Você está na página 1de 19

P

O
S
T
O J.F. COMÉRCIO DE PETRÓLEO
CNPJ: 07.797.056/0001-68
S
A
N
Ç
Ã
O
1
POSTO DE COMBUST ÍVEL
COMÉRCIO VAREJISTA DE COMBUSTÍVEIS PARA VEÍCULOS
AUTO MOTORES.

EMPRENDIMENTO
POSTO SANÇÃO I

LAUDO / ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DO

PLANO DE ATENDIMENTO A EMERGÊNCIA - PAE

EMPRENDEDOR

J.F. COMÉRCIO DE PETRÓLEO LTDA


CNPJ: 07.797.056/0001-68

VARGEM GRANDE – MA
JULHO DE 2017

PLANO DE ATENDIMENTO A EMERGÊNCIA – POSTO SANÇÃO I


Página 1
SUMÁRIO

1. NORMATIZAÇÃO ........................................................................................ 3
2. ESTRUTURA DE IDENTIFICAÇÃO ............................................................ 4
2.1 . Identificação do Empreendedor. ............................................................ 4
2.2 . Identificação do Responsável Técnico. ................................................. 4
3. CONTESTO DO PROJETO ......................................................................... 4
3.1 . Descrição............................................................................................... 4
4. APRESENTAÇÃO ....................................................................................... 5
5. OBJETIVO ................................................................................................... 6
5.1 . Informações Preliminares ABNT NBR 14608. ....................................... 6
6. PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS ......................................................... 7
6.1 . Chefe de Brigada. .................................................................................. 8
7. MODELAGEM ESQUEMÁTICA .................................................................. 8
7.1 . Organograma de Formação da Brigada. ............................................... 8
7.2 . Instruções aos Brigadistas. .................................................................... 9
7.3 . Responsáveis do Posto. ........................................................................ 9
7.4 . Brigada de Emergência. ........................................................................ 9
8. DESCRÇÃO DA PLANTA ......................................................................... 10
8.1 . Identificação das diretrizes básicas de operação. ............................... 10
9. PROCEDIMENTOS PRELIMINARES ........................................................ 11
10. DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADE ............................................................... 12
10.1 . Identificação e comunicação da emergência. .................................... 12
10.2 . Análise preliminar da emergência...................................................... 12
10.3 . Análise da emergência. ..................................................................... 12
11. EVACUAÇÃO - INSTRUÇÕES PARA O CORPO SOCIAL ................... 15
12. PROCEDIMENTOS EM CASOS DE EMERGÊNCIA .............................. 16
13. COMCLUSÃO ......................................................................................... 17
14. RESPONSSAVEL TECNICO................................................................... 18

PLANO DE ATENDIMENTO A EMERGÊNCIA – POSTO SANÇÃO I


Página 2
1. NORMATIZAÇÃO

Para definição do referido Projeto, foram consideradas as normas da


ABNT especificas como:

✓ Normas do Corpo de Bombeiros – COSCIP/MA. Instrução Técnica


Nº06 e demais normas aplicáveis.

✓ NBR 10898 – ABNT -Sistema de iluminação de emergência;

✓ NBR 12963 - ABNT – Sistema de proteção por extintor de incêndio:

✓ NBR 14100 – Proteção contra incêndio - Símbolos gráficos para projeto;

✓ NBR 5410/1997 - Instalações elétricas de baixa tensão.

✓ ABNT NBR 9077/2001 – Saídas de emergência em edifícios.

✓ ABNT NBR 13434-1/2004 – Sinalização de segurança contra incêndio e


pânico. Parte 1: Princípios de projeto.

✓ ABNT NBR 14023:1997 – Registro de atividades de bombeiros ABNT


NBR 14276/1999 – Programa de brigada de incêndio ABNT NBR
14608/2000 – Bombeiro profissional civil.

PLANO DE ATENDIMENTO A EMERGÊNCIA – POSTO SANÇÃO I


Página 3
2. ESTRUTURA DE IDENTIFICAÇÃO

2.1 . Identificação do Empreendedor.


