Você está na página 1de 116

https://rzeidan.

com/2016/05/25/por-que-os-juros-sao-tao-altos-no-brasil-uma-proposta-de-reforma-
bancaria/
http://jc.ne10.uol.com.br/blogs/jcnegocios/2016/10/25/governo-do-brasil-ja-deve-r-3-trilhoes-ao-
mercado-e-paga-juros-de-1275-ao-ano-como-isso-interfere-na-nossa-vida/
http://www.gazetadopovo.com.br/rodrigo-constantino/artigos/existe-deficit-na-previdencia/
http://mercadopopular.org/2015/07/entenda-o-sistema-de-saude-publica-dos-eua-sim-ele-existe/
http://rgellery.blogspot.com.br/2013/08/liberdade-e-desigualdade-o-que-dizem-os.html


Sérgio AlmeidaProfessor de Economia da FEA-USP

A Previdência é cara. O que chamamos de previdência é muito mais do que


aposentadoria. Pode ser visto na verdade como um conjunto de seguros que protegem
os trabalhadores contra eventos que, ainda que temporários, podem provocar uma
perda salarial. Estão aí inclusos: auxílio-doença, a licença-maternidade, auxílio-
acidente e pensão por morte.

Essa rede de proteção custa caro: são quase R$ 500 bilhões por ano – o que
representa pouco mais de 7% de toda a renda que é gerada pelo País anualmente.

A Previdência já opera de forma deficitária – teve um déficit de quase R$ 90 bilhões


em 2015 – e possui um problema estrutural que provocará o aumento desses déficits:
a população brasileira está envelhecendo.

Em menos de 30 anos, por volta de 2055, as projeções demográficas indicam que a


população de pessoas com mais de 60 anos seja quase quatro vezes maior do que é
hoje – passando de 13 milhões de pessoas para 51 milhões.

Haverá mais aposentados para receberem os benefícios da seguridade social e


menos pessoas jovens contribuindo para o financiamento do sistema de seguridade
social brasileiro.
Os gastos com a Previdência aumentarão sensivelmente. Isso ameaça não apenas a
própria viabilidade financeira do sistema, mas torna quase que inevitável uma
considerável redução dos recursos disponíveis para o financiamento de outras
despesas tão ou mais importantes, como educação, saúde, infraestrutura.

É essa mudança na distribuição etária da população, e as implicações nefastas que


tem sobre a capacidade do governo de investir em áreas prioriárias que estão sob sua
responsabilidade, que trouxe o tema da reforma da Previdência ao centro do palco do
debate político e econômico no Brasil no momento.

O governo fez uma proposta de reforma do sistema – PEC 287/2016, que tenta
introduzir algumas mudanças que visam a eliminar algumas distorções e reduzir as
tendências ao desequilíbrio financeiro do sistema de Previdência.

O debate do tema, todavia, está cercado de argumentos falaciosos e mitos que


dificultam a compreensão do tema e da importância da reforma:

Mito 1: "A Previdência faz parte da Seguridade Social, que não é deficitária.
Logo, não há problema"
Você com certeza já deve ter ouvido isso por aí. Essa narrativa é muito repetida pelas
redes e argumenta o seguinte: não há déficit na Previdência Social se todas as
receitas do Sistema de Seguridade Social, do qual a Previdência faz parte, forem
considerados.

A narrativa diz até que se eliminássemos a incidência da DRU – desvinculação das


receitas da União, instrumento criado para flexibilizar o gasto do governo federal –,
obteríamos até mesmo um superávit na Seguridade.

Em primeiro lugar, é questionável tal proposta de eliminar a incidência da DRU. Isso


porque ela foi criada por meio de emenda à Constituição; sendo assim, é tão
constitucional quanto a atribuição de recursos à Seguridade.

Em segundo, os dados mostram que, na verdade, a história não é bem assim.


Observe nos gráficos abaixo:
ELABORAÇÃO PRÓPRIA
ELABORAÇÃO PRÓRPIA

Os gráficos mostram o resultado da Seguridade Social, com e sem DRU. Note que,
com ela, o déficit chega a incríveis R$ 256 bilhões em 2016, ou 4,1% do PIB. Sem ela,
o déficit segue alto: R$ 165 bilhões, ou 2,6% do PIB.
"Como eles chegam num superávit, então?", você deve estar se perguntando. É
simples: a conta feita pelos que argumentam que a Previdência não tem déficit faz uso
de procedimentos metodológicos no mínimo questionáveis; o pulo do gato é a
eliminação do Regime Próprio de Previdência dos servidores (RPPS), como se
ninguém precisasse pagá-los.

Como a Previdência dos servidores públicos federais é fortemente deficitária, o


resultado líquido desse truque contábil é diminuir o déficit da Seguridade e até
transformá-lo em superávit.

Entretanto, mesmo sob esse critério (isto é, mesmo desconsiderando os gastos do


RPPS), em 2016 obtemos um déficit de R$ 97 bilhões, segundo a IFI (Instituição Fiscal
Independente) do Senado.

VER FONTES

Além disso, é importante lembrar que o déficit per se não importa tanto. O mais
importante é o total de despesas, e o quanto elas pesam em relação ao orçamento.
Já é sabido que o Brasil é um país jovem que gasta como país velho. As despesas
com Previdência já consomem metade do orçamento primário da União. Gastamos,
com essa rubrica, o mesmo que o Japão, ainda que a sociedade japonesa seja três
vezes mais idosa que a nossa.
Sem a reforma, esse gasto só irá crescer, e precisaremos de novas rodadas de
grandes aumentos de carga tributária, além de termos que gastar menos em outras
áreas tão importantes quanto – como Saúde, Educação e Segurança.
VER FONTES

Mito 2: "Vamos trabalhar até morrer sem nos aposentarmos, já que a expectativa
de vida é de 75 anos"
É verdade que a expectativa de vida ao nascer, no Brasil, é de cerca de 75 anos.
Também é verdade que, em muitos lugares do País, a expectativa de vida ao
nascer é pouco superior a 65 anos. Mas por que esse dado não é relevante? Porque
a expectativa de vida ao nascer não é um dado importante para o debate
previdenciário. O dado importante, sim, é a expectativa de sobrevida. Confira os
gráficos abaixo:
VER FONTE
VER FONTES

O primeiro dos gráficos mostra a expectativa de sobrevida em diferentes idades.


Basicamente, esse dado nos diz o seguinte: "até quando uma pessoa que chegue a
determinada idade deverá viver?". Note que, no Brasil, espera-se que alguém que
chegue aos 65 anos – idade mínima proposta – deverá viver até os 83,5 anos.
O segundo gráfico, por sua vez, mostra tal estatística em diferentes regiões do Brasil.
Perceba que, em todas as regiões, a expectativa de sobrevida aos 65 é superior a 81
anos.

Portanto, como estamos vivendo mais, não é verdade que "vamos trabalhar até
morrer". É bom lembrar, também, que a idade mínima ao redor de 65 anos é regra no
mundo todo. Há, inclusive, países que discutem elevá-la para até 70 anos.
VER FONTES
VER FONTES

Mito 3: "Basta cobrar a dívida ativa das empresas que o problema da


Previdência se resolve"
Os comentários do secretário de Acompanhamento Econômico do Ministério da
Fazenda, Mansueto Almeida, em sua conta no Twitter, esclarecem a natureza
falaciosa do argumento em torno desse mito.
PERFIL NO TWITTER

DO MANSUETO ALMEIDA

Segundo dados da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, as 250 maiores


devedoras da Previdência devem, ao todo, R$ 51,4 bilhões. Acontece que 33% dessa
dívida é por parte de empresas que já faliram, estão em vias de (algo conhecido como
"recuperação judicial") ou fecharam. Logo, sobram algo como R$ 34,4 bilhões, o
suficiente para cobrir gastos do RGPS (Regime Geral de Previdência Social) por 25
dias.
Desconsiderando a dificuldade em recuperar tais dívidas – segundo Mansueto
Almeida, especialista em finanças públicas, apenas 4% de toda a dívida ativa tem
chance alta de recuperação -, esse valor – de R$ 51,4 bilhões – só cobriria 36 dias de
gastos do RGPS.

Observe no gráfico:
VER FONTES

É importante observar também que só seria possível cobrar tais dívidas uma única
vez. Elas não constituem um fluxo, mas sim um estoque. E, como é sabido, o
problema da Previdência é de fluxo: gastamos muito e, ano após ano, gastamos cada
vez mais.
Ou seja: mesmo que o o governo cobrasse a dívida, teria esses recursos disponíveis
para gastar apenas uma vez. No período seguinte, voltaria a enfrentar o mesmo
problema. É como vender o carro para pagar as contas do mês: no mês seguinte, não
se tem outro carro para vender.
VER FONTES
Mito 4: "O problema são só os servidores, não os trabalhadores do setor
privado"
É fato, sim, que os servidores públicos são beneficiados. A literatura sobre as
vantagens salariais do setor público, ante o setor privado, é vasta (ver, por exemplo,
este artigo aqui). Tais vantagens também são verdadeiras no que tange à Previdência
Social. Como se pode ver abaixo, enquanto o déficit anual por beneficiário do setor
privado (RGPS) foi de R$ 5.130, o déficit anual por beneficiário do setor público federal
(RPPS) foi de R$ 78.468.

VER FONTES

As aposentadorias do setor público são bem mais generosas, e a proposta do governo


pretende rever isso. Dito isso, o problema da Previdência não são apenas os
servidores. Para entendermos o porquê, é preciso olharmos não apenas a foto, mas o
filme inteiro.
VER FONTE
Enquanto os gastos com os aposentados do setor público cairão, como % do PIB, os
do setor privado aumentarão de 8% para mais de 17% do PIB. E, como dito
anteriormente, o gasto total importa mais do que o déficit.

Em resumo: é preciso, sim, rever o regime de previdência dos servidores (RPPS), que
é extremamente injusto e regressivo. Mas este não é o único problema. É portanto,
como evidenciam os dados, inevitável reformar a Previdência dos trabalhadores
privados.

Mito 5: "A reforma vai prejudicar os estados mais pobres, onde a expectativa de
vida é menor"
Como já comentado acima, a estatística relevante para se debater a Previdência não é
a expectativa de vida ao nascer, mas a expectativa de sobrevida.

Mostramos que a expectativa de sobrevida aos 65 não difere muito entre as grandes
regiões. Mas, é claro, as regiões são bem diferentes entre si. Logo, é prudente que
analisemos esses dados por estado. Veja:
VER FONTES
Antes, analisamos até quando esperava-se que o indivíduo vivesse. O gráfico acima
mostra exatamente a mesma coisa, com uma pequena diferença: "quantos anos
adicionais espera-se que a pessoa viva?".

Observe como a diferença entre o estado com maior expectativa de sobrevida


(Espírito Santo), e o com menor (Rondônia) é de meros 4 anos. Não há, portanto, uma
diferença elevada entre ricos e pobres que justificasse o mito.

Mais interessante que isso, porém, é analisar a projeção desse indicador ao longo dos
próximos anos. Confira:
VER FONTES
Observe como, para todas as regiões do Brasil, a expectativa de sobrevida aos 65
anos deverá subir, continuamente, até 2030. Na média, espera-se que, em 2030, um
brasileiro que chegue aos 65 anos viva até os 85.

Logo, conclui-se que não só a idade mínima de 65 não prejudica os estados mais
pobres, como também precisará ser reajustada, ao longo do tempo, em razão da
evolução da expectativa de sobrevida – e esse mecanismo de reajuste já está incluso
na PEC.

Mito 6: "Vamos ter que trabalhar 49 anos para nos aposentarmos"


Num primeiro momento, esse mito pode até parecer verdadeiro. De fato, a proposta de
reforma estabelece que a regra de cálculo é 51% sobre a média salarial, mais 1 ponto
percentual para cada ano de contribuição. Por que, então, a história dos "49 anos para
se aposentar" não passa de um mito?

Em primeiro lugar, os 49 anos são necessários para se aposentar com 100% da


média salarial. Para simplesmente se aposentar, são necessários 25 anos de
contribuição.
Como mostramos anteriormente, a maior parte das aposentadorias é de 1 salário
mínimo. Isso porque o salário mínimo é o piso previdenciário; ninguém pode receber
menos do que isso. Logo, para quem ganha o salário mínimo, a taxa de reposição
será de 100%.

Na verdade, como o mínimo vem crescendo ao longo dos últimos anos, quem o
recebe e se aposentar recebendo o piso terá uma taxa de reposição maior do que
100% da média salarial nominal de sua vida, já que se aposentará pelo último valor –
este, maior do que a média.

Também não é verdade que, para aqueles que ganham acima do mínimo, será
necessário trabalhar 49 anos para receber 100% de reposição. Lembre-se que o
cálculo da média salarial, para efeitos de aposentadoria, exclui os 20% menores
salários.
Como os salários crescem ao longo da vida, será possível se aposentar com 100%
daefetiva média salarial nominal (isto é: a média salarial verdadeira) com menos de
49 anos de contribuição. Por uma questão puramente aritmética, isso só não seria
verdade caso o salário do trabalhar permanecesse o mesmo ao longo de toda sua
vida. É impossível saber o que acontecerá com os valores reais desses benefícios,
mas há razões para crer que ele permanecerá relativamente estável na pior das
hipóteses.
Por fim, é sempre importante comparar o Brasil com as melhores práticas
internacionais em Previdência. Perceba, pelo gráfico abaixo, que a taxa de reposição
mínima proposta pelo governo – de 76%, que corresponde a 51% da média salarial
mais 1 p.p por ano, com 25 anos de tempo mínimo de contribuição – já é bem maior
que a média dos países da OCDE.

É bem maior, inclusive, que a de países como Finlândia, Noruega e Suécia,


conhecidos pelos seus Estados de bem-estar social.
VER FONTES

Mito 7: "A proposta não acaba com os privilégios dos políticos"


Tornou-se quase senso comum, nesse debate, o argumento segundo o qual "a
reforma não está atacando os privilégios". É um mito. A proposta em discussão no
Congresso coloca um limite de dez salários do teto da previdência nas aposentadoria
de deputados, juízes, auditores e promotores, além de aumentar, no caso dos
políticos, o tempo mínimo de contribuição para 25 anos.

Observações finais
O debate sobre a reforma da Previdência precisa se atentar mais aos dados e à
aritmética do problema. É necessário não apenas reconhecer o problema – coisa que,
aparentemente, alguns relutam em fazer -, mas também debater propostas sérias,
amparadas na realidade dos dados.

Muitas corporações e grupos privilegiados estão interessados em manterem seus


privilégios, à custa da maioria invisível, que não tem coluna nos jornais, tempo na TV
ou lobby junto aos congressistas. É preciso maturidade para encarar e discutir o
problema, superarando as dificuldades das decisões coletivas.

É lastimável, no entanto, que o presidente Michel Temer esteja sinalizando que vai
ceder à pressão das corporações de funcionários públicos – tendo dito recentemente
que planeja tirar os funcionários públicos estaduais e municipais da reforma.

A aritmética da Previdência será implacável, e mais reformas terão que ser feitas se
quisermos evitar ou o calote, ou mais impostos ou mais endividamento -- ou uma
mistura dos três.

Infelizmente, adiar para a futuro a solução dos nossos problemas até que eles se
transformem em crises e seus custos sociais sejam imprevisivelmente dispersos é a
forma com que o Brasil parece "resolver" seus problemas.

Nota: texto e figuras foram elaborados em co-auotria com Gabriel Nemer, graduando
em Economia pelo Insper, colunista do Instituto Mercado Popular e do
site estadominimo.com. O "disclaimer" usual se aplica.
*Este artigo é de autoria de colaboradores do HuffPost Brasil e não representa
ideias ou opiniões do veículo. Mundialmente, o Huffington Post é um espaço que
tem como objetivo ampliar vozes e garantir a pluralidade do debate sobre temas
importantes para a agenda pública.
A PÓS VERDADE , O EFEITO ZUMBI E O GRITO DA MACACADA

Escuto ou vejo com frequência afirmações do tipo “ o Brasil está dividido, professores ganham pouco, as
mulheres ganham 30% menos que os homens, falta dinheiro para as universidades públicas, não existe
rombo na previdência, eu paguei pela aposentadoria, não devo nada e tenho direito, servidor público é
esforçado o problema são os comissionados, passei no concurso por isso sou capacitado, sou servidor e
não tenho regalias,que absurdo que estou com meu salário de servidor congelado, o problema são os
políticos, desarmando as pessoas teremos mais paz e segurança nas ruas, a grande maioria dos presos
são vítimas da sociedade, presos são vagabundos, várias instituições públicas são exemplo, Lula fez um
bom primeiro governo, Dilma ao menos foi boa para o ensino público, a esquerda é a favor dos
movimentos LGBT e raciais, Lula fez uma transformação social, Lula acabou com a dívida, é um absurdo
investir em asfalto quando falta saúde, o maior problema do Brasil é a corrupção, tiraram direitos
trabalhistas, ....

O pior é quando além das afirmações acima começam a querer dar uma de pitaqueiro internacional:
Bolsonaro é o Trump Brasileiro, Trump é um preconceituoso meio louco, que absurdo ele fazer um
muro, ele se elegeu com minoria dos votos, a democracia americana é meio estranha, falem o que
quiser, mas Cuba é exemplo em saúde e educação, lá não tem pobreza, a Suécia é socialista, Venezuela
é uma democracia.

Como pode isso? Como pode uma nação querer ser alguma coisa diferente de Venezuela de 2017, com
essas opiniões e repetições dos dois primeiros parágrafos?

Ai pensando com os botões e lendo textos, chega-se a um fato, opinião todo mundo parece ter,mesmo
que não a expresse,assim como temos cabeça, sistema respiratório e coração.

Porém opinião é opinião, quando ela contradizdados e fatos, vira uma coisa de outro sistema, o
excretor.

Para não encorrer em deselegância comunentemente associada a palvara, não me refiro


necessariamnete ao sistema digestivo pensemos no sistema respiratório, ao eliminar dióxido de
carbono, que é um dos principais resíduos da respiração celular, é por vezes, também incluído neste
grupo por alguns autores (ainda que, na verdade, não seja responsável pela produção de uma
"excreção" no sentido próprio da palavra).

Se ficarmos em um ambiente fechado por um período de tempo, podemos ultrapassar a concentração


tolerável de gás carbônico no sangue, que é de 35 mm Hg a 45 mm Hg. Quando essa concentração sobe,
a pessoa é induzida a um estado de sonolência que leva ao coma e à parada respiratória.

O estado de sonolência parece ser o que acontece com a população. Parecem zumbis repetidores se
contaminando com suas repetições. Alguns zumbis repetidores se acham pensadores. Porém a alta
concentração de CO2 em ambiente fechado, não poupa nem os doutores nem os mendigos.

Quem não está contaminado e olha de fora, por um momento até vê um ar cômico em tudo, parece
uma comemoração tipo zumbi walk, mas quando vê chegar perto e vê que a coisa é séria, passa a se
preocupar para não ser contaminado.

Existem nesse enredo algumas espécies de macacos, que ao respirarem o ar com alto grau de
contaminante, devido as diferenças genéticas, o corpo reage de forma diferente, esses seres ficam mais
espertos e fortes. (lembram do filme)

E quando chegamos nesse ponto parece que estamos vivendo no meio de um filme de ficção a guerra
dos Zumbis X Macacos, com seres humanos aprizionados.

Quem acredita em uma das afirmações dos primeiros paragrafos pode estar inclinado a opinar que a
palavra macaco é racista, afinal as crenças e emoções pessoais podem formar essa opinião, mas fato
objetivo é que existem macacos pretos, brancos, albinoss, com juba dourada, marrons, vermelhos,
peludos, pelados, grandes, pequenos.

O texto não tem cotas raciais e sim o ser macaco em si, um ser pensante, mas também bastante
instintivo, onde tem-se um líder, que ganha sua lidernaça por ser o mais forte, masi esperto, não
necessariamente o mais sabio, o bando o segue.

Esses bons líderes, não no sentido altruista da palavra, mas no sentido de bons arrebanhadores
quantitativos de seguidores, mesmo não acreditando nos dois primeiros paragrafos, sabem usar essas
crenças e emoções para fazer cada vez mais seguidores.

Alguém pode estar tentando relacionar os termos macacos e zumbis aos termos petralhas, direita xucra,
esquerda psicopata. São termos que até viraram bordões, mas vai além disso.

Talvez alguns termos expliquem alguém, repetir, acreditar nos dois paragrafos acima.

Pós Verdade, um neologismo que descreve a situação na qual, na hora de criar e modelar a opinião
pública, os fatos objetivos têm menos influência que os apelos às emoções e às crenças pessoais. ...
Resume-se como a ideia em que “algo que aparente ser verdade é mais importante que a própria
verdade”.

bullshit ("falação de merda"), categoria definida formalmente pelo filósofo, Harry Frankfurt, como a
afirmação que é indiferente à verdade -- algo que se diz para produzir uma reação emocional ou um
comportamento desejado no ouvinte, sem que o emissor se importe se o que está dizendo corresponde
ou não aos fatos. A bullshit pode até ser verdade, mas quem a emprega não está nem aí para isso: o que
se deseja é que o alvo vote em alguém, compre alguma coisa, indigne-se com isto ou aquilo ou abrace
uma causa . Inclusive um estudo nessa área já ganhou IgNobel de Harvard.

deepity, termo usado pelo filósofo Daniel Dennett, uma definição de Carlos Orsi “é uma expressão
para se referir a frases e expressões que têm dois sentidos: um verdadeiro e banal e outro
supostamente profundo, mas falso. Resumindo, a profunditute só é verdadeira na medida em que diz
algo trivial ao ponto da irrelevância; quando se tenta ler algo de relevante nela, torna-se falsa”

Escuto bullshit, deepity, sobre Trump, e EUA, como se fossemos capazes de entender eresolver os
problemas deles.

Trump a pouco mais de seis meses já colhe objetivamente os seguintes resultados:

taxa de desemprego nos EUA cai a 4,5%, a mais baixa em 10 anos, em julho de 2017 cai para 4,3%,
reduziu a ineficiência estatal em 11.000 funcionários federais, tira funionários viciados a anos em cargos
de diretoria, o indice médio Dow Jones ulçtrapassa 20 mil pontos pela primeira vez na história assim
como o Nasdaq bate recorde, os EUA estão 4,1 trilhões de dólares mais ricos. O PIB do Brasil é 1,8
trilhão de dólares. São mais de dois Brasis agregados, mas a imprensa tradicional ignora. Se
colocaquessemos esses proporcionalemnte no Brasil , seria um banho de resultados econômicos,
inclusive sociais em FHC, Lula e Dilma. Mas ele é louco e desumano!

Ai alguém em suas convicções e baseados ainda em pós verdades, pois não consegue digerir dados “e o
muro que ele quer fazer, isso é um absurdo”. Dado objetivo: já existe muro, que alias foi iniciado por
Bill clinton em 1994, e o próprio gyenrno Obama concluiu ações em 2009, o muro que divide o
território norte-americano do mexicano - separados por 3200 quilómetros, já tem antes do
governo Trump, uma extensão de cerca de 1100 quilómetros. Ou seja, um terço da fronteira total
com o México.

Vejam que interessante, é um absurdo Trump prometer o muro, mas não é um absurdo o esposo
gozador de Hillary clinton (aquele da Monica Chopinsk), que foi adversária de Trump, que é Democrataé
quem começou o Muro eo Obama que é democarta é quem dobrou o número de funcionários para a
vigilância e expandiu algumas partes do muro, reformando outras.Qual o sentido de crucifixar Trump e
não os demais. Ideologia, desconhecimento, zumbis repetidores, bullshit , deepity, falsidade
intelectual?

Um pensamento bullshit , deepity “Mas com todo o dinheiro desse muro, daria para ajudar as
pessoas.”

Um pensamento voltado a nossa realidade e utilidade “só o rombo no FUCEF de 18 bilhões (fundo da
caixa de posentadoria complementar) pagarária o muro”.

Aos pseudos intelectuais ou pitaqueiros barsileiros, algum estudo feito por pessoas que estudaram em
universidades mais conceituadas que as brasileiras, com doutores que conseguem se empregar fora de
uma sala de aula, deve existir, não? Afinal foi objetivamente apoiada por 4 governos (Bill Clinton, Bush,
Obama e Trump). Alguém se deu ao trabalho de pesquisar antes de excretar opiniões?
Factualemnteexistem prós e contras, não é mesmo?

A imprensa e zumbis, falam que Trump não é humano,e quer deportar milhares de imigrantes ilegais, c
mas esqueçem de alguns fatos objetivo.

Durante os seus oito anos na Casa Branca, entre 2009 e 2017, cerca de três milhões de mexicanos foram deportados
– mais do que durante o mandato de qualquer outro presidente americano. Por Deutsche Welle09/02/2017
17h24 - http://g1.globo.com/mundo/noticia/o-muro-americano-comeca-na-guatemala.ghtml

Segundo o governo mexicano, entre 2010 e 2015, o número de deportações subiu de 65.802 para 176.726 no país.
No ano passado, 147 mil imigrantes ilegais foram deportados do México – mais de 90% deles vieram de países da
América Central, como Guatemala, Honduras e El Salvador. Por Deutsche Welle 09/02/2017 17h24Por
Deutsche Welle 09/02/2017 17h24 - http://g1.globo.com/mundo/noticia/o-muro-americano-comeca-
na-guatemala.ghtml

O presidente dos EUA, Barack Obama, encerrou nesta quinta-feira, 12, a chamada política do ‘pé
molhado, pé seco’ que garante residência aos cubanos que conseguiram pisar em território americano
sem o visto. Segundo um comunicado do presidente divulgado pela Casa Branca, a mudança teria efeito
imediatamente. O Estado de S. Paulo 12 Janeiro 2017 | 19h43

Até o momento Trump fez um discurso “não humano”, México e Obama já aplicaram várias ações não
humanas. Um discurso assumindo um grau de importância maior que as ações do próprio discurso.
Interessante não?

Essa mesma atitude não humana o presidente do Canadá, Suéia, Noruega, suiça, Finlândia, Australia
fazem todos os anos e ninguém fala nada, alias a população ajuda a denunciar imigrantes ilegais.

Uma pergunta aos que excretam opiniões. Vocês acreditam que alguma nação desenvolvida não
deporte imigrantes ilegais? Até o Obama fazia isso ao assinar medida de acordo com Cuba que não daria
mais residência a Cubanos sem visto. Porque será que os Cubanos votaram e choraram com a vitória de
Trump? Vejam que manchetes sãorepletas de pós verdades com cunho ideológico, para zumbis ou
macacos repetirem e seguirem.

Comparar Trump a Bolsonaro,é meio sem pé nem cabeça, alguns fatos: Bolsonaro sempre foi um filho
do estado, se aposentou cedo, com deféit previdênciário alto, não gerou empregos, exceto os pagos
com dinheiro publico. Trump gerou empregos como empresário, gerou divisas ao EUA e gerou o maior
indice de empregos como presidente.

Bolsonaro não estaria mais para Puttin? Militar reformado, ganahndo do estado, psotando fotos
mostrando seu belo corpo, pescand, praticando esportes... além é claro de ja dar várias declarações do
tipo “eu fuzilaria FHC no paredão pelas privatizações”, a exemplo da Russia, não parece ser chegado no
capital estarngeiro.
Trump pode ser comparado a Lula, ambos se assemelham no discurso falastrão, nas politicas de
conteúdo nacional, sobretaxas a produtos importados... obviamente que com particularidades na
execução e planejamento, mas o mesmo conceito. O que pode ser bom em curto período de tempo
(indicadores comprovam) e um problema a médio e longo prazo se outras ações não forem tomadas, a
exemplo que ocorreu no Brasil.

Trump é deselegante e tosco, sim pode ser conforme suas crenças, objetivamente é dificil mensurar
grau de elegância e tosques. Se ele fez comentários toscos, vulgares de mulheres, por aqui tivemos um
presidente oficialmente admirador de Hitler que também não fica atras e ele teve 80% de aprovação, a
mesma de Hitler, vamos ver um trechinho de algumas falas desse homem, devidamente registardas e
oficializadasna revista Playboy, julho de 1979:

"naquele tempo, a sacanagem era muito maior do que hoje. Um moleque, naquele tempo, com 10, 12
anos, já tinha experiência sexual com animais… A gente fazia muito mais sacanagem do que a molecada
faz hoje. O mundo era mais livre… "

“ Qualquer dia eu vou papar a nora desse velho… “. Eu tinha dito ao Luisinho, que trabalhava comigo no
sindicato, que me avisasse sempre que aparecesse uma viuvinha bonitinha. Quando a Marisa apareceu,
ele foi me chamar.”

“O problema de mulher é você conseguir pegar na mão. Pegou na mão… o Hitler, mesmo errado, tinha
aquilo que eu admiro num homem, o fogo de se propor a fazer alguma coisa e tentar fazer.”

Então os Brasileiros que cirticam a falta de finesse de Trump admiravam a finesse de Lula? Veja que
independente de suas crenças, objetivamente ou os dois eram finos, educados e respeitadores das
mulheres ou ambos eram toscos, grosseiros e repugnantes. Ahar só um elegante ou tosco é no minímo
contraditório.

Ai pode vir alguém com pós verdade, ainda não digerindo fatos objetivos e dizer “mas Trump não fez
impsoto sopbnre grandes fortunas.” Fato objetivo nem ele, nem Obama, nem Fidel, nem Lula.Alias ele
não prometeu nada disso, que os outros prometeram e não fizeram.

“Há mas ele não está distribuindo a riqueza igualmente”. Veremos que a Etiopia tem uma divisão de
riquezas muito, mas muito melhor que o EUA ou Brasil, alias a Eitópia é um dos países mais proximos a
Noruega nesse quesito, e não é por isso que lá seja um bom lugar para se viver, afinal Michael Jackson,
Lionel Ritchie e vários artistas prefiriram ficar nos EUA a se mudar para lá quando participaram o We Are
the World.

Realemnte o pragmatismo de um empresário pode assustar, talvez ele não precisasse dizer muito do
que diz. Por exemplo “quem irá pagar o muro é o México”. A frase em si pode ser até verdadeira, é só
aumentar taxas sobre o país, ter a devida aprovação legal e pronto. O México pagaria querendo ou não.
Mas falar isso no contexto cultural é para ganhar resistência ou projeção. É jogar para galera.

Que tal Trump visitando o Brasil e chegando em uma repartição publica para ver como anda o serviço?
Obviamente a maioria não gostaria de ouvir o que ele falaria. Que tal Trump em uma palestra em uma
universidade pública por aqui? Provavelemnte não conseguiria nem falar com protestos e camisetas e
bandeiras vermelhas, teria caravana dos intelectuais mortadelas da CUT e MST para protesto.

Assustariatambém um jornalista local, com formação ideológica e pouca técnica. Mas objetivamente
não assustou o setor produtivo americano que bateu recorde nos indicadores e gerou empregos.

Ai vem aquele tipo de comentário contaminado de ideologia, com décads de atraso conceitual, “Mas
TRUMP não se elegeu com a maioria dos votos individuais”, veja que é uma frase cheia de profunditude,
uma profundidade irrelevante. Objetivamente qual o problema? Isso já aconteceu outras vezes, o EUA é
Federação (do latim: foederatio, de foedus: “liga, tratado, aliança”) ou Estado Federal é um Estado
composto por diversas entidades territoriais autônomas dotadas de governo próprio. ...por ser esse
sistema os votos são por “entidades”, a lei existente a vários anos, tudo devidamente legalizado e
democraticamente debatido.

Imagina um Americano até entender que por aqui tem algumas coisas “estranhas”, uma crinaça não
pode comer o que quer na cantina do colégio, que a crinça mesmo ficando meio período na escola come
feijão e arroz “pesando” a barriga, dificultando a digestão e dando sonolência, que você é obrigado a
votar, que o governo lhe toma o FGTS e devolve menos do que tomou em valores corrigidos, que se
você matar um assaltante se complicara por um bom tempo e o assaltante não paga nada, que
bandidos podem andar armados e você não, que um carro sai 3x mais caro, que o governo mesmo
tendo prejjuizo da aumento a seus funcionários, que fazem eleições com urnas eletrônicas que seu país
provou serem fraudáveis, que as drogas são proibidas mas não são, que para uma classe o governo paga
aposentadoria inegral e subsidia para outra não, que filhas mulheres de militares podem viver até a
morte com a pensão do pai é só não se casar no papel....

No minímo coçaria a cabeça, e mesmo sendo a alma mais sensata do mundo, o maior QI, demoraria
para entender, isso é se entedensse. E se tentasse insistentemente entender poderia parar em um
hospicio do SUS.

Ai vem mais um comentário do tipo "é mais lá não tem previdêbncia" Como não? Um dado da BBC
Brasil: “A aposentadoria média paga pela Previdência Pública dos Estados Unidos equivale a 44% do
último salário recebido pelo trabalhador americano.” Para algumas castas Brasileiras que acham isso
pouco. Por aqui se você não é servidor público e ganha mais do que 10 salários mínimos brasileiros (algo
normal por lá), esse valor seria bastante compatível ao nosso. Lá o sistema é muito mais
“socialista e menos capitalista que o nosso”, não separam castas, por exemplo o funcionário
público não tem privilégios extras nem planos subsidiados complementares, mulheres e
homens são tratados igualmente. Quem quer aposentadoria complementar paga a privada ou
faz investimentos, como já ocorre por aqui com a iniciativa privada.
Aqui vc e o patrão são obrigados a dar dinheiro durante toda a vida ao governo, que usa esse dinheiro
para financiar grandes empresários e comprar estatais “privatizadas”ou obras duvidosas como estadios
da Copa.A nação capitalista sendo mais socialista que a nossa!!

“mas lá as pessoas não tem acesso a saúde”. OK, no Brasil o SUS é universal a todos os cidadãos, porque
será então que se paga plano privado? Simplesmente porque não funciona, uma consulta pode levar
mais de 2 anos para ser marcada. Nos Estados Unidos não é como no Brasil … a saúde é pública
(mas não é totalmente grátis)
Idosos, gestantes e grupos menos favorecidos são atendidos por Medicare, Medicaid.Obamacare,
para entender o sistema ainda é preciso compreensão de algumas siglas como:O Healt
Maintenance Organization (HMO) ,Exclusive Provider Organization (EPO), Point Of Service
(POS),Preferred Provider Organization (PPO)

Há muitos prós e contras sobre o sistema público de saúde americano, existem questões
insistentemente debatidos no congresso por lá, como o Obamacare, de qualquer forma é muito mais
eficaz que no Brasil (dados serão apresentados futuramente).
Por isso é preciso se informar antes de sair repetindo o que viu em um filme de Michael Moore ou
sites patrocinados por estatais brasileiras em tempos de governo estrelados.
Israel é outro algoz dos populistas, que esquecem o fato que em Israel crianças circulam livremente nas
ruas e muitas vezes vão sozinha s escola, além de indicadores sociais significativamente melhores do
que o Brasil.

Que tal olhar um pouquinho ao Brasil, e aos vizinhos próximos e deixar o Trump com sua figura caricata
e finesse. Deixar os Americanos com seus hábitos de consumo muitas vezes incomuns para nós . Afinal o
destino preferido dos Brasileiros no exterior continua sendo a Disney, veremos que na educação
estamos mais para Kosovo, no sistema bancário mais próximos de Magascar e no IDH próximos do Irã.

Então você quer dizer que os EUA possui exelencência em tudo? Não, absolutamente não. Não poderia
atacar pós verdade com outra.

Saindo dos EUA, tenatndo chegar ao Barsil ainda é necessário passar algumas bullshit e pós verdades
deCuba e Venezuela, (serão abordados em outro texto).
Infelizmente não é a distância fisica, em indicadores ou culturais que causam a incomprenssão. É a
doutrinação ideológica, o efeito zumbi, a pós verdade as bullshits as profunditudes.

“ Nesse mundo, o respeito aos fatos e aos dados devidamente checados está deixado de ser relevante
no debate público: as pessoas estão dispostas a acreditar em qualquer bobagem que lhes confirme os
preconceitos. E, no limite, sequer para analisar a evidência dos próprios olhos.” Carlos Orsi

“Sim, as pessoas respondem a slogan e à emoção. Funciona com a maioria de nós. Mas os políticos e
comunicadores que insistem que isso significa que o público não deseja ser informado arriscam-se a nos
levar a uma sociedade de dois estamentos -- uma sociedade em que a evidência é debatida nos
corredores do poder, nos gabinetes dos deputados e nos clubes da alta sociedade, enquanto que, em
público, os líderes jogam para a galera ou se escondem". Uma sociedade "pós-verdade", baseada na
ideia de que o povo só quer e só aceita profunditudes e bullshit. Um estágio "pós-verdade", "bajula a
timidez e o populismo fácil".Tracey Brown, The Guardian

O pensamento sensato é uma das mais contraintuitivas habilidades humanas. Não é como dançar
quando se ouve música ou salivar diante de uma macarronada. Agir e pensar contra os impulsos, as
ideias preconcebidas ou aquilo que se aprendeu a acreditar exige esforço e alguma humildade. Não é
natural, mas pode ser treinado. CláudiaLaitano

Como a pós verdade conseguiu contaminar e recontaminar tanta gente?

