Você está na página 1de 1

Fichamento: a era do capital improdutivo

DOWBOR, ladislau. A Era do Capital Improdutivo. Outras Palavras, São Paulo.


2017

Pág. Trecho

10 A mídia, que hoje penetra em quase todos os domicílios do planeta,


saberá navegar nos ódios que se geram. Confirmar preconceitos rende
mais, em pontos de audiência, do que explicitar os problemas.

11 Mais preocupante do que o personagem, no entanto, é o fato de uma nação rica, com
tantas universidades e cultura pujante como os Estados Unidos o eleger. E as pessoas
terem sido sensíveis aos seus argumentos, que afinal não eram argumentos, mas
expressões emocionais, inseguranças e ódios com os quais elas puderam se identificar.

20 É muito impressionante a World Wild Fund for Life (WWF) constatar em 2016 que entre
1970 e 2010, em apenas quarenta anos, destruímos 52% da fauna do planeta.

20 Mais impressionante ainda é o efeito climático dos gases de estufa ter sido demonstrado
em 1859, enquanto a primeira discussão ampla desta ameaça ocorreu em Estocolmo em
1972. Levamos ainda 20 anos mais para apresentar uma primeira convenção sobre o
clima em 1992 no Rio de Janeiro. Finalmente, a Conferência de Paris em 2015 decidiu
que agora vamos realmente tomar providências.

20 Uma conscientização mais ampla pode – e apenas pode – viabilizar


mudanças mais profundas, ao generalizar o nível de compreensão dos
desafios. No nível de tomada de consciência existente e frente à
perplexidade que geram as irracionalidades que se acumulam, surge com
força a perguntaevidente: Que desenvolvimento queremos? E para este
desenvolvimento, que Estado e mecanismos de regulação são

necessários? Não há como minimizar a dimensão dos desafios.

21 o plano social, segundo o Banco Mundial, a pobreza diminuiu em cerca de 1 bilhão de


pessoas nas últimas décadas, o que representa um grande avanço, ainda que o critério
de 1,90 dólar por dia seja absurdamente baixo.