Você está na página 1de 129

Contabilidade Geral

Teoria e Questões
► Aula 03
www.igorcintra.com.br

E aí manada, tudo bem? Como foram os estudos da semana passada? Espero que vocês já
tenham revisado todas as questões que vocês erraram ou tiveram muita dificuldade para
acertar...

Bata nos seus pontos fracos!

Na aula de hoje veremos alguns aspectos do Ativo Circulante. Fique atento às questões sobre
apropriação de seguros, que sempre é uma tendência em provas de Contabilidade Geral.
Além disso, também estudaremos os lançamentos referentes às Perdas Estimadas com
Créditos de Liquidação Duvidosa.

Para finalizar a aula estudaremos os conceitos de operações com mercadorias e sistemas de


inventários, que certamente serão cobrados em sua prova!

Qualquer dúvida estou à disposição no fórum do site.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 2


www.igorcintra.com.br

Sumário
1. ATIVO CIRCULANTE .................................................................................................... 4
1.1 Disponibilidades .......................................................................................................... 4
1.1.1 Equivalente de Caixa ................................................................................................... 6
1.2 Direitos Realizáveis no Curso do Exercício Social Subsequente............................... 7
1.3 Aplicações de Recursos em Despesa do Exercício Seguinte .................................... 8
1.4 Ciclo Operacional ........................................................................................................ 18
2. PERDAS ESTIMADAS COM CRÉDITOS DE LIQUIDAÇÃO DUVIDOSA (PECLD) ...... 20
2.1 Baixa de Títulos considerados Incobráveis ............................................................... 21
2.2 Reversão do saldo remanescente; ............................................................................22
2.3 Complementação até o valor da nova estimativa de perdas ..................................22
2.4 Perdas Registradas em Exercício Anterior ................................................................23
2.5 Perdas Registradas no Próprio Exercício ..................................................................23
3. OPERAÇÕES COM MERCADORIAS .......................................................................... 34
3.1 Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) ....................................................... 48
3.1.1 Descontos Incondicionais ......................................................................................... 49
3.2 Frete e Seguro ........................................................................................................... 50
3.3 PIS e COFINS ............................................................................................................... 51
4. SISTEMAS DE INVENTÁRIOS .................................................................................... 59
4.1 Inventário Periódico .................................................................................................. 59
4.2 Inventário Permanente ............................................................................................. 60
4.2.1 Método PEPS ............................................................................................................. 60
4.2.2 Método UEPS.............................................................................................................. 61
4.2.3 Método do Custo Médio Móvel................................................................................. 61
4.2.4 Método do Custo Médio Fixo ................................................................................... 63
MEMÓRIA DE ELEFANTE ...................................................................................................... 91
LISTA DE QUESTÕES COMENTADAS .................................................................................. 95
GABARITO ............................................................................................................................ 128

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 3


www.igorcintra.com.br

1. ATIVO CIRCULANTE
O ativo circulante compreende os bens e os direitos conversíveis em moeda (dinheiro) ao
longo do exercício social subsequente ou do ciclo operacional, caso este tenha duração
maior que o exercício social.

Segundo o artigo 179 da Lei das Sociedades por Ações, são classificados no Ativo Circulante:

DISPONIBILIDADES

ATIVO DIREITOS REALIZÁVEIS NO CURSO DO


CIRCULANTE EXERCÍCIO SOCIAL SUBSEQUENTE

APLICAÇÕES DE RECURSOS EM DESPESA


DO EXERCÍCIO SEGUINTE

1.1 Disponibilidades
Pela sua grande liquidez, constituem o primeiro subgrupo do Ativo Circulante (lembre-se que
no Ativo as contas serão dispostas em ordem decrescente de liquidez). Incluem o dinheiro
em caixa ou em banco, cheques sem restrição de uso imediato, além de aplicações
financeiras de liquidez imediata.

Vamos analisar uma questão a respeito das disponibilidades.

01. (FGV – ISS-Recife – 2014) Em 31/12/2013, uma entidade possuía entre suas contas os
seguintes saldos:

Caixa: R$ 20.000,00;
Depósito vinculado para liquidação de contratos de câmbio: R$ 10.000,00;
Depósito com restrição de movimentação por força de cláusula contratual de
financiamento: R$ 15.000,00;
Numerário em trânsito: R$ 22.000,00.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 4


www.igorcintra.com.br

Com base nessas informações, o valor da conta Disponibilidades da Entidade, em


31/12/2013, era de

(A) R$ 20.000,00.

(B) R$ 42.000,00.

(C) R$ 47.000,00.

(D) R$ 52.000,00.

(E) R$ 67.000,00.

Resolução:

A intitulação Disponibilidades, dada pela Lei n° 6.404/76, é usada para designar dinheiro em
caixa e em bancos, bem como valores equivalentes, como cheques em mãos e em trânsito
que representam recursos com livre movimentação para aplicação nas operações da
empresa e para os quais não haja restrições para uso imediato.

O Caixa inclui dinheiro, bem como cheque em mãos recebidos e ainda não depositados.

Os depósitos bancários à vista são representados por contas de livre movimentação que
são mantidas pela entidade em bancos. Podem ser subdividias em conta movimento, contas
especiais para pagamentos específicos (tais como contas para folha de pagamento do
pessoal, dividendos a pagar etc), e contas especiais de cobrança.

Cabe ressaltar que Depósitos Bancários Vinculados não integram as Disponibilidades, pois
seus saldos não estão imediatamente disponíveis para os pagamentos normais da empresa.
Da mesma forma, os depósitos bloqueados não fazem parte das Disponibilidades.

As Contas em Bancos em Liquidação ou sob intervenção devem ser classificados como


Contas a Receber no Ativo Circulante ou Realizável a Longo Prazo, dependendo da situação.

Com isso, as Disponibilidades serão de:

Caixa R$ 20.000,00
(+) Numerário em Trânsito R$ 22.000,00
(=) Total Disponibilidades R$ 42.000,00

As demais contas são classificadas como depósitos vinculados e não fazem parte das
Disponibilidades.

Gabarito: B

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 5


www.igorcintra.com.br

1.1.1 Equivalente de Caixa

Este é um conceito normalmente trazido pelas Normas Internacionais de Contabilidade. São


aplicações financeiras de curto prazo, de alta liquidez, que são prontamente conversíveis
em um montante conhecido de caixa e que estão sujeitas a um insignificante risco de
mudança de valor.

Deste modo, compõe o subgrupo Disponibilidades as seguintes contas:

 Caixa;
 Bancos conta Movimento;
 Aplicações Financeiras de Liquidez Imediata;
 Numerários em Trânsito

02. (VUNESP – Contador – UNESP – 2012) As práticas contábeis determinam que as contas
no ativo serão dispostas em ordem decrescente de grau de liquidez. Com isso, os balanços
patrimoniais, especificamente no ativo circulante, apresentarão como primeira rubrica as
disponibilidades. Considerando o referido conceito, pede-se demonstrar o saldo de caixa
e equivalentes de caixa de uma entidade que apresentou os seguintes valores nas contas
do Balanço Patrimonial:

Reais
Capital 200.000,00
Ativo imobilizado 870.000,00
Ativo intangível – deságio 15.000,00
Fornecedores 794.000,00
Impostos a recolher 560.000,00
Dividendos a pagar 150.000,00
Receita de vendas 1.500.000,00
Custos de produtos vendidos 850.000,00
Lucro líquido 245.000,00
Estoques 184.000,00
Aplicações financeiras de longo prazo 110.000,00
Contas a receber 530.000,00
Provisão para créditos de liquidação duvidosa 35.000,00
Aplicações financeiras de liquidez imediata 245.000,00
Caixa 60.000,00

Assinale a alternativa correta.

(A) 60.000,00.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 6


www.igorcintra.com.br

(B) 45.000,00.

(C) 305.000,00.

(D) 415.000,00.

(E) 545.000,00.

Resolução:

O enunciado quer saber o saldo de caixa e equivalentes de caixa da entidade. Equivalentes


de caixa são aplicações financeiras de curto prazo, de alta liquidez, que são prontamente
conversíveis em montante conhecido de caixa e que estão sujeitas a um insignificante risco
de mudança de valor.

Com isso, temos que:

Caixa R$ 60.000,00
Aplicações Financeiras de Liquidez Imediata R$ 245.000,00
Caixa e Equivalentes de Caixa R$ 305.000,00

Gabarito: C

1.2 Direitos Realizáveis no Curso do Exercício Social Subsequente


Podem conter direitos realizáveis reais (bens) e direitos realizáveis pessoais (créditos).
Constituem os direitos que se tornam realizáveis ao longo do exercício social seguinte ou do
ciclo operacional da entidade, caso este seja maior que o exercício social.

Os estoques de matérias primas, produtos em elaboração, produtos acabados, mercadorias


são exemplos de direitos reais.

Duplicatas a Receber, Adiantamento a Fornecedores, Títulos a Receber, ICMS a Recuperar,


IPI a Recuperar são exemplos de direitos pessoais.

Desta forma, são exemplos de contas típicas do subgrupo Direitos Realizáveis no Curso do
Exercício Social Subsequente:

 Clientes
 Duplicatas a Receber
 Perdas Estimadas com Créditos de Liquidação Duvidosa (Conta Retificadora)
 Ajuste a Valor Presente (Conta Retificadora)
 Títulos a Receber
 Dividendos a Receber
 Juros a Receber

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 7


www.igorcintra.com.br

 Adiantamento a Terceiros
 Antecipação do 13° Salário
 Antecipação de Férias
 IPI a Recuperar
 ICMS a Recuperar
 Estoques
 Produtos em Elaboração

1.3 Aplicações de Recursos em Despesa do Exercício Seguinte


As aplicações de recursos em despesa do exercício seguinte contemplam despesas que
foram pagas antecipadamente, ou seja, cujos fatos geradores ocorrerão no futuro. Para
respeitar o Regime da Competência essas despesas pagas antecipadamente são classificadas
no Ativo. Com a realização futura dos fatos geradores é que as Despesas serão reconhecidas,
tendo como contrapartida a diminuição de uma conta do Ativo.

Então, por exemplo, se uma empresa paga três anos de aluguel antecipadamente, no valor
de R$ 36.000,00, seria injusto que tal desembolso fosse registrado integralmente como
despesa no ato do desembolso, não é? Afinal, o fato gerador da despesa de aluguel é
mensal!

Desta forma, na antecipação do pagamento será realizado o seguinte lançamento:

D – Aluguéis a Vencer R$ 36.000,00 (Ativo)


C – Caixa R$ 36.000,00 (Ativo)

Paulatinamente será realizado, mês a mês, o reconhecimento da despesa da seguinte forma:

D – Despesa com Aluguel R$ 1.000,00 (Despesa)


C – Aluguéis a Vencer R$ 1.000,00 (Ativo)

São exemplos de aplicações de recursos em despesa do exercício seguinte:

 Prêmio de Seguro a Apropriar (ou Seguros a Vencer)


 Assinatura de Jornais e Revistas
 Juros reconhecidos antecipadamente
 Salários pagos antecipadamente
 Aluguéis pagos antecipadamente (Aluguéis a Vencer)

Vejam algumas questões sobre o tema, que é frequentemente cobrado em provas de


Contabilidade Geral.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 8


www.igorcintra.com.br

03. (UFTM – Contador – TJ/MT – 2016) Para o setor privado, “o pagamento antecipado de
aluguéis” se relaciona a uma Despesa

a) Paga e Não Incorrida.

b) Incorrida e Não Paga.

c) Paga e Incorrida.

d) Incorrida.

Resolução:

O pagamento antecipado de aluguéis é um exemplo clássico de despesa antecipada. Ou seja,


trata-se de despesa que já foi paga mas cujo fato gerador ocorrerá no futuro (em outras
palavras, a despesa ainda não foi incorrida).

Assim, correta a alternativa A.

Gabarito: A

04. (CONSULPLAN – Contador – NI – 2016) Nas demonstrações de uma entidade o contador


verificou o registro de Aluguel Passivo a Vencer no valor de $ 5.000,00. Sobre este registro,
é correto afirmar que trata-se de

a) uma conta de resultado.

b) uma despesa antecipada.

c) um adiantamento a fornecedores.

d) uma despesa incorrida e não paga.

Resolução:

Acabamos de verificar que as despesas antecipadas, como aluguéis pagos antecipadamente,


seguros pagos antecipadamente, são classificados no ativo.

Assim, correta a alternativa B.

Gabarito: B

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 9


www.igorcintra.com.br

05. (CESPE – ACE – TCE/PA – 2016) As aplicações de recursos em despesas do exercício


seguinte são consideradas ativos circulantes e devem ser baixadas quando tais despesas
forem consideradas incorridas.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Resolução:

As aplicações de recursos em despesa do exercício seguinte contemplam despesas que


foram pagas antecipadamente, ou seja, cujos fatos geradores ocorrerão no futuro. Para
respeitar o Regime da Competência essas despesas pagas antecipadamente são classificadas
no Ativo. Com a realização futura dos fatos geradores é que as Despesas serão reconhecidas,
tendo como contrapartida a diminuição de uma conta do Ativo.

Apenas destaco que a afirmativa peca ao afirmar que as despesas do exercício seguinte são
consideradas como “ativos circulantes”. Isso pode não ser verdade! Um exemplo disso é
uma despesa paga antecipadamente cujo fato gerador seja de longo prazo. Neste caso ela
deverá ser classificada inicialmente no Ativo Não Circulante – Realizável a Longo Prazo.

Assim, correta a afirmativa.

Gabarito: C

06. (VUNESP – Contador – UNIFESP – 2016) Uma companhia contratou um seguro contra
incêndio para suas instalações fabris, com vigência de três anos, pagando à vista um
prêmio de R$ 126.000,00, em 01.07.2015.

Em consequência, o valor do encargo do seguro lançado no custo de produção de 2015


equivaleu, em R$, a:

(A) 17.500,00

(B) 21.000,00

(C) 24.500,00

(D) 35.000,00

(E) 42.000,00

Resolução:

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 10


www.igorcintra.com.br

Inicialmente vamos analisar o lançamento realizado na data da contratação do seguro,


lembrando que a vigência é de 3 anos.

D – Seguros a Vencer R$ 42.000 (Ativo Circulante)


D – Seguros a Vencer R$ 84.000 (Ativo Não Circulante)
C – Caixa R$ 126.000 (Ativo Circulante)

No momento da contratação não há, portanto, impacto no resultado.

Posteriormente, mensalmente, a entidade deverá apropriar a despesa com seguro no valor


de R$ 3.500 (R$ 42 mil / 12 meses). No entanto, por se tratar de seguro de instalações fabris,
tal valor é considerado um custo indireto de produção, ou seja, faz parte do custo de
produção de seus produtos. Assim, a entidade lançará mensalmente:

D – Custos Indiretos de Produção R$ 3.500 (Ativo Circulante)


C – Seguros a Vencer R$ 3.500 (Ativo Circulante)

Como a contratação ocorreu em 01/07/2015, ao longo do exercício a entidade terá


apropriado seis meses de seguro, somando R$ 21.000.

Assim, correta a alternativa B.

Gabarito: B

07. (CESPE – Analista Judiciário – TRE/PE – 2017) No dia 31/8/2015, determinada empresa
pública firmou contrato de seguros para cobertura de seus ativos para o período
equivalente a 1.º/9/2015 a 31/8/2016. Na referida data, a entidade pagou o montante
total de R$ 18.000. Em caso de sinistro, o valor da franquia equivale a R$ 1.800 e a empresa
poderá receber indenização no montante de até dez vezes o prêmio pago.

As demonstrações contábeis da empresa foram feitas de acordo com a legislação


societária em 31/12/2015.

Com base nessas informações, é correto afirmar que

A) a conta Despesas Pagas Antecipadamente, integrante do grupo ativo não circulante, foi
apresentada no balanço patrimonial, com saldo de R$ 18.000.

B) a conta Seguros a Vencer, integrante do grupo ativo circulante, foi apresentada no


balanço patrimonial, com saldo de R$ 12.000.

C) o balanço patrimonial apresentou a conta Seguros a Receber, no ativo não circulante, com
saldo de R$ 180.000.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 11


www.igorcintra.com.br

D) a DRE continha o valor de R$ 4.500, referente à conta Despesas com Seguros, no rol de
despesas operacionais.

E) a DRE continha o valor de R$ 1.800, referente à conta Despesas com Seguros, no rol de
despesas não operacionais.

Resolução:

Vamos aproveitar para verificar os lançamentos realizados quando da contratação de


seguros. O enunciado afirma que o contrato de seguro tem vigência de 12 meses. Como o
valor pago é de R$ 18.000, na em 31/08/2015 a entidade reconhecerá:

D – Seguros a Vencer R$ 18.000 (Ativo Circulante)


C – Caixa R$ 18.000 (Ativo Circulante)

Como o contrato tem vigência a partir de 1/9/2015, a entidade deverá apropriar ao final de
cada mês a despesa com seguro, de acordo com o seguinte lançamento contábil.

D – Despesa com Seguro R$ 1.500 (Resultado)


C – Seguros a Vencer R$ 1.500 (Ativo Circulante)

Assim, em 31/12/2015, data das demonstrações contábeis, a entidade já terá apropriado


quatro meses de Despesa com Seguro, no valor total de R$ 6.000. Desta maneira, a entidade
apresentará em seu Ativo Circulante despesas antecipadas no valor de R$ 12.000 (referente
ao período de jan/2016 a ago/2016).

Com isso, correta a alternativa B.

Gabarito: B

08. (VUNESP – Controlador Interno – Câmara de Registro/SP – 2016) A empresa JK pagou


à vista o aluguel do imóvel que utiliza, cujo contrato em vigência é de 12 meses. No
momento do pagamento, a contabilidade da empresa

a) creditou o caixa e debitou passivo contingente.

b) creditou o caixa e debitou despesa paga antecipadamente.

c) debitou o caixa e creditou contrato de aluguel.

d) creditou o caixa e debitou patrimônio líquido.

e) debitou o caixa e creditou passivo circulante.

Resolução:

No momento do pagamento do aluguel antecipado a entidade deverá realizar o seguinte


lançamento:

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 12


www.igorcintra.com.br

D – Aluguéis Antecipados (Ativo Circulante)


C – Caixa (Ativo Circulante)

A conta “Aluguéis Antecipados” representa o pagamento de despesas antecipadas, assim


correta a alternativa B.

Posteriormente, mês a mês é que a entidade apropriará ao resultado a “Despesa com


Aluguel”, dando baixas parciais na conta “Aluguéis Antecipados”.

Gabarito: B

09. (FUNIVERSA – Técnico – SDF – 2015) No que se refere à natureza e ao funcionamento


da conta de seguros a vencer, assinale a alternativa correta.

a) É uma conta retificadora de ativo.

b) Registra a parcela dos seguros pagos antecipadamente.

c) Pode ter saldo credor ou devedor.

d) Deve ser utilizada exclusivamente por empresas seguradoras.

e) Pode ser movimentada livremente a critério do administrador da empresa.

Resolução:

Conforme acabamos de verificar, a conta Seguros a Vencer representa uma aplicação de


recursos que serão apropriadas como despesas de seguros futuramente, como manda o
Regime de Competência. Desta forma, são contabilizados no Ativo da entidade.

Assim, correta a alternativa B.

Gabarito: B

10. (UFF – Técnico em Contabilidade – COSEAC – 2015) No dia 1° de agosto de X1, uma
empresa adquiriu uma apólice de seguro anual, com duração até 31 de julho de X2, no
valor de R$ 2.400,00, a ser pago em três parcelas iguais, no último dia dos três meses
seguintes, sendo a primeira parcela dia 31 de agosto de X1. Pelo regime de competência,
a despesa com o seguro deve ser contabilizada como despesa de:

a) R$ 2.400,00 no mês de agosto de X1.

b) R$ 800,00 nos meses de agosto, setembro e outubro.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 13


www.igorcintra.com.br

c) R$ 200,00 a ser contabilizada todo mês, de agosto de X1 até julho de X2.

d) R$ 2.400,00 no mês de outubro.

e) R$ 2.400,00 no mês de julho de X2.

Resolução:

A apropriação no resultado da despesa de seguro deverá ocorrer no período a que se refere,


ou seja, durante o prazo de vigência do contrato de seguro. No caso em tela o enunciado diz
que o seguro é anual, com duração de agosto de X1 a julho de X2.

Como o valor total do seguro é de R$ 2.400,00, conclui-se que a despesa mensal de seguros
será de R$ 200,00.

Com isso, mensalmente a entidade realizará o seguinte lançamento:

D – Despesa de Seguros R$ 200,00 ( Resultado)


C – Seguros a Vencer R$ 200,00 ( Ativo)

Assim, correta a alternativa C.

Gabarito: C

11. (CESPE – Auditor – TCU – 2015) Situação hipotética: Em 30 de junho de 2015, o livro
diário de determinada empresa registrou a seguinte partida dobrada.

débito despesas com seguros R$ 2.000,00


crédito prêmios de seguros a apropriar R$ 2.000,00

Assertiva: Nesse caso, as informações se referem a um lançamento de ajuste — decorrente


da aplicação do princípio da competência — para reconhecimento da despesa com o
prêmio de seguros, que havia sido pago antecipadamente.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Resolução:

Vamos aproveitar a oportunidade e lembrar os lançamentos realizados quando da


contratação de um seguro com pagamento antecipado. No ato da contratação (e
pagamento) a entidade deverá realizar o seguinte registro:

D – Seguros a Vencer ou Prêmios de Seguros a Apropriar ( Ativo)


C – Caixa ( Ativo)

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 14


www.igorcintra.com.br

Perceba, portanto, que tal fato não provoca variação de imediato no resultado. Isso deve-se
à aplicação do princípio da competência. Assim, a apropriação ao resultado será realizada
paulatinamente, entre a data da contratação do seguro e seu fim através do seguinte
lançamento:

D – Despesa com Seguros ( Resultado)


C – Seguros a Vencer ou Prêmios de Seguros a Apropriar ( Ativo)

Assim, correta a assertiva.

Gabarito: C

12. (FCC – Técnico Judiciário – TRF – 2014) A empresa Conceitual contratou e pagou, em
31/07/2013, um seguro contra incêndio no valor de R$ 48.000,00. Esse seguro tem vigência
de 01/08/2013 a 31/07/2014. Ao elaborar suas demonstrações contábeis, em 30/09/2013,
a empresa Conceitual apresentou

a) despesas acumuladas com seguros no valor de R$ 48.000,00, na DRE.

b) despesas acumuladas com seguros no valor de R$ 8.000,00, na DRE.

c) despesas acumuladas com seguros no valor de R$ 12.000,00, na DRE.

d) seguros pagos antecipadamente de R$ 48.000,00, no Balanço Patrimonial.

e) seguros pagos antecipadamente de R$ 44.000,00, no Balanço Patrimonial.

Resolução:

Quando você se deparar com uma questão sobre pagamento de seguros fique atento ao
prazo de vigência do contrato. No caso do exercício, o contrato possui duração de 12 meses.
Assim, a despesa com seguro será apropriada mensalmente no valor de R$ 4.000,00 (valor
pago total / prazo do seguro).

Vamos verificar como são realizados os registros, iniciando com o lançamento efetuado em
31/07/2013. Data da contratação do seguro:

D – Seguros a Vencer R$ 48.000,00 (Ativo)


C – Caixa R$ 48.000,00 (Ativo)

Em 31/08/2013 a empresa deverá apropriar a despesa com seguros do mês da seguinte


forma:

D – Despesa com Seguros R$ 4.000,00 (Despesa)


C – Seguros a Vencer R$ 4.000,00 (Ativo)

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 15


www.igorcintra.com.br

Igualmente, em 30/09/2013 a empresa deverá apropriar a despesa com seguros do mês da


seguinte forma:

D – Despesa com Seguros R$ 4.000,00 (Despesa)


C – Seguros a Vencer R$ 4.000,00 (Ativo)

Desta forma, em 30/09/2013, ao elaboras suas demonstrações contábeis, a empresa


Conceitual apresentará um saldo de R$ 8.000,00 de “Despesa com Seguros” na DRE e um
saldo na conta “Seguros a Vencer” de R$ 40.000,00.

Gabarito: B

13. (FUNDATEC – AFRE – SEFAZ-RS – 2014) A Companhia Industrial Rio Tucuruí possui um
maquinário avaliado em R$ 240.000,00 e esse maquinário foi segurado em 1º de setembro
de 2012. A companhia pagou um prêmio equivalente a 10% do valor de avaliação das
máquinas, com vigência pelo prazo de um ano, a partir da assinatura do contrato. A partir
desses dados, podemos concluir que o saldo da conta Seguros Pagos Antecipadamente,
em 31/dez/2012, é de:

A) R$ 4.000,00.

B) R$ 8.000,00.

C) R$ 16.000,00.

D) R$ 80.000,00.

E) R$ 160.000,00.

Resolução:

O enunciado diz que a entidade pagou 10% do valor de maquinário a título de prêmio de
seguros. Assim, o valor pago foi de R$ 24.000,00. Este pagamento é contabilizado da
seguinte forma:

D – Seguros a Vencer R$ 24.000,00 (Ativo Circulante)


C – Caixa R$ 24.000,00 (Ativo Circulante)

Como a vigência do seguro é de 12 meses, a companhia deverá apropriar mensalmente a


despesa se seguros no valor de R$ 2.000,00 da seguinte forma:

D – Despesa de Seguros R$ 2.000,00 (Resultado)


C – Seguros a Vencer R$ 2.000,00 (Ativo Circulante)

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 16


www.igorcintra.com.br

Conclui-se, portanto, que em 2012 haverá a apropriação de quatro parcelas de despesas de


seguros, referente a setembro a dezembro, totalizando R$ 8.000,00. Assim, restará um saldo
de R$ 16.000,00 na conta “Seguros a Vencer”, chamada no enunciado de “Seguros Pagos
Antecipadamente”.

Gabarito: C

14. (FUNDATEC – AFRE – SEFAZ-RS – 2014) A Companhia Industrial Rio Tucuruí possui um
maquinário avaliado em R$ 240.000,00 e esse maquinário foi segurado em 1º de setembro
de 2012. A companhia pagou um prêmio equivalente a 10% do valor de avaliação das
máquinas, com vigência pelo prazo de um ano, a partir da assinatura do contrato. A partir
desses dados, podemos concluir que o saldo da conta Seguros Pagos Antecipadamente,
em 31/dez/2012, é de:

A) R$ 4.000,00.

B) R$ 8.000,00.

C) R$ 16.000,00.

D) R$ 80.000,00.

E) R$ 160.000,00.

Resolução:

O enunciado diz que a entidade pagou 10% do valor de maquinário a título de prêmio de
seguros. Assim, o valor pago foi de R$ 24.000,00. Este pagamento é contabilizado da
seguinte forma:

D – Seguros a Vencer R$ 24.000,00 (Ativo Circulante)


C – Caixa R$ 24.000,00 (Ativo Circulante)

Como a vigência do seguro é de 12 meses, a companhia deverá apropriar mensalmente a


despesa se seguros no valor de R$ 2.000,00 da seguinte forma:

D – Despesa de Seguros R$ 2.000,00 (Resultado)


C – Seguros a Vencer R$ 2.000,00 (Ativo Circulante)

Conclui-se, portanto, que em 2012 haverá a apropriação de quatro parcelas de despesas de


seguros, referente a setembro a dezembro, totalizando R$ 8.000,00. Assim, restará um saldo
de R$ 16.000,00 na conta “Seguros a Vencer”, chamada no enunciado de “Seguros Pagos
Antecipadamente”.

Gabarito: C

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 17


www.igorcintra.com.br

15. (CFC – Exame de Suficiência – Bacharel – 2016) Uma transportadora fez contrato de
seguro para um de seus caminhões, cuja vigência é de 12 meses, com início em 1º.12.2015.
O caminhão está avaliado em R$360.000,00. O prêmio total, pago à vista e em parcela
única, foi de R$18.000,00. O valor da franquia será de R$15.000,00.

Considerando-se o Regime de Competência e com base nos dados informados, o montante


a ser apropriado como Despesa de Seguros, em dezembro de 2015, é de:

a) R$1.250,00.

b) R$1.500,00.

c) R$15.000,00.

d) R$18.000,00.

Resposta:

Vamos aproveitar para realizar os lançamentos contábeis no ato da contratação e da


apropriação da despesa de seguro relacionada a dezembro de 2015.

Segundo o enunciado o prêmio pago pelo seguro foi de R$ 18 mil, sendo um contrato de 12
meses. Assim, em 1/12/2015 a entidade realizará o seguinte lançamento:

D – Seguros a Vencer R$ 18.000 (Ativo Circulante)


C – Caixa R$ 18.000 (Ativo Circulante)

Posteriormente a entidade deverá realizar a apropriação mensal da despesa de seguro, de


acordo com o seguinte lançamento:

D – Despesa de Seguro R$ 1.500 (Resultado)


C – Seguros a Vencer R$ 1.500 (Ativo Circulante)

Com isso, correta a alternativa B.

Gabarito: B

Pessoal, reforço a necessidade de se dominar os lançamentos referentes à apropriação de


despesas de seguros.

1.4 Ciclo Operacional


É o tempo transcorrido entre a aquisição de ativos para processamento e sua realização em
caixa ou seus equivalentes. Até agora consideramos que o ciclo operacional das empresas é

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 18


www.igorcintra.com.br

de um ano ou 12 meses, não é? E na grande maioria das empresas realmente é assim que
funciona!

No entanto, o art. 179 da Lei das Sociedades Anônimas diz que “na companhia em que o
ciclo operacional da empresa tiver duração maior que o exercício social, a classificação no
circulante ou longo prazo terá por base o prazo desse ciclo”.

