Você está na página 1de 22

Prof: Euler L.

Moreira

Noções do Grego Bíblico


IBTEL
Instituto Bíblico Teológico Elohim

Manaus-AM
2015

IBTEL Instituto Bíblico Teológico Elohim 1


Noções do Grego Bíblico

Departamento de Ensino e Pesquisa Teológica

Pesquisado e adaptado pela Equipe

Redatorial para Curso de Bacharel em Teologia do IBTEL - Instituto

Bíblico Teológico Elohim.

Com auxílio de adaptação e esboço de vários

Mestres da Teologia

IBTEL Instituto Bíblico Teológico Elohim 2


Lição 1 do Grego Bíblico

INTRODUÇÃO AO GREGO BÍBLICO

A língua grega é um dos membros da grande família de línguas indo-europeias,


que se estende por quase toda a Europa e parte da Ásia, particularmente o Irã e parte
da índia. A essa família pertencem, além do grego, outras grandes línguas culturais
como o sânscrito e o latim, assim como o armênio, o germânico, o báltico, o eslavo, o
albanês e diversas outras línguas menores. O parentesco entre as línguas mencionadas
pode ser observado, por exemplo, nos seguintes vocábulos:
Pai: no grego é pater, no latim pater, no sânscrito pita, no antigo persa pitar, no
gótico fadar, no inglês father, no alemão Vater.
Mãe: no grego é meter, no latim mater, no sânscrito matar, no báltico mate, no
inglês mother, no alemão Mutter.
De acordo com a linguística comparada, todas essas línguas provêm de uma raiz
comum, uma língua que era falada por um primitivo povo que teria habitado na Ásia
ocidental. Esse povo teria morado em grandes famílias organizadas segundo o modelo
patriarcal, num contexto agropecuário, com firmes convicções monoteístas. No terceiro
milênio antes de Cristo teria começado uma dispersão daquele primitivo povo, o que
teria originado também a diversificação da sua língua em vários dialetos e línguas afins.
No segundo milênio antes de Cristo, uma das tribos indo-européias teria avançado até a
península balcânica - seria essa a origem dos gregos.
O desenvolvimento da língua dos gregos pode ser dividido em cinco períodos:
1. Período formativo
É o período em que foi falado o grego primitivo. Estendeu-se, aproximadamente,
desde 1500 a.C. até 900 a.C. Foi nesta época que também se originaram os três
dialetos principais da língua: o dórico, o eólico e o jônico-ático.
2. Período clássico
Este período, que foi de c. 900 a.C. a c. 330 a.C., tomou-se conhecido graças a
famosas obras literárias que aí tiveram origem e foram preservadas até hoje: a Ilíada e a
Odisseia, atribuídas a Homero, são os exemplos mais antigos da literatura grega,
seguidas mais tarde por obras de Hesíodo, Heródoto e Platão, entre outros. Nesse
período, o dialeto que mais se destacou foi o ático. Esse dialeto também chegou a ser a
base principal para o grego koiné, o grego em que iria ser escrito o NT.
3. Período koiné
No período que se inicia com as conquistas de Alexandre, c. 330 a.C., e se estende
até cerca de 330 d.C., em todo o Império Romano começou a ser usado o grego koiné,
que significa “comum”. Vamos lembrar que, por volta de 250 a.C. o Antigo Testamento
em hebraico foi traduzido para o grego, nascendo assim a famosa Septuaginta (LXX), e
o grego utilizado foi justamente o koiné. Mais tarde, quando no primeiro século surgiram
os escritos do NT, também foi este o grego utilizado na sua redação.
IBTEL Instituto Bíblico Teológico Elohim 3
4. Período bizantino
Após a divisão do Império Romano, a preservação da cultura grega, e, com ela, da
língua, acontecia principalmente em Bizâncio e na Ásia Menor, muito mais do que na
própria Grécia. A língua de uso comum naquele período é conhecida pelo nome de
grego bizantino, uma continuação do koiné. A ampla maioria dos manuscritos do NT
grego foram copiados nessa “era bizantina”, que se estendeu até a queda de Bizâncio