EMPREENDEDOR I; JOSÉ DE SOCORRO FERREIRA VERAS.
CPF: nº 253.197.523 – 34
EMPREENDEDOR II; EMILIA MARIA LOBO VERAS.
CPF: nº 036.921.763 – 25
ENDEREÇO: Av. Raimundo Oliveira, nº 230 A, Bairro Areal.
CEP: 65500-000 – Chapadinha/MA

2.2 . Identificação do Responsável Técnico.


Responsável Técnico; CÉSAR ROBERTO N. GUIMARÃES.
CPF: 708365663-00 – Eng.º Mecânico e Segurança do Trabalho
CREA: 020983995-3
Endereço: Rua José Domiciano Siqueira nº 120 B, Bairro - Torre.
CEP; 65485-000 – Itapecuru Mirim - MA.

3. CONTESTO DO PROJETO

3.1 . Descrição.

Empreendimento; POSTO SANÇÃO I.


Área total do terreno: 1.660,00 m²
Área total da construção: 500,00 m²
Coordenadas geográficas: X = 3°32'49.09"S e Y = 43°55'7.08"W
Endereço: Av. Castelo Branco, nº 01, Bairro Centro.
CEP: 65500-430 – Vargem Grande/MA.

Figura 01: Adaptação do Autor – Posto Sanção I – 2017


PLANO DE ATENDIMENTO A EMERGÊNCIA – POSTO SANÇÃO I
Página 4
4. APRESENTAÇÃO

O presente Plano de Atendimento de Emergência tem por finalidade


descrever as medidas de segurança contra incêndio e pânico previsto no Código
de Segurança Contra Incêndio e Pânico (COSCIP), de uma edificação onde
funciona um Posto de Abastecimento de Veículos Automotores. Toda e qualquer
situação de anormalidade com potencial de dano para a comunidade do entorno
do referido posto, deverá ser comunicada aos órgãos de segurança pública,
principalmente ao Corpo de Bombeiros, através do telefone 193 que, em caso
de necessidade, acionará a unidade mais próxima.

Segundo o Art. 1º - Do (COSCIP), Esse Código estabelece normas de


Segurança Contra Incêndio e Pânico no Estado do Maranhão, regula a prestação
de serviço especial não relacionado com a missão-fim do Corpo de Bombeiros e
institui medidas administrativas para a sua execução.

Este trabalho pretende informar aos funcionários, sobre os procedimentos


a serem adotados para a prevenção de sinistros e o combate dos mesmos em
seus princípios.

Acreditamos que se os colaboradores tiverem conhecimentos básicos


sobre prevenção de incêndios, certamente desenvolverão comportamentos
preventivos de modo a evitar as condições que levam ao fogo.

Tais providências proporcionarão eventos sem surpresas desagradáveis,


capazes de causarem pânico e ferimentos nos presentes.

A todos envolvidos neste trabalho caberá o aperfeiçoamento, objetivando


tornar-se qualificado para o exercício de suas atividades, objetivando as
oportunidades em alcançar um ambiente com o máximo de segurança.

Este plano visa descrever orientações e procedimentos a serem seguido


pelos funcionários e visitantes de todas as instalações do POSTO SANÇÃO I,
quando da ocorrência de princípios de incêndio, sinistros, acidentes químico-
biológicos, casos extremos de violência interna ou externa, distúrbios civis e
ameaças naturais externas.

PLANO DE ATENDIMENTO A EMERGÊNCIA – POSTO SANÇÃO I


Página 5
5. OBJETIVO

Este procedimento tem como objetivo instruir os colaboradores quanto


às ações que deverão ser tomadas em caso de emergência, através de equipe
treinada, visando reaver o controle da situação o mais rápido possível e
minimizar a extensão da ocorrência. O presente plano visa descrever
orientações e procedimentos a serem seguidos pelos funcionários, prestadores
de serviço e visitantes da Empresa J.F. COMÉRCIO DE PETRÓLEO LTDA - ME
quando da ocorrência de Princípios de Incêndio e Sinistros.