Assim, em empresas de alta complexidade, como por exemplo, na construção de usinas


nucleares ou de navios, o ciclo operacional pode ser maior que um ano. Desta maneira, o
ciclo operacional da empresa é quem vai determinar a classificação de determinada conta
no Ativo Circulante ou no Ativo Não Circulante.

Então fique atento. Se a questão afirmar que o ciclo operacional de determinada entidade é
de, por exemplo, dois anos, será este o prazo considerado na classificação dos direitos e
obrigações de curto ou longo prazo.

Vamos analisar uma questão sobre este tema!

16. (FCC – Analista – SEFAZ-PI – 2015) Considere as seguintes informações:

− A Cia. Gama produz equipamentos especiais para revenda, cujo prazo de produção é 18
meses.
− A Cia. Beta adquiriu equipamentos para revenda, sendo que o prazo médio de estocagem
até a venda é de 90 dias.
− A Cia. Industrial adquiriu equipamentos para utilizá-los em seu processo produtivo.
− A Cia. Alfa adquiriu o direito de usar a marca da Cia. Gama por 10 anos.
Os equipamentos no Balanço Patrimonial da Cia. Gama, da Cia. Beta e da Cia. Industrial e
o direito adquirido no Balanço Patrimonial da Cia. Alfa foram classificados,
respectivamente, no ativo

(A) não circulante, circulante, não circulante e não circulante.

(B) circulante, não circulante, não circulante e não circulante.

(C) circulante, circulante, não circulante e não circulante.

(D) não circulante, circulante, não circulante e circulante.

(E) circulante, circulante, não circulante e circulante.

Resolução:

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 19


www.igorcintra.com.br

Questão que explora a classificação dos itens no Ativo Circulante ou Ativo Não Circulante.
Segundo o artigo 179, I, da Lei n° 6.404/76, serão classificados no ativo circulante: as
disponibilidades, os direitos realizáveis no curso do exercício social subseqüente e as
aplicações de recursos em despesas do exercício seguinte.

O parágrafo único deste artigo diz que na companhia em que o ciclo operacional da empresa
tiver duração maior que o exercício social, a classificação no circulante ou longo prazo terá
por base o prazo desse ciclo.

Vamos analisar os itens!

− A Cia. Gama produz equipamentos especiais para revenda, cujo prazo de produção é 18 meses.

É o caso do parágrafo único do artigo 179 da Lei n° 6.404/76. Neste caso os equipamentos
são estoques, que normalmente são classificados no Ativo Circulante.

− A Cia. Beta adquiriu equipamentos para revenda, sendo que o prazo médio de estocagem até a
venda é de 90 dias.

Equipamentos para revenda (estoques) cujo prazo médio de estocagem até a venda é de 90
dias devem ser classificados no Ativo Circulante.

− A Cia. Industrial adquiriu equipamentos para utilizá-los em seu processo produtivo.

Trata-se de Imobilizado, classificado no Ativo Não Circulante.

− A Cia. Alfa adquiriu o direito de usar a marca da Cia. Gama por 10 anos.

Trata-se de Intangível, classificado no Ativo Não Circulante.

Assim, correta a alternativa C.

Gabarito: C

Vamos partir agora para o estudo dos lançamentos relacionados às Perdas Estimadas com
Créditos de Liquidação Duvidosa!

2. PERDAS ESTIMADAS COM CRÉDITOS DE LIQUIDAÇÃO


DUVIDOSA (PECLD)
Trata-se da antiga “Provisão para Devedores Duvidosos – PDD” e é uma conta retificadora
do Ativo Circulante ou do Ativo Não Circulante – Realizável a Longo Prazo, de acordo com o
prazo do recebimento do título. Desta forma, possui natureza credora.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 20


www.igorcintra.com.br

As empresas constituem as “Perdas Estimadas com Créditos de Liquidação Duvidosa” de


acordo com seu histórico, pois sabem que parte das vendas a prazo não serão recebidas. É
o famoso “calote”. Desta forma, as empresas respeitam o Princípio da Prudência, pois em
seu ativo estarão reconhecidos apenas os valores que realmente deverão ser recebidos pela
empresa, já descontados os eventuais calotes.

Por exemplo, o registro contábil de uma estimativa de perda de 3% das Duplicatas a Receber,
no valor de R$ 100.000,00 é:

D – Devedores Duvidosos R$ 3 mil (Despesa)


C – Perda Estimada com Créditos de Liquid. Duvidosa R$ 3 mil (Retificadora do Ativo)

As empresas costumam adotar um percentual considerado normal para perdas, baseado em


médias de perdas passadas (por exemplo, dos últimos três anos).

Vamos analisar algumas situações envolvendo as “Perdas Estimadas com Créditos de


Liquidação Duvidosa”.

2.1 Baixa de Títulos considerados Incobráveis


Esta situação ocorre quando a estimativa de perdas com créditos se confirma. No exemplo
anterior a empresa estimou uma perda com créditos no valor de R$ 3 mil. Pois bem, se essa
perda se confirmar, total ou parcialmente, dado que tais títulos foram considerados
incobráveis, qual lançamento deve ser realizado pela empresa?

Perda de exatamente R$ 3 mil:

D – PECLD R$ 3 mil (pela baixa da provisão realizada anteriormente)


C – Clientes R$ 3 mil (pela baixa do direito considerado incobrável)

Perda menor que o estimado (por exemplo, R$ 2 mil):

D – PECLD R$ 2 mil (pela baixa da provisão realizada anteriormente)


C – Clientes R$ 2 mil (pela baixa do direito considerado incobrável)

Veja que neste caso a PECLD foi superestimada, pois a empresa constituiu uma PECLD de R$
3 mil, mas posteriormente só R$ 2 mil foram considerados incobráveis. Neste caso existem
duas alternativas para o saldo restante de R$ 1 mil: reversão ou complementação do saldo.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 21


www.igorcintra.com.br

2.2 Reversão do saldo remanescente;


A reversão zera o saldo da conta “Perdas Estimadas com Créditos de Liquidação Duvidosa”.
Como o registro inicial da PECLD teve como contrapartida uma conta de despesa, na
reversão a conta será de receita.

D – PECLD R$ 1 mil (pela reversão da provisão não utilizada)


C – Outras Receitas Operac. R$ 1 mil (Receita)

Só para você ter noção de como isso poderá aparecer em sua prova, resolva o próximo
exercício!

17. (ESAF – ATRFB – 2009) No encerramento do exercício social, quando ainda resta saldo
não utilizado na conta Provisão para Devedores Duvidosos, necessário se faz contabilizar
a reversão desse saldo. Nesse caso, o lançamento de ajuste a ser feito deverá ser:

a) creditando-se a conta de Provisão e debitando-se a conta de Lucros Acumulados.

b) creditando-se a conta de Provisão e debitando-se a conta de Resultado do Exercício.

c) debitando-se a conta de Provisão e creditando-se a conta de Lucros Acumulados.

d) debitando-se a conta de Provisão e creditando-se a conta de Resultado do Exercício.

e) debitando-se a conta de Provisão e creditando-se a conta de Despesa.

Resolução:

Para contabilizar a reversão da antiga Provisão de Devedores Duvidosos o seguinte


lançamento é efetuado:

D – PDD (pela baixa do saldo não utilizado)


C – Reversão de PDD (Outras Receitas Operacionais)

Gabarito: D

Uma alternativa em relação à reversão do saldo existente com uma posterior constituição
de nova EPCLD é a complementação do saldo existente até o valor da nova estimativa.
Vejamos!

2.3 Complementação até o valor da nova estimativa de perdas


Neste caso a empresa irá complementar o valor que falta para chegar à nova estimativa de
perdas. Por exemplo, imagine que a mesma empresa do exemplo anterior, no encerramento
do exercício tenha R$ 150 mil em créditos. Utilizando os mesmos 3% de estimativa de perdas

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 22


www.igorcintra.com.br

ela chegará ao valor de R$ 4.500,00 para a nova PECLD. Essa é a previsão de perdas dos
créditos existentes. No entanto, a conta PECLD já possui um saldo de R$ 1 mil. Assim, ela irá
complementar com o valor restante (R$ 4.500,00 – R$ 1.000,00), ou seja;

D – Devedores Duvidosos R$ 3.500,00 mil (Despesa)


C – PECLD R$ 3.500,00 mil (Retificadora do Ativo)

Zé Curioso: “Professor, e se a perda for maior que o previsto? Por exemplo, quando a
empresa estima perder R$ 3 mil com seus créditos, mas acaba perdendo R$ 5 mil?”

Ótima pergunta Zé! Caso ocorra insuficiência de ajuste, como no seu exemplo, a empresa
deverá realizar o seguinte lançamento:

D – PECLD R$ 3 mil (pela baixa da PECLD)


D – Perdas com Clientes R$ 2 mil (excesso de perdas não estimado)
C – Clientes R$ 5 mil (pela baixa dos direitos incobráveis )

O lançamento “Perdas com Clientes” será realizado como Despesa Operacional, tal como
fora realizado quando da constituição da PECLD (Devedores Duvidosos).

Zé Curioso: “Professor, e se depois de realizada a baixa do título, considerado incobrável, o


cliente acaba pagando a empresa?”

Zé, você está afiadíssimo! Nesta situação há duas possibilidades: recebimento de perdas
registradas em exercício anterior e recebimento de perdas registradas no próprio exercício.

2.4 Perdas Registradas em Exercício Anterior


Neste caso a conta a ser creditada representa uma Receita Operacional:

D – Caixa
C – Recuperação de Créditos Baixados (Outras Receitas Operacionais)

2.5 Perdas Registradas no Próprio Exercício


Neste caso a conta creditada será a própria conta de Despesas anteriormente realizada,
retificando-a.

D – Caixa
C – Perdas com Clientes (retificando o registro de Despesa realizado)

Vamos praticar alguns exercícios para fixar o conteúdo? As bancas adoram este assunto!
Mas antes dos exercícios, para facilitar o entendimento, veja o esquema abaixo!

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 23


www.igorcintra.com.br

FASE DA PECLD CONTRAPARTIDA

CONSTITUIÇÃO Conta de DESPESA


DA PECLD

“CONSUMO” Baixa do Título


DA PECLD Incobrável

REVERSÃO DA Outras Receitas


PECLD Operacionais

18. (FCC – Agente de Fiscalização – ARTESP – 2017) A empresa Só Luxo S.A. possuía R$
100.000,00 na conta de Clientes e uma estimativa de perda com créditos de liquidação
duvidosa (EPCLD) no valor de R$ 10.000,00 no Balanço Patrimonial de 31/12/2016. Em
março de 2017, o cliente A, que devia R$ 9.000,00, se tornou incobrável. Ao registrar este
evento na contabilidade, a empresa Só Luxo S.A.

a) reconheceu uma Perda com Clientes, no resultado, no valor de R$ 9.000,00.

b) diminuiu em R$ 9.000,00 o total do Ativo.

c) aumentou em R$ 9.000,00 o Passivo.

d) diminuiu em R$ 1.000,00 o Patrimônio Líquido.

e) diminuiu o saldo da EPCLD em R$ 9.000,00.

Resolução:

Vimos no quadro acima que o consumo da EPCLD é realizado quando ocorre a baixa do título
considerado incobrável. Ou seja, é quando o famoso “calote” efetivamente ocorre.

Assim, a entidade deverá realizar o seguinte lançamento contábil:

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 24


www.igorcintra.com.br

D – EPCLD R$ 9.000 (pelo consumo da EPCLD)


C – Duplicatas a Receber R$ 9.000 (pela baixa do título considerado incobrável)

A partir disso vamos analisar as alternativas apresentadas.

a) Incorreta. A Perda com Clientes seria reconhecida no resultado caso o valor do calote
fosse maior que o valor estimado, ou seja, o valor constituído na conta EPCLD.

b) Incorreta. O saldo total do Ativo manteve-se inalterado, visto que todas as duas contas
envolvidas são do ativo.

c) Incorreta. Não há impacto no passivo exigível.

d) Incorreta. Não há impacto no patrimônio líquido.

e) Correta. Vimos que a conta EPCLD foi debitada, ou seja, foi diminuído o saldo desta conta.

Gabarito: E

19. (ESAF – Contador – Ministério do Turismo – 2014) Em 2012 a Empresadenada S.A. tinha
créditos a receber no valor de R$ 150.000,00 e mandou provisionar 3% deles para prevenir
possíveis perdas na sua liquidação que, àquele momento, já era duvidosa. Entretanto,
durante o exercício de 2013, só foram confirmadas perdas de 2% daqueles créditos.

Em 31 de dezembro de 2013, a empresa possuía créditos a receber no montante de 120%


do valor anterior e mandou fazer a provisão para perdas prováveis em 2014 à mesma taxa
de 3%.

Mesmo reconhecendo eventual reversão ou complementação, o saldo da provisão para


perdas, no balanço de 2013, deverá ser de

a) R$ 2.400,00

b) R$ 3.600,00

c) R$ 3.900,00

d) R$ 4.500,00

e) R$ 5.400,00

Resolução:

O enunciado quer saber qual é o saldo da conta “Perdas Estimadas com Créditos de
Liquidação Duvidosa – EPCLD” no balanço de 2013.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 25


www.igorcintra.com.br

Sabe-se que em 31 de dezembro de 2013, a empresa possuía créditos a receber no montante


de 120% do valor anterior. Assim, o saldo dos créditos a Receber em 12/2013 será de:

Créditos a Receber12/2013 = 120% x R$ 150.000,00 = R$ 180.000,00

Como a entidade provisiona 3% dos créditos a receber, o valor da conta “EPCLD” será de:

𝑬𝑷𝑪𝑳𝑫 = 3% × 𝑅$ 180.000,00 = 𝑹$ 𝟓. 𝟒𝟎𝟎, 𝟎𝟎

Gabarito: E

20. (ESAF – Analista Técnico Administrativo – MF – 2013) A companhia empresária Hélvia


& Pélvia Limitada costuma precaver-se de prejuízos no recebimento de seus créditos,
provisionando as perdas prováveis. Em 2012, com créditos a receber no montante de R$
400.000,00, ela mandou fazer provisão de R$ 12.000,00, mas, durante o exercício,
contabilizou perdas de apenas R$ 7.000,00. Agora, no fim do exercício de 2013, a empresa
pretende fazer provisão nos mesmos moldes anteriores. Por isto, como tem no balanço R$
300.000,00 a receber, vai contabilizar em 2013 uma despesa com devedores duvidosos no
valor de

a) R$ 12.000,00.

b) R$ 9.000,00.

c) R$ 7.000,00.

d) R$ 5.250,00.

e) R$ 4.000,00.

Resolução:

Primeiramente vamos calcular qual o percentual estimado para perdas que a Cia. Utiliza.

𝑃𝑟𝑜𝑣𝑖𝑠ã𝑜 𝑝𝑎𝑟𝑎 𝑃𝑒𝑟𝑑𝑎𝑠 𝑃𝑟𝑜𝑣á𝑣𝑒𝑖𝑠 12.000


𝑬𝒔𝒕𝒊𝒎𝒂𝒕𝒊𝒗𝒂 𝒅𝒆 𝑷𝒆𝒓𝒅𝒂 = = = 𝟑%
𝐶𝑟é𝑑𝑖𝑡𝑜𝑠 𝑎 𝑅𝑒𝑐𝑒𝑏𝑒𝑟 400.000
Vejam os razonetes:

Créditos a Receber Estimativa com Perdas


R$ 400.000,00 R$ 12.000,00

Durante o exercício contabilizou perdas de R$ 7.000,00. O lançamento será o seguinte ①:

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 26


www.igorcintra.com.br

D – Provisão p/ Perdas R$ 7.000,00


C – Créditos a Receber R$ 7.000,00

Créditos a Receber Estimativa com Perdas


R$ 400.000,00 R$ 7.000,00 ① ① R$ 7.000,00 R$ 12.000,00
R$ 5.000,00

O enunciado diz que a empresa tem R$ 300.000,00 de “Créditos a Receber” no fim do


exercício de 2013, e que pretende fazer provisão aos mesmos moldes anteriores, ou seja,
utilizando-se de um percentual de 3%.

Assim a nova “Estimativa com Perdas” deve ser de R$ 9.000,00 (3% de R$ 300.000,00).

Como a “Estimativa com Perdas” possui um saldo de R$ 5.000,00, ela é complementada com
R$ 4.000,00. Este será o valor da despesa com devedores duvidosos do período.

Gabarito: E

21. (FCC – AFRE – SEFAZ-MA – 2016) Os saldos das contas do Balanço Patrimonial de uma
empresa, em 31/12/2014, eram os seguintes, em reais:

Fornecedores 30.000,00 Depreciação Acumulada 40.000,00


Receitas Antecipadas 10.000,00 Estoques 50.000,00
Perdas Estimadas com Clientes 7.500,00 Caixa e Equivalentes de Caixa 10.000,00
Equipamentos 200.000,00 Reservas de Lucros 17.500,00
Imóveis 100.000,00 Contas a Pagar 10.000,00
Capital Social 350.000,00 Valores a Receber de Clientes 105.000,00

Os diversos eventos apresentados a seguir, relacionados com os Valores a Receber de


Clientes existentes em 31/12/2014, ocorreram durante o ano de 2015 e nesta ordem:
− Valores a Receber de Clientes no valor total de R$ 10.000,00 foram considerados
incobráveis pela empresa.
− Do saldo remanescente da conta Valores a Receber de Clientes a empresa recebeu 90%
em 2015 e o restante será recebido em 2016.
− As vendas a prazo de 2015 que vencerão após 31/12/2015 totalizaram R$ 100.500,00.
− A empresa estimou as prováveis perdas com clientes aplicando o percentual de 4% sobre
o saldo da conta Valores a Receber de Clientes em 31/12/2015.

No resultado de 2015 o valor total registrado de despesas relacionadas com a não


realização de créditos sobre Valores a Receber de Clientes foi, em reais:

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 27


www.igorcintra.com.br

(A) 6.520,00.

(B) 14.020,00.

(C) 14.400,00.

(D) 4.400,00.

(E) 6.900,00.

Resolução:

A questão pede o valor total registrado de despesas relacionadas com a não realização
de créditos sobre Valores a Receber de Clientes. Veja, na tabela fornecida, que a situação
inicial relacionada a créditos de clientes é a seguinte:

Clientes PECLD
R$ 105.000,00 R$ 7.500,00

A partir disso vamos analisar os fatos contábeis apresentados.

− Valores a Receber de Clientes no valor total de R$ 10.000,00 foram considerados incobráveis pela
empresa.

Quando direitos que a entidade possui são considerados incobráveis a entidade deve dar
baixa em tais títulos (creditando a conta Clientes). A contrapartida será a conta PECLD, afinal
sua constituição foi realizada exatamente para isso, ou seja, suportar calotes futuros!

No entanto, perceba que a conta PECLD não possui saldo suficiente para cobrir o valor
total da perda. Assim, o excesso é apropriado diretamente ao resultado.

D – PECLD R$ 7.500,00 (Retif. do Ativo)


D – Perda com Clientes Incobráveis R$ 2.500,00 (Resultado)
C – Clientes R$ 10.000,00 (Ativo)

Após este lançamento veja como ficam os saldos dos razonetes envolvivos:

Clientes PECLD Perdas com Clientes


R$ 105.000,00 R$ 10.000,00 ① ① R$ 7.500,00 R$ 7.500,00 ① R$ 2.500,00

− Do saldo remanescente da conta Valores a Receber de Clientes a empresa recebeu 90% em 2015
e o restante será recebido em 2016.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 28


www.igorcintra.com.br

O saldo remanescente da conta Clientes é de R$ 95.000,00 (R$ 105.000,00 – R$


10.000,00). Como a entidade recebeu 90% deste valor (R$ 85.500,00), conclui-se que o saldo
final desta conta é de R$ 9.500,00.

Clientes
R$ 95.000,00 R$ 85.500,00
R$ 9.500,00

− As vendas a prazo de 2015 que vencerão após 31/12/2015 totalizaram R$ 100.500,00.

Vamos lançar as vendas a prazo no razonete Clientes!

Clientes
R$ 9.500,00
R$ 100.500,00
R$ 110.000,00

− A empresa estimou as prováveis perdas com clientes aplicando o percentual de 4% sobre o saldo
da conta Valores a Receber de Clientes em 31/12/2015.

Vimos no lançamento acima que o saldo final da conta Clientes é, em 31/12/2015, de R$


110.000,00. Com isso, o valor a ser constituído para perdas estimadas com créditos de
liquidação duvidosa será de R$ 4.400,00 (4% x R$ 110.000,00). Assim:

D – Devedores Duvidosos R$ 4.400,00 (Resultado)


C – PECLD R$ 4.400,00 (Retif. do Ativo)

Com isso, conclui-se que todos estes fatos contábeis provocaram as seguintes despesas
relacionadas com a não realização de créditos sobre valores a receber de clientes:

Perda com Clientes R$ 2.500,00


Constituição de PECLD R$ 4.400,00
TOTAL R$ 6.900,00

Assim, correta a alternativa E.

Gabarito: E

22. (FCC – Analista – SEFAZ-PI – 2015) A Cia. Vende a Prazo S.A. apresentava em seu
Balanço Patrimonial de 31/12/2013 os seguintes saldos relativos às suas vendas a prazo:
− Duplicatas a Receber de Clientes: R$ 500.000,00
− Estimativa para Perdas com Créditos de Liquidação Duvidosa (EPCLD): R$ 25.000,00

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 29


www.igorcintra.com.br

Em fevereiro de 2014, a Cia. Vende a Prazo S.A. foi informada de que um importante
cliente não tinha condições de saldar a sua dívida no valor de R$ 20.000,00 que foi
considerada incobrável.

Ao reconhecer este evento, a Cia. Vende a Prazo S.A.

(A) reduziu o saldo de Duplicatas a Receber de Clientes.

(B) reduziu o saldo total do Ativo.

(C) reconheceu uma Perda com Clientes no resultado do período.

(D) creditou a conta EPCLD e debitou o Resultado do período.

(E) reduziu o Patrimônio Líquido.

Resolução:

Quando uma duplicata é considerada incobrável a previsão inicial de perda se confirmou,


não é? Então a empresa deverá realizar a baixa do título considerado incobrável em
contrapartida da utilização da estimativa de perda realizada anteriormente, veja:

D – EPCLD R$ 20.000,00 (utilização do saldo da EPCLD)


C – Duplicatas a Receber R$ 20.000,00 (baixa do título incobrável)

Assim, correta a alternativa A.

Gabarito: A

23. (FCC – ACE – TCM-GO – 2015) As contas do Balanço Patrimonial de uma empresa, em
31/12/2013, apresentavam os seguintes saldos, em reais:

Adiantamentos de Clientes 2.000 Estoques 10.000


Máquinas e Equipamentos 40.000 Reservas de Lucros 3.500
Veículos 20.000 Impostos a Pagar 2.000
Fornecedores 6.000 Depreciação Acumulada 8.000
Capital 70.000 Valores a Receber de Clientes 21.000
Perdas Estimadas com Clientes 1.500 Caixa e Equivalentes de Caixa 2.000

Os diversos eventos apresentados a seguir, relacionados com os Valores a Receber de


Clientes existentes em 31/12/2013, ocorreram durante o ano de 2014, nesta ordem:

− Créditos com clientes no valor total de R$ 2.000,00 foram considerados incobráveis pela
empresa.
− Do saldo remanescente da conta Valores a Receber de Clientes, a empresa recebeu 90% em 2014
e o restante será recebido em 2015.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 30


www.igorcintra.com.br

− As vendas a prazo de 2014 que vencerão após 31/12/2014 totalizaram R$ 20.100,00.


− A empresa estimou as prováveis Perdas com Clientes aplicando o percentual de 4% sobre o saldo
da conta Valores a Receber de Clientes em 31/12/2014.

No resultado de 2014, o valor total registrado de despesas relacionadas com a não


realização de créditos sobre valores a receber de clientes, em reais, foi

(A) 2.804,00.

(B) 2.304,00.

(C) 2.880,00.

(D) 1.380,00.

(E) 880,00.

Resolução:

O enunciado quer saber qual o valor total registrado de despesas relacionadas com a não
realização de créditos sobre valores a receber de clientes. Vamos, portanto, analisar os fatos
sabendo que o saldo inicial das contas “Clientes” e “Perdas Estimadas com Créditos de
Liquidação Duvidosa” é de:

Clientes PECLD
R$ 21.000,00 R$ 1.500,00

Vejamos as informações do enunciado:

− Créditos com clientes no valor total de R$ 2.000,00 foram considerados incobráveis pela
empresa.

Veja que há apenas R$ 1.500,00 de saldo na conta “PECLD”. Com isso, parte da perda será
contabilizada diretamente no resultado do período, como perdas com clientes incobráveis.
Lançamento:

D – PECLD R$ 1.500,00 (Retif. do Ativo)


D – Perda com Clientes Incobráveis R$ 500,00 (Resultado)
C – Clientes R$ 2.000,00 (Ativo)

Após este lançamento veja como ficam os saldos dos razonetes envolvivos:

Clientes PECLD Perdas com Clientes


R$ 21.000,00 R$ 2.000,00 ① ① R$ 1.500,00 R$ 1.500,00 ① R$ 500,00

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 31


www.igorcintra.com.br

− Do saldo remanescente da conta Valores a Receber de Clientes, a empresa recebeu 90% em 2014
e o restante será recebido em 2015.

Veja no razonete acima que o saldo remanescente da conta “Clientes” é de R$ 19.000,00. Assim,
conclui-se que foram recebidos R$ 17.100,00 (90% de R$ 19.000,00). Então:

Clientes
R$ 21.000,00 R$ 2.000,00
R$ 17.100,00

− As vendas a prazo de 2014 que vencerão após 31/12/2014 totalizaram R$ 20.100,00.

Vamos lançar as vendas a prazo, no valor de R$ 20.100,00, no razonete da conta “Clientes”.

Clientes
R$ 21.000,00 R$ 2.000,00
R$ 20.100,00 R$ 17.100,00
R$ 22.000,00

− A empresa estimou as prováveis Perdas com Clientes aplicando o percentual de 4% sobre o saldo
da conta Valores a Receber de Clientes em 31/12/2014.

Vimos acima que o saldo da conta “Clientes”, em 31/12/2014, é de R$ 22.000,00. Assim, as


Perdas Estimadas com Créditos de Liquidação Duvidosa serão de R$ 880,00 (4% de R$ 22
mil). Lançamento:

D – Devedores Duvidosos R$ 880,00 (Resultado)


C – PECLD R$ 880,00 (Retif. do Ativo)

Com isso, conclui-se que todos estes fatos contábeis provocaram as seguintes despesas
relacionadas com a não realização de créditos sobre valores a receber de clientes:

Perda com Clientes R$ 500,00


Constituição de PECLD R$ 880,00
TOTAL R$ 1.380,00

Assim, correta a alternativa D.

Gabarito: D

24. (CESPE – Perito Criminal – PC-PE – 2016) Com referência às perdas estimadas em
crédito de liquidação duvidosa, assinale a opção correta.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 32


www.igorcintra.com.br

A) Notícia veiculada a respeito da recuperação judicial do cliente em atraso caracteriza uma


perda incorrida.

B) A baixa do título considerado incobrável é feita mediante lançamento contábil a crédito


diretamente na conta de despesa não operacional.

C) O fato de o cliente estar inadimplente junto a outras entidades não é motivo suficiente
para que a dívida dele seja incluída na estimativa de perdas.

D) As garantias reais não reduzem as perspectivas de perdas com contas a receber.

E) A apuração da estimativa da perda dispensa a análise individual dos títulos em atraso por
cliente.

Resolução:

As Perdas Estimadas com Créditos de Liquidação Duvidosa (PECLD) representam incertezas


de recebimentos em contas a receber. A apuração do valor estimado pode ter aspectos
peculiares de acordo com o ramo de atividade, característica dos clientes, atual conjuntura
econômica etc. O mais comum é que a entidade continua a PECLD de acordo com o histórico
de perdas registrados no passado (últimos três anos, por exemplo).

Neste sentido, a entidade realiza o seguinte lançamento, de acordo com suas estimativas
realizadas:

D – Despesa com PECLD (Resultado)


C – PECLD (Retificadora do Ativo)

Quando, e se, ocorrer a efetiva perda a entidade deve utilizar o saldo da PECLD constituída,
dando baixa no título considerado incobrável. Assim:

D – PECLD (Retificadora do Ativo)


C – Contas a Receber (Ativo)

Zé Curioso: “Professor, mas como a entidade sabe se já ocorreu, ou não, a perda? É o famoso
calote?”

Isso Zé! Considera-se perdas incorridas inadimplências já existentes, atrasos fora da


normalidade ocorridos, notícias veiculadas de falência, recuperação judicial, inadimplência
junto a terceiros etc.

A partir disso vamos analisar as alternativas apresentadas.

a) Correta. Conforme vimos, considera-se perdas incorridas inadimplências já existentes,


atrasos fora da normalidade ocorridos, notícias veiculadas de falência, recuperação judicial,
inadimplência junto a terceiros etc.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 33


www.igorcintra.com.br

b) Incorreta. A baixa do título considerado incobrável não afeta o resultado, pois é realizado
mediante o consumo da conta PECLD em contrapartida da baixa do título. A constituição da
PECLD afeta o resultado, sendo considerada como uma despesa com venda (e não despesa
não operacional).

c) Incorreta. Vimos que a entidade deve dar especial atenção aos clientes inadimplentes com
terceiros.

d) Incorreta. A existência de garantias reais anula, ou reduz, sensivelmente as possibilidades


de perdas.

e) Incorreta. A análise da perda deve ser considerada em função de diversos fatores, dentre
os quais a análise individual de títulos específicos.

