Você está na página 1de 113
Eliane Serro Alves Mey Naita Christofoletti Silveira Catalogacao no Plural (© 20 by lane Ser Aes Mey Nis Cot Sea ito at i gsr or Leo nema Como Le go tae mpd do ly gat Se Lame ao 1) ‘date ie pode ap gn eo uae a ‘tems de menperato dims tan gure fetes cn ss eee Bee cade oA Og da Lingua Pr S10 EEE enc sin aie igh ‘Canis erie Rep Brent 8 ge fe Ls User ‘Qian Bisa Cop 7 SUMARIO Armen O vi 1 some caatocackosowmétono 1 Li O process cominicativo 3 12 O caminho de um registro do canhcimento a biblioteca 6 13 Definigdoe fangies da catalogacio 7 14 Ocatilogo u 2 comcussios RINGENAS PARA RESTS craic (m8) v7 21 Osatnibitas das entdades 2 22 Astelagies entre entidades 25 221 Relagies no nivel de obra 20 222 Relagdes no nivel de expression 31 22.3 Relagbes no nivel de maniestacio e item 35 23° Os Requisitos Puncionas para Dados de Autoridade (xan) 38 24 Influéncias dos ra. 53 3 _mverastmonascathvocceoncaTALeacho so 3.4 Periods remotos 59 32 Made Média 63 33. Séeulos xvas 65 Ba Séeulo wx 3 35 Steulo x 7 36 Inicio do séeulo oa 89 4 armincapneatuccacio 24 41 Anilise protiminar do recurso bibliogriico 98 eit tenia cago smncsAnca ‘Os elementos da descrigho biblogritica ‘Awa do til eda responsabilidad ‘Area daedigio ‘Area dos detathesexpecficos do material ‘Area de publica ‘Area de descr fisica ‘rea da sie ‘Area das notas ‘Area do niimero internacional normalizadlo Apresentagbes do registro bibliogrtico Metadados Dublin Core Pacrio Brasileiro de Motadados Pontos de acesso de nomes pessoas Pontos de acesso de titulos ules ifr Pontos de acesso de assuntes Remissivas Davos netocauzacion NNotagio de assunto de autor Outros elementos distintivos (3 catdlogos manuais em fichas (Os catilogos externas (Qs catilogos interns Catélogos automatizados fndice 99 105 10 0 13 15 a7 ng 121 129 31 133 134 136 145, 158 157 158 159 169 1 15 180 12 187 188 188 194 205 an APRESENTAGAO Algumas mudangsse outmas nem tanto. Modan de titulo, pois fest € nn peldade, uma nova edigo do manual intro cata Togeaio, pubicado em 1985, Por qu Catalogapio no plural? bem, dda verde idl fei de Naira Sveira (que & tina para sugesit titulo Plural antes de mais nada, porque agora somos dun a esreve, pensar ecolocar nossos pontos de vista, quase sempre evincden {es Em sogunde liga, porque 98 catalogagies agora se maltpice- ram em mais de urn sentido, HS alguns edigos de calalogagio, norms, formatose programas, que nteragem simullaneaments Por fina propria catlogagio ems se tornou mils, atendendo 2 indimeras frees profisionais de dierenes reas, ampliando 0 fonoeto de usu’ da catalogago, para além de quaisquer pare- ‘des ou concitos. Eno, é plural meso. ‘Mudangas também no contigo, amplado, revisto e atualiza- doatéfevereino de 2009, Peo que muito lemos a agradecer a tcos ‘as amigos incentivaors, familias, em especial ans colegas bitin: tection Ua longa lista de pesos queria, nos mais diferentes pontos do pais, que nos excreviam sobre as novidades enos rest am socoro quando pediamos. Nao fazemeseitagies au, por: {que incorteriamos em dois enganos:o primero, certamente 0&0 Ae omisso; 0 segundo, trams ui rol de vrias pginas, tantos foram os qos sjudaram, A todos, nosso muito obrigadas. “Antes de repetirmos as pretenses deste pequeno mans vale recanhecer que hoje viveros sab a égide ce Cronos; ou, machacli ramen falando,"Naoimporta ao tempo o minut que passa, mas ‘minuto que ver”. Pie © minulo que vem traci ceramente ot tras novas outtos ares, outras obras. Muito provavelment, mu Cangas ocorerao em breve, Por iss, Buscamos anteciparnos, sinalzand para os novos ventes. Todavia, sabemos que os prnc vit ary savin /eAIALOCAGHO NO MURAL ios permancoero, mesmo que os nomes 08 eligos, 08 ime- ros das regras se modifiquem, Um outro aspecto important: rio inventames a rodal Coliginos,organizamos,sintetizamos, ‘epstramos eexplicamos materiaisdisponiveisindicandons ee pectivas fonts. E vamos ao que pretendemos e também a0 que io se pretende. Este manual tem a pretensdo de ser um guia para alunos ini- ciantesem catalogaczoe um auxiliar para docentes da rea Ta: bbém pretensiosamente espera despertar naqueles akunos inte resse'eo gosto pela ctalogacio. Por sina, esta 6 aqui considera \daumaatividade prazerosae instigate, Apis descobrirmos qo agradavel pode ser, dfciimente dela nos apartamos, Por alum tempo, foi difamada, até mesmo ‘enterrada e cremads’, mas ta ‘como a fénix epipcia e a propria bibliotecanomia, renasce das ‘inzas, faz plistica’e reassume se papel, representando o sol € 8 Vida dos registros do conhecimento, Indluiram-se neste pequeno livra todos a tépicos que cansi- dleramos pertinentesa uma disciplina de catalogagiorfindamen- tos, histrico, elementos bisicos,elaboracio dos registros bibli- copraficos, producio eorganizagio dos catilogos ea nosso ver, 0 ‘mais important: o porqué de fazermos tudo iso, Em dls cop tos nos alongamos um tanto no segundo, sobre modelos en- lidade-relacionamento do registro bibliogrdfico, porque niko existem tradughes deles; no terceto, de carter histrico, por. {que recuperamos informagies das mais diversas fonts, nem Sempre disponiblizadas e muito menos em nossa idiom. ‘De modo absolute, nfo pretendemes substitur obras diver: sas sobre exereicios de catalogagao © explicagies sobre forma: tos, como aquelas relaivas ds acre? « a0 Mare Nao ha ipo a gum de exercicio aqui ineluido. Também nio nos arrogamas & Profundidade ou completeza de tim ‘tratado de eatalogasio Sempre que possivel,indicamos outras obras onde 0 tema pos. ‘sa sor estudado einvestigado, preferenciaimente em portagués, dentro dos limites de nosso conhecimento. Por ilimo, mas ndo menos importante, este mansial se en- contra repleto de nossas iélas pessoas, oriandas de nossas ex periéncias de ensino e de trabalho em biblitecas. Dar aulas lidar com alunos, vé-os desenvolverse € uma das experincine rN ix mals fascinantes que conhecemas;trabalhar em biblitecastam- bém. Quando nos & permitido realizar ambas, estas completam: st, crescendo profisional eo professor speramos, com muita pretensio, que este pequeno manual ajude os que nele buscarem auxilioe abra camino para novos ‘ntalogadores. ae Seio Ase Mey ir Christy Sin So Cato, evesito de 2009 1 SOBRE CATALOGAGAO E CATALOGO © trabalho bibliotecondmico, em termes simples, consste em or fonizg wate dissemi coniecimentos registrados para dif ees univers de usuétios, a partir dos ineresees, nevessidades, ‘emandas epotencalidades de cada um desses univers. ‘Defnindorse 0 conetinento como “ato ou efit de apreender inteectuamente, de persber im fato ou uma verdade"; ou como oman, tedrio ou peti, de um assunto, uma arte uma ci ‘da, uma téenica ete” (Housiss),' pode dizer, em sintese, ue Dupnnton-pwacy pp eS Se Gerda Rasen ty the mp Fosse ene Ley Sh ag pet fete Man Sem Cae Cy 2 (OS REQUISITOS FUNCIONAIS PARA REGISTROS BIBLIOGRAFICOS (ti) guise deintrodugioa este capitul,gostariamos de cbservar que alguns 6 conserarao mondtono; outros, desnecessiio, mesmo ini outros ainda, muito longo. No enantio, sabemos que a catic Togasio hoje existente ea que vréna préxima década dependem © dependerao dos concetos aqui levantados. Por isso o tema € fr ‘damental (0s Functional Requirements for Bliographic Records (rt), ‘ou Requsitos Funcionais para Regist Uibliograficos,sio um modelo conevitual da tipo etidaderelacionamento (=). Considera-se ‘modelo’ como representagso de algo; ‘conecital implica a modelagem de coisas, processos au absrages, de forma ‘sineizare stematiza sistemas teoras ou fendmenns com vis tae aplcagio, Por in, uliz-ce o modelo tx para o desenvoli- mento de hoses de dads relacionas, em contrapesicio as bases de dads hierinquicas, © modo E- identifica entidades, atributes © reacionamertos (Peter Chen) ( primeiroabjetivoenfocno no desenvolvimento ds Fst v- «ava a proporcionar um quadro stratrado eclaramente definido para relacionar os dados contcos nos registos bbliogificos As recessidaces dos usustios, Ov sa, ot Fe analsaram os dads nesessiios jralizacio da busca bibligrfca pelo uso assim ‘como as informagies que ete experarin encontrae 90 rqisteo. O| ‘segundo objetivo consitia em recomendar un nivel sic de fa ‘donalidade dos registros criados plas agéncins iblogrSficas ne cdonais (me, 2008)? ‘Resale se que os rm no so um ciigo de catlogagho ¢ em ‘onan, io dexcrevem a forma de