(Constantinopla) em 1453 d.C.
5. Período moderno
O período moderno é considerado a partir da queda do Império Romano oriental. A
língua de uso comum nesse período é conhecida pelo nome de grego moderno. É o
grego falado hoje nas ruas de Atenas, e representa o estágio atual no desenvolvimento
natural da língua desde os antigos gregos até os nossos dias.
O estudante de grego precisa saber que o valor de se estudar o grego bíblico lhe dá
muito mais prestígio diante de se realizar uma exegese mais acurada. A respeito do
valor de estudar o grego do Novo Testamento, Martinho Lutero escreveu:
Ainda que o Evangelho tenha chegado até nós através do Espírito
Santo, é inegável que tenha vindo também por meio de idiomas, e
tenha sido conservado e divulgado valendo-se deles... Tanto quanto
apreciamos a Palavra de Deus, tanto devemos nos esforçar também
por aprender esses idiomas. Porque não foi em vão que Deus decidiu
transmitir as Suas Escrituras nessas duas línguas: o Antigo Testamento
em hebraico e o Novo Testamento em grego. Se Deus não desprezou
esses idiomas, mas os escolheu dentre todos os outros, para que neles
fosse escrita a Sua Palavra, também nós deveríamos honrá-los acima
de todos os outros.
Estas palavras são dignas de serem consideradas por todos aqueles que apreciam
a Palavra de Deus. Quem se dispõe a estudar o grego do NT, está começando uma
tarefa realmente sublime, pois está valorizando a língua que Deus escolheu como
instrumento portador da Sua revelação escrita. Se Deus considerou que essa língua,
pelas suas características, é a mais apropriada para expressar a Sua vontade para com
a Sua criação, verdadeiramente é este um idioma digno de ser estudado.
Nenhum esforço requerido para aprender este idioma poderá ser considerado
grande demais, ou em vão. Imagine você ser capaz de ler e entender a Palavra de Deus
em seu texto original, sem depender da maneira como outros a entenderam e
traduziram. No preparo para servir eficazmente ao Senhor num ministério baseado na
Sua Palavra, poucos estudos vão resultar em tantos benefícios e em tantas bênçãos
quanto o estudo do grego do NT.
O grego koiné surgiu como um dialeto comum nos exércitos de Alexandre o
Grande. Foi sob a liderança da Macedônia que colonizaram o mundo conhecido, seu
dialeto comum recém formado foi falado do Egito até as margens da Índia. Embora os
elementos do grego koiné tenham tomado forma durante o período Clássico posterior, o
período pós-clássico do grego da morte de Alexandre o Grande em 323 a.C., quando as
culturas oscilaram sob o helenismo, começou a influenciar a língua. A passagem para o
próximo período, conhecido como grego medieval, data da fundação de
Constantinopla por Constantino I em 330 d.C. O período pós-clássico do grego, portanto,
refere-se à criação e evolução de todo o grego koiné e toda era helenística e romana da
IBTEL Instituto Bíblico Teológico Elohim 4
história até o início da Idade Média. Koiné (Κοινή), "comum", é um termo que tinha sido
anteriormente aplicado pelos antigos estudiosos de diversas formas de expressão grega.
Uma escola de estudiosos que Apollonius Dyscolus e Aelius Herodianus mantiveram o
termo Koiné para se referir a língua protogrega, enquanto outros usaram para se referir
a qualquer forma de expressão no vernáculo grego, que diferia da linguagem
literária. Quando o Koiné gradualmente tornou-se uma linguagem da literatura, algumas
pessoas distinguiram-no em duas formas: (grego) helênico como a forma literária pós-
clássico, e (comum) koiné como a forma falada entre o povo. Outros optaram por se
referir a Koiné como o dialeto alexandrino (Περὶ τῆς Ἀλεξανδρέων διαλέκτου) ou o
dialeto de Alexandria, um termo usado frequentemente por clássicos modernos.