Gabarito: A

Pessoal, vamos passar para a análise dos lançamentos envolvendo operações com
mercadorias.

3. OPERAÇÕES COM MERCADORIAS


Neste momento iremos aprender como as empresas lidam com seus estoques de
mercadorias. Quando uma venda é realizada ocorre o surgimento de uma receita. Ao mesmo
tempo devemos dar baixa no estoque vendido, que na verdade representa o custo dessas
vendas. Mas qual o custo dessas vendas? Como devemos mensurar os estoques?

O art. 183 da Lei n° 6.404/76 disciplina que “os direitos que tiverem por objeto mercadorias
e produtos do comércio da companhia, assim como matérias-primas, produtos em
fabricação e bens em almoxarifado, serão avaliados pelo custo de aquisição ou de produção,
deduzido de provisão para ajustá-lo ao valor de mercado, quando este for inferior.”

Apesar de não estar previsto no edital a cobrança de conceitos de Contabilidade Avançada,


acho válido comparar a mensuração dada pela Lei n° 6.404/76 com a disposição do
Pronunciamento Técnico CPC 16, que diz que os estoques devem ser mensurados pelo valor
de custo ou pelo valor realizável líquido, dos dois o menor.

CUSTO
MENOR
ESTOQUE VALOR ENTRE
Valor Realizável Líquido

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 34


www.igorcintra.com.br

 Valor de Custo: deve incluir todos os custos de aquisição e de transformação, bem como
outros custos incorridos para trazer os estoques à sua condição e localização atuais.
 Valor Realizável Líquido: é o preço de venda estimado no curso normal dos negócios
deduzido dos custos estimados para sua conclusão e dos gastos estimados necessários
para se concretizar a venda.

Perceba, portanto, que enquanto a Lei n° 6.404/76 fala em comparação do custo com o
“valor de mercado”, que nada mais é que o valor justo, o Pronunciamento Técnico CPC 16
fala em comparação com o “valor realizável líquido”, que é o “preço de mercado” deduzido
dos custos relacionados com esta venda.

As definições, então, são um pouco diferentes. É bom que você leve as duas literalidades
para sua prova, ok?

25. (CESPE – Analista de Controle – TCE/PA – 2016) Na avaliação dos estoques que uma
entidade mantém para a venda, utiliza-se a regra do valor de custo ou a do valor de
mercado, devendo-se optar pelo menor valor.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Resolução:

Segundo o CPC 16 os Estoques devem ser mensurados pelo valor de custo ou pelo valor
realizável líquido, dos dois o menor.

Valor realizável líquido é o preço de venda estimado no curso normal dos negócios deduzido
dos custos estimados para sua conclusão e dos gastos estimados necessários para se
concretizar a venda.

O valor realizável líquido refere-se à quantia líquida que a entidade espera realizar com a
venda do estoque no curso normal dos negócios. O valor justo reflete o preço pelo qual uma
transação ordenada para a venda do mesmo estoque no mercado principal (ou mais
vantajoso) para esse estoque ocorreria entre participantes do mercado na data de
mensuração. O primeiro é um valor específico para a entidade, ao passo que o segundo já
não é. Por isso, o valor realizável líquido dos estoques pode não ser equivalente ao valor
justo deduzido dos gastos necessários para a respectiva venda.

Assim, incorreta a afirmativa.

Gabarito: E

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 35


www.igorcintra.com.br

26. (CESPE – Analista – FUNPRESP – 2016) Se o valor histórico da conta de estoques de uma
entidade for superior ao valor realizável, então a diferença entre eles deverá ser
reconhecida no balanço patrimonial, mediante débito em estoques.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Resolução:

Vimos que os Estoques devem ser mensurados pelo valor de custo ou pelo valor realizável
líquido, dos dois o menor.

Assim, a quantia de qualquer redução dos estoques para o valor realizável líquido e todas as
perdas de estoques devem ser reconhecidas como despesa do período em que a redução
ou a perda ocorrerem. Esta redução é realizada mediante o seguinte lançamento:

D – Perda com Redução ao Valor Realizável Líquido em Estoques (Resultado)


C – Redução ao Valor Realizável Líquido em Estoques (Retificadora do Ativo)

A diferença entre o custo histórico e o valor realizável líquido, portanto, é reconhecida no


balanço patrimonial, mediante crédito em conta retificadora da conta “Estoques”, o que
torna a afirmativa incorreta.

Gabarito: E

27. (VUNESP – Técnico de Contabilidade – UNESP – 2014) Conforme determinam as


Normas Brasileiras de Contabilidade, para fins de mensuração dos estoques, a regra será:

(A) valor do custo padrão ou mercado.

(B) valor médio ou valor de custo histórico, dos dois o maior.

(C) valor de custo ou de realização, dos dois o maior.

(D) custo ou fabricação dos dois o maior.

(E) valor de custo ou realizável líquido, dos dois o menor.

Resolução:

Sabe-se que os estoques devem ser mensurados pelo valor de custo ou pelo valor realizável
líquido, dos dois o menor.

Com isso, correta a alternativa E.

Gabarito: E

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 36


www.igorcintra.com.br

28. (AOCP – Contador – Pref. Angra dos Reis – 2015) De acordo com as Normas Brasileiras
de Contabilidade, os estoques devem ser mensurados pelo valor

(A) realizável líquido.

(B) justo líquido.

(C) de custo ou pelo valor realizável líquido, dos dois o menor.

(D) de custo ou pelo valor justo líquido, dos dois o menor.

(E) de custo ou pelo valor realizável líquido, dos dois o maior.

Resolução:

Vimos que os estoques devem ser mensurados pelo valor de custo ou pelo valor realizável
líquido, dos dois o menor.

Com isso, correta a alternativa C.

Gabarito: C

O valor de custo do estoque deve incluir todos os custos de aquisição e de transformação,


bem como outros custos incorridos para trazer os estoques à sua condição e localização
atuais.

O custo de aquisição dos estoques compreende o preço de compra, os impostos de


importação e outros tributos (exceto os recuperáveis junto ao fisco), bem como os custos de
transporte, seguro, manuseio e outros diretamente atribuíveis à aquisição de produtos
acabados, materiais e serviços. Descontos comerciais, abatimentos e outros itens
semelhantes devem ser deduzidos na determinação do custo de aquisição.

Vamos analisar algumas questões que cobraram estes conhecimentos.

29. (CESPE – Analista Judiciário – TRE-BA – 2017) O valor do custo de aquisição de estoques
compreende o preço de compra

A) acrescidos dos tributos, exceto os recuperáveis, e os custos de transporte diretamente


atribuíveis à aquisição, deduzidos os descontos comerciais.

B) acrescidos dos tributos, exceto os recuperáveis, deduzidos os custos de transporte e de


seguro atribuíveis à aquisição.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 37


www.igorcintra.com.br

C) deduzidos todos os impostos, os custos de transporte diretamente atribuíveis à aquisição


e os descontos comerciais.

D) sem deduções ou acréscimos decorrentes do valor descrito na nota fiscal de aquisição.

E) deduzidos todos os tributos incidentes sobre a mercadoria e acrescidos os custos de


armazenagem.

Resolução:

Vimos que o custo de aquisição dos estoques compreende o preço de compra, os impostos
de importação e outros tributos (exceto os recuperáveis junto ao fisco), bem como os custos
de transporte, seguro, manuseio e outros diretamente atribuíveis à aquisição de produtos
acabados, materiais e serviços. Descontos comerciais, abatimentos e outros itens
semelhantes devem ser deduzidos na determinação do custo de aquisição.
Com isso, correta a alternativa A.

Gabarito: A

30. (VUNESP – Contador – UNIFESP – 2014) O custo de aquisição dos estoques compreende
o preço de compra, os impostos de importação e outros tributos, bem como os custos de
transporte, seguro, manuseio e outros diretamente atribuíveis à aquisição de produtos
acabados, materiais e serviços. Descontos comerciais, abatimentos e outros itens
semelhantes devem ser

(A) deduzidos na determinação do custo de aquisição.

(B) acrescidos na determinação do custo de aquisição.

(C) acrescidos ao produto em elaboração.

(D) acrescidos aos materiais e serviços.

(E) acrescidos ao custo real incorrido.

Resolução:

Segundo o CPC 16 – Estoques, o valor de custo do estoque deve incluir todos os custos de
aquisição e de transformação, bem como outros custos incorridos para trazer os estoques à
sua condição e localização atuais.

O custo de aquisição dos estoques compreende o preço de compra, os impostos de


importação e outros tributos (exceto os recuperáveis junto ao fisco), bem como os custos
de transporte, seguro, manuseio e outros diretamente atribuíveis à aquisição de produtos

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 38


www.igorcintra.com.br

acabados, materiais e serviços. Descontos comerciais, abatimentos e outros itens


semelhantes devem ser deduzidos na determinação do custo de aquisição.

Com isso, correta a alternativa A.

Gabarito: A

31. (CFC – Exame de Suficiência – Bacharelado – 2015) Uma Sociedade Empresária adquiriu
mercadorias para revenda, com as seguintes informações:

Informações Valor Total


Preço das mercadorias adquiridas para revenda R$25.000,00
PIS e Cofins recuperáveis R$2.312,50
ICMS de 17% incluído no preço das mercadorias R$4.250,00

A empresa está sujeita à não cumulatividade do PIS e da Cofins e, ainda, tem direito ao
crédito tributário referente ao ICMS pago na aquisição das mercadorias.

Conforme a NBC TG 16 (R1) – Estoques, o custo de aquisição total a ser reconhecido no


estoque, referente a essa transação, é de:

a) R$18.437,50.

b) R$20.750,00.

c) R$25.000,00.

d) R$31.562,50.

Resolução:

Perceba que o enunciado não forneceu as alíquotas do PIS e COFINS, mas se limitou a dizer
são tributos recuperáveis. Neste caso, o candidato deveria saber suas alíquotas neste
sistema, que são de 1,65% e 7,6%, respectivamente. Assim:

Preço de Aquisição R$ 25.000,00


(–) ICMS a Recuperar (17%) (R$ 4.250,00)
(–) PIS a Recuperar (1,65%) (R$ 412,50)
(–) COFINS a Recuperar (7,6%) (R$ 1.900,00)
(=) Custo do Estoque R$ 18.437,50

Assim, correta a alternativa A.

Gabarito: A

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 39


www.igorcintra.com.br

32. (CESPE – AFC – MPU – 2015) O valor de custo do estoque deve incluir todos os custos
de aquisição e de transformação bem como outros custos incorridos para trazer os
estoques à sua condição e à sua localização atuais.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Resolução:

Segundo o CPC 16 – Estoques, o valor de custo do estoque deve incluir todos os custos de
aquisição e de transformação, bem como outros custos incorridos para trazer os estoques
à sua condição e localização atuais. Com isso, correta a afirmativa.

É importante que você saiba que o custo de aquisição dos estoques compreende o preço de
compra, os impostos de importação e outros tributos (exceto os recuperáveis junto ao fisco),
bem como os custos de transporte, seguro, manuseio e outros diretamente atribuíveis à
aquisição de produtos acabados, materiais e serviços. Descontos comerciais, abatimentos e
outros itens semelhantes devem ser deduzidos na determinação do custo de aquisição (ou
seja, não fazem parte do custo de aquisição).

Gabarito: C

33. (CESPE – Analista – STJ – 2015) O imposto de importação e os impostos não


recuperáveis junto ao fisco, diretamente atribuíveis à aquisição de mercadorias
destinadas à revenda, devem compor o custo de aquisição desses estoques.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Resolução:

Vimos que o custo de aquisição dos estoques compreende o preço de compra, os impostos
de importação e outros tributos (exceto os recuperáveis junto ao fisco). É evidente que os
tributos recuperáveis não fazem parte do custo do estoque, pois são lançados no Ativo da
entidade como direito (ICMS a Recuperar, IPI a Recuperar, PIS/COFINS a Recuperar etc).

Com isso, correta a afirmativa.

Gabarito: C

34. (CFC – Exame de Suficiência – Bacharelado – 2016) Uma Sociedade Empresária


comercial realizou aquisição de mercadorias para revenda.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 40


www.igorcintra.com.br

Em seus registros constam os seguintes dados relacionados aos itens adquiridos:

Descrição Valor
Fretes sobre a compra das mercadorias R$400,00
Gastos com divulgação R$100,00
Gastos estimados necessários para se concretizar a venda R$300,00
Preço de venda R$1.600,00
Tributos adicionais decorrentes da aquisição das mercadorias, não R$200,00
recuperáveis e não incluídos no valor de aquisição
Tributos recuperáveis incluídos no valor de aquisição das mercadorias R$170,00
Valor de aquisição das mercadorias R$1.000,00

De acordo com a NBC TG 16 (R1) – Estoques, o custo de aquisição dessas mercadorias é


de:

a) R$1.300,00.

b) R$1.430,00.

c) R$1.530,00.

d) R$1.600,00.

Resolução:

O custo de aquisição do estoque será composto por:

Preço das Mercadorias R$ 1.000,00


(+) Frete R$ 400,00
(+) Tributos Não Recuperáveis R$ 200,00
(–) Tributos Recuperáveis (R$ 170,00)
(=) Custo R$ 1.430,00

Assim, correta a alternativa B.

Gabarito: B

35. (FCC – ACE – TCE-CE – 2015) Um lote de determinada mercadoria foi adquirida por R$
2.000.000,00 à vista. A empresa compradora retirou a mercadoria no depósito do
fornecedor e gastou R$ 40.000,00 para fazer o transporte desta mercadoria até o seu
depósito. A compra ocorreu em 15/05/2014 e até 15/11/2014 a empresa vendeu 80%
deste lote pelo valor de R$ 1.900.000,00. Sabendo-se que não há incidência de qualquer
tributo na compra e na venda das mercadorias e que a empresa não tinha estoque

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 41


www.igorcintra.com.br

anterior, a Demonstração do Resultado de 2014, em relação exclusivamente à compra e à


venda das mercadorias descritas, evidenciará Resultado Bruto com Vendas no valor de

(A) R$ 260.000,00.

(B) R$ 268.000,00.

(C) R$ 300.000,00.

(D) R$ 300.000,00 e Despesa com frete no valor de R$ 40.000,00.

(E) R$ 268.000,00 e Despesa com frete no valor de R$ 40.000,00.

Resolução:

Inicialmente temos que calcular qual é o custo de aquisição da mercadoria, que compreende
seu preço de aquisição e o valor do frete. Assim:

Preço de Aquisição R$ 2.000.000,00


(+) Frete R$ 40.000,00
(=) Custo de Aquisição R$ 2.040.000,00

O enunciado diz que a empresa vendeu 80% destas mercadorias por R$ 1,9 milhão. Assim,
o resultado bruto com tais vendas será de:

Receita de Vendas R$ 1.900.000,00


(–) Custo das Mercadorias Vendidas (R$ 1.632.000,00)
(=) Lucro Bruto R$ 268.000,00

Obs.: CMV = 80% x R$ 2.040.000,00 = R$ 1.632.000,00

Assim, correta a alternativa B.

Gabarito: B

36. (FCC – Analista – CNMU – 2015) Durante o ano de 2013 uma empresa adquiriu
mercadorias para revenda no valor total de R$ 600.000,00, efetuando o pagamento à vista.
No valor total da compra estavam incluídos tributos recuperáveis no valor de R$ 90.000,00
e tributos não recuperáveis no valor de R$ 69.000,00. A empresa pagou também o valor
total de R$ 24.000,00 pelo transporte destas mercadorias até o seu depósito e neste valor
estavam incluídos tributos recuperáveis no valor de R$ 3.000,00. A empresa vendeu todos
estes produtos pelo valor bruto de R$1.260.000,00, à vista, e os impostos incidentes sobre
a venda totalizaram R$ 189.000,00. Sabendo-se que a empresa não tinha estoques no
início de 2013, o lucro bruto apurado em 2013 foi, em reais,

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 42


www.igorcintra.com.br

(A) 471.000,00.

(B) 561.000,00.

(C) 540.000,00.

(D) 660.000,00.

(E) 447.000,00.

Resolução:

Questão praticamente idêntica à anterior! Inicialmente vamos calcular o valor do custo do


estoque adquirido.

Preço de Aquisição R$ 600.000,00


(–) Tributos Recuperáveis (R$ 90.000,00)
(+) Frete R$ 24.000,00
(–) Tributos Recuperáveis s/ Frete (R$ 3.000,00)
(=) Custo dos Estoques R$ 531.000,00

A partir disso vamos apurar o lucro bruto apurado em 2013.

Receita Bruta de Venda R$ 1.260.000,00


(–) Tributos sobre Vendas (R$ 189.000,00)
(=) Receita Líquida R$ 1.071.000,00
(–) CMV (R$ 531.000,00)
(=) Lucro Bruto R$ 540.000,00

Assim, correta a alternativa C.

Gabarito: C

37. (FCC – Analista – TRF – 2016) Um lote de mercadorias foi adquirido do exterior para
comercialização no Brasil. A compra ocorreu em 15/10/2015 e o preço pago ao fornecedor
no exterior foi R$ 6.000.000,00, sendo que a empresa pagou, adicionalmente, os seguintes
encargos para dispor das mercadorias em condições de venda:

− R$ 600.000,00 de transporte aéreo para trazer a mercadoria do país de origem até o Brasil.
− R$ 240.000,00 de taxas e tarifas alfandegárias para ingresso das mercadorias no Brasil.
− R$ 100.000,00 para transporte da mercadoria do aeroporto até a sede da empresa.
− R$ 150.000,00 correspondente aos seguintes impostos:
− R$ 60.000,00 a título de imposto de importação não recuperável.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 43


www.igorcintra.com.br

− R$ 90.000,00 a título de outros impostos locais que podem ser compensados com os impostos
incidentes no momento da venda das mercadorias.

Sabe-se que não havia saldo de estoque antes desta compra e que, em dezembro de 2015,
a empresa vendeu noventa por cento das mercadorias que foram importadas. O valor
bruto das vendas foi R$ 8.500.000,00 e os impostos incidentes sobre estas vendas
totalizaram R$ 1.275.000,00. O Resultado Bruto com Mercadorias apurado pela empresa
no ano de 2015, exclusivamente em relação às mercadorias importadas e vendidas, foi,
em reais,

(A) 1.015.000,00.

(B) 3.100.000,00.

(C) 844.000,00.

(D) 925.000,00.

(E) 979.000,00.

Resolução:

Inicialmente vamos calcular o custo dos estoques adquiridos em 15/10/2015.

Preço de Aquisição R$ 6.000.000,00


(+) Frete (externo) R$ 600.000,00
(+) Taxas e Tarifas Alfandegárias R$ 240.000,00
(+) Frete (interno) R$ 100.000,00
(+) Impostos (não recuperáveis) R$ 60.000,00
(=) Custo de Aquisição R$ 7.000.000,00

Sabe-se que a empresa vendeu 90% das mercadorias adquiridas por R$ 8.500.000,00. Assim:

Receita Bruta de Vendas R$ 8.500.000,00


(–) Impostos sobre Vendas (R$ 1.275.000,00)
(=) Receita Líquida R$ 7.225.000,00
(–) CMV (R$ 6.300.000,00) → 90% x R$ 7 milhões
(=) Lucro Bruto R$ 925.000,00

Com isso, correta a alternativa D.

Gabarito: D

Zé Curioso: “Professor, estou entendendo tudo até agora. Só não consegui, ainda, visualizar
muito bem esse lance de mensuração pelo valor realizável líquido ou o custo, dos dois o
menor. Teria como dar exemplos?”

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 44


www.igorcintra.com.br

Claro Zé! Vamos visualizar esta regra através de exercícios, ok?

38. (CFC – Exame de Suficiência – Técnico – 2014) Uma sociedade empresária mantém no
seu estoque de produtos para venda as mercadorias A, B e C. Os valores totais de custo de
aquisição, preço de vendas e previsão de gastos com vendas, para fins de cálculo do Valor
Realizável Líquido, na posição de 31.12.2013, estão detalhados a seguir:

Mercadoria Custo de Aquisição Preço de Venda Gastos com Vendas


A R$ 420,00 R$ 500,00 R$ 100,00
B R$ 650,00 R$ 900,00 R$ 130,00
C R$ 900,00 R$ 850,00 R$ 170,00

Considerando o que determina a NBC TG 16 (R1) - Estoques, o saldo da conta Estoques de


Mercadorias em 31.12.2013 será de:

a) R$1.970,00.

b) R$1.850,00.

c) R$1.750,00.

d) R$1.730,00.

Resolução:

Vimos que os estoques devem ser mensurados pelo valor de custo ou pelo valor realizável
líquido, dos dois o menor.

Com isso, vamos calcular o valor realizável líquido das três mercadorias:

Mercadoria Custo de Aquisição Valor Real. Líquido


A R$ 420,00 R$ 400,00
B R$ 650,00 R$ 770,00
C R$ 900,00 R$ 680,00

Perceba, portanto, que há a necessidade de reconhecimento de perda por redução ao valor


realizável líquido das mercadorias A e C.

Portanto, o Valor do Estoque Final será, após este reconhecimento, de R$ 1.730,00 (R$
400,00 + R$ 650,00 + R$ 680,00).

Gabarito: D

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 45


www.igorcintra.com.br

39. (FGV – Contador – Caruaru – 2015) Em 31/12/2013, a Cia. Z adquiriu 60 unidades da


boneca baby por R$ 1.800,00. Na compra, ela incorreu em R$ 120,00 de frete. Além disso,
adquiriu uma nova estante para expor as bonecas por R$ 240,00, contratou um
profissional para elaborar a publicidade das bonecas, cujos honorários foram de R$ 480,00
e um vitrinista para arrumá-las, com honorários de R$ 600,00.

Em 10/01/2014, as bonecas baby começaram a ser comercializadas por R$ 60,00 cada.

Dois terços das bonecas foram vendidos no mês de janeiro. No entanto, em 01/02/2014,
uma nova boneca foi introduzida no mercado, de modo que a baby passou a ser vendida
por R$ 35,00. Em fevereiro cinco bonecas baby foram vendidas.

Em 28/02/2014 o estoque total de bonecas baby estava contabilizado a

a) R$ 450,00.

b) R$ 480,00.

c) R$ 525,00.

d) R$ 540,00.

e) R$ 810,00.

Resolução:

Sabemos que os estoques devem ser mensurados pelo valor de custo ou pelo valor
realizável líquido, dos dois o menor.

O valor de custo do estoque deve incluir todos os custos de aquisição e de transformação,


bem como outros custos incorridos para trazer os estoques à sua condição e localização
atuais. Compreende, portanto, o preço de compra, os impostos de importação e outros
tributos (exceto os recuperáveis junto ao fisco), bem como os custos de transporte, seguro,
manuseio e outros diretamente atribuíveis à aquisição de produtos acabados, materiais e
serviços.

O custo do estoque, portanto, será de:

Preço de Aquisição R$ 1.800,00


(+) Frete R$ 120,00
(=) Custo do Estoque R$ 1.820,00

Zé Curioso: “Professor, e o gasto realizado para compra da nova estante, bem com
publicidade e o vitrinista”?

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 46


www.igorcintra.com.br

Zé, perceba que tais gastos não são diretamente atribuíveis à aquisição dos produtos. As
estantes serão ativadas como Imobilizado. Os demais gastos (publicidade e vitrinista) serão
apropriadas como despesa quando incorridas.

Enfim, o importante é que o custo unitário do estoque foi de:

𝑅$ 1.920,00
𝑪𝒖𝒔𝒕𝒐 𝑼𝒏𝒊𝒕á𝒓𝒊𝒐 = = 𝑹$ 𝟑𝟐, 𝟎𝟎
60 𝑢𝑛𝑖𝑑𝑎𝑑𝑒𝑠
O enunciado diz que 40 bonecas foram vendidas no mês de janeiro e mais 5 bonecas em
fevereiro. Menciona, ainda, que a boneca passou a ser vendida por R$ 35,00 (este é seu valor
realizável líquido).

Como o custo de aquisição é inferior ao valor realizável líquido, o estoque continuará


mensurado pelo custo. Assim, o valor total em estoque será de:

𝑬𝒔𝒕𝒐𝒒𝒖𝒆 = 15 𝑏𝑜𝑛𝑒𝑐𝑎𝑠 × 𝑅$ 32,00 = 𝑹$ 𝟒𝟖𝟎, 𝟎𝟎

Com isso, correta a alternativa B.

Gabarito: B

40. (FGV – Técnico – ALBA – 2014) Determinada empresa vende dois tipos de produtos,
canetas e lapiseiras.

Em 31 de dezembro de 2013, ela tinha em seu estoque 200 unidades de canetas e 300
unidades de lapiseiras. O estoque de canetas estava avaliado em R$ 2.000,00 e o estoque
de lapiseiras em R$ 2.100,00.

Nesta data, o valor líquido realizável de cada produto era de R$ 8,00.

O procedimento da empresa em seu balanço patrimonial deve ser o de

(A) ajustar o custo das canetas e das lapiseiras no total de R$ 700,00.

(B) manter o custo das canetas e das lapiseiras.

(C) ajustar apenas o custo das canetas, reduzindo o valor do estoque em R$ 400,00.

(D) ajustar apenas o custo das lapiseiras, aumentando o valor do estoque em R$ 300,00.

(E) ajustar o custo das canetas e das lapiseiras, reduzindo o valor em R$ 100,00.

Resolução:

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 47


www.igorcintra.com.br

Sabe-se que os estoques devem ser mensurados pelo valor de custo ou pelo valor realizável
líquido, dos dois o menor.

A partir disso, vamos calcular o valor contábil, em 31/12/2013, do estoque de canetas e


lapiseiras!

𝑅$ 2.000,00
𝑽𝒂𝒍𝒐𝒓 𝑪𝒐𝒏𝒕á𝒃𝒊𝒍 𝑪𝒂𝒏𝒆𝒕𝒂 = = 𝑹$ 𝟏𝟎, 𝟎𝟎
200 𝑢𝑛𝑖𝑑
𝑅$ 2.100,00
𝑽𝒂𝒍𝒐𝒓 𝑪𝒐𝒏𝒕á𝒃𝒊𝒍 𝑳𝒂𝒑𝒊𝒔𝒆𝒊𝒓𝒂 = = 𝑹$ 𝟕, 𝟎𝟎
300 𝑢𝑛𝑖𝑑
O enunciado informou que o valor líquido realizável de cada produto era de R$ 8,00. Assim,
há que se reconhecer uma perda estimada por redução ao valor realizável líquido das
canetas, pois estão contabilizadas por um valor superior ao seu valor recuperável! Assim:

𝑹𝒆𝒅𝒖çã𝒐 𝒂𝒐 𝑽𝒂𝒍𝒐𝒓 𝑹𝒆𝒂𝒍𝒊𝒛á𝒗𝒆𝒍 = 200 𝑢𝑛𝑖𝑑 × 𝑅$ 2,00 = 𝑹$ 𝟒𝟎𝟎, 𝟎𝟎

O lançamento contábil será:

D – Perda Estimada por Redução ao Valor Realizável Líquido R$ 400,00 (Resultado)


C – Perda Estimada por Redução ao Valor Realizável Líquido R$ 400,00 (AC)

Essa conta, Perda Estimada por Redução ao Valor Realizável Líquido, retificará o valor da
conta Estoques. Assim, correta a alternativa C.

Gabarito: C

Vamos analisar alguns aspectos do IPI e suas consequências na mensuração do estoque.

3.1 Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI)


O IPI, diferentemente do ICMS, é um imposto calculado por fora, ou seja, seu valor não está
embutido no valor da operação. A base de cálculo do IPI é o valor da operação de que
decorrer a saída de produtos industrializados, incluindo os fretes e seguros efetuados por
conta do fornecedor.

Zé Curioso: “Professor, o que quer dizer valor da operação?”

Segundo o Regulamento do IPI (RIPI), valor da operação compreende o preço do produto,


acrescido do valor do frete e das demais despesas acessórias, cobradas ou debitadas pelo
contribuinte ao comprador ou destinatário.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 48


www.igorcintra.com.br

3.1.1 Descontos Incondicionais

O art. 190, § 3°, do RIPI diz que “não podem ser deduzidos do valor da operação os descontos,
diferenças ou abatimentos, concedidos a qualquer título, ainda que incondicionalmente”.

Ou seja, pela letra da lei mesmo os descontos incondicionais (descontos comerciais)


deveriam fazer parte da base de cálculo do IPI. No entanto, por unanimidade o Supremo
Tribunal Federal considerou que o valor dos descontos incondicionais não integra a base de
cálculo do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). Segundo o STF a redação vista
acima é inconstitucional (apenas no tocante à inclusão dos descontos incondicionais na base
de cálculo do IPI).

Então lembre-se disso: descontos incondicionais não integram a base de cálculo do IPI.

Vejamos um exemplo de incidência de IPI com alíquota de 10% sobre mercadorias de R$


100,00. A Nota Fiscal terá valor total de R$ 110,00, conforme demonstrado abaixo.

Mercadorias R$ 100,00
+ IPI R$ 10,00
= Valor da Nota Fiscal R$ 110,00 (valor faturado)

A grande dificuldade que poderá aparecer na sua prova é quando a venda está sujeita à
incidência de IPI e ICMS. Neste caso teremos que saber a finalidade que o comprador dará
às mercadorias adquiridas.

Se a mercadoria destinar-se à comercialização ou à industrialização o IPI não fará parte da


base de cálculo do ICMS.