Por exemplo alguém se deu conta que na Venezuela (um pouco mais perto que os EUA) para chegar
onde chegou fizeram:o desarmamento da população, a regulação estatal da midia, conselhos
populares, constituinte exclusiva, aparelhar judiciário, aparelhar exército, aumentar influência estatal.
Os mesmo passos foram seguidos pelo PT por aqui, alguns com exito outros ficaram na tentativa, e
alguns apenas aguardando para serem concluídos. Isso tudo não é invenção, basta procurar as
gravações e projetos bem especificos nesse sentido. Brasileiro não sabe ou não gosta de democaria? Ou
os dois?

Por aqui já temos a estocadora de vento que adora mandioca, um bebum com batata na garganta que e
se pegar na mão de uma mulher come..., tem o Vampiro Brasileiro que usa pastilha de garganta, tinha
também o meio gago e o do topete, todos também muito caricatos para nos divertirmos, admirarmos
ou chorarmos.

Mas não adinata alguém sempre precisa lembrar de Cuba, não conseguimos chegar no Brasil. è terrível
aguentar aquele papinho replicador de um professor que foi visitar Cuba com dinheiro publico e foi
apresentado aos hospitais e lugares selecionados, ou aquele turista DE varadero, Havana, Isla de
Juvetude que foi numa excursão tipo CVC. Para que aguentar papinhos, que tal um pouco de fatos:
Se algum zumbi ou macaco acredita que o PT e Dilma foram bons para educação através de suas
opiniões excretadas.

OK, que tal analisar os dados do PISA que começaram a piorar significativamente a partir de 2012. Se
alguém for defender que os resultados demoram um pouco a aparecer, já estão vindo, em 2017a UFPR
está atrás da PUC-PR, a USP caiu posições...

Os dados são publicos, porque as pessoas excretam opiniões, repetem pós verdades e continuama
ignorar fatos? Porque talvez não saibam interpretar um texto ou fazer uma conta básica? Os números
infelizmente comprovam isso.

Os resultados do Pisa 2015, mais importante exame educacional do mundo, elaborado a cada três anos
pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) com o intuito de aferir a
qualidade, equidade e eficiência dos sistemas escolares, mostraram mais uma vez os alunos brasileiros
nas últimas posições do ranking. Entre as 72 nações, o relatório mostrou o País na 63ª posição em
ciências, na 59ª em leitura e na 66ª colocação em matemática. O Brasil piorou em tudo, isso é um fato
objetivo.

No Brasil, o PISA foi feito em 2015 com 23.141 estudantes, de 841 escolas das 27 unidades federativas
do Brasil. Amostragem mais significativa que as do IBPOPE!!
Uma pós verdade é desmontada com um dado objetivo, ai vem alguém com outra pós verdade "falta
investimento em educação", mas Uruguai com investimentos menor por aluno e Chile com
investimentos equivalentes obtiveram melhores resultados, e Dilma com mais gasto conseguiu piorar do
báscio a Universidade publica. A opinião excretada é que falta dinheiro, fato objetivo o dinheiro é mal
empregado e Dilma foi campeãa de ineficiência na educação.

Mas fazer o que, o marqueteiro, o mesmo que fez a campanha de Maduro na Venezuela, plantou de
forma brilhante pós verdades nas cabeças das pessoas que repetem o mantra. Dilma investiu na
educação, Dilma foi boa para educação.... Realidade objetiva Dilma fud.... com a educação.

Que tal também olhar o Idebi?

Ai chega alguém com um projeto técnico, já discutido com especialista e sociedade, propõe uma
reforma, o que alguns macacos fazem, invadem escolas, não permitem que humanos entrem, se
pergutar o que não concordavam não sabiam, alias não sabiam nem o que era um PL, alguns
professores apoiando e incapazes de apresentar qualquer contra proprosta minimamente técnica. Ai
aprendi que é assim que funciona a democracia no planeta dos macacos.

Alias uma nação que tem Paulo Freire como patrono da educação o cara que muitos indolantram, da
forma que é descrito é apenas mais uma pós verdade. Veremos...

A quem deposita pagam jurios com valores bastante inferiores ao mercado. Esqueci que existe um
pessoal, responsavél percentualmente pelos maiores deficits individiuais da previdência que são os
funcionários pulbicos, e que possuem fundos deficitários de complementação subsidiados pelo estado
com dinheiro de outros contribuintes que recebem apénas um cala boca. Quando esses fundos
quebram devido mal gerenciamento do estado, os contribuintes que já págam os salários, já págaram a
aposentaria do pessoal pagam novamkente essa aposentadoria. E o pessoal relcama e quer mais de
quem produz. Há ainda eles acham que não são deficitários. Seria muito pedir que entendessem a
fórmula: M = P . (1 + i)n, afinal no Pisa a coisa não anda boa. O que é democracia? Um país com uma lei
com contribuição compulsória criado em período de ditadura ou país que da opção de escolha? Voltarei
no assunto previdência.

Mesmo que não concorde com essas afirmações facilemnet são provadas com fatos objetivos, mesmo
que opiniões excretadas sejam diefrentes. Opiniões baseadas em pós verdades formam uma população
ávida por eleger populistas. O Brasil é camepão

Fato objetivo: Obama, Lula, maduro, Chaves, Dilma Jena Wyllis, alguns blogs pagos com dinheiro publico
como: Paulo henrique maorin, Nassif, 247, a ré Gleise Hofman, as outras senadoras que causaram emm
uma tarde um prejuizo de maios de 7 milhões para comer marmita, o senador Randolfe que tirou várias
fotos com o Maduro. Todos unidos no mesmo discurso de Cuba sobre a excelente educação e saúde por
lá.

Não faltam professores ensinando seus alunos sobre a grande medicina de Cuba. (obviamnete que são
professores de humanas e não médicos). Já fizeram milhares de seguidores, por vezes até pagam com
dinheiro publico passagens, cursos, intercambios com essas pessoas selecionadas para apreenderem
com Cuba.

A pós verdade madita “falem o que quiser, mas cuba apresenta excelentes resultados em saúde,
educação e segurança”.

Ai você para para pensar um pouquinho, só um pouquinho mesmo que com preguiça, Olhem que
interessante uma comparação entre Cuba e o Paraná. ambos possuem em torno de 11 milhões de
habitantes em 2014, o PIB de Cuba foi de U$77 bilhões (talvez um dos únicos núemros confiáveis pois
não depende de digulgação do governo Cubano) e o Paraná teve PIB de R$ 323 bilhões. Mesmo com o
dólar a R$3...

Estranho não!! Como o Paraná e tão pior que Cuba.


Cuba hoje é um dos únicos países em paz que não permite fiscais da ONU, e canais de TV mundiais são
amenos ao noticiar Cuba, se mostrassem toda a realidade, tais pessoas jamais iriam conseguir um
escritório em Havana para suas agências de notícias, e muito menos um visto para filmar um
documentário que é feito com fiscalização direta do governo, onde o governo permite.
Experimente ir a turismo para Cuba, pegar uma camera e sair filmando fora dos lugares turisticos.
Provavelmente terá que ir a pé, pois ninguém irá querer leva-lo com medo, será abordado por um
funcionário do governo e será orientado sobre os melhores lugares para ir. Se inistir terá sua camera
apreendida, e poderá ter seu retorno abreviado.
Um texto do Jornalista Reinaldo Azevedo de 27/08/13, rico em fatos, dados e fontes, mostra um puco
da farça Cubana:

“Em Cuba, quase nada é de verdade. Em Cuba, verdadeiro mesmo, só o socialismo. A página sobre o
país na Wikipedia parece ter sido redigida pelo Granma, aquele jornal oficial do Partido Comunista que a
população usa para a higiene, digamos, íntima porque, vocês devem saber, quase não há papel higiênico
na ilha. Lamento pelo desconforto que deve implicar, mas pergunto: que destinação melhor poderia ser
dada ao que escrevem os comunistas? A maior de todas as farsas da ilha é antiga. Foi inventada pela
canalha de Fidel Castro e adotada por intelectuais ocidentais. Diz respeito ao espetacular avanço social
que teria havido no país depois da revolução de 1959.

Cuba estava longe de ser um desastre social antes da revolução comunista. Em 1952, o país tinha o
terceiro melhor PIB per capita entre os países latino-americanos. Vinte anos depois da revolução, só
ganhava de Nicarágua, El Salvador e Bolívia. Os dados estão no livro “La lune et lecaudillo: Le
rêvedesintellectuels et le régime cubain”, de Jeannine Verdes-Leroux (para comprar na Amazon, clique
aqui). Quando Fidel chegou ao poder, anunciou que a taxa de analfabetismo no país era de 50%.
Mentira! Era de 22% — a do mundo, alcançava 44%. Esses dados estão compilados em “O Livro Negro
do Comunismo – Crime, Terror e Repressão” (vários autores, Editora Bertrand Brasil). No Brasil
(ver tabela ), era de 39,7% — dados do Ministério da Educação.

Outro dos mitos de Cuba é a baixa mortalidade infantil, que estaria hoje em torno de 4,5 por mil, só
perdendo para o Canadá nas Américas. Há uma grande possibilidade de que esses números sejam
manipulados (já chego lá). Em todo caso, é preciso que se considere um dado estarrecedor. Em Cuba, o
aborto é legal desde 1965. O país é um açougue. Deve estar entre os campeões mundiais na
modalidade, que passou a ser empregada como método contraceptivo. Ninguém precisa acreditar em
números dos “adversários” de Cuba, não! Segundo dados oficiais, em 2006, por exemplo, 67.903
mulheres na faixa dos 12 aos 49 anos se submeteram a pelo menos um aborto — ou seja, de cada 100
mulheres grávidas, 37 abortaram. Nascem por ano uns 3 milhões de crianças. no Brasil. Se os números
fossem os mesmos de Cuba, isso corresponderia a 63% das que não abortaram (100 menos 37). Assim,
o total de grávidas seria 4.716.904 grávidas para 3 milhões de nascimentos — ou seja: 1,716.8904
abortos. EIS O MILAGRE CUBANO; MATE ANTES QUE NASÇA. Esses números acabam com a farsa
monstruosa de que a legalização do aborto provoca uma redução no número de ocorrências. ISSO É
MATEMÁTICA, NÃO É RELIGIÃO.

E ainda pode ser mais horripilantes. Cuba realiza, sem qualquer pudor, o aborto eugênico — a
eliminação de fetos com deficiência, qualquer que seja ela. O país também foi um dos pioneiros na
propagação do aborto químico, realizado com remédios. Mate os fetos e diminua a mortalidade infantil.
É o modo comunista de fazer as coisas.

Em 2009, a CNN exibiu uma reportagem sobre as maravilhas do sistema cubano de saúde, entremeando
com cenas do filme “Sicko”, do delinquente Michael Moore, que ataca duramente o sistema de saúde
dos EUA. A reportagem mereceu uma resposta de Humberto Fontova, cubano de nascimento, que mora
nos EUA e luta contra a ditadura comunista. O texto foi traduzido e publicado no Brasil pelo Instituto
Ludwig von Mises Brasil. Fontova lembra, por exemplo, que, em 1958, um ano antes da revolução, Cuba
já ocupava a 13a posição no ranking dos países com a menor mortalidade infantil. Escreve ele: “Isso
colocava o país não apenas no topo da América Latina, mas também acima de grande parte da Europa
Ocidental, à frente da França, Bélgica, Alemanha Ocidental, Israel, Japão, Áustria, Itália, Espanha e
Portugal. Hoje, todos esses países deixam a Cuba comunista comendo poeira, com taxas de mortalidade
infantil muito menores”.

Pois é… Cuba realiza mesmo alguns prodígios. Enquanto a taxa de mortalidade infantil está abaixo de 5
por mil nascimentos (no Brasil, é de 16), abaixo da dos EUA (5,3), quando se trata de verificar a
mortalidade das crianças de 1 a 4 anos, aí se verifica o quê? Nos EUA, é de 8,8 por mil; em Cuba, de 11,8
(no Brasil, 18,76 em 2010). Assim, o mais provável é que Cuba falsifique os dados. Mais um trecho do
texto de Fontova: “Em abril de 2001, o Dr. Juan Felipe García, de Jacksonville, Flórida, entrevistou vários
médicos que haviam desertado recentemente de Cuba. Baseado no que ouviu, ele declarou o seguinte:
‘Os números oficiais da mortalidade infantil de Cuba são uma farsa. Os pediatras cubanos
constantemente falsificam os números a pedido do regime. Se um bebê morre durante seu primeiro ano
de vida, os médicos declaram que ele era mais velho. Caso contrário, tal lapso pode custar-lhe severas
punições, além do seu emprego’”. Faz sentido. O que entra para as estatísticas mundiais são os índices
de mortalidade infantil.

Há mais. Em números de 2009, a mortalidade materna em Cuba (mulheres que morrem durante ou logo
depois do parto) era de 33 por 100 mil; nos EUA, de 8,4 (ATENÇÃO! NO TEXTO TRADUZIDO, CUJO LINK
VAI ACIMA, HÁ UM ERRO IMPORTANTE: FALA-SE LÁ QUE ESSES NÚMEROS SE REFEREM A GRUPOS DE
MIL). Entenderam os paradoxos? Cuba, então, teria uma mortalidade infantil mais baixa do que a dos
EUA, mas muito maior quando se comparam as crianças até 4 anos. A mortalidade materna, por sua vez,
seria quase o quádruplo. De toda sorte, pode ser pior no Brasil, claro! A mortalidade materna, aqui, foi
de 65 por 100 mil em 2010. Notem bem: não escrevo este post para provar que a saúde brasileira é
melhor do que a cubana, mas para demonstrar que os números cubanos são uma farsa.

Adiante.

O site The REal Cuba publicou vídeos feitos por cubanos sobre as reais condições das instituições de
saúde na ilha — não a mistificação mostrada pela CNN. O material foi enviado à emissora, informa
Fontova, e estavam prontos para ir ao ar. Mas o governo cubano ficou sabendo e iniciou uma enorme
pressão para impedir. E foi bem-sucedido. O bom de haver uma real pluralidade na imprensa americana
é que Fox News se interessou pelo material. As cenas são horripilantes, conforme se pode ver abaixo.

(quem quiser acessar:. http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/cuba-a-farsa-8211-a-baixa-mortalidade-


infantil-no-pais-que-pratica-a-eugenia-se-deve-a-um-numero-escandaloso-de-abortos-as-mentiras-
sobre-o-passado-e-o-presente-de-cuba-e-dois-videos-sobre-o-que-so-os/)

Se ficou curioso para ver imagens da real saúde cubana, veja imagens com cameras tipo gopro, feitas
pelo exilado cubano George Utset, que administra o soberbo e revelador website The Real Cuba (você
realmente deve clicar ali e ver todas as fotos, clicando em cada uma delas para ampliar). Reportagem
também divulgada pela Fox News.
Os telespectadores da Fox puderam ver pacientes nus cobertos por moscas enquanto deitados em
"leitos hospitalares" que consistiam de colchões sem qualquer forro. Puderam ver também prédios e
instalações que seriam condenados por qualquer agência sanitária servindo como "hospitais". Eles viram
e ouviram o Dr. Darsi Ferrer — junto com outros cubanos entrevistados — descrever a impossibilidade
de conseguir algo tão básico como aspirinas.
O vídeo mostra também os burocratas do regime castrista dizendo aos cubanos que aspirinas e outros
remédios só poderiam ser disponibilizados se eles pagassem em dólares americanos — e não em pesos
cubanos, os quais eles desesperançosamente portavam.

Encerro
“Tudo mentira! Tudo manipulação”! Claro, claro! A coerência dos dados propagandeados fala por si. E as
mentiras contadas sobre a Cuba pré-Fidel também.
Os falsos números servem para embalar o discurso ideológico do jornalismo militante, o discurso
vigarista do subjornalismo a soldo e, como sempre, a ilusão dos ignorantes.”

Saindo do texto de Reinaldo Azevedo, se for procurar as grandes descobertas na cura do câncer de
Cuba, achará alguns artigos acadêmicos, bem abaixo da média per capita publicada por países
desenvolvidos e verá que conseguiram, após intercambio com a ajuda dos EUA, desenvolverem uma
droga que prolonga a vida em aproximadamente 6 meses de pacientes com um tipo especifico de
câncer. Lembrando que laboratórios lançam anualmente drogas em maiores quantidades e eficácia.

Alguns dados, não opiniões, afinal as opiniões já deixaram o Brasil com mais de 14 milhões de
desempregados oficialmente, ou 21 milhões relamnete.Sobre a educação Cubana, e porque os Cubanos
a exemplos de muitos brasileiros vivem como zumbis repetidores de pós verdades.

Não há uma mísera universidade cubana entre as 500 melhores do mundo. Ou então dizer que no
Programa de Desenvolvimento das Nações Unidas, no quesito educação, o país apareça apenas numa
posição mediana, empatado com o Panamá – e atrás, entre outros, de países como Uruguai, Argentina,
Barbados e Chile, o líder do continente latino americano, duramente criticado pelo seu modelo privado
de educação. Ou elogiar as informações oficiais de que a taxa de analfabetismo no país esteja próxima
do zero – assim como países como Antígua e Barbuda, Armênia e Tajiquistão; isso para não citar os
países desenvolvidos. Também não precisamos abordar o fato de que não há um mísero Nobel, uma
Medalha Fields e uma Medalha Copley na história de Cuba, citar que a produção acadêmica no país é
menor que a de Bangladesh e dizer que no ranking da World IntellectualPropertyOrganization, o país
apareça na lista com apenas 10 patentes registradas em 12 meses.

Cuba é uma ditadura e seus dados oficiais não são confiáveis – como os dados de qualquer ditadura.
Não há como avaliar a educação do país simplesmente pelo fato dele não possuir indicadores globais
especializados em educação – não há dados sobre Cuba no ranking do PISA e de outros exames
internacionais respeitados. Mas apesar da muralha, há claros indícios de que ela seja utilizada no país
para propagar seus governantes no poder. Se eles são tão bons porque não detonam no Pisa e mostram
ao mundo as benesses de seu sistema? Algumas imagens abaixo mostram o que é uma escola com
partido em Cuba.
Claro que para chegar a todo esse padrão de excelência em educação e saúde e implantar a democracia
Cubana, não faltaram assassinatos.

Pelo projeto "Cuba Archive", coordenado por uma ONG de cubanos-americanos, foram. 6326 mortos e
desaparecidos nas prisões cubanas, a maioria (quase 6.000) fuzilada ou assassinada extrajudicialmente.
Não se incluem aí os afogados, que perfazem dezenas de milhares segundo diversos relatos.

O Livro Negro do Comunismo", obra de referência europeia que sofreu críticas por supostas
imprecisões, aponta até 17 mil fuzilamentos ao longo dos anos Castro. Sob essa métrica, a média sobe
para 154,5 mortos por 100 mil habitantes. Você escolhe 6326 ou 17 mil fuzilamentos e mais alguns
milhares de afogados. Você decide!

Se muitos zumbis acham Cuba tão legal sabiam que Cuba é um dos países recordistas em número de
exilados (2 milhões desde 1959), era, nos anos 50, um país de imigrantes, e não de emigrantes?
(Somente na embaixada cubana em Roma, ocorreram 12 mil pedidos de visto para Cuba em 1957)
Estranho tanta gente querendo sair. Estranho a TV brasileira nos últimos 13 anos parar de mostrar os
barcos improvisados Cubanos abarrotados de gente, ou os acampamentos Cubanos na Guatemala
tentanto entrar no México e após EUA.

No site http://gustavo-livrexpressao.blogspot.com.br/2013/03/voce-sabia-100-questoes-que-os.html
podemos achar vários fatos históricos sobre Cuba. Se duvidar pesquise!!

Você sabia que:

Fidel Castro começou sua carreira política como pistoleiro, sendo acusado de pelo menos duas mortes e
uma tentativa de homicídio quando era estudante na Universidade de Havana nos anos 40.

Quando chegou ao poder, Fidel Castro jurava de pés juntos "não sou comunista" e "não quero o
poder", e era considerado um "democrata" e um “humanista” pela grande mídia norte-americana, a
começar pelo The New York Times?

Fidel Castro, ao tomar o poder, prometeu eleições livres em seis meses e, seis meses depois, com seu
poder pessoal consolidado, fez um discurso em que perguntou cinicamente à multidão: "eleições?
eleições para quê?"

Entre os condenados à morte no paredón, estiveram vários menores de idade?

O regime de Fidel Castro estimulou ativamente, inclusive com armas, dinheiro e homens, movimentos
terroristas na América Latina já desde 1959, muitos contra governos democráticos e legalmente
constituídos, intervindo assim, diretamente, nos assuntos internos de outros países?

Entre os que receberam apoio material do regime cubano, esteve o líder comunista brasileiro Carlos
Mariguella, que se orgulhava de ser terrorista e cujo livro Minimanual do guerrilheiro urbano tornou-se
a bíblia de muitos grupos terroristas nos anos 70 e 80, como o Baader-Meinhof alemão e o IRA irlandês?

O general Arnaldo Ochoa Sánchez, mais tarde fuzilado a mando de Fidel Castro em 1989, propôs invadir
a Amazônia com um barco repleto de combatentes cubanos para ajudar a luta armada no Brasil em
1973?

A ditadura cubana apoiou ativamente algumas das ditaduras mais perversas e sanguinárias do planeta,
como a de Muamar Kadafi na Líbia, a dos Assad na Síria, e a de Kim Il sung na Coréia do Norte? E segue
apoiando regimes semelhantes?

Existem relatos de que tropas cubanas usaram armas químicas em Angola?


Em novembro de 1962, Fidel Castro planejou explodir o prédio da ONU e vários atentados terroristas
em Nova York, prenunciando, assim, os atentados contra as Torres Gêmeas de 11 de setembro de 2001?

O assassino de John F. Kennedy, Lee Harvey Oswald, era militante castrista e há indícios de que, pouco
antes dos tiros em Dallas, ele manteve encontro com agentes cubanos na embaixada de Cuba na Cidade
do México?

juventude, Fidel Castro era fã de Hitler e sempre foi um admirador do ditador fascista espanhol
Francisco Franco? E chegou a decretar luto em Cuba em 1975, quando Franco morreu?

Fidel Castro, o herói de milhões de jovens "progressistas" no mundo todo, proibiu o rock em Cuba nos
anos 60 e perseguiu gays e hippies, internando-os em campos de concentração para que fossem
"reeducados" (as UMAPs – Unidades Militares de Apoio à Produção)

A religião católica foi duramente reprimida em Cuba pelo regime cubano, que se declarou oficialmente
ateu, e até a Festa de Natal foi proibida no país
por 30 anos.

Che Guevara, o ídolo das camisetas, era um psicopata assassino e stalinista, responsável por centenas
de fuzilamentos de inocentes, e odiava negros e homossexuais. Tem até gravação para quem dúvida.

.
Somente nos seis primeiros meses de 1959, na fortaleza-prisão de La Cabaña, em Havana, foram
fuziladas 660 pessoas a mando de Che Guevara? (duas vezes mais do que os mortos pela ditadura
militar brasileira em 21 anos)

A fim de arrecadar divisas, o regime cubano passou a participar, nos anos 80, do tráfico internacional de
drogas, associando-se aos cartéis colombianos e ao ditador panamenho Manuel Noriega? (Foi criado
inclusive um departamento especial para isso, chamado MC – Moeda Conversível –, apelidado pelos
cubanos de MC –Maconha e Cocaína.)

Em 1989, o esquema de narcotráfico cubano foi descoberto pela DEA, a agência norte-americana de
combate às drogas, mas o ditador cubano se antecipou e mandou fuzilar o comandante militar em
Angola, general Arnaldo Ochoa Sánchez, e vários colaboradores, como "queima de arquivo" e também
como umexpurgo?

O regime de Havana foi o maior patrocinador, durante décadas, dos narcoterroristas das FARC,
responsáveis por milhares de mortes numa interminável guerra civil e cujo programa é, nada menos,
implantar um regime comunista do tipo cubano no país?

Não há nenhum "bloqueio" a Cuba; há, sim, um embargo econômico norte-americano – que não
impede que Cuba comercie livremente com mais de 170 países, e que os EUA sejam hoje o quarto
maior parceiro econômico do país (por meio dos dólares enviados por exilados a seus parentes na ilha).

O embargo foi decretado em represália pela expropriação, por Fidel Castro, de 1,8 bilhão de dólares
pertencentes a empresas norte-americanas na ilha – um dos maiores roubos da História?

Em 2004, Cuba ficou em 166. lugar entre 167 países no quesito "liberdade de imprensa", segundo
ranking organizado pela Repórteres Sem Fronteiras? (O último lugar ficou com a Coréia do Norte, outro
regime comunista.)

A censura em Cuba é tão forte que muitos cubanos não sabem, até hoje, que o homem foi à Lua e que o
Muro de Berlim caiu?
Segundo Benigno, que foi diretor-geral das prisões cubanas, a tortura é corrente nas cadeias da ilha,
comprovando o testemunho de milhares de ex-presospoliticos?

Ainda segundo Benigno, Fidel Castro abandonou Che Guevara para morrer na Bolívia, pois queria se
livrar dele e, ainda por cima, criar um mito politico a ser explorado para obrigar os cubanos a trabalhar?

80% dos presos em Cuba são negros, e 100% dos membros da alta cúpula do Partido-Estado são
brancos?

Dentre os cerca de 2 milhões de cubanos e seus descendentes que fugiram da ditadura castrista, estão
Alina Fernández e Juanita Castro, respectivamente a filha mais velha de Fidel e uma irmã de Fidel e Raúl
Castro?

Em 1995, Fidel castro mandou navios da Marinha cubana atacarem uma balsa repleta de refugiados que
tentavam fugir da ilha, a 13 de Marzo, matando 43 pessoas, inclusive 11 crianças?

O preso político negro que ficou mais tempo atrás das grades no século XX não foi o sul-africano
Nelson Mandela, mas um cubano, EusebioPeñalver, que padeceu durante 30 anos nas masmorras da
ditadura castrista?

Livros como A Revolução dos Bichos, de George Orwell, estão proibidos em Cuba, e a obra completa de
inúmeros escritores cubanos, como Reinaldo Arenas, Jorge Valls, HebertoPadilla e Guillermo Cabrera
Infante, está totalmente censurada na ilha?

O escritor Reinaldo Arenas, autor de Antes que Anoiteça, ficou vários anos preso e foi torturado porque
era homossexual?

Em Cuba, não é preciso cometer nenhum crime para ser preso - qualquer cidadão pode ser detido, a
qualquer momento, mesmo sem ter feito nada, por "periculosidade pré-delitiva"?

A quantidade de proteínas consumida pelo cubano médio hoje em dia é inferior à ração média dos
escravoscubanos em 1842?

A maioria dos cubanos esteve proibida, até há pouco tempo, de frequentar hotéis e resorts, exclusivos
para turistas, num verdadeiro apartheid social?

Cuba tem uma das mais altas taxas de suicídios e abortos do mundo, sobretudo entre os jovens?

Embora o Haiti esteja a poucos quilômetros de Cuba, os refugiados haitianos procuram evitar o “paraíso
socialista”, preferindo enfrentar uma jornada perigosa pelo mar até os EUA?

As "manifestações de apoio" ao regime cubano são na realidade orquestradas e baseadas na coação,


mediante a vigilância implacável dos CDRs - Comitês de Defesa da Revolução -, encarregados de
espionar casa por casa?

Segundo a revista Forbes, Fidel Castro é um dos homens mais ricos do mundo, com uma fortuna
superior à da rainha da Inglaterra?
.
Fidel Castro é certamente o tirano mais amado do mundo - fora de Cuba, e por aqueles que só
conhecem a ilha como turistas?
As "eleições" em Cuba são uma farsa grotesca, com partido único e sem pluralidade politico-partidária -
e mesmo assim o regime se apresenta como uma "democracia"?

A prostituição em Cuba, de tão generalizada, virou uma quase instituição nacional, tendo dado origem
até mesmo a uma palavra - jineteras - para designar as prostitutas cubanas?
Fidel Castro já deixou claro em inúmeras ocasiões que não permitirá reformas políticas e que o
socialismo na ilha é "irrevogável"?

Em 1990, Fidel Castro, Luiz Inácio Lula da Silva e várias organizações revolucionárias de esquerda latino-
americanas, como as FARC colombianas, resolveram criar o Foro de São Paulo, inspirado na OLAS
(Organização Latino-Americana de Solidariedade, criada em 1967 para "exportar" a revolução cubana),
com o objetivo declarado de “restaurar na América Latina o que se perdeu no Leste Europeu”?

Para quem acredita que Fidel é contra o tráfico de drogas um pequeno texto abaixo de Euler de França
Belém:
Cumerlato e Rousseau são incisivos: “Uma dupla suspeita continua a pesar sobre Fidel Castro: a de ter
se livrado de um oficial prestigiado, que lhe fazia sombra, e a de ter ao mesmo tempo feito desaparecer
perigosas testemunhas que podiam implicá-lo num caso de tráfico de drogas internacional. Em 13 de
julho de 1989, às 4 horas da manhã, um pelotão de execução fuzilava quatro oficiais superiores, detidos
apenas um mês antes.
Cumerlato e Rousseau chamam Fidel de “dealer máximo”, traficante máximo, num evidente exagero,
pois o líder cubano não traficava diretamente — Cuba era usada apenas como entreposto.

Furiati admite que o envolvimento de Cuba com o tráfico de cocaína foi denunciado primeiramente pelo
governo dos Estados Unidos. Fidel recebeu informações objetivas do governo norte-americano. Depois,
a agência UPI publicou: “Dois narcotraficantes se declaram culpados de transportar mais de uma
tonelada de cocaína através de Cuba” (“o primeiro transporte de cocaína foi feito em abril de 1987. Uma
carga de 300 quilos foi transportada num pequeno avião da Colômbia até uma pista de pouso perto de
Varadero”, registra Gott). Enquanto o fato não se tornou escândalo internacional, denunciado pelos
Estados Unidos, Fidel e Raúl não tomaram nenhuma providência e não acusaram nenhum militar. Há
indívcios fortes de que Fidel, sem dinheiro para manter o mínimo de conforto para os cubanos —
alimentação básica mesmo —, tenha embarcado numa ideia possivelmente de Raúl, a dos dólares fáceis
do Cartel de Medellín.

Como a conexão Cuba-Pablo Escobar se tornou pública, comprometendo a imagem do socialismo


cubano, era preciso achar culpados. O mais pragmático era matar dois coelhos com o mesmo tiro:
primeiro, arrumava-se um culpado para o tráfico internacional, e segundo, punindo-o, eliminava-se uma
possível ameaça política, Ochoa, de 48 anos.

O julgamento de Ochoa e aliados foi uma farsa, no estilo stalinista. Ochoa parecia dopado e confessou
crimes — na verdade, uma política de Estado, incentivada por Fidel e Raúl — que não cometera. Mas
não estava apenas dopado. Possivelmente para garantir a sobrevivência de familiares e amigos, o
general aceitou a “culpa”. Cumerlato e Rousseau registram: “O general Ochoa reivindicou diante do
tribunal a responsabilidade de contatos com Pablo Escobar, na época chefe dos traficantes de droga
colombianos do cartel de Medellín”.

Além de Ochoa, foram sentenciados à morte o capitão Jorge Martínez, o major Amado Padrón Trujillo, o
coronel Tony (Antonio) de la Guardia. O general José Abrantes morreu na prisão. Patricio de la Guardia
foi condenado a 30 anos de cadeia. Pelo menos 150 oficiais superiores foram expurgados do Exército.

Se não acreditam que tal checra algumas fontes abaixo, ou até visitar Cuba sem agenda estatal ou
turística.

AMMAR, Alain. Cuba Nostra: Les Secrets d'État de Fidel Castro. Paris: Plon, 2005.

COURTOIS, Stephane et al (org.). O Livro Negro do Comunismo: Crimes, Terror, Repressão. São Paulo:
Bertrand Brasil, 1999.
CUMERLATO Corinne& ROUSSEAU, Dennis. A Ilha do Doutor Castro: A Transição Confiscada. São Paulo:
Peixoto Neto, 2002.

BENIGNO (DarielAlarcón Ramirez). Memorias de unrevolucionario cubano - Vida y Muerte de


laRevolución. Barcelona: Tusquets, 2002.

DePALMA, Anthony. O Homem que Inventou Fidel: Cuba, Fidel e Herbert L. Matthews do New York
Times. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

FONTOVA, Humberto. Fidel - O Tirano Mais Amado do Mundo. São Paulo: Leya, 2012.

______. O Verdadeiro Che Guevara e os Idiotas Úteis que o Idolatram. São Paulo: É Realizações, 2010.

MASETTI, Jorge. El Furor y El Delirio: El Hijo de laRevolución Cubana. Barcelona: Tusquets, 1999.

MATOS, Huber. Como llególanoche. Barcelona: Tusquets, 2004.

MONTANER, Carlos Alberto. Fidel Castro y laRevolución Cubana. Barcelona: Plaza &Janés, 1986.

______. Viaje al Corazón de Cuba. Barcelona: Plaza &Janés, 1999.

MONTANER, Carlos Alberto, MENDOZA, Plinio Apuleyo, LLOSA, Alvaro Vargas. Manual do Perfeito Idiota
Latino-Americano. São Paulo: Bertrand Brasil, 1996.

ROLLEMBERG, Denise. O Apoio de Cuba à Luta Armada no Brasil: O Treinamento Guerrilheiro. Rio de
Janeiro: Mauad, 2001.

SCULZ, Tad. Fidel, um Retrato Crítico. São Paulo: Best-Seller, 1987.

Liberdade, um Cubano só sai do país se autorizado formalmente pelo governo, e obviamente para isso
obrigatoriamente deve afrmar e demonstrar que apoia o regime. Nunca permitem viajr toda familia,
pois assim se precaveem de casos de fuga. As saídas não são a turismo e somente para representar o
país. Se o regime é tão bom, porque milhares de Cubanos tentam atualmente atravessar Honduras,
rumo Guatelamala, México, EUA e a Tv pouco divulga sobre isso!

Igualdade: Outra mentira. A familia Fidel mora em uma ilha, no meio do mar transparente do Caribe,
com campo de Golfe particular (alias a população até um tempo atras era proibida de jogar golfe, e
mesmo quando joga, em geral os carregadores e catadores de bolinha dos Europeus, improvisam tacos
com pedaços de ferro e madeira por não ter condições de adquirir).

A maioria da população vive amontoada em casa ocupadas pela revolução (pois muito pouco se
contruiu), ou espécie de puchados feitos posteriormente. Ou seja uma das maiores desigualdades
mundiais entre o mais rico e mais pobre. Militares e agentes do governo, também possuem algumas
mordomias. Aos defensores do regime, relamente a de se concordar que entre os pobres existe uma
maior igualdade, inclusive na ração. (feijão, arroz ) fornecidos pelo governo, medidos em gramas por
pessoa. Alias estavam sem, o Brasil emprestou e estimulou o aumento de preços por aqui. O regime
nem é tão ditatorial, afinal legumes podem ser plantados por cada individuo assim como criação
artesanal de frango. Obviamente não existem sementes de qualidade ou fertilizantes com tecnologia,
afinal Cuba não produs isso, e importar seria ajudar o imperialismo opressor Americano e Europeu.
É difícil escutar alguém que já visitou a ilha com dinheiro publico falando bem de Cuba, ou alguém
repetir que lá não tem pobreza. Mas não adianta, afinal estas opiniões são execradas. Falsidade
intelectual? Talvez. Ou contaminação, com pós verdades e já virou zumbi.

Outra farsa ideológica “Os americanos ferraram cm Cuba, com o embargo econômico”. Quer dizer que “
Antes de 1959, o problema de Cuba era a presença de relações econômicas com os Estados
Unidos. Depois o problema se tornou a ausência de relações econômicas com os Estados
Unidos." Pera aí, fiqeui confuso o problema é ausência ou presença de relações econômicas
com EUA?

Se eles odeiam tanto o EUA porque insistem em comprar dos EUA que é mesmo com
embargos o quinto maior parceiro comercial de Cuba. Porque não compram tudo do Brasil e
Venezuela por exemplo? Estaria tudo resolvido!

Não é interessante o fato de que Cuba sofra embargo de um país que, por sua vez, tem sido
seu principal exportador de produtos agrícolas e, em nível mundial, seu quinto maior
exportador?

Muitos afirmam que o comércio entre Cuba e EUA está sujeito a regulações e que ocorre
debaixo de certas condições. Por exemplo, Cuba tem que pagar imediatamente, e à vista,
todos os produtos que importa dos EUA, já que este não concede nenhum tipo de crédito
financeiro ao governo de Cuba.

Há algo de errado nisso?

Bom, dado que cada um tem o direito de proteger seus interesses, e dado que Cuba, pelas
circunstâncias, justificadas ou não, é má pagadora, tal exigência é compreensível.

Um texto de DiogoCosta(http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1792) desmistifica bem


essa questão “os cubanos podem comprar produtos americanos pelo México. Podem
comprar carros do Japão, eletrodomésticos da Alemanha, brinquedos da China ou até
cosméticos do Brasil.
Por que não compram? Porque não têm com o que comprar. Não é um problema contábil
ou monetário — o governo cubano emite moeda sem lastro nem vergonha. O que falta é
oferta. Cuba oferece poucas coisas de valor para o resto do mundo. Cuba é pobre porque
o trabalho dos cubanos não é produtivo.

A má notícia para os comunistas é que produtividade é coisa de empresário capitalista.


