Você está na página 1de 6

TJ-PA - Apelação APL 00011602320058140051 BELÉM

(TJ-PA)

Data de publicação: 22/05/2013

Ementa: APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO DE ANULAÇÃO DE


CASAMENTO. ALEGADO ERRO ESSENCIAL. FATO
DESCONHECIDO. INSUSTENTABILIDADE DA
CONVIVÊNCIA EM COMUM. RECURSO IMPROVIDO. I-
Erro essencial é o erro de um dos nubentes que se verifica
nos casos em que a descoberta da identidade do outro, sua
honra ou boa fama, possa causar dificuldades
intransponíveis para a convivência em comum, tornando
insuportável a vida de casado. II- Restou comprovado nos
autos que o autor ignorava o fato da requerida estar
envolvida com drogas, realidade que só veio à tona após o
casamento, tornando insustentável a convivência entre as
partes. III- À unanimidade, recurso a que se nega provimento
para confirmar a sentença a quo.

STJ - RECURSO ESPECIAL REsp 86405 SP


1996/0004256-0 (STJ)

Data de publicação: 14/10/1996

Ementa: "CASAMENTO." ANULAÇÃO. ERRO


ESSENCIAL. IMPRUDENCIA. A MULHER QUE ACEITA
CONTRAIR CASAMENTO APOS QUATRO OU CINCO
MESES DE NAMORO, AINDA QUE NÃO TENHA TIDO
PERFEITAS CONDIÇÕES PARA CONHECER AS
CIRCUNSTANCIAS QUE DEPOIS TORNARAM
INSUPORTAVEL A VIDA EM COMUM, NÃO ESTA INIBIDA
DE PROMOVER COM EXITO A AÇÃO DE ANULAÇÃO DO
CASAMENTO, POR ERRO ESSENCIAL. ARTS. 218 E 219,
I DO CC. RECURSO CONHECIDO E PROVIDO.

Encontrado em: , ANULAÇÃO, CASAMENTO, ERRO


ESSENCIAL, DESCONHECIMENTO, CARACTERISTICA,
COMPORTAMENTO, PERSONALIDADE...
COELHONULIDADE E ANULAÇÃO DO CASAMENTO, 2A.
ED ., FREITAS BASTOS, PAG. 198.. VICENTE DE FARIA...
COELHONULIDADE E ANULAÇÃO DO CASAMENTO, 2A.
ED., FREITAS BASTOS, PAG. 198. DJ 14.10.1996 p. 39012
LEXSTJ vol...

STF - RECURSO EXTRAORDINÁRIO RE 60174 PE (STF)

Data de publicação: 31/12/1969

Ementa: ANULAÇÃO DE CASAMENTO (ART. 219 , IV DO


CÓDIGO CIVIL ). A DECISÃO RECORRIDA ACENTUOU A
CAUTELA QUE DEVE TER O JULGADOR DIANTE DA
PROVA TESTEMUNHAL, CONCLUINDO NO SENTIDO DE
QUE ESTA ERA INSUFICIENTE, NA HIPÓTESE, PARA
JUSTIFICAR A PROCEDENCIA DA PRETENSAO DO
AUTOR. DESTARTE, NÃO SE CONTRAPOS AOS
ACORDAOS TRAZIDOS A CONFRONTO, QUE ADMITEM
O SOCORRO A PROVA TESTEMUNHAL NA AÇÃO DE
ANULAÇÃO DE CASAMENTO POR ERRO ESSENCIAL.
DEFLORAMENTO DA MULHER, IGNORADO PELO
MARIDO.
Encontrado em: TURMA DJ 29-08-1969 PP-***** EMENT
VOL-00773-01 PP-00325 - 1/1/1970 CASAMENTO,
ANULAÇÃO, ERROR... VIRGINITATIS. PROVA
TESTEMUNHAL. INSUFICIÊNCIA. DIREITO CIVIL
CASAMENTO ANULAÇÃO RECURSO
EXTRAORDINÁRIO

TJ-RS - Apelação Cível AC 70064817703 RS (TJ-RS)

Data de publicação: 22/07/2015

Ementa: APELAÇÃO CÍVEL. ANULAÇÃO DE


CASAMENTO. INOCORRÊNCIA DE ERRO ESSENCIAL.
APELO PROVIDO. Nos termos do artigo 1.557 , inciso I , do
Código Civil , erro essencial diz com questão relativa à
identidade, à honra e à boa fama do cônjuge que, se
conhecida antes da celebração do enlace, inviabilizaria o
casamento. Ademais, depois do conhecimento da
"questão", a vida em comum há de ter se tornado
insuportável para justificar o pleito de anulação de
casamento. Ausentes tais requisitos, não há falar em
anulação de casamento. APELO PROVIDO. (Apelação
Cível Nº 70064817703, Oitava Câmara Cível, Tribunal de
Justiça do RS, Relator: Alzir Felippe Schmitz, Julgado em
16/07/2015).

