Você está na página 1de 76

R$ 15

P. 23 DOSSIÊ: O CENTENÁRIO
DA REVOLUÇÃO RUSSA
CIÊNCIA
PIRATA
85% DOS
EDIÇÃO
315
ESTUDOS SÃO PIRATEADOS

C A RG A TRIBUTÁ RI A FEDER A L A PROX . 4,65%


P.46 AGORA VAI! POLÍTICOS PAGAM
POR ESPÍRITOS DA CHUVA

SITESQUEOFERECEM

P. 54 O NEUROCIENTISTA QUE
CRIA MINICÉREBROS
ARTIGOSDEGRAÇAESTÃO
SENDOPROCESSADOS P. 64
edição de
ipad

A CIÊNCIA AJUDA VOCÊ A MUDAR O MUNDO DEIXAMOSDESER"TROUXAS"EFOMOSÀHOGWARTSDOBRASIL P. 7 OUT. 17

FASCISMO,
NEONAZISMO
E OUTROS
Imagem
meramente
ÓDIOS ONLINE
OEXTREMISTAMORANOCELULARAOLADO.
ilustrativa:
ele é só um SEGUNDOESTUDO,150MILBRASILEIROS
modelo CONSOMEMCONTEÚDOQUEPREGA
ADISCRIMINAÇÃODEMINORIAS.
COMOCOMBATERTANTAINTOLERÂNCIA?

P.34
“FOI COM OS CURSOS DO SUPER MEI
QUE EU APRENDI A FAZER PÃES.
HOJE VENDO PARA TODA A VIZINHANÇA.”

O Super MEI
está mudando a vida
dos microempreendedores
individuais.

• Melhore seus produtos


• Aprenda com os melhores profissionais
• Mais de 30 cursos
• Crédito com juro zero*

*Sujeito a aprovação
Marcos Sousa,
padeiro, Araraquara - SP

INSCREVA-SE JÁ
0800 570 0800
supermei.sebraesp.com.br

CURSOS GRÁTIS!

FORMALIZAÇÃO,
CAPACITAÇÃO E OPORTUNIDADE
PARA VOCÊ LUCRAR.
PRIMEIRAMENTE
WWW.GALILEU.GLOBO.COM
QUEM FEZ A CAPA

FOTO Tomás Arthuzzi


ASSISTÊNCIA Silas Aguiar
POR GIULIANA DE TOLEDO #315 10.2017 PRODUÇÃO Feu
MODELO Rodolfo Moura Sousa
MAQUIAGEM Cassia Avella

COLABORADORES DO MÊS

André
Bernardo

JORNALISTA
nantes é um exercício de civilidade
e aprendizado. A crítica nos ensina ONDE NASCEU E ONDE MORA
Rio de Janeiro (RJ)
muito, mesmo quando inicialmente
não concordamos com ela. HISTÓRICO
Colabora com a GALILEU há quase
Na verdade, o que dói ao ler é uma década, desde 2009. Atual-
aquilo que extrapola o que se pode mente, escreve também para veículos
chamar de dissonância ou crítica: como BBC Brasil, Vice, Superinte-
ressante, Mundo Estranho e Saúde.
incitações ao ódio, ofensas pessoais,
argumentos baseados em mentiras. O QUE FEZ NESTA EDIÇÃO
O extremista mora no celular
Ironicamente, são esses comentários ao lado (p. 34)
que nos acusam de fake news — é
preocupante notar que o problema
da pós-verdade tornou-se rapida-
mente um subterfúgio para negar fa-
tos quando não se concorda com eles. Fernando
TODO DIA UM
Diariamente respondemos a co- Silva
C O M E N TA R I S TA mentários passíveis de resposta e, JORNALISTA
em última instância, bloqueamos
PA S S A N D O ONDE NASCEU E ONDE MORA
usuários que não sabem manter um São Paulo (SP)
VERGONHA debate qualificado. Mas, desta vez,
HISTÓRICO
fomos além e trouxemos alguns co- Começou na profissão como trainee
mentários para cá. Reunimos amos- da Folha de S.Paulo. Já colaborou
tras com um pé (ou dois) no fascis- diversas vezes no próprio jornal
e em outras publicações, como
mo, no neonazismo, no extremismo GQ Brasil e Vice.
que lemos em notícias recentes e as
O QUE FEZ NESTA EDIÇÃO

!
publicamos com a reportagem de Quem salvará nosso fim de
capa (p. 34). Charlottesville não está semana? (p. 46)
Ninguém que gos- longe quando prestamos atenção.
N te de manter a paz Decidimos mais: queremos ir
EM REFORMA
Quem nos
de espírito deveria adiante nessa “caça” a comentários acompanha
ler muitos comen- que precisam ser notados para en- há tempos
tários na internet. tendermos os tempos que vivemos
vai perceber Otávio
Nós, jornalistas, porém, não temos
que algumas Silveira
— não para respondermos com a seções da
escolha. Primeiro, porque o im- mesma raiva de que estão carrega- revista, como ILUSTRADOR
pulso de querer ver a repercussão esta aqui, além
dos, mas porque é preciso enfrentar ONDE NASCEU E ONDE MORA
das colunas e
das notícias é natural da profissão. ignorância com informação. Franca (SP)
do Ultimato,
Segundo, porque precisamos res- Nasce, assim, a seção “Comentá- estão de cara
HISTÓRICO
ponder e moderar o que chega até nova. Sem
rios idiotas da semana”, compilação Formado em Artes, trabalhou em
mudar suas
nossos canais nas redes sociais. que publicaremos no nosso site e no agências de publicidade e é free-
identidades, o
Claro que uma boa parcela do lancer desde 2008. Ama máquinas
nosso app. Coragem e boa leitura! editor de arte
futuristas, guitarras, sinalização e
que nossos leitores escrevem nos Feu tornou as
robôs dos anos 1940 e 1950.
páginas mais
causa prazer imenso ao ler — conti-
fáceis para a O QUE FEZ NESTA EDIÇÃO
nuem assim, por favor! Mas o resto... Giuliana de Toledo — Editora-chefe leitura. Que tal? Ilustrações para a capa e a abertura
Conviver com pensamentos disso- gtoledo@edglobo.com.br da reportagem de capa (p. 34)
COMPOSIÇÃO
OUTUBRO DE 2017

ANTIMATÉRIA MATÉRIAS

P.13 ENTREVISTAMOS O CARA


DO MEME DOS ALIENS

P.15 COLUNA
CONEXÕES CÓSMICAS

P.17 QUEM FOI A DAMA DA


REFORMA PROTESTANTE

P.34 FASCISMO NA
INTERNET BRASILEIRA

P.07 FIM DE SEMANA NA P.46 A FUNDAÇÃO QUE


HOGWARTS BRASILEIRA PROMETE FAZER CHOVER

P.10 PROJETOS ECONÔMICOS P.54 ENTREVISTA


AMEAÇAM A AMAZÔNIA STEVENS REHEN
P.20 TECHTUDO
NOVA CÂMERA RETRÔ

P.58 ENSAIO
CLIQUES DE ASTRONAUTA
P.11 QUAL SERÁ O FUTURO
DA CIÊNCIA BRASILEIRA?
P.64 PIRATAS DA CIÊNCIA
NA MIRA DA JUSTIÇA

P.71 COLUNA
TUBO DE ENSAIOS
P.22 ELEMENTAR PAPO DE ET
O QUE VAI NO ENERGÉTICO Giorgio
Tsoukalos,
P.72 PANORÂMICA
da série

P.12 LUNETA P.23 DOSSIÊ


Alienígenas
do Passado,
ENTERROS NO ESPAÇO REVOLUÇÃO RUSSA esteve no Brasil P.74 ULTIMATO
DIRETOR GERAL: Frederic Zoghaib Kachar
DIRETOR EDITORIAL: Fernando Luna
DIRETOR DE AUDIÊNCIA: Luciano Touguinha de Castro
DIRETORA DE MERCADO ANUNCIANTE: Virginia Any CONSELHO A TEMPORADA
CHEGA AO FIM
POR NATHAN FERNANDES

DIRETORA DO GRUPO CASA E JARDIM, CRESCER, GALILEU E TECHTUDO: Daniela Tófoli


Enquanto nossos implacáveis conselheiros fazem um balanço do período em que
REDAÇÃO
EDITORA-CHEFE: Giuliana de Toledo
avaliaram a revista, você pode se inscrever para a quarta turma até o dia 9/10
EDITOR DE ARTE: Felipe Eugênio (Feu)
EDITORES: Nathan Fernandes e Thiago Tanji
REPÓRTERES: André Jorge de Oliveira e Isabela Moreira
DESIGNER: João Pedro Brito
ESTAGIÁRIOS: Giuliana Viggiano e Nathalia Fabro Mendes (texto);
Carol Malavolta (arte)
MELHOR CAPA
COLABORADORES DESTA EDIÇÃO: André Bernardo, Anna Kellen Bull, Carol Castro,
Débora Backes, Eduarda Endler, Fernando Silva, João Gabriel Balbi e Thássius Veloso
(texto); Cassia Avella, Estúdio Barca, Guilherme Henrique, Leandro Lassmar, Otávio HIV Novinha
Silveira, Paula Coelho, Rodolfo Moura Souza e Tomás Arthuzzi (arte);
Monique Murad Velloso (revisão)
E-MAIL DA REDAÇÃO: galileu@edglobo.com.br Escolho a capa do A melhor capa
HIV como uma para mim foi
das melhores pela “Essa novinha é
ESTRATÉGIA DIGITAL
COORDENADOR: Santiago Carrilho grandiosidade e só uma criança”.
DESENVOLVEDORES: Alexsandro Macedo, Fabio Marciano, Fernando Raatz, Fred Campos, visibilidade. Foi Julgamos o Orien-
Leandro Paixão, Marden Pasinato, Murilo Amendola, Thiago Previero e William Antunes
ótimo vê-la em te Médio, mas,
ESTRATÉGIA DE CONTEÚDO DIGITAL
GERENTE: Silvia Balieiro várias bancas, além vejam só, fazemos
da bravura de abrir igual ou pior, co-
MERCADO ANUNCIANTE
TECNOLOGIA, TI, TELECOM, ELETROELETRÔNICOS, COMÉRCIO E VAREJO — Diretor de Negócios
diálogo sobre um locando a mulher
Multiplataforma: Emiliano Morad Hansenn; Gerente de Negócios Multiplataforma: Ciro Horta assunto do qual desde criança
Hashimoto; Executivos Multiplataforma: Christian Lopes Hamburg, Cristiane de Barros Paggi Succi, ninguém quer como objeto
Jessica de Carvalho Dias e Roberto Loz Junior. BENS DE CONSUMO, ALIMENTOS E BEBIDAS, MODA
E BELEZA, ARQUITETURA E DECORAÇÃO — Diretora de Negócios Multiplataforma: Selma Souto;
falar. de consumo.
Executivos Multiplataforma: Eliana Lima Fagundes, Fátima Regina Ottaviani, Giovanna Sellan Perez,
Paula Santos Silva, Selma Teixeira da Costa e Soraya Mazerino Sobral. MOBILIDADE, SERVIÇOS CAIO MELO MARLON MICHEL NETO
PÚBLICOS E SOCIAIS, AGRONEGÓCIOS, INDÚSTRIA, SAÚDE, EDUCAÇÃO, TURISMO, CULTURA, (São Paulo, SP) (Santa Luzia, MG)
LAZER, ESPORTE — Diretor de Negócios Multiplataforma: Renato Augusto Cassis Siniscalco; Exe-
cutivos Multiplataforma: Cristiane Soares Nogueira, Diego Fabiano, João Carlos Meyer e Priscila

PIOR CAPA
Ferreira da Silva; Diretora de Negócios Multiplataforma: Sandra Regina de Melo Pepe; Executivos
Multiplataforma: Dominique Pietroni de Freitas e Lilian de Marche Noffs. FINANCEIRO, LEGAL,
IMOBILIÁRIO — Executivos Multiplataforma: Ana Silvia Costa e Milton Luiz Abrantes.
ESCRITÓRIOS REGIONAIS — Diretora de Negócios Multiplataforma: Luciana Menezes Pereira;

Meritocracia Astronomia
Gerente Multiplataforma: Larissa Ortiz; Executiva de Negócios Multiplataforma: Babila Garcia
Chagas Arantes. RIO DE JANEIRO — Gerente de Negócios Multiplataforma: Rogerio Pereira Ponce
de Leon; Executivos Multiplataforma: Daniela Nunes Lopes Chahim, Juliane Ribeiro Silva, Maria
Cristina Machado e Pedro Paulo Rios Vieira dos Santos. BRASÍLIA — Gerente Multiplataforma:
Barbara Costa Freitas Silva; Executivos Multiplataforma: Camila Amaral da Silva e Jorge Bicalho Felix
Junior. OPEC OFFLINE: Carlos Roberto de Sá, Douglas Costa e Bruno Granja. OPEC ONLINE: Danilo
Panzarini, Higor Daniel Chabes e Rodrigo Pecoschi. EGCN — Consultora de Marcas: Olivia Cipolla Gosto da repor- A pior foi “O
Bolonha. DESENVOLVIMENTO COMERCIAL E DIGITAL — Diretor de Desenvolvimento Comercial e
Digital: Tiago Joaquim Afonso. G.LAB: Caio Henrique Caprioli e Lucas Fernandes. EVENTOS: Daniela
tagem “O pobre Guia Básico
Valente. PORTFÓLIO E MERCADO: Rodrigo Girodo Andrade. PROJETOS ESPECIAIS: Luiz Claudio tem seu lugar…”, da Astronomia
dos Santos Faria e Guilherme Iegawa. mas acho que Amadora”. Como
AUDIÊNCIA a capa não a o tema não me
Diretor de Marketing Consumidor: Cristiano Augusto Soares Santos representou interessava
Diretor de Planejamento e Desenvolvimento Comercial: Ednei Zampese
Coordenadores de Marketing: Eduardo Roccato Almeida e Patricia Aparecida Fachetti muito bem, tanto muito, prati-
que precisou camente foi
de uma legenda uma matéria
para explicar. esquecível.
Galileu é uma publicação da EDITORA GLOBO S.A. — Av. Nove de Julho, 5.229, 8º andar,
CEP 01407-907, São Paulo/SP. Tel. (11) 3767-7000. Distribuidor exclusivo para todo o Brasil: CACÁ FILHO ITALLO SANTANA
(Petrolina, PE) (Paripiranga, BA)
Dinap — Distribuidora Nacional de Publicações. Impressão: Plural Indústria Gráfica Ltda. — Av. Marcos
Penteado de Ulhoa Rodrigues, 700, Tamboré, Santana de Parnaíba/SP, CEP 06543-001

ATENDIMENTO AO ASSINANTE
Disponível de segunda a sexta-feira, das 8 às 21 horas; sábados, das 8 às 15 horas.
INTERNET: www.sacglobo.com.br — SÃO PAULO: (11) 3362-2000
DEMAIS LOCALIDADES: 4003-9393 — FAX: (11) 3766-3755 POR QUE TODO MUNDO DEVERIA SE INSCREVER NO CONSELHO?
*Custo de ligação local. Serviço não disponível em todo o Brasil.
Para saber da disponibilidade do serviço em sua cidade, consulte sua operadora local. Veja o que responderam 23 dos fiéis escudeiros que já passaram pela experiência
PARA ANUNCIAR LIGUE: SP: (11) 3767-7700/3767-7500
RJ: (21) 3380-5924 E-MAIL: publigalileu@edglobo.com.br
PARA SE CORRESPONDER COM A REDAÇÃO: endereçar cartas à editora-chefe da
GALILEU. Caixa postal 66011, CEP 05315-999, São Paulo/SP. FAX: (11) 3767-7707
E-MAIL: galileu@edglobo.com.br
As cartas devem ser encaminhadas com assinatura, endereço e telefone do remetente. Porque a Porque Porque
GALILEU reserva-se o direito de selecioná-las e resumi-las para publicação. GALILEU é a
EDIÇÕES ANTERIORES: O pedido será atendido por meio do jornaleiro pelo preço da edição você conhece recebemos
atual desde que haja disponibilidade de estoque. Faça seu pedido na banca mais próxima. revista mais gente do revista de
legal do Brasil inteiro graça

13 7 3
Brasil
DESEJA FALAR COM A EDITORA GLOBO?
ATENDIMENTO
4003-9393
PARA ANUNCIAR
SP: (11) 3736-7128 l 3767-7447
NA INTERNET
www.assineglobo.com.br/sac
VOTOS VOTOS VOTOS
www.sacglobo.com.br 3767-7942 l 3767-7889 4003-9393
3736-7205 l 3767-7557
VENDAS CORPORATIVAS RJ: (21) 3380-5930 l 3380-5923 LICENCIAMENTO
E PARCERIAS BSB: (61) 3316-9584 DE CONTEÚDO
(11) 3767-7226
parcerias@edglobo.com.br
(11) 3767-7005
venda_conteudo@edglobo.com.br
Please come to GALILEU
EDIÇÕES ANTERIORES ASSINATURAS
O pedido será atendido por meio do jornaleiro ao preço da 4003-9393
edição atual desde que haja disponibilidade de estoque. www.sacglobo.com.br Se você gosta da GALILEU, tem opinião e quer expressá-la, é com
Faça seu pedido na banca mais próxima.
você mesmo que a gente está falando. Faça parte da quarta turma do
Para se corresponder com a Redação: endereçar cartas à editora-chefe, GALILEU.
Caixa postal 66011, CEP 05315-999, São Paulo/SP. FAX: (11) 3767-7707 Conselho GALILEU, um grupo de leitores especialmente selecionados
para avaliar nossas edições e debater os temas abordados na revista
O Bureau Veritas Certification, com base nos processos e procedimentos descritos no seu Relatório de e no site. Para entender melhor como funciona a revista e ficar mais
Verificação, adotando um nível de confiança razoável, declara que o Inventário
de Gases de Efeito Estufa — Ano 2012 da Editora Globo S.A. é preciso, confiável e livre de perto da redação, é só acessar o link e preencher a ficha com carinho.
erro ou distorção e é uma representação equitativa dos dados e informações de GEE sobre

BIT.LY/CONSELHOGALILEU
o período de referência para o escopo definido; foi elaborado em conformidade com a
NBR ISO 14064-1:2007 e as Especificações do Programa Brasileiro GHG Protocol.
07

ANTI-
MATÉ-
RIA
FATOS • FEITOS • NÚMEROS • NOTAS • NOTÁVEIS

A repórter Isabela Moreira


passou um fim de semana na
escola brasileira que reproduz
o universo de Harry Potter
Fig. LL

EDIÇÃO ILUSTRADORES CONVIDADOS

10.2017 THIAGO TANJI


DESIGN
FEU
1
2
LEANDRO LASSMAR (LL)
ESTÚDIO BARCA (EB)
08

BRUXARIA À
BRASILEIRA
ESCOLA EM CASTELO DE
CAMPOS DO JORDÃO
Os fãs que devoraram os livros da série Harry Potter,
de J. K. Rowling, compartilham um sonho: o de rece-
ber, aos 11 anos, uma carta que os convidaria a estu-
*A repórter viajou a convite da organização do evento

OFERECE EXPERIÊNCIA dar na Escola de Magia e Bruxaria Hogwarts. Para al-


guns brasileiros, a cartinha se atrasou um pouquinho
IMERSIVA NO UNIVERSO — no caso desta repórter, foram 13 anos de espera.

DE HARRY POTTER E Enfim, o convite chegou. Em vez de ser entregue por


uma coruja, veio por e-mail. O remetente é a Escola NOVA CHANCE
ENCANTA “TROUXAS” de Magia e Bruxaria do Brasil (EMB), que desde 2015
As matrículas
de 2018 já estão

DO PAÍS INTEIRO oferece imersões — ao preço de R$ 2.650 — que tra-


duzem para a cultura brasileira a experiência de pas-
abertas pelo
site da escola;
há datas
sar um fim de semana em um ambiente mágico. para janeiro
A minha aventura começou no final de tarde da úl- e agosto
POR ISABELA MOREIRA* tima sexta-feira de agosto, na rodoviária da cidade de
09

Campos do Jordão, em São Paulo. Com APÓS 20 ANOS DO LANÇAMENTO DE de efeitos especiais: aqui, os jogadores
a empolgação de crianças e adultos vin- HARRY POTTER E A PEDRA FILOSOFAL: seguram uma vassoura de brinquedo em
dos de diferentes partes do Brasil, o local uma das mãos enquanto buscam os bala-
se transforma na plataforma 9 ¾, pon- ços (tudo em terra firme, claro). Na me-
to de partida do Expresso Hogwarts nos tade do jogo, uma nova pessoa, vestida
livros. O destino da viagem é o Castelo de preto, entra em campo com um saqui-
Nacional Inn, hotel que hospeda a versão nho, equivalente ao pomo de ouro, preso
brasileira da escola de bruxaria. à cintura. Vence a equipe cujo apanha-
No castelo, os alunos são recepciona- dor consegue arrancar o objeto primeiro.
de cópias dos
dos por um simpático elfo (no caso, um A simplicidade, porém, não desanima.
humano retocado com muita maquiagem) Enquanto a competição acontece, as torci-
e pelos professores (no caso, atores e fãs das vibram em alto e bom som. Cada uma
de RPG) que darão aulas ao longo do fim delas tem líderes, que agitam os velhos e
de semana. Em seguida, são direcionados novos hinos das Casas. Os Esquilos, por
aos seus aposentos. Enquanto exploram exemplo, entoam referências do mundo
o castelo e seus arredores, os aspiran- bruxo: “Cerveja! Cerveja! Cerveja aman-
da saga foram vendidos
tes a bruxos se familiarizam com o cro- em todo o mundo. teigada! Os Esquilos vão ganhar mais uma
nograma, abarrotado de compromissos, taça de lavada!”. Apesar da promessa na
A obra foi traduzida em
das classes até um baile de formatura. música, perdemos. Venceram os Tigres.
O estudante escolhe previamente a Casa
que deseja representar. Em Hogwarts, por AMEAÇA NO BRASIL
exemplo, os alunos da Grifinória são co- A disciplina de História Mágica ressal-
rajosos; os da Sonserina, ambiciosos; os ta o que teria sido o principal aconteci-
da Lufa-Lufa, gentis; e os da Corvinal, in- mento da história da bruxaria brasileira:
teligentes. Como a EMB não pode usar a guerra de 1998. A apostila conta o caso
os nomes tradicionais por motivos de di- Filmes, livros e outros produtos da Brigada dos Amaldiçoados, uma tur-
relacionados a Harry Potter
reitos autorais, aqui eles viraram Tigres, ma de estudantes da Casa das Serpentes
já venderam
Serpentes, Esquilos — casa em que entrei que, sob influência maligna, realizou di-
— e Águias, respectivamente. versos ataques a bruxos mestiços, dan-
do início ao combate — nas histórias de
DA TEORIA À PRÁTICA Rowling, os mestiços são filhos de um
Assim como Hogwarts, a Escola de Magia bruxo com um “trouxa”, nome dado às
e Bruxaria do Brasil leva a sério a disci- pessoas que não têm poderes mágicos.
plina. Os alunos são instruídos a ser mui- De acordo com os registros, as forças
to respeitosos com os professores, que do bem venceram, mas a um alto custo.
têm autoridade para dar e tirar pontos O problema é que dois bruxos que luta-
Fontes: Statistic Brain e Scholastic
por comportamento. Também é necessá- ram do lado do mal, Alma Damas e Hec-
rio chegar com antecedência às refeições tor Saião, atualmente são professores de
e aulas, além, é claro, de usar as capas e Lockhart, do livro Harry Potter e a Adivinhação e Defesa Antitrevas na EMB.
carregar as varinhas durante todo o tempo. Câmara Secreta. Já Hector Saião, pro- Em algumas aulas, outros mestres deixam
As manhãs de sábado e domingo são fessor de Defesa Antitrevas, é uma ver- clara sua antipatia em relação à dupla.
dedicadas aos estudos: por dia, são são mais carismática de Alastor “Olho- Durante o ano letivo de 2017, a relíquia
quatro aulas de 40 minutos cada uma. -Tonto” Moody, que aparece pela primei- que libera o poder maligno e foi responsá-
Os alunos do primeiro ano estudam te- ra vez em Harry Potter e o Cálice de Fogo. vel pela guerra desapareceu, causando co-
mas como Feitiçaria, Defesa Antitrevas, À sua maneira, cada um deles segue o moção no castelo e guiando as atividades
Astromagia, Adivinhação, Cuidado dos conteúdo de uma apostila que contém que ocorrem ao longo do fim de semana.
Animais Mágicos, Herbologia, História técnicas de magia, receitas de poções e Nós, estudantes de bruxaria, precisamos
Mágica, Poções e Elixires e Voo. ensinamentos sobre leitura de tarô. utilizar aquilo que aprendemos (com uma
A personalidade dos professores em As atividades extracurriculares tam- boa dose de imaginação) para dar um fim
sala é inspirada nas características dos bém são importantes na EMB. A princi- à ameaça. Como tudo acabou? Me des-
mestres da obra de Rowling. O profes- pal delas é o Torneio de Quadribola, no culpem. O final não é apropriado para ser
sor de Feitiçaria, por exemplo, se cha- qual as equipes das Casas competem en- lido por “trouxas”. Malfeito feito.
ma Levi Datto e tem o mesmo char- tre si. O jogo é um tanto menos glamou-
me e convencimento de Gilderoy roso do que o mostrado nos filmes, cheio Veja fotos da escola no site da GALILEU bit.ly/HogwartsBR
10

O C SOB AMEAÇA
E
A O avanço das atividades
N
VENEZUELA O de exploração econômica
GUIANA
Amazônia no Brasil

A
T
GUIANA Tribos isoladas
SURINAME FRANCESA

L
Renca (Reserva Nacional de Cobre e Associados)

Â
N
Desmatamento
T
I Exploração de gás e óleo
Boa Vista Macapá C
O Fonte: Antenor Vaz

Rio
N zonas
eg
ro Manaus io Ama Belém
R

São Luís
Santarém
Xingu

Fortaleza
Teresina
Rio

s
ti n

Natal
o ca n
oT

Porto Velho PROTEGIDO?