Literalmente. É o capital que deixa o trabalho mais produtivo. E é
pelo empreendedorismo que uma sociedade descobre e realiza o melhor emprego para o
capital e o trabalho.

Mesmo quando o governo cubano permite um pouco de empreendedorismo, ele restringe a


entrada de capital. Desde que assumiu o poder em 2007, Raúl Castro já fez a concessão de
quase 170.000 lotes de terra não cultivada para agricultores privados. Só que faltam
ferramentas e máquinas para trabalhar a terra. A importação de bens de capital é restrita
pelo governo. Faltam caminhões para transportar alimentos. Os poucos que existem estão
velhos e passam grande parte do tempo sendo consertados. Em 2009, centenas de toneladas
de tomate apodreceram por falta de transporte.”

Se alguém já escutou os discursos de Che Guevara, fico pensando o que Cheguevara saindo de seu
caixão, com rolex no pulso, faria se estivesse vivo e visse um gay e um negro com suas camisetas.
Fuzilaria ou esfaquearia? Acredito que depende do que tivesse a mão, muito provavelmente usaria um
pedra ou as mãos. E esse fã de Che, o que faria, morreria passivamente pela causa, imploraria pela vida
como Che, ou reagiria e mataria Che em alto defesa? Che nesse caso seria vitima do capitalismo? Do
sistema opressor?

E como está na moda chamar isso de democracia, viva la democracia!! E assim invadem escolas.... quem
lê a lei e apenas rerpoduz o que nela está escrito é chamado de fascista. Não estaria tudo trocado?
Veremos.

Alias historicamente além de Cuba, os sistemas de extrema esquerda sempre repudiaram as minorias
como: gays e Negros. Mas sabe como é, estrategicamente verificaram que para novas tentativas de
implantar o regima, como no Brasil deveriam aproveitar esse pessoal, seria desperdiçar zumbis. Ai
passaram mesmo que contrariando a tradição apoiar a parada gay, as cotas raciais ....

A educação é uma arma poderosa para libertação ou escravidão. Vários países já entenderam isso. Cuba
, Coreia do norte aprenderam com maestria. E para isso usaram experiências alemãs, que foram
farcassadas pois não conseguiram por muito tempo manter os zumbis em estado de sonol~encia.
Devemos verificar históricamente que a Alemanha muito antes do advento do PT local, possuía
engeheria, medicina, escolas e pesquisas de ponta, e por isso talvez tenham ficado menos tempo no
estado zumbi. Estados de loucura todo mundo já teve, algusn duram mais, são mais intensos....

Cuba e coréia do Norte no quesito educação zumbi são campeãs absolutas, pela durabilidade.

Será que algum zumbi, consegue minimamente entender porque os professores públicos, ou o sindicato
esperneiam tanto contra o projeto da escola sem partido?

Será que algum zumbi de plantão que repete o mantra dos professores públicos, poderia explicar
objetivamente como uma universidade estadual tem custo médio de R$9.000 reais mensais médio por
aluno, e dizer que o problema é dinheiro. Obviamente que professores de história, artes, serviço social
com seus pós doutorados em cotas raciais, já estão ouriçados contestando dados de especialistas do
Tribunal de Contas.
“Mas a gazeta do povo disse em reportagem que é R$2.000 por aluno”, pois é a reportagem da gazeta
do povo se baseou em informações do portal transparência, mas se as universidades não passam os
dados? Se não existe transparência?

Aliás, porque a gazeta não faz uma manchete “Vamos abrir a caixa preta das universidades públicas, a
população exige transparência”, assim como fizeram para o transporte público de Curitiba? Bem,
mexcher com a classe professores não é politicamente correto, seria enfrentar algumas pós verdade, e a
população em sua maioria já é meio zumbi.

Alguns Universitários ganham de graça seu estudo, e a maioria não tem acesso a universidade publica.
Que em sua maioria é composta de cotas (negros, índios) e ricos. E o povo não consegue correlacionar
fatores, no caso da passagem de ônibus sente mais diretamente, apesar que na maioria dos casos é o
patrão quem paga, afinal por lei é obrigado a tal.

Uma pessoa um pouco mais esclarecida e doutrinada poderia afirmar que o cálculo é complexo, que
existem recomendações da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), que
existem muitos produo, aárea de pesquisa, métodos de custeio, rateio de custos ... O ponto não é
necessariamente quem está certo ou errado metodologicamente.

Estamos em 2017 e não se sabe ao certo quanto sai um aluno, afinal o Governo diz uma coisa,
profesores outra. Nna vida real de uma empresa em que os diversos departamentos não sabem, ou não
concordm em quanto sai seu produto,em meses de atuação, em uma situação de queda de receita teria
dificuldades, se continuasse gerenciando da emsma forma, deixaria de pagar funcionários,
fornecedores, fal~encia, desemprego.

É isso que irá acontecer, alias já acontece em alguns estados. E objetivamente mostra uma
incompetência descomunal com o trato com o dinheiro publico, pelo governo, pelos professores e pelos
e gestores das instituições, que em geral são professores.

Mas é complexo, sim muitas empresas possuem milhares de itens e processos, é complexo, por isso
exige competência (conhecimento, habilidade e atitude, a inteligência emocional já está em atitude e
habilidade). Itens que um concurso público e voto popular não conferem a ninguém. Conferem apenas
o direito legal de exercer uma profissão e entrar no regime de casta.

Pegando esse fato em objetivo, poderíamos inferir que professores das universidades e governo juntos
ou em separado seriam capazes de falir a Microsof, o Google, o Facebook.... e o tudo mais o que vissem
pela frente. Uma manada destrutiva.

Esse é o Brasil, mas ai fazem o que, do lado do governo aumentam impostos e os professores fazem
greve por salário aumentando ainda mais o custo por aluno seja por manutenção dos dias parados ou
maiores salários.

Onde além dos professores e governo objetivamente extremamente incompetentes, temos uma
população que nem ao menos sabe o que é competência. E vai de pós verdade em pós verdade
execrando suas opiniões. E os incompetentes mantendo sua incompetência, afinal nada lhes força a
mudar e não são recompensados ou punidos pelos resultados. Importa o tempo e titulação. Assim como
no tempo dos barões, condes e baronesas.

Há mais o objetivo de uma universidade publica não é o dinheiro, OK, largando o populismo de lado.
Como sobrevive? O Objetivo final não é o dinheiro , mas a getsão d dinheiro deve ser rotina diária.

O governo, para conter a macacada e garantir a reeleição, pensa que é melhor aumentar impostos do
que brigar por uma gestão mínima, afinal se não fizer isso não se reelege. Os professores estão
garantidos, podem parar quando quiserem, mesmo sem motivo, se aposentam mais cedo, tirarm suas
licenças.... É o populismo que vivemos a mais de séculos. O governo na base do pão e circo e os
professores defendendo intelectualmente o socialismo, mas na prática sendo extamanet contra ele,
com seus benefícios que são pagos por uma população que não os tem. Nesse caso, não se trata de pós
verdade, tem sintomas de desonestidade intelectual.

A zumbizadae macacada repete o mantra de um lado ou do outro. Fato objetivo: A incompetência do


serviço público brasileiro é sem precedentes em tudo (demosntarrei adiante mais alguns casos com
números para quem dúvida). Como um aluno de administração sai preparado com essa gestão? Já sei
podem ver um exemplo do que não fazer, e ai poderão aprender.

Alias para que tirar mais dinheiro do contribuinte, que quanto mais pobre estatisticamente menos
acesso tem a universidade publica. Porque não cobrar de quem tem condições já que são maioria
estatistica. Barateando aporte financeiro do governo que poderia usar esse dinehiro inclusive para
programas sociais ou enxugamento da máquina e redução tributária. Veremos que essa ação
minimanete lógica, encontra respaldo teórico conceitual na esquerda e na direita, mudando apenas o
que fazer com a destinação dos recursos.

As execrâncias não param por ai, alunos invadem, deixam a isntituição parada, auferindo vários custos
ao erário (se alguém fizer uma continha de padeiro chegrá a alguns milhares de reais) e um reitor de
univesidade federal na maior cara de pau diz que não vai tomar medidas a respeito. E assim vai, alguém
descumpre a lei, não paga a conta e quem paga, o contribuinte, e o reitor continua lá. Mais inefici~encia
publica, passando não só pelos políticos, também pelo reitor, pelo ingerenciamento de uma instituição.

Imaginou alguém entra no Google, destrói os servidores, e você como dono, parecendo fumar um
baseado, diz que não irá fazer nada “paz e amor”. Será que esse reitor se tivesse a sua casa depredada
seria “paz e amor”? Será que com Trump seria paz e amor?

O estudo, Um Olhar sobre a Educação 2016, também revela que os salários de professores
universitários de instituições federais públicas no Brasil - entre US$ 40 mil e cerca de US$ 76
mil por ano (de R$ 133,7 mil a R$ 254 mil) - "são bem mais elevados do que em muitos países
da OCDE e comparáveis aos dos países nórdicos, como Finlândia, Noruega e Suécia". Isso
também é culpa do governo?

O documento revela também que o Brasil gasta mais com o ensino universitário, por aluno, do
que vários países, mas o número de diplomados no país - apenas 14% da população na faixa
etária de 25 a 64 anos -, está abaixo de todos os países da América Latina analisados pelo
estudo (Colômbia, Costa Rica, Chile, Argentina e México).
Se políticos roubam, funcionários universidade também. Alias p´ro reitores assinam papéis e depois
parecem não saber do que se trata-va, se não foram corruptos, foram incopetentes. Obviamente que se
alguém retirasse indevidamente o dinheiro das contas paticulares desses p´ro reitores eles perceberiam,
mas na universidade com dinheiro publico não perceberam nada!! Depois explicações que faltam
mecanismos de controle. OK, ineficiência, incopetencia. Alias esse desvio por absorção, não deixa de
aumentar o custo por aluno.

Bem fica difícil falar minimamente em eficiência nas universidades publicas, com professores nórdicos
capazes de falir uma Micosof e o que virem pela frente. Mas porque será que o discurso é “professor
ganha pouco, falta dinheiro”. Numéricamente não faz sentido, mas ideologicamente faz muito sentido,
veremos.

Junte um exemplo desse de universidades públicas, a escola com partido que já vem desde a
doutrinação com Paulo Freire nos cursos de magistério e pedagogia. O resultado é esse, queda, queda,
queda ...

Por aqui a escola é com partido, e veremos em números.

Alguém doutrinado ou um zumbi pode excrecatr uma opinião “mas Paulo Freire é o patrono da
educação Brasileira”, como não adiantaria citar vários autores desmonatndo em números o mito Paulo
Freire, o melhor é dizer olha ai o resultado, nosso patrono deve estar feliz onde esteja com o resultado
da aplicação continuada de seu método de formação de zumbis junto com Antonio Gramsci e Dilma,
que quando padecer também deverá encontra-los para discutir o que fazer com a mandioca ou com a
foice.

Basta ler o que Paulo Freire e Gramsci pregavam, juntar as patuscadas de divisão de classes, o
populismo e bummmm. Está explicada a Venezuela de 2017 e o Brasil.

Tem opiniões que rejeitam que exista uma doutrinação nas estintuições de ensino superior. Eu
pessoalmente vejo cartazes com foices, cartazases com a mão do povo, mas isso é só uma percepção,
não gostaria de apenas excretar opiniões. Uma forma objetiva de fazer isso seria quntiifcar a bibliografia
de esquerda e direita em universidades, foi o que fez Gabriel de Arruda Castro e Murilo Basso, a seguir
trechos do estudo: “ Listas de autores mais influentes serão sempre objeto de questionamento. Mas é
possível chegar a um time de pensadores incontestáveis de cada lado. A lista utilizada na comparação
tem, na esquerda, Karl Marx, Vladimir Lenin, Antonio Gramsci, Jean-Paul Sartre e Paulo Freire. Na
direita, Adam Smith, Edmund Burke, Ludwig Von Mises, Roger Scruton e Thomas Sowell.

É evidente que fatores diversos pesam no número de livros disponíveis – um autor com mais obras
tende a ter mais volumes, por exemplo. Ainda assim, a desproporção é evidente, e um sinal de que a
diversidade de ideias não vai bem: a contabilidade final aponta para quase 8 mil obras dos cinco autores
de esquerda contra pouco mais de 700 dos cinco de direita.”

Mas, na visão do professor de Filosofia Rodrigo Jungmann, da Universidade Federal de Pernambuco


(UFPE), a contabilidade evidencia um problema crucial: “Isso reflete a maioria esmagadora de
professores esquerdistas nas universidades, que desejam que seus alunos tenham uma exposição quase
que exclusiva a autores de esquerda”.

O docente diz que a falta de equilíbrio traz consequências negativas para os alunos. “Você só pode
formar uma opinião bem abalizada sobre um assunto quando você tem acesso a todas as perspectivas,
as várias linhas teóricas concorrentes e antagônicas em torno do assunto, com a visão devidamente
equilibrada”, argumenta. “

Ficou fácil entender o porque das pós verdades numericamente desmonatdas, mas ideologicamente
construídas.

Agora fica possível entender porque tantos jovens vestem camisas de Che Guevarra, inclusive os LGBT e
negros. É até irônico, o cara que odiava negros e LGBT sendo aclamado por eles!! Quando ver alguém
nessa situação obviamente não adianta discutir, é irreversível.

Uma explicação do Padre Paulo Ricardo, é extremamente ddática de técnicas de Gramsci apoiadas por
Paulo Freire, o título, como emburrecer alunos. https://www.youtube.com/watch?v=OGeUqKK0v54Isso
é a realidade de mutas salas de aula, fazendo assim, com que a população atenda aos anseios do
governo e tenha as reações e comportamentos que o mesmo deseja.

Mostramos alguns números dos professores universitários, e como são os núemros dos professores dos
cursos de magistério, pedagogia....
Simone Iwasso e Mariana Mandelli, O Estadao de S.Paulo,28 Novembro 2009 | 00h00, em sua
reportagem repica alguns números de estudo da USP, professor de ensino fundamental da rede pública
do País recebe, em média, um salário 11% maior do que o da rede privada. Quando se levam em conta
os benefícios previdenciários do funcionalismo público, a diferença em favor das redes municipais e
estaduais sobe para 38%.

Mas se pegarmos o IDEB do ensino fundamental e médio, as escolas particulares são melhores. Como
explicar isso? Os professores das redes particulares são melhores? Objetivamente não necessariamente.
A explicação está na eficiência, maiores salários não são sinônimo de motivação, alias palavra
erronemanete empregada, motivação não é salário, basta ver a etimologia da palavra. Ao correr risco de
ser demitido alguém pode ser motivido!!

O mesma reportagem trás outro núemro: professores de ensino fundamental tem seu salário é cerca de
5% superior ao rendimento médio de profissionais da área de serviço, com mais de dez anos de
escolaridade.

Claro que, olhando o detalhe só mencionou salário, se pegramos uma professora mulher se
aposentando 10 anos antes, com carga de trabalho de 40h semanais, versus a carfga horária de 44h da
CLT, mais licenças prêmios e períodos maiores e recesso, a conta é bem mais do que 5%. Veremos na
frente os rombos na previdência, desse pessoal.

Quem numericamente ainda não está convencido,infestado por discurso ideológico porém que lê ,
pode pegar um etxto de Daniela FernandesDe Paris para a BBC Brasil 15 setembro 2016 e dizer “os
professores do ensino médio ganham menos que a média da OCDE”ela esqueceu de conabilizar
benefícios, mas OK. Pela reportagem sim, porém comparativamente a grau de estudo no Brasil ,
profesores públicos do ensino médio e primário ganham bem para nossa realidade. Mundialemnte não.
Diferentemente dos professores do esnino publico superior que estão na Noruega.

Professores em Cuba ganham muito menos!!

Numericamente mais um desmascaramento de pós verdade.

Segundo Cláudio de Moura Castro, Ph.D. em Economia, mestre em Educação e autor de mais de 35

livros, consertar a educação requer muito mais do que jogar dinheiro no sistema: é necessário tornar os

gastos mais eficientes. Será que isso é difícil de entender , números estão ai, não precisa ser Ph.D.

apenas conhecimento básico de matemática e menos ideologia zumbi e pós verdades.

Alguns professores públicos depois da divulgação desses números, não digerinto dados, fizeram

camisetas “sou professor, mereço respeito”. OK. Simples se dêem ao respeito. Invasão de espaços

publicos, impedir outros de usarem espaços públicos, greves constantes por salários acima do PIB e

inflação.... com salários nórdicos ou acima da média com mesmo estudo. Querem respeito? Porque

será que os indicadores de educação publuica só caem? Ineficiência.


A mas os problemas não são só os professores, ninguém disse isso, mas fazem parte do problema
e da solução números estão ai. Melhoria de eficiência passa pelos professores e pelos funcionários
das instituições de ensino, em sua maioria concursados. Com esse ingerenciamento demosntardo,
não adianta a hipocreia que mais dinheiro e responsabilzar somente governos resolve.

E aqueles whatsapp dizendo que não tem rombona previdência, que é superavitária.... e gente

replicando como zumbi.

Uma reportagem da Veja é didáica, simples e aborda bem números e informações a seguir:
http://veja.abril.com.br/economia/sete-mitos-sobre-o-deficit-da-previdencia/#

Tem a OAB, a revista petista carta capita e Anfip (Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita
Federal), que propõe misturar tudo na seguridade social, inventam novas formas de cálculo, e até dizer
que o problema são as renuncias de receitas fiscais, e a DRU...

Uma boa explicação um pouco mais técnica para tirar essa dúvida, foi escrita por Marcello Corrêa em
11/03/17, em suma veremos que as propostas mirabolantes de alguns, além de afrontarem a lei, não
resolveria o problema, uma vez que somente teríamos déficit alocado em outras contas. O dinheiro em
suma, falta.

“Uma tese polêmica circula pela internet: não há déficit na Previdência Social. A ideia tem como
principal base um estudo da Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Anfip), que
sustenta que as contas do Orçamento da Seguridade Social — que engloba os gastos com
aposentadorias, pensões, assistência social e saúde — poderiam estar no azul, caso fossem calculadas
de forma diferente. Segundo a entidade, o governo deixa de contabilizar receitas e acrescenta despesas
a esse orçamento, o que provoca o rombo. A metodologia é contestada pela maioria dos especialistas
em contas públicas e pela equipe econômica.

Considerando o dinheiro que entra, a principal crítica da Anfip é em relação a um mecanismo chamado
Desvinculação das Receitas da União (DRU), criado em 1994 para dar mais flexibilidade à forma como o
governo pode gastar os recursos arrecadados com impostos e contribuições. Isso porque a Constituição
prevê que alguns desses tributos são carimbados — ou seja, devem ser destinados para determinadas
áreas. A DRU, criada por emenda constitucional, alterou essas regras, permitindo que o governo
mexesse livremente em 20% dessas receitas — no ano passado, esse percentual passou a ser de 30%. As
contribuições ao INSS não são afetadas pela DRU.

Mas, para a Anfip, a regra tira dinheiro da Seguridade. Um vídeo, distribuído pelo Sindicato Nacional dos
Auditores Fiscais (Sindifisco), resume o estudo e destaca que o Orçamento da Seguridade Social perdeu
R$ 66 bilhões em 2015 por causa da DRU. A legenda diz que “não há rombo na Previdência, e sim um
desvínculo anual”, com uso de impostos para outros fins. Nas contas da entidade, haveria superávit de
R$ 11,2 bilhões naquele ano, valor suficiente para pagar as despesas da Previdência Social. A Anfip
também alega que as desonerações fiscais tiraram dinheiro da seguridade ao longo dos anos.

Os dados do governo estão de acordo com os dos auditores fiscais, mas a equipe econômica nega que
seja esse o motivo para o rombo da Previdência. Também em vídeo, criado para rebater a tese de que
não há déficit no sistema, o Ministério da Fazenda confirma que as desvinculações chegaram a R$ 61
bilhões em 2015 — número semelhante ao usado pela Anfip —, mas que a Seguridade Social continuaria
no vermelho em R$ 106 bilhões naquele ano, mesmo que os recursos não fossem desvinculados

diferença entre os resultados é porque a associação, além de contabilizar volume diferente de receitas,
desconsidera algumas despesas em sua metodologia. A principal delas são os gastos com aposentados e
pensionistas do serviço público. Na avaliação da Anfip, esses gastos não fazem parte do Orçamento da
Seguridade Social, pois são regidos por outro capítulo da Constituição Federal, que detalha o
funcionamento dos Regimes Próprios de Previdência Social (RPPS).

Criador da DRU, o economista Raul Velloso explica que, na prática, a DRU não faz mais tanta diferença
na conta, por causa do déficit na Seguridade, que se intensificou em 2016. Ele conta que a ideia surgiu
para flexibilizar o dinheiro dos impostos criados em 1988, muitos com destinação exclusiva. Mas a
estratégia só tem sentido quando sobra dinheiro da Seguridade Social — que, então, pode ser
movimentado para dar conta de outros gastos.

Como os gastos com Previdência são obrigatórios, o governo até desvincula esse dinheiro, mas tem de
devolver o que tirou e complementar para pagar os benefícios. Esse déficit é bancado pelo Tesouro
Nacional.

— A DRU hoje é inócua. Minha invenção foi superada pelos fatos. Ela não consegue tirar mais dinheiro,
o que adianta?

Para o presidente da Anfip, o mecanismo é prejudicial ao sistema previdenciário.

— A Contribuição Social sobre Lucro Líquido (CSLL) é destinada exclusivamente para o social. A Cofins é
destinada para seguridade social. Como o governo inventa uma DRU que permite retirar 30% dessas
receitas, quando o sistema é solidário, e as receitas são de destinação exclusiva? — critica Vilson
Romero, presidente da Anfip.

Ele contesta, ainda, a inclusão dos gastos com servidores na conta da Seguridade.
— É uma pedalada na Constituição — resume.

Para o governo, é correto contabilizar os gastos com servidores nessa parte do Orçamento.

— Hoje, o déficit (da Previdência) dos servidores públicos é de R$ 77 bilhões. Eles falam que não é um
gasto com seguridade social porque não está no capítulo da seguridade social. Da mesma forma que
gasto com professor é de educação, gasto com aposentado, do setor público ou privado, tem que ser
Previdência — diz Arnaldo Lima, assessor especial do Ministério do Planejamento.

Benedito Passos, diretor do Núcleo Atuarial de Previdência, concorda com a visão da Anfip.

— A seguridade social poderia ter mais de R$ 1 trilhão de recursos hoje se nos últimos 12 anos não
estivéssemos fazendo as transferências — avalia.

A opinião de Passos, porém, não encontra eco entre outros analistas. A maioria dos economistas
especializados em contas públicas destaca que a tese do superávit não se sustenta, principalmente
porque, no fim das contas, o dinheiro é um só.

— A Previdência Social, e ainda mais a dos servidores, não é uma ilha da fantasia descolada do resto dos
Poderes e recursos públicos. Ainda mais porque o seu déficit será sempre pago pelo próprio governo,
logo, fica capenga fazer uma análise em que se considera apenas uma parte dos gastos — destaca José
Roberto Afonso, economista do Ibre/FGV e professor do IDP.

O economista da FGV Samuel Pessôa destaca que, independentemente da forma de se contabilizar, há


déficit, não só no sistema previdenciário, como na Seguridade Social:

— (A tese da Anfip) não pode ser considerada. Há déficit a partir de 2016 (mesmo sem a DRU) e ele será
crescente independentemente da forma de contabilizar e de se devolver ou não as desonerações. “

O Regime Geral de Previdência Social (RGPS), dos trabalhadores do setor privado, teve déficit de 151,9
bilhões de reais em 2016, sendo desses 105 bilhões somente dos trabalhadores rurais. E o Regime
Próprio de Previdência Social (RPPS), funcionários dos municípios, estados e União, ficou negativo em
155,7 bilhões de reais. Número é 44,4% maior que o registrado no final de 2015. A escalada do
problema não é de forma linear, está mais para uma função exponencial.

Segundo dados do IBGE (2012) 12% da população na ativa é servidor publico, ou seja, 12% das pessoas
são responsáveis por mais de 50% do problema da previdência.

Reportagem da Folha de Sp de 8/2/17, mostra que um trabalhador da área privada que se aposentar
neste ano, com expectativa de mais 20 anos de vida, custará, em média, R$ 1,1 milhão aos cofres
públicos; já um funcionário público da União, custará R$ 3,34 milhões para os cofres do governo. Se esse
servidor for um militar, o montante é ainda maior: R$ 4,92 milhões.
Esse custo existe devido a desequilíbrios históricos dos regimes de Previdência no Brasil, que têm
distorções e beneficiaram grupos específicos. Esse valor extra não deveria existir em nenhum caso,
porque representa um desembolso além daquilo que o governo já paga à Previdência na condição de
empregador. Qualquer dúvida é possível fazer um continha simples: M = C * (1 + i)t, onde
M:montante, C: capital, i: taxa de juros, t: tempo de aplicação

E é normal ver servidores batendo no peito eexcretar uma opinião “eu paguei e tenho direito”, pela lei
infelzimente tem o direio legal, mas por Kant e pelo utilitarismo exerce um ato imoral, pois é deficitário
e precisa retirar recurso dos outros. E objetivamente não pagou a conta, emprestou sem devolver,
alguém está pagando, e o servidor mal agradecido nem reconhece.

Ai vem uma proposta de reforma, e os servidores ficam atiçados, conceitualemnte e na prática a maior
reforma socialista do Brasil, eliminando castas e os que se dizem socialistas são contra? E os professores
então em sua maioria “esquerda”, resolvem deixar de dar aula? Falsidade intelecual? Zumbis
contaminados? Macacos espertos? Disturbio bipolar? Personalidades múltiplas? Ou apenas uma escola
com partido?

Alias os políticos mesmo populistas, vendo a batata esquentar propõe uma solução, os professores e
funcionários públicos, e população em geral além de serem contra não conseguem elaborar qualquer
contra proposta minimamente técnica. Não querem fazer parte da solução OK, serão parte do
problema. No RJ o pessoal já está tendo convulsão, talvez precise acontecer com todo mundo para
acordar do efeito zumbi, ai até o pessoal que já está em casa desde os 40, 50 anos de idade, irá acordar
de suas férias remuneradas com dinheiro alheio. Não são opiniões, sentimentos, são dados.

Alias o governo tentando contornar já foi super brando ao abrir conceções aos militares aos
trabalhadores rurais, agentes carcerários, já perdendo parte do efeito da reforma e mantendo algumas
castas... E fez uma jogada inteligente quebrando o discurso falso e irresponsável de prefeitos e
governadores de oposição,“ já que não tem déficit na previdência, fiquem com a questão de
aposentadoria dos servidores estaduais e municipais.”Se não aprovarem objetivamente será um
domino, estado por estado, o que ficar por último saberemos que é o que tinha melhor gestão!!

Se formos falar dos fundos de pensão compelmentares ai é mais uma novela segundo reportagem de
Josette Goulart, O Estado de S.Paulo 06 Janeiro 2017 | 05h00, A Funcef, fundo de pensão dos
funcionários da Caixa, vai fechar pelo quinto ano consecutivo com déficit em seu balanço. A estimativa,
segundo algumas fontes próximas ao fundo, é de que o ano de 2016 tenha registrado perdas ao redor
de R$ 3 bilhões, o que elevaria o déficit acumulado, desde 2012, para cerca de R$ 18 bilhões. O que
voc~e tem a ver com isso tudo. O Funcef é um dos controladores da Vale, que teve ações
desvalorizadas, que estoutrou a barragem de Mariana. Onde milhares de pessoas aplicaram o seu FGTS.
E somente uma parte do rombo será desocntada dos mais de 60mil funcionários da caixa, a outra arte
adivinhem quem paga. Você. Ou seja o funcionário da caixa já possui mumm déficit previdenciário
elevado, e possui mais um déficit do FUNCEF. Ou seja você paga os dois, e se quiser uma aposentadoria
complementar terá que pagar novamente, porém seguindo regras de mercado. Esqueci que ainda tem o
rombo da vale e queda do FGTS de milhares de pessoas. Alias o FGTS que a caixa paga juros abaixo do
mercado. Irresponsabilidade social, irresponsabilidade técnica, ineficiência de mais um ente público
prejudicando toda sociedade. Aos apoiadores de Dilma, quem indica o presidente da caixa? O Funcef
tem ser presidente indicado por quem? Parabéns ao pessoal da caixa quevotou nela, infelzimente vocês
só estão pagando um pedacinho do pato, o estrago na econõnmia como um todo foi gigante. Talvez
zumbis ideológicos ainda não consiguam perceber Tem JBS , Vale, OAS, muitas citações na lava Jato...
E o IPMC dos servidores da prefeitura de Curitiba, ond a prefeitura dpositou cerca de R$600 milhões de
forma irregular, relativo à contribuição patronal sobre os servidores inativos e pensionistas. Que patrão
deposita contribui para previdência de inativos e pensioninstas? Hello (como diz Val Marchiori).

“Ha mas está na justiça, sim liminares já foram derruba” e continuarão a ser é apenas oposição
irresponsável quee usa meios jurídicos e públicos para dar circo a macadada e zumbizada.

Quem fez esse repasse, bem no mínimo um prefeito, um secretário e algum servidor publico, que em
qualquer país desenvolvido responderiam civilmnete, criminalemnete porl ato e se culpados, sofrendo
sanções como afastamento da atividade publica e ressarcimento com penhora de bens. Afinal um páis
para ser desnvolvido, neecssita um mínimo de gerenciamento de recursos. Obviamente esse dinehrio
faltou em algum lugar, e faltou em serviços não prestados a população que ironicamente sustenta quem
fez e autorizaou os repasses, além de sustentar quem ficou com os repasses. Causa e efeito, ou alguém
acha que fornecedor que não recebem de uma prefeitura irão continuar a fornecer, e não realizará
demissões em suas empresas. Mas um exemplo da inefici~encia estatal.

Normalmente por regras de mercado, o dinherio deveria ser devolvido com juros, correção e
juridicamente o débito ainda se multiplicaria com aplicação de multas previstas em legislação. Os
valores de débito do IPMC cresceriam substancialemnte.

Com dificuladde de fluxo de caixa e necessidade de recusros a curto prazo, (alias 70% das empresas
quebram por esse probelam) o governo local propõe perdoar juros e multas, solicitando apenas a
devolução e recebe como respostas algo que parecia o planeta dos macacos (não pela cor) mas pela
truculência, gritos, grunidos, jogando objetos, mijando como animais no plenário da câmara. Esqueci de
mencionar que vereadores da oposição, e servidores não se deram ao trabalho de apresentra uma
proposta minimamente técnica. Realmente não sei se por incopet~encia ou por ideologia, ou falsidade
inetelctual.

Não sabendo fazer isso foram para instinto animal. Essa é a democracia desse pessoal? Lembrando que
esse tipo de ação não enconra espaço nem na democracia dos EUA nem da Venezuela nem brasileira.
Esse são os servidores que nos atendem? E que deveriam cuidar da educação?

As pessoas passivas vendo pela TV, tendo seu transito impedido parecendo zumbis. Poucos seres
humanos fazendo uma continha básica de padeiro e pensando “os cara (servidores) levaram mais de
R$500,00 percapita da população que trabalha e tão reclamando, quero meu dinheiro!” Se falar isso vão
dizer que é facista. Se agir que nem alguns deles chutando, quebrando costelas, cheirando, mijando
para demarcar o território isso seria a democracia então?

Não para por ai, ficaram revoltados com aumento da contribuição previdênciaria de 11% para 14%, e ai
se lembraram da iniciativa privada, até então esquecida, “mas na iniciativa privada pagam menos”, sim,
ganham menos proporcionalemte de aposentadoria, se quiserem fundo complementar seguem regras
de mercado, M = C * (1 + i)t, onde M:montante, C: capital, i: taxa de juros, t: tempo de aplicação,
oempregador também não deposita 31% no fundo, os números estão ai. Que tal fazer continha, nem
que seja padeiro. Quer defender privilégios OK, querer falar que não tem privilégios é opinião execrada
ou falsidade. De qualquer forma mijar no plenário não é muito elegante para dizer o mínimo.

Vejam a diferença entre uma pós verdade baseada em crenças, ideologia e a matemática. Aquela
música de Cazuza “ideologia eu quero uma para viver” poderia ser substituída “matemática, preciso de
matemática para sobreviver”.

Mais um pouco de ideologia “ que absurdo a suspensão dos planos de carreira e do pagamento do
reajuste anual; a limitação do gasto com pessoal a 70% do crescimento da Receita Corrente Líquida”,
pois é matemática diz, se não fizer isso quebra!! Alias algo bastante normal em controle de caixa, em
qualquer lugar fora do país das maravilhas em que vivem a mentalidade salarial de alguns servidores.
Sabem reclamar da muitas vezes dura realiadade das condições de trabalho, mas realmente vivem no
mundo da lua na questão salarial. Sem generalizações totais obviamente.

No mundo real, em casos de queda de arrecadação essa é uma medida leve, normalemnte os salários
são diminuídos, sim isso é possível por lei e está acontecendo em váriasempresas. E se isso não bastar,
funcionários são demitidos e muitas vezes sem rescisão necessitando acionar juridicamente, assim como
por lei servidores podem ser demitidos compulsoriamente em determinadas situações. Talvez
cheguemos brevemente lá.

Alias é o que acontecerá se a arrecadação não aumentar e a efici~encia do serviço publico não melhorar.
Será necessárioprovavelmenteum novo pacote e esse sim poderá ser de “maldades”. E poque ninguém
apresentou uma contra proposta minimamente técnica? Incopetência? Ou esses vereadores estavam
preocupados em proibir proteína animal em um dia da semana nas escolas? Os mesmos vereadores que
apoiavam FRUET que desviou um dinheirinho de Curitiba, que apoiava a Dilma que indicou o presidente
da caixa e por tabela da FUNCEF e desviou outro dinheirinho que doeu no bolso de todo Brasil.

Matematicamente a população teria motivos para protestar contra o adiantamento de décimo terceiro
aos servidores, afinal não estamos na Arábia Saudita e o dinheiro por aqui antecipado sai mais caro aos
cofres públicos.

Setemos a maioria dos servidores como professores (cerca de 14 mil), que em magistério ou pedagogia,
assuntos como matemática perdem de longe para Paulo Freire e Granski, pode ser difícil o conceito que
uma antecipação de décimo terceiro é prejuízo aos cofres públicos. Ideologicamente pode não ser,
matematicamente é.

Você está dizendo que os servidores não deveriam ter seu décimo terceiro antecipado? Não, não disse
nada disso.

Da para culpar o gestor pela antecipação? Juridicamente não. Aliás o gestor deve ter feito uma conta,
antecipar estou perdendo tanto em recursos, mas ganharei um pouco de capital político através de
popularidade. Enfim uma gestão de recursos não apenas financeiros, permitida pó lei, que infelizmente
é populista, provavelmente feita por popiliticos .

Pessoalmente e tecnicamente em termos de responsabilidade social com os desempregados que sofrem


com o péssimo serviço público, não anteciparia o décimo terceiro. Aliás essa seria uma ação socialista do
sentido conceitual. Mas com certeza os professores “socialistas” não concordariam, pois socialismo no
c... dos outros e refresco.

Vejo servidores reclamando, “o problema do IPMC é a interferênciapolítica. ” Ideologicamente até faz


sentido, mas se separar completamente da política, não teríamos o aporte de 31% do empregador,
tentariam manter privilégios e o fundo em pouco tempo quebraria. Matematicamente com certeza seria
a melhor solução para quem paga a conta. Total independia, seguindo regras de mercado.

Objetivamente o servidor público é o maior deficitário na previdência, e em casos também na


aposentadoria complementar. Isso não é um privilégio? Isso não é ineficiência? Em caso de dúvida a
etimologia da palavra consultar.

Obviamente, aos humanos, apesar de revoltante, não adianta querer ganhar na força, é preciso
infelizmente aturar por um tempo o pessoal descumprindo a lei, impedindo trânsito, urrando, jogando
objetos, mijando, ..., se não houver uma alteração nas leis, será eternamente isso. O funcionáriopúblico,
para quando quer, porque quer, faz o que quer quando para, muitas vezes ainda ganha pelos dias.... No
mundo seletivo do país das maravilhas tudo pode, no mundo real existem represálias, que podem ser
bem dolorosas, no socialismo predominante nos professores (estaticamenteapresentado), como na
Venezuela por exemplo se protestar não sabe se volta vivo.

Cabe aos humanos democraticamente trabalhar para que leis sejam corrigidas e tais distorções sejam
suprimidas e desrespeitos as leis sejam rigorosamente punidos com exclusão do convívio social aberto
se necessário. Afinal essas posturas além de aumentarem a ineficiência do serviço público, conseguem
também tornar ineficiente o resto da sociedade.

Um pouquinho sobre outro orgulho nacional, os correios:

Os Correios estão isentos de uma série de impostos e tributos, não precisam obedecer ao rodízio
veicular na cidade de São Paulo, não param em barreiras fiscais, não precisam emitir conhecimento nem
sequer transportar mercadorias com suas respectivas notas fiscais, não sendo submetidas, portanto, à
fiscalização nas estradas, o que tem propiciado inclusive o transporte de drogas e contrabando, como a
imprensa já noticiou.

