Você está na página 1de 4

PROFESSOR: Thállius Moraes

TURMA: Carreiras Policiais


Data: 30.08.2018 DIREITO ADMINISTRATIVO

RESPONSABILIDADE CIVIL DO ESTADO 8) De acordo com a teoria da culpa do serviço, a


responsabilidade do Estado depende da
1) De acordo com o Supremo Tribunal Federal, a
demonstração de culpa do agente público, aspecto
responsabilidade civil das empresas públicas perante
esse que a distingue da teoria do risco
usuários de serviços públicos é objetiva. Todavia,
administrativo.
perante terceiros não usuários, a sua
responsabilidade é subjetiva, dado o caráter privado
9) Para a configuração da responsabilidade civil do
da entidade, o que atrai a aplicação da teoria geral
Estado, é irrelevante licitude ou a ilicitude do ato
civilista quanto à responsabilização.
lesivo. Embora a regra seja a de que os danos
indenizáveis derivam de condutas contrárias ao
2) A responsabilidade civil do Estado por atos ordenamento jurídico, há situações em que a
comissivos abrange os danos morais e materiais. administração pública atua em conformidade com o
direito e, ainda assim, produz o dever de indenizar.

3) Um servidor público federal que, no exercício de sua


função, causar dano a terceiros poderá ser 10) A responsabilidade civil das pessoas jurídicas de
demandado diretamente pela vítima em ação direito privado prestadoras de serviço público é
indenizatória. objetiva relativamente a terceiros usuários e não
usuários do serviço prestado.

João, servidor público civil, motorista do Exército 11) Segundo o ordenamento jurídico brasileiro, todas as
brasileiro, enquanto conduzia veículo oficial, no pessoas jurídicas de direito público e as de direito
exercício da sua função, colidiu com o automóvel de privado que integrem a administração pública
Maria, que não possui qualquer vínculo com o poder responderão objetivamente pelos danos que seus
público. Após a devida apuração, ficou provado que os agentes, nessa qualidade, causarem a terceiros.
dois condutores agiram com culpa.
A partir dessa situação hipotética e considerando a 12) Considere que um particular, ao avançar o sinal
doutrina majoritária referente à responsabilidade civil vermelho do semáforo, tenha colidido seu veículo
do Estado, julgue os dois itens que se segue. contra veículo oficial pertencente a uma autarquia
que trafegava na contramão. Nessa situação, o
Estado deverá ser integralmente responsabilizado
4) A União tem direito de regresso em face de João, pelo dano causado ao particular, dado que, no
considerando que, no caso, a responsabilidade do Brasil, se adota a teoria da responsabilidade objetiva
agente público é subjetiva. e, de acordo com ela, a culpa concorrente não elide
nem atenua a responsabilidade do Estado de
indenizar.
5) A culpa concorrente da vítima exclui a
responsabilidade da União para a reparação de
danos sofridos por Maria. 13) Se um particular sofrer dano quando da prestação
de serviço público, e restar demonstrada a culpa
exclusiva desse particular, ficará afastada a
6) Empresa pública responderá pelos danos que seu responsabilidade da administração. Nesse tipo de
empregado, atuando como seu agente, ocasionar, situação, o ônus da prova, contudo, caberá à
assegurado o direito de regresso nos casos de dolo administração.
ou culpa.

14) A teoria do risco integral obriga o Estado a reparar


7) A teoria que impera atualmente no direito todo e qualquer dano, independentemente de a
administrativo para a responsabilidade civil do vítima ter concorrido para o seu aperfeiçoamento.
Estado é a do risco integral, segundo a qual a
comprovação do ato, do dano e do nexo causal é
suficiente para determinar a condenação do Estado. 15) No direito pátrio, as empresas privadas delegatárias
Entretanto, tal teoria reconhece a existência de de serviço público não se submetem à regra da
excludentes ao dever de indenizar responsabilidade civil objetiva do Estado.

1
PROFESSOR: Thállius Moraes
TURMA: Carreiras Policiais
Data: 30.08.2018 DIREITO ADMINISTRATIVO

16) Para efeito de apuração da responsabilidade civil do 22) Em sua defesa, o poder público poderá alegar culpa
Estado, é juridicamente irrelevante que o ato tenha do cidadão na geração do erro, uma vez que ele não
sido comissivo ou omissivo. forneceu o número de seu CPF. Nesse caso,
conforme a teoria do risco administrativo,
demonstrada culpa da vítima, a indenização poderá
17) De acordo com a teoria do risco integral, é suficiente ser atenuada ou excluída.
a existência de um evento danoso e do nexo de
causalidade entre a conduta administrativa e o dano
para que seja obrigatória a indenização por parte do 23) Na referida ação, fundamentada na
Estado, afastada a possibilidade de ser invocada responsabilidade objetiva do Estado, constarão
alguma excludente da responsabilidade. como corréus o servidor responsável pelo erro e o
poder público.

