Você está na página 1de 70
Direito Grego

Direito Grego

Direito Grego
Direito Grego
Direito Grego
Direito Grego
Direito Grego
Direito Grego
Direito Grego
Direito Grego
Prof. Daniel Mayerle
Prof. Daniel Mayerle
Prof. Daniel Mayerle

Prof. Daniel Mayerle

 Localização : ◦ País da Europa oriental, solo montanhoso e pobre, banhado pelos mares

Localização:

País da Europa oriental, solo montanhoso e

pobre, banhado pelos mares Jônio, Egeu e Mediterrâneo

Origem:

jônios, eólios, dórios e aqueus

Polis principais:

Esparta e Atenas

 Origem : ◦ jônios, eólios, dórios e aqueus  Polis principais : ◦ Esparta e
 Origem : ◦ jônios, eólios, dórios e aqueus  Polis principais : ◦ Esparta e
 Origem : ◦ jônios, eólios, dórios e aqueus  Polis principais : ◦ Esparta e
 Origem : ◦ jônios, eólios, dórios e aqueus  Polis principais : ◦ Esparta e

Prof. Daniel Mayerle

Prof. Daniel Mayerle
Prof. Daniel Mayerle
Prof. Daniel Mayerle
Prof. Daniel Mayerle
Prof. Daniel Mayerle

Prof. Daniel Mayerle

 Localizada na península do Peloponeso  Esparta fundada por dórios  Classe dirigente da

Localizada na península do Peloponeso Esparta fundada por dórios

Classe dirigente da sociedade

Periecos

Homens livres que se dedicavam à

agricultura, comércio, artesanato e que não tinhas direitos políticos

Hilotas

Responsáveis pelo cultivo das terras que pertenciam ao estado Maioria da população e eram escravos

pelo cultivo das terras que pertenciam ao estado ◦ Maioria da população e eram escravos Prof.
pelo cultivo das terras que pertenciam ao estado ◦ Maioria da população e eram escravos Prof.
pelo cultivo das terras que pertenciam ao estado ◦ Maioria da população e eram escravos Prof.
pelo cultivo das terras que pertenciam ao estado ◦ Maioria da população e eram escravos Prof.

Prof. Daniel Mayerle

 Características de Esparta : militarista, autocrata, aristocrata, provinciana, conservadora, atrasada. 

Características de Esparta: militarista, autocrata, aristocrata, provinciana,

conservadora, atrasada.

Educação: transformar o jovem em guerreiro, sabendo ler e escrever

transformar o jovem em guerreiro, sabendo ler e escrever  As mulheres tinham como função serem

As mulheres tinham como função serem mães de

“guerreiros perfeitos”

Legislador: Licurgo, tido por muitos como lenda ou ser

mitológico

Prof. Daniel Mayerle

 Fundada pelos jônios na península Ática  Principal atividade econômica: comércio marítimo  Sofreu

Fundada pelos jônios na península Ática

Principal atividade econômica: comércio

marítimo

Sofreu uma séria de reformas sociais e políticas para aumentar a participação

da população nas decisões

Interessante: organização da cidade em demos (bairros) e não mais em famílias

nas decisões  Interessante: organização da cidade em demos (bairros) e não mais em famílias Prof.
nas decisões  Interessante: organização da cidade em demos (bairros) e não mais em famílias Prof.
nas decisões  Interessante: organização da cidade em demos (bairros) e não mais em famílias Prof.
nas decisões  Interessante: organização da cidade em demos (bairros) e não mais em famílias Prof.

Prof. Daniel Mayerle

 Todos os cidadãos atenienses participavam da vida política  Cidadãos: homens nascidos de pai

Todos os cidadãos atenienses participavam

da vida política

Cidadãos: homens nascidos de pai e mãe atenienses

Meninos:

Aulas de filosofia, leitura, cálculo, poesia etc

Aos 18 anos serviço militar

Aos 20 anos atingiam a maioridade (cidadania)

Mulheres, estrangeiros (metecos) e escravos

eram excluídos da vida política

A vida da mulher em Atenas era mais limitada

que a mulher Espartana

Prof. Daniel Mayerle

 Características de Atena s: marítima, comerciante, imperialista adiantada. Legisladores: Drácon, Sólon,

Características de Atenas: marítima, comerciante, imperialista adiantada. Legisladores: Drácon, Sólon, Clístentes.

Leis de Drácon: (Séc. VII aC) extremamente severas, baseadas na vingança familiar.

Leis de Sólon: (638/558 aC) estabeleceu

democracia em Atenas, abrandamento das

Leis Draconianas, criação do Areópago

responsáveis pela leis e constituições

das Leis Draconianas, criação do Areópago – responsáveis pela leis e constituições Prof. Daniel Mayerle
das Leis Draconianas, criação do Areópago – responsáveis pela leis e constituições Prof. Daniel Mayerle
das Leis Draconianas, criação do Areópago – responsáveis pela leis e constituições Prof. Daniel Mayerle
das Leis Draconianas, criação do Areópago – responsáveis pela leis e constituições Prof. Daniel Mayerle

Prof. Daniel Mayerle

Prof. Daniel Mayerle
Prof. Daniel Mayerle
Prof. Daniel Mayerle

Prof. Daniel Mayerle

Prof. Daniel Mayerle
Prof. Daniel Mayerle
Prof. Daniel Mayerle
Prof. Daniel Mayerle
Prof. Daniel Mayerle

