Você está na página 1de 3

AULA 1 - A Vigilância em Saúde

ASPECTOS HISTÓRICOS DA VIGILÂNCIA EM SAÚDE (VS)


Criada em 09 de junho de 2003, pelo Decreto no 4.726, a
Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS) surgiu para
fortalecer e ampliar as ações de vigilância epidemiológica. Ela
realiza análises da situação de saúde e o monitoramento de
indicadores sanitários do país, possibilitando o
aperfeiçoamento do processo de escolha de prioridades e de
definição de políticas, assim como a avaliação dos resultados
dos programas de saúde. A SVS atua, ainda, na construção
de parcerias com as Secretarias Estaduais e Municipais de
Saúde, bem como com instituições de ensino e pesquisa
nacionais e internacionais.
Langmuir (1963) define a Vigilância como sendo a observação
contínua da distribuição e das tendências da incidência de
doenças mediante a coleta sistemática, a consolidação e a
avaliação de informes de morbi e mortalidade, assim como a
regular disseminação dessas informações.
A Portaria GM/MS 1.378, de julho de 2013, define que
Vigilância em Saúde constitui um processo contínuo e
sistemático de coleta, consolidação, análise e disseminação
de dados sobre eventos relacionados à saúde, visando o
planejamento e a implementação de medidas de saúde
pública para a proteção da saúde da população, a prevenção
e o controle de riscos, agravos e doenças, bem como para a
promoção da saúde.

Quer saber mais sobre esse assunto? Então acesse o site da


Fiocruz e leia o texto “Vigilância em saúde" - aspectos
históricos
http://www.site.epsjv.fiocruz.br/dicionario/verbetes/vigsau.h
tml
e assista ao vídeo “A história da saúde pública no Brasil –
500 anos na busca de soluções”.
https://www.youtube.com/watch?v=7ouSg6oNMe8
INFORMAÇÕES DE MORTALIDADE E A VIGILÂNCIA
A Vigilância de óbitos se enquadra no conceito de vigilância
epidemiológica, que compreende o conhecimento dos
determinantes dos óbitos e a adoção de medidas de
prevenção e controle.
As informações sobre mortalidade fazem parte das ações de
vigilância que identificam, investigam, analisam e monitoram
os óbitos. Para tanto, sua implementação se dá pelo aumento
da quantidade de notificações de óbitos que são captados nos
Sistemas de Informações sobre Mortalidade (SIM) do
Ministério da Saúde, por acompanhar todos os óbitos segundo
os critérios definidos e melhorar a qualidade das
informações prestadas.
O CODIFICADOR E A VIGILÂNCIA
A Vigilância do óbito permite conhecer a condição de
funcionalidade do sistema, identifica as necessidades,
contribuindo para melhor registro dos óbitos e para a adoção
de medidas de evitabilidade e prevenção das mortes. Para
isso, necessita de um profissional capacitado para
exercer essa atividade.
PERFIL DO CODIFICADOR
O codificador é um profissional da saúde que desempenha
atividade vital; do seu trabalho depende a construção de
estatísticas que nortearão decisões essenciais na saúde; é um
profissional que gosta de desa- fios, comunicativo,
questionador, concentrado, atento, uma vez que utiliza muito
raciocínio e possui visão crítica.
Ele está inserido na Vigilância em Saúde local, realiza em
conjunto com a equipe análises da situação de saúde e o
monitoramento de indicadores municipais, possibilitando o
aperfeiçoamento do processo de escolha de prioridades e de
definição de políticas, bem como a avaliação dos resultados
dos programas de saúde. As informações sobre
mortalidade fazem parte das ações de vigilância que
identificam, investigam, analisam e monitoram os óbitos.

Gostaríamos de conhecer um pouco mais sobre você e como


é o seu trabalho na codificação de causa básica de óbito. Para
isso, clique abaixo no circulo "finalizei esta etapa" e na
próxima atividade responda a um rápido questionário sobre
esse tema.
Processando dados, aguarde...
Finalizei esta etapa
×
Agora que você terminou essa tarefa, o que deseja fazer?

Ir ao plano do curso Começar a próxima etapa


Interesses relacionados