apresntago des eomentos descrivos: trae de um modelo concetval.Portant, os ra no lnvalidam a utiizagio dos ebdigos de eatalogacio, sx, formato 18 ay Bsa /CATALOGAGKO NO HLURAL asc e assemelhados, Feo contri, 0s Fam se tornaram a base coneeitualulizada para aprimoramento de as rormas, gras formates. ‘Os mm, alm das tarefas co uausrio mencionadas no capitulo 1 ‘stabeleceram, a partir do modelo de andlse x para bancos de dads + as entidades dos registro bibllogrstics ‘+ osatributs de cada uma das enidades; 1+ as relagbes entre as entiades (© aspecto mais importante so as entidades, que abrem um novo tipo de aborlagem das resists bibiogrifics. Nao hi uma def nig clara de entidade’ nas apresentagies do modelo &-% De ma nia quase informal, retrando termos de virios textos, pode clizer que entidade ¢ uma ‘cos, ‘conju de atest’, se’, ‘algo da ealidade moldads!, com caractriticas comms que per- smitem identifica entre otras etidades. Para os ret, as enti des ‘tepresentam os principais objets de interes para os usurioe de dados bibliogréfcoe"? A enidae € 0 falor primordial de um bhanco de dads (Os atibutos er termes simples, So caraceristins das enti des, que se poclom desdobrar nos i conhecidos ‘elementos da re presentago; por exemple, oatributo tal’ pode desdobrar-e em 'ituloprinipa, titulo uniforms, ttlo da capa, entre outros As rlagdesfundamentos dos calilogose dos bancos de dados, se faze entre as entdades. Texts de Remanda Moreno, asin ‘como as dsertages desta e de Naira C. Silveira abordama tex ‘com maior profundidade. A publieagio completa, em ingles © ou tras idiomas (exceto em portugues), acha-se disponivel na sit |hanirESTAGAO [euros Jo—=> | Frmonde coverwa aE gra 1. Edad do am (br: uma cago intelectual ou atin distinta, ou sea 0 cn ted intelectual em 5, independentemente de seu suport ode sua forma. Uma obra tamibem pode sero assunto de outa ob, xprssdo: a realizaio intlectil os aritica de ma ore, sj, a forma como se expresso conteidoinlectual. A expresso campreende tradigies,interpretages de uma obra musical deter ‘minal, ente otras pasbilidades. Una expresso também pote ser assunto de uma obra Manifestagio: 2 mateializagio de uma expresso de uma obra, ‘x sj, a representacSo de todos o objets fscos que possuem as ‘mess caracteristicas tanto de contedo intelectual camo de for 1a fii, entidade defini como manifstgioabrange um am- Plo ieque de materia, incluindo manuserites, livres, peiéico, ‘mapas, cartares, regstos sonore, filmes, videos, co-nows, his de ‘mullimidia ete, o pode ser consicerada 0 suport isco de uma ‘expresso ox obra, Un texto publicado em brocuia simples un {texto (inten impresso em uma brochuracomemarativa, etn cpa 20 MEY SVR CATALOCGAGHO NO PARAL dra por exempose ames aa mesma exes em ds ‘antes cinta postr dis nner irra not ‘alizade Ss) isiotos A manifesto tamu pode ser oa Suro demo O eto biogrtic continua ar haber do elven manag Tem: excmpiicago ts de ua mmifsinon so ojo to fsco que permite so wsdro aca 0 conte nse Asis dea exon dea er. Quan om suport st ‘ed fe lam py se ec oon no rant. O tery compre obj eset en un har deceinado mesmo no eberspge) pode contra de vines ‘elu. O resto big eatvo a deerminada mani taco pode também enter inermagies sre oem ens Un stm tmben pre wr o ssn de una co aemplo= Sarimeromponay winaatmnen pcmmemers outa =e Le rn Sa TSA yet ttm ee Te cession none a sage ony cn ce inn ee i ae Them 1 compl existent na biictecs ong ees SERIA aero ne nur acpi erat em 2: sear xe he BB Was Ace (So col Sent nny tn scape ti ons inet Tc fam mee She coee Siemynseser Pe 8 ne ane aes oe ectinn arat tn s Ties kage ooops ea Os FONCIAS PARA RIGSTROS LOCC a1 lava iv’. Quando edi "ive referindose um objeto fi ilpe Pe sor tzado até mesmo para evitarquc uma porta se ‘ce mst 0 nomelam ‘ite Quando se busta wm ‘iv! ern (Gir tvraria cherespacil, persando-se em um livzo especiio, ‘Zbre o qual se tem coecimento da editor, da eigto wate mes ‘So do ean mas no seo poss em mos, os Pa 0 denominam anstagir.Ao dee liv’ no context de quem 0 taduziy, ou ou is relages na desc io bibliogrfica, sempre aparecem em nots. 36 vr svn /earaLocaghO NO MLR IMELAGGRS DE MANLFUSTAGO PARA MANITESEAGO er yi imprest de 97, same spa tl de Dime canpeccet ee | As reacties todojparte ene maniestagies implica a visio de ‘um contedo fisio de mariestag, da mesma modo que se pode dividir © conteido intelectual de obra ow express, Tal divisio pode ser exempliticada como una vmnidade iia de manifesta, omo um volume de uma expressSo em quatro volumes, om Cd ‘queacompankemanifestago de determinada expresso, Fass ele. «es tanto podem ser eras na dea de deseo is, como om ‘otas como.em descigdes em separada, ou em entradas ania ELACOES TODO/PARTE DE MANIFESTAGHO PARA MANIERSTAGIO. faree RAMA [eID Tsar valine do samp empress | |mmconmcem iin [serie cacn Sd hmtia de Ena me le em Ii Som ans Relages de manifesto pra iem indica que a manta especca€ read da prog dun tom expen Re fitrase ese vinclo quand se mora nese, Cabo ‘ekntrar que um man, posse carers ao mesmo tempo abr, expres manta e hem. eles de tem pra tem determina qu um tm em part cular derivuse de gu om, dot ean. A repre de lim fom, po out ad, icimete mar tipo de apr do item primi (a convo ds marfestgbs)-A lg de configuragio mafic o rime te de modo ean vcs asus PUNCONA HARA EETROS DRACO ” ens cu ivi prmeto em dois ou mais. caso cision da fe “Eheademade com, ou da encademagio conta de vrios adclos de pesos em perl formando mic volume rm ara, Cada,» dv de manifesto em vd cos. ung De MANsFESAgKO maa FEM FIPODERELACKOMANIESTAGAO [NTO crs pra tr pa Ae Je omen edt eps em ate | Repro dandy nn Peed caaee cele L___ Neston RAGS DH THN PARA INE firoberetacto [nen LOS Rasa nacido a [ort tore ale —] menage; [Eprints font patute-- [birorepesse |enctutesmaons dats “etmepodite de |Mazonata [scam Sistas [Nas regs todoparte de item para item, as pares de um item tanto podem ser separadas como integrates do item, Um compo- rene separado tuna pega sca que consi! parte do iem como tum toda: Uma part integante éaquela isicamente inseparivel do item. Rorexempl, uma ealxa ce co>-nons ox uma capa de disco 0 pres separads; por out lado, uma encademagio & parte inte srante do item, suAgBss vopo/rARTE DE rrew rARA trun frevacko = fempane» | Enaerario den va | judo de Andie Pin, Sete ta pore Pare © capitulo 6 dos rae mapeou atributos e relages €Thesstibui ‘um val para o camprimento decada uma das taefas dos usuos. 38 Mey svi /cATALOGAGKO NO FLA Por evemplo, 0 atrbuto ‘ti! da entidade ‘obra’ possui um ato valor para ‘encontrar’, “entfcar’e'selecionar’tima obra, mas ‘nenhum valor paraobter’ obra ‘Compreenides os princpais concetos dos rs, vale uma pin- colada, também geral sobre seus descendentes, restr a disponi- Did rs iteratura at. 23 Os Requisitos Funcionais para Datos de Autoridade (nan) ‘A evolu trazda pelos rst leven & anise conceal de outs partes do registro bibiogrfico, come os pontos de asso. Seu ame, enti os Functional Requirements and Numbering of At thonty Records (naa) e os Functional Requirements for Subject ‘Authority Reoods (Requiitos Funcionas para Registro de Autor "dade de Assunto (rsa), cujo grupo de faba insttu-se em 2005 () © grupo dos ‘san ainda no completou seu relat, prevendo-se a apresent so de uma versio preliminar em agosto de 2003, crante a Confe- inca Geral da ma. Em nota de rola da if citada Declaragio de Principis intermacionais de Catalogacio (208), os sa pasaremn ' denominar-e Functional Requirements fr Subject Auton Data (fssan) Os rao designaram-e, posteriormente, como Functio- nal Reguirements for Authority Records (fat) e em 2X7, tomar am os Functional Requirements for Authority Data [Requisitos Funcionais para Dados de Autoridade] (iD), sua denominacio sual. Fste modelo significa uma extensio expansio dos rs. A ima verso, dispenive em ,encontra-se ainda sujeta a alteragtes no momento en ue Projetouse esse modelo concetual visando a crar um quadro de referencia clarmenie dfindo,estruturada, de modo a racio rar os dados dos registres de autoridade i necesicades dos usu Srios de tis dads; assim como auxiliar na avaliagio do potenal de comparihamento internacional dos dads de autoridade, ni restrito 20 universobiblotectro. Tmportantefrisar que o modelo abrange tds os tipos de dads de autridade (incisive entidades de assuntes,embora no