Você está na página 1de 56

E

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


Design e Sustentabilidade

Administração Belas Artes


Dr. Paulo Antonio Gomes Cardim
Reitor

Prof. Dr. Francisco Carlos Tadeu Starke Rodrigues


Pró-Reitor Administrativo

Prof. Dr. Sidney Ferreira Leite


Pró-Reitor Acadêmico

Prof. Me. Turguenev Roberto de Oliveira


Pró-Reitor Institucional

Departamento de Educação a Distância


Profa. Ma. Jacqueline de Oliveira Lameza
Coordenação

Kaleu Florio de Oliveira


Sandro Takeshi Manukata da Silva
Design Instrucional

João Paulo Tenório da Silva


Gustavo Nogueira Pereira
Web Design

Publicação Ellen Barros de Souza


Este e-book é uma publicação da
Rogério Fernandes Salles
Revisão de Texto

Cassio Marcelo Lacerda


Rua Dr. Álvaro Alvim, nº 90 Direção de Arte
Vila Mariana - SP
Fone: (11) 5576-7300

É proibida a venda e a
reprodução deste material sem
autorização prévia do Centro
Universitário Belas Artes de São
Paulo.

2
Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo
Design e Sustentabilidade

Sumário

Módulo 6: Aspectos metodológicos para o Design que visa 04


sustentabilidade

Módulo 7: Design: parametrização e simulação para a 20


sustentabilidade

Módulo 8: Tendências no design: sociedade em evolução 38

Referências 55

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


3
E

MÓDULO 6
Aspectos metodológicos
para o Design que visa
sustentabilidade

Prof. Esp. Fernando Puccetti Laterza


Módulo 6 - Aspectos metodológicos para o Design que visa sustentabilidade

Objetivos

Ao término dos estudos propostos neste Roteiro de Estudos, você


deverá estar apto a:

 identificar quais aspectos do design mais pesam sobre


as questões socioambientais;
 compreender o que é metaprojeto em design;
 compreender o que é design estratégico;
 conhecer as interfaces da produção e consumo de
design;
 conhecer as principais metodologias ligadas à
sustentabilidade.

Seções

1. Metaprojeto para design


2. Design estratégico
3. Design e metodologia
4. Design, produção e consumo
5. Design e pegada ecológica

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


5
Módulo 6 - Aspectos metodológicos para o Design que visa sustentabilidade

Introdução

Neste Módulo vamos continuar nossa discussão sobre a


importância do design para trabalhar a sustentabilidade. Veremos
como a utilização de metaprojetos podem auxiliar o desenvolvimento
do design, e de que maneira é possível ter uma criação e um consumo
consciente.

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


6
Módulo 6 - Aspectos metodológicos para o Design que visa sustentabilidade

Seção 1

Metaprojeto para design

Iniciamos esta primeira seção do nosso Módulo 6 com o


intuito de estabelecermos juntos uma conexão clara entre a criação, a
produção e o consumo de design e o design deste design, isto é, uma
reflexão sobre o projeto de se projetar.

Para iniciarmos esta etapa, gostaria de compartilhar com você


uma experiência minha a respeito do tema, na qual acredito que possa
ajudá-lo a compreender o que é metaprojeto para design.

Quando me deparei pela primeira vez com o conceito, devo


reconhecer que este me causou estranheza e alguma resistência, uma
vez que o projeto do projeto, ou o design do design, me pareciam
muito mais jogos divertidos de palavras do que conceitos relevantes
a serem estudados.

Em um segundo momento, percebi que, de fato, havia ali uma


necessidade de expressão, de uma intenção comunicativa, que surgia
de uma diferença semântica clara entre o “fazer design” e o “projeto de
se fazer design”, ou seja, há uma linha de pesquisa consistente que se
ocupa de “como” projetar o projeto, ou o design do design.

À primeira vista, isso pode parecer apenas uma questão


metodológica e de se nomear etapas em processos criativos no
design, mas à medida que se observa a questão mais atentamente,
vê-se que há uma complexidade a respeito dos estudos propostos no
campo dos projetos ligados a processos criativos e que requerem uma

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


7
Módulo 6 - Aspectos metodológicos para o Design que visa sustentabilidade

nomenclatura própria, uma denominação clara que faça referência a


novas abordagens que buscam ir além do simples desenvolvimento
de projeto focado no produto, que observe o contexto desta produção
e suas implicações, abrindo-se assim uma série de possíveis novas
abordagens.

Franzato e Celeschi (2012) definem a abordagem


metaprojetual como evolução da reflexão
do projeto em desenvolvimento. Existe
a necessidade de aprofundamento do
problema e dos objetivos, e, com isso, buscar
a melhor solução para esse projeto.

Os autores ainda resumem a abordagem


metaprojetual como uma reflexão sobre o projeto e, dessa
maneira, proporcionar a aprendizagem da equipe dos designers e
da organização, tendo em vista o desenvolvimento estratégico e
inovador.

Em uma pesquisa-ação, aplicada em uma empresa de portas


de segurança, os autores analisaram as questões relativas ao design
sob quatro aspectos: pesquisa projetual, elaboração de cenários,
concepção e implementação.

É importante notar
que o conceito de design
aqui trabalhado aproxima-se
da ideia de arquitetura e de
engenharia, em uma fronteira
borrada entre o significado
destas palavras com sentido
próximo ao da “criação de
um enredamento”, de uma espacialidade definida em sistemas e
subsistemas que organizam e encaminham o projeto.

Espero que você tenha curtido este início de um novo Módulo.


Nos vemos no próximo!

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


8
Módulo 6 - Aspectos metodológicos para o Design que visa sustentabilidade

Multimídia

Sugestão
Veja, no link, a indicação de dois livros sobre metadesign e
metaprojeto.

Agora é a sua vez!

Complete as lacunas.

O conceito de ............................... aqui trabalhado


aproxima-se da ideia de arquitetura e de engenharia,
em uma ............................... borrada entre o significado
destas palavras com sentido próximo ao da “criação de

design / fronteira
um enredamento”, de uma espacialidade definida em

Resposta correta
sistemas e subsistemas que organizam e encaminham o
projeto.

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


9
Módulo 6 - Aspectos metodológicos para o Design que visa sustentabilidade

Seção 2

Design estratégico

Seja muitíssimo bem-vindo a esta segunda seção do nosso


Módulo 6! Dando continuidade ao conceito de metaprojeto ou
design do design, convido você a pensar como esta abordagem pode
ser atuada objetivando a sustentabilidade na criação, produção e
consumo de design.

Veja que na seção anterior observamos como uma abordagem


metaprojetual pode contribuir para uma evolução das reflexões ligadas
ao projeto que nos deem respostas para além dele, contribuindo para
sua efetividade e em relação ao cenário para o qual ele foi pensado.

Estas reflexões que contribuem para a elaboração do projeto


e também para além dele focado na inovação. Aqui trata-se de inovar
visando à sustentabilidade
socioambiental, e, portanto,
as reflexões devem ser
direcionadas para aquilo que
é pertinente neste campo
de estudo, e as respostas
para além do projeto
serão multidisciplinares,
abrangentes nos campos do conhecimento ligados a questões
socioambientais.

O contexto que se descortina aqui é de um design que seja o


fio condutor de inovação para a sustentabilidade socioambiental, ou
seja, de uma visão holística emanada do design e suas fronteiras.

Pensar o design como forma de efetivação de uma cultura


da inovação, que pode ocorrer nos mais variados grupos, em uma
empresa ou corporação, na sociedade, em uma comunidade, enfim,
em vários níveis de coletividade.

