Você está na página 1de 10

GESTÃO NA IMPLANTAÇÃO DE SISTEMA

FOTOVOLTAICOAPLICADA NAS RESIDÊNCIAS DE FORTALEZA E


REGIÃO METROPOLITANA.
FAFOR – FACULDADE DE FORTALEZA – FORTALEZA – CE

FERREIRA, Luiz Carlos de Araújo


LIMA, Francisco Glauber
RODRIGUES, João Fernando de Lima
SILVA, DionyTrabussy Costa e
SILVA, Rafael Felipe Moura da
SOUSA, Lucas Mareco Batista de

RESUMO

O objetivo desse trabalho é encontrar meios de fazer com que o conjunto de fatores
que tem colaborado para a expansão da energia solar no Brasil chegue às
residências da cidade de Fortaleza e cidades adjacentes, através da gestão na
implantação de sistemas fotovoltaicos. Investir nesse mercado de energia solar é de
grande relevância, pois, nos trará muitos benefícios socioambientais e
econômicos.Com intuito de fomentar energia limpa, e assim reduzir no consumo de
fontes não sustentáveis, e contribuindo também com diversos fatores como poluição,
divisão de custos de fontes de energia e aplicação a custo benefício. A cidade de
Fortaleza e região metropolitana tem um excelente espaço que favorece o
desenvolvimento eficaz do sistema de energia solar que demanda esse fator
espacial.Analisamos os requisitos para a implantação e gestão de implantação de
sistemas fotovoltaicos que desenvolvam de forma eficiente os planos para geração
de energia solar a custo-benefício.

Palavras chaves: Energia solar, fotovoltaico, residência.

ABSTRACT

The objective of this work is to find ways to make the set of factors that have
contributed to the expansion of solar energy in Brazil reach the residences of the city
of Fortaleza and adjacent cities through the management in the implantation of
photovoltaic systems. Investing in this solar energy market is of great relevance
because it will bring us many socio-environmental and economic benefits. In order to
promote clean energy, and thus reduce the consumption of unsustainable sources,
and also contributing to various factors such as pollution, cost-sharing of energy
sources and application at cost-benefit. The city of Fortaleza and metropolitan area
has an excellent space that favors the effective development of the solar energy
system that this space factor demands. We analyze the requirements for the
implantation and management of the implantation of photovoltaic systems that
efficiently develop the plans for solar energy generation at cost-benefit.

Keywords: Solar energy, photovoltaic, residence.


2

INTRODUÇÃO

Toda energiadisponibilizada para ser transformada, distribuídae


consumidanos processos produtivos do Brasil ainda não é baseada em fontes
naturais de energia que conseguem se renovar, entretanto, recentemente, uma fonte
de energia ganha força em esferas reduzidas, como residências e outros tipos de
edificações, a energia solar.
Através do uso de placas compostas pelas chamadas células fotovoltaicas, é
possível aproveitar a energia do sol e até armazená-la, podendo assim ser uma
alternativa para redução no consumo de energia procedente da rede elétrica,
auxiliando a economia na conta de luz e o menor uso das matrizes não sustentáveis
de energia.
Em momentos de instabilidade de energia e limitação de uso da água, a
energia solar fotovoltaica se transformou na melhor forma de diminuir com energia
elétrica gerada pelas hidrelétricas. A procura por sistemas fotovoltaicos cresce
surpreendentemente e assim um mercado titânico está nascendo.
A busca por novas fontes de energia que possam atender ao crescimento
acelerado da demanda, de forma não poluente e sustentável já é uma tendência
mundial.
Investir nesse mercado de energia solar é de grande relevância, pois nos
trará muitos benefícios coletivos, principalmente de qualidade de vida. Em fonte
extraída do site (http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/ideias/como-montar-uma-
fabrica-de-aquecedor-solar,e9197a51b9105410VgnVCM1000003b74010aRCRD):

O sol é uma fonte perene e totalmente limpa de energia. Sua


utilização pode reduzir a necessidade de construção de hidrelétricas
(que causam alagamentos e deterioração ambiental), de
termoelétricas (que emitem gás carbônico na atmosfera) e de usinas
nucleares (que trazem elevado risco de contaminação). E o Brasil é
um país privilegiado, com alta incidência solar na maior parte de seu
território.

