Você está na página 1de 3

AlfaCon Concursos Públicos

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
ÍNDICE
Prisão Preventiva e Prisão Domiciliar��������������������������������������������������������������������������������������������������������������2
Medidas Cautelares Diversas da Prisão������������������������������������������������������������������������������������������������������������2
Espécies��������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������2
Requisitos�����������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������3

Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com
fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do AlfaCon Concursos Públicos.
1
AlfaCon Concursos Públicos

Prisão Preventiva e Prisão Domiciliar


A prisão domiciliar deve ser decretada em substituição à prisão preventiva, sempre por ordem
judicial. Consiste no recolhimento do indiciado ou do acusado em sua residência, só podendo dela
se ausentar também por decisão judicial. Para seu deferimento se exige prova idônea evidenciando a
situação específica que a autorize. Sendo assim, de acordo com o artigo 318, o juiz poderá substituir a
preventiva pela prisão domiciliar, observando alguns aspectos:
Art. 317. A prisão domiciliar consiste no recolhimento do indiciado ou acusado em sua residência, só
podendo dela ausentar-se com autorização judicial.
Art. 318. Poderá o juiz substituir a prisão preventiva pela domiciliar quando o agente for:
I – maior de 80 (oitenta) anos;
II – extremamente debilitado por motivo de doença grave;
III – imprescindível aos cuidados especiais de pessoa menor de 6 (seis) anos de idade ou com deficiência;
IV – gestante;
V – mulher com filho de até 12 (doze) anos de idade incompletos;
VI – homem, caso seja o único responsável pelos cuidados do filho de até 12 (doze) anos de idade incom-
pletos.
Parágrafo único. Para a substituição, o juiz exigirá prova idônea dos requisitos estabelecidos neste artigo.

Medidas Cautelares Diversas da Prisão


O artigo 310 do CPP estabelece que o Juiz, ao concordar com a legalidade e homologar a prisão,
deverá conceder liberdade provisória, com ou sem fiança, ou converter a prisão em flagrante pela
prisão preventiva. De qualquer forma, é muito importante verificar que é preferível que o juiz
aplique uma medida cautelar ao invés de uma medida privativa de liberdade. Nisso, vale dizer, que as
medidas cautelares a serem aplicadas se encontram no artigo 319 do CPP, e podem ser aplicadas após
a prisão em flagrante ou até mesmo sem prisão.
MOMENTO: ao longo de toda a persecução penal, não comportando prazo previsto em lei.
CUMULAÇÃO: a cautelar poderá ser aplicada isoladamente ou cumulada com outra. Sobrevindo
provas indicando a sua conveniência, nada impede que seja redecretada.

Espécies
Art. 319. São medidas cautelares diversas da prisão:
I – comparecimento periódico em juízo, no prazo e nas condições fixadas pelo juiz, para informar e jus-
tificar atividades;
II – proibição de acesso ou frequência a determinados lugares quando, por circunstâncias relacionadas
ao fato, deva o indiciado ou acusado permanecer distante desses locais para evitar o risco de novas in-
frações;
III – proibição de manter contato com pessoa determinada quando, por circunstâncias relacionadas ao
fato, deva o indiciado ou acusado dela permanecer distante;
IV – proibição de ausentar-se da Comarca quando a permanência seja conveniente ou necessária para
a investigação ou instrução;
V – recolhimento domiciliar no período noturno e nos dias de folga quando o investigado ou acusado
tenha residência e trabalho fixos;
VI – suspensão do exercício de função pública ou de atividade de natureza econômica ou financeira
quando houver justo receio de sua utilização para a prática de infrações penais;

Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com
fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do AlfaCon Concursos Públicos.
2
AlfaCon Concursos Públicos

VII – internação provisória do acusado nas hipóteses de crimes praticados com violência ou grave
ameaça, quando os peritos concluírem ser inimputável ou semi-imputável (art. 26 do Código Penal) e
houver risco de reiteração;
VIII – fiança, nas infrações que a admitem, para assegurar o comparecimento a atos do processo, evitar
a obstrução do seu andamento ou em caso de resistência injustificada à ordem judicial;
IX – monitoração eletrônica.

Requisitos
Art. 282. As medidas cautelares previstas neste Título deverão ser aplicadas observando-se a:
I – necessidade para aplicação da lei penal, para a investigação ou a instrução criminal e, nos casos ex-
pressamente previstos, para evitar a prática de infrações penais;
II – adequação da medida à gravidade do crime, circunstâncias do fato e condições pessoais do indicia-
do ou acusado.
§ 1º As medidas cautelares poderão ser aplicadas isolada ou cumulativamente.
As medidas cautelares serão decretadas pelo juiz, de ofício ou a requerimento das partes ou,
quando no curso da investigação criminal, por representação da autoridade policial ou mediante
requerimento do Ministério Público. Ressalvados os casos de urgência ou de perigo de ineficácia da
medida, o juiz, ao receber o pedido de medida cautelar, determinará a intimação da parte contrária,
acompanhada de cópia do requerimento e das peças necessárias, permanecendo os autos em juízo.
Vale lembrar também que o juiz apenas poderá decretar a cautelar quando houver crime previsto
com pena privativa de liberdade. Ora, não faria sentido se fosse o contrário!
No caso de descumprimento de qualquer das obrigações impostas, o juiz, de ofício ou mediante
requerimento do Ministério Público, de seu assistente ou do querelante, poderá substituir a medida,
impor outra em cumulação, ou, em último caso, decretar a prisão preventiva (art. 312, parágrafo
único).
O juiz poderá revogar a medida cautelar ou substituí-la quando verificar a falta de motivo para
que subsista, bem como voltar a decretá-la, se sobrevierem razões que a justifiquem.
Exercícios
01. A prisão domiciliar é cabível apenas para a mulher quando for imprescindível aos cuidados
especiais de pessoa menor de seis anos de idade, em virtude do relevante papel social que
cumpre na sociedade.
Certo ( ) Errado ( )
02. A adequação das medidas cautelares diversas da prisão não interfere na conversão da prisão
em flagrante em preventiva, se presentes os requisitos do art. 312 do Código de Processo
Penal.
Certo ( ) Errado ( )
03. As medidas cautelares diversas da prisão podem ser designadas de “medidas alternativas”
à prisão. Isto porque, nos termos do art. 310, II do CPP, para o juiz existe a discricionarie-
dade para decretar a prisão e as cautelares diversas.
Certo ( ) Errado ( )
Gabarito
01 - Errado
02 - Errado
03 - Errado
Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com
fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do AlfaCon Concursos Públicos.
3