Lição 2 do Grego Bíblico


O Alfabeto grego

O alfabeto grego tem 24 letras e é utilizado para escrever a Língua grega.


Esta teve o seu desenvolvimento por volta do século IX a.C., utilizando-se até aos
nossos dias, tanto no grego moderno como também
na Matemática, Física, Astronomia etc. Anteriormente, o alfabeto grego (Ελληνικό
αλφάβητο) foi escrito mediante um silabário, utilizado em Creta e zonas da
Grécia continental como Micenas ou Pilos entre os séculos XVI a.C. e XII a.C. e
conhecido como linear B. O Grego que reproduz parece uma versão primitiva dos
dialectos Arcado-cipriota e Jónico-ático, dos quais provavelmente é antepassado, e é
conhecido habitualmente como grego micênico.
Crê-se que o alfabeto grego deriva duma variante do semítico, introduzido na
Grécia por mercadores fenícios. Dado que o alfabeto Sumério não necessita de notar as
vogais, ao contrário da língua grega e outras da família indo-europeia, como o latim e
em consequência o português, os gregos adaptaram alguns símbolos fenícios sem valor
fonético em grego para representar as vogais. Este fato pode considerar-se fundamental
e tornou possível a transcrição fonética satisfatória das línguas Europeias.

Letras Minúsculas e Maiúsculas


__

Alfa Eta (longo) Ni Tau


B Beta Θ Theta Ksi Ypsilon
Gama  Iota Omicron Phi ou Fi
Delta Kapa  Pi Khi ou Chi
Épsilom Lambda Ró Psi
Dzeta ou ds Mi
__

Sigma Ômega
IBTEL Instituto Bíblico Teológico Elohim 5
Agora que você já memorizou as letras do alfabeto grego pode estar
silabicamente pronunciando para obter um domínio melhor.

Pronuncie devagar e depois em voz alta.







 

Algumas palavras em grego

Quando começar a ler o grego, perceberá que já entende algumas palavras, porque
há palavras parecidas em português.

Exemplo:

Vocábulo Grego Transliteração Tradução

óapóstoloEnviado
tronoTrono

^
´
profeta Profeta
CristosUngido
ó Theós Deus
óLogosPalavra
antropo Homem
 ágape Amor
 Hagios Santo
 Desmos Cadeia
 Hemera Dia
 ischiro Poderoso
 krisis Juízo
 lego Falar
 litrosis Redenção
 mathetes discípulo
 daimonion demônio
macarios Bem-aventurado 
eudokiaBoa vontade
thalassa Mar
 kiriosSenhor

IBTEL Instituto Bíblico Teológico Elohim 6


Algumas observações importantes

O [  sempre tem o som duro, como na palavra “gato” e “gula” e, nunca com o
som de J como no caso da palavra gesso, gelo, gênero e girafa que tem a sonoridade
de “J”. Quando o [ ocorre antes de ou outroé pronunciado como [n] ao invés
de [g].

ng  nk   nkh


Exemplo:
O vocábulo  é pronunciado como “anguelos”.

Memorizando vocabulário e terminações.


A respeito da memorização do vocabulário e das diversas terminações, a
experiência ensina que o que funciona mesmo são os famosos cartões ou fichas, em
que, num lado, se escreve a palavra grega e, no outro, a sua tradução para o nosso
idioma. Recomenda-se ter sempre alguns desses cartões no bolso.
Exemplo:

Frente   ó

Verso Em (o) princípio Jesus Deus


No princípio

 Cada vez que disponha de um momento para estudar vocabulário (viajando no


ônibus, metrô, esperando na fila do banco, etc.) pode-se aproveitar o tempo
pegando umas cinco fichas na mão.
 Numa primeira passada, olhe para a palavra grega e vire a ficha para ver a sua
tradução.
 Numa segunda passada, tente traduzir a palavra grega sem olhar o verso da
ficha. Prossiga assim até que você domine a tradução de cada uma das cinco
palavras daqueles cartões. Por hora, guarde aquelas fichas e pegue mais cinco,
repetindo a operação.
 Depois disso, volte a pegar as cinco primeiras fichas e ajunte-as às cinco que
ficaram na sua mão. Tente lembrar-se da tradução das dez palavras. Se, nesse
processo, você observar que se lembra sem dificuldade do significado das
palavras contidas nas fichas, guarde-as num lugar separado. Contudo, só deve
retirar uma ficha do grupo de fichas que estiver estudando quando realmente
dominar a sua tradução.

IBTEL Instituto Bíblico Teológico Elohim 7


 Depois de algum tempo, reveja as fichas que já foram retiradas e reintroduza as
que você não conseguiu lembrar de sua tradução, para memorizá-las melhor.
 Tendo decorado o vocabulário da semana, recomenda-se proceder a um
exercício diferente, no sentido inverso: olhe só para o verso das fichas, onde
aparecem as palavras em português, e tente dizer e escrever as palavras
gregas. Só quando conseguir realizar esse exercício sem dificuldade, você
poderá dizer que domina o vocabulário.

Descrevendo uma ação na língua portuguesa com caracteres em grego.


