Você está na página 1de 16

Corrente e Resistência

Prof. Rafael Bento Serpa


Corrente Elétrica
• Em um circuito fechado feito de um material condutor, o
potencial elétrico é o mesmo em todos os pontos, portanto
o campo elétrico é zero.
• Quando é introduzida uma bateria no circuito, é produzida
uma diferença de potencial nos pontos do fio conectados
aos polos da bateria. Isso produz um campo elétrico,
fazendo com que cargas livres se movam ao longo do fio.
• Corrente elétrica é taxa de variação de carga em relação ao
tempo.
𝑑𝑞
𝑖=
𝑑𝑡
• Como a corrente que entra é a mesma que sai do fio, a
corrente é a mesma em todas as seções retas do fio,
independente do seu formato ao longo do seu
comprimento.
Corrente Elétrica
• Por convenção, a corrente elétrica sai do polo positivo (potencial maior) e retorna
pelo polo negativo (potencial menor), como se fosse um fluxo de cargas positivas.

• Esse sentido é contrário ao sentido do movimento dos elétrons, que saem do


polo negativo e retornam pelo polo positivo.
Corrente Elétrica
• Conservação de cargas: Devido à conservação de cargas, a
soma das correntes que saem de um nó, 𝑖1 + 𝑖2 , tem que ser
igual à corrente que entra no nó, 𝑖0 . Ou seja:
𝑖0 = 𝑖1 + 𝑖2
Isso é independente do formato do fio.
Teste 1 – A figura mostra parte de um circuito. Quais são o
valor absoluto e o sentido da corrente i no fio da extremidade
inferior direita?
Corrente Elétrica
Teste 2 – A figura mostra elétrons de condução que se movem para a esquerda em
um fio. Determine se o sentido das grandezas a seguir é para a esquerda ou para a
direita:
(a) Corrente 𝑖
(b) Densidade de corrente 𝐽
(c) Campo elétrico 𝐸
Densidade de corrente
• A corrente 𝑖 é uma grandeza escalar, porém a densidade A densidade de corrente
de corrente 𝐽Ԧ é uma grandeza vetorial, as duas estão pode ser representada por
linhas de corrente cujo
relacionadas da seguinte forma: espaçamento é
inversamente proporcional à
𝑖 = න 𝐽Ԧ ∙ 𝑑 𝐴Ԧ densidade de corrente.

onde 𝑑𝐴Ԧ é o elemento de área por onde passa um fluxo de


cargas.
• Se a densidade de corrente é constante ao longo de uma
área 𝐴 temos:
𝑖 = 𝐽𝐴
Densidade de corrente
𝑖 = 𝐽𝐴
Exemplo: O fusível de um circuito elétrico é um fio projetado para fundir, abrindo o
circuito, se a corrente ultrapassar um certo valor. Suponha que o material a ser
usado em um fusível funde quando a corrente ultrapassa uma densidade de
corrente 𝐽 = 440 𝐴/𝑐𝑚2 (𝐽 = 4,40 × 106 𝐴/𝑚2 ). Qual a área e o diâmetro do fio
que deve ser usado no fusível para limitar a corrente em 𝑖 = 0,5 𝐴?