Se a mercadoria destinar-se ao ativo fixo ou uso e consumo do comprador, o IPI fará parte
da base de cálculo do ICMS. Assim:

COMERCIALIZAÇÃO OU IPI NÃO ENTRA NA BC DO ICMS


INDUSTRIALIZAÇÃO

ATIVO FIXO OU USO E


IPI ENTRA NA BC DO ICMS
CONSUMO

Você também pode memorizar da seguinte forma: vai haver circulação da mercadoria para
fora do estabelecimento do comprador? Se sim, o IPI não entra na BC do ICMS. Se não (ou

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 49


www.igorcintra.com.br

seja, vou integrar a mercadoria no ativo fixo ou vou consumi-la) o IPI entra na BC do ICMS.
Simples, não é?

41. (CESPE – Analista – Contabilidade – SE/DF – 2017) Situação hipotética: Um fornecedor


oferece determinada mercadoria a prazo por R$ 1.000, porém em uma compra à vista,
com vencimento em 30 dias, esse mesmo fornecedor oferece um desconto de 5% sobre o
valor a prazo. Assertiva: Nesse caso, em uma compra a prazo, a diferença entre o valor à
vista e o valor a prazo deverá ser contabilizada, no momento da compra, como despesa
de juros.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Resolução:

No caso em tela percebe-se que o desconto independe de qualquer condição futura, como
o pagamento antecipado de um título. Assim, perceba que o desconto de 5% na aquisição à
vista é tratado como desconto comercial, ou desconto incondicional, que é considerado uma
dedução da Receita Bruta, e não despesa financeira (despesa de juros), como afirmado.

Assim, incorreta a afirmativa.

Gabarito: E

3.2 Frete e Seguro


Caso o transporte e o seguro estejam incluídos no valor da Nota Fiscal, ou seja, seja por
conta do fornecedor, tais valores integrarão a base de cálculo do IPI e do ICMS.

Por outro lado, caso o transporte e o seguro sejam realizados por uma transportadora
contratada pelo cliente (comprador), tais valores não integrarão a base de cálculo do IPI e
do ICMS.

Vale lembrar que, conforme vimos, quando o frete é responsabilidade do comprador tal
valor irá compor o valor dos estoques.

42. (ESAF – AFRFB – 2012) Nas operações de mercadorias, o valor dos gastos com
transportes, quando estes são feitos sob a responsabilidade do comprador,

a) aumentam o valor das mercadorias compradas.

b) são registrados a débito de uma conta de despesa.

c) diminuem o valor dos estoques de mercadorias.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 50


www.igorcintra.com.br

d) não geram efeitos no custo das mercadorias vendidas quando estes são realizados.

e) não afetam o valor dos estoques de mercadorias.

Resolução:

Tanto o frete quanto o seguro integrarão o custo de aquisição das mercadorias, quando são
de responsabilidade do comprador.

Gabarito: A

3.3 PIS e COFINS


Podem ser apurados pelo regime cumulativo ou não-cumulativo.

O regime cumulativo é aquele onde os tributos não são recuperáveis, ou seja, seus valores
serão integrados aos custos de aquisição de mercadorias. Regra geral, as alíquotas são a
seguintes:

 PIS: 0,65%
 COFINS: 3,00%

O regime não cumulativo é aquele onde os tributos são recuperáveis, ou seja, seus valores
não serão integrados aos custos de aquisição de mercadorias. Regra geral, as alíquotas são
a seguintes:

 PIS: 1,65%
 COFINS: 7,60%

No regime não cumulativo o PIS e COFINS são recuperáveis desde que o destino das
mercadorias seja o comércio ou indústria. Ou seja, se o destino for o consumo, o PIS/COFINS
são tributos não recuperáveis.

Zé Curioso: “Professor, no cálculo do ICMS você falou de divergências na incidência ou não


sobre o valor do IPI, de acordo com a destinação da mercadoria. Isso existe também com o
PIS e COFINS?”

Zé, infelizmente (ou felizmente para quem estuda) sim! E para complicar a regra é diferente
da usada no ICMS.

Se a aquisição for para consumo ou comércio, o IPI integrará a base de cálculo do


PIS/COFINS.

Se a aquisição for para indústria, o IPI não integra a BC do PIS/COFINS.

Assim:

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 51


www.igorcintra.com.br

CONSUMO OU IPI INTEGRA A BC DO


COMÉRCIO PIS/COFINS

IPI NÃO INTEGRA A BC


INDÚSTRIA
DO PIS/COFINS
No entanto, atualmente há grande dúvida em relação a inclusão, ou não, do IPI da base de
cálculo do PIS e COFINS. Isso deveu-se a edição da Lei n° 12.973, de 13 de maio de 2014,
que altera a legislação tributária federal em diversos pontos.

O Decreto-Lei n° 1.598/77 previa em seu art. 12 que a receita bruta das vendas e serviços
compreende o produto da venda de bens nas operações de conta própria e o preço dos
serviços prestados.

O § 1° do art. 12 destacava que a receita líquida de vendas e serviços será a receita bruta
diminuída das vendas canceladas, dos descontos concedidos incondicionalmente e dos
impostos incidentes sobre vendas.

Ou seja, percebe-se claramente que os tributos incidentes sobre as vendas compunham a


Receita Bruta e, consequentemente, a base de cálculo do PIS e COFINS. Pelo menos era este
o posicionamento do fisco, já que não havia previsão expressa de exclusão destes valores da
base cálculo das contribuições citadas.

Haviam inúmeras discussões judiciais sobre este aspecto, havendo, inclusive, decisão do
Supremo Tribunal Federal sobre a não inclusão do ICMS na base de cálculo da COFINS
(decisão com efeito apenas inter partes).

No entanto, a Lei n° 12.973/14, que entrou em vigor em 1 de janeiro de 2015, alterou o art.
12 do Decreto-Lei n° 1.598/77, que passou a vigorar com a seguinte redação:

Art. 12. A receita bruta compreende:


I - o produto da venda de bens nas operações de conta própria;
II - o preço da prestação de serviços em geral;
III - o resultado auferido nas operações de conta alheia;
IV - as receitas da atividade ou objeto principal da pessoa jurídica não compreendidas nos
incisos I a III.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 52


www.igorcintra.com.br

(...)
§ 4° Na receita bruta não se incluem os tributos não cumulativos cobrados,
destacadamente, do comprador ou contratante pelo vendedor dos bens ou pelo prestador
dos serviços na condição de mero depositário.
§ 5° Na receita bruta incluem-se os tributos sobre ela incidentes e os valores decorrentes
do ajuste a valor presente, de que trata o inciso VIII do caput do art. 183 da Lei nº 6.404,
de 15 de dezembro de 1976, das operações previstas no caput, observado o disposto no §
4°.

Percebe-se, portanto, que a nova redação prevê expressamente que incluem-se no conceito
de receita bruta os tributos sobre ela incidentes.

Muitos contribuintes alegam a inconstitucionalidade da inclusão do IPI, ICMS e ISS na base


de cálculo do PIS e COFINS, pois fere o princípio da estrita legalidade previsto no artigo 150,
I da CF/88, art. 97 do CTN, o artigo 195, I, "b" da CF/88 e o art. 110 do CTN, porque receita
e faturamento são conceitos de direito privado que não podem ser alterados, pois a
Constituição Federal os utilizou expressamente para definir competência tributária.

Mas como ressaltado anteriormente, este é um assunto que está longe de ser pacífico. Em
pesquisa rápida na internet conseguimos visualizar diferentes posicionamentos do próprio
judiciário.

O STJ, por exemplo, considerou legítimo que o Imposto Sobre Serviços (ISS) faz parte da base
de cálculo do PIS e da COFINS. Ou seja, para os ministros os valores pagos a título de ISS
compõem a receita bruta.

De qualquer forma, o importante é que na atualidade os tributos incidentes sobre a receita


bruta integram a base de cálculo do PIS e COFINS. Com isso, resta saber como as bancas vão
se portar nas provas futuras!

Aliás, interessante observar que o Supremo Tribunal Federal (STF) publicou, em 2/10/2017,
o acórdão do julgamento que definiu que o ICMS, por não compor faturamento ou receita
bruta das empresas, deve ser excluído da base de cálculo do PIS e da Cofins.

Para o STF o valor pago de ICMS pela empresa e repassado ao consumidor não pode ser
considerado faturamento do contribuinte (visto tratar-se de receita dos Estados), por isso o
PIS e a Cofins devem incidir apenas sobre o valor efetivamente faturado pela empresa com
a venda de seus produtos e mercadorias.

A inclusão do ICMS na base de cálculo da COFINS e do PIS resulta em tributação de riqueza


que não pertence ao contribuinte.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 53


www.igorcintra.com.br

No entanto o STF ainda não modulou os efeitos dessa decisão, mas deve acolher o pedido
da Fazenda Nacional para produzir efeitos prospectivos, ou seja, ex nunc.

A Receita Federal disse, na SOLUÇÃO DE CONSULTA DISIT/SRRF06 Nº 6032, DE 30 DE JUNHO DE


2017, que o ICMS devido pela pessoa jurídica na condição de contribuinte do imposto (em
virtude de operações ou prestações próprias) compõe a sua receita bruta, não havendo
previsão legal que possibilite a sua exclusão da base de cálculo não cumulativa da
Contribuição para o PIS/Pasep devida nas operações realizadas no mercado interno.

A edição de ato declaratório pelo Procurador-Geral da Fazenda Nacional sobre matéria


objeto de jurisprudência pacífica do Supremo Tribunal Federal, vincula a Administração
tributária, sendo vedado à Secretaria da Receita Federal do Brasil a constituição dos
respectivos créditos tributários.

Entretanto, inexiste ato declaratório que trate sobre a exclusão do ICMS da base de cálculo
da Contribuição para o PIS/Pasep incidente nas operações internas. A matéria, atualmente
objeto de Ação Declaratória de Constitucionalidade, encontra-se aguardando decisão
definitiva de mérito, que seja vinculante para a Administração Pública.

Por esta razão, eu considero prudente manter o ICMS na base de cálculo do PIS/COFINS,
pelo menos até edição de ato declaratório pelo PGFN sobre a decisão do STF sobre o tema.

Evidentemente que você sempre deve levar em consideração informações dadas no


enunciado. Por exemplo, caso o examinador afirme “considerando as decisões recentes do
STF a respeito da inclusão, ou não, do ICMS na base de cálculo do PIS/Cofins...”. Neste caso
não tenha dúvidas em desconsiderar o ICMS da base de cálculo do PIS e da Cofins.

Para fechar o tema vamos resolver mais algumas questões envolvendo operações com
mercadorias!

43. (CESPE – Perito Criminal – PC-PE – 2016) A empresa X adquiriu, a prazo, em 1.º/4/2016,
cem computadores por R$ 1.000 cada um. Em 2/4/2016, ela vendeu, à vista, 50% do
estoque por R$ 100.000; em 5/4/2016, um cliente dessa empresa devolveu um
computador.

Acerca dessa situação hipotética, assinale a opção correta, considerando que o estoque
inicial da empresa X era igual a zero e desprezando o impacto tributário.

A) O custo das mercadorias vendidas foi inferior a R$ 48.000.

B) O estoque final em 30/4/2016 era superior a R$ 50.000.

C) Na demonstração de resultado do período, o valor da receita líquida será inferior a R$


50.000.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 54


www.igorcintra.com.br

D) Se as referidas transações foram as únicas que a empresa X teve no período em questão,


então o lucro líquido dessa empresa foi superior ao lucro bruto.

E) O lançamento contábil correto da devolução do cliente seria a débito de fornecedor e a


crédito de mercadorias em estoque.

Resolução:

Vamos analisas as operações descritas, considerando que o preço de venda unitário é de R$


2.000 (afinal, vendeu-se 50 computadores ao preço de R$ 100.000).

Receita Bruta de Vendas R$ 100.000


(–) Devolução de Vendas (R$ 2.000) → 1 computador
(=) Receita Líquida R$ 98.000
(–) CMV (R$ 49.000) → 49 computadores x R$ 1.000
(=) Lucro Bruto R$ 49.000

Com isso podemos analisar as alternativas.

a) Incorreta. O Custo das Mercadorias Vendidas foi de R$ 49 mil.

b) Correta. O Estoque Final é de R$ 51 mil (composto por 51 computadores ao custo unitário


de R$ 1 mil).

c) Incorreta. A Receita Líquida é de R$ 98 mil.

d) Incorreta. Como não há informações a respeito de demais receitas e despesas, conclui-se


que o Lucro Bruto é igual ao Lucro Líquido.

e) Incorreta. O lançamento contábil da devolução é realizado da seguinte forma:


D – Estoques R$ 1.000 (Ativo Circulante)
C – CMV R$ 1.000 (Resultado)
D – Devolução de Vendas R$ 2.000 (Resultado)
C – Caixa R$ 2.000 (Ativo Circulante)

Gabarito: B

44. (ESAF – Contador – FUNAI – 2016) Em 02/05/2016, a empresa Alpha adquiriu um lote
de mercadorias para revenda e incorreu nos seguintes gastos: preço de compra das
mercadorias – R$ 100.000,00; frete sobre compras – R$15.000,00; seguros sobre compras
– R$ 6.000,00. Nos gastos realizados pela empresa, estavam inclusos impostos não
recuperáveis de R$5.000,00 e impostos recuperáveis de R$12.000,00. Em 31/05/2016, a
empresa vendeu, à vista, 60% deste lote de mercadorias por R$90.000,00, valor este
líquido de tributos, e pagou comissões de R$2.700,00 e fretes sobre vendas de R$5.400,00.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 55


www.igorcintra.com.br

Com base nestas informações, o lucro bruto com a venda de mercadorias referente a maio
de 2016 foi, em reais, de

a) 17.400,00.

b) 24.600,00.

c) 16.500,00.

d) 37.200,00.

e) 19.500,00.

Resolução:

Inicialmente vamos calcular o custo de aquisição das mercadorias.

Preço de Compra R$ 100.000


(+) Frete R$ 15.000
(+) Seguro R$ 6.000
(–) Impostos Recuperáveis (R$ 12.000)
(=) Custo de Aquisição R$ 109.000

Segundo o enunciado a empresa vendeu, em 31/05/2016, 60% dos estoques pelo valor de
R$ 90 mil. Assim:

Receita Líquida de Venda R$ 90.000


(–) CMV (R$ 65.400) → 60% x R$ 109 mil
(=) Lucro Bruto R$ 24.600

Assim, correta a alternativa B.

Perceba que as despesas com comissões e fretes sobre as vendas não afeta o cálculo do
lucro bruto.

Gabarito: B

45. (FCC – Analista – TRT-MG – 2015) Em 01/05/2015, a Cia. Bom Preço, empresa
comercial, adquiriu um lote de mercadorias pelo valor de R$ 300.000,00 à vista, sendo que
neste valor está incluído ICMS − Imposto sobre Operações relativas à Circulação de
Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal
e de Comunicação − de R$ 54.000,00. Em 15/05/2015, a Cia. Bom Preço vendeu 50% deste
lote de mercadorias, à vista, pelo valor líquido de tributos de R$ 270.000,00. A comissão
sobre a venda foi R$ 5.200,00. No dia 18/05/2015, foi concedido um abatimento ao cliente

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 56


www.igorcintra.com.br

no valor de R$ 10.000,00 porque alguns itens apresentaram problemas quanto à


especificação. Com base nestas informações, o lucro bruto que a Cia. Bom Preço apurou
com a venda de 50% do lote de mercadorias foi, em reais, de

(A) 110.000,00

(B) 131.800,00

(C) 137.000,00

(D) 104.800,00

(E) 147.000,00

Resolução:

Inicialmente temos que calcular o valor das compras líquidas, ou seja, retirar o ICMS
incidente sobre tal compra (já que é recuperável). Assim, o valor que deve ser reconhecido
no estoque da entidade será de:

D – Estoques R$ 246.000,00 (AC)


D – ICMS a Recuperar R$ 54.000,00 (AC)
C – Caixa R$ 300.000,00 (AC)

A partir disso, vamos calcular o Lucro Bruto da venda de 50% do lote adquirido. Perceba que
há um dado importantíssimo no enunciado, dizendo que em 18/05/2015 foi concedido um
abatimento ao cliente no valor de R$ 10.000,00. Lembre-se que tal abatimento é uma
dedução da receita bruta! O enunciado forneceu apenas o valor líquido de tributos!

Assim, a Receita Líquida de Vendas será de R$ 260.000,00 (valor de venda líquido de tributos
deduzido do abatimento).

Receita Líquida de Vendas R$ 260.000,00


(–) CMV (R$ 123.000,00)
(=) Lucro Bruto R$ 137.000,00

Com isso, correta a alternativa C.

Gabarito: C

46. (FGV – Agente de Fiscalização – TCM-SP – 2015) Uma empresa industrial realizou
vendas no período de 1.000 itens do seu estoque, por R$180,00 cada um, para pagamento
em 30 dias. Ao cliente foi concedido um desconto de 1,5%, na nota fiscal e o frete, no valor
de R$2.250,00, é de responsabilidade da empresa.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 57


www.igorcintra.com.br

Dados adicionais:

- o cliente terá um desconto de R$1.800,00 no pagamento dentro do prazo;


- o custo de cada produto vendido é de R$90,00;
- no mesmo período foram registrados: salários dos vendedores no valor de R$4.200,00, outras
despesas no valor de R$1.350,00;
- ICMS no valor de R$34.200;
- IPI no valor R$9.000,00;
- PIS no valor de R$1.170,00;
- COFINS no valor de R$5.400,00.

Com base nas informações anteriores e nos dados acima, é possível determinar que a
receita líquida é:

(A) R$46.530;

(B) R$129.680;

(C) R$136.530;

(D) R$138.680;

(E) R$139.230.

Resolução:

A partir da Receita Bruta de Vendas vamos calcular a Receita Líquida!

Receita Bruta R$ 180.000,00


(–) Deduções
Desconto Incondicional (R$ 2.700,00)
ICMS sobre Vendas (R$ 34.200,00)
PIS (R$ 1.170,00)
COFINS (R$ 5.400,00)
(=) Receita Líquida R$ 136.530,00

Assim, correta a alternativa C.

Gabarito: C

47. (FGV – Contador – DPE-MT – 2015) Em 31/12/2014 uma empresa apresentava os


seguintes saldos:

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 58


www.igorcintra.com.br

Vendas de Produtos: R$ 70.000,00; ICMS sobre vendas: 13.000; ICMS a recuperar R$


6.000,00; Devoluções e abatimentos sobre vendas: R$ 8.000; COFINS sobre vendas: R$
2.000,00; Contribuição social: 15.000.

Considerando apenas esses fatos, o valor das vendas líquidas na Demonstração do


Resultado do Exercício da empresa, em 31/12/2014, era de

(A) R$ 38.000,00.

(B) R$ 47.000,00.

(C) R$ 49.000,00.

(D) R$ 53.000,00.

(E) R$ 62.000,00.

Resolução:

Vamos calcular o valor das vendas líquidas!

Receita Bruta R$ 70.000,00


(–) ICMS s/ Vendas (R$ 13.000,00)
(–) COFINS s/ Vendas (R$ 2.000,00)
(–) Devoluções e Abatimentos (R$ 8.000,00)
(=) Receita Líquida R$ 47.000,00

Assim, correta a alternativa B.

Gabarito: B

Agora que já sabemos tudo sobre o tratamento contábil dado aos estoques vamos dar
analisas os Sistemas de Inventários, que é uma tema praticamente certo em sua prova!

4. SISTEMAS DE INVENTÁRIOS
Vejamos, agora, os sistemas e critérios utilizados pelas empresas no controle de seus
estoques, bem como dos custos das mercadorias vendidas.

4.1 Inventário Periódico


Nesse sistema a empresa não controla seus estoques ao longo do período. Tal controle é
realizado mediante levantamento físico ao final de cada período. Assim, o Custo das
Mercadorias Vendidas será calculado da seguinte maneira:

𝑪𝑴𝑽 = 𝑬𝒔𝒕𝒐𝒒𝒖𝒆 𝑰𝒏𝒊𝒄𝒊𝒂𝒍 + 𝑪𝒐𝒎𝒑𝒓𝒂𝒔 – 𝑬𝒔𝒕𝒐𝒒𝒖𝒆 𝑭𝒊𝒏𝒂𝒍

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 59


www.igorcintra.com.br

Não é um sistema ideal para grandes empresas, dada a dificuldade da contagem de todo o
estoque ao fim de cada período, que pode ser mensal, trimestral etc. Também não permite
o controle do CMV após cada operação de venda.

Vamos analisar agora o sistema de inventário permanente!

4.2 Inventário Permanente


É o sistema usado por grandes empresas, pois o controle dos estoques é contínuo, por meio
de fichas de controle, o que possibilita o cálculo do resultado (lucro ou prejuízo) das vendas
de mercadorias, já que sabemos de imediato o valor do custo das mercadorias vendidas.

Vamos visualizar um exemplo para ficar mais claro! Imagine as seguintes operações, em
dezembro de 2013, da Cia. Beleza:

01/07/2014: Compra de Mercadorias (100 unidades) por R$ 1.000,00.


15/07/2014: Compra de Mercadorias (100 unidades) por R$ 1.200,00.
23/07/2014: Vendas de 130 unidades por R$ 2.000,00.

Pergunto: Qual é o custo das 130 unidades vendidas? Perceba que as compras possuem
custos unitários diferentes. Nas compras do dia 01 é de R$ 10,00 ao passo que nas compras
do dia 15 é de R$ 12,00. E agora?

Zé Curioso: ”Ahhh professor, faça do jeito que você quiser na hora e bola pra frente!”

Zé, para isso existem os critérios de controle de estoques! Iremos estudar apenas os que são
cobrados, com frequência, em concursos:

 Método PEPS
 Método UEPS
 Método do Custo Médio (Móvel)

4.2.1 Método PEPS

PEPS significa “Primeiro a Entrar é o Primeiro a Sair” (ou FIFO – First In, First Out). Nesse
método, numa eventual venda iremos considerar, e contabilizar, que a saída realizada
refere-se às mercadorias mais antigas, ficando nos estoques as mais recentes.

No exemplo dado, da Cia Beleza, o custo das 130 unidades vendidas será:

100 un. (dia 01) – R$ 1.000,00


130 un. Custo Total = R$ 1.360,00
30 un. (dia 15) – R$ 360,00

Assim, o Resultado com Mercadorias (RCM) será de:

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 60


www.igorcintra.com.br

𝑹𝑪𝑴 = 𝑉𝑒𝑛𝑑𝑎𝑠 – 𝐶𝑀𝑉 = 𝑅$ 2.000,00 – 𝑅$ 1.360,00 = 𝑹$ 𝟔𝟒𝟎, 𝟎𝟎

4.2.2 Método UEPS

UEPS significa “Último a Entrar é o Primeiro a Sair” (ou LIFO – Last In, Last Out). Nesse
método, numa eventual venda iremos considerar, e contabilizar, que a saída realizada
refere-se às mercadorias mais recentes, ficando contabilizado nos estoques as mais antigas.

No exemplo dado, da Cia Beleza, o custo das 130 unidades vendidas será:

100 un. (dia 15) – R$ 1.200,00


130 un. Custo Total = R$ 1.500,00
30 un. (dia 01) – R$ 300,00

Assim, o Resultado com Mercadorias (RCM) será de:

𝑹𝑪𝑴 = 𝑉𝑒𝑛𝑑𝑎𝑠 – 𝐶𝑀𝑉 = 𝑅$ 2.000,00 – 𝑅$ 1.500,00 = 𝑹$ 𝟓𝟎𝟎, 𝟎𝟎

Perceba que houve diferença no Resultado com Mercadorias. Isso é, portanto,


importantíssimo, já que o Lucro do método PEPS foi maior que o Lucro do método UEPS.

Você acha que o Fisco proíbe qual método? É evidente que o fisco irá proibir o método que
resulta em menor lucro, afinal qual é a base de cálculo do Imposto de Renda e da CSLL? É o
lucro! E o leão morde forte! Quer o maior lucro possível!

4.2.3 Método do Custo Médio Móvel

No Custo Médio Móvel, ou Custo Médio Ponderado, o estoque é avaliado continuamente


através da média dos custos. Ou seja, a cada nova compra uma nova média de custo é
calculada.

No exemplo dado, da Cia Beleza, primeiramente teremos que calcular o custo médio dos
estoques:

Data Custo Unitário Quantidade Total


01/12 R$ 10,00 100 R$ 1.000,00
15/12 R$ 12,00 100 R$ 1.200,00
Total ? 200 R$ 2.200,00

Se a “Cia Beleza” possui 200 mercadorias ao custo total de R$ 2.200,00, conclui-se que o
Custo Médio é de R$ 11,00 por unidade.

Então o CMV é de R$ 1.430,00 (130 un. x R$ 11,00).

Assim, o Resultado com Mercadorias (RCM) será de:

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 61


www.igorcintra.com.br

𝑹𝑪𝑴 = 𝑉𝑒𝑛𝑑𝑎𝑠 – 𝐶𝑀𝑉 = 𝑅$ 2.000,00 – 𝑅$ 1.430,00 = 𝑹$ 𝟓𝟕𝟎, 𝟎𝟎

Veja que o Lucro no Método do Custo Médio (R$ 570,00) ficou entre o calculado no método
PEPS (R$ 640,00) e UEPS (500,00).

No entanto, consideramos um ambiente inflacionário, já que as compras unitárias do dia 15


(R$ 12,00) foram mais caras que as compras unitárias do dia 01 (R$ 10,00), não é?

Desta forma, é importantíssimo você saber que:

AMBIENTE INFLACIONÁRIO
EF PEPS EF CUSTO MÉDIO EF UEPS

CMV PEPS CMV CUSTO MÉDIO CMV UEPS

LUCRO PEPS LUCRO CUSTO MÉDIO LUCRO UEPS

AMBIENTE DEFLACIONÁRIO
EF PEPS EF CUSTO MÉDIO EF UEPS

CMV PEPS CMV CUSTO MÉDIO CMV UEPS

LUCRO PEPS LUCRO CUSTO MÉDIO LUCRO UEPS

Dica Tente entender (ou decorar) apenas o ambiente inflacionário, que é o mais recorrente
em concursos. O ambiente deflacionário terá comportamento oposto.

No exemplo dado eram apenas duas compras e uma venda. No entanto, uma empresa lida
diariamente com várias vendas e várias compras. Para facilitar o controle de estoques
elaboramos uma tabela chamada Ficha Controle de Estoques onde são organizadas as
compras, as vendas e o saldo. Abaixo segue um modelo.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 62


www.igorcintra.com.br

FICHA CONTROLE DE ESTOQUES


ENTRADAS SAÍDAS SALDO
Data Qtd. $/un Total Qtd. $/un. Total Qtd. $/un Total
01
02
...
31

Na coluna “ENTRADAS” serão registradas as compras de mercadorias de cada período (dia


01, por exemplo), discriminando a quantidade, o custo unitário e o total.

Na coluna “SAÍDAS”, por sua vez, serão registradas as vendas de mercadorias, discriminando
a quantidade vendida, o custo unitário da venda (e não o preço de venda, tenha cuidado!)
e o custo total da venda. A coluna “SALDO” resume o novo saldo a cada compra ou venda
realizada.

4.2.4 Método do Custo Médio Fixo

No Custo Médio Fixo o estoque também é avaliado pelo custo médio, mas seu cálculo não
é realizado a cada aquisição, conforme acabamos de verificar no Custo Médio Móvel.

Para se chegar ao custo médio devemos considerar todas as entradas do período de uma só
vez. Ou seja, dividimos o custo total de aquisição pela quantidade de mercadorias adquiridas
no período. Perceba que neste método o custo das mercadorias somente será valorado ao
fim do período, após a entidade calcular o custo médio das unidades em estoque.

𝑪𝒖𝒔𝒕𝒐 𝒅𝒐 𝑬𝒔𝒕𝒐𝒒𝒖𝒆 𝑰𝒏𝒊𝒄𝒊𝒂𝒍 + 𝑪𝒐𝒎𝒑𝒓𝒂𝒔


𝑪𝒖𝒔𝒕𝒐 𝑴é𝒅𝒊𝒐 𝑼𝒏𝒊𝒕á𝒓𝒊𝒐 =
𝑼𝒏𝒊𝒅𝒂𝒅𝒆𝒔 𝒅𝒐 𝑬𝒔𝒕𝒐𝒒𝒖𝒆 𝑰𝒏𝒊𝒄𝒊𝒂𝒍 + 𝑼𝒏𝒊𝒅𝒂𝒅𝒆𝒔 𝑨𝒅𝒒𝒖𝒊𝒓𝒊𝒅𝒂𝒔

O custo das mercadorias vendidas é encontrado pela multiplicação deste custo médio pela
quantidade de unidades vendidas. Vamos praticar?

48. (CESPE – Contador – DPU – 2016) Caso uma economia apresente preços perfeitamente
estáveis, o saldo final dos estoques será o mesmo, independentemente de o método
escolhido ser a média ponderada ou o primeiro que entra, primeiro que sai.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Resolução:

Caso a economia não apresente inflação ou deflação, ou seja, apresente custos de aquisição
estáveis o saldo final do estoque, bem como o valor do custo das mercadorias vendidas, será

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 63


www.igorcintra.com.br

o mesmo, independente de qual método de mensuração dos estoques adotado (PEPS, UEPS
ou Custo Médio).

Assim, correta a afirmativa.