Estas regalias operacionais que os Correios têm configuram-se em uma imoral e nefasta vantagem que a
estatal tem em relação aos seus concorrentes privados. O transportador rodoviário de cargas paga
impostos, tem que obedecer ao rodízio, deixando 20% de sua frota ociosa toda semana, é obrigado a
ficar horas, até dias a fio parado em barreiras fiscais ao longo do Brasil e tem a obrigação de transportar
tudo com notas fiscais, emitindo conhecimentos e lidando com as restrições impostas pelas companhias
de seguros.

Ou seja, transportador mercadorias com as condições que os Correios têm é um verdadeiro negócio da
China.

Mesmo assim....

Correios, da revistaÉpoca:
"Nos últimos dois anos, o rombo dos Correios chegou a cerca de R$ 4 bilhões. Apesar desse desfalque, a
estatal continua investindo seus recursos em patrocínios de eventos esportivos. Acaba de destinar, por
exemplo, R$ 400 mil para dois eventos de tênis. Um deles é uma etapa do ATP Challenge Tour, a ser
realizada em Campinas, no interior paulista." O pensamento “socialista” da “esquerda”, “o correio é
importante pois patrocina o esporte”. Na real está tirando dinheiro do servidor e contribuinte para
patrocinar coisa de burguês, basta pegar o valor de renda mensal das famílias com praticantes e tênis a
nível de torneios ATP.

“ O rombo do terceiro maior fundo de pensão do País, o Postalis, dos funcionários dos Correios, pode
chegar a R$ 5 bilhões. A informação foi divulgada neste sábado (2/1/16) pelo jornal Folha de S.Paulo e
cita um relatório da Polícia Federal entregue à Justiça do Rio de Janeiro.”

Mais alguns exemplo de ineficiência: por O Globo / / /14/05/2011

: Os carteiros são obrigados a caminhar até 15 quilômetros por dia, carregando sacolas com 11kg nas
costas - um sistema da década de 70. Em vários países se usam drones. Por aqui um grupo pequeno usa
motos, mas a estatal não paga seguro nem da frota nem individual, o que obriga o trabalhador a arcar
com as despesas do próprio bolso se for comprovada sua culpa em um acidente. Só em São Paulo, 628
funcionários têm um passivo a pagar de quase R$ 1 milhão. Tudo é custo, que obviamnete não vai ao
trabalhador e nem em serviços descentes a sociedade. Veremos a historinha das colheres.

Discurso populista “Os correios são improtantes para inclusão”, fato - A estatal quase não tem mulheres
(menos de 25% do quadro) e nenhuma ocupa cargo de direção. O próprio concurso público acaba
funcionando como uma barreira à entrada delas, devido ao rigor no teste físico.
Não existe qualquer critério para criação das chamadas funções (cargos, chefia e assessoramento), nem

definição clara de competências. Com isso, os Correios têm hoje quase um "chefe" para cada dois

trabalhadores:

O antagonista 24/04/17 “Café no bule dos CorreiosOs Correios têm um novo garoto propaganda:

Ratinho. O contrato foi assinado no fim da semana passada. Agora vai.” Mesmo com prejuízo e

praticamente monopólio eles precisam gastar alguns milhões com Ratinhos?

O antagonista Brasil 23.03.15 13:54 “O Postalis, dos Correios, exibe um déficit de 5,6 bilhões de reais.

Para cobri-lo, os seus participantes teriam de aceitar uma redução de um quarto do salário pelos

próximos 15 anos e meio. Já deu confusão, é claro. A situação não é muito diferente na Petros, da

Petrobras, e no Funcef, da Caixa Econômica Federal. “Obviamnete os funcionários não apgam toda

conta, o resto quem paga é você.

O esquema é banal: os companheiros que dirigem o fundo de pensão fazem um investimento


propositadamente ruim, para que todo mundo perca, menos eles próprios e o dono do negócio no qual
o dinheiro foi investido. Tudo maquiado contabilmente. E a zumbizada depois reclama.
Do rombo de 2 bilhões de reais em 2016, a presidência dos Correios alega que 1,8 bilhão diz respeito
aos gastos com o plano de saúde oferecido pela empresa, que atende a 400 mil pessoas, incluindo os
117 mil servidores da ativa, além de aposentados, filhos, cônjuges e, acreditem, pais de todos os
titulares. É o plano de saúde mais generoso de todas as estatais: os Correios bancam 93% das despesas.
O antagonista Brasil 31.07.17 16:14 “Não bastasse receberem vale-refeição no mês de férias, os
funcionários dos Correios recebem o benefício 13 vezes ao ano.O "vale-peru" custa à estatal 107
milhões de reais por ano.”

Alias já pagamos o SUS, o plano subsidiado dos correios, e ainda pagamos o plano aos pais, mais o
déficit previdneciario do funcionalismo extremamnet alto, mais parte do rombo na previdência
compelmnenar bilhonário, mais a previd~encia complementar que é subisidiada, o peru.
País em crise, PIB negativo, empresa dando prejuízo, peru no natal, plano de saúde para toda
vizinhança, déficit individual na previdência, plano de previd~encia complemnate deficitario. E o pessoal
o que faz para ajudar. Entra em greve!
Ganham PDV extremamente desvatajoso a qualquer empresa nessa situação e reclamam.
Alice no país das maravilhas não é ficção! Está por todo o país, tem representantes no Correios, Ciaxa,
BB, Petrobras, Receita, Petrobrás apesar de mais noticiada é pouco!
Obviamnete além disso, precism passar o prolema que geram, para toda sociedade que paga a conta
com serviços caros para padrões mundiais, encomandas mais caras, custos são passados aos produtos, e
muita coisa fica mais cara, por causa de uma simples estatal.

Outro pequeno exemplo. Quando a classe de fiscais da receita, faz greve pedindo 10,15, 20, 30% de
aumento em um ano com PIB negativo, ou todo o ano que fazem mesmo com ganhos salariais
constantes, muitas empresas tem suas importações exportações paradas, seja na fiscalização nos
portos ou papelada. Além do prejuízo imediato que é mais visível, isso causa maiores prejuízos em toda
cadeia produtiva. Como grandes empresas que possuem um minuto de trabalho de alguns milhares de
reias, sabem que existe a greve todo ano, necessitam aumenttar seus estoque, para que no período de
greve não parem. Para aumentar estoques, necesistam obras, máquinas de movimentaão, área,
autorizações e pessoas para egrenciar esse estoque... Numa visão Lulistica, iisso poderia ser geração de
emprego, numa visão de eficiência são apenas recursos improdutivos, sem valor agregado. Que
aumentam custos finais, tornam o produto menos competitivo, diminuem vendas e geram desemprego.
Contrariando ferramentas inetrnacionais de eficiência como o “lean managment”, já testadas e
compravadas desde a guerra mundial, ferramentas esas que impulsionaram o Japão e Coréia da Sul.
Veja que um simples ato, de uma simples classe consegue ferrar toda uma cadeia produtiva, além é
calro nas mudanças diárias de regras nessa área, com criação de setores inetiros em uma empresa,
apenas para atender a inefici~encia de uma única classe de servidores. Sim a conseqüência para
iniciativa privada, mesmo para empresas multinacionais conhecidas por sua efici~encia a ineficiencia.
Uma única classe de servidor piorando a eficiência de toda cadeia produtiva!!Imagina os funcionários d
a receita se juntando aos professores e politicos nacionais falindo todas as empresas. E existe muito
brasileiro querendo isso, vide exemplos vizinhos.

Justiça do trabalho, a que mundialmente tem mais casos, precisando cada vez mais estrutura, juízes com
60 dias de férias e até mais recesso, emendando feriados e atendendo somente em horário comercial.
Advogodados levando de 20 a 30% por causa. O que foi produzido nesses dados? Nada. As leis são ruins,
sim talvez..foram alteradas, espera-se melhorias nos números de processos, mas juízes com bases nos
mesmos autos, comunentemente proferem sentenças completamente diferentes. Isso causa na prática
uma insegurança jurídica. As empresas, com isso independentemente de seguir ou não a lei, deixão
provisões para esse assunto. Dinheiro esse que está deixando de ir para área produtiva, novos
investimentos, aumento de empregos... O prejuízo não é de milhões, são bilhões não rvertidos em
invstimentos e empregos.

Poderia pegar vários exemplos, Correios, Petrobras, Caixa, BB, BNDES, sem ideologia, e sim com
números e desmontar pré verdades “a Petrobras é nossa”, alias pela ineficiência da empresa pagamos
uma das gasolinas mais caras do mundo, mesmo com o real desvalorizado.

Dados não faltam, agora se ideologicamente alguém não concorda, é opinião, sem obejto
comprobatório.

Há mais as empresas publicas tem um papel social muito importante. OK, leia pesquisa do Professor da
FGV Puppim, onde demosntra que proporcionalmente a Petrobras por exemplo aplicou em questões
sociais proporcionalemnte menos do que empresas privadas. Que alias já pagam grande parte do seu
fatramento as ineficiências publicas. A caixa por exemplo, tira dinheiro das pessoas desinformadas que
aplicam na poupança, pagando juros abaixo do mercado, ou pega compulsoriamente das pessoas pelo
FGTS (alias dos menos aforrunados), pois um grande empresário para seu uso pessoal deposita o
minimo necessário em pró labore, pagando também juros abaixo do mercado,para fiannceiara JBS
(aquele cara dos 1001 crimes confessos que etsá solto),copa do mundo, programas eleitorias,uma vez
que programas que só aumentam o desmbolso por décadas não são sociais são eleitorias (minha casa,
bolsa família), alias a maior função social seria baixar a taxa de juros!
A ajuda eleitoral não para, patrocinar times de futebole seus cartolas que depois ajudam na campanha,
uma grande aliada no jeitinho “pão e circo”, talvez o braço direito, além de empréstimos a grande
empresários de forma subsidiada, e uso suspeitos de fundos de pensão, tornando mais ineficiente
empresas como a Vale do Rio Doce, que a pós verdade diz que foi privatizada, e na realidade os fundos
de pensão é que possuem o controle. Aos que criticam o rompimento da barragem de Mariana, saibam
que a Caixa está nessa empreitada. Afinal um empresa comandada com dinheiro publico e sem
fiscalização de órgãos públicos (já comprovada), fica difícil querer culpar uma privatização que male mal
ocorreu. Um ciclo vicioso com braços asfixiando até empresas privatizadas.

Alias, fala-se principalmente pelos populistas que os EUA, o capitalista opressor, cujo capital não produz
e os lucros vão aos bancos.... Vamos dixar um pouquinho a ideologia d elado e lhar um dado, um
dadinho....

A rentabilidade sobre o patrimônio dos bancos brasileiros é superior a dos bancos americanos, considerando
as instituições com ativo total acima de US$ 100 bilhões, segundo a consultoria Economatica.
A mediana do retorno sobre o patrimônio (ROE) no ano de 2014 dos quatro maiores bancos de capital aberto
brasileiros (Brasil, Itaú-Unibanco, Bradesco e Santander) é de 18,23%. De acordo com a Economatica, 14
bancos dos Estados Unidos fecharam 2014 com mediana de 7,68%

Ou seja o sistema bancário proporcionalemnte no Brasil de justiça social de governos populistas, tira
mais da população que nos EUA. Porque são mais eficientes? Poque são mais maldosos?

Não, Não, simpelsmnete porque tem um governo populista, e ineficiente, com as maiores taxas de juros
mundiais. Os bancos preferem ganhar dinheiro com o governo, e a população trabalhadora se quiser
recursos terá que pagar o preço da ineficiência governaental. A taxa Selic está ai para conferir.Esqueci, o
spread bancário enre os mais altos do mundo está ai também.
Fonte: Revista de Administração ContemporâneaOn-line version ISSN 1982-7849

Pelo gráficos, falar em eficiência, produtividade, no sistema bancário brasileiro, é algo inócuo, o padrão
de spreads bancários está p´roximo a de Madagascar (47,6%) e Malawi (31,1%), cujos PIB’s
somados representam menos de 1,7% do Produto Interno Bruto brasileiro. Tem a taxa selic
ainda para piorar.

Parece rotina nos compararmos com países africanos, na educação também estamos por lá! As vezes faz
mais sentido comparações com países africanos do que EUA, asiáticos e Europa. Devemos comparra
com situações mais próximas!

Vejam que interessante, conicidentemente a aprtir de 2003, o spead teve aumento significativo na rede
publica. Quem será que começou a governar o Brasil em 2003? E tecnicamente além de piorar a
eficiência dos bancos reirou mais dinheiro da população. Com esses spreads e taxa de juros básica da
economia, bancos obviamente não precisam quantitativamente de mão de obra apacitada, afinal basta
pegar recursos, os spreads de cada banco e taxas do governo fazem o resto.

Discurso ideológico “bancos estatais são importantes para respinsabilidade social” o discurso factual
“bancos estatais”retiram proporcionalemnte mais dinheiro dos pobres e médios que os opressores
capitalistas americanos de sua população, graças ao spread e ao governo que necessita de taxas altas
para sobreviver para pagar suas contas e manter o ciclo populista (de a esmola, não ensine a trabalhar).
“ e mesmo sem o governo aplicam por conta os maiores spreads mundiais, mesmo os bancos estatais
(ganhar dinehiro sem trabalhar), capital improdutivo. Obviamente que com essses dados, nem
capitalismo, nem socialismo sorevivem “.

Afinal os ricos ganham recursos com CE e BB, e não perdem, exemplos Vale, Friboi, OAS, cartolas de
futebol, fazenddeiros de porte.... Quem perde? Médios e pobres. Todos que tem FGTS descontados na
folha. Afinal FGTS de rico é ficiticio.

Sem falar nos casos de policia envolvendo a Caixa, BB, e BNDES. Que não se limitam a lava jato, são
prisões e conduções coercetivas em penca. Alias já ultrapassam significativamente as da Petrobras. É
funcionário de carreira, indicados... Inclusive até ex estagiários. Além de spreads de Madagascar, fatos
demosnram não haver mínimo controle sobre o dinheiro publico.

Impressionante que núemros e mais núemros, fatos estão ai. E a privatização ainda é tabu.
Um estudo publicado na Revista de Administração ContemporâneaOn-line version ISSN 1982-7849,
traz alguns autores e suas conclusões que corroboram ao uso politico dios bancos estatais e sua baixa
produtividade.

É importante citar, ainda, o problema de influência política nessas empresas. Sapienza (2002), observou que a
visão predominante na atuação dos bancos públicos não era objetivando a maximização do bem estar
social nem era explicada pela visão de agência, mas sim pela atuação política: os bancos públicos eram
utilizados como ferramenta política para distribuição de favores. Na mesma linha, Dinç (2005) encontra que,
em anos de eleição em mercados emergentes, a atividade de empréstimo de bancos estatais é maior
que a de bancos privados.

O uso político dos bancos públicos também foi identificado por La Porta, Lopez-de-Silanes e Shleifer (2002). Esses
autores trazem resultados mostrando que o controle do governo politiza o processo de alocação de
recursos e reduz a eficiência dos bancos públicos. Foram analisados diretamente os impactos de bancos
públicos no desenvolvimento dos países, e concluiu-se que estes não contribuem para o
desenvolvimento do sistema financeiro, pois grande parte dos bancos públicos está em países pobres,
com baixo desenvolvimento financeiro e institucional.

Bartel e Harrison (2005)


, por exemplo, deixam claro que a menor eficiência de empresas públicas pode ocorrer
por dois motivos: (a) problemas de agência, relacionados ao baixo nível de monitoramento associado ao
controle do governo; e (b) ambiente a que essas empresas estão expostas, geralmente com monopólio
estatal e orçamentos menos rígidos dada a possibilidade de serem salvas caso se encontrem em
insolvência.
Fizeram um programa de demissão voluntária, pois demissão é complicado por lei, pretendiam 10.00
pessoas, 4429 empregados saíram, a caixa anunciou em maio de 2017 um lucro liquido 81,88% maior no
primeiro trimestre do que em 2016 e um resultado operacional com evolução de 420% na comparação com
o mesmo período de 2016. Epa, só numa caneteada 420% de resultado operacional? Ou o cara que entrou indicado
por Temer é muito bom, um Bill Gates dos bancos, uma Merlin, um Davip cu perfeito) ou a caixa era muito
ineficiente e agora ficou um pouquinho menos. Você decide? Mas pelo jeito se dos 10.000 só saíram 4429, ainda tem
muito por ganhar. (dados numéricos extraídos de Pâmela Kometani e Luísa Melo, G124/05/2017 07h54)

Banco do Brasil (BB) obteve lucro líquido ajustado de R$ 2,649 bilhões no segundo trimestre, o que
representa um crescimento de 47,1% em relação ao mesmo período do ano passado. (Valor econômico
10/08/17) esse cara indicado pelo Temer é muito bom ou o BB era muito ruim?

Ou seriam questões do tipo. Em uma contrução de um óleo duto, na operação de escavação, tinha um
operador por turno e uma máquina, que faziam as escavações necessárias no dia. Ai o governo
preocupado em gerar empregos teve uma grande idéia. Abandonou a máquina, e deu uma colher a cada
uma das 4429 pessoas desempregadas para cavarem. Gerou emprego todo mundo aplaudiu a grande
idéia, teve até jogos internos com tocha olímpica, todos correram juntos, uma cena bonita,
emocionante a união. Em alguns anos o custo do óleo duto ultrapassou em 4710,1% o previsto, ao
analisarem, viram que a causa era a folha de pagamento, alimentação, atestados.... Resultado a
população que no inverno precisava do óleo para se aquecer não conseguia pagar o alto valor, e o
governo quebrado pois não pagou fornecedores não pode ajudar, todos pasasrão a usar a madeira de
suas próprias casa para se aquecer. No outro ano, ao chegar a primavera, usaram grande parte da
estação para reconstruir seus moveis e casas. NO outro inverno o problema continuou, ao chegar a
primavera, não haviam mais árvores, a população começou a brigar, um roubava o outro .....

Nada como uma crise para acordar!!Temos muitas colheres.

Grande parte do bancos públicos está em países pobres, fazem uso politico e eleitoreiro de sesus
recursos, para manter alguém no poder que manterá a pobreza. Afinal grande parte bancos públicos
estão em países pobres. Não sou eu que digo isso, refer~encias citadas como:.Sapienza (2002), , Dinç (2005), La Porta,
Lopez-de-Silanes e Shleifer (2002), Bartel e Harrison (2005).
Precisa privatizar tudo então?
Para não ser radical, afinal apesar de tecnicamente ser interessante e controverso ao mesmo tempo,
encontria muitas barreiras ideológicas e quantidade de zumbis e macacada gritando palavras de ordem,
e não argumentos para uma discussão técnica saudável, travaria toda pauta do congresso e manchetes
de TV.

Ficar como ta é suicídio, os dois bancos estatais são quase uma bomba atômica, nessa balada não se
sabe o total efeito destrutivo. Poderia ser gradual, inicialmente transformar BB e CE em apenas um,
falando que não é privatização, fecha agencias, congela salários e beneficios, quem quiser sai via PDV,
serviço não seriam comprometido. Após abre 49% do capital, altera estatuto da diretoria e do banco
com cláusaslas diminuindo interferência politica. Já seria um passo, uma diminuição do populismo, com
menos stress. Após um período avaliaria-s e a privatização total ou não.

O discurso ideológico “se não tiver a Caixa para investir em habitação e infraestrutura, como o Banco do
Brasil no crédito agrícola, não é o Bradesco e o Itaú que vão fazer."Bonito, soa bem a maioria, mas
tecnicamente errado e incompleto.
Transformando dois em 1, teremos os mesmo “benefícios” e a um custo muito menor, diminuindo
déficit da previdência de funcionários que comem dinheiro da população, menos papel (aos ecológicos),
imóveis desocupados (poderiam virar creches que faltam) melhoraria a eficiência do banco, pessoas
insatisfeitas com salários e plano de carreira poderiam sair com PDV. Com essa economia, poderia
remunerar o FGTS adequadamente, poderiam baixar taxas de juros internas, hoje bem superiores a
SELIC que vem diminuindo. Essa opção seria mais fácil até para agir com esse tipo de discurso populista.

Assim as milhares de pessoas que sustentam o estado, teriam mais acesso a crédito para ampliar
negócios e comprar casas próprias sem cunho eleitoreiro do tipo (de o peixe, não ensine a pescar),
inclusive agricultores.

Alias o dinheiro investido em habitação não é da caixa, é do contribuinte. Para isso não precisa nem de
banco, ou só retirar um percentual de qualquer banco. O crédito agrícola seria naturalemnte muito mais
barato se o governo tivesse menores taxas de juros da economia e melhores indicadores. Alias no EUA o
dinheiro para habitação e crédito agrícola e mais barato. Pelo discurso ideológico “socialista” os bancos
por lá são mais bonzinhos e responsáveis socialmente.

Engraçado não, através do capitalismo eles são mais sociais que BB e CE. Que tira proporcionalemte
retiram mais da população (núemros provam) e entrega menos (números provam). Improdutividade.

Ué, porque a a caixa não baixa os juros? Porque a caixa com o dinheiro retirado compulsoriamente lhe
paga juros abaixo da inflação? O que a impede de fazer isso para ajudar milhões? A ineficiência e a
politica da qual fazem parte. Já sei, é culpa do governo, sim a caixa é governo.

Esses dois bancos juntos sempre são os que definem o sindicato dos bancários, que faz uso político de
greves, em geral pensando em emnedar feriados, impede quem quer trabahar, até coloca uns mau
encarados giardando as agências, enchem de adesivos... calro sempre pedidno mais que a inflação e a
evolução do PIB. As empresas privadas do setor acabam tendo que seguir a greve, pois sabe como é, se
quiserem exercer o direito de trabalhar, o pessoal da democarcia faz corredor polonês, contrata uns
gurada costas... Como é coisa sindical/política e não necessariamente técnica, nem a policia garante
acesso ao trabalho.

Agencias paradas, prejudicando a vida de milhares de pessoas, dando prejuízo dos dias parados também
as instituições...

Depois ainda juízes criam leis imepdindo instituições particulares de demitirem, leis tentando preservar
trabalhos obsoletos... Não errei, juízes também estão tentando criar leis. Sem falar novamente da
justiça trabahista. Em suma para um gestor privado se torna bastante arriscado premiar os melhores e
excluir aos piores a exemplo do que acontece em qualquer nação desenvolvida..

Isso tudo é inificiência, mas um órgão publico ineficiente, tornando os privados ineficientes. Empresas
como HSBC já desistiram dessa loucura surreal.

Quando criticam um banco privado que só quer fazer dinheiro fácil, sem ajudar a produção, bem se
fosse dono de banco faria o mesmo, para que arriscar se pode ficar escondido atrás de uma taxa Selic,
de um governo que a mantém alta, literalmente você tira o dinheiro dos outros, palica no governo e já
está tudo certo.

O que é taxa Selic, dificilmente o professor “socialista” de história com pós doutorado saberia
responder e concluir que ela é apenas mais um reflexo da ineficiência publica, tirando dinheiro das
pessoas e dando aos bancos. E o Brasil é um dos campeões mundiais nisso. A conseuqência beneficiar o
capital improdutivo, e a causa ineficiência publica. Isso é vender o país, e não privatizar uma estatal. Um
monte de malandro vem por aqui pegar dinheiro fácil.

Planos de saúde sendo pagos integralmente ou subsidiados ao servidores é algo também meio surreal.
O estado já possui um plano que é o SUS, que todo servidor tem direito, aliás é gerenciado por eles. O
trabalhador e empregador da iniciativa privada, paga seu SUS, paga o salário do servidor, paga o SUS do
servidor, paga o déficit da previdência do servidor, paga o plano deficitário de aposentadoria
complementar compulsóriamente do servidor, paga seu p´roprio plano de aposentadoria se quiser, paga
o SUS do servidor e ainda querem que pague parte do plano de saúde particular do servidor. Se for fazer
uma pesquisa só falta descobrir que quem trabalha no SUS tem UNIMED pago pelo SUS, ops, pelo
contribuinte.

Outra pós verdade “O problema são os comissionadaos”, dismistificando: Em curitia por exemplo são
0,8%, em termos federais7 a cada 10 comissionados têm vínculo com o serviço público, diz Ipea. Vamos
pegar a Petrobras que mesmo com o monopólio e contrariando a premissa “o melhor investimento do
mundo é uma petroleira bem administrada, e segundo melhor uma petroleira mal administrada” , teve na
gestão de mais de R$100 bilhões de prejuízo, ter uma divida maior que o valor da companhi. Alguns
atores chaves. Como Nestor Cerveró, Paulo Costa, Graça Foster, todos concursados de carreira. Além das
proprinas conseguiram perder mais ainda em ineficiência. Tem também bons exemplos em vários outros
órgãos

Alias é possível acontecer qualquer desvio de dinheiro publico, sem a participação e ou omissão de algum
servidor?

Comissionadados, quantitativamente não são problemas, números provam, qualitativamente assim como
servidores podem ser um problema. Afinal quem ocupa vagas de ministro, diretorias, chefias, muitas vezes
não tem o menor preparo de gestão, acadêmico, ou de vivência na área, o que não é eficiente ... porém
deveriam existir servidores para isso, até para nortearema ação desses, e esses quando tem oportunidade
de ocupar os cargos como na Petrobras e também banco do Brasil, ficam mundialemnte famosos. E alguns
até presos. Vejam que é o abraço dos afogados.

Além do que um comissionado em cargo de chefia, se for concursado (70% dos casos) tende a ser
camarada com comapnheiros, afinal poderá voltar a ser subordinado de um colega no furuto. O
desempenho é facilemente relevado a segundo plano nesses casos.

Mostro objetivamente a ineficiência de classes, com números, fatos, obviamente existem pessoas
esforçadas e preparadas nos comissionados e servidores, mas até esses acabam se tornando menos
eficientes do deveriam ser, é o sistema, afinal o serviço publico consegue tornar toda cadeia produtiva
ineficiente, a privada e também dar um tiro no próprio pé. Afinal um servidor da Caixa também precisa
do DETRAN e vice versa, além de tornar até empresas de fora do Brasil menos eficientes quando
realizam negociações por aqui, tornando seus produtos mais caros. É contaminante. E tudo parece
normal.

Nossa quanta revolta! Não são soemnte com os números, é com o discurso vitimista do funcionalismo,
de um lado toda culpa é dos políticos e comissionados pelo mediocre serviço, dizem que não possuem
regalias, pedem respeito, mas mijam, gospem, invadem, impedem tarbalho, e ainda possuem grupos
com hipócritas correntes socialistas e muitos zumbis repetindo pós verdades. Pior estragam a
competitidade da indústria privada, e do páis por conseqüência.

Uma empresa privada de alto desempenho mundial por aqui aprende que é só passar toda a ineficiência
estatal para o produto e negociar com o governo uma barreira comercial aos concorrentes de fora,
fazendo com que consiga ganhar dinheiro, prometendo manter os empregos e não automaizar sua linha
de produção. Nisso tudo, obviamente com baixa produtividade temos gasolina, energia, inetrnet,
eletrônicos... entre os mais caros do mundo. E muitos zumbis repetem o mantra que a culpa é das
multinacionas.

Os regimes de progressão por titulação e tempo, a equiparação de salários para desempenhos


diferentes, a quase imposibilidade prática de demissão por justa causa, e falta de controle, desequilíbrio
com a CLT(que já é arcaica, porém mais eficiente que o estatuto do servidor) são convites claros a
ineficiência.

Um comparativo entre a CLT e estatuto geral do servidor e estatutos espeficicos de classes, daria um
texto, mostrando numericamnte a diferença de castas..

Veja que com dados objetivos, só se falou em termos macro, se fossemos fazer um acompanhamento
utilizando ferramentas six sigma, Lena, Gemba, e acompanhar a rotina diária de cada ente publico,
como ocorre normalmente em empresas wordl class, a descoberta de improdutividade seria ainda
maior.

Tem policiais militares, que dão a vida, bombeiros... sim, inclusive acredito que a maioria da população
mesmo ganhando bem não teria corajem de ser policial de frente e combater o crime ou por em risco a
vida num incêndio, realmente arriscam as vidas e merecem reconhecimento e recompensas por isso.
militares possuem uma vida social comprometida com as mudanças, em regra possuem bom
treinamento técnico, são referências em muitos caso, instituição respeitada pela sociedade. Esse
pessoal uma exceção, que inclusive em caso de morte em trabalho em alguns casos possuem poucas
garantias para família, não podem ficar se pronunciando politicamente e fazer greves.

Mas mesmo nesses casos, como coorporação são ineficientes.

Qual a taxa de solução via investigação de homicídios? Qual o custo médio da cocaína no últimos anos,
porque não aumentou se a demanda aumentou? Porque está havendo escalada da violência? Alémisto
o déficit previdenciário de entes públicos e maiores ainda entre os militares. Porque a iniciatva privada
além de já pagar or segurança deve gasta adcionalmente mais R$130 bilhões por ano em segurança
privada. Esse dinheiro obvimente vai para os produtos, até para as armas, coletes e munições que os
policias usam que ficam mais caros.

Mas o problema é complexo, depende de leis, material, suprimentos. Sim, mas fato é,as coorporçãoe se
mantém ineficientes, não entregam o que se espera delas. E mesmo que tivéssemos um 007, se viesse
trabalhar por aqui seria ineficiente.

No populismo o discurso é “vou defender o funcionário publico a todo custo” ou “o serviço publico
brasileiro é ineficiente em todas as esferas e necessita várias correções na legislação vigente para
corrigir distorções e decentemente servir a população, mostrar todos os dados comprobatórios de
ineficiência e propostas técnicas de melhoria ”. Quem ganha o voto, nos últimos 500 anos a opção 1.
Obviamente que ações de efiência na prática não agradam muitas opiniões, em epscial das acstas
envolvidas. Lembram aquela novela o caminho das Indias? É uma opção não fazer nada! As
consequência vêem de qualquer forma andando ou ficando parado.

Toda ineficiência descrita, dentro do maior grupo de gastos do governo, que são serviores e previdência
, possuem objetivamente a prioridade de ação. Reforma fiscal sem reformas da previdência e servidores
é só mudar o jeito de contabilizar a ineficiência. Como um governo sem eficiência pode arrecadar menos
e reduzir impostos ?

Quem sustenta o sistema está perdendo a capacidade pagadora e até mesmo a vontade pagadora. Mais
ou menos assim se fartaram dos ovos, esses estão acabando, o próximo passo é comer as galinhas. E
Depois?

Se nada mudar outros países agradecem. Alguns talvez não gostem, como Venezuela e Cuba que
tiveram bom aporte de recusros públicos por lá. Outros poderão ai sim comprar a preço de banana o
que quiserem.

Até procuradores da Lava Jato, que parecem ser trabalhadores, sérios, com preparo acadêmico, querem
aumento de 18%, em um país estagnado, além de manter privilégios de aposentaorias deficitárias ao
erário. Defendem isso para toda classe deles. Esse dinheiro sai de algum lugar e falta em algum lugar.
Melhorar eficiência é também manter o trabalho e usar menos recursos ou produzir mais com os
mesmo recursos. Alta eficiência prouri mais com menos recursos. Procuradores pelo bom trabalho,
mesmo os humanos acredito não cobrariam alta eficiência, apenas reduzir os custos do déficit
previdenciário entrando no teto e não aumentar com 18% nem 0%.

Mudando de assunto, mais uma pós verdade a que as mulheres por aqui ganham em média 30% menos
que os homens. Uma feminista ao ler essa frase já estaria reativa, ou zumbis repetindo e um humano
em poucos segundos já estaria pensando mas pera aí. Se é assim o negócio é só contratar mulher, saem
mais barato e trabalham igual. Diante de dois candidatos com o mesmo potencial, o patrão, é claro,
contrataria o mais barato. Será que está ai a solução para melhoria de produtividade? Em poucos
segundos também pensaria: "mas pera ai, pela lei trabalhista tenho que pagar equivalente senão
processam e facilmente ganham a causa”... ou os donos de empresas são tolos, e colocam o machismo
acima do lucro, ou a estatística é furada. Um ser humano que fugiu um pouquinho da educação
apontada acima (Gramsci) rapidamente faria mentalmente esses questionamentos.

Uma reportagem de LeandroNarloch , publicada em 12 maio 2015, desmistifica um pouco o assunto,


trazendo dados, fatos, estudos (que podem ser acessados)

Os economistas Guilherme Stein e Vanessa Sulzbach analisaram 100 mil salários e concluíram que as
mulheres brasileiras ganham 20% menos que os homens – mas só 7% não podem ser explicados pela
diferença de produtividade.

A pesquisa enfureceu feministas gaúchas, que escreveram artigos e textões no Facebook acusando os
autores de machismo e pediram a demissão dos diretores da Fundação. Em resposta, dezenas de
economistas assinaram um manifesto defendendo os pesquisadores. “Ficamos surpresos com uma
reação tão forte a um estudo que já foi replicado tantas vezes”, me disse o economista Guilherme Stein.
Vejam como as feministas são cultas “queremos a demissão”, fato é normal a muitas classes cheias de
opiniões e pouca realidade objetiva.Macacada fica estridente, não estou chamando ninguém de
cabeluda, nem colorida, afinal existem macacos lisinhos também, e coloridos, e até os que são mais
dóceis aos quais me desculpo, pois não seria o caso.
A conclusão do estudo converge com os dados da economista Claudia Goldin, de Harvard, especialista
em diferença salarial. Para os Estados Unidos, Goldin encontrou uma porcentagem um pouco menor
(5%) que não é explicada pela produtividade.

De acordo com os pesquisadores, principalmente dois fatores puxam o salário das mulheres para cima,
mas outros três o empurram para baixo (veja a tabela abaixo). As mulheres têm em média mais anos de
estudo e começam a trabalhar mais tarde. No entanto, interrompem a carreira com mais frequência,
têm uma jornada um pouco menor que a dos homens e tendem a se concentrar em ocupações que
remuneram menos.

Dos 20% de diferença salarial, 13% são explicados por essas razões. Ou seja: se homens e mulheres
trabalhassem as mesmas horas e tivessem o mesmo perfil, ainda assim as mulheres ganhariam 7%
menos. Como explicar essa diferença? Pode ser preconceito e discriminação por parte dos patrões, ou
algum outro fator ainda não revelado. O que se pode dizer é que o machismo dos empregadores diminui
o salário das mulheres em no máximo 7%.

A pesquisa não contraria bandeiras feministas, pelo contrário. “Os dados sugerem que a diferença
salarial diminuiria se os homens dividissem os afazeres domésticos com as mulheres”, diz Stein.r

Outra pós verdade “desmar a população diminui os índices de violência”, olhando uma reportagem de
Leandro narloc
“ O viés da confirmação (a tendência de valorizar e interpretar fatos e estatísticas de modo que
confirmem a própria opinião) está atuando com toda a força nas discussões sobre mudanças no
Estatuto do Desarmamento.,Pode-se afirmar, por exemplo, que países entre os mais pacíficos do mundo
baniram armas para uso pessoal. É o caso do Japão, onde a taxa de homicídios é de 0,3 por 100 mil
habitantes. (No Brasil, há oito armas a cada cem habitantes, e a taxa de homicídios é de 20 por 100 mil).,

Mas a afirmação contrária também é possível. Alemanha, Suécia e Áustria têm mais 30 armas de fogo
por cem habitantes – e taxas baixíssimas de homicídio. Honduras, o país mais violento do mundo, tem
proporcionalmente muito menos armas (seis a cada cem habitantes).”

Se aplicado estatsitica a questão é não necessáriamente existe correlação entre o armamento ou


desarmamento de uma população e e taxa de homicidios. No Brasil por exemplo o desarmamento da
população não trouxe benefícios, assim como na Venezuela também não.

Acredito que em alguma coisa a esquerda e esquerda do Brasil, uma vez que não existe direita, devem
concordar. Desarmar a população e não desarmar os bandidos não da certo. A letra e é condicional, os
dois ao mesmo tempo não da certo. Ou alguém tem dúvida? É oque acontece aqui.

E fossemos para um discurso de pelo menos permitir a defesa das pessoas com armas com menor
probabildade letal como spray de pimenta, e aparelhinho de choque , (com devida regulamentação
legal)? Afinal não permitir nada e deixar o outro lado com tudo não é lá muito de um sistema
democrático, soa mais um sistema populista com viés autoritário. Ou desarma todo mundo, ou arma
todo mundo, ou pelo menos possibilite meios de defesa,

Ai vem os “socialistas” e dizem “a melhor defesa é a prevenção. “ Então quer dizer que as pessoas
devem fazer muros, cercas elétricas, alarmaes, cameras, cachorros, portões duplos”. Realmente esse
pessoal não gosta de regiões e cidades inteira dos EUA sem muros. Afinal são o mostro capitalista. Claro
que lá também tem regiões de risco. Por aqui até condomínio fechado é região de risco!!

Uma vez que o estado não o faz de forma minimamente eficiente, e não se abrem perspectivas para que
isso aconteça a um curto prazo, pois demandaria mudança cultural (longo prazo) de entes públicos e
provavelmente investimentos, que necessitam recursos, em falta. Pelo menos dêem uja chance mínima
de defesa em caso de incidente.

