Você está na página 1de 112

Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul

DCEEng – Departamento de Ciências Exatas e Engenharias

PRÉ - CÁLCULO

Professora: Kelly Pereira Duarte

Nome: _____________________________________________
Data: _______________
Conjuntos Numéricos e Operações Algébricas

Na resolução de algumas situações, alunos de um determinado curso, resolveram as expressões


abaixo. Vamos analisar cada uma delas e verificar a veracidade ou não delas.
a) 2  3  2  10 b) (2  3)  2  10

c)  500  30 d) 1,5  1,25

e) 2  3  7  8 f)  (5  6)  3  4

g)  3x  2  7 h)  ( x  3)   x  3
5
x
3

x2   4
i)  2 x  7 j)
x  2
x9

56 1 2 3
k)  53 8 l)  
2 2 3 5

1 0
m) 0 n) 2
0 2

2
Conjunto dos números reais
A história nos mostra que desde muito tempo o homem sempre teve a preocupação em contar
objetos e ter registros numéricos. Seja através de pedras, ossos, desenhos, dos dedos ou outra forma
qualquer, em que procurava abstrair a natureza por meio de processos de determinação de
quantidades. Essa procura pela abstração da natureza foi fundamental para a evolução, não só, mas
também, dos conjuntos numéricos.

Números reais

Quando se faz referência aos números reais, se está abrangendo todos os números
pertencentes aos conjuntos vistos até então, ou seja, os números reais resultam da união dos números
racionais com os irracionais.

Os números reais formam um conjunto ordenado e completo. Isso significa que, dados dois
números reais, é sempre possível verificar se eles são iguais ou se um é menor ou maior que o outro.
Significa também que, dado um segmento de reta qualquer, existe sempre um número real que
representa a medida de seu comprimento. Dito de outro modo,é possível estabelecer uma
correspondência entre o conjunto dos números reais (R) e o conjunto de pontos de uma reta.
Além de conter as quatro operações fundamentais da matemática (adição, subtração,
multiplicação e divisão), o conjunto dos números reais contém, ainda, as operações de Potenciação e
Radiciação, também muito utilizadas para simplificação em cálculos e representações matemáticas
(fórmulas, modelos, equações, entre outros). Assim, estas duas operações são os conteúdos
abordados a seguir e nos auxiliarão nos conteúdos que ainda estão por vir, durante a disciplina.

3
 Conjunto dos Números Naturais (IN ou N)

 Conjunto dos Números Inteiros (IZ ou Z)

 Conjunto dos Números Racionais (Q)


Exemplos referentes às decimais exatas ou finitas:
1 5 75
 0,5   1,25  3,75
2 4 20

Exemplos referentes às decimais periódicas ou infinitas:


Toda decimal exata ou periódica pode ser representada na forma de número racional.

1 6 7
 0,333...  0,8571428571 42...  1,1666 ...
3 7 6
Veja alguns números racionais colocados na reta:

 Conjunto dos Números Irracionais (I)


Um número irracional bastante conhecido é o número  = 3,1415926535... e o e  2,718281828......
São exemplos de números irracionais:

2  1,4142135... 3  1,7320508...

 Conjunto dos Números Reais (IR ou R)


Dados os conjuntos dos números racionais (Q) e dos irracionais (I), definimos o conjunto dos números reais
como: R  Q  I

 Conjunto dos Números Complexos


A raiz de índice par e radicando negativo é impossível em R, pois, por exemplo, não existe número real que
elevado ao quadrado dê um número negativo. Assim,  4 não é um número real, é um número Complexo,
i  1  i   1
2

Portanto,  4  4.  1  2i . Por exemplo:  7  IR , portanto  7  7 .  1  7 .i

4
Símbolos significantes:

: pertence : existe

: não pertence : não existe


: está contido : para todo (ou qualquer que seja)

: não está contido : conjunto vazio


: contém N: conjunto dos números naturais
: não contém Z : conjunto dos números inteiros
/ : tal que Q: conjunto dos números racionais

: implica que Q'= I: conjunto dos números irracionais

: se, e somente se IR = R: conjunto dos números reais

Símbolos sobre Operações


: A intersecção B a > b: a maior que b

: A união B : a maior ou igual a b


a - b: diferença de a com b :aeb
a < b: a menor que b : a ou b
: a menor ou igual a b

Reta dos Números Reais

Nesta figura, observa-se que todos os números reais estão presentes.

5
Intervalos entre os Números Reais
Intervalos correspondem a segmentos de reta sobre um eixo coordenado.
Intervalo fechado: [a, b] = { x  R / a  x  b}

Intervalo aberto: ]a, b[ = { x  R / a < x < b}

Intervalo fechado à esquerda e aberto à direita: [ a , b [ = { x  R / a  x < b}

Intervalo aberto à esquerda e fechado à direita: ] a , b ] = { x  R / a < x  b }

Intervalos indicados pelo símbolo  :


[a,+[ = {xR/ x  a}

]a,+[ = {xR/x > a}

]- , a ] = { x  R / x  a }

]- , a [ = { x  R / x < a }

Desigualdades

Os Números Reais podem ser ordenados por tamanho, por exemplo, se b – a for um número positivo,
então é possível afirmar que b > a (b é maior do que a), da mesma forma afirma-se que a < b (a é menor do
que b). Quando escrevemos que a ≥ b, significa que ou a > b e ou a = b. Escrevendo que a < b < c, significa
que a < b, b < c e a < c.
Outras desigualdades notáveis:
a ≤ b <c a≥b≥c a>b≥c a>b>c

Se denotarmos como “sentido” a direção de uma desigualdade, então teremos as seguintes propriedades:

1) O sentido de uma desigualdade não muda se somarmos ou subtrairmos o mesmo número em ambos os
lados.
Exemplo: a<b

+(3) 1 < 2 +(3)

4<5
2) O sentido de uma desigualdade não muda se multiplicarmos ambos os lados por um mesmo número
positivo, mas o sentido é revertido se ambos os lados forem multiplicados por um mesmo número
negativo.
Exemplo a>b
4>3
 4>3 .(+2)
8 > 6
 4>3 .(-2)
-8 < -6 6
Exemplo 1: Represente os intervalos indicados:

a) x  1 b)  5  x  3

c) x  0,5 d) 2,8  x  4

e)  3  x  2

Exemplo 2: Indique os intervalos representados abaixo:

7
Potenciação e Radiciação

Verifique a veracidade das funções:


a) 23  6 b) 16  9  5

5  3 5  2 5 d)  x  2   x 2  4
2
c)

e)  32  9 f) (3) 2  9

g) (2 2 ) 3  28 (2 2 ) 3  2 5 (2 2 ) 3  2 6

1
h) (3a) 4  3a 4 i) 3 x 1 
3x

5 5
1 1  1 1
j) (3 x )  j)     
3x  2 2

m) 4.5  4. 5  2 5 n) 5
215  2 3

8
o) 9 x 2  3x p) ( x  2).( x  3)  x 2  6

q) (4,5)0 = 0 r) (4,5)0 = 1

s) 22  4  4 2  2

3
t)
√5

3
u) 2−√5

√2−1
v) 3+√2

9
Propriedades da Potenciação

1ª - Produto de potências de mesma base: (am . an )= am+n 25 . 27 = 212


2ª - Quociente de potências de mesma base: (am: an) = am – n 27 : 25 = 22
3ª - Potência de uma potência: (am)n = am.n (27 )2 = 214
4ª - Potência de um produto (a . b)m = am . bm (3 ∙ 5 ∙ 7)3 = 33 ∙ 53 ∙ 73
5ª - Potência de um quociente (a : b)m = am : bm (2 ÷ 4 ÷ 5)3 = 23 ÷ 43 ÷ 53

Potência de um Expoente Fracionário - Radiciação


𝑚 𝑛
𝑎 𝑛 = √𝑎𝑚 (𝑛 ≠ 0)

onde 𝑛 é o índice da raiz, 𝑎𝑚 é o radicando.


3
7
Exemplo: 67 = √63

Propriedades da Radiciação

1. x
(a ) x  a

2.
x
ab  x a x b
x
a a
3. x  x
b b
xp x p
4. x a y  a yp ou x
ay  a y p

EXERCÍCIOS - LISTA 01

10
Problemas Investigativos sobre Monômios e Polinômios

1. Supondo que a unidade é o metro, represente as expressões que permitam determinar os


comprimentos dos tubos A, B e C.

2. Na figura abaixo, os lotes A, B e C têm áreas iguais. Dê um polinômio que expresse a área de cada
um deles.

3. A área da figura ao lado é representada por:


a) ( ) x2 + 8x
b) ( ) x2 + 16
c) ( ) x + 8x2
d) ( ) (x + 2)(x + 2)
e) ( ) 2x(x + 2)

11
4. Considerando o retângulo a seguir calcule:

a) O Perímetro:

b) A área:

POLINÔMIOS
Definição
Um polinômio na variável real x é uma expressão composta da soma de produtos de
constantes por potências inteiras positivas de x e sempre pode ser escrito na forma:

P(x)  an x n  an1 x n1  ...  a2 x 2  a1 x  a0 ,


onde nN, ai , são números reais chamados coeficientes e as parcelas aix i são os termos do
polinômio, onde i  0,1,...,n . Cada termo é denominado monômio.

Exemplo
São polinômios: P(x)  5x 4  3 x 3  x  5 ; Q( x)  7 x   ; R( x)  4 x 2  4 x  1
Não são polinômios: P1 ( x)  4 x 2
 4 x  1 ; P2 ( x)  4 x 3  4 x 2  1

O Polinômio é uma expressão algébrica de dois ou mais termos. Como exemplos de polinômios temos:
a) 2x2 (monômio)
b) 7𝑥 − 1 (binômio)
c) 8𝑥 2 − 4𝑥 + 5 (trinômio)
d) 𝑥 3 + 𝑥 2 − 5𝑥 + 4 (polinômio)
5 3 2
e) 4𝑥 − 2𝑥 + 8𝑥 − 𝑥 + 7 (polinômio)

Observação: Acima de três termos, não há nome particular, sendo chamado apenas polinômio.

12
Grau

Dado P(x)  an x n  an1 x n1  ...  a2 x 2  a1 x  a0 , não nulo com an  0 , o grau do polinômio
corresponde a mais alta potência de x. Por exemplo, grau do polinômio P(x)  5x 4  3 x 3  x  5 é
quatro.

Operações

Adição e subtração de polinômios


Nestas operações soma-se ou subtraem-se os coeficientes dos termos de mesmo grau.
Exemplos
Dados P(x)  3x 3  2x 2  7 e Q(x)  3x 4  7x 3  2x  1
a) P(x)  Q(x)  3x 3  2x 2  7  3x 4  7x 3  2x  1 

b) P(x)  Q (x)  3x 3  2x 2  7  3x 4  7x 3  2x  1 

Multiplicação de polinômios
A multiplicação de polinômios é feita pela propriedade distributiva.
Exemplo
Dados P( x)  3x 3  2 x 2 e Q( x)  7 x 3  2 x  1 , realizar a multiplicação de P(x) por Q(x).

Divisão de polinômios
A divisão de D(x) (dividendo) por d(x) (divisor, não nulo) significa determinar polinômios
q(x) (quociente) e r(x) (resto), tais que:
D(x)  d(x)  q(x)  r(x) onde o grau de r(x) < d(x), ou r(x) = 0.

Exemplo
1. Dados D(x)  x 2  4x  4 e d(x)  x  2 , realizar a divisão de D(x) por d(x).

Para verificarmos se a solução está correta utilizamos a definição:


D(x)  d(x)  q(x)  r(x)

13
2. Dados D(x)  3x 4  7x 3  2x  1 e d(x)  3x 3  2x 2  7 , realizar a divisão de D(x) por d(x).

Para verificarmos se a solução está correta utilizamos a definição:


D(x)  d(x)  q(x)  r(x)

Equações polinomiais

Uma equação polinomial é uma igualdade de polinômios e pode ser escrita na forma
P(x)  anx n  an1x n1  ...  a2 x 2  a1 x  a0  0

Chama-se raiz da equação todo número que, substituído no lugar de x, torna a sentença verdadeira,
isto é, se P()  0 então  é raiz da equação e P(x) é divisível por (x  ) .

Chama-se conjunto solução o conjunto de todas as raízes da equação. Resolver uma equação
polinomial é determinar o seu conjunto solução.

Observações
 Para encontrar as raízes de polinômios de grau 1, utilizamos:
b
ax  b  0  x  
a

 Para encontrar as raízes de polinômios de grau 2, utilizamos a fórmula de Báskara:


 b  b2  4ac
ax 2  bx  a  0  x 
2a

 Para encontrar as raízes de polinômios de grau maior que 2, utilizamos o dispositivo de Briot-
Ruffini.

14
Determinação do método Ruffini
Seja f(x) = ax3 + bx2 + cx +d, escreve-se esquematicamente

A B c d
xo A axo xok1 xok2
A b+axo = k1 c+xok1 = k2 d + xok2

Se d + xok2 = 0 então xo é uma raiz de f(x). E os coeficientes restantes formarão uma função
do segundo grau.

Exemplo
Seja f(x) = x3 – 7x2 + 16x –10. Determine as raízes.
Soma (+)

1 -7 16 -10
1 1 1 -6 10
1 -6 10 0

Multiplica (x)

Como f(1) = 0, então 1 é uma das raízes de f(x).


As outras duas são raízes da equação x2 – 6x +10 = 0

Exemplos
1. Determine as raízes reais das equações abaixo:
a) x  5  0

b) 3 x  18  0 e) x 3  x 2  2 x  0

c) 5 x  6  2 x  5

d) x 2  x  2  0

15
2. Determine o valor de r no polinômio P(x)  x 3  4x 2  rx  3 , sabendo-se que x  2 é
raiz.

Fatoração Algébrica

Fatorar um polinômio, quando possível, significa escrever esse polinômio como uma
multiplicação de dois ou mais polinômios.