Leia devagar e depois em voz alta.
homem
Chegandogrande pessoas 
 confusão.  adaptando
. Hoje chaminé e
ônibus

Exercício de grego.
1. Copie os seguintes vocábulos na primeira linha e translitere na segunda linha.
1Co 1.1aó
ó
Paulos kletos apóstolos_____________________________________________________

1Coa



1Co 1:3 




1Jo






1Jo 1.9 








IBTEL Instituto Bíblico Teológico Elohim 8


1Jo 2.1 






Atos







Mt. 1.1 


 


Mt 1:21 






Lição 3 do Grego Bíblico

A lição 3 remeterá os estudantes de grego para um aprendizado mais acurado,


no mesmo seguimento, também os mesmos devem se aplicar para memorizarem cada
palavra em caracteres em grego. As letras ou palavras grifadas são a tradução em
português. Vejamos:


Jesusòoópalavras
era ou estavaóDeus  de, do
óPara, comverdadeiroMarcos
í estas ì são estão ouDeus
òoópalavra  escrevo
 Maria íé ou está leio
 escrever e as as
a  estas  esta
ouvi, ouço da  bíblia  no
 profetasDeusconheço

IBTEL Instituto Bíblico Teológico Elohim 9


Observe as seguintes palavras e comece a ler em voz alta e depois traduza para
o português. 

óòóíóó
 
 

óí í í 







Teste prático de grego
1. Marque um X na questão correta.


a) ( ) A palavra é a) ( ) A palavra era a) ( ) Jesus era palavra
b) ( ) Jesus era b) ( ) Deus era b) ( ) A palavra é Deus
c) ( ) Jesus é c) ( ) A palavra é c) ( ) Jesus e Deus

2. Complete as frases.

a) ód) óíó
Escreve ..................................... A palavra...................................................
b) óe) 
Maria Marcos...........................................................

c) óf)
Jesus............................................ A palavra................................................................

Lição 4 do Grego Bíblico


Aqueles que já dominaram as lições 1-3 fizeram um grande avanço em direção ao
objetivo de ler o NT grego. Em cada lição o estudante aprenderá novas e importantes
formas da língua grega. Utilizando o verbo´“” vamos introduzir as palavras que
subtendem os pronomes singular e plural. Observem que são as terminações, que
indicam se uma palavra está no singular ou plural.

As terminações: eutu (você) – ele,


nós,vós,eles, elas, indica se o discurso está na
primeira, segunda ou terceira pessoa do singular ou plural.

IBTEL Instituto Bíblico Teológico Elohim 10


Exemplo:

eu)
´ digo (nós) dizemos
tu) dizeis(vós) dizeis 
´
ele)
´ diz(eles ou elas) dizem

Teste prático. Leia em Voz alta e Traduza. 

























Compreender boa parte da lição 4 levará ao aluno a estar lendo um pouco o NT Grego
e escrevendo muitas palavras. Estas são as formas de  que você já aprendeu: as
que possuem uma pessoa e as que possuem mais de uma pessoa.

IBTEL Instituto Bíblico Teológico Elohim 11


Teste de progresso.
Qual é a tradução correta? Marque um X

 
a) ( ) Estou falando as palavras a) ( ) Ele fala uma palavra
b) ( ) Você está falando as palavras b) ( ) Tu falas uma palavra
e) ( ) Você está falando a palavra c) ( ) Eu falo uma palavra


a) ( ) Ele diz palavras verdadeiras a) ( ) Ele escreve a palavra do profeta
b) ( ) Você fala palavras verdadeiras b) ( ) O profeta escreve as palavras
c) ( ) Eu falo palavras verdadeiras c) ( ) O profeta fala as palavras


a) ( ) e ele as lê a) ( ) Eles escrevem as palavras de Jesus
b) ( ) e você as lê b) ( ) nós escrevemos as palavras de Jesus
c) ( ) e ela as lê c) ( ) Vocês escrevem as palavras de Jesus

Tipo de ação - contínua ou repetida


(a) Eu estou escrevendo as palavras - 
(b) Eu escrevo as palavras - 
Em (a),  descreve uma ação que está se passando agora, uma ação
contínua. Representaremos esta ação contínua no presente por uma linha: ______.
Em (b), se a sentença é completada pelas palavras “todos os dias”, de forma que
fica assim: “Eu escrevo as palavras todos os dias”, então  descreve uma ação
repetida, ou uma série de ações repetidas. Representaremos este tipo de ação por
uma série de pontinhos:...... Assim, em grego, uma forma como  ou  pode
ser representada tanto como:
ação contínua _____
ou ação repetida ......

Lição 5 do Grego Bíblico

- uma palavra  - a palavra



O apóstolo fala a palavra
Há três partes principais: o sujeito, o verbo e o objeto.
O apóstolo - - é o sujeito, a pessoa que faz alguma coisa.
fala - i - é o verbo, a palavra que indica a ação que é feita.
a palavra -  - é o objeto, a coisa feita ou afetada pela ação. Em
português costumamos indicar o sujeito da frase por colocá-lo antes do verbo, e
indicamos o objeto por colocá-lo depois do verbo.

