Você está na página 1de 17

1 – DEFINIÇÃO DE TERMO

O que é TEOLOGIA?

A palavra TEOLOGIA tem origem em dois termos gregos: theos, “DEUS” e logia, “ESTUDO”,
portando teologia é o ESTUDO SOBRE DEUS. O teólogo LOUIS BERKHOF definiu TEOLOGIA
como sendo o “conhecimento sistematizado de Deus, de quem, por meio de quem e para
quem são todas as coisas”. ¹ Outra definição nos é dada por WAYNE GRUDEM, citando O
professor John Frame, “é qualquer estudo que responda à pergunta o que a Bíblia como um
todo nos ensina hoje? Acerca de qualquer tópico.²

Como podemos conhecer a Deus, como saber quem Ele é, o que Ele quer de nós, se não
investigarmos o que Ele deixou revelado para o nosso conhecimento? Esse é o trabalho da
TEOLOGIA, que parte de três pressupostos:

1 – Deus existe.

2 – Ele pode ser conhecido, não de modo exaustivo e completo.

3 – Que Ele tem se revelado tanto por meio de suas obras (criação e providência – REVELAÇÃO
GERAL), como, principalmente pela SAGRADA ESCRITURA (REVELAÇÃO ESPECIAL).

REVELAÇÃO GERAL – inclui tudo o que Deus revelou no mundo a nossa volta. Ela apresenta
evidência da existência de Deus. Atos 14.17; Salmos 19.1-2.

REVELAÇÃO ESPECIAL – É o que Deus revelou especificamente nas ESCRITURAS. Ela pressupõe
a existência de Deus. Hebreus 1.1-2; 1 Pedro 1.20-21.

2 – A EXISTÊNCIA DE DEUS
As pessoas insistem que é impossível provar a existência de Deus, a existência de Deus
não só é algo provado como é inerente à alma humana. Como sabemos que Deus existe?
Primeiro, todas as pessoas tem uma intuição íntima de Deus, segundo, cremos nas provas
encontradas nas ESCRITURAS SAGRADAS e na NATUREZA.

As ESCRITURAS não tecem argumentos para afirmar ou comprovar a EXISTÊNCIA DE


DEUS, o cristão aceita primeiramente pela fé, que não é cega, mas baseadas em provas, que se
acham nas ESCRITURAS como palavra de Deus inspiradas e secundariamente na NATUREZA.

3.-EVIDENCIAS DA EXISTÊNCIA DE DEUS

¹ BERKOF, Louis. Teologia Sistemática. 4ª Ed. São Paulo: Cultura Cristã, p. 19, 2012.
² GRUDEM, Wayne. Teologia Sistemática. São Paulo: Vida Nova, p. 1, 1999.
3.1 – A INTIMA INTUIÇÃO HUMANA DE DEUS
Todas as pessoas em qualquer lugar têm uma profunda intuição intima que Deus
existe, e que são criaturas de Deus e que Deus é o criador. Paulo disse em Romanos
1.21, que os gentios descrentes tinham “conhecimento de Deus”.

3.2 – EVIDÊNCIAS NAS ESCRITURAS


Nas Escrituras encontramos claras evidências de que Deus existe, as provas de sua
existência são encontradas logicamente por toda bíblia. De fato a bíblia sempre
PRESSUPÕE que Deus existe, o primeiro versículo NÃO apresenta provas da existência
de Deus, mas passa a narrar o que ele fez: “no princípio criou Deus os céus e a terra”.
Se crermos que a bíblia é verdadeira, não só sabemos que Deus existe, mas também
muita coisa sobre Ele e seus atos.

3.3 – EVIDÊNCIAS NA NATUREZA E NA HISTÓRIA


Temos vastos testemunhos da existência de Deus na natureza, Paulo diz que a
eterna natureza e divindade de Deus são claramente percebidas “por meio das coisas
que foram criadas” Romanos 1.20. Paulo e Barnabé disseram que Deus “não se deixou
a si mesmo sem testemunho, beneficiando-vos lá do céu, dando-vos chuvas e tempos
frutíferos, enchendo de mantimento e de alegria os vossos corações. Atos 14:17”.

