Você está na página 1de 7

Poder Judiciário

Supremo Tribunal Federal

Recibo de Petição Eletrônica

8
01
AVISO

2
:45 67/
É de responsabilidade do advogado ou procurador o correto preenchimento dos

:20 96
requisitos formais previstos no art. 9º, incisos I a IV, da Resolução 427/2010 do STF, sob
pena de rejeição preliminar, bem como a consequente impossibilidade de distribuição do
feito.
01 8 5
O acompanhamento do processamento inicial pode ser realizado pelo painel de petições
8 - -9
do Pet v.3 e pelo acompanhamento processual do sítio oficial.
01 810
9/2 09.

Protocolo 00780372520181000000

Petição 59667/2018
9/0 .8

Classe Processual Pet - PETIÇÃO


: 0 010

Sugerida
Marcações e Criminal
Preferências
Em por:

Relação de Peças 1 - Petição inicial


Assinado por:
MARCELO WINCH SCHMIDT
sso

2 - Procuração e substabelecimentos
Assinado por:
MARCELO WINCH SCHMIDT
pre

Polo Ativo PARTIDO DOS TRABALHADORES (CNPJ:


00.676.262/0001-70)
Im

Polo Passivo MAGNO PEREIRA MALTA (CPF: 152.725.674-04)

Data/Hora do Envio 09/09/2018 às 01:19:54

Enviado por MARCELO WINCH SCHMIDT (CPF: 010.809.810-98)


EXCELENTÍSSIMA MINISTRA PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL
FEDERAL, CÁRMEN LÚCIA

O PARTIDO DOS TRABALHADORES, através de seu Diretório Nacional, na forma


do artigo 116, inciso XIII, de seu Estatuto Social, inscrito no CNPJ/MF sob o nº:
00.676.262/0001-70, com sede no Setor Comercial Sul – Quadra 02 Bloco C nº 256,
Edifício Toufic, 1º andar, CEP 70302-000 – Brasília/DF, neste ato representado pela sua
Presidenta GLEISI HELENA HOFFMANN, brasileira, casada, Senadora da
República(PT/PR), RG nº 3996866-5 SSP/PR, CPF sob nº 676.770.619-15, endereço
funcional na Esplanada dos Ministérios, Praça dos Três Poderes, Senado Federal, Ala
1
Teotônio Vilela, gabinete 04, CEP 70.165-900, Brasília/DF, vem, respeitosamente,
perante Vossa Excelência, ajuizar a presente

QUEIXA-CRIME
PELO COMETIMENTO DO CRIME DE CALÚNIA E DIFAMAÇÃO

em detrimento de MAGNO PEREIRA MALTA, Senador da República, inscrito no CPF


sob o nº 152.725.674-04, podendo ser citado em Senado Federal, Anexo 2, Ala Tancredo
Neves, Gabinete 57, Brasília/DF, CEP 70165-900, pelos fatos e argumentos que seguem.

RuaGuajajaras,nº880,sala1208- Centro/BeloHorizonte,MG- CEP:30.180-100 SGAN601,Bl.H,salas2059-2064-AsaNorte/Brasília,DF-CEP:70.830-018


+55(31)3646.4955 +55(61)3246.4057
I – DOS FATOS

1. Em breve síntese, como é de conhecimento público, comum, consubstanciando


fato notório, no último dia 06/09/2018 (quinta-feira) o candidato a Presidente da
República pelo Partido Social Liberal, Jair Messias Bolsonaro, foi alvo de violência
imediata, sendo vítima de ferimento perfurocortante.

2. Todavia, apesar da situação delicada, que deve ser apurada com todo o rigor e
atenção, o querelado, de forma deliberada, foi a sua rede social “Twitter” para dispersar
inverdades que imputam envolvimento do Partido dos Trabalhadores no crime acima
referenciado, a partir de montagem fotográfica, mesmo que sabidamente inverídica tal
informação.