 Forma fatorada de polinômio de grau n

y  a( x  x' )( x  x' ' )...( x  x n )

Onde, x’, x’’e xn são as raízes.

 Fator Comum:
Coloca-se em evidência a variável que consta em todos os termos com o menor

expoente e, o máximo divisor comum dos termos.

1) 2ab + 4ab2 –16ab3 2) 3x5 + 12x4 + 21x2 + 6x

 Fatoração por agrupamento:


1) ) ax + a + b2 + b2x 2) ax – mx + ay – my

 Diferença de dois quadrados perfeitos: x2 – y2 = (x + y).(x – y)

1) x2 – 9 = 2) x4 – y2 =

 Trinômio Quadrado Perfeito: a2 +2ab+ b2 = (a + b)2 ou a2 -2ab+ b2 = (a - b)2


OBS: Sempre testar se realmente é um trinômio quadrado perfeito.

16
(2.a.b = 2o termo do trinômio)
1) 4x2 + 20x + 25 = 2) a2 –8ab+ 16b2 =

 Trinômio do 2° Grau:
Supondo x1 e x2 raízes reais do trinômio, temos: ax2 + bx + c = a (x - x1)(x - x2), a ≠ 0.
1) x2 – 3x + 2 = 2) 2x2 - 6x + 4 =

 Soma de Dois Cubos: a3 + b3 = (a + b) (a2 − ab + b2)


A expressão a3+ b3 representa a soma de dois cubos. Sua forma fatorada é: (a + b) (a2- ab + b2)
1) x3 + 27 =

 Diferença de Dois Cubos: a3 − b3 = (a − b) (a2 + ab + b2)


A expressão a3 - b3 representa a diferença de dois cubos. Sua forma fatorada é: (a - b) (a2 + ab +
b2)
1) x3 - 27 =

Completar Quadrados
O processo de completar quadrados tem base nas relações a  b 2 e a  b 2 ,
realizando uma comparação direta entre os termos.

Exemplos
a) x 2  6x b) x 2  4x  2

Exemplos de simplificações:
5x
a) 2
x  4x

17
x2  9
b)
x3

x 2  2x  3 3x 2  8 x  16
c) d)
2x  6 x3

x 2  2x  1
e)
x 4  4x  3

x 3  3x 2  x  3
f)
x3  x 2  2

Outros exemplos:
x 2  4x  3
g)
x3

3x 4  7 x 2  2 x  1
h)
x

EXERCÍCIOS - LISTA 02

18
Tópicos de Trigonometria
Razões Trigonométricas no Triângulo Retângulo
Hipotenusa  AB = c
Catetos  AC = b (cateto adjacente a α)
BC = a (cateto oposto a α)
Teorema de Pitágoras:
c² = a² + b²

Portanto:
cateto oposto a  cateto adjacente a  cateto oposto a 
sen  cos   tg  
hipotenusa hipotenusa cateto adjacente a 

Aplicações de Razões Trigonométricas no Triângulo Retângulo

1) Uma pessoa encontra-se num ponto A, localizado na base de um prédio, conforme mostra a figura
adiante. Se ela caminhar 90 metros em linha reta, chegará a um ponto B, de onde poderá ver o topo C do
prédio, sob um ângulo de 60°. Quantos metros ela deverá se afastar do ponto A, andando em linha reta no
sentido de A para B, para que possa enxergar o topo do prédio sob um ângulo de 30°?
a) 150
b) 180
c) 270
d) 300
e) 310

2) Um barco parte de A para atravessar o rio. A direção de seu deslocamento forma um ângulo de 120°
com a margem do rio. Sendo a largura do rio 60 m, a distância,
em metros, percorrida pelo barco foi de

a) 40 2
b) 40 3
c) 45 3
d) 50 3
e) 60 2
3) Uma empresa de engenharia deve construir uma ponte unindo duas montanhas, para dar continuidade a
uma estrada. O engenheiro tomou como referência uma árvore, conforme figura abaixo. Qual será o
comprimento da ponte? (Usando todas as casas decimais da calculadora)

R: 44,8 m

19
Círculo Trigonométrico - Quadrantes

Sinais e valores das funções Seno, Cosseno e Tangente nos quadrantes

Razões Trigonométricas
A partir das relações anteriormente trabalhadas surgem as relações trigonométricas.
Dentre muitas, algumas estão destacadas abaixo.
senx cos x
1)tgx  ; cos x  0 2) cot gx  ; senx  0
cos x senx
1 1
3) sec x  ; cos x  0 4) cos sec x  ; senx  0
cos x senx

20
1 1
5) tgx  ou cot gx  6) 1  tg 2 x  sec 2 x
cot gx tgx

7) 1  cot g 2 x  cos sec 2 x


Redução para o primeiro quadrante

Relação Trigonométrica Fundamental


1) sen 2 x  cos 2 x  1 (Teorema de Pitágoras)

Exemplos resolvidos:
√2
1) Utilizando a redução do ângulo para o primeiro quadrante, calcule sen (1350). R: 2

2
2) Se sen (x) =  e 180o < x < 270o. O valor de cos (x) é: R: d
3
5 5 5 5
a) 1 b) c) d)  e) 
9 3 3 9

3
3) Dado cos(x)  , sendo x um ângulo do 1º quadrante, obtenha os seguintes valores:
2
a) sen(x) b) tg (x) c) 3 sen(x)  2 cos(x)

1 3 32 3
R: a) sen(x)  b) tg(x)  c)
2 3 2

21

4) Sendo tg ( x)   2 , e que < x <  . O valor de cosseno de x é: R: e
2
6 6 3 3
a) 3 b)  c) d) e) 
3 3 3 3

EXERCÍCIOS - LISTA 03

Relações Trigonométricas em um triângulo qualquer - Lei do cossenos e Lei dos senos

Os problemas envolvendo trigonometria são resolvidos através da comparação


com triângulos retângulos. Mas no cotidiano geralmente não encontramos tamanha
facilidade, algumas situações envolvem triângulos acutângulos (𝜃 < 90𝑜 ) ou triângulos
obtusângulos (𝜃 > 90𝑜 ). Nesses casos necessitamos do auxílio da lei dos senos ou dos
cossenos.

22
Lei dos Senos: A lei dos senos estabelece relações entre as medidas dos
lados com os senos dos ângulos opostos aos lados.

a b c
Então, temos:    2 R em que R é o
sen sen sen
raio da circunferência circunscrita ao triângulo.

Exemplo: Determine o valor de x no triângulo: (dois ângulos e um lado)


R: 122,5m

𝒂 𝒃
=
𝒔𝒆𝒏 𝜶 𝒔𝒆𝒏𝜷

Lei dos Cossenos: Para determinarmos valores de medidas de ângulos e


medidas de lados utilizamos a lei dos cossenos, que é expressa pela seguinte lei de
formação:

a 2  b 2  c 2  2.b.c. cos( A)
b 2  a 2  c 2  2.a.c. cos( B)
c 2  a 2  b 2  2.a.b. cos(C )

Exemplo: Determine o valor do segmento x no triângulo: (dois lados e um ângulo) R: 8


cm

c 2  a 2  b 2  2.a.b. cos(C )

23
RAZÃO E PROPORÇÃO
Razão entre grandezas: Chama-se razão o quociente entre dois números ou duas
grandezas. Muitos conceitos importantes são expressos por razões, como por exemplo:
a) Densidade demográfica: razão entre o número de habitantes de uma região e a área
habitantes
dessa região. Densidade demográfica 
área
b) Densidade de um corpo: razão entre a massa de um corpo e o seu volume.
massa
Densidade 
volume
c) Velocidade média: razão entre a distância percorrida por um objeto e o tempo gasto
distância
para percorrê-la. Velocidade média 
tempo
d) Escala: razão entre a medida de um comprimento no desenho e a medida
correspondente ao comprimento real.
medida do compriment o no desenho
Escala 
medida do compriment o real

PROPORÇÃO
Em certas situações práticas do cotidiano, somos levados a ter de escolher entre
duas ofertas, verificando qual é a mais econômica. Por exemplo, na compra de 2 tubos
de shampoo, um com 300ml custa R$ 6,50 o outro com 1litro custa R$ 16,50. Como
vemos o tubo de 1litro (1000 ml) é o mais caro. Porém este fato pode não ser suficiente
para avaliar qual é a melhor compra.
O que estamos tentando fazer neste caso é comparar o preço dos shampoos.
Entretanto, tal comparação não pode ser feita diretamente, porque as quantidades são
diferentes. Para resolver esta questão podemos recorrer à definição de proporção.

Definição de proporção
Denomina-se proporção a uma igualdade entre duas razões, ou seja:
a c
 ou de modo semelhante a : b  c : d
b d
Termos de uma proporção
a c
Em uma proporção nomeamos os quatro elementos como: 
b d
a e d  extremos e b e c  meios
1 4
Exemplo:  ou 1:2 = 4:8 onde 2 e 4 são os meios; 1 e 8 são os extremos
2 8
Observamos que temos uma proporção, pois a razão entre os valores 1 e 2 é 0,5,
da mesma forma que a razão entre 4 e 8 é também 0,5. Como temos então duas razões
iguais, dizemos que os valores 1, 2, 4 e 8 (nessa ordem) formam uma proporção. Além
disso, este valor 0,5 recebe o nome de coeficiente de proporcionalidade.

24
Propriedade fundamental das proporções
Em toda a proporção, o produto dos meios é igual ao produto dos extremos, ou seja:
a c
 então bcad
b d
x 24
Exemplo: Calcule o valor de x para que se tenha uma proporção:  .
7 8
Solução. Utilizando a propriedade fundamental das proporções podemos
escrever:
x 24 168
  x  8  24  7  8 x  168  x   x  21
7 8 8
No caso desse exemplo, observamos que o valor de cada uma das razões que
constituem a proporção é 3. Neste caso então o coeficiente de proporcionalidade é 3.

Grandezas Proporcionais
Definições
 Duas grandezas são diretamente proporcionais, quando o aumento/diminuição de uma
implica no aumento/diminuição da outra.
 Duas grandezas são inversamente proporcionais, quando o aumento/diminuição de
uma implica na diminuição/aumento da outra.

Exemplos
1) Considere a situação a seguir:
Um carro a 60 km/h leva 1 hora para percorrer uma determinada distância.
 Se o carro andar a 30 km/h levará mais tempo para percorrer a respectiva distância
(mais especificamente levará 2 horas). Portanto o diminuir da grandeza “km/h”,
implicou no aumento do valor da grandeza “número de horas”.

 Se o carro andar a 120 km/h, levará menos tempo para percorrer a respectiva distância
(mais especificamente levará ½ hora). Portanto o aumento da grandeza “km/h”
implicou no diminuir do valor da grandeza “número de horas”.

Assim, ambas as situações exemplificam duas grandezas que são inversamente


proporcionais.

O Teorema de Tales foi proposto pelo filósofo grego Tales de Mileto, e afirma que quando
duas retas transversais cortam um feixe de retas paralelas, as medidas dos segmentos delimitados pelas
transversais são proporcionais. Para a resolução de um problema envolvendo o Teorema de Tales,
utiliza-se a propriedade fundamental da proporção, o produto dos meios é igual o produto dos

extremos.

25
2) Nos triângulos abaixo, determine a medida x indicada.

Regra de Três

São utilizadas quando temos a relação de dados que guardam, entre si, razão de
proporcionalidade. Podem ser regras de três simples, quando há apenas duas grandezas, ou compostas,
quando há mais de duas grandezas envolvidas no problema.
Na regra de três é definido os termos de ‘direta ou inversa’, dependendo do tipo de relação que
existe entre as grandezas envolvidas no processo do problema.
Passos utilizados em uma regra de três simples
 Construir uma tabela, agrupando as grandezas da mesma espécie em colunas e mantendo na
mesma linha as grandezas de espécies diferentes em correspondência.
 Identificar se as grandezas são diretamente ou inversamente proporcionais.
 Montar a proporção e resolver a equação.

Regra de Três Simples

REGRA DE TRÊS SIMPLES DIRETA: nesta modalidade, é envolvida duas grandezas diretamente
proporcionais, ou seja, quando a variação de uma delas corresponde à mesma variação da outra grandeza
dada no problema a ser resolvido.
Exemplo:
1) Se 8m de tecido custam 156 reais, qual o preço de 12 m do mesmo tecido?

Observe que as grandezas são diretamente proporcionais, aumentando o metro do tecido aumenta na
mesma proporção o preço a ser pago.

Observe que o exercício foi montado respeitando o sentido das setas.


A quantia a ser paga é de R$234,00.

26
REGRA DE TRÊS SIMPLES INVERSA: nesta modalidade, SÃO envolvida duas grandezas
inversamente proporcionais, ou seja, quando há variação de uma delas a outra varia, porém de forma
contrária, mas na mesma proporção.

Exemplo:
1) Um carro, à velocidade de 60km/h, faz certo percurso em 4 horas. Se a velocidade do carro fosse de
80km/h, em quantas horas seria feito o mesmo percurso?

Observe que as grandezas são inversamente proporcionais, aumentando a velocidade o tempo diminui na
razão inversa.
Resolução:

O tempo a ser gasto é 3 horas.


Observe que o exercício foi montado respeitando os sentidos das setas.

Regra de três composta


É aquela que para resolução de seus problemas, envolve três ou mais grandezas, sendo estas
diretamente ou inversamente proporcionais.
Exemplo:

1) Em 8 horas, 20 caminhões descarregam 160m3 de areia. Em 5 horas, quantos caminhões serão


necessários para descarregar 125m3?

Solução: 1º) Montamos a tabela, colocando em cada coluna as grandezas de mesma espécie e, em cada
linha, as grandezas de espécies diferentes que se correspondem.

Horas Caminhões Volume


8 20 160
5 X 125

2º) Identificamos os tipos de relação:

- Inicialmente colocamos uma seta para cima na coluna que contém o x (2ª coluna).

- A seguir, devemos comparar cada grandeza com aquela onde está o x.