Davi expressou “Os céus declaram a glória de Deus e o firmamento anuncia a


obra das suas mãos. Um dia faz declaração há outro dia, e uma noite mostra sabedoria
à outra noite. Salmos 19:1,2”. Quem olha para o céu, de dia ou de noite, vê o sol, a lua
e as estrela, o firmamento e as nuvens, todos declarando continuamente pela sua
existência que foi um Criador poderoso e sábio quem os fez e os sustém na sua ordem.

O tamanho da Terra e sua GRAVIDADE correspondente sustem uma camada


fina de NITROGÊNIO e OXIGÊNIO que se estende, em sua maioria, até uns 80 km acima
da superfície da Terra. Se a Terra fosse menor, a existência de um ATMOSFERA seria
impossível, como ocorre no planeta MERCÚRIO; se fosse maior, sua atmosfera conteria
HIDROGÊNIOS LIVRES, como em Júpiter. A Terra é o único planeta conhecido que é
provido de uma atmosfera com a mistura na medida exata de gases para sustentar
vidas humanas, animal e vegetal. Ela fica a uma distância ideal do sol, a fim de evitar o
calor escaldante e o frio extremo. Sua inclinação de 23º é exata. Se a terra fosse um
pouco mais distante, nós todos congelaríamos, um pouco mais perto e nós nos
queimaríamos. A Terra mantém uma distância perfeita do sol enquanto vira em torno
dele numa velocidade de aproximadamente 107.825 km/h. Também gira em torno do
próprio eixo, permitindo que toda superfície seja aquecida e refrescada todos os dias.

A lua tem o tamanho perfeito e está a distância exata da Terra por causa da
força da GRAVIDADE. A lua cria movimentos importantes nas marés para que as águas
não estagnem e ainda impede que os nossos oceanos massivos não inundem os
continentes.

Outro fato digno de atenção é o POVO JUDEU, milhares de pessoas conhecem a


história dramática dos JUDEUS, perseguições, privações, e vexações fizeram parte do
seu cotidiano. Entretanto, esses HERÓIS vêm sobrevivendo ao longo dos séculos em
ambientes basicamente hostis, muitas vezes faca severa oposição. Mas foi a este povo
que Deus se revelou, estabelecendo alianças, começando com o patriarca Abraão,
passando por Moisés, pelos profetas e consumando-se com a vinda do Messias.

4 - PROVAS RACIONAIS DA EXISTÊNCIA DE DEUS

Filósofos cristãos e alguns não cristãos, na tentativa de analisar as evidências,


especialmente na natureza de modo cuidadoso e logicamente precisos, a fim de
convencer as pessoas que não é racional rejeitar a idéia de que Deus existe.

ARGUMENTO ONTOLÓGICO

Este argumento ensina que o homem tem a idéia de um ser absolutamente perfeito;
que a existência é uma atributo de perfeição, e que portanto, um ser absolutamente
perfeito tem de existir.

ARGUMENTO COSMOLÓGICO

Casa coisa existente no mundo tem de ter uma causa adequada, sendo assim, o
universo também tem uma causa adequada.

ARGUMENTO TELEOLÓGICO
Em toda parte do mundo revela inteligência, ordem, harmonia e propósito, e assim
implica a existência de um ser inteligente e com propósito, apropriado para a
produção de um mundo como este.

ARGUMENTO MORAL

Parte do senso humano de certo e errado, e da necessidade da imposição da justiça,


raciocina que deve existir um Deus que seja a fonte do certo e do errado, e que vai
algum dia impor justiça a todas as pessoas.

ARGUMENTO HISTÓRICO OU ETNOLÓGICO

Em todos os povos e tribos há um sentimento religioso, que se revela em cultos


exteriores. Deus criou o homem religioso.