Gabarito: C

49. (CESPE – Contador – DPU – 2016) Na compra de mercadorias à vista, caso seja utilizado
o sistema de inventário permanente, deverão ser lançados estoques de mercadorias e
impostos a recolher a débito, em contrapartida de disponível a crédito.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Resolução:

A aquisição de mercadorias com incidência de tributos não-cumulativos gera um direito para


a entidade (tributos a recuperar). Para melhor visualização vamos analisar o lançamento
contábil de uma aquisição de mercadorias para revenda no valor de R$ 100 com incidência
de ICMS (suponha uma alíquota de 18%).

D – Estoques R$ 82 (Ativo Circulante)


D – ICMS a Recuperar R$ 18 (Ativo Circulante)
C – Caixa R$ 100 (Ativo Circulante)

Assim, incorreta a afirmativa, que menciona a conta “ICMS a Recolher”, que tem relação
com a venda de mercadorias!

Gabarito: E

50. (CESPE – Perito Criminal – PC-PE – 2016) Em 2016, uma concessionária de veículos
iniciou o mês de janeiro com três veículos em estoque, cada um dos quais tendo custado
R$ 50.000. Ainda em janeiro, a empresa adquiriu mais dois veículos por R$ 40.000 cada
um e, em fevereiro, vendeu três veículos, obtendo uma receita líquida de vendas de R$
180.000.

Nessa situação hipotética, considerando que a empresa adote o método do custo


específico e que apenas um dos veículos vendidos tenha sido adquirido em janeiro de
2016,

A) o valor total de veículos em estoque no final do mês de janeiro foi inferior a R$ 225.000.

B) o lucro bruto auferido pela concessionária foi superior a 19% da receita líquida de vendas.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 64


www.igorcintra.com.br

C) o valor do estoque final no mês de fevereiro ficou abaixo de R$ 88.000.

D) o custo das mercadorias vendidas no período foi obtido pelo valor das mercadorias que
permaneceram em estoque no final de fevereiro.

E) o custo dos veículos vendidos é superior a R$ 142.000.

Resolução:

Pelo método do custo específico o custo da mercadoria vendida é representado pelo valor
específico da mercadoria que fora transacionada. É, por exemplo, um método de custo
utilizado por entidades em que é fácil identificar qual é a mercadoria exata que foi
transacionada.

Numa concessionária de veículos, por exemplo, é perfeitamente possível e simples


identificar qual foi o exato custo de determinado carro que foi vendido.

Segundo o enunciado, em janeiro a entidade tinha três veículos ao custo de R$ 50 mil. Neste
mesmo período ainda houve a aquisição de mais dois veículos por R$ 40 mil cada.
Posteriormente, o enunciado diz que houve a venda de três veículos, sendo que apenas um
deles foi adquirido em janeiro (ou seja, ao custo de R$ 40 mil). Assim, conclui-se que os
outros dois veículos vendidos foram adquiridos ao custo de R$ 50 mil. Com isso podemos
analisar as alternativas apresentadas.

a) Incorreta. O valor total dos veículos em estoque no final de janeiro é de R$ 230 mil.

b) Correta. Considerando que a Receita Líquida foi de R$ 180.000 e que o custo das
mercadorias vendidas foi de R$ 140.000, conclui-se que o Lucro Bruto foi de R$ 40.000, o
que representa 22,2% da Receita Líquida.

c) Incorreta. O valor do estoque final em fevereiro é de R$ 90.000.

d) Incorreta. O custo das mercadorias vendidas foi de R$ 140.000 e foi obtido


especificamente em relação ao custo de cada veículo transacionado (dois veículos ao custo
de R$ 50 mil cada e um veículo ao custo de R$ 40 mil).

e) Incorreta. Vimos que o CMV foi de R$ 140.000.

Gabarito: B

51. (ESAF – Contador – FUNAI – 2016) Uma empresa comercial realizou as seguintes
operações durante o mês de maio de 2016:

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 65


www.igorcintra.com.br

Data Operação Quantidade Preço de compra Preço de venda


(em unidades) unitário (em R$) unitário (em R$)
02/05 Compra 200 40,00 -
06/05 Venda 150 - 45,00
14/05 Compra 200 60,00 -
19/05 Venda 180 - 72,00
25/05 Compra 80 63,50 -
31/05 Venda 100 - 73,00

Sabendo que a empresa não apresentava estoque inicial e que adota o critério PEPS para
avaliação dos estoques, o custo das mercadorias vendidas no mês de maio de 2016 foi, em
reais, de

a) 22.080,00.

b) 22.467,50.

c) 21.905,00.

d) 27.010,00.

e) 23.080,00.

Resolução:

Uma forma simples de verificar o valor do Custo das Mercadorias Vendidas pelo método
PEPS é calcular a quantidade de mercadorias vendidas e mensurar o CMV pelo custo das
primeiras mercadorias que entraram no estoque da entidade. Assim:

𝑸𝒖𝒂𝒏𝒕𝒊𝒅𝒂𝒅𝒆 𝒅𝒆 𝑷𝒓𝒐𝒅𝒖𝒕𝒐𝒔 𝑽𝒆𝒏𝒅𝒊𝒅𝒐𝒔 = 150𝑢𝑛 + 180𝑢𝑛 + 100𝑢𝑛 = 𝟒𝟑𝟎𝒖𝒏

A partir disso, e considerando que não havia estoque inicial, e que a empresa adota o critério
PEPS para avaliação dos estoques, basta mensurar as 330 unidades vendidas ao custo das
primeiras entradas.

𝑪𝑴𝑽 = (200𝑢𝑛 × 𝑅$ 40) + (200𝑢𝑛 × 𝑅$ 60) + (30𝑢𝑛 × 𝑅$ 63,5) = 𝑹$ 𝟐𝟏. 𝟗𝟎𝟓

Assim, correta a alternativa C.

Gabarito: C

Dados para a resolução das questões de nos 52 e 53.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 66


www.igorcintra.com.br

A empresa Alpha Ltda. realizou as seguintes operações no exercício de 2015, envolvendo


o seu estoque de uma mercadoria, que estava vazio:
- Adquiriu 100 peças, a custo de R$ 10,00 a unidade, em 31 de março;
- Efetuou baixa no estoque de 50 peças, vendidas a R$ 20,00 a unidade, em 30 de abril;
- Adquiriu 150 peças, a custo de R$ 12,00 a unidade, adquirida em 31 de maio;
- Efetuou baixa no estoque de 150 peças, vendidas a R$ 24,00 a unidade, em 30 de junho;
- Adquiriu 250 peças, a custo de R$ 10,00 a unidade, adquirida em 31 de julho; e
- Efetuou baixa no estoque de 100 peças, vendidas a R$ 20,00 a unidade, em 31 de agosto.

As compras das peças foram feitas com frete grátis. As compras e as vendas das
mercadorias foram tributadas com ICMS à alíquota de 18% (dezoito por cento). Não incidiu
IPI sobre as operações. Não houve descontos, nem devolução nas vendas.

Considerando as informações supracitadas e o uso do método PEPS, assinale a opção


correta.

52. (ESAF – Contador – FUNAI – 2016) O Custo das Mercadorias Vendidas foi de:

a) R$ 2.346,00.

b) R$ 1.300,00.

c) R$ 2.706,00.

d) R$ 3.300,00.

e) R$ 594,00.

Resolução:

Inicialmente vamos calcular os custos de aquisição, considerando a incidência de ICMS à


alíquota de 18% nas operações de aquisições.

- Adquiriu 100 peças, a custo de R$ 10,00 a unidade, em 31 de março;


Preço de Aquisição Unitário R$ 10,00
(–) ICMS a Recuperar (R$ 1,80)
(=) Custo de Aquisição Unitário R$ 8,20

- Adquiriu 150 peças, a custo de R$ 12,00 a unidade, adquirida em 31 de maio;


Preço de Aquisição Unitário R$ 12,00
(–) ICMS a Recuperar (R$ 2,16)
(=) Custo de Aquisição Unitário R$ 9,84

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 67


www.igorcintra.com.br

- Adquiriu 250 peças, a custo de R$ 10,00 a unidade, adquirida em 31 de julho; e


Preço de Aquisição Unitário R$ 10,00
(–) ICMS a Recuperar (R$ 1,80)
(=) Custo de Aquisição Unitário R$ 8,20
A partir disso vamos verificar a quantidade de mercadorias vendidas e posteriormente
calculamos o valor do custo das mercadorias vendidas.

𝑸𝒖𝒂𝒏𝒕𝒊𝒅𝒂𝒅𝒆 𝒅𝒆 𝑷𝒓𝒐𝒅𝒖𝒕𝒐𝒔 𝑽𝒆𝒏𝒅𝒊𝒅𝒐𝒔 = 50𝑢𝑛 + 150𝑢𝑛 + 100𝑢𝑛 = 𝟑𝟎𝟎𝒖𝒏

A partir disso, e considerando que não havia estoque inicial, e que a empresa adota o critério
PEPS para avaliação dos estoques, basta mensurar as 300 unidades vendidas ao custo das
primeiras entradas.

𝑪𝑴𝑽 = (100𝑢𝑛 × 𝑅$ 8,20) + (150𝑢𝑛 × 𝑅$ 9,84) + (50𝑢𝑛 × 𝑅$ 8,20) = 𝑹$ 𝟐. 𝟕𝟎𝟔

Com isso, correta a alternativa C.

A ESAF, no entanto, considerou a alternativa A como gabarito da questão. É incrível como a


ESAF tem a capacidade de errar questões e não alterar o gabarito. A justificativa do
examinador foi bizarra, veja!

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 68


www.igorcintra.com.br

Percebe-se que o examinador está plenamente equivocado em sua resolução. Ele mistura
conceitos de forma totalmente amadora. Ele esquece de retirar o ICMS sobre o estoque
final, chegando a alternativa incorreta! A forma correta de calcular o CMV através da
fórmula apresentada seria a seguinte:

𝐶𝑀𝑉 = 𝐸𝑠𝑡𝑜𝑞𝑢𝑒 𝐼𝑛𝑖𝑐𝑖𝑎𝑙 + 𝐶𝑜𝑚𝑝𝑟𝑎𝑠 𝐿í𝑞𝑢𝑖𝑑𝑎𝑠 − 𝐸𝑠𝑡𝑜𝑞𝑢𝑒 𝐹𝑖𝑛𝑎𝑙

𝑪𝑴𝑽 = 𝑅$ 0 + (𝑅$ 5.300 − 𝑅$ 954) − (𝑅$ 2.000 − 𝑅$ 360) = 𝑹$ 𝟐. 𝟕𝟎𝟔

Pela resolução apresentada no parecer veja que o examinador esqueceu de retirar o ICMS
do custo de aquisição do estoque final! Absurdo!

Gabarito: A

53. (ESAF – Contador – FUNAI – 2016) As vendas proporcionaram um lucro bruto de:

a) R$ 4.254,00.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 69


www.igorcintra.com.br

b) R$ 5.412,00.

c) R$ 3.066,00.

d) R$ 6.600,00.

e) R$ 4.458,00.

Resolução:

Vamos, inicialmente, calcular o valor da Receita Bruta de Vendas.

50 peças vendidas a R$ 20,00 a unidade: R$ 1.000


150 peças vendidas a R$ 24,00 a unidade: R$ 3.600
100 peças vendidas a R$ 20,00 a unidade: R$ 2.000
Receita Bruta de Vendas R$ 6.600

A partir disso podemos calcular o valor do Lucro Bruto.

Receita de Vendas R$ 6.600


(–) ICMS sobre Vendas (R$ 1.188)
(=) Receita Líquida de Vendas R$ 5.412
(–) ICMS sobre Vendas (R$ 2.706)
(=) Lucro Bruto R$ 2.706

Com isso, não há alternativa correta.

A ESAF, pelo equívoco cometido no cálculo do CMV, considerou a alternativa A como


gabarito definitivo da questão.

Gabarito: C

54. (VUNESP – Técnico de Contabilidade – UNESP – 2014) Determine os valores finais de


estoques de uma empresa varejista, que possui o controle de estoques avaliados por meio
do custo médio, considerando as seguintes informações:
I. Em 30/11/12, o seu estoque final de produtos para revenda era de 3.000 unidades com
um custo unitário de R$ 14,00.
II. Todas as operações que envolvam compras e vendas de mercadorias estão livres de
impostos.
III. Durante o mês de dezembro de 2012, ocorreram as seguintes operações com
mercadorias:
• Em 10.12.12, compra à vista de 1.400 unidades com o custo unitário de R$ 15,00.
• Em 15.12.12, compra a prazo de 1.000 unidades com o custo unitário de R$ 17,00.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 70


www.igorcintra.com.br

• Em 21.12.12, venda à vista de 2.400 unidades.

De acordo com essas informações, o saldo final de estoques em 31.12.12 era:

(A) 3.000 unidades, custo unitário de R$ 14,45 e saldo final de R$ 44.795.

(B) 3.000 unidades, custo unitário de R$ 14,81 e saldo final de R$ 44.444.

(C) 3.000 unidades, custo unitário de R$ 15,00 e saldo final de R$ 46.500.

(D) 3.000 unidades, custo unitário de R$ 16,00 e saldo final de R$ 49.600.

(E) 3.000 unidades, custo unitário de R$ 17,00 e saldo final de R$ 52.700.

Resolução:

Vamos elaborar a ficha controle de estoques!

MÉTODO DO CUSTO MÉDIO


ENTRADAS SAÍDAS SALDO
Data Qtd. $/un Total Qtd. $/un. Total Qtd. $/un Total
30/11 - - - - - - 3.000 14 42.000
10/12 1.400 15 21.000 - - - 4.400 14,32 63.000
15/12 1.000 17 17.000 - - - 5.400 14,81 80.000
21/12 - - - 2.400 14,81 35.555,56 3.000 14,81 44.444,44
Estoque Final = R$ 44.444,44

Com isso, correta a alternativa B.

A dica que dou em relação ao método do custo médio é que você considere conjuntamente
as compras (ou vendas) subseqüentes. Veja, por exemplo, que houve duas compras
subsequentes. Com isso, veja que perdi tempo calculando a média unitária após a compra
do dia 10/12, afinal, logo em seguida houve outra compra e a média unitária se modificou
novamente. Quando ocorrer isso, considere as compras de forma geral, o que ajudará a
economizar um tempo precioso em sua prova.

Gabarito: B

55. (VUNESP – Contador – UFABC – 2013) Uma empresa comercial controla seus estoques
pelo custo médio de aquisição, o qual é escriturado extra contabilmente pelo controle
permanente físico/financeiro de estoque. Em 30.04.2013, seu estoque final (ou estoque
inicial para a movimentação em maio de 2013) de produtos para revenda era de 870
unidades com um custo unitário de R$ 20,00. Todas as operações de compras e vendas
estão isentas de quaisquer tipos de impostos ou tributos. Durante o mês de maio de 2013
ocorreram as seguintes operações:
• em 05.05.2013 ocorreu uma venda à vista de 360 unidades;

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 71


www.igorcintra.com.br

• em 15.05.2013 ocorreu uma compra à vista de 250 unidades a um custo unitário de R$


26,08;
• em 20.05.2013 ocorreu uma venda a prazo de 370 unidades; e
• em 25.05.2013 ocorreu uma compra a prazo de 125 unidades a um custo unitário de R$
30,24.

De acordo com estas informações, o saldo final em 31.05.2013 é de:

(A) 400 unidades, custo unitário médio R$ 22,00 e saldo final de R$ 8.800,00.

(B) 525 unidades, custo unitário médio R$ 22,00 e saldo final de R$ 11.550,00.

(C) 515 unidades, custo unitário médio R$ 24,00 e saldo final de R$ 12.360,00.

(D) 550 unidades, custo unitário médio R$ 26,08 e saldo final de R$ 14.344,00.

(E) 600 unidades, custo unitário médio R$ 30,24 e saldo final de R$ 18.144,00.

Resolução:

Veja que não há duas compras (ou vendas) subsequentes. Desta forma, não iremos aplicar
o macete que mencionei na questão passada.

No entanto, perceba que todas alternativas mencionam diferentes valores de estoque final
(em unidades) de mercadorias. Com isso, basta que você calcule este valor para chegar ao
resultado, sem a necessidade de elaboração da ficha controle de estoques! Você ganha um
tempo absurdo com isso!

Vamos elaborar a ficha controle de estoques!

MÉTODO DO CUSTO MÉDIO


ENTRADAS SAÍDAS SALDO
Data Qtd. $/un Total Qtd. $/un. Total Qtd. $/un Total
30/04 - - - - - - 870 20 17.400
05/05 - - - 360 20 7.200 510 20 10.200
15/05 250 26,08 6.520 - - - 760 22 16.720
20/05 - - - 370 22 8.140 390 22 8.580
25/05 125 30,24 3.780 - - - 515 24 12.360
Estoque Final = R$ 12.360,00
Assim, correta a alternativa C.

Gabarito: C

Com base nos dados a seguir, responda às questões de números 56 e 57.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 72


www.igorcintra.com.br

A Companhia Só Lucrando Comércio de Peças Ltda. realizou, durante o ano de 2013, as


seguintes operações com mercadorias:

a. Compras 01.01.2013 100 unidades valor unitário R$ 2,00


b. Compras 10.06.2013 200 unidades valor unitário R$ 2,15
c. Vendas 17.07.2013 ??? unidades valor unitário R$ 2,50

Em 31.07.2013, após efetuar o inventário de mercadorias, verificou-se que havia em


estoque 70 unidades.

56. (VUNESP – Assistente em Contabilidade – DCTA – 2013) Sabendo-se que o estoque é


avaliado pelo método denominado “PEPS” – Primeiro a Entrar é o Primeiro a Sair, o Lucro
Bruto e o Estoque Final serão, respectivamente, de:

(A) R$ 95,50 e R$ 150,50.

(B) R$ 92,00 e R$ 147,00.

(C) R$ 479,50 e R$ 215,00.

(D) R$ 575,00 e R$ 140,00.

(E) R$ 750,00 e R$ 120,00.

Resolução:

Sugiro iniciar a resolução pela análise do Estoque Final. Veja que não há alternativas iguais,
e, deste modo, ganhamos tempo na resolução da questão.

Vamos resolver esta questão sem o auxílio da ficha controle de estoques. O enunciado disse
que o estoque final é de 70 unidades. Então a única dificuldade é mensurar tais mercadorias.
Sabemos que no sistema PEPS as primeiras mercadorias que entram são as que primeiro são
vendidas. Ou, de outra forma, as mercadorias que permanecem no estoque são as que
último entraram, não é? Basta, então, procurar o custo de aquisição das últimas 70
mercadorias adquiridas.

A última aquisição ocorreu em 10/06/2013 (200 mercadorias), ao custo unitário de R$ 2,15.


Assim, o valor do Estoque Final será de:

𝑬𝒔𝒕𝒐𝒒𝒖𝒆 𝑭𝒊𝒏𝒂𝒍 = 70 𝑢𝑛𝑖𝑑𝑎𝑑𝑒𝑠 × 𝑅$ 2,15 = 𝑹$ 𝟏𝟓𝟎, 𝟓𝟎

Com isso, correta a alternativa A.

Para confirmar a resposta vamos analisar o Lucro Bruto!

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 73


www.igorcintra.com.br

Vendas Brutas R$ 575,00 (230 unidades x R$ 2,50)


(–) CMV (R$ 479,50)
(=) Lucro Bruto R$ 95,50

Para calcular o CMV basta analisar o custo das 230 mercadorias vendidas.

𝑪𝑴𝑽 = (100 𝑢𝑛𝑖𝑑𝑎𝑑𝑒𝑠 × 𝑅$ 2,00) + (130 𝑢𝑛𝑖𝑑 × 2,15) = 𝑹$ 𝟒𝟕𝟗, 𝟓𝟎

Assim, confirmamos a alternativa A como gabarito da questão.

Gabarito: A

57. (VUNESP – Assistente em Contabilidade – DCTA – 2013) Suponha que a entidade


avaliasse os seus estoques utilizando o critério do preço médio. Nessas condições, é
correto afirmar que o Lucro Bruto e o Estoque Final de mercadorias serão,
respectivamente, de:

(A) R$ 750,00 e R$ 120,00.

(B) R$ 575,00 e R$ 140,00.

(C) R$ 479,50 e R$ 215,00.

(D) R$ 95,50 e R$ 157,00.

(E) R$ 92,00 e R$ 147,00.

Resolução:

Para calcular o Lucro Bruto precisamos descobrir qual Custo das Mercadorias Vendidas.
Assim, vamos elaborar a ficha controle de estoques!

MÉTODO DO CUSTO MÉDIO


ENTRADAS SAÍDAS SALDO
Data Qtd. $/un Total Qtd. $/un. Total Qtd. $/un Total
01/01 100 2,00 200 - - - 100 2,00 200
10/06 200 2,15 430 - - - 300 2,10 630
17/07 - - - 230 2,10 483 70 2,10 147
Estoque Final = R$ 147,00

Com isso correta a alternativa E. Vamos confirmá-la calculando o valor do Lucro Bruto.

Receita de Vendas R$ 575,00 (230 unid. x R$ 2,50)


(–) CMV (R$ 483,00)
(=) Lucro Bruto R$ 92,00

Gabarito: E

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 74


www.igorcintra.com.br

58. (FGV – Contador – COMPESA – 2016) Uma sociedade empresária vendia apenas um
tipo de caderno.

Em 31/01/2016 havia 20 unidades de caderno no estoque, que estava avaliado em R$


200,00.

Durante o mês de janeiro de 2016 aconteceram as seguintes operações:

 Venda de 15 cadernos por R$ 20,00 cada.


 Compra de 10 cadernos por R$ 12,00 cada.
 Compra de 8 cadernos por R$ 16,00 cada.
 Venda de 12 cadernos por R$ 22,00 cada.

Em suas demonstrações contábeis de propósito geral, a sociedade empresária avalia seu


estoque de acordo com o custo médio ponderado móvel. No entanto, gerencialmente, a
administração utiliza o método do PEPS.

Assinale a opção que indica a diferença aproximada na conta Custo das Mercadorias
Vendidas pelos dois métodos utilizados.

(A) R$ 20,52.

(B) R$ 21,48.

(C) R$ 34,32.

(D) R$ 42,00.

(E) R$ 258,52.

Resolução:

Sabe-se que no período foram vendidas 27 unidades de caderno. A partir disso vamos
mensurar o custo destas vendas, sempre buscando o custo das primeiras compras (afinal, as
primeiras mercadorias que entram, primeiro saem!).

 20 unidades (estoque inicial) ao custo total de R$ 200,00;


 7 unidades (primeira aquisição) ao custo unitário de R$ 12,00.

Assim, conclui-se que o Custo das Mercadorias Vendidas pelo método PEPS foi de:

𝑪𝑴𝑽𝑷𝑬𝑷𝑺 = 𝑅$ 200 + (7 𝑢𝑛𝑖𝑑 × 𝑅$ 12) = 𝑹$ 𝟐𝟖𝟒, 𝟎𝟎

Vamos passar para o cálculo do CMV pelo método do Custo Médio. Agora precisamos da
Ficha Controle de Estoques!

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 75


www.igorcintra.com.br

MÉTODO DO CUSTO MÉDIO MÓVEL


ENTRADAS SAÍDAS SALDO
Data Qtd. $/un Total Qtd. $/un. Total Qtd. $/un Total
EI - - - - - - 20 10 200

V - - - 15 10 150 5 10 50

C 10 12 120 - - - 15 ??? 170

C 8 16 128 - - - 23 12,95 298

V - - - 12 12,95 155,48 13 12,95 142,52


CMV = R$ 305,48

Assim, a diferença entre o CMV calculado pelo método PEPS e pelo método Custo Médio é
de R$ 21,48 (R$ 284,00 – R$ 305,48).

Gabarito: B

59. (FGV – Técnico Contábil – Cuiabá-MT – 2015) Uma loja vende apenas um tipo de
cadeira.

Em 31/12/2014, a loja possuía em seu estoque 20 cadeiras. O estoque total estava


avaliado em R$ 2.000,00.

Durante o primeiro trimestre de 2014, foram feitas as seguintes transações:

 Compra de 50 cadeiras por R$ 120,00 cada. O frete de R$ 100,00 foi pago pelo
comprador.
 Venda de 30 cadeiras por R$ 130,00 cada. O frete de R$ 90,00 foi pago pelo comprador.
 Compra de 20 cadeiras por R$ 125,00 cada. O frete de R$ 50,00 foi pago pelo vendedor.
 Venda de 40 cadeiras por R$ 135,00 cada. O cliente foi buscar as cadeiras na loja.
 Compra de 10 unidades de cadeira por R$ 130,00 cada. O frete de R$ 50,00 foi pago pelo
comprador.

Com base nas informações acima, considerando que a empresa utiliza o método do custo
médio ponderado fixo para avaliar os seus estoques, assinale a opção que indica o valor
do custo das mercadorias vendidas no primeiro trimestre de 2014.

(A) R$ 8.142,86.

(B) R$ 8.223,81.

(C) R$ 8.260,00.

(D) R$ 8.365,00.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 76


www.igorcintra.com.br

(E) R$ 9.300,00.

Resolução:

O método do custo médio ponderado fixo faz a baixa dos estoques vendidos ao custo médio
ao final do mês, de forma distinta do custo médio ponderado móvel, onde a cada aquisição
há que se calcular um novo valor unitário médio para os estoques.

Com isso, o custo médio será de:

𝐸𝑠𝑡𝑜𝑞𝑢𝑒 𝐼𝑛𝑖𝑐𝑖𝑎𝑙 + 𝐶𝑢𝑠𝑡𝑜 𝑑𝑎𝑠 𝐶𝑜𝑚𝑝𝑟𝑎𝑠


𝐶𝑢𝑠𝑡𝑜 𝑀𝑒𝑑𝑖𝑜 =
𝑢𝑛𝑖𝑑𝑎𝑑𝑒𝑠

𝑅$ 2.000,00 + 𝑅$ 6.100,00 + 𝑅$ 2.500,00 + 𝑅$ 1.350,00


𝐶𝑢𝑠𝑡𝑜 𝑀𝑒𝑑𝑖𝑜 =
20 𝑢𝑛𝑖𝑑. +50 𝑢𝑛𝑖𝑑. +20 𝑢𝑛𝑖𝑑. +10 𝑢𝑛𝑖𝑑

𝑪𝒖𝒔𝒕𝒐 𝑴𝒆𝒅𝒊𝒐 = 𝑹$ 𝟏𝟏𝟗, 𝟓𝟎

Devemos usar o custo médio para mensurar o custo das 70 cadeiras vendidas. Assim:

𝑪𝑴𝑽 = 70 𝑢𝑛𝑖𝑑𝑎𝑑𝑒𝑠 × 𝑅 119,50 = 𝑹$ 𝟖. 𝟑𝟔𝟓, 𝟎𝟎

Com isso, correta a alternativa D.

Gabarito: D

60. (FGV – Técnico Contábil – Cuiabá-MT – 2015) Uma loja, que vende vassouras, avalia o
seu estoque pelo método PEPS.

Em 01/01/2014 havia cinco vassouras no estoque, que estava avaliado em R$ 50,00. Na


data, a vassoura era vendida por R$ 20,00.

No mês de janeiro aconteceram os seguintes fatos:

 Compra de 10 vassouras por R$ 15,00 cada.


 Venda de 12 vassouras por R$ 18,00 cada.
 Compra de 15 vassouras a R$ 16,00 cada.
 Venda de oito vassouras por R$ 15,00 cada.
 Compra de três vassouras por R$ 22,00 cada.
 Venda de oito vassouras por R$ 17,00.

Em 31/01/2014 a vassoura passou a ser vendida a R$ 18,00.

Assinale a opção que indica o saldo do estoque de vassouras em 31/01/2014.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 77


www.igorcintra.com.br

(A) R$ 66,00.

(B) R$ 86,00.

(C) R$ 90,00.

(D) R$ 98,00.

(E) R$ 102,00.

Resolução:

Questão interessante da FGV!

Sabe-se que os estoques devem mensurados pelo valor de custo ou pelo valor realizável
líquido, dos dois o menor. Vamos, portanto, verificar qual é a quantidade de mercadorias
em estoque em 31/01/2014.

𝐸𝑠𝑡𝑜𝑞𝑢𝑒 𝐹𝑖𝑛𝑎𝑙 = 𝐸𝑠𝑡𝑜𝑞𝑢𝑒 𝐼𝑛𝑖𝑐𝑖𝑎𝑙 + 𝐶𝑜𝑚𝑝𝑟𝑎𝑠 − 𝑉𝑒𝑛𝑑𝑎𝑠

𝐸𝐹 = 5 𝑢𝑛𝑖𝑑. +(10 𝑢𝑛𝑖𝑑. +15 𝑢𝑛𝑖𝑑. + 3 𝑢𝑛𝑖𝑑. ) − (12 𝑢𝑛𝑖𝑑. + 8 𝑢𝑛𝑖𝑑. + 8 𝑢𝑛𝑖𝑑. )

𝑬𝒔𝒕𝒐𝒒𝒖𝒆 𝑭𝒊𝒏𝒂𝒍 = 𝟓 𝒖𝒏𝒊𝒅𝒂𝒅𝒆𝒔

Para achar o custo destas mercadorias em estoque basta analisar qual foi o custo das últimas
compras, afinal o método de avaliação dos estoques é o PEPS (Primeiro que Entra, Primeiro que
Sai). A última compra foi de 3 unidades por R$ 22,00 cada. Como esta compra não foi
suficiente para cobrir as 5 unidades em estoque temos que buscar a compra anterior, que
foi de 15 unidades a R$ 16,00 cada.

