Você está na página 1de 30

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS

CENTRO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA


TECNOLOGIA EM SANEAMENTO AMBIENTAL

PRINCIPAIS ZOONOSES DE
INTERESSE EM SAÚDE PÚBLICA

Disciplina: ST307 Saúde Pública


Profa. Dra. Cassiana Maria Reganhan Coneglian
INTRODUÇÃO
- Médico alemão Rudolf Wirchow: zoonoses.
- Zoonoses: doenças naturalmente transmissíveis entre os
hospedeiros vertebrados e o homem ou vice-versa.
- 150 a 180 doenças.
- Riscos de exposição às zoonoses:
- demanda maior de alimentos de origem animal;
- urbanização;
- criação de animais de “estimação”;
- transporte favorecendo a disseminação de região
endêmica para outra indene (acidental, comercialização).
Zoonoses: 3 grupos de acordo com a gravidade

• Igualmente graves para o homem e para os


animais – Tuberculose bovina.

• Graves para o homem e raramente


prejudiciais à saúde animal - Brucelose.

• Raramente afeta o homem, mas provocam


graves epizootias (epidemias animais) – febre
aftosa.
CLASSIFICAÇÃO
Zoonoses diretas
- Transmissão de um hospedeiro vertebrado infectado a um
vertebrado suscetível por contato, veiculação ou vetor
mecânico – brucelose, raiva.

Ciclozoonoses
- Há a participação de mais de uma espécie de hospedeiro
vertebrado na cadeia de transmissão – cisticercose.

Metazoonoses
- Transmitidas biologicamente através de vetores
invertebrados – febre amarela.
VIAS DE TRANSMISSÃO

Transmissão Direta
- Transmissão do hospedeiro vertebrado infectado a
outro hospedeiro vertebrado suscetível através do
contato direto.

Transmissão Indireta
- Através de alimentos, secreções, vômitos,
artrópodes.
1. PRINCIPAIS ZOONOSES TRANSMISSÍVEIS POR
ANIMAIS DOMÉSTICOS DE ESTIMAÇÃO
1. CÃO
- Raiva: vírus
- Leishmaniose visceral (calazar): protozoário
- Leptospirose: bactéria
- Dermatofitose: fungo
- Dipilidiose: helminto
- Hidatidose ou equinococose: helminto
- Dirofilariose: helminto (filárias)
- Dermatite por larva migrans – bicho geográfico: nematóide
- Larva migrans visceral: nematóide
- Sarna e escabiose: artrópode
- Outras zoonoses: salmoneloses, tuberculose, campilobacteriose.
Difilariose
www.policlinicaveterinaria.com.br
Dermatofitose na suíno
Fonte: Universidade Federal Fluminense

Dermatite por larva migras

Sarcoptes scabiei – sarna ou escabiose


2. GATO
-Toxoplasmose: protozoário – Toxoplasma gondii
- Doença da arranhadura do gato
- Outras zoonoses: raiva, dipilidiose, dermatite por larva
migrans, dermatofitose, larva migrans visceral, sarna ou
escabiose, campilobacteriose.
2. PRINCIPAIS ZOONOSES TRANSMITIDAS POR
ANIMAIS PERIDOMÉSTICOS OU SINANTRÓPICOS

1. RATO (Rattus rattus, Rattus norvegicus,Mus


musculus)
- Leptospirose: bactéria
- Peste: bactéria
- Tifo murino: bactéria
- Salmoneloses: bactéria
- Doenças causadas por fungos – micoses
- Outras zoonoses: febre da mordedura do rato,
erisipela, toxoplasmose.
2. POMBO
- Salmoneloses: bactéria
- Ornitose: bactéria
- Criptococose: fungo
- Outras zoonoses: toxoplasmose, encefalite letárgica,
psitacose.
3. MORCEGO
- Raiva: vírus
- Outras zoonoses: encefalite letárgica.
3. PRINCIPAIS ZOONOSES TRANSMISSÍVEIS POR
ANIMAIS DE CRIAÇÃO DE QUINTAL OU DE USO
ECONÔMICO

1. PORCO
- Teníase ou cisticercose: helminto
- Brucelose: bactéria
- Erisipela: bactéria
2. CABRA
- Carbúnculo: bactéria
- Outras zoonoses: tuberculose, brucelose, salmonelose,
campilobacteriose.
3. AVES DOMÉSTICAS
- Doença de Newcastle: vírus
- Influenza ou gripe: vírus
- Salmonelose: bactéria
4. PRINCIPAIS ZOONOSES TRANSMISSÍVEIS POR
ANIMAIS DE ORIGEM SILVESTRE