5 - FORMAS DE NEGAÇÃO DA EXISTÊNCIA DE DEUS

A história da teologia crista é a história da reflexão sobre a natureza de Deus e da


revelação que Ele fez de si mesmo, na pessoa de seu filho Jesus Cristo. Contudo, isso
não quer dizer que não existam pessoas que negam completamente sua existência
como revela a Bíblia. Dentre as mais variadas formas de negação de da existência de
Deus, destacam-se as seguintes:

ATEÍSMO

O termo ateísmo vem do prefixo grego a, “não”, e theos, “Deus”. O ateu não acredita
na existência de qualquer divindade. O ateu CRÊ que não existe Deus neste mundo
nem no além. Apregoa que o universo o Universo surgiu por acaso ou sempre existiu,
sustentado por leis inerentes e impessoais. O ateísmo pode ser classificado e duas
classes:

A – O Ateísmo teórico ou filosófico, mas intelectual, nega a existência de Deus


fundamentando-se em um processo de raciocínio.

B – O ateísmo prático não reconhece a existência de Deus, vivem como se Deus


não existisse.
AGNOSTICISMO

A palavra agnóstico provém de duas palavras gregas (a, não) + gnostikós, “que
conhece”), ou seja, “não conhecimento”. O agnóstico não nega a existência de Deus,
mas sim a possibilidade de conhecimento de Deus, ensina que não sabemos e nem
podemos saber se Deus existe ou não. Só acreditam no que podem ver e tocar.

MATERIALISMO

O materialismo não acredita na existência do espírito ou de seres espirituais. Para seus


adeptos, toda a realidade é simplesmente matéria ou redutível a ela. Afirmam não
existir vida pós-morte, céu e o inferno, que são apenas estados terrenos de prazer ou
sofrimento, sucesso ou fracasso. Quando morremos, a alma também morre, o pecado
é apenas imperfeição humana.

PANTEÍSMO

Panteísmo (do grego pan, “tudo”, “todas as coisas”, e theos, “Deus”) é a doutrina que
afirma a identidade substancial de Deus e do universo, os quais formariam uma
unidade e constituiria um todo indivisível. Para o panteísta Deus não é
TRANSCENDENTE ao Universo e dele não se distingue nem se separa, pelo contrário,
é-lhe IMANENTE, todas as coisas estão de alguma forma identificada com Deus. A
conclusão lógica seria O mundo é Deus e Deus é o mundo.

POLITEISMO

Deriva-se do termo grego poly, “muito”, e theos “deus”, é cosmovisão na crença de


muitos deuses e deusas. Nega a existência de uma divindade absoluta como ensina a
bíblia. É uma das crenças mais antigas que existe. Segundo Norman Geisler “o
politeísmo grego entrou em declínio com a ascensão do TEÍSMO FILOSÓFICO de Platão
e Aristóteles. O politeísmo romano praticamente morreu com a ascensão do
cristianismo no ocidente”³.

³ GEISLER, Norman. Enciclopédia de Apologética – Respostas aos críticos da fé cristã. São


Paulo: Vida, p. 707, 2002.
DEISMO

É a crença numa divindade que fez o mundo e tudo o que nele há, mas deixou que sua
criação fosse regida pelas leias naturais, sem sua interferência. É um TEISMO SEM
MILAGRES, rejeitam a inspiração divina das escrituras.

DUALISMO

É o sistema filosófico que admite a existência de dois reinos, dois princípios coeternos
em conflito um com o outro, como matéria e espírito ou bem e mal. O platonismo é o
exemplo do primeiro e o zoroastrismo, o gnosticismo e o maniqueísmo são exemplos
do segundo.

Grande parte das seitas orientais é dualista. Crêem na existência de duas forças
cósmicas, duas energias opostas que formam o universo e tudo o que nele há. Essas
duas energias recebem o nome de YIN e YANG. A força positiva do bem, da luz e da
masculinidade é o YANG; a essência negativa do mal, da morte e da feminilidade é o
YIN.

