Você está na página 1de 28

‫ – למודי תנך מתקדמים‬Estudos Bíblicos Avançados – Conceito da Divindade como Justiceiro

O CONCEITO DA DIVINDADE COMO JUSTICEIRO

Shalom a todos

É parte do serviço ritual religioso, intitulado Selihot (súplicas), a


menção de uma frase muito especial e que, poucos se dão conta
de que foi totalmente reformulada pelos rabinos.

A frase é ‫< ונקה לא ינקה‬VeNakeh Lo Inakeh> = que no original,


estaria dizendo: “Isentar, [Deus] não isentará [da punição]”.

Na versão editada, a frase é totalmente reconstruída para que se


leia apenas ‫< ונקה‬VeNakeh> algo que resulta no sentido
contrário ao original, implicando que HaShem isenta sim, da
punição.

Ou seja, com esta clara edição, no sentido oposto ao que foi


registrado na Torá, nos perguntamos:

No conceito dos rabinos, o ensino da Torá seria que HaShem é


uma Divindade, estilo misericordiosa, perdoadora; ou seria, uma
Divindade vingativa e justiceira, que jamais isenta da punição?
‫ – למודי תנך מתקדמים‬Estudos Bíblicos Avançados – Conceito da Divindade como Justiceiro

É uma prática judaica bem antiga, recitar o serviço de orações


intitulado Selihot, nos períodos de celebrações de final de ano
(judaico, obviamente) em Sinagogas e; de se evocar durante tais
orações, os 13 atributos de misericórdia.

Para quem não souber, os 13 atributos são os seguintes:

1 HaShem,
‫הוה‬-‫י‬
2 HaShem,
‫הוה‬-‫י‬
3 El [Força, divindade],
‫אֵ ל‬
4 Misericordioso,
‫ַרחּום‬
5 e Compassivo,
‫וְחַ ּנּון‬
6 Tardio em Irar-se,
‫אֶ ֶרְך אַ פַ יִם‬
7 Abundante em Bondade,
‫ו ְַרב חֶ סֶ ד‬
8 e Verdade,
‫וֶאֱ ֶמת‬
9 Estende Misericórdia a milhares de Gerações,
‫נצֵ ר חֶ סֶ ד לָ אֲ לָ ִפים‬

‫נשא עָ ון‬
ֵ 10 Perdoa a Iniquidade,

‫וָפֶ ַשע‬ 11 a Transgressão,

‫וְחַ טָ אָ ה‬ 12 e o Pecado,

‫ְונ ֵַקה‬ 13 e isenta... [punição].

Apesar de ser pouco claro, se tal serviço ritual existia sequer no


período Rabínico, o conceito primordial e deu origem a prática
posterior, pode claramente ser verificado no Talmud (tratado de
Rosh HaShaná 17a):
,‫ …מלמד שנתעטף הקדוש ברוך הוא כשליח צבור‬:‫אמר רבי יוחנן‬
‫ כל זמן שישראל חוטאין – יעשו‬:‫ אמר לו‬.‫והראה לו למשה סדר תפלה‬
.‫ ואני מוחל להם‬,‫לפני כסדר הזה‬
‫ – למודי תנך מתקדמים‬Estudos Bíblicos Avançados – Conceito da Divindade como Justiceiro

O Rabino Iohanan disse:... [sobre o texto em Shemot 34, sobre


os atributos], ensinando que [a divindade] cobriu-se [com um
Talit] tal qual alguém conduzindo orações [na sinagoga], e
mostrou a Moshe, o modo de se rezar. Ele lhe disse: qualquer
hora que um israelita pecar, que faça esse serviço perante Mim,
e Eu o perdoarei.

Assim, o serviço parece estar baseado na ideia de que, uma


pessoa que “lembra” Deus de seus atributos misericordiosos,
acaba sendo perdoada. Tal como outro trecho, ainda em Rosh
HaShaná 17a:

…‫ ברית כרותה לשלש עשרה מדות שאינן חוזרות ריקם‬:‫אמר רב יהודה‬

Rav Iehudá disse: Um pacto foi feito com os treze atributos, de


modo tal que eles nunca retornem de mãos vazias (i.e., com a
recitação sem efeito) ...

Nos períodos medievais, isto era feito nos Dias Intensos, ou seja,
os dez dias entre Rosh HaShaná e Iom Kipur.

