Você está na página 1de 4

Faterge

Faculdade de Teologia Reformada Genebra

Disciplina: Soteriologia

Aluno:Luciano Bonfim Santos

Tema: “A Doutrina da Predestinação Declarada e Estabelecida à Luz da Escritura”

Ano: 2018

Polo: EAD-TI

FATERGE - FACULDADE DE TEOLOGIA REFORMADA GENEBRA

Belo Horizonte-MG
Resumo: “A Doutrina da Predestinação Declarada e Estabelecida à Luz da Escritura”

Livro: A Doutrina da Predestinação Declarada e Estabelecida à Luz da Escritura (47


páginas)
Autor: Jonh Gill (1697 - 1771)
Editora: Providence Baptist Ministries
Ano:2016
Quem é o autor:Dr. John Gill permanece como um dos mais importantes e ao mesmo
tempo mais mal compreendidos dos antepassados batistas. Sua espiritualidade era
somente igualada com a intensidade com o qual o amavam ou o injuriavam.
Ele nasceu em Kettering, Northamptonshire, Inglaterra, em 23 de novembro de 1697. Na
sua juventude estudou no Kettering Grammar School, onde alcançou o grau de mestre em
latim clássico, aprendendo o grego aos onze anos de idade. O jovem aluno continuou se
auto-instruindo no campo da língua hebraica. Seu amor pelo hebraico seguiria por toda a
sua vida.
Aos 12 anos de idade, Gill ouviu um sermão de seu pastor, William Wallis, sobre a
passagem de Gênesis 3:9 (E chamou o SENHOR Deus a Adão, e disse-lhe: Onde
estás?). A mensagem marcou Gill e eventualmente levou a sua conversão, mas somente
sete anos depois, quando fez uma pública profissão de fé aos dezenove anos de idade.
Seu primeiro trabalho pastoral foi como assistente de John Davis em Higham Ferrers em
1718 quando tinha vinte e um anos. Logo depois foi chamado para pastorear a Strict
Baptist Church em Goat Yard Chapel em Horsleydown, Southwark em 1719. Em 1757,
sua congregação precisou mudar para Carter Lane, St. Olave’s Street, também em
Southwark. Seu pastorado durou 51 anos. Sua igreja batista viria mais tarde a se tornar o
Metropolitan Tabernacle, pastoreado por Charles Spurgeon.
Em 1748, Gill recebeu o grau honorífico de doutor em divindade pela universidade de
Aberdeen. Faleceu em 14 de outubro de 1771. Muito da controvérsia em torno de Gill se
deve ao fato de que por ter raízes entre os batistas particulares ingleses era tachado de
hiper-calvinista, porém, durante o seu ministério, a sua igreja apoiou fortemente a
pregação de George Whitefield, um dos maiores, senão o maior dos evangelistas de sua
época. A verdade é que Gill em toda a sua vida procurou combater os males provindos do
Arminianismo e do Unitarianismo. Essa combatividade muitas vezes o levou a entrar em
sérias controvérsias com seus opositores tais como John Wesley e Andrew Fuller. Ele foi
reconhecidamente um estudioso meticuloso e um prolífico escritor.

Objetivo:A batalha travada pelo Dr. Gill è histórica, antes dele temos no séc. IV um
combate teológico entre Agostinho e Pelágio que cada um a seu modo expunham um
entendimento particular sobre a predestinação e o livre-arbítrio, essas duas correntes de
pensamentos se firmaram ao longo da história e foi se desenvolvendo ao ponto que vez
ou outra encontramos essas duas percepções de entendimento se confrontando
mutuamente. Nesse sentido temos aqui um homem totalmente comprometido com a
tradição reformada calvinista e que tem sua necessidade de afirmar seu posicionamento
frente um oponente que tinha ampla representatividade entre as pessoas de sua
época.Jonh Weslei é um autentico defenseor do que hoje é conhecido como semi-
pelagianismo, essa posição teologica doutrinária é fruto de seu entendimento de que a
santidade ser parte mais moral do que uma expressão do ato da regeneração do homem
e qure o mesmo goza da condiçãode responder positiva ou negativa para o chamadoa o
Evangelho,já o Dr. Gill estabelece no seu entendimento que tanto a regeneração como a
santidade serem do início ao fim obra exclusiva da graça do Senhor o que comumente é
chamado nas linhas calvinistas de monergirmos. A intenção do Dr Gill é estabelecer
clareza doutrinária teológica sobre a posição defendida por Jonh Wesllei refutando-o,
ambos são profundos conhecedores dos textos bíblicos, mais a forma como Gill
estabelece seu entedimento faz com que sua demonstração teológica seja realmente
profunda e consistente e como uma pessoa comprometida com todo o todo das
Escrituras e não com partes de fraguimentos de textos para uso em defesa de sua tese
sobre a predestinação e o livre arbítrio.