3. A seguir, traz-se a comparação das fotos, sendo a primeira veiculada pelo


querelado e segunda a foto verdadeira1:
2

1
FONTE: https://www.gazetadopovo.com.br/eleicoes/2018/autor-da-facada-contra-bolsonaro-esteve-ao-
lado-de-lula-nao-foto-e-falsa-5c8wf5o00q6xko35zt6msafqs

RuaGuajajaras,nº880,sala1208- Centro/BeloHorizonte,MG- CEP:30.180-100 SGAN601,Bl.H,salas2059-2064-AsaNorte/Brasília,DF-CEP:70.830-018


+55(31)3646.4955 +55(61)3246.4057
4. Como legenda da foto, o querelado disse: "Olha em que time joga o marginal"
(sic).

5. Conforme se percebe pela mera análise superficial das imagens, a falsidade da foto
é evidente e, com um mínimo de cuidado, a foto verdadeira seria fácil de ser achada na
internet.

6. O querelado não só não se deu ao trabalho de verificar a autenticidade da foto,


como usou a foto evidentemente falsa para caluniar “o time” em que jogaria o agressor,
ou seja, o Partido dos Trabalhadores, a que pertence o ex-presidente Lula.

7. Ou seja, promove clara difusão de mensagem sabidamente inverídica no intuito de


atribuir ao Partido dos Trabalhadores relação direta e de gerência sobre os atos do autor
do atentado promovido em detrimento do candidato Jair Bolsonaro. 3

8. Portanto, tendo em vista que o querelado atribui a autoria do crime previsto no art.
20, parágrafo único da Lei de Segurança Nacional ao Partido dos Trabalhadores, o que é
sabidamente inverídico, ante todas as manifestações das autoridades policiais sobre a
questão, e que busca envolver esta agremiação com o autor de fatos prejudiciais a sua
honra, é patente o cometimento do crime de calúnia, conforme se passará a expor.

II – DO DIREITO

9. Calúnia, conforme dicção do Código Penal, é imputar falsamente fato definido


como crime, sendo que incorre na mesma pena aquele que sabendo falsa a imputação, a
propala ou divulga2. Já a difamação ocorre quando há a imputação de fato ofensivo à sua

2
Art. 138 - Caluniar alguém, imputando-lhe falsamente fato definido como crime:
Pena - detenção, de seis meses a dois anos, e multa.
§ 1º - Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga

RuaGuajajaras,nº880,sala1208- Centro/BeloHorizonte,MG- CEP:30.180-100 SGAN601,Bl.H,salas2059-2064-AsaNorte/Brasília,DF-CEP:70.830-018


+55(31)3646.4955 +55(61)3246.4057
reputação3.
10. Além disso, cabe destacar que o bem jurídico tutelado pelos tipos penais de calúnia
e difamação, a honra objetiva, também é atribuída às pessoas jurídicas, de modo que estas
são legítimas para ajuizar ações de danos morais, bem como apresentar Queixa-Crime em
razão do cometimento dos crimes aqui reputados. Neste sentido:

CIVIL. INDENIZAÇÃO. DANO MORAL. PESSOA JURÍDICA.


CALÚNIA E INJÚRIA.HONRA OBJETIVA. OFENSA NÃO
DEMONSTRADA. RECURSO DESACOLHIDO.
I - A evolução do pensamento jurídico, no qual convergiram
jurisprudência e doutrina, veio a afirmar, inclusive nesta Corte,
onde o entendimento tem sido unânime, que a pessoa jurídica pode
ser vítima também de danos morais, considerados estes como
violadores da sua honra objetiva, isto é, sua reputação junto a
terceiros.
[...]
(REsp 223.494/DF, Rel. Ministro SÁLVIO DE FIGUEIREDO
TEIXEIRA, QUARTA TURMA, julgado em 14/09/1999, DJ
25/10/1999, p. 94)

11. Sendo assim, considerando que o ato praticado por terceiro em detrimento do
candidato Jair Bolsonaro claramente não possui qualquer relação com o Partido dos
Trabalhadores, ou seja, com a ação de quaisquer de seus dirigentes e responsáveis, torna-
se deveras leviano imputar ato de elevadíssima gravidade como sendo de sua
responsabilidade.