A geração de energia elétrica a partir de fontes fotovoltaicas é extremamente


favorável ao mercado brasileiro. Além do fato do país possuir por causa de sua
3

localização geográfica, uma fonte inesgotável do principal insumo, o sol, também


dispõe da matéria prima, o silício, essencial para a produção das células
fotovoltaicas.
Partindo desta explanação, esse trabalho levanta o seguinte problema: Como
expandir distribuição de energia solar para as residências da cidade de Fortaleza e
região metropolitana?
Há ainda muitos desafios para implementar essa forma de energia
renovável,um deles é o alto custo inicial para empresas particulares, ea falta de
incentivos públicos atrasam o crescimento desse tipo de fonte energética.
Como grande parte da população é leiga sobre o assunto de fontes
renováveis, e também sobre os processos que existem de fornecimento de energia,
podemos citar a geração distribuída.
Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL, 2017).

Geração distribuídaé um termo utilizado para referenciar a energia


elétrica, que é gerada próxima ou no local de consumo. Ageração
distribuídanoBrasilpode acontecer por meio de diversas fontes
renováveis como a energia solar fotovoltaica.

A pesquisa terá como objetivo geralanalisar a fonte de energia limpa


proveniente do sol, por meio de sistemas fotovoltaicos, visando custo -benefício da
população de Fortaleza e região metropolitana. Os objetivos específicos serão
buscar meios para ampliar o conhecimento sobre o setor de energia renovável,
quando se trata de micro-geração,sustentável, expandindo o seu uso nas
residências de Fortaleza e cidades adjascentes. Conforme (Nakabayashi, 2015):

A atratividade econômica da micro e minigeração estão


intrinsecamente relacionadas às tarifas de energia elétrica
convencional, já que o benefício, do ponto de vista financeiro, para o
micro/minigerador é o custo evitado para a compra de energia
elétrica convencional... A microgeração fotovoltaica se mostra uma
alternativa interessante para o consumidor de energia elétrica no
Brasil, já que os reajustes não seguem trajetórias bem definidas.

Outro objetivo é oferecer um produto de alta qualidade e soluções integradas


de energia renovável, trazendo economia para os clientes, com menores custos de
energia e ainda contribuindo positivamente para o meio ambiente.
4

Esse trabalho apresenta em seu desenvolvimento o processo metodológico


para obtenção de dados de como realizar agestão da implantação de sistema
fotovoltaico, como também resultados e discussão da pesquisa.

MATÉRIAIS E MÉTODOS

O material de pesquisa escolhido para o estudo éa fonte de energia renovável


solar, que tem um sistema baseado nos painéis fotovoltaicos para obtenção de
energia.

Os painéis fotovoltaicos são compostos por estruturas chamadas


células fotovoltaicas, que têm a propriedade de criar uma diferença
de potencial elétrico por ação da luz. O efeito fotovoltaico faz com
que essas células absorvam a energia do sol e façam a corrente
elétrica fluir entre duas camadas com cargas opostas.
(http://www.solarsis.ind.br/como_funciona.html)

A decisão de escolher essa pesquisa foi para criar uma empresa proveniente
dessa fonte de energia sustentável paraabastecimento acessívelpara população de
Fortaleza e regiões Metropolitanas.

O percurso metodológico será a realização por meio de pesquisa bibliográfica


para obtenção de dados pertinentes ao objeto pesquisado que é agestão de energia
fotovoltaica, fontede energia proveniente do sol. A pesquisa bibliográfica a ser
consultada seráde material elaborado como teses, monografias, livros que são
fontes diretas e confiáveis. Conforme (Gil, 2008).

A principal vantagem da pesquisa bibliográfica reside no fato de


permitir ao investigador a cobertura de uma gama de fenômenos
muito mais ampla do que aquela que poderia pesquisar diretamente.
5

Esta vantagem se torna particularmente importante quando o


problema de pesquisa requer dados muito dispersos pelo espaço.

Pesquisa em fontes como prefeitura, guias, IBGE e associações de bairro


para quantificação do mercado-alvo. Análise quantitativa presente no texto têm as
seguintes características como esclarece Fonseca, (2002, p. 20):

Diferentemente da pesquisa qualitativa, os resultados da pesquisa


quantitativa podem ser quantificados. Como as amostras geralmente
são grandes e consideradas representativas da população, os
resultados são tomados como se constituíssem um retrato real de
toda a população alvo da pesquisa. A pesquisa quantitativa se centra
na objetividade. Influenciada pelo positivismo, considera que a
realidade só pode ser compreendida com base na análise de dados
brutos, recolhidos com o auxílio de instrumentos padronizados e
neutros. A pesquisa quantitativa recorre à linguagem matemática
para descrever as causas de um fenômeno, as relações entre
variáveis, etc. A utilização conjunta da pesquisa qualitativa e
quantitativa permite recolher mais informações do que se poderia
conseguir isoladamente.

