Você está na página 1de 8

ADIÇÃO DE RESÍDUOS MIÚDOS DE VIDRO NA COMPOSIÇÃO DO CONCRETO

Felipe Costa Gomes¹


Igor Anízio Campos da Silva ²
Prof. Alan Mercedo Morais Moreira³

RESUMO
Com o estímulo gerado pelos governos para alavancar o setor imobiliário, a indústria
da construção civil teve um grande crescimento nos últimos anos, trazem consigo a
utilização em grande escala de alguns materiais indispensáveis ao setor construtivo,
como exemplo o concreto, o consumo energético dos recursos naturais, e
consequentemente elevando a produção de resíduos gerados. Criar alternativas
sustentáveis é uma maneira de tentar amenizar esse problema gerado para
construção civil. O reaproveitamento de alguns resíduos é uma das alternativas,
dispomos do vidro um material que na construção civil é pouco valorizado. Este
artigo tem como foco discutir sobre a substituição do agregado miúdo na
composição do concreto e investigar os resultados obtidos através da adição de
farelo de vidro como agregado no concreto. Dito isto, é de extrema importância a
discussão deste assunto, bem como a conscientização sobre este tema e as
propostas que serão geradas a partir deste artigo. Foram realizados ensaios com
vários corpos de prova de diferentes resistências e dosagem que estão inseridos
neste contexto de concreto. Definido a melhor granulometria da amostra, seguindo a
ABNT NBR 5738 e 5739, foram feitas então 05 (cinco) experimentações: na primeira
foi confeccionada o concreto convencional com areia, que serviu como referência,
substituiu-se areia por vidro em proporções de 5%, 10%, 15% e 20%, que a partir
dos ensaios de ruptura, o resultado final do agregado fino resultante (areia mais
vidro) estaria mais próxima da curva granulométrica ideal, apresentando melhores
resultados com a adição de vidro, com aumento de 56,6% na tensão de ruptura, o
que estaria relacionado ao preenchimento de vazios, onde estabeleceu-se a melhor
proporção de vidro moído que se pode acrescentar no concreto convencional.
Produzindo resultados muito satisfatórios, quando comparados com o corpo de
prova de referência. O que contribui também ao meio ambiente, onde o
reaproveitamento do resíduo de vidro evita o descarte em aterros, e diminuindo
diretamente a retirada da matéria prima na natureza, tornando a construção
sustentável.

Palavras-chave: Concreto. Construção civil. Farelo de vidro. Sustentabilidade

¹Felipe Costa Gomes é Engenheiro Civil e graduando em Especialização em Engenharia


das Estruturas nas Faculdades Integradas do Norte de Minas (FUNORTE).
²Igor Anízio Campos da Silva é Engenheiro Civil e graduando em Especialização em
Engenharia das Estruturas nas Faculdades Integradas do Norte de Minas (FUNORTE).
³Alan Mercedo Morais Moreira é Engenheiro Civil e Professor do curso de Especialização
em Engenharia das Estruturas das Faculdades Integradas do Norte de Minas (FUNORTE).
ABSTRAT
With the stimulus generated by the governments to leverage the real estate sector,
the construction industry has experienced a great growth in the last years, bring with
it the large-scale use of some materials indispensable to the construction sector,
such as concrete, energy consumption of resources natural resources, and
consequently increasing the production of waste generated. Creating sustainable
alternatives is one way of trying to soften this problem generated for civil
construction. The reuse of some waste is one of the alternatives, we have the glass a
material that in civil construction is little valued. This article focuses on the
substitution of small aggregate in concrete composition and investigate the results
obtained by adding glass meal as aggregate in concrete. That said, it is extremely
important to discuss this issue, as well as the awareness on this topic and the
proposals that will be generated from this article. Tests were performed with several
specimens of different strengths and dosage that are inserted in this concrete
context. According to ABNT NBR 5738 and 5739, 5 (five) experiments were made:
the first one was made of conventional sand concrete, which served as reference,
sand was replaced by glass in proportions of 5% , 10%, 15% and 20%, that from the
rupture tests, the final result of the resulting fine aggregate (sand plus glass) would
be closer to the ideal particle size curve, presenting better results with the addition of
glass, with increase of 56.6% in the rupture stress, which would be related to void
filling, where the best proportion of ground glass that can be added in conventional
concrete was established. Producing very satisfactory results, when compared with
the reference test body. This also contributes to the environment, where the reuse of
glass waste avoids disposal in landfills, and directly reduces the withdrawal of raw
material in nature, making construction sustainable.

Key words: Concrete. Construction. Glass bran. Sustainability.