Prof. Daniel Mayerle

Não existia direito grego, mas uma multidão de direitos gregos Não houve uma unidade política
Não existia direito grego, mas uma multidão de direitos gregos Não houve uma unidade política
Não existia direito grego, mas uma multidão de direitos gregos
Não houve uma unidade política e jurídica na Grécia Antiga
Cada cidade tinha seu próprio direito, tanto público quanto
privado
Nunca houve leis aplicáveis a todos os gregos
Aplicava-se, no máximo, alguns costumes comuns
Prof. Daniel Mayerle
Prof. Daniel Mayerle
Prof. Daniel Mayerle
Prof. Daniel Mayerle
Prof. Daniel Mayerle
Prof. Daniel Mayerle

Prof. Daniel Mayerle

Civilização cretense e micénica Época dos clãs Formação das Cidades Regime Democrático Unificação da Grécia
Civilização cretense e micénica
Época dos clãs
Formação das Cidades
Regime Democrático
Unificação da Grécia
Prof. Daniel Mayerle
 Cretense : Período do séc. XX ao XV aC  Micénica : Período do

Cretense: Período do séc. XX ao XV aC Micénica: Período do séc. XVI ao XII aC

Ambas foram destruídas pelos invasores dórios

Ausência de documentos escritos

Instituições de direito muito mal conhecidas

dórios  Ausência de documentos escritos  Instituições de direito muito mal conhecidas Prof. Daniel Mayerle
dórios  Ausência de documentos escritos  Instituições de direito muito mal conhecidas Prof. Daniel Mayerle
dórios  Ausência de documentos escritos  Instituições de direito muito mal conhecidas Prof. Daniel Mayerle
dórios  Ausência de documentos escritos  Instituições de direito muito mal conhecidas Prof. Daniel Mayerle

Prof. Daniel Mayerle

Prof. Daniel Mayerle
Prof. Daniel Mayerle
Prof. Daniel Mayerle
Prof. Daniel Mayerle
Prof. Daniel Mayerle

Prof. Daniel Mayerle

 Polis = cidade  Agrupamento de clãs, primeiro pela autoridade de um deles Após,

Polis = cidade

Agrupamento de clãs, primeiro pela autoridade de um deles

Após, formas variadas

Monocráticas: Macedônia Aristocracia perdeu o poder

Imposição por um tirano

 Monocráticas: Macedônia  Aristocracia perdeu o poder  Imposição por um tirano Prof. Daniel Mayerle
 Monocráticas: Macedônia  Aristocracia perdeu o poder  Imposição por um tirano Prof. Daniel Mayerle
 Monocráticas: Macedônia  Aristocracia perdeu o poder  Imposição por um tirano Prof. Daniel Mayerle
 Monocráticas: Macedônia  Aristocracia perdeu o poder  Imposição por um tirano Prof. Daniel Mayerle

Prof. Daniel Mayerle

 A cidade é grupo social bastante limitado
A cidade é grupo social bastante limitado

Geralmente instalada em território pouco extenso Haviam dezenas de cidades na Grécia, também nas regiões do Mediterrâneo, na Sicília e também no sul da Itália

de cidades na Grécia, também nas regiões do Mediterrâneo, na Sicília e também no sul da
de cidades na Grécia, também nas regiões do Mediterrâneo, na Sicília e também no sul da
de cidades na Grécia, também nas regiões do Mediterrâneo, na Sicília e também no sul da
de cidades na Grécia, também nas regiões do Mediterrâneo, na Sicília e também no sul da

Prof. Daniel Mayerle

• põem fim à solidariedade familiar. • Objetivo: abolir a justiça familiar • A cidade
• põem fim à solidariedade familiar. • Objetivo: abolir a justiça familiar • A cidade
• põem fim à solidariedade familiar.
• Objetivo: abolir a justiça familiar
• A cidade tem a competência de
decidir e manter a paz.
• Obrigatoriedade de ingressar nos
tribunais
Leis de Drácon
(621 a. C.)

Prof. Daniel Mayerle

• seguem a grande revolta contra a concentração de renda; • as reformas limitam o

seguem a grande revolta contra a concentração de renda;

as reformas limitam o poder paterno (o filho maior se torna autônomo);

as mulheres continuam sob a tutela dos pais e maridos, mas têm uma grande liberdade de ir e vir (inclusive freqüentam escolas);

os thetes (mais pobres dos homens livres) assumem assento e voz na assembléia legislativa;

cria o tribunal dos Heliastas e respectivos dicastérios, o Conselho dos 500.

Leis de Sólon

(594-3 a. C.)

Prof. Daniel Mayerle

Época clássica da democracia ateniense (580 a 338) Cidadãos governam diretamente no seio da assembléia,
Época clássica da democracia ateniense (580 a 338)
Cidadãos governam diretamente no seio da assembléia,
exprimindo ai sua vontade e votando a lei, em princípio igual
para todos
Assembléia toma todas as decisões importantes, mesmo no
domínio judiciário

Administração da cidade é assegurada pelo Conselho

Prof. Daniel Mayerle

Fim do séc. IV a.C., unificação da Grécia, Egito e Ásia Anterior
Fim do séc. IV a.C., unificação da Grécia,
Egito e Ásia Anterior
Não se manteve, mas subsistiram várias monarquias, nas quais, a partir do séc. III, o
Não se manteve, mas subsistiram várias
monarquias, nas quais, a partir do séc.
III, o poder é exercido por reis absolutos
partir do séc. III, o poder é exercido por reis absolutos A vontade do rei absoluto
partir do séc. III, o poder é exercido por reis absolutos A vontade do rei absoluto