Para a sociedade pode ser uma forma de se iniciar novos ciclos


econômicos viabilizados a partir do atendimento a novas exigências
normativas e legais em matéria ambiental, mas também como forma

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


10
Módulo 6 - Aspectos metodológicos para o Design que visa sustentabilidade

de se atuar com melhores práticas e buscando contribuir para o


encaminhamento de questões ambientais urgentes com viabilidade
e sustentabilidade econômica.

A escassez de recursos que se apresenta atualmente, causada


pelos atuais níveis de consumo da sociedade contemporânea,
necessita de um cenário de inovação na criação, produção e consumo
de design, que viabilize o encaminhamento dos gargalos ambientais
cada vez mais estreitos. Escassez de recursos

Multimídia

Design estratégico
Veja o artigo sobre design estratégico.

Agora é a sua vez!

Complete as lacunas.

A escassez de ............................... que se apresenta


atualmente, causada pelos atuais níveis de consumo
da sociedade contemporânea, necessita de um cenário
de ............................... na criação, produção e consumo de
recursos / design

design.
Resposta correta

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


11
Módulo 6 - Aspectos metodológicos para o Design que visa sustentabilidade

Seção 3

Design e metodologia

Olá! Dou início a mais esta seção do nosso Módulo. Seja muito
bem-vindo!

Nesta seção temos como missão estabelecer como o design


pode ser a peça central para uma metodologia que permita ao design
ser o fio condutor de muito mais do que apenas um objeto com forma
e função. Se observarmos os mercados de bens de
consumo, veremos que esta já é, há bastante
tempo, uma modalidade atribuída ao design.
O mercado da moda, por exemplo, utiliza uma
narrativa, associada ao produto, que faz com
que uma determinada peça seja um ícone,
a ponta do iceberg, em uma cadeia produtiva
complexa e multimilionária.

A proposta aqui é pensarmos juntos a respeito de uma


narrativa que crie um enredamento deste tipo, porém focado em
questões socioambientais. O ícone aqui será associado à capacidade
deste bem de consumo de conduzir uma cadeia produtiva que seja
virtuosa do ponto de vista econômico e socioambiental, contribuindo
para a sustentabilidade. Adotar uma metodologia que contribua
neste sentido pode garantir a efetividade de ações focadas na
sustentabilidade. Sem método, toda ação pode ser pontual, de difícil
reprodutibilidade.

Mas antes vejamos o que é metodologia. De forma simplificada,


é o estudo dos métodos, o estudo de “como” se faz algo, que deve ser
estabelecido de forma a permitir a reprodutibilidade do experimento
ou estudo. Este “como” fazer, que envolve tudo aquilo que servirá para
que o projeto seja executado com sucesso, deve estar focado nos
resultados esperados. É a disciplina que estuda a evolução teórico-
prática do trabalho acadêmico com base no método científico,
de acordo com linhas de pesquisa relativas a um tema, e também
o conjunto de métodos focados na execução da pesquisa ou do
trabalho, seja ele acadêmico ou não.

A adoção de um modelo metodológico sólido permite


Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo
12
Módulo 6 - Aspectos metodológicos para o Design que visa sustentabilidade

a obtenção de resultados mais


confiáveis e seguros na pesquisa.

Por metodologia, entende-


se, ainda, a análise dos métodos e
regras de acordo com os postulados
utilizados em uma disciplina, o estudo
sistemático dos métodos ou sua
descrição.

É através do estudo de métodos mais apropriados para


determinada pesquisa ou ação, portanto, por meio de uma
metodologia, que busca-se estabelecer as bases científicas que ajudem Soluções sustentáveis

no encaminhamento de soluções para determinados problemas.

Se admitirmos que o design possa ser o fio condutor de ações


variadas que visem à sustentabilidade, estaremos também admitindo
que ele é parte de uma metodologia, e que como tal deverá contribuir
para a qualidade de nossas ações.

Espero que você tenha gostado desta seção! Até!

Multimídia

Metodologia projetual
Para saber mais sobre esse tipo de metodologia

Agora é a sua vez!

Complete as lacunas.
Metodologia / estudo

............................... é o estudo dos métodos, o estudo de


Resposta correta

“como” se faz algo, que deve ser estabelecido de forma


a permitir a reprodutibilidade do experimento ou
............................... .

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


13
Módulo 6 - Aspectos metodológicos para o Design que visa sustentabilidade

Seção 4

Design, produção e consumo

Olá! Daremos prosseguimento ao nosso curso.

Nesta quarta seção iremos abordar os aspectos de produção


e consumo consciente. A produção tem tido, desde a queda do Muro
de Berlim, com a acentuação da globalização, a chance de se deslocar
onde for mais barato e conveniente para se produzir, sem que se leve
em conta aspectos socioambientais.

A China, boa parte do Sudeste Asiático, América Latina e África


tornaram-se celeiros de mão de obra a ser explorada e recursos naturais
vem sendo retirados de forma agressiva no mundo todo, mesmo em
países desenvolvidos. Este contexto de exploração agressiva e pouco
consciente vem causando danos irreversíveis à humanidade.

Há aspectos ligados também à leniência estabelecida nas


áreas menos favorecidas de países pobres como forma de atrair
empregos e renda, mesmo que abaixo de níveis mínimos para que
estas populações vivam dignamente.

Outro fator importante a ser observado em relação à produção é


de onde provém a energia utilizada para esse processo produtivo.
Como vimos anteriormente, muitos países conseguem baixos custos
de produção desrespeitando direitos básicos ligados à dignidade
humana no trabalho e negligenciando o meio ambiente, poluindo
Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo
14
Módulo 6 - Aspectos metodológicos para o Design que visa sustentabilidade

indiscriminadamente como forma de subsidiar suas produções,


tornando-as mais competitivas pelo mundo.

A partir destas considerações, fica claro que o consumo deve


ser orientado no sentido de se ter uma postura ética como fator
fundamental no estabelecimento de relações de consumo. Quando
compramos algo, estamos premiando este produto e sua cadeia
produtiva. Se compramos algo que é produzido de forma subsidiada
por ações danosas à pessoa e ao meio ambiente, estamos premiando
a desonestidade e o malfeito, e, de quebra, estamos lucrando com
isso, o que nos torna cúmplices no crime.

A prática do consumo consciente deve ser considerada


não apenas no âmbito privado do consumo
individual, mas também nas decisões
profissionais desde a especificação de materiais
na criação até aspectos de logística de
distribuição e embalagens de insumos.

Espero ter levado a você uma discussão atual e,


principalmente, lhe mostrado que há caminhos
sustentáveis para uma criação, produção e
consumo de design. Até a próxima seção!

Multimídia

Campeã da sujeira
Veja o exemplo de Nápoles, a cidade italiana considerada a
cidade campeã de sujeira.

Agora é a sua vez!

Complete as lacunas.
consumo / postura
Resposta correta

O ............................... deve ser orientado no sentido de se


ter uma ............................... ética como fator fundamental
no estabelecimento de relações de consumo.

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


15
Módulo 6 - Aspectos metodológicos para o Design que visa sustentabilidade

Seção 5

Design e pegada ecológica

Olá! Nesta seção apresento a você um conceito que está


cada vez mais presente nas avaliações
ligadas à sustentabilidade. É o conceito
de pegada ecológica, que surge pela
primeira vez no livro Our Ecological
Footprint: Reducing Human Impact on the
Earth de 1996, e que, desde 1999, a ONG
WWF tem atualizado periodicamente
o cálculo de pegada ecológica em seu
Relatório Planeta Vivo.

Em 2003, Mathis Wackernagel fundou o Global Footprint


Network com uma proposta de contribuir para a diminuição da
pegada ecológica e de atribuir importância parecida ao indicador
relacionado ao PIB dos países.

