Você está na página 1de 16

Análise de

EstabilidadeTransitória
Método Passo a Passo

Prof. Luís Fernando Costa Alberto – Escola de Engenharia de São Carlos – Universidade de São Paulo
Definição
• Estabilidade de Ângulo: Habilidade das
máquinas síncronas de um sistema
elétrico de potência interconectado de
permanecer em sincronismo depois da
ocorrência de uma perturbação.
– Análise a Pequenas Perturbações
– Análise a Grandes Perturbações
(Estabilidade Transitória)

Prof. Luís Fernando Costa Alberto – Escola de Engenharia de São Carlos – Universidade de São Paulo
Estabilidade Transitória
• Grandes Perturbações: Curtos-Circuitos,
Perdas de Grandes Geradores,...
• Modo de Instabilidade usual: Aperiódica,
Separação Angular devido à falta de
torque sincronizante.
• Escala de Tempo de Interesse: 3 a 5
segundos
• Modelos Não-Lineares

Prof. Luís Fernando Costa Alberto – Escola de Engenharia de São Carlos – Universidade de São Paulo
Modelagem do Sistema de
Transmissão
Suposições Simplificadoras:
1. A rede está em regime permanente
senoidal à frequência síncrona.
2. Os dispositivos de controle no sistema
de transmissâo (OLTCs, banco de
capacitores) possuem atuação lenta e
portanto não são modelados.
Taps fixos, bancos de ind. e cap. fixos

Prof. Luís Fernando Costa Alberto – Escola de Engenharia de São Carlos – Universidade de São Paulo
Modelagem do Sistema de
Transmissão

Ij – Corrente injetada no nó j
Vj – Tensão no nó j
YBUS – Matriz admitância nodal

I = YBUS V

Prof. Luís Fernando Costa Alberto – Escola de Engenharia de São Carlos – Universidade de São Paulo
Modelagem de Dispositivos
Passivos Conectados à Rede
A corrente injetada é função da tensão da barra:

I i = I (Vi )

Exemplo: Carga Impedância Constante

Vi
Ii = − = −Yli Vi
Z li
O valor da impedância cte é calculado a
partir do resultado de fluxo de carga pré-
falta.
Prof. Luís Fernando Costa Alberto – Escola de Engenharia de São Carlos – Universidade de São Paulo
Modelagem de Dispositivos
Passivos Conectados à Rede
Exemplo: Carga ZIP (Polinômio da Tensão)
 
aPi + bPi + cPi = 1
2
 V V 
Pi = Pio aPi + bPi i
+ cPi i
 Vio Vio 
2


Qi = Qio  aQi + bQi
V i
+ cQi
V i
2

 aQi + bQi + cQi =
1
 Vio Vio 
2

• a -> Parcela potência constante
• b -> Parcela corrente constante
• c -> Parcela impedância constante

Pio, Qio e Vio são obtidos do fluxo de carga pré-falta;


aP,bP,cP,aQ,bQ e cQ são fornecidos pelo usuário.


Pio  Vi
2
Vi   
Qio  Vi Vi 
2

Ii = − aPi + bPi + cPi +j aQi + bQi + cQi


Vi  Vio 2
Vio  V 
i  Vio Vio 
2

Prof. Luís Fernando Costa Alberto – Escola de Engenharia de São Carlos – Universidade de São Paulo
Modelagem de Dispositivos
Dinâmicos Conectados à Rede

 x = f ( x, V )

 I = I ( x, V )

X – vetor de variáveis dinâmicas dos dispositivos dinâmicos


I – vetor de correntes que o dispositivo injecta no nó da rede no qual está
conectado
V – vetor de tensões nodais

Prof. Luís Fernando Costa Alberto – Escola de Engenharia de São Carlos – Universidade de São Paulo
Modelagem de Dispositivos
Dinâmicos Conectados à Rede
Exemplo: Modelo Clássico do Gerador

Suposições:
• Pm é constante e igual ao valor
pré-perturbação;
• f.e.m. constante atrás da
reatância transitória;
• O ângulo do rotor coincide com o
ângulo da f.e.m.

Prof. Luís Fernando Costa Alberto – Escola de Engenharia de São Carlos – Universidade de São Paulo
Modelo Clássico do Gerador
Equação Dinâmica:

δi = ωi
M iω i = Pmi − Pei − Diωi

Ei'Vi
Pei = ' sin (δ i − θ i )
xdi

Corrente Injectada na Rede


pelo Gerador:

Ei'∠δ i − Vi ∠θ i
Ii =
jxdi'

Prof. Luís Fernando Costa Alberto – Escola de Engenharia de São Carlos – Universidade de São Paulo
Modelo Preservando a Estrutura da
Rede
Dispositivos Dinâmicos

 x = f ( x, V ) Sistema de Equações Algébrico-Diferenciais:



I d = I d ( x, V )
 x = f ( x, V )
Dispositivos Passivos

=0 I ( x, V ) − YBUSV
I p = I p (V )
Sistema de Transmissão

I = YBUS V

Prof. Luís Fernando Costa Alberto – Escola de Engenharia de São Carlos – Universidade de São Paulo
Método Passo-a-Passo
• Método de Integração Trapezoidal Implícito

 x = f ( x, V )

=0 I ( x, V ) − YBUSV

∆t
x(t n +1 ) = x(t n ) + [ f (x(t n +1 ),V (t n +1 )) + f (x(t n ),V (t n ))]
2
0 = I (x(t n +1 ),V (t n +1 ) ) − YBUSV (t n +1 )

Prof. Luís Fernando Costa Alberto – Escola de Engenharia de São Carlos – Universidade de São Paulo
Modelo com a Rede Reduzida
• Simplificação:
– Cargas são modeladas como impedâncias
constantes
– A Rede é reduzida aos nós fictícios das
f.e.m.s internas dos geradores

Prof. Luís Fernando Costa Alberto – Escola de Engenharia de São Carlos – Universidade de São Paulo
Rede Completa

Prof. Luís Fernando Costa Alberto – Escola de Engenharia de São Carlos – Universidade de São Paulo
Rede Reduzida

Prof. Luís Fernando Costa Alberto – Escola de Engenharia de São Carlos – Universidade de São Paulo
Método Clássico para Avaliação de
Estabilidade Transitória
Integração
Numérica

Sistema New England Estabilidade Transitória