IBTEL Instituto Bíblico Teológico Elohim 12


Em grego não é assim: é a terminação que mostra claramente se a palavra é o
sujeito ou o objeto, e não a ordem delas. Costumeiramente - indica um sujeito e -
indica um objeto.
Assimeambos
significam: Marcos escreve a palavra. Quando queremos entender uma sentença
grega, devemos sempre lê-la toda até o final, mantendo-nos alertas para perceber os
vários indicadores de sujeito e objeto.

 - uma palavra  - palavras terminações do sujeito


 - a palavra  - as palavras 
 indicando o sujeito


 Assim:  - uma palavra verdadeira


 - a palavra é verdadeira

Traduza o texto


2. 

 - a palavra (objeto) terminações do objeto


 - as palavras (objeto) 
normalmente indicando o obj.


Assim: 
Ele escreve as palavras O apóstolo escreve as palavras

Traduza o texto
1

2. 



4. 

5


6. 


IBTEL Instituto Bíblico Teológico Elohim 13


Traduza o texto bíblico de João 1.1






Escreva em português o que corresponde as terminações na língua grega.


 






Leia o Texto bíblico em voz alta


Mateus 1.1-3


1:




Mateus 5.3-6






Timóteo 2.15





IBTEL Instituto Bíblico Teológico Elohim 14


Atos 1.8
1:1

1:8 


Hebreus 1.5, 11
1:5






Lição 6 do Grego Bíblico

Os verbos da língua Grega


Verbo é toda palavra que indica ação (caminhar, estudar), estado (ser, ficar),
fenômeno natural (amanhecer, chover), ocorrência (acontecer, suceder), desejo
(almejar, querer) e outros processos. Como observam Pasquale & Ulisses, “os verbos
desempenham uma função vital em qualquer língua. São em torno deles que se
organizam as orações, os períodos e consequentemente, também se estrutura o
pensamento.”
No grego, assim como no português, o verbo tem tempo, modo, voz, pessoa e
número.

Tempo
Quando se fala do tempo verbal grego é importante prestar especial atenção às
diferenças que existem entre o tempo verbal no grego e seu par em português.
1. A função do tempo verbal no grego
Em português o tempo verbal é usado primordialmente para expressar o
momento em que uma ação é praticada (no presente, passado ou futuro). Não é assim
no grego, onde essa ideia quase não está presente no tempo verbal; apenas no modo
indicativo ela é percebida, e só de maneira secundária.
A função principal do tempo verbal em grego é expressar o aspecto, i.e. a
qualidade, o estado ou o tipo da ação1. Isso significa que o tempo verbal no grego,

1
Gramáticas mais antigas, em lugar de falar do aspecto verbal usam o termo Aktionsart - palavra alemã que se refere à espécie da ação.
Hoje entende-se por Aktionsart a espécie da ação que o próprio verbo expressa por meio do seu significado lexical. Com isso, a
Aktionsart depende do verbo, enquanto que o aspecto depende do tempo verbal. Veja o exemplo:
O verbo buscar, pelo seu próprio significado lexical, transmite a ideia de uma série de procedimentos de busca, com o fim de achar
determinada coisa; a Aktionsart expressa por esse verbo é uma espécie de ação durativa. Por outro lado, o verbo achar transmite a ideia
de uma ação instantânea, em função de que certa coisa é achada em determinado momento; a Aktionsart expressa pelo verbo achar é uma
espécie de ação pontilear.