TJ-RS - Apelação Cível AC 70063908693 RS (TJ-RS)

Data de publicação: 13/05/2015

Ementa: AÇÃO DE ANULAÇÃO DE CASAMENTO. ERRO


ESSENCIAL. LITIGÂNCIA DE MÁ-FÉ. INOCORRENTE.
PREFACIAL DE NULIDADE DA SENTENÇA. 1. Não
havendo conexão e continência entre o presente feito e a
ação de divórcio proposta pelo réu, descabe a
desconstituição da sentença para o julgamento conjunto dos
processos. 2. Considerando que não restou comprovada a
ocorrência de erro essencial quanto à pessoa, torna-se
inviável a pretensão de anulação do casamento. 3. Mostra-
se descabida a condenação do réu ao pagamento de
indenização por danos morais e materiais à autora, pois não
é possível discutir a culpa pela ruptura da relação. 4. A
questão relativa à partilha de bens e à pensão deve ser
discutida na ação de divórcio. 5. Não se verifica a litigância
de má-fé, quando não fica comprovada nenhuma das
hipóteses previstas no art. 17 do CPC Recurso desprovido.
(Apelação Cível Nº 70063908693, Sétima Câmara Cível,
Tribunal de Justiça do RS, Relator: Sérgio Fernando de
Vasconcellos Chaves, Julgado em 06/05/2015).

TJ-DF - APELACAO CIVEL APC 20040810027476 DF (TJ-


DF)

Data de publicação: 31/10/2008

Ementa: CIVIL E PROCESSUAL CIVIL. AÇÃO


ANULATÓRIA DE CASAMENTO. ERRO ESSENCIAL.
DECADÊNCIA. OCORRÊNCIA. APELAÇÃO DO
MINISTÉRIO PÚBLICO. INTERESSE PÚBLICO.
AUSÊNCIA. MANUTENÇÃO DA SENTENÇA. 1.
EVIDENCIADO QUE A AUTORA AJUIZOU DEMANDA
OBJETIVANDO ANULAÇÃO DO CASAMENTO POR
ERRO ESSENCIAL, TRÊS ANOS APÓS A CELEBRAÇÃO
DO ATO JURÍDICO, OCORRIDA AINDA SOB A ÉGIDE DO
CÓDIGO CIVIL DE 1916 , O DIREITO VINDICADO
RESTOU ALCANÇADO PELA DECADÊNCIA, NOS
TERMOS DO ART. 178 , § 7º DO MESMO DIPLOMA
LEGAL. 2. RECURSO CONHECIDO E NÃO PROVIDO

TJ-RS - Apelação Cível AC 70043620889 RS (TJ-RS)

Data de publicação: 21/10/2011

Ementa: AÇÃO DE ANULAÇÃO DE CASAMENTO. ERRO


ESSENCIAL. CERCEAMENTO DE DEFESA.
INOCORRÊNCIA. 1. Inexiste cerceamento de defesa por
não ter sido marcada audiência de justificativa, quando tal
solenidade se mostrava totalmente desnecessária, diante da
manifesta impossibilidade jurídica do pedido. 2.
Considerando que os autores não apontaram a ocorrência
de erro essencial quanto à pessoa, torna-se inviável a
pretensão de anulação do casamento. Recurso
desprovido. (Apelação Cível Nº 70043620889, Sétima
Câmara Cível, Tribunal de Justiça do RS, Relator: Sérgio
Fernando de Vasconcellos...

TJ-RS - Apelação Cível AC 70056581952 RS (TJ-RS)

Data de publicação: 25/10/2013

Ementa: APELAÇÃO. AÇÃO DE ANULAÇÃO DE


CASAMENTO. ERRO ESSENCIAL. NÃO CONFIGURADO.
DESCABIMENTO. 1- Erro é a falsa representação da
realidade que implica em manifestação de vontade viciada
por parte do agente que, se melhor conhecesse a realidade
fática ou não ignorasse a situação enfrentada, não teria
praticado o ato jurídico como praticara. 2- Todavia, não se
trata de erro essencial sobre a pessoa, apto a anular o
casamento, porque a autora não trouxe aos autos prova
contundente de que o demandado, realmente, seja
homossexual, e muito menos de que tenha se tornado
insuportável a vida em comum, pois o demandado voltou a
residir com a autora. RECURSO PROVIDO. (Apelação Cível
Nº 70056581952, Sétima Câmara Cível, Tribunal de Justiça
do RS, Relator: Liselena Schifino Robles Ribeiro, Julgado
em 23/10/2013)