mo- ‘menio se encontre a versio mals completa no que serene 20s USES FINCONAIS PABA ISTROS SLLOGRANCOS 39 dado de nomes (de pesoas de familia, ce institighese googré- favs), de nomesftitulos ede titues ’ figura abaixo demonstra os fundamentos do modelo eancei- Els btoyaes =] Noes et eis a Ponosde aces conlos gua Rae andanenl promos cones ons WA of) (Os ao explicit as tarefasrealizadas polos usustios, das quai duns tru se encontvam nos Fa. Si eas + encontrar uma entidade ou conjunto de entidades correspon ‘ents a um ertrio determina os explora universo de ene ‘idades bibliogriieas ublizando seus atributos e relates; + identifi uma entlae ou valdara forma do nome a ser uso do como ponto de aceso cantolado; + stuar uma pessoa, uma entladecoltiva, uma cbra ete em de- terminado conto; exlareaer a relag entre duas oa mais pes soas, enidades coletvas, obras ete um nome pelo qual esta soa, enidade coletva ete ¢ canhecca; + jusifiar indicano afte na qual se basea o pono de acesso ‘ontrolado, a rao da esotha do nome ou de Sua forma pelo crindor do dad de autoridade. (0 modelo identiicou dezesscis enidades. Aquelasexstentes nos "ake com definigioidntca tio apenas exetmplos. presen te abaixo as entices dos mao e rexpectivonatibutos: Pessoa. Um individuo ou uma identidadebibiogefica [person] tstabeleida ow adotada por um individuo ou por um grupo. O| 40 se sYERA /CATALOGAGHO NO LRA modelo adverte que a negra de ctalogasio, nos diferentes aligns, ‘varia quano A sastacio das identdades ibgrdficas,Aentidade ‘ompreeceindviduos eis identidades bibigrificas etalk ‘ou adotadas por um nvido por mein do uso de mais dwn nome (ome rele, ou, pseudo ou hetertizno;idetidades ibio- rics esabeeidas ou adotadas par duas ou mas pesos (psx ims conjunts)e idence bblogrficasestabelecias cu adotadas por um grupo, For exemplo, Femando Fess e seus heterininos Alberto Caeiro Ricardo Reise Alvaro de Campees Nevo Blan (pee fenimo conjunc); Dora Berta (pscudénimoacotado por um gro) Atebutos de uma rxsson [Dats sso pes [eaparderaiaiac [Out dasgmaiousocaiaapenes —[Enlewso = [Gee aims dps Loge ders [Campo de dads ear de acini Princo ie grain Familia. Duas ou mais pessous relacionadas por nascimenta, caso- mento, ogi, ou outro estado legal semelhant, on que se apre- sentem como familia. A entidade compreende: fami rai, di rasta, familias da nobreza;patiarcalos e matviarcades; grupos {de indivduosvinculades por una linhagem ancestral comin fi nila pais iho netos ete); os herdeirs sucesivos de um titulo de nobreza vistoscoetvamente, Por exemplo, dinasta de Avisos sdugues de Braganga Aibutos de uma natin ip de na lydia cc) [age edo ann [Das daa | i dain Entidade coltiva. Por exemplo, cz, Pinacoteca do Estado de So Paulo, Museu Paulista, Instituto Mexicano del Sonido, Associngso ‘de Moradores e Amigas de Botafogo eUISTESFUNCEONAS PARA ROGSTRGS MLDS a Ateibutos de uma mxrAne cous aia da de Te] (Obra. Ua cragio intelectual ou artisticacarcteritica (sto & © ‘ontetido intelectual ou artistico)O conceit do que significa’ fa lina de demarcagio cate uma obra e outa diferente peer varia de cultura para eutura, de uma Srea do coohecimento para ‘utra ede uma instituigio eatalogadora para outa. A enidade abrange: textos (Blades o escrito), obras musi, obras graf 3s, obras fotogrtias, obras constitidas por imagens em movi- ‘mento, obras cavtogritins, obras tridimensionais dados, progea- mas de computador entre outs formas; obras de carer legal e obras eigiosas; oles ecompilagies de obras assim como individu; obras componente. Por exemplo, a ela Almpors, de “Tarsila do Amaral; o artigo ‘Literary unit veess bibliographical uni, de va Verona Atebutos de uma ona Fama dade Tass iar ss a ar er di paso de ec on cial doe [Dasari ntsc rn Expreso. Por exemplo, montagem da poss A moratra, de Jonge ‘Andrade em 195, cig por Gann Rats remoniagem da mes- ‘ma pera em 208, pelo grupo Tapa dirgids por Educa Tolentino de Arai, Atributos de uma errsso Fos dnexpesio [Ties fg ga ov Sr van [Bais expats Dat cacti din 2 ar sees /CATALOGAGAO NO PLURAL. Manifestagio. Por exemple, Morte eile serine, poems dramtico de Joo Cabral de Melo Neto, musiaco por Chico Buargue, com variagdes de formato: analico ou digital em cassete, co ou mp3 (gue éexm?, de Barbara Tilt, em versio impress e verso para intemet formato pl), Atributos de staninsragion Dane page al oma Hem. Por exemplo, um tio exemplar do liveo Dom Quito, de Miguel de Cervantes Atnbuto de um mee Lcalzagio de item [acervo 04 institigSo. Conceit Por exemplo: 0 pier do mit, lime documentiio basen dona obra eem entrevista com Joseph Campbell, Aributo de um covexa: Tipo de concdite, Objet Por exemplo, orans ¢ hia, texto de sitio ching sobre a hist da porcelare- ened ui io ee Relagio sequencial:conhocida como ‘rela cronoligin ra tase de relagio entre uma obra e outa que Ihe seja sucrssora on pradecesora, Usualmente repata-se nos dados bbligrficos em Foiase pontos de aceso contolados; nos registtos de autridade, por meio de notase remisivas ver também. Por exemplo: uma ontinuagSo, um peri ou uma série que mudaram de nome. TRelagio de caacteristica compartthada: a relasio ene duas obras, ou expresedes, ox maniestagoes outers que tenham algu- mu catateristicn em comm, exciaindo-se as demats caracerst- ‘as identicadss, Por exemplo, mesmo idioma, mesma cor ce er ‘exlemagio, mesmo editor, mesmo aro de publiagio et. (Os rea basearam-se também nas Guidelines for authority records and references [Dierizes para registrose remisivas de auloridades) conecidas coma cask. No nos cabearalishlas equ, equ RANCONAS AANA RESET HRLLOGRAICOS 9 pordém a elas devemos recorrer para compreensio de formas [utorzaclas eremisivas nos rea, que, em esséncia, constitaem ‘08 elaconamentos. Conhecemas, dos noses catilogos manuals, {sremisivas' er, remissvas'ver também’ eremissivas explcatvas. AAs cate trabatham simultancamente com o(s) cabecalho(s) [utorizaclos) (sto & formas autorizadas) as remisivas eas notas texplcativas ou instrucionas no mesmo registro. AS GAK € 0S FAD tulizam asimbologiaespeciicada a seguir: > Ver/ procure por Pree for oid Zlndopars Pde fra vara oo atria) SNitinbém Pronde fra cade (a remiss) SNe Pcnde formal tambon ir {stooped ter rpc to). (05 exemplos nos man uilzam o simboo: >> << Be india “vee tambla pr forma simullaneamentereacionads e ersads to gts exstncia de remissva e de registro, Por exemplo, hes, mocha de Sintec Explictamse, no quadro da pina seguinte,algumas enidades e relagbes ‘A elagio de pseudénimo éaquela que se estabelece entre uma, ‘ou mais de uma, pessoa real e ura person [ilenidade biliogrét- fa por meio do uso de um ou mais peedGnimos. Ess relagi se ‘expresa nes dados de autoridade por meio de formas atorizadas ‘de noms (ou formas preferidas de name) aribuidas a cada uma das entidades,rmissiva enotasexpliativasoaingormatvas, Am «a indieagio de remissivas, que serko recuperadas por meio da forma autorizada ern questo, hi também indicagSo da exstnia de registra para as demas formas autorizadas. Por exemple: For ontertte Saree Une 8 ota © resis Poeun conta Jorge Ls Bares e Adio Bly Cares. 