IBTEL Instituto Bíblico Teológico Elohim 15


indica p.ex., se uma ação está em andamento, em progresso, se desenvolvendo ou se
já foi concluída, acabada; também pode transmitir a ideia de um estado que é resultado
de alguma ação acabada anteriormente. Com tudo isso, o aspecto verbal informa sobre
a maneira em que o narrador subjetivamente vê a ação.
Podemos dizer, então, que o tempo verbal em grego, não expressa em primeiro
lugar o “quando?” da ação, mas sim o “como?” da mesma.
Basicamente, podem se apresentar as seguintes situações:
a) Aspecto durativo
Uma ação pode ser contínua, estar se desenvolvendo, em andamento,
acontecendo, progredindo, pelo fato de ainda não estar concluída, e nesse sentido ser
incompleta. Uma ação ou processo com um aspecto verbal assim é chamada de ação
linear ou durativa, e pode ser representada graficamente por meio de um traço
horizontal.
Ex.: Pedro está escrevendo um livro.
Esta forma indica que Pedro está ocupado com uma ação que ainda não está
acabada, e que pode levar um tempo até ficar concluída.
b) Aspecto pontilear
Uma ação também pode ser vista como um todo, sem especificar nem a maneira
em que é realizada, nem a duração do processo verbal. Neste caso, o aspecto da ação
geralmente é denominado pontilear, podendo ser representado graficamente por meio
de um ponto como se fosse um ponto na linha do tempo. Caso a ação seja concebida
no passado, entende-se que é uma ação acabada, concluída.
Ex.: Pedro escreveu um livro.
Com o verbo conjugado desta maneira, indica-se que Pedro realizou uma
determinada ação, expressa pelo verbo escrever, sem especificar se essa ação levou
muito tempo ou pouco para ser concluída; apenas é informado que Pedro escreveu um
livro.
c) Aspecto resultante
Um verbo também pode expressar um estado. Geralmente será um estado
alcançado como resultado de uma ação verbal que o precedeu. Fala-se nesses casos
de um aspecto resultante. Graficamente, pode ser representado por meio de um ponto
seguido de um traço horizontal, onde o ponto simboliza a ação acabada, e o traço o
estado resultante.
Ex.: No livro de Pedro esta escrito que ...
O verbo escrever, conjugado assim, indica, desta vez, que, em algum momento,
alguma coisa foi escrita, e que agora está registrada e pode ser lida por todos. Há uma
referência à ação de Pedro, apreciada através dos seus resultados.
Observe que, em todos estes exemplos, o verbo usado é o mesmo, apenas mudou
o tempo verbal empregado. Mediante o uso de diferentes tempos verbais, foi possível,

IBTEL Instituto Bíblico Teológico Elohim 16


expressar diferentes aspectos do processo verbal. Junto com o tempo que mudou,
mudou também o tipo de ação, a qualidade ou o estado da ação.
2. Os tempos verbais no grego
a) Presente
O tempo grego chamado presente denota uma ação contínua ou num estado
incompleto. A ação é descrita como em progresso, em andamento, durativa ou linear.
Ex: Eu estou vivo. Eu estou fazendo. Eu estou comendo. __________
b) Futuro
O futuro, como no português, indica o que vai acontecer. Geralmente expressa a
ideia de uma ação pontilear, mas em alguns casos pode ser durativa. Mas uma ação
pontual que vai acontecer de uma vez por todas.
Ex: Jesus voltará em glória. Eu farei, Eu irei. .
c) Imperfeito
O imperfeito expressa uma ação que foi contínua por algum tempo no passado,
mas que já cessou. A ação pode ter sido continuada, habitual, intermitente, etc., o que
é determinado pelo contexto e pelo significado do verbo.
Ex.: Jesus proclamava o Reino de Deus. Eu estive comendo ou Eu estive
comprando. _________
d) Aoristo
O aoristo indica a ação de uma maneira simples, indefinida, sem especificar a sua
duração. Faz referência ao fato ou evento em si, geralmente no passado, mas não
revela nem os antecedentes nem os resultados dele. E ação que chamamos de
“pontilear”. É uma ação pontual que aconteceu no passado ou completa.
Ex.: Jesus ressuscitou. .
e) Perfeito
O perfeito é o tempo que indica o processo de uma ação e, ao mesmo tempo, a
existência real dos seus resultados. Em geral, expressa o estado atual como resultado
de uma ação acabada no passado. O perfeito e mais que perfeito são ações
pontilineares que aconteceram no passado cujos efeitos continuam.
Ex.: O amor de Deus foi derramado em nossos corações (e continua ali).
(Rm 5.5). .
__________________

f) O mais – que – perfeito

Refere-se a uma ação acabada no passado que produziu certos resultados que
continuaram a existir por algum tempo, até que cessaram. Em certo sentido, é um
perfeito trasladado ao passado.

Ex: Pedro ficou esperando do lado de fora da porta (Jo 18.16). . ________

IBTEL Instituto Bíblico Teológico Elohim 17


Aspectos Verbas na tabela abaixo
Passado Presente Futuro
Presente ____________
Futuro .
Imperfeito __________
Aoristo .
Perfeito . __________________
Mais – que – perfeito . ___________