Hoje em dia, Judeus Europeus (Ashkenazim) iniciam a recitação


de selihot, no mês de Elul (o último do ano judaico), uma semana
antes de Rosh HaShaná; enquanto Judeus Hispano-Portugueses
(Sefaradim), começam no primeiro dia de Elul, indo por todo o
mês.
‫ – למודי תנך מתקדמים‬Estudos Bíblicos Avançados – Conceito da Divindade como Justiceiro

Redefinindo os Atributos Divinos.

Selihot, portanto, foi um ritual que cresceu com o tempo,


transformando-se num serviço de orações; com diversas partes.
Mas, o cerne da concepção permaneceu, na recitação dos
atributos.

A recitação é geralmente precedida, pela abertura do parágrafo


que descreve a Divindade como um rei, que age com bondade e
perdão. No texto Europeu, por exemplo, se lê:

‫אֵ ל ֶמלֶ ְך יוֺ ֵשב עַ ל כִ סֵ א‬


‫ּומ ְתנַהֵ ג‬
ִ ‫ ַרחֲ ִמים‬Oh El, Rei que se senta no Trono da
.‫ בַ חֲ ִסידּות‬Misericórdia e age com bondade.

ֺ‫ מוֺ חֵ ל עֲוֺ נוֺ ת עַ ּמו‬O qual perdoa a iniquidade de Seu


.‫ ַמע ֲִביר ִראשוֺ ן ִראשוֺ ן‬povo, removendo [deles] um por um,

Que constantemente outorga perdão


aos pecadores,
,‫ַמ ְרבֶ ה ְמ ִחילָ ה לַ חַ טָ ִאים‬
.‫פוש ִעים‬
ְ ַ‫ּוס ִליחָ ה ל‬ ְ E remissão aos transgressores

Que lida com justiça em relação a


todos ser vivo - E que não paga de
‫עוֺ ֶשה צְ ָדקוֺ ת ִעם כָל בָ ָשר‬
acordo com suas
. ַ‫וְרּוח‬
.‫ ל ֺא כְ ָרעָ ָתם ִתגְ מוֺ ל‬Más ações
‫ – למודי תנך מתקדמים‬Estudos Bíblicos Avançados – Conceito da Divindade como Justiceiro

Assim, também é introduzida a menção dos treze atributos,


junto com o trecho:

.‫ית לָ נּו לוֺ ַמר ְשלש עֶ ְש ֵרה‬ ָ ‫אֵ ל הוֺ ֵר‬


‫ּוזְ כוֺ ר לָ נּו הַ ּיוֺ ם ְב ִרית ְשלש עֶ ְש ֵרה‬
…‫ כְ מוֺ ֶשכָתּוב‬.‫כְ מוֺ ֶשהוֺ ַד ְע ָת לֶ עָ נָיו ִמ ֶק ֶדם‬

Oh Deus, que nos ensinou a recitar estes treze [atributos],


lembre-se de nós hoje, devido ao pacto dos treze; tal qual você o
tornou conhecido ao humilde [Moshe] da antiguidade, como
está escrito....

Nas orações de Selihot, então, recita-se em seguida Shemot 34: 5


– 7, quando Moshe; após o relato do pecado do bezerro de ouro,
sobe a montanha para receber as segundas tábuas:

‫הוָה בֶ עָ נָן‬-‫ַוּי ֵֶרד ְי‬ HaShem desceu numa nuvem e esteve


‫וַּיִ ְתיַצֵ ב ִעּמו ָשם‬ com ele ali, e proclamou o nome do
.‫הוָה‬-‫וַּיִ ְק ָרא ְב ֵשם ְי‬
HaShem.
‫הוָה עַ ל פָ נָיו‬-‫ַו ַּי ֲעבֺר ְי‬
‫וַּיִ ְק ָרא‬ HaShem passou perante ele e proclamou:

‫הוָה אֵ ל‬-‫הוָה ְי‬-‫ְי‬ HaShem! HaShem! “Él” misericordioso e


‫ַרחּום וְחַ ּנּון אֶ ֶרְך‬ gracioso, tardio em irar-se, abundante em
‫אַ פַ יִם ו ְַרב חֶ סֶ ד‬ bondade e fidelidade; que estende
‫ נֺצֵ ר חֶ סֶ ד‬.‫וֶאֱ ֶמת‬ bondade a milhares de gerações, perdoa a
‫ֺשא עָ ֹ‍ון‬ ֵ ‫לָ אֲ לָ ִפים נ‬ iniquidade, transgressão e pecado; e
‫וָפֶ ַשע וְחַ טָ אָ ה ְונ ֵַקה‬ isenta...[aqui é feito um corte]
‫ – למודי תנך מתקדמים‬Estudos Bíblicos Avançados – Conceito da Divindade como Justiceiro

Neste ponto das selihot, corta-se o verso 7; bem no meio da


frase.