Com isso, conclui-se que o estoque de 5 unidades possui mercadorias adquiridas nas duas
últimas compras:

3 unidades x R$ 22,00 = R$ 66,00


2 unidades x R$ 16,00 = R$ 32,00

Zé Curioso: “Professor, então quer dizer que o saldo em estoque em 31/01/2014 é de R$


98,00?”

Cuidado Zé! O enunciado disse que em 31/01/2014 a vassoura passou a ser vendida a R$
18,00. Este é seu valor realizável líquido! Como os estoques devem ser mensurados pelo
menor valor entre seu custo e seu valor realizável líquido, há que se constituir uma perda
por redução ao valor realizável líquido dos estoques adquiridos por R$ 22,00. Assim, o valor
final do estoque será de:

3 unidades x R$ 18,00 = R$ 54,00


2 unidades x R$ 16,00 = R$ 32,00

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 78


www.igorcintra.com.br

TOTAL R$ 86,00

Veja que as mercadorias adquiridas por um custo menor que o valor realizável líquido
continuam mensurada por R$ 16,00. Aquelas adquiridas por valor superior (R$ 22,00) estão
mensuradas pelo próprio valor realizável líquido.

Com isso, correta a alternativa B.

Gabarito: B

61. (FGV – Contador – SMF Niterói-RJ – 2015) Em 02/01/x1, a Atacadista Iota S.A. adquiriu
100.000 unidades do Protetor Solar Y, por um custo unitário de R$ 10,00. Em 09/01/x1, a
companhia adquiriu mais 30.000 unidades, por um custo unitário de R$ 11,30. Em
15/01/x1, a companhia vendeu 40.000 unidades desse produto, por um preço de R$ 16,00
cada. Em 23/01/x1, foram adquiridas mais 20.000 unidades, por um custo unitário de R$
9,75. Em 30/01/x1, a companhia vendeu 60.000 unidades, por R$ 15,50 cada. Como a
companhia não possuía estoques iniciais desse produto, a diferença entre os valores pelos
quais o custo dos Protetores Solares Y vendidos durante janeiro de x1 poderá ser
apresentado, de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, será de:

(A) R$ 10.000;

(B) R$ 10.600;

(C) R$ 13.000;

(D) R$ 24.000;

(E) R$ 34.000.

Resolução:

No Brasil admite-se o controle do estoque pelo método PEPS e pelo Custo Médio. Assim,
teremos que calcular o custo das mercadorias vendidas pelos dois métodos para analisar
eventuais diferenças.

Vou aproveitar para elaborar a ficha controle de estoques pelos métodos PEPS, UEPS e Custo
Médio!

MÉTODO PEPS
ENTRADAS SAÍDAS SALDO
Data Qtd. $/un Total Qtd. $/un. Total Qtd. $/un Total
02 100.000 10,00 1.000.000 - - - 100.000 10,00 1.000.000

09 30.000 11,30 339.000 - - - 100.000 10,00 1.000.000

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 79


www.igorcintra.com.br

30.000 11,30 339.000


60.000 10,00 600.000
15 - - - 40.000 10,00 400.000
30.000 11,30 339.000
60.000 10,00 600.000
23 20.000 9,75 195.000 - - - 30.000 11,30 339.000
20.000 9,75 195.000
30.000 11,30 339.000
30 - - - 60.000 10,00 600.000
20.000 9,75 195.000
CMV = 1.000.000,00

MÉTODO DO CUSTO MÉDIO


ENTRADAS SAÍDAS SALDO
Data Qtd. $/un Total Qtd. $/un. Total Qtd. $/un Total
02 100.000 10,00 1.000.000 - - - 100.000 10,00 1.000.000

09 30.000 11,30 339.000 - - - 130.000 10,30 1.339.000

15 - - - 40.000 10,30 412.000 90.000 10,30 927.000

23 20.000 9,75 195.000 - - - 110.000 10,20 1.122.000

30 - - - 60.000 10,20 612.000 50.000 10,20 510.000

CMV = 1.024.000,00
Com isso, a diferença apurada no custo das mercadorias vendidas pelos dois métodos é de
R$ 24.000,00. Com isso, correta a alternativa D.

Gabarito: D

62. (FGV – Agente de Fiscalização – TCM-SP – 2015) A Cia. Expec comercializa projetores
multimídia e, no início do mês de janeiro de 20x4, tinha um estoque de 25 unidades ao
custo unitário de R$1.100. Durante esse mês foram realizadas as seguintes
movimentações:

03/01 – Compra a prazo de seis unidades a R$1.180 cada uma;


07/01 – Devolução de uma das unidades adquiridas na compra anterior, por defeito;
09/01 – Venda à vista de treze unidades, pelo preço unitário de R$2.150;
16/01 – Compra à vista de sete unidades pelo valor unitário de R$1.150;
21/01 – Venda a prazo de dezesseis unidades, pelo preço unitário de R$2.100.
Considerando apenas as informações apresentadas, após os registros no controle de
estoque durante o mês de janeiro de 20x4 na Cia. Expec, é correto afirmar que:
(A) o custo médio ponderado apresentou o menor custo das mercadorias vendidas;
(B) o custo da venda do dia 09/01, pelo método UEPS, foi R$14.300;
(C) pelo método PEPS, o custo da venda do dia 21/01 foi R$ 17.950;

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 80


www.igorcintra.com.br

(D) a devolução da compra do dia 07/01 não afetou o custo médio dos estoques;
(E) o uso do método UEPS implica menor valor do estoque final de mercadorias.

Resolução:
Vou aproveitar para elaborar a ficha controle de estoques pelos métodos PEPS, UEPS e Custo
Médio!

MÉTODO PEPS
ENTRADAS SAÍDAS SALDO
Data Qtd. $/un Total Qtd. $/un. Total Qtd. $/un Total
01 - - - - - - 25 1.100 27.500
25 1.100 27.500
03 6 1.180 7.080 - - -
6 1.180 7.080
25 1.100 27.500
07 (1) (1.180) (1.180) - - -
5 1.180 5.900
12 1.100 13.200
09 - - - 13 1.100,00 14.300,00
5 1.180 5.900
12 1.100 13.200
16 7 1.150 8.050 - - - 5 1.180 5.900
7 1.150 8.050
12 1.100 13.200 1 1.180 1.180
21 - - -
4 1.180 4.720 7 1.150 8.050
CMV = 32.220,00 Estoque Final = 9.230,00

MÉTODO UEPS
ENTRADAS SAÍDAS SALDO
Data Qtd. $/un Total Qtd. $/un. Total Qtd. $/un Total
01 - - - - - - 25 1.100 27.500
25 1.100 27.500
03 6 1.180 7.080 - - -
6 1.180 7.080
25 1.100 27.500
07 (1) (1.180) (1.180) - - -
5 1.180 5.900
8 1.100 8.800
09 - - -
5 1.180 5.900
17 1.100 18.700

17 1.100 18.700
16 7 1.150 8.050 - - -
7 1.150 8.050
9 1.100 9.900
21 - - -
7 1.150 8.050
8 1.100 8.800

CMV = 32.650,00 Estoque Final = 8.800,00

MÉTODO DO CUSTO MÉDIO


ENTRADAS SAÍDAS SALDO
Data Qtd. $/un Total Qtd. $/un. Total Qtd. $/un Total
01 - - - - - - 25 1.100 27.500

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 81


www.igorcintra.com.br

03 6 1.180 7.080 - - - 31 1.115,48 34.580

07 (1) (1.180) (1.180) - - - 30 1.113,33 33.400

09 - - - 13 1.113,33 14.473,33 17 1.113,33 18.926,67

16 7 1.150 8.050 - - - 24 1.124,03 26.976,67

21 - - - 16 1.124,03 17.984,44 9 1.124,03 8.992,22

CMV = 32.457,77 Estoque Final = 8.992,22

Com isso, correta a alternativa E.

Gabarito: E

63. (FCC – AFRE – SEFAZ-MA – 2016) Os estoques de uma empresa são controlados pelo
Sistema de Inventário Permanente e mensurados pelo critério da Média Ponderada
Móvel. Durante o ano de 2015, a empresa realizou, em ordem cronológica, as seguintes
transações com compra e venda de mercadorias:

Quantidade Preço unitário de Preço unitário de


Data Operação
(unidades) compra (R$) venda (R$)
02/03/2015 Compra 500 100,00
06/04/2015 Venda 200 − 140,00
13/05/2015 Compra 100 96,00
21/08/2015 Venda 200 − 144,00
29/11/2015 Compra 100 96,00 −

Sabendo que a empresa não detinha estoque inicial, o valor do Estoque apresentado no
Balanço Patrimonial de 31/12/2015 foi, em reais:

(A) 29.400,00.

(B) 29.200,00.

(C) 29.600,00.

(D) 69.200,00.

(E) 39.800,00.

Resolução:

Vamos elaborar a Ficha Controle de Estoques.

MÉTODO DO CUSTO MÉDIO


ENTRADAS SAÍDAS SALDO
Data Qtd. $/un Total Qtd. $/un. Total Qtd. $/un Total
02/03 500 100 50.000 - - - 500 100 50.000

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 82


www.igorcintra.com.br

06/04 - - - 200 100 20.000 300 100 30.000


13/05 100 96 9.600 - - - 400 99 39.600
21/08 - - - 200 99 19.800 200 99 19.800
29/11 100 96 9.600 - - - 300 98 29.400

O Estoque Final, portanto, será de R$ 29.400,00.

Gabarito: A

64. (FCC – Analista – TRF – 2016) O saldo em estoque de um determinado produto em


30/11/2014 era R$ 600.000,00 e correspondia a 400 unidades disponíveis. A empresa
comercializa somente este produto e durante o mês de dezembro de 2014 realizou, em
ordem cronológica, as seguintes transações relacionadas com a compra e a venda do
produto:

Dia Transação
07 Compra de 200 unidades ao preço unitário de R$ 1.600,00.
Obtenção de um abatimento no valor total de R$ 8.000,00 na compra realizada no
12
dia 07.
18 Compra de 100 unidades ao preço unitário de R$ 1.660,00.
Venda de 50% das unidades disponíveis no estoque nesta data pelo preço unitário
21
de R$ 1.800,00.
30 Pagamento de frete no valor de R$ 9.000,00 da compra realizada no dia 18.

Sabendo-se que não há incidência de qualquer tributo na compra e na venda deste


produto, que a empresa utiliza o critério da média ponderada móvel, o saldo da conta de
estoque evidenciado no Balanço Patrimonial de 31/12/2014 foi, em reais,

(A) 457.000,00.

(B) 548.000,00.

(C) 539.000,00.

(D) 543.000,00.

(E) 552.000,00.

Resolução:

Vamos elaborar a ficha controle de estoques pelo método do custo médio!

MÉTODO DO CUSTO MÉDIO


ENTRADAS SAÍDAS SALDO

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 83


www.igorcintra.com.br

Data Qtd. $/un Total Qtd. $/un. Total Qtd. $/un Total
01 - - - - - - 400 1500,00 600.000,00
07 200 1.560 312.000,00 - - - 600 1.520,00 912.000,00
18 100 1.750 175.000,00 - - -- 700 1.552,86 1.087.000,00
21 - - - 350 1.552,86 543.500,00 350 1.552,86 543.500,00

Veja que neste caso não há alternativa correta!

O gabarito definitivo da Fundação Carlos Chagas aponta a alternativa B como correta, fato
com o qual eu não concordo. A FCC considerou que o frete pago dia 30 somente é
considerado no custo do estoque. Com isso, a venda ocorrida em 18 não considera tal valor.
Veja como fica a ficha controle de estoque neste caso:

MÉTODO DO CUSTO MÉDIO


ENTRADAS SAÍDAS SALDO
Data Qtd. $/un Total Qtd. $/un. Total Qtd. $/un Total
01 - - - - - - 400 1500,00 600.000,00
07 200 1.560 312.000,00 - - - 600 1.520,00 912.000,00
18 100 1.750 166.000,00 - - -- 700 1.540,00 1.078.000,00
21 - - - 350 1.540,00 539.000,00 350 1.540,00 539.000,00
31/01 9.000 - - - 350 ??? 548.000,00

Entendo que esta resolução está totalmente equivocada, afinal, quando as mercadorias
chegaram ao estabelecimento a entidade já sabia o valor cobrado pelo frete, de R$ 9.000,00.
O que ocorreu é que o frete não foi pago à vista. Neste sentido, o lançamento inicial do custo
do estoque deveria compreender tal valor (o que ocorre é que a contrapartida será realizada
numa conta representativa de uma obrigação, tal qual “Fretes a Pagar”).

Gabarito: B

65. (FCC – Técnico – SEGEP-MA – 2016) Uma empresa comercial realizou as seguintes
operações durante o mês de agosto de 2016:

Data Operação Quantidade Preço de compra Preço de venda


(em Unidades) unitário (em R$) unitário (em R$)
03/08 Compra 100 40,00
10/08 Compra 300 50,00
12/08 Venda 200 − 100,00
18/08 Compra 100 55,00
26/08 Venda 200 − 110,00

Sabendo que a empresa não apresentava estoque inicial e que adota o critério do primeiro
que entra, primeiro que sai – PEPS para avaliação dos estoques, o custo das mercadorias
vendidas no mês de agosto foi, em reais, de

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 84


www.igorcintra.com.br

(A) 20.500,00.

(B) 19.600,00.

(C) 19.000,00.

(D) 19.500,00.

(E) 42.000,00.

Resolução:

Uma maneira simples e rápida de resolver questões envolvendo o custo das mercadorias
vendidas pelo método PEPS é verificar quantas unidades foram vendidas no período em
análise.

Segundo a tabela fornecida, foram vendidas 400 unidades. Basta, portanto, verificar o custo
das mercadorias que primeiro entraram (sempre devemos estar atentos se há, ou não,
estoque inicial).

Vamos, portanto, verificar o custo das 400 unidades mais antigas!

03/08: 100 unidades x R$ 40,00 = R$ 4.000,00


10/08: 300 unidades x R$ 50,00 = R$ 15.000,00
CUSTO DAS MERCADORIAS VENDIDAS R$ 19.000,00

Com isso, correta a alternativa C.

Gabarito: C

66. (ESAF – Contador – Ministério do Turismo – 2014) As informações abaixo foram


extraídas da Ficha de Controle de Estoques de determinada mercadoria, na empresa
Comercial de Varejos S.A., em 31/12/2013.

quantidade no estoque inicial 250


quantidade comprada no período 750
quantidade vendida no período 800
preço de compra no período R$ 16,00 por unidade
preço de venda no período R$ 17.600,00 pelo total vendido
ICMS sobre compra 17%
ICMS sobre vendas 17%
valor do estoque inicial R$ 3.500,00

A partir das informações acima, pode-se dizer que o valor do estoque final, avaliado pelo
método do preço médio ponderado, é de

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 85


www.igorcintra.com.br

a) R$ 2.575,00

b) R$ 2.692,00

c) R$ 2.728,00

d) R$ 3.100,00

e) R$ 4.140,00

Resolução:

Antes de elaborar a ficha controle de estoques vamos calcular o valor das compras líquidas
do período.

Preço de Compra Total R$ 12.000,00


(–) ICMS sobre Compras (R$ 2.040,00)
(=) Compras Líquidas R$ 9.960,00

Agora podemos elaborar a ficha controle de estoques!

MÉTODO DO CUSTO MÉDIO


ENTRADAS SAÍDAS SALDO
Qtd. R$/un Total Qtd. R$/un. Total Qtd. R$/un Total
- - - - - - 250 14,00 3.500,00
750 13,28 9.960,00 - - - 1.000 13,46 13.460,00
- - - 800 13,46 10.768,00 200 13,46 2.692,00

Assim, correta a alternativa B.

Gabarito: B

67. (ESAF – ATRFB – 2012) A empresa Metalfi no Ltda. não sofre tributação nas operações
de compra e venda de mercadorias; só opera com transações extra-caixa; utiliza o método
de controle permanente de estoques, com avaliação a preço médio ponderado.

Em 15 de outubro a empresa realizou a venda de 120 unidades ao preço unitário de 12


reais. As compras do mês foram: 150 unidades a 8 reais cada uma em 05/10 e 60 unidades
a 11 reais, em 18/10.

Sabendo-se que em 30 de setembro desse ano já havia um estoque de mercadorias no


valor de R$ 500,00 correspondentes a 100 unidades, pode-se afirmar que o custo das
mercadorias vendidas em outubro foi de

a) R$ 600,00.

b) R$ 660,00.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 86


www.igorcintra.com.br

c) R$ 780,00.

d) R$ 816,00.

e) R$ 960,00.

Resolução:

Vamos elaborar a ficha controle de estoques!

MÉTODO DO CUSTO MÉDIO


ENTRADAS SAÍDAS SALDO
Data Qtd. $/un Total Qtd. $/un. Total Qtd. $/un Total
01 - - - - - - 100 5,00 500,00

05 150 8,00 1.200 - - - 250 6,80 1.700,00

15 - - - 120 6,80 816 130 6,80 884,00

18 60 11,00 660,00 - - - 190 ? 1.554,00

CMV = 816,00

Perceba que nem me preocupei em calcular o custo médio após as compras do dia 18, pois
este valor não influencia na nossa resposta!

Gabarito: D

68. (VUNESP – ISS-São José dos Campos – 2015) O estoque inicial da Cia. Comercial Estrela
do Norte, em outubro de 2014, era constituído de 500 unidades da mercadoria X,
adquiridas ao custo unitário de R$ 100,00 (preço líquido de impostos recuperáveis).
Durante o mês, ocorreram as seguintes movimentações na ficha de estoque dessa
mercadoria, dispostas em ordem cronológica, sendo que todos os preços já estão líquidos
dos impostos recuperáveis:

1) Aquisição de 1.000 unidades, ao preço de R$ 120,00;

2) Venda de 1.200 unidades, ao preço de R$ 300,00;

3) Aquisição de 2.000 unidades, ao preço de R$ 125,00;

4) Venda de 1.500 unidades, ao preço de R$ 280,00.

A companhia utiliza o método PEPS para avaliação de seus estoques. O estoque final dessa
mercadoria no final do mês de outubro de 2014, a ser classificado no Ativo Circulante,
correspondia, em R$, a

(A) 96.000,00.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 87


www.igorcintra.com.br

(B) 80.000,00.

(C) 100.000,00.

(D) 115.000,00.

(E) 126.000,00.

Resolução:

Como a empresa adota o critério PEPS para avaliação de seus estoques, vamos calcular qual
é o valor, em unidades, do estoque final!

𝐸𝑠𝑡𝑜𝑞𝑢𝑒 𝐹𝑖𝑛𝑎𝑙 = 𝐸𝑠𝑡𝑜𝑞𝑢𝑒 𝐼𝑛𝑖𝑐𝑖𝑎𝑙 + 𝐶𝑜𝑚𝑝𝑟𝑎𝑠 − 𝑉𝑒𝑛𝑑𝑎𝑠

𝐸𝑠𝑡𝑜𝑞𝑢𝑒 𝐹𝑖𝑛𝑎𝑙 = 500 𝑢𝑛𝑖𝑑𝑎𝑑𝑒𝑠 + 3.000 𝑢𝑛𝑖𝑑𝑎𝑑𝑒𝑠 − 2.700 𝑢𝑛𝑖𝑑𝑎𝑑𝑒𝑠

𝑬𝒔𝒕𝒐𝒒𝒖𝒆 𝑭𝒊𝒏𝒂𝒍 = 𝟖𝟎𝟎 𝒖𝒏𝒊𝒅𝒂𝒅𝒆𝒔

Ora, sabemos que no método PEPS as primeiras mercadorias adquiridas são vendidas. Com
isso, conclui-se que as mercadorias que permanecem no estoque foram adquiridas mais
recentemente.

Conclui-se, portanto, que as 800 unidades em estoque foram compradas por um preço
unitário de R$ 125,00 (relativo à última compra). Assim:

𝑬𝒔𝒕𝒐𝒒𝒖𝒆 𝑭𝒊𝒏𝒂𝒍 = 800 𝑢𝑛𝑖𝑑𝑎𝑑𝑒𝑠 × 𝑅$ 125,00 = 𝑹$ 𝟏𝟎𝟎. 𝟎𝟎𝟎, 𝟎𝟎

Gabarito: C

69. (FCC – Analista – SEFAZ-PI – 2015) As transações de compra e venda de uma


determinada mercadoria realizadas por uma empresa, durante o ano de 2013, são
apresentadas, em ordem cronológica, no quadro a seguir:

Data Transação
18/02 Compra de 100.000 unidades ao preço unitário de R$ 2,00.
10/04 Pagamento de frete pela compra efetuada em 18/02 no valor total de R$ 20.000,00.
20/06 Compra de 100.000 unidades ao preço unitário de R$ 2,40.
30/07 Venda de 100.000 unidades pelo valor total de R$ 60.500,00.
Devolução de 10.000 unidades da compra efetuada em 18/02 por não atenderem às
20/08
especificações.
18/10 Concessão de um abatimento de R$ 500,00 na venda realizada em 30/07.

Sabendo-se que a empresa não mantinha estoque da mercadoria no início do ano de 2013
e que adota o Método da Média Ponderada Móvel para a avaliação do estoque, o valor
evidenciado para a conta Estoque no Balanço Patrimonial de 31/12/2013 foi, em reais:

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 88


www.igorcintra.com.br

(A) 209.500,00

(B) 210.000,00

(C) 220.000,00

(D) 200.000,00

(E) 230.000,00

Resolução:

Vamos resolver a questão com o auxílio da Ficha Controle de Estoques.

MÉTODO DO CUSTO MÉDIO


ENTRADAS SAÍDAS SALDO
Data Qtd. $/un Total Qtd. $/un. Total Qtd. $/un Total
18/02 100.000 2,20 220.000,00 - - - 100.000 2,20 220.000,00
20/06 100.000 2,40 240.000,00 - - - 200.000 2,30 460.000,00
30/07 - - - 100.000 2,30 230.000 100.000 2,30 230.000,00
18/10 (10.000) 2,00 (20.000) - - - 90.000 2,33 210.000,00
Estoque Final = 210.000,00

Obs.: perceba que o valor do frete, de R$ 20 mil, foi incluído na compra no dia 18/02.

Com isso, correta a alternativa B.

Gabarito: B

Pessoal, é praticamente certo que teremos uma questão de Sistemas de Inventários em


provas de Contabilidade Geral. É um assunto simples, mas que muitas vezes alguns alunos
acabam se perdendo (na própria questão ou no tempo de resolução). Não deixe de estar
afiado!

Aliás, aproveito para divulgar um vídeo a respeito do cálculo do estoque final pelo método
PEPS em meu canal no YouTube. Clique na figura abaixo!

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 89


www.igorcintra.com.br

Há mais outros três vídeos a respeito de sistemas de inventários no meu canal no YouTube.
Vale a pena conferir!

Pessoal, com isso terminamos a aula desta semana!

É muito importante que você domine as questões a respeito dos Sistemas de Inventários,
pois são cobrados frequentemente em provas de Contabilidade Geral. Convido-o,
novamente, a assistir os vídeos no meu canal no YouTube a respeito deste tema. Tão
importante quanto acertar uma questão é resolvê-la de forma rápida!

Também fique atento às operações com Seguros, que é um tema muito cobrado em provas
de Contabilidade Geral.

Qualquer dúvida estou à disposição no fórum do site!

Grande abraço e até a próxima!

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 90


www.igorcintra.com.br

MEMÓRIA DE ELEFANTE
ATIVO CIRCULANTE

Disponibilidades
Incluem o dinheiro em caixa ou em banco, cheques sem restrição de uso imediato, além de
aplicações financeiras de liquidez imediata.

Direitos Realizáveis no Curso do Exercício Social Subsequente


Constituem os direitos que se tornam realizáveis ao longo do exercício social seguinte ou do ciclo
operacional da entidade, caso este seja maior que o exercício social.

Aplicações de Recursos em Despesa do Exercício Seguinte


Contemplam despesas que foram pagas antecipadamente, ou seja, cujos fatos geradores ocorrerão
no futuro. Para respeitar o Regime da Competência essas despesas pagas antecipadamente são
classificadas inicialmente no Ativo. Posteriormente, sua baixa é realizada em contrapartida da
apropriação da despesa incorrida.

Ciclo Operacional
É o tempo transcorrido entre a aquisição de ativos para processamento e sua realização em caixa ou
seus equivalentes. Normalmente é de 12 meses.

No entanto, o art. 179 da Lei das Sociedades Anônimas diz que “na companhia em que o ciclo
operacional da empresa tiver duração maior que o exercício social, a classificação no circulante ou
longo prazo terá por base o prazo desse ciclo”.

PERDAS ESTIMADAS COM CRÉDITOS DE LIQUIDAÇÃO DUVIDOSA (PECLD)


Conta retificadora do Ativo constituída para suportar futuros “calotes” que a entidade terá que
suportar. A constituição da PECLD é realizada com base em históricos de perdas de créditos
provenientes de vendas a prazo.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 91


www.igorcintra.com.br

 Lançamento de Constituição da PECLD

D – Devedores Duvidosos (Despesa)


C – PECLD (Retificadora do Ativo)

 Baixa de Títulos Considerados Incobráveis

D – PECLD (pela baixa da provisão realizada anteriormente)


C – Clientes (pela baixa do direito considerado incobrável)

 Reversão do Saldo Remanescente (saldo não utilizado)

D – PECLD (pela reversão da provisão não utilizada)


C – Outras Receitas Operacionais (Receita)

Atenção! Se o saldo da PECLD não cobrir o valor total do título considerado incobrável o excesso é
apropriado diretamente ao resultado como perda.

ESTOQUES

Art. 183 da Lei n° 6.404/76: “os direitos que tiverem por objeto mercadorias e produtos do comércio
da companhia, assim como matérias-primas, produtos em fabricação e bens em almoxarifado, serão
avaliados pelo custo de aquisição ou de produção, deduzido de provisão para ajustá-lo ao valor de
mercado, quando este for inferior.”

CPC 16: os estoques devem ser mensurados pelo valor de custo ou pelo valor realizável líquido, dos
dois o menor.

 Valor de Custo: deve incluir todos os custos de aquisição e de transformação, bem como outros
custos incorridos para trazer os estoques à sua condição e localização atuais.
 Valor Realizável Líquido: é o preço de venda estimado no curso normal dos negócios deduzido
dos custos estimados para sua conclusão e dos gastos estimados necessários para se concretizar
a venda.

O custo de aquisição dos estoques compreende:


 preço de compra;
 impostos de importação e outros tributos (exceto os recuperáveis junto ao fisco);
 custos de transporte, seguro, manuseio e outros diretamente atribuíveis à aquisição;

Exemplos de itens não incluídos no custo dos estoques e reconhecidos como despesa do período
em que são incorridos:
 valor anormal de desperdício de materiais, mão-de-obra ou outros insumos de produção;

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 92


www.igorcintra.com.br

 gastos com armazenamento, a menos que sejam necessários ao processo produtivo entre uma e outra
fase de produção;
 despesas administrativas que não contribuem para trazer o estoque ao seu local e condição atuais; e
 despesas de comercialização, incluindo a venda e a entrega dos bens e serviços aos clientes.

IPI entra na Base de Cálculo do ICMS?

SISTEMA DE INVENTÁRIO PERIÓDICO


Controle é realizado mediante levantamento físico ao final de cada período. Ideal para pequenas
empresas.
𝑪𝑴𝑽 = 𝑬𝒔𝒕𝒐𝒒𝒖𝒆 𝑰𝒏𝒊𝒄𝒊𝒂𝒍 + 𝑪𝒐𝒎𝒑𝒓𝒂𝒔 – 𝑬𝒔𝒕𝒐𝒒𝒖𝒆 𝑭𝒊𝒏𝒂𝒍

SISTEMA DE INVENTÁRIO PERMANENTE


É o sistema usado por grandes empresas, pois o controle dos estoques é contínuo, por meio de fichas
de controle, o que possibilita o cálculo do resultado (lucro ou prejuízo) das vendas de mercadorias,
já que sabemos de imediato o valor do custo das mercadorias vendidas.
 Método PEPS
PEPS significa “Primeiro a Entrar é o Primeiro a Sair” (ou FIFO – First In, First Out). Nesse
método, numa eventual venda iremos considerar, e contabilizar, que a saída realizada refere-
se às mercadorias mais antigas, ficando nos estoques as mais recentes.

 Método UEPS
UEPS significa “Último a Entrar é o Primeiro a Sair” (ou LIFO – Last In, Last Out). Nesse método,
numa eventual venda iremos considerar, e contabilizar, que a saída realizada refere-se às
mercadorias mais recentes, ficando contabilizado nos estoques as mais antigas.

 Método do Custo Médio (Móvel)


No Custo Médio Móvel, ou Custo Médio Ponderado, o estoque é avaliado continuamente
através da média dos custos. Ou seja, a cada nova compra uma nova média de custo é
calculada.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 93


www.igorcintra.com.br

 Método do Custo Médio (Fixo)


Considera-se todas as entradas do período de uma só vez, dividindo o custo total de aquisição
pela quantidade de mercadorias adquiridas no período.
𝑪𝒖𝒔𝒕𝒐 𝒅𝒐 𝑬𝒔𝒕𝒐𝒒𝒖𝒆 𝑰𝒏𝒊𝒄𝒊𝒂𝒍 + 𝑪𝒐𝒎𝒑𝒓𝒂𝒔
𝑪𝒖𝒔𝒕𝒐 𝑴é𝒅𝒊𝒐 𝑼𝒏𝒊𝒕á𝒓𝒊𝒐 =
𝑼𝒏𝒊𝒅𝒂𝒅𝒆𝒔 𝒅𝒐 𝑬𝒔𝒕𝒐𝒒𝒖𝒆 𝑰𝒏𝒊𝒄𝒊𝒂𝒍 + 𝑼𝒏𝒊𝒅𝒂𝒅𝒆𝒔 𝑨𝒅𝒒𝒖𝒊𝒓𝒊𝒅𝒂𝒔

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 94


www.igorcintra.com.br

LISTA DE QUESTÕES COMENTADAS

01. (FGV – ISS-Recife – 2014) Em 31/12/2013, uma entidade possuía entre suas contas os
seguintes saldos:

Caixa: R$ 20.000,00;
Depósito vinculado para liquidação de contratos de câmbio: R$ 10.000,00;
Depósito com restrição de movimentação por força de cláusula contratual de
financiamento: R$ 15.000,00;
Numerário em trânsito: R$ 22.000,00.
Com base nessas informações, o valor da conta Disponibilidades da Entidade, em
31/12/2013, era de

(A) R$ 20.000,00.