O Global Footprint Network colabora atualmente com 22


países, como Brasil, Alemanha, França, Finlândia, México, entre
outros, além de colaborar também com agências governamentais,
universidades e centros de pesquisa.

A pegada ecológica é um indicador bastante complexo


que vem sendo utilizado na avaliação dos impactos causados pelo
consumo humano nos recursos naturais em relação à capacidade
da Terra de renová-los. Desta forma, utiliza-se como método para
mensurar a pegada ecológica a quantificação em área biologicamente
produtiva de mar e de terra necessárias para a regeneração dos
recursos consumidos por uma população humana, além de absorver
os dejetos produzidos por ela.

Desta forma, podemos estimar quantos planetas Terra


servem para sustentar os atuais níveis de consumo praticados pela
humanidade. Se observarmos a pegada ecológica de um indivíduo,
multiplicarmos pela população do seu país e dividirmos pela
quantidade de território disponível de seu país, teremos o indicador
de que este país é ou não sustentável.

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


16
Módulo 6 - Aspectos metodológicos para o Design que visa sustentabilidade

Para calcularmos a pegada ecológica de um


indivíduo, utiliza-se uma relação entre
todos os bens consumidos com
uma constante de rendimento
expressa em kg por hectare. O
resultado será uma superfície
em hectares necessária para a
manutenção deste padrão de
consumo. É possível descrever a
pegada ecológica também sob o aspecto
energético, considerando as emissões de gás
carbônico em toneladas, e, desta forma, relacionar com a área florestal
necessária para absorver este peso de gás.

A importância da pegada ecológica está associada em grande


parte ao fato de ser uma forma eficaz de se determinar quanto
de território é preciso reservar para sustentar uma determinada
população em função de seu nível de consumo.

Veja que uma das principais vantagens desta forma de análise


de sustentabilidade é que cada valor inserido nos indicadores será
traduzido em termos de espaço, facilitando, de maneira compreensível,
a percepção de quanto de território é necessário para se manter o
consumo de uma determinada população.

A principal desvantagem deste conceito,


a meu ver, reside no fato de ser necessária, por
parte da população, uma compreensão com
relação ao conceito de renovação de recursos
naturais e seus limites, uma vez que quando
se observa, por exemplo, que a humanidade
está consumindo mais de um planeta
Terra com nossos atuais níveis de consumo, o leigo pode afirmar,
inadvertidamente, que isto não é possível, uma vez que se ultrapassou
a quantidade real de planeta existente de fato.

Obviamente esta não é uma afirmação verdadeira, pois o fato


de a pegada ecológica indicar que se está ultrapassando o território
existente mostra apenas que determinados recursos irão acabar, uma
vez que os consumimos além de suas capacidades de se regenerar,
quer dizer, o conceito contido na ideia de pegada ecológica é

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


17
Módulo 6 - Aspectos metodológicos para o Design que visa sustentabilidade

intimamente ligado à disponibilidade de recursos no tempo, ou seja,


é algo dinâmico e não estático.

Agora proponho a você que procure relacionar a pegada


ecológica à criação, à produção e ao consumo de design. Será
possível estabelecermos uma pegada ecológica para bens? Se sim,
qual seria a utilidade deste conhecimento? Com este questionamento
encerramos mais este Módulo, espero vocês no próximo!

Multimídia

Pegada ecológica
Conheça o site da pegada ecológica.

Agora é a sua vez!

Complete as lacunas.

A ............................... ecológica é um indicador bastante


consumo / postura

complexo que vem sendo utilizado na avaliação dos


Resposta correta

impactos causados pelo ............................... humano nos


recursos naturais em relação à capacidade da Terra de
renová-los.

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


18
Módulo 6 - Aspectos metodológicos para o Design que visa sustentabilidade

Recapitulando

Neste sexto Módulo você viu como o metaprojeto pode ser


uma importante ferramenta para mudanças e inovação, como o de-
sign é estratégico e de que modo ele pode ser o fio condutor de ações
variadas. Aprendeu o que é metodologia e como o design pode ser
inserido plenamente nela para que haja efetividade das ações. Viu ain-
da que a produção e consumo são momentos decisivos para que se
determine o grau de sustentabilidade socioambiental de um produto
e de sua cadeia de produção. Por fim, você conheceu o conceito de pe-
gada ecológica, fundamental para que compreenda a dimensão real
do gargalo da sustentabilidade.

Espero que você tenha gostado deste Módulo, e que, principal-


mente, ele sirva para sua prática profissional como um diferencial, que
seja ferramental para o seu sucesso! Grande abraço!

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


19
E

MÓDULO 7
Design: parametrização
e simulação para a
sustentabilidade

Prof. Esp. Fernando Puccetti Laterza


Módulo 7 - Design: parametrização e simulação para a sustentabilidade

Objetivos

Ao término dos estudos propostos neste Roteiro de Estudos, você


deverá estar apto a:

 entender como se dão os impactos ambientais;


 perceber quais são os desafios da produção e do
consumo do design ligados à sustentabilidade;
 assimilar o conceito de sustentabilidade e relacioná-lo
ao design;
 caracterizar e contextualizar a produção de
design contemporâneo que possua aspectos de
sustentabilidade;
 compreender a respeito dos limites impostos pela
natureza.

Seções

1. Algoritmos
2. Parametrização no design
3. Simulação computacional no design
4. Desempenho no design
5. Identificação de critérios e parâmetros para o design

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


21
Módulo 7 - Design: parametrização e simulação para a sustentabilidade

Introdução

Neste Módulo, vamos entender como ocorrem os impactos


ambientais relacionados à produção e ao consumo. Nesse sentido,
cabe estudar esses impactos e como evitá-los no desenvolvimento do
design.

Ao entender os limites da natureza, o design pode promover


formas sustentáveis de criação e, assim, estimular uma produção e
consumo sustentáveis. Bons estudos!

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


22
Módulo 7 - Design: parametrização e simulação para a sustentabilidade

Seção 1

Algoritmos

Iniciamos esta primeira seção de nosso Módulo entrando


no âmbito da informática aplicada à criação de design. Tivemos,
nas últimas décadas, uma série de evoluções nas tecnologias da
computação que possibilitaram novas aplicações, como simulações de
desempenho, modelagens e novos processos para projetos de design.
Para entender melhor esta evolução, é importante compreender um
pouco a respeito de como se dá a atuação destas tecnologias.

A base delas é representada por softwares que utilizam


algoritmos, que nada mais são do que procedimentos dedicados à
resolução de um determinado problema através de um número finito
de passos elementares, ou seja, uma “fórmula” ou “receita” de solução
para cada questão.

O termo foi criado a


partir do nome do matemático
persa Al-Khwarizmi,
considerado um dos primeiros
matemáticos a se referir a
este conceito fundamental na
informática, por constituir a
base da noção de calculabilidade de problemas, e um problema pode
ser considerado calculável quando podemos resolvê-lo através de um
algoritmo, através de uma “fórmula” ou “receita”.

O algoritmo é também um conceito fundamental nas fases


de programação e desenvolvimento dos softwares, uma vez que,
dado um determinado problema, cria-se uma tradução em códigos
de um algoritmo para a solução deste problema, feito em uma certa
linguagem que será executada por um computador.

É muito importante notar que o algoritmo é determinado pelo


programador, que normalmente determina que algumas variáveis
sejam alteradas pelo usuário; neste caso, ele se torna “coprogramador”,
e o software passa a ser uma ferramenta que necessita de treino para
ser utilizada corretamente. Muitas das dificuldades na utilização

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


23
Módulo 7 - Design: parametrização e simulação para a sustentabilidade

decorrem basicamente da falta de familiaridade do usuário com os


conceitos presentes na formulação do algoritmo e em informação
relacionada à aplicação destes.