Observe que:
* Aumentando o número de caminhões, podemos diminuir o número de horas. Portanto a relação é
inversamente proporcional (seta para baixo na 1ª coluna).

* Aumentando o número de caminhões, devemos aumentar o volume de areia. Portanto a relação é


diretamente proporcional (seta para cima na 3ª coluna).

- Devemos igualar a razão que contém o termo x com o produto das outras razões de acordo com o
sentido das setas.

27
Montando a proporção e resolvendo a equação teremos:

Logo, serão necessários 25 caminhões.

EXERCÍCIOS - LISTA 04

FUNÇÕES

Situações-problema podem envolver diversas variáveis. As funções são instrumentos para


estudar as relações, correspondências ou possíveis associações entre essas variáveis. As funções muitas
vezes são modelos matemáticos que representam e simplificam situações reais.
Muitas leis científicas e princípios de Engenharia descrevem como uma quantidade depende da
outra. Em 1673, essa ideia foi formalizada por Leibniz, que cunhou o termo função para indicar a
dependência de uma quantidade em relação à outra.

Exemplos

1) A área de um círculo depende de seu raio. A lei que relaciona r e A é dada pela equação A   r
2

. A cada número r positivo existe associado um único valor de A e dizemos que A e função de r.

2) A população humana mundial P depende do tempo t. Por exemplo, P(2000) = 6 080 000 000.
Para cada valor do tempo t, existe um valor de P correspondente e dizemos que P é função de t.

3) O custo C de enviar uma carta pelo correio depende de seu peso w. Embora não haja uma
fórmula simples relacionando w e C, o correio tem uma fórmula que permite calcular C quando é
dado w.

4) O custo para colocar 20 litros de combustível em um carro depende do preço desse produto.

28
5) Um fabricante gostaria de saber como o lucro de sua companhia está relacionada com seu nível
de produção;

6) A área de um quadrado depende de seu lado.

7) O preço total pago pela gasolina posta em um automóvel depende do número de litros
comprados. Se o custo de um litro de gasolina for de R$ 3,10 reais. Ao abastecer 10 litros, 20
litros, 30 litros, qual é o valor pago?

- Quais são as variáveis? De que forma elas se relacionam?

Definição: Uma função expressa o relacionamento entre duas variáveis. Se duas variáveis “x” e “y” estão
relacionadas de forma que “para cada valor atribuído a “x”, existe um único valor associado a “y”, então
dizemos que “y” é uma função de “x” e escrevemos y = f(x).

x f(x)
y = f(x)
Variável independente a f(a)
Variável dependente
Domínio: é o conjunto de todos os valores que se pode atribuir a variável x A f
B
de modo que exista a variável y.

Contradomínio: é o conjunto que contém os valores da variável y.

Imagem: são os valores da variável “y”, obtidos quando na lei da função substituímos os valores da
variável “x”.

Esquematicamente:
y=x+1

2
assim: 1

a) Domínio = {1, 2} 3
2
b) Contradomínio = {2, 3, 5}
c) Imagem = {2, 3} 5

29
Teste da vertical: Uma curva no plano xOy é o gráfico de uma função de x se, e somente se
nenhuma reta vertical cortar a curva mais de uma vez.

Domínio

Lembretes:

“Podemos pensar numa função f como uma máquina. O domínio é o conjunto de dados de
entrada (matéria prima para a máquina), a regra descreve como esses dados devem ser
processados, e os valores da função são os dados de saída da máquina.”

Determinação de domínios de funções algébricas:


Exemplos:
Determine o domínio das funções abaixo:
1) f ( x )  x  5

Solução. D = R, pois substituindo x por qualquer número real obteremos para f(x) um valor real.

3 x
2) f ( x ) 
x 5
Solução. D = {x  R / x  5}, porque a operação divisão só é possível se o denominador não for
3 x
nulo. Assim a expressão só tem sentido se x – 5  0, ou seja, se x  5.
x 5

3) f ( x )  x  1

Solução. D = {x  R / x  -1}, porque a operação radiciação, com índice par, só é possível se o

radicando for positivo. Assim, a expressão x  1 somente tem sentido se x + 1  0, ou seja,


se x  1 .

x2
4) f ( x ) 
x 3
Solução. D = {x  R / x > 3}, porque o denominador não pode ser nulo e o radicando não pode
x2
ser negativo. Assim, a expressão somente tem sentido se x  3 > 0, ou seja se x> 3.
x 3

30
5) f ( x )  3 x  5
Solução. D = R, pois a operação radiciação, com índice ímpar, é sempre possível em R.

x2
6) f (x)  5
x2
Solução. D = {x  R / x  -2}, pois a operação divisão só é possível se o denominador não for
nulo.

 2 
7) f  x  3x  2   x  4  D f   x  |  x  4
 3 

Gráfico: O gráfico de f consiste em todos os pontos (x, y) do plano coordenado xOy tais que y
= f(x) e x está no domínio de f. O gráfico de uma função f nos dá uma imagem útil do
comportamento de uma função e, também nos permite visualizar o domínio sobre o eixo x
(abscissas) e a imagem sobre o eixo y (ordenadas). Uma vez que a coordenada y de qualquer
ponto (x, y) sobre o gráfico é y = f(x).
OBS: O gráfico de uma função nos dá uma
imagem proveitosa do comportamento ou dá
a “história de vida” de uma função. Podemos
também entender o valor f(x) como sendo a
altura do ponto no gráfico acima de x. E, o
gráfico nos permite visualizar o domínio
sobre o eixo x e a variação sobre o eixo y,
como na figura acima.

Identificação pelo gráfico do domínio e imagem de uma função


Considere a função representada pelo gráfico abaixo:

O domínio é o conjunto das abscissas x dos


pontos do gráfico.

Na figura temos:
D f    x  / 1  x  4
A imagem é o conjunto das ordenadas y dos
Imagem
pontos do gráfico. Na figura, temos:

Im f   y  / 1  y  2

Domínio

31
Zeros de uma função: Os valores de x para os quais f x   0 chamam-se zeros ou raízes de

uma função. Matematicamente x é zero de


y  fx   fx   0 .

Geometricamente os zeros de uma função são as abscissas dos pontos onde o gráfico
intercepta o eixo dos x.
No gráfico, temos:
A1, 0  e B5, 0  ou
f 1  0 e f 5  0
Logo, os números 1 e 5 são os zeros (raízes) da função.

Sinal de uma função: Para estudar o sinal de uma função temos que verificar para que
valores de x temos:

f x   0, f x   0 ou f x   0 .

Quando a função esta representada no plano cartesiano, basta examinar se é positiva, nula ou
negativa a ordenada de cada ponto da curva.

Função crescente e função decrescente: Sendo x1 e x2 elementos quaisquer de um conjunto


A  Df  , com x 1  x 2 , diz-se que a função é crescente em A se f x 1   f x 2  e
decrescente se f x 1   f x 2  .

Considere a função y = f(x) definida pelo gráfico.

y Observe que no intervalo A, aumentando o valor de


x, aumenta também o valor de y. Dizemos então que
crescente decrescente a função é crescente no intervalo A.

No intervalo B, aumentando o valor de x, o valor de

A B x y diminui. Dizemos então que a função é


decrescente no intervalo B.

32
Modos de descrever uma função.
1) Verbalmente: através de palavras.
1) Analiticamente: através de uma lei (Fórmula).
2) Geometricamente: através de um gráfico.
3) Numericamente: através de uma tabela de valores
A partir da equação (fórmula) de uma função é sempre possível obter uma tabela e o
respectivo gráfico, entretanto nem sempre é possível encontrar a equação de uma função a
partir de um conjunto de dados ou de um gráfico; fazer isso significa formular um modelo
matemático. Tais modelos podem também ser obtidos a partir da análise do fenômeno,
devendo a equação obtida corresponder aos dados experimentais. A partir da formulação de
um modelo matemático há uma melhor compreensão da relação entre variáveis, podendo-se
até fazer predições acerca do fenômeno.

Exemplo - Variação da população


Estima-se que daqui a t anos um certo bairro terá uma
6
população de P(t) = 20  mil habitante.
(t  1)
a) Qual será a população do bairro daqui a 9 anos?

b) Qual será a população do bairro daqui a 20 anos?

c) O que acontece com P(t) para grandes valores de t?


Interprete o resultado. (limite da função)

Exemplos RESOLVIDOS

1) Determine o domínio e o conjunto imagem da função f(x)


cujo gráfico é dado a seguir:
D:............................................
Im:...............................................

2) Observe o gráfico ao lado e responda:

a) Quando o x é zero qual é o valor do y?

33
b) Qual é o valor da imagem de f quando x = 1?

c) Determine o domínio da função expressa pelo gráfico.

d) Determine o intervalo dos valores de x onde a função é constante. Ou seja, quais são os
valores de x para que f(x) = -2.

e) Determine f (3)

f) O par ordenado (-1, 2) é um par domínio/imagem?

g) Determine o intervalo dos valores de x onde a imagem é negativa, ou seja, f(x) < 0.

CLASSIFICAÇÃO DAS FUNÇÕES


As funções apresentam comportamentos gráficos chamados de “gráficos padrão”,
aos quais podemos associar grupos de leis de funções. Este entendimento nos auxilia na
análise mais rápida do comportamento gráfico de uma função.
Classificação das funções

   Inteiras(*)
  
  Racionais 
  
   Fracionárias
 
 A lg ébricas Irracionai s
 
 
 
 
 
 


 
  Exponenciais
 
 
 
Transcendentes  Logarítmicas
 
 
 Trigonométricas diretas e inversas
  Hiperbólicas diretas e inversas
 
 

(*)Funções algébricas racionais inteiras:

34
Funções polinomiais f ( x)  a n x n  a n 1 x n 1    a o em que n é um inteiro não-negativo
e ao, a1, a2, ..... são números dados. Alguns exemplos de funções polinomiais são

f(x) = 3x + 4 y = 2x2 -3x + 4 f(x) = 5x 3 –3x2 – 2x + 4 g(x) = x4 – x


+ 1.

Naturalmente, funções lineares e quadráticas são casos especiais de funções


polinomiais. O domínio de uma função polinomial consiste de todos os números reais.

Função Polinomial do 1º Grau (Função Linear ou Função Afim)

Situação problema: Uma determinada companhia de água cobra dos seus clientes uma taxa
fixa de R$ 12, 98 reais e R$ 2,74 reais por m 3 de água consumida. Esta situação pode ser
descrita numa lei matemática, ou seja, uma função.

Onde, x = m3 C(m3) = C(x) C(m 3) = 2,74.m3 + 12,98 ou C(x) = 2,74.x + 12,98

Custo de uma conta de água x C(x)=2,74x+12,98


80
70 0 12.98
60 5 26.68
50
10 40.38
Reais

40

30
15 54.08
20 20 67.78
10

0
0 5 10 15 20 25
3
m

Definição: Uma função f de  em  recebe o nome de Função Linear, definida pela lei:

𝑓(𝑥) = 𝑎𝑥 + 𝑏 𝑜𝑢 𝑦 = 𝑎𝑥 + 𝑏

Com a e b pertencentes a , a  0 .

a coeficiente angular ou declive da reta


Os coeficientes de y  ax  b  
b  coeficiente linear da reta

35
Exemplos

a) f x    x  1 a= b=

3
a) f x   2x  a= b=
5
x 2
b) y  a= b=
3
c) f x  3x a= b=

Raiz ou zero da função: é todo o número x cuja imagem é nula, isto é, f(x) = 0. Assim, para
determinarmos o zero da função, basta resolver a equação do 1º grau:
b
ax + b = 0, que apresenta uma única solução x
a
O zero ou a raiz da função representa o ponto de interseção do gráfico com o eixo x, isto é,

b 
P , 0 .
 a 
Exemplo:
5
1. O zero da função 𝑓(𝑥) = 2𝑥 + 5 é 𝑥 = −2

2. O zero da função 𝑓(𝑥) = 2𝑥 − 4 é 𝑥=2

Declividade (coeficiente angular)


A direção de uma reta é determinada pela sua declividade, que é definida em termos
do ângulo entre a reta e o eixo x
y 2  y 1 y
a  tg   
x 2  x 1 x
então podemos escrever:

y  y1  a (x  x1 )  Equação Geral da Reta

Precisa-se de dois pontos da reta para obter o coeficiente angular a.

Gráfico
O gráfico da função fx   ax  b é uma reta não paralela nem ao eixo x nem ao eixo

y. Seu domínio é Df    e sua imagem é Imf    .

36
Exemplos:

1. Considere a função 𝑓(𝑥) = 5𝑥 − 3.


a) Construa o gráfico da função f(x);
b) Em que ponto o gráfico de f intersecta o eixo x?
c) Em que ponto o gráfico de f intersecta o eixo y?
d) f é uma função crescente ou decrescente?
MACETE

2. Sabe-se que o preço a ser pago por uma corrida de táxi inclui uma parcela fixa, que é
denominada bandeirada, e uma parcela variável, que é em função da distância percorrida.
Se o preço da bandeirada é de R$ 4,60 e o quilômetro rodado é R$ 0,96, a distância
percorrida pelo passageiro que pagou R$ 19,00 para ir de sua casa ao shopping.
R: 15 km

3. Determine a equação da reta que passa pelo ponto (-2, 1) e cujo coeficiente angular é 4.
R: y= 4x + 9

4. O custo C de produção de x litros de uma substância é dado por uma função de x, com x  0,
cujo gráfico está representado ao lado.
Determine:
a) Encontre a função que gera o custo desta produção.

b) O custo para produzir 30 litros da substância.

c) O custo de R$ 340,00 corresponde à produção de quantos litros?

37
5. A reta no gráfico representa a função tal que f(x) = mx + n. Então pode-se afirmar que:

a) m > 0 e n < 0

b) m > 0 e n > 0

c) m =0 e n < 0

d) m < 0 e n > 0

e) m > 0 e n = 0

6. Observe os gráficos a seguir e aponte qual coeficiente foi alterado. f(x) = ax + b

38
Função Polinomial do 2º Grau (Função Quadrática)

Definição: Uma função f de  em  recebe o nome de função quadrática, definida pela lei:

𝑓(𝑥) = 𝑎𝑥² + 𝑏𝑥 + 𝑐
Com a, b, c reais e a  0 .