(B) R$ 42.000,00.

(C) R$ 47.000,00.

(D) R$ 52.000,00.

(E) R$ 67.000,00.

02. (VUNESP – Contador – UNESP – 2012) As práticas contábeis determinam que as contas
no ativo serão dispostas em ordem decrescente de grau de liquidez. Com isso, os balanços
patrimoniais, especificamente no ativo circulante, apresentarão como primeira rubrica as
disponibilidades. Considerando o referido conceito, pede-se demonstrar o saldo de caixa
e equivalentes de caixa de uma entidade que apresentou os seguintes valores nas contas
do Balanço Patrimonial:

Reais
Capital 200.000,00
Ativo imobilizado 870.000,00
Ativo intangível – deságio 15.000,00
Fornecedores 794.000,00
Impostos a recolher 560.000,00
Dividendos a pagar 150.000,00
Receita de vendas 1.500.000,00
Custos de produtos vendidos 850.000,00

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 95


www.igorcintra.com.br

Lucro líquido 245.000,00


Estoques 184.000,00
Aplicações financeiras de longo prazo 110.000,00
Contas a receber 530.000,00
Provisão para créditos de liquidação duvidosa 35.000,00
Aplicações financeiras de liquidez imediata 245.000,00
Caixa 60.000,00

Assinale a alternativa correta.

(A) 60.000,00.

(B) 45.000,00.

(C) 305.000,00.

(D) 415.000,00.

(E) 545.000,00.

03. (UFTM – Contador – TJ/MT – 2016) Para o setor privado, “o pagamento antecipado de
aluguéis” se relaciona a uma Despesa

a) Paga e Não Incorrida.

b) Incorrida e Não Paga.

c) Paga e Incorrida.

d) Incorrida.

04. (CONSULPLAN – Contador – NI – 2016) Nas demonstrações de uma entidade o contador


verificou o registro de Aluguel Passivo a Vencer no valor de $ 5.000,00. Sobre este registro,
é correto afirmar que trata-se de

a) uma conta de resultado.

b) uma despesa antecipada.

c) um adiantamento a fornecedores.

d) uma despesa incorrida e não paga.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 96


www.igorcintra.com.br

05. (CESPE – ACE – TCE/PA – 2016) As aplicações de recursos em despesas do exercício


seguinte são consideradas ativos circulantes e devem ser baixadas quando tais despesas
forem consideradas incorridas.

( ) CERTO ( ) ERRADO

06. (VUNESP – Contador – UNIFESP – 2016) Uma companhia contratou um seguro contra
incêndio para suas instalações fabris, com vigência de três anos, pagando à vista um
prêmio de R$ 126.000,00, em 01.07.2015.

Em consequência, o valor do encargo do seguro lançado no custo de produção de 2015


equivaleu, em R$, a:

(A) 17.500,00

(B) 21.000,00

(C) 24.500,00

(D) 35.000,00

(E) 42.000,00

07. (CESPE – Analista Judiciário – TRE/PE – 2017) No dia 31/8/2015, determinada empresa
pública firmou contrato de seguros para cobertura de seus ativos para o período
equivalente a 1.º/9/2015 a 31/8/2016. Na referida data, a entidade pagou o montante
total de R$ 18.000. Em caso de sinistro, o valor da franquia equivale a R$ 1.800 e a empresa
poderá receber indenização no montante de até dez vezes o prêmio pago.

As demonstrações contábeis da empresa foram feitas de acordo com a legislação


societária em 31/12/2015.

Com base nessas informações, é correto afirmar que

A) a conta Despesas Pagas Antecipadamente, integrante do grupo ativo não circulante, foi
apresentada no balanço patrimonial, com saldo de R$ 18.000.

B) a conta Seguros a Vencer, integrante do grupo ativo circulante, foi apresentada no


balanço patrimonial, com saldo de R$ 12.000.

C) o balanço patrimonial apresentou a conta Seguros a Receber, no ativo não circulante, com
saldo de R$ 180.000.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 97


www.igorcintra.com.br

D) a DRE continha o valor de R$ 4.500, referente à conta Despesas com Seguros, no rol de
despesas operacionais.

E) a DRE continha o valor de R$ 1.800, referente à conta Despesas com Seguros, no rol de
despesas não operacionais.

08. (VUNESP – Controlador Interno – Câmara de Registro/SP – 2016) A empresa JK pagou


à vista o aluguel do imóvel que utiliza, cujo contrato em vigência é de 12 meses. No
momento do pagamento, a contabilidade da empresa

a) creditou o caixa e debitou passivo contingente.

b) creditou o caixa e debitou despesa paga antecipadamente.

c) debitou o caixa e creditou contrato de aluguel.

d) creditou o caixa e debitou patrimônio líquido.

e) debitou o caixa e creditou passivo circulante.

09. (FUNIVERSA – Técnico – SDF – 2015) No que se refere à natureza e ao funcionamento


da conta de seguros a vencer, assinale a alternativa correta.

a) É uma conta retificadora de ativo.

b) Registra a parcela dos seguros pagos antecipadamente.

c) Pode ter saldo credor ou devedor.

d) Deve ser utilizada exclusivamente por empresas seguradoras.

e) Pode ser movimentada livremente a critério do administrador da empresa.

10. (UFF – Técnico em Contabilidade – COSEAC – 2015) No dia 1° de agosto de X1, uma
empresa adquiriu uma apólice de seguro anual, com duração até 31 de julho de X2, no
valor de R$ 2.400,00, a ser pago em três parcelas iguais, no último dia dos três meses
seguintes, sendo a primeira parcela dia 31 de agosto de X1. Pelo regime de competência,
a despesa com o seguro deve ser contabilizada como despesa de:

a) R$ 2.400,00 no mês de agosto de X1.

b) R$ 800,00 nos meses de agosto, setembro e outubro.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 98


www.igorcintra.com.br

c) R$ 200,00 a ser contabilizada todo mês, de agosto de X1 até julho de X2.

d) R$ 2.400,00 no mês de outubro.

e) R$ 2.400,00 no mês de julho de X2.

11. (CESPE – Auditor – TCU – 2015) Situação hipotética: Em 30 de junho de 2015, o livro
diário de determinada empresa registrou a seguinte partida dobrada.

débito despesas com seguros R$ 2.000,00


crédito prêmios de seguros a apropriar R$ 2.000,00

Assertiva: Nesse caso, as informações se referem a um lançamento de ajuste — decorrente


da aplicação do princípio da competência — para reconhecimento da despesa com o
prêmio de seguros, que havia sido pago antecipadamente.

( ) CERTO ( ) ERRADO

12. (FCC – Técnico Judiciário – TRF – 2014) A empresa Conceitual contratou e pagou, em
31/07/2013, um seguro contra incêndio no valor de R$ 48.000,00. Esse seguro tem vigência
de 01/08/2013 a 31/07/2014. Ao elaborar suas demonstrações contábeis, em 30/09/2013,
a empresa Conceitual apresentou

a) despesas acumuladas com seguros no valor de R$ 48.000,00, na DRE.

b) despesas acumuladas com seguros no valor de R$ 8.000,00, na DRE.

c) despesas acumuladas com seguros no valor de R$ 12.000,00, na DRE.

d) seguros pagos antecipadamente de R$ 48.000,00, no Balanço Patrimonial.

e) seguros pagos antecipadamente de R$ 44.000,00, no Balanço Patrimonial.

13. (FUNDATEC – AFRE – SEFAZ-RS – 2014) A Companhia Industrial Rio Tucuruí possui um
maquinário avaliado em R$ 240.000,00 e esse maquinário foi segurado em 1º de setembro
de 2012. A companhia pagou um prêmio equivalente a 10% do valor de avaliação das
máquinas, com vigência pelo prazo de um ano, a partir da assinatura do contrato. A partir
desses dados, podemos concluir que o saldo da conta Seguros Pagos Antecipadamente,
em 31/dez/2012, é de:

A) R$ 4.000,00.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 99


www.igorcintra.com.br

B) R$ 8.000,00.

C) R$ 16.000,00.

D) R$ 80.000,00.

E) R$ 160.000,00.

14. (FUNDATEC – AFRE – SEFAZ-RS – 2014) A Companhia Industrial Rio Tucuruí possui um
maquinário avaliado em R$ 240.000,00 e esse maquinário foi segurado em 1º de setembro
de 2012. A companhia pagou um prêmio equivalente a 10% do valor de avaliação das
máquinas, com vigência pelo prazo de um ano, a partir da assinatura do contrato. A partir
desses dados, podemos concluir que o saldo da conta Seguros Pagos Antecipadamente,
em 31/dez/2012, é de:

A) R$ 4.000,00.

B) R$ 8.000,00.

C) R$ 16.000,00.

D) R$ 80.000,00.

E) R$ 160.000,00.

15. (CFC – Exame de Suficiência – Bacharel – 2016) Uma transportadora fez contrato de
seguro para um de seus caminhões, cuja vigência é de 12 meses, com início em 1º.12.2015.
O caminhão está avaliado em R$360.000,00. O prêmio total, pago à vista e em parcela
única, foi de R$18.000,00. O valor da franquia será de R$15.000,00.

Considerando-se o Regime de Competência e com base nos dados informados, o montante


a ser apropriado como Despesa de Seguros, em dezembro de 2015, é de:

a) R$1.250,00.

b) R$1.500,00.

c) R$15.000,00.

d) R$18.000,00.

16. (FCC – Analista – SEFAZ-PI – 2015) Considere as seguintes informações:

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 100


www.igorcintra.com.br

− A Cia. Gama produz equipamentos especiais para revenda, cujo prazo de produção é 18
meses.
− A Cia. Beta adquiriu equipamentos para revenda, sendo que o prazo médio de estocagem
até a venda é de 90 dias.
− A Cia. Industrial adquiriu equipamentos para utilizá-los em seu processo produtivo.
− A Cia. Alfa adquiriu o direito de usar a marca da Cia. Gama por 10 anos.
Os equipamentos no Balanço Patrimonial da Cia. Gama, da Cia. Beta e da Cia. Industrial e
o direito adquirido no Balanço Patrimonial da Cia. Alfa foram classificados,
respectivamente, no ativo

(A) não circulante, circulante, não circulante e não circulante.

(B) circulante, não circulante, não circulante e não circulante.

(C) circulante, circulante, não circulante e não circulante.

(D) não circulante, circulante, não circulante e circulante.

(E) circulante, circulante, não circulante e circulante.

17. (ESAF – ATRFB – 2009) No encerramento do exercício social, quando ainda resta saldo
não utilizado na conta Provisão para Devedores Duvidosos, necessário se faz contabilizar
a reversão desse saldo. Nesse caso, o lançamento de ajuste a ser feito deverá ser:

a) creditando-se a conta de Provisão e debitando-se a conta de Lucros Acumulados.

b) creditando-se a conta de Provisão e debitando-se a conta de Resultado do Exercício.

c) debitando-se a conta de Provisão e creditando-se a conta de Lucros Acumulados.

d) debitando-se a conta de Provisão e creditando-se a conta de Resultado do Exercício.

e) debitando-se a conta de Provisão e creditando-se a conta de Despesa.

18. (FCC – Agente de Fiscalização – ARTESP – 2017) A empresa Só Luxo S.A. possuía R$
100.000,00 na conta de Clientes e uma estimativa de perda com créditos de liquidação
duvidosa (EPCLD) no valor de R$ 10.000,00 no Balanço Patrimonial de 31/12/2016. Em
março de 2017, o cliente A, que devia R$ 9.000,00, se tornou incobrável. Ao registrar este
evento na contabilidade, a empresa Só Luxo S.A.

a) reconheceu uma Perda com Clientes, no resultado, no valor de R$ 9.000,00.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 101


www.igorcintra.com.br

b) diminuiu em R$ 9.000,00 o total do Ativo.

c) aumentou em R$ 9.000,00 o Passivo.

d) diminuiu em R$ 1.000,00 o Patrimônio Líquido.

e) diminuiu o saldo da EPCLD em R$ 9.000,00.

19. (ESAF – Contador – Ministério do Turismo – 2014) Em 2012 a Empresadenada S.A. tinha
créditos a receber no valor de R$ 150.000,00 e mandou provisionar 3% deles para prevenir
possíveis perdas na sua liquidação que, àquele momento, já era duvidosa. Entretanto,
durante o exercício de 2013, só foram confirmadas perdas de 2% daqueles créditos.

Em 31 de dezembro de 2013, a empresa possuía créditos a receber no montante de 120%


do valor anterior e mandou fazer a provisão para perdas prováveis em 2014 à mesma taxa
de 3%.

Mesmo reconhecendo eventual reversão ou complementação, o saldo da provisão para


perdas, no balanço de 2013, deverá ser de

a) R$ 2.400,00

b) R$ 3.600,00

c) R$ 3.900,00

d) R$ 4.500,00

e) R$ 5.400,00

20. (ESAF – Analista Técnico Administrativo – MF – 2013) A companhia empresária Hélvia


& Pélvia Limitada costuma precaver-se de prejuízos no recebimento de seus créditos,
provisionando as perdas prováveis. Em 2012, com créditos a receber no montante de R$
400.000,00, ela mandou fazer provisão de R$ 12.000,00, mas, durante o exercício,
contabilizou perdas de apenas R$ 7.000,00. Agora, no fim do exercício de 2013, a empresa
pretende fazer provisão nos mesmos moldes anteriores. Por isto, como tem no balanço R$
300.000,00 a receber, vai contabilizar em 2013 uma despesa com devedores duvidosos no
valor de

a) R$ 12.000,00.

b) R$ 9.000,00.

c) R$ 7.000,00.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 102


www.igorcintra.com.br

d) R$ 5.250,00.

e) R$ 4.000,00.

21. (FCC – AFRE – SEFAZ-MA – 2016) Os saldos das contas do Balanço Patrimonial de uma
empresa, em 31/12/2014, eram os seguintes, em reais:

Fornecedores 30.000,00 Depreciação Acumulada 40.000,00


Receitas Antecipadas 10.000,00 Estoques 50.000,00
Perdas Estimadas com Clientes 7.500,00 Caixa e Equivalentes de Caixa 10.000,00
Equipamentos 200.000,00 Reservas de Lucros 17.500,00
Imóveis 100.000,00 Contas a Pagar 10.000,00
Capital Social 350.000,00 Valores a Receber de Clientes 105.000,00

Os diversos eventos apresentados a seguir, relacionados com os Valores a Receber de


Clientes existentes em 31/12/2014, ocorreram durante o ano de 2015 e nesta ordem:
− Valores a Receber de Clientes no valor total de R$ 10.000,00 foram considerados
incobráveis pela empresa.
− Do saldo remanescente da conta Valores a Receber de Clientes a empresa recebeu 90%
em 2015 e o restante será recebido em 2016.
− As vendas a prazo de 2015 que vencerão após 31/12/2015 totalizaram R$ 100.500,00.
− A empresa estimou as prováveis perdas com clientes aplicando o percentual de 4% sobre
o saldo da conta Valores a Receber de Clientes em 31/12/2015.

No resultado de 2015 o valor total registrado de despesas relacionadas com a não


realização de créditos sobre Valores a Receber de Clientes foi, em reais:

(A) 6.520,00.

(B) 14.020,00.

(C) 14.400,00.

(D) 4.400,00.

(E) 6.900,00.

22. (FCC – Analista – SEFAZ-PI – 2015) A Cia. Vende a Prazo S.A. apresentava em seu
Balanço Patrimonial de 31/12/2013 os seguintes saldos relativos às suas vendas a prazo:

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 103


www.igorcintra.com.br

− Duplicatas a Receber de Clientes: R$ 500.000,00


− Estimativa para Perdas com Créditos de Liquidação Duvidosa (EPCLD): R$ 25.000,00

Em fevereiro de 2014, a Cia. Vende a Prazo S.A. foi informada de que um importante
cliente não tinha condições de saldar a sua dívida no valor de R$ 20.000,00 que foi
considerada incobrável.

Ao reconhecer este evento, a Cia. Vende a Prazo S.A.

(A) reduziu o saldo de Duplicatas a Receber de Clientes.

(B) reduziu o saldo total do Ativo.

(C) reconheceu uma Perda com Clientes no resultado do período.

(D) creditou a conta EPCLD e debitou o Resultado do período.

(E) reduziu o Patrimônio Líquido.

23. (FCC – ACE – TCM-GO – 2015) As contas do Balanço Patrimonial de uma empresa, em
31/12/2013, apresentavam os seguintes saldos, em reais:

Adiantamentos de Clientes 2.000 Estoques 10.000


Máquinas e Equipamentos 40.000 Reservas de Lucros 3.500
Veículos 20.000 Impostos a Pagar 2.000
Fornecedores 6.000 Depreciação Acumulada 8.000
Capital 70.000 Valores a Receber de Clientes 21.000
Perdas Estimadas com Clientes 1.500 Caixa e Equivalentes de Caixa 2.000

Os diversos eventos apresentados a seguir, relacionados com os Valores a Receber de


Clientes existentes em 31/12/2013, ocorreram durante o ano de 2014, nesta ordem:

− Créditos com clientes no valor total de R$ 2.000,00 foram considerados incobráveis pela
empresa.
− Do saldo remanescente da conta Valores a Receber de Clientes, a empresa recebeu 90% em 2014
e o restante será recebido em 2015.
− As vendas a prazo de 2014 que vencerão após 31/12/2014 totalizaram R$ 20.100,00.
− A empresa estimou as prováveis Perdas com Clientes aplicando o percentual de 4% sobre o saldo
da conta Valores a Receber de Clientes em 31/12/2014.

No resultado de 2014, o valor total registrado de despesas relacionadas com a não


realização de créditos sobre valores a receber de clientes, em reais, foi

(A) 2.804,00.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 104


www.igorcintra.com.br

(B) 2.304,00.

(C) 2.880,00.

(D) 1.380,00.

(E) 880,00.

24. (CESPE – Perito Criminal – PC-PE – 2016) Com referência às perdas estimadas em
crédito de liquidação duvidosa, assinale a opção correta.

A) Notícia veiculada a respeito da recuperação judicial do cliente em atraso caracteriza uma


perda incorrida.

B) A baixa do título considerado incobrável é feita mediante lançamento contábil a crédito


diretamente na conta de despesa não operacional.

C) O fato de o cliente estar inadimplente junto a outras entidades não é motivo suficiente
para que a dívida dele seja incluída na estimativa de perdas.

D) As garantias reais não reduzem as perspectivas de perdas com contas a receber.

E) A apuração da estimativa da perda dispensa a análise individual dos títulos em atraso por
cliente.

25. (CESPE – Analista de Controle – TCE/PA – 2016) Na avaliação dos estoques que uma
entidade mantém para a venda, utiliza-se a regra do valor de custo ou a do valor de
mercado, devendo-se optar pelo menor valor.

( ) CERTO ( ) ERRADO

26. (CESPE – Analista – FUNPRESP – 2016) Se o valor histórico da conta de estoques de uma
entidade for superior ao valor realizável, então a diferença entre eles deverá ser
reconhecida no balanço patrimonial, mediante débito em estoques.

( ) CERTO ( ) ERRADO

27. (VUNESP – Técnico de Contabilidade – UNESP – 2014) Conforme determinam as


Normas Brasileiras de Contabilidade, para fins de mensuração dos estoques, a regra será:

(A) valor do custo padrão ou mercado.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 105


www.igorcintra.com.br

(B) valor médio ou valor de custo histórico, dos dois o maior.

(C) valor de custo ou de realização, dos dois o maior.

(D) custo ou fabricação dos dois o maior.

(E) valor de custo ou realizável líquido, dos dois o menor.

28. (AOCP – Contador – Pref. Angra dos Reis – 2015) De acordo com as Normas Brasileiras
de Contabilidade, os estoques devem ser mensurados pelo valor

(A) realizável líquido.

(B) justo líquido.

(C) de custo ou pelo valor realizável líquido, dos dois o menor.

(D) de custo ou pelo valor justo líquido, dos dois o menor.

(E) de custo ou pelo valor realizável líquido, dos dois o maior.

29. (CESPE – Analista Judiciário – TRE-BA – 2017) O valor do custo de aquisição de estoques
compreende o preço de compra

A) acrescidos dos tributos, exceto os recuperáveis, e os custos de transporte diretamente


atribuíveis à aquisição, deduzidos os descontos comerciais.

B) acrescidos dos tributos, exceto os recuperáveis, deduzidos os custos de transporte e de


seguro atribuíveis à aquisição.

C) deduzidos todos os impostos, os custos de transporte diretamente atribuíveis à aquisição


e os descontos comerciais.

D) sem deduções ou acréscimos decorrentes do valor descrito na nota fiscal de aquisição.

E) deduzidos todos os tributos incidentes sobre a mercadoria e acrescidos os custos de


armazenagem.

30. (VUNESP – Contador – UNIFESP – 2014) O custo de aquisição dos estoques compreende
o preço de compra, os impostos de importação e outros tributos, bem como os custos de
transporte, seguro, manuseio e outros diretamente atribuíveis à aquisição de produtos

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 106


www.igorcintra.com.br

acabados, materiais e serviços. Descontos comerciais, abatimentos e outros itens


semelhantes devem ser

(A) deduzidos na determinação do custo de aquisição.

(B) acrescidos na determinação do custo de aquisição.

(C) acrescidos ao produto em elaboração.

(D) acrescidos aos materiais e serviços.

(E) acrescidos ao custo real incorrido.

31. (CFC – Exame de Suficiência – Bacharelado – 2015) Uma Sociedade Empresária adquiriu
mercadorias para revenda, com as seguintes informações:

Informações Valor Total


Preço das mercadorias adquiridas para revenda R$25.000,00
PIS e Cofins recuperáveis R$2.312,50
ICMS de 17% incluído no preço das mercadorias R$4.250,00

A empresa está sujeita à não cumulatividade do PIS e da Cofins e, ainda, tem direito ao
crédito tributário referente ao ICMS pago na aquisição das mercadorias.

Conforme a NBC TG 16 (R1) – Estoques, o custo de aquisição total a ser reconhecido no


estoque, referente a essa transação, é de:

a) R$18.437,50.

b) R$20.750,00.

c) R$25.000,00.

d) R$31.562,50.

32. (CESPE – AFC – MPU – 2015) O valor de custo do estoque deve incluir todos os custos
de aquisição e de transformação bem como outros custos incorridos para trazer os
estoques à sua condição e à sua localização atuais.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 107


www.igorcintra.com.br

33. (CESPE – Analista – STJ – 2015) O imposto de importação e os impostos não


recuperáveis junto ao fisco, diretamente atribuíveis à aquisição de mercadorias
destinadas à revenda, devem compor o custo de aquisição desses estoques.

( ) CERTO ( ) ERRADO

34. (CFC – Exame de Suficiência – Bacharelado – 2016) Uma Sociedade Empresária


comercial realizou aquisição de mercadorias para revenda.

Em seus registros constam os seguintes dados relacionados aos itens adquiridos:

Descrição Valor
Fretes sobre a compra das mercadorias R$400,00
Gastos com divulgação R$100,00
Gastos estimados necessários para se concretizar a venda R$300,00
Preço de venda R$1.600,00
Tributos adicionais decorrentes da aquisição das mercadorias, não R$200,00
recuperáveis e não incluídos no valor de aquisição
Tributos recuperáveis incluídos no valor de aquisição das mercadorias R$170,00
Valor de aquisição das mercadorias R$1.000,00

De acordo com a NBC TG 16 (R1) – Estoques, o custo de aquisição dessas mercadorias é


de:

a) R$1.300,00.

b) R$1.430,00.

c) R$1.530,00.

d) R$1.600,00.

35. (FCC – ACE – TCE-CE – 2015) Um lote de determinada mercadoria foi adquirida por R$
2.000.000,00 à vista. A empresa compradora retirou a mercadoria no depósito do
fornecedor e gastou R$ 40.000,00 para fazer o transporte desta mercadoria até o seu
depósito. A compra ocorreu em 15/05/2014 e até 15/11/2014 a empresa vendeu 80%
deste lote pelo valor de R$ 1.900.000,00. Sabendo-se que não há incidência de qualquer
tributo na compra e na venda das mercadorias e que a empresa não tinha estoque
anterior, a Demonstração do Resultado de 2014, em relação exclusivamente à compra e à
venda das mercadorias descritas, evidenciará Resultado Bruto com Vendas no valor de

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 108


www.igorcintra.com.br

(A) R$ 260.000,00.

(B) R$ 268.000,00.

(C) R$ 300.000,00.

(D) R$ 300.000,00 e Despesa com frete no valor de R$ 40.000,00.

(E) R$ 268.000,00 e Despesa com frete no valor de R$ 40.000,00.

36. (FCC – Analista – CNMU – 2015) Durante o ano de 2013 uma empresa adquiriu
mercadorias para revenda no valor total de R$ 600.000,00, efetuando o pagamento à vista.
No valor total da compra estavam incluídos tributos recuperáveis no valor de R$ 90.000,00
e tributos não recuperáveis no valor de R$ 69.000,00. A empresa pagou também o valor
total de R$ 24.000,00 pelo transporte destas mercadorias até o seu depósito e neste valor
estavam incluídos tributos recuperáveis no valor de R$ 3.000,00. A empresa vendeu todos
estes produtos pelo valor bruto de R$1.260.000,00, à vista, e os impostos incidentes sobre
a venda totalizaram R$ 189.000,00. Sabendo-se que a empresa não tinha estoques no
início de 2013, o lucro bruto apurado em 2013 foi, em reais,

(A) 471.000,00.

(B) 561.000,00.

(C) 540.000,00.

(D) 660.000,00.

(E) 447.000,00.

37. (FCC – Analista – TRF – 2016) Um lote de mercadorias foi adquirido do exterior para
comercialização no Brasil. A compra ocorreu em 15/10/2015 e o preço pago ao fornecedor
no exterior foi R$ 6.000.000,00, sendo que a empresa pagou, adicionalmente, os seguintes
encargos para dispor das mercadorias em condições de venda:

− R$ 600.000,00 de transporte aéreo para trazer a mercadoria do país de origem até o Brasil.
− R$ 240.000,00 de taxas e tarifas alfandegárias para ingresso das mercadorias no Brasil.
− R$ 100.000,00 para transporte da mercadoria do aeroporto até a sede da empresa.
− R$ 150.000,00 correspondente aos seguintes impostos:
− R$ 60.000,00 a título de imposto de importação não recuperável.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 109


www.igorcintra.com.br

− R$ 90.000,00 a título de outros impostos locais que podem ser compensados com os impostos
incidentes no momento da venda das mercadorias.

Sabe-se que não havia saldo de estoque antes desta compra e que, em dezembro de 2015,
a empresa vendeu noventa por cento das mercadorias que foram importadas. O valor
bruto das vendas foi R$ 8.500.000,00 e os impostos incidentes sobre estas vendas
totalizaram R$ 1.275.000,00. O Resultado Bruto com Mercadorias apurado pela empresa
no ano de 2015, exclusivamente em relação às mercadorias importadas e vendidas, foi,
em reais,

(A) 1.015.000,00.

(B) 3.100.000,00.

(C) 844.000,00.

(D) 925.000,00.

(E) 979.000,00.

38. (CFC – Exame de Suficiência – Técnico – 2014) Uma sociedade empresária mantém no
seu estoque de produtos para venda as mercadorias A, B e C. Os valores totais de custo de
aquisição, preço de vendas e previsão de gastos com vendas, para fins de cálculo do Valor
Realizável Líquido, na posição de 31.12.2013, estão detalhados a seguir:

Mercadoria Custo de Aquisição Preço de Venda Gastos com Vendas


A R$ 420,00 R$ 500,00 R$ 100,00
B R$ 650,00 R$ 900,00 R$ 130,00
C R$ 900,00 R$ 850,00 R$ 170,00

Considerando o que determina a NBC TG 16 (R1) - Estoques, o saldo da conta Estoques de


Mercadorias em 31.12.2013 será de:

a) R$1.970,00.

b) R$1.850,00.

c) R$1.750,00.

d) R$1.730,00.

39. (FGV – Contador – Caruaru – 2015) Em 31/12/2013, a Cia. Z adquiriu 60 unidades da


boneca baby por R$ 1.800,00. Na compra, ela incorreu em R$ 120,00 de frete. Além disso,

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 110


www.igorcintra.com.br

adquiriu uma nova estante para expor as bonecas por R$ 240,00, contratou um
profissional para elaborar a publicidade das bonecas, cujos honorários foram de R$ 480,00
e um vitrinista para arrumá-las, com honorários de R$ 600,00.

Em 10/01/2014, as bonecas baby começaram a ser comercializadas por R$ 60,00 cada.