Outra pós verdade ideológica “a grande maioria dos presos são vítimas da sociedade” “ presos são
vagabundos”. Nenhuma pesquisa prova de forma definitiva, clara e estratificada essas questões. Esses
pesuisas numéricas e outras de cunho ideológico (infelizmente formam mestre e doutrores com isso).
Enão a de supor que alguns presos são vitimas diretas da sociedade outros não, em qual procentagem?
Realmente tenho opinião pessoal, porém é só uma opinião, não necessariamente embasada e por isso
prefi-lo omiti-la. Também acredito que s pararmos sem ideologia é possível inferir que alguns presos são
vagabundo e outros não.

Para que discutir o que pode ser convergente ? Se são vagabundos ou não, se são vitimas da sociedade ou
não, são discussões úteis para planejamento, ações de médio e longo prazo, em um primeiro momento,
como solução de contenção a escalada de violência isso pouco importa.

Já falamos de armas. Ou desarma todo mundo, ou arma todo mundo, ou possibilte-se meios de defesa
pessoal a população além da prevenção. Mas pensando nos presos em especifico. O que não pode é um
preso sair mais caro que uma faculdade, (as do Paraná estão fora do comparativo, preso não sai R$9.000),
ou mais caros que um professor(a). Alguém de esquerda ou direita discorda disso? Para resolver isso é
deixar de tornar o preso deficitário,melhorar a eficiência do sistema prisional. Porque preso não pode
trabalhar e pagar parte do sistema? Provaria que não é vagabundo e facilitaria a sua reintegração a
sociedade, melhoraria a eficiência do sistema prisional e reduziria seu custo. Alguém de esquerda ou
direita discorda?

Já se tentaram ações a nível local, existem diversos exemplos mundo afora. Tecnicamente já se sabe o que
funciona e o que não funciona nesse aspecto em especifico. Com certeza membros da policia, forças
armadas e ministério da justiça tem conhecimentos detalhados sobre o assunto. Foca energia nisso que a
curto prazo se melhora, em paralelo deixa os ideólogos discutindo se são vitimas da sociedade ou não, se
podem usar telefone ou não, afinal numa democracia frágil (como afirma Camila Pitanga) a discussão vai
longe e qualquer ação não populista mais longe ainda!!

Veja que até aqui citamos os termos de direitas e esquerda, muitas vezes em parenteses de forma
proposital, semo detalhe do que significa cada um, e para quem acha que o autor condena a esquerda,
continuem lendo... condeno a falsidade intelectual a desinformação.

Vamos viajar? E se disse-se para desespero dos militares que Dilma e a Ditadura militar tem fatores em
comum, e se disse-se que Fidel e Lula possuem muito em comum além da admiração a Hitler. Que Lula
e Bolsonaro defendem pontos em comum. Falar isso a um zumbi ou a macacada é gerar ira, furia, ser
chamado de fascista. Mesmo que diversos fatos objetivos corroborem essas afirmações.

As crenças nas pós verdades que querem acreditar, levam as pesoas a achar que são de esquerda ou
direita. Ou seja creio em algo, mesmo que os fatos digam contra, e acho que sou outro algo, mesmo que
novamente fatos sejam contrários.

Nesse caso estaria contrariando os fatos ao quadrado.

Alias será que só existem os concveitos de esquerda e direita para definir um posiciobnamento politico.

Para chegar lá é preciso estudar um pouquinho de história, como surgiram os nomes esquerda e direita,
e mais importante como surgiram esses conceitos. Verificar que a visão não se resume a uma linha, e
que quem pensa somente da esquerda para direita ou vice versa o estado engole.

Começando com um texto de Davi Caldas ,http://www.mundoanalista.com/2013/01/confusoes-


classicas-sobre-direita-e.html, com um pouco de conteúdo critico que não é normalmente encontrado
na wikepedia, nos livros textos permitidos pelo MEC ou na TV aberta e jornais populares.
“Em qualquer site ou livro de história geral que o leitor for procurar informações sobre a origem da
esquerda e da direita, o resultado será o mesmo: esquerda e direita são dois termos que surgiram na
época da revolução francesa (1789-1799) para distinguir posições conservadoras (direita) das posições
radicais (esquerda), no âmbito da política.
Essas informações não estão erradas. Contudo, é necessário desfazer algumas confusões clássicas que
costumam obscurecer o entendimento do que os dois termos, de fato, significam.
A primeira confusão que precisamos desfazer é a seguinte: o que surgiu na época da revolução francesa
não foram as definições do que é direita e esquerda, mas somente os termos direita e esquerda. Existe
uma diferença abissal entre uma definição de algo e o termo usado para nomear esse algo.
Perceba que o termo não é a mesma coisa que a definição. E note que a definição do objeto pode surgir
antes do termo que o nomeia. Na verdade, isso é o que geralmente acontece, sobretudo, no campo das
idéias. Quando o capitalismo surgiu, não tinha esse nome. Foi Marx que passou a designá-lo assim
depois de tê-lo observado e entendido a sua definição. O cristianismo, quando surgiu, também não
tinha esse nome. O termo só começou a ser utilizado posteriormente.
No entanto, a maioria esmagadora das pessoas não percebe esse pequeno detalhe e acabam
acreditando que tanto as definições como os termos do espectro político foram criados na revolução
francesa. O resultado dessa confusão são explicações incoerentes como essa:
Direita e esquerda surgiram na revolução francesa quando o rei absolutista da França convocou os
estados gerais para uma assembléia. Aqueles que eram favoráveis à conservação do poder absoluto do
rei e dos privilégios da nobreza ficavam à direita do rei, enquanto que aqueles que queriam a derrubada
do poder absoluto e dos privilégios da nobreza sentavam-se à esquerda. Assim, passou-se a denominar
de direita quem é a favor da conservação dos poderes e privilégios da elite e de esquerda quem é contra
essa conservação.
Não, não, não! Está tudo errado. Aqueles que eram a favor da conservação do poder absoluto do rei e
dos privilégios da nobreza eram partidários não do pensamento de direita, mas do pensamento do
antigo regime absolutista. Dizer que a direita era uma ideologia que apoiava esse antigo regime é a
mesma coisa que dizer que a direita existe desde os primórdios da humanidade. Afinal, desde o início
existiram reis com poderes absolutos e uma nobreza com privilégios.
Mas assumir que a direita existe desde os primórdios da humanidade não apenas contradiz a própria
explicação de que ela surgiu na revolução francesa como contradiz a idéia de que ela ainda existe hoje.
Ora, o antigo regime absolutista já foi derrubado em todos os países. Ainda há muitas ditaduras, por
certo, mas não se tratam das monarquias absolutistas antigas. Se considerarmos, ainda, que a direita se
caracteriza por ser elitista, então devemos considerar que os próprios governos comunistas que
existiram no mundo foram de direita, pois havia em todos eles uma elite do governo que tinha seus
salários garantidos, que não passava fome (como parte do povo passava), que não abria mão de seus
poderes, que não ia à guerra e etc. Isso não é um governo elitista?
A verdade é que todo o governo é, por definição, elitista. Mesmo o governo de direita ou o mais
esquerdista. Afinal, de contas o governo é formado por políticos que jamais passarão o que o povo
passa. A dita esquerdíssima Dilma Rousseff, exl presidente do Brasil, por exemplo, não vai ficar
desemaparada, não vai receber salário baixo, não vai passar fome, não vai ser presa injustamente, não
vai ser assaltada na rua, não vai ter sua casa roubada, não vai precisar esperar em fila de hospital
público. Jamais.
Se uma epidemia de alguma doença grave atingir qualquer país, os políticos serão todos vacinados. Se
houver uma guerra, eles não serão convocados para batalhar. Se a guerra causar fome generalizada,
tenha certeza que nenhum político morrerá por não ter o que comer. Ser político garante privilégios que
o povo não tem. Isso caracteriza elitismo.
Então, fica claro que é incoerente dizer que os defensores do antigo regime eram de direita ou que a
direita é o posicionamento que defende o elitismo. São idéias que não fazem nenhum sentido lógico. Da
mesma maneira, é incoerente dizer que esquerda é a oposição ao antigo regime ou que é o
posicionamento que ataca o elitismo.
A pergunta que pode surgir agora é: “Mas, então, o que eram os defensores do antigo regime e os
contrários a ele?”. Bem, os defensores do antigo regime absolutista eram simplesmente os defensores
do antigo regime absolutista. Não eram de esquerda, nem de direita, nem de centro. Eram absolutistas
antigo regime monárquico, sobretudo o absolutista, era um regime baseado em premissas que hoje nos
são estranhas. O rei era rei e era absoluto porque ou Deus assim queria (apelo à religião), ou porque ele
conquistou esse poder com seus exércitos (apelo à força) ou porque “sempre foi assim e deve continuar
sendo assim, não importando se é bom ou ruim” (apelo à tradição) ou mesmo por todos esses motivos
juntos. Nesse tipo de regime, não havia ideologias ou propostas de mudanças. Não havia livre discussão
de idéias dentro lei. Não havia um plano de governo ou um objetivo político. Não havia partidos. Não
havia direita. Não havia esquerda.
Direita e esquerda são modos de pensar que não fazem sentido dentro do antigo regime absolutista.
São ideologias que se desenvolveram para existir dentro de um novo regime político. A discussão entre
direita e esquerda não é e jamais foi uma discussão entre o novo e o antigo regime. Tanto direita como
esquerda já são parte do (e só fazem sentido no) novo regime.
Quanto aos que eram contrários ao antigo regime e, portanto, favoráveis ao novo, eles poderiam ter
uma orientação tanto de direita como de esquerda. Não há contradição aqui, porque direita e esquerda
eram, ambas, de um novo regime que lutava para vencer o absolutismo. No caso da revolução francesa,
a grande maioria dos revolucionários era de orientação esquerdista.
Os motivos da adoção dos termos
Certo. Entendemos que os termos direita e esquerda surgiram na revolução da França, mas não as
definições. Entretanto, alguém pode levantar uma objeção, dizendo que um termo só surge quando a
definição já está pronta. Ou seja, se os partidários do antigo regime foram chamados de direita e os
opositores foram chamados de esquerda é porque as definições eram essas mesmas. Mas isso está
errado. Direita e esquerda eram, no início, apenas as alas da assembléia onde os franceses sentavam.
Nesse sentido, sim, os partidários do antigo regime eram da direita (a ala direita) e os opositores eram
da esquerda (a ala esquerda).
A adoção dessas palavras como termos que designavam ideologias políticas só ocorreu posteriormente
e necessitaram se adaptar às definições reais de cada uma dessas ideologias. A base, é claro, ficou. A
direita é a ideologia mais conservadora e a esquerda é a ideologia mais radical. Mas, afora essa idéia
básica que os termos carregavam desde a revolução francesa, não há nada do contexto da revolução
que sirva para definir cada uma dessas ideologias.
Vamos ver alguns exemplos. Todo mundo sabe que a revolução francesa foi uma revolução burguesa. A
burguesia, na época, era uma classe ainda em ascensão e que era muito atrapalhada pelos privilégios da
nobreza e o amplo poder do rei. Ora, se formos considerar que a definição de esquerda e de direita
surgiu na revolução francesa, então devemos concluir que a esquerda deveria ter sido sempre favorável
à burguesia. Porém, o marxismo, que é a mais importante doutrina da esquerda, se opõe à burguesia.
Seria o marxismo de direita, então?
Da mesma maneira, todo mundo sabe que os partidários do antigo regime eram totalmente contrários à
limitação do poder do Estado (representado pelo rei). Se formos considerar, então, que a definição de
esquerda e de direita surgiu na revolução francesa, devemos concluir que a direita deveria ter sido
sempre contrária à limitação do poder do Estado. Porém, o partido republicano dos EUA, que é de
direita, por exemplo, jamais teve tal postura. Pelo contrário, seus políticos costumam defender um
Estado que não se meta muito na vida do cidadão e das empresas, a fim de que o poder do
governamental não aumente. Seria o partido republicano de esquerda, então?
Os exemplos não deixam dúvidas de que para definir direita e esquerda nós não devemos olhar para a
revolução francesa. A revolução francesa apenas serve como base para nomear definições já existentes;
definições que já vinham se desenvolvendo desde muito tempo.
O desenvolvimento das ideologias
Chegamos, enfim, ao ponto em que cabe perguntar: “Quando foi que surgiram as ideologias de direita e
esquerda?”. Bem, acredito que utilizar a palavra “surgiram” não reflete muito aquilo que realmente
aconteceu. “Surgiram” dá a impressão de que elas passaram a existir de repente, do nada. Mas a
verdade é que as ideologias que viriam a ser chamadas de direita e esquerda foram se desenvolvendo
gradualmente ao longo dos anos até estarem bem definidas e poderem receber os nomes que hoje
conhecemos.
Podemos entender esse processo da seguinte maneira: o antigo regime começou a se tornar alvo de
muitas críticas entre os séculos XVII e XVIII. Pensadores passaram a formular teorias políticas em que
esse sistema absolutista seria abolido e daria lugar a algum sistema mais igualitário e justo. Entre os
intelectuais, o antigo regime começou a perder muitos adeptos. A nova leva de pensadores tinha um
pensamento em comum: o sistema político deveria ser mudado. Da forma como estava não dava.
Esse é o ponto de partida. Os novos pensadores concordavam que deveria haver uma mudança no
sistema. Mas como seria o novo sistema? Quais seriam as funções do governo? Como se poderia evitar
que os governantes se tornassem déspotas? Qual era o limite de atuação do Estado? Como o Estado
poderia resolver os principais problemas que a sociedade passava? Quais seriam os métodos utilizados?
Quais eram as melhores propostas de governo? Como encarar as novas mudanças que surgiam, como a
criação de indústrias, o crescimento do comércio e as novas tecnologias?
Foi a partir desses questionamentos que os novos pensadores que iam surgindo passaram a ter
divergências entre si. Afinal, cada um tinha uma proposta diferente. Cada um enxergava a sociedade de
uma maneira distinta um do outro. Entretanto, as diversas idéias diferentes que surgiram na época
sobre como deveria ser o novo sistema podem ser divididas em dois grandes grupos: o grupo humanista
e o grupo pessimista
Os humanistas eram aqueles que achavam que o ser humano tinha plena capacidade de remodelar toda
a sociedade, tornando-a um paraíso. Muitos dos humanistas eram deístas, agnósticos e ateus. Então,
isso facilitava o antropocentrismo. O homem tinha suas qualidades elevadas e passava a ocupar o lugar
do próprio Deus, tornando-se capaz de redimir a humanidade.
Já os pessimistas eram aqueles que achavam que o ser humano é da forma como tem sido desde
sempre. Essa visão não estava relacionada com a religião, mas sim com a observação de como o mundo
sempre foi e de como o homem costuma a agir. Paixões infames, inclinações ao mal, tendência ao
egoísmo… Mesmo alguns pensadores ateus, agnósticos e deístas não tinham dificuldade de ver que essa
era a natureza do ser humano. Assim, embora tais pensadores defendessem a criação de um novo
regime, mais justo e não-despótico, não acreditavam muito na bondade do homem e em uma
transformação tão ampla da sociedade.
Há também um meio termo nessa história. Muitos pensadores se dividiam entre idéias de ambos os
grandes grupos, ficando no centro desse espectro. É no interior desse espectro que as noções de direita
e esquerda começam a surgir (embora não com esses nomes ainda). Pensadores como Adam Smith,
David Ricardo, Edmund Burke, Thomas Jefferson, John Locke e Voltaire foram muito importantes para o
desenvolvimento das idéias da direita. Já pensadores como Rousseau, Robert Owen, Saint-Simon,
Charles Fourier, Robespierre, Danton e Marat foram muito importantes para o desenvolvimento das
idéias de esquerda. No centro do espectro, podemos colocar Montesquieu, já que ele teve idéias que
foram cooptadas tanto pela direita como pela esquerda.
O desenvolvimento das ideologias continua mesmo depois da revolução francesa, ganhando novos
pensadores como Comte, Proudhon, Bakunin, Marx e Engels para esquerda, bem como Tocqueville,
Hume, Mill e Popper para a direita. Caso o leitor tenha algum conhecimento sobre esses autores, pode
perceber que todos eles seguem as mesmas duas linhas de raciocínio que foram desenvolvidas no
século XVII e XVIII: a humanista e a pessimista, que deram origem, respectivamente à esquerda e à
direita.
Por que esclarecer esses pontos?
O leitor pode estar se perguntando a razão de se esclarecer esses pontos. Qual é o problema de se
confundir o aparecimento das palavras direita e esquerda como termos políticos com o surgimento das
ideologias e definições em si? No fim das contas não dá no mesmo? Não, não dá.
Entender como essas duas ideologias distintas e opostas se desenvolveram é algo essencial para que
possamos defini-las corretamente. Por exemplo, movimentos como o fascismo italiano e o nazismo
alemão tem sido rotineiramente chamados de movimentos de extrema-direita. Mas isso não faz
sentido. Afinal, a direita prega, desde seu início, o individualismo, o Estado pouco interventor, a
prudência política e um forte ceticismo em relação à bondade do ser humano e a qualquer projeto de
remodelação radical deste mundo. Assim, um regime de extrema-direita deveria ser um regime que
levasse esses princípios ao extremo.
Contudo, o que vemos em regimes como o fascismo e o nazismo é justamente o contrário. Foram
regimes coletivistas, fortemente interventores, adeptos de um terrível radicalismo político, defensores
da perfectibilidade do homem de sua “raça” e crentes em uma remodelação completa da sociedade
através da mão do Estado. Curiosamente, características que fazem parte justamente da esquerda,
embora extremadas.
A pergunta é: o que há no fascismo e no nazismo que se assemelha com o que a direita defende? Não
há nada. As justificativas para que tais regimes sejam colocados no campo da direita são sempre
confusões como as que abordamos nessa postagem. Diz-se que a direita é elitista porque se classifica o
antigo regime como direita. Assim, nazismo e fascismo passam a ser de direita.
Diz-se que a esquerda é contrária ao elitismo porque se ignora que todo governo é elitista por definição
e que os governos mais esquerdistas que existiram no mundo (os comunistas) foram também os mais
elitistas. Assim, o comunismo é visto como um regime realmente igualitário, em oposição ao nazismo e
ao fascismo.
Diz-se que ser de esquerda é, necessariamente, ser comunista. Assim, nazismo e fascismo, que eram
anticomunistas, passam a ser tão de direita quanto os governos dos EUA e da Inglaterra da época da
segunda guerra mundial.
Por fim, definições errôneas que só existem e persistem porque não se faz uma distinção entre o
surgimento de termo e definição. Esta é a razão pela qual é importante esclarecer esses pontos para o
leitor. E o leitor que for honesto consigo mesmo, verá que em momento algum tentei fazer um
revisionismo histórico (no sentido pejorativo da palavra), mas apenas resolver as inconsistências que
existem nas definições populares de direita e esquerda, que são baseadas nessa confusão entre termo e
definição.”
Pelo texto alguns mitos são esclarecidos:
 A esquerda não surgiu defendo o fim do elitismo, assim como a direita também não.
 A esquerda e direita não tiveram suas origens no povão e sim nos burgueses.
 A esquerda e direita tiveram suas origens nas mesmas correntes de pensamentos iniciais
 Facismo, Comunismo, Nazismo, possuem mais semelhanças do que diferenças (estado
comanda e decide tudo, existência de um líder máximo).
 Direita e esquerda não compactuavam com a Monarquia absolutista.
 Verificamos que esquerda e direita possuem várias semelhanças. Como a intenção de
derrubada da monarquia absolutista.
Durante a Revolução Francesa, houve o período da contrarrevolução, rei Luís XVI. Após esse período de
muita desordem, uma nova Assembléia Nacional Constituinte teve que ser formada para preparar uma
nova constituição.
Surge então a Convenção Nacional (ou simplesmente Convenção), que tinha os jacobinos (partido de
esquerda representado pela pequena e média burguesia, liderado por Robespierre) como maioria entre
seus membros. Para fins legislativos e administrativos a Convenção criou - entre outros - o Comitê de
Salvação Pública e o Comitê de Segurança Pública.
A Convenção Nacional perdurou de 20 de setembro 1792 até 26 de outubro 1795. Foi sucedida pelo
Diretório, que teve início em 2 de novembro de 1796.
A mobilização dos exércitos da assembléia francesa. Em conseqüência ao predomínio das alas radicais, o
novo governo ordenou a execução de Luís XVI em janeiro de 1793.
O Comitê de Salvação Nacional era responsável por conter as revoltas internas (ver: Revolta lionesa
contra a Convenção). O Comitê de Salvação Publica comandava os exércitos e administrava as finanças
públicas. Por último, o Tribunal Revolucionário prendia e julgava os traidores da revolução.
A instabilidade política e o clima de desordem pioraram entre 1793 e 1794. Sob o mando de Robespierre
o chamado Terror se instalou nas ruas de Paris. Várias pessoas, consideradas traidoras do ideal
revolucionário, foram julgadas e executadas sumariamente. Várias leis de forte apelo popular foram
instauradas.
O tabelamento dos preços, estabelecido pela Lei do Preço Máximo, tentava controlar o processo
inflacionário da economia. Vários bens da Igreja e da nobreza foram vendidos em leilões públicos. O
ensino público gratuito também foi outra grande medida dos revolucionários jacobinos. No plano
exterior, ordenaram o fim da escravidãocolonial incentivando novos processos de independência no
continente americano.
A onda de prisões e assassinatos, a pressão das forças militares externas e o enfraquecimento da
economia causaram a desorientação dos radicais. A desordem chegou a tal ponto que os próprios
jacobinos foram vitimas de perseguição política. Perdidos no calor dos problemas que afligiam a
revolução os jacobinos pereceram frente ao golpe político.
Também nesse período havia o Sans-cullotes¹: pessoas populares que faziam parte da plebe urbana.
Usavam uma espécie de gorro vermelho na cabeça. Promoviam agitações nos centros, defendendo
medidas populares. Eram violentos e por terem interesses em comum os Jacobinos, eles se aliaram.
Em resumo
Um governo com forte apoio popular inicial, conseguiu o apoio popular baseado nos ideais ilumistas
"Liberdade, Igualdade e Fraternidade", implantou o ensino publico gratuito, foi contra a escravidão,
todos os homens maiores de idade votavam, mulheres não tinham esse direito. Foi estabelecido a lei do
máximo, onde especificava o valor máximo para salários e preços. A reforma agrária, teve início com a
venda das terras da nobreza e da Igreja, sendo estas divididas em lotes menores e vendidas por um
preço acessível a população. Houve a extinção da escravidão dos negros nas colônias francesas, dentre
outras resoluções, governod e forma ditatorial., usaram a pena de morte com guilhotina, matando o rei
e quem se opunha ao regime, fizeram leis de forma compulsória (sem discussão), financiaram aumento
das forças armadas, não conseguiram controlar a inflação, criaram caos social e politico. Durou poucos
anos, perdendo apoio popular. Alguma semelhança com Venezuela ou em partes com Dilma?

Em 27 de julho de 1794, os girondinos retiraram Robespierre do comando do poderoso comitê de


salvação pública, e por consequência, da própria Convenção, até então atemorizada com as mais de 5
mil execuções. As leis populares foram revogadas e uma nova constituição elaborada.
Os setores populares foram excluídos dos quadros políticos. O novo governo seria exercido por um
diretório escolhido por cinco membros escolhidos pelos deputados. Defensores de um sistema
republicano moderado, os girondinos eram favoráveis a exclusão dos mais pobres das eleições. Em
1795, implantaram o sistema de voto censitário (baseado em rendas) na França.
Durante o Diretório, Napoleão Bonaparte, um general popular que havia lutado na Revolução, deu um
golpe de Estado em 1799 e tornou-se imperador. Esse golpe teve o apoio do Exército e da burguesia e
foi uma forma de deter tanto as intenções mais radicais dos populares, quanto os desejos da nobreza e
do clero de manterem seus privilégios.

Com Napoleão inaugurou-se, então, um outro período da história da França, em que as ideias e
conquistas da Revolução Francesa foram usadas para fortalecer o poder desse imperador. Assim,
Napoleão, além de pretender controlar a França, quis conquistar o mundo, sob o pretexto de levar as
conquistas da Revolução a outros países.
Vejam objetivamente a França passou em curto período de tempo pela monarquia absolutista, pelo
governo de extrema esquerda, por um governo de direita conservadora e por um Napoleão (populista) e
em nehum dos casos, os objetivos prometidos a nação como Liberdade, Igualdade e Fraternidade foram
cumpridos. O povo foi apenas massa de manobra em todos os casos. Zumbis, macacos!
Isso quer dizer que Monarquia, Esquerda, Direita e Populismo não são bons? Que nenhum funciona?
Exatamente, mesmo atualemnte depois de séculos, se você não tiver seu pensamento organizado, com
ao menos pequena base lógica e critica, nenhum dos sistemas irá funcionar. Porque você irá votar em
politicos prometendo os ideais da revolução e continuará trabalhando para manter o sistema seja ele
qual for.
Monarquia absolutista - acredito que nem vale muitos comentários, sistema atualemente longe da
realidade da maioria da população mundial, sem perspecivas concretas de volta em massa.
Esquerda - objetivamente o governo jamais cumrpiu os ideais iluministas, afinal não havia liberdade, ou
se pensava da mesma forma ou morria, Igualdade também não, afinal você não poderia deter o poder,
pois esse pertencia aos Jacobinos, se tentasse era morto, as mulheres não tinham seus direitos
reconhecidos e fraternidade não houve, pois as perseguições, violência, morte e caos social dominaram
o período, fraternidade com 5000 mil mortes?. A violência e a radicalização política são as marcas desta
época.
Governo de direita conservadora - Foi um governo rápido, sem muito apoio popular, estabilizou
relativamente a questão do radicalismo social, melhorou a macro econômia, porém também retirou
direitos dos mais pobres a voto e outros direitos. Período mais estavel, porém sem perspectivas de
acessão e participação da classe baixa.
Governo Napoleão - popularidade, conseguiada pela empatia com a população e das classes
dominantes, manteve privilegio dos ricos e seus, deu alguns direitos aos pobres, houve sentimento de
orgulho nacional devido as conquistas territoriais.
Ai alguns macaco ou zumbi de plantão podem dizer,se a esquerda tivessem completado a revolução
daria certo. Então quer dizer que o fim justifica os meios, se for preciso matar que seja feito pela
revolução. Estilo Fidel e ditador Coreano?
Ou que Napoleão se tivesse continuado sua obra dominaria o mundo e todo mundo viviria a Igualdade,
fraternidade. Ou seja se desse certo seria até melhor que a esquerda, pois seria em todo mundo e não
só na França
Ou ainda, tudo era dificil, mas estava em paz antes dessa revolução acontecer, então seria melhor
deixar tudo como tava antes e colocar um Rei simbólico ou não mecher muito e deixar alta Burguesia
comandar.
Qual a racionalidade humana em qualquer um desses apoios? matar, degola, poder absoluto, não dar
chance de crescer aos menos favorecidos?
Vejam que todos os sistemas apesar de diferenças, possuiam algo em comum. Estado grande, dando as
regras, e na mão de poucos.
Qual o resultado em todos esses casos: O mesmo, sem Igualdade, Sem fraternidade, Sem liberdade. Ou
alguém acredita que se compeltassem a revolução e ficassem no poder tudo estaria resolvido? Olhem
Cuba e os dados apresnetados!
Vejam como tudo é possível com um povo ruim das idéias, que ficou tipo zumbi seguindo líderes que
repetiam o mantra Igualdade, Liberdade, Fraternidade. Uma enorme massa de manobra.
Fica evidente que a esquerda, direita e populismo não funcionaram nesses casos, não estou emitindo
opinião e sim um fato histórico. E de todos os exemplos citados, apenas um não usou slogan populares.
Que foram os Girondinos. Que também obviamente deixou a desejar na área social não dando chance
aos menos favorecidos.
Os demais todos tiveram slogans de efeito popular, que nunca foram cumpridos e promoveram
matança dos opositores.
O fato é que, para fugir das simplificações sobre essas concepções políticas, o melhor caminho é estudar
o pensamento dos teóricos de cada lado, bem como analisar os fatos históricos ocorridos em regimes
onde prevaleceram a perspectiva da direita e a perspectiva da esquerda.
Entre os principais teóricos de direita, estão Edmund Burke, Samuel Johnson, Russell Kirk, Adam Smith,
Irving Babbit, Ortega y Gasset, Ludwig von Mises e Raymond Aron. Entre os pensadores de esquerda,
encontram-se Karl Marx, Friedrich Engels, Mikhail Bakunin, Vladimir Lênin, Leon Trotsky, Errico
Malatesta e Antonio Gramsci.
Karl Marx, talvez o mais lembrado nome, dos estudantes e professores, construiu toda a sua teoria em
cima de uma idéia errada herdada dos economistas clássicos: A teoria do Valor Trabalho. Segundo a
teoria do Valor Trabalho, o valor real de uma mercadoria era definido pela quantidade de trabalho
investido na sua produção.

Com base nisso, Marx arroga ter descoberto o conceito da Mais Valia que dizia o seguinte: Se a
mercadoria vale a quantidade de trabalho investida na sua produção, para que o patrão, que não
trabalha diretamente, tenha lucro, ele precisa pagar aos funcionários, um valor menor do que o trabalho
que eles investiram na produção da mercadoria. Dessa forma os patrões exploram o proletariado.

Porém Marx estava errado em vários pontos, desde o diagnóstico do problema, até a sua solução. A
Teoria do Valor Trabalho foi refutada pela teoria da Utilidade Marginal, desenvolvida simultaneamente
por três economistas: Stanley Jevons na Inglaterra, Leon Walras na França e Carl Menger na Áustria. Os
três, ao mesmo tempo, em países diferentes e praticamente sem entrar em contato um com o outro,
perceberam que o que confere valor a uma mercadoria não é o trabalho, mas a sua utilidade.
Uma mercadoria que exigiu muito trabalho pra ser produzida não terá nenhum valor se não for útil.
Portanto, é a utilidade que as pessoas conferem às mercadorias que determina seu valor. Os custos de
produção, entre eles o do trabalho, é que precisa se ajustar aos preços de mercado.

Especula-se que este desmascaramento esteja por trás da atitude de Marx de adiar a publicação dos
volumes seguintes da sua obra máxima: O Capital, que só foram publicados após sua morte, por Engels.

Outros economistas posteriores como Ludwig von Mises e Friedrich A. Hayek dariam mais detalhes
sobre a inviabilidade do socialismo, explicando que dessa forma, a única maneira de medir a utilidade
de um produto é através do mecanismo de oferta e demanda do livre mercado.
A utilidade ainda hoje tem valia, porém vários segmentos sabem que os melhores resultados, estão
quando se consegue estimular o desejo, mecher com o desejo das pessoas, algumas vezes independente
da utilidade ou em consonância com essa.
Se o livre mercado é suprimido, não há o mecanismo de oferta e demanda, se não há livre equilíbrio
entre oferta e demanda, a economia se torna um caos. Por isso, abolir o mercado e concentrar as
decisões econômicas no estado que tenta calcular o preço das mercadorias com base no trabalho é
impossível e tende ao fracasso. Alguém lembra do desastre Sarney ao tentar congelar os preços a força
pelo estado? Ou dos Jacobinos na revolução Francesa, ou da Venezuela sem papel higiênico, ou ainda
no desastre Cubano sem aspirina.
Com base na sua ideia de Mais Valia e de exploração do proletariado, Marx previu que a situação dos
trabalhadores iria se deteriorar cada vez mais. Como, segundo Marx, para garantir o lucro do patrão, o
valor das mercadorias é vendido sempre acima daquilo que os trabalhadores recebem para produzi-las,
o custo de vida destes aumentaria cada vez mais.

Isso iria gerar ciclos econômicos e crises frequentes, com cada nova crise sendo pior que a anterior, até
que chegaria o momento em que o capitalismo entraria em total colapso, os trabalhadores se
revoltariam, fariam uma revolução e implantariam o socialismo.

Só que nada disso aconteceu. Na verdade aconteceu o inverso. Alemanha, Republica Thceca, URSS,
Hungria, Polônia ....
O capitalismo é marcado por crises constantes sim, porém países com bons indices de produtividade,
tendem a sair mais fortes das crises. Finlândia, Inglaterra, Coreia do Sul, Japão...
Muitos países que você imagina serem vitimas do capitalismo já tiveram regimes de inspiração
socialista. Só no continente africano: Angola, Moçambique, Benin, República do Congo, Etiópia e
Somália tiveram suas economias destruídas por regimes comunistas que duraram vários anos e quase
todos continuaram tendo economias bastante controladas pelo estado mesmo depois disso. Baixos IDHS
Seu professor esquerdista também deve ter falado pouco sobre regimes de inspiração socialista na Líbia
e no Iêmen. Sobre o partido Baath no Iraque e na Síria. Que países que fizeram parte da União Soviética
e que mantiveram um modelo parecido, mesmo com o fim do comunismo, como é o caso do
Uzbequistão, tem a maioria da sua população na miséria.

Também não deve ter falado nada sobre como políticas socialistas devastaram o Zimbábue. Nem que a
Índia, país que concentra a maioria dos miseráveis do mundo, por quase 40 anos teve uma sucessão de
governos populistas, paternalistas, intervencionistas e que se inspiravam na economia soviética.
Durante todo este período o país esteve completamente estagnado e só começou a crescer nos anos 90,
justamente depois que o governo promoveu amplas reformas liberais, que apesar de tímidas, já
conseguiram reduzir drasticamente a miséria no pais.
Alguns regimes foram letais ao extremo. É o caso do Khmer Vermelho no Camboja que conseguiu
exterminar nada mais, nada menos que um terço da população do país.
Estima-se que os regimes comunistas ao longo do século XX tenham matado pelo menos 100 milhões de
pessoas em todo mundo. Alguns podem até contestar esse número, mas precisam admitir que é
impossível esconder tantas mortes varrendo tudo pra debaixo do tapete. Crimes de tamanhas
proporções deixam rastros visíveis demais para serem ignorados.

Este número inclui não só as pessoas que foram mortas pela repressão típica destes regimes totalitários
mas também em consequência de suas políticas econômicas desastrosas, tais como os confiscos que
resultaram na fome russa de 1921 e no Holodomor ou a coletivização forçada do campo, implementada
por Mao Tse Tung que resultou na Grande Fome Chinesa e por sua vez matou cerca de 20 milhões de
pessoas
Do outro lado, (direita) comecemos por Adam Smith, que está para o liberalismo econômico como Marx
está para o comunismo e o socialismo. Em sua obra, defende que o liberalismo econômico se caracteriza
pela organização da economia com base no individualismo, compreendido aqui como o resultado da
iniciativa econômica individual em ocorrência múltipla, como os galos tecendo a manhã no poema do
comunista João Cabral de Melo Neto.
Tais ações/iniciativas levam a uma total descentralização das decisões econômicas, que se atomizam no
maior número possível de indivíduos com a menor interferência possível de instituições ou organizações
coletivas. É nesta soma de capacidades individuais, de busca da prosperidade e desenvolvimento
econômico ocorrendo simultaneamente em diversas áreas e direções que residiria a capacidade de
gerar riquezas. Esta proposição já foi confundida com um elogio da ganância, mas certamente não é.
Trata-se da valorização da liberdade econômica e da meritocracia que traria benefícios para toda a
sociedade, regulando excessos através da soma de interesses particulares e da concorrência, em uma
auto regulação que tenderia ao equilíbrio. No entanto, embora defenda a baixa interferência de
governos na economia, defende também que o Estado tem um papel legítimo no fornecimento de bens
públicos.
Outro nome de peso nesta gaveta ideológica é John Locke, que tem reflexões importantes sobre a
origem e a natureza do conhecimento, sobre o Estado liberal e a propriedade privada. Também
formulou um severo questionamento sobre o direito divino dos reis. Para Locke, todos os homens, ao
nascer, tinham direitos naturais – direito à vida, à liberdade e à propriedade (no mínimo, a propriedade
de sua própria força de trabalho, o que tornava – e continua tornando – a escravidão e a servidão
inaceitáveis). Foi para garantir, da melhor maneira possível, que esses direitos naturais se realizassem
que os governos foram criados. No caso de um governo que não respeitasse a vida, a liberdade e a
propriedade, seria legítimo o povo revoltar-se contra ele e não aceitar decisões arbitrárias.
Estes conceitos evoluíram e deram origem ao moderno estado capitalista (liberal) que teve no governo
de Margaret Thatcher uma aplicação radical. Já há alguma distância (temporal) do calor dos eventos, o
que permite fazer uma avaliação melhor do que significou aquela experiência.
Em primeiro lugar, seu governo teve início em 1979 após um longo período (30 anos) de predominância
das ideias socialistas de gestão que, após o fim da segunda guerra mundial, conseguiram implantar
muitas de suas teses na Inglaterra. Ao assumir o governo, Thatcher encontrou uma economia em crise,
fortemente estatizada, sindicalismo forte e frequentemente violento, governo inchado e ineficiente,
gastos públicos elevados e inflação alta (quase 25% ao ano em 1978). Elaborou um programa rigoroso
para inverter este cenário, com elevação dos juros (para reduzir consumo e ajudar a controlar a
inflação), ajuste das contas públicas via redução dos gastos governamentais (contas públicas elevadas
também pressionam a inflação) e redução da presença do estado na economia via privatização da
maioria das empresas estatais. O resultado destas medidas, em um primeiro momento, foi negativo: a
economia desacelerou, empresas e bancos quebraram, o desemprego triplicou, os conflitos com
sindicalistas foram brutais (de ambos os lados e em todas as acepções do termo). Mas uma vez feitos os
ajustes, a Inglaterra, que estava em rápido declínio econômico desde o pós-guerra, voltou a crescer, o
emprego subiu, o investimento externo (não especulativo) triplicou.
Não foi uma retomada livre de sobressaltos, mas alguns números são importantes: em 1981 o PIB já
havia retornado a patamar superior ao de 1979 com a inflação reduzida a ¼ da registrada quando
assumiu o governo, e continuou crescendo com inflação em queda até 1989 quando o mundo foi
sacudido por uma sucessão de crises. Para quem tiver curiosidade, os números da economia britânica
no período Thatcher podem ser vistos no site http://www.economicshelp.org/blog/274/uk-
economy/economic-impact-of-margaret-thatcher/

Alguns cientistas políticos têm sugerido que as classificações de "esquerda" e "direita" perdeu seu
significado no mundo moderno. Embora esses termos continuar a ser utilizados, eles defendem um
espectro mais complexo que tenta combinar as dimensões políticas, econômicas e sociais.