Aplicável a todas as unidades da J.F. COMÉRCIO DE PETRÓLEO LTDA


- ME de maneira que os funcionários, prestadores de serviço e visitantes, tenham
conhecimento sobre os procedimentos a serem adotados para a Prevenção de
Incêndios e Sinistros.

5.1 . Informações Preliminares ABNT NBR 14608.

Para os efeitos desta Norma, aplicam-se as seguintes definições.

EMERGÊNCIA – Situação indesejável decorrente de uma anomalia,


com potencial de risco para afetar o meio ambiente e/ou a saúde e segurança
de colaboradores, terceiros e/ou visitantes.

INCIDENTES – São acontecimentos não desejados, inesperados, que


não resultem em danos materiais, ambientais, nem lesões pessoais,
apresentando, porém, potencial para tais ocorrências.

ACIDENTES – São acontecimentos não desejados e inesperados, que


resultem em uma lesão (podendo ocorrer afastamento temporário ou
permanente), doenças, danos materiais e/ou ambientais.

BRIGADA DE EMERGÊNCIA – Equipe formada por pessoal capacitado,


segundo treinamento específico, para o atendimento e controle de situações
emergenciais, tais como: combater incêndio, derramamentos, vazamentos,
explosão, primeiros socorros, etc.

PLANO DE ATENDIMENTO A EMERGÊNCIA – POSTO SANÇÃO I


Página 6
BRIGADISTA DE INCÊNDIO – Profissional que faz parte do quadro de
trabalhadores do empreendimento e que está apto a intervir quando necessário
no combate de um princípio de sinistro.

SIMULADOS – Exercício prático de instruções e treinamento para


tomada de ações em casos de emergências nas situações consideradas de
risco, visando preparar as pessoas para atuarem de forma ambientalmente
correta e com segurança.

GRUPO DE APOIO – O grupo de apoio é composto por terceiros (por


exemplo, pessoal da manutenção, serviços de segurança patrimonial,
telefonista, serviços de limpeza etc.) ou não, treinados e capacitados, que irão
auxiliar na execução dos procedimentos básicos de emergência contra incêndio.

6. PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS

Uma das condições essenciais para garantir a eficácia de um Plano de


Emergência é a sua correta e perfeita atualização. Para o efeito, afigura-se
indispensável que sejam comunicadas previamente aos responsáveis pelo Plano
de Emergência (Coordenação da J.F. Comércio de Petróleo Ltda. E a Brigada
de Incêndio) quaisquer alterações ao nível das condições físicas da organização
dos meios humanos relacionados à segurança.

Dentre as situações passíveis de exigir atualização do Plano salientam-


se as seguintes:

• Alterações a compartimentação do POSTO SANÇÃO I;

• Alteração significante do contingente da população flutuante e/ou fixa;

• Modificações nas vias de acesso ao Posto de Combustíveis;

• Alterações nas saídas e vias de evacuação;

• Instalação de novos equipamentos técnicos;

• Alterações na sinalização interna;

• Organização do sistema de segurança.


PLANO DE ATENDIMENTO A EMERGÊNCIA – POSTO SANÇÃO I
Página 7
Na ocorrência de alterações o Chefe da Brigada deverá proceder à
atualização do Plano de Emergência, fazendo as mudanças necessárias. Todas
as alterações efetuadas ao Plano de Emergência deverão ser comunicadas aos
detentores de exemplares do mesmo.

6.1 . Chefe de Brigada.

É o responsável pelas operações táticas em uma emergência. As ações


e decisões iniciais estão definidas a seguir:
• Definir, em conjunto com o Encarregado da área, as ações e estratégias a
serem adotadas;
• Manter o Comando informado do andamento da emergência;

7. MODELAGEM ESQUEMÁTICA

7.1 . Organograma de Formação da Brigada.