Existe um termo utilizado na área de informática que é GIGO,


expressão em inglês que se refere ao fato de que, se inseridos os dados
incorretos em uma simulação, o resultado será de má qualidade, ou
seja, não há uma boa utilização destas ferramentas se o usuário não
tiver informações de qualidade para inserir no programa. Perceba
que os programas ainda não conseguem (por enquanto) discernir a
respeito da aplicabilidade ou da coerência dos dados inseridos e se
estes estão de acordo com o objetivo de solução de um determinado
problema.

Mesmo que um computador tenha sido programado a


partir de algoritmos corretos, pode ocorrer de que haja inserção de
dados incorretos que irão produzir erros nos resultados, assim, é de
extrema importância que se conheça a confiabilidade dos dados que
fornecerão os resultados.

Imagine um software que avalie a sustentabilidade nas


decisões de projeto na fase de criação de design. Ele deverá ser
alimentado com dados confiáveis para que o resultado seja também
confiável; se partirmos de uma base de dados falha, também teremos
avaliações falhas

Espero que você tenha curtido este início de um novo Módulo.


Nos vemos no próximo!

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


24
Módulo 7 - Design: parametrização e simulação para a sustentabilidade

Curiosidade

No século passado, o conceito de algoritmo foi formalizado


para que se resolvessem problemas matemáticos de tomada
de decisão formulados por David Hilbert em 1928. As
formalizações matemáticas mais famosas são as funções
recorrentes de Gödel-Herbrand-Kleene, o cálculo Lambda
de Alonzo Church, a Formulação de Emil Post, de 1936, e,
finalmente, a Máquina de Turing, de 1937, que possibilitou aos
Aliados decifrarem os códigos alemães.

Agora é a sua vez!

Complete as lacunas.

O ............................... é também um conceito fundamental


nas fases de programação e desenvolvimento dos

algoritmo / problema
softwares, uma vez que, dado um determinado
..............................., cria-se uma tradução em códigos de

Resposta correta
um algoritmo para a solução deste problema, feito
em uma certa linguagem que será executada por um
computador.

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


25
Módulo 7 - Design: parametrização e simulação para a sustentabilidade

Seção 2

Parametrização no design

Seja muitíssimo bem-vindo a esta segunda seção de nosso


sétimo Módulo. Aqui veremos como a parametrização é peça-chave
em uma produção voltada para a sustentabilidade.

O processo pode ser, de acordo com esta lógica de projeto,


mais importante do que o resultado, uma vez que o determinará.
Parodiando Burle Marx, somente através do completo domínio da
técnica se alcança a liberdade de criação. Esta famosa afirmação do
mestre paisagista é eloquente na afirmação de que, dominada a
técnica, não resta filtro entre a liberdade criativa do autor e sua obra.

Nesta linha de pensamento, há autores que definem a nova


realidade de criação com inúmeras possibilidades de ferramentas

digitais sendo uma realidade de liberdade criativa benéfica, que facilita,


em tese, uma produção de qualidade superior. Se esta qualidade não
se verifica, é sinal de que outros aspectos estão sendo falhos, mas isto
não seria “culpa” do novo ferramental.

Desta forma, é plausível pensarmos que os recentes

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


26
Módulo 7 - Design: parametrização e simulação para a sustentabilidade

desenvolvimentos alcançados pelo design sejam fruto de um percurso


de pesquisa amadurecido e que teve como pano de fundo um controle
preciso de várias etapas de criação através de ferramentas digitais
que possibilitaram ao autor uma liberdade em relação a tradicionais
dificuldades, reduzindo custos, por exemplo.

A criação apoiada em parametrização e em modelagens


algorítmicas, chamadas de design generativo, está atualmente nas
bases de um novo paradigma com força suficiente para dar respostas
à complexidade cada vez maior de problemas ligados à criação de
design com alternativas de metodologia e projeto, construindo uma
série de novas possibilidades.

Este novo paradigma tecnológico, que coloca o processo de


projeto e criação em evidência, com maior importância do que o
resultado por determiná-lo, não pode, porém, confundir o profissional
no sentido de se valorizar mais o domínio destas ferramentas
(softwares e hardwares) do que o estudo e a compreensão dos
problemas e na construção de um repertório sólido e culturalmente
consistente que permita ao autor uma interação focada na qualidade
dos serviços prestados à sociedade.

Os softwares paramétricos, que se tornaram protagonistas


nas mais diversas criações de design, principalmente em virtude
de não exigirem conhecimentos prévios de
programação, possibilitam a organização de
ideias e projetos em sistemas associativos,
baseados em algoritmos que definem
diferentes aspectos do projeto, agindo
sobre parâmetros colocados na base dos
processos criativos, de acordo com uma
lógica de programação de modificações
de acordo com variáveis preestabelecidas.

O Grasshopper, programa popular neste campo, cria


um ambiente de modelagem interativa que oferece um espaço
operacional que pode ser considerado “emparentado” com o papel
e o lápis, uma vez que os limites postos nos processos criativos não
se dão por escassez de recursos da ferramenta, mas pertencem à
capacidade de realização formal do autor-usuário.

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


27
Módulo 7 - Design: parametrização e simulação para a sustentabilidade

Assim, neste cenário de inovação, a criação de design que


visa à sustentabilidade pode contar com ferramentas poderosas no
sentido de uma produção efetivamente de qualidade, que atenda
às necessidades dos usuários em todos os seus aspectos, inclusive
naqueles ligados à sustentabilidade.

Diante disso, espero ter trazido uma reflexão que seja útil para sua
vida profissional. Grande abraço!

Multimídia

Pegada ecológica
Conheça o site da pegada ecológica.

Agora é a sua vez!

Complete as lacunas.

A ............................... de design que visa à sustentabilidade


criação / produção

pode contar com ferramentas poderosas no sentido de


Resposta correta

uma ............................... efetivamente de qualidade, que


atenda às necessidades dos usuários em todos os seus
aspectos.

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


28
Módulo 7 - Design: parametrização e simulação para a sustentabilidade

Seção 3

Simulação computacional no design

Olá! Dou início a mais esta seção de nosso Módulo. Seja muito
bem-vindo! Nela, veremos um pouco a respeito das simulações
computacionais, áreas da informática emergentes na criação,
produção e consumo de design.

As simulações computacionais são bastante utilizadas em


outras áreas do conhecimento, algumas com aplicação no design,
principalmente na física estatística e nas engenharias, na mecânica
dos fluidos (aerodinâmica e hidrodinâmica), na economia e nas
finanças.

Pode-se utilizar a simulação


computacional para, por exemplo,
determinar uma amostragem
representativa casual para a
obtenção de resultados numéricos e
ser útil para a resolução de problemas
computacionais de cálculo
combinatório, difíceis de serem feitos em amostras demasiadamente
grandes, facilitando a obtenção de estimativas.

Baseiam-se em algoritmos que geram uma série de


números correlacionados entre eles, seguindo uma distribuição de
probabilidade que contenham um fenômeno a ser verificado.

Esse tipo de simulação pertence a uma “família” de simulações


Simulações
chamada de Monte Carlo. São todas uma série de realizações
possíveis de fenômenos para observação com um peso próprio de
probabilidade e de ocorrência, que busca explorar todo o espaço
descrito pelos parâmetros descritos no fenômeno.

Uma vez determinada a amostragem, a simulação executa


medidas de grandeza e relevância nesta amostragem. As simulações
de tipo Monte Carlo podem ser consideradas bem-feitas sempre que
os valores médios resultantes destas simulações forem convergentes
àqueles valores verdadeiros.