A vontade do rei absoluto é a lei viva

Prof. Daniel Mayerle

Prof. Daniel Mayerle
Prof. Daniel Mayerle
Prof. Daniel Mayerle

Prof. Daniel Mayerle

Direito grego não foi formulado sob a forma de textos legislativos ou sob comentários de
Direito grego não foi formulado sob a forma de textos legislativos ou sob comentários de
Direito grego não foi
formulado sob a forma de
textos legislativos ou sob
comentários de juristas

Direito derivado de uma noção comum, relativamente vaga, de justiça, que estaria difusa na consciência coletiva -

nomos

Prof. Daniel Mayerle

Raras fontes escritas, dentre elas destacam-se: • Epopéias de Homero, no período arcaico • Demóstenes
Raras fontes escritas, dentre elas destacam-se:
Raras fontes escritas, dentre elas destacam-se:

Epopéias de Homero, no período arcaico

Demóstenes e Iseu, discursos do fim da época clássica do direito ateniense

Documentos literários e filosóficos, principalmente os escritos por Platão, Aristóteles e Plutarco

Lei de Gortina, longa inscrição descoberta em Creta em

1884

Lei de Dura, descoberta em 1922 perto do Rio Eufrates que seria cópia de outra anterior

em 1884 • Lei de Dura, descoberta em 1922 perto do Rio Eufrates que seria cópia
em 1884 • Lei de Dura, descoberta em 1922 perto do Rio Eufrates que seria cópia

Prof. Daniel Mayerle

Importantes trabalhos sobre o ideal da cidade, principalmente os escritos de Hesíodo, Heródoto, Platão,
Importantes trabalhos sobre o
ideal da cidade, principalmente
os escritos de Hesíodo,
Heródoto, Platão, Aristóteles,
que analisaram as instituições
das cidades gregas para
fazerem a sua crítica e
contraporem-lhe formas ideais
de governo

Prof. Daniel Mayerle

Prof. Daniel Mayerle

Prof. Daniel Mayerle

A doutrina de Platão exerceu influência considerável,

sobretudo por

intermédio de seu discípulo Aristóteles Principais obras de Platão:

A república

A política

As leis

Aristóteles  Principais obras de Platão: ◦ A república ◦ A política ◦ As leis Prof.
Aristóteles  Principais obras de Platão: ◦ A república ◦ A política ◦ As leis Prof.
Aristóteles  Principais obras de Platão: ◦ A república ◦ A política ◦ As leis Prof.
Aristóteles  Principais obras de Platão: ◦ A república ◦ A política ◦ As leis Prof.

Prof. Daniel Mayerle

A República é sobretudo a descrição de uma cidade A cidade ideal é um regime
A República é sobretudo a
descrição de uma cidade
A cidade ideal é um regime
aristocrático, sendo
ideal, dividida em três
classes:
governada pelos melhores,
mas o próprio Platão constata
que todos os regimes
•Os governantes
políticos tendem na maior
•Os guardiões-guerreiros
parte das vezes à injustiça
•O povo
Prof. Daniel Mayerle
Na Política, insiste em sobre o fim moral da organização da As Leis, é uma
Na Política, insiste em sobre o
fim moral da organização da
As Leis, é uma obra menos
utópica, mais próxima da
cidade, sendo assim a política
uma subdivisão da ética, o
que, em seu pensar, tornaria
os homens melhores
realidade ateniense, reduzindo
o governo a duas formas de
governo: monarquia (poder
emana de cima) democracia
(poder emana de baixo)
Prof. Daniel Mayerle
Aristóteles (385- 322) discípulo de Platão e Sócrates, preceptor de Alexandre, o Grande, escreveu numerosas
Aristóteles (385- 322) discípulo de Platão e Sócrates, preceptor de Alexandre, o Grande, escreveu numerosas
Aristóteles (385-
322) discípulo de
Platão e Sócrates,
preceptor de
Alexandre, o
Grande, escreveu
numerosas obras

Prof. Daniel Mayerle

Expõe no seu A Política suas teorias sobre formas de governo, que

reputa como sendo três: monarquia, aristocracia e democracia

Estas formas podem se apresentar

de modo corrompido, como tirania,

oligarquia e demagocia

 O direito privado grego, melhor conhecido é o de Atenas  Na época clássica

O direito privado grego, melhor conhecido é

o de Atenas

Na época clássica (séc. V e IV a.C) esse direito é muito individualista, permitindo ao cidadão

dispor livremente da sua pessoa e dos seus

bens.

é muito individualista , permitindo ao cidadão dispor livremente da sua pessoa e dos seus bens.
é muito individualista , permitindo ao cidadão dispor livremente da sua pessoa e dos seus bens.
é muito individualista , permitindo ao cidadão dispor livremente da sua pessoa e dos seus bens.
é muito individualista , permitindo ao cidadão dispor livremente da sua pessoa e dos seus bens.

Prof. Daniel Mayerle

 Ao ofendido ou lesado caberia intentar o processo, fazer a citação, tomar a palavra

Ao ofendido ou lesado caberia intentar o

processo, fazer a citação, tomar a palavra em

audiência, defender-se ou acusar, sem auxílio de advogado ou de qualquer outro

profissional

Inexistia a profissionalização do direito.

RETÓRICA = hoje sinônimo de empolação.