0+ ‘austes tn exceveram sob 0 psec cng de H. ener) ‘ists Dame, caja bas oar depos pubcds ab 50s pripin n> 50 MEY EeSERA /CATALOGAGHO NO LRA ses Paracas exc ob eu pp mame, os puede de {het rec, vr tris Sy esr, date > bores, lege Lis * Bsts Gane, H, oar) a eR Baten Wena ut) Shy Came Al tres Jorg ie A telagioatributiva ¢aquela que se estabelecs ere uma pessoa ot perona a quem uma ou mais obras sejam errénea ou falsamente tribuidas, eo autor verdadero. Hi dvs casos clebres:o Pseudo Bato, eujas carts fram erroneamentearibuldas a Marco Fania Bruto,e Gertrude Sin, que aabuls sua atobingraia Alice “Todas (sua secretiiae amiga), a a i idan = ee ee ee FS Ee sts amy seco Pasa? Eda ceva [Reason ee — eae? eee coors Rac de uo Rss Semtaysatament rear) Keio era Ren desert compara ‘A relaso colabortiva se estabelece entre dus ou mais pessoas {que colaboram para a realizago do eanteido inlet ou artisti- «0 de uma obra. Por exemplo, O guaran, pera de Carlos Games| ‘com libre de Antonio Salvin SEQUISTIOS UNCONAB PARA REISE BURA 5 Forma outta Fore aor ‘ores, Cares Sate, aro ete nether Nota rere -Asrelages de parentesoe patemalfilial se estabelecem entre pes soos da mesma familia ou entre pas ilhos. Raramente tas tela (es se expressam nos registro bbliogréfcos. Por exemple {stores Alewandre Dumas, pu (pon), 1812-187, e Aleandre Du- sas fl fis, 1824-1995. As diferengas se estabelecem pelas datas ‘de nascimento e morte. As formas autorizadas, deste modo, si: Dns, Alnaedt, 18021879 £m lingua portuguesa, prmanece na forma autorzada ograu de tes, quando exstente no nome. Por exemplo: Alexandre Barbosa Lima e Alexandre Barbesa Lima Sobrino: Foo autores {ina Sabinb, Monte Barbs Arelagio de pertencimento ae di entre uma pessoa © uma fia ‘da qualesta pessoa ¢ membro, ou vice-versa Tal rela se expres ‘st nos dados de autordade por melo de nota informatvas er risivas ‘wer tombe ' telagio asocatva, ode pertencimento, ene pessoa ¢ent- dade coltiva ou grupo se dé quando a pessoa & membro de uma centdade coletva ow ce um grupo. A relago se express por meio 4e nots informatvas,notas do ctalogador eremissivas ver tam ‘én Por exemplo, Duo Rolia (David Chew, contrabaio,e Niclas de Souza Barres, violdo, alt guitare viola capita): "rate Formas rans © remces ‘ver tabi ars, Meas de So 2 Chow Dae A relago gencaligica entre familias se dd quando uma descend 4 outa. Do mesmo modo, arelagio se expresa por meio denotes {do eatalogadr, nota informatvase emissivas ‘ver também ‘A relagio hierirquica entre entidades coeivas se ds quando 52 ry save /CATALOGAGAO NO MLURAL uma entdade eoetiva é subordinada a outa enidade eoetiva. A relagio soquencal, por sua vez, ocore quando duas ou mais enti dade coletvas se sucedem ro tempo, sea em eventos sequenciais, como no caso de congresses, sje por sucesso, fso ou desmem ‘bramento, Por exemple: > soca Braslere de doe Asta Rr et emia: inc 5a ec trans, 197, a. or grea ras de até Tee © Eten Ra Relagio entre nomese pessoas, familias, entidades coletivase ‘bras (elagses de’conheeldo por’) "IFO DEENTIDADE—— [REMPLOSDETIFOS DERELACKO. Hewes Nome Reaco de nme vero Retuce de pram Relig dene al Relig denon aneri Religie denen poses [Reason erat Religie de oon inguin aleve jugs UNCCAAE PARA RESO DRA 53 ‘Ne vesonzano: Cals Drummond de Andade. Paucar de Melo Souza (rome verdad tila em obras ore matics) também onbecdo como Mala shan nim indo em obras Hecna) ‘Neu scat Joo sn, pape (nome eelighso wtiizado) ¢ Roncal, ‘Angola Gaseppe (emit pa © nome seca). New rc: Bsa resent (1956-1901: Kubiscok) com roms svn wer amb pra Kutch Juscelino. ‘same: Ques, Dial Svea de (rma conheid), om remiss" de Alves, Dinh Slvr de Quito Caso (culos va foema auton 4s, om emis wer’ de Fala Mapp, oie aaa: oes (rma autoizade), com remisiva “ver de fund daw Nagbes Unidas pare Innes "Noxt convancani: Besthoven, Lad van 1770-1827, Sinfoiag Sop 35 ni bem mai Reiss wer Becthoven, Ludwig vari fora heroic Relagies entre pontos de asso controlades [rope eNTDADE [MRODERHLACAO ode cms | Relngio de mn eae Inetesesssca —Relagiode slab ateravo lato de marie ee sce Sega feo Seeeteron jaenteenacs easeceet RelageeSeauror names vrs ‘As rlagies do quacro acima se apresentam muito simples, pois Intaigam ur nico nome ¢ uma pessoa, uma familia uma entidade cletva ou um tule de obra ou ainda um nome, Tas rl ‘Hes ae expitam por meio de remissvas ‘ver’ ver tambéan. A. Seguin incisimos exemplos para alguns daquelestpos de relagio Asrelagies do quadro acima mostramse tame muito simples, ‘de modo geral com uso de iciomas allernativos, como em paises ‘com mais de wma lingua ofical, ou de relago com outros alfabe- tos: Alnda existem ae relagdes ene names, termes e mimes de Snsifiagoe ermos com identicador. Tas relagies, explictadas| fem rgistros de autoridade, permitern que um panto de acesso te ‘ha aso universal efaiitam a busea pelos usudros 24 Infludncias dos mn A partir cde 203, ocorreram as reunies da a de epecilists so- bre um eédigo internacional de catalogagio. Cabe ressaltar que, 38 Mer Bes /CATALOGAGKO MO URAL desde a primeira, em 2003, buscou se consenso internacional sobre [prindpios de catalogato, i alcangados expostos no capitulo 1 ‘desta obra. A iltima reuniao (7) recomendou algumas dirt es par a catalogacto, inclusive a permanéncia do term ‘ctalo- ‘5220, por ser mais abrangente do que ‘dscegio de recurs bi= Dlografcos’ uma vez que inci também todos os pontos ee ace= 50.0 objetivo maior deses eventos seria 0 cansensovisando r= acho de um edigointemacional de catalogagioGnialmente ro Jetado para 2008 mas agora adiado) ‘Outra das recomenclagses fundlamentais da La diz respeito& necessidade de total compatiiizacio entre os csigos de catalogs ‘5h ¢ 0s re. Por isso Joint Steering Commie forthe Develop- ment of aacx [Comité Gestor Conjunto para © Desenvlvimento das arcs, que previa 0 langamento das ace, tornou-se 0 comité para 0 novo odigo de desercio e acesso aos recursos [Resource Description and Access" canhacido como ua, ainda em versio preiminar destinado, prioritaramente, ao grupo de paises de in- fa ingles. A estrutra do novo cidigo soe muda substan fal. Abavo, se dar uma visio genérica de conevitos basco e da ‘otra tual do cigo nD, Cotes prado oR Recarso: “um theo informacona dentifcivl 0 objeto pode se, por mater, tne ou intange” Descobeta do recurs abrange a5 ares do usuirio sgundo ose. ‘Dados desrtvos: “tacos que escrevem im ia Dados de contol do pono de acessa"dados que descrver una cidade eprsentada por vn pont de soe cmtolado” © ciigo ws compreende: 38 capitulos, endo 0 capitulo 0 pre _minat 10 segSes, nas quais se eneontzam 37 capitulo 13 apend- css a saber: rogues RNGONAS PARA RECITRES LCRA 55 o ntroducio ‘Seqa0 I registro de atributos dle manifestagoe iter. [ries eras ua gto de attbutoe de maestgies ez] Segi0 2: Registro de atributos de obra eexpressio 5 Dine ener git dears de aw passin [a Henig de oa expronion Seqa0 3: Registro de atributos de pessoa, familia entidade te _, itn preps air de ws de pen aan idan de psu Tenia dr nda ea Sesio 4 Registro de arbutos de conceto,objot, evento e lugar Dir eras par gto de cnlos ob, veo igre sso ostords 13 dewitago de ones Pte aakrade] tring de ein bod Tenia de ven Indoor] Seqio 5: Registro de relagdes primérias ente obra, express, mmanifestagioe item 7 Dies pei pura aaTO Te ws primar rT, ston edetazo en Seqio 6 Registro de relagbes de pessoas, fails e entdades cwletvas associadas a um recurso [is Dist pei para eit de lage de pas alle erdade cli sarin aun re, 1 Pesos famine ents olen mundus io 56 Mev es. vana /AIALOGAGRO NO PLURAL 20 sss ein cena cova extn numa pray] at Pesos falar wider tien sel Seco B: Registro de relagdes ene obras expresses, anifestagiese tens Pk Dieta perl pr i de eee Sis PRT, Jruntetgies ne 6 pees enon a Mane reac a tee aon Seo 9: Registro derelagies entre pessoas, familias eenidades| coletivae 29 Dire ger par rave de lagi on pow lane eras coe Segio 10: Registro de relacbes entre concetos objets, eventos @ lugares 8 itn pra git eal concn oe Jews cua rt bre) [4 concen aso Fie abd) DS Oboe asad a labor [6 Everton rao ead) [bars eatanado nde ord egos INRAE PARA RSIS RUOGRARCES 87 Aplndices B Admits © Artigas nis 1 Sites do resto para dadosdesetivos Snes dose par cone de porto de asso F Inarugbe aon pars omer de pesos 6 Tio de brezina eas boners et H Datarno clei ato 1 Deas eg i ete a rio ps ain © 1 Designee ag lags ete obras, expences mite Ded de as ain cir pens ein ao 1 Degen de agora entre conto ols nea (pecs cara I tacrpas copie rept bloga Cabo uma cbservacio: os exemplas do apindice mt ncluem formato sxe formato mae 21.0 formato fn, com indicagio dorespectivo ‘aptul, io inc pontungao alguna, Formato sae 21, embora Inclia agama pontiagio dentro de cada éea, no regia pont aco de fina de drea como na 20 ‘O digo espera tomarse um ego intemaciona e sua igo ext prevista para 2008. Outros madangassgniiatvas de- ‘ym ser intreckizidas no novo ago; no entant, sem ua Versio efinitiva, seria promaturo transcrevas. ‘Aquos ineresndos em aprofundar seus etudos sobre 0 mo- delos, as reanides, a evolucio e o desenvolvimento dos cbigos ‘encontram vast bibliograia informagiesatualizadas no endere- ‘soda ea (http. vwrwiflaong>), muita vezes também em lingua “xpanhola (ou até mesmo em portagus), por meio de buscas sim ples com uso das sigls acimacitadas. ‘A guisa de conclusio deste longo capitulo, gostariamos de f- ze um repato,Embors as Axcs team sido um ego interacio- ralizado, waduzido em 24 idiomas, nos vemos frente ao dilema das dzits autozas para muitos paises, sem recursos em meios de