Você está na página 1de 2

Espíritos imortais encarnações da virtude, nascidos e re-

nascidos numa vida mortal no mundo natural.

ASPECTOS RACIAIS
Altura Média: 1,85 m - 1,98 m
Peso Médio: 79 kg - 127 kg

Valores de Atributo: + 2 em Inteligência, + 2 em Sabedoria


Tamanho: Médio
Deslocamento: 6 quadrados
Visão: Normal
I
Idiomas: Comum, escolha mais duas
Bônus nas Perícias: + 2 em História, +2 em Religião
Majestade Astral: Os devas recebem + 1 de bônus em to-
das as defesas contra ataques realizados por criaturas
sangrando.
Resistência Astral: Os devas têm resistência vs. necrótico e
radiante igual a 5 + metade do nível do personagem.
Origem Imortal: O espírito desta raça é nativo do Mar As-
tral, portanto os devas são considerados criaturas imor-
tais para efeitos relacionados à sua origem.
Memória de Mil Vidas: Os devas recebem o poder Memó-
ria de MilVidas.

Memória de Mil Vidas Poder Racial de Deva


Como sonhos, memórias de vidas passadas retomam para ajudá-Ia.
Encontro
Nenhuma Ação Pessoal
Gatilho: O deva realiza uma jogada de ataque, teste de resis-
tência ou teste de atributo e não gosta do resultado.
Efeito: O personagem adiciona 1d6 ao resultado da jogada que
ativou o gatilho.

Nas profundezas de suas mentes, os devas ainda podem se


lembrar do que um dia já foram: servos imortais dos deu-
ses do bem; espíritos que escolher se prender ao mundo
na carne. Por milênios, suas almas renascem para travar
uma guerra eterna contra as forças da escuridão. A maio-
ria dos devas é extremamente comprometida com a causa
do bem, pois temem o que se tornariam se seguissem o ca-
minho do mal: quando a alma de um deva é corrompida,
ele pode renascer como um rakshasa.

Jogue com um deva se você quiser ...


.• Ter vagas lembrança de sua conexão com suas milhares
de vidas heroicas.
.• Abraçar a causa do bem e buscar a perfeição em tudo o
que fizer.
.• Pertencer a uma raça que privilegia as classes vingador,
clérigo, invocador e mago.
APARÊNCIA FíSICA Devas não contam com cidades ou uma sociedade ~
própria e são tão poucos que um deva poderia passar a:
A aparência dos devas é muito similar a dos humanos, mas uma vida inteira sem sequer encontrar outro de sua Cl
com uma beleza quase celestial e uma quietude misterio- raça. Eles vivem entre outras raças e, em alguns casos,
sa. São quase tão altos quanto os draconatos, mas muito adotam os maneirismos delas. Entretanto, todos os devas
mais esbeltos.
recordam de elementos da vida que tiveram antes de sua
A coloração dos devas é mais distinta que a dos huma- encarnação e do início do seu ciclo de renascimento e,
nos. Eles possuem padrões claros e escuros na pela. As sendo assim, compartilham de alguns elementos cultu-
partes claras são brancas como giz e as escuras variam do rais como vestimenta, religião e costumes. Eles preferem
azul ou do púrpura até o cinza escuro ou negro. Num indi- roupas finas de seda, armaduras de metal polido com
víduo, a parte clara ou escura pode ser dominante, com o ornamentos nos ombros que imitam asas e elmos ou
tom oposto aparecendo em padrões elegantes na face, tó- adereços para a cabeça semelhantes a coroas e halos. De
rax e ombros. O cabelo de um deva costuma ser da mesma
maneira geral, os devas preferem viver de maneira sim-
cor dos padrões de sua pele. ples, sem muitas extravagâncias.
Quando descansam, sentados ou em pé, os devas per-
manecem quase totalmente parados, exceto por um oca- Características dos Devas: Dedicado, devotado, elegan-
sional piscar de olhos. Eles não se movem ou mudam de te, esclarecido, espiritualizado, íntegro, introspectivo, mís-
posição e seus olhos só são movimentados quando eles tico, pensativo, refinado
estão analisando algo ativamente.
Os devas não podem ter filhos. Quando um deles mor- Nornes Masculinos: Adiah, Ansis, Ayab, Bavak, Beriah,
re, seu espírito reencarna num novo corpo já adulto, que Eben, Elyas, Galad, Gamal, Riyal, Iannes, Kerem, Mahar,
aparece em algum local sagrado, como um pico de mon- Marach, Mathas, Natan, Nehem, Oris, Raham, Ronen, Sa-
tanha, a delta de rio ou um oásis no deserto. O novo deva mel, Sered, Tavar,Vered, Zachar
retém fragmentos de sua vida passada, mas apenas o bas-
tante para falar e entender alguns idiomas e oferecer as Nomes Femininos: Abea, Adara, Asha, Chana, DaneI,
orações apropriadas para os deuses do bem. Darah, Davi, Elka, Eranah, Rania, Rava, Idria, Isa, Jael,
Kana, Kayah, Lihi, Mahel, Marek, Noma, Navah, Paziah,
JOGANDO COM DEVAS Ravah, Riya, Sada, Shara, Tirah
Devas são refinados e educados. Eles seguem os mais altos
padrões morais, mas não desvalorizam a violência justi-
ficada. Eles acreditam que a busca do bem é uma eter- AVENTUREIROS DEVAS
na guerra contra as forças do mal, personificadas pelos Três exemplos de aventureiros devas são descritos abaixo:
rakshasas, demônios, diabos e os deuses malignos e seus Galad é um deva mago que acredita que o objetivo de
anjos lacaios. Eles também travam batalhas em seus co- sua existência é alcançar o conhecimento perfeito do uni-
rações, mantendo-se sempre vigilantes contra o mal que verso. Ele acredita que seu poder arcano é uma manifesta-
possa dar frutos em seu âmago, transformando-os nas pró- ção de tudo que aprendeu ao longo de suas vidas passadas
prias criaturas que eles tanto desprezam. e que nesta vida, ou talvez na próxima, ele irá atingir o
Por se lembrarem, ainda que de maneira fragmentada, domínio perfeito e se transformar em um semideus, liber-
de suas vidas no Mar Astral na companhia dos deuses, a tando-se do ciclo de reencarnações.
maioria dos devas se devota e adora os deuses do bem, es- Eranah é um invocador que utiliza o poder de Baha-
pecialmente Bahamut, mas também Moradin e Pelor. Eles mut. Assim como seu deus combateu Tiamat quando o
buscam atingir uma conexão pessoal com os deuses em mundo era jovem, Eranah acredita que sua tarefa nesta en-
vez de se aproximarem deles através de templos ou sacer- carnação é lutar contra dragões malignos e crias dracôni-
dotes. Eles os reverenciam durante as refeições em seus cas que poluem o mundo. Palavras de poder ressoam em
lares, deixando um lugar à mesa sempre vago, e buscam sua mente como ecos da voz do Dragão de Platina quando
através de meditação e da oração, se tornarem mais como ela invoca sua fúria contra seus inimigos.
os deuses que servem. Devas aventureiros costumam ser Raham é um xamã que aceitou sua vida no mundo na-
vingadores, clérigos e invocadores, que apreciam o conta- tural, abandonando todos os preceitos de sua existência
to com o poder divino que flui através de seus corpos sem astral anterior. Os espíritos primitivos do mundo são seus
intermediário algum. patronos e aliados, não os deuses que ele deixou para trás.
Raham considera seu renascimento eterno como parte do
ciclo da natureza e não deseja escapar dele.

CAPÍTULO 1 I Raças de Persona8em