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


29
Módulo 7 - Design: parametrização e simulação para a sustentabilidade

Muitas vezes, esse teste só é possível de ser feito em anos


de avaliação comparando-se os resultados simulados e aquilo que
efetivamente foi mensurado após a ação completada.

Estas simulações chamadas de Monte Carlo têm, basicamente,


em comum:

1. Definir um domínio de possíveis dados em input.

2. Gerar inputs casualmente no domínio com uma distribuição de


probabilidade determinada.

3. Executar um cálculo determinístico utilizando os dados de input.

4. Agregar os dados resultantes dos cálculos individuais ao resultado


final.

5. Os métodos determinísticos de integração numérica operam


considerando um número de amostragem uniformemente
distribuídos.

Como utilização, as simulações podem auxiliar na verificação


de desempenho de um produto sob vários aspectos, como o de
sustentabilidade, por exemplo, que veremos na próxima seção. Espero
que você tenha gostado! Até!

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


30
Módulo 7 - Design: parametrização e simulação para a sustentabilidade

Multimídia

Simulações
Veja um exemplo de como as simulações podem ajudar no
design, neste caso, mais voltado para a arquitetura.

Agora é a sua vez!

simulações / desempenho
Complete as lacunas.

As ............................... podem auxiliar na verificação de

Resposta correta
............................... de um produto sob vários aspectos,
como o de sustentabilidade.

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


31
Módulo 7 - Design: parametrização e simulação para a sustentabilidade

Seção 4

Desempenho no Design

Olá! Daremos prosseguimento ao nosso curso. Nesta quarta


seção, falaremos a respeito do conceito de desempenho aplicado
ao design. Inicialmente, é importante estabelecermos um acordo a
respeito do que vem a ser desempenho.

Na literatura encontra-
se frequentemente a definição
de desempenho como sendo a
descrição do comportamento em
uso de um objeto ou material.
Buscando uma definição mais
abrangente para o termo, temos
que desempenho é a descrição do atendimento às necessidades
dos usuários de acordo com os atuais níveis de conhecimentos
relacionados a este objeto ou material. Assim, introduz-se a variável
das necessidades humanas na questão, incorporando aspectos éticos
e legais.

Com isso podemos também definir como avaliação de


desempenho o método no qual se documenta e avalia determinados
aspectos de um objeto ou material, relacionados ao seu atendimento
e às necessidades dos usuários.
Sustentabilidade
A avaliação de desempenho no design relaciona-se com a
critérios a serem estabelecidos de acordo com determinados objetivos.

É possível imaginarmos uma avaliação de desempenho


focada na sustentabilidade socioambiental, partindo-se de
determinados parâmetros que serão descritos em algoritmos
socioambientalmente inspirados.
Existem iniciativas governamentais em
matéria de desempenho no Brasil, como,
por exemplo, o selo Procel, que avalia o
desempenho na dimensão de consumo
energético de equipamentos comercializados no país.

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


32
Módulo 7 - Design: parametrização e simulação para a sustentabilidade

Multimídia

Procel
O Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica
(Procel) foi criado pelo governo, coordenado pelo Ministério
de Minas e Energia e executado pela Eletrobras. Foi instituído
em 30 de dezembro de 1985 a fim de promover o uso eficiente
da energia elétrica e combater o seu desperdício. As ações do
Procel contribuem para o aumento da eficiência dos bens e
serviços, para o desenvolvimento de hábitos e conhecimentos
sobre o consumo eficiente da energia e, além disso, postergam
os investimentos no setor elétrico, mitigando, assim, os impactos
ambientais e colaborando para um Brasil mais sustentável.

Agora é a sua vez!

Complete as lacunas.

critérios / desempenho
Os ............................... e parâmetros a serem utilizados
para avaliação de ............................... necessitam de

Resposta correta
aplicabilidade, algo fundamental para uma utilização
visando à melhoria em relação à sustentabilidade.

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


33
Módulo 7 - Design: parametrização e simulação para a sustentabilidade

Seção 5

Identificação de critérios e parâmetros para o design

Agora vamos para nossa quinta seção deste Módulo, na qual


analisaremos juntos a importância da determinação de critérios e
parâmetros para o design. A prática profissional é moldada de acordo
com a postura do profissional que a exerce. No exercício da profissão,
é necessário, para uma atuação ética e de qualidade, que se incorpore
aspectos ligados às melhores práticas de acordo com uma postura
ética.

Mas o que são melhores práticas? Como a ética se insere aqui? Muitos
aspectos estão contidos em um arcabouço de atitudes, de posturas
que possam desenhar uma prática de qualidade.

No âmbito da sustentabilidade, é
preciso haver constante atualização
do profissional a respeito destas
melhores práticas, de técnicas, de
seu desempenho e de todos os
desdobramentos socioambientais
associados à atuação desses
aspectos, de forma a se configurar um repertório de critérios e
parâmetros ligados a criação, produção e consumo de design.

No entanto, vejamos a diferença entre critérios e parâmetros.


Um parâmetro é, por definição, um indicativo de uma variável, ou seja,
Qualidade da floresta é um dado que indica ou confirma a medida ou existência de outro.

São parâmetros da qualidade de uma floresta, por exemplo,


a existência de determinadas espécies de plantas e de determinadas
espécies da fauna. Quanto maior for o nível de exigência destas
espécies com relação à qualidade e à disponibilidade de recursos da
floresta, mais elas serão um indicativo de estado de preservação desta
floresta.

Já o estabelecimento de critérios está relacionado com a


elegibilidade dos parâmetros, ou seja, com a decisão a respeito de
quais serão os indicativos adequados para que se possa avaliar o
mais corretamente possível um determinado aspecto. Os critérios

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


34
Módulo 7 - Design: parametrização e simulação para a sustentabilidade

podem ser quantitativos ou qualitativos, de acordo com a avaliação


de adequação e metodologia empregada. Um exemplo de critério
para a adoção de um parâmetro é, no caso citado acima, o de que
a qualidade da floresta determinará uma ação socioambiental de
recuperação.

Áreas bem preservadas devem ser protegidas, já áreas


degradadas precisam ser recuperadas. Um critério neste caso é a
adoção de um parâmetro que indique o grau de preservação da
floresta para que seja identificada a área a ser recuperada.

O critério é a identificação de área a ser recuperada e o


parâmetro será a existência ou ausência de determinadas espécies
indicadoras de qualidade da preservação da floresta.

A determinação de critérios e parâmetros para a prática


profissional que reflita em uma criação, produção e consumo
sustentáveis, que incorpore aspectos de respeito ao meio ambiente e
às populações, é a forma de balizar a produção de bens na sociedade
com os conceitos mais contemporâneos e assertivos indicados pela
literatura e pela práxis pautada na ética e na qualidade.

Com esta reflexão, encerramos mais este Módulo. Espero


vocês no próximo!

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


35
Módulo 7 - Design: parametrização e simulação para a sustentabilidade

Multimídia

Conceitos verdes
Veja a diferença entre conservação e preservação ambiental.

Agora é a sua vez!

Complete as lacunas.

No âmbito da ..............................., é preciso haver


constante atualização do profissional a respeito
sustentabilidade / melhores

destas ............................... práticas, de técnicas, de


seu desempenho e de todos os desdobramentos
socioambientais associados à atuação destes aspectos,
Resposta correta

de forma a se configurar um repertório de critérios e


parâmetros ligados a criação, produção e consumo de
design.