Ri

Sem fiscalização,
Recife
as unidades de
isco conservação
an c Maceió
Fr sofrem com o
o
garimpo ilegal e
Sã o avanço do
Rio

BOLÍVIA desmatamento

LIVRE realizam atividades de mineração


— criada em 1984, a reserva condi-
de impactos socioambentais por-
que, especialmente em regiões da

MERCADO
ciona a exploração dos recursos Amazônia, observamos a ausência
minerais da região à Companhia de fiscalização do Estado”, afirma
de Pesquisa de Recursos Minerais o professor Bruno Milanez, do De-

AMAZÔNICO
(CPRM), ligada ao governo fede- partamento de Engenharia de Pro-
ral. Apesar da justificativa de que dução e Mecânica da Universidade
a extinção da Renca ajudaria no Federal de Juiz de Fora (UFJF).
combate à mineração ilegal, a As atividades de exploração não
Quais são os interesses
pressão de diferentes setores da afetam apenas o equilíbrio ambien-
que estão em jogo com
sociedade obrigou o governo a tal da região. Em setembro, o Minis-
as propostas de extinguir
recuar — a Justiça do Amapá de- tério Público Federal iniciou uma
unidades de preser-
clarou que a decisão promulgada investigação após receber denún-
vação na Amazônia?
por Temer era inconstitucional. cia de que um grupo de garimpeiros
POR THIAGO TANJI O episódio é apenas mais um ilegais teria cometido um massacre
capítulo da queda de braço entre contra indígenas que vivem isola-
O governo federal acrescentou setores políticos e empresariais e dos no Vale do Javari, no oeste do
uma pitada de gasolina no incên- os movimentos ambientalistas: estado do Amazonas. O pedido de
dio político que toma Brasília: em no final de agosto, o Congresso abertura de investigação foi feito
agosto, decreto publicado pelo Federal vetou medida provisória pela Fundação Nacional do Índio
presidente Michel Temer extinguiu que reduzia a proteção ambien- (Funai), depois de obter relatos de
a Reserva Nacional de Cobre e As- tal da Floresta do Jamanxim, no que ao menos dez pessoas teriam
sociados (Renca), área de 47 mil Pará. A região era de interesse sido assassinadas. Caso o crime
quilômetros quadrados localizada para atividades de exploração de seja confirmado, esse será um
entre o Amapá e o Pará. A região, madeira e de mineradoras. “Gran- dos piores massacres cometidos
que tem o tamanho do estado do des projetos econômicos, como a contra indígenas nas últimas dé-
Espírito Santo, ficaria livre para construção de barragens ou explo- cadas — em 1993, 16 ianomâmis
ser explorada por empresas que ração mineral, são acompanhados foram mortos em Roraima.
11

Ciência sem
AINDA HÁ
ESPERANÇA

horizontes
Nem tudo são más notícias:
brasileiros brilham em
competições científicas e
formam jovens pesquisadores

POR T. T.

Cortes de investimentos para


EXPECTATIVA X REALIDADE
apoiar projetos científicos e falta
Com cortes de investimentos, governo
de verbas para as universidades
federal repassa menos dinheiro ao CNPq
travam a pesquisa brasileira
Repasse do Recursos para bolsas
governo federal no exterior Com quatro medalhas con-
POR T. T. quistadas, o Brasil ficou em
Previsto Realizado
R$ 13,6 mi primeiro lugar na Olimpíada de
política de congelamento de R$ 728 mi R$ 808,1 mi Matemática da Comunidade de

A
investimentos chegou à edu- Países de Língua Portuguesa
cação superior: parecer téc- R$ 1,3 bi (CPLP). A disputa aconteceu na
nico divulgado pelo Tesouro cidade do Porto, em Portugal,
Nacional no início de setembro recomen- 2014 2016 e reuniu jovens do Ensino
dava que o estado do Rio de Janeiro priva- Fonte: CNPq Fundamental e Ensino Médio.
tizasse as universidades públicas estaduais
para ajudar nas metas de equilíbrio fiscal
propostas pelo Ministério da Fazenda —
em ranking publicado pela revista britâni-
ca Times Higher Education, a Universidade
Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) foi con-
siderada a 13ª melhor instituição do país.
A crise das universidades fluminen- O Google anunciou os projetos
ses é uma realidade que se estende aos vencedores do Latin American
demais órgãos brasileiros. Ligado ao Research Awards (Lara) 2017.
governo federal, o Conselho Nacional Foram selecionadas 27 inicia-
de Desenvolvimento Científico e tivas, das quais 17 são brasi-
Tecnológico (CNPq) sofreu cortes de ver- leiras. Aproximadamente R$ 2
bas de 44% neste ano e corre o risco de milhões serão distribuídos para
não conseguir financiar projetos para o desenvolver pesquisas na área
final de 2017 — o governo afirma que os da ciência da computação.
compromissos serão honrados.
Para Ildeu de Castro Moreira, pre-
sidente da Sociedade Brasileira para o
Progresso da Ciência (SBPC), a retira-
da de investimentos impede que o país
encontre caminhos para superar a crise
Fig. EB
econômica e social. “Estamos caminhan-
do para trás: ao desmontar o investimen- O Ceará foi o estado brasileiro
to público na ciência, o sistema todo fica que emplacou mais finalistas
abalado”, destaca. Em outubro, a SBPC e na nona edição da Olimpíada de
outras entidades vão realizar um ato no História do Brasil, organizada
Congresso Nacional para solicitar mais pela Universidade Estadual de
recursos para a ciência. Contra os cor- Campinas (Unicamp). Foram
tes de investimentos, a terceira edição da 119 equipes participantes e 26
Marcha Pela Ciência ocorrerá no dia 8 de medalhas. O concurso contou
outubro na cidade de São Paulo. Fig. LL com mais de 48 mil inscritos.
12

Os funerais econômicos logo queimam na

LU- atmosfera, já os orbitais ficam anos no espaço.

NE-
No primeiro voo, missão Founders, estavam as
cinzas de Timothy Leary, ícone dos estudos com

TA
LSD na década de 1960. Reportagem do Wa-
shington Post daquele ano, 1997, relata como a
ideia de virar estrela cadente o empolgara em
O ESPAÇO É LOGO ALI vida: fez com que pulasse na cadeira de rodas.
POR ANDRÉ JORGE DE OLIVEIRA “Finalmente, vou ser a luz! Todos vão saber!”
Eugene Shoemaker, astrônomo que treinou
os astronautas da Apollo, era frustrado. “Não
ter ido à Lua e batido nela com meu martelo
é minha maior decepção.” Em 1998, um ano

ENTERRE-ME após morrer, tornou-se o primeiro humano


enterrado lá, de carona numa sonda da Nasa.
Agora, a Celestis planeja um segundo funeral

FORA DA TERRA
Empresa pioneira em lançar cinzas
lunar, a missão Luna 02, com a Moon Express,
startup que deseja o prêmio de US$ 30 milhões
do Google à primeira empresa a pousar na Lua.
Mas a grande aposta são os velórios no
humanas ao espaço se prepara para espaço profundo, missões que viajarão para
voltar à Lua após 20 anos — e quer sempre pela galáxia. A primeira do gênero,
levar DNA humano ainda mais longe não à toa batizada de Voyager (Viajante, em
inglês), está prevista para o final de 2018.
“Somos todos feitos de estrelas — e para as
estrelas devemos retornar”, diz Chafer.
Uma viagem cósmica após a morte? Mais de
VELÓRIOS CÓSMICOS
mil famílias optaram por levar os restos de
Com 14 lançamentos desde 1997, Celestis tem
seus entes queridos para o espaço, trocando
mais cinco missões para os próximos dois anos ENTERROS ILUSTRES
velórios fúnebres pela chance de presenciar
um lançamento de foguete. Elas contrataram MISSÕES REALIZADAS PREÇO
a Celestis, empresa pioneira em funerais es- Suborbitais 7 US$ 1.295
paciais, que lança bem longe uma pitada das
Orbitais 6 US$ 4.995
cinzas dos parentes falecidos. De acordo com GENE E MAJEL TIMOTHY MARETA
Charles Chafer, fundador e CEO da companhia, Lunares 1 US$ 12.500 RODDENBERRY LEARY WEST
a celebração é a melhor homenagem àqueles Espaço profundo 0 US$ 12.500 Voyager Founders Luna 02
que passaram a vida suspirando pelas estrelas. O criador de Professor de Geóloga
“Para os clientes que sempre quiseram viajar Próxima missão: 15.11.2017 Status: lotada Star Trek e sua Harvard, pioneira da
pelo espaço, é a realização de um sonho”, ele esposa, que fez defendia o LSD Nasa, cravou o
Mais de 1.200 pessoas de 25 nações já a voz da nave e virou guru da local de pouso
afirma. Desde 1994, foram 14 missões, com
tiveram suas cinzas lançadas ao espaço Enterprise contracultura da Apollo 11
preços entre R$ 4 mil e R$ 39 mil (veja ao lado).

O INÍCIO DE UMA ERA PEQUENO NOTÁVEL 21 DIAS QUE ABALARAM O MUNDO


URSS lançava primeiro satélite da história há Estrutura do Sputnik 1 era simples Missão durou até 26 de outubro de 1957
60 anos — com tamanho de bola de basquete,
Peso 83 kg Diâmetro 58 cm Órbita Velocidade
Sputnik mudou o mundo para sempre 96 min 29 mil km/h
escudo térmico

ventilador
Em 4 de outubro de 1957, soviéticos punham
baterias
em órbita o primeiro satélite artificial. Logo
ele emitiria seu beep beep displicente bem radiotransmissores Altitude
939 km
antenas
em cima das cabeças ianques. Em pânico, os
Total de órbitas
EUA entraram com tudo na corrida espacial. Fim 4/1/1958 Tempo no espaço 92 dias 1.440
13

AGENDA
Meu nome Outubro de 2017

não é meme d

1
s

2
t

3
q

4
q

5
s

6
s

8 9 10 11 12 13 14

15 16 17 18 19 20 21

22 23 24 25 26 27 28
Giorgio Tsoukalos, da série Alienígenas do Passado,
diz não dar a mínima para micróbios extraterrestres. 29 30 31 - - - -
E reclama: “Tenho outros interesses além de aliens”

VÊNUS E MARTE EM UM
5
CASO DE AMOR MATINAL
enos de dez minutos fizeram COMO RESPONDE A PESSOAS QUE ROTULAM Depois de dias de cortejo no céu, os

M
os 710 ingressos do evento SUAS CRENÇAS COMO ANTICIENTÍFICAS? dois planetas entram em conjunção,
com Giorgio Tsoukalos no Não há nada que eu possa fazer, elas têm de a 0,2 grau um do outro. Surgem no
Brasil evaporarem. Depois de estar prontas para explorar essas ideias. Leste por volta de 5h e logo são ofus-
virar meme e dominar a internet, o ufólogo E mesmo que eu coloque um alien no colo cados pelo clarão do Sol nascente.
veio para cá pela primeira vez no final de dos céticos, eles continuariam dizendo que
agosto para promover a décima temporada é falso, por isso não discuto mais, mesmo
da série Alienígenas do Passado, do canal quando há toda essa evidência sugerindo que
History, que o revelou ao mundo. Criticado eles já estiveram aqui. Aprecio e apoio outras ONU BOTAVA ORDEM
10
pelas alegações controversas, usa o visual pesquisas, mas a nossa está muito à frente. NO ESPAÇO HÁ 50 ANOS
excêntrico para tornar pop a ideia fajuta de Em 1967, entrava em vigor o Tratado
que ETs ajudaram civilizações do passa- A NASA PREVÊ DESCOBERTA DE VIDA ALIENÍGENA do Espaço Exterior, após dez anos de
do — a hipótese dos antigos astronautas. EM UMA DÉCADA. QUAIS SERÃO OS IMPACTOS? atividades espaciais. É referência até
Tsoukalos falou à GALILEU sobre seus Acho que vai ser magnífico, mas temos de nos hoje, com 107 signatários, mas preci-
conflitos com a ciência e criticou méto- perguntar: a que tipo de vida eles estão se sa ser atualizado em vários pontos.
dos usados para buscar vida alienígena. referindo, bacteriana ou inteligente?

QUAIS SÃO SEUS INTERESSES ALÉM DE… ALIENS? PROVAVELMENTE VIDA MICROBIANA…
Às vezes, posto sobre um filme, uma ideia Exato, e eu não estou nem aí para esse tipo PEDACINHOS DO COMETA
22
política ou uma comida. E me dizem: “Atenha-se de vida. O que me interessa é vida inteligente, HALLEY SURGEM EM ÓRION
aos aliens”. Me desculpem, mas tenho outros como você e eu. Mesmo que hoje muitos Pico das Orionídeas, chuva de me-
interesses na vida. Há uma diferença entre o cientistas concordem que não estamos sozinhos, teoros originários do cometa Halley.
meme e eu: nunca disse que tudo foi construído eles ainda dizem: “OK, eles podem estar lá fora, A partir de 0h, até 15 estrelas caden-
por aliens. Fomos nós, humanos, que fizemos as mas nunca estiveram aqui”. E isso vai mudar nos tes surgem por hora na constelação
pirâmides — com a ajuda dos extraterrestres. próximos 30 anos — é minha previsão. de Órion, abaixo das Três Marias.

Nas duas Voyagers, há estudando partículas e raios


SEM R:
três geradores que cósmicos do meio interestelar.
DÚVIDA produzem eletricidade a partir Técnicos da missão esperam
LUNETA
da radioatividade do plutônio. que ao menos um instrumento
LIVE SEXTAS, ÀS 17H,

Existe previsão
NA FANPAGE DA GALILEU
Mas, por ano, as sondas opere até 2025. Mas uma ou
de quando o perdem 4 watts. Quando foram outra medição poderá ser feita As notícias espaciais e os principais
combustível nuclear lançadas, em 1977, contavam até por volta de 2036. Daqui a eventos da semana aprofundados
das Voyagers com 470 W; hoje, dispõem de 40 mil anos, as irmãs passearão
em transmissão ao vivo no Facebook.
Assista e capriche nas perguntas:
vai se esgotar? quase a metade. É por isso que, em silêncio a 1,7 ano-luz de duas elas podem ser publicadas na revista.

Marcelo Alves Fávaro, dos dez instrumentos da Voya- estrelas. Será que alguém irá
via Facebook Live ger 1, só quatro estão ligados, interceptar os discos dourados?
Se m e s c rú p u l o s . I r re s is t ív el .
Sedutora. o d a s q u e v o c ê j á viu !
Uma vilã diferen t e d e t
nightly está
A vida de Alvie K
quebrada, sem
um caos: ela está
ig o s e in fe li z . E x atamente o
am
o d e su a g ê m e a idêntica, a
opost
casou-se com um
perfeita Beth, que
li a n o a tr a e n te e podre de rico e
ita
fo i a fa v o ri ta d a família.
sempre
itida e expulsa
Depois de ser dem
a p a rt a m e n to , A lvie viaja à
do
e chega, Beth
Sicília e, assim qu
e lugar com ela
pede para trocar d
r a p e n a s a lg u m a s horas para
po
ara si. Mas
ter um tempo só p
édia acontece,
quando uma trag
ie p e rc e b e q u e e sta é a chance
Alv
a. Sedutora,
de mudar sua vid
escrúpulos, ela
sem pudores nem
ip u la to d o s q u e estão ao seu
ma n
em se põe em
redor e desafia qu
u ca m in h o . E la é louca, má,
se
stível.
perigosa — e irresi

EM E-BOOK
NAS LIVRARIAS E

om.br
www.globolivros.c
CONEXÕES CÓSMICAS
POR ADILSON DE OLIVEIRA*
15

Mas o céu não foi o limite. Como Íca-


ro, sonhamos voar mais alto, alcançar
as estrelas. Para isso, aprendemos a

VAMOS ALÉM
voar de uma forma diferente. No es-
paço, não existe atmosfera que dê sus-
tentação ao voo e é necessário outro

DO SONHO
princípio físico: o da ação e reação.
Espaçonaves e foguetes carregam
uma grande quantidade de combus-

DE ÍCARO
tível, normalmente uma mistura de
hidrogênio e oxigênio líquido, que
reagem na forma de uma explosão e
são expulsos em alta velocidade. Como
Por séculos, o homem tentou realizar o sonho de voar. resultado desse processo, o foguete é
E voou tão longe que alcançou a Lua. Agora, a nova acelerado no sentido oposto. Quando
obsessão é ultrapassar os limites do Sistema Solar todo o combustível é consumido, a
parte que o carregava é descartada,
dando um impulso extra. Dessa for-
ma, conseguimos chegar à Lua. Mas,
há mais de 40 anos, não voltamos lá.
Viajar e conhecer o disso, quando voamos mais alto, a Realizar viagens tripuladas para
V mundo é algo que temperatura não aumenta, como outros planetas do Sistema Solar
quase todos dese- imaginado por Dédalo; ao contrário, ainda é um grande desafio, que talvez
jam. Afinal, ir para diminui, pois a densidade do ar fica leve algumas décadas para ser supe-
outros países, en- menor. Em um voo comercial a 10 km rado. Contudo, já enviamos nossos
trar em contato com outras línguas e de altura, a temperatura externa da emissários robóticos a todos os can-
culturas é algo fascinante. O tempo aeronave é na ordem de -60°C. tos do Sistema Solar. Para isso, nos
das viagens diminuiu muito devido Ao longo da história, o homem fez inspiramos nos antigos navegadores,
aos avanços dos meios de transporte. várias tentativas para voar. O italiano que buscavam as melhores correntes
Trens alcançam mais de 400 km/h flu- Leonardo da Vinci projetou inúmeras marítimas e ventos. Agora, escolhe-
tuando magneticamente sobre trilhos, máquinas, mas não havia tecnologia mos as melhores rotas gravitacionais,
e aviões voam a quase 1.000 km/h. Há disponível na época para produzi- que atraem nossas naus celestes, le-
cem anos, uma viagem entre o Brasil e -las. Com o desenvolvimento de ba- vando-as para terras distantes.
o Japão levava quase dois meses por lões de ar quente, no século 18, até O caminho passa por planetas que
via marítima; hoje é feita em pouco o feito histórico do brasileiro Alberto têm gravidade suficiente para acelerar
mais de um dia em transporte aéreo. Santos Dumont — em 23 de outubro as sondas, para que atinjam grandes
O sonho de voar é antigo. O mito do de 1906, quando ocorreu o primeiro distâncias. Desse modo, visitamos to-
voo de Dédalo e seu filho Ícaro é um voo completo, sem auxílio externo, de Viagens dos os planetas vizinhos. E algumas
exemplo. Conta a lenda que Dédalo um aparelho mais pesado que o ar, o tripuladas sondas já viajam até para fora do Sis-
construiu asas com penas de pássa- 14-Bis —, os aviões se tornaram reali- para tema Solar, em busca do grande ocea-
ros coladas com cera, para que eles
fugissem do labirinto do Minotauro,
dade e passaram a ficar cada vez mais
velozes. Algumas aeronaves militares
outros no cósmico. Assim, de alguma maneira,
já realizamos o sonho de Ícaro.
onde estavam presos. Dédalo reco- podem atingir até 7.000 km/h. planetas
mendou ao filho que não voasse nem Como algo que pesa centenas de são um
muito alto (o calor do Sol derreteria a toneladas pode voar? O voo das ae- grande
cera) nem muito baixo (a umidade do
mar tornaria as asas pesadas). Con-
ronaves é explicado pelo princípio
de Bernoulli, segundo o qual a maior
desafio.
tudo, Ícaro não seguiu esse conselho velocidade do fluxo de ar na parte su- Talvez
e voou alto. A cera derreteu. Sem as perior das asas provoca uma pressão levemos
asas, caiu no mar e morreu afogado. menor. Como consequência, a diferen- algumas
Voar como Ícaro é impossível, pois
nenhum ser humano tem força física
ça de pressão sobre o aerofólio, em
função das diferentes velocidades do
décadas * ADILSON DE OLIVEIRA é professor de Física da
Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)

suficiente para levantar seu peso ba- fluxo do ar em cima e embaixo dele, para e fundador do Laboratório Aberto de Interativi-

superá-lo
dade (LAbI), voltado ao desenvolvimento
tendo as asas como um pássaro. Além gera a força de sustentação. de metodologias para divulgação científica.
16

Fig. EB

NOTÁVEIS

VOZ E VEZ
INDÍGENA
Djuena Tikuna é a primeira
mulher indígena a lançar
disco no Teatro Amazonas

POR NATHALIA FABRO

Uma cena inédita nos 121 anos


do Teatro Amazonas, localizado
na cidade de Manaus: no final
de agosto, mais de 800 pessoas
estiveram presentes no show de
Djuena Tikuna, a primeira mulher
indígena a protagonizar um espe-
táculo musical no teatro, no lan-
Fig. LL
çamento do álbum Tchautchiane.
O nome Djuena significa “a onça

WIKI
que pula no rio”. Ela nasceu na editores da Wikipédia são mu-
Aldeia Umariaçu II, da etnia lheres, segundo levantamento de
Tikuna — daí o sobrenome —, 2011, o mais recente sobre esse

HOMEM?
no município de Tabatinga (AM). tema. Pior: transgêneros produ-
Até os 10 de anos de idade, zem menos de 1% dos artigos.
falava apenas a língua tikuna. Um estudo da Universidade de
A cantora se mudou ainda Por maior diversidade, Minnesota, nos Estados Unidos,
criança para Manaus, cidade mulheres organizam mostra que o resultado dessa
onde cresceu e estudou. Mas a maratonas de edição pouca diversidade é refletido nos
paixão pela música nasceu em da enciclopédia online artigos do site. Tópicos geralmen-
sua aldeia. “Quando o bebê está te ligados ao sexo feminino são
na barriga as mães já cantam. POR GIULIANA mais curtos e superficiais. Além
Toda hora tem o canto tikuna: VIGGIANO disso, textos sobre artistas mu-
canção de ninar, de rituais e lheres, por exemplo, estão menos
até com adaptações de estilos, A discussão sobre sexismo voltou presentes na enciclopédia online.
como cúmbia e reggaeton”, diz. à pauta das empresas de tecno- Por isso, grupos feministas
“A música entrou na minha logia recentemente, após um en- como o Art+Feminism estão
vida como uma força para lutar genheiro do Google apresentar desenvolvendo projetos para
pelos povos indígenas.” Ativista, uma carta argumentando que a diversificar a produção. Só nos
Djuena apoia a demarcação das ausência de mulheres nos altos últimos três anos, a organização
terras indígenas e combate o cargos de tecnologia ocorre por realizou mais de 280 eventos que
preconceito contra os povos “diferenças biológicas” entre os se- oferecem oficinas e estimulam a
tradicionais. “É uma forma que xos. No Google, apenas 25% dos edição dos artigos, com foco em
tenho de encarar a sociedade cargos de liderança são ocupados “todos aqueles que estiverem
não indígena”, afirma. “Temos por pessoas do sexo feminino. interessados”. A proposta está
de valorizar nossa cultura e Essa realidade, porém, não se dando certo: neste ano, cerca de
fazer as pessoas não indígenas aplica só à gigante de tecnologia. 6,5 mil textos foram incluídos no
respeitarem nossos rios, terras Dados da Wikimedia Foundation site por pessoas que participaram
e florestas. Elas são sagradas.” indicam que somente 8,5% dos dos cursos, quase o dobro de 2016.
17