Foi observado através da pesquisa que empresas que oferecem sistemas de


energia fotovoltaica, devem obedecer às regras de proteção ao consumidor,
estabelecidas pelo Código de Defesa do Consumidor (O CDC, publicado em 11 de
setembro de 1990, regula a relação de consumo em todo o território brasileiro, na
busca de equilibrar a relação entre consumidores e fornecedores).

A implantação de uma empresa deverácumprir as exigências iniciais, tais


como, registro da empresa nos seguintes órgãos: Junta Comercial, Secretaria da
Receita Federal (CNPJ - Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica), Secretaria Estadual
de Fazenda, Prefeitura do Município para obter o alvará de funcionamento,
enquadramento na Entidade Sindical Patronal (empresa ficará obrigada a recolher
por ocasião da constituição e até o dia 31 de janeiro de cada ano, a Contribuição
Sindical Patronal), cadastramento junto à Caixa Econômica Federal no sistema
Conectividade Social – INSS (Instituto Nacional do Seguro Social)/FGTS(Fundo de
Garantia do Tempo de Serviço) e Corpo de Bombeiros Militar.
6

RESULTADOS E DISCUSSÕES

As discussões pertinentes nesse estudo bibliográfico possibilitaram uma


compreensão abrangente sobre o sistema que converte energia solar em elétrica, e
como desenvolver a gestão na implantação do sistema fotovoltaico, trazendo custo –
benefício para a população de Fortaleza e região metropolitana.

Estimamos no decorrer da pesquisa custo–benefício de trabalhar com energia


solar, que gera economia que varia entre 50% e 95%.

Após algum tempo, que, em média, é de sete anos, o investimento


acaba sendo pago automaticamente pelo dinheiro economizado com
o corte de custos.(IG, 2016).

O custo de um sistema deenergia solarfotovoltaico depende principalmente do


tamanho e da complexidade da instalação.

Em Dezembro de 2016, de acordo com uma pesquisa feita junto às empresas


cadastradas no Portal Solar, foi obtida a seguinte variação de preços praticados para
sistemas de energia solar no Brasil:

Preço da Energia Solar Fotovoltaica Residencial:


Casa pequena, de 2 a 3 pessoas = Sistema de 1,6Kwp custa de R$ 12.700 a R$ 16.900.
Casa média, de 3 a 4 pessoas = Sistema de 2,2Kwp custa de R$ 16.000 a R$ 20.900.
Casa média, 4 pessoas = Sistema de 3,3Kwp custa R$ 20.000 a R$ 26.000
Casa grande, 4 a 5 pessoas = Sistema de 4,4Kwp custa de R$ 26.500 a R$ 34.500
Casa grande, 5 pessoas = Sistema de 5,3Kwp custa de R$ 31.000 a R$ 40.500
Mansões, mais de 5 pessoas = Sistemas de até 10Kwp custam de R$ 60.000 a R$ 72.000
Fonte: Portal Solar, 2016

De acordo com a tabela acima, observamos que inicialmente os investimentos


nos painéis fotovoltaicos são elevados, mas, depois de sua implantação esse estado
7

econômico passa a mudar e trazer benefícios para os coletivos e suas diversas


questões.

A cidade de Fortaleza e região metropolitana de tem um excelente espaço


que favorece o desenvolvimento eficaz do sistema de energia solar que demanda
esse fator espacial, além da representatividade de relevância do PIB.

Representando 48% do PIB estadual, em 2011, a RMF tem na


Capital a maior representatividade do PIB metropolitano. Fortaleza,
além da concentração demográfica (sendo a maior cidade do Ceará
em população e a quinta cidade brasileira, com população estimada
em 2014 de 2.571. 896 hab. em uma área de 314.930km²,
apresentando a maior densidade demográfica entre as capitais do
país, com 7.786,4 hab/km² de área), centraliza os investimentos da
RMF, mesmo com a extensão do tecido urbano e a descentralização
que acompanha a lógica global. (Muniz, 2015)

Dialogar com esses autores que se aprofundaram sobre o tema proposto, nos
reafirmar ainda mais, a capacidade do Brasil de gerar energia solar e osbenefícios
do seu uso. Segundo a ANEEL (2016) no Brasil, atualmente, existem 95
empreendimentos com construção não iniciada e 39 em operação nos quais utilizam
a fonte fotovoltaica.

O Painel Solar Fotovoltaico, hoje no Brasil, representa um excelente


investimento para pessoas e empresas que desejam explorar o sol como fonte de
energia limpa. A utilização de placas solares reduz e até elimina gastos com a conta
de luz, possibilitando a geração de créditos em energia.

