Você está na página 1de 20
[documento } Cicero Dias e as dangas do nordeste Mario de Andrade Resumo Mario de Andrade apresenta um Conjunto de aquarelas de Cicero Dias, baseadas em motivos coreograticos pernain: bbucanos. O tema das aquarelas inspira cconsideragdes sobre as origens @ a evolucao das musicas e “dangas folcléricas brasieiras’ como 0 maracatu, os bumbas, 0s cabocoli ‘hos e as dancas antifolcioricas, semi-erucitas © popularescas, como 0 frevo eo samba. Abstract Mério de Andrade presents us a set of water-colours by Cicero Dias influenced by some choreographic themes from Perambuco. The subject of these water- colours givas the author the inspiration to write about the origins and the evolution of the songs and “brazilian folk dances" like the ‘maracatu, the bumbas, the cabocotinhos and the ant-folk, semi-scholarly and popular dances like the frevo and the samba, Palavras-chave cultura popuar «miisica» dangas Keywords popular culture + music * dances ‘Quero sero primeiro a garantir que ndo tenho autoridade para estu- dar a coreografia folclérica nordestina, e que me sinto por isso bastante cons- trangido de comparecer uma primeira vez numa revista da importancia destes ‘Arquivos, parolando sobre um assunto que nao conhego como devia. Mas eu no quis recusar a minha contribuigio, por minima que ela seja, ao convite do Dire- tor desta revista, tanto mais que nao se tratava apenas de escrever sobre coreo- grafia, mas sobretudo apresentar uma colecdo de aguarelas de Cicero Dias, ins- piradas em motivos coreograficos pernambucanos. Hé vaidades a que 6 muito dificil resistir. Cicero Dias é uma das minhas grandes admiragdes no desenho nacio- nal. E se me refiro apenas ao desenho do pintor pernambucano, ou mais especi- ficamente ao seu desenho aguarelado, é ainda porque conheco pouco a sua pin- turaa dleo mais recente, a que ele se dedicou depois que partiu da nossa terra e vive morando pela Europa. Pouquissimos quadros pude examinar desta fase atual; e mesmo esses eram anteriores & plenitude a que ele parece jé ter atingi- do no dleo, e de que nos deram conhecimento insuficiente as noticias de sua recente exposicao em Lisboa. O Cicero Dias de que posso falar, ao menos com honesto conhecimento de causa, é o artista extraordindrio dos desenhos agua- relados, a que ainda pertencem as pecas reproduzidas neste niimero de Arquivos. Este ano mesmo, obrigado a fazer um estudo muito répido de sintese sobre a evolugao geral das artes plasticas no Brasil, como capitulo para um livro sobre o nosso pafs que deverd sait na Universidade do Ohio, foi apenas ao Cice- 10 Dias dos desenhos aguarelados que me referi, E apertado pelo espaco que me davam, s6 pude citar onome dele, como o mais representativo das tendéncias pldsticas do Nordeste, pelo caréter regional, pelo espfrito modemo e pela ori ginalidade. Na verdade eu considero o Cicero Dias aguarelista uma das contri- buigdes mais originais que apresentamos nas artes plésticas contemporaneas. Pela qualidade das suas aguarelas, t30 impulsivamente libertadas das exigéncias cromaticas e ritmicas da composigo plastica, Cicero Dias se de- monstra especialmente desenhista, Estou me servindo, para esta afirmativa, das mesmas distingbes conceituais que [4 det em varios estudos meus, espe- cialmente no ensaio “Do desenho”, que serve de introdugao ao 4lbum de dese- nhos sobre o Mangue do pintor Lasar Segall. Nas suas aguarelas, 0 espirito de ‘composigao plastica empregado por Cicero Dias é eminentemente aberto, de equilfbrio fundamentalmente interior, do artista, e no exterior, do quadro, e pode por isso dar largas a excepcional e profunda abundancia de lirismo em flor, do aguarelista pernambucano. Esse lirismo, aparentemente desordenado, que Cicero Dias manifes- Cicero Dias e as dangas do nordeste 50