O jornalista Eric Dupin observou que os termos "direita" ou "esquerda" são cada vez menos relevante na
arena pública. Mesmo no seio da população, os reflexos ideológicos são certamente menos acentuados
do que antes, e as diferentes visões do mundo e da sociedade já não podem expressar-se claramente no
contexto habitual da polarização esquerda-direita. Apesar d no Braisl termos macacos e zumbis ainda
nessa linha.

Após a queda do muro de Berlim, os partidos de "direita" e "esquerda" sofreram mutações conceituais.
O que era bastante claro num mundo polarizado - de uma lado o modelo liberal/democrático/capitalista
americano, e do outro o modelo social/autoritário/comunista soviético - passou a ficar confuso após a
queda do muro e do fim da União Soviética. Muitos "esquerdistas" migraram para concepções mais
democráticas e progressistas, enquanto alguns "direitistas" começaram a ser identificados como
pessoas mais reacionárias. A verdade é que os rótulos "direita/esquerda" já são muito limitados para
definir a diversividade política do século XXI.

Diversos estudiosos procuraram distribuir o espectro político de maneira formal e objetiva. Alguns
critérios propostos são:
 Individualismo versus comunitarismo
 Papel da religião no governo (laicismo)
 Intervencionismo versus multilateralismo na política externa
 Pacifismo versus militância na expressão política
 Liberalismo versus protecionismo no comércio internacional
 Multiculturalismo versus nacionalismo na cultura local
 Centralismo versus federalismo na organização do governo

Ganha destaque nesse contexto, David Nolan, cientista político, nascido em 1943, um dos fundadores
do Partido Libertário nos EUA. Nolan estava um tanto frustrado com a velha dicotomia esquerda x
direita e em 1969 resolveu propor uma nova forma de ilustrar a posição política de uma pessoa, porém
sem cair na armadilha de milhares de divisões e expressões.
Em vez da tradicional análise mono-axial numa escala de conservadorismo-progressismo, ele propunha
que se analisassem as visões políticas considerando o quão tolerante as pessoas são em relação ao
estado interferindo na liberdade dos indivíduos.
Nolan divide o conceito de liberdade em duas partes:liberdade individual e liberdade e econômica. Isso
dá origem a quatro “grupos” distintos:
 Conservadores (“direita”): são aqueles que tendem a favorecer a liberdade econômica (ex.:
livre mercado), ao mesmo tempo em que preferem limitar a liberdade individual (ex.: leis anti-
drogras);
 Progressistas (“esquerda”): são aqueles que tendem a favorecer a liberdade individual (ex.:
“meu corpo, minhas regras”), ao mesmo tempo em que exigem que o governo controle a vida
econômica dos indivíduos (ex.: “taxação das grandes fortunas”);
 Estatistas: são aqueles que tendem a favorecer um estado forte que deve controlar tanto a
liberdade individual quanto a liberdade econômica dos indivíduos;
 Libertários: são aqueles que defendem a ideia de que nenhum governo tem direito a legislar
sobre as liberdades individual e econômica das pessoas.
Para ilustrar esses conceitos, a versão original do Diagrama de Nolan era composta por um plano
cartesiano, no qual o eixo X representava a liberdade econômica e o eixo Y, a liberdade individual.
Um belo dia, um cara chamado Marshall Fritz resolveu dar uma modificada no diagrama (já pensou se
Nolan ligasse para direitos autorais?), colocando as tradicionais esquerda e direita em suas respectivas
posições, simplesmente rotacionando o gráfico 45º no sentido anti-horário, assumindo então sua forma
mais conhecida (que foi inclusive endossada por Nolan):

O Diagrama de Nolan nem de longe consegue levar em conta todas as variáveis que formam a visão
política de um indivíduo e possui alguns pontos criticáveis, como a tendência de jogar todo mundo para
o centrão politicamente correto, ou a criação de infinitos subgrupos, ou ainda dúvidas sobre o emprego
da expressão estatismo. Mas passa a ser uma classificação que consegue clasificar nuances fugindo
apenas da esquerda e direita e é de facíl visualização, é fiel ao desenvolvimento histórico de direita e
esquerda, e agrega novas perpectivas de forma racional e lógica.
Vejam como são as coisas, brasileiros brigando como torcida de futebol entre esquerda e direita, com
discussões baseadas em uma linha, ignorando ferramentas de 1969, que já apontavam para muitos
caminhos além desses dois times.
Obviamente surgem diversas outras classificações, mas o diagrama de Nolan ainda é utilizado, e util em
uma análise.

Aplicando o diagrama, temos algumas supresas, como a análise do nazismo e do fascismo, que, mais do
que tudo, foram movimentos políticos coletivistas e totalitários, mas são identificados pelos intelectuais
de esquerda como movimentos de direita e por intelectuais de direita como movimentos de esquerda.
Essa troca de acusações permeou muitas discussões ao longo do século XX. Esses debates iam desde a
perspectiva econômica até a postura moral dos líderes que representaram cada uma dessas
denominações.

Analisando o diagrama de Nolan modificado. O que acontece quando tendemos ao limite de zero
liberdade individual e zero liberdade econômica, como ocorreu nesses regimes?
Que coincidência! São os regimes de estados gigantes, controlando tudo e na mão de poucos. Alguns
exemplos: Castrismo, Facismo, Nazismo, Saddam Hussein, Muammar al-Gaddafi...
Muita gente já deve estar nervosa, a revolução Cubana é de esquerda e eu jamais fui Nazista que é coisa
de direita.
Obviamente os regimes possuem diferenças, Hitler por exemplo chegou ao poder através do voto
popular através do partido dos trabalhadores. Fidel e Mussolini não. Itália e Alemnah fizeram politicas
expancioninstas de terrítorio, Cuba não conseguiu, mas por outro lado tentou influenciar "intelectuais"
de várias partes do mundo para implantarem o regime em seus domicilios. Caso recente no Brasil
através de José Dirceu que foi braço direio de Castro.
Hitler recuperou economicamente a Alemanha pós Guerra, acabou com a inflação, tornou a Alemanha
uma das principais potenciais mundias, incentivou a descoberta e aplicaçãod e novas tecnologias,
desenvolveu a indústria, Fidel não. Hitler mandou matar judeus, Fidel não, mas expulsou
correspondentes internacionais, matou a oposição e não aceitou negros em sua elite..
Hitler frequentemente critiva o Capitalismo e o Socialismo, dizendo que era coisa de Judeu. Mussolini
também se auto denominava anti comunista, e anti capitalista. Castro se assumia comunista.
Poderiamos elencar várias diferenças.
Acredito que racionalmente não é facíl elencar esses regimes aos conceitos de esquerda e direita da
revolução Francesa? Tanto é que que estudiosos, escritores divergem constantemente sobre essa
classificação até hoje.
Porém se agruparmos por semelhanças e não diferenças, veremos que a classificação fica mais clara. Em
todos esses regimes foram retiradas liberdades individuais e economicas, houve morte aos contrários ao
regime, o estado passou a controlar os meios de produção, houve divisão de classes para chegada ao
poder: Burgueses x proletariado, Alemães X Judeus, tentativa de politicas expansionistas, sofreram
restições internacionais de comércio, Estruturas bastante parecida, com chefe absoluto, autocratico,
classe dominante com militares ou equivalentes. Todos criaram slogans do tipo "liberdade,
fraternidade" e discursos inflamados, para ganhar apoio popular e chegar ou se manter no poder.
Alias na vida pessoal, Castro e Hitler por relatos variados, são carcterizados como pessoas simpáticas,
cativantes. Castro também adimirava Hitler, Hitler lá de cima ou La de baixo também deve ter admirado
Castro, e hoje os dois devem estar confraternizando e elaborando táticas conjuntas.
E se olharmos o diagrama de Nolan modificado, veremos que os três regimes ficam próximos, talvez um
chegue próximo do vértice com cordenadas 0,0 pelo lado esquerdo, outro pelo direito.
Qual classificação faz mais sentido? Esquerda e direita, ou classificar como totalitarismo e populismo?
O comparitivo foi feito entre três situações, obviamnete existem ou existiram diversas outras em países
Africanos, da América Latina, Oriente Médio.
No Brasil por exemplo aos intitulados direitistas que apoiam ou apoiaram a ditadura militar, ou aos
intitulados esquerdistas que apoiaram a luta armada promovida pelo grupo de Dilma Rouseff, Gabeira,
Jenoino, Franklin Martins, para tomar o poder e implantar a ditadura do ploletariadono moldes de Cuba.
Vejam que vocês possuem mais em comum do que pensam. Se continuassem o caminho, o final poderia
ser o mesmo. Ficariam muito próximos, talvez até no mesmo quadrante, ou ainda um eliminaria outro
para ocupar totalemnet o quadrante. Vejam que esses grupos possuem a mesmas características: Que
coincidência! São os regimes de estados gigantes, controlando tudo e na mão de poucos. Só mudando
se mandado por Generais ou Gerrilheiros, que depois poderiam se autopromover generais se assim
entendenssem adequado.
E olhe que interessante, os dois lados hoje dizem que brigavam pela democracia. Um para proteger a
democracia e outro para implantar a democracia. O interessante é que nem um dos lados queria saber
do voto popular e ambos usavam a força das armas e não somente das idéias para manter ou implantar
seu regime. Os militares após assumir o poder inventaram uma lei, o grupo armado infrigia a lei, ao
assumir o poder mudaram a lei e mesmo assim continuaram a infringindo a lei. Em ambos os casos a
democracia apenas ficou na gaveta.

Esses regimes eram ruins? Não necessariamente, se você fazia parte da elite que dominava e se para
você vale tudo em nome da causa. Escolhendo essas opção poderá ser muito bom para você em vários
itens. Seja você se achando de direita ou esquerda. Para a sociedade o reulatdo final é o mesmo. Sem
liberdade de expressão e de ir e vir, o estado tomando conta da vida de cada individuo.

A visão linear em apenas um plano, distancia o que em algumas situações pode ser muito próximo
quando olhado em perspectiva, como o Cumunismo, Fascismo e Nazismo

Concordo com a atriz Camila Pitanga, a democracia brasileira é muita nova e imatura, realmente, a mãe
dela por exemplo teve bens bloqueados, suspeita envolvimento com tráfico de drogas, processos por
imporbidade administrativa, falta de preparo acadêmico e ainda consegue amealar votos. E o seu
estado RJ possui dois ex governadores recentes presos. É muita imaturidade, é muita zumbizisse, é
muita macacada.
È o tipo de imaturidade de quem voto em Lula “pois é mano, a parada é a seguinte, precisamos mudar,
vamos votar nesse cara, ele prometeu.....”, obviamente ele não enganou ninguém que não queisesse ser
enganado, infelizmente somente 20% da população. Estava tudo escrito conforme a grande revolução
Cubana, alias no mesmo documento, a mesma tática, quadrante inferior com tendência a coordenada
(0,0), além da vida pessoal nada exemplar como “na nossa época fazíamos sexo com animais” ou ainda
“admiro o Hitler” ou ainda “pegou na mão da mulher pegou...”, além do trabalho de informante da
ditadura, acordos obscuros com donos de montadoras, várias pessoas da família perdendo dedo... mas
sabe como é vários artistas tipo Camilas Pitangas da época de branco, cantando Lulalalala. Um
nacionalemnte foi conhecido como molestador de assistentes, outro confessa comprar músicas e mora
em Paris, um sai cuspindo na cara de quem discorda dele.
Na história mais recente do Brasil, deve-se atentar ao statuto dos partidos, PTU, PCdoB, PT, PSOL, todos
em sua base escrita pregam o final da propriedade privada, da divisão de rendas dos pobres e
manutenção da elite estatal necessária, ja demosntraram ser a favor do controle da imprensa, e contra
as leis atuais. Basta pegar o statuto dos referidos partidos e ler.

Um lugar onde é obrigado a votar, não pode comer fritura no colégio, dono de posto é obrigado a
contratar frentista, bancos privados não podem demitir, querem proibir a carne um dia na merenda, te
tiram mesmo sem vc querer dinheiro para o FGTS, te pagam juros menores que o mercado, um horário
a rádio é obrigada a transmitir voz do Brasil, a menina que matou o pai ira idala para tirar selfis, vc não
pode ter um spray de pimenta, vc não pode ter um carro diesel, só uma petroleira com uma das
gasolinas mais caras do mundo, só uma emrpesa de energia com uma das energias mais caras do
mundo, governo não permite novas companhias telefônicas, ligações entre as mais caras do mundo....
relamente Camila Pitanga, é uma democracia muito imatura, ou quem sabe uma semi democracia,
ouquemsabe um embrião de Venezuela.

Obviamente que não conseguiram até o momento implantar todas suas idéias do statuto do partido,
mas varias já, pois a nível municipla e estadual não conseguiram dominio para tal. E a nível Federal
enfrentam resistência de outras instituições como os poder legislativo. Além das dimensões continentais
do país que dificultariam.

Recentemente conseguiram através de um discurso ameno, e de promessas de vida boa a empresários e


proletariado, acender ao poder através de uma figura popular, que conseguiu diretamente conversar
com o eleitor e obter seu apoio. Os zumbis esquerdistas se apresnetava como esquerda, aos
empresários como liberal e a classe média como alguém de centro. Era o cara perfeito! Que na verdade
foi apenas um populista oportunista, as vezes de esquerda as vezes de direita.

São tendências, portanto, conceitualmente falando, muito mais totalitáias do que, simplesmnete de
esquerda ou direita.

Ja nos primeiros dias de governo, ao ser chamado de pinguço, quis expulsar um jornalista Americano do
país, depois já tirou qualquer limite do cartão coorporativo, no primiero peíoro seguiu a politica
econômica e monetária que criticava ferozmentede de seu antecessor com o ministro Henrique
Meirelles, após, fez alterações na equipe econômica, triplicou a divida publica (passando de externa
para interna), aumentou contratação de funcionalismo, aumentou o número de estattaiss. Começou
um plano irracional de invesimento em estatais as endividando (combustivel do campo, ouro negro). No
período houve acentuado aumento do preço das comodites (base economia barsileira) no mercado
internacional, o que favoreceu ao caixa do governo e seu aumento estrutural, sem baixar o valor da
moeda no mercado internacional., pois as finanças publicas apesar do aumento desmedido do estado,
as contas com isso ainda eram superavitarias.

No período, com dinheiro em caixa, houve ainda expansão de programas sociais, de repasse direto de
renda (do tipo pegue o peixe , e não rpecisa aprender a pescar), agradando ao proletáriado, e ainda
agradou a burgesia retirando dinheiro de bancos estatais a taxas abaixo do mercado e financiando
grandes empresas e empresários , mesmo sem necessariamente haverem garantias técnicas de liquidez
a médio e longo prazo.

O pais se fechou ao capital estrangeiro, com politicas de conteúdo nacionais das estatais, sobre taxa a
produtos que poderiam comprometer a balança comercial e obras de infra estrutura com empresas
nacionais. As questões de previdencia social foram deixadas em um primeiro momento de lado (não
eram populares), o deficit da onta previdência aumentava consideravelmente, começaram a se acentuar
e serem incentivadas questões de divisão de classe como cotas raciais, LGBT x conservadores, patrões x
empregados, aparelhaento de sindicatos e movimentos apoiadores do governo com dinheiro público.

O governo se reelege e consegue aprovação recorde, afinal fez a feliicdade dos pobres (programas de
repasse direto) e dos empresários com financiamento subsidiados sem contra partidas efetivas e
comodites a bom preço internacional, os órgãoes de imprensa adoraram o períodoodo, pois com o
aumento do estado, aumentaram-se consideravelmente verbas publicitárias, banqueiros ganharam
dinheiro como nunca, pois captavam dinheiro do governo subsidiado e o utilizavam em financiamento
com taxas maiores, ou mesmo aplicando em títulos do p´roprio governo, ganhavam sem precisar fazer
esforço. Cartolas do futebol passaram a ter seus times financiados pelas estatais (Petrobras e Caixa).

Os pobres tiveram melhoria de seu status e parte dos empresarios mantiveram seu status ou até
melhoraram, banqueiros e publicitários felizes. Quase todo mundo ganhava, inclusive o partido que
com o aumento do estado ficou mais poderoso se apoderando além de estatais dos fundos de pensão.

Como ainda a cotação da moeda era favorável até o setor de transformação de bens teve sua evolução
financeira.

O que muitos não viram, mas precisamente 80% da população brasileira foi o inchaço do estado, com
piora de sua produtividade, o aumento da divida publica, e que o financiamento de tudo estava baseado
no alto preço internacional das comodites, que o estado maior era também mais ineficiente
(abordaremos esse tópico especficamenet) que na his´toria da humanidade não existe ciclo onde
demanda e oferta se mantém constantes, que o risco futuro Brasil passará a ser alto. Os alfebetizados
politicamente que com um mínimo de conhecimento e visão não ideológica, falavam alguma coisa eram
louco e Facista. Professores e jornalistas aramente criticavam, pois com sua formação ideológica
(veremos) obviamente estavam encantados com o operário que chegou ao poder. Tipo aqueles alemãs
que votaram no PT de lá. Exatamente (Nationalsozialistische Deutsche Arbeiterpartei = Partido Nacional
Socialista dos Trabalhadores Alemães).

Comodites baixaram, sobrou um estado grande como nunca antes visto no Brasil, com gastos fixos
elevados, estado ineficiente, entre os mais ineficientes do mundo, com o aumento dos controles e
burocracia o que afetou além da perda de produtividade estatal a da industrias de trasnformação
privada, com isso a relação divida x PIB se alterou, moeda já não ficou tão estável, superavit já não era
tão superavit.

Independente de esquerda ou direita, a racionalidade humana da prudência, fala "se tiver ganhando
menos, gaste menos, ou faça investimento visando aumentar sua receita mais que as despesas a curto e
médio prazo"

O que o governo fez, passou a gastar mais e conceder descontos a grandes empresas, mais aumento ao
funcionalismo, pois em sua concepção gastando mais, geraria mais empregos e produtos mais baratos
gerariam mais compras e com isso a economia estaria salva e manteria o círculo virtuoso de
crescimento.

Nesse período anuncia-se a Copa do Mundo e olimpíadas que foram financiadas primordialmente com
dinheiro publico, com fornecimento de dinheiro em curto prazo e pagamentos a longo prazo e taxas
extreammente subsidiadas e sem garantias técnicas. Quem criticava isso na época era ET, o negócio era
correr atrás da tocha e tirar fotos!!

O povo tinha o circo e estava feliz, acompanhava a tocha olimpica, via eufórico na TV quem carregou a
tocha, chorava, ficava orglhoso do estádio do seu time do coração. A TV, com patrocinio estatal
garantido não divulgava a tocha sendo apagada, a dona do Magazin Luiza rolando no chão com a Tocha,
o menino não conseguindo acender a tocha.... Foi sorte nenhum carregador da tocha não ser atingido
por uma bala perdida.

Zumbis e macacos pulando felizes por todos os lados! Racionalidade para que? Vamos viver o momento!
Esse negócio de segurança, educação, saúde é muito chato, vamos curtir!! Espero que tenham curtido
bastante, em especial os funcionários públicos do Rio!! Encarem da seguinte forma, vocês foram muito
importantes para olimpíadas, o governo pegou o dinheiro de vocês e irá devolver em várias parcelas
sem correção e quando puder. Obrigado ao funcionalismo do Rio por essa excelente olimpíada!! Camila
Pitanga, você estava certa, uma democracia muito imatura!!

Ou seja, o governo foi contra a racionalidade humana. Ao dar mais aumento ao funcionalismo publico
sem contrapartidas de resultados piorou ainda mais a produtividade que já erá extremamnete baixa,
latismável . Ao conceder dinheiro a curto prazo sem garantias fuuras para Copa e Olimpiadas
comprometeu ainda mais o caixa presente e futuro.

O Rio de Janeiro em 2016 não tem dinheiro para pagar o funcionalismo, mas fez a festa no maracanã.
Pelo menos acho que alguns zumbis talvez acordaram! É o choque, e lamento informar, levarão mais e
mais, o tratamento para acordar um zumbi é dolorido e demorado!! E não achem que elegendo um
homem de Deus que já fez vários milagres irá resolver.

Voltando, mesmo assim, "zumbis e macacos" reelegem a sucessora no comando do país, pois por regra
consittuicional oficialmente não poderia manter o líder por mais um mandato.

O setor produtivo ja percebia claramente sinais de problema, pois com politicas intervencionistas do
estado o produto nacional passou a ficar caro, perdeu-se produtividade, perde-se capacidade de
compeião internacional. baixa da demanda internacional atrelada a alta do custo Brasil.

Mas o povo ainda vivia o paraíso, tinha Copa, Olimpiadas, Negros e minorias ascendendo ao estudo
com menos estudo, banqueiros ainda ganhando com pouco esforço, mais pobres ganhando dinheiro
sem contra aprtidas, times de futebol patrocinados pelo governo, artistas patrocinados pelo governo.

Sem se dar conta boa parte da econômia passou a depender do governo, (do proletariado ao
empresário) e o governo não era racional produtivo, nem de esquerda nem direita. Era dominante,
populista, era estatista, e estava conseguindo seu objetivo de movimentação rumo ao extremo do
quadrante inferior.

O governo criou um estado mais caro e extremamente ineficiente, gasto previdência continuavam a
crescer, salários publicos subindo, com obras sem um retorno financeiro a curto e médio prazo como
por exemplo transposição do Rio São Francisco, Copa, Olimpiadas, o estado usando bancos pulibos
financiando emrpesas escolhidas sem contrapartidas financeiras (Friboi, Oi), ajuda a sistemas ditatorias
externos, aumento financiamento universitário sem contra partidas.

Obviamnete essa tática funcionou somente a curtissimo prazo, injeta-se dinheiro na economia, apenas
movimentando-a, em curto prazo o mercado e pessoas reagem bem, porém em pouco prazo percebem
que estão endividados, e sem forma de pagar, e o Brasil ainda dependente de comodires.
Com falta de dinheiro, contas publicas deficitarias, sem demonstração de controle ou medidas
corretivas pelo governo, o dólar dispara. empresas de carne, frango, agricultura passam a ver vantagens
na exportação, os preços internos sobem, bem como o custo de produção (defensivos, fertilizantes)...
inflação que tentam segurar com prejuizo as estatais (energia e petróleo) novamente funciona a curto
prazo, porém sem eficiêcnia e mostrou seu efeito destrutivo a médio prazo, co aumentos reais
superiores a 50% ao ano. Produtos com isso menos competitivos e mais caros.

Obviamnete que conta não fecharia e um dia teria que ser paga. O que isso tem haver com definições
politicas? Tudo. Afinal qual era o real posicionamento do governo, que se dizia de esquerda, direita e
liberal conforme a platéia queria?

Bom, vejamos, liberal não foi, pois interveio em tudo o que pode para aumentar seu poder. Taxação aço
da China, desrespeito a propriedade privada (ivasões patrocinadas sem reintegração de posse), contra o
uso de armas pela população, regras de mercado se modificando a cada momento, regras de tributação
voláteis...

De direita também não foi, pois diminuiu a liberdade econômica do cidadão ao inetrvir diretamente na
economia, mechendo constantemente na taxa de juros, nos impostos e nos preços de combustivel e
energia, fez campanha contra financiamento de campanha.

De esquerda teve seus aspectos como financiamento estudantil universitário. Porém em 13 anos
tambem não foi muito de esquerda, pois: piorou qualitativamente o ensino (ja vimos dados), o voto
continuou obrigatório, piorou o saneamento básico, sem acesso a saúde, redução de leitos hospitalares
mesmo com aumento da população, desapropriações para reforma agrária foram infimas, pessoas sem
acesso a segurança publica.

Ainda temos as cotas raciais e cotas de estudantes publicos, que históricamente não são de esquerda
nem direita. Volte ao diagrama de Nolan e faça essa análise

Caem muito mais no campo de totalitarismo / populismo / estatismo. São incostitucionais, bastando ler
a Constituição Federal art 3 e 5, mas como o cumprimento da lei não é a regra, ainda será apreciado
pelo STF. Servindo muito mais para manobra de massa do uso de poder do que de igualdade social,
afinal o ensino publico foi comprovadamente piorado (Ideb, ENE, WEF, Pisa), no ensino fundamental e
médio, e não melhorado para dar base de igualdade aos individuos cotistas ou de baixa renda
competirem em condições de igualdade. Um brinde a incopetência e populismo!

E ainda tem pessoas que se exaltam para defender cotas raciais. Mais um e zumbi repetindo um mantra,
nesse caso, pior, zumbi racistas, ou dar preferência a uma cor não é racismo? Se não concordam comigo
precisariamos mudar a definição de racismo, isso passaria também por uma revisão histórica completa e
revisão em todos os idiomas.

Implantar cotas raciais, foi institucionalizar o racismo. Afinal a esquerda históricamente foi racista.

Institucionalizar o racismo, é algo populista, mas com consequências gravissimas: vejamos alguns
exemplos de interferência desastrosa do estado nesse sentido, ao dar terras a classe de Judeus
injsutiçadas pela Alemanhal, criaram um problema que perdura até hoje, quando cristãos mataram os
"bruxos", abriram brechas argumentativas para os hoje muçulmanos matarem os cristãos, na Índia,
cotas raciais estão a beira de provocar uma guerra entre grupos "raciais" onde antes não havia
inimizade declarada, na Malásia, idem, quando deixaram latinos nos EUA viverem e ganharem sem
pagar impostos e decumprindo a lei, criaram a condição ideal para um candidato prometer um grande
muro e se eleger.
Quando imigrantes entram em um país com subsidio de vários formas, obviamente parcela da
população não ve com bons olhos, na Alemanha atualemnte aumenta o núumero de Nazistas. Hoje nos
Eua está um festerê policial branco matando afrodescendentes sem motivos, negros espancando
brancos no trânsito, favorecer artificalmente uma classe históricamente pioraram o racsmo, instituindo
o ódio racial.
Alias vejam o exemplo do Brasil, não foram nem os negros que pediram cotas raciais, simplemsnete o
estado dicidiu que deveria ser assim e pronto. Conceitualemnte isso não é esquerda nem direita, basta
olhar o diagrama de nolan, simultaneamnte foram desrespeitadas liberdades individuas e economicas.
Na imprensa é preocupante artigos como o da revista Carta Capital. (investigada por repasses
irregulares do governo Federal) com o título? “Ser contra cotas raciais é concordar com a perpetuação
do racismo”
Como afrima Pedro Jacome, O artigo não vale a pena ser lido. Não apenas pela sua nauseante
introdução. O artigo é de uma estupidez hedionda do começo ao fim. Algumas reflexões de Pedro
Jacome
"Repete-se exaustivamente que os negros sofreram racismo e têm sua situação social imensamente
prejudicada pelos anos de escravidão. Trata-se de um expediente retórico utilizado pela esquerda
segregacionista pra engabelar o grande público.
Utiliza-se como argumento para solucionar o problema da desigualdade racial… o próprio problema da
desigualdade racial. Diz-se que negros sofreram com a escravidão e sofrem com o racismo e a solução,
claro, são cotas raciais. Por quê a solução são cotas raciais? Porque negros sofrem racismo e sofreram
com a escravidão. É um círculo vicioso.
Mas um círculo vicioso que faz com que as pessoas que discordem da solução “cotas raciais” sejam
identificados como pessoas que negam o racismo e o sofrimento imposto pela escravidão. Idiotice.
That’s not the point.
De fato. Um sujeito que não concorde que há racismo no Brasil ou que não ache a escravidão uma
ignomínia é um débil mental ou um fascista, ou ambos.
Mas esse não é o ponto em questão. O ponto em questão é outro: cotas raciais são uma maneira de
reparação histórica, são uma maneira justa de reduzir a desigualdade racial ou de combater o racismo?
A resposta é simples: não! não! e… não!
Cotas raciais não são maneiras de reparação história porque, basicamente, o tormento da escravidão é
irreparável. Como se há de compensar o sofrimento do chicote, do estupro, dos grilhões e do
assassínio? Não há como. A não ser, talvez, chicotear, agrilhoar, estuprar e matar os “brancos”, que
outrora eram os algozes dos negros. Alias quem começou a escravidão por vários autores foram os
p´roprios negros. Zumbis segundo autores era contra sua escravidão, mas não tinha objeção em er um
escravo.
Essa solução é absurda.
Primeiro porque não é possível querer reparar institucionalmente a violência brutal com outra violência
brutal.
Segundo, e mais importante, porque os “brancos” de hoje não tem absolutamente nada a ver com a
escravidão de mais de 125 anos atrás. Se por acaso você é um branco e que recebeu de herança de sua
familia uma fazendas que comprovadamente mal tratava os escravos e se sabe os descentes desses
escravos, que eles sejam indenizados com o dinheiro da fazenda.

Justiça faz-se reparando perdas pessoais e punindo indivíduos. Não se faz justiça punindo e reparando
grupos. Ainda mais grupos históricos afastados por mais de século.
Mas não a pseudo esquerda convenceu o Brasil de que várias ações afirmativas pontuais, baseadas nas
questões de raça seriam uma solução aceitável.
Também não são.
Pois, se a gente admite que deve haver reparação história, mas admite ao mesmo tempo que essa
reparação é impossível, todas as soluções propostas pelos progressistas acabam sendo, em certa
instância aceitáveis.

Cotas nas universidades, cotas nos concursos públicos e até, olhe só, projetos de lei propondo cotas
para negros serem atendimento em hospitais.
Isso não é justiça, isso é extorsão política esteada em culpa social.
Além disso, cotas raciais não são uma maneira justa de combater desigualdade racial. As desigualdades
de grupos identitários entre as diversas áreas da vida humana não são sempre causadas por
discriminação preconceituosa.
Mas existem vários artigos acad~emicos defendendo as cotas “sim, lebram do modelo replicador das
nossas instituições”. Precisaria mudar a constituição, ai legalmente seria aceitável institucionalizar o
racismo. Mas sabe como é, os juízes teimam em fazer leis.

Leandro Narloch demonstra que a população carcerária, em qualquer país, é distribuída numa
proporção de aproximadamente nove homens para uma mulher. Não imagino que alguém proponha
mais encarceramento feminino.
Ben Shapiro fala do domínio dos negros na NBA. Não se imagina uma proposta que proponha a
proporcionalidade entre negros e brancos entre os astros mais bem pagos do basquete mundial.
João Pereira Coutinho fala da grande proporção de judeus nas grandes universidades americanas.
Devemos propor cotas negativas aos descendentes das doze tribos?
Claro que não.
Todas essas distorções de representação passam por uma série de fatores que não derivam
fundamental e majoritariamente de preconceito.
Desigualdades entre identidades devem ser combatidas quando a culpa da desigualdade for a
segregação. E não é possível que vejamos uma relação direta e fundamental entre a falta de
representação de negros e brancos nas universidades, como um fruto do racismo.

A desigualdade de negros e brancos nas universidades (sobretudo as públicas) é fruto da desigualdade


social no país.
Como os ricos são majoritariamente brancos, os sujeitos que têm mais capacidade de cruzar o nefasto X
da educação brasileira (onde os alunos partem da escola privada para a universidade pública e vice-
versa) e ingressar numa universidade pública, serão ricos e, portanto, a universidade será
majoritariamente branca.
Não perceber que o problema é social e não racial vai nos levar a uma situação evidentemente idiota.
Um país que não sabe a diferença entre o sintoma de uma problema e o problema em si, como um
médico que se dispõe a tratar catapora, maquiando o doente e não combatendo o vírus.
Nos sabemos que se combatendo, com qualquer meio, a desigualdade no nível de ensino entre os
pobres e ricos já se ia mitigar o abismo entre brancos e negros.
O que nos leva a outra questão:
Cotas raciais não são uma maneira de combater o racismo.
Simplesmente porque é impossível explicar a um favelado branco porque o seu vizinho negro tem um
incentivo estatal e ele não. E porque também é impossível explicar a um branco de classe-média porque
o vizinho dele, um negro de classe-média tem incentivos estatais e ele não.
Como é imposível explicar isso racionalmente, porque, afinal de contas, leitoras magnéticas diferenciam
negro e branco apenas nos cartões de gabarito, a esquerda tem que apelar pra esse expediente nefasto.

Um malabarismo de “apples and oranges”, que não tem sentido nenhum e que, por isso mesmo, parte
para a criminalização da opinião alheia, deixando todos os opositores numa sinuca de bico, onde
discordar da esquerda, faz deles “racistas”, como bem explicou (sic) Djamilla Ribeiro.
Catalogar as pessoas como negras e brancas, com direito a carimbo oficial, não mitiga o racismo. Apenas
o estimula.
Não falhará imediatamente. Cotas raciais colocarão mais negros nas universidades.
Propostas como as cotas são FEITAS PARA FALHAR. Elas são feitas para aumentar o racismo.

No futuro, caso o Supremo se enrole mais alguns anos no julgamento da inconstitucionalidade, mesmo
com o brasileiro extremamente apático, poderão ocorrer surpresas a serem noticiadas em programas
do tipo policial. Não é desejo, é análise de fatos históricos que ciclicamente se repetem. E não terá
programa de Tv e novelas mostrando afrodescendentes injsutiçados a todo momento que irão resolver
isso.

Se não acredita em quem vos lhes escreve, espere e verás!! Lula um exemplo, a quebra da econômia
pelo PT outro...

Sobre racismo, outro fato estranho é termos menos de 8% da população Brasileira Negra (Censo IBGE
2010), e os Negros terem o dia da consiência Negra como feriado. Os brancos e pardos que compoem
mais de 90% da população não possuem seus feriados!! Apenas o dia da imigração japonesa, o dia do
imigrante italiano, assim como já existe o dia da lei da áurea e ainda inventam um feriado. Não teria
mais sentido ser somente mais um dia como é feitos aos mais de 90% da população?

Já que é para separar conforme prpõe as cotas raciais, porque os pardos de baixa renda não podem se
beneficiar pelas cotas? Afinal eles são uma população mais de 500% maior que a Negra no Brasil, e
também muitas vezes não possuem acesso a educação de qualidade para entrar na universidade
desejada ou no concurso. Já sei, precisariamos que os bisavos e tataravós dos pardos também tivessem
levado chicotadas para esses terem direito as cotas !! É ridiculo!!

Continuando no raciocinio da cotas, vocês sabem quem são os maiores altifundiários do Brasil, e talvez
os maiores do mundo.

Os índios brasileiros, representam 0,43 da população (Censo IBGE 2010) e ocupam uma área de 12,5%
do território(g1.globo.com). Ou seja em termos per capita os indios são os maiores latifundiários do
Brasil. Tirando além das reservas indigenas, os parques nacionais, estaduais, municipias, sobra quando
para divir entre o restante dos 99,57% da população? Ou seja cada branco, pardo e negro em média tem
um lote, enqanto cada indio sem pagar consegue ter uma fazenda que pode arrendar para ter lucro sem
trabalhar.

Mas os índioss foram injustiçados em 1500, quando os portugueses se aproveitaram do Brasil. Então
devemos por esse raciocionio pensar que os descendentes de Negro, que sua familia foi abusada pelos
portugueses também deveriam ter direito as suas fazendas, afinal eles no país natal também viviam de
subistencia. E pdoeriam se apropiar de todas as terras de descendetes de portugueses e serem dadas
aos movimentos sociais

E parte dos brancos e pardos que não tiveram histórico de escravos em suas familias e nao tem saúde,
educação. segurança até hoje e não tem cotas nem fazendas dadas pelo governo. O que devem fazer?
Se a lei determina igualdade entre classes, que seja dada igualdade de oportunidade. Discutir qualqer
medida fora disso é inconcludente. Obviamente que qualquer ação séria passaria pela melhoria do
ensino fundamental e médio gratuito e não pela piora desses como tem ocorrido a 20 anos em relação
ao mundo.
Uma combinação fatal, politicas de segragação racial unida a piroa da educação.

Voltando ao governo da Dilmanta (nome dado por não conseguir verbalizar de forma minimamente
lógica suas idéias), ainda fez empréstimos a regimes populistas em segredo de estado, contratou
"médicos" desrespeitando critérios de conselhos profissionais para atestar cohecimento, comprou apoio
no Legislativo, interfeiru com indicações politicas no judiciário, TCU, desrespeito a leis fiscais, corrupção,
financiamento ilegal de campanha, favoreceu grupos empresarias selecionados sem contra partidas.
Vejam que isso não é conceitualmente esquerda, nem direita! Afinal nenhum dos dois regimes prega
essas ações.