Catarina, a dama da
Reforma Protestante
Historiadora revela detalhes da escrevia coisas relevantes sobre a fé desde
história de Catarina von Bora, pelo menos 1515. Em 1517, ele pregou as
ex-freira alemã que se casou com teses; e em 1521, precisava se casar. Lutero
Martinho Lutero e o ajudou a poderia ter se unido a qualquer uma, mas
liderar a Reforma Protestante escolheu Catarina von Bora, uma das únicas
freiras que fugiram do convento e que ainda
POR ISABELA MOREIRA não tinham se casado ou voltado para a casa
da família. Não foi um caso amoroso, mas
Os pais da alemã Catarina von Bora a foi uma escolha que fez toda a diferença
colocaram em um convento quando ela no final. Ela era uma mulher muito forte, e
tinha cinco anos de idade. Dezenove anos Lutero, um homem física e mentalmente
depois, ela e outras freiras escaparam do fraco. No início dos anos 1520, ele estava
local e se juntaram ao ex-monge agostiniano lidando com depressão, não era um homem
Martinho Lutero, que abandonara a batina mentalmente estável. Acredito que nenhuma
após publicar suas 95 Teses — obra que outra mulher além de Caty teria conseguido
criticava o catolicismo da época e foi fixada ajudá-lo a chegar à velhice. Ela insistiu
na porta da Igreja do Castelo de Wittenberg, para que eles começassem um negócio, que
na Alemanha. Em 1525, von Bora e o líder da veio a ser um hotel, e comprou fazendas e
Reforma Protestante se casaram, em um ato terras. O casamento progrediu conforme o
que marcou o rompimento definitivo com os tempo passou. Não foi por amor, e sim por
dogmas e ritos da Igreja Católica. conveniência — mas eles se amavam.
De acordo com a historiadora norte-
-americana Ruth Tucker, o protestantismo não APESAR DA IMPORTÂNCIA DE CATARINA
teria seguido adiante se não fosse a ex-freira. VON BORA PARA A REFORMA PROTESTANTE,
No livro A Primeira-Dama da Reforma: POUCOS PESQUISADORES DEDICARAM
A Extraordinária Vida de Catarina von Bora ESTUDOS À HISTÓRIA DELA. POR QUÊ?
Fig. LL
(Editora Thomas Nelson, 221 páginas, Outras pessoas a estudaram, mas nunca li
R$ 25,90), a pesquisadora afirma que Catarina um livro que ressaltasse a importância dela
— ou Caty, como é chamada por Tucker — foi além de ter sido esposa de Lutero. Tendo dito
a segunda pessoa mais importante da isso, acho importante destacar que acredito
Reforma. “Acredito que Martinho Lutero que ela nunca tenha se convertido às crenças
teria desmoronado sem Catarina”, diz ela muitas décadas e, por muito tempo, achei da Reforma, o que nunca foi levantado por
em conversa com a GALILEU. “Se ele não que Caty fosse apenas a esposa de Martinho pesquisadores antes. Sabemos que ela
tivesse se casado com Caty, que o ajudou a se Lutero. Entretanto, há aproximadamente entrou no convento aos cinco anos e escapou
manter fisicamente e mentalmente estável, é um ano, comecei a analisar a Reforma com outras 11 freiras anos depois. Foi um
possível que a Reforma Protestante tivesse Protestante com mais afinco e descobri grande rompimento, já que ser freira é como
feito acordos com a Igreja Católica, tornando algumas coisas que não sabia. Para mim, se casar com Jesus e fugir equivale a pedir o
o protestantismo bem diferente do que o ela é a figura mais importante da Reforma divórcio. Ainda assim, não há evidências de
conhecemos hoje.” Neste ano, os cristãos Protestante depois de Lutero. que Catarina tenha dito coisas ruins sobre
que professam a tradição protestante o catolicismo ou que tenha se convertido ao
comemoram os 500 anos da publicação das O QUE A FAZ PENSAR QUE CATARINA FOI protestantismo. Ela deixou de ser religiosa,
95 Teses de Lutero. UMA MULHER À FRENTE DE SEU TEMPO? tornou-se secular e ficou conhecida por ser
Sem Caty, Lutero não teria conseguido levar uma mulher de negócios. Enquanto as outras
POR QUE DECIDIU ESCREVER UM LIVRO SOBRE a Reforma adiante como fez. Eles se casaram freiras escreveram sobre a vida horrível do
A HISTÓRIA DE CATARINA VON BORA? em 1525, uma época muito importante para convento, Caty escolheu o silêncio — e o
Estudei a história das religiões durante a Reforma — tenha em mente que Lutero já silêncio pode significar muito.
20

TECNOLOGIA DESCOMPLICADA

Retrô com Square SQ10, nova câmera da


japonesa Fujifilm, é a primeira

tecnologia
do mercado que combina
a fotografia analógica com
diferentes recursos digitais
em um único equipamento

POR JOÃO GABRIEL BALBI

lha o passarinho! A Square Ao contrário de outras câmeras


O SQ10, da Fujifilm, é a primeira instantâneas, o equipamento da Fujifilm
câmera do mercado que tira possibilita escolher as fotos que serão
fotos instantâneas analógicas com a tec- impressas, evitando o desperdício de
nologia das câmeras digitais. Com de- filme. As fotografias têm tamanho útil
sign compacto, ela pesa 450 gramas — de 62 mm x 62 mm. A versão digital
incluindo a bateria e o filme. Sua pegada possui resolução de 1.920 x 1.920 pixels,
é confortável e os botões de disparo e com sensibilidade ISO variando entre
modo de captura são configuráveis. INSTAGRAM 100 e 1.600. Vale lembrar que o filme
ANALÓGICO
Além de revelar as fotos na hora, O equipamento tem sensibilidade ISO 100 e, por isso,
a Square SQ10 é digital e permite a tem dez opções as fotos impressas tendem a ficar mais
aplicação de filtros e retoques antes da de filtros, sem a escuras. A Square SQ10 é vendida no
necessidade de
impressão. Quem deseja compartilhar utilizar um soft- Brasil por R$ 1.599 e o filme com dez
virtualmente as fotos, no entanto, tem ware externo fotos tem preço sugerido de R$ 54,90.
de conectar a SQ10 ao computador.
21

MURRINHA AONDECONVEM
Fig. EB
Com esse app dá para O aplicativo ofe-
buscar os melhores rece encartes das
preços e comparar principais redes de CELULAR SEM
valores em diferentes mercados e farmácias, NOVIDADES
supermercados. Você com as melhores
EXPLOSIVAS
pode utilizar a câmera ofertas próximas
do celular para ler o ao usuário. Mas Galaxy Note 8 é anunciado
código de barras dos atenção: a maioria depois do fiasco de sua
produtos e encontrar dos descontos é válida versão anterior
as melhores ofertas. apenas por um dia.
POR THÁSSIUS VELOSO

Apresentado na cidade de Nova


York, o Galaxy Note 8 traz o
suprassumo da tecnologia em
dispositivos móveis. Entre os
recursos do novo smartpho-
Fig. LL
ne há uma câmera dupla que
proporciona fotos espetacu-

UMA OFERTA PROMOBIT


OFERTAS
BUSCA DESCONTOS
Desenvolvido pelos
lares — porém, esse aparato
ainda precisa de ajustes para
produzir com perfeição retra-

QUE VOCÊ NÃO


O app exibe descontos criadores da Black
em eletrônicos, livros, Friday brasileira, o tos em que o personagem fica
jogos de videogames aplicativo tem a função em primeiro plano e o fundo
e capas para celulares. de reunir diferentes sai desfocado. A tela de 6,3

VAI RECUSAR
É possível deixar co- cupons promocionais.
polegadas é grande, brilhante
mentários para avaliar Pode-se encontrar pro-
ofertas e cadastrar dutos oferecidos com e perfeita para assistir a filmes.
novos descontos. descontos de até 70%. A má notícia é que o compo-
De remédios a cervejas, aplicativos nente pode apresentar sinais
encontram produtos mais de fragilidade — nos testes da
baratos e oferecem cupons redação, a tela trincou quando
de desconto para os usuários o aparelho escorregou do bolso
de uma altura de cerca de 60
POR ANNA KELLEN BULL centímetros. Para fechar o pa-
cote, a caneta eletrônica ficou
Em tempos de crise econômica, nada melhor Fig. EB mais precisa, sendo um bom
do que encontrar opções de serviços e produ- recurso para quem ainda faz
tos que não pesam tanto no bolso. Para dar LITRÃO GO SAVE WHEY anotações de próprio punho.
uma força nas contas e não fechar o mês no Exibe os preços das O Save Whey ajuda a
O lançamento no Brasil é espe-
vermelho, existem aplicativos cuja missão é bebidas nos bares achar ofertas de whey rado para outubro. Mas prepare
encontrar os melhores preços e promoções. mais perto do usuário. protein, creatina, BCAA o bolso: ele deve custar caro.
Disponíveis para Android ou iOS, os apps Além de dar o preço de e outros produtos Com este modelo, a sul-
litrão, como o próprio para quem curte ir à
localizam ofertas de itens de supermercado, -coreana tenta virar a página em
nome entrega, é possí- academia. O app traz
farmácia, açougue, eletrônicos ou até mesmo vel ver quanto custam cupons que diminuem relação ao Galaxy Note 7,
um preço mais camarada para a cervejinha garrafas de cerveja de o valor da compra ou que ficou conhecido por uma
do fim de semana. Confira as nossas dicas. 600 ml ou long necks. o custo do frete. particularidade nada
tecnológica: foram regis-
trados diferentes casos de
@techtudo_oficial /techtudo @TechTudo incêndios e pequenas explo-
sões envolvendo o celular.
ELEMENTAR
ENERGÉTICO
TIC-TAC DO MEU CORAÇÃO
Costuma tomar energético? Saiba o que a bebida faz com
o seu organismo — POR EDUARDA ENDLER*

maioria não dá bola para o que o


A rótulo avisa: energéticos não de-
vem ser tomados junto com be-
bidas alcoólicas. Criados para serem con-
Os energéticos
sumidos puros antes de atividades físicas, invadiram tanto
as baladas que
eles acabaram fugindo do objetivo inicial e hoje estão até em
letras de sertanejo
caíram no gosto dos baladeiros como com-
panhia para whisky e vodca.
A composição é uma espécie de bomba
enlatada. Um dos ingredientes, a cafeína,
pode aparecer com até 35 mg a cada 100 ml.
E o que acontece no corpo? Os efeitos estão C6H8O6
relacionados com a quantidade, claro: doses C2H7No3S
6

de até 2 mg por quilo corporal provocam C 2 7


8 6 C H
estado de vigília, diminuição da sonolência, H O 3 1

alívio da fadiga e aumento da respiração, da No S


GLUCORONO-
frequência cardíaca, da produção de urina e LACTONA TAURINA
do metabolismo. Já altas dosagens, como de Esse metabólito Um dos ami-
formado no
CO2 noácidos mais
15 mg por quilo, podem gerar nervosismo, H2O
fígado a partir abundantes no
insônia, tremores e desidratação.
2

da glicose está 2
C O corpo humano.
Além disso, sem querer estragar mais o na receita de al- H O Apesar de ser
treino ou a balada de ninguém, mas já es- gumas marcas. GÁS encontrada em
Alguns estudos ÁGUA CARBÔNICO vários alimen-
tragando, o risco de sobrecarga do coração apontam que Ela é o compo- É usado nos tos, geralmente
existe. Estudos relatam que o combo de melhora a nente em maior energéticos a taurina usada
taurina e cafeína de que são feitas essas memória, é quantidade nos com a função de em energéticos
antidepressivo energéticos, tornar a bebida é sintetizada
bebidas causa aumento do trabalho car- e estimulante base da fórmula gaseificada quimicamente
díaco. Por isso, cuidado: o consumo alia-
do a uma grande quantidade de atividade
física pode levar a isquemia do miocárdio,
por aumentar as contrações do músculo.
Outra questão debatida pelos pesquisa-
dores, mas ainda sem conclusão, é se o
energético altera o padrão de uso de be-
bidas alcoólicas. Uma hipótese é que, sob
efeito de energético, o indivíduo possa su-
perestimar sua capacidade no desempenho C8H10N4O2 C6H12O6
de atividades e, assim, não se dê conta de 8 10 6 12

C H C H
que já está precisando parar de beber. 4 2 6

E como a indústria faz esse líquido doce N O O


e poderoso? A produção é semelhante à dos CAFEÍNA INOSITOL
refrigerantes. O processo começa com a Alcaloide capaz Importante
dissolução de açúcar em água. Depois é fei- de estimular o constituinte
sistema nervoso celular, envolvi-
to um tratamento térmico e de clarificação, central, o que do em diversos
geralmente com carvão ativado. O xarope causa estado processos
é então filtrado, resfriado e mantido em de alerta de bioquímicos.
curta duração. O composto
tanques de aço inoxidável. Após o término A sensação de aumenta a aten-
dessas etapas, entram os demais ingredien- revigoramen- ção e concentra-
tes da fórmula de cada marca. Com tudo to é gerada ção, por isso é
pela ação do usado em vários
misturado, obtém-se o xarope composto, neurotransmis- suplementos
que é diluído em água e gaseificado. sor adenosina esportivos

22 *Com apuração de Cartola — Agência de Conteúdo


Fontes: Janice da Silva, coordenadora do curso de Engenharia de Alimentos da Unisinos; Suse Botelho da Silva, professora de Engenharia de Alimentos da Unisinos. Foto: Tomás Arthuzzi
DOSSIÊ REVOLUÇÃO RUSSA
REPORTAGEM THIAGO TANJI DESIGN JOÃO PEDRO BRITO

1917 O ANO QUE NÃO ACABOU

Do sonho de construir uma nova sociedade à queda do Muro de Berlim, a


Revolução Russa ajuda a explicar os grandes acontecimentos do século 20 e
ainda desperta debates apaixonados entre pesquisadores, militantes e críticos

“o inverno, o terrível Reinos de Westeros. O quadro vada em um país de porte con-


inverno russo chegava. de destruição e fome generaliza- tinental, a revolução desafiou o
Sem o menor entusiasmo, os da, causado pela Primeira Guer- sistema capitalista e dividiu o
soldados sofriam e morriam na ra Mundial, motivou a organiza- movimento socialista. “Ela inau-
linha de frente. As fábricas fe- ção de trabalhadores da cidade e gurou um novo padrão de socia-
chavam suas portas.” Como des- do campo para derrubar a monar- lismo, autoritário e estatista, que
creve o jornalista norte-america- quia russa e dar início a uma nova hegemonizou as revoluções socia-
no John Reed em seu livro Dez etapa da história mundial. listas que viriam em seguida.”
Dias que Abalaram o Mundo (Pen- “Não gratuitamente, a revolu- Depois de mais de 26 anos do
guin e Companhia das Letras, 504 ção de outubro suscitou — e ain- fim da União Soviética, especia-
páginas), a Rússia de 1917 bem da suscita — grandes paixões: ela listas estudam os capítulos da
que poderia ser o cenário para o mudou a história do século 20”, Revolução Russa para entender
roteiro de Game of Thrones. afirma o historiador Daniel Aarão os sonhos, crimes, realizações e
Os acontecimentos testemu- Reis, professor da Universidade traições da primeira tentativa na
nhados por Reed, no entanto, di- Federal Fluminense (UFF). De história contemporânea de orga-
ziam respeito a questões mais ur- acordo com o pesquisador, além nizar uma sociedade sem explo-
gentes que as intrigas dos Sete de extinguir a propriedade pri- radores nem explorados.

23
CON T R A OENSAIO DA
REVOLUÇÃO
O CA PI TA L EM 1905, MASSACRE
MOTIVOU GREVES
AocontráriodoqueKarlMarxprevira,arevolução CONTRA O CZAR
detrabalhadoresaconteceuemumpaís atrasado

Uma disputa por territó-

A
As obras teóricas do ale- cas russos) Nicolau 2º, da dinastia Romanov, rios do Leste Asiático foi
mão Karl Marx estão mais iniciara um processo de modernização no país responsável pela primei-
para longos tratados eco- com a instalação de fábricas e tentativas de ra rachadura no poder
nômicos do que escritos melhorias sociais — a expectativa de vida no da dinastia Romanov: em
apaixonados sobre revo- império era de 39 anos, inferior à da Grã-Bre- 1904, o Império Russo
luções. O pensador deixou poucos indícios tanha (52 anos) e do Japão (51 anos). acreditava que consegui-
do que seria sua visão de uma sociedade or- “São Petersburgo, a mais europeia das ci- ria uma vitória fácil contra
ganizada pelo modo socialista de produção: dades russas, concentrava um grande núme- os soldados “inferiores”
O Capital, publicado em 1867 e considerado ro de unidades fabris, e essa massa proletá- do Império Japonês. Não
a obra-prima do alemão, é o resultado de um ria foi o sujeito político da revolução”, afirma poderiam estar mais en-
profundo estudo sobre o funcionamento do Maria Lygia Quartin de Moraes, professora ganados. Além da série
capitalismo, como o próprio título sugere. do Departamento de Sociologia da Unicamp. de derrotas humilhantes
Mas se alguém contasse a Marx que o Im- Nascido em 1870, Vladimir Ilyich Ulya- impostas pela marinha ja-
pério Russo seria o palco de uma revolução nov estava atento às mudanças sociais que ponesa, o czar teve de en-
que utilizaria seu pensamento como base teó- emergiam na Rússia. Sob o codinome Lenin, frentar greves nas fábri-
rica, ele tomaria o maior susto. Em suas re- ele foi um dos líderes do Partido Operário cas que produziam armas
flexões, o alemão acreditava que a revolução para a guerra. Em janeiro
socialista seria forjada em países que já tives- de 1905, uma multidão se
sem as bases capitalistas bem desenvolvidas, dirigiu aos portões do Pa-
com uma classe operária organizada e forte, lácio de Inverno, em São
como em nações da Europa Ocidental. Petersburgo, entoando
No caso da Rússia do início do século 20, hinos religiosos e canções
o quadro econômico era mais próximo do de exaltação ao czar, en-
feudalismo do que de uma pujante socieda- quanto pediam melhorias
de industrial e moderna. Governada por uma nas condições de vida. O
monarquia centenária que concentrava seus NICOLAU 2º FOI O resultado do protesto foi
poderes de maneira despótica, a sociedade ÚLTIMO CZAR um massacre comandado
russa era majoritariamente camponesa. Co- DO IMPÉRIO RUSSO pelas tropas imperiais que
roado em 1894, o czar (título dado aos monar- resultou em mais de 200
Social-Democrata Russo (POSDR), que se- mortos. Irromperam dis-
ria dividido em dois grupos políticos a partir túrbios no campo e greves
CAMPONESES, de 1903. Ao lado de Lenin, os bolcheviques nas fábricas, e foram for-
UNI-VOS! (“maioria” em russo) refutavam as posições mados os primeiros sovie-
Distribuição populacional dos mencheviques (“minoria” em russo), que tes (“conselhos” em russo),
do Império Russo em 1914 acreditavam em uma revolução burguesa constituídos para organi-
e uma etapa capitalista na Rússia antes da zar os trabalhadores.
transição para uma sociedade socialista.
“Em seus argumentos a favor da insur-
reição de outubro de 1917, Lenin se mostra-
142 mi va convencido de que a revolução na Rússia
Campo seria um prólogo de uma revolução euro-
peia socialista, sem a qual os revolucioná-
36 mi
Cidade rios russos estariam perdidos”, diz o pro-
fessor Daniel Aarão Reis, organizador do
EM VERMELHO
livro Manifestos Vermelhos e Outros Textos OS FATOS HISTÓRICOS
Históricos da Revolução Russa (Penguin e QUE MARCARAM A
Fonte: Stephen Kotkin Companhia das Letras, 484 páginas). REVOLUÇÃO RUSSA
Guerra
O FIM DA MONARQUIA e paz?
CONFLITO MUNDIAL
ACELEROU A QUEDA
DO IMPÉRIO RUSSO
Após o término da 1ª Guerra Mundial e a vitória da Revolução Russa, um conflito
Depois do “ensaio geral”
civil dividiu o território do país — a maior extensão de terras do planeta
revolucionário de 1905, Ni-
colau 2º propôs a criação
1913 1945 de partidos e de um parla-
União Soviética mento — que não tiveram
poder efetivo. Com o iní-
Império Russo
Rússia cio da 1ª Guerra Mundial,
em 1914, o Império Russo
se aliou a franceses e bri-
tânicos, sofrendo perdas
REVOLUÇÃO humanas e materiais: pelo
RUSSA E A menos 2 milhões de sol-
GUERRA CIVIL dados russos morreram
(1917-1922) durante o conflito. Cansa-
das da guerra e da escas-
Território sez, multidões tomaram as
bolchevique ruas de Petrogrado (antiga
São Petersburgo) após re-
Territórios ceberem a notícia de que
perdidos
Arcangel ocorreria um novo racio-
FINLÂNDIA
namento de suprimentos.
Insurreição
bolchevique Em março de 1917 (ou feve-
Petrogrado
Perm reiro no antigo calendário
Yekaterinburg Locais de russo), a mobilização popu-
Moscou Kazan Novosibirsk batalhas civis lar — apoiada pelo exérci-
Omsk to — culminou com a ab-
Brest-
Samara Ataques do
-Litovski Exército Branco dicação do czar, que seria
e aliados substituído pela formação
Kiev Tsaritsyn
de um governo provisório.
Contra-ataque
Rostov RÚSSIA bolchevique

Fronteiras do
Império Russo
Tashkent

Ferrovia
Transiberiana

Território russo após 1917

NOVEMBRO DE 1894 JUNHO DE 1905 JULHO DE 1914 contin


u
Nicolau II, da Conselhos populares O Império Russo entra
an
a próxima

dinastia Romanov, (sovietes) são formados na 1ª Guerra Mundial


é coroado como czar durante um período de ao lado do Império pá
gina
do Império Russo greves e manifestações Britânico e da França
Poder
popular
FRACASSO DO GOVERNO
PROVISÓRIO PERMITIU A
JOGO DO TRONO VERMEL
CISÕES INTERNAS, ASSASSINATOS E INTRIGAS MARCARAM A DISPUTA PELO PODER APÓS A REVOLUÇÃO
REVOLUÇÃO BOLCHEVIQUE
Legenda Bolchevique Menchevique Líder do partido Aliados da liderança Inimigos da liderança

Ano Nome do partido Principais lideranças do Partido/Acontecimentos políticos

Partido Operário Social Vladimir Julius


1898
Democrata Russo Lenin Martov

Vladimir Lenin Julius Martov


1903 Cisão no partido
O fim da monarquia não foi Fração bolchevique Fração menchevique
capaz de atender às deman-
das do povo russo. Vladimir
Lenin, que estava exilado da 1917 Vladimir Lenin Bolcheviques Julius Martov
chegam ao poder
Rússia, retornou ao país em
abril de 1917 e percebeu uma
oportunidade para a tomada 1918 Vladimir Lenin Sofre um atentado e é atingido por duas balas
do poder. “A corrente bolche-
vique entendeu que era pos-
sível uma transição socialista Partido Vladimir Josef Grigori Lev Nikolai
1919
Comunista Lenin Stalin Zinoviev Kamenev Kretinski
com base operário-campo-
nesa por meio dos conse-
Lenin Josef Grigori Lev
lhos que eram formados, os Partido Comunista Nikolai
1924 morre após
da União Soviética Stalin Zinoviev Kamenev Kretinski
sovietes”, afirma o professor derrame

Luis Fernandes, do Instituto


de Relações Internacionais 1927
Josef Grigori Lev
Stalin Zinoviev Kamenev
da PUC-Rio e da Universida-
de Federal do Rio de Janeiro
(UFRJ). “Os bolcheviques pro- 1934
Josef Grigori Lev
Stalin Zinoviev Kamenev
puseram a imediata retirada
russa da guerra, a reforma
agrária e medidas emergen- Zinoviev Kamenev
Josef
1936 condenado condenado
ciais para garantir o abaste- Stalin
e fuzilado e fuzilado
cimento de bens de primeira
necessidade.” Fortalecidos Kretinski
Josef
1938 condenado
pelos mais de 1,4 mil sovietes Stalin
e fuzilado
no país, os bolcheviques con-
quistaram o poder central da
Josef
1940
cidade de Petrogrado em ou- Stalin
tubro de 1917 (novembro no
antigo calendário russo).