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


36
Módulo 7 - Design: parametrização e simulação para a sustentabilidade

Recapitulando

Espero que você tenha gostado deste Módulo, e que, principal-


mente, ele sirva na sua prática profissional como um diferencial, que
seja ferramental para o seu sucesso! Conhecer sobre a sustentabilida-
de e como aplicá-la no trabalho do designer é fundamental para ter
uma prática profissional mais qualificada. Grande abraço!

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


37
E

MÓDULO 8
Tendências no design:
sociedade em evolução

Prof. Esp. Fernando Puccetti Laterza


Módulo 8 - Tendências no design: sociedade em evolução

Objetivos

Ao término dos estudos propostos neste Roteiro de Estudos, você


deverá estar apto a:

 identificar as implicações e possibilidades do design


biomimético para a sociedade hoje e no futuro;
 conhecer as implicações e possibilidades da
parametrização no design para a sociedade hoje e no
futuro;
 reconhecer as implicações e possibilidades dos
metamateriais e tecnologias emergentes na produção
do design;
 compreender os desafios ligados à produção e consumo
do design para as próximas décadas;
 saber dos riscos e das incertezas inerentes às inovações.

Seções

1. Design, metamateriais e tecnologias emergentes


2. Design, sociedade e transformação
3. Design e consumo: modelos preditivos e estatísticas
4. Design e inovação: riscos e incertezas
5. O design e o homem

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


39
Módulo 8 - Tendências no design: sociedade em evolução

Introdução

Caro aluno,

Neste Módulo vamos estudar as principais tendências para


o design. Estudaremos a questão do design biomimético e nas suas
possibilidades futuras, além de maneiras de parametrizar as formas de
trabalho. Analisaremos os novos materiais e tecnologias que podem
ser usados na criação e elaboração do design, e de que forma isso cria
desafios relacionados à criação e ao consumo. Seja muitíssimo bem-
vindo ao último Módulo de nosso curso!

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


40
Módulo 8 - Tendências no design: sociedade em evolução

Seção 1

Design, metamateriais e tecnologias emergentes

Iniciamos esta primeira seção de nosso módulo explicando que


metamateriais são materiais desenvolvidos de forma a apresentarem
propriedades específicas que os deixam diferentes de outros materiais
já existentes na natureza. Suas características macroscópicas não são
resultado apenas de suas estruturas moleculares, mas principalmente
das geometrias presentes em suas composições, ou seja, os
metamateriais adquirem propriedades principalmente através de
suas estruturas do que de suas composições químicas.

Para que se possa distinguir os metamateriais de materiais


comuns, principalmente de materiais emergentes (compósitos e
materiais chamados de responsivos), surgiu o termo metamateriais,
que normalmente é aplicado a materiais com propriedades pouco
comuns.

O termo foi criado por Roger Walser em 1999 na Universidade


do Texas, que definiu esta nova classe de materiais como “um material
compósito macroscópico com uma arquitetura celular tridimensional,
periódica e sintética, projetada para produzir uma combinação
otimizada que não seja encontrada na natureza, com duas ou mais
respostas a uma solicitação específica”.

Frequentemente, o termo metamateriais é usado


especificamente para descrever materiais que apresentam
propriedades de refração negativa. O desenvolvimento de

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


41
Módulo 8 - Tendências no design: sociedade em evolução

metamateriais é resultado do domínio


das técnicas de nanotecnologias, que
estão circunscritas no ramo da ciência
dedicado ao desenvolvimento de
tecnologias que tratam do estudo
da matéria em escala dimensional
inferior ao nanômetro, ou seja, a
um bilionésimo de metro, em geral, de 1 até 100 nanômetros, e da
projetação e realização de dispositivos capazes de atuar nesta escala.
O termo nanotecnologia indica genericamente a manipulação
científica da matéria em nível atômico e molecular.

Mas não há inovação somente no desenvolvimento de novos


materiais a partir de nanotecnologias que resultem em metamateriais.
Há também materiais novos que são apenas inovadores em algum
aspecto, mesmo que se utilizem de matéria conhecida, apenas em
novas versões ou arranjos produtivos.

Escolhi para ilustrar este universo de novos materiais e


tecnologias alguns exemplos que listei a seguir:

• Couro de frutas Rotterdam, que é resultado de um projeto de jovens


designers que visa diminuir o desperdício de frutas e verduras nos
mercados, onde seriam jogados fora, produzindo um couro ecológico
para ser aplicado em mobiliário e moda, entre outros;

• Revestimento cerâmico sem rejunte, produzido com resíduos da


indústria cerâmica, é fruto de pesquisa que visa a otimização de
resíduos;

• Madeira transparente, desenvolvida pelo KTH (Royal Institute


of Tecnology), na Suécia, poderá ser um substituto ao vidro,
principalmente em células fotovoltaicas;

• Compósitos sensíveis à umidade e à temperatura, que permitem a


produção de produtos que alteram suas geometrias em função das
condições ambientais;

• Microrretículas ou espumas metálicas ultraleves, materiais


extremamente resistentes e leves, voltados principalmente para a
indústria aeroespacial;

• Materiais com propriedade de fotocatálise heterogênea, que são


autolimpantes e contribuem para a limpeza do ar.

• Membranas de células fotovoltaicas.


Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo
42
Módulo 8 - Tendências no design: sociedade em evolução

Estes são alguns exemplos de materiais que compõem o


universo de inovação que vem se apresentando a arquitetos e
designers. Mais adiante discutiremos um pouco a respeito dos
possíveis impactos de algumas destas tecnologias.

Espero que você tenha curtido este início de um novo Módulo.


Nos vemos na próxima seção!

Multimídia

Metamateriais
Veja esse artigo sobre a forma como os metamateriais
revolucionam os meios de produção.

Agora é a sua vez!

Complete as lacunas.

O desenvolvimento de ............................... é resultado

metamateriais / matéria
do domínio das técnicas de nanotecnologias, que
estão circunscritas no ramo da ciência dedicado ao

Resposta correta
desenvolvimento de tecnologias, que tratam do estudo
da ............................... em escala dimensional inferior ao
nanômetro.

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


43
Módulo 8 - Tendências no design: sociedade em evolução

Seção 2

Design, sociedade e transformação

Seja muitíssimo
bem-vindo a esta segunda
seção de nosso Módulo
8. Nesta seção iremos
ver como a sociedade
tem se transformado, e,
assim, a criação, produção
e consumo de design
tendem a se deparar com
novas necessidades, novos desafios.

A sociedade contemporânea é descrita, pelos mais respeitados


sociólogos da atualidade e por numerosas instituições de âmbito
internacional (ONU, UNESCO), por, pelo menos, três aspectos
fundamentais:

• o conjunto da humanidade está se interconectando através de uma


rede de relações que se estende por todo o planeta;

• a rapidez e a profundidade da evolução dos modos de vida cotidianos


determinados pelas inovações tecnológicas representa uma novidade
na história da espécie humana;

• as transformações antropológicas e ecológicas em escala global,


resultado de fatores evolutivos, adquiriram uma amplitude sem
precedentes.

Muitos estudiosos de diversos campos do conhecimento


estimam que as mudanças que se verificam na atualidade estão
alterando nosso modo de vida, de pensar e de perceber o mundo de
forma permanente.

No início do século XX, cerca de 60% da população mundial


vivia em condições que, segundo a ONU, eram de pobreza extrema.
Eram, em sua maioria, agricultores analfabetos que dispunham de
meios de produção rudimentares, excluídos dos grandes circuitos de
comercio mundiais.