 Inexistia a profissionalização do direito .  RETÓRICA = hoje sinônimo de empolação. Prof. Daniel
 Inexistia a profissionalização do direito .  RETÓRICA = hoje sinônimo de empolação. Prof. Daniel
 Inexistia a profissionalização do direito .  RETÓRICA = hoje sinônimo de empolação. Prof. Daniel
 Inexistia a profissionalização do direito .  RETÓRICA = hoje sinônimo de empolação. Prof. Daniel

Prof. Daniel Mayerle

 Para os gregos, seu sentido original significava orador, se referia à arte de dizer,

Para os gregos, seu sentido original

significava orador, se referia à arte de dizer,

da eloquência.

Tinha como objetivo original persuadir com a

força dos argumentos.

Após, considerando-se as dificuldades da defesa própria dos interesses, foi sendo

permitido a representação por membros da

família (por sangue ou casamento), bem como amigos e vizinhos.

a representação por membros da família (por sangue ou casamento), bem como amigos e vizinhos. Prof.
a representação por membros da família (por sangue ou casamento), bem como amigos e vizinhos. Prof.
a representação por membros da família (por sangue ou casamento), bem como amigos e vizinhos. Prof.
a representação por membros da família (por sangue ou casamento), bem como amigos e vizinhos. Prof.

Prof. Daniel Mayerle

 A Justiça, por consequência ou como objetivo,
A Justiça, por consequência ou como objetivo,

era econômica e rápida, ficava nas mãos de amadores (jurados).

A invenção do júri popular é ateniense (jurado

= cidadão comum).

Um magistrado presidia o julgamento, mas

não interferia no processo.

(jurado = cidadão comum).  Um magistrado presidia o julgamento, mas não interferia no processo. Prof.
(jurado = cidadão comum).  Um magistrado presidia o julgamento, mas não interferia no processo. Prof.
(jurado = cidadão comum).  Um magistrado presidia o julgamento, mas não interferia no processo. Prof.
(jurado = cidadão comum).  Um magistrado presidia o julgamento, mas não interferia no processo. Prof.

Prof. Daniel Mayerle

Na Grécia não há uma classe de juristas, nem treinamento jurídico Os legógrafos = redatores

Na Grécia não há uma classe de juristas, nem treinamento jurídico

Os legógrafos = redatores e oradores que faziam os discursos

para os litigantes = eram proibidos, portanto, burlavam a Lei.

Considerados como os “primeiros advogados”.

Há escolas de retórica, dialética e filosofia

argumentação dialética que vai ter uso forense ou semiforense

Prof. Daniel Mayerle

Tinham o costume de aprender de cor (recitando em forma de poemas) textos jurídicos, como
Tinham o costume de aprender de cor (recitando em forma de poemas) textos jurídicos, como
Tinham o costume de aprender de cor (recitando em forma
de poemas) textos jurídicos, como os poemas de Homero.
As leis de Sólon eram ensinadas como poemas.
A literatura “jurídica” era fonte de instrução e prazer.
Presumia-se que o direito devia ser aprendido vivenciando-
o.

Prof. Daniel Mayerle

Prof. Daniel Mayerle
Prof. Daniel Mayerle
Prof. Daniel Mayerle
Prof. Daniel Mayerle
Prof. Daniel Mayerle

Prof. Daniel Mayerle

Grécia

Grécia Prof. Daniel Mayerle
Grécia Prof. Daniel Mayerle
Grécia Prof. Daniel Mayerle

Prof. Daniel Mayerle

Atenas e Esparta: • ambas compartilham elementos fundamentais de nossa tradição jurídica: • a laicização

Atenas e Esparta:

ambas compartilham elementos fundamentais de nossa tradição jurídica:

a laicização do direito

idéia de que as leis

A Grécia clássica conhece várias

formas de

organização e institucionalização.

podem ser revogadas pelos mesmos homens que as fizeram.

de organização e institucionalização. podem ser revogadas pelos mesmos homens que as fizeram. Prof. Daniel Mayerle
de organização e institucionalização. podem ser revogadas pelos mesmos homens que as fizeram. Prof. Daniel Mayerle
de organização e institucionalização. podem ser revogadas pelos mesmos homens que as fizeram. Prof. Daniel Mayerle
de organização e institucionalização. podem ser revogadas pelos mesmos homens que as fizeram. Prof. Daniel Mayerle

Prof. Daniel Mayerle

Conhecia-se o divórcio recíproco, com iguais direitos para homens e mulheres. Era legal (não se
Conhecia-se o divórcio recíproco, com iguais direitos para homens e mulheres.
Conhecia-se o divórcio recíproco, com
iguais direitos para homens e mulheres.
Era legal (não se sabe se costumeiro) abandonar crianças recém-nascidas.
Era legal (não se sabe se costumeiro)
abandonar crianças recém-nascidas.
As roupas eram uniformes para homens livres e escravos, não se percebendo a diferença entre
As roupas eram uniformes para homens
livres e escravos, não se percebendo a
diferença entre eles (era possível, isto sim,
saber a diferença entre ricos e pobres).
Prof. Daniel Mayerle
Diferenças de classes • latifundiários que formavam a oligarquia conservadora • os hoplitas, artesãos,
Diferenças de classes
Diferenças de classes

latifundiários que formavam a oligarquia conservadora

os hoplitas, artesãos, agricultores, homens livres, que favoreciam uma democracia moderada

os miseráveis, abertos a uma democracia radical.

As lutas sociais promoveram muitas reformas feitas ao longo da história ateniense.
As lutas sociais promoveram muitas reformas
feitas ao longo da história ateniense.

