Você está na página 1de 57

Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro

História Econômica Geral I

Roteiro de leitura n. 3

BRAUDEL, Fernand. Civilização Material, Economia e Capitalismo, Séculos XV-XVIII Vol.3. cap. 3:
“Na Europa, as economias antigas de dominação urbana: Amsterdam”.

Parte 1
(pgs. 157-175)

1) Descreva as seguintes características das Províncias Unidas apresentadas logo no início do


texto: território, agricultura e economia urbana.
2) De que modo os campos, no contato com as cidades, ‘não tardam a se comercializar, a se
urbanizar, de certo modo, e a viver, como as cidades, de fornecimentos externos’.
3) Por que a grandeza de Amsterdã estava ligada a relação da cidade com as Províncias Unidas?
4) O que são as Províncias Unidas (p.163)?
5) Qual o papel dos imigrantes na emergência da economia holandesa? E que grupo é
destacado no texto?
6) Descreva os quatro tipos da pesca holandesa no período estudado.
7) Por que o autor afirma que “o verdadeiro instrumento da grandeza da Holanda” foi sua
frota? Quais os sinais da superioridade dessa frota?
Daniel Bernard - Mercador holandês

Parte 2
(pg. 175-193)
1. Como o texto descreve o centro do poder político na Holanda?
2. E o que muda após 1650?
3. “[...] na sociedade holandesas [...] o sistema dos impostos poupa o capital”. Explique esse
sistema de impostos, bem como os gastos do governo e a taxa de juros.
4. Qual o papel do governo holandês na política externa do século XVIII?
5. Por que os holandeses eram conhecidos já no século XVI como ‘celeiro da Europa’?
6. Por que a exploração da Península ibérica era importante para o sucesso holandês no
Báltico?
7. Por que a ligação- norte-sul se manteve mesmo durante a revolta dos Países Baixos?
8. Descreva as trocas entre o báltico e outros pontos da Europa realizada pelos holandeses
antes mesmo do século XVII?
9. Como o texto descreve a presença holandesa na economia europeia antes do início das
navegações distantes realizadas pelos holandeses no início do século XVII?
Mercador e oficial da Câmara de Amsterdã

Parte 5
(pgs. 193-201)

“flûte”

1) Como se inicia a expansão holandesa no ultramar no século XVII?


2) Que papel assume Batávia nessa expansão?
3) Quais as principais conquistas até a década de 1680?
4) Por que Braudel afirma que ‘querendo ou não, os holandeses estavam condenados a ir para
os portos indianos’ (pg.195)?
5) Por que o autor afirma que, de modo geral os holandeses se alojaram no lugar dos outros?
Com ocorreu a ‘expulsão’ dos portugueses no mundo oriental, na época?
6) Os holandeses e as trocas no Oriente:
7) qual o papel da chamada ‘navegação de Índia em Índia”?
8) Qual foi o único monopólio eficaz e duradouro dos holandeses na região? E como foi obtido?
9) Quais, além da pimenta, eram as moedas de troca utilizadas pelos holandeses no Oriente no
século XVII?
Parte 6
(pg.s 202-215)
1) Como a V.O.C. permitiu aos holandeses consolidar seus monopólios na Ásia no século XVII?
2) Que concorrências os ingleses apresentarão na região?
3) Quais os sinais da grandeza da V.O.C. no século XVII?
4) Que motivos o autor apresenta para explicar a decadência da V.O.C.?
5) Quais as razões do insucesso dos holandeses no Novo Mundo?

Armazém da V.O.C. em Amsterdã


Parte 7
(pg.216-228)

1) Descreva o papel de Amsterdã a partir da citação ‘reunir, armazenar, vender, revender as


mercadorias do universo’.
2) Qual o papel do crédito na economia holandesa?
3) E as funções do Banco de Amsterdã?
4) O que é descrito como comércio em comissão’?
5) Qual o papel da letra de cambio na economia holandesa da época?
6) Por que os empréstimos aos estrangeiros são descritos como ‘negócios muito bons’?

Bolsa de Amsterdã

prefeitura de Amsterdã
Parte 8
(pg.s 228-244)
1) Comente a relação entre a economia de Amsterdã e as economias do Báltico
2) Amsterdã e a economia da França
3) Amsterdã e a Inglaterra
4) Amsterdã e a Insulindia

Parte 9
(pg.245-254)
1. Braudel afirma que ao final do século XVII Amsterdã perde uma parte de seu esplendor, mas
que trata-se de um declínio, não de uma decadência. Cite alguns indícios desse declínio.
2. Quais as explicações para as crises enfrentadas pela economia holandesa a partir dos anos
1760?
3. Por que a última dessas crises (1780-1783) difere das anteriores?
4. O que foi a ‘revolução batava’?