Possibilidades de estabelecimento de processos zoonóticos

• Introdução de animais domésticos e/ou homem em um foco natural

• Translocação de hospedeiro infectado a um novo biótipo, onde


existem hospedeiros suscetíveis
• Falta de alimento, o que obriga os animais reservatórios a
translocar-se a outras biocenoses.
• Intervenção do homem na modificação dos ecossistemas
• mutações positivas no processo epidêmico do agente etiológico,
facilitando sua disseminação
• Intervenção das aves migratórias e vetores.
Quadro 1 - Principais zoonoses e doenças emergentes transmitidas por
animais silvestres
Zoonoses e Doenças Principais Fontes de Infecção e
Agente Etiológico Vias de Transmissão
Parasitárias Reservatórios
Entamoeba
Amebiose Ingestão de água e alimentos contaminados com cistos
histolytica
Complexo hidatidose- Equinococcus
Ingestão de vísceras contaminadas com cistos hidáticos
equinococose granulosus
Cryptosporidium Ingestão de água e alimentos contaminados com
Criptosporidiose Mamíferos
spp oocistos
Através do repasto sangüíneo (inoculação de
Dirofilariose Dirofilaria immitis microfilárias) pelos vetores biológicos - mosquitos
(Culex, Aedes, Anopheles, etc.)
Mais de 200 espécies de Contato com as fezes dos vetores biológicos
Doença de Chagas Trypanosoma cruzi mamíferos principalmente o (hemípteros) principalmente dos gêneros Triatoma,
gambá Didelphis sp Panstrongylus e Rhodnius contendo tripomastigotas
Ingestão de água e vegetação contaminada com
Fasciolose Fasciola hepatica Herbívoros
metacercárias encistadas
Giardíase Giardia intestinalis Carnívoros Ingestão de água e alimentos contaminados com cistos
Larva migrans Ancylostoma Solo contaminado com ovos do parasita e através da
Canídeos
cutânea braziliensis pele (larvas)
Larva migrans
Toxocara canis Canídeos Fecal-oral (solo contaminado com ovos do parasita)
visceral
Roedores (principais), preguiça,
Leishmaniose Leishmania Vetores biológicos flebotomíneos Lutzomyia spp
tamanduá,
tegumentar braziliensis (mosquito-palha)
canídeos, eqüídeos
Leishmaniose Leishmania principais Vetores biológicos flebotomíneos Lutzomyia spp
visceral chagasi reservatórios (mosquito-palha)
Carnívoros (predadores) e Ingestão de oocistos no meio ambiente e carnivorismo
Sarcocistose Sarcocystis spp
herbívoros (presas) (ingestão de sarcocistos)
Ingestão de oocistos esporulados na água e alimentos
Felídeos e animais
Toxoplasmose Toxoplasma gondii contaminados, carnivorismo (cistos teciduais-bradizoítas)
endotérmicos
ou transplacentária (taquizoítas)
Principais Fontes de
Agente Etiológico Infecção e Vias de Transmissão
Reservatórios
Aspergillus flavus Aves Através da ingestão das conídias no solo contaminado
Ingestão de pastos contaminados com brucélas através de
Brucella abortus B. Ungulados e fetos abortados, placenta e líquidos uterinos. Exposição por
suis, B. ovis e B. canis carnívoros meio das mucosas genital e conjuntival, da pele e das vias
respiratórias
Via fecal-oral, direta ou indireta. Através da ingestão de
Animais e seus
Campilobacter sp produtos de origem animal contaminados com fezes
subprodutos
infectadas.
Psitacídeos e Inalação de aerossóis em ambientes contaminados ou pela
Chlamydophyla
columbiformes via digestiva (alimentos contaminados, coprofagia e
psittaci
(principais) canibalismo)

Fonte: Silva, J.C.R. Zoonoses e doenças


emergentes por animais.
1. MACACO, SAGUI
- Febre amarela: vírus
- Outras zoonoses: hepatite a, herpes simples,
salmonelose, raiva, tuberculose.
2. TARTARUGA
- Doença enterobacteriana por arizona: bactéria
- Salmonelose: bactéria
4. PAPAGAIO, ARARA E PIRIQUITO
- Psitacose: bactéria
ZOONOSES MAIS FREQUENTES ENTRE OS
ANIMAIS DOMÉSTICOS
RAIVA
- Doença causada pelo vírus Lyssavirus.
- Brasil: Regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, alguns
estados da região sudeste.
-Transmissor: cão (74%), morcego (12%), gatos, bovinos,
eqüinos, caprinos, suínos.
- Transmissão: saliva do animal raivoso.
- Período de incubação: dias a meses.
Doença no homem

- Sintomas: náusea, cefaléia, salivação abundante dor de


cabeça, febre leve, sensibilidade no local do ferimento,
espasmos musculares, sensibilidade a luz, paralisia e morte.