Na Torá, porém, o texto continua do seguinte modo:

.‫ל ֺא ְינ ֶַקה פֺ ֵקד עֲֹ‍ון אָ בֹ‍ות עַ ל בָ נִ ים וְעַ ל ְבנֵי בָ נִ ים עַ ל ִשלֵ ִשים וְעַ ל ִרבֵ ִעים‬

Ele não isenta de culpa, e faz [os efeitos negativos] das ofensas
dos pais [serem experimentados] pelos filhos e pelos netos
deles, até pela terceira e quarta gerações.

Veja então, que o sentido direto do texto, como um todo, é dizer


que HaShem é misericordioso; só que, ele não outorga perdão,
prontamente, a qualquer um que peça.

Ao invés disso, como observa Rashi (1040-1105), ele pune os


pecadores e seus descendentes, de modo cumulativo ainda por
cima, por até quatro gerações:

‫ שאינו מוותר על העוון לגמרי אלא‬:‫ונקה לא ינקה – לפי פשוטו משמע‬


.‫נפרע מעט מעט‬

Ele não isenta... de acordo com seu sentido simples, [o verso]


implica que [Deus] não desiste [de punir] a iniquidade, de modo
algum; mas, ao invés disso, Ele o faz cumulativamente.
‫ ולא ינקה לשאינן‬,‫ מנקה הוא לשבין‬:).‫ורבותינו דרשו (בבלי יומא פ”ו‬
.‫שבים‬

Mas, nossos rabinos ofereceram uma interpretação homilética


[no Talmud, Tratado de Iomá 86a) dizendo:
‫ – למודי תנך מתקדמים‬Estudos Bíblicos Avançados – Conceito da Divindade como Justiceiro

Ele isenta da punição, o que se arrepende; mas, ele não isenta


aquele que não se arrepende.

O Midrash citado pelo Rashi então, quebra a frase o verso ao


meio, como se houvessem alternativas de leitura, e esta fosse
uma delas; isto é, a opção de ler tanto que Deus isenta ou Deus
não isenta de punição, dependendo de se a pessoa se arrepende
ou não; algo que resulta, na versão editada do verso, tal qual
aparece nas Selihot em livros de orações.

A diferença entre Selihot e a citação do trecho da Torá é clara.

O final da passagem bíblica que foi removida da menção, na


verdade implica que, apesar de Deus ser misericordioso, ele não
isenta a culpa da pessoa, mas, pelo contrário, a faz sentir os
efeitos por até quatro gerações!

A frase ‫< ונקה לא ינקה‬VeNakeh Lo Inakeh> é, gramaticalmente


falando, expurgada de seu infinitivo.

A totalidade do texto expressa uma ideia clara, pela duplicação


da raiz verbal ‫י‬/‫ה‬.‫ק‬.‫ נ‬servindo para dar a ênfase, no sentido de
dizer “Ele - com toda certeza - não isenta a punição”.

Esta é, também, como as marcações musicais sinalizam a frase;


ou seja, lê-se estas três palavras, como expressão de um único
pensamento.

Na Septuaginta, adicionaram uma palavra a mais, em Grego,


devido a esta declaração em Hebraico. A palavra adicionada foi
‫ – למודי תנך מתקדמים‬Estudos Bíblicos Avançados – Conceito da Divindade como Justiceiro

τὸν ἔνοχον <Ton v’Enokon> “o culpado”. Esta também consiste


de uma suavização da declaração direta do texto.

De todo modo, permanece o fato de que, HaShem; de acordo


com a Torá, não isenta de punição. Como então, os rabinos
apregoam o exato oposto?

Entende-se o que foi feito, o texto dos treze atributos foi cortado
pelos rabinos, apenas na palavra ‫< ונקה‬Venakeh>. Esta palavra,
quando isolada do resto da frase, ganha de fato o sentido
contrário: “E ele isenta” [da punição].

Enquanto alguns podem ficar surpresos, de constatarem os


rabinos “editando” um verso na Torá, este ato mostra que eles
refletem toda uma Tradição, que intuíra um problema sério com
o texto bíblico, um problema que exigia ação da parte deles.

O problema é o contraste óbvio, da ideia dos atributos de Deus,


tal qual compaixão e bondade, com o embargo da punição,
totalmente desproporcional. Pois, no final das contas, HaShem
não isenta a punição em circunstância alguma!

A dissonância entre os atributos de bondade, e o embargo, fica


ainda mais clara, quando examinamos outros versos bíblicos que
usam tais frases.