Dois terços das bonecas foram vendidos no mês de janeiro. No entanto, em 01/02/2014,
uma nova boneca foi introduzida no mercado, de modo que a baby passou a ser vendida
por R$ 35,00. Em fevereiro cinco bonecas baby foram vendidas.

Em 28/02/2014 o estoque total de bonecas baby estava contabilizado a

a) R$ 450,00.

b) R$ 480,00.

c) R$ 525,00.

d) R$ 540,00.

e) R$ 810,00.

40. (FGV – Técnico – ALBA – 2014) Determinada empresa vende dois tipos de produtos,
canetas e lapiseiras.

Em 31 de dezembro de 2013, ela tinha em seu estoque 200 unidades de canetas e 300
unidades de lapiseiras. O estoque de canetas estava avaliado em R$ 2.000,00 e o estoque
de lapiseiras em R$ 2.100,00.

Nesta data, o valor líquido realizável de cada produto era de R$ 8,00.

O procedimento da empresa em seu balanço patrimonial deve ser o de

(A) ajustar o custo das canetas e das lapiseiras no total de R$ 700,00.

(B) manter o custo das canetas e das lapiseiras.

(C) ajustar apenas o custo das canetas, reduzindo o valor do estoque em R$ 400,00.

(D) ajustar apenas o custo das lapiseiras, aumentando o valor do estoque em R$ 300,00.

(E) ajustar o custo das canetas e das lapiseiras, reduzindo o valor em R$ 100,00.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 111


www.igorcintra.com.br

41. (CESPE – Analista – Contabilidade – SE/DF – 2017) Situação hipotética: Um fornecedor


oferece determinada mercadoria a prazo por R$ 1.000, porém em uma compra à vista,
com vencimento em 30 dias, esse mesmo fornecedor oferece um desconto de 5% sobre o
valor a prazo. Assertiva: Nesse caso, em uma compra a prazo, a diferença entre o valor à
vista e o valor a prazo deverá ser contabilizada, no momento da compra, como despesa
de juros.

( ) CERTO ( ) ERRADO

42. (ESAF – AFRFB – 2012) Nas operações de mercadorias, o valor dos gastos com
transportes, quando estes são feitos sob a responsabilidade do comprador,

a) aumentam o valor das mercadorias compradas.

b) são registrados a débito de uma conta de despesa.

c) diminuem o valor dos estoques de mercadorias.

d) não geram efeitos no custo das mercadorias vendidas quando estes são realizados.

e) não afetam o valor dos estoques de mercadorias.

43. (CESPE – Perito Criminal – PC-PE – 2016) A empresa X adquiriu, a prazo, em 1.º/4/2016,
cem computadores por R$ 1.000 cada um. Em 2/4/2016, ela vendeu, à vista, 50% do
estoque por R$ 100.000; em 5/4/2016, um cliente dessa empresa devolveu um
computador.

Acerca dessa situação hipotética, assinale a opção correta, considerando que o estoque
inicial da empresa X era igual a zero e desprezando o impacto tributário.

A) O custo das mercadorias vendidas foi inferior a R$ 48.000.

B) O estoque final em 30/4/2016 era superior a R$ 50.000.

C) Na demonstração de resultado do período, o valor da receita líquida será inferior a R$


50.000.

D) Se as referidas transações foram as únicas que a empresa X teve no período em questão,


então o lucro líquido dessa empresa foi superior ao lucro bruto.

E) O lançamento contábil correto da devolução do cliente seria a débito de fornecedor e a


crédito de mercadorias em estoque.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 112


www.igorcintra.com.br

44. (ESAF – Contador – FUNAI – 2016) Em 02/05/2016, a empresa Alpha adquiriu um lote
de mercadorias para revenda e incorreu nos seguintes gastos: preço de compra das
mercadorias – R$ 100.000,00; frete sobre compras – R$15.000,00; seguros sobre compras
– R$ 6.000,00. Nos gastos realizados pela empresa, estavam inclusos impostos não
recuperáveis de R$5.000,00 e impostos recuperáveis de R$12.000,00. Em 31/05/2016, a
empresa vendeu, à vista, 60% deste lote de mercadorias por R$90.000,00, valor este
líquido de tributos, e pagou comissões de R$2.700,00 e fretes sobre vendas de R$5.400,00.
Com base nestas informações, o lucro bruto com a venda de mercadorias referente a maio
de 2016 foi, em reais, de

a) 17.400,00.

b) 24.600,00.

c) 16.500,00.

d) 37.200,00.

e) 19.500,00.

45. (FCC – Analista – TRT-MG – 2015) Em 01/05/2015, a Cia. Bom Preço, empresa
comercial, adquiriu um lote de mercadorias pelo valor de R$ 300.000,00 à vista, sendo que
neste valor está incluído ICMS − Imposto sobre Operações relativas à Circulação de
Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal
e de Comunicação − de R$ 54.000,00. Em 15/05/2015, a Cia. Bom Preço vendeu 50% deste
lote de mercadorias, à vista, pelo valor líquido de tributos de R$ 270.000,00. A comissão
sobre a venda foi R$ 5.200,00. No dia 18/05/2015, foi concedido um abatimento ao cliente
no valor de R$ 10.000,00 porque alguns itens apresentaram problemas quanto à
especificação. Com base nestas informações, o lucro bruto que a Cia. Bom Preço apurou
com a venda de 50% do lote de mercadorias foi, em reais, de

(A) 110.000,00

(B) 131.800,00

(C) 137.000,00

(D) 104.800,00

(E) 147.000,00

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 113


www.igorcintra.com.br

46. (FGV – Agente de Fiscalização – TCM-SP – 2015) Uma empresa industrial realizou
vendas no período de 1.000 itens do seu estoque, por R$180,00 cada um, para pagamento
em 30 dias. Ao cliente foi concedido um desconto de 1,5%, na nota fiscal e o frete, no valor
de R$2.250,00, é de responsabilidade da empresa.

Dados adicionais:

- o cliente terá um desconto de R$1.800,00 no pagamento dentro do prazo;


- o custo de cada produto vendido é de R$90,00;
- no mesmo período foram registrados: salários dos vendedores no valor de R$4.200,00, outras
despesas no valor de R$1.350,00;
- ICMS no valor de R$34.200;
- IPI no valor R$9.000,00;
- PIS no valor de R$1.170,00;
- COFINS no valor de R$5.400,00.

Com base nas informações anteriores e nos dados acima, é possível determinar que a
receita líquida é:

(A) R$46.530;

(B) R$129.680;

(C) R$136.530;

(D) R$138.680;

(E) R$139.230.

47. (FGV – Contador – DPE-MT – 2015) Em 31/12/2014 uma empresa apresentava os


seguintes saldos:

Vendas de Produtos: R$ 70.000,00; ICMS sobre vendas: 13.000; ICMS a recuperar R$


6.000,00; Devoluções e abatimentos sobre vendas: R$ 8.000; COFINS sobre vendas: R$
2.000,00; Contribuição social: 15.000.

Considerando apenas esses fatos, o valor das vendas líquidas na Demonstração do


Resultado do Exercício da empresa, em 31/12/2014, era de

(A) R$ 38.000,00.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 114


www.igorcintra.com.br

(B) R$ 47.000,00.

(C) R$ 49.000,00.

(D) R$ 53.000,00.

(E) R$ 62.000,00.

48. (CESPE – Contador – DPU – 2016) Caso uma economia apresente preços perfeitamente
estáveis, o saldo final dos estoques será o mesmo, independentemente de o método
escolhido ser a média ponderada ou o primeiro que entra, primeiro que sai.

( ) CERTO ( ) ERRADO

49. (CESPE – Contador – DPU – 2016) Na compra de mercadorias à vista, caso seja utilizado
o sistema de inventário permanente, deverão ser lançados estoques de mercadorias e
impostos a recolher a débito, em contrapartida de disponível a crédito.

( ) CERTO ( ) ERRADO

50. (CESPE – Perito Criminal – PC-PE – 2016) Em 2016, uma concessionária de veículos
iniciou o mês de janeiro com três veículos em estoque, cada um dos quais tendo custado
R$ 50.000. Ainda em janeiro, a empresa adquiriu mais dois veículos por R$ 40.000 cada
um e, em fevereiro, vendeu três veículos, obtendo uma receita líquida de vendas de R$
180.000.

Nessa situação hipotética, considerando que a empresa adote o método do custo


específico e que apenas um dos veículos vendidos tenha sido adquirido em janeiro de
2016,

A) o valor total de veículos em estoque no final do mês de janeiro foi inferior a R$ 225.000.

B) o lucro bruto auferido pela concessionária foi superior a 19% da receita líquida de vendas.

C) o valor do estoque final no mês de fevereiro ficou abaixo de R$ 88.000.

D) o custo das mercadorias vendidas no período foi obtido pelo valor das mercadorias que
permaneceram em estoque no final de fevereiro.

E) o custo dos veículos vendidos é superior a R$ 142.000.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 115


www.igorcintra.com.br

51. (ESAF – Contador – FUNAI – 2016) Uma empresa comercial realizou as seguintes
operações durante o mês de maio de 2016:

Data Operação Quantidade Preço de compra Preço de venda


(em unidades) unitário (em R$) unitário (em R$)
02/05 Compra 200 40,00 -
06/05 Venda 150 - 45,00
14/05 Compra 200 60,00 -
19/05 Venda 180 - 72,00
25/05 Compra 80 63,50 -
31/05 Venda 100 - 73,00

Sabendo que a empresa não apresentava estoque inicial e que adota o critério PEPS para
avaliação dos estoques, o custo das mercadorias vendidas no mês de maio de 2016 foi, em
reais, de

a) 22.080,00.

b) 22.467,50.

c) 21.905,00.

d) 27.010,00.

e) 23.080,00.

Dados para a resolução das questões de nos 52 e 53.

A empresa Alpha Ltda. realizou as seguintes operações no exercício de 2015, envolvendo


o seu estoque de uma mercadoria, que estava vazio:
- Adquiriu 100 peças, a custo de R$ 10,00 a unidade, em 31 de março;
- Efetuou baixa no estoque de 50 peças, vendidas a R$ 20,00 a unidade, em 30 de abril;
- Adquiriu 150 peças, a custo de R$ 12,00 a unidade, adquirida em 31 de maio;
- Efetuou baixa no estoque de 150 peças, vendidas a R$ 24,00 a unidade, em 30 de junho;
- Adquiriu 250 peças, a custo de R$ 10,00 a unidade, adquirida em 31 de julho; e
- Efetuou baixa no estoque de 100 peças, vendidas a R$ 20,00 a unidade, em 31 de agosto.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 116


www.igorcintra.com.br

As compras das peças foram feitas com frete grátis. As compras e as vendas das
mercadorias foram tributadas com ICMS à alíquota de 18% (dezoito por cento). Não incidiu
IPI sobre as operações. Não houve descontos, nem devolução nas vendas.

Considerando as informações supracitadas e o uso do método PEPS, assinale a opção


correta.

52. (ESAF – Contador – FUNAI – 2016) O Custo das Mercadorias Vendidas foi de:

a) R$ 2.346,00.

b) R$ 1.300,00.

c) R$ 2.706,00.

d) R$ 3.300,00.

e) R$ 594,00.

53. (ESAF – Contador – FUNAI – 2016) As vendas proporcionaram um lucro bruto de:

a) R$ 4.254,00.

b) R$ 5.412,00.

c) R$ 3.066,00.

d) R$ 6.600,00.

e) R$ 4.458,00.

54. (VUNESP – Técnico de Contabilidade – UNESP – 2014) Determine os valores finais de


estoques de uma empresa varejista, que possui o controle de estoques avaliados por meio
do custo médio, considerando as seguintes informações:
I. Em 30/11/12, o seu estoque final de produtos para revenda era de 3.000 unidades com
um custo unitário de R$ 14,00.
II. Todas as operações que envolvam compras e vendas de mercadorias estão livres de
impostos.
III. Durante o mês de dezembro de 2012, ocorreram as seguintes operações com
mercadorias:

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 117


www.igorcintra.com.br

• Em 10.12.12, compra à vista de 1.400 unidades com o custo unitário de R$ 15,00.


• Em 15.12.12, compra a prazo de 1.000 unidades com o custo unitário de R$ 17,00.
• Em 21.12.12, venda à vista de 2.400 unidades.

De acordo com essas informações, o saldo final de estoques em 31.12.12 era:

(A) 3.000 unidades, custo unitário de R$ 14,45 e saldo final de R$ 44.795.

(B) 3.000 unidades, custo unitário de R$ 14,81 e saldo final de R$ 44.444.

(C) 3.000 unidades, custo unitário de R$ 15,00 e saldo final de R$ 46.500.

(D) 3.000 unidades, custo unitário de R$ 16,00 e saldo final de R$ 49.600.

(E) 3.000 unidades, custo unitário de R$ 17,00 e saldo final de R$ 52.700.

55. (VUNESP – Contador – UFABC – 2013) Uma empresa comercial controla seus estoques
pelo custo médio de aquisição, o qual é escriturado extra contabilmente pelo controle
permanente físico/financeiro de estoque. Em 30.04.2013, seu estoque final (ou estoque
inicial para a movimentação em maio de 2013) de produtos para revenda era de 870
unidades com um custo unitário de R$ 20,00. Todas as operações de compras e vendas
estão isentas de quaisquer tipos de impostos ou tributos. Durante o mês de maio de 2013
ocorreram as seguintes operações:
• em 05.05.2013 ocorreu uma venda à vista de 360 unidades;
• em 15.05.2013 ocorreu uma compra à vista de 250 unidades a um custo unitário de R$
26,08;
• em 20.05.2013 ocorreu uma venda a prazo de 370 unidades; e
• em 25.05.2013 ocorreu uma compra a prazo de 125 unidades a um custo unitário de R$
30,24.

De acordo com estas informações, o saldo final em 31.05.2013 é de:

(A) 400 unidades, custo unitário médio R$ 22,00 e saldo final de R$ 8.800,00.

(B) 525 unidades, custo unitário médio R$ 22,00 e saldo final de R$ 11.550,00.

(C) 515 unidades, custo unitário médio R$ 24,00 e saldo final de R$ 12.360,00.

(D) 550 unidades, custo unitário médio R$ 26,08 e saldo final de R$ 14.344,00.

(E) 600 unidades, custo unitário médio R$ 30,24 e saldo final de R$ 18.144,00.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 118


www.igorcintra.com.br

Com base nos dados a seguir, responda às questões de números 56 e 57.

A Companhia Só Lucrando Comércio de Peças Ltda. realizou, durante o ano de 2013, as


seguintes operações com mercadorias:

a. Compras 01.01.2013 100 unidades valor unitário R$ 2,00


b. Compras 10.06.2013 200 unidades valor unitário R$ 2,15
c. Vendas 17.07.2013 ??? unidades valor unitário R$ 2,50

Em 31.07.2013, após efetuar o inventário de mercadorias, verificou-se que havia em


estoque 70 unidades.

56. (VUNESP – Assistente em Contabilidade – DCTA – 2013) Sabendo-se que o estoque é


avaliado pelo método denominado “PEPS” – Primeiro a Entrar é o Primeiro a Sair, o Lucro
Bruto e o Estoque Final serão, respectivamente, de:

(A) R$ 95,50 e R$ 150,50.

(B) R$ 92,00 e R$ 147,00.

(C) R$ 479,50 e R$ 215,00.

(D) R$ 575,00 e R$ 140,00.

(E) R$ 750,00 e R$ 120,00.

57. (VUNESP – Assistente em Contabilidade – DCTA – 2013) Suponha que a entidade


avaliasse os seus estoques utilizando o critério do preço médio. Nessas condições, é
correto afirmar que o Lucro Bruto e o Estoque Final de mercadorias serão,
respectivamente, de:

(A) R$ 750,00 e R$ 120,00.

(B) R$ 575,00 e R$ 140,00.

(C) R$ 479,50 e R$ 215,00.

(D) R$ 95,50 e R$ 157,00.

(E) R$ 92,00 e R$ 147,00.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 119


www.igorcintra.com.br

58. (FGV – Contador – COMPESA – 2016) Uma sociedade empresária vendia apenas um
tipo de caderno.

Em 31/01/2016 havia 20 unidades de caderno no estoque, que estava avaliado em R$


200,00.

Durante o mês de janeiro de 2016 aconteceram as seguintes operações:

 Venda de 15 cadernos por R$ 20,00 cada.


 Compra de 10 cadernos por R$ 12,00 cada.
 Compra de 8 cadernos por R$ 16,00 cada.
 Venda de 12 cadernos por R$ 22,00 cada.

Em suas demonstrações contábeis de propósito geral, a sociedade empresária avalia seu


estoque de acordo com o custo médio ponderado móvel. No entanto, gerencialmente, a
administração utiliza o método do PEPS.

Assinale a opção que indica a diferença aproximada na conta Custo das Mercadorias
Vendidas pelos dois métodos utilizados.

(A) R$ 20,52.

(B) R$ 21,48.

(C) R$ 34,32.

(D) R$ 42,00.

(E) R$ 258,52.

59. (FGV – Técnico Contábil – Cuiabá-MT – 2015) Uma loja vende apenas um tipo de
cadeira.

Em 31/12/2014, a loja possuía em seu estoque 20 cadeiras. O estoque total estava


avaliado em R$ 2.000,00.

Durante o primeiro trimestre de 2014, foram feitas as seguintes transações:

 Compra de 50 cadeiras por R$ 120,00 cada. O frete de R$ 100,00 foi pago pelo
comprador.
 Venda de 30 cadeiras por R$ 130,00 cada. O frete de R$ 90,00 foi pago pelo comprador.
 Compra de 20 cadeiras por R$ 125,00 cada. O frete de R$ 50,00 foi pago pelo vendedor.
 Venda de 40 cadeiras por R$ 135,00 cada. O cliente foi buscar as cadeiras na loja.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 120


www.igorcintra.com.br

 Compra de 10 unidades de cadeira por R$ 130,00 cada. O frete de R$ 50,00 foi pago pelo
comprador.

Com base nas informações acima, considerando que a empresa utiliza o método do custo
médio ponderado fixo para avaliar os seus estoques, assinale a opção que indica o valor
do custo das mercadorias vendidas no primeiro trimestre de 2014.

(A) R$ 8.142,86.

(B) R$ 8.223,81.

(C) R$ 8.260,00.

(D) R$ 8.365,00.

(E) R$ 9.300,00.

60. (FGV – Técnico Contábil – Cuiabá-MT – 2015) Uma loja, que vende vassouras, avalia o
seu estoque pelo método PEPS.

Em 01/01/2014 havia cinco vassouras no estoque, que estava avaliado em R$ 50,00. Na


data, a vassoura era vendida por R$ 20,00.

No mês de janeiro aconteceram os seguintes fatos:

 Compra de 10 vassouras por R$ 15,00 cada.


 Venda de 12 vassouras por R$ 18,00 cada.
 Compra de 15 vassouras a R$ 16,00 cada.
 Venda de oito vassouras por R$ 15,00 cada.
 Compra de três vassouras por R$ 22,00 cada.
 Venda de oito vassouras por R$ 17,00.

Em 31/01/2014 a vassoura passou a ser vendida a R$ 18,00.

Assinale a opção que indica o saldo do estoque de vassouras em 31/01/2014.

(A) R$ 66,00.

(B) R$ 86,00.

(C) R$ 90,00.

(D) R$ 98,00.

(E) R$ 102,00.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 121


www.igorcintra.com.br

61. (FGV – Contador – SMF Niterói-RJ – 2015) Em 02/01/x1, a Atacadista Iota S.A. adquiriu
100.000 unidades do Protetor Solar Y, por um custo unitário de R$ 10,00. Em 09/01/x1, a
companhia adquiriu mais 30.000 unidades, por um custo unitário de R$ 11,30. Em
15/01/x1, a companhia vendeu 40.000 unidades desse produto, por um preço de R$ 16,00
cada. Em 23/01/x1, foram adquiridas mais 20.000 unidades, por um custo unitário de R$
9,75. Em 30/01/x1, a companhia vendeu 60.000 unidades, por R$ 15,50 cada. Como a
companhia não possuía estoques iniciais desse produto, a diferença entre os valores pelos
quais o custo dos Protetores Solares Y vendidos durante janeiro de x1 poderá ser
apresentado, de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, será de:

(A) R$ 10.000;

(B) R$ 10.600;

(C) R$ 13.000;

(D) R$ 24.000;

(E) R$ 34.000.

62. (FGV – Agente de Fiscalização – TCM-SP – 2015) A Cia. Expec comercializa projetores
multimídia e, no início do mês de janeiro de 20x4, tinha um estoque de 25 unidades ao
custo unitário de R$1.100. Durante esse mês foram realizadas as seguintes
movimentações:

03/01 – Compra a prazo de seis unidades a R$1.180 cada uma;


07/01 – Devolução de uma das unidades adquiridas na compra anterior, por defeito;
09/01 – Venda à vista de treze unidades, pelo preço unitário de R$2.150;
16/01 – Compra à vista de sete unidades pelo valor unitário de R$1.150;
21/01 – Venda a prazo de dezesseis unidades, pelo preço unitário de R$2.100.
Considerando apenas as informações apresentadas, após os registros no controle de
estoque durante o mês de janeiro de 20x4 na Cia. Expec, é correto afirmar que:
(A) o custo médio ponderado apresentou o menor custo das mercadorias vendidas;
(B) o custo da venda do dia 09/01, pelo método UEPS, foi R$14.300;
(C) pelo método PEPS, o custo da venda do dia 21/01 foi R$ 17.950;
(D) a devolução da compra do dia 07/01 não afetou o custo médio dos estoques;
(E) o uso do método UEPS implica menor valor do estoque final de mercadorias.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 122


www.igorcintra.com.br

63. (FCC – AFRE – SEFAZ-MA – 2016) Os estoques de uma empresa são controlados pelo
Sistema de Inventário Permanente e mensurados pelo critério da Média Ponderada
Móvel. Durante o ano de 2015, a empresa realizou, em ordem cronológica, as seguintes
transações com compra e venda de mercadorias:

Quantidade Preço unitário de Preço unitário de


Data Operação
(unidades) compra (R$) venda (R$)
02/03/2015 Compra 500 100,00
06/04/2015 Venda 200 − 140,00
13/05/2015 Compra 100 96,00
21/08/2015 Venda 200 − 144,00
29/11/2015 Compra 100 96,00 −

Sabendo que a empresa não detinha estoque inicial, o valor do Estoque apresentado no
Balanço Patrimonial de 31/12/2015 foi, em reais:

(A) 29.400,00.

(B) 29.200,00.

(C) 29.600,00.

(D) 69.200,00.

(E) 39.800,00.

64. (FCC – Analista – TRF – 2016) O saldo em estoque de um determinado produto em


30/11/2014 era R$ 600.000,00 e correspondia a 400 unidades disponíveis. A empresa
comercializa somente este produto e durante o mês de dezembro de 2014 realizou, em
ordem cronológica, as seguintes transações relacionadas com a compra e a venda do
produto:

Dia Transação
07 Compra de 200 unidades ao preço unitário de R$ 1.600,00.
Obtenção de um abatimento no valor total de R$ 8.000,00 na compra realizada no
12
dia 07.
18 Compra de 100 unidades ao preço unitário de R$ 1.660,00.
Venda de 50% das unidades disponíveis no estoque nesta data pelo preço unitário
21
de R$ 1.800,00.
30 Pagamento de frete no valor de R$ 9.000,00 da compra realizada no dia 18.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 123


www.igorcintra.com.br

Sabendo-se que não há incidência de qualquer tributo na compra e na venda deste


produto, que a empresa utiliza o critério da média ponderada móvel, o saldo da conta de
estoque evidenciado no Balanço Patrimonial de 31/12/2014 foi, em reais,

(A) 457.000,00.

(B) 548.000,00.

(C) 539.000,00.

(D) 543.000,00.

(E) 552.000,00.

65. (FCC – Técnico – SEGEP-MA – 2016) Uma empresa comercial realizou as seguintes
operações durante o mês de agosto de 2016:

Data Operação Quantidade Preço de compra Preço de venda


(em Unidades) unitário (em R$) unitário (em R$)
03/08 Compra 100 40,00
10/08 Compra 300 50,00
12/08 Venda 200 − 100,00
18/08 Compra 100 55,00
26/08 Venda 200 − 110,00

Sabendo que a empresa não apresentava estoque inicial e que adota o critério do primeiro
que entra, primeiro que sai – PEPS para avaliação dos estoques, o custo das mercadorias
vendidas no mês de agosto foi, em reais, de

(A) 20.500,00.

(B) 19.600,00.

(C) 19.000,00.

(D) 19.500,00.

(E) 42.000,00.

66. (ESAF – Contador – Ministério do Turismo – 2014) As informações abaixo foram


extraídas da Ficha de Controle de Estoques de determinada mercadoria, na empresa
Comercial de Varejos S.A., em 31/12/2013.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 124


www.igorcintra.com.br

quantidade no estoque inicial 250


quantidade comprada no período 750
quantidade vendida no período 800
preço de compra no período R$ 16,00 por unidade
preço de venda no período R$ 17.600,00 pelo total vendido
ICMS sobre compra 17%
ICMS sobre vendas 17%
valor do estoque inicial R$ 3.500,00

A partir das informações acima, pode-se dizer que o valor do estoque final, avaliado pelo
método do preço médio ponderado, é de

a) R$ 2.575,00

b) R$ 2.692,00

c) R$ 2.728,00

d) R$ 3.100,00

e) R$ 4.140,00

67. (ESAF – ATRFB – 2012) A empresa Metalfi no Ltda. não sofre tributação nas operações
de compra e venda de mercadorias; só opera com transações extra-caixa; utiliza o método
de controle permanente de estoques, com avaliação a preço médio ponderado.

Em 15 de outubro a empresa realizou a venda de 120 unidades ao preço unitário de 12


reais. As compras do mês foram: 150 unidades a 8 reais cada uma em 05/10 e 60 unidades
a 11 reais, em 18/10.

Sabendo-se que em 30 de setembro desse ano já havia um estoque de mercadorias no


valor de R$ 500,00 correspondentes a 100 unidades, pode-se afirmar que o custo das
mercadorias vendidas em outubro foi de

a) R$ 600,00.

b) R$ 660,00.

c) R$ 780,00.

d) R$ 816,00.

e) R$ 960,00.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 125


www.igorcintra.com.br

68. (VUNESP – ISS-São José dos Campos – 2015) O estoque inicial da Cia. Comercial Estrela
do Norte, em outubro de 2014, era constituído de 500 unidades da mercadoria X,
adquiridas ao custo unitário de R$ 100,00 (preço líquido de impostos recuperáveis).
Durante o mês, ocorreram as seguintes movimentações na ficha de estoque dessa
mercadoria, dispostas em ordem cronológica, sendo que todos os preços já estão líquidos
dos impostos recuperáveis:

1) Aquisição de 1.000 unidades, ao preço de R$ 120,00;

2) Venda de 1.200 unidades, ao preço de R$ 300,00;

3) Aquisição de 2.000 unidades, ao preço de R$ 125,00;

4) Venda de 1.500 unidades, ao preço de R$ 280,00.

A companhia utiliza o método PEPS para avaliação de seus estoques. O estoque final dessa
mercadoria no final do mês de outubro de 2014, a ser classificado no Ativo Circulante,
correspondia, em R$, a

(A) 96.000,00.

(B) 80.000,00.

(C) 100.000,00.

(D) 115.000,00.

(E) 126.000,00.

69. (FCC – Analista – SEFAZ-PI – 2015) As transações de compra e venda de uma


determinada mercadoria realizadas por uma empresa, durante o ano de 2013, são
apresentadas, em ordem cronológica, no quadro a seguir:

Data Transação
18/02 Compra de 100.000 unidades ao preço unitário de R$ 2,00.
10/04 Pagamento de frete pela compra efetuada em 18/02 no valor total de R$ 20.000,00.
20/06 Compra de 100.000 unidades ao preço unitário de R$ 2,40.
30/07 Venda de 100.000 unidades pelo valor total de R$ 60.500,00.
Devolução de 10.000 unidades da compra efetuada em 18/02 por não atenderem às
20/08
especificações.
18/10 Concessão de um abatimento de R$ 500,00 na venda realizada em 30/07.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 126


www.igorcintra.com.br

Sabendo-se que a empresa não mantinha estoque da mercadoria no início do ano de 2013
e que adota o Método da Média Ponderada Móvel para a avaliação do estoque, o valor
evidenciado para a conta Estoque no Balanço Patrimonial de 31/12/2013 foi, em reais:

(A) 209.500,00

(B) 210.000,00

(C) 220.000,00

(D) 200.000,00

(E) 230.000,00

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 127


www.igorcintra.com.br

GABARITO
01 – B 08 – B 15 – B 22 – A 29 – A 36 – C 43 – B 50 – B 57 – E 64 – B
02 – C 09 – B 16 – C 23 – D 30 – A 37 – D 44 – B 51 – C 58 – B 65 – C
03 – A 10 – C 17 – D 24 – A 31 – A 38 – D 45 – C 52 – A 59 – D 66 – B
04 – B 11 – C 18 – E 25 – E 32 – C 39 – B 46 – C 53 – C 60 – B 67 – D
05 – C 12 – B 19 – E 26 – E 33 – C 40 – C 47 – B 54 – B 61 – D 68 – C
06 – B 13 – C 20 – E 27 – E 34 – B 41 – E 48 – C 55 – C 62 – E 69 – B
07 – B 14 – C 21 – E 28 – C 35 – B 42 – A 49 – E 56 – A 63 – A

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 128


www.igorcintra.com.br

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 129