Prof. Daniel Mayerle

Professores itinerantes que viajavam de cidade em cidade realizando discursos públicos
Professores itinerantes que viajavam de cidade
em cidade realizando discursos públicos
Finalidade: atrair discipulos para educar. Atividade era remunerada
Finalidade: atrair discipulos para educar.
Atividade era remunerada
Ensinamento realcionado a forma de argumentar, com a ensinansa da virtude.
Ensinamento realcionado a forma de
argumentar, com a ensinansa da virtude.
É a partir deles que a filosofia vai refletir controladamente sobre a lei. Prof. Daniel
É a partir deles que a filosofia vai refletir
controladamente sobre a lei.
Prof. Daniel Mayerle
Gregos rompem com a idéia da divindade legislativa, ou são apenas as tradições herdadas. Quem

Gregos rompem

com a idéia da divindade legislativa, ou são

apenas as tradições

herdadas.

Quem faz a lei também pode alterá-la
Quem faz a lei
também pode
alterá-la

Com a positivação

do direito os gregos

fazem uma primeira reflexão clássica

sobre a natureza da

lei e da justiça.

do direito os gregos fazem uma primeira reflexão clássica sobre a natureza da lei e da
do direito os gregos fazem uma primeira reflexão clássica sobre a natureza da lei e da
do direito os gregos fazem uma primeira reflexão clássica sobre a natureza da lei e da
do direito os gregos fazem uma primeira reflexão clássica sobre a natureza da lei e da

Prof. Daniel Mayerle

Assim, acima das solidariedades A cidade não podia depender da justiça do cadi, como nas
Assim, acima das solidariedades A cidade não podia depender da justiça do cadi, como nas
Assim, acima das
solidariedades
A cidade não podia
depender da justiça do
cadi, como nas aldeias.
familiares construiu-se
uma solidariedade
cívica e, ainda mais
universal, uma
solidariedade
cosmopolita.
A cidade e a consciência de que ela é um artefato humano se sobrepõem à
A
cidade e a
consciência de que ela
é um artefato humano
se sobrepõem à
tradição e aos laços
familiares
consciência de que ela é um artefato humano se sobrepõem à tradição e aos laços familiares
consciência de que ela é um artefato humano se sobrepõem à tradição e aos laços familiares
consciência de que ela é um artefato humano se sobrepõem à tradição e aos laços familiares
consciência de que ela é um artefato humano se sobrepõem à tradição e aos laços familiares

Prof. Daniel Mayerle

Nos tribunais era preciso provar o direito (a lei, o costume) além dos fatos Não

Nos tribunais era preciso provar o direito (a lei, o costume) além dos fatos

Não havia a execução judicial
Não havia a execução judicial

O queixoso recebia o julgamento e se encarregava de executá-lo, ou passava a uma fase de ação penal.

Era moralmente indigno receber dinheiro

para a defesa (Legógrafo)

Prof. Daniel Mayerle

Prof. Daniel Mayerle
Prof. Daniel Mayerle
Prof. Daniel Mayerle
Prof. Daniel Mayerle
Prof. Daniel Mayerle

Prof. Daniel Mayerle

Nos tribunais populares, as provas poderiam ser feitas por escrito. Nos arbitrais, eram informais. Os

Nos tribunais populares, as provas poderiam ser feitas por escrito.

Nos arbitrais,

eram informais.

Os juízes eram

leigos e membros

de uma assembléia podiam

testemunhar

sobre os fatos e julgar pelo que sabiam das coisas (não

vinculavam-se às

provas).

pelo que sabiam das coisas (não vinculavam-se às provas). Prof. Daniel Mayerle Os depoimentos de escravos
pelo que sabiam das coisas (não vinculavam-se às provas). Prof. Daniel Mayerle Os depoimentos de escravos
pelo que sabiam das coisas (não vinculavam-se às provas). Prof. Daniel Mayerle Os depoimentos de escravos
pelo que sabiam das coisas (não vinculavam-se às provas). Prof. Daniel Mayerle Os depoimentos de escravos

Prof. Daniel Mayerle

Os depoimentos de escravos deveriam ser precedidos de tortura (senão

mentiriam).

O privado e o público eram distintos A associação voluntária (contratos) e a associação involuntária
O privado e o público eram distintos A associação voluntária (contratos) e a associação involuntária
O privado e o
público eram
distintos
A associação
voluntária
(contratos) e a
associação
involuntária
(delitos), sendo que
ambas geravam
responsabilidade.

Prof. Daniel Mayerle

Inexistia órgão público de acusação:

qualquer um poderia denunciar os crimes públicos

A denúncia não era apenas a informação, mas uma petição: era o início de um
A denúncia não era apenas a informação, mas uma petição: era
o início de um processo
Porém, se o denunciante não obtivesse ao menos 1/5 dos votos
do tribunal, pagava multa e não podia abandonar a acusação no
meio do processo.

Os denunciantes tinham parte nas multas e penas aplicadas aos

culpados.

Prof. Daniel Mayerle

“O processo tornou-se uma praga em Atenas, mas a liberdade de processar era inerente à
“O processo tornou-se uma praga
em Atenas, mas a liberdade de
processar era inerente à
democracia.”
As penas eram em geral: castigos,
multas, feridas, mutilações, morte
(cuja forma era de acordo com o
delito cometido) e exílio.