18) As pessoas jurídicas de direito público responderão


pelos danos que seus agentes, nessa qualidade, 24) Situação hipotética: Considere que uma pessoa
causarem a terceiros, assegurado o direito de jurídica de direito público tenha sido
regresso contra o responsável apenas nos casos de responsabilizada pelo dano causado a terceiros por
dolo. um dos seus servidores públicos. Assertiva: Nessa
situação, o direito de regresso poderá ser exercido
contra esse servidor ainda que não seja comprovada
Rafael, agente público, chocou o veículo que dirigia, a ocorrência de dolo ou culpa.
de propriedade do ente ao qual é vinculado, com
veículo particular dirigido por Paulo, causando-lhe
danos materiais. Com base no disposto, julgue os 25) A responsabilidade do Estado inclui o dever de
próximos itens indenizar as vítimas quando de ação ou omissão,
19) Rafael pode ser responsabilizado, regressivamente, ainda que lícita, resultar-lhes danos.
se for comprovado que agiu com dolo ou culpa,
mesmo sendo ocupante de cargo em comissão, e 26) Situação hipotética: Um ônibus de
deve ressarcir a administração dos valores gastos determinada concessionária de serviço público
com a indenização que venha a ser paga a Paulo. envolveu-se em acidente com vítima fatal, porém
havia indícios de embriaguez da vítima, de que o
20) A responsabilidade da administração pelos danos condutor do ônibus atuara com diligência no
causados a terceiro é objetiva, ou seja, independe da momento do acidente e de que, no momento do
comprovação do dolo ou culpa de Rafael. acidente, o veículo trafegava com velocidade abaixo
do máximo permitido na via. Assertiva: Nessa
situação, a empresa de ônibus não precisará
21) A responsabilidade da administração pode ser indenizar a família da pessoa que morreu no
afastada caso fique comprovada a culpa exclusiva de acidente, pois a pessoa jurídica de direito privado
Paulo e pode ser atenuada em caso de culpa não responde com responsabilidade objetiva diante
concorrente. de danos causados a terceiros não usuários de
serviços públicos.

Em decorrência do lançamento indevido de


condenação criminal em seu registro eleitoral, 27) De acordo com o entendimento do STF, empresa
efetuado por servidor do TRE/GO, um cidadão que concessionária de serviço público de transporte
não havia cometido nenhum crime, ficou impedido responde objetivamente pelos danos causados à
de votar na eleição presidencial, razão por que família de vítima de atropelamento provocado por
ajuizou contra o Estado ação pleiteando indenização motorista de ônibus da empresa.
por danos morais. Apurou-se que o erro havia
ocorrido em virtude de homonímia e que tal
cidadão, instado pelo TRE/GO em determinado 28) Segundo entendimento do STF, ao desempenho
momento, havia se recusado a fornecer ao tribunal o inconstitucional da função de legislador é aplicável a
número de seu CPF. Com base no disposto, julgue os responsabilidade civil do Estado.
próximos itens

2
PROFESSOR: Thállius Moraes
TURMA: Carreiras Policiais
Data: 30.08.2018 DIREITO ADMINISTRATIVO

29) A responsabilidade civil do Estado deve ser excluída contramão. Assertiva: Nessa situação, não existe a
em situações inevitáveis, isto é, em caso fortuito ou responsabilização integral do Estado, pois a culpa
em evento de força maior cujos efeitos não possam concorrente atenua o quantum indenizatório.
ser minorados.

38) A responsabilidade civil do Estado por atos


30) O caso fortuito, como causa excludente da jurisdicionais vem sendo aceita, segundo a
responsabilidade do Estado, se caracteriza pela jurisprudência do STF, em caso de comprovada falta
imprevisibilidade e inevitabilidade. objetiva na prestação judiciária.