12. Inclusive, a gravidade da imputação advém do próprio crime a que foi indiciado o
autor da lesão, tipificado no art. 20 da Lei de Segurança Nacional, que traz a previsão,
dentre outros, do crime de terrorismo.

13. Ora, reputar esta Agremiação Partidária, de tradicional militância pelos direitos
humanos e sociais, o cometimento de crime que pode ser equiparado a atos de terrorismo,
ou mesmo afirmar que se tentou, deliberadamente, por razões políticas, macular a
integridade física de um Deputado Federal, ora candidato a Presidente da República,

3
Art. 139 - Difamar alguém, imputando-lhe fato ofensivo à sua reputação:
Pena - detenção, de três meses a um ano, e multa.

RuaGuajajaras,nº880,sala1208- Centro/BeloHorizonte,MG- CEP:30.180-100 SGAN601,Bl.H,salas2059-2064-AsaNorte/Brasília,DF-CEP:70.830-018


+55(31)3646.4955 +55(61)3246.4057
constitui ato de grave violação a honra objetivo do Partido dos Trabalhadores.

14. Portanto, considerando a existência de prova material de que fora o querelado,


pessoalmente, o autor da publicação e dos dizeres aqui reputados como caluniosos, não
há dúvidas acerca da autoria do suposto ato criminoso.

15. A materialidade, por sua vez, abstrai-se do próprio ato de veicular imagem
sabidamente falsa com o intuito de atribuir ao Partido dos Trabalhadores qualquer
responsabilidade ou gerência sobre o crime de que foi vítima do candidato Jair Bolsonaro.

16. Isso porque, ao trazer uma montagem em que estaria o autor da lesão vinculado às
principais figuras da agremiação partidária, é evidente o seu intuito de atribuir ao Partido
dos Trabalhadores a responsabilidade e envolvimento com o mando de tal crime.

17. Por fim, no que tange o animus caluniandi e difamandi do querelado, basta
5
mencionar que as expressões foram livre e desembaraçadamente proferidas em rede social
de largo alcance, seguido por mais de 360 mil de pessoas, deixando clara a intenção de
proferir tais dizeres e de propaga-los. Ou seja, houve a plena intenção e consciência do
que estaria realizando.

18. Além disso, é de conhecimento público o desafeto do querelado com o querelante,


sendo este natural da disputa política democrática, só não podendo confundir tais
desavenças com subterfúgio para, deliberadamente e infundadamente atribuir a autoria de
crimes ao Partido dos Trabalhadores, sob pena de responder ao rigor da lei.

III – DO PEDIDO

19. Por todo o exposto, o querelante pugna pela condenação do querelado nos termos
do art. 138 do Código Penal ou, subsidiariamente, nos termos do parágrafo único do art.
138 do CP, cumulando com a pena prevista no art. 139 do mesmo CP.

20. Atribui-se a causa o valor de R$ 1.000,00 (mil reais)

RuaGuajajaras,nº880,sala1208- Centro/BeloHorizonte,MG- CEP:30.180-100 SGAN601,Bl.H,salas2059-2064-AsaNorte/Brasília,DF-CEP:70.830-018


+55(31)3646.4955 +55(61)3246.4057
Nestes termos,

Pede deferimento.

Brasília, 09 de setembro de 2018.

Eugênio José Guilherme de Aragão Angelo Longo Ferraro


OAB/DF 4.935 OAB/DF 37.922

Marcelo Winch Schmidt Rachel Luzardo de Aragão


OAB/DF 53.599 OAB/DF 56.668

Miguel Filipi Pimentel Novaes


OAB/DF 57.469

RuaGuajajaras,nº880,sala1208- Centro/BeloHorizonte,MG- CEP:30.180-100 SGAN601,Bl.H,salas2059-2064-AsaNorte/Brasília,DF-CEP:70.830-018


+55(31)3646.4955 +55(61)3246.4057