desenvolver seu préprio codigo nacional, aléan das berreiras 58 My yA / CATALOGAGAO NO FLUKA linguistics edo alto custo das edges em lingua ingles, sempre compas Mercia forte de rend para algun envertese er ‘emptho ao desnvolviznnts da ctalogagin 90 contol bi co no mundo. Assn, nos coloearos a seuinte peru: teremos um ego intemacionl de aloo (livre a0), tim cig base de etaloggo, um ego de catalogasso fae lingia portuguesa (ais de 215 miles deflate no ma {oe digg Hb srs tadide como o foram tds 08 de- tai paras no Bras? Hoe o moment em qu exreers, ‘So apenas perguntas sem reposts. Refertneat » greeter emp societies + icc Heer iercehinitiaeea mora 1 eee mst Pe eee Sees Se oon acorn eae eee cee team am See nearer ‘aching ional eentypein Teen St edema re uitieeaeeaauaetarieeesrenas ee ee aan Sse ee acon marr ST ae eects ersereay Gomes 1967 ghar Secon on Caan (Pa 180 p58 1 Seria earner ne Seaham neat 1 Ges bele meee areata Seana aera Soe etre meanness Sears ‘mira Comps np 82k thie 28 Depa Exatimiaceas ee BREVE HISTORICO DOS CATALOGOS EDACATALOGACAO Ruth French Strut! foi das primeias @ realizar, em 1956, 0 mais comnpletolevantamento sobre a histria dos catlogose da catalo 2930. Aautorarelata quase seo a vculo os fatos ccotridas das Grigens até 190. A partir das iltimas décadas do seul, ist ‘doe livros e da leita toro-se una dea de estudese, mais recantemente ainda propria histra das biblioteca incorporou-se amo tema de pesquisa e taba. Vasta ieratura sobre oassunt, inclusive em lingua portuguesa, mosta diferentes aspects e com plementa a tajtéria de nossa profissio. Tanscrevenst res ‘lament, tai nazeativas dos priméndics da catalogagio, com vistas fa preservar estes relat, ese acrescrtam alguns eventos contr poring, Resaltese que o textos imitars os fats que conside- ‘ams mais relevantes. Pra aqueles que se interessarem pelo tea, lgumas sugestées de leitura encontramese no final do capitulo, FS Petiodos remotos A ibliotece mais antiga de que se tem conhesimento hoje, data do tereiromilénio antes de Cristo, localizadaem Bblaperto de Ugarit, 1a Fenii?aual Sra). Sua descoberta deve-se& missio arquclé- si tli, sob a rego de Paolo Matthiae, que escvouo sitio tent 1974 ¢ 1976, Possia ene 15000 e 17 00 tbulas de argila, segundo diferenies autores, corespondendi acerca de quatro mil documents, em cscritacuneiforme, organizados em estantes de cori com seu contetido temic. Apresentavam, também, abulas| ‘om resimos dos documentos ‘Chegou até nds maior niimoro de rpistros babilonics do que cipcios,talver devido ao foto de es babilinios esreverem sobre ‘abulas de agia,enquanto os egpcioeescreviam em paplres, de oo ey desta /caTaLocAgho no RLARAL senor durable. Ecoacies no fit desendaram tbls de $l em ingsngem bine, data de 1400 eq ae ee ‘iam os de obra. Prem anda se deacons Sram pr ramet um ctlogo. Data de 130 a as bus com ae p= Ines Informagiesbibgrdfia de desega fica, descobeta tn scvagie tar atl Turla Essa tools enlcovan Cnimeroda bua em una sre lo, nas vere oescia 'No nado de Assirbanipalslova a exit una ible ca febre denominada tanto blo de Assutbanpa como Be tioten de Nive, por aun localzaio Hd conrovera ato 8 dane quanto as descbrdores de seus vests atte a des cobera ora Atsten Henry Layard e Homma Rasa ex 189 asm Layard em 154 Exe cre de 25 = 30 mil fragments de abuse args dos qua seguro Bates, 20 i se encontam prserados no Bish Museum, com documerio © Seusrepectves epitos login Aa forage se elem ‘oul, a0 aim da lc woume primes pols do tba sogine, ao ome do poauidr orga a nome do osba {a um seo indcandottarae de propidade el Presume Jer nesta dpc, un embrio de cg Tsintcertamente in ealog, nar ns pares de um templo no Ego mas datado dos scl mena; contemportned 5s dus bibles mai owe ce Angad (reine do gio na divs do império de Alexandre, coe a Ploment ou Polomeu iter, aque se deve a cagio da novel ‘beeen de Aland Dunne clrenagdeanaapronadanene do skeulow aC a sfelov dC ren im acevo incmparivel de ‘ls de papi para Cardo, ces de 40m comepondeneo a0 ‘uldocumenton Tunic omsas ocerro utr corm, agre ganado sibs eetuonos das mai cierenesprocedéncay, {as ects Inportantesimas desserts © pens Ise de Scredveran fase ao content mor. spat pasa Culture areunkgo de seaboard to do Amigo Tetamenio (Tos) do bras arn greg, acon tuada versio don Stet ou Sepang, na gua se base 2 posterior vacuo pao latin Naik de Alona on “owsta chefs erm eaclidos pelos prio rel Ente mui ton daguee erudite que abalaram em Alexandsiacomo bio eo TERNCO Do CATALORRS EDA CRTOCAGAD or tecirlos destacaseCalinao, por sua importing para a histra Go eatilogo eda npaizago do conbecmento. Na verdad, no Seta de um catalog fal amo o enasemos hoe Come vine no capt cllge clair s0 0 esm0s proctsing de dierent orgs, 0 que explo all de Cal foc desminado indo Em grog a plas sign ets, tress ibis En termes simples, Caltnac organi os wal tres dentro de grandes assunion de acodo co claatficagSo Irstoten do canciment,Hntndowe ns especies ia {raesas, rovavelmente em quo se debavam c tos de deter ‘da Stn par std), Mat 80s esting endear 08 ‘Sano ooo lta act? (00, 57 pana enifcagio das cay, {er vatnes confi peqende igs “clad no dors do too ie papi] esobretano da praeer pare permits ent fag do mtr (ome genitive) ed tle doer” em orem Stabe“ pie gor ener Ob de Pan (© mais novel dea media histrca reside no nome pelo aual nm cegaran esters de dain omen den shad tbclay’ Tabla’ plas dori atin all ‘Potoena ibe quad de mad dena de tables “bun ‘estan Assn, do greg pal pas-se ao aim aul 2 nos ins de sean lognfon em dence fet de Calimacoe sa forma de organiza do conhecimen Saino quanto ts ir eet so nes om Rcd de Fourival que amb orgriava 0 coecimento em = Calimac, asim como otros bites alexa cent Inder bras de referéng como iboats, oun dan de sus lures ‘Quanto to fecarsento da bible, actoteerm pelo menes tse ganencntog dence lio ise Gur acaba com pare da ‘okie. Da mesma fons como oe, dese, uray nundagbos {nts cntuium parn un exingo" O fal da ible, ‘de Alradria¢controverti, com inimeras ends algun fa toy extn amps ert bre o tema e podendo cada etr {taro ue he or ois sige ‘tiie omen nase ds esses PS 62 ry eA /CATALOGNCKONO PLURAL 0s gregos foram responsive pela intodugio do concito de aur de ama obra como pont de ceo ela, principio que per rmaneoe até nosso dias. Tambo gro ii ramos opr fob. Ea cama segunda ebservagio hstrca. Sryundo Graham palava Bok em ingle seus cgnatosem ‘tas ings eric dervaen db gh ogo) ob (0 ‘ugués antigo). epresentando aa eo vre esta ca, dls quis se orgnavam os anigos instruments de era. Do mesmo modo, as plavas egos Booed Boy nin se referem a cdade de ibis (porto comercial importante doa {Fen hoje em rina no itana) de onde efaria come {i ata uivado para exits apart do papi, As palavees Inti groga referents appro nos dera a paavra ‘papel’ En Sines er cnet aba on = vg relcons, ‘a verdad, elementonconcotn, ullzadon para orelato do ‘onhecimeto,Portanta todas as plavresdenvados dos terms ‘bts ebb se vinclam a suportes praca rests, he ‘es, spocament, que no exit na spo dos popes "Ascgunda grand biblioteca do Anguldade fa de Prgamo, 1 Asa Meno (tual Targus). Fundada no seulo aC de aor om alguns historadores peo rt Alas fo Euméni formosa val de Alexandria, Chegou aren nie 20 mi 30) ml volumes Cerfamente Alexandra ulll2o seu menopalio do popivoconzao desenvolvimento dabble de Pega em Shafgando sun exportaci. Prt we sabe se tl mio use. tou descobeta propiamente do’ pergemins (porte de exci fabicado a port de pels de anima), ow apenas seu apron ment, ou anda ocrescimento de seis. © que se conte € 0 temprego Intenso dese suporte rom priximos mil ane, por Su tlor durbildade e espaciade rosie, como dae Bales O Fergaminho imortalz a blocs de Pegamo. Enbor alguns istoradoresmputem aos povos de nguadrabe «desparecimento das grandes ibotwes cla Aiud edeseus tet na verdad devernos aes povos a presen da clara Jeli, por mei de sas tradugies para aig be de inne ras manuoeios, eo Norestimento de bites. quel tad {Ses chegaram a Order guard da asso da proula Besca ‘Bonmesmo modo hes devemas a inrodugso do papel, no seul REE STOR DOS CATALOEES EDA CREALOGAGAO 6 4 cu manufature haviam aprendid com os chineses seus ver dadesos inventors. Por fim, deveros aos deabes também, a ria: {0 de universidades em Al-Andalus (a regito de Andalucia, nas ‘Silades de Cirdobs Seva e Toledo), nosso vm, assim como {de grande niimero de bibictcas. A biblioteca da core pers, no séclo XC, se onganizava por assuntos ¢ suas subivides, cada ‘um com sui propria sla, segundo Bates. A guisa de conclusio dst parigralo, vale reconta a histlarelatada por Manguel, 0 bre o grio-vizr pers: possuidor de uma vasta biblioteca da qual io se podia separar, cro a primeira biblictcavijant’evider- femente, fra ce expressic), Organizon seus 117 00 livros sobre 400 cameos que andavam em hla, em rigor ordem alti. O ‘amelo-iblioteca fo essuitado em nosso dias, no Quénia” Embora se sab da exiténca de biblioteca remanas, eradas por infencia de um estudio de Péxgamo,abrigado a permane. fer em Roma devido a um ferimento, nso nos chegaram resquicos ‘ou: maioresinformages sobre essa biblioecas seus possivels ‘aidlogos, se € que havia. Gibbon ata a biblioteca do tempo da Paz, no solo, Wilson Martins afiema: ‘Aas abe de aa ile fa Ulan fadada poe Tg {Qeccom 1 ata const ds porns dacs oe ‘ible que oma pronase tee bar rg {vce fencorament oss deans.” 