MARÇO DE 1917 OUTUBRO DE 1917 JULHO DE 1918


A guerra e a fome Os revolucionários Durante a guerra civil,
26 motivam uma rebelião bolcheviques chegam a família Romanov é
popular em território ao poder após o fracasso fuzilada pela polícia
russo: o czar é deposto do governo provisório secreta bolchevique
TEORIA E
IM P ER A D OR COM
HO
PRÁTICA
EM MEIO À GUERRA
CIVIL, É CRIADA A
FOICE E MA RTELO
UNIÃO SOVIÉTICA Biografiarecém-lançadadetalhaa
SOVIÉTICA ascensãodeJosefStalinaopodere
aconstruçãodeseuregimepolítico
Chegar ao poder em 1917
foi relativamente fácil.

A
A história do filho de sapateiro
O desafio verdadeiro de
nascido na Geórgia que se tornou
Lenin e dos bolcheviques
o homem mais poderoso da União
seria realizar a transi-
Soviética é contada pelo histo-
ção para uma sociedade
riador norte-americano Stephen
socialista, em que a pro-
Kotkin numa biografia dividida em três volumes — a
priedade privada daria
primeira parte da obra, Stalin: Paradoxos do Poder
lugar a formas coletivas
(Editora Objetiva, 1.141 páginas), foi lançada no Brasil
de produção e gestão.
no primeiro semestre deste ano. “A História, para o
“A União Soviética não
melhor e para o pior, é feita por aqueles que nunca
estabeleceu o socialismo,
desistem”, afirma Kotkin em entrevista à GALILEU.
Uma militante do Partido Socialista
mas sim uma sociedade
Revolucionário foi a autora da pós-capitalista, que dis-
tentativa de assassinato É possível caracterizar a personalidade de Stalin?
solveu os proprietários
Ele acreditava verdadeiramente no comunismo. Pude
privados, mas sem uma
Liev descobrir o quanto era astuto, mas completamente
gestão efetivamente co-
Trotsky cego pelas amarras ideológicas: ao mesmo tempo
letiva e social dos meios
que era encantador, era um sanguinário implacável.
de produção”, afirma Li-
Liev via Cotrim, professora do
Trotsky Como essa contradição aparecia em sua política?
Centro Universitário Fun-
Sem Stalin, seria impossível a coletivização coercitiva
dação Santo André (FSA).
Trotsky de 120 milhões de camponeses ao longo de um sexto
expulso
Nikolai Serguei Após a revolução, o en-
Bukharin Kirov da superfície terreste. Ele realizou uma reengenha-
e exilado tão Partido Comunista
ria social e econômica na Eurásia mesmo causando
se viu rodeado de inimi-
uma monumental morte de humanos e animais. E fez
Nikolai Kirov gos, que iniciaram uma
Bukharin é assassinado isso porque acreditava, como marxista, que um regi-
guerra civil no território
me comunista não sobreviveria sem a modernização
russo. Somente em 1922
da agricultura. Stalin forçou tudo isso e não desis-
Nikolai os comunistas conquis-
Bukharin
tiu mesmo quando essa política resultou em fome.
taram a vitória, reunindo
os territórios na União
Por que é difícil fazer análises de figuras históricas
Bukharin das Repúblicas Soviéti-
condenado como Stalin sem recorrer a verdades pré-fabricadas?
e fuzilado cas (URSS). Com a morte
Stalin, Lenin e Trotsky eram seres humanos. Em vez
de Lenin, em 1924, o po-
de condená-los ou celebrá-los, o mais complicado é
Trotsky der soviético seria trans-
assassinado no México pelo espanhol mostrá-los em ação, coletando detalhes sobre como
Ramón Mercader, da polícia secreta soviética
ferido para Josef Stalin,
eles eram, o que disseram, o que fizeram e como
secretário-geral do Par-
outras pessoas os observavam em seus registros.
tido Comunista, que ini-
ciaria a industrialização
acelerada e a coletiviza-
ção forçada das terras
camponesas, causando
fome, repressão e contin
DEZEMBRO DE 1922 u
morte em massa.
Com o fim da guerra
an
a próxima

civil, é criada a União


das Repúblicas pá
gina
Socialistas Soviéticas
OP ER Á R I O S TRIUNFO DA DESTRUIÇÃO
Mesmo com esse cenário, a ameaça nazifas-
cista uniu trabalhadores e militantes de oposi- Número de mortos

E M GU ER R A
ção a Stalin em um episódio batizado pelos rus- na Segunda Guerra Mundial
sos de Grande Guerra Patriótica. Após a invasão

25 milhões
das tropas de Adolf Hitler ao território soviético,
em junho de 1941, a derrota parecia iminente:
Após invasão nazista, opositores de ao final daquele ano, os nazistas encontravam-
Stalin e críticos ao regime pegaram

20 milhões
-se às portas de Moscou. Filho de camponeses,
em armas na defesa da URSS o comandante Gueorgui Jukov liderou a defesa
da nação, que iniciaria um contra-ataque depois

15 milhões
da batalha na cidade de Stalingrado, em 1943.

D
Depois da consolidação de Stalin no Com quase 25 milhões de mortos, a União So-
poder, a oposição foi silenciada e viética foi o país que mais sofreu perdas huma-

10 milhões
um Estado autoritário foi moldado, nas durante o conflito global. Na mobilização
ao mesmo tempo que ocorriam me- popular, as mulheres tiveram papel de destaque
lhorias nas condições de vida por no Exército Vermelho: Lyudmila Pavlichenko foi

5 milhões
conta do desenvolvimento econômico. “Os bolchevi- condecorada como uma das melhores atiradoras
ques cometeram erros, mas o stalinismo representou de elite da história militar. O 46º Regimento de
uma mudança radical no caráter do Estado soviético, Bombardeio Noturno Taman, por sua vez, era
que assumiu, com a degeneração burocrática e o ex- formado apenas por aviadoras especialistas em
termínio dos revolucionários de outubro, um caráter combate aéreo e destruição de alvos nazistas.

Hungria

Itália
Reino Unido
Estados Unidos
Coreia
Outros países
União Soviética
China

Romênia

França
Alemanha
Polônia
Indonésia
Japão

Indochina Francesa
Iugoslávia
Filipinas
Índia Britânica
totalitário”, afirma Michael Löwy, diretor de pesqui- Ao final do conflito, a União Soviética emergia
sas no Centre National de la Recherche Scientifique como uma potência mundial, ao lado dos Esta-
(CNRS), na França, que esteve no Brasil para parti- dos Unidos. A poeira nuclear de Hiroshima e Na-
cipar de um evento sobre a Revolução Russa orga- gasaki ainda não tinha baixado e o mundo já pre-
nizado pela Editora Boitempo e pelo Sesc Pinheiros. senciava um novo conflito político e ideológico. Fonte: Second World War History

Ideologia
Fotos: Reprodução
em cartaz
NOS ÚLTIMOS ANOS DE VIDA
DE STALIN, ARTE E CULTURA
FORAM MAIS REPRIMIDAS

Com o final da Segunda Guerra


Mundial, o político soviético Andrei
Zhdanov lançou as bases de uma
doutrina para combater a propa-
ganda norte-americana e antico-
munista. “Colocava-se a arte e a
cultura inteiramente a serviço do
Estado, totalmente imbuídas da
ideologia socialista — não havia
mais ambiente para qualquer críti-
ca”, afirma Moisés Franciscon, pes-
Os cartazes exibiam quisador da Universidade Federal
propagandas políticas à do Paraná (UFPR). Nos cartazes
população para moldar políticos dirigidos aos trabalhado-
a ideologia oficial da res, os Estados Unidos eram apre-
28 União Soviética sentados como os inimigos da vez.
CRIMES COM

CORRIDA MALUCA
IDEOLOGIA?
A GUERRA FRIA FOI O
PALCO DE MASSACRES
E REPRESSÃO POLÍTICA

A divisão do planeta entre áreas de influência da União Soviética


e dos Estados Unidos moldou a segunda metade do século 20 GUERRA DA COREIA
Durante a guerra civil, que
durou de 1950 a 1953, mi-

N
Não era necessário ser um AGOSTO DE 1949 lhares de pessoas suspeitas
grande analista político para de serem simpatizantes dos
saber que a convivência en- Teste nuclear é bem-sucedido movimentos comunistas fo-
tre soviéticos e norte-ame- e a URSS se torna o segundo ram presas e assassinadas
ricanos não daria muito cer- país a contar com a tecnologia durante o governo de Syng-
to: enquanto os Estados Unidos iniciavam uma man Rhee, presidente da
etapa de desenvolvimento acelerado do capi- Soviética e os Estados Unidos recorreram a Coreia do Sul, que era apoia-
talismo no pós-guerra, o Partido Comunista da ditaduras, massacres e intervenções milita- do pelos Estados Unidos.
União Soviética apoiava revoluções de inspi- res para manter sua influência no mundo.
ração socialista nas nações do Leste Europeu. Em algumas ocasiões, no entanto, a po- REVOLUÇÃO HÚNGARA
A divisão do mundo como um jogo de tabu- lítica real falava mais alto. Um dirigente do Uma manifestação de es-
leiro tornou-se uma plataforma política. Se- Khmer Vermelho, movimento de inspiração tudantes contra o gover-
cretário de Estado norte-americano no prin- comunista que governou o Camboja de 1975 no comunista da Hungria
cípio da década de 1950, John Foster Dulles a 1979, afirmou em depoimento prestado à motivou um movimento
formulou a “teoria do dominó”, afirmando que, Justiça que os Estados Unidos ajudaram o popular, reprimido pelo
caso um país vivesse uma revolução socialis- grupo. O motivo para isso é que o regime, exército soviético em 1956.
ta, era provável que nações vizinhas também responsável pela morte de quase 2 milhões Milhares de húngaros foram
passariam por esse processo. Detentores dos de pessoas, era inimigo do governo do Viet- obrigados a fugir do país.
maiores arsenais nucleares do planeta, a União nã, um aliado da União Soviética na Ásia.
O GOLPE DE PINOCHET
O presidente chileno Salva-
MAIORES DESTRUIDORES Estados Unidos União Soviética dor Allende, eleito em 1970,
Número de armas nucleares por país
foi alvo de uma campanha
de sabotagem patrocinada
50 mil
pelo governo norte-ame-

40 mil ricano. Em 1973, um golpe


militar colocou o general
30 mil Augusto Pinochet no poder.

20 mil GUERRA DO AFEGANISTÃO


Em 1979, tropas soviéti-
10 mil
cas invadiram o Afeganis-
tão a pedido do governo do
1945 1991 país, que combatia rebeldes.
Mais de 1 milhão de pessoas
Fonte: Bulletin of the Atomic Scientist
morreram durante o con-
flito, que durou até 1989.

JANEIRO DE 1924 DEZEMBRO DE 1925 contin


u
Vladimir Lenin No 14º Congresso
an
a próxima

morre aos 53 anos do Partido Comunista,


após sucessivos Josef Stalin consolida pá
gina
derrames cerebrais sua liderança no país
CAMARADAS

DA AK-47 À INTERNET
DAS GALÁXIAS
OS PRINCIPAIS
FEITOS DO PROGRAMA
ESPACIAL SOVIÉTICO

Com investimentos em educação e o desenvolvimento da indústria,


União Soviética produziu inovações na ciência e na tecnologia R-7 SEMYORKA
Primeiro míssil capaz de
percorrer distâncias inter-

A
Apesar de não contar com os Com o fim da Segunda Guerra Mundial, so- continentais, foi lançado
mesmos recursos econômicos viéticos e norte-americanos se beneficiaram em 1957. Mais do que um
das nações da Europa Ociden- das pesquisas feitas por cientistas alemães: o equipamento militar, o R-7
tal, a ciência russa gozava de desenvolvimento dos foguetes e da indústria se tornou o foguete pio-
prestígio desde o período im- espacial soviética (leia quadro ao lado) contou neiro para os projetos es-
perial: o químico Dmitri Mendeleiev, “pai” da ta- com os estudos prévios realizados na Alemanha. paciais da União Soviética
bela periódica, e Ivan Pavlov, vencedor do Prêmio Apesar da priorização do desenvolvimento da
Nobel de Medicina de 1904, eram alguns dos no- indústria bélica, com a criação do fuzil de assalto SPUTNIK
mes que produziam ciência de ponta no país. De- AK-47 pelo engenheiro militar Mikhail Kalashni- Em outubro de 1957, foi
pois da Revolução Russa, o governo investiu em kov e o desenvolvimento dos mísseis nucleares, a lançado o primeiro saté-
melhorias educacionais de maior urgência. “De ciência soviética também avançou em outras fron- lite artificial ao espaço.
início, a prioridade soviética foi a diminuição do teiras do conhecimento. Antes da crise que culmi- O Sputnik emitia apenas
analfabetismo, e, aos poucos, o ensino secun- naria na desintegração da nação, pesquisadores um som de “bip”.
dário foi estendido, com um grande número de realizaram trabalhos sobre física de semiconduto-
escolas técnicas”, relata o professor Gildo Ma- res, partículas subatômicas e fabricação de raios LAIKA
galhães, da Universidade de São Paulo (USP). laser. Durante a década de 1970, o matemático A cachorra vira-lata se
Durante a liderança de Josef Stalin, mes- Victor Mikhailovich Glushkov iniciou um projeto tornou o primeiro ser vivo
mo com o aumento da repressão política, cien- que seria o embrião da internet, mas que não foi da Terra a visitar o espaço,
tistas se posicionaram a favor da livre inves- levado adiante pela liderança soviética. em novembro de 1957. No
tigação e do direito à crítica. O geoquímico entanto, ela morreu pou-
Vladimir Vernadsky insistia para que a União cas horas após o lança-
Soviética desenvolvesse um pensamento filo- mento do Sputnik 2.
sófico genuíno e questionador, em vez de ape-
nas seguir a doutrina oficial que propagava as IURI GAGARIN
ideias marxistas-leninistas, com pouco espaço Em 12 de abril de 1961, o
para novas investigações. Mas isso não signifi- cosmonauta Iuri Gagarin
cava que os pesquisadores estavam imunes à foi o primeiro humano a
perseguição. “A repressão brutal desencadea- viajar para fora da Terra.
da por Stalin na década de 1930 solapou mui-
tos ganhos que haviam sido obtidos”, destaca MIR
Magalhães, “já que um número expressivo de A estação espacial pio-
cientistas e técnicos foi enviado para trabalhos neira iniciou sua opera-
forçados ou exterminados simplesmente por ção em 1986 e foi utiliza-
serem delatados como contrarrevolucionários.” da até 2001 pela Rússia.

DEZEMBRO DE 1934 JUNHO DE 1941 MARÇO DE 1953 FEVEREIRO DE 1956


O assassinato do Tropas nazistas invadem Antes de começar O líder Nikita Kruschev
bolchevique Serguei a União Soviética, uma nova etapa de condena os crimes
Kirov provoca uma dando início à “Grande repressão, Stalin morre cometidos durante
onda de perseguições Guerra Patriótica” em Moscou, aos 74 anos a era stalinista
TR ABA L H A D O R A S E M LUTA Sovietes
Após conquistas do período revolucionário, em pedaços
mulheres russas vivem retrocessos
TENTATIVAS DE REFORMAS PARA
SUPERAR A ESTAGNAÇÃO ECONÔMICA
N
No dia 8 de março de 1917, uma manifestação que reunia mu-
lheres operárias foi um dos principais estopins para o início da
IMPLODIRAM O ESTADO SOVIÉTICO
derrubada do czar. Durante o período revolucionário, militantes
como Alexandra Kollontai e Nadezhda Krupskaya tiveram papel
Quando Mikhail Gorba-
de liderança no Partido Comunista. “Pela primeira vez na história da humani-
chev chegou à liderança
dade as mulheres tiveram seus direitos igualados aos dos homens, além de
do Partido Comunista da
acesso livre ao divórcio e o direito ao aborto”, conta a professora Maria Lygia
União Soviética, em 1985,
Quartin de Moraes. Apesar de não ocuparem os mais altos cargos de liderança
poucos analistas espera-
da União Soviética, as mulheres tinham maior participação na política naque-
vam que o mundo socia-
la época do que na Rússia de hoje: enquanto em 1989 um terço do Congresso
lista encontraria seu fim
era representado por mulheres, hoje as eleitas representam apenas 12% do
em um período curto de Cotrim. “Mas isso partia
total de deputados. Os retrocessos não são apenas políticos: em janeiro deste
tempo. Mas se o Estado de um processo coerciti-
ano, um projeto de lei que despenaliza as violências domésticas em nome da
soviético mostrava força vo: o Estado cresceu em
“tradição familiar” foi sancionado pelo presidente Vladimir Putin.
militar e política, também termos administrativos
passava por um período e repressivos.” Com a eli-
de estagnação econômi- minação da propriedade
ca que ameaçava as pers- privada e sem uma admi-
pectivas de construir uma nistração efetivamente

LU Z , CÂ MER A , R E VO LU ÇÃO
sociedade desenvolvida. coletiva das empresas, o
Com as políticas batizadas estímulo à concorrência
de glasnost (transparên- e à inovação foi abando-
cia, em russo) e peres- nado. Não por acaso, a
Apesar da censura, cinema soviético troika (reconstrução), Gor- União Soviética passou a
produziu filmes com visões críticas do país bachev buscava a solução comer poeira dos países
para agilizar processos capitalistas quando ocor-

V
Vencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro de 1981, Mos- econômicos e serviços so- reu o desenvolvimento de
cou Não Acredita em Lágrimas conta a história de meninas ciais. “No início da revolu- novas maneiras de criar
pobres do interior da União Soviética que migravam para a ca- ção, o Estado geriu a pro- produtos e serviços, com
pital em busca de melhores condições de vida. O enredo crítico dução e distribuição, em o crescimento acelerado
aos problemas sociais soviéticos não era uma excessão entre a produção uma perspectiva imedia- da tecnologia durante a
cinematográfica do país. “O cinema soviético é um bom instrumento para ta de eliminar a miséria”, década de 1980 no Japão
verificar que a realidade socialista não era nem infernal nem paradisíaca”, afirma a professora Livia e nos Estados Unidos.
ressalta o historiador Moisés Franciscon. Depois dos anos mais duros de A instabilidade econômica
repressão do governo de Stalin, houve relativa liberdade de criação no país. foi o estopim para protes-
“A sociedade, formada por camponeses que emigravam para as cidades com DEZEMBRO DE 1988 tos por liberdade política
a industrialização acelerada, se urbanizava e passava mais tempo em es- e pelo fim da influência
colas e universidades”, diz Franciscon. Comédias sociais e superproduções Gorbachev anuncia o fim soviética nos países do
inspiradas na Segunda Guerra Mundial faziam sucesso nas bilheterias, mas da influência soviética Leste Europeu. Era o fim
também havia espaço para produções de maior experimentação artística. nos países socialistas da União Soviética.

OUTUBRO DE 1964 MARÇO DE 1985 NOVEMBRO DE 1989 DEZEMBRO DE 1991


Leonid Brejnev assume Com Mikhail A queda do Muro de As repúblicas
o poder na União Gorbachev, são Berlim simboliza o fim soviéticas proclamam
Soviética em um iniciadas mudanças da divisão ideológica do independência
período de estabilidade políticas e econômicas período da Guerra Fria e dão fim ao país 31
DIFERENTE, MAS IGUAL
REVOLUÇÃO Após restauração capitalista, a Rússia de Vladimir
Putin mantém características autoritárias

NAS PROVAS O
Os anos que se seguiram após o fim da União Soviética fo-
ram de instabilidade social e econômica, com desemprego,
aumento da corrupção política e crescimento de mercados
ilegais, como a consolidação de máfias. Desde que assumiu
o cargo de primeiro-ministro, em 1999, o atual presidente, Vladimir Putin,
ThomasWisiak,coordenadordeHistóriado liderou um período de relativa estabilidade e desenvolvimento econômi-
co, explorando as estratégicas reservas de gás natural que abastecem a
GrupoEtapa,indicaostemasdeestudo da Europa Ocidental. Putin se manteve como liderança russa durante todo o
RevoluçãoRussaparavestibulareseoEnem período — sua longevidade à frente do poder só é superada pelo governos
de Josef Stalin. Apesar de contar com aprovação popular superior a 80%,
o governo de Putin é marcado por casos de perseguição a opositores po-
Estudo das principais características
líticos e retrocesso em garantias de direitos humanos, principalmente em
políticas, sociais e econômicas do
relação às pessoas LGBT. O presidente russo afirmou que não realizará
RÚSSIA IMPERIAL Império Russo e o histórico dos pro-
comemorações oficiais em memória do centenário da Revolução Russa.
testos populares contra o regime
tsarista, como os episódios que cul-
minaram com a Revolução de 1905.

A relação entre o conflito mundial e


o início da revolução de 1917. As dife-

1ª GUERRA MUNDIAL rentes fases do processo revolucio-


nário, a divisão entre bolcheviques
e mencheviques e a organização
popular por meio dos sovietes.

O conceito do comunismo de guerra


durante a guerra civil, a Nova Política
Econômica e a consolidação da dita-
COMUNISMO À BRASILEIRA?
CRIAÇÃO DA URSS
dura de Stalin. Análise da coletiviza- Os maiores partidos de esquerda brasileiros se
ção das terras, da industrialização
distanciam da teoria revolucionária soviética
intensa e dos planos quinquenais.

A invasão alemã em 1941, os en- S Se no senso comum — ou nos comentários de portais de


internet — há a associação entre os ideais do comunismo
contros dos Aliados no final da 2ª soviético e o projeto político do Partido dos Trabalhadores
GUERRA FRIA Guerra Mundial e as origens da (PT), isso está bem distante da teoria e da prática. “Em sua
guerra fria. O conflito entre China e fundação, no começo dos anos 1980, o PT inscrevia-se na perspectiva de
União Soviética e a divisão do mun- construção de alternativas tanto no ‘capitalismo regulado’ quanto no pa-
do comunista na década de 1960. drão do ‘socialismo soviético’”, afirma o professor Daniel Aarão Reis. Em-
bora existam tendências internas petistas ligadas às formulações de Vla-
dimir Lenin e de Liev Trotsky, o conjunto do partido procura manter uma
As reformas de Mikhail Gorbachev,
distinção clara entre sua concepção de socialismo e as experiências que
com a perestroika e a glasnost. A
aconteceram durante o século 20. No início da década de 1990, o congres-
queda do Muro de Berlim, em 1989,
RAZÕES DA CRISE so partidário formulou que, em seus princípios, o PT rejeitava a política da
a crise nos países do Leste Euro-
“ditadura do proletariado” e a prática revolucionária para a chegada ao
peu e o fim da União Soviética. Ve-
poder, dando lugar à ideia de construção de um socialismo democrático.
rificação dos problemas decorren-
tes desses episódios históricos.

32
ESCULTURA
DAVINO

SUMÁRIO
CAPA: ÓDIO NAZISTA SE ESPALHA PELA INTERNET BRASILEIRA P.34

DE MATÉRIAS DANÇA DA CHUVA FUNCIONA? P.46 ENTREVISTA: STEVENS REHEN P.54

ENSAIO: CLIQUES DE ASTRONAUTA P.58 O PIRATE BAY DA CIÊNCIA P.64


UMA CÂMERA [DE CELULAR] NA MÃO E UMA IDEIA [LOUCA] NA CABEÇA. PARA ESTA REPORTAGEM, MISTURAMOS O
HUMOR DE CHARLES CHAPLIN NO FILME O GRANDE DITADOR, DE 1940, COM OS FILTROS DOS APPS ATUAIS DE FOTOS
OEXTREMISTA
O EXTREMISTA

MORA MORA REPORTAGEM ANDRÉ BERNARDO

[NOCELULAR]
[NO CELULAR]

AOLADO
AO LADO EDIÇÃO GIULIANA DE TOLEDO
E NATHAN FERNANDES
Os episódios relatados acon-
teceram bem longe de Char-
lottesville, cidade dos Estados
Unidos em que manifestações
de grupos racistas, em agosto,
despertaram o debate sobre ex-
DESIGN FEU tremistas no mundo inteiro —
durante os conflitos, uma pes-
soa morreu e dezenas ficaram
feridas. Esses casos que abrem
a reportagem foram registra-
dos aqui mesmo no Brasil, en-
tre abril e setembro deste ano,

CHARLOTTESVILLE NÃO ESTÁ LONGE. em quatro cidades: respectiva-


mente, Recife (PE), Porto Ale-

O BRASIL TEM CERCA DE 150 MIL gre (RS), Rio de Janeiro (RJ) e
Pará de Minas (MG).