1. INTRODUÇÃO

O crescimento mundial da indústria da construção civil, nos anos


passados e atuais, de maneira ostensiva, com a urbanização das pequenas e
grandes cidades, traz consigo a utilização em grande escala do concreto, já que o
mesmo possui características indispensáveis ao setor construtivo. Aumento
significativo na produção de matéria prima, e, por conseguinte, o aumento das
cobranças impostas pelo mercado em relação à busca da alta produtividade e
consequentemente elevando a produção de resíduos gerados.
A resolução 307/02 do CONAMA (BRASIL, 2002) - Conselho Nacional do
Meio Ambiente, classificam como resíduos da construção civil os provenientes de
construções, reformas, reparos e demolições de obras de construção civil. Esses
materiais insolúveis são resultantes da preparação e da escavação de terrenos, tais
como: tijolos, blocos cerâmicos, concreto em geral, solos, rochas, metais, resinas,
colas, tintas, madeiras e compensados, forros, argamassa, gesso, telhas, pavimento
asfáltico, vidros, plásticos, tubulações, fiação elétrica etc., comumente chamados de
entulhos de obras, caliça ou metralha. Ainda, de acordo com essa resolução,
agregado reciclado é o material granular proveniente do beneficiamento de resíduos
de construção que apresentam características técnicas para a aplicação em obras
de edificação, de infraestrutura, em aterros sanitários ou outras obras de
engenharia.
Devido ao crescimento desfreado da construção civil e o aumento do
consumo energéticos dos recursos naturais para suprir o alto padrão, o tema
“sustentabilidade” é sempre cobrado para tentar diminuir os efeitos catastróficos do
nosso planeta, para a produção de matéria prima.
A preocupação do século XXI para Silva et al (2015) está em formas
sustentáveis e econômicas para produzir cada vez mais, e uma dessas formas de
sustentabilidade é o reaproveitamento de materiais que teriam uma destinação
incorreta, indo parar em lixões e aterros sanitários.
Criar alternativas sustentáveis é uma maneira de tentar amenizar esse
problema gerado na construção civil. De acordo com Capanema et al (2014) a
substituição de agregados naturais por materiais que podem ser reciclados, tem se
tornado alvo de grande interesse dos ambientalistas e engenheiros, uma vez que o
mercado exerce pressões para a implantação dessas novas tecnologias.
Para Benatti et al. (2016) com a crescente evolução das tecnologias,
necessita constantemente adaptações os ambientes residenciais e comerciais à
estas realidades, tornando assim estes ambientes mais preparados para futuras
tecnologias, utilizando de novos materiais que produzem o menor impacto possível
ao meio ambiente e contribuam para o conforto térmico ou a redução do consumo
de energia.
Com as grandes variedades de geração de novos materiais e com as
tecnologias disposta nos dias atuais, dispomos do vidro um material que na
construção civil e muito pouco valorizado, devido à baixa cotação de preço pago por
quilo nos setores de reciclagens, devido à grande disponibilidade a ser encontrada e
descartada incorretamente no mercado e com um preço acessível, o vidro se torna
um material com a possibilidade de ser utilizado como agregado na produção de
concretos, diminuindo a agressão ao ambiente de utilizar as fontes dos agregados
naturais e evitando a contaminação do descarte excessivo do vidro.
O estudo das características físicas e mecânicas do vidro são
classificados por Cordeiro et al (2015) como uma substância inorgânica, homogênea
e amorfa, obtida através do resfriamento de uma massa em fusão, onde suas
principais qualidades são a transparência e a dureza. O vidro ainda tem como
incontáveis aplicações nas mais variadas indústrias, dada suas características de
inalterabilidade, dureza, resistência e propriedades térmicas, ópticas e acústicas,
tornando-se um dos poucos materiais ainda insubstituível, estando cada vez mais
presente nas pesquisas de desenvolvimento tecnológico para o bem-estar do
homem.
Com isso o estudo da reutilização do resíduo de vidro para Silva et al
(2015) pode ajudar na diminuição significativa dos problemas ambientais que são
ocasionados por esse tipo de resíduo sólido, visto que o vidro não é biodegradável e
quase 60% do vidro produzido no Brasil não é reciclado.
Promovendo um estudo aprofundado sobre a temática, pode-se chegar a
um novo agregado miúdo para compor o concreto, onde são produzidas em grandes
quantidades na construção civil.
A composição do concreto convencional é a mistura obtida de
aglomerante (cimento), água, agregados graúdos e miúdos (brita e areia,
respectivamente), em outros casos, para obter uma resistência maior ou uma cura
mais rápida desse concreto e acrescentados aditivos, que auxiliam no aumento do
seu desempenho.
Dessa maneira a mistura final que o agrega, após ganhar resistência,
obtêm desempenhos aos esforços de compressão gerados pelas estruturas.
Assim sendo, este trabalho propõe-se a verificar a resistência da
produção do concreto produzido in loco com a reutilização de resíduos de vidro
como agregado miúdo.