3. Modo do verbo
O modo se refere ao relacionamento entre o verbo e a realidade.
a) Modo Indicativo – modo da realidade (acontece, aconteceu, ainda
acontecerá).
O indicativo é o modo da declaração feita com segurança: afirma fatos como se
fosse uma realidade. Este modo não esclarece se os fatos são verdadeiros ou falsos,
simplesmente se limita a afirmá-los.
b) Modo Subjuntivo – modo da possibilidade (se, talvez).
O subjuntivo é o modo da probabilidade, da incerteza, da dúvida; usa o subjuntivo
quem fala com hesitação, expressando um fato como possível. E também o modo que
expressa desejo, expectativa.
c) Modo Imperativo – modo de ordem ou pedido.
O modo imperativo expressa ordem ou proibição, mas também pode expressar
exortação, conselho ou súplica. Indica a intenção de quem fala, sem esclarecer se
aquilo que foi expresso se tomará realidade ou não.
d) Modo Optativo – modo de desejo ou da possibilidade.
O modo optativo pode expressar um desejo (que poderia se cumprir), ou uma
mera possibilidade. A probabilidade de que o desejo ou a possibilidade se tome
realidade parece ser mais remota do que no modo subjuntivo.

Nota
Existem outras duas formas verbais que têm algumas semelhanças com os
modos, mas que não podem ser classificadas como modo estritamente falando: são
elas o particípio e o infinitivo.
a) Particípio
O particípio é considerado como um adjetivo verbal, por ter características tanto
de adjetivo como de verbo.

IBTEL Instituto Bíblico Teológico Elohim 18


b) Infinitivo
O infinitivo é considerado como um substantivo verbal, pois tem características
tanto de substantivo como de verbo.

4. Voz do Verbo
A voz expressa à relação entre o sujeito e a ação. No grego existem três vozes:
1. Voz ativa
A voz ativa indica que o sujeito realiza a ação expressa pelo verbo.
Ex:  — eu lavo

2. Voz passiva
A voz passiva indica que o sujeito sofre a ação expressa pelo verbo, geralmente
executada por algum agente que não seja ele próprio.
Ex.: — eu sou lavado
3. Voz Média
O sujeito pratica ação em si mesmo, para si mesmo ou de si mesmo (ele lavou-
se). Pode indicar intensidade. (é igual ao reflexivo na língua portuguesa)
 para si mesmo, em seu próprio interesse e benefício:
Ex:  — eu desato para mim
 de si mesmo, por iniciativa própria ou confiado nas suas próprias forças:
Ex:  — eu prometo

Pessoa e Numero
Assim como acontece no português, também no grego os verbos têm terminações
pessoais que indicam a pessoa e o número do sujeito que executa a ação o qual aprendemos
na lição 4.

Ex.: canto indica que sou eu (1ª a pessoa do singular) que canta;
cantas indica que és tu (2ª a pessoa do singular) que cantas;
cantamos indica que somos nós (1ª a pessoa do plural) que cantamos.
Mesmo que o sujeito já esteja implícito na terminação verbal, é possível que se
queira destacá-lo ou enfatizá-lo. Nesses casos, é acrescentado o pronome pessoal.
Ex: - venci o mundo

 - eu venci o mundo (Jo 16.33)

IBTEL Instituto Bíblico Teológico Elohim 19


Lição 7 do Grego Bíblico

Declinações: sujeito e Objeto

Declinação, em linguística, é a flexão sofrida por nomes, adjetivos ou pronomes


segundo os gêneros, números e casos. A declinação ocorre claramente em línguas
flexivas como o latim e o português. “A língua grega é uma língua que utiliza um
sistema chamado “declinação”. Por declinação se entende que as funções sintáticas da
palavra (sujeito, vocativo, objeto direto, objeto indireto e adjunto adnominal) se
expressando por terminações que se fixam ao radical da palavra. E o artigo definido
segue esse sistema.

SINGULAR
MASC. FEM. NEUTRO
NOMINATIVO ὁ ἡ τό
GENITIVO τοῦ τῆς τοῦ
DATIVO τῷ τῇ τῷ
ACUSATIVO τόν τήν τό

PLURAL
MASC. FEM. NEUTRO
NOMINATIVO οἱ αἱ τά
GENITIVO τῶν τῶν τῶν
DATIVO οῖς ταῖς τοῖς
ACUSATIVO ούς τάς τά

Exemplo de Sujeito e objeto no grego

ς sujeito 

ςamaobjeto

ς (sujeito caso Nominativo)

Deus ama o mundo  (objeto caso Acusativo)

ς Sujeito caso Nominativo

ς ama v


v Objeto caso Acusativo
IBTEL Instituto Bíblico Teológico Elohim 20

ς ama v ς (sujeito caso Nominativo)

Mundo ama Deusv (objeto caso Acusativo)

Biblios (ς) Sujeito caso Nominativo


Bíblia
Biblion(v) Objeto caso Acusativo

Observe que no grego, são as terminações que indicam o sujeito e o objeto.