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


44
Módulo 8 - Tendências no design: sociedade em evolução

Atualmente, mesmo considerando que muitos países ainda


possuem parcelas significativas de população em situação de extrema
pobreza, esta representa cerca de 30% da população mundial, que, em
termos absolutos, ainda se configura como uma tragédia humanitária
de proporções gigantescas, mas que mostrou, por outro lado, uma
capacidade humana de se organizar e melhorar as condições para
parcelas também imensas de população. Melhoraram expectativa de
vida, mortalidade infantil e acesso regular a alimentos, permanecendo
o saneamento básico ainda como o maior desafio em países pobres.

O analfabetismo também foi reduzido


globalmente nas últimas décadas, com um
aumento expressivo de alfabetização entre
mulheres. Este dado é de extrema relevância,
uma vez que existe uma correlação entre
alfabetização, acesso ao mercado de trabalho
e emancipação feminina, que geram controle de
natalidade e uma direta queda das taxas de fecundidade, fazendo
que alguns autores descrevam uma tendência à estabilização do
número de habitantes no mundo, o que pode levar a uma janela
de oportunidade para que se adéquem os níveis de consumo da
humanidade à quantidade de recursos naturais disponíveis no
planeta.

A este cenário se acrescenta o fato de haver cada vez mais


difusão de meios eletrônicos de comunicação, remodelando-se os
fundamentos materiais da sociedade de consumo. Castells postula
que esta nova realidade tecnológica tenha desencadeado uma nova
realidade nas estruturas produtivas, das relações sociais e, portanto,
da vida cotidiana.

A renda per capita média mundial também aumentou, e o


fenômeno da globalização fez aumentar a produtividade mundial em
mais de cinco vezes.

Outro aspecto novo que caracteriza a transformação que


se apresenta à humanidade na atualidade é o do rompimento do
equilíbrio natural, uma vez que a melhoria dos níveis de consumo das
populações significa um aumento brutal no uso de recursos naturais,
resultando na emergência ambiental que é, hoje, o maior desafio à
sobrevivência da humanidade.

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


45
Módulo 8 - Tendências no design: sociedade em evolução

Multimídia

Recursos naturais até quando?


Veja a matéria que trata sobre o esgotamento dos recursos do
planeta.

Agora é a sua vez!

Complete as lacunas.
Evolução / inovações

A rapidez e profundidade da ............................... dos modos


Resposta correta

de vida cotidianos determinados pelas ...............................


tecnológicas representa uma novidade na história da
espécie humana.

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


46
Módulo 8 - Tendências no design: sociedade em evolução

Seção 3
As implicações e possibilidades dos metamateriais
e tecnologias emergentes na produção do design

Olá! Dou início mais uma vez a mais esta seção de nosso Módulo.
Seja muito bem-vindo! Nela iremos ver como existem implicações
de várias naturezas ligadas à utilização de materiais e técnicas
inovadoras. Aqui iremos nos deter mais especificamente a aspectos
de linguagem, de adequação com aspectos de sustentabilidade e
de pleno atendimento às necessidades dos usuários, deixando a
discussão da dimensão dos riscos à saúde pública para a próxima
seção.

Hoje temos à nossa


disposição uma série de
tecnologias que podem
mudar profundamente
a forma de se criar,
produzir e consumir
design. Se pensarmos nas
possibilidades oferecidas
pela realidade virtual e
pela realidade aumentada,
tecnologias que permitem experiências imersivas de contato com
produtos e meios muito antes de serem realmente produzidos. Pode-
se testar a efetividade de sinalizações, a interatividade com objetos
e a correlação estabelecida entre o meio e o objeto em experiências
imersivas de realidade virtual e de realidade aumentada ao reduzir os
custos com mockups e ensaios físicos. Além disso, nestes contextos
imersivos é possível testar respostas de demandas múltiplas de forma
mais assertiva.

As tecnologias que surgem nos últimos anos na área de


materiais trazem um questionamento e uma demanda por um design
que responda a várias questões simultaneamente.

Uma lâmpada ou luminária deixa de ser apenas um objeto


para iluminar, mas pode ganhar também a função de limpar o ar do
ambiente, abrigar dados e funcionar como um computador, enfim,

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


47
Módulo 8 - Tendências no design: sociedade em evolução

exercer múltiplas funções a partir de suas tecnologias associadas. Este


conceito não é de todo novo, mas a sua efetividade nunca esteve tão
exacerbada como na atualidade a partir das novas tecnologias.

Assim espera-se do design hoje uma nova proposta em suas


diversas dimensões, respondendo ao fato de que novos materiais
devem possibilitar novos usos, um novo design.

Esta nova realidade está, curiosamente, reacendendo o


interesse no passado e em um conhecimento ancestral sobre os objetos.
novos materiais Muito deste fenômeno se explica pelo fato de que culturas ancestrais
já tiveram que lidar com a escassez de recursos e com a adversidade
do meio, respondendo a estes desafios com multifuncionalidade,
eficiência energética e excelente desempenho, quesitos atualíssimos
para uma produção contemporânea. Outro aspecto que explica
em parte o fenômeno do retorno às origens na criação de design
contemporânea é ligada ao aumento da competitividade em níveis
globais, o que, ao acirrar as competições, faz com que os criadores
se voltem para suas realidades mais marcadas, com mais identidade,
distinguindo-se dos demais.

Mas não se trata de fazer renascer produções antigas, e sim


reinterpretá-las, utilizá-las como fonte de inspiração, aproveitando
aspectos de sua originalidade e desempenho, em aplicações novas,
com novos materiais, fazendo com que surjam novos conceitos, novos
usos a partir dos antigos. Com isso, espero que você tenha gostado
desta seção! Até!

Multimídia

Realidade aumentada
Veja um exemplo sobre o uso da realidade aumentada.

Agora é a sua vez!

Complete as lacunas.
tecnologias / design

As ............................... que surgem nos últimos anos na área


Resposta correta

de materiais colocam principalmente um questionamento


e uma demanda por um ............................... que responda a
várias questões simultaneamente.

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


48
Módulo 8 - Tendências no design: sociedade em evolução

Seção 4

Design e inovação: riscos e incertezas

Olá! Daremos prosseguimento ao nosso curso. Nesta quarta


seção veremos um pouco a respeito dos possíveis riscos que podemos
correr quando utilizamos novos materiais e novas tecnologias. Como
estudo de caso trataremos das nanotecnologias, que são um ramo da
ciência que se ocupa do desenvolvimento de tecnologias em escala
muito pequena.

Para se ter uma ideia, naqueles poucos segundos que você empregará
para ler a palavra nanotecnologia, seus cabelos terão crescido cerca de
dez nanômetros. Estamos tratando aqui de uma dimensão diminuta,
de aproximadamente um bilionésimo de metro, que já são utilizadas
atualmente em diversos produtos de cosméticos a bolas de tênis.
Pesquisadores estimam que haja no mercado mundial mais de mil
produtos diferentes, que contêm, em sua composição, algum material
desenvolvido a partir da nanotecnologia, como remédios contra o
câncer, o que dá uma ideia da importância dessas pesquisas.

No entanto, é fundamental nos questionarmos


a respeito da segurança da utilização destes
novos produtos, já que muitos ainda não
foram testados adequadamente com relação
a seus possíveis efeitos na saúde humana e na
natureza. Para você ter uma ideia a respeito
das incertezas ligadas às nanopartículas,
materiais bem conhecidos da ciência têm suas
propriedades alteradas após processos de nanotecnologia.

O ouro, por exemplo, se altera completamente se


nanoparticulado ou nanoestruturado, ficando de coloração vermelha
ou azul. E não apenas a sua cor se altera, o ouro, que normalmente é
o mais inerte dos elementos químicos, passa a ser reativo, o que o faz
ser candidato à utilização em remédios.