32 dade Média [No séeulo so Bento ensinou seus monges em Monte Casino, na il copie maniseritos. Por algans seul, os masters foram tnicos preservadores,copistas ¢calalogadores de livros, embo- ‘segundo Sout no com objets desta, Fas isso nos pare- rum tanto eantroversa, uma vez que a ordem bene prea a Jeitura em varios momentos do dia (¢- capitulo 48 em ) a ds Medic (onde se rece biam apenas manuscritos, pois desprezavam-se os impress), pos ‘eriormentetransformada em Biblioteca Meddcea Laurenziana (ct -chitpi/wwwcbml fence bn.) a8 duasilimas peemanccem em ‘fancionamento.Olivretorenascentsa Vespasano nas deiou ma lista dos manusciosintegrades aos acervos no séclo wv, unto 3S biograias dos respectivas danas. queda de Constantinopla trans forma algumas cade italianas, especialmente Veneza, ett en tros de cultura ‘Surgem, nessa époce pla primeiea vez, s emisivas (regis que remetem a outros registas ou obras), embora de forma primi {va no eatilogo compilado por Amplonias Rating de Berka ene 1410. 1412. Tabs hi emsivas no catlogo da abadia de santo ‘Agostino, em Canterbury, na Inglatera, eompilada por vlta de 1420. No fina do sdelo, a um avango importante graces & bibliog saa Johann Trtheim, bobliégrafo e biblotecaro alma, comp Jou uma bibliogafa,apreseatando-a em orcem eranolgae it ‘duindo em apéndice um indie alfabéico de sto, pela prima ver Aldo Manuzio o grande humanist, ipsgrafo editor elie, radieado1em Veneza, public em 1498, primeir ctdlogo tem ticoelaborado por um editor, a espeito de suas egies. Este cat Jogo, onganizado cronclogicamente, apresenta autor, tuo da oir data de pubicasio, formato, mero de pginas © prego, Mario sinda publicou dois outros eatlogos temic, ext 1503 1513 No ino do sul x snge am cto clasiindo e que inca tm um indice ln de ut eatlgo dome tro Syon em swath, nat No mesma pa caogo do convenio de Breton, Yori, de 15 into ms estes ome do ors ta dan ha ro bibrafseyindo 0 precedente de Titi, osu Konrad Gees de Zar, pons ues bloga porate cm 1545 eo respect indice de ssuntos ent 1848, Geane, Dibra nara inc em sun nstragds pao. sanzaio de lives em uma bites ¢ deseo ah stom 4c cassicaci, servindo tanto a iotens come a hiegeton Bm 158, Gesne supe qu slice copia cua ibegra como eatlogo, btn apenas acre o aos de loin nev sT0McO POR CATALODS EDA CATALOCAGLO 67 <0 ao ido do resto da obra que abit pose (es uma Serie de ctloggin compart). "im 54, loro Teer monge bento, publou em Ange surg (Aleman um eto vote a antago de una bbe x Deserolve nes cra sistema de asia e nmeos 4: loizagio defend um eatlog em ino partes: callogo Siabtico de autores Isa dis estnte indice asad pra aoe das pats (nt nati) ie sllabticn pars © ‘le dassfcad la dos ves no nterao aoa ‘© lve ings Andrew Maunsell eo 1595, compl tiogo dos ves nges imprest , 0 pref, determi tsp ee dca Pos ga pores pesmi pelo sobenome; para as obras anos, sou tanto © Eelocrte past sae any cette opin nia unonme para a Bia deendes ii de qe um vo {Tou sr encore tart pelo sobrenome do on como plo Sseunfoe plo tadutor, indus em seas reistas dt, prenor ou pessoa pas ie ft impress, dat ener do {ohume. At obras dre Manes posers se considered tomo o pisos ciigos de clhogasb. Oates tz algure avenge sglcatios. Sir Thomasy, prt phan er om 8, din {ent par promoveraecostiig da iat da univer tind de Ono, que eae pratcament abandonad.Bodley Grou um cidigo mincing de ctloggSo. Ere outs norma inde o aan ita, cm nde labo organiza dopo sebrenome donators inl as etads anaes ‘Ra anon Cabrel Naud xcreeu u taba sobre sok cos (1627) gu ncn aenpanizao de catogor ea cloaca ‘tis pour teu hte [Cerselhs par fora a Be total cr asnalava importa de catalogs como mein denn tivo de ethics ls bslogratcoment erpe: {has mult prénimae davis vl Naud ecomendava um lngo vido em dns eg nap autores outs por ss {ts Sera ta uma ganic das tae qe peritie expan do acevo, Tr ee, John Dry na gates, cree igunlment un tndo wre anaunt, ce agave pubes Ge mpl 68 Mey ESLER / CATALOGAGHO NO PLURAL toy amis para atualizagio dos catlogo, que na époc ram im- press em formato dv, em met pra se dar com abras Sondas no desjves para as bites (problema que feos até hoje. Em 167, curadores da Bodkiana, como tami &denominada a bites da univeridade de Onford, peda aos fanlonssios je apresniasem sess pare melhor da ibs, Um de Ss facionsioy Hume Wry incl ene suas sugeten inimeros questorammtas sobre problemas de cataloagl det tre aguas cago devera ser labo ou daseado sc ‘tule os dads do iva deveiam se estrados na lingua do leo; seo amanto do vo devera ser ego; be deveiam inckinse autre ilo das entrada avalitens; onome do editor A aliment- ‘Go e recuperagio em lina, aera interndutica, podem parecer: as corriqueias, porém na década de 1970 foram um mateo im Portantssimo na automagio de bibitecas. Em 1972, Alice Principe Barbosa defend sua dissertagio de rmestrado acerca do projeto cazcn (Caalogagto Legivel por Come putador,baseado no wane x da ic. © projet tnha como objetivo transformaro se, por ela eno drigido, em uma conta de atl ‘gg automatizada, "Para se tr ida das restrgbestonoligicas da epoca, o formato, desenvolvido ea ser uslizado no Rio de Janeiro, lizava os com pptadores do Instituto Nacional de Pesquisas Fapaciais, em Sio Jest das Campos, S50 Pao! “Adotaram-se as aAck (1967) como eédigo-pudrio de cataloga- so. Darantea dada de 197, tanto a Biblioteca Nacional (como | Fundacio Getulio Vargas (3) realzavom estado para ata {0 de seus acervos. Em 1977, fm divlgou sus inaracies para 0 preenchimento defolhas de entrada paraocalca,o que leva a 8 optar definitvamente por este formato, implantado em 1980. ‘Poni, a entrada da na rede se dari apenas em 1982, sob a Mev HsTOMCO Dos CTALORS EDA CaTALOCACKO 83 direc 0 de Cla Ribeiro Zahor (iretoea de 1982 a 1984). Cabe res. salar que este foi outro period de mudangas e melhorss em nos Sy, com seu préio estaurado, méveis de época recuperados, introdugio de equipamentos modemos ¢ assunsio da Inleranga ‘quanto catalogagio no pais. Ab também ‘congelo seus cats [gos anterioes¢ de entrada a todas as obras recebidas a pati de 1984, o quea fez manter atualizada aBiblografi brasileira. tS hoje, apesar de todas as suas imitages pots efnanceiray a fs co tinua a manter seu papel de agénca bibliogrticn nacional, no in Dito do controle bibiogrfico universal e pela atabuigio dos {Intemational Standard Book Number) edo rv (Intemational lane dare Music Nurber). Sous eatlogos em inka permaneccm atuall- ‘2ados edisponives a todos, por melo da interne, para verficao| de pontos de acessoe representagies bbliogzics, inclusive no formato wae 21 (do qual trataremos adiant). Aan cri seu pro pro sistema de banco de dados independente daestrutura da 7 [ibliodaa, em meas dos no 190, embora contin partiipan- te emembronato desea rel, ‘Uma vez que a coopera € um principio, para nds indict soe indispensivel,considerames fundamental resaltarabaixo 0 teabalho que at realiza, para as bbliotecas plies eescoares braillra.Porém, cab antes delinear,rapidamente a histria a terior do Instituto Nacional do Liv (st), em 1980 ineorporado & ts Diferentes autres retratam com acuidade e profiting © Fistricn eo desenvolvimento do na.” ‘Isto Nacional do Livro foi crado lo gover Vangas ern 107, “cama finalidade de propicar meis para a pred, 0 apo rameniodo liv