2. METODOLOGIA

Para desenvolver a pesquisa utilizou-se do método qualitativo e quanto


aos objetivos, empregou-se a pesquisa descritiva. Quanto ao delineamento, o
estudo foi caracterizado como: pesquisa bibliográfica e pesquisa de campo. A
pesquisa bibliográfica serve de embasamento teórico baseando-se em materiais já
elaborados, contidos em livros, artigos científicos, etc. Para a pesquisa de campo, a
coleta de dados referentes à pesquisa ocorreu por meio de ensaios com 05 (cinco)
corpos de provas produzidos pelos autores, com diferentes tipos de granulometrias,
em canteiro de obra na cidade de Montes Claros - MG e testado no laboratório das
Faculdades Integradas do Norte de Minas (FUNORTE). Os corpos de provas foram
rompidos individualmente, e anotados os comportamentos de cada um, os corpos de
provas foram produzidos no mês de julho e no mês de agosto de 2018 foram
ensaiados.
Seguindo ABNT NBR 5738 –Concreto – Procedimento para moldagem e
cura de corpos de prova, foram respeitados o tempo de cura do concreto, os corpos
de prova foram moldados em fôrmas metálicas de dimensões precisas conforme
definido pela norma.
Foram levados em consideração no decorrer das etapas, para a
fabricação do concreto, as características dos agregados (graúdos, miúdos e
resíduo de vidro) utilizados de acordo com as normas específicas da Associação
Brasileira de Normas Técnicas, as características do aglomerante (cimento) foram
extraídas da embalagem do fabricante.
Estes autores produziram concretos utilizando vidro reciclado moído. O
material utilizado em seus testes (o vidro) foi recolhido do lixo e posteriormente foi
triturado. Junto com o vidro foi utilizado também brita (agregado graúdo). O fator
água/cimento foi mantido constante para os experimentos. A partir de então se
analisou a influência do tamanho das partículas e das diferentes quantidades destas
partículas adicionadas aos concretos testados.

3. APRESENTAÇÃO E ANÁLISE DE RESULTADOS

3.1 Pesquisa de campo: fabricação dos corpos de prova

O agregado reciclado (vidro) é o material granular proveniente do


beneficiamento de resíduos de construção que apresentam características técnicas
para a aplicação em obras de edificação, de infraestrutura, em aterros sanitários ou
outras obras de engenharia.
Para que os corpos de prova de concretos testados apresentassem uma
carga axial máxima aplicada para levar o seu rompimento e ter uma maior tensão de
ruptura média, os autores observaram que a melhor granulometria, ou seja, o melhor
tamanho de vidro moído para ser utilizada no concreto é entre 0.15-0.30mm
(também foram avaliadas 0,15mm e 0,30-0,60mm). Esse fato pode ser explicado
pelo preenchimento dos vazios existentes no concreto pelo vidro, acarretando
aumento de massa específica (índice de vazios menor), o que condiz com menor
abatimento dentre as amostras testadas, segundo Lopez; Azevedo; Neto (2005).
O traço de referência da produção do concreto utilizado foi o de 1:5
escolhido de maneira aleatória em uma tabela de traços convencionais com
resistência de 254 Kg/cm² para ensaios de compressão aos 28 dias, sendo: 01 saco
de cimento, 04 latas de areia, 05 latas e meia de pedra (brita), 01 lata e ¼ de agua.

3.2 Pesquisa de campo: ensaios dos corpos de prova

Definido a melhor granulometria da amostra, foram feitas então 05 (cinco)


experimentações: na primeira foi confeccionada o concreto convencional com areia,
que serviu como referência, substituiu-se areia por vidro em proporções de 5%,
10%, 15% e 20%, comparando-se ao corpo de prova de referência, sem adição de
vidro. Houve um aumento progressivo da resistência à compressão do concreto,
tendo o concreto produzido, com 20% do vidro moído, resistência média 57%
superior à do material de referência.
Todos os traços foram submetidos aos ensaios de compressão conforme
disposto pela ABNT NBR 5739 – Concreto - Ensaio de compressão de corpos de
prova cilíndricos.
A partir das anotações verificadas, a granulometria final do agregado fino
resultante (areia mais vidro) estaria mais próxima da curva granulométrica ideal, o
que pode ser um fator para aumentar a tensão média de ruptura, assim como o
aumento da superfície específica de sólidos a hidratar. O abatimento, determinado a
partir de ensaio que determina a falta ou excesso de água, do concreto também
diminuiu com o aumento da porcentagem de agregado reciclado.
O tipo de amostra não foi probabilístico. Para Mayan (2001) as
investigações qualitativas dependem de amostras selecionadas propositalmente,
sendo que o escopo da amostra qualitativa é abarcar o elemento de interesse,
selecionando conteúdos importantes e que permitiram ao pesquisador o alcance de
várias informações sobre o desígnio central da pesquisa.