Exemplos

a) f x   x 2  4x  3 a= b= c=

b) y  9  x2 a= b= c=

c) f x   x
2
a= b= c=

x2 2
d) f x     4x  a= b= c=
3 5

Zeros (ou raízes)

Denominam-se zeros ou raízes de uma função de 2º grau os valores de x que anulam


a função, ou seja, que tornam f x   0 .

Assim, para determinar os zeros ou raízes de uma função do 2º grau devemos resolver

a equação do 2º grau ax  bx  c  0 , que é resolvida através da Fórmula de Bhaskara:


2

b  
x , onde   b 2  4ac é chamado discriminante da equação.
2a

se   0 : a função f x   ax 2  bx  c tem duas raízes reais distintas (𝑥1 e 𝑥2 )

se   0 : a função f x   ax 2  bx  c tem duas raízes reais iguais (𝑥1 = 𝑥2 )

se   0 : a função f x   ax 2  bx  c não tem raízes reais;

Soma e Produto das Raízes

Sendo 𝑥1 e 𝑥2 as raízes da equação do 2ºgrau, tem-se:

39
Exemplos (Gráfico)

Resolva as raízes das seguintes funções em IR:

a) 𝑥 2 − 3𝑥 + 5 = 0

b) 2𝑥² − 4𝑥 + 2 = 0

c) 𝑥² − 9 = 0

d) 𝑥² − 2𝑥 = 0

Gráficos da Função Quadrática

O gráfico de uma função do 2º grau é uma curva aberta chamada parábola. A parábola
poderá ter concavidade voltada para cima ou para baixo.

 se a  0 , a concavidade é voltada para cima.


 se a  0 , a concavidade é voltada para baixo.

Gráficos para a  0,   0,   0 e   0, respectivamente.

Gráficos para a  0,   0,   0 e   0, respectivamente.

40
OBS: Interpretando as raízes geometricamente, dizemos que os zeros da função
quadrática são os pontos onde a parábola corta o eixo dos x.

Estudo do Vértice

A parábola, que representa o gráfico da função f x   ax 2  bx  c , passa por um


b 
ponto V, chamado vértice, cujas coordenadas são x v   (abscissa) e y v  
2a 4a
(ordenada)

 b 
Vértice de uma parábola: V    , 
 2a 4a 

Valor Mínimo ou Máximo da Função do 2º Grau

Observando os exemplos anteriores podemos perceber que:



 Se a  0, yv   é o valor mínimo
4a

 Se a  0, yv   é o valor máximo
4a

41
Conjuntos Domínio e Imagem da Função Quadrática

O domínio da função quadrática são todos os números reais: D = R e, usando a


ordenada do vértice, vamos obter o conjunto imagem de uma função do 2º grau. Para isso,
vejamos alguns exemplos:

a) da função y  x 2  2x  3 , observando o gráfico, verificamos que: (plotar)


Im  y  / y  4

b) da função y   x  2x  1, observando o gráfico, verificamos que: (plotar)


2

Im   y  / y  0

Dos exemplos dados, podemos concluir que:

 
 Se a  0 , então Im  y  / y   
 4a 

 
 Se a  0 , então Im  y  / y   
 4a 

Através dos gráficos abaixo, podemos analisar os sinais da função de segundo grau, para isso
precisamos levar em conta também o valor do discriminante/delta, bem como o sinal do
coeficiente “a”.

42
Exemplo:

a) Construir o gráfico da função y  x 2  2x  3


Encontrando as raízes:

x 2  2x  3  0
  16 (a função tem duas raízes reais distintas)

2  4  x1  3
x 
2 x 2  1
 (2)  16
Vértice: xv   1 ; yv   4
2.1 4(1)
MACETE

Análise do gráfico

O conjunto Domínio é: D   ; O conjunto Imagem é: Im  y   / y  4 (ver yv)


f(x) é crescente para valores no intervalo x > 1 (ver xv)
f(x) é decrescente para valores no intervalo x < 1 (ver xv)
f(x) é nula (f(x) = 0) para valores de x = -1 e x = 3 (ver raízes)
f(x) é positiva (f(x) > 0) para valores no intervalo x < -1 e x > 3 (ver raízes)
f(x) é negativa (f(x) < 0) para valores no intervalo -1 < x < 3 (ver raízes)
f(x) possui um mínimo absoluto em x = 1 (ver xv)

Exemplo:
1. Construir o gráfico de y = x² - 1;
MACETE

43
2. Construir o gráfico de y  x2  x ;
MACETE

1 2
3. Observando o gráfico da função f ( x)  x  3x  5 responda:
2
a) Domínio:

b) Imagem:

c) Concavidade.

d) Analisar se o vértice é ponto mínimo

ou máximo

e) V = (............ ; ............)

f) Interseção com o eixo y:

4) O custo C, em reais, para se produzir n unidades de determinado produto é dado por


C(n) = 2510 – 100n + n2.
a) Quantas unidades deverão ser produzidas para se obter o custo mínimo?

b) Qual é o custo mínimo?

5) Durante o processo de tratamento, uma peça de metal sofre uma variação de temperatura
descrita pela função f(t) = 2 + 4t –t2, 0 < t < 5. t medido em minutos. Em que instante t a
temperatura atinge seu valor máximo?

44
Função Polinomial do 3° Grau (Função Cúbica)

Definição: Uma função f de  em  recebe o nome de função cúbica, definida pela lei:

𝑓(𝑥) = 𝑎𝑥³ + 𝑏𝑥² + 𝑐𝑥 + 𝑑

em que a  0 e b, c e d são constantes.

Gráfico
O gráfico de uma função cúbica é uma curva que pode apresentar pontos de máximos
e mínimos. O domínio e a imagem é sempre o conjunto dos números reais. Os valores para os
quais f(x)=0, recebem o nome de zeros da função cúbica. Uma função de grau 3, tem
exatamente 3 raízes reais ou complexas, (com no mínimo uma raiz real), desde que cada raiz
seja contada de acordo com sua multiplicidade. O termo independente determina a interseção
com o eixo y.

Zeros (ou raízes)

Caso 1. Quando o polinômio é da forma incompleta, não contendo o termo d, sempre uma das
raízes será zero, ou seja, interceptará o eixo y na origem.

Exemplos

1. 𝑓(𝑥) = 𝑥 3 + 2𝑥 2 + 𝑥 → 𝑥³ + 2𝑥² + 𝑥 = 0
2
𝑥(𝑥 + 2𝑥 + 1) = 0

𝑥=0 𝑒 𝑥² + 2𝑥 + 1 = 0

Então uma das raízes será zero e as outras duas serão obtidas da equação de segundo grau,
𝑥² + 2𝑥 + 1 = 0

𝑥²(𝑥 − 7) = 0
2. 𝑓(𝑥) = 𝑥 3 − 7𝑥 2 → 𝑥 3 − 7𝑥² = 0 →
𝑥² = 0 𝑒 𝑥−7=0

Então duas das raízes serão zero e a outra será obtida da equação 𝑥 − 7 = 0.

45
Caso 2: Quando o polinômio é da forma incompleta, contendo o termo d, ou da forma
completa, as raízes serão determinadas aplicando o método de Briot-Ruffini.

2. Seja f(x) = x3 - 3x + 2, determinar as raízes e esboçar o gráfico.

1 0 -3 2

1 1 1 1 -2

1 1 -2 0

Como f(1) = 0, então 1 é uma das raízes de f(x). As outras duas são raízes da equação x 2 + x –
2 = 0 Sendo x2 + x –2= 0, então x’’=1 e x’’’ = -2. Observe que x’ = x” = 1.

OBS: O estudo do gráfico das funções de grau 3, 4, ... é uma das


aplicações de derivadas, portanto estudaremos no Cálculo I...

46
FUNÇÃO MODULAR

Denomina-se função modular à função f(x) = |x| + b, definida por:

 x  bse x  0
f ( x)  
 x  bse x  0
Domínio é os Reais: D  
Imagem, neste exemplo é Im  y   / y  b

Gráfico:

Exemplos: Determinar o domínio e a imagem de cada função e construir o gráfico.


a) f(x) = | x + 2| b) f(x) = |x + 2| - 1

47
Função definida por mais de uma sentença

Exemplo: Construir o gráfico da função e determinar o domínio e a imagem.


 x 2  4 se x  2
 x , para x  1
2

a ) f ( x)   b) f ( x)   4 se x  2
 x para x  1 4  x 2 se x2

48
Função Fracionária

P( x)
As funções fracionárias f ( x)  com Q(x)  0 apresentam alguns coeficientes em P(x)
Q( x)
ou em Q(x) que interferem na construção e análise do gráfico da função. Através do aplicativo
Graphmat ou Winplot ou Geogebra, vamos analisar as transformações dos gráficos a partir da
alteração dos valores de alguns destes coeficientes, especialmente no que se refere as
assíntotas horizontais e verticais.

Atividade 1
1
a) Digite a função y  no aplicativo e deixe o seu gráfico para comparar com os
x
demais;
1
b) Digite outras funções do tipo y  , atribuindo diferentes valores reais para o
xa
1 1
coeficiente “a”, por exemplo: y  , y e outros;
x 1 x 1
1 1
c) Compare os gráficos das funções y  com o gráfico da função y  e
xa x
escreva o que você percebeu a respeito das alterações ocorridas nas assíntotas com a
variação do coeficiente “a”. Determine o domínio e a imagem.

1
y
1 y
x x 1

1
y
x 1

49
Atividade 2
1
a) Digite a função y  no aplicativo e deixe o seu gráfico para comparar com os
x
demais;
c
b) Digite outras funções do tipo y  , atribuindo diferentes valores reais para o
x
2 2
coeficiente “b”, por exemplo: y  , y  e outros;
x x
c 1
c) Compare os gráficos das funções y  com o gráfico da função y  e escreva o
x x
que você percebeu a respeito das alterações ocorridas nas assíntotas com a variação
do coeficiente “c” .Determine o domínio e a imagem.

2
y 2
x y
x

Atividade 3
1
a) Digite a função y  no aplicativo e deixe o seu gráfico para comparar com os
x
demais;
cx
b) Digite outras funções do tipo y  , atribuindo diferentes valores reais para o
x 1
2x
coeficiente “c”, por exemplo: y  , e outros;
x 1
cx 1
c) Compare os gráficos das funções y  com o gráfico da função y  e escreva
x 1 x
o que você percebeu a respeito das alterações ocorridas nas assíntotas com a
variação do coeficiente “c” .Determine o domínio e a imagem.

50
2x
y
x 1

Atividade 4
1 1 1
Modelo y  comparar e analisar com as funções y   2 ; y   3
x x x

1 1
y y 2
x x

1
y 2
x

Exemplos:

Das funções definidas abaixo, determine: a) domínio e a imagem; b) as intersecções (caso


existam); c) o esboço do gráfico. Mostrar as assíntotas.

51
OBS: Os pontos de interseção deverão aparecer no gráfico.
2
1) f(x) =
x3

1
2) f(x) = 2
x3

2x
3) f(x) =
x 1

52
2x
4) f(x) = 3
x5

1 1
5) f(x) = 6) f(x) =
x 4
2
x 4
2

53
Função Irracional

As funções irracionais f (x)  n P(x) , onde para n par, P(x)  0, apresentam coeficientes em
P(x) que interferem na construção e análise do gráfico da função. Através do aplicativo
Graphmat ou Winplot ou Geogebra, vamos analisar as transformações dos gráficos a partir da
alteração dos valores de alguns destes coeficientes.

Atividade 1

a) Digite a função y  x no aplicativo e deixe o seu gráfico para comparar com os


demais;
b) Digite outras funções do tipo y  ax , atribuindo diferentes valores reais para o
coeficiente “a”, por exemplo: y  2x , y  5x e outros;
c) Compare os gráficos das funções y  ax com o gráfico da função y  x e
escreva o que você percebeu a respeito das alterações ocorridas no gráfico, com a
variação do coeficiente “a”. Determine o domínio e a imagem.

Atividade 2

a) Digite a função y  x no aplicativo e deixe o seu gráfico para comparar com os


demais;
b) Digite outras funções do tipo y  x  c , atribuindo diferentes valores reais para o
coeficiente “c”, por exemplo: y  x 1 , y  x  4 e outros;

54
c) Compare os gráficos das funções y  2 x  c com o gráfico da função y  2 x e
escreva o que você percebeu a respeito das alterações ocorridas no gráfico, com a
variação do coeficiente “c”. Determine o domínio e a imagem.
f ( x)  2 x

g ( x)  2 x  6

h( x )  2 x  8

Atividade 03

a) Digite a função y  x no aplicativo e deixe o seu gráfico para comparar com os


demais;
b) Digite outras funções do tipo y  x  b , atribuindo diferentes valores reais para o
coeficiente “b”, por exemplo: y  x  1, y  x  2 e outros;

y x 1
y x

y  x 2

Exemplos resolvidos:
1) Determine o domínio, imagem e o esboço do gráfico da função irracional f ( x)   2x  5

2) Determine o domínio, imagem e o esboço do gráfico da função irracional y  x 1  2 .

55
Equação Exponencial

Exemplos: Resolver as equações exponenciais, obtendo o valor de x.

1) 3x  81 2) 2 x 3  16 3) 9 x 1  27 x 3 3
x
16
4)   
2 81

Função Exponencial

Definição: Seja a um número real positivo e diferente de 1 a > 0 e a  1 . Chamamos

de função exponencial de base a à função:


F:    , definida por f(x) = ax
D = R e Imagem= Im = R+*

ANÁLISE DA FUNÇÃO

f ( x)  k.(a) x  b k  IR* b  IR a  0 e a  1

D = IR e Imagem= y  IR / y  b

1. É crescente quando a > 1. 2. É decrescente quando 0 < a < 1 .