O governo Petista pela divisão de Nolan, pegou o governo em uma região inferior próxima da linha
horizontal , lado esquerdo e próximo ao quadrante centro, e fez uma descida mais pela esquerda,
tendendo ao quadrante inferior (estatismo, populismo, autoritarismo), interrompendo a descida com a
perda do poder.

Se houvesse continuidade nessa linha de pensamento, tentatriam fazer novo programa intitulado de
aceleramento, com mais gastos improdutivos e populares (aumentos funcionalismo, casas populares,
lberação dinherio a parlamentares para suas obras, e mais obras de efeito popular sem retorno). Para
conseguir recursos, mudariama a legislação, pegando dinherio do FGTS e fundos de pensão. Se
precisasse ainda imprimiriam dinheiro. Novamente a curto prazo seria ssatisfatório, conseguiriam eleger
mais de seus membros, todos do STF passaria a ser seu, mais indicações ao TCU , comando das forças
armadas (ja estava feito por represnetante de regime totalitário) e a população na maioria ainda
apoiaria as medidas como macacos saltitantes e zumbis.

A médio prazo, o governo teria suas contas corroidas, pois ficaria mais caro, e sem capaciddae de
pagamento com inflação alta. Sesariam os investimentos, obras parariam, , a população e empresas,
perceberiam que agora estavam menos competitivas e que dependiam primordialmente do governo, e
não teriam a quem reclamar (instituições todas do governo) e que até as economias da aposentadoria
estava nas mão do governo. Temos um vizinho Venezuela que seguiu esses passos!

O governo como o salvador, proporia a divisão dos recursos igualmente a todos, jogaria a culpa nos
empresários, no capitalismo, nos brancos dominantes. Em nome da recuperação todos deverião
trabalhar mais para recuperar a nação. Seriam vários passos na vertical rumo ao quadrante inferior e
todos os resultados já conhecidos.

Numa dessas trariam até a olimpiadas de inverno para deixar o povo feliz. E ai a população poderia
aprender a esquiar. Ai teriam o slogan, "graças ao governo todos podem esquiar não apenas os
burgueses". Parece rídiculo mas é real, e muitos votaram graças ao slogan igualmente rídiculo "graças
ao governo os pobres podem voar". Se ainda acredita nisso, continue zumbi e logo levará um choque
para ver se acorda!! Quando acordassem veriam que estavam desarmados, afinal apoiaram o
desarmamento.

Se fossemos abordar o absurdo da afirmação acima, teríamos que o presidente da maior comapnhia
aerea do Brasil pegou financiamento subsidiado do governo que retirou dinheiro dos mais pobres para
tal, que esse mesmo empresário cedia a todo momento aeronaves aos que esse empresário foi diversas
vezes itado na lava jato, que o governo articulou a não aprticipação de capital estrangeiro, que o custo
da passagem no Brasil é superior a mpedia mundial, que esse empresário foi condenado por assasinato
mas não vai para cadeia pela sua idade...

Enfim, a tendencia seria caminharmos para o zero em liberdade economica e da liberdade individual.
Cairiamos próximo a situações ja apresntadas anteriormente e como vimos no diagrama de Nolan, isso
não seria esquerda nem direita.

Graças a reação de instituições como judiciários locais (fora da mão do governo), empresários e do
levante popular, estatisticamente predominantemente da classe média não negra, menos sucetivel ao
ensino publico alienante, prejudicada por politicas racistas, e que foi a classe com economia mais
corroída no período, afinal em numeros dela foram retiras recursos aos mais pobres e ricos. Não são
opiniões, os números estão ai.

Reinterar que matematicamente a retirada de recursos dos mais ricos nunca houve, e ascensão da
classe pobre foi apenas temporária, uma vez que ganharam o peixe e não aprenderam a pescar, sequer
a preparar anzol. Com a falta de recursos temos ricos menos ricos, menos classe média e mais pobres
que não aprenderam a pescar. Nessa tendência teremos uma maior divisão não da riqueza mas sim da
pobreza. Históricamente um fato comum a regimes populistas.

Foram realizadas as maiores manifestações da história do pais, mais de 5 mihões de pessoas (número
superior a diretas já e revolta contra ditadura, talvez a maior manifestção popular da história da
humanidade), vestindo verde e amarelo, com isso detendores de cargos eletivos sentiram ameaçada sua
continuidade e passaram em seus discursos retoricos a sair oficialmente do governo que ficaram por
anos, e ainda fazim questão de mostrar efusimvamente tal ato. Jogo de cena, mas eleitoralemnte
funcionou em muitos casos.

O ciclo parou, mas deixou sequelas como: diminuição das liberdades individuais e economicas, maior
crise da história, superior a de1929, inflação fora controle, desvalorização da moeda, dificuldade de
acesso a educação básica descente pela parcela mais pobre (educação pior que a 20 anos atrás), piora
na saúde (redução leitos, sem remédios, sem melhora saneamento básico), industria volando na década
de noventa, segurança com indicadores piores que algumas nações em conflito armado, pior sequencia
de PIB da história, PIB melhor apenas qdo que nações em guerra, desemprego acreditava-se me 11
milhões de pessoas, porém dados recentes mostram 23 milhões de desmepregados (extremamente
superior a grande crise americana), aumento da pobreza.

Um dizer para refletir "Você que só olha da esquerda para direita, o estado lhe esmaga de cima para
baixo!" E hoje temos "zumbis e macacos" esmagados que dizem "os politicos não prestam", e
continuam a espera de um novo líder carísmatico que lhes diga tudo o que querem ouvir. Ou seja estão
loucos para votar novamente no politico que não presta. O Brasil desde sua republica não é esquerda
nem direita, é populista, apenas com breves períodos de descontinuidade.

Existem tendencias de melhoras, sim, parte da população ja demonstra isso, pelo menos em vontade,
mas infelizmente muitos não possuem organização de pensamento minima para evitar os novos
populistas de "esquerda e direita".

Prova disso é a possibilidade de candidatos como Marina Silva , Bolsonaro, Lula se elegerem, que não
são nem de esquerda, nem direita, nem de centro. São somente populistas e ou estatisttas. Alias o Brasil
não possui nenhum partidos de direita, nem oficialmente, nem conceitualemnte. Partidos de esquerda
apliando Nolan conceitualemntem existem: (PSDB, PSC, PDT e outros), Centro (DEM). Estatistas, (PSOL,
PTU, PCdoB, PT) e vários outros que ninguém sabe o que são. Se não concorda com está classificação,
basta ler os statutos de cada partido e aplicar no Diagram de Nolan.

O Brasil é um exemplo de um páis que tentou ser quadrante inferior no diagrama de Nolan, porém não
conseguiu (seja via militar ou PT). Alguns paises foram no mesmo caminho que o Brasil, porém
chegaram mais próximos ou até alcançaram o quadrante inferior (tendendo a zero liberdades
individuais e economicas). Na Argentina o resultado foi quase 30% da população na linha de pobreza, na
Venezulea inflação superior a 3 digitos anuais, falta de papel higiênico, e top entre os mais violentos do
mundo superando nações em guerra.

Alguns ainda podem vir e dizer: "mas Cuba é um exemplo bem sucedido do diagrama inferior."

Bom, se você leu o texto até aqui e ainda acredita nisso, é porque a racionalidade lógica humana ainda
não chegou, e talvez ainda esteja seguindo os zumbis e macacos, ou pior já seja um com transformação
irreverssível e que adora se alimentra de criancinhas, afinal cadáverses infantis não faltam por lá .

Quem veste a camiseta de Che Guevara(o Fidel morto) tem mais semelhanças do que pensa com quem
usa a suastica Nazista. Não é opinião pessoal, é baseada em fatos e uma classificação não linear. A
grande diferença em Cuba e Alemanha Nazista é que em um o mantra é "Viva la revolucions" e no outro
"Hei Hitler".

Porque o livro diário de Hitler foi proibido a venda no brasil, e do Che Guevara passam até filme em TV
aberta? porque a sustica é proibida pela constituição e a foice é usada em substituição a bandeira
brasileira nas invasões de estudantes? Obviamente é tendencioso, tentam lhe vender a uma coisa
tentando lhe esconder a racionalidade critica. Ambos os sistemas mataram. Ai voce decide se prefere
matar judeus ou criancinhas? Ou como alternativa prefere a vida?

Se for falar em igualdade entre as pessoas, obviamente Cuba não é exemplo, e o melhor exemplo, por
ironia, esteja talvez nos EUA, na comunidade Amich na Pensilvania sem telefone, televisão, carros... (não
estou defendendo qualquer regime), apenas descontruindo farsas repetidas como mantra aos zumbis /
macacos.

Vimos vários exemplos no quadrante inferor (nazismo, Cuba, , fascismo) ou tentando chegar no
quadrante inferior (ditadura militar e governo PT), todos fracassados economicamene, socialmente, e
retirando a liberdade do indiviudo. Esse é o poder destrutivo do estado, seja vindo da esquerda ou
direita.

Até o momento descontruimos conceitos de esquerda e direita, mostrando que vários casos históricos,
poderiam pela racionalidade de Nolan serem classificados fora desse eixo.

Reconstruindo

Você é de Esquerda, esquerda mesmo? Então é a favor da liberdade individual, da legalização drogas,
liberdade de jogo de azar, de lutas de animais, permitir a igualdade de de acesso a educação (sem cotas
ou distinção social), saúde e segurança, voto facultativo, liberdade de uso de armas pela sociedade,
acabar com regimes de previdencia difeneciados do funcionalismo publico, legalização aborto,
alistamento militar facultativo, imposição barreiras comerciais e alfandegarias, taxação de produtos pelo
estado, criação novos impostos, é contra aposentadoria mais cedo a mulheres ou militares, é a favor
justiça com as próprias mãos

Você é de direita, direita, então em linhas gerais é só trocar o posicionamento.

Se é centro, pode ser um pouco de cada.

Se é liberal, liberal então é liberado, sem taxas, sem impostos, sem regras pré definidas que seja
obrigado a seguir.

Existe algum regime ou posicionamento no diagrama de Nola que seja perfeito? Não

Que funcione sempre? Não

Qual o melhor regime? Depende, existem alternativas.

Prefiro começar respondendo pelos quais não funcionam.

Pelo desenvolvimento do texto, verificamos que o quadrante inferior pode funcionar a curto prazo tanto
para econômia, indivuidualmente e crescimento da nação (Caso Nazista alemão é um exemplo, cubano
nunca foi), porém a médio e longo, a situação se degrada a níveis piores ao seu surgimento. Não faltam
exemplos, além dos casos que estavam em transição, como ditadura Militar e PT. Verificamos que esse
não seria o posicionamento em que algum dia pode-se dizer funciou ou funcione. Ou vc ainda acredita
em Cuba, Venezuela e Coreia do Norte?

O posicionamento por outro lado, extremamnet liberal, quadrante superior, acredito que até
intuitivamente, entenda-se que seria pouco aplicavél a uma sociedade grande. Talvez aplicavél a uma
comunidade reape pequena e com alguns valores culturais relativamente homogenos.

Você provavelmente não se enquadrou nos extremos esquerda e direita, pelo menos um ou outro
ponto deve ter discordado de cada posição. Na natureza não temos seres iguais, entre os macacos,
abelhas, formigas, plantas e com humanos não é diferente, mesmo quem fala retoricamente ser
completamente de esquerda ou direita, efetivamente não o é.

O que nos faz eliminar os extremos esquerdo, direito, superior e inferior.

Então alguém pode pensar, é só ser centro e está tudo resolvido, também não. Pois pode ser um
fracasso, ou não. Depende!
O Brasil por exemplo,é um tipico exemplo, poderia adotar qualquer posição no diagrama e mesmo
asssim continuar um fracasso econômico, de educação, de saúde e segurança.

Em uma econômia globalizada, a menos que você seja uma ilha autosuficiente em tudo, você depende
de politicas externas, e se depende de politicas externas existe a lei da oferta e procura, tratados
internacionais... Existe ainda o dinheiro, a menos que você sej a tal ilha, na base do escambo entre seus
membros, fará trocas financeiras.

Não existe mais um país que pega seus tanques de guerra e sai tomando tudo, é necessário ter produtos
e serviços bons, baratos que vão de encontro ao desejo das pessoas. Através disso as nações conseguem
ganhar mais ou perder monetáriamente e ainda dividir ou não esse ganho através de ações sociais ou
não.

Aos desavisados, é um conceito muito mais amplo que balança comercial favorável, por exemplo o
Brasil pode ter uma balança comercial extremamente favorável e continuar sem recursos a população.

Se você já está se libertando do mantra Zumbi, da camisa do Cheguevara, talvez já tenha captado.

O Brasil no meio de sua maior crise, possuia balança comercial extremanete favorável. A econômia é
basicamente indexada a moeda estrangeira. Necessitamos do exterior de insumos agricolas, máquinas,
gasolina, tecnologia, eletrônicos ..... Ou seja uma balança comercial favorável por si só pode ter poder
inflacionário. Deixando a população em geral mais pobre e alguns empresários mais ricos (alguns
setores em alta) a maioria em queda. Ou ainda a ineficiência da maquia publica comer recursos, como
aumento de funcionalismo acima da evolução do PIB.

Qual o problema do Brasil atual, que em qualquer quadrante pode ser um fracasso?

A nossa baixa produtividade. Entendo-se produtividade o resultado do trabalho, dividido pelos recursos
utilizados para produzi-lo. Para se alcançar produtividae é preciso ter competência, o que também não
temos (salvo exceções).

Como não somos uma ilha autosuficiente, o caminho lógico seria gerar competência, depois
produtividade, com isso ganhar recursos e somente após teríamos um desenvolvimento sustentável
(social e econômico). Isso em qualquer regime escolhido, excluindo-se os extremos.

A falta de produtividade e competência não é opinião é fato, serão apresnetados números, não
opiniões. Para se ter competência, inicia-se pela educação:

O Brasil está mais perto dos piores exemplos do mundo do que dos melhores. Em seu Relatório de
Capital Humano, o WEF colocou o país na 88ª posição de um total de 122 países quando se trata de
educação. Isso nos coloca mais perto dos lanternas Burkina Faso (121º) e Iêmen (122º) do que da
Finlândia (1º) e Canadá (2º), que lideram neste indicador
Para chegar a esta nada honrosa posição, o Brasil falhou principalmente na qualidade do ensino em
matemática e ciência, quando de fato ficou entre os 15 piores do mundo, em 112º lugar. O ensino
Brasileiro piora ano a ano. São números não opiniões.
Se extratificarmos os dados do baixo desemplo internacioanl, com foco interno, verificararemos que a
educação publica no Brasil a nível básico e médio e significativamente pior do que nas escolas
particulares (Enen, Ideb). Por outro lado o professor da rede publica nesses níveis ganham mais, tem
mais beneficios, tem mais formação que na particular (dados USP, IPEA).
Portanto, se você é um zumbi que repete "os professores tem que ganhar mais", pela racionalidade
humana dos números, obviamnete não se trata de baixo salários aos professores (como o discurso
politicamente correto prega), pela lógica, pela racionalidade os professores do ensino público poderiam
ter seus salários baixados, perder alguns beneficios e melhorar o resultado dos seus alunos. Seria um
ganho espetacular de produtividade. Alias seria um fator motivador. Ajudaria a redistriuir riquezas já
que comparativamente ganham mais a nível de magistério que os trabalhadoes com mesmo grau de
estudo de outras áreas. lembre-se, se você é de esquerda conceitualemnte concorda com isso!
Você está afirmando que os professores do ensino publico são ineficiente e incopetentes? Sim, como
classe sim, os números demosntram isso, não é opinião o resultado final é mediocre. Talvez até
poderíamos usar uma palvara que seja abaixo de mediocre!
Mas o professor publico possui mais cursos, e é mais treinado, e mesmo assim entrega resultados
piores. Importante que o conceito de competência não é atrelado a número de cursos e títulos e sim na
capacidade de saber fazer (conhecimento+habilidade+atitude).
E porque um professor publico não desenvolve mais habilidade e atitude. Porque não precisa
(estabilidade) não é demitido mesmo que apresenter sucessivos resultados mediocres, porque sua
recompensa é por títulos, por tempo de profissão e não por resultado, porque não tem desconto na
greve, porque não perde varíavel por absenteismo mesmo que com atestado, porque tem muitos
beneficios que não estão atrelado a resulatdos (aposentadoria mais cedo, licença premio).
Enfim o serviço publico de educação não premia os melhores e também não pune os piores. Um
professor com resultados excepecionalmente positivos deveria ter o direito de ficar muito bem
financeiramente e até ter seu status elevado. Em contra partida o medíocre repetitivo, sequencialemnte
deveria ter seus beneficios retirados, até ser demitido. O exposto é matemática, é ciência, não é
opinião. É normal que muitos não concordem, afinal temos uma educação abaixo da medíocre!
Que tal premiar professores pelo resultado de seus alunos, pelas patentes desenvolvidas, pelas
parcerias publicos privadas desenvolvidas, pelos artigos publicados em nível A internacional? Que tal
tirar beneficios dos professores que não atingirem metas de ensino.
A solução seria privatizar?
Talvez sim , talvez não! Pode ser uma alternativa, estado minimo e paga quem puder, o retso fica sem
educação. A educação seria provavelemnte qualitativamente e individulamente melhor, porém muitos
não teriam oportunidade miníma, e a educação média poderia baixar ainda mais. Acredito não ser justo
e benefico em uma visão holistica social.
Um sistema misto tipo de voucher oferecido pelo estado, talvez fosse uma solução aplicavél e rápida, ou
também manter o ensino pulico pelo estado e torna-lo eficiente (mais lenta por demandar mudança
cultural), ou ainda trabalhar nas duas frentes. Quando não se prende a uma linha esquerda, diretia,
racionalmente, várias solucções são possíves e eficazes, com resultados históricamente testados e
aprovados. Porém deve-se decidir um caminho e segui-lo, nos últimos 20 anos só andamos para trás em
comparativos internacionais, sem qualquer senso de direção! Nessas horas que um pato é melhor que
um macaco!
Novo conteúdo programatico desenvolvendo nos alunos não apenas conhecimento de enciclopédia,
focar habilidades e atitudes já no ensino básico, pagar melhor apenas quem da resultado, demitir os
piores, e tirar bonus dos abaixo da média. benchamrc com os melhores países.
Simples, e não precisa necessariamente mais dinheiro para isso, apenas racionalidade e eficiência de
gestão. Para quem veste camisa do Cheguevara, Cuba faz muito mais com menos, então esses
professores tenho ceretza não teriam problemas em ganhar menos para contribuir com o estado. Não é
mesmo?
Deve-se entender que conceitualmente motivação não é sinônimo de satisfação e ficar dando
sucessivos aumentos a uma classe que pouco oferece em troca, sem conttra partidas não motiva
ninguém a produzir mais. O resultado está ai para ser visto. Só não veem os zumbis do assasino che
guevara e os macacos.
Se não concorda com a observação sobre motivação, então teremos que mudar a etimologia da palavra,
que vem do Latim Movere, que significa mover para realizar determinada ação.
Se estou extermamente satisfeito irei melhorar ou apenas faezr o necessário para me manter satisfeito?
Ou se estou insatisfeito me manterei insatisfeito ou tenatrei fazer algo para mudar? Eis que
conseitualemnte satisfação é diferente de motivação.
Mas um politico populista diria " vou trabalhar pela satisfação dos professores", e ganharia votos, uma
afirmação desconexa.
Obviamente tudo com formação continuada, focando não apenas conhecimento mas também
habilidade e atitude. todos os países com IDH elevado fazem isso. Não precisa inventar a roda.
Ou o estado procura ajudar a educação, ou abre mão dela e passa a responsabilidade do gerenciamento
a iniciativa privada. Aos ignorantes de plantão veja que em nenhum momento mencionei a perda do
controle pelo estado. É possível exercer controle sem o gerenciamento. Tira a encosto da esuqerda e
direita de seu corpo, raciocine!! Hoje cada dia se consome mais recursosos publicos e consegue-se
piorar a educação. Talvez o primeiro passo seja deixar de atrapalhar.
E ainda vem o pessoal dito de esquerda, que não é tão de esquerda defender um currículo que era
utilizado na década de 60 nas nações desenvolvidas, onde todo mundo até os 18 anos deve decorar uma
enciclopédia, e quem tiver decorado mais passa em uma prova e está na faculdade. Obviamente sem
medir habilidade e atitude.
Quando o governo tenta dar uma modernizada no currículo, elevando da década de 60 para década de
90, 30 anos parece ser muito aos falsos esquerdistas que então invadem escola, fumam maconha,
esfaqueam, depredam e tiram a bandeira do Brasil e substituiem pela vermelha com foice. E fazem
apologia a Cuba, que como vimos não é puramente esquerda se olhada sobre o perspectva não linear.
Ah, esqueci de mencionar que o líder do movimento no Paraná é um estudante de escola particular,
com dinheiro e extremamente atrasado nos estudos sem ao menos ensino médio concluído e foi
contratado oficialmente por um candidato a prefeito que pregava a gestão inteligente, e esse cara quase
se elegeu.
Parece surreal, não é real!!
Como o forte do Brasil não é cumprir regras a Tv passa a noticiar diariamente o big brothers das
invasões e MPF, juizes, governadores se enrolam em cumprir a lei, com medo de afetar as suas
respectivas popularidades. Afinal estamos em um país populista, popularidade vale mais do que cumprir
a lei. Zumbis e macacos obviamente não respeitam as leis humanas.
Por outro lado quando manifestantes invadem o Congresso, imediatamente deputados vão a tribuna
fazer discursos de ordem e pedir a prisão dos manifestantes, incornformados com o ataque a
democracia.
Qual a diferença entre os manifestantes de "direita" que invadiram o congresso, os estudantes de
"esuqerda" que invadem escolas, ou professores do Paraná que tentam invadir a Assmbleia Legislativa
ou ainda os funciona´rios publicos do Rio que folgaram na olimpiadas e agora não recebem salário e
saem invadindo? Um é de esquerda, outro de direta? Não, não, não. Em todos os casos estatistas
populistas, querem dinheiro, poder, uns querem o poder do estado pelo lado esquerdo (PCdoB, PT, PTU,
sindicatos) os outros pelo lado direito (intervenção militar dos generais). No final, já vimos pelo
diagrama, a tendência é chegar no mesmo lugar. E as semelhanças são muitas, invasores de esuqerda,
direita, professores e funciona´rios publicos mencionados são objetivamente contraventores e não
respitaram a lei. Imagine o que não fariam no poder.
O digrama de Nolan, modificado posteriormente por Marshall Fritz , mostra bem que existe muitas
semelhanças entre a "invasão de direta" (intervenção militar no congresso) e a "invasão das
esquerdas" (funcionário RJ, estudantes, professor PR), ambas apesar dos nomes esquerda e direita
estão muito mais no quadrante inferior (estatismo, populismo), e portanto possuem muito mais
semelhanças do que diferenças, uma apenas veio do lado esquerdo a outra do direito e tendem a se
encontrar no mesmo ponto do quadrante inferior.
De forma lógica e raccional, seria apenas aplicar a lei e pronto. Conter manifestação pacificamente e
deter os que opussesem resistência a respeitar a constituição de forma sumária.
Só que isso aconteceu apenas ao mecher diretamente com menos de uma centena de deputados,
quando invasões de escolas por meia duzia, retirando o direito de milhares de estudantes de estudar
nada aconteceu, levaram-se meses para uma atitude amena. E ainda os professores conraventores que
tentaram invadir a assmebleia se passaram por mocinhos e injustiçados e querendo aumento. Pela
racionalidade humana, o seu representante oficial APP deveria pagar o prejuízo, pagar as balas, o
deslocamento do efeitvo policial.
Mas falar isso não é politicamente correto, e não agrada, até causa revolta, por um simples motivo, a
maior parcela da sociedade não é esquerda nem diretia, é estatista é populista. Basta ver definições
moldadas ao longo da hisótia, não aquela que você apenas ouviu falar e nem sabe de onde.
Vltando a DIlma, podem vir, e dizer mais Dilma deu financiamento educacional ao ensino superior,
justamente beneficiou as instituições privadas, beneficiou os que ja possuiam condições de estudo com
ensino médio conlcuído, sem qualquer contra partida para o estado, ou seja em nada melhorou a
qualidade do ensino publico e não deu e igualdade de oportunidades aos mais carentes através do
ensino fundamental e médio que piorou internacionalemnte flando.
Ainda conseguiu elevar o analfabetismo após 2012, que desde 1996 vinha em queda, hoje são 15
milhões de analfabetos, , piorou o ensino fundamental e médio. Os resultados estão ai, gastou mais e
mesmo assim piorou o ensino (Ideb, Enem, Pisa). Ou seja, conseguiu algo inédito, piorou a eficiencia do
ensino publico no numerador e denominador.
Obviamente que a concessão de bolsas até no exterior a estudantes sem contra partidas, foi muito mais
um ato populista em angariar alguém em idade de voto, do que um ato socialista, pois ao inves de
melhorar o ensino publico fundamental e médio piorou. Aumentando a desigualdade entre quem pode
pagar por ensino de qualidade e quem não pode.
Ou seja a interferência dos estados seja através dos politicos, dos servidores, professores na educação,
partidos politicos, hoje é catastrófica. Ou o estado muda o seu posicionamento, ou passa esse
gerenciamento a outros. Ambas as hipoteses podem funcionar desde que, aplicadas com conceitos de
produtividade, eficiência. E a tecnologia funcional que é pouco utilizada nos entes publicos também
pode ajudar!
Veja que não se trata de esquerda ou direita. Estado grande ou pequeno. Apenas um conceito
eficiência. Existem exemplos bem sucedidos nos dois casos. Como por exemplo Noruega e Coréia do Sul.
Para mudar esse cenário, salienta o estudo feito pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas
(Fipe), sob encomenda do Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial (Etco). , as administrações públicas
precisariam passar por um choque de gestão. Para Zylberstajn, o Estado contribui para a ineficiência
quando tem uma relação com seus funcionários que garante estabilidade e raramente cobra o
cumprimento de metas.
“Se cada funcionário público fosse permanentemente avaliado, como acontece no setor privado, seu
rendimento seria melhor.” As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".
No quesito Eficiência do Governo, Índice de Competitividade Mundial 2015 (World Competitiveness
Yearbook – WCY), desde 2011, o País figura entre as cinco piores nações neste fator e, no ranking deste
ano, apresentou uma queda de duas posições, chegando ao 60o lugar, à frente apenas da Argentina.
O funcionalismo e governo conseguem ainda empurar toda cadeia produtiva para baixo, ao mudarem
constantemente regras fiscais com excessos de tipologias de impostos, obrigando a contração de mão
de obra não produtiva pelo empresariado, agencias reguladoras sem regras claras, leis trabalhistas
engessadas, não respeito a contratos pelo judiciário, atraso de pagamentos a entes do setor privado,
sobre taxas aleatórias e incosntantes sobre produtos importados, aumento de mais de 50% da energia
elétrica em um ano, combustível sem regra definida de preços com aumento e preços superiores ao
internacional, fatores que oneram toda cadeia logistica, geram inflação e moeda fora de controle, com
aumento de, materia prima, seguros, fretes, mão de obra.
Alguns exemplos, funcionários da receita fazem greve todo ano, atrasando todo o tramite de liberação
de improtação e exportação, empresas param , funcionários ficam parados. Ou fazem estoque já
prevendo o problema, Adeus just in time. A conta obviamente vai para o produto, já entra no
orçamento anual a greve da Receita, que na verdade é umas férias remuneradas!!.
Criam ainda impostos e taxas novas, mudam regras, o sistema de emissão de notas fiscais fica fora do ar
várias horas por ano e tudo para. Para se ter uma idéia uma venda de poucos reais para o Nordeste o
emrpesario deve imprimir va´rias guias e pagar taxas de centavos, além do fundo da seca no nordeste, e
o frete pelo correios que saem mais caros do que mandar um produto do EUA para China.
Um funcionário precisa faltar parte do dia de trabalho para ir ao Detran, Receita, Correios, justiça
eleitoral e empresas publicas, que obviamnete deveriam ter agendamento programado e horários
extendidos além do horário comercial. Ainda o funcionário não pode trabalhar depois do horário para
compensar as horas, pois a legislação trabalhista não permite esse acordo, a menos que seja negociado
previamente banco de horas com sindicatos patronal (horas de negociação).
Existem vários dizeres a respito do serviço e empresas publicas:
"Uma compania de petroléo com monopolio é o melhor negócio do mundo, o segundo melhor negócio
do mundo é uma compania de petroléio com monopolio mal adminisrada, e a maior divida do mundo é
a da Petrobras"
Mas a Petrobras é super importante para o Social ! Bem leiam o artigo do Professor Puppim, onde
demosntra o comparativo de vários balanços sociais de empresas, e os melhores indicadores de
aplicação de % do lucro em questões sociais é da iniciativa privada.
A Caixa econômica é uma piada de mal gosto e irracional, se comparado ao faturamento e lucro de
bancos privados possui mais de dez mil funcionários excedentes. Pela legislação a realocação desse
pessoal a outros entes publicos é complicada, então, pela racionalidade existem o equivalente a dez mil
pessoas inuteis, ou ainda dividino seu tempo ocioso com os demais funcionários, tornando cada
funcionário em média um pouco mais ocioso.
A caixa alguns poderão defender que é essencial ao social, para programas haitacionais. Se mais de 70%
da receita é para pagamento de folha, sendo a maior parcela os funciona´rios publicos. Sobram apenas
2% para programas sociais, que não se restringem a habitação. Imaginem o quanto poderiam ser
destinados aos mais necessitados se fossem demitidos funcionários excedentes ganhando acima do
mercado.
A caixa ainda patrocina times de futebol, que tiveream ser cartolas indiciados e até presos. Quantas
familias carentes não poderiam ser auxiliadoas com essse dinheiro que fica na mão de cartolas e
jogadores?
A caixa capta dinheiro da poupança, pagando 0,7 da Selic e fazendo financiamento acima da Selic, ou
apenas reenvistindo em títulos do tesouro. Tirando dinheiro do mais simples e desinofrmado e ainda
dificultando o crédito ao empreendedor e classe média.
Muitas cidade do interior tem a Igreja, a Pernabucana, a Caixa eo BB. Então para que os dois bancos:
para aumentar a folha de pagamento com funcionários sem produzir, tirra dinheiro do humilde
poupador, aumentar o valor do financiamento a classe média, para patrocinar futebol e fórmula 1 com
o pretesto de um repasse inferior a 2% a propgramas sociais. Com eficiência , produzir mais com menos,
teríamos mais lucros e consequentemente possibilidade de maior repasse percentual e quantitativo a
programas sociais.
Para abrir uma conta juridica no Itau é possível fazer pelo smart phone, o gerente lhe manda por
motoboy o original para assinar, na caixa e BB pedem até declaração de imposto de seu conjuge. Afinal
só a caixa em valores de outubro 2016 possui mais de dez mil funcionários sobrando. Precisam arranjar
o que fazer!
Nos sites internacionais de venda muitos não enviam ao Brasil, motivo, não conseguem calcular
impsotos, saber qual regra de fiscalização seguir, se cansam de retorno dos produtos e preferem deixar
de vender.
Uma pequena caixa com protudo, custa mais barato o envio entre países que necessitam atravessar
oceanos do que enviar algo do Sul ao Nordeste. É a eficiência dos correios em ação.
No detran, você entra em um fila, para a atendente dizer qual outra fila você deve entrar, para na outra
fila marcar ou solicitar alguma coisa que não ficará pronta na hora. As vezes querem que você resolva o
problemas de cadastro do veículso do dentran de outros estados. Os detrans não se comunicam quando
é para resolver problemas, apenas se comunicam para cobrar taxas e multas.
Ha mais o servidor dirá, em entrei no serviço publico por meritocracia, através de concurso. Se já deixou
o seu lado zumbi em repetir tal asneira, e conhece conhecimentos de competência, já sabe que o
concurso avalia apenas parte de conhecimento e não avalia, habilidade, atitude....
Alias, já que muitas vezes o que improta é o salário, beneficios e estabilidade e não necessáriamente a
função e já que abrem concursos para tudo, mesmo que não seja para contratar ninguém apenas
arrecadar dinheiro, poderiam fazer um Enen dos concursos, você faz uma única prova e já fica
ranqueado em várias disciplinas que escolher como direito administrativo, direito consitucional,
português, raciocinio lógico, inglês ...
Quanto dinheiro economizado poderia ser utilizado na área social ou estrutural? E você precisara
decorar tudo apenas uma vez !!
Por falar em concursos, um juiz ganha com beneficios mais aqui do que na Suécia, um deputado tem
mais acessores aqui do que em todas as nações desenvllvidas. Um juiz tem direito a auxilio moradia,
mesmo ja tendoa moradia própria no local de residência.
Um juiz rouba, rouba, rouba, é condenado a uma grande pena. Aposentadoria vitalicia !! Nos tibunais do
Paraná durante a Copa emendaram tudo com a jjustificativa "manter o facil escoamento da população".
O Inciso XI do Artigo 37 da Constituição é explícito, Atenção! Não há leitura possível que possibilite, pois,
a qualquer servidor, receber, em valores atuais, mais do que R$ 33,7 mil. E, como se sabe, contam-se
aos milhares os que ganham muito mais do que isso. Os juízes magnanimos do STF, "os estupradores da
constituição", como dito por poucos jornalistas que não se limitam a repetir os desejos de seus editores
e patrocinadores, como Reinaldo Azevedo, diogo Minardi, propõe alterações na Lei Orgânica da
Magistratura (Loman), possibilitando que juízes cheguem a rendimentos superiores a R$80 mil.
Obviamnete que deixar juízes, deputados arbitrarem sobre seus p´roprios salários é o mesmo que deixar
que o lobo cuide das ovelhas.
Mas os funcionários publicos fazem vista grossa para isso, afinal, mais ridicularmente existe o efeito
cascata, todos passam a ganhar mais, e por isso apoiam um absurdo, tornando o absurdo ainda maior.
Onde estão os pseudosocialistas nessa hora? Brigando pela igualdade ou brigando por seu aumento? O
grande pensamento intelectual é "vamos apoiar esse aumento do judiciário que também vem algo para
gente!"
O custo de um deputado é superior ao de todas as nações desenvolvidas, e o povo só reclama do misero
salário de trinta e poucos mils. Em pouco tempo com os zumbis e macacos reclamando de algo irrisório,
eles diminuem o salário em 50% e aumentam os beneficios em 500%. Seria um baita negócio para eles e
deixaria o povo feliz, não é mesmo ? Assim como os juízes já o estão fazendo!
Estados tem governadores que se aposentam vitaliciamente com menos de um ano de trabalho. E o
povo ainda elege vereador seu filho. Curitiba é um exemplo!
Um exemplo de incopetência extrema, é termos RG, CPF, título eleitor, número carteira de motorista,
certificado de reservista, carteira de trabalho.... E tudo em banco de dados separados, com equipes de
CPD separads, com backups separados, e sem consulta eletrônica individual ou integrada. Alguns
milhões para manter milhares de funciona´rios que facilmente poderiam ser reduzidos em 5 ou 6 vezes
com o mesmo resultado. E utilizados em algo que retornasse em utilidade a sociedade.
E para que serve o título de eleitor, para nada. Você sabia que não consegue votar somente com o título
de eleitor. Mas consegue votar somente com a carteira de motorista. Se informe! Quanto não sai esse
papelzinho sem utilidade? Há vem um funcionário publico TRE dizer, "mas serve para saber a zona e a
seção". Ai vem alguém com racionalidade lógica e diz, mas não pdoeria disponibilizar essa informação
na internet ou via sms? O funcioário zumbi do TRE diria "ma snão é todo mundo que tem acesso a
internet" A racionalidade diria, mas se existem mais celulares do que brasileiros, a grande maioria
mesmo de calsses C,D,E tem acesso sim, e economizaia um garnde tempo em não precisar ir ao TRE, e
deixaria de faltar parte d eum dia de trabalho.
É spo um exemplo de uma conversa entre um ser pensante e um zumbi (aos raivosos obviamnete não
estou afirmando que todos do TRE sejam zumbis), mas que a grande maioria é mera repetidora de
padrões isso é. E que esses padrões são muitas vezes ilógicos, improdutivos isso também é fato.
Com todo o funcionalismo e governo agindo contra o desenvolvimento, o ranking geral do Brasil
(publico /mais privado) está à frente apenas da Mongólia, Croácia, Argentina, Ucrânia e Venezuela. É a
pior posição do Brasil em toda a história do ranking. Efeitos diretos da ineficiência do serviço publico e
excesso de intervencionismo do governo sem regras claras.
Independente de esquerda ou direita, Qual a racionalidade de uma classe de servidor com serviços
mediocres (não é opinião, números são apresnetados ao longo do texto), requerer aumento ou reajuste
piorando imediatamente os resultados de produtividade (recursos gastos / produção)? E para isso fazer
greve e ainda não ter seu ponto cortado (férias remunerada)? E ainda com o país com decréscimo do
PIB constantes querer aumentos constantes? Trabalherem em média 2 horas a menos por semana (40h
semanais) que a iniciativa privada (42h), serem deficitários individulamnete praticamente 20 vezes mais
com a previdência que a iniciativa privada. Poderem acumular aposentadrias com desemprego em alta,
ganharem plano de saúde privado quando possuem o serviço do próprio governo gratuito. Obviamente
não existe racionalidade.
Ou seja, você que paga o salário do servidor publico trabalhar menos que você, paga duas vezes a saúde
dele, um parte para o SUS + plano de saúde+ saúde especial dos juízes e militares, e ainda quando
precisa de alguma coisa dos servidores, em mjuitos casos terá que faltar um dia de trabalho e ser
descontado ou perder faturamento.
A coisa é tão esdruxula, que só o Congresso Nacional gasta mais com a saúde de seus mebros e
familiares do que mais que 90% dos municipios brasileiros. Quer melhorar o SUS é simples todo ente
publico deixa de ganhar qualquer ajuda em plano de saúde privado e planos especiais (jupizes, militares,
assembleias...)
Vejam que os exemplos anteriormente citados não se encontra racionalidade nem na esquerda, que
prega igualdade individual, nem na direita que prega liberdade econômica. Eles encontram
racionalidade apenas em regimes do quadrante inferior. Populista, estatista, .
Se você é de direita, conceitualmente é contra a estabilidade do servidor. Se você é de esquerda
gostaria que o servidor possuíse os mesmos direitos de toda sociedade e não tivesse divídas com o
estado, ou seja pagasse sua divida com o estado INSS, trabalhasse 2 horas a mais por semana, tivesse
diminuição do salário com queda do PIB. Com isso dividiriamos igualmente os resultados do pai estado.
Isso sim seria esquerda.
Hoje um servidor publico sai para previdência o triplo do setir privado, um paosentado publico com
expctativa de vida de 20 anos sai em média 3,34 milhões aos cofres publicos, um militar um pouco mais.
Nesse caminho até 2035, segundo estudos de Paulo Tafner, a previdência irá consumir 87% da receita
da união. Em 10 anos 48% dos servidores publicos poderão pedir aposentadoria. O caminho é simples,
ou se faz algo, ou em 2035 salve-se quem puder. E quem irá se salvar? Os integrantes do comando do
governo, seja ele de esquerda ou direita e ainda os mais abastardos que terão mão de obra dos
"velinhos" abundante e barata para trabalhar!!
Sem mantras zumbis, sem amcacices, dadas as condições expostas. Qual a lógica de um professor se
aposentar mais cedo nessas condições? Ele possui um trabalho mais dolorido, mais dificil do que outras
classes? A mulher trabalha menos porque é mais sensível, mais sentimental? Cade as feministas
brigando por direitos iguais? Ou um militar ao se aposentar ter promoção e ainda deixar pensão vialicia
a filhas mulheres após a morte. Ué, onde está a consituição que preve igualdade de generos?
Obviamnete que a choradeira será coletiva, o funcionalismo publico irá dizer mais eu pago a previdência
complementar e assim tenho ditreto. OK, lembrando que até a previdência complementar é subsidiada
e gerida por órgãos publicos. Basta aplicar matemática financeira, valor presente, valor futuro e o
rombo está demosntardo Não é opnião é matemática. Mas como o Brasil é um dos últimos no ranking
de mateática obvianete essa conta não é entendida pela população.
O furo de bilhões no fundo de previd~encia dos correios e Caixa econômica sera pago por quem? Uma
pequena e esdruxula parecla pelos funcionários para legitimar a opinião publica, porém o grosso, já se
sabe por quem.
Qual o politico tem corajem de dizer isso e cortar aposenatdorias especiais de juizes, politicos, militares
e funcionalismo publico? E mesmo se houvesse não teria votos. Afinal quem quer trabalhar mais e
ganhar menos? Onde estão os Altruistas da sociedade? A bondade existe na hora de dar esmola na
santinha da Igreja, esmola no sinaleiro, fazer um evento benificinete, fazer uma visita no orfanato, mas
na hora da real divisão quem pode foge correndo, mas não pode perder a pose de bom moço(a).
A gestão do funcionalismo, a classe funcionalismo em si, são atualemnte irracionais, surreiais, absurdas,
bizarras, além de uma força contrária ao desenvolvimento. Primeiro passo é recuperar a racionalidade.
Sendo politcamnete incorreto, para refletir....
Os fncionários publicos do Rio, por exemplo, tomaram muito cafezinho e agora precisam protestar
para garantir o feijão! No Paraná o governo garante salário e é linchado!!
Esse é o retrato do funcionalismo, serviços medíocers, invadem, depredam, querem ganhar na força e
ainda se acham injustiçados. Nesse ritmo e com desemprego superior a 20%, em pouco tempo quem
estará sendo alvo de depredação serão os funcionários da máquina publica (eletivos, concursados ou
não). Não é um desejo pessoal, apenas uma cosntatação baseada em fatos históricos.
Deem uma espiada no filme Relatos em Furia, produzido por Pedro Almodovar, onde é implodida
inteiramente uma repartição publica do pior serviço publico do mundo "Argentina" o Brasil como
segundo pior talvez não esteja longe desses acontecimentos. Alias se me recordo já teve gente
acelerando caminhonete contra repartições publicas e quebrando vidros em Brasilia, a pessoa inclusive
apesar de presa e destruir a caminhonte saiu feliz. Ou manifestantes quebrando porta do Congresso,
entrando tipo arrastão, dando porrada nos seguranças, sendo presos e saindo felizes da vida. Muitas
coisas surreais estão por acontecer! Acreditem!
Não terá lei de desacato de autoridade ou servidores que darão jeito em um contigente de mais de 20%
de desempregados, que efeivamente produziam vendo tantos agentes improdutivos ficarem tranquilos
ganhando suas reposições, aumentos e beneficios. Nesse ritmo Pedro Almodovar gravará Relatos de
Furia II, no Brasil e baseado em fatos reais!!