6 - ATRIBUTOS DE DEUS

Por ser um ser finito, o homem não pode extrair o conhecimento de Deus como
faz com outros objetos de estudos. Deus bondosamente, por meio de sua palavra,
transmitiu informações necessárias ao homem, de modo que tão somente podemos
aceitá-la e assimilá-las.

Estudar os ATRIBUTOS DE DEUS, é uma tarefa seriíssima, pois o TERMO


ATRIBUTO não é adequado para retratar as características de Deus. Sendo um ser
infinito, faz com que seja impossível criaturas finitas conhecê-lo como ELE é, mas por
meio das escrituras ELE revelou as perfeições e excelências da sua natureza que
considera essências para nossa redenção, adoração e comunhão.

Para definirmos ATRIBUTOS DE DEUS, podemos dizer que são aquelas


características essências, permanentes, e distintivas que podem ser afirmadas a
respeitos do SEU ser, inseparáveis de sua natureza e que condicionam seu caráter.
Varias denominações são utilizadas no âmbito teológico para as divisões dos
atributos de Deus, uns falam de ATRIBUTOS NATURAIS e ATRIBUTOS MORAIS, outros
preferem utilizar ATRIBUTOS ABSOLUTOS e ATRIBUTOS RELATIVOS, e tem os que
adotam ATRIBUTOS IMANENTES e INTRANSITIVOS e ATRIBUTOS EMANENTES e
TRANSITIVOS, adotaremos a mais comum, ATRIBUTOS INCOMUNICÁVEIS e ATRIBUTOS
COMUNICÁVEIS.

ATRIBUTOS INCOMUNICÁVEIS, são aquelas característica QUALITATIVAS do


Supremo Ser que e ele não COMPARTILHOU com nenhuma de suas criaturas.

ATRIBUTOS MORAIS ou COMUNICÁVEIS tornam visíveis sua natureza pessoal,


por meios desses atributos que DEUS se manifesta como ser moral, consciente,
inteligente e livre, como ser pessoal no mais alto sentido da palavra. Os ATRIBUTOS
MORAIS de DEUS, têm certa similitude com as qualidades humanas, porém, é evidente
que todos os seus atributos existem em grau infinitamente superior aos humanos.

ATRIBUTOS INCOMUNICÁVEIS
TERMO DEFINIÇÃO REFERÊNCIA
AUTOEXISTÊNCIA Deus não depende de nada, ele não precisa Êxodo 3.14, João
de ninguém. Deus é independente de tudo 5.26
e tudo depende DELE. Têm existência
própria.
ÚNICO Não existe ninguém igual a ELE, fora dele. Deuteronômio 6.4
IMUTABILIDADE É a perfeição pela qual não há mudanças Êxodo 3.14, Salmos
em seu ser, em seus planos e propósitos, 102.26, Isaias 41.4,
em seus discursos e em suas promessas. Isaias 48.12,
TUDO MUDO e PASSA, porém Deus não Malaquias 3.6,
muda, Ele É e há de ser sempre o mesmo. Tiago 1.17.
ETERNIDADE Deus não teve princípio e nem terá fim, Deuteronômio
Nunca houve um tempo em que Deus não 33.27, I Timóteo
existisse. 1.17, 1 João 1.1-2,
1 João 5.20
ONIPRESENÇA Deus está presente em todos os lugares ao Jeremias 23.23-24,
mesmo tempo. A natureza infinita de Deus 1 Reis 8.27, 2
em relação ao tempo é chamada de Crônicas 2.6,
ETERNIDADE e em relação ao espaço é Provérbios 15.3,
chamada de ONIPRESENÇA. Mateus 18.20, Atos
17. 24-27.
ONISCIÊNCIA Por meio deste atributo torna evidente a Salmos 147.5, 1
infinita sabedoria de DEUS, todavia, Reis 8.39, Isaias
ninguém jamais pode sondar “a 29.15-16, Jeremias
profundidade da riqueza, tanto da 16.17.
sabedoria como do conhecimento de
DEUS”. Romanos 11.33.
ONIPOTÊNCIA O poder de Deus é ilimitado, isso significa Jeremias 32.27, Jó
que ele pode fazer qualquer coisa que 42.2, Salmos 89.6-
esteja em harmonia com sua natureza, 8, Jeremias 10.6-
sabia, justa e santa. Deus jamais fará coisas 7,10,12.
incoerentes, deus não é Deus de coisas
absurdas e sim das coisas impossíveis.
Mateus 19.26, Marcos 10.27. Não tem
ninguém superior a Ele, quando fez a
promessa a Abraão, “visto que não tinha
ninguém superior por quem jurar, jurou por
si mesmo” Hebreus 6.13.
PERFEITO Segundo o dicionário Aurélio, perfeito é o Mateus 5.48
que “reúne todas as qualidades
concebíveis”. Deus não precisa aperfeiçoar-
se ele é a perfeição das perfeições.
ESPÍRITO Jesus disse à mulher samaritana, “Deus é Atos 17.24, 1
Espírito”, com está declaração ele Timóteo 1.7.
demonstrou a personalidade do Espírito de
Deus, contrariando a idéia de que o Espírito
de Deus seja somente uma influência ou
emanação divina. O espírito não está sujeito
à matéria, não possui corpo de carne e
osso, portanto não sofre as limitações do
corpo físico (Lucas 24.39.