Um elemento químico nanoparticulado pode ter suas


propriedades alteradas ou potencializadas em alguns casos,
tornando o produto tóxico ou extremamente contaminante. Alguns
nanoparticulados têm a propriedade de se acumular em órgãos e

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


49
Módulo 8 - Tendências no design: sociedade em evolução

de penetrar em barreiras celulares que


naturalmente estavam preparadas
para lidar com a substâncias em suas
formas originais. Este cenário faz que
se deva agir com cautela a respeito da
segurança com relação aos possíveis
riscos ligados ao emprego de materiais
nanoparticulados.

Espero ter levado a você uma discussão atual e, principalmente,


lhe mostrado que há caminhos sustentáveis para uma criação,
produção e consumo de design. Até a próxima e última seção!

Multimídia

Nanotecnologia
Saiba o que é uma nanopartícula.

Agora é a sua vez!

Complete as lacunas.
Um elemento químico ............................... particulado pode
Resposta correta
nano / tóxico

ter suas propriedades alteradas ou potencializadas em


alguns casos, tornando o produto ............................... ou
extremamente contaminante.

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


50
Módulo 8 - Tendências no design: sociedade em evolução

Seção 5

O design e o homem

Agora vamos para nossa quinta seção deste Módulo, que encerra
nossa disciplina. Aqui eu quero, junto a você, tentar compreender
quais são as relações mais importantes entre o homem e o design,
desde as primeiras manifestações de produção, utensílios, vestuário
e manifestações artísticas e de comunicação que o homem fez nas
suas origens até os dias atuais. Hoje buscamos compreender como
será o design que irá ditar a moda nos próximos anos, como serão as
novidades e quem ganhará prêmios. Buscamos com ansiedade uma
criatividade que faça daquele momento um clarão criativo que se
manifeste em inovação formal, mesmo que por um dia apenas. Mas
como será mudar os rumos da criação, produção e design realmente?

Acredito que apenas com uma resposta complexa e simples


ao mesmo tempo teremos a possibilidade de alcançar este novo
paradigma. Complexa porque irá responder a uma série de demandas,
de forma multidisciplinar e com uma sofisticação de recursos em suas
várias etapas, e simples porque será definida como sustentável, apenas.
E no dia em que criarmos, produzirmos e consumirmos este bem,
teremos vivenciado um momento de inflexão, uma transformação.

Alguns momentos na história são


pontos de inflexão, pois constroem, de certa
forma, tudo o que vem pela frente. Um destes
momentos foi quando Petrarca, em abril de
1336, escalou o Monte Ventoso, no sul da
França. Petrarca fez algo que ninguém havia feito antes. Subiu em um
pico, e, uma vez no cume, relacionou a experiência desta escalada
com sua vida, com a vida das pessoas que ele amava, e descreveu esta
experiência em uma carta a um amigo, Dionigi da Borgo San Sepolcro.

Nesta carta Petrarca considera que até aquele momento ele


havia se dedicado a coisas que, no fundo, não têm importância, e, de
outro lado, havia negligenciado aquelas que realmente importam.
Petrarca referia-se a aspectos intangíveis de nossas vidas, que naquela
época se misturavam a religiosidade que dominava sua realidade.
Petrarca viu como o mundo era bonito, como a visão da natureza

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


51
Módulo 8 - Tendências no design: sociedade em evolução

expressa na paisagem era reconfortante, inspiradora, e de como foi


difícil e árduo o caminho para se chegar lá.

Diz a lenda que desta experiência de Petrarca surgiu o


dito popular “para se ver a vista, é preciso subir o monte”, em uma
metáfora a como muitas coisas boas só podem ser atingidas através
de trabalho duro e consistente. No fundo ele criou uma narrativa para
aquela experiência, uma narrativa de afeto, de respeito e de relação
com o homem. Estabelecia-se uma relação de respeito a grandezas
em várias dimensões: uma humana, uma da relação humana em um
processo e, por fim, uma material.

Assim gostaria de encerrar nossa disciplina com uma frase do


Marcelo Rosenbaum sobre o design essencial:

“Acreditamos que o design é uma ferramenta


que conecta objetos a narrativas. Peças
que contam a história de um COLETIVO,
de uma COMUNIDADE. O que fazemos é
nutrir negócios que respeitem o indivíduo,
o processo e a matéria. Colocamos o design a
serviço das pessoas”.

Multimídia

Design para empresas


Veja as dicas de Marcelo Rosenbaum sobre design para o mundo
corporativo.

Agora é a sua vez!

Complete as lacunas.
Desde as primeiras manifestações de produção, utensílios,
homem / design

vestuário e manifestações artísticas e de comunicação que


Resposta correta

o ............................... fez nas suas origens até os dias atuais.


Hoje buscamos compreender como será o ...............................
que irá ditar a moda nos próximos anos.

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


52
Módulo 8 - Tendências no design: sociedade em evolução

Recapitulando

Neste Módulo vimos como as tecnologias estão mudando as


formas como pensar, trabalhar e desenvolver o design hoje e ajudam
a visualizar alguns caminhos a serem pensados no futuro.

Desta forma, espero que você tenha gostado deste Módulo,


bem como do curso, e que, principalmente, ele sirva para sua prática
profissional como um diferencial, que seja ferramental para o seu su-
cesso!

Grande abraço!

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


53
Design e Sustentabilidade

Para fim de conversa

Caro aluno, estudamos nesta disciplina os princípios básicos


das questões socioambientais além das relações do design e da sus-
tentabilidade ligadas ao empreendedorismo e à economia criativa.
Focamos ainda os limites impostos pela natureza e os impactos gera-
dos pelas atividades profissionais.

Identificamos, também, as tendências no âmbito do design


sustentável e as tendências em uma sociedade que se encontra em
constante transformação. Completamos este percurso juntos, tenho
certeza de que esses conhecimentos serão de grande valia para que
você exerça uma prática profissional mais segura, ética e competente.

Grande abraço!

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


54
Design e Sustentabilidade

Referências

FRANZATO, C. O processo de inovação dirigida pelo design:


um modelo teórico. In: Redige, v. 2, n. 1, 2011, p. 50-62.
Disponível em: <http://www.cetiqt.senai.br/ead/redige/index.php/
redige/article/viewArticle/72>. Acesso em: 29 set. 2016.

FRANZATO, C.; CELASCHI, F. Processo de metaprojeto para o


desenvolvimento estratégico e a inovação das organizações. In:
X Pandamp; D Design – Congresso Brasileiro de Pesquisa
e Desenvolvimento em Design, 2012, São Luís. Anais do
X Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em
Design. São Luís: EDUFMA, 2012, p. 1-14.

MALDONADO, T. Design Industrial. Lisboa: Edições 70, 1999.


MANZINI, E.; JÉGOU, F. Design dos cenários. In: BERTOLA, P.;
MANZINI, E. Design multiverso: notas de fenomenologia do
design. Milano: Edizioni POLI.design, 2006, p. 189-207.

MORAES, D. Metaprojeto: o design do design. São Paulo:


Blucher, 2010.

REYES, P. Projetando pela exterioridade do projeto. In:


Strategic Design Research Journal, v. 5, n. 2, 2012, p. 91-97.
Disponível em: <http://www.unisinos.br/_diversos/revistas/ojs/
index.php/sdrj/article/view/sdrj.2012.5 2.05>. Acesso em: 29 set.
2016.

TAMEKUNI, Kaori Ishihara. “METAPROJETO – o design


em busca da inovação por meio da reflexão”, p. 2893-2904.
In: Anais do 11º Congresso Brasileiro de Pesquisa e
Desenvolvimento [= Blucher Design Proceedings, v. 1, n. 4].
São Paulo: Blucher, 2014.

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo


55
E

Educação a Distância – Centro Universitário Belas Artes de São Paulo