COORDENADOR DA BRIGADA
RAIMUNDO REIS CHAVES

CHEFE DA BRIGADA
DARLAN BATISTA ALMEIDA

BRIGADISTA BRIGADISTA
JOÃO BATISTA DE SOUSA KERLYSON CHAVES

BRIGADISTA BRIGADISTA
MOISÉS FERREIRA IVANILDO MACHADO

Figura 02: Adaptação do Autor – Brigada do Posto Sanção I. – 2017

PLANO DE ATENDIMENTO A EMERGÊNCIA – POSTO SANÇÃO I


Página 8
7.2 . Instruções aos Brigadistas.

Estas instruções dirigem-se especialmente aos brigadistas do Posto


SANÇÃO I, considerando-se que todos os seus elementos delas terão
conhecimento e colaborará na sua aplicação. Em termos gerais são as
seguintes:
• Efetuar a evacuação ordenadamente do local;
• Socorrer as pessoas que se encontrem em perigo imediato;
• Dar o alarme à Direção do estabelecimento e aos outros servidores
• Dar ou confirmar o alerta ao corpo de bombeiros;
• Iniciar o combate ao foco de incêndio com os meios de intervenção
existentes;

7.3 . Responsáveis do Posto.

Diante de situações de acidentes graves, deverá viabilizar recursos


necessários para atendimento e socorro. Todos os colaboradores deverão
receber instruções sobre os procedimentos de emergência e deverão seguir as
instruções da Brigada de Emergência.

7.4 . Brigada de Emergência.

Providenciar e manter isolamento da área afetada e imediata retirada


dos empregados, se aplicável. Providenciar para que as vias de acesso
permaneçam livres e desobstruídas. Impedir a entrada de pessoas nas áreas de
emergência, salvo quando se tratar de pessoas envolvidas e/ou requisitadas
para participarem das operações. Auxiliar o corpo de bombeiros (externo) nas
atividades de combate a incêndio, quando necessário. Manter a ordem interna
no local de emergência.

PLANO DE ATENDIMENTO A EMERGÊNCIA – POSTO SANÇÃO I


Página 9
8. DESCRÇÃO DA PLANTA

ROTA DE FUGA 02

ROTA DE FUGA 01

Figura 03: Indicação das Rotas de Fuga – Posto Sanção I. – 2017

8.1 . Identificação das diretrizes básicas de operação.

Distância do Corpo de Bombeiros: 78,40 Km.


Meios de ajuda externa: CAT/ 3ª CI / CBMMA.
População: O estabelecimento possui 06 funcionários, mas com uma
capacidade de evacuação para 500 pessoas.
Área construída 01: Área administrativa com 340,00 m²
Área construída 02: Ilha de Bombas com 160,00 m², como mostra na figura 03
a cima.
Característica de funcionamento: Armazenagem e Distribuição de
combustíveis líquidos para veículos automotores.
Brigada de incêndio: Formada desde o dia 25 de Julho de 2017.

Recursos materiais: Reservatório de água, ferramentas de operação,


extintores de incêndio.
PLANO DE ATENDIMENTO A EMERGÊNCIA – POSTO SANÇÃO I
Página 10
9. PROCEDIMENTOS PRELIMINARES

Figura 04: Esquema Ilustrativo PAE – Posto Sanção I. – 2017

PLANO DE ATENDIMENTO A EMERGÊNCIA – POSTO SANÇÃO I


Página 11
10. DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADE

10.1 . Identificação e comunicação da emergência.

Qualquer pessoa pode identificar uma emergência, logo, deve


comunicá-la imediatamente ao brigadista mais próximo. O receptor do chamado
de emergência deve manter a calma e obter pelo menos as seguintes
informações:
• Local da emergência;
• Cenário e situação da emergência;
• Se há vítima e qual o estado dela;
• Quantas pessoas aproximadamente estão no local;
• Se há equipamento de emergência próximo.

10.2 . Análise preliminar da emergência.

O Receptor do chamado, o Brigadista, irá analisar previamente a


situação de emergência e decidir:
• Conseguirá resolver a emergência com os recursos disponíveis no local
ou;
• Irá fazer a convocação dos outros Brigadistas.

10.3 . Análise da emergência.