Prof. Daniel Mayerle

Instituições políticas de governo da cidade Assembléia Conselho Prítanes Estrategos Magistrados A justiça e os

Instituições políticas de governo da cidade

Assembléia

Conselho Prítanes Estrategos
Conselho
Prítanes
Estrategos

Magistrados

A justiça e os tribunais

Justiça Criminal

Justiça Civil
Justiça Civil

Tribunais Marítimos

A) INSTITUIÇÕES POLÍTICAS DE GOVERNO DA CIDADE a) ÓRGÃOS DO GOVERNO:  Assembléia (ekklêsia ):

A) INSTITUIÇÕES POLÍTICAS DE GOVERNO DA

CIDADE

a) ÓRGÃOS DO GOVERNO:

Assembléia (ekklêsia):

Composta por todos os cidadãos acima de 20

anos e de posse dos direitos políticos (aprox. 6000 ).

Órgão de maior autoridade, com atribuições

legislativas, executivas e judiciárias. REFLETIA A SOBERANIA DO POVO;

autoridade, com atribuições legislativas, executivas e judiciárias. REFLETIA A SOBERANIA DO POVO; Prof. Daniel Mayerle
autoridade, com atribuições legislativas, executivas e judiciárias. REFLETIA A SOBERANIA DO POVO; Prof. Daniel Mayerle
autoridade, com atribuições legislativas, executivas e judiciárias. REFLETIA A SOBERANIA DO POVO; Prof. Daniel Mayerle
autoridade, com atribuições legislativas, executivas e judiciárias. REFLETIA A SOBERANIA DO POVO; Prof. Daniel Mayerle

Prof. Daniel Mayerle

A) INSTITUIÇÕES POLÍTICAS DE GOVERNO DA CIDADE a) ÓRGÃOS DO GOVERNO:  Assembléia (ekklêsia ):

A) INSTITUIÇÕES POLÍTICAS DE GOVERNO DA

CIDADE

a) ÓRGÃOS DO GOVERNO:

Assembléia (ekklêsia):

Competia-lhe: a) relações exteriores: negociações e

acolhimento dos representantes; b) o poder legislativo; c) o controle e a fiscalização do poder

executivo (compreendia a nomeação e a

fiscalização dos magistrados). Delibera, decide elege e julga.

(compreendia a nomeação e a fiscalização dos magistrados). ◦ Delibera, decide elege e julga. Prof. Daniel
(compreendia a nomeação e a fiscalização dos magistrados). ◦ Delibera, decide elege e julga. Prof. Daniel
(compreendia a nomeação e a fiscalização dos magistrados). ◦ Delibera, decide elege e julga. Prof. Daniel
(compreendia a nomeação e a fiscalização dos magistrados). ◦ Delibera, decide elege e julga. Prof. Daniel

Prof. Daniel Mayerle

A) INSTITUIÇÕES POLÍTICAS DE GOVERNO DA CIDADE a) ÓRGÃOS DO GOVERNO:  O Conselho (boulê):
A) INSTITUIÇÕES POLÍTICAS DE GOVERNO
DA CIDADE
a) ÓRGÃOS DO GOVERNO:
 O Conselho (boulê):
◦ Composto por 500 cidadãos (50 para cada tribo),
com idade superior a 30 anos e escolhidos por
sorteio. Renovado a cada ano.
◦ Dedicação exclusiva mediante remuneração.
◦ Auxiliar da Assembléia, funcionando como um
parlamento moderno;
◦ Preparar projetos que seriam submetidos à
Assembléia;

Prof. Daniel Mayerle

A) INSTITUIÇÕES POLÍTICAS DE GOVERNO DA CIDADE a) ÓRGÃOS DO GOVERNO:  O Conselho (boulê):

A) INSTITUIÇÕES POLÍTICAS DE GOVERNO DA CIDADE

a) ÓRGÃOS DO GOVERNO:

O Conselho (boulê):

Controlar os tesoureiros;

Realizar a prestação de contas dos magistrados;

Receber embaixadores;

Investigar as acusações de alta traição;

Examinar os futuros conselheiros e magistrados.

Examina, prepara as leis e controla.

◦ Examinar os futuros conselheiros e magistrados. ◦ Examina, prepara as leis e controla. Prof. Daniel
◦ Examinar os futuros conselheiros e magistrados. ◦ Examina, prepara as leis e controla. Prof. Daniel
◦ Examinar os futuros conselheiros e magistrados. ◦ Examina, prepara as leis e controla. Prof. Daniel
◦ Examinar os futuros conselheiros e magistrados. ◦ Examina, prepara as leis e controla. Prof. Daniel

Prof. Daniel Mayerle

A) INSTITUIÇÕES POLÍTICAS DE GOVERNO DA CIDADE a) ÓRGÃOS DO GOVERNO:  Os prítanes (

A) INSTITUIÇÕES POLÍTICAS DE GOVERNO DA

CIDADE

a) ÓRGÃOS DO GOVERNO:

Os prítanes ( comitê diretor do Boulê ):

Composto por 500 membros, organizados em 10

grupos ( um para cada tribo ) e cada grupo exercia a pritania durante um décimo de ano;

O presidente, escolhido diariamente, presidia o

Conselho e a Assembléia. Somente escolhido uma vez.