[É claro que a conexão entre os textos é tema de debates. Pode ser que textos posteriores sejam

acabamentos de textos anteriores; bem como pode ser que estes atributos fossem modelos usados

ritualmente, de modo independente do contexto. Tal discussão foi realizada por Robert C. Dentan,

na obra “The literacy Affinities of Exodus XXXIV 6, 1963; James W. Watts, “The Legal
‫ – למודי תנך מתקדמים‬Estudos Bíblicos Avançados – Conceito da Divindade como Justiceiro

Characterization of God in the Pentateuch”, HUCA 67, 1997; e também por Bernard Levinson na

obra Legal Revision and Religious Renewal in Ancient Israel, 2008]

1. HaShem como Compassivo e


Misericordioso

Os atributos de HaShem, similarmente ao que consta em Shemot


34: 6, são encontrados em outros textos bíblicos, que exultam a
Misericórdia Divina. Por exemplo, Tehilim 86, aonde o poeta
implora ao HaShem que o salve de seus inimigos. O término da
petição é:

‫ ְפנֵה אֵ לַ י וְחָ ּנֵנִ י‬.‫ְחּנּון אֶ ֶרְך אַ פַ ִים וְ ַרב ֶח ֶסד וֶאֱ ֶמת‬
ַ ‫וְאַ ָתה אֲ ֺדנָי אֵ ל ַרחּום ו‬
‫ֹ‍ושיעָ ה ְלבֶ ן אֲ ָמ ֶתָך‬
ִ ‫ְתנָה עֻזְ ָך ְלעַ ְב ֶדָך ְוה‬
Mas você, oh HaShem, é Él Compassivo e Misericordioso, tardio
em irar-se, abundante em bondade e fidelidade. Volte-se a mim
e tenha misericórdia de mim; outorgue Tua força a teu servo, e
livra o filho da Tua serva.

O autor em Tehilim, refere-se a Deus apenas de modo


misericordioso. Ele pede livramento de seus inimigos, e agradece
HaShem pela ajuda e conforto providenciado.

(Tehilim 86: 17)


‫ – למודי תנך מתקדמים‬Estudos Bíblicos Avançados – Conceito da Divindade como Justiceiro

Tehilim 103 também faz uso dos atributos de misericórdia, e


explicitamente refere-se a Deus ensinando Moshe seus caminhos
e a conquistar o perdão dos pecados, da parte de HaShem:

‫הוָה אֶ ֶרְך אַ פַ יִ ם‬-‫ְחּנּון ְי‬ ַ ‫ ַרחּום ו‬.‫ֹ‍ותיו‬


ָ ‫ֺשה ִל ְבנֵי י ְִש ָראֵ ל ֲע ִליל‬ ֶ ‫י ִֹ‍ודיעַ ְד ָרכָיו ְלמ‬
‫ל ֹא כַחֲ טָ אֵ ינּו עָ ָשה לָ נּו וְל ֹא‬. ‫ ל ֺא לָ נֶצַ ח י ִָריב וְל ֺא ְלעֹ‍ולָ ם ִיטֹ‍ור‬. ‫ו ְַרב ָח ֶסד‬
. ‫ כִ י כִ גְ בֺהַ ָש ַמיִם עַ ל הָ אָ ֶרץ גָבַ ר חַ ְסדֹ‍ו עַ ל י ְֵראָ יו‬. ‫ֹתינּו ג ַָמל עָ לֵ ינּו‬ ֵ ‫ַכעֲֹ‍ונ‬
‫ כְ ַרחֵ ם אָ ב עַ ל בָ נִ ים ִרחַ ם‬.‫כִ ְרחֺ ק ִמזְ ָרח ִמ ַּמע ֲָרב ִה ְר ִחיק ִמ ֶּמּנּו אֶּ ת ְפ ָשעֵ ינּו‬
.‫הוָה עַ ל י ְֵראָ יו‬-‫ְי‬

Ele fez conhecido Seus caminhos a Moshe, Seus atos aos filhos
de Israel. HaShem é compassivo e gracioso, tardio em irar-se,
abundante em bondade. Ele não contenderá para sempre, nem
guardará Sua ira por todo o tempo. Ele não nos tratou de acordo
com nossos pecados; Ele nem nos cobrou conforme nossas
iniquidades. Pois, tal como os céus são mais altos que a terra,
assim é alta sua Bondade, para com aqueles que O temem. E tal
como o Leste é distante do Oeste; assim também é a distância
que Ele afastou nossos pecados de nós. Como um pai que tem
compaixão por seus filhos, assim HaShem teve compaixão por
aqueles que O temem.