Normalemnte conceitos de racionalidade pregariam diminuição do salário médio conforme PIB ou


demissões proprocionais, corte de comissões e bônus a quem não atingisse objetivos calramente
definidos. Corte de cafezinho e gastos extras com pessoal. (é normal repartições publicas ficarem com
as luzes ligadas mesmo sem ninguém no escritório) Pagamento individual da divida com previdência,
reajuste de contribuição previdenciária.Vejam que nem estou falando em melhorias, apenas em não
piorar, em manter.
Ai vem o funcionalismo dizer, o problema são os comissionados. Argumento chulo, uma vez que 70%
dos cargos comissionados são ocupados por concursados. Então que tal fazer assim, cargos
comissionados não podem ser ocupados por concursados, e ai proceder o corte de comisisonados.
Zumbis publicos iriam insistir , a estabilidade é necessária para evitar pressões politicas e a corrupção. A
racionalidade humana diria que a totalidade dos casos de corrupções em estatais tiveram a passagem
por um funcionário publico, sob influ~encia politica. Afinal sem eles nada disso seria possível. Vc está
afirmando que o funcionário publico é corrupto? Uma parcela sim, e que a estabilidade não impede a
corrupção, podendo até ajudar para que ela ocorra.
Hoje um servidor publico sai para previdência o triplo do setor privado, um aposentado publico com
expctativa de vida de 20 anos sai em média 3,34 milhões aos cofres publicos, um militar um pouco mais.
Nesse caminho até 2035, segundo estudos de Paulo Tafner, a previdência irá consumir 87% da receita
da união. É matemática, não é opinião!
Sem mantras zumbis, sem amcacices., dadas as condições expostas. Qual a lógica de um professor se
aposentar mais cedo nessas condições? Ele possui um trabalho mais dolorido, mais dificil do que um
gestor que um motorista de ônibus? Ou um militar se aposentar e ter promoção e ainda deixar pensão
vialicia a filhas mulheres após a morte. Ué a consituição não preve igualdade de generos?
Olhem abaixo um texto elucidativo de Leandro Narloch 18/02/2016
A bancada de deputados federais do PT dissem 2016 que a reforma da Previdência não é prioridade do
governo.
Concordo. A crise da Previdência já deixou há um bom tempo de ser uma prioridade. Hoje está mais
para uma bomba atômica que estamos armando para os nossos netos.
O governo gastou 123 bilhões de reais em 2015 com o rombo das aposentadorias. É quase o mesmo que
com os ministérios da Saúde e Educação somados (130 bilhões).
Com uma população jovem (70% dos brasileiros estão em idade de trabalhar), o Brasil já gasta, em
relação ao PIB, o mesmo que Espanha e mais do que Suíça e Inglaterra, países “velhos”.
Se o problema já é grave agora, imagine daqui a pouco. Até 2060, o número de brasileiros com mais de
65 anos vai se multiplicar por quatro – e a parcela de idosos vai passar de 7,4% para 26% da população.
A aposentadoria de 1 milhão de servidores causa prejuízo maior do que aquele gerado pelos 28 milhões
de beneficiários do INSS. O rombo, de 67 bilhões, custa quase três vezes o Bolsa Família.
No regime de Previdência rural, a arrecadação é 13 vezes menor do que os gastos, que superam os R$
90,1 bilhões, contra uma arrecadação de R$ 6,9 bilhões.
“É como a Grécia, só um pouco mais louco e numa escala colossal”, costuma dizer Paulo Tafner,
pesquisador do IPEA.
Mas sabe como é: reforma da Previdência é o tipo de assunto que não dá votos. Por isso, para os
deputados do PT, não há motivo para se assustar com a Previdência. Tá tranquilo. Tá favorável
Agora se quer seguir a opinião dos sindicatos (aqueles que lhe obrigão a pagar um dia do seu trabalho,
que falaram para votar na Dilma), o rombo na previdência é uma farsa. Então está tudo bem, vamos nos
aposentar aos 40, 50 e viver até os noventa!! esqueçam conceitos de matemática financeira VP, VF,
fluxo de caixa... tá tudo certo!
Obviamnete que a choradeira será coletiva, o funcionalismo publico irá dizer mais eu pago a previdência
complementar e assim tenho ditreto. OK, lembrando que até a previdência complementar é subsidiada
e gerida por órgãos publicos. Basta aplicar matemática financeira, valor presente, valor futuro e o
rombo está demosntardo Não é opnião é matemática. Mas como o Brasil é um dos últimos no ranking
de mateática obvianete essa conta não é entendida pela população.
O furo de bilhões no fundo de previdência dos correios e Caixa econômica sera pago por quem?
Obviamnete que não será do servidor, no máximo irão faezr um bem bolado, o servidor paga uns
miseros mils reais para fazer de conta que está sendo penalizado e o grosso vem da iniciativa privada.
Qual politivco tem corajem de dizer isso e cortar aposenatdorias especiais de juizes, politicos, militares e
funcionalismo publico e ainda cobrar o atrasado? Obviamnete que pela atual legislaçõa parte disso não
é possível.
O que aconetceu com o funcionário publico responsável pela contrato de instalação dos splits no
aeroporto do galeão, o que aconetecu com o funcionário publico rsponsavel pelos contratos da Cohab
Paraná? Eles tem estabilidade, e mesmo quando alguém tenta por ordem no coreto é barrado pelo
judiciário que coloca a estabilidade acima de tudo, dando novas interpretações ao (art. 41) da
Constituição Federal , quanto a lei no 8.112, de 12/12/1990.
O fucnionalismo poderia falar, mas em outros países também tem estabilidade. É verdade, assim como
outros não posuem. Mas em qualquer nação desenvolvida o cara do split e da Coabh estariam
demitidos e pagando os prejuízos, independetnte de estabbilidade ou não. Em alguns casos até preso.
O que estudos tendenciosos, desprovidos de conteudo não demonstram é como esssa estabilidade é
exercida em outras nações, sob que condições, essas fontes apenas tentam dar caracter de
racionalidade ao que no Brasil é surreal, é irracional.
A melhoria além de reduzir gastos, desperdicios presentes e futuros, é claro seria trabalhar com
competência e gerar mais resultados. Hoje não se faz nem um nem outro.
O dinheiro que se perde com a incopetência dos entes publicos, é estimado ser bastante superior ao da
corrupção, que alias também sempre tem ou teve um ente publico envolvido, sem a qual não ocorreia.
Mas o que os zumbis repetem apenas a "corrupção é um absurdo" e devido ao populismo ninguém fala:
"A classe funcionalismo publico é maior, mais cara e onerosa que os próprios politicos, possui
gerenciamento surreal, é incopetente, estão aqui os números provando isso." Os politicos são um
absurdo, e o funcionalismo são um absurdo ainda maior, qualitativamente e quantitativamente, os
números afirmam isso."
De acordo com Arhur Igreja (FGV), a incompetência do setor público brasileiro se torna assustadora ao
se comprar o patrimônio imobilizado das empresas estatais com o das empresas de capital privado. As
estatais têm 48% do patrimônio imobilizado no Brasil. Só que geram 24% do PIB. “Em outras palavras,
para cada R$1 de patrimônio que ela tem, gera R$ 0,50 de receita”, analisa Arthur Igreja. Enquanto a
iniciativa privada tem os outros 52% do patrimônio imobilizado e geram 76% do PIB. “Basta vermos a
Vale e a Embraer, que eram empresas irrelevantes internacionalmente e, tão logo foram privatizadas, se
tornaram referência mundial”.
Em uma pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI) deste ano. Um estudo da instituição
aponta que, nos últimos 43 anos, os investimentos tiveram uma redução de 60% em relação ao PIB.
Nesse contexto, o setor de energia elétrica teve a maior perda, cerca de 69,9% do PIB entre 1971 e
2014, de acordo com o levantamento. “Essa conta explodiu e o Brasil é hoje, com folga, o país com a
energia mais cara do mundo. Uma decisão incompetente que penalizou o sistema elétrico em mais de
130 bilhões”, segundo Arthur Igreja.
Ele cita como exemplo o caso da Petrobras, em que corrupção e incompetência xxformaram um combo
trágico. “As perdas com desvios de dinheiro na Petrobras, investigados pela Operação Lava Jato, foram
calculadas em R$ 6 bilhões. Já decisões administrativas equivocadas, como a do governo federal de
segurar artificialmente o preço dos combustíveis para controlar a inflação desde 2005, causaram uma
verdadeira devastação. Foram pelo menos R$ 50 bilhões em perdas por má gestão, além da perda do
valor de mercado na ordem de R$ 436 bilhões”, diz ele.
E o que acontece co esses entes publicos pelos suas egstões desastrosas, ganham aumento, reposição,
beneficios... Pedro Almodovar que aguarde, em breve grava o seu segundo filme baseado em fatos
reais.
Vejam como o discurso populista cola, um candidato falar " vou valorizar o servidor publico" ganha voto.
O foco do serviço público deve ser o cidadão e a qualidade dos serviços públicos – e não o servidor. A
boa gestão requer concorrência e meritocracia com adoção de prática universais de gestão. Aqui existe
uma inversão!
"valorização do servidor publico" se eles já são comprovadamente super faturados, com alto custo e
pouco resultado, ou ainda um politico afirmar "vou diminuir os comissionados e aumetar os
concursados" Perai, os comisisonados você pode baixar salários, demitir, estinguir facilemnte cargos, e
prefere um funciona´rio publico como custo fixo sem exercitar habilidade e atitude? Qual a lógica na
atual situação de crise? Apenas uma, da voto falar isso, a população quer ouvir isso.
Vejam que o populismo é dominante no discurso e aceitação da população, a esquerda e direita passam
muito longe disso. Um candidato relamente com principios de esquerda, direita, neo liberais, de longe
perde em votos para um populista.
Não é ser a favor ou contra o funcionalismo. É ser a favor do cidadãoe do serviço público" Regina
Pacheco, da FGV
Entes publicos em países desenvolvidos ajudam o país, no Brasil comprovadamente atrapalham.
Estado pequeno, ou grande, esquerda ou direita você escolhe, todos podem dar certo. Ambos podem
funcionar (Noruega X Coréia do Sul) Ineficiente não é uma escolha, é sofrimento, é fracasso na
economia, na educação, saúde e segurança. É o Brasil !
Desconstruimos as falacias, que o maior problema do Brasil é a corrupção ou politicos, apontando que
tão ou mais garves temos a previdência e o funcionalismo publico.
Porque em todos os posicionamentos politicos o Brasil tende a ser um fracasso?
Porque é irracional, surreal, não sabe onde quer chegar, a população é analfabeta isntitucional, não
sabe o que é esquerda e direita, neo liberal, estatista. E com isso abre campo e continua a esprea de um
novo populista.
O que fazer?
1- Primeiro é respeitar a lei:
1.1 - Invasão de escolas, propriedades publicas e particulares é crime, e deve ser tratado como tal:
professores, servidores e movimentos sociais obviamente devem ser punidos nesses casos.
1.2 - Barrar estradas e rodovias sem autorização legal é crime, quem o faz deve ser punido e vias
rapidamente desobestruidas.
1.3 -Dar reposição ou reajuste a funcionalismo com estado quebrado é crime de responsabilidade, está
na lei.
1.4 - Ganhar mais que o teto constitucional é crime. Quem o fez racionalemnte deve devolver os valores
dos 5 últimos anos reajustados, ou ter bens e recursos apreendidos, inclusive juizes
1.5 - Funcionário publico que faz greve obviamnete não deve ganhar, afinal não está trabalhando é até o
STF, chamado por jornalistas de os estupradores da constituição concordam.
2- Segundo - buscar racionalidade humana com ajustes nas leis e nos gastos com: mudanças radicais no
modelo de gestão de previdência de de gestão de: servidores publicos e entes publicos. Além e
profundas mudanças no código e processo penal e civel .
Sem isso não adianta reforma politica, fiscal, não haverá educação publica de qualidade, nem saúde ou
segurança e não adinata nem querer debater estado grande ou pequeno, não adianta ser de esquerda
ou direita. Sem eficiencia estatal é do brasil para baixo.
Samuel Pessôa, Marcos Lisboa, O Antagonista batem na mesma tecla, é cortar ou morrer!! : o Brasil não
pode mas manter uma casta de servidores às custas do restante da nação:
"Temos um problema dramático: a sociedade distribuiu benefícios e direitos a pessoas, principalmente
servidores públicos, incompatíveis com a capacidade de crescimento e de arrecadação da economia que
suporta a sociedade. Que fazer? Elevar ainda mais os impostos e, com isso, aumentar as amarras ao
crescimento, já tão baixo há tantas décadas?
Os Estados terão de rever direitos. Se não o fizerem, os benefícios e os salários não serão pagos."
Simples!!
Quem efetivamente sustenta a casta dos servidores e o estado, ou não consegue mais ou não quer mais
pagar por nada!!
Qual o posicionamento adotar após retomar a racionalidade ?
O estado grande, porém eficiente pode funcionar, o que é o caso dos nórdicos, possuem estados grande
em % do PIB X população, bastante superiores ao Brasil, mas nem por isso são sistemas radicais de
esquerda ou totalitários. Uma vez que o estado apesar de grande em tamanho, preserva liberdades
econômicas e do indivíduo. Uma simples linha, esquerda direita não consegue classificar esses países.
Alías deve-se considerar o tamanho territorial , grau de estudo formal, formação cultural ineterferem
dra´sticamente para que esse sistema sobreviva com resultados positivos. Com respeito as leis
estabelecoidas formalmente e com participação popular e liberdades individuais. Aqui antes de
respeitar as leis atuais, melhorar eficiência publica através de gestão e alterções em leis, maior grau de
instrução. Esse sistema não funcionaria, precisaria uma mudança cultural que como a literatura e prática
apontam leva décadas. Sem isso, esse caminho prometido no discurso populista, seria apenas
subterfúgio para poder do estado e um desvio para baixo no diagrama de Nolan, e a Venezuela, Cuba
seriam o ponto final. Noruega ficaria lá longe, mais longe do que é.

O Índice de Liberdade Econômica de 2016 é a 22ª edição da Heritage Foundation em conjunto com The
Wall Street Journal que avalia o grau de liberdade econômica de 178 países. O Brasil aparace na 122
posição (pouca liberdade), Suécia na 23 posição, Suiça na quinta, Noruega 27 posição, canada sexta,
nova zelandia terceira, alemanha 16, EUA 12, Japão 20.
Vejam que países desenvolvidos como Nórdicos, Nova Zelandia, Canada, Australia, Japão, Coréia, Suiça,
Alemanha..aparecem com elevado grau de liberdade econômica. Será apenas uma conicidência?

 Fonte: Thiago Serpa Alves, 12/06/2016


As piores liberdades são Venezuela, Cuba e Coreia do Norte. conicidentemente rendas per capita, saúde
e educação mediocres. Inclusive apesar dos alardes de Cuba, nesses países com menor grau de
liberdade, os pobres são em média mais pobres.
Os nórdicos, no diagrama de Nolan, poderiam ser classificados no quadrante superior de liberdade (não
no extremo), ligeiramente a esquerda, EUA ligeiramente a direita. Com significativas diferenças no
tamanho proprocional do estado.
Ou seja temos exemplos de estados proprocionalmente em relação ao Brasil grandes(Noruega) e
pequenos (Coreia do Sul, Japão), bem sucedidos, o ponto não é somente esse. Porém observa-se uma
forte correlação entre liberdade X desenvolvimento. Portanto mais relevante que o tamanho do estado
é o grau de liberdade de uma nação.

Fonte:.https://www.institutoliberal.org.br/blog/economia/o-idh-de-um-pais-esta-ligado-ao-seu-grau-
de-liberdade-economica/

As nações com maior grau de liberdade, em geral são caracterizadas por leis simples, necessárias, sem
excesos, claras, respeito a contratos, mercado mais aberto a capital estrangeiro. Fatores que
certamente contribuem ao aumento de competitividade, produtividade e competência.
Verificar que não falamos em extremos onde tudo é liberado, porém em graus de
liberdade!Obviamente que nospaíses bem sucedidos apesar do grau de liberdade maior, existe
fiscalização eficiente. Deixar o cordeiro nas mãos do lobo, nunca deu certo!
Sobre as classificalções dentro do grafico de Nolan, vimos os desatres dos extremos inferior, a
inviabilidade do extremo superior, e a dificuldade em caracterizar um individuo ou nação puramente
nos extremos esquerda e direita.
Conparando várias nações, conclui-se que deve-se buscar uma região no quadrante superior (não
extremo) conforme correlações IDH X gau de liberdade. Estado grande ou pequeno funcionam desde
que eficientes (Eificencia publica X IDH) E que casos um pouco mais a direita ou esquerda podem
funcionar O posicionamento horizontal, possui fatores que podem ser explicados conforme
características histórcias e culturais de cada nação, seia pretensão achar o ponto ideal e ainda querer
padronizar tal posição mundialemnte. Porém o poscionamento vertical, conforme mostram números,
preferencialmente devem se posicionar no quadrate superior ou ao menos no limite do central
tendendo ao superior.
Tecnicamente o Brasil, que vinha de um sistema no quadrante inferior, tentou na década de 90 mudar o
posicionamento passando ao quadrante central com indicativos de tendência de migração ao supeiror a
longo prazo, inicialmente sofreu com a falta de competitividade, incopetencia individual e estatal,
hábitos moldadas por décadas de ditadura, foi um momento de choque, tiveram que ser cortadas
regalias de aposentadorias e empresas estattais, sem grande apoio popular. Porém de reformas
excensiais, que serviram para o governo posteior surfar na onda ou marola do desenvolvimento.
Após, tentou-se novamente migrar para o quadrante inferior, porém pelo lado esquerdo. Inicialmente
com grande apoio popular, e posterior tentaivas de destruição do estado de direito e finalizou com a
pior crise da histporia republicana (como a maioria dos regimes do quadrante inferior).
Regimes do quadrante inferior são atrativos a populações com baixa escolarização universal, baixo nível
de leitura, baixa eficiencia estatal, ou que passaram por guerras ou crises, pois slogna populares de
igualdade, fraternidade, sem fundamentação e lógica racional, vão de encontro as p´so verdades
estabelecidas nas massas, o que é potencializado através de um líder empático (Lula). Fale o que as
pessoas querem ouvir (O brasil é o país do futuro), e com emoção e comoção (choros, infância pobre no
pau de arara)! De-lhes pão e circo (patrocinio times de futebol, Copa, olimpiadas). Elimine ou coopte
seus adversários (mensalão, petrolão). E se mantenha no poder.
Isso não é novidade, livros antes de Cristo e na Idad média já davam essa receita. A leitura de Sun Tzu,
Miyamoto Musashi, Maquiavel, Nun Von Giap, sejam talvez um grande passo para entender como o
populismo age.
O Brasil em um governo impopular está tentando voltar a usar a racionalidade, infelzimente apenas 20%
da população parece ter alguma consiência social e política, viide que é o percentual de apoio mesmo
que parcial a reforma da previdência. O brasileiro é extremamente propenso ao populismo, vide umo
goveno mesmo baixando significativamente taxa selic, melhorando a eficiência em empresas estatais
reforma trabalhista, reforma ensino..ser mais impopular que uma guerrilheira que conseguiu piorar
todos os indicadores. Se sair do quadrante inferior, tem uma oportunidade de ouro, qaulqeur empresa
que queira de consolidar como líder mundial, necessita do Brasil. É temerária a chegada de um novo
populista, seja esse se intitulando de esquerda ou direita. Temos ao menos quatro no páreo: Marina
Silva, Bolsonaro, Lula, Ciro. Que por uma perpectiva não lienar possuem muito mais em comum que
apenas diferenças.
O Brasil, pelo sua alta ineficiencia estatal, com poder contaminante em todo o setor privado, criou o
hábito da ineficiência, da incopetÊncia, hábito é aquilo que fazemos repetidamente sem pensar sem
perceber, virou cultural. E muitas vezes o funcionalismo nem sequer percebe, acha normal, e ainda
acredita estar fazendo um bom trabalho. Por isso as vezes se torna inútil tentar demonstrar a
ineficiencia a incopetência a alguns entes dessa classe. Realmente não sei a cura, talvez um choque
conforme sugerido pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), sob encomenda do Instituto
Brasileiro de Ética Concorrencial (Etco). Mesmo com choque (salários atrasados e redução) os
funcionarios publicos do Rio ainda não entenderam, e acham que fazer passeatas e invadir órgãos
publicos irá resolver alguma coisa!
Quando se tem situação como essas, grande parte da literatura, concorda que mudanças de cultura não
tendem a ser rápidas, demoram anos, e hoje o trabalhador publico (eletivos, concursados,
comissionados) conseguem contaminar com ineficiência toda sociedade.
Por isso no caso do Brasil, faz-se necesária além de ações de eficiência do estado, o que engloba
mudanças culturais (longo prazo) a diminuição do estado(curto prazo, choque). Não adianta querer
copiar hoje a Noruega, se não existem as condições minimas para isso!
Nossa realidade é: um desrespeit as leis, pouca punição a quem foge da lei, ineficiência estatal, leis
antigas e travadas com cunho populista, baixo grau de escolarização e alfebtização econômica, social e
institucional. . Sem resolver isso o sonho da Noruega vira Venezuela rapidinho.

Outros fatos a favor da diminuição do estado, são: o fluxo de caixa negativo, elevada burocracia, falta de
dinheiro a curto prazo para investimento e manutenção, além da falta de concorrência e baixa eficiência
estatal em setores como combustiveis e energia, gerando extrema falta de competitividade e elevando
preços em toda cadeia industrial e de logistica.
Ai vem os ditos esquerdistas de plantão e dizem: "mas você quer entregar tudo na mão do capitalismo,
das grandes potencia." Quem pensou assim ainda está zumbi. Talvez já não seja um zumbi Cubano
comedor de criancinhas, ma sum Zumbi.
Ai a racionalidade pode dizer tirar o momopolio do estado de energia incentivando com baixa de
impostos, para pessoas e empresas com média e baixa renda a produção de energia solar e energia
eólica, ou até de marés. Possibilitar de forma simples e prática que o excendente fosse vendido a rede
principal. Sairia mais barato ao governo, aumentaria a matriz energetica rapidamente, quebraria
monopolio, baixaria tarifa (oferta e procura), e dividiria melhor o poder da energia, tornando a mais
acessível e ainda poderia atrair novos investimntos, gerando novos empregos. Ainda distribuiria melhor
geograficamente a geração de energia, diminuindo gastos com cabeamento e infra estrutura.
Outro bom exemplo são as cooprativas de iniciativa privada que movimentam parte significativa da
econômia do interior do Paraná, são exemplos bem sucedidos que poderiam ser replicados a toda
federação.
Vejam, que com racionalidade através de uma ação, inicilamente de direita (liberdade econômica,
produtividade), chegou-se ao um objetivo de esquerda (divisão recursos, acesso a recursos a todos). Ou
seja, olhar esquerda e direita apenas em uma linha é coisa de militante zumbi, macaco, não é
racionalidade humana.
O exemplo acima mostra que a busca da eficiência e racionalidade, não é necessariamnete um conceito
somente aplicado ao capitalismo, não é sinônimo apenas de econômia de escala dos grandes
conglomerados que querem dominar o mundo. É possível sim utilizar a eficiencia, em governos de
esquerda e direita, em ambos trazendo beneficios a sociedade.
O nordeste, em várias regiões temos exemplos de posicionamento nos quadrantes inferiores. A TV
aberta, todo ano mostra as pessoas fazendo fila para pegar água, o gado morrendo, plantações
secando. Grande parte se comove e faz doações, e o problema se repete ano a ano.
Criam até um fundo compulsório da seca e miséria no Nordeste Bom se você quiser fazer um poço
artesanal provavelemnte não conseguira autorização, pois o governante do local dara um jeito de não
permitir (autoritarismo, estatismo). Como os exemplos desse regime, haverá a divisão da pobreza entre
os pobres e poucos ricos com água abundante.
Obviamnete que as casas deveriam ter telhados e calhas que permitissem a captação da chuva, envio
para sisternas cobertas, poços artesioanos, bombas com energia solar, açudes com preferência em solos
rochosos com pouca absrção, leitos profundos e menor área de contato com atmosfera, plantações
com pouca necessiade de água, desenvolvimento de espécies de grãos adequados ao local,
conhecimento de indices pluviometricos Vejam que são conceitos de racionalidade e sem isso não há
produtividade, e não há esquerda ou direita que resolva.
Mas os ditos esquerdistas de plantão, que na verdade seriam populistas, ainda podem questionar " Lula
fez a transposição do São Francisco", primeiro não foi ele, pois só começou a obra, que foi
superfaturada (não houve divisão com população desse recurso desviado), não foi concluida em mais de
uma década e tecnicamente foi contra todo o exposto acima, racionalemnte a obra não faz sentido, e
areas próximas a transposição foram compradas por pessoas detentoras de capitale e conhecimento.
Uma ação, além de populista, muito mais capitalista do que social.
Mas vejamos, o analfabetismo no Nordeste ultrapassa 15% (IBGE), nessas regiões provavelemnte o
índice ultrapasse os 20%, o que essas pessoas precisam é de educação ou um bolsa água e esmola? A
curto prazo o bolsa água talvez seja necessáio, mas a longo prazo não faz sentido. Ronald Reagen já
falava " devemos medir o sucesso dos programas sociais pelo npumero de pessoas que deixam de
precisar recebe-los, não pelo número de pessoas que são adicionadas". Olha o exemplo do Brasil 50
milhões de pessoas dependendo do Bolsa Familia, e no governo Petista só aumentando em número de
pessoas.
O "populismo" do politicamente correto diz "o maior programa social da his´toria do país, tirou 50
milhões de pessoas da pobreza". A grande maioria aceitou essa afirmação, muitos zumbis até a
repetiam como mantra.
O pensamento racional " o mais caro e dasastroso programa pseudo social da história do Brasil,
auemntando a cada ano os individuos dependentes e que não sabem e ou não querem subsistir sem
ajuda do governo, um programa sem oferta de porta de saída a ponto de um ministro do Supremo
Tribunal Federal, Gilmar Mendes, comentar na semana passada que, dessa forma, generalizada, “a
compra de voto agora é institucionalizada”.
Obviamente mais uma ação populista, conceitualemnte o bolsa familia da forma que se encontra não é
de esquerda nem de direita. Alias busca efetivamente manter uma divisão de castas e não conferir
liberdade, pensamento critico, autosuficiencia. A educação pode libertar ou escravizar, ensinar a pescar
liberta, dar o peixe escravisa.
Infelizmente não há caminhos rápidos sem sofrimento, o estrago dos governos autoritários e populistas
que também virariam autoritários, foram grandes, população alienada, sequer conhece fundamentos
politicos, os que acham conhecer se limitam ao que um dia ouviram falar sobre esquerda e direita. O
domínio das pós verdades
Ensino fundaental e médio, internacionalemnte piorando a passos largos a mais de década,
universidades publicas fechadas ao mercado e orgulhosas de seus PHds improdutivos, sem invenções,
sem patentes, com baixa produção acadêmica internacional, nem ao menos sabendo o custo por aluno,
entes publicos com o cooporativismo como força infinitamente maior que a meritocrácia que a
eficiência.
Oviamente que ações racionais e necessárias retirarão beneficios legais porém "imorais" de parte da
população, haverão confrontos com categorias profisisonais em especial funcionalismo publico,
sindicatos, entidades de classe, um período de estagnação, (melhor que anterior que era de queda) para
depois, haver retomada do crescimento e empregos. O problema é que falar isso não da voto.
Imaginou um candidato falando: Vou acabar com estabilidade, cada brasileiro irá pagar sua divida com a
previdência, não será permitido acumulo de aposentadorias, os casos que houverem serão cortados, se
o PIB cair salários publicos também irão cair, entes publicos que não tiverem resultado individual e
coletivos atingidos perderão premios, funcionário publico entre o percentil pior seguidamente serão
demitidos.
Veja que tecnicamente podem ser conceitos de esquerda (igualdade entre individuos), e estado forte,
ao dividir proprocionalemnte a quantidade de remuneração do trabalho e os resultados entre todos
cidadãos da iniciativa privada e publica, deixando que cada cidadão decida entre trabalhar mais ou
menos, e estudar mais ou menos.
Porque os ditos esquerditas não apoiam essas medidas? Se você é um marxista, ai já passou do ponto,
verifique que o ideal de esquerda inicial, já se transformou no quadrante inferior e ai virá, apenas
totalitário, estatista, populista.
A população continua a ser um terreno fértil aos populistas de plantão (municipio, estado federal) que
prometem e por vezes até dão beneficios a curto prazo e não cobram contra partidas, e depois sem
recursos dão o calote. Como ocorrido recentemente, e deixam situação pior do que pegaram, culpando
seus adversáios, o capitalismo, as potencias, nunca eles mesmos.
E o povo como zumbis repete os mantras. Existe uma estrutura o líder (figura populista) e os zumbis
cooptadores (professores, politicos, sindicatos, entidades de classe, cargos de primeiro escalão), e os
zumbis repetidores (jovens, funcionalismo publico e a grande massa....).
Existe uma outra classificação que calssifica os zumbis conforme o mantra que repetem: os Zumbis
comedores de crianças (adoradores Che Guevara), e os Zumbis de Bolso (apoiam o Bolsonaro), os
zumbis rosário (apoiam Maria do Rosário que as mas lingas dizem ser amante do Bolsonaro) os
ZumbisUniversais(da Igreja), os ZumbisSapo (apoiam o Sapo Barbudo), os Zumbisanta, e os
MarinaZumbi (a esses não é permitida maquiagem).
Tente discutir conceitualmente e racionalemnte com esses zumbis, provavelmente não conseguirá! Os
comedores de criança definitivamente são os piorres, pois além de invadirem escolas, se a discussão
ficar mais acalorado partem para porrada, lhe chamam de fascista e se não der resultado lhe prendem
ou até lhe matão. Tudo em favor da democracia é claro
Uma carcateristica comum entre todos os zumbis é seguirem os líderes que almejam o quadrante
inferior. Outros quadrantes não se sustentam com zumbis e macacos. Precisam de humanos!
Outra opção além de buscar somente o posicinamento no quadrante central tendendo a superior ou
superior (moderado, não no extremo) a esquerda ou direita, é a divisão em federações, em especial de
países continentais. O que poderia criar regras locais mais adequadas aos fatores socio culturais de cada
região (bastante diferenciados em regiões do Brasil), além de maior fatia do orçamento e autonomia
administrativa, várias regiões se beneficiariam e se tornariam mais eficientes, porém poderiam se
perder parte do sentido de unidade nacional, aumentar desigaldade social (entre sul e norte). Algo a se
pensar, debater, sem se prender a uma linha de ideologia (esquerda /direita) ou ao adesivo o Sul é meu
País

"A maioria das pessoas que se intitulam de esquerda com o que algum dia ouviram, na verdade não
pensam de modo esquerdista, elas sentem de modo esquerdista. Elas sentem pelos pobres, elas sentem
pelos negros, elas sentem pelas mulheres, elas sentem pelos hispânicos, elas sentem pelos
desamparados, elas sentem pelos palestinos. Elas não pensam a respeito disso, nada disso foi pensado.
É um Gigante Azul, em astronomia, uma estrela pesada, com massa 18 vezes maior que a do Sol, usada
aqui para dar a dimensão da casca mental de quem se deixou levar pelo discurso populista que se dizia
de esquerda, furado com 5 minutos de razão e fato." Dennis Prager,

É óbvio que o assunto não se esgota aqui, mas acredito que esta reflexão colabore para que o debate
político ocorra de forma mais racional, respeitando “os marcos regulatórios” pensados e construídos
através da história. Chamar cada coisa pelo seu nome, sem prestidigitações intelectuais, é o mínimo que
podemos fazer para termos um debate de ideias honesto e racional.