PESSOAS QUE BAIXAM MATERIAL COM Mas, afinal, quantos simpa-


tizantes de Hitler existem hoje

IDEIAS FASCISTAS. COMO COMBATER no país? Responder a essa


questão é uma missão quase

O ÓDIO QUE SE ESPALHA ONLINE? impossível, já que não há da-


dos oficiais sobre o tema, so-
mente os reunidos em estu-
dos. A estimativa de Adriana
Abreu Magalhães Dias, dou-
toranda em Antropologia So-
cial pela Unicamp, é que esse
O PROFESSOR de história de um número já bateu a casa dos 200 mil.
colégio particular resolveu “decorar” Segundo levantamento de 2013, o
a sala de aula com símbolos nazistas. Brasil tinha cerca de 148 mil simpa-
Atento aos detalhes, chegou a se para- tizantes do regime nazista, espalha-
mentar como oficial do Terceiro Reich, dos por seis estados: Santa Catarina
com direito à cruz suástica no braço (45 mil), Rio Grande do Sul (42 mil),
esquerdo. A “aula temática” sobre regi- São Paulo (29 mil), Paraná (18 mil),
mes totalitários logo suscitou protesto Distrito Federal (8 mil) e Minas Ge-
nas redes sociais, inclusive de pais de rais (6 mil). Em São Paulo, esses sim-
alunos e da comunidade judaica. patizantes se dividem em 25 grupos, de
Na mesma semana, outro caso veio acordo com dados da Delegacia de Cri-
à tona: o da estagiária de Filosofia que mes Raciais e Delitos de Intolerância
exigiu da turma de uma escola pública (Decradi), órgão da Polícia Civil do Es-
a saudação “Heil, Hitler!”. Uma aluna tado de São Paulo. Os mais representa-
que teria se recusado a obedecê-la le- tivos são Front 88, Impacto Hooligan
vou um puxão de orelha e um tapa na (IH) e White Power (WPSP).
perna. Na mesma hora, a aspirante a “Neonazismo é um movimento de ex-
professora foi denunciada à direção e trema-direita pautado pelo ódio às mi-
afastada de suas atividades. norias. Segundo a ótica neonazista, o
Dois meses depois, uma suástica foi outro, seja ele judeu, negro, gay, nor-
pichada no meio da Estrela de Davi no destino ou deficiente físico, é sempre o
muro de um clube israelita. Coincidên- culpado por tudo”, define a antropóloga
37 cia ou não, uma praça com o nome de que, por segurança, não mostra o rosto
Shimon Peres, símbolo da luta pela paz à imprensa nem posta fotos na internet.
no Oriente Médio, tinha sido inaugura- Pelos critérios da pesquisadora,
da um dia antes a poucos metros dali. simpatizante é todo internauta que,
Passados três meses, mais uma pi- ao longo de um ano, fez download
chação de suástica virou notícia: des- de mais de cem arquivos, acima de
ta vez, na estátua de um artista negro. 100 megabytes cada, relativos a temas
como eugenia, xenofobia e antissemi- ria das vezes, como aparelho reprodu-
tismo. “O simpatizante de hoje pode tor e nada mais”, diz a antropóloga.
se tornar o militante de amanhã”, aler- O interesse de Dias pelo tema come-
ta ela. “Desses 200 mil, pelo menos çou em 2002, quando cursava Ciências
10% fazem parte de células neonazis- Sociais na Unicamp. Em uma disciplina
tas e 1% já virou foragido da Justiça.” sobre identidade judaica, ficou abisma-
Para se juntar a um desses grupos, da ao saber da existência de extremistas
o candidato tem que ter apenas um que negam o extermínio de 6 milhões
pré-requisito: ser branco. Dependendo de judeus na Segunda Guerra. De acor-
da facção, praticar algum tipo de arte do com os “ativistas da negação”, o Ho-
marcial e saber manejar armas brancas, locausto não teria acontecido da manei-
como estilete e soco inglês, é recomen- ra como os historiadores descrevem: os
dável. Os integrantes, em sua maioria, campos de extermínio não teriam sido
são homens e jovens. “Sabe aquele jo- nada além de campos de prisioneiros e
vem que não consegue ingressar na uni- o número de judeus mortos — a maio-
versidade, não arranja um bom empre- ria por doença ou bombardeio dos alia-
go e não tem uma motivação na vida? dos — não teria passado de 1 milhão.
Então, é a presa mais fácil para esses Foi então que Dias lançou mão de
grupos extremistas”, diz a pesquisadora. suas habilidades em informática para
Os líderes, geralmente, têm entre 25 desenvolver um programa que rastreia
e 30 anos, nível superior completo e sites, blogs e fóruns de conteúdo neo-
bons empregos. Já os prosélitos, de 16 nazista. Na ocasião, chegou a impres-
a 25 anos, com Ensino Médio e Fun- sionantes 7,6 mil fontes em português,
damental e das classes C e D, cuidam espanhol e inglês. Cinco anos depois,
do “trabalho sujo”, como sair às ruas quando concluiu o mestrado em Antro-
para afixar cartazes e fazer pichações pologia Social e defendeu a dissertação
de cunho racista. Quanto às poucas Os Anacronautas do Teutonismo Virtual:
mulheres, elas existem para dar “apoio Uma Etnografia do Neonazismo na In-
emocional” aos integrantes ou para jus- ternet, esse número havia subido para
tificar as agressões deles. Nesses casos, 12,6 mil. Mais recentemente, em 2009,
os agressores alegam que as namoradas o total de sites já tinha passado de 20,5
foram assediadas. “São vistas, na maio- mil — a maior parte deles hospedada
em provedores fora do Brasil, como de
ilhas da Polinésia, que garantem anoni-
mato aos criadores. Na ponta do lápis,
o aumento foi de 170% em sete anos.

“SE VCS ACHAM QUE SENDO BRASILEIRO CAÇA ONLINE


SER CAHAMADO DE ‘BRANCO AZEDO’,
Muitos dos sites, blogs e fóruns pes-
quisados por Dias já foram retirados

‘GALEGO’ E AFINS NÃO É BULYING ENTÃO


do ar. O Valhalla88, um dos maiores da
América Latina, com média de 200 mil

CONCLUO QUE HÁ SIM DISCRIMINAÇÃO E


visitas diárias, foi desativado em agos-
to de 2007. O nome do site, que tinha

VITIMIZAÇÃO DAS DEMAIS PESSOAS EM


sede em Santa Catarina, faz referên-
cia a um castelo da mitologia nórdica,

RELAÇÃO AOS ‘BRANQUELOS’ COMO EU”


local onde eram sepultados os guer-
reiros mortos em combate. Já o White
Power São Paulo chegou a ter loja vir-
COMENTÁRIO NO FACEBOOK SOBRE MATÉRIA DA GALILEU tual, com camisetas, filmes, livros, ade-
sivos — tudo com temática nazista.
Rastrear essas páginas é difícil. Elas
vivem trocando de endereço e migran-
do para a deep web, o território obscu-
ro da internet, já que fazer apologia ao
nazismo é crime no Brasil desde 1989.
38
O artigo 20 da Lei nº 7.716 prevê pena
de um a três anos de reclusão ODIÔMETRO encontradas abertamente.
para quem “praticar, induzir ESTUDO DA ANTROPÓLOGA ADRIANA DIAS “O Marco Civil da Internet
ou incitar a discriminação ou ENCONTROU 148 MIL BRASILEIROS QUE BAIXAM não responsabiliza provedores
CONTEÚDO EXTREMISTA PELA INTERNET
preconceito de raça, cor, etnia, de hospedagem. Mesmo as-
religião ou procedência na- sim, a partir do momento em
cional” e de dois a cinco anos que são intimados por ordem
para quem “fabricar, comer- judicial, são obrigados a remo-
cializar, distribuir ou veicular ver o conteúdo ofensivo”, ex-
símbolos, emblemas, orna- plica a advogada Cristina Mo-
mentos, distintivos ou pro- raes Sleiman, vice-presidente
pagandas que utilizem a cruz 45 MIL SC da Comissão de Direito Digi-
suástica ou gamada, para fins tal e Compliance da OAB-SP.
de divulgação do nazismo”. “É por essas e outras que sou
Mas a lei que vale para o a favor da educação digital.
mundo físico também se apli- À medida que educamos,
ca ao mundo digital? Rena- orientamos e esclarecemos, os
to Opice Blum, coordenador internautas deixam de prati-
do curso de Direito Digital car certos ilícitos”, arremata.
do Insper, garante que sim. Nos EUA, diversas páginas
O problema, ressalva, é a exe- funcionavam livremente até
cução da lei. Em alguns ca- as manifestações de Charlot-

148 MIL
sos, é difícil identificar quem
praticou o ato ilícito por es-
42 MIL RS tesville, que alertaram as em-
presas de tecnologia para te-
tar protegido pelo anonima- rem cuidado maior. É o caso
to. Em outros, o responsável de The Daily Stormer, aponta-
não está em território brasi- da como uma das responsá-
leiro. “Por essas razões, de- veis por organizar a marcha
fendo leis que agilizem o for- na cidade da Virgínia. Criado
necimento de informações em 2013, o site teve sua hos-
para identificar e responsabi- pedagem de domínio cancela-
lizar quem pratica tais atos e, da pela GoDaddy, a maior ad-
ainda, tratados e convenções
29 MIL SP ministradora de domínios na
internacionais que minimi- internet do mundo, após pu-
zem a dificuldade de executar blicar um artigo em que cha-
uma lei contra ações pratica- mava Heather Heyer, ativista
das em outros países”, afirma. morta no confronto, de “vadia
Para melhorar o combate gorda e sem filhos”.
online a extremistas, Opice 18 MIL PR Depois disso, o The Daily
Blum sugere ainda o endu- Stormer ainda tentou se abri-
recimento de sanções. Atual- gar em outras plataformas de
mente, as punições previs- 8 MIL DF hospedagem, como Google,
tas na lei vão da prestação Zoho e Sendgrid, mas foi re-
de serviços comunitários a 6 MIL MG cusado por todas. Sua última
pena restritiva de direitos ou privati- cartada foi procurar abrigo na Rússia,
va de liberdade. “Lá fora, algumas de- sob o domínio “.ru”. Nada feito: foi blo-
cisões já obrigam o sujeito que pregou queado por autoridades russas.
discurso de ódio na internet a repli- Outro site de conteúdo neonazista
car diariamente postagens relatando defenestrado foi o Stormfront, criado
sua sentença e publicando informa- em 1995 por Don Black, líder reforma-
ções educativas contrárias à ação que do da Ku Klux Klan. Sob o lema Whi-
ele praticou”, exemplifica. te Pride, World Wide (“orgulho branco,
Mesmo em redes sociais em que em todo o mundo”), é considerado o
há moderação e possibilidade de de- primeiro grande site de ódio racial do
núncia, controlar conteúdos que pre- mundo, com aproximadamente 300 mil
gam ódio ainda é um problema — tan- usuários. Muitos deles desumanizam
to que as frases destacadas espalhadas grupos minoritários, referindo-se a seus
pelas páginas desta reportagem foram integrantes como “criaturas”.
servas de extremistas em Charlottes-
PORTAS FECHADAS ville. “A violência, o racismo e o ódio
Impedir grupos de extrema-direita de demonstrados pelos neonazistas, su-
manterem sites com discurso de ódio, premacistas da alt-right e supremacis-
porém, não é a única estratégia ado- tas brancos não devem ter lugar neste
tada pelas empresas de tecnologia. mundo”, declarou Brian Chesky, presi-
Desde que a violência tomou conta das dente-executivo do grupo.
ruas de Charlottesville, companhias Já no Twitter, a iniciativa que mais
como Facebook e Twitter, entre outras chamou a atenção partiu de um usuá-
tantas, passaram a vigiar melhor tam- rio até então pouco conhecido. O per-
bém os perfis individuais. De lá para fil @YesYoureRacist ajudou
cá, a caçada levou à eliminação de di- a identificar em fotos e ví-
versos usuários de caráter duvidoso. deos alguns dos militantes
Um deles foi Christopher Cantwell, de extrema-direita que par-
de 36 anos. Em entrevista a um do- ticiparam das manifestações
cumentário da Vice, ele descreveu as em Charlottesville. Em três
pessoas atingidas pelo carro em Char- dias, o número de seguido-
lottesville como “animais estúpidos” res da conta pulou de 60 mil
e declarou que a morte de Heather para 372 mil — agora já são
Heyer “foi mais do que justificada”. An- mais de 400 mil. Ainda que
tes de se entregar à polícia, foi expulso simples, a ação deu resulta-
do Facebook, Twitter, Instagram e até do para além do mundo digi-
Christopher Cantwell durante entrevista à Vice News; no vídeo,
dos serviços de paquera Match, Tinder ele diz carregar uma pistola e estar preparado para violência tal: pressionado, Cole White,
e OKCupid. “Não toleramos ninguém um dos primeiros a ser expos-
que promova ódio ou racismo. Simples to, pediu demissão da lancho-
assim”, justificou Elie Seidman, presi- nete onde trabalhava em Ber-
dente-executivo do OKCupid, em en- keley, na Califórnia.
trevista ao The New York Times.
Outra empresa que apagou Cantwell POUCO OU MUITO?
foi a PayPal, uma das primeiras a se Mas como enxergar essas ati-
posicionar contra ativistas alt-right (ou vidades no mundo real e vir-
“direita alternativa”, nome dado a gru- tual: casos isolados de intole-
pos que defendem causas como supre- rância racial ou fortes indícios
macia branca e políticas anti-imigração, de neonazismo? Pensando
entre outras). Desde abril, a maior fer- “Cole White, a primeira pessoa que eu expus, não tem mais um no Brasil, especialistas diver-
emprego”, publicou a conta @YesYoureRacist no Twitter
ramenta de pagamento online do mun- gem. O escritor Miguel San-
do impede extremistas de usarem seus ches Neto afirma que esses
serviços para vender produtos ou ar- episódios refletem uma ideo-
recadar fundos. Ao todo, já baniu 38 logia de extrema-direita que
grupos de seu sistema, incluindo o site sempre fez parte da identida-
Altright.com, de propriedade do supre- de do país e que apenas vem
macista branco Richard Spencer. perdendo o pudor de se mani-
Também no ramo financeiro, empre- festar. “Vivemos um momento
sas de financiamento coletivo, como de um falso nacionalismo nos
Patreon, YouCaring e GoFundMe, se- discursos sobre o Brasil que
guiram a diretriz e tiraram do ar cam- traduz o desejo de destruir os
panhas relacionadas a grupos radicais outros que compõem a diver-
O líder da chamada direita alternativa Richard Spencer levou
— por algumas horas, o GoFundMe, soco durante entrevista no dia da posse de Donald Trump sidade social brasileira”, anali-
inclusive, chegou a ser usado para an- sa o doutor em Teoria Literá-
gariar recursos para apoiar James Alex ria pela Unicamp e professor
Imagens: Reprodução

Fields Jr., o motorista acusado de ma- de Letras da Universidade Es-


tar Heather Heyes no atropelamento. tadual de Ponta Grossa.
Outra plataforma que foi utiliza- Há cinco anos, Sanches
da involuntariamente por suprema- Neto se desafiou a imaginar
cistas brancos foi o site de hospeda- o que teria acontecido ao Bra-
gem compartilhada Airbnb. Depois de sil se, ao longo da década de
ser alertado por usuários, cancelou re- 1930, Getúlio Vargas tivesse
declarado apoio a Hitler. O resultado
de suas elucubrações está no romance
histórico A Segunda Pátria (Intrínseca).
Como parte da hipotética aliança entre
Estado Novo e Terceiro Reich, negros,
judeus e índios, entre outras minorias
étnicas, foram duramente perseguidos
e confinados numa fazenda do Sul do
país usada como campo de concentra-

“ESSES LIXOS NÃO RESPEITAM


ção por colonos alemães. “Muitas atitu-
des tidas hoje como inocentes são, em

SOLDADOS CONFEDERADOS, TEM Q


sua essência, nazistas. Querer se sepa-
rar do Norte e do Nordeste, dizer que a

COBRIR DE PANCADA ESSES MERDAS”


homossexualidade é uma doença e fa-
lar que pobre e bandido têm que morrer
são algumas delas”, denuncia o escritor.
O pesadelo distópico imaginado por COMENTÁRIO NO FACEBOOK EM VÍDEO DE O GLOBO SOBRE CHARLOTTESVILLE
Sanches Neto chegou a ter um embrião
na realidade. Em 1928, na cidade ca-
tarinense de Timbó, a 170 quilômetros
de Florianópolis, foi fundado o maior
Partido Nazista fora da Alemanha. Ao
longo de dez anos, espalhou-se por 17
estados e arregimentou 2.903 filiados. muito perigosa na medida em que tor-
Dos 83 países que tiveram uma “célu- na banal o que deveria ser objeto de re-
la” do Partido Nacional-Socialista dos púdio”, alerta o doutor em História e
Trabalhadores Alemães (NSDAP, na si- pesquisador do Laboratório de Estu-
gla em alemão), o Brasil foi o que al- dos sobre Etnicidade, Racismo e Dis-
cançou o maior número de correligio- criminação da USP. “Por outro lado,
nários — à frente de Holanda (1.925), não podemos ceder a uma certa histe-
Áustria (1.678) e Polônia (1.379). ria, que enxerga nazistas em todos os
Hans Henning von Cossel, chefe do lugares. Isso também é uma forma de
partido no Brasil, editou um jornal se- banalização”, reflete o neto de sobrevi-
manal, o Deutscher Morgen (“Aurora ventes do Holocausto.
Alemã”), que circulou livremente no Guterman é autor de Nazistas En-
país de 1932 a 1940. “Somente ‘ale- tre Nós — A Trajetória dos O ficiais de
mães puros’ eram aceitos no partido. Hitler Depois da Guerra (editora Con-
Nem os teuto-brasileiros, a geração texto). Publicado em 2016, o livro re-
nascida nos trópicos, eram bem-vin- constitui os passos de seis autênticos
dos”, explica Ana Maria Dietrich, pro- “monstros nazistas”: Adolf Eichmann,
fessora de História da Universidade Fe- Albert Speer, Franz Stangl, Gustav
deral do ABC e autora dos livros Caça Wagner, Josef Mengele e Klaus Barbie.
às Suásticas — O Partido Nazista em Pelo menos três deles — Stangl, o
São Paulo (editora Humanitas) e Na- “carrasco de Treblinka”; Wagner, a
zismo Tropical? O Partido Nazista no “besta de Sobibor”; e Mengele, o “anjo
Brasil (editora Todas as Musas). Quem da morte de Auschwitz” — encontra-
ingressava no grupo era proibido de ca- ram refúgio no Brasil e passaram a vi-
sar com brasileiras, falar a língua lo- ver, tranquilos e impunes, como se
cal ou trabalhar com negros e judeus. o maior genocídio da história da hu-
Já atualmente, o historiador Marcos manidade nunca tivesse acontecido.
Guterman entende que os episódios re- “A presença de ex-oficiais nazistas no
centes são manifestações pontuais no Brasil depois da guerra não me parece
Brasil. É pouco provável, afirma, que ter ligação com a formação de grupos
quem se diz neonazista ou se compor- extremistas. O Brasil não era o destino
ta como tal conheça de fato a ideolo- preferencial deles — a maioria prefe-
gia nazista. “A ignorância sobre o que ria a Argentina ou os EUA. E aqui eles
41
foi efetivamente o nazismo pode ser não tiveram proteção oficial”, analisa.
QUER DEIX AR O NEONAZISMO? PERGUNTE-ME COMO
NA ALEMANHA, ONG USA MÉTODO PIONEIRO PARA RECUPERAR EXTREMISTAS

POR DÉBORA BACKES, DE BERLIM

FABIAN WICHMANN abre um armá- Klan, movimento norte-americano tos da ideologia, como o racismo e as
rio de metal e tira algumas caixas. Ne- defensor da supremacia branca. teorias da conspiração que acreditam
las estão camisetas com dizeres como Wichmann não trabalha em uma que os judeus oprimem os alemães.
“Apoie sua divisão local de sangue e loja de artigos neonazistas, tampouco Outro motivo para a saída do ca-
honra” ou “Marche pelo nacionalismo”. está apresentando uma coleção pes- sal foi a questão da criação dos filhos
Aparecem também uma bolsa com soal. Ele é um dos conselheiros da que queriam ter juntos. Heidi cresceu
uma suástica bordada de forma deli- Exit Deutschland, organização que com um pai neonazista e sentiu na
cada e um babador com o rosto do que auxilia pessoas que desejam aban- pele como é ser educada com a rigi-
parece ser um viking. “Ele representa donar a extrema-direita. Fundada em dez da ideologia. Ambos não queriam
a volta às origens, antes de a Alema- 2000 pelo criminalista Bernd Wag- o mesmo para os filhos. “Família é um
nha receber influência do catolicismo ner e pelo ex-líder neonazista Ingo ponto muito importante dentro do
ou do judaísmo, quando ainda exis- Hasselbach, a Exit já ajudou mais de movimento nacional-socialista. Ter
tiam os germanos”, explica. O grande 650 pessoas a sair da cena extremis- filhos é visto como a perpetuação
armário também guarda uma caixa ta. O armário que assustaria qualquer da raça, são eles que vão continuar
com panos brancos. Parecem só pe- imigrante na Alemanha — como é o a sua luta”, explica Benneckenstein,
daços de lençóis, mas são, na verdade, caso desta repórter brasileira — fica hoje pai de um bebê de um mês.
máscaras semelhantes às do Ku Klux na sede da organização, em Berlim.
É para onde vão os pertences de um MEDO
passado que se deseja esquecer. Sair não foi fácil. Os sinais de resistên-
FERIDA ABERTA Felix Benneckenstein parece não cia do casal não foram bem-vistos na
MAIS DE 22 MIL PESSOAS SÃO ter problema em falar sobre essas divisão de Munique do partido Natio-
DE EXTREMA-DIREITA
lembranças, mas não gosta de abrir naldemokratische Partei Deutschlands
NA ALEMANHA
sua história para desconhecidos. (NPD), ou Partido Nacional Democráti-
Hoje ele trabalha na Exit e em outra co da Alemanha, em português, onde
Fonte: Bundesamt für Verfassungsschutz, serviço de inteligência e segurança da Alemanha, em 2015

organização semelhante que fundou haviam se conhecido. A desconfiança


EM SUBCULTURAS

na Baviera, a Aussteigerhilfe Bayern. deu lugar a ameaças, e foi nesse mo-


“Quando conto às pessoas o que faço, mento que decidiram buscar a ajuda
8,2 MIL
elas já imaginam um pouco o porquê. da Exit. “Recebíamos ameaças na in-
Às vezes, quando estão muito des- ternet dizendo que iam divulgar coisas
confiadas, apenas digo que busquem sobre nós que não queríamos que fos-
meu nome no Google.” De fato, tudo sem divulgadas. Quando você conhece
fica claro já nos primeiros resultados. essas pessoas desde a adolescência,
EM PARTIDOS