ea melhoria das erigosbibliotecirios”Suaiden, 200, p53). Fomentou a instalagSo de bibsoveas, ou msm sas ce Ietur,aedigso de autores nacionaise a distibuigo de livros Se bibliotecas publica. Implantou, em Brasilia, uma Biblioteca De- ‘monstrativa, como modelo para as demais. Devido, em parte, & ‘sperpesicdo de alvidades, ieee a, em 1950, con Dep lament Nacional do Livro: Fim 200, a foi eestruturada,passar- doa ter un ent de process encase oto de referéncia edi ‘0. as coordenadoras de planejamento e adminstagio, de pes- quis eeitoragSo, do lvro eet edo Sistema Nacional de Bi ‘tec Pili (cit: fwww bn brportafindexjsp?nu_pagina-1 >) | a ry svt J CATALOCAGAO NO RURAL (Sistema Nacional de Bibhotceas Piblicas (8, riadoem 1952, tem suas aizes nos. sgnifiou um avango considevel para g ‘coopera. De aor com oto dasa “atuago dose basa fem agiesvoltadas para a interago e integragio dessas bblotecas fem mbito nacional” No mesmo enderego se encontram os objet ‘vos do sn, todos els volta a0 aprimoramentoe melhor func ‘namento das bibliotecaspiblicas brasieias, O gerenciamento se texerce por meio dos sistemas esta, geramente centrados nas biblioteeas piblias estaduais, que se artculam cam as biblotcas pblcas municipais. Paraconsecigio de seuscbjetives, ste rou, ‘1989, 0 Consércio Flettnicn de Biblioteca, que visa 2 apoiar 9 {desenvolvimento dos projetos de austomagso bibliog no Bra sil permitindo ds bibliotecas brasileira a formagao de basos de lads locas ou de odes de bases regions. Inch todas a insti luicies bibliotecirias interessadas, e nfo apenas as pablicas. Disponibiliza dois programas grawits para astomagso de bibio- ‘cas: nnuvar eo programa Biblioteca Livro Abert, ( consércio permite a todas 35 institsigiesconveniadas 0 com- partihamento dos recursos de catalogaga, copiando, ou baixan- o dirctamente, os registres bibliogricosdisponiveis em linha ‘os cailogos da wy. No caso do mtv, acpi em formato sane ‘Eautomaticamente lida pelo programa. A asinatra de conven ‘io tom custo alga para bibliotecas de natrera pica. As bil ‘otcens de isttugbesprvadasprecsom cantata oh para maiones informagées. Mostrase de importainca muito sigrificativa a dim nto do tempo do custo das estalogagies, lem da iformida cde necessira.” (© programa (oftware Bblotes Livre, conhexido como si, ‘se desenvolveu por inlcativa da Sociedade de Amigos da Biblite- ‘@ Nacional (sats) e da core/Universdade Federal do Rio de Ja neiro ese enconta em evolucio e aprimoramento embora sia pri mia fase ji se tena concluido. © programa se presenta coma ‘ecclentealtemativa para aqulasinctinaigbes que prtenany uma Aautomagio de divas resaltados ¢ custo minimo, ambos melhores ‘do que aqueles apresentads pel ami inczamente de aco lo com parses intemacionals. Nao se conseguisexcarect se hi limites programa ou nas miquinas em si (capaccade de memd- Fa) para a adminisregso de grandes bases de dads. a HSTERICO DO CATALDO EDA CATALOEAAD 85 ‘© programa Biblioteca Livro Aberto se prope aimplantar bi- loteeas pbleasem municipios onde estasinexister, ox evitlizar as existentes, As prefelturasinteressadas em participar devern {nt em contato com o respectivo sistema estadual de bibiokens ‘ou com a a. Impertante fisar que como incl proposta cle con- trtagn de lblotetrios, amplian-se es locas de abalho ara os mais da ea etornase indispensivel a realizasio de cut {os de expedalizagio adequados a estes bibiteciies. ‘Sempre cabelembrar que a bblotecas dependem sobremane™ 1 das politiosedas verbs pablicas, Para no andarem aponas a0 “abor dos vents politicos, a8 insitugGes precisam fazerseabso- Tutamente nocessrias 8s Comunidades, para contarem, pelo me nos, com alguma lee pressio da opiniso publica. Reconhecemos que, Por Vez0s fugimas 20 ebjetive maior do cept porém, tudo isso se da como arta para a formagio de fatalogadorese como recursos para facilitgso.e melheras not bao. , 7 iirante a década de 1980, 0 projet caico adotou o nome [iblindata/cnco. Madou novamonte seu nore para Ree Bibiodata (enire 1934 ¢ 1956), quando deixou 0 formato caLcoe pasou a ti laar 0 formato viwatc A rede abrange, hoje, quase urn milho € ‘ND mi eisteose congrega 3 insituigbes cooperantes, 0 que sig rifica um nimero mito moioe de biblioteca, de nore a sul. Ele {gu como padres as AAcx2n eo formato MAI e, deste modo, Se fomou integralmente compativel cam sistemas intemacionas de intercimbio de teystoe bbliogréfices, Segundo informa da- das por bibiotecros do Biblodata eda cv, cerca de 80% dositens ‘So tompativels ene os diversos partipantes da rede, que de {ato signiiea uma redugbo de RP no tempo decatalogagio eres postvos custon Outras informagées: 0 catélogo cleivo conten pi tras a reas do coneximento, com maior participacso das ‘fincas soca a lingua portuguesa constit 6% das obras; i gun ingles, 20%; € 20%, cute idiomas O catélogo coletivo e os ‘ldlogos de aulridade de nomes e de assuntos possvem eicho rmcente em coon a 2?edigo, de dezembro de 2007, Tab hs uum sitio na intemet, para ouleas informagses e busca: ‘Som dvida, 0 Biblodats,herdero do caLc, por sa padon 86 ey & so | CATALDOAGKO NO PLA zo, e=peito x normas intemacionas e metas de dfs, se tor rou uma fone inesimavel, mesmo para as bibliotecas io coope= antes, eo maior sistema do pas em termos deextalogacio coope- rativa, como idealizoy, no pide ver, Alice Principe Barbosa em 197 Cabe aqui uma observagSo importante: existe outros sistemas ‘etaduais de televincia, com grande nlmero de regist-s bili {gritons ede biblctecs cooperants, como & o caso do Sistema de Biblioteas ca Universidade de So Paulo (amse).” Existem tam ‘bn outos sistemas naconais muito sigfcativosem Seas espe 2703; tratarse da norm 19.5, que 98 toro. tambien, internacionalizada ‘De 1904 a 1957, 0 usianc eo caxo4se desenvolveram estuos para eiminagio de suas poquenasdiferengas, com atualizagbes em {997-1988 0 resltado, publicado em 1999, foi 0 axe 2, ou se 0 formato NARE para o culo 4 no mais vincalado a um pais ou supe linguistic, porém voltado ao uso internacional Hoje se Encontratrdurco ou adapta para dezeses idiomas incisive 9 portugues do Brasil ‘Seguiram-se os desdobramentas da familia max: bibiogrico (completo, concn © te — um formato menor, quase he © no Tight anc, de autoridades, de colegSes (aceros), de classifica ‘gn ede informa comunitra, alm das tabelas de codifeasSo Jexistentes entre outas, para Seas geogificas palsse idiomas 'Asatualizagies, o formato seus desdobramentos se encontrar 0 ato: ‘© formato entaxs fo rad em 1977, Os anos 1980 trowxeram ua segunda versio © un marwal; em 1994, sit uma segunda ‘digi om varias atuallzagbes entre 196 e 2005 Fim 20030 setor 88 ary sauna fcarALOCAGhO NORA ‘R.A vnc Core Activity foi substituido pelo La unas Core Acti Vit, com o objetivo de mantere desenvolver formato next: Uni ‘eral (nan), de modo a facta o intercimbio de dais biblio- {rdficos em nivel intemaciona, Oto grande avango do iowa ‘elo cam a necesidade de compartthamento dos registra biblio- ‘grfcas pela Comunidade Europ; porém, a atuaizagso se mos- fra continua. © urna eampreende agora quato formats: ibio- ‘rl, de autores, de clasaicagio e de clacbes(acervos). 