Resp: 𝐴 = 1,14 × 10−7 𝑚2 , 𝐷 = 3,8 × 10−4 𝑚


Resistência e Resistividade
• Quando aplicamos uma diferença de potencial 𝑉 nas extremidades de barras de
mesmas dimensões, mas feitas de materiais diferentes, as correntes, 𝑖,
resultantes podem ser muito diferentes. A característica do material que
determina essa diferença é a resistência elétrica, 𝑅:
𝑉
𝑅= , (𝑑𝑒𝑓𝑖𝑛𝑖çã𝑜 𝑑𝑒 𝑟𝑒𝑠𝑖𝑠𝑡ê𝑛𝑐𝑖𝑎 𝑒𝑙é𝑡𝑟𝑖𝑐𝑎)
𝑖
• Podemos trabalhar em termos de resistividade de um material 𝜌, que independe
do seu formato. Assim, para um campo elétrico 𝐸, que resulta em uma densidade
de corrente 𝐽 em um material, temos:
𝐸
𝜌= , (𝑑𝑒𝑓𝑖𝑛𝑖çã𝑜 𝑑𝑒 𝑟𝑒𝑠𝑖𝑠𝑡𝑖𝑣𝑖𝑑𝑎𝑑𝑒)
𝐽
• A condutividade 𝜎 do material é dada por:
1
𝜎= , (𝑑𝑒𝑓𝑖𝑛𝑖çã𝑜 𝑑𝑒 𝑐𝑜𝑛𝑑𝑢𝑡𝑖𝑣𝑖𝑑𝑎𝑑𝑒)
𝜌
Resistência e Resistividade
• Portanto: a resistência é a propriedade de um componente e a resistividade é a
propriedade de um material.
• A resistência 𝑅 de um fio condutor de resistividade 𝜌, comprimento L e área de
seção reta A é dada por:
𝐿
𝑅=𝜌
𝐴
• A resistividade 𝜌 dos materiais varia com a temperatura 𝑇.
Resistência e Resistividade
𝑉 𝐿
𝑅= , 𝑅=𝜌
𝑖 𝐴
Teste 3 – A figura mostra três condutores cilíndricos de cobre com os respectivos
valores de comprimento e área da seção reta. Coloque os condutores em ordem da
corrente 𝑖 que os atravessa quando a mesma diferença de potencial 𝑉 é aplicada às
suas extremidades, começando pela maior.
Resistência e Resistividade
• Uma amostra de ferro em forma de paralelepípedo tem comprimento 1,2 𝑐𝑚 ×
1,2 𝑐𝑚 × 15 𝑐𝑚. Uma diferença de potencial é aplicada à amostra entre as faces
paralelas de tal forma que as faces são superfícies equipotenciais. Determine a
resistência da amostra se as faces paralelas forem as extremidades (a) quadradas
(1,2 𝑐𝑚 × 1,2 𝑐𝑚) ou (b) retangulares (1,2 𝑐𝑚 × 15 𝑐𝑚).
𝐿
𝑅=𝜌 , 𝜌𝑓𝑒𝑟𝑟𝑜 = 9,68 × 10−8 Ω ∙ 𝑚
𝐴

Resp: (a) 𝑅 = 100 𝜇Ω


(b) 𝑅 = 0,65 𝜇Ω
Lei de Ohm
• Ao se variar a tensão 𝑉 (diferença de potencial) nos
terminais de um dispositivo elétrico, observamos uma
variação na corrente medida.
• Para um dispositivo que obedece a Lei e Ohm, a
variação constante na tensão 𝑉 aplicada resulta em
uma variação constante na corrente 𝑖 medida.
1
𝑖= 𝑉
𝑅
• Para o dispositivo correspondente à curva 𝑐𝑜𝑟𝑟𝑒𝑛𝑡𝑒 ×
tensã𝑜 da última figura, a corrente não varia
linearmente com a tensão. Portanto, este dispositivo
não obedece à Lei de Ohm.
Lei de Ohm

1
𝑖 ∝ 𝑉, 𝑜𝑢 𝑖 = 𝑉
𝑅
Lei de Ohm
1
𝑖= 𝑉
𝑅
Teste 4 – A tabela mostra a corrente 𝑖 (em ampères) em dois componentes para
alguns valores de diferença de potencial V (em volts). Determine, a partir desses
dados, qual é o componente que não obedece à Lei de Ohm.
Potência em Circuitos Elétricos
Quando uma bateria B é conectada a um dispositivo elétrico
desconhecido, a diferença de potencial 𝑉 aplicada resulta em
uma corrente 𝑖 que atravessa o dispositivo. A potência
fornecida pela bateria será:
𝑃 = 𝑖𝑉
Potência é a taxa de transferência de energia elétrica.
[𝑃] = 𝑉 ∙ 𝐴 = 𝐽/𝑠 = 𝑊 (𝑤𝑎𝑡𝑡)
Quando o dispositivo elétrico é uma resistência 𝑅, temos:
2
𝑉
𝑃 = 𝑖2𝑅 =
𝑅
Potência em Circuitos Elétricos
Um pedaço de fio resistivo, feito de uma liga de níquel cromo e
ferro (Nichrome), tem uma resistência de 72 Ω. Determine a
potência dissipada 𝑃 nas seguintes situações:
(a) Uma diferença de potencial de 120 𝑉 é aplicada aos terminais
do fio.
(b) O fio é divido ao meio e uma diferença de potencial de 120 𝑉 é
aplicada aos terminais de uma das partes.
(c) Uma diferença de potencial de 120 𝑉 é aplicada às
extremidades das duas metades.
𝑉2 𝐿
𝑃= , 𝑅=𝜌
𝑅 𝐴
Resp: (a) 𝑃 = 200 𝑊
(b) 𝑃 = 400 𝑊
(c) 𝑃 = 800 𝑊