O hoje conselheiro na Exit, com 31 elas sabem coisas sobre você que
6,6 MIL anos, começou a participar da direita não necessariamente você quer que
extremista aos 14, época em que seus venham a público.” Outras ameaças
conflitos com a polícia e com jovens eram mais violentas. “Certa vez, per-
turcos o instigaram a odiar o Estado to da estação de trem da nossa casa,
OUTROS NEONAZISTAS

e os imigrantes. “Quando entrei na picharam uma suástica com a frase


5,8 MIL cena neonazista, tinha como objetivo embaixo: ‘Vamos te encontrar’.”
melhorar um pouco a sociedade. Mas Por isso, a primeira fase do auxílio
com o tempo percebi que o movimen- que receberam da Exit foi focada em
to está focado apenas em lutar con- garantir sua segurança. Heidi e Fe-
3,2 MIL tra o Estado, incitar uma guerra civil e lix encontraram um novo endereço
lutar contra pessoas específicas”, diz. e tiveram proteção policial nos pri-
Aos 24, Benneckenstein decidiu meiros dias. Wichmann, conselheiro
11,8 MIL buscar ajuda na Exit junto com sua na Exit desde 2012, explica que toda
desses são considerados
extremistas de mulher, Heidi. Foi um processo len- essa pressão psicológica faz parte
orientação violenta to: já três anos antes disso, ambos ti- de uma estratégia dos extremistas
nham começado a questionar aspec- para as pessoas não abandonarem os
TROLL AGEM É ARMA CONTRA ÓDIO
VAI UM BRINDE AÍ, SENHOR NEONAZISTA?

grupos — a taxa de reincidência dos A ORGANIZAÇÃO EXIT não aborda


auxiliados pela ONG, porém, é baixa, diretamente o público-alvo dos seus
de 3%. “Quando as ameaças se tor- serviços. Seria arriscado e pouco
nam sérias, então agimos mais rápido efetivo. Em vez disso, o marketing da
para garantir a segurança”, diz. Em instituição é focado em criar formas
um dos casos mais difíceis do qual inusitadas de ir contra o discurso dos
recorda Wichmann, uma mãe deixou neonazistas — de preferência, sem
a cena com seus filhos e teve de pedir que eles se deem conta, ou seja, fa-
proteção contra o pai, que seguiu no zendo uma bela trollagem.
extremismo. “O pai pediu na Justi- Em certa ocasião, usando nome fal-
ça o direito de ver as crianças, mas so, a ONG entrou em contato com os
perdeu porque consideraram que ele organizadores de um show de direita
representava uma ameaça à mãe e, nacionalista para enviar camisetas em Antes e depois das camisetas de Troia — como são chamadas as
portanto, também às crianças.” apoio ao evento. Distribuídas de graça, peças que revelavam mensagem antifascista após serem lavadas
as peças tinham a estampa “Rebeldes
DETOX hardcore. Nacionais e livres”. O que os
Depois que a parte da segurança é ganhadores do brinde não sabiam é
resolvida, a recuperação se concen- que a estampa saía na primeira la-
tra em trabalhar a visão de mundo vagem e dava lugar à frase “O que a
do neonazista. A organização não sua camiseta fez, você também pode
se posiciona como dona do discurso fazer. Nós ajudamos você a se libertar
correto, mas procura mostrar alter- da extrema-direita. Exit Deutschland”.
nativas. Isso significa que temas como “A ideia era fazer com que a pessoa
anti-islamismo, terrorismo e políticas se lembrasse da nossa organização e
de migração entram em pauta em for- soubesse que poderia nos ligar caso
ma de debate, não como aula sobre pensasse em deixar o movimento”, diz
certo e errado. “Temos casos de pes- o conselheiro Fabian Wichmann.
Cena da ação Rechts gegen Rechts, em que, a cada metro
soas que trabalham hoje em projetos Outra ação, a mais famosa dentro percorrido por neonazistas, 10 euros são doados à ONG
com refugiados, de outras que agora dessa estratégia de levar o nome da
são de esquerda e de outras que são organização a eventos extremistas, é a Rechts gegen
mais conservadoras politicamente. Rechts (direita contra direita), que acontece já há
O importante é que a pessoa reconhe- quase quatro anos. Tudo começou em 15 de novem-
ça que a postura que tinha antes não bro de 2014, quando grupos neonazistas marcaram
era correta”, diz Wichmann. uma marcha na cidade de Wunsiedel, na Baviera,
No caso de Felix Benneckenstein, as sul da Alemanha. Mas eles não imaginavam que, a
ideias racistas e anti-imigração eram cada metro marchado, 10 euros seriam doados por
temáticas que ele já vinha questio- moradores para a Exit. Ou seja, no final, eles acaba-
nando três anos antes de sair do NPD. ram atuando contra a própria causa. Só nesse dia,
Além disso, o processo o fez lembrar 10 mil euros foram arrecadados, e a fama do protesto
que crescera em um ambiente mul- inusitado se espalhou. A partir daí, outras cidades es-
ticultural por causa de seus pais, de colhidas para marchas fizeram a mesma coisa. Assim,
posicionamento de esquerda liberal, desde 2014, mais de 48 mil euros já foram angariados
Imagens: Reprodução

e nunca se vira como o típico neona- por meio dos passos dos próprios neonazistas.
zista que sentia ódio de todos os imi- Outra campanha semelhante é a Hass hilft (“o ódio
grantes. “Eu não queria me ver como ajuda”), em que, a cada comentário no Facebook contra
racista e não queria ter ódio contra imigrantes, refugiados, negros e judeus, um euro é doa-
indivíduos. Mas eu era da opinião de do — o placar está em 55 mil euros. “A ideia é exatamente
que cada povo deveria viver entre si, retomar a narrativa e achar alternativas para ela, criando
43
ou seja, separados uns dos outros.” um novo discurso que seja positivo”, diz Wichmann.
cional-socialista (“A política mais per-
feita que já existiu!”). E mais: afirma
não integrar grupos extremistas, não
fazer uso de símbolos nazistas nem in-
citar preconceito e ódio. “Cada brasi-
leiro precisa reconhecer que pode ser

“NÃO SÃO GRUPOS DE ÓDIOS, SÃO


superior ao que é. Foi isso o que Hi-
tler passou para os alemães e é isso o

SERES HUMANOS QUE TAMBÉM ESTÃO


que pretendo ensinar aos brasileiros.”
No futuro, diz, qualquer brasileiro

SENDO PROVOCADOS E SE NÃO REA-


poderá se filiar ao PNSTB, desde que
respeite a “unidade familiar tradicio-

GIREM, EM UM FUTURO BEM PRÓXIMO


nal” e os “valores éticos e morais”. Por
essa razão, Harry não vê problema na

SERÃO CAÇADOS PARA SEREM MORTOS”


filiação de negros e nordestinos, mas
descarta a de judeus e homossexuais.

COMENTÁRIO NO FACEBOOK EM MATÉRIA DE O GLOBO CRIME E CASTIGO


Porto Alegre, 8 de maio de 2005. Na-
quele sábado, três amigos saíram às
ruas da capital gaúcha para comemo-
rar os 60 anos do fim do Holocaus-
to. No coração da Cidade Baixa, bairro
boêmio, foram cercados, hostilizados e
NAS URNAS atacados com socos, pontapés e faca-
Se depender de Harryson Almeida das por um grupo de 14 neonazistas,
Marson, o Brasil já tem data para vol- com idades entre 15 e 30 anos.
tar a ter seu próprio Partido Nacional- O que fizeram para provocar tanto
-Socialista: 2020. Daqui a três anos, ódio? Dois deles usavam quipás, mo-
esse paulista de 29 anos, que trabalha delo de chapéu típico da religião judai-
como técnico em eletrônica em Mon- ca. Um das vítimas perdeu um rim e
te Santo (MG), a 495 quilômetros de 80% do pulmão esquerdo. Outra so-
Belo Horizonte, pretende inscrever no freu traumatismo craniano. Marcado
Tribunal Superior Eleitoral o Partido para o dia 13 de junho de 2013, o julga-
Nacional-Socialista dos Trabalhado- mento, que viria a ser o primeiro de um
res Brasileiros (PNSTB), que ele fun- ataque neonazista no Brasil, precisou
dou e do qual é presidente. ser adiado — e até hoje não tem data
Harry, como prefere ser chamado, já para acontecer. Motivo: dois dos qua-
escolheu até o número para sua sigla: tro réus não foram localizados.
88. Ele jura que não é uma referência Outro caso de grande repercussão
à saudação “Heil, Hitler!” — a letra H nacional que também corre na Justi-
é a oitava do alfabeto —, mas a um dos ça aconteceu no município paranaen-
lemas de seu partido, Honra Habita. se de Campina Grande do Sul. Na ma-
Se tudo sair como planeja, em oito ou drugada do dia 21 de abril de 2009,
dez anos pretende se lançar candidato Bernardo Pedroso, de 24 anos, e sua
à Presidência da República. Sua prin- namorada, Renata Ferreira, de 21, fo-
cipal referência para governar? Adolf ram executados com tiros na cabeça.
Hitler. “Esse homem pegou uma na- Eles haviam participado de uma festa
ção completamente destruída, recu- em comemoração ao aniversário de Hi-
perou sua economia e deu orgulho ao tler e, segundo o Centro de Operações
seu povo. Ou seja, foi um verdadeiro Policiais Especiais (Cope), o crime te-
herói para os alemães. O Brasil preci- ria sido motivado por disputa de poder
sa de líderes assim”, diz ele, que tem entre facções rivais. Seis acusados es-
1,8 mil seguidores no Facebook. tão à espera de julgamento.
Harry se apressa, porém, em dizer “Quando são detidos, eles não se
que não é neonazista (“É uma detur- autointitulam neonazistas. Dizem que
44
pação do que pregamos!”), e sim na- são guerrilheiros urbanos ou presos
políticos”, destaca o delega- HORA DE AGIR De tudo o que viu, ouviu ou teste-
do Paulo César Jardim, titu- CONHEÇA CAMINHOS PARA DENUNCIAR munhou, o que mais chama a atenção
lar da 1ª Delegacia de Polí- CASOS DE ÓDIO QUE ENCONTRAR POR AÍ, do delegado é o ódio que os seguido-
NO MUNDO DIGITAL E FÍSICO
cia de Porto Alegre e chefe res do Führer sentem (e do qual tanto
da equipe que, há 15 anos, in- se orgulham) contra judeus, negros e
vestiga crimes praticados por homossexuais. “Certa vez, quando in-
supremacistas brancos no terrogava um neonazista, perguntei a
Rio Grande do Sul. MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL ele se, quando batia em alguém, não
Nesse período, Jardim e sua E MINISTÉRIOS PÚBLICOS ESTADUAIS sentia pena ou compaixão. Ele quis
equipe frustraram inúmeros www.mpf.mp.br saber se eu sentia pena ou compaixão
ataques a sinagogas e a passea- É possível registrar manifestações online quando matava uma barata”, lembra.
tas de grupos LGBT, apreen- e de forma anônima “Não entendo como alguém pode sen-
deram armas, bombas e mu- tir tanto prazer em odiar.”
nição e indiciaram mais de 50 Em 5 de novembro de 2010, em uma
indivíduos por denúncias de das muitas operações que liderou, Jar-
formação de quadrilha, lesão dim encontrou um vídeo com amea-
corporal grave, tentativa de ho- HUMANIZA REDES ças ao senador Paulo Paim (PT-RS).
micídio, corrupção de meno- www.humanizaredes.gov.br Na ocasião, foram apreendidos, entre
res e apologia ao nazismo. Para A página dessa iniciativa do governo fe- outros itens, cartazes com os dize-
decifrar a mente criminosa de- deral tem espaço para contar violações res: “Mistura racial? Não, obrigado!”,
les, o delegado se obrigou a es- dentro e fora da rede “Tenha um dia feliz: mate um homos-
tudar a Segunda Guerra, fez sexual” e “Por nossa terra e por nossa
curso de teosofia e, principal- raça, nacionalismo branco já!”. “Volta
mente, leu e releu Mein Kam- e meia, recebo ofensas do tipo: ‘Lugar
pf (“Minha Luta”), o manifes- de negro é na África!’. Não vou me in-
SAFERNET
to escrito por Hitler em 1925. timidar. Vou continuar defendendo di-
new.safernet.org.br
Depois de uma década e reitos iguais para todos. A raça huma-
A ONG recebe denúncias e trabalha em
meia de caçada, ele já sabe na é uma só”, afirma o senador.
cooperação com a Polícia Federal e com
identificar um possível neo-
MEMÓRIA VIVA
os ministérios públicos
nazista pela roupa: geral-
mente, camisetas pretas com Aos 87 anos, Nanette Blitz Konig não
suspensórios brancos ou co- consegue disfarçar a tristeza ao ouvir
turnos pretos com biquei- falar de gente que, 72 anos depois do
ras de aço e cadarços bran- fim da Segunda Guerra, ainda celebra
cos. As tatuagens também DELEGACIAS DE POLÍCIA o aniversário de Hitler ou prega que a
entregam: são comuns fra- Para além dos canais online, você matança de 6 milhões de judeus não
ses como “I hate your face!” pode procurar as autoridades da passa de uma teoria da conspiração.
(“Odeio seu rosto”!) e núme- forma tradicional Desde 1999, a autora de Eu Sobre-
ros como 14 (quantidade de vivi ao Holocausto — O Comovente Re-
palavras da frase “We must lato de uma das Últimas Amigas Vivas
secure the existence of our de Anne Frank (editora Universo dos
people and a future for whi- Livros), lançado em 2015, se dedica a
ESPAÇOS DE DENÚNCIA
te children”, em português, visitar escolas, bibliotecas e universi-
NAS REDES SOCIAIS
“Precisamos assegurar a exis- dades para contar sua história: ela e
Os principais serviços têm centrais
tência do novo povo e de um Anne estudaram juntas no Liceu Judai-
próprias para pedir ajuda. É o caso
futuro para crianças bran- co, em Amsterdã, e se reencontraram,
do Facebook, do Twitter
cas”) ou 28 (de “Blood and dois anos depois, no campo de con-
e do Instagram, entre outros
Honour”, já que as iniciais são a segun- centração de Bergen-Belsen, a 65 qui-
da e a oitava letras do alfabeto). lômetros de Hannover, na Alemanha.
Já entre as siglas, as preferidas são “Cerca de 90% das pessoas com
Max H8 (“Maximum Hate”), W.A.R. quem converso nunca ouviram falar do
(“White Aryan Resistence”) e A.C.A.B. Holocausto. É por isso que faço o que
(“All Cops Are Bastards!”). Outros ain- D E DA N faço. Se os sobreviventes se calarem, é
NA
A A C O LU

IE L

da, para despistar a polícia, optaram possível que aconteça tudo de novo. Se
B A R R OS

por trocar a cruz suástica pelo sol ne- depender de mim, o mundo jamais vai
LE I

gro — a imagem, toda na cor preta, es- P. 71 se esquecer das horrendas atrocidades
tampa um sol que emite 12 raios. do Holocausto”, garante Konig.
110C
SÁBADO PREVISÃO DE CHUVA

QUEM SALVARÁ
NOSSO FIM
DE SEMANA?

Fundação Cacique Cobra Coral mistura ciência meteorológica


a religião e se diz capaz de mudar o clima. Já levaram chuva ao
deserto, sol ao Rock in Rio e prometem despoluir o ar da China
I Q UE
CAC RA
COB L
O R A
C

E
V
IL
S
U D
O
O

IQ A
N R
A T O

C R L
N S IT
R A R
E C

A B A
F L B A
M O O IR
GE
C O R
R R E
RTA A D V
O E IL
C O
P C P
RE O S
IÇÃ O
ED A IO
C SIG
N
J
O
O
T
Á
V

DE ES
ÇÕ
T RA
S
ILU

Foto: Getty Images 47


Kim Jong-un, ditador da Coreia do
Norte, que se cuide. Caso ele queira
mesmo atacar o Japão com mísseis car-
regados de armas químicas, o país vi-
zinho já tomou providências: pedir ao
Cacique Cobra Coral para levar chuva
ao arquipélago. “A única coisa que dis-
sipa essa química é a chuva. Estamos
começando uma operação de proteção
do Japão”, conta Osmar Santos, porta-
-voz da Fundação Cacique Cobra Co-
ral, que representa o espírito do índio.
Em outra ocasião, durante a Guerra do
Golfo, em 1991, ele diz ter recebido pe-
dido semelhante de Israel. O país temia
ataques com ogivas químicas vindas
do Iraque e recorreu aos serviços da
fundação. Um grupo da China também
passou a ser cliente. Com tanta polui-
ção por lá, um pouco de chuva pode
ajudar a limpar o ar do país.
Quem incorpora a entidade é Ade-
laide Scritori, presidente da fundação,
médium e esposa de Osmar. Funcio-
na assim: primeiro, o marido analisa
os pedidos de empresas ou governos para promover mudanças Cacique Cobra Coral
climáticas. Com o acordo firmado, Adelaide “recebe” o indígena traz chuva ou sol de
(um norte-americano que fala português e sabe lidar com todo volta — representantes
tipo de intempéries — seja nevascas, seja calor extremo, tem- da fundação afirmam
pestades, secas) e altera a pressão atmosférica ou a temperatu- que não recebem
ra local. Mas Osmar garante que o espírito não modifica o cli- dinheiro pelos serviços
ma apenas porque alguém prefere sol em determinado lugar. Na
*Imagem meramente ilustrativa

verdade, ele realoca as chuvas em regiões secas ou em chamas,


e esse seria o maior motivo para suas operações. O casal diz
não cobrar nenhum centavo para agir em nome do Cacique — a
fundação é uma entidade de direito privado sem fins lucrativos.
É graças aos outros negócios do casal, reunidos na Corpo-
ração Tunikito (um conglomerado de empresas com sede em
Foto: Getty Images

48
Guarulhos, na Grande São Paulo), que a te Saddam Hussein precisaria abandonar
fundação segue na ativa. Essas empre- os planos de guerra. O ditador respondeu
sas vendem de tudo: de seguros de vida por telex, recusando a proposta. “Mas a
FUNDAÇÃO
e saúde a capas de chuva. Cerca de 20% fundação decidiu seguir com a Operação
DESCREVE
do lucro da corporação é destinado ao fi- Bagdá”, diz a matéria do The Guardian. De
OS MAIORES
nanciamento das atividades do Cacique acordo com Rubens Junqueira Villela, me-
FEITOS
Cobra Coral. E, quase como um “bônus”, teorologista, professor aposentado da USP
quem contrata um dos serviços das ou- e colaborador da fundação, imagens de sa-
tras empresas pode escolher qual mu- 1985 télite publicadas na revista Aviation Week
dança deseja provocar no clima. “Se o Fecha acordo mostraram uma alteração na atmosfera no
dono de um evento não quer que chova, com governo Iraque. E a chuva apareceu.
ele pode pagar pelo boletim meteoroló- catarinense para Se os gringos não deram muita bola para
gico da La Niña [uma agência da Tuni- acabar com o Cacique, a fundação era requisitada no
kito]. Como posso dar um preço ao ven- as enchentes Brasil. Em 1985, Osmar Santos fechou uma
to? E à chuva?”, explica Osmar. parceria com o governo de Santa Catarina.
O estado sofria com enchentes recorrentes,
1990
FAMA INTERNACIONAL e o papel da fundação era prestar assistência
Mesmo sem o
em casos de calamidades climáticas. No iní-
consentimento de
Antes de conhecer Osmar, Adelaide já es- cio dos anos 1990, quando Cesar Maia ven-
Saddam Hussein,
tava acostumada à presença de espíritos. ceu as eleições para a Prefeitura do Rio de
faz chover no
O pai dela, Ângelo Scritori, era diretor de Janeiro, a fundação passou a prestar servi-
deserto iraquiano
um centro espírita e afirmava incorporar o ços aos cariocas. A relação só terminou nes-
padre Cícero Romão Batista, sacerdote de
devoção popular no Brasil. Aos sete anos, 1993
Adelaide recebeu as mensagens do Cacique Cesar Maia assume
Cobra Coral pela primeira vez. “Não senti a Prefeitura do Rio O CACIQUE VIROU
medo, estava preparada para isso”, recorda. de Janeiro e trata NOTÍCIA ATÉ NO
Foi Osmar Santos, no entanto, que levou logo de se aliar JORNAL BRITÂNICO
a fundação ao auge. No começo da década ao Cacique THE GUARDIAN
de 1980, o paraibano e a paranaense dispa-
raram mensagens a políticos brasileiros e
estrangeiros com propostas para contornar 2001
alguma dificuldade climática ou prenunciar Produtores do Rock te ano, quando o evangélico Marcelo Crivella
acontecimentos. Além disso, o casal enviava in Rio contratam assumiu o comando da liderança municipal.
as histórias como sugestões de pauta para a os serviços da Nos anos 2000, foi a vez de a cidade de
imprensa nacional e a estrangeira. fundação para São Paulo se render às promessas da Ca-
Eles chamaram tanto a atenção que até evitar que chova cique Cobra Coral. Durante o mandato do
o jornal britânico The Guardian estampou durante o festival prefeito José Serra, um acordo foi oficiali-
os feitos do Cacique Cobra Coral na capa. zado no Diário Oficial, em 18 de agosto de
Duas vezes. A primeira matéria, “Brazilian 2005, garantindo à Prefeitura receber “in-
2005
Magic Offers Some Cold Comfort” (“Má- formações prévias em caso de calamidade”.
José Serra assina
gica Brasileira Oferece um Pouco de Con- Osmar Santos afirma que, naquele período,
parceria para
forto no Frio”, em tradução livre), publicada ajudou a evitar uma tragédia maior em janei-
receber deles
em janeiro de 1987, contava o caso de uma ro de 2007, quando um acidente nas obras
“informações
mensagem enviada pelo casal ao gabine- da Estação Pinheiros do metrô, na zona oes-
prévias em caso
te da primeira-ministra britânica Margaret te da capital paulista, matou sete pessoas.
de calamidade”
Thatcher. Eles ofereceram ajuda para ame- “Eram quatro horas da tarde quando Ricar-
nizar o inverno rigoroso pelo qual passava do Teixeira [secretário-adjunto da Secreta-
o Reino Unido. Thatcher nunca respondeu. 2016 ria de Coordenação das Subprefeituras] ligou
A segunda notícia dizia respeito a uma Grupo chinês faz porque havia acabado de acontecer uma ca-
oferta de ajuda ao Iraque para levar ven- proposta à fundação tástrofe e, segundo a previsão, às seis da tar-
to e chuva ao país e apaziguar o clima de- para que ajude na de chegaria uma frente fria que poderia ma-
sértico. Em contrapartida, o ex-presiden- despoluição do ar tar pessoas que estavam sendo resgatadas”,
recorda. “Iniciou-se uma operação de emer-
gência. Fomos para lá e fizemos um anel em
volta da cratera. Chovia em Santo Amaro,
na zona sul, mas lá não.” Teixeira confirmou
a ligação e a liberação do acesso de Osmar
ao local do desastre. De acordo com o po-
lítico, realmente chovia no entorno do aci-
dente, mas não na cratera formada.
O Cacique Cobra Coral também tem re-
lação estreita com o Rock in Rio. Roberto FUNDAÇÃO
Medina, produtor do evento, chegou até a DIZ TER
citar o cacique em sua biografia (Vendedor EVITADO
de Sonhos, Editora Melhoramentos, 304 UMA
páginas). Em 2001, quando o acordo en- TRAGÉDIA
tre ambos começou a vigorar, a chuva não MAIOR EM
deu as caras no festival. Só não funcionou ACIDENTE
muito bem em 2015: no último dia daquela NAS OBRAS
edição, um temporal encharcou o público. DO METRÔ
A fundação soltou nota oficial e se expli- PINHEIROS,
cou: a culpa pelo toró era do motorista. Ele EM SÃO
se esqueceu de colocar um adesivo de iden- PAULO
tificação no carro e, por conta disso, tiveram
de voltar ao hotel. Adelaide se atrasou e, ao
chegar, as nuvens já tomavam conta do céu.
“Quando se trata de uma operação local e
outras regiões próximas precisam da chu-
va, temos de estar in loco para o isolamen-
to da área”, explica a médium.