'Na déada de 1980, dois artigos igualmente chamaram a ate lo dos entalogadores ode Michael Heaney (1985), sobre cataloga- ‘io orientada a objeto; eo de Rebecca Green (198), sobre base de Alados relaconal para recuperacio biliogafica.Especialmente 0 ‘de Heaney alertava para o carter temporal ¢ vlit das publica- ‘hes cberespacais(e mesmo eletrnicas, como os <> #0Ns): io apenas mudam suas versses com grande fequéncia, como ainda, or vezes,desaparecem ni ‘iberespae, so retiradas do endere- {59 e munca mais enconiadas ‘A constatagso da realidad acima (50 iamente pelos {textos citados) vou 0 Online Computer Library Center (0216) © 0 [National Center for Supercomputing Applications (ves), ambos norteamercanos, a organizarem, em 1985 na cidade de Dublin, fem Ohio, um seminiio com 52 pesquisadorese proisionais de biblioieconomia, museologia, computa, codificago de textos € ‘ouleas areas corelatas, para o desenvolvimento de ma fecramen= ta de descrigSo para registzo de abjtoseletbinices em rede: 06 _metadades. O nome deste padi3o deve-e a0 local do peimeiro er ‘smiro: Dblin Core, do qual tataremos io capitulo 5 (pico 53.) Em 1997, no Canada, houve a Intemational Conference on the Principles an! ture of atc [ConeréniaIntemacional sobre o5| Painoipiase Futuro das sxc, que alertou para a necessidade de -mudangas de carior trio © pritico nas Aack Este ano proficue ainda vio estabelecimento da i. Task Force on Guidelines for ‘rae Displays, o sj, Forga-Tarefa da nia sobre Dieteizes para “Apresenlagio deCatlogosem nha de Acesso ible [orc online public cos ctl), O relatrio final ds rete fo publicado em 005, Esa norma tmprtantisima veio 30 enconto de um antigo deseo de maior compreensio do extsloge por pase das usuiron. ‘Gostariamos de dear rgistrada uma histoiet biblioteca ee UsiceacO Dos CTALOGRS EDA CATALOGAGO 89 deveras interessante e quase desconhecida (exeto pelos partici pots). Em 1961, em eeunigo de trabalho no Cetro de Documen- {Byao do Gaverno do Distrito Federal, drigido ent por lait de Farin, Corda R Cavaleant, sempre & frente de seu tempo, suge- flu que, em verde ichas paronizadas de acordo com as es (ou 5 Ancr}, s ueasem textos iractivas presedendo as informa- {Ges ator, tl, imprena ete. A époc, no houve acta da ropes, Quase vile anos depois, nua sugesto tomo norma [ntemadonal para apresentaio de catlogos er ins Pye 1958-199, Tom Delsey apresenton um alent tr tuto, sobre a estuura igi das aac, com recomendagies de Irudangs neces ao ego em vigor (dsponivel na inert fm digo internacional. Nao ex clara sea t.a empenhard seus efor 9s para a construsio de um cidigo internacional de catalogacao propriamente dit, ou se caberé a0 oidigo ba exercer tl fungto, Fm 200, o Joint Steering Committe for Revision of aac, aia Joint Steering Committee for Development of ss, iniiou © pro= ‘cesso de revisio do eéligo de catalogagio angloramerieano, sie resullaria em uma tereiraedigio das Anca AACE Entetan a revisio provocou mudancassubstandiais¢ acsrreton em 2005, 0 desenvolvimento cle um nove sucesso das AACH2, HOA Estee ‘encontrainteiramente de acoro com os modelos concetuais (8 «40 e com a Dedaragio de Pinepios Inernacionais de Catalo= ‘aio, Projetase sua publica para 2008, porém nada hi de deli nitvo, embore exsta uma verso prelinnar em linha (htp:/) wwrrcolectionseanada.ge-caljcrdahtm). Resalte-se que 0 mo mento éainda de estudos edscussdes equ, s vezes, no proces, pode haver conclusies,alleragies, ot mesmo descares. Enguant ‘io hi decsbes ou tradugies, uma obra situ-se como um verde ‘deirocddigo aslo, pelo respeito as regraseexemplos ade ‘dos acs ness recursos (embora no substitu as anck2) Cato (i de recuse bibogrifirs, de Anta Memeria Ribeiro (por = 2es denominado ‘cbigo da Antonia Meméria. ‘© século apenas se nica 8 posssimos um amplo leque de esquisase realizagdes no ambit da atalogagéo, sempre volado se HSTEINCO O06 CATALOGS EDA CATALOGACAO 31 40 comparthamento, Talvez agora possamos chegat ao sonho, ‘guase utopia, de Ouet La Footaine, quando iniciaram seu conto: Ie bibiogzfio universal Referncas srerky Tet teonigind oni 2 ington op: pacman epasiene re Ea, Es op BC Caen. dio erm ini Bede hp nn pte ec Tn a Fan MN nrg drupe ‘Rome Conaic nip itp 98 Apres ‘Gd lee rt name oe nes {omer Daur gla Ter Bug hh. ume ate plaster depend SS, Sicha {amy ihe: ane deine Sa Panto 20 {Risers gaa pecrnccie ep Pre oer ates tatoo ini aes cera akeisanenhamypctinepinpeccnts to Bin Men fauee Ravtsoioe'schle aio Hemet Os Sesion am as Cg i hat spree eld ats Mis, ‘Gotan at) ope donne nore se Rena Soom ap 8, Stn oat ttn SP Compet dae ‘Srna oars omer percep] ‘atime wae ope overs Rona Aandi Rest emi isin th Gacy np 20 Dope wc Rena gett patna oom he A ‘eta Gt Opt ‘Bocas “Shennan tS aparecrvcdomd ahs sae 92 ry Gesu /CARALOCAGKO NO URAL * Soap eetenemetecen arate Snare a SSR ee pon ten anti cies oat a Fine Atte denne Soa Compu cLet E ‘Aton Saeeeueetometnts tracey teste rpm screen 1 REE, oteeegapentne i em Here been sort deca 1 RRR perenne eoniapnrae aetcee erga og mcm atnencone Main odelanaroeaasay 378 w ERRigr ie een xchange 15 Gru LaleAnna icing dene dirs cinta ‘gene it wnt etn ean appre a ‘Su sn) Uninet 1 Br nr fi tin np 34 ‘Smt Ate pia cn dee har Ciel et pag ene Spi 1 exp po deem ronda e120 ieee den omens anos aml Fron Coopers ito 0 ei. Ra ei de [Mises Darn Now oe nt p13 pain 2 20 Tur Ba. ay ni dF ean sac Sree 2 Rec fen) Fe cae mien Tk Roaitoniiege myc nt ewe Dupmtetnr ancignfnees ence sp 8 ‘ee end Cosa fo arn mio ef ‘Binion rolmm banana hema a ev Tena BOs CATALOEES HDA CATALCAGAO 93 as eps sn pi np gn si Soeeeeee aap eerenmeeean Sao 2 mol $e Med fran fin te San wri Mon Cp cron ci 22 Saco hermrcareemmseeeries Saaneos 4 APRATICA DA CATALOGAGAO ‘A catalogago compreende rs partes: dsrilo bling, pontos sdeacsoedascde aizga stas partes se gam a0 Fato de que a tatalogagio deve individualizar os recursos bibliogaticc, defor ‘ma a que mio sejam confundidos entre sir reunie recurso bibio- ‘rifcos por suas semalhaneas, estabelecend reais entre, finalmente, permit loalizagio de wm recurso bibliogrtico e= pectic em acevo determinado, Cabe uma abservagio indispensivel os acervos so extrema- mente vars, com abjeives euros tambm vars, Milas ‘vere, um recurso imporanussimo para um ipo de acevo pode serconsiderado descartivel em outro. A primeita dferengaconsis- ‘tema temstca mesma da colegio: acervon de céncas humans po dem permanecer de grande valor © uso por milnios; acervos de ‘Gtnciasexatas se dirgidas a certs tipo de pb, tim data de validade; aorvos de Géacias da sic, em geral, possuem vida brevisma, a monas que se deainem & histia da prpriaciéncia, fou enquanto no surgi uma revolugio trico-centifia, que mo slfiqae sua utlidade: Alem do mais, documentos tencos ci te rico-cientifics, em qualquer Sea, eto suitoe a constants tae lizagbese, porante, a menor cco intelectual de vida, Porta, _acervos durves, de permanénca quase mortal requerem wm ra tamentodlferentedaqueles de prazade validadedeterminado- tanto no que se efere A represenagio, quanto beonservag ea sa pr pila seleyoe 0 acesso. No, bbliotecdrias alalogadores, press -mas compreender tas dferengas © adequarnossasrepresentagies, ‘de modo geral ao tipo de acervo,além do tipo de palin A desriio bibliog, também chamada representagso desr- tiva, 6a parte da eatalogasso responsivel pela caracterizyio do recurso bibliog, ‘A descrgio cabe extir ditetamente do recurs bibliog ‘escrgaobibliogrsfica se refere A manifestaglo, podendo inclu iguma pecaiandade do item. Cada marifestagso poseul apenas tua destrigio e ada desrio se aplca a ma tnics maifestac. ‘iro ites de uma mesma manufestagio sgaiieam uma inca escrito; manifestagiescferenes, meso apresentando contetido Jenico, tim descrigies diferentes. Por exer: tes ites da me ma edo de Tea do gree de Jorge Amado, coerespondem a uma Sinica descrgo, Doi ites de Tita do ages sendo um da terecira ‘icioe outro da quartaedigio, corespondiem a duas desergins tlierentes. A desergSobibiogrificareproduz quase todas a infor ‘mages na forma como se encontram no rectso bibliogsfico, ‘rest A desc ieglcs deve np roma mkacerlnenis ‘Rovdady ou meted Sard Btogrphee Depten = ‘Sto undone Deca des Peeps nhac eCatalog Os potas acess oa parte pela qual osusuirios pciem acest a representagio de um recurso ibliogréico no eatalogo. Os pon tos de acess se responsablizam pela extagio de caracteristics ‘comuns de interease 20 uso, de forma areuni todos os recur fs que as possuam. Segundo a Dedaragio des Psincipos Intern ‘donais de Catalogacio, eles “sho 08 elementos dos registrosbiblio- srificns que 1) fornecem recuperacbo contvel das egistos bibl ‘oprsfcos ede autordadee de seus respects recurscsbibliogré- fens associados 2) imitam os resultadas da busca" Pinos fechas aeoreearsreet upeamaeonstie tanner eens Tsp Senha po ee mapatagemeu Mines Pome am Woennaeemenmeenisomae ishontanuemntingenuentiones wivaceaiaemee ecco ie gata Sac an meet 96 byes eATALDAGAONOMLURAL ‘erambiguidade ou divide nainformaco,Difeentementeda des {rile que se atim 3 manietagioe ao em, os pons de aco So escalhidese dterminados peo catalogado de aco com regres enormas coda em dverceisramentos de mo asnecesiladse caaceritcas de sus uso (diode teal ko as nformagies que permite 20 éeiolcalzar unitemem determinado aero, eae cberespaa Emestlogos que arangem uma ina ete, oe dado de lo calizagioS tam 0 mea de chad, En ctlogos caeivs “omproendem também a upd bie on eno no ces onde o tem psa ser enced ‘jn capi a eprint pr te, sedenamina entrada ow rst bliin, emo ata. Nos