Resumo: A doutrina da predestinação tem recebido diversos ataques por parte dos atuais
modelos denominacionais, foi época em que gozava de ampla aceitação e consenso
comum por parte dos cleros evangélicos interdominacionalmente.É fato que seu eco
ainda se ouve e temos sim grandes defensores dessa posição histórica da fé cristã que
não deixam sua bandeira esmaecer, pois aí está um entendimento sadio das Sagradas
Letras que partem do pressuposto imediato que o óculos de leitura da Palavra de Deus
deve ser estabelecido pela Soberania de Deus sobre tudo e todos e com isso essa
compreensão faz a hermeneutica reformada ser totalmente diferente em relação as
demais.Bem o livro de Gill levanta posição clara sobre a predestinação e com isso dá
entedimento corretos de termos técnicos que para alguns são uma pedra no sapato na
compreensão dessa doutrina da fé reformada histórica. Sua análise parte do princípio que
Jonh Wesley não respeita nem mesmo o livro doutrinário de sua denomição a Igreja
Anglicana que se definiu claramente em documento com uma clara distinção que são
depositários da noção de que somos eleitos pela soberana vontade do Senhor e que Ele
desde o início até o fim é responsável legal pelo processo de salvação do homem tendo
desenvolvido este projeto antes das fundações do mundo.Essa é a linha de defesa
seguida pelo Doutor Gill pois no sua abordagem ele diz que Wesley ditorce essa
percepção de que Deus elegeu ums para salvação e outros para perdição e na sua tese
diz que isso não ser admissível para a fé cristã, segundo Dr Gill, Wesley não tem nem
clara posição definida ora ele quer aceitar a eleição ora ele quer autonomia do homem no
processo da salvação,e ora ele confunde o que é um aspecto da eleição misturando com
o livre arbítrio.Essa oscilação por parte de Wesley e seu atropelo por parte do 39° artigo
do Livro da Oração da Igreja Anglicana que ele faz parte como clérigo torna-o um inimigo
declarado da tradição reformada calvinista e com isso um homem cuja ação ministerial
deve ser observada com mais atenção pois seu comprometimento é com uma base
herética de distorcimento do que de fato é e como se ocorre a predestinação e o livre-
arbítrio.Doutor Gill fundamenta-se com ampla autoridade na Bíblia e trabalha sua defesa
da predestinação analisando os textos provas e demonstrando que em alguns locais de
aparente contradição para afirmação da anulação da soberania de Deus nesses texto
partir da falta de entendimento dos originais e que isso faz toda diferença para uma clara
noção de como vamos entender este assunto tão delicado. Outra coisa é que essa
abordagem sobre a eleição e predestinação ser agenda resolvida, não tem como ficar
com o pé em cima do muro ou se é calvinista ou se é arminiano, claro que diretamente
essa posições se excluem e se anulam, mais claro que em termos práticos a vida cristã
vai pender para uma lado mais suave ou tenso a partir de qual posição se tenha
assumido.

Conclusão: Devemos ter uma definição de quem somos sobre este tema teológico, não
há opção intermediária. A Bíbla se define como o livro que é de autoria divina/humana, e
como clara é essa posição é correto dizer que Deus sempre foi o primeiro em todos os
processos da salvação do homem.Essa afirmação é sadia para nosso relacionamento
com Deus e o homem, somos alvos da graça irresistível para nela sermos socorridos do
processo degenerativo com o qual o pecado nos infectou.A predestinação não anula
minha responsabilidade mais me coloca na posição certa em relação de como devo viver
para o Senhor. Sigo a posição de Gill pois em rápida leitura entendo que não existe em
mim ou em nenhum ser humano capacidade alguma para ser salvo, mais total e ampla
condição para ser condenado,essas implicações da doutrina da predestinação pode
perturbar algumas centenas de milhares de pessoas mais para nós que temos a luz do
evangelho no coração temos a impatia da vida eterna injetada pelo Senhor em nós e Dele
flui por meio de sua Palavra toda condição para vivermos a vida transformada que o
evangelho nos proporciona e convida a viver.