Como já vimos o grego possui um sistema bastante elaborado de declinações.


Em outras palavras, existem 5 maneiras (tanto no singular quanto no plural), em grego
koiné, de se escrever a mesma palavra, de acordo com a função sintática.

Para se ler e escrever, em grego bíblico, os exemplos que foram citados são
suficientes para trazer uma coerência e ordem de como se lê o grego bíblico.

'Εν ἀρχῇ ἦν ὁ λόγος, καὶ ὁ λόγος ἦν πρὸς τὸν Θεόν, καὶ Θεὸς ἦν ὁ
λόγος.

2 οὗτος ἦν ἐν ἀρχῇ πρὸς τὸν Θεόν.


3 πάντα δι' αὐτοῦ ἐγένετο, καὶ χωρὶς αὐτοῦ ἐγένετο οὐδὲ ἕν ὅ
γέγονεν.

4 ἐν αὐτῷ ζωὴ ἦν, καὶ ἡ ζωὴ ἦν τὸ φῶς τῶν ἀνθρώπων·


5 καὶ τὸ φῶς ἐν τῇ σκοτίᾳ φαίνει, καὶ ἡ σκοτία αὐτὸ οὐ κατέλαβεν.

6 'Εγένετο ἄνθρωπος ἀπεσταλμένος παρὰ Θεοῦ, ὄνομα αὐτῷ


'Ιωάννης·

7 οὗτος ἦλθεν εἰς μαρτυρίαν, ἵνα μαρτυρήσῃ περὶ τοῦ φωτός, ἵνα
πάντες πιστεύσωσιν δι' αὐτοῦ.

IBTEL Instituto Bíblico Teológico Elohim 21


'Εν No preposição, rege dativo - em, no
substantivo dativo sing.
ἀρχῇ princípio - princípio
feminino ἀρχή, ῆς
verbo 3a pessoa sing. imperf. ind.
ἦν era - sou
de εἰμί
ὁ o artigo nominativo sing. m. ὁ, ἡ, τό - o, a, o
substantivo nominativo sing.
λόγος Verbo - palavra
m. λόγος, ου
καὶ e conjunção - e
ὁ o artigo nominativo sing. m. ὁ, ἡ, τό - o, a, o
substantivo nominativo sing.
λόγος Verbo - palavra
m. λόγος, ου
a
verbo 3 pessoa sing. imperf. ind.
ἦν estava - sou
de εἰμί
πρὸς com preposição, rege acusativo - com
τὸν artigo acusativo sing. m. ὁ, ἡ, τό - o, a, o
substantivo acusativo sing. m. θεός,
Θεόν Deus - Deus
οῦ
καὶ e* conjunção - e
substantivo nominativo sing.
Θεὸς Deus - Deus
m. θεός, οῦ
a
verbo 3 pessoa sing. imperf. ind.
ἦν era - sou
de εἰμί
ὁ o artigo nominativo sing. m. ὁ, ἡ, τό - o, a, o
substantivo nominativo sing.
λόγος Verbo - palavra
m. λόγος, ου
leia-se: "e o Verbo era Deus"

Chegamos ao final de nossa lição, que trouxe grande valia e importância para
quem está estudando o grego do Novo testamento. O que foi repassado aos alunos de
teologia é o suficiente para estar lendo e escrevendo o NT na língua grega. Mas isso é
só o começo para quem quer se tornar um estudioso da língua e assim realizar uma
exegese mais acurada e profunda. Para isso alistaremos alguns materiais que vão
ajudá-los nessa empreitada.

LOURENÇO Stelio R. ; JOHANNES, Bergmann. Noções do Grego Bíblico. Gramática


fundamental. Ed. Vida Nova,2012.
DOBSON H. John. Aprenda o Grego do Novo Testamento. Ed: CPAD, RJ. 1994.
WALLACE B. Daniel. Gramática Grega. Com índice Bíblico e Palavras Gregas. Ed.
Batista Regular do Brasil. 2009. RJ.
FRITZ, Rienecker; CLEON, Roger; Tradução do Gordon Chown. Chave Lingística do
Novo Testamento Grego. Ed. Vida Nova. SP,1995
ROBINSON, Edward. Lexico Grego do Novo Testamento. Ed. CPAD.
LUZ, Carvalho. W. Novo Testamento Interlinear. Ed. Hagnos.

Prof: Euler Lopes Moreira

IBTEL Instituto Bíblico Teológico Elohim 22