O presidente, escolhido diariamente, presidia o Conselho e a Assembléia. Somente escolhido uma vez. Prof. Daniel
O presidente, escolhido diariamente, presidia o Conselho e a Assembléia. Somente escolhido uma vez. Prof. Daniel
O presidente, escolhido diariamente, presidia o Conselho e a Assembléia. Somente escolhido uma vez. Prof. Daniel
O presidente, escolhido diariamente, presidia o Conselho e a Assembléia. Somente escolhido uma vez. Prof. Daniel

Prof. Daniel Mayerle

A) INSTITUIÇÕES POLÍTICAS DE GOVERNO DA CIDADE a) ÓRGÃOS DO GOVERNO:  Os prítanes (

A) INSTITUIÇÕES POLÍTICAS DE GOVERNO DA

CIDADE a) ÓRGÃOS DO GOVERNO:

Os prítanes ( comitê diretor do Boulê ):

Guardião das chaves dos templos onde ficavam os tesouros e os arquivos.

Elo entre o Conselho e a Assembléia, os

magistrados, os cidadãos e os embaixadores

estrangeiros.

Elo entre o Conselho e a Assembléia, os magistrados, os cidadãos e os embaixadores estrangeiros. Prof.
Elo entre o Conselho e a Assembléia, os magistrados, os cidadãos e os embaixadores estrangeiros. Prof.
Elo entre o Conselho e a Assembléia, os magistrados, os cidadãos e os embaixadores estrangeiros. Prof.
Elo entre o Conselho e a Assembléia, os magistrados, os cidadãos e os embaixadores estrangeiros. Prof.

Prof. Daniel Mayerle

A) INSTITUIÇÕES POLÍTICAS DE GOVERNO DA CIDADE a) ÓRGÃOS DO GOVERNO:  Os estrategos :

A)

INSTITUIÇÕES POLÍTICAS DE GOVERNO

DA CIDADE

a) ÓRGÃOS DO GOVERNO:

Os estrategos : instituídos em 501 a C, eram em número de 10, sendo eleitos pela

Assembléia e reeleitos indefinidamente (Péricles = eleito 15 vezes)

Comando do exército e defesa nacional;

Distribuição do imposto de guerra

Dirigir a polícia de Atenas

Eram embaixadores oficiais no exterior para negociarem tratados.

Dirigir a polícia de Atenas ◦ Eram embaixadores oficiais no exterior para negociarem tratados. Prof. Daniel
Dirigir a polícia de Atenas ◦ Eram embaixadores oficiais no exterior para negociarem tratados. Prof. Daniel
Dirigir a polícia de Atenas ◦ Eram embaixadores oficiais no exterior para negociarem tratados. Prof. Daniel
Dirigir a polícia de Atenas ◦ Eram embaixadores oficiais no exterior para negociarem tratados. Prof. Daniel

Prof. Daniel Mayerle

A) INSTITUIÇÕES POLÍTICAS DE GOVERNO DA CIDADE a) ÓRGÃOS DO GOVERNO:  Os magistrados :

A) INSTITUIÇÕES POLÍTICAS DE GOVERNO DA

CIDADE

a) ÓRGÃOS DO GOVERNO:

Os magistrados:

Sorteados dentre candidatos eleitos, renovados

anualmente;

Formavam colegiados:

Arcontes ( + importantes)

Instruem os processos;

anualmente; ◦ Formavam colegiados: ◦ Arcontes ( + importantes) ◦ Instruem os processos; Prof. Daniel Mayerle
anualmente; ◦ Formavam colegiados: ◦ Arcontes ( + importantes) ◦ Instruem os processos; Prof. Daniel Mayerle
anualmente; ◦ Formavam colegiados: ◦ Arcontes ( + importantes) ◦ Instruem os processos; Prof. Daniel Mayerle
anualmente; ◦ Formavam colegiados: ◦ Arcontes ( + importantes) ◦ Instruem os processos; Prof. Daniel Mayerle

Prof. Daniel Mayerle

A) INSTITUIÇÕES POLÍTICAS DE GOVERNO DA CIDADE a) ÓRGÃOS DO GOVERNO:  Os magistrados: ◦

A)

INSTITUIÇÕES POLÍTICAS DE GOVERNO

DA CIDADE

a) ÓRGÃOS DO GOVERNO:

Os magistrados:

Demais magistrados (secundários): a) executavam

sentenças de morte; b) inspecionavam mercados;

c)

os sistemas de água; d) o sistema de medidas;

e)

demais atividades relacionadas com a

administração municipal;

Ocupam-se dos cultos

Exercem funções municipais

com a administração municipal; ◦ Ocupam-se dos cultos ◦ Exercem funções municipais Prof. Daniel Mayerle
com a administração municipal; ◦ Ocupam-se dos cultos ◦ Exercem funções municipais Prof. Daniel Mayerle
com a administração municipal; ◦ Ocupam-se dos cultos ◦ Exercem funções municipais Prof. Daniel Mayerle
com a administração municipal; ◦ Ocupam-se dos cultos ◦ Exercem funções municipais Prof. Daniel Mayerle

Prof. Daniel Mayerle

B) A JUSTIÇA E OS TRIBUNAIS JUSTIÇA CRIMINAL: ◦ Areópago : o mais antigo tribunal,

B)

A JUSTIÇA E OS TRIBUNAIS

JUSTIÇA CRIMINAL:

Areópago: o mais antigo tribunal, originalmente aristocrático, com amplos poderes como Corte de Justiça e como Conselho Político;

Com as reformas, a partir do IV século a.C.,

julgava os casos de homicídios premeditados ou voluntários, de incêndios e de envenenamento.

