Você está na página 1de 4

Aula de Literatura

Profª Luciene Loures


Romantismo

Romantismo: A Arte Da Burguesia

O homem contemporâneo possui muitas características comuns com o homem romântico:


ambos originam-se da sociedade burguesa que pôs fim ao Antigo Regime; ambos sonham com ideiais
de igualdade e jutiça social; ambos apresentam traços narcisistas e individualistas.
Do ponto de vista literário, coube aos românticos a tarefa de criar uma linguagem nova,
identificada com os padrões de vida mais simples da classe média ou burguesia. Assim, a arte romântica
põe fim a uma tradição clássica de três séculos e dá início a uma nova etapa da literatura, voltada aos
assuntos contemporâneos – efervescência social e política, esperança e paixão, luta e revolução- e ao
cotidiano do homem burguês do séc XIX.

Contexto Histórico:

Época representada pelo Romantismo: duas últimas décadas do século XVIII até a metade do
século XIX. O Romantismo nasceu na Alemanha e na Inglaterra e , depois de chegar à França, espalhou
por toda a Europa. Suas origens estão, portanto, ligadas a profundas transformações políticas e
econômicas.

Economicamente, a Europa presenciava a euforia e as consequências decorrentes da Revolução


Industrial na Inglaterra: novos inventos para a indústria, divisão de trabalho e maior produtividade,
formação de centros fabris e urbanos, surgimento do operariado, revoltas sociais, nascimento dos
sindicatos, associações de trabalhadores e patrões. Iniciava-se o período de consolidação dos valores
burgueses. Ideais (burguesa e povo) de justiça, igualdade, liberdade, direitos humanos.

Como expressão cultural de um período conturbado, não se pode esperar deste movimento um
equilíbrio e uma uniformidade. Ao contrário, ele traz contradições próprias da revolução: otimismo e
reformismo social, decepção e pessimismo, saudosismo e contra-revolução. Além disso, romperam com
as rígidas normas da tradição clássica o que os leva a liberdade de expressão . Por isso, o romatismo
possui vários movimentos e alguns contraditórios entre si.

Principais Características:

 Subjetivismo:
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
 Idealização:
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________.
 Sentimentalismo:
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________.
 Egocentrismo:
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________.
 Medievalismo:
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
____________________________________________________________________.
 Indianismo:
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________.
 Religiosidade:
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________.
 Byronismo:
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________.
 Condoreirismo:
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________.

Atividade:
Identifique em cada trecho abaixo uma das características do Romantismo listadas
anteriormente:
Era uma noite: - eu dormia...
E nos meus sonhos revia
As ilusões que sonhei!
E no meu lado senti...
Meu Deus! por que não morri?
Por que no sono acordei?
____________________________________
A praça! A praça é do povo
Como o céu é do condor
É o antro onde a liberdade
Cria águias em seu calor.

____________________________________________.

Ó minha amante, minha doce virgem,


Eu não te profanei, e dormes pura
No sono do mistério, qual na vida,
Podes sonhar ainda na ventura.

_____________________________________________.

Meu Deus! eu chorei tanto no exílio!


Tanta dor me cortou a voz sentida,
Que agora neste gozo de proscrito
Chora minh'alma e me sucumbe a vida

__________________________________________________.

Não há dúvida, - disse D. Antônio de Mariz, na sua cega dedicação por Cecília quis
fazer-lhe a vontade com risco de sua vida. É para mim uma das coisas mais admiráveis
que tenho visto nesta terra, o caráter desse índio. Desde o primeiro dia que aqui
entrou, salvando minha filha, a sua vida tem sido um só ato de abnegação e heroísmo.
Crede-me, Álvaro, é um cavalheiro português no corpo de um selvagem!

________________________________________.

Oh! não maldigam o mancebo exausto


Que nas orgias gastou o peito insano...
Que foi ao lupanar pedir um leito,
Onde a sede febril lhe adormecesse!

Não podia dormir! nas longas noites


Pediu ao vício os beijos de veneno...
E amou a saturnal, o vinho, o jogo
E a convulsão nos seios da perdida!

_________________________________________________________
O Romantismo no Brasil

O Romantismo nasce aos poucos após a nossa independência política (1822). Por isso, as
primeiras obras literárias e os primeiros artistas românticos se mostram empenhados em definir um
papel da cultura brasileira em vários aspectos: língua, etnia, tradições, passado histórico, diferenças
regionais, etc.. Assim, o nacionalismo se configura como o traço essencial para os primeiros escritores
românticos. A independência política no Brasil, então, despertou na consciência dos intelectuais e
artistas a necessidade da criação de uma cultura brasileira.

As gerações do Romantismo:

 Primeira geração: nacionalista, indianista, e religiosa. Nela se destacam os poetas Gonçalves


Dias e Gonçalves de Magalhães.
 Segunda geração: marcada pelo mal do século, apresenta egocentrismo exacerbado,
pessimismo, satanismo, e atração pela morte. Seus principais representantes são Álvares de
Azevedo, Casimiro de Abreu.
 Terceira geração: formada pelo grupo condoreiro, desenvolve uma poesia de cunho político e
social. Principal representante é Castro Alves.