2. O gráfico fica totalmente acima do valor da assíntota horizontal, caso a função tenha característica

y  (a) x a assíntota é o próprio eixo x, ou seja, o gráfico fica todo acima do eixo “x” .

3. O gráfico intercepta o eixo “y” quando x = 0, ou seja, no ponto (0, y).

4. Se a assíntota for negativa existe raiz da função, ou seja, o gráfico intercepta o eixo x quando y = 0.

Ponto (Raiz, 0)

5. Se a assíntota for positiva ou zero não existe raiz da função.

6. D = R e Imagem= y  IR / y  b quando b = 0 podemos usar, Im = R+*.

56
7. y = ex (e = 2,718281828459045...)
A função y = ex é também uma função exponencial cuja base é o número irracional e =
2,718281828459.....

Exemplos:
Faça o esboço do gráfico das funções abaixo e escreva a imagem, o domínio e a raiz da função se existir.
1) f(x) = 4x

2) f ( x)  3 x  9

x
2
3) f ( x )    2
3

Outros exemplos:
1) y = 2x 2) y = (1/2)x

Gráficos

57
Atividade Computacional
- Digita-se a^(x) a é base x é o expoente.

Traçar o gráfico das funções indicadas abaixo, analisando-os e escrevendo suas conclusões: y  ax ,
para diversos valores de “a” dentro do domínio da função.

f(x) = 6x

f(x) = 3x

f(x) = 2x

2) Faça o gráfico da função f ( x)  a x  b , para diferentes valores de “b” (b  R) mantendo “a”


constante.
Crescente a 1

3) Faça o gráfico da função f ( x)  a x  b , para diferentes valores de “b” (b  R) mantendo “a”


constante. Decrescente 0  a 1

58
Logaritmo
Definição: Sendo “n” e “a” números reais e positivos com a  1, a > 0 e n > 0, existe sempre um número
“c” tal que: aC = n. A esse expoente c damos o nome de logaritmo de n na base a e definimos como:

log b  c  aC = b
a

Nomenclatura: b = logaritmando, a = base e c = logaritmo.

Observações:a) Quando a base é 10, escrevemos apenas log 8 .


b) Quando a base é o número “e”, ao invés de escrevermos log e 10 , escrevemos ln 10 .
c) Função Logarítmica Natural ou Neperiana. f(x) = ln x ou log e x  ln x .

Exemplos
1) Calcule o valor de

a) log 2 8  x b) log 1 25  x
5

c) log 3 x  4 d ) log 5 x  3

Exercícios
1) Calcule o valor dos logaritmos a seguir.

a) log 2 4  b) log 5 25 

c) log 4 4  d) log 2 2

e) log 3 81 
2) Calcule o valor de “x” nas expressões a seguir usando a calculadora quando necessário.
a) ln x = 0 b) log x = 2 c) log x = 1
d) log x = 2,69897 e) ln x = 0,269

59
Respostas:
1) a) 2 b) 2 c) 1 d) ½ e) 4
2) a) 1 b) 2 c) 10 d) 499,88 e) 1,3

Propriedades dos Logaritmos


M 
1) log a    log a M  log a N
N 
2) log a M .N   log a M  log a N
3) log a N =  loga N
log a N
4) Mudança de base: logb N =
log a b

Exemplo: Admitindo que log 2 = 0,3 e log 3 = 0,48, calcule:

a) log 16

b)
1
log
3

c) log 3 2

Função Logarítmica

Definição: Dado um número real “a” sendo a > 0 e a  1 , denominada de função logarítmica de base a,

a função f  R em R que associa a cada “x” o número log a x .


São exemplos de funções logarítmicas:

a) f(x) = log 3 x (base 3)

b) g(x) = log 1 x (base 0,5)


2

ANÁLISE DA FUNÇÃO

1. f(x) = log a x é inversa de g(x) = ax .


2. A função é crescente para a > 1.
3. A função é decrescente para 0 < a < 1.
5) Domínio: (logaritmando) > 0
6) Im = R.

60
É crescente quando a > 1. É decrescente quando 0 < a < 1 .

Exemplo

Exemplo: Faça o esboço do gráfico das funções abaixo. Determine o domínio, a imagem e a raiz da
função se existir.

1) f(x) = log 4 x

2) y = log 2 ( x  1)

3) y = log 1 ( x  2)
3

61
Atividade Computacional
- Digita-se log(a,x), a é base.

1) Faça o gráfico da função f(x) = log a x , para diferentes valores de “a”, por exemplo, a = 2 a = 3 e a

f(x) = log 2 x g(x) = log 3 x h(x) = log  1  x


 
2

2) Faça o gráfico da função f(x) = log 2 ( x  c) , para diferentes valores de “c”, por exemplo a = 2 ,
a=3 e a=-1.

62
Faça o gráfico da função f(x) = log 2 ( x  c) , utilizando diferentes valores de “c”, por exemplo, a = 2, a = 3
e a = - 1 , altere o valor da base 2, para base ½ e 3, por exemplo.

Base 3
Base ½

63
FUNÇÕES TRANSCENDENTES TRIGONOMÉTRICAS DIRETAS

Quando se observam fenômenos que se repetem periodicamente, como as variações da


temperatura terrestre, o comportamento ondulatório do som, a pressão sanguínea no coração, os
níveis de água dos oceanos, etc., estes podem ser modelados por funções trigonométricas.
Os gráficos das funções trigonométricas básicas, seno e cosseno, descrevem esses
comportamentos e podem ser gerados a partir de um círculo trigonométrico de raio unitário.
Das relações dessas funções com círculo unitário surgem as relações trigonométricas.
Dentre muitas, algumas estão destacadas abaixo.

Relações Trigonométricas Fundamentais e Derivadas

sen x
1) sen 2 x  cos 2 x  1 2) tgx  ; cos x  0
cos x
cos x
3) cot gx  ; sen x  0
sen x

1 1 1
4) sec x  ; cos x  0 5) cos sec x  ; sen x  0 6) tgx  ou
cos x sen x cot gx
1
cot gx 
tgx

7) 1  tg 2 x  sec 2 x 8) 1  cot g 2 x  cos sec 2 x

Função Seno

A função seno é uma função real de variável real que a cada x pertencente a R faz corresponder,
f(x) = sen (x).
Análise da função f(x) = sen(x) ou b+asen(cx):

1) D = R
2) Im = [-1,1].
3) Valor máximo  y = 1.
4) Valor mínimo  y = -1.
2
5) É periódica e o período é 𝑐
 P = 2 .

6) sen(-x) = - sen(x) é uma função ímpar.


7) A amplitude de uma oscilação é a metade da distância entre os valores máximos e mínimos.

64
8) O período de uma oscilação é o tempo necessário para a oscilação evoluir um ciclo
completo.

Exemplos
1) Indique o período, imagem e domínio. Analise a influência de todos os parâmetros: a, b, c na
função f(x)= b+asen(cx)

Função: y1 = 3senx Função: y2 = -3senx

Domínio: ____ Período: ____ Im:____ Domínio: ____ Período: ____ Im:____

Função: Função:
y3 = 5 + 3senx y4 = -5 +3senx

Domínio: ____ Período: ____ Im:____ Domínio: ____ Período: ____ Im:____

2) Indique o período, imagem e domínio. Analise a influência de todos os parâmetros: a, b, c


na função f(x)= b+asen(cx)

65
Função: y1 = sen2x Função: y2 = sen4x

Domínio: ____ Período: ____ Im:____ Domínio: ____ Período: ____ Im:____

Função: Função:
𝑥 𝑥
y3 = sen 2 y4 = sen 4

Domínio: ____ Período: ____ Im:____ Domínio: ____ Período: ____ Im:____

OBS: Procure observar que a constante “b” é responsável pela translação – vertical
para cima ou para baixo da função, isto é, nível médio. E, a constante “a” é responsável pela
expansão, contração ou reflexão, isto é, amplitude.

2
Período: O período da função y = sen(cx), onde c > 0, é P = .
......
* Se c > 1 o período é MENOR que 2  , logo a curva senóide sofre uma CONTRAÇÃO
horizontal.
* Se 0 < c < 1 o período é MAIOR que 2  , logo a curva senóide sofre uma DILATAÇÃO
horizontal.

Exemplo: Esboçar o gráfico, determinar o domínio, imagem e período das funções abaixo.
a) f(x) = 1 + 2sen(x)

66
x
b) f(x) = 2sen  
2

Função Cosseno
A função cosseno é uma função real de variável real que a cada x pertencente a R faz
corresponder, f(x) = cos (x).
Análise da função f(x) = cos(x) ou b+acos(cx):

1) D = R.
2) Im = [-1, 1].
3) Valor máximo  y = 1.
4) Valor mínimo  y = -1.

2
5) É periódica e o período é  P = 2 .
c
6) cos(-x) = cos(x) é uma função par.

Exemplos
1) Indique o período, imagem e domínio. Analise a influência de todos os parâmetros: a, b, c
na função f(x)= b+acos(cx)
Função: y1 = cos(x) Função: y2 = -2cos(x)

Domínio: ____ Período: ____ Im:____


Domínio: ____ Período: ____ Im:____

67
Função: y3 = 5 + 2cos(x)

Domínio: ______
Período: ________
Im: _____________

2) Desenhar manualmente: Esboçar o gráfico, determinar o domínio, imagem e período das


funções abaixo.
a) f(x) = 1 + 2cos(x)

b) f(x) = cos 2 x 

68
3) Associe cada gráfico que está parcialmente dado na figura a função trigonométrica abaixo.

( ) f(x) = -3 + 2cosx ( ) f(x) = 2 + cosx

( ) f(x) = -3 + 2sen(2x) ( ) f(x) = 2 + senx

( ) ( )

( )

( )

Função Tangente

É uma função que associa a cada x   k ; k  Z o número tg(x) pertencente aos reais e
2
sen( x)
indicamos por: f ( x)  tg ( x) tg ( x)  ; cos( x)  0
cos( x)
Análise da função

1)D=  x  IR / x    k ; k  Z 
 2 
2) Im = Reais

3)Valor mínimo  não existe

4) Valor máximo  não existe

69

5) Período: P =  f(x) = tg(px) P =
p
Exemplo: Determine o domínio, imagem e o período da função f(x) = 1-3tg(x).

Função Cotangente
É uma função que associa a cada x  k ; k  Z o número cotg(x) pertencente aos reais e

cos( x)
indicamos por: f ( x)  cot g ( x) cot g ( x)  ; sen( x)  0
sen( x)

Análise da função
1) D = x  IR / x  k ; k  Z 
2) Im = Reais

3)Valor mínimo  não existe

4) Valor máximo  não existe

5) Período: P = 

f(x) = cotg (px) P =
p
Exemplo: Determine o domínio, imagem e o período da função f(x) = 1 -3cotg(x).

70
Função secante

É uma função que associa a cada x   k ; k  Z o número sec(x) pertencente aos reais e
2
indicamos:
f ( x)  sec( x) ou sec( x) 
1
; cos( x)  0
cos( x)

Análise da função

1)D =  x  IR / x    k ; k  Z 
 2 
2) Im = R – ]-1,1[ .

3)Valor mínimo  não existe


4) Valor máximo  não existe

2
5) Período: P = 2 f(x) = sec(px) P =
p

Exemplo: Seja a função f(x) = 1 + 2sec(x) determine o domínio, imagem, período.

Função Cossecante

É uma função que associa a cada x  k ; k  Z o número cossec(x) ou csc(x) pertencente aos

1
reais e indicamos por: f ( x)  cos sec( x) cos sec( x)  ; sen( x)  0 .
sen( x)

71
Análise da função

1) D = x  IR / x  k ; k  Z 
2) Im = R – ]-1,1[ .

3)Valor mínimo  não existe


4) Valor máximo  não existe
5) Período: P = 2  f(x) = cossec(px)
2
P=
p

Exemplo: Seja a função f(x) = 1 - cossec(x) determine o domínio, imagem, período.

FUNÇÕES TRANSCENDENTES TRIGONOMÉTRICAS INVERSAS

Função Arco Seno.


A função f: R  R definida por f(x) = sen x não é injetora, porque para valores distintos do domínio
obtemos uma mesma imagem. Também não é sobrejetora, porque a imagem não é igual ao
contradomínio, todos os reais, portanto f(x) = sen x não é bijetora e então não admite função inversa.
Porém, restringindo domínio e contradomínio é possível definir sua inversa.
Então em relação a f(x) = arc sen x temos:

D = [-1, 1]
 
Im = [  , ]
2 2

72
Função Arco Cosseno.
A função f:RR definida por f(x) = cos x não é injetora, porque para valores distintos do domínio
obtemos uma mesma imagem. Também não é sobrejetora, porque a imagem não é igual ao
contradomínio, todos os reais, portanto f(x) = cos x não é bijetora e então não admite função inversa.
Porém, restringindo domínio e contradomínio é possível definir sua inversa.
Então em relação a f(x) = arc cos x temos:

D = [-1, 1]

Im = [0 , ]

Função Arco Tangente.



A função f: A  R sendo A = {x  R/ x   k , k  Z } definida por f(x) = tg x é sobrejetora,
2
porque a imagem é igual ao contradomínio, todos os reais. Mas não é injetora porque para valores
distintos do domínio obtemos uma mesma imagem, portanto f(x) = tg x não é bijetora e então não admite
função inversa. Porém, restringindo o domínio é possível definir sua inversa.
Então em relação a f(x) = arc tg x temos:

D=R
 
Im = ]  , [
2 2

73
Função Arco Cotangente
A função f: A  R sendo A = {x  R/ x  k , k  Z} definida por f(x)=cotg x é sobrejetora, porque a
imagem é igual ao contradomínio, todos os reais. Mas não é injetora porque para valores distintos do
domínio obtemos uma mesma imagem, portanto f(x) = cotg x não é bijetora e então não admite função
inversa. Porém, restringindo o domínio é possível definir sua inversa.

