenção do A. T e da Bíblia. Para ele a teologia do A.T deve
necessariamente partir da formação Hebraica.
 Uma Nova Maneira de ler A. Testamento
A leitura dos conjuntos literários temáticos na constituição do Torá, Milton entende
que a Torá contém muitos livros compostos de unidades maiores com títulos e lemas
próprios. Ele usa o termo “unidades literárias” isto é, conjunto de textos que
compõem a Torá.
Na Torá estas pequenas unidades literárias ou periscópio, deixam de existir para
agrupar- se colocações ou conjuntos literários temáticos. Milton propõe ler a Torá,
inicialmente a partir de seu primeiro conjunto literário Gêneses 1-11. Os Onze
primeiros capítulos de Gêneses passam a ser referências para a humanidade e para
a Torá constitui uma continua referência da instrução divina para Israel e toda
humanidade.
Os primeiros onze capítulos do livro de Gêneses mostram que a bíblia tem a
humanidade como referência e não foi editado por acaso.
A teologia da Toré é feita por meio de diversidade e similiaridade. Assim a historia de
Jose e de Moises carregam duas características aparentemente dispares.
Quanto a Moises sua história coloca o povo em estado de prontidão, Moises orienta
o povo para estar sempre pronto a caminhar para a terra da promessa, como
Moises, José aponta também o caminho da libertação, são caminhos diversos, mas
semelhantes
Em resumo, as ênfases teológicas da Torá, Milton interpreta a Torá a partir dos cinco
livros individuais, que compõem o Pentateuco. Para ele, a Torá é constituída de um
conjunto literário composto por quatro partes maiores.
O tema maior é a formação de uma sociedade justa que tem a humanidade como
referência, pois ela foi canonizada para instruir o povo.
Deuteronômio é denominado, por Milton leis a caminho, Como o ensino do Torá
organiza, direciona e disciplina os passos da humanidade para alcançar a vida plena
e boa.
 O Evangelho do A. Testamento
Basicamente a palavra hebraica Torah significa instrução, sua derivação está na raiz
semetica Yarah cujo significado é lançar instruir.
 A Torá no antigo testamento
O povo de Deus defendia a Torá, indicava ensino e instrução de Deus como base
para uma vida boa e feliz. Para o povo, Torá representava o dedo de Deus,
indicando o caminho certo, justo e apropriado para andar e viver. Andar nesse
caminho e assegurar vida abundante plena e feliz, graça lealdade, bondade e
justiça.
Atos Salvificos de Deus continuam acontecendo através da obediência a esta
instrução. Não obedecer é cair no âmbito da maldição.
Na verdade, a Torá instrui e regula a vida comunitária, econômica, política e religiosa
dos hebreus.
A partir do período pos exilio a importância das leis, para regrar e organizar a vida
social e religiosa do povo de Deus.
A torá é o Pentateuco e o Pentateuco é conhecido como livro da Lei.
O novo testamento usa “lei” enumerar as considerações de Jesus sobre o antigo
testamento, os conflitos teológicos existiam, especialmente os gnosticismos.
O lugar da lei no tribalismo Israelita sempre se valeu da lei para organizar e ordenar
a sua vida comunitária, seja no período trabalhista, seja no período monárquico ou
mesmo no tempo pós exilio.
A constituição de Israel estava baseada na lei, definida numa aliança pessoal Ex 20-
Lv. 26-12.
A lei no antigo testamento é vista sob duas perspectivas: primeiro, lei é sinônimo de
ordem, instrução, promoção do bem, estar em paz e vida na sociedade, segundo
Javé é autor e doador da lei.
Seria a Torah igual a lei? É bom salientar que Jesus Cristo criticou severamente os
fariseus Mt 21. 28-32, LC 15, 1-10. Mas a radicalidade deste grupo de fariseus,
como lei era vista negativamente por Jesus.
A tora é uma doação divina é Javé é visto pelo A.T como antigo legislador. Portanto
a crítica de Jesus não foi dirigida a pratica da Torá, mas os exageros e radicalismos
especialmente dos fariseus.
Com a Crise que abalou as estruturas da Comunidade Israelita, para colocar ordem
em casa os lideres religiosos buscavam na lei a solução.
A perfeição diante da lei era buscada, por isso Jesus condena o seu jurisdicimo MT
9, 9-13 MC2, 13-17.
Hoje a igreja Crista tem perdido o conceito de Torá e provocado muitos equívocos
na postura teológica dos cristãos.

 Conclusão:

A formação que os judeus designam como Lei da Torah, são os primeiros cinco
livros da bíblia,A tradição judaica sempre viu Moises o autor do Pentateuco como
divinamente inspirado. O processo de composição do Pentateuco exigiu muitos
séculos e se desenvolveu em distintos contextos históricos.
A imagem de Deus apresentada pelo Pentateuco não é uniforme das diversas
tradições (J,E,D,P) é motivo de reflexão e nos convida a lançarmos um novo olhar a
diversidade da expressão da fé. Para tanto, faz-se superar uma leitura ingênua dos
textos, que não permitiria ver a verdadeira intenção do que é narrado, não podemos
deixar-nos confundir pelo modo de narrar dos antigos. As narrações têm um papel
singular no aprofundamento da re relação de Israel com Deus. A diversidade dos
gêneros literários não é aqui maior riqueza da vida.
A copilação definitiva do Pentateuco foi profundamente, marcado pela experiência
do Exilio. Em relação a cada livro do Pentateuco pode se propor as seguintes
questões:
De que forma esse livro é resposta ao Exilio ou análise dele? Que ideia novas são
invocadas ao autor? Sobre as tradições antigas que se apoia? Qual é o ponto
central em torno do qual gira sua resposta ao Exilio? Qual caminho para sair do
Exilio ou supera-lo?
Podemos ler o Pentateuco em vista de tirar o máximo proveito dos dias, somos
intimados por meio dele a usar seus recursos para responder criativamente e com fé
aos desafios “exílicos” de hoje.
O Pentateuco, como todo antigo testamento, está aberto a uma leitura cristã. As
ideias determinantes de cada tradição convergem para Jesus Cristo. Jesus veio
coroar a esperança na vinda de um rei segundo coração de Deus.
Finalmente, a leitura do Pentateuco iluminada pela experiência e a reação de Israel
ao exilio, lança preciosa luz sobre nossa situação. Nós estamos também em exilio,
pois não temos cidade permanente.
A igreja sempre considerou como peregrina neste mundo, vivemos no exilio, pois, a
igreja só sera consumada na gloria celeste, Por isso a leitura do Pentateuco anima a
reafirmar a fé e o compromisso com o reino.
A mensagem do Pentateuco é, pois de grande atualidade e Israel transformou seus
problemas em oportunidades teológicas.
O Exilio para os cristãos é o tempo de examinar a nós mesmos, nossa comunidade,
nossos pais e nossa igreja, tempo de ver seu estado atual como julgamento. E
tempo, pois, de voltar a Deus e ama-lo de todo coração e com toda alma. DT 6-5.

Você também pode gostar