- Tratamento: não existe para quadro de raiva, vacinação


profilática, cuidados com ferimento.

Doença no animal
- Fase inicial
- Fase de excitação
- Fase paralítica.
- Formas clínicas: Raiva furiosa, Raiva paralítica.
Medidas preventivas e controle
- Vacinação periódica para caninos e felinos.
- Evitar cães soltos nas ruas.
- Manejo adequado para animais de interesse econômico.
- Ao ser mordido evitar a fuga do animal, lavar o local com
sabão.
- Procurar orientação médica sem demora.
- Avisar o centro de controle de zoonoses.
- Observar o cão ou gato agressor por 10 dias.
- Encaminhar animal para exames.
LEISHMANIOSE
- Doença causada pelo protozoário do gênero Leishmania.
- Vetor: mosquito Phlebotomus.
- 3 formas clínicas: cutânea, mucocutânea e visceral (calazar).
Doença no homem
- Sintomas: lesão na pele (úlcera), úlceras na mucosa oral ou nasal,
aumento do baço, anemia, emagrecimento, febre contínua e morte.
Doença no animal
- Sintomas: emagrecimento e ferimentos na pele, nas regiões das
articulações, nas costas, focinhos e orelhas; tamanho exagerado
das unhas.
Transmissão
- Picada do mosquito infectado (ao picar o cão doente) com o
agente etiológico, envolvendo participação de cães e animais
silvestres.
LEPTOSPIROSE
- Zoonose bastante comum no Brasil, transmitida por roedores podendo
ocorrer em outros animais como: caninos, bovinos, suínos, eqüinos e outras.
- Doença infecciosa aguda endêmica em quase todo mundo, causada por
bactérias do Gênero Leptospira.
- Detectada em locais úmidos e escuros: cocheiras, estábulos, pocilgas,
tubulações de esgoto doméstico.
- Leptospira é eliminada pela urina infectada, principalmente de Ratus
novergicus – principal portador e disseminador da doença.
- Transmissão ao homem de forma indireta, com água ou solo contaminado
com urina infectada.
- As Leptospira penetram no organismo por meio de solução de
descontinuidade da pele, mucosas ou ingestão de água e alimentos
contaminados.
- Apresenta-se clinicamente como uma síndrome gripal: cefaléia, calafrios,
dores musculares, náuseas, vômitos, anorexia .
- Casos mais severos: hepatomegalia, gastroenterite, irritação meníngea,
cefaléia intensa.
TOXOPLASMOSE
-Doença causada pelo protozoário Toxoplasma gondii.
- Transmissor: gato, outros vertebrados (pombo, cães,
coelhos).
- Transmissão: carne mal cozidas (carneiro, porco e boi),
contato com fezes contaminada (gato).

Doença no homem

- Sintomas: infecções intra-uterinas são graves.

Doença no animal

- Sintomas: assintomático, distúrbios intestinais em animais


jovens, toxoplasmose congênita.
DERMATITE POR LARVA MIGRANS – BICHO
GEOGRÁFICO - ANCILOSTOMÍASE
- Doença causada por nematóide: Ancylostoma brasiliensis
(cães e gatos), Ancylostoma caninum (cães).
Doença no homem
- Sintomas: penetração da larva no tecido cutâneo, com
intensa migração, formando dermatite.
Doença no animal
- Sintomas: anemia, diarréia.
Transmissão
- Contato direto com o solo contendo os larvas do parasita.
ANIMAIS SILVESTRES E AS CONTRA-
INDICAÇÕES PARA A MANUTENÇÃO COMO
ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO

- Porte animal silvestre é crime inafiançável: Lei 9605/98.


- Captura provoca um desequilíbrio ecológico.
- Resistências individuais são debilitadas e algumas doenças
passam a se manifestar.
- Mudanças comportamentais.
OBJETIVOS DAS UNIDADES DE CONTROLE DE ZOONOSES
PRINCIPAIS ATIVIDADES PARA O CONTROLE DAS
ZOONOSES
• Apreensão de animais de pequeno, médio e grande porte (cães, gatos,
ovinos, caprinos, eqüinos e bovinos).
• Remoção de animais doentes e de animais mortos em vias públicas,
domicílios e clínicas veterinárias.
• Guarda de animais e destinação dos não resgatados.
• Observação de animais suspeitos de raiva.
• Coleta de material para investigação de raiva.
• Vacinação anti-rábica.
• Sacrifício de animais doentes e/ou não adotados.
• Desratização em pontos estratégicos, segundo metodologia OMS.
• Controle de vetores.
• Educação para a saúde.
• Desenvolvimento de estudos para novas tecnologias de controle de
zoonoses e vetores.