Então em relação a f(x) = arc cotg x temos:

D=R

Im = ]0, [

Função Arco Secante



A função f: A  R sendo A = {x  R/x   k, k  z } definida por f(x) = sec x não é injetora,
2
porque para valores distintos do domínio obtemos uma mesma imagem. Também não é sobrejetora,
porque a imagem não é igual ao contradomínio, todos os reais, portanto f(x) = sec x não é bijetora e então
não admite função inversa. Porém, restringindo domínio e contradomínio é possível definir sua inversa.

Então em relação a f(x) = arc sec x temos:

D=]-, -1] ou [1, [

 
Im = [0, [ ou ] , ]
2 2

74
Função Arco Cossecante.
A função f: A  R sendo A = { x  R / x  k , k  Z } definida por f(x) = cossec x não é injetora,
porque para valores distintos do domínio obtemos uma mesma imagem. Também não é sobrejetora,
porque a imagem não é igual ao contradomínio, todos os reais, portanto f(x) = cossec x não é bijetora e
então não admite função inversa. Porém, restringindo domínio e contradomínio é possível definir sua
inversa.
Então em relação a f(x) = arc cossec x temos:

D ]  ,1] ou [1 , [

 
Im = [ , 0[ ou ]0, ]
2 2

Certas combinações de ex e e-x aparecem tão frequentemente em aplicações da matemática que


recebem nomes especiais. Três destas funções são: seno hiperbólico, cosseno hiperbólico e tangente
hiperbólica. Os valores destas funções estão relacionadas com as coordenadas dos pontos de uma
hipérbole equilátera. E vale salientar que estas funções não são periódicas.

Função Seno Hiperbólico:

e x  e x
É definida por senh x = , onde o D = R e a Im = R.
2

Função Cosseno Hiperbólico:

e x  e x
É definida por cosh x = , onde o D = R e a Im = [1, [.
2

75
Função Tangente Hiperbólica:

e x  e x
É definida por tgh x = , onde o D = R e a Im = ]-1, 1[.
e x  e x

Função Cotangente Hiperbólica:

e x  e x
É definida por cotghx= , onde o D = R-{0} e a Im = ]-, -1[ ou ]1, [.
x x
e e

Função Secante Hiperbólica:


2
É definida por sech x = , onde o D = R e a Im = ]0, 1].
e x  e x

Função Cossecante Hiperbólica:


2
É definida por cossechx= , onde o D = R-{0} e a Im = ]-, 0[ ou ]0, [.
e  e x
x

76
FUNÇÕES HIPERBÓLICAS INVERSAS

Função Arco Seno Hiperbólico:

É definida por arcsenhx= ln ( x  x 2  1) , onde o D = R e a Im = R.

Determinação da expressão que define a função arcsenh x, através da técnica de determinação da função

inversa de y = senh x

y  arg senh x  x  senh y

e y  e y
x  senh y 
2
2x = ey - e-y
y
e e
y
x
2
2x - ey + e-y = 0 (. ey)

e2y – 2xey –1 = 0

2 x  (2 x ) 2  4.1.  1
ey  ey  x  x2 1
2

como x  x 2  1  0 e ey nunca é negativo, devemos ter:

ey  x  x2 1 ln e y  ln ( x  x 2  1) y  ln ( x  x 2  1)

Função Arco Cosseno Hiperbólico:

É definida por arccoshx= ln (x  x 2  1) , onde o D = [1, [ e a Im = [0, [.

77
Atividade. Utilizando a técnica de determinação da função inversa, determine a inversa da função
y = cosh x.

Função Arco Tangente Hiperbólica:


1 1  x 
É definida por arctgh x =  ln   , onde o D = ]-1, 1[ e a Im = R.
2 1  x 

Função Arco Cotangente Hiperbólica:


1  x  1
É definida por arccotghx=  ln   , onde o D = ]-, -1[ ou ]1, [ e a Im = R-{0}
2  x  1

Função Arco Secante Hiperbólica:


 2 
É definida por arcsechx= ln  1  1  x  , onde o D = ]0, 1] e a Im = [0, [.
 x 
 

78
Função Arco Cossecante Hiperbólica:
1 1 x2 
É definida por arccossechx = ln
   , onde o D = R-{0} e a Im = R-{0}.
x x 
 

79
LISTAS DE EXERCÍCIOS PRÉ – CÁLCULO
Exercícios Lista 1

1) Classifique em verdadeira (V) ou falsa (F):


2
a) ( )   Q b) ( ) 5N c) ( ) Z d) ( ) 1  IR e) ( )  3  Z
3
f) ( ) 2 Q g) ( )   I h) ( ) 0,43  Q i) ( ) 2  Q j) ( )
2,44444...  I


2) Represente o conjunto dos números 3,  5, 0, 2 / 3, 
5,  3 / 2,   sobre uma
reta numérica.

3) Considere as seguintes equações:

I. x² + 4 = 0 II. x² - 2 = 0 III. 0,3x = 0,1

Sobre as soluções dessas equações é verdade que em


a) II são números irracionais. b) III é número irracional. c) I e II
são números reais.
d) I e III são números não reais. e) II e III são números racionais.

4) Represente, na reta real, os intervalos e os conjuntos:


a ) [ 2, 8)
b ) ]   , 2]
c) x  IR /  2  x  5

80
d ) ]1, 5[
e) [6,1[
f )x  IR / x  2
g )x  IR / x  5
h)x  IR /  3  x  1
i ) (3, )

5) Escreva os intervalos representados graficamente:

6. Classifique em verdadeira (V) ou falsa (F) cada uma das sentenças abaixo:

a) 5 
3 2
5 6 52
f)  6  5 8
5
b) 2  4  16 g) 2  1  3  1  6  1
c)   2 2   2  2  2 h)     1  1

d) 3  4  3 5 
1
3
i) 2  3   2
 26

72
e) 5
 73 j) 32  3  2  1
7

7. Calcule o valor das expressões:


2 3
 1 1
   
2  1   22   2  1 32  3  2  2 2
a) b) 2 c)
22  2  2 3  3 2  1  2 
3

   
 2  
2 3
8. Calcule o valor da expressão: (2) 3    3    2 
 2 5

2 1 2
9. Calcule o valor da expressão:  2    1     1 
3 2  4

10. O valor de [47.410.4]2 : (45)7 é:


a) 16
b) 8

81
c) 6
d) 4
e) 2

x 1  y 1
11. Remova os expoentes negativos e simplifique a expressão , em que
xy  1
x , y  * .

12. Marque as alternativas corretas:


4 1 2
a) ( ) 4
3 3
3 3
b) ( ) 3
6 6 3
c) ( ) 3
6 62 3

3 5
d) ( ) 4
54  5 e) ( ) 5 2  3 52 f) ( ) 15 8  8 15 5

2 1 5
g) ( ) 3 5  5 32 h) ( ) 7 2  7 i) ( ) 15 8  5 15 8

13. Simplificando os radicais as respostas corretas são:


a) ( ) 20  4 5 b) ( ) 12  2 3

c) ( ) 72  6 2 d) ( ) 45  9 5

14. Marque a igualdade verdadeira.


a) ( ) 4 9 4  9

b) ( ) 4 9 4  9

15. O resultado verdadeiro das operações é:


a) ( ) 5 3 5  4 5

82
b) ( ) 4 3 2 3 3 3  3

33
c) ( )  3 10  10   3 10
4

3 1
16. Determine o valor da expressão 5x 0  3x 4  4x 2
, para x = 16.

17. Efetue:
a) 6 7  5 7  3 7 b) 5 2  3 50  2 18 c) 23 81  3 24  53 3

d) 4 5  3 2 e) 35 2  5 2 f )4 3 2 3

g )8 10 : 2 5 h) 203 6 : 43 2

18. Racionalize o denominador de:


5 1 2 1 1
a) b) c) d) e)
7
23 3 5 2 3 3 1 x y

19. Calcule o valor da expressão: x 2  xy  y para x  2 1 e y4

3
2 1
20. Qual o valor numérico da expressão x   x 2  x para x  4 
x 1

21. O valor da expressão 23 625  3 10 : 23 2  (3 25 ) 2 é :

113 5 313 25
a) b)123 5 c) 0 d) e) 253 25
2 2

22. Calcule:
a) – 5 – 32 b) 3 – 4[5 - 6(2 – 8)] c) [3 – 8  5 - ( -1 – 2  3)] 
(32 - 52)2

Respostas Lista 1

1) a) F b) F c) F d) F e) V f) F g) V h) V i) F j) F
2) No quadro
3) A

83
4) No quadro
5) a) {𝑥 ∈ 𝐼𝑅/−4 ≤ 𝑥 ≤ 2} = [−4, 2] b) {𝑥 ∈ 𝐼𝑅/𝑥 > −3} =] − 3, ∞)
c) {𝑥 ∈ 𝐼𝑅/0 < 𝑥 ≤ 2} =]0, 2] d) {𝑥 ∈ 𝐼𝑅/𝑥 ≤ −7} = (−∞, −7]

e) {𝑥 ∈ 𝐼𝑅/𝑥 < −5 𝑒 𝑥 ≥ 5} f) {𝑥 ∈ 𝐼𝑅/−4 ≤ 𝑥 < 1} = [−5,1[

6) a) V b) F c) F d) F e) F f) V g) V h) F i)V j) V

7) a) - 16/17 b) 40/41 c) 2
79 65
8) 9) 10) D 11) x+y
8 4
12) Corretas B – C – D – F – G – H

49  4  9
13) B e C 14)
36  2.3  6
15) a) 5 3 5  4 5 16) 30

a)8 7 b)14 2 c)133 3 d )12 10 e)35 4 f )24 g )4 2


17)
h)53 3

57 16 5 3 1 x y
18) a ) b) c) 2( 3  2 ) d) e) 19) 4
2 15 2 ( x  y)

20) 467/48 21) A 22) a) -14 b) -161 c) -7680

84
LISTA 2

1. Eu tinha um terreno quadrado medindo y metros de lado. Comprei mais 3m de frente

no lado direito e 2m de fundos.

a) Faça a representação geométrica correspondente ao novo terreno.

b) Qual a expressão da área do novo terreno na forma mais simplificada possível?

c) Qual a expressão do perímetro desse novo terreno na forma mais simplificada

possível?

2. Observe como é feito o cálculo algébrico para representar o perímetro de uma figura
cujas medidas envolvem mais de uma letra:

 Represente algebricamente os perímetros destas figuras:

3. Ao redor do jardim da casa de Carlos, vai ser construída uma calçada revestida de
pedra. As medidas estão em metros.

a) Qual a área ocupada pelo jardim?


b) Escreva um polinômio que expresse a área
ocupada pela calçada.

5. Ordene os polinômios a seguir em potências decrescentes, dê o seu grau e, a seguir,


classifique-os em completos ou incompletos:

85
ORDEM COMPLETO OU
POLINÔMIOS GRAU
DECRESCENTE INCOMPLETO?
2x2 – 5x3 + 6
5b – 7b2 + 4b3 - 5
m3 + m - 1
5y – 3y2 + y3

1
6. Seja o polinômio P(x)  x 4  3x 2  5 . Calcule P(1)  P(3) .
7
7. Dados os polinômios P(x)  8x 5  5x 4  7x 3  3x  4 e Q(x)  4x 2  5 determine:
a) (P  Q)(x) c) (P  Q )(x)
P(x)
b) (P  Q)(x) d)
x 2

8. O resto da divisão do polinômio P(x)  2x 6  4x 5  8x 3  4x  7 pelo binômio


Q(x)  x  2 vale:
( )7 ( )9 ( ) 25 ( ) 63 ( ) 191

9. Simplifique:
5x x2  9 x 1 x 2  2x  3 2x 2  x  3
a) 2 b) c) d) e)
x  4x x3 x2 1 2( x  3) x 1

10. Para que o polinômio Px   x 3  5x 2  3x  2k , seja divisível por x  2 , k deve ser
igual a:
( ) 11 ( ) 10 ( )-6 ( )-8 ( ) - 12

11. Reduza os termos semelhantes efetuando as operações indicadas.


a) 7ax2 + (a – 3ax3) – (5a + ax3)
b) (13ab + 5a) – (15ab + 7a2 – 3a) – (-2ab + a2)
c) (x2 + 3) + ( - x + 2) – (x2 – 1) + (-7x2 + 2x – 2)
d) (x + 4) – (x – 2) + (4x – 5) – (7x + 10)
e) 2x – (y + 1 – 3x) – (2xy + 7y – 2) + (-5y + 7x + 2xy)

12. Efetue as divisões a seguir:


a) (x4z5 + x3z4) : x2z2
b) (a3b6 + a2b5 – a3b4) : a3b4
c) (12x2y3 + 8x3y5) : 4xy

14. Fatore os trinômios abaixo.

86
a) x 2  4x  3 b) x 2  7x  10 c) x 2  3x  18

d) y 2  4 y  5 e) t2  t  12 f) a2  10a  24

x 2  4x  3
15. Supondo x  -1, simplifique a fração algébrica .
x 1

x 2  8x  15
16. Simplifique a fração algébrica , supondo x 2  4x  5  0 .
x  4x  5
2

17. Seja o polinômio P(x)  2x 2  3x  5 , determine:


a) P(x  1) b) P(1  x) c) P(x 2  2x)

18. Completar os quadrados


a) x 2  2x  7 b) 3  8x  x 2

19. Fatorar os polinômios


a) y  6x  x 2 d) y  x 7  1
b) y  x 2  25 e) y  x 6  2x 4  x 2
c) y  16x 4  a4 f) y  x 5  6x 3  9x

21. Determine o valor de r no polinômio P(x)  x 3  rx 2  2 , sabendo-se que x  1 é raiz


desse polinômio. Determine a equação do polinômio.

22. Determine m e n no polinômio Px   mx 3  2x 2  nx  1 , sabendo-se que 1 é a raiz


do polinômio e que P(- 2) = -21.