Uma vez acionado o brigadista para uma emergência, o Chefe ou Líder


da Brigada deve analisar e decidir:

• A Brigada conseguirá combater a emergência somente com os recursos


internos ou;
• Irá acionar socorro externo (Corpo de Bombeiros, SAMU, etc.).

PLANO DE ATENDIMENTO A EMERGÊNCIA – POSTO SANÇÃO I


Página 12
NOTA 01: Procedimentos de atendimento a emergências em casos de
incêndio / explosão em equipamentos e quadros elétricos.

O colaborador que identificar a emergência deverá acionar a Brigada,


que seguirá os seguintes procedimentos:

• Combater o fogo utilizando extintores de pó químico seco e CO 2 (dióxido


de carbono);
• Utilizar os EPI’s adequados;
• A Brigada deverá desativar o sistema elétrico e isolar a área, utilizando
fitas zebradas;
• Quando o extintor de combate a incêndio for insuficiente para debelar o
fogo, deve-se desligar a subestação “quando houver”, utilizar hidrantes
com esguicho regulável ajustando o jato de água fora da subestação até
a obtenção de formação de neblina, dirigir a neblina para a base do fogo
para sua extinção;
• Acionar o Corpo de Bombeiros (193), se necessário.

NOTA 02: Procedimentos de atendimento a emergências em casos de


Incêndio na plataforma de armazenagem.

O colaborador, que identificar a emergência, deverá acionar a Brigada


que seguirá os seguintes procedimentos:

• Utilizar os EPI’s adequados;


• Combater o fogo utilizando extintores de pó químico seco e CO2 (dióxido
de carbono);
• O colaborador da entrega deverá deslocar o botijão com vazamento para
longe dos demais, e sanar o vazamento através da válvula de passagem
do gás;
• Se o colaborador não conseguir extinguir o fogo, deverá acionar a Brigada
de Emergência;
• A Brigada deverá desativar o sistema elétrico e isolar a área;
• A Brigada deverá utilizar extintores de pó químico ou dióxido de carbono
(CO2);
PLANO DE ATENDIMENTO A EMERGÊNCIA – POSTO SANÇÃO I
Página 13
O colaborador, que identificar a emergência, deverá acionar a Brigada
que seguirá os seguintes procedimentos:

a) Fuga de gás

❖ Efetue o corte geral do gás na válvula de corte situada no exterior;


❖ Não ligue qualquer aparelho elétrico, ou sequer o interruptor da luz;
❖ Arejar o local, abrindo as portas e janelas;
❖ Se necessário combata as chamas usando extintores de pó químico
seco;
❖ Nunca use chamas para procurar a fuga. E sim sistema de borbulha
mento com sabão líquido.
b) Acidentes de Trabalho

Em caso de acidente de trabalho, e atendendo à sua gravidade, o


sinistrado deverá ser transportado de imediato ao posto de socorros mais
próximo ou ao hospital Municipal de Vargem Grande. Na ocorrência de acidente
de trabalho mortal o local deve ser isolado e, para além da chamada dos serviços
de socorro e da comunicação ao IML – Instituto Médico Legal e Polícia Militar
para isolamento da área.

Em caso de acidente de trabalho:

▪ Mantenha a calma, não toque nem deixe tocar na vítima, não lhe dê nada
a beber;
▪ Informe imediatamente ao chefe;
▪ Suprima imediatamente a causa do acidente;
▪ Chame os meios de socorro externos: Ambulância, Bombeiros etc.;
▪ Mantenha a calma, não se esqueça de indicar corretamente aos serviços
externos os seguintes elementos;
o Nome da entidade;
o Endereço;
o Nome da Vítima;
o Natureza do acidente;
o Estado da vítima;