31) Como a responsabilidade civil do Estado por ato 39) O ato emanado do Poder Judiciário e adstrito ao
danoso de seus prepostos é objetiva, surge o dever processo judicial, ainda que provoque
de indenizar se restarem provados o dano ao consequências danosas às partes, isenta o Estado de
patrimônio de outrem e o nexo de causalidade entre responsabilidade.
este e o comportamento do preposto. No entanto, o
Estado poderá afastar a responsabilidade objetiva
quando provar que o evento danoso resultou de 40) O Estado é civilmente responsável por danos
caso fortuito ou de força maior, ou ocorreu por decorrentes de lei declarada inconstitucional pelo
culpa exclusiva da vítima. Poder Judiciário.

32) O caso fortuito, como causa excludente da 41) Para a caracterização da responsabilidade civil do
responsabilidade civil do Estado, consiste em Estado, basta a comprovação da qualidade de
acontecimento imprevisível, inevitável e agente público, não se exigindo para isso que o
completamente alheio à vontade das partes, razão agente esteja agindo no exercício de suas
por que não pode o dano daí decorrente ser funções.
imputado à administração.
42) Um ato, ainda que lícito, praticado por agente
33) No caso de danos decorrentes de acidentes público e que gere ônus exorbitante a um cidadão
nucleares, o Estado só responderá civilmente caso pode resultar em responsabilidade civil do Estado
seja demonstrada a falha na prestação de serviço,
podendo, inclusive, alegar caso fortuito e força
Servidor responsável pela gestão dos sistemas de
maior.
tecnologia da informação da Câmara dos Deputados, em
retaliação à aprovação de uma lei que ele considerava
34) A culpa exclusiva de terceiro afasta prejudicial aos interesses nacionais, resolveu, após o
automaticamente a responsabilidade do Estado. horário de expediente, invadir o órgão e instalar um
vírus no sistema de protocolo, o que ocasionou a perda
de todas as informações sobre a tramitação dos
35) São excludentes da responsabilidade civil do Estado processos legislativos no último ano.
a culpa exclusiva da vítima ou de terceiro, caso Considerando essa situação hipotética, julgue o item
fortuito ou força maior subsecutivo.
43) A administração não responde pelo dano causado
36) Em virtude da observância do princípio da a terceiros em razão da conduta do servidor, uma
supremacia do interesse público, será integralmente vez que o ato foi praticado após o horário de
excluída a responsabilidade civil do Estado nos casos expediente.
de culpa — seja exclusiva, seja concorrente — da
vítima atingida pelo dano. 44) Em nenhuma circunstância será o Estado
responsabilizado por danos decorrentes dos
37) Situação hipotética: Um veículo particular, ao efeitos produzidos por lei, uma vez que a
transpassar indevidamente um sinal vermelho, atividade legislativa é fundamentada na soberania
colidiu com veículo oficial da Procuradoria-Geral do e limitada somente pela Constituição Federal de
Município de Fortaleza, que trafegava na 1988.

3
PROFESSOR: Thállius Moraes
TURMA: Carreiras Policiais
Data: 30.08.2018 DIREITO ADMINISTRATIVO

45) Segundo entendimento do STF, ao desempenho


inconstitucional da função de legislador é GABARITO
aplicável a responsabilidade civil do Estado. 1. Errado
2. Certo
3. Errado
46) A ação de responsabilidade civil objetiva por ato 4. Certo
cometido por servidor público pode ser 5. Errado
legitimamente proposta contra o Estado ou 6. Certo
7. Errado
contra este e o respectivo servidor, em 8. Certo
litisconsórcio passivo. 9. Certo
10. Certo
11. Errado
47) Na hipótese de uma empresa pública prestadora 12. Errado
de serviços públicos não dispor de recursos 13. Certo
14. Certo
financeiros para arcar com indenização
15. Errado
decorrente de sua responsabilidade civil, o ente 16. Errado
político instituidor dessa entidade deverá 17. Certo
responder, de maneira subsidiária, pela 18. Errado
indenização. 19. Certo
20. Certo
21. Certo
22. Certo
48) Excetuados os casos de dever específico de 23. Errado
proteção, a responsabilidade civil do Estado por 24. Errado
condutas omissivas é subjetiva, devendo ser 25. Certo
comprovados a negligência na atuação estatal, o 26. Errado
27. Certo
dano e o nexo de causalidade. 28. Certo
29. Certo
30. Errado
31. Certo
32. Errado
33. Errado
34. Errado
35. Errado
36. Errado
37. Certo
38. Certo
39. Errado
40. Certo
41. Errado
42. Certo
43. Errado
44. Errado
45. Certo
46. Errado
47. Certo
48. Certo

Você também pode gostar