ATRIBUTOS COMUNICÁVEIS
TERMO DEFINIÇÃO REFERÊNCIA
SABEDORIA Deus conhece o fim das coisas, ou seja, suas Tiago 1.5, Jó 9.4, Jó
12.13, Salmos
decisões são perfeitas. Ele é infinitamente
104.24
sábio e sua sabedoria é em algum grau
compartilhada aos homens, mas nunca
plenamente.
SANTIDADE A Santidade de Deus proporciona o padrão Levítico 11.44,
Levítico 19.2, Josué
a ser imitado. Ele é absolutamente isento
24.19, Salmos 5.4
de pecado e perfeitamente justo. Sua
santidade comprova sua absoluta pureza
moral; ele não pode pecar nem tolera o
pecado. A palavra hebraica para ser santo é
qadash, deriva da raiz qad, que significa
cortar ou separar, temos a mesma idéia no
NT pelas palavras hagiazo e hagios.
AMOR Na sua santidade Deus é inacessível, no seu 1 João 4.8, 1 João
4.10, Romanos 5.8,
amor ele se aproxima de nós. Na sua
santidade ele transcendente, no seu amor
imanente. Por transcendência, se entende
que ele está separado de toda sua criação
como ser independente e autoexistente, já
por sua imanência, se entende sua presença
difundida, ou seja, ele entrando em um
relacionamento pessoal com aqueles que
possuem sua imagem e semelhança. O
amor de Deus é atribuído que pode ser
definido como ele se entregando para
benefício de outro.
JUSTIÇA As características divinas se tornam então Gênesis 18.25,
Deuteronômio
(RETIDÃO) um padrão definitivo da conduta humana.
32.4, Isaias 45.19.
Deus é um Deus reto porque age sempre
em absoluta conformidade com a sua santa
natureza e vontade, sendo o padrão do que
é certo. Sendo necessário que ele puna o
pecado, o pecado não merece recompensa,
por ser errado recebe punição.
FIDELIDADE A fidelidade de Deus é um atributo que se Números 23.19, 2
Timóteo 2.13.
descobre com o tempo, no relacionamento,
em momentos de adversidade, de
sofrimento etc. Quando a bíblia diz que
Deus é fiel, ela quer dizer que ele é
CONFIÁVEL e FIEL em suas palavras. Ele
jamais irá prometer o que não pretende
cumprir.
7- OS NOMES DE DEUS

O estudo dos NOMES DE DEUS irá nos ajudar a conhecê-lo melhor e significativamente
compreendermos a manifestação mais expressiva de sua personalidade.