23. Uma das raízes da equação x 3  2x 2  x  2  0 , é -2. A soma das outras duas raízes
vale:

( )0 ( )-1 ( )-2 ( )2 ( )-3

24. Determine quais afirmações são verdadeiras. Justifique as demais.


a) A soma de dois polinômios de grau 5 é sempre um polinômio de grau 5.
b) O produto de dois polinômios de grau 5 e 8, respectivamente, é um polinômio de
grau 13.
c) A diferença de dois polinômios de grau 9 pode ser um polinômio de grau 5.

25. Encontre as raízes reais da equação, caso existam e apresente os polinômios na


forma fatorada, quando possível.
a) 3x  7  9  5x
b) x 3  2x 2  x  2  0
c) 2x 2  2x  3  0
d) x 2  2x  2  0
e)  x 2  4x  60  0

87
f) 2x 3  x 2  x  0
g) x 3  x 2  5x  3  0
h) 2x  12x  13x  15  0
3 2

RESPOSTAS LISTA 2
1.
b) y² + 5y +6
c) 4y +10

2. a) 3a + 2b
b) 2x+8y+2z
c) 6c+4d

3.
a) 40 m²
b) 4x²+28x

5.
ORDEM COMPLETO OU
POLINÔMIOS GRAU
DECRESCENTE INCOMPLETO?
2x2 – 5x3 + 6 – 5x3 +2x2 + 6 3 INCOMPLETO
5b – 7b2 + 4b3 - 5 4b3– 7b2 +5b - 5 3 COMPLETO
m3 + m - 1 m3 + m - 1 3 INCOMPLETO
5y – 3y2 + y3 y3– 3y2+5y 3 INCOMPLETO

6. -14
7.
a) 8x 5  5x 4  7x 3  4x 2  3x  1
b) 8x 5  5x 4  7x 3  4x 2  3x  9
c) 32x 7  20x 6  12x 5  25x 4  47x 3  16x 2  15x  20
d) 8x 4  21x 3  49x 2  98x  193 resto: r(x)  382

8. 63

88
9. Passar no quadro
10. k =11
11.
a) -4ax³+7ax²-4a
b) -6a²+2a
c) -7x²+x+4
d) -3x-9
e) 12x-13y+1

12.
a) x²z³+xz² b) b²+b/a-1 c) 3𝑥𝑦 2 + 2𝑥 2 𝑦 4

14. a) x  3x  1 b) x  2x  5 c) x  6 x  3


d) y  5y  1 e) t  4 t  3 f) a  4 a  6 

15. x  3
x 3
16.
x 1
17.
a) 2x 2  x  4 b) 2x 2  x  4 c) 2x 4  8x 3  5x 2  6x  5

18.
a) (x  1)2  6 b) 19  (x  4)2

19.
a) x(x  6) b) x  5x  5
c) (4x  a )(2x  a)(2x  a)
2 2
d) (x  1)(x 6  x 5  x 4  x 3  x 2  x  1)
e) x 2 (x 2  1)2 
f) x(x  3)2 x  3 
2

21. r = 3 ; P(x)  x 3  3x 2  2
22. m = 1 e n = 2
23. 0
24. b e c. Justificativa da a)não necessariamente, basta que os coeficientes do polinômio
de grau 5 sejam opostos que a soma resultará num polinômio de grau menor que 5.
25.
a) {2} b) {-2, -1, 1} x  2x  1x  1  0 c) { }

d) 1  3 , 1  3  x  (1  3) x  (1  3)  0
e){-10,6}  x  10x  6  0
f) {-0.5, 1, 0} 2x x  12 x  1  0 g) {-3, 1} x  3x  12  0
h) {5} x  52x 2  2x  3  0

89
LISTA 3
Triângulo retângulo e círculo trigonométrico
1) Um avião levanta vôo sob um ângulo de 30°. Então, depois que tiver percorrido 500 m,
conforme indicado na figura, sua altura h em relação ao solo, em metros, será igual a:
Considere sen 30° = 0,50 ou cos 30° = 0,87.
a) 250
b) 300
c) 400
d) 435

2) Um ângulo agudo de um losango mede 60o e sua diagonal maior tem medida 3 2 m.
√3
Nessas condições, a medida do lado do losango é: (sen(120) = e sen(30) = 0,5)
2

a) 2 m b) 6m c) 2m d) 3m e) 2m

3) De dois observatórios, localizados em dois pontos X e Y da superfície da Terra, é possível


enxergar um balão meteorológico B, sob ângulos de 45° e 60°, conforme é mostrado na figura
abaixo.
Desprezando-se a curvatura da Terra, se 30 km separam X e Y, a altura h, em quilômetros, do
balão à superfície da Terra, é: (Use tg(45) = 1 e tg (60) = √3)

a) 30 - 15 3
b) 30 + 15 3
c) 60 - 30 3
d) 45 - 15 3
e) 45 + 15 3

4) Maria, diante da configuração representada abaixo, pede ajuda aos vestibulandos para
calcular o comprimento da sombra x do poste, mas, para isso, ela informa que o sen α = 0,6.
Calcule o comprimento da sombra x.

90
5) Uma pessoa está distante a 70 m da base de um prédio e vê o seu ponto mais alto
sob um ângulo de 16o em relação à horizontal. Qual é a altura do prédio? R: 20,3 m
(use tg(16) = 0,29)

6) Uma escada de bombeiro pode ser estendida até um comprimento de 25 m,


formando um ângulo de 70o com a base, que está apoiada sobre um caminhão, a 2 m
do solo. Qual é, aproximadamente, a altura máxima que a escada atinge? R: 25,5 m
(use sen(70)=0,94)

7) Um observador vê um prédio, construído em um terreno plano, sob um ângulo de


60o. Afastando-se do edifício mais 52 m, passa a ver o edifício sob um ângulo de
45o. Qual é, aproximadamente, a altura do prédio?
(use tg(60)= √3 e tg(45)=1) R: 123,23 m

4
8) Se sen (x) =  e 270o < x < 360o. O valor de cos (x) é: (Apresente os cálculos)
5

3 3 3 5
a) 1 b) d) c) - e) 
5 5 5 3
Resposta: B
2
9) Se x é um arco do 2º quadrante e cos( x)  , então sen(x) é ? (Apresente os
3

5
cálculos) Resposta:
3

91
LISTA 4
Lei dos senos e cossenos e grandezas proporcionais (Teorema de Tales e Regra de Três
simples e composta)

1) Na instalação das lâmpadas de uma praça de alimentação, a equipe necessitou


calcular corretamente a distância entre duas delas, colocadas nos vértices B e C do
triângulo, segundo a figura. Assim, a distância "d" é: (dois ângulos e um lado) R: a
a) 50 2 m b) 50 6 /3 m c) 50 3 m

d) 25 6 m e) 50 6 m

2) No triângulo ABC da figura abaixo , B  60 , C = 45 e AB = 6 cm : R: 3 cm

O valor do lado AC é igual a :


a) 1 cm b) 2 cm c) 3 cm d) 4 cm e) 5 cm

3) No quadrilátero a seguir, BC = CD = 3 cm, AB = 2 cm, ADC = 60° e ABC = 90°.


A medida, em cm, do perímetro do quadrilátero é:
a) 11.
b) 12.
c) 13.
d) 14.
e) 15.

4) Em um triângulo, um dos ângulos mede 60° e os lados adjacentes a este ângulo medem
1cm e 2cm. O valor do perímetro deste triângulo, em centímetros, é:

a) 3 + 5 b) 5+ 3

c) 3 + 3 d) 3 + 7

e) 5 + 7

92
5) Deseja-se medir a distância entre duas cidades B e C sobre um mapa, sem escala. Sabe-se
que AB = 80 km e AC = 120 km, onde A é uma cidade conhecida, como mostra a figura
anterior. Logo, a distância entre B e C, em km, é:
a) menor que 90.
b) maior que 90 e menor que 100.
c) maior que 100 e menor que 110.
d) maior que 110 e menor que 120.
e) maior que 120.

6) Se 10 kg de arroz alimentam 36 pessoas durante 30 dias, quantos kg serão


necessários para alimentar metade dessas pessoas durante 45 dias?
R: 7,5 kg

7) Trabalhando 8 horas por dia, 12 máquinas produzem 1200 peças. Quantas peças
serão produzidas por 6 máquinas trabalhando 10 horas por dia?
R: 750 peças

8) (Fuvest-SP) A sombra de um poste vertical, projetada pelo sol sobre um chão plano,
mede 12 metros. Nesse mesmo instante, a sombra, de um bastão vertical de 1 metro
de altura mede 0,6 metros de sombra. Qual a altura do poste?
R: 20 metros

93
LISTA 5
Estudo de Funções

1. O gráfico a seguir mostra a quantidade de pontos obtidos por Ayrton Senna na fórmula 1.

Determine:

a) Variáveis envolvidas

_____________________________________________________________

b) Variável dependente

_____________________________________________________________

c) Variável independente

___________________________________________________________

d) Domínio da função

______________________________________________________________

e) Conjunto imagem

_______________________________________________________________

f) Quando foi obtido o maior número de pontos?

_________________________________________

g) E o menor número de pontos?

_____________________________________________________

h) Em qual intervalo de tempo houve aumento no número de pontos?

________________________

i) Em qual intervalo de tempo houve redução no número de pontos?

_________________________

94
2. Um reservatório, contendo 500 litros de água, dispõe de uma válvula na sua parte inferior.
Um dispositivo foi utilizado para registrar o volume de água a cada instante, a partir do
momento em que a válvula foi aberta. Os valores obtidos durante a operação permitiram
construir o gráfico do volume de água (em litros) em função do tempo (em minutos).

a) Quais as variáveis
envolvidas?_____________________________________________________

b) O volume de água permaneceu constante no reservatório?


________________________________
c) Após 10 minutos, qual o volume de água existente no reservatório?
___________________________
d) Quantos minutos decorreram até que o volume da água existente no reservatório caísse
pela metade? Em quanto tempo o reservatório foi esvaziado?
_____________________________________
e) Qual o significado do intercepto vertical? E do intercepto
horizontal?__________________________

3. O gráfico abaixo mostra a taxa de desemprego na região metropolitana de São Paulo em


% da PEA – População Economicamente Ativa) em funções do tempo. (De novembro de
1999 a outubro de 2000)

a) Quais as variáveis envolvidas?


___________________________________________________________
b) Em que meses desse período a taxa de desemprego ficou abaixo de 18%?
________________________

95
c) Em que períodos a taxa de desemprego decresceu?
__________________________________________
d) Em que períodos a taxa de desemprego aumentou?
__________________________________________

4. Considere o gráfico de f(x) e determine o que se pede.

a) O valor de f(0) e, a imagem do elemento 7.

_____________________________________________

b) O elemento do domínio cuja imagem é

3._______________________________________________

c) Qual é o valor maior, f(1) ou f(6)?

_____________________________________________________

d) Quais os valores de x que tem como imagem o zero?

_____________________________________

e) f(4) é positiva ou negativa?

__________________________________________________________

f) f(6) é positiva ou negativa?

__________________________________________________________

g) Qual é o domínio de f(x) _______________ e a imagem de f(x)?

____________________________

5. Nas funções a seguir obtenha os valores de f(1), f(2) e f(3)


 x se 0  x  2
a) f(x)   f(1) = _____ f(2) = _____ f(3) =_______
1  x se 2  x  5
  x2 se x  2
1  x se 2  x  2,5
b) f(x)   f(1) =_____ f(2) = _____ f(3) =_______
4x se 2,5  x

96
Considerando o gráfico de cada uma das funções, responda as questões abaixo:
6. f x   2x  4
a) Qual é o domínio da
função?_______________________
b) Qual é a imagem da
função?_______________________
c) A função é crescente ( ) decrescente (
)
d) f x   0 se

____________________________________

e) f x   0 se ___________________________________

7. f x   x 2  1
a) Qual é o domínio da função?

_____________________________

b) Qual é a imagem da função?

_____________________________

c) f x   0 se

___________________________________________

d) f x   0 se ___________________________________________

e) Qual é o valor máximo que f(x) atinge? ______________________

8. f x   2x .
a) Qual é o domínio da função?

____________________

b) Qual é a imagem da função?

____________________

c) Existe x, tal que f x   0 ? ___________

d) A função é decrescente? ________________________

e) Existe x, tal que f x   0 ? ______________________

97
f) Para que valor de x, f x   1 ?

_______________________________________________________

g) Para que valores de x, f x   2 ?

_____________________________________________________

2
9. f x  
x
a) Qual é o domínio da função?

_____________________

b) Qual é a imagem da função?

_____________________

c) A função é crescente?

___________________________

d) f x   0 se _______________________

e) f x  se aproxima de zero quando _________________

Respostas Lista 05

98
LISTA 6
FUNÇÃO 1º GRAU
1) Determine a equação da reta que passa pelo ponto (0, 5) e tem coeficiente angular igual a
3.

2) Determine a equação da reta que passa pelo ponto (1, 5) e tem coeficiente angular igual a -
2.

3) Determine a equação da reta que passa pelo ponto (1, -3) e tem coeficiente linear igual a
½.

4) Um fabricante vende seu produto por $0,80 u.m. por unidade. O custo total do produto
consiste em uma taxa fixa de $40,00 u.m. mais o custo de produção de $0,30 u.m. por
unidade. Qual o valor do lucro ao vender 200 unidades deste produto?

5) O gráfico de y  2 x  b corta o eixo x no ponto (3/2, 0). Qual o valor de b ?


6) Faça o esboço do gráfico correspondente:

c) f  x   3 
x
a) y  3x  4 b) y  3  x
6

7) Suponha que a função Cx  20x  40 representa o custo total de produção de um artigo
onde C é o custo (em reais) e x é o nº de unidades produzidas. Determinar:
a) O custo de fabricação de 5 unidades deste produto

b) Quantas unidades devem ser produzidas para que o custo total seja de 12.000 u.m.

c) O gráfico dessa função, destacando o intervalo onde o problema tem interpretação


prática.