3.3 Pesquisa de campo: análise dos resultados

Após a conclusão dos ensaios de ruptura dos corpos de prova, foi


realizada uma análise comparativa dos resultados de desempenho das amostras, o
concreto que apresentou melhores resultados foi o preparado com 5% de adição de
vidro, com aumento de 56,6% na tensão de ruptura, o que estaria relacionado ao
preenchimento de vazios, onde estabeleceu-se a melhor proporção de vidro moído
que se pode acrescentar no concreto convencional, em substituição ao agregado
miúdo, proporcionando o máximo de ganho em resistência a compressão.
Adições superiores apresentaram gradativa diminuição na tensão de
ruptura (mas sempre superiores às do corpo de referência), o que seria explicado
por uma hidratação insuficiente dos sólidos, provocando aumento dos vazios, de
acordo com as conclusões de Lopez; Neto (2005).

4. CONCLUSÃO

Este trabalho propôs avaliar a adição de resíduos miúdos de vidro na


composição do concreto, de acordo com Capanema et al (2014), é de extrema
importância os estudos como agregados a utilização de vidros para o concreto, já
que são relevantes as características adicionadas a este composto pelo vidro moído.
Para Cordeiro et al (2015) O reaproveitamento desse resíduo na
construção civil é viável, considerando que sendo utilizado na produção de
concretos convencionais produziu resultados muito satisfatórios, quando
comparados com o corpo de prova de referência. O que contribui também ao meio
ambiente, onde o reaproveitamento do resíduo de vidro evita o descarte em aterros.
A inserção do resíduo em substituição da areia na produção de concretos, tende a
reduzir o custo do concreto, visto que, promove a redução da quantidade de areia a
ser usada, evitando diretamente a extração da matéria prima da natureza, tornando
a construção sustentável, intensificando a cadeia produtiva do vidro, dando um novo
fim ao material que antes era inutilizado.
REFERÊNCIAS

ABNT - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 5738/2003 –


Moldagem e cura de corpos de prova cilíndricos ou prismáticos de concreto. Rio de
Janeiro: ABNT, 2003.

ABNT - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 5739/1994 –


Concreto - Ensaio de compressão de corpos de prova cilíndricos. Rio de Janeiro: ABNT,
1994.

BENATTI, L. B.; AZAMBUJA, M. A., Reciclagem de vidro como alternativa para o


concreto. Revista Nacional de Gerenciamento de Cidades, v. 04, n. 26, 2016, pp.
16-27

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Conselho Nacional do Meio Ambiente.


Resolução n, 307, de 5 de julho de 2002. Brasília, DF, 2002.

CAPANEMA, D. C. O.; GALVÃO, F. H.; SANTANA, K. M. F.; ALEXANDRE, R. A. S.;


COSTA, T. A. R.; Estudo do uso de rejeitos como agregados para o concreto.
Percurso Acadêmico, Belo Horizonte, v. 4, n. 7, jan./jun. 2014.

CORDEIRO, R. dos S.; MONTEL, A. L. B.; Estudo da viabilidade para a produção


de concretos com adição de resíduos de vidro em substituição ao agregado
miúdo na cidade de Palmas-TO.DESAFIOS, [S.l.], v. 2, p. 104-123, dez. 2015.
ISSN 2359-3652.

LÓPEZ, D.A. R; AZEVEDO, C. A. P. de; BARBOSA NETO, E. Avaliação das


propriedades físicas e mecânicas de concretos produzidos com vidro cominuído
como agregado fino. Revista Cerâmica, São Paulo, v.51, n.318, p. 318-324, out./dez
2005.

MAYAN, M. J. An introduction to qualitative methods: a training module for


students and professionals. Edmonton, Universidade of Alberta, 2001.

SILVA, A. T. da; COSTA, A. L. S.; Estudo da adição de resíduos de vidro moído


em argamassas, com relação a sua resistência à compressão. 2015. 28 f.
Monografia (Engenharia Civil). Universidade Católica de Brasília, Brasília, 2015.