NOMES GENÉRICOS DE DEUS

Não são nomes exclusivos da divindade, podem ser usados tanto para se referir ao
verdadeiro Deus quanto para um falsa divindade, os nome genéricos encontrados nas
escrituras são:

ELOHIM (plural ‫ )אלוקים‬e ELOAH (singular ‫ – )אלוה‬DEUS

É o primeiro nome de Deus que aparece nas escrituras, em Genesis, está escrito “no
princípio criou Deus (ELOHIM) os céus e a terra”. A palavra ELOHIM emprega-se
sempre que sejam descritos os atos criativos e a onipotência de DEUS. No singular
ELOAH aparece 55 vezes no AT e no plural 2.498. Este substantivo vem do verbo
hebraico ALÁ e significa “ser adorado, ser excelente, temido e reverenciado”.

O nome ELOHIM, pode ser usando tanto para divindades FALSAS como o DEUS
VERDADEIRO, masculinas ou femininas. ELOHIM para 2.555 vezes no AT hebraico, e
somente em 245 não se refere ao DEUS VERDADEIRO. Aparece relacionado-se com
divindades pagãs individuas apenas 22 vezes.

DIVINDADE APARIÇÕES REFERENCIA


Baal 4 vezes JZ 6.31, 1 Reis 18.24,25,27
Baal Berit 1 vez JZ 8.33
Quemos 2 vezes JZ 11.24, 1 Reis 11.33
Milcom 1 vez 1 Reis 11.33
Dagom 5 vezes JZ 16.23, 1 Samuel 5.7
Astarote 2 vezes 1 Reis 11.5,33
Baal Zebube 4 vezes 2 Reis 1.2-3,6,16
Adrameleque 1 vez 2 Reis 17.31
Nisroque 2 vezes 2 Reis 19.37, Isaias 37.38
El (‫ – )אֵ֔ ל‬Deus

É nome mais conhecido entre os povos semitas para se referias a divindade. Encontra-
se no singular e ocorre cerca de 250 vezes na Bíblia, parece significar aquele que vai
adianta ou começa as coisas.

El é o nome mais usado na Bíblia para se referir a divindades pagãs, mas aparece com
relação ao Deus de Israel e também com seus atributos.

• El Berit – Deus que faz aliança ou pacto (GN 31.13; 35.1-3)


• El Olan – Deus Eterno (GN 21.33, Isaias 40.28)
• El Sale’i – Deus é minha rocha, o meu refúgio ( Salmos 42.9-10)
• El Ro’i – Deus da Vista (GN 16.13)
• El Nosse – Deus de Compaixão (Salmos 99.8)
• El Qana – Deus Zeloso (Êxodo 20.5; 34.140)
• El Ne’eman – Deus de graça e misericórdia (Dt 7.9)

El-Elyon (‫ – )אֵ֔ ל ֝עֶ לְ י ן‬Deus altíssimo

Deriva do verbo hebraico Aláh, que significa “subir, mas elevado, superior, no ponto
mais alto”.

El Olam (‫ – ) אֵ֔ ל ̀עלם‬O Deus Eterno

O termo significa o Deus da Eternidade, Deus para sempre. GN 21.33

NOMES ESPECÍFICOS DE DEUS NA BIBLIA

São nomes que só aparecem aplicados ao Deus Verdadeiro.

Shadday (‫ – )שדי‬Todo Poderoso

Como título divino aparece 48 vezes no antigo testamento.

Adonai – Senhor
Com a chegada a lei o tretragrama ‫ יהוה‬era de tal maneira reverenciado que os judeus
deixaram de pronunciá-lo. Todas as vezes que nas escrituras aparece o nome
impronunciável eles poderiam usar ADONAY para serviços religiosos e HASHEM nas
conversar informais.

YHWH – traduzido por Senhor

O Tetragrama é nome divino que aparece com mais freqüência no AT, 5.231 vezes,
escrito por quatro consoantes, yod, He, vav, He (alfabeto hebraico não possui vogal).