8) O custo C de produção de x litros de certa substância é dado por uma função de x com
x  0 , cujo gráfico está representado a seguir:
Nessas condições:

99
a) O custo de 700 u.m. corresponde a produção de quantos litros?

b) Qual o custo de 20 litros?

c) O custo de R$ 850,00 corresponde à produção de quantos litros?

9) O gráfico abaixo mostra o comportamento do custo da fábrica de certo tipo de


brinquedos, em função das unidades produzidas. Determine a função que descreve este
custo e calcule o custo na produção de 100 unidades.

10) Uma fábrica de peças para máquinas agrícolas tem


um custo determinado pelo modelo linear
C( x )  20x  3000 . Em um regime de produção,
determine:

a) O custo para produzir 200 peças;

b) O custo adicional se o nível de produção fosse elevado de 200 para 220 peças;

11) Uma sorveteria que vende sorvete obtém um lucro de L(x) = 1,80x – 90 reais quando vende
x taças de sorvete por dia.
a) A partir da venda de quantas taças de sorvete teremos lucro?

b) Faça o esboço do gráfico e mostre a região de lucro e prejuízo.

c) Quantas taças de sorvete devem ser vendidas para elevar o lucro de


R$ 288,00 para R$ 414,00.

RESPOSTAS Lista 06

1) y = 3x + 5; 2) y = -2x + 7 3) y = (-7/2)x + ½ 4) Lucro = $ 60 u.m. 5) b = 3


6) gráficos:

7) a) 140 b) 598 c) x > 0


8) C(x) = 15x + 400 a) 20 litros b) 700 u.m. c) 30 litros
9) C(x) = 12x + 700 e C(100) = $1900 u.m.

100
10) a) $7000 u.m. b) $ 400 u.m. c) $ 2500 u.m.
11) a) acima de 50 taças. b) c) 70 taças.

LISTA 7
FUNÇÃO 2º GRAU

1) Numa microempresa de confecções, o custo diário da produção x camisas é dado por


f  x  x 2  40x  410 em R$. Encontre o custo mínimo da produção diária.

1 2
2) Observando o gráfico da função f ( x)   x  x responda:
2
a) Domínio:.............................
a) Imagem:...............................................

b) Concavidade:......................................

c) Raízes:................................................

d) Analisar se o vértice é ponto mínimo

ou máximo, ..........................

e) V = (......... ; ............)

f) Interseção com o eixo y:....................

3) O custo diário de produção de uma indústria de aparelhos de telefones é dado pela função
C( x )  x 2  86x  2500, onde C(x) é o custo em reais e x é o número de unidades
fabricadas. Quantos aparelhos devem ser produzidos diariamente para que o custo seja
mínimo?

4) Um corpo lançado do solo verticalmente para cima tem posição em função do tempo dada
pela função h(t )  40t  5t , em que a altura h é dada em metros e o tempo t é dado em
2

segundos. Determine:
a) a altura em que o corpo se encontra em relação ao solo no instante t=3s.

b) os instantes em que o corpo está em uma altura de 60 m do solo.

101
5) Para cada função abaixo, analise o sinal de “ a ”, determine o ponto onde a parábola corta o
eixo y , calcule as raízes, determine o vértice caracterizando se o mesmo é ponto de Máximo
ou de Mínimo, determine o domínio e a imagem e a seguir esboce o seu gráfico:

a) y  x2  2x 1
b) y  2x2  8
c) y  x2  3
d) y   x2  4x  4
e) y  x2  x
f) y   x2  4x  5

6) A função que representa o gráfico é:

A) f ( x)  2 x 2  5x  3
B) f ( x )  2 x 2  3 x
C ) f ( x)  2 x 2  3 x
D) f ( x)  2 x 2  3x
E ) f ( x)  2 x 2  3x

Respostas Lista 7
5)a) a> 0 – concavidade para cima;
gráfico corta o eixo y no ponto (0, 1);
raízes: x’ = x” = -1, ou seja duas raízes reais e iguais,
portanto o gráfico corta o eixo x apenas no ponto (-1, 0);
vértice: V(-1, 0) portanto ponto de mínimo;
D=R Im = {y  R; y  0}

b) a> 0 – concavidade para cima;


gráfico corta o eixo y no ponto (0, -8);
raízes: x’ = -2 e x” = 2, ou seja duas raízes reais e distintas,
portanto o gráfico corta o eixo x nos pontos (-2, 0) e (2, 0);
vértice: V(0, -8) portanto ponto de mínimo;
D=R Im = {y  R; y  -8}

102
c) a> 0 – concavidade para cima;
gráfico corta o eixo y no ponto (0, 3);
raízes: não existem raízes reais,
portanto o gráfico não corta o eixo x;
vértice: V(0, 3) portanto ponto de mínimo;
D=R Im = {y  R; y  3}

d) a< 0 – concavidade para baixo;


gráfico corta o eixo y no ponto (0, -4);
raízes: x’ = x” = -2, ou seja duas raízes reais e iguais,
portanto o gráfico corta o eixo x apenas no ponto (-2, 0);
vértice: V(-2, 0) portanto ponto de máximo;
D=R Im = {y  R; y  0}

e) a< 0 – concavidade para baixo;


gráfico corta o eixo y no ponto (0, 0);
raízes: x’ = -1 e x” = 0, ou seja duas raízes reais e distintas,
portanto o gráfico corta o eixo x nos pontos (-1, 0) e (0, 0);
vértice: V(-1/2, 1/4) portanto ponto de máximo;
D=R Im = {y  R; y  1/4}

f) a< 0 – concavidade para baixo;


gráfico corta o eixo y no ponto (0, -5);
raízes: não existem raízes reais,
portanto o gráfico não corta o eixo x;
vértice: V(2, -1) portanto ponto de máximo;
D=R Im = {y  R; y  -1}

1) Custo de 10 por dia. 2) a) reais b) Im = { y IR/ y  0,5} c) para baixo d) 0 e 2 e) máximo


f) V (1, 0,5) g) 0 3) 43 aparelhos 4) a) 75 m b) 2 e 6 segundos 6) B

103
LISTA 8

FUNÇÃO MODULAR

Das funções definidas abaixo, determine:


a) Domínio e a imagem.
b) As intersecções (caso existam).
c) O esboço do gráfico mostrando os pontos de intersecção com os eixos.
d) Definição

1) f ( x)  x  3 2) f ( x)  x  3  1
3) f ( x)  x  2  3 4) f ( x)  x  1  2

Respostas:

D  IR
1) a)
Im  y  IR / y  0
b) Pontos de intersecção:
Eixo x: (3, 0) eixo y: (0; 3)

 x  3 se x  3
d) f ( x)  
 x  3 se x  3

2) a) D  IR
Im  y  IR / y  1
b) Pontos de intersecção:
Eixo x: (-4; 0) e (-2; 0) eixo y: (0; 2)

 x  2 se x  3
d) f ( x)  
 x  4 se x  3

3) a) D  IR
Im  y  IR / y  3
b) Pontos de intersecção:
Eixo x: (-1; 0) e (5; 0) eixo y: (0; -1)

 x  5 se x  2
d) f ( x)  
 x  1 se x  2

104
D  IR
4) a)
Im  y  IR / y  2
b) Pontos de intersecção:
Eixo x: Não existe eixo y: (0; 3)

 x  3 se x  1
d) f ( x)  
 x  1 se x  1

FUNÇÃO DEFINIDA POR MAIS DE UMA SENTENÇA

Exercícios:
Construir o gráfico das funções abaixo.

6 x  7 se x  2
 x 2  4 se x  3 
1) f ( x )   2) f ( x )   3 se x  2
 2 x  1 se x  3  4  x se x  2

 x 2  4 se x  2

3) f ( x )   4 se x  2
4  x 2 se x2

Respostas:
1) 2)

3)

105
FUNÇÃO FRACIONÁRIA

Das funções definidas abaixo, determine:


a) Domínio e a imagem.
b) As intersecções (caso existam).
c) O esboço do gráfico mostrando os pontos de intersecção com os eixos e as assíntotas
horizontal e vertical.

2 2
1) f ( x )  2) f ( x )  1
x3 x3

x x
3) f ( x )  4) f ( x )  2
x2 x 1

Respostas
1)
a) D =x  IR / x  3
IM = y  IR / y  0

b) Pontos de intersecção:
eixo x: não tem eixo y: (0; -2/3)
c) Assíntotas: horizontal y = 0;
vertical x = 3;

x  IR / x  3
2) a) D =

IM = y  IR / y  1

b) Pontos de intersecção:
eixo x: (1, 0) eixo y: (0; 1/3)
c)Assíntotas: horizontal y = 1; vertical x = 3

106
x  IR / x  2
3) a) D =

IM = y  IR / y  1

b) Pontos de intersecção:
eixo x: (0, 0) eixo y: (0; 0)
c) Assíntotas: horizontal y = 1; vertical x = -2

x  IR / x  1
4) a) D =

IM = y  IR / y  3

b) Pontos de intersecção:
eixo x: (2/3, 0) eixo y: (0; 2)
c)Assíntotas:
horizontal y =3;
vertical x = 1

FUNÇÕES IRRACIONAIS

Das funções definidas abaixo, determine:


a) Domínio e a imagem.
b) As intersecções (caso existam).
c) O esboço do gráfico mostrando os pontos de intersecção com os eixos.

1) f ( x )  x2
2) f ( x )  x  2 1
3) f ( x )  1 x  2

Respostas:

1) a) D  x  IR / x  2 
Im  y  IR / y  0
b) Pontos de intersecção:

eixo x: (-2, 0) eixo y: (0; 2)

107
2) a)D  x  IR / x  2
Im  y  IR / y  1
b) Pontos de intersecção:
eixo x: (-1, 0)
eixo y: (0; 0,4142 )

D  x  IR / x  1
3) a)
Im  y  IR / y  2
b) Pontos de intersecção:
eixo x: não existe
eixo y: (0, 3)

LISTA 9

1) Faça a correspondência entre as funções (abaixo) e os gráficos (A) (B) (C) (D).
  f ( x)  5 x  2   f ( x)  log 5 ( x  2)   f ( x)  2 x   f ( x)  log 2 x

B
A

C D

108
2)A figura ao lado mostra parte do gráfico da função:
A) f(x) = log 2 x
B) f(x) = log 2 ( x  2)
C) f(x) = 2 x  2
D) f(x) = log 1 ( x  2)
2

E) y  log 2 x  2

3) Construa o gráfico das seguintes funções mostrando os pontos de interseção com os eixos,
determine o domínio e a imagem, classificando a função como crescente ou decrescente:
x
1
x
(A) y = 3 + 1 (B) y =    1 (C) y = 2 x  4 (D) y = 3 x
3
4) Construa o gráfico das seguintes funções mostrando os pontos de interseção com os eixos,
determine o domínio e a imagem, classificando a função como crescente ou decrescente:
a) f ( x)  log 3 (2 x  5) b) f ( x)  log  1  ( x  2) c) y  log 3 ( x) +1
 
3

d ) f ( x)  log 5 x

1) ( C ) ( B ) ( A ) ( D ) 2) alternativa B.
Respostas:
Função Exponencial – Esboço de gráficos.
Questão 03
A

D = IR Im  y  IR / y  1 B

Raiz não existe D = IR Raiz não Existe Im  y  IR / y  1

109
D
C
Im  y  IR / y  0Raiz não Existe
Im  y  IR / y  4Raiz x = 2
D = IR
D = IR

Função LogarítmicaQuestão 04

A
Im = IR D  x  IR / x  5 / 2
B
Im = IR D  x  IR / x  2
Raiz x = -2
Raiz x = -1Pontos (-1, 0) e (0; -0,63)
Eixo x (-2, 0)e eixo y (0, 1,46)

D
C Im = IR D  x  IR / x  0
Im = IR D  x  IR / x  0 Raiz x = 1
Raiz x = 1/3 Eixo x (1/3, 0) e eixo y não Eixo x (1, 0)e eixo y não há.
há.

110
LISTA 10
1) Construa o Gráfico das funções indicando período, imagem e domínio. Analise a
influência de cada parâmetros: a, b, e c, na função f(x) = b + a.sen(cx) e ou f(x) = b +
a.cos(cx)

a) f(x) = 2sen(x) b)f(x) = -1 + cos(2x) c) f(x) = (1/2)sen(x) d) f(x) = 1 + sen(x/2)

2) Se f(x) = b + a.sen(cx) representa o gráfico, então:


a) b = -2 e a = 1
b) b = -1 e a = 2
c) b = 1 e a = -1
d) b = 1 e a = -2
e) b = 2 e a = -1

3) Associe a função trigonométrica ao gráfico que está parcialmente dado na figura:


( ) f(x) = 3 +cos(x) ( ) f(x) = 2 – 3cos(x) ( ) f(x) = 2–3sen(x) ( ) f(x)= 3 + sen(x)

(I) (II)

(III)

4) Qual é a função que representa o gráfico ao lado.

a) f(x) = - 2 - sen(2x)
b) f(x) = -2 + sen(x)
c) f(x) = -2 + sen(2x)
d) f(x) = 2 + sen(2x)
e) f(x) =-2 + cos (2x)

111
5) Determine o domínio e a imagem e período da função
 x
a)f(x)=3*tg(x) b)f(x)=3*cotg(2x) c) f ( x )  1  3tg  .
3

Respostas:1)
a)D = IR P = 2pi Im = [-2,2] b) D = IR P = pi Im = [-2, 0]

c) D = IR P = 2pi Im = [-1/2; 1/2]

d)

D = IR P = 4pi Im = [0; 2]
2) D
3) ( I ) f(x) = 3 + cos(x) ( ) f(x) = 2 – 3cos(x) ( II ) f(x) = 2 – 3sen(x) (III )
f(x)= 3 + sen(x)
4) C
5) a)D={xeR/x  pi/2+kpi;keZ} Im=R P=pi
b) D={xeR/x  kpi; keZ} Im=R P=pi/2
c) D={xeR/x  pi/2+kpi; keZ} Im=R P=3pi

112