A CIÊNCIA CONTRA-ATACA

Há 30 anos, a Sociedade Brasileira de Me-


teorologia (SBMET) bem que tentou dar um
fim ao Cacique. O órgão entrou com ação no
Conselho Regional de Engenharia e Agro-
nomia de São Paulo (Crea-SP) contra a fun-
dação por exercício ilegal da profissão. Mas
não deu em nada. Dois anos depois, o rela-
tor do processo, Anthero da Costa Santia-
go, sugeriu o arquivamento da requisição. nal Environmental Sattelite). “Pode-se pro-
“O homem não tem poder e conhecimento cessar um espírito? No Brasil pode”, brinca
do mundo além-túmulo, onde os espíritos Osmar ao relembrar o episódio. Diretor da
trabalham no sentido de amenizar proble- SBMET à época, Luiz Carlos Austin dizia à
mas que assolam a Terra e seus habitantes”, imprensa que devia existir “alguém muito
escreveu Santiago no parecer. esperto” por trás da fundação. “Esse ban-
Esse não seria o fim da história: a Funda- do de espertalhões está querendo levar a
ção Cacique Cobra Coral foi ao banco dos meteorologia de volta à fase pré-científica.”
réus mais uma vez em 1990, então pelo uso A nova denúncia motivou o pedido para
de equipamentos (computadores e uma an- que a fundação realizasse seu registro no
tena parabólica) — avaliados em US$ 12 mil Crea. Apesar da resistência inicial, Adelai-
— para captar o sinal dos satélites norte-a- de e Osmar decidiram criar a agência La
mericanos Goes (Geostationary Operatio- Niña, inscrita no conselho e apta a firmar
contratos. Só assim puderam ficar em paz tório preliminar de nossa área técnico-científica mesmo que nem
e manter os trabalhos do Cacique. sempre siga aquele caminho. Mas a fundação não ocupa o lugar
Mas se engana quem pensa que a fun- da ciência, apenas a leva em seu colo.”
dação faz suas consultorias espirituais Quem cuida dessa análise científica do clima é Rubens Junquei-
sem buscar a ciência, ainda que no além. ra Villela, que é consultor da fundação desde 1986. “Achei graça
Segundo Adelaide, o próprio Cacique Co- quando me ligaram para dar informações a uma entidade que ti-
bra Coral já foi um cientista em outra vida. nha controle sobre as condições meteorológicas”, afirma. Osmar
E não um desconhecido qualquer: no pas- e Adelaide queriam saber o que precisava acontecer para a tem-
sado, o indígena era Galileu Galilei. “Para o peratura cair no Rio Grande do Sul. Rubens avisou que, caso a
Cacique, que já viveu na Terra como cien- pressão atmosférica subisse para 1.020 [hPa] ou 1.025 [hPa], já
tista, a meteorologia faz toda a diferença”, aumentaria o frio. “E não é que aconteceu exatamente isso? Fi-
51
explica a médium. “Por isso, ele exige rela- quei impressionado”, conta. De acordo com Vilella, o Cacique, in-
corporado em Adelaide, era capaz de
riscar no chão um mapa meteoroló-
gico perfeito, com direito a análise
de corrente dos ventos. “Um mestre
no traçado”, diz. “Muito me admira
os cientistas não terem maior curio-
sidade sobre isso. Desconhecemos a
natureza do universo: 80% é maté-
ria escura. Não se sabe nem o que é.
A ciência tem de ter certa humildade,
reconhecer que não sabemos tudo.”
Com elementos das religiões espí-
rita e da umbanda, a Fundação Ca-
cique Cobra Coral é estudada por
pesquisadores. “Não me lembro
de reencarnações na umbanda. No
kardecismo, isso é mais recorrente:
‘aquela pessoa é encarnação de ou-
tra’. Eles andam na fronteira, tran-
sitam no limiar entre os dois”, ex-
plica Renzo Taddei, antropólogo da
Universidade Federal de São Paulo
(Unifesp) e autor do livro Meteoro-
logistas e Profetas da Chuva (Editora
Terceiro Nome, 2017), que descreve
o xamanismo de pajés amazônicos
e os rituais de chuva da fundação.
Para Romulo da Silveira Paz, pre-
sidente da SBMET, a queda de bra-
ço entre ciência e religião não de-
veria existir. “Lá é o conhecimento
religioso, cá, o científico”, afirma.
A fundação afirma ter Discussões de fé ou de ceticismo à parte, a fundação realiza
parceria com diversas ao menos um benefício concreto à sociedade: como contrapar-
administrações
*Imagem meramente ilustrativa

tida pelos serviços prestados ao governo, é solicitada a reali-


públicas, além do zar algum projeto ou iniciativa para a melhoria do meio am-
Ministério de biente ou de questões relacionadas à prevenção de tragédias.
Minas e Energia Osmar cita o caso do Alerta Rio, sistema da prefeitura carioca
que divulga informações em tempo real sobre chuvas e riscos
de deslizamentos em regiões da capital. “Uma cidade precisa
depender disso. A fundação é só uma bengala, uma muleta para
Foto: Getty Images

uma emergência”, ressalta. Até porque país nenhum do mundo


pode contar só com a força e a vontade dos espíritos.
Da roça
de s e u p a i v i n ha o s u s t e n t o d a fa m í l i a . Nas c i d a n a zon a r u ra l d o R io Gra n d e

do Nor t e , Ka u a n y S o u sa a p re n d e u a le r e a es creve r deba ixo d e u ma á r vo re.

Sem energia elétrica, era difícil enxergar o futuro. Até que, aos 17 anos, chegou

sua primeira TV. Kauany só tinha olhos parra o Futura, até entrar na faculdade .
Lá, Kauany foi escolhida para participar da oficina de audiovisual no Futura.

D e p o is d e m u i t o s d es a fi o s s u p e ra d o s , e l a re a l i zo u o son ho d e pro d u zir

conteúdos tão incríveis quanto sua história e levar tudo isso direto

para o microfone.

Kauany está online. Kauany está no Futura.


futuraplay.org
PAPO CABEÇA
COM STEVENS REHEN

“A epidemia de zika
nos fez lembrar como
a ciência de nosso
país pode ser forte”

POR
Primeiro a associar a epidemia de zika à microcefalia, ANDRÉ JORGE DE OLIVEIRA

o neurocientista brasileiro Stevens Rehen afirma que


DESIGN

a ciência do país sofre o maior desmanche da história PAULA COELHO

Todos foram pegos de surpresa Tantos pesquisadores se dedicaram ao


quando os casos de zika explodiram no estudo do tema pelo Brasil afora que nos
Brasil, em meados de 2016, acompanha- tornamos o segundo país com maior pro-
dos de um aumento inesperado de be- dução de conhecimento sobre zika, atrás
bês com microcefalia, condição que com- dos Estados Unidos. Mas os cortes no or-
promete o desenvolvimento cerebral. çamento da ciência colocam essas e outras
A relação era óbvia, mas ninguém sabia ex- pesquisas em risco. À GALILEU, o neuro-
plicá-la. A resposta veio em um estudo li- cientista sugeriu que políticos recebessem
derado pelo neurocientista Stevens Rehen uma “alfabetização científica”.
(o nome engana, mas ele é brasileiro), di- Rehens explicou também como o estu-
retor de pesquisa do Instituto D’Or de do de minicérebros pode permitir a cria-
Pesquisa e Ensino e professor da UFRJ. ção de computadores com circuitos bio-
Sua equipe descobriu que cérebros lógicos. Ele os utiliza para entender os
com zika cresciam até 40% menos do efeitos do DMT, componente psicodéli-
que os não infectados. Os resultados são co da ayahuasca. Sobre o renascimento
tão relevantes que foram publicados na das pesquisas com drogas psicodélicas,
Science, uma das revistas científi- o pesquisador afirma que elas ajudam a
54
cas de maior prestígio do mundo. desvendar a consciência humana.
VOCÊ TEM FOCADO SUAS PESQUISAS NO
ESTUDO DOS CHAMADOS MINICÉREBROS.
COMO FUNCIONA ESSA TECNOLOGIA?
Desde 2007, neurônios e células gliais
do cérebro humano podem ser gerados
em laboratório a partir de células repro-
gramadas, e essa foi a principal revo-
lução. No Instituto D’Or de Pesquisa e
Ensino, o Idor, utilizamos células repro-
gramadas da pele ou urina para melhor
entender doenças humanas associadas
ao neurodesenvolvimento, incluindo es-
quizofrenia, formas raras de epilepsia
e também a síndrome congênita causa-
da pelo vírus zika. Normalmente, esses
neurônios e tipos gliais são estudados
enquanto “grudados” a placas de plás-
tico. Uma forma alternativa é mantê-los
vivos como “agregados tridimensionais
flutuantes” que repetem algumas das ca-
racterísticas observadas nos primeiros NO SEU ENTENDIMENTO, QUAIS FORAM AS
estágios de formação do sistema nervo- SUAS PRINCIPAIS CONTRIBUIÇÕES?
so. Dessa maneira, as células se organi- Eu amadureci como cientista no labora-
zam em camadas, se posicionam e pro- tório de Rafael Linden, onde aprendi a
duzem proteínas como aconteceria no fazer cultivos de explantes e agregados
interior do cérebro de um feto. para estudar a neurogênese. Quando
morei na Califórnia, desenvolvi, em
PODE TRAÇAR UM BREVE PANORAMA DA CÉREBRO IN VITRO parceria com Jerold Chun e outros co-
EVOLUÇÃO DOS ESTUDOS NESSA ÁREA? Pesquisadores legas, um modelo de cultivo tridimen-
O estado atual de cultivo desses agrega- modificam células da sional que permitiu a descrição original
dos, sofisticados ao ponto de serem cha- urina ou da pele para de que o cérebro é um mosaico com ge-
mados de minicérebros ou organoides que se transformem nomas diferentes. Foi com esse mesmo
cerebrais, é fruto do trabalho de diver- em células cerebrais: modelo que descobrimos pistas sobre
sos cientistas ao redor do mundo, desde é assim que cultivam como os giros e sulcos cerebrais são
a década de 1950. Aron Moscona foi o pri- os minicérebros formados ao longo do desenvolvimen-
meiro a dissociar células de embriões de to. Mais recentemente, Yoshiki Sasai,
camundongos e galinhas e descrever que Madeline Lancaster e Juergen Knoblich
conseguem se reconhecer entre si e se re- chegaram aos modelos mais complexos
organizar como tecidos. Nas décadas se- de organoides cerebrais [também cha-
guintes, cientistas — inclusive do Brasil — mados de minicérebros] que utilizamos
aprimoraram essas técnicas para estudar hoje. Nos últimos meses, a equipe da
a formação do sistema nervoso in vitro. pesquisadora Paola Arlotta conseguiu
Fernando Garcia de Mello e Rafael Linden, manter os organoides cerebrais vivos
do Instituto de Biofísica da UFRJ, foram por mais de nove meses e com a
55
pioneiros no uso dessa metodologia. Foto: CK Fonseca/Divulgação habilidade de responder à luz.
cruciais sobre os vetores e as regiões do
Brasil mais afetadas. Um país que alme-
ja ser desenvolvido tem como dever de
casa investir em ciência. Consolidar uma
ciência forte não se faz da noite para o
dia, mas perdê-la pode ser muito rápi-
do, basta um período curto sem apoio.

E AGORA, DEPOIS DOS CORTES ANUNCIADOS


PELO GOVERNO, AS PESQUISAS SOBRE ZIKA
Toda a nossa ciência está SERÃO COMPROMETIDAS?
ameaçada, seja para estudar A ciência brasileira sofre o maior des-

zika, seja a Amazônia, seja manche de sua história, “justificado” pela


necessidade de austeridade econômica.
nossa identidade como nação” Toda a nossa ciência está ameaçada, seja
para estudar zika, seja a Amazônia, seja
nossa identidade como nação.

EXISTE MUITA EXPECTATIVA EQUIVOCADA EM SETEMBRO, A SEGUNDA MARCHA PELA


AO REDOR DESSA TECNOLOGIA? O QUE ELA CIÊNCIA NO BRASIL TEVE ADESÃO E VISIBI-
PROMETE PARA O FUTURO? LIDADE MUITO BAIXAS. HÁ UMA APATIA POR
Cabe mencionar que a denominação PARTE DE NOSSOS CIENTISTAS?
“minicérebros” sugere, de maneira exa- Há uma apatia generalizada da popula-
gerada, que seriam estruturas iguais a ção. Se não fosse por isso, haveria mui-
cérebros humanos funcionais, só que ta gente na rua para protestar contra um
menores. Não é bem assim (risos). Os governo que descuida tanto do meio am-
organoides cerebrais ainda estão mui- biente, da saúde, do ensino e segue as-
to longe de funcionar como um cérebro sociado à corrupção. O governo ignora
humano “fora do corpo”. De qualquer sistematicamente a opinião pública e os
maneira, as descobertas esperadas pela anseios mais básicos e essenciais da po-
disseminação da tecnologia são enor- pulação. Talvez a sociedade simplesmen-
mes. O teste de medicamentos é uma te não acredite que pode haver mudanças.
aplicação imediata, tanto para zika e au- O custo-benefício de protestar acaba se
tismo como para outras alterações de tornando alto demais. Da parte da comu-
desenvolvimento. Expectativas também nidade científica, falta nos comunicarmos
incluem a produção de material para melhor. Seguimos invisíveis, um grupo
transplantes e até a utopia futurista de quase sem representatividade.
criação de computadores que misturem
circuitos biológicos e não biológicos. E COMO AVALIA ESSA SITUAÇÃO NO RESTO
DO MUNDO? ESTAMOS MUITO PARA TRÁS?
FOI GRAÇAS AOS MINICÉREBROS QUE VOCÊ Cabe lembrar que o analfabetismo cien-
IDENTIFICOU A ASSOCIAÇÃO ENTRE O VÍRUS tífico não é um problema exclusivo do
ZIKA E A MICROCEFALIA. O BRASIL SE TOR- Brasil. O astrônomo Carl Sagan teve
NOU O SEGUNDO PAÍS COM MAIS PESQUISAS enorme influência em decisões sobre
NA ÁREA. QUE LEGADO ESSES ESTUDOS DEI- investimento em pesquisa nos EUA.
XARAM À CIÊNCIA BRASILEIRA? Ele foi incansável nessa aproximação de
A epidemia de zika nos fez lembrar como comunidade científica com sociedade e
a ciência de nosso país pode ser forte. Em também com a classe política. Visitava
poucos meses, centenas de pesquisado- PSICODELIACIENTÍFICA os congressistas norte-americanos para
res do Brasil se debruçaram sobre o tema, Liberdade religiosa lembrá-los de como o investimento em
confirmaram a associação entre microce- no Brasil permite ciência é que fazia a diferença naquele
falia e a infecção pelo vírus zika, descreve- uso de ayahuasca em país e, assim, evitava cortes mesmo em
ram a forma como as células do cérebro rituais: isso facilitou momentos de crise econômica. União
são afetadas, o espectro de malformações a pesquisa e fez Europeia, China, Israel, Japão e Coreia
congênitas associadas, sugeriram medica- brasileiros virarem do Sul também perceberam a importân-
mentos e tratamentos para a síndro- referência no mundo cia estratégica da ciência e nunca para-
56
me, além de obterem informações ram de investir. Já o Brasil, está entre as
dez maiores economias do mundo, mas NO FINAL DO ANO PASSADO, A PESQUISA QUE
amarga a 40ª posição quando o assunto IDENTIFICOU UMA POSSÍVEL RELAÇÃO ENTRE
é investimento em ciência e tecnologia. A AYAHUASCA E A PROLIFERAÇÃO DE NEURÔ-
O preço de commodities vai sempre se NIOS, LIDERADA POR VOCÊ, TEVE BASTANTE
desvalorizar, com impacto direto sobre VISIBILIDADE. SEU GRUPO CHEGOU A NOVOS
nossa matriz econômica atual. Precisamos RESULTADOS INTERESSANTES?
de gente da ciência fazendo esse contato Foi uma contribuição modesta que ganhou
direto com a classe política. Fala-se tanto visibilidade desproporcional em virtude
que o agro é pop, mas a ciência brasilei- da curiosidade acerca de ciências psicodé-
ra é a responsável pelo sucesso de nossa licas. Sim, temos novos resultados sobre o
agricultura. A ciência é nossa riqueza e efeito de um análogo de DMT em organoi-
nosso futuro. A classe política precisa ser des cerebrais. Esse trabalho acaba de ser
alfabetizada cientificamente. aceito para publicação numa revista cien-
tífica internacional: descreve, pela primei-
O GRANDE SUCESSO DO TERCEIRO CON- ra vez, modificações na formação de me-
GRESSO PSYCHEDELIC SCIENCE TEM LEVA- mórias após exposição ao psicodélico.
DO MUITOS A CONSIDERAREM 2017 UM ANO
MARCANTE PARA A PESQUISA CIENTÍFICA PARA VOCÊ, O CÉREBRO HUMANO CONTINUA
DE DROGAS PSICODÉLICAS. AS CONDIÇÕES SENDO O MAIOR DOS MISTÉRIOS, E DESVEN-
ESTÃO MAIS FAVORÁVEIS PARA A REALIZA- DÁ-LO É UM DOS MAIS DESAFIADORES EM-
ÇÃO DESSE TIPO DE ESTUDO? PREENDIMENTOS DA CIÊNCIA. COMO AS
O renascimento das ciências psicodéli- DROGAS PSICODÉLICAS PODEM AJUDAR?
cas é, em parte, consequência da pou- Tenho duas grandes curiosidades que
ca variedade de medicamentos tradicio- me motivaram, desde criança, a fazer
nais para tantos transtornos mentais sem ciência. A primeira é se há vida fora da
cura. Depressão e estresse pós-traumáti- Terra; e a segunda é sobre o cérebro
co têm taxas crescentes com enorme re- humano propriamente dito. O que nos
levância e impacto social, principalmente faz ter consciência de que estamos vi-
em países em crise econômica, violentos vos? E é aí que entram as substâncias
ou constantemente em guerra. Também psicodélicas: elas podem nos ajudar no
houve uma reflexão histórica de como a entendimento de alguns aspectos de
proibição das substâncias psicodélicas nossa consciência.
obedeceu a uma agenda política e não
de saúde. Uma nova geração de cientis- EM ENTREVISTA AO PROGRAMA CONVERSA
tas passou a se interessar pelos traba- COM BIAL, VOCÊ COMENTOU QUE A BIOTEC-
lhos pioneiros de Albert Hofmann, David NOLOGIA PODE AJUDAR OS HUMANOS A CO-
Nichols, Rick Doblin etc. Testes clínicos LONIZAR OUTROS PLANETAS. MAS EXISTEM
com substâncias como MDMA e psiloci- BARREIRAS PARA IMPLEMENTAR MUDAN-
bina estão em andamento, alguns patro- ÇAS NO GENOMA HUMANO. ISSO DEVE MU-
cinados pelo próprio exército dos EUA. DAR NAS PRÓXIMAS DÉCADAS?
Com informação e sem preconceito, res- O desenvolvimento de tecnologias como
surgiram as ciências dos psicodélicos. o CRISPR [fala-se “crisper”] revolucio-
nará a forma como editamos o mate-
E COMO O BRASIL ESTÁ INSERIDO NAS PES- rial genético. O impacto dessa tecnolo-
QUISAS COM PSICODÉLICOS? ESTAMOS À gia vai alterar nossa comida, os animais
FRENTE DE OUTROS PAÍSES? que criamos para nos alimentar e nos
Dartiu Xavier, Luís Fernando Tófoli, fazer companhia e, principalmente, nós
Eduardo Schenberg, Bia Labate, mesmos. Doenças como herpes, HIV e
Draulio Araujo, Sidarta Ribeiro: são to- alguns tipos de câncer estão com os dias
dos líderes reconhecidos em pesquisas contados. As barreiras técnicas são cada
com psicodélicos. O Brasil se valeu da vez menores, e justamente por isso a so-
liberdade religiosa, que permite o uso ciedade precisa estar bem informada so-
da ayahuasca (cujo componente psico- bre o que vem pela frente, inclusive a res-
délico é o DMT) em rituais, e virou lí- peito da possibilidade de modificações
der em pesquisa antropológica, cientí- genéticas nos livrarem de doenças e nos
fica e clínica. Raro exemplo em que a tornarem física e cognitivamente distin-
religião favoreceu a ciência (risos). tos do que somos hoje.

REFLEXOS. HOJE FOI MEU ANIVERSÁRIO.

QUARENTA E QUATRO VOLTAS EM TORNO DO

SOL E 1.775 EM TORNO DA TERRA!”


VOLTA AO MUNDO EM 90 MINUTOS

ASTRONAUTA TIM PEAKE DEU 16 VOLTAS POR DIA NA TERRA DURANTE SEIS MESES
E APROVEITOU PARA FOTOGRAFAR TUDO QUE VIU DE MAIS IMPRESSIONANTE

FOTOS EDIÇÃO DESIGN


TIM PEAKE GIULIANA DE TOLEDO CAROL MALAVOLTA

59
A JORNADA
No livro Em Órbita, recém-lançado no
Brasil, Tim Peake destaca marcos da sua
experiência; conheça alguns

22.03.2016 10.04.2016
Completou Usando braço
24.02.2016 17.03.2016 24.04.2016 27.04.2016
os seus robótico,
Usou câmara A distância, Correu a Lançou seu
primeiros capturou a
hermética dirigiu o Maratona primeiro
cem dias no espaçonave
hiperbárica veículo Mars de Londres satélite no
espaço Dragon
para estudo Rover em na estação, espaço
15.01.2016 18.01.2016 13.05.2016 06.06.2016
que pode teste em em 3 horas,
Ao completar Feito inédito, Conversou Entrou no
ajudar quem Stevenage, 35 minutos e
seu primeiro flores com Stephen Módulo
tem asma Inglaterra 21 segundos
mês, Peake fez cuidadas por Hawking e Expansível
15.12.2015 sua primeira astronautas a escritora de Atividade 18.06.2016
Começo da caminhada brotaram Lucy Hawking, Bigelow De volta
missão. Até no espaço na estação sua filha (BEAM) à Terra,
a Estação aterrissou no
Espacial Cazaquistão
Internacional com a cápsula
foram 6 horas Soyuz
de viagem TMA-19M

TEMPO NO ESPAÇO: 26 SEMANAS, 3 DIAS, 23 HORAS, 11 MINUTOS E 50 SEGUNDOS

DISTÂNCIA PERCORRIDA: 114.240.000 KM

VOLTAS NA TERRA: 2.720

Página anterior: BREST


TACHAUZ França
Turcomenistão ara quem confessa com muita frequência — a poeira O público que o acompanhou
que, aqui na Terra, e as partículas sólidas no ar não pelas redes sociais também tem
só usava a câmera assentam no chão em um ambiente sua parcela de mérito. Apesar
P
fotográfica no modo de microgravidade, então é bem de toda a tecnologia da estação,
automático, passar meio ano fácil contaminar o mecanismo da ironicamente, a conexão de internet
no espaço foi uma experiência câmera quando ele fica exposto”, de lá é extremamente lenta, o que
transformadora. A vontade de conta o major no livro Em Órbita: criava um problemão na hora de
documentar a beleza do nosso Uma Visão Especial do Planeta Terra, identificar as fotos. Google Earth
planeta fez o astronauta britânico lançado no Brasil pelo selo Paralela. nem pensar. Para isso, a ajuda da
Tim Peake aprender rapidamente Modesto, o inglês atribui Terra era salvadora. “Sempre havia
Nesse sobrevoo, o
como manejar bem uma máquina a qualidade das imagens que gente disposta a ajudar na pesquisa
Em 7 de abril britânico conseguiu
na Estação Espacial Internacional. conseguiu capturar — tão lindas e fornecer os detalhes que faltavam”,
de 2016, seu capturar bem as
Se, por aqui, para amadores, a ponto de merecerem um livro — escreve. E quando nada disso luzes noturnas de
aniversário, Peake
registrou o sol já não é fácil garantir um bom aos próprios encantos do Universo funcionava? Ah, Peake conta que um Londres, Paris,
refletindo no Lago clique, lá surgem mais dificuldades. e aos conselhos dos companheiros velho atlas de papel — quem diria — Bruxelas, Roterdã
Sarygamysh “Tentamos não trocar as lentes americanos Scott Kelly e Tim Kopra. era um grande amigo da tripulação. e Amsterdã
61
DA CÚPULA
Tim Peake
na janela da
Estação Espacial
Internacional

OCEANO
ÍNDICO
Somália

Nesta imagem,
o astronauta se
encantou com o
brilho das estrelas:
tão forte que às
vezes é difícil
até identificar as
mais conhecidas


TENHO MUITO A AGRADECER AO PLANETA

EM ÓRBITA: UMA TERRA: O LUGAR É TÃO LINDO QUE


VISÃO ESPECIAL DO
PLANETA TERRA TORNOU MEU TRABALHO FACÍLIMO!”
Tim Peake
Paralela
R$ 89, 240 págs.
63
no
65

I
Ideias para o doutorado fervilhavam na
cabeça de Raquel Aló ao conversar com o
orientador, em 2003. Formara-se psicó-
loga pela Universidade de Brasília (UnB)
dois anos antes e emendara o mestra-
do por lá. No próximo passo acadêmico,
decidiu fazer pesquisa na Universidade da Virgínia
Ocidental, nos Estados Unidos, orientada por Ken-
non Andy Lattal, referência em sua área. Antes de
Aló, já havia formado 30 e tantos doutores. “Para
DOIS EM CADA TRÊS ARTIGOS mim, o Andy sabia tudo”, diz. “É um desses gigan-
tes de voz calma e olhar profundo, cheio de energia,
PODEM SER BAIXADOS DE GRAÇA apaixonado pela ciência — um doutor de verdade.”
Mesmo sem nunca ter protagonizado Doctor
NA INTERNET. GRANDES EDITORAS Who, todos chamam Lattal de “o Doutor”. Quando

DE PERIÓDICOS BRIGAM PARA


começou a publicar trabalhos em análise comporta-
mental, nos anos 1960, vestia-se paletó por debaixo

DERRUBAR SITES PIRATAS ENQUANTO do jaleco e as investigações duravam anos antes de


serem publicadas. Naquela época, os cientistas se

TENTAM SE REINVENTAR PARA encontravam em congressos e davam aos colegas


cópias impressas dos próprios artigos.
SOBREVIVER AO ACESSO ABERTO Por três séculos, a fórmula foi simples. As melho-
res pesquisas são publicadas após checagem cuida-
dosa de especialistas — a revisão por pares. Todos
ganhavam: o autor divulgava seu trabalho e a ciência
florescia com a troca de conhecimentos confiáveis.
E as editoras embolsavam muito dinheiro com a as-
sinatura de periódicos e a venda de artigos. Esse mo-
delo fez a publicação científica virar um negócio lu-
crativo: cerca de 10 mil editoras movimentam US$ 25
bilhões ao ano. Até que a internet chacoalhou tudo.