PLANO DE ATENDIMENTO A EMERGÊNCIA – POSTO SANÇÃO I


Página 14
Em caso de acidente de trabalho de origem elétrica deverão ser
seguidos os seguintes procedimentos especiais.
o Corte imediatamente a corrente elétrica, desligando a ficha do
aparelho ou o interruptor geral do quadro do piso;
o No caso de não ser possível cortar a corrente ou for muito demorado
fazê-lo separe a vítima das partes em tensão tomando as seguintes
medidas;
o Isole-se colocando-se sobre uma superfície de material não condutor
e seco (plásticos, borracha, madeira, têxteis, etc.) e proteja as mãos
com luvas de borracha, um saco de plástico, uma toalha ou peça de
roupa ainda recorrendo a varas ou cabos de madeira, igualmente
secos;
o Em todos os casos, ao separar o sinistrado das partes em tensão deve
fazê-lo de uma forma brusca, procurando não o agarrar firmemente;
o Se a vítima não der sinais de vida, depois de desligar a corrente
elétrica faça-lhe imediatamente a respiração artificial, de preferência
pelo método boca-boca, e a massagem cardíaca externa. Contate
outra pessoa, que por sua vez contatará os meios de socorro
exteriores;

11. EVACUAÇÃO - INSTRUÇÕES PARA O CORPO SOCIAL

▪ Ao ouvirem o sinal de alarme (toque de campainha muito prolongado),


seguir as instruções do brigadista responsável pela evacuação da
escola;
▪ Não te preocupes com materiais e objetos. Deixa-os sobre as mesas,
sai e feche a porta;
▪ Siga os sinais de saída em silêncio. Não corra;
▪ Desça as escadas encostado na parede. Não volte atrás;
▪ Não pares na porta de saída. Esta deve estar livre;
▪ Dirige-te para o local que o brigadista te indicar, para se apurar que não
falte ninguém.
PLANO DE ATENDIMENTO A EMERGÊNCIA – POSTO SANÇÃO I
Página 15
12. PROCEDIMENTOS EM CASOS DE EMERGÊNCIA

✓ Perante um incêndio mantenha-se sempre a calmo;


✓ Se o fogo é pequeno, trate de apagá-lo com o extintor adequado à classe
de incêndio;
✓ Caso você não consiga dominar o fogo, feche a porta e solicite ajuda aos
colaboradores. Avise rapidamente a direção da ocorrência do fogo;
✓ Se o fogo se prender às tuas roupas, não corras. Jogue-se ao chão a fim
de apagar o fogo por abafamento;
✓ Se ouvir uma explosão, jogue-se no solo e proteja a nuca com os braços;
✓ Perante a fumaça, proteja a boca e o nariz com um pano. Caminhe
agachado. Junto ao solo onde há menos fumaça;
✓ Se a fumaça te impedir a fuga, anuncie a tua presença e aguarde socorro.

PREVENTIVOS FIXOS E MÓVEIS QUE PODEM SER USADOS PELOS


BRIGADISTAS DO POSTO SANÇÃO I VARGEM GRANDE.

• Subsistemas portáteis : Extintores manuais


• Subsistemas fixos : Hidrantes e SPDA

PLANO DE ATENDIMENTO A EMERGÊNCIA – POSTO SANÇÃO I


Página 16
13. COMCLUSÃO

O Plano de Atendimento a Emergência não será eficaz se não houver o


elemento humano preparado para operá-lo. Esse elemento humano, para poder
combater com eficácia um incêndio em seu princípio e proceder a um plano de
abandono, deverá estar perfeitamente treinado.

É um erro pensar que, sem treinamento, alguém, por mais hábil que seja,
por mais coragem que tenha, por maior valor que possua, seja capaz de atuar
de maneira eficiente quando do surgimento do Sinistro.

Com isso, nenhuma premissa de Princípios de Incêndio e Sinistros deve


ser ignorada e os Procedimentos de Atendimento a Emergência descumprida,
ficando a Empresa responsável pelo cumprimento parcial ou total em suas
dependências.

PLANO DE ATENDIMENTO A EMERGÊNCIA – POSTO SANÇÃO I


Página 17
14. RESPONSSAVEL TECNICO

Engenheiro César Roberto Nascimento Guimarães


Eng.º Mecânico / Ambiental / Segurança do Trabalho.
CONFEA 020983995-3

PLANO DE ATENDIMENTO A EMERGÊNCIA – POSTO SANÇÃO I


Página 18