Por utilizar uma fonte de energia renovável, que não polui o meio ambiente e
possuir uma vida útil longa, as placas solares compensam todo o investimento.

Mas, claro que também estudamos sobre os problemas que podemos


enfrentar, pois, esse processo de avaliar também é importante para o projeto de
gestão de implantação de sistemas fotovoltaicos, citaremos como exemplo os
impactossocioambientais e econômicos. Segundo ATLAS de Energia Elétrica do
Brasil (2002).
8

Uma das restrições técnicas à difusão de projetos de aproveitamento


de energia solar é a baixa eficiência dos sistemas de conversão de
energia, o que torna necessário o uso de grandes áreas para a
captação de energia em quantidade suficiente para que o
empreendimento se torne economicamente viável.

CONCLUSÃO

Diante do que foi exposto nessa pesquisa bibliográfica, chegamos à


conclusão, que é possível realizar a gestão de implantaçãode sistema que
desenvolva energia solar, principalmente no Brasil, onde a incidência de luz natural
é favorável, isso contempla a cidade de Fortaleza e cidades adjacentes, que estão
no alvo da pesquisa.Observamosno decorrer do texto os pontos positivos com
relação aos impactos socioambientais e econômicos que serão diminuídoscom a
utilização dessa fonte de energia.
No que se refere aos impactos econômicos, registramos índices crescentes
de economia em curto prazo, depois do investimento elevado com o
empreendimento. Teremos a possibilidade de reduzir efeitos ecológicos fomentados
pelas fontes de energia não renováveis.
Para aplicabilidade de um futuro projeto de intervenção, um fator importante,
é o acesso à informação, sobre o funcionamento e as vantagens da energia
fotovoltaica para a população alvo, de acordo com as regras da Agência Nacional de
Energia Elétrica (ANEEL).
Uma solução para fomentação da pesquisa acerca da problemática
apresentada é a discussão sobre o sistema fotovoltaico mais acessível. Sendo
assim a empresa distribuidora tem como principal meta, formar um programa de
parcerias com redes privadas e públicas para conseguir subsídios e/ou
financiamento para famílias que não possuem condições financeiras de arcar com
os custos totais de instalações.
Por fim, analisamos os requisitos para a implantação e gestão de implantação
de sistemas fotovoltaicos que desenvolvam de forma eficiente os planos para
geração de energia solar a custo-benefício.
9

REFERÊNCIAS

ATLAS, Energia elétrica do Brasil. Brasília, 2002. 153 p.

GERHARDT, Tatiana Engel, SILVEIRA, Denise Tolfo. Métodos de pesquisa,120 p.


Porto Alegre, 2009.

GIL, Antonio Carlos. Pesquisa Social. 6 ed. São Paulo: Atlas, 2008.

IG. Energia solar: veja quanto você pode economizar na conta de luz:
Disponível em: http://economia.ig.com.br>. Acesso em 12.11.2017.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Técnicas de Pesquisa, 7 ed.


São Paulo: Atlas, 2010.

MANUAL BÁSICO PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO. Porto Alegre.


Conexões de saberes, 2011. 10 p.

MANUAL FÁBRICA DE AQUECEDOR SOLAR. Brasília. SEBRAE. 28 p.

NAKABAYASHI, Rennyo. Microgeração fotovoltaica no Brasil: Viabilidade


econômica. 2014. 58 f. Dissertação. Universidade de São Paulo, São Paulo. 2014.

MUNIZ, Alexandra Maria Vieira. Produção do espaço Metropolitano de Fortaleza


e a dinâmica industrial. UFC, Fortaleza. 2002. Disponível em:
http://www.scielo.br>. Acesso em 12.11. 2017.

PINHO, João Tavares; GALDINO, Marco Antonio. Manual de engenharia para


sistemas fotovoltaicos: Rio de Janeiro. GTES, 2014. 530 p.

PORTAL SOLAR. Passo a passo para abrir uma empresa de energia solar. São
Paulo:Disponível em:https://www.portalsolar.com.br/>. Acesso em 24.10.217
10

FADIGAS, Aparecida Farias Amaral. Energia Solar Fotovoltaica: Fundamentos,


Conversão e Viabilidade técnico-econômica. 71p.GEPEA.

Blue Sol Energia Solar, Geração Distribuída da ANEEL Avança com Energia
Solar Fotovoltaica. Disponível em: http://blog.bluesol.com.br/geracao-distribuida-da-
aneel/. Acesso em 24.10.2017.

FONSECA, João José Saraiva. Metodologia da Pesquisa Científica. 2012. 20 f.


Dissertação. Universidade Estadual do Ceará – Centro de Educação, Fortaleza.
2012.