Artigos no armário
Em 2003, os velhos hábitos persistiam. Após ouvir
a orientanda, o Doutor sorriu e caminhou serena-
mente até um armário no canto da sala. Tirou de lá
uma pilha de papéis amarelados e os jogou na mesa
com um baque. Eram todos os artigos que ele ha-
REPORTAGEM
ANDRÉ JORGE DE OLIVEIRA via publicado. Se Aló fosse pagar por tudo aquilo,
gastaria uma pequena fortuna, já que as editoras
cobram dezenas de dólares pelo acesso a cada ar-
tigo. Mesmo antes da internet, os cientistas já “pi-
ILUSTRAÇÃO rateavam” as próprias pesquisas.
GUILHERME HENRIQUE
Só que, neste ano, a pirataria científica tomou pro-
porções inimagináveis. Se o Sci-Hub, “Pirate Bay” da
ciência, fosse o armário na sala do Doutor, Raquel Aló
DESIGN teria à disposição 64,5 milhões de papers de todas
PAULA COELHO as áreas. Seria como abrir a porta e encontrar dois
SCI-HUB • COMO FUNCIONA 66

de cada três artigos já publicados. Todos os dias, esse


armário virtual é vasculhado 165 mil vezes — e, em
99% delas, quem busca encontra o que procura.
O usuário faz a busca pelo
artigo com um localizador Fundado em 2011 pela neurocientista cazaque
digital (DOI, URL, PMID) Alexandra Elbakyan, a “Robin Hood da ciência”, o
Se o artigo estiver
no banco de dados, o mecanismo engenhoso do Sci-Hub expandiu expo-
PDF é disponibilizado nencialmente as publicações cadastradas (enten-
da observando o gráfico ao lado). Por dois anos,
CASO O ARQUIVO NÃO ESTEJA CADASTRADO trabalhou com um projeto parceiro, o Library Ge-
nesis (LibGen), mas desde 2015 eles operam se-
Acesso aberto paradamente. Naquele ano, a holandesa Elsevier,
maior editora científica, processou os dois. Com
Acesso restrito
mais de 97% de seus papers pirateados, a empre-
Sistema usa sa, que em 2016 faturou R$ 9,7 bilhões, exigia re-
senhas dos
Artigo é periódicos paração por danos à propriedade intelectual.
localizado fornecidas Em junho, saiu o veredicto do juiz Robert Sweet,
pelo de forma que foi doce com
sistema anônima por
pesquisadores a Elsevier: con-
com acesso denou os sites

97,3%
piratas ao paga-
mento de US$ 15
milhões. Foi uma
PDF é amostra de que os
disponibilizado
ao usuário
conglomerados da DOS ARTIGOS
e incluído publicação cientí-
no repositório fica continuam
CIENTÍFICOS
firmes e influen- DA ELSEVIER
tes — mas não en- ESTÃO NO
COBERTURA DE ARTIGOS Número de periódicos (total) tre os pesquisa-
SCI-HUB
Número de artigos (em milhões) dores. De volta à
Número no Sci-Hub (em milhões)
UnB em 2014, Ra-
Cobertura (em %)
quel Aló conside-
ra o sistema injusto por fazer a universidade pagar
duas vezes: para realizar a pesquisa e para acessá-la.
Acesso aberto
Acesso restrito “É trabalhar para enriquecer quem já é rico: não de-
2,6 mil 20 mil mocratiza o conhecimento”, queixa-se.
Ela condena o fato de que, em países como o
49,1% Brasil, onde a maioria das pesquisas é feita em
85,2% instituições públicas, o cidadão não tenha aces-

54 Total so ao conhecimento produzido com seu impos-


2,8 Total to. “É uma coisa muito grave, séria e errada.” Uma
das táticas dos cientistas para driblar as restrições
1,4 Sci-Hub sem apelar à pirataria são redes sociais acadêmi-
cas como o ResearchGate. Elas informam quando

46 Sci-Hub um colega publica um artigo — basta mandar um


e-mail pedindo uma cópia. Das editoras, é a Else-
vier o foco das reclamações. Aló está entre os qua-
se 17 mil pesquisadores que boicotaram a empresa.
67 POR ÁREA DE CONHECIMENTO Número de periódicos (total)
Número de artigos (em milhões)
Número no Sci-Hub (em milhões)
Cobertura (em %)

Medicina
6,5 mil
Ciências Sociais
O custo do conhecimento
79,6% 4,5mil
Idealizado em 2012 por Tyler Neylon, matemático
da Universidade de Nova York, o boicote se chama 83,1%
The Cost of Knowledge (O Custo do Conhecimento). 19 Total
A petição é contra os preços “exorbitantemente al-
tos” cobrados pelas assinaturas. O boicote inclui não 5,8 Total
publicar, não citar ou não colaborar com nenhum dos 15 Sci-Hub
jornais publicados pela Elsevier: os pesquisadores 4,8 Sci-Hub
podem escolher com quais termos se comprometem.
“O que mais quero é viver em um mundo onde
qualquer pessoa possa ler qualquer artigo científico
de graça”, diz Neylon. Alguns anos após o advento
da internet, essa vontade virou movimento: o open
access (acesso aberto). Há alas “de guerrilha” como Ciência da Computação
o Sci-Hub, mas todos lutam pelo acesso irrestrito
ao conhecimento. Cinco anos depois de ter criado
1,4mil
o The Cost of Knowled-
ge, Neylon admite estar 76,3%
um pouco decepciona- Física e Astronomia
1,1 mil
64,5
do. “No início, eu pensa-
va que a transição para 2,3 Total
o acesso aberto univer- 89%
sal pudesse ser acelerada 1,8 Sci-Hub
MILHÕES pelo uso eficiente da tec-
nologia, mas agora pos- 6,6 Total
É O NÚMERO so ver que essa mudança
DE ARTIGOS À é primariamente social.”
5,8 Sci-Hub
DISPOSIÇÃO Mobilizações de aca-
dêmicos contra as gran-
DOS USUÁRIOS
des editoras são cada
vez mais frequentes: em
janeiro, 60 grandes cen-
tros de pesquisa alemães cancelaram as assinatu-
ras dos jornais científicos da Elsevier. Quanto ao Química
papel da pirataria dentro do movimento, ele não
acredita que um bom caminho possa ser construí-
849 Neurociência
do em cima de algo ilegal, mas considera que o 551
92,8%
mundo é um lugar melhor com o Sci-Hub. “Ele não
respeita o espírito da lei de direitos autorais, mas 87,7%
proporciona um grande valor a todos com acesso
5,4 Total
à internet e desejo de aprender.”
Apesar do nome de pedagogo, Paulo (Alves) Frei- 1,7 Total
re é doutorando do departamento de Biologia Mari- 5,1 Sci-Hub
nha da Universidade Federal Fluminense (UFF). Ele 1,5 Sci-Hub
diz que, se não fosse pelo Sci-Hub, não teria con-
seguido discutir mais da metade dos artigos cita-
dos no mestrado. Freire estima não ter encontrado
60% do que precisava no Portal de Periódicos da
68 EDITORAS COM MAIS DE 1 MILHÃO Número de periódicos (total)
Número de artigos (em milhões)
DE ARTIGOS NO SCI-HUB Número no Sci-Hub (em milhões)
Cobertura (em %)

Elsevier 3.356
97,3%
Capes, que subsidia com recursos do MEC o aces-
so a 38 mil títulos. O biólogo se sente lesado com o
Springer Nature 2.338
sistema de publicações. “Quando você publica um
13,18 Total
89,4%
artigo, não ganha absolutamente nada com isso a
não ser reconhecimento, enquanto as editoras ficam
com o lucro de uma propriedade intelectual que é 6,07 Total
sua”, reclama. A margem de lucro da Elsevier che- 12,83 Sci-Hub
ga a 35% (a do Facebook é 41%) — enquanto nos- 5,42 Sci-Hub
sa ciência sofre o pior corte de verbas da história.

Uma pizza que só cresce


Dante Cid, vice-presidente de relações acadêmicas
da Elsevier na América Latina, diz que a empresa
existe para servir à comunidade científica. “No mo-
mento em que os cientistas deixarem de perceber
Taylor & Francis 1.463
que agregamos valor, vamos deixar de existir.” Pes- 96,2% Wiley Blackwell 1.375
quisadores criticam os pre-
ços para que os papers se- 94,8%
jam open access: a leitura

165 1,87 Total


é gratuita, mas os autores
pagam a taxa de proces-
samento de artigo (APC).
1,80 Sci-Hub 4,88 Total
É a via dourada. Há tam-
MIL BUSCAS bém a via verde, onde o
conteúdo é publicado no 4,63 Sci-Hub
VÁLIDAS modelo clássico e libera-
SÃO FEITAS do após embargo.
POR DIA NO Na Elsevier, a APC vai
de US$ 500 a US$ 5 mil.
SCI-HUB
O executivo explica que os
preços salgados selecio-
Wolters Kluwer Health
nam pesquisas de ponta,
munidas de mais recursos, evitando uma enxurra- 398
American Chemical Society
da de estudos submetidos à avaliação das melhores
79,2%
revistas. “O processo se tornaria caótico e inviável.”
Cid destaca medidas como a liberação do acesso a
63
países com baixa renda per capita e a mobilização 98,8%
em momentos de emergência, como as epidemias
1,87 Total
de zika e ebola, nos quais o acesso às publicações
sobre o assunto é aberto.
1,48 Sci-Hub
Em campanha contra a pirataria, a Elsevier ressal- 1,41 Total
ta que, quando a propriedade intelectual não é respei-
tada, perde-se o incentivo à criação. O vice-presiden-
1,39 Sci-Hub
te diz que conteúdos piratas perdem a confiabilidade
e a capacidade de contabilizar citações que medem a
relevância dos trabalhos acadêmicos. Para Cid, como
aqui o acesso aos periódicos é subsidiado pelo gover-
no, não há desculpa para recorrer à pirataria. “É um
69

10
FATURAMENTO DA ELSEVIER (em bilhões*)

9,72
2011 é o ano de criação do Sci-Hub

comodismo de querer acessar da sala de casa; as por-


8,88
8,58 8,63 8,54 8,67 tas estão abertas em qualquer universidade pública.”
8,46 Para fazer frente à pirataria, a Elsevier aposta no
8,29 open access como modelo de negócio. Dos 420 mil
artigos publicados em 2016, 20 mil são de acesso
aberto — é a segunda editora que mais publica nes-
7,12 se formato. Boa parte dos periódicos são híbridos:
aceitam artigos abertos e restritos. Apesar do baru-
lho, o Sci-Hub não tem causado grandes prejuízos.
6,28 “O tamanho da pizza, como a gente diz, vem cres-
0
cendo como um todo: a fatia de acesso aberto cresce
2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016
bastante, mas a de assinatura também”, afirma Cid.
O debate sobre como implementar o open access
permanece aberto, mas temos um case no Brasil.
Criado em 1997, o SciELO é um modelo coopera-
tivo de jornais científicos nacionais open access na
DOAÇÕESAOSCI-HUB internet. Pioneira, a plata-
forma deu tão certo que se
expandiu para 14 países.

85%
“É um selo de qualidade
Jun. 2015/ Jun. 2017 para as revistas do Bra-
1.037 sil”, destaca Abel Packer,
idealizador e coordenador.
Neste ano, conta com 285 DOS ARTIGOS
92,63 bitcoins, revistas e acervo gratuito
de 313 mil artigos.
DE ACESSO
dos quais 25,21
foram gastos Esse é um exemplo de RESTRITO
que o modelo sem fins lu- ESTÃO NO
crativos de acesso aberto
SCI-HUB
é viável em grande escala,
67,2 bitcoins com recursos das institui-

em caixa ções que publicam revis-


tas, de agências de fomento e da cobrança de APC.
Segundo Packer, o Sci-Hub não é legítimo. “Mas é
revelador de que o sistema atual enfrenta sérios pro-
Total em dólares* blemas para atender às necessidades dos pesquisa-
US$ 175 mil dores.” Outra prática comum na academia é a publi-
cação de preprints: manuscritos dos artigos antes de
serem submetidos às revistas. Plataformas como o

342%
arXiv possuem mais de 1 milhão deles cadastrados.
“A médio e longo prazo, o modelo clássico está
de valorização em 2017 com os dias contados”, ressalta Rogério Meneghi-
ni, diretor científico do SciELO. Tudo indica que,

2 em cada 3 cedo ou tarde, o armário da literatura científica fica-


rá destrancado. “Eu não sei dizer quanto tempo vai
artigos científicos
levar, mas um dia viveremos em um mundo no qual
estão no Sci-Hub o acesso universal ao conhecimento será um direi-
to humano básico”, diz Tyler Neylon.
TUBO DE ENSAIOS
POR DR. DANIEL BARROS*
71

psiquiátricos são crenças arraigadas,


inquestionáveis, que passam a dirigir a
vida. Sim, é muito semelhante às con-

TERRORISMO
vicções políticas, religiosas, ideológicas.
A diferença é que, classicamente, os
delírios não são compartilhados com

É UMA DOENÇA
outras pessoas, não fazem parte de
uma cultura amplamente aceita. A dú-
vida entre fé e delírio, entre ideologia e

MENTAL?
loucura, surge quando as crenças até fa-
zem parte de uma cultura, mas os atos
individuais extrapolam o esperado em
seu meio. Muitos acreditam nas mes-
Crenças extremistas e arraigadas muitas vezes mas teorias conspiratórias que Breivik,
assumem um papel tão grande na vida das alegou a corte na sentença, mas poucos
pessoas que podem, de fato, parecer delírios creem que a solução seja o terrorismo.
Diversas consequências advêm do
fato de não considerarmos o radica-
lismo uma doença mental. Se, por um
lado, os terroristas podem ser consi-
Em 22 de julho de transtorno mental. Consideraram-no derados responsáveis por seus atos,
E 2011, uma pequena psicótico, cindido com a realidade por por outro, assumimos que não temos
multidão de jovens conta de seu diagnóstico, e afirmaram uma cura para o problema.
simpatizantes do que a doença era responsável por seu Isso não significa que não possamos
partido trabalha- comportamento. O relatório dividiu o fazer nada. Hoje já são conhecidos di-
dor da Noruega estava reunida na país ao meio — literalmente metade versos fatores de risco associados à
ilha Utoya quando, inesperadamen- da população não se conformava com radicalização. Normalmente, os envol-
te, começou a ouvir tiros. Poucas ho- tal diagnóstico, pois acreditava que ele vidos são jovens com pouca inserção
ras antes, alguns prédios do governo sabia muito bem o que estava fazendo. na comunidade, sem um claro senso de
em Oslo haviam sido atacados com Ironicamente, uma das pessoas mais propósito e com um horizonte de pos-
bombas, confundindo a força policial indignadas com esse resultado foi o sibilidades na vida bastante estreito.
e de resgate. Oito pessoas morreram próprio Breivik. “Devo admitir que essa Claro que isso não basta para formar
nas explosões, e mais 69 em Utoya. é a pior coisa que poderia ter aconte- um terrorista — a maioria nessas con-
A ocorrência cronometrada dos ata- cido comigo por ser a maior humilha- dições simplesmente segue em frente.
ques não foi coincidência. O norueguês ção. Enviar um ativista político para Mas tais indivíduos são território fértil
Anders Behring Breivik passou anos um hospital psiquiátrico é mais sádico para que lhes sejam incutidas ideolo-
planejando o atentado, conforme con- e cruel do que executá-lo. É um destino gias que lhes tragam um propósito
fessou ao ser detido sem resistência. pior que a morte” — escreveu enquan- existencial, que os insiram num grupo
No mesmo dia do ataque, Breivik to aguardava uma segunda avaliação. e lhes deem alguma certeza apazigua-
publicou um manifesto justificando-o É compreensível: se o que ele fez fosse A dúvida dora. Transformar essas realidades é
por meio de um discurso extremista,
com ideias persecutórias relacionadas
colocado na conta da loucura, o protes-
to todo seria esvaziado. Exatamente o
entre fé o grande desafio. Podemos não ter a
cura, mas temos muito a fazer.
ao Islã, a homossexuais, mencionan- contrário do que gostaria. A pressão foi e delírio,
do teorias conspiratórias. Juntando o tanta que ele foi reavaliado por uma entre
exagero de suas ideias com o absurdo nova junta e, um ano depois, foi con- ideologia
de seu ato, muitos desconfiaram que
ele só poderia estar louco. Por conta
siderado mentalmente são. Recebeu
a pena máxima norueguesa, mas com
e loucura,
disso, uma junta de psiquiatras se uma sentença que garante a renovação surge
reuniu para examiná-lo antes mesmo da condenação. Aparentemente, ficou quando
do julgamento. Depois de extensas satisfeito dessa vez. os atos
avaliações, o grupo de médicos che-
gou à conclusão — exposta num rela-
O caso ilustra como opiniões radicais
muitas vezes assumem um papel tão
individuais * DANIEL BARROS é psiquiatra do Instituto de
Psiquiatria do HC–FMUSP, doutor em Ciências e

tório com mais de 200 páginas — de grande na vida da pessoa que podem, excedem o bacharel em Filosofia. Atua com divulgação

esperado
científica em vários meios, inclusive como
que Breivik de fato apresentava um de fato, parecer delírios. Esses sintomas consultor do programa Bem Estar (Rede Globo).
PANORÂMICA
FOTO YIANNIS KOURTOGLOU

Ternura: após um ano, o sírio Ammar Hammasho reencontra a esposa e seus quatro filhos em um centro de refugiados localizado em Nicósia, capital do Chipre. Hammasho e

72
Imagem: Yiannis Kourtoglou/Reuters Pesquisa: Franklin Barcelos
sua família viviam na cidade síria de Idlib, até que uma bomba destruiu sua casa e matou um dos filhos — em seis anos de guerra civil, mais de 400 mil pessoas já morreram.

73
ULTI-
MATO PARA FAZER A DIFERENÇA AGORA QUE VOCÊ LEU A REVISTA, DESCUBRA ALGO MAIS

PARA COMBATER O DISCURSO QUE TAL APROFUNDAR SEU FICOU CURIOSO SOBRE AO CONHECER A HOGWARTS DEPOIS DE VER AS FOTOS
NAZISTA, GOSTARIA DE LER CONHECIMENTO A RESPEITO OS RITUAIS DE CHUVA BRASILEIRA, BATEU DE TIM PEAKE, TEM
MAIS INFORMAÇÕES SOBRE O DOS DESDOBRAMENTOS FEITOS PELA FUNDAÇÃO SAUDADE DAS HISTÓRIAS INTERESSE EM CONTINUAR
HORROR DO HOLOCAUSTO? DA REVOLUÇÃO RUSSA? CACIQUE COBRA CORAL? DE HARRY POTTER? A VIAGEM PELO ESPAÇO?

Ao menos 6 milhões Rodrigo Rollemberg, No momento, seis


de judeus foram governador do astronautas estão
assassinados Distrito Federal, vivendo fora da Terra,
nos campos de fechou parceria com na Estação Espacial
concentração nazistas a fundação em março Internacional
deste ano

Guennadi Ziuganov, Com livros, filmes e


candidato do Partido produtos licenciados,
Comunista, ficou em o universo de Harry
segundo lugar na Potter já arrecadou
disputa presidencial um valor superior
russa de 2012 a US$ 25 bilhões

O DIÁRIO DE ANNE FRANK MOSTRA: 100 ANOS METEOROLOGISTAS E TOUR VIRTUAL BIBLIOTECA DE FOTOS
Após 70 anos de sua primeira DA REVOLUÇÃO PROFETAS DA CHUVA EM HOGWARTS E VÍDEOS DA NASA
publicação, o célebre livro ganha Além de um ciclo de palestras Em seu livro, o antropólogo Projeto liderado por J. K. O arquivo da agência
adaptação oficial em quadrinhos. realizado em parceria com Renzo Taddei estudou as relações Rowling, autora de Harry Potter, espacial norte-americana
O lançamento, pela editora a Editora Boitempo, o Sesc políticas da fundação. Ele o site Pottermore oferece uma contém material de missões
Record, é assinado por Ari Folman apresentará filmes russos entre descreve também as práticas experiência digital imersiva por históricas, além de imagens
e David Polonsky, os mesmos 28 de setembro e 4 de outubro. dos pajés na Amazônia. Hogwarts. Não é feitiçaria, em alta definição de
autores de Valsa com Bashir. é tecnologia. diferentes objetos espaciais.
revolucaorussacombr. Editora Terceiro Nome,
Editora Record, 160 págs., R$ 40 wordpress.com 232 págs., R$ 48 pottermore.com images.nasa.gov

iNovação J. J. de Jedi Repasses Bancomunista


Lançado para comemorar Diretor, roteirista e nerd Comissão do Senado Grupos religiosos e
os dez anos da criação em tempo integral, aprovou projeto para o Movimento Brasil
do primeiro smartphone J. J. Abrams recebeu a que os custos das Livre (MBL) coagiram

1 MIN.
da Apple, o iPhone X missão de comandar o tornozoleiras eletrônicas o Santander Cultural a
traz reconhecimento nono episódio de Star sejam pagos pelos encerrar uma exposição
facial e design renovado. Wars, que chegará condenados — a cada que reunia obras
Mas a tecnologia que aos cinemas em 2019. mês, o gasto é de R$ 300 sobre a diversidade
INFORMAÇÕES DE ÚLTIMA HORA
importa é o novo pacote Abrams dirigiu O por aparelho. Com seus sexual. Promotores
de emojis, que reproduz Despertar da Força, em R$ 51 milhões, Geddel visitaram a mostra
as expressões dos 2015, e já pode cavar sua Vieira Lima custearia 170 e não encontraram
usuários em tempo real. vaga no Conselho Jedi. mil meses do serviço. incitações a crimes.
“ O Tr o p a d e E l i t e
da saúde” O GLOBO

Sob pressão, obra que foi


S
a daptada para o cinema e
in
nspirou a série da tv Globo,
trraz relatos da rotina do médico
ca arioca Márcio Maranhão
d urante os 15 anos em que
trrabalhou em hospitais da rede
p ública em áreas de conflito
a rmado do Rio de Janeiro.

NAS LIVRARIAS E EM E-BOOK

www.globolivros.com.br
O ATUAL MOMENTO DO PAÍS
EXIGE QUE VOCÊ ESTEJA MAIS
BEM INFORMADO.
POR ISSO, NÓS REUNIMOS
TUDO O QUE É RELEVANTE
EM UM ÚNICO APP.

Conteúdo relevante para


todos os momentos do seu dia

Destaques | Fácil de navegar | Últimas edições | Leitura off-line | Melhor experiência de leitura

Cadastre-se em globomais.com.br e experimente 30 dias grátis APRESENTADO POR