Tribunal dos Efetas: composto por quatro

tribunais especiais, com 51 pessoas com + de 50

anos, designadas por sorteio. Cuidava dos casos de homicídio involuntário e outros justificáveis, conforme diferenciação estabelecida por Drácon.

homicídio involuntário e outros justificáveis, conforme diferenciação estabelecida por Drácon. Prof. Daniel Mayerle
homicídio involuntário e outros justificáveis, conforme diferenciação estabelecida por Drácon. Prof. Daniel Mayerle
homicídio involuntário e outros justificáveis, conforme diferenciação estabelecida por Drácon. Prof. Daniel Mayerle
homicídio involuntário e outros justificáveis, conforme diferenciação estabelecida por Drácon. Prof. Daniel Mayerle

Prof. Daniel Mayerle

B) A JUSTIÇA E OS TRIBUNAIS JUSTIÇA CIVIL:  Juizes dos demos: percorriam as aldeias

B) A JUSTIÇA E OS TRIBUNAIS

JUSTIÇA CIVIL:

Juizes dos demos: percorriam as aldeias (demos) e resolviam de forma

rápida os litígios que não ultrapassassem

um certo valor ( 20 dias de salário ).

Nos processos + importantes, era

incumbido das investigações

preliminares (facilitava a vida dos campesinos).

+ importantes, era incumbido das investigações preliminares (facilitava a vida dos campesinos). Prof. Daniel Mayerle
+ importantes, era incumbido das investigações preliminares (facilitava a vida dos campesinos). Prof. Daniel Mayerle
+ importantes, era incumbido das investigações preliminares (facilitava a vida dos campesinos). Prof. Daniel Mayerle
+ importantes, era incumbido das investigações preliminares (facilitava a vida dos campesinos). Prof. Daniel Mayerle

Prof. Daniel Mayerle

B) A JUSTIÇA E OS TRIBUNAIS Os árbitros:  Privados: escolhidos pelas partes, funcionavam como
B) A JUSTIÇA E OS TRIBUNAIS
Os árbitros:
 Privados: escolhidos pelas partes,
funcionavam como os atuais mediadores. Não
cabia apelação.
 Públicos: escolhidos por sorteio. Processo
rápido e menos custoso. À sentença cabia
apelação.
Públicos: escolhidos por sorteio. Processo rápido e menos custoso. À sentença cabia apelação. Prof. Daniel Mayerle
Públicos: escolhidos por sorteio. Processo rápido e menos custoso. À sentença cabia apelação. Prof. Daniel Mayerle
Públicos: escolhidos por sorteio. Processo rápido e menos custoso. À sentença cabia apelação. Prof. Daniel Mayerle
Públicos: escolhidos por sorteio. Processo rápido e menos custoso. À sentença cabia apelação. Prof. Daniel Mayerle

Prof. Daniel Mayerle

B) A JUSTIÇA E OS TRIBUNAIS A Heliaia :  Tribunal que permitia que a

B) A JUSTIÇA E OS TRIBUNAIS

A Heliaia:

Tribunal que permitia que a maior parte dos processos poderiam ser julgados por grandes júris populares. Composto por 6.000 heliastas, escolhidos por sorteio.

A cidade se reunia para julgar.

 Composto por 6.000 heliastas, escolhidos por sorteio.  A cidade se reunia para julgar. Prof.
 Composto por 6.000 heliastas, escolhidos por sorteio.  A cidade se reunia para julgar. Prof.

Prof. Daniel Mayerle

B) A JUSTIÇA E OS TRIBUNAIS Juízes dos tribunais marítimos ( nautodikai ):  Assuntos

B) A JUSTIÇA E OS TRIBUNAIS

Juízes dos tribunais marítimos (nautodikai):

Assuntos concernentes ao comércio e à marinha mercante;

Acusações contra estrangeiros que usurpavam o título de cidadão.

e à marinha mercante;  Acusações contra estrangeiros que usurpavam o título de cidadão. Prof. Daniel
e à marinha mercante;  Acusações contra estrangeiros que usurpavam o título de cidadão. Prof. Daniel
e à marinha mercante;  Acusações contra estrangeiros que usurpavam o título de cidadão. Prof. Daniel
e à marinha mercante;  Acusações contra estrangeiros que usurpavam o título de cidadão. Prof. Daniel

Prof. Daniel Mayerle

A lei positiva – o centro do debate filosófico : • a promulgação a lei

A lei positiva o centro do debate filosófico:

a promulgação a lei e sua revogação

nada têm de divino.

Abre-se uma fenda entre o direito divino e o direito dos homens (“Antígona”, de Sófocles, demonstra este conflito).

Os gregos promoveram o debate e a reflexão sobre o justo e sobre a justiça, o que foi além do debate sobre as normas.

o debate e a reflexão sobre o justo e sobre a justiça, o que foi além
o debate e a reflexão sobre o justo e sobre a justiça, o que foi além
o debate e a reflexão sobre o justo e sobre a justiça, o que foi além
o debate e a reflexão sobre o justo e sobre a justiça, o que foi além

Prof. Daniel Mayerle

Prof. Daniel Mayerle

Prof. Daniel Mayerle

Júri popular; A figura do advogado na forma embrionária (legógrafo e representantes); Diferenciação entre os

Júri popular;

A figura do advogado na forma embrionária (legógrafo e representantes);

Diferenciação entre os homicídios, voluntário, involuntário e legítima

defesa;

A mediação e a arbitragem;

A gradação das penas conforme o delito (Sólon);

A retórica e a eloqüência forense.

Prof. Daniel Mayerle

Prof. Daniel Mayerle
Prof. Daniel Mayerle
Prof. Daniel Mayerle

Prof. Daniel Mayerle