NOMES COMPOSTOS DE DEUS

YHWH Elohim (‫ )יהוה אלוקים‬Genesis 2.4

YHWH Jireh – (‫ – )יהוה ירה‬O Senhor proverá Genesis 22.14

YHWH Rafá – (‫)יהוה רפה‬O Senhor que te sara. Exodo 15.26

YHWH Nissi – (‫ – )יהוה נסי‬O senhor é minha bandeira. Exodo 17.15

YHWH Shalom – (‫ – )יהוה שלום‬o Senhor é a paz. Juizes 6.24

YHWH Raah – (‫ – )יהוה רעה‬o Senhor é o meu pastor. Salmos 23.1

YHWH Tsidikenu (‫ – )יהוה צדקנו‬O senhor justiça nossa. Jeremias 23.6

YHWH Sabaoth –( ‫ – )יהוה צבאה‬O senhor dos exércitos. Salmos 24.10

YHWH Shammah (‫ – )יהוה שמה‬O senhor está ali. Ezequiel 48.35

NOMES DE DEUS NO NOVO TESTAMENTO

Entre os gregos existiam vários deuses. O filósofo Aristóteles, para demonstrar a


fragilidade da religião grega, afirmava: “o homem fez os deuses à sua semelhança e
lhes deu seus costumes”. Os nomes gregos equivalentes para El, Elohim, Elyon e YHWH
são:

Θεόν - (Theos) – Deus. João 1.1

Dos nomes aplicados para Deus, Theos é o mais comum.


Κύριος - (Kurios) – Senhor. Filipenses 2.11

A septuaginta traduziu Adonai e o Tetragrama YHWH pela palavra grega Kurios.


Apocalipse 11.15

Πατήρ - (Pater) – Pai

Dentre as três grandes religiões monoteístas somente o cristianismo mantém um


relacionamento de Pai para filho com seu Deus. O islamismo rejeita a idéia de Deus ser
pai, o Judaísmo afirma que Deus jamais teve um filho.

8 - TRINDADE

Os pensadores cristãos têm usado o termo trindade para designar a coexistência de

três pessoas distintas (pai, filho e o Espírito Santo) coexistindo em natureza divina. Foi

empregada pela primeira vez por Tertuliano de Cartago, na África, no final do século II,

sob a denominação de trinnitas.

UNIDADE COMPOSTO DA DEUS

Deus em só em seu Ser e substância eternamente subsistente em 3 pessoas (Pai, Filho

e Espírito Santo).

EVIDENCIAS NO ANTIGO TESTAMENTO

O AT traz uma revelação progressiva da triunidade de Deus. A expressão no princípio

criou Deus, traz o verbo criar no singular e o sujeito ELOHIM no plural. Na criação do

homem da unidade composta estava presente “E disse Deus: façamos o homem à

nossa imagem, conforme a nossa semelhança”. O filho criou todas as coisas João 1.1-3,

Colossenses 1.6, O Espírito Santo Jó 33.4, Salmos 104.30 e o Pai Provérbios 8.22.-30.
EVIDENCIAS NO NOVO TESTAMENTO

No Batismo de Jesus. Mateus 3.16-17

Na grande comissão. Mateus 28.19-20

Na benção apostólica. 2 Coríntios 13.13

DISTORÇÕES E CONSEQUÊNICAS

Ainda no primeiro século surgiram vários movimentos heréticos contra triunidade de

Deus, sendo as 3 principais escolhas:

MODALISMO
Também conhecido por sabelianismo, é a idéia de que o Pai, o Filho e o Espirito Santo,

não são 3 pessoas distintas – hipostaseis -, mas três modos diferentes da revelação ou

manifestação da única pessoa de Deus.

SUBORDINACIONISMO

Identifica Deus como o pai e subordinando o Filho e o Espírito Santo a Deus. Declaram

que Jesus é semelhante a Deus, jamais igual.

TRITEÍSMO

Afirma as 3 pessoas da trindade, mas são 3 substâncias independentes e autônomas. A

triunidade se transforma em 3 deuses.


ANOTAÇÕES