Nesta canção, os atributos do HaShem que foram ensinados a


Moshe, da montanha, foram os atributos de Bondade e
Misericórdia apenas:
‫ – למודי תנך מתקדמים‬Estudos Bíblicos Avançados – Conceito da Divindade como Justiceiro

Shemot 33:13 Tehilim 86:11

Agora, por favor, se eu realmente Hashem, ensina-me teu


encontrei favor em teus olhos, caminho, e assim poderei
mostra-me Teus caminhos... viver por tua verdade;

‫הוָה ַד ְרכֶָך אֲ הַ לֵ ְך‬-‫ה ֵֹ‍ורנִ י ְי‬


‫ה ִֹ‍ודעֵ נִ י נָא אֶ ת ְד ָרכֶָך וְאֵ ָדעֲָך‬ ‫בַ אֲ ִמ ֶתָך‬

A frase em Tehilim 86:11 surge em Tehilim 27: 11

Assim, HaShem remove os pecados de Israel, e tem compaixão


como um pai ou mãe. Apesar de haver no trecho, a indicação
indireta da punição, por meio da ideia da repreensão dos filhos,
no verso 9 - “não contenderá para sempre” - não se faz menção
alguma, sobre HaShem se recusar a isentar de punição!

No Sefer Ioel, o profeta usa a frase, como parte de sua exortação


para o povo se arrepender; já que HaShem é perdoador:

‫הוָה אֱ ֹלהֵ יכֶם כִ י ַחּנּון וְ ַרחּום הּוא‬-‫ו ְִק ְרעּו ְלבַ ְבכֶם וְאַ ל ִבגְ ֵדיכֶם וְשּובּו אֶ ל ְי‬
…‫ֹ‍ודעַ יָשּוב וְנִ חָ ם‬ֵ ‫ ִמי י‬. ‫אֶ ֶרְך אַ פַ יִ ם וְ ַרב ֶח ֶסדוְנִ ָחם עַ ל ָה ָרעָ ה‬

Rasguem o coração, não suas roupas; e voltem-se para HaShem,


o Elohim de vocês, pois Ele é misericordioso e compassivo,
vagaroso para se irar, rico em bondade, e desejoso de mudar
sua ideia a respeito do desastre. Quem sabe? Ele pode mudar de
ideia e ter compaixão...
‫ – למודי תנך מתקדמים‬Estudos Bíblicos Avançados – Conceito da Divindade como Justiceiro

Note, em especial, a última frase. Esta expressão não aparece


nas versões textuais da Torá. O profeta disse, ‫נחם על הרעה‬
<Nihem Al HaRa’á>, literalmente: Se arrepende do Mau Decreto.

Vejam que, isto é o exato oposto da ressalva dada na Torá e; cai


como uma luva, na concepção dos atributos de misericórdia
Divinos. A mesma alegação foi feita na Tradição de outro
profeta, Ioná, quando ele reclama, justamente disso, de que
Deus era desejoso em perdoar o povo de Nínive:

‫ֹ‍ותי עַ ל אַ ְד ָמ ִתי‬
ִ ‫הוָה הֲ לֹ‍וא זֶה ְדבָ ִרי עַ ד הֱ י‬-‫ֺאמר אָ ּנָה ְי‬ ַ ‫הוָה וַּי‬-‫וַּיִ ְתפַ לֵ ל אֶ ל ְי‬
‫ישה כִ י ָי ַד ְע ִתי כִ י אַ ָתה אֵ ל ַחּנּון וְ ַרחּום אֶ ֶרְך‬ ָ ‫עַ ל כֵן ִק ַד ְמ ִתי ִל ְברֺחַ ַת ְר ִש‬
.‫אַ פַ יִ ם וְ ַרב ֶח ֶסד וְ נִ ָחם עַ ל ָה ָרעָ ה‬

Ele orou a HaShem: HaShem, eu não te disse que isso ocorreria,


quando ainda estava em minha terra? Esse é o motivo de eu ter
tentado fugir para Tarshish! Eu sabia que Tu és um El
Misericordioso e compassivo, vagaroso para irar-se e rico em
bondade e que, te compadeces e não aplicas a punição!

Logo, a questão aqui é que HaShem tem tanta misericórdia, que


isso faz com que ele não aplique a punição. A misericórdia do
HaShem fez com que ele perdoasse o povo de Nínive. De fato, se
diz que, renunciar a punição, foi exatamente o que Moshe
solicitou a Divindade, após o pecado do bezerro de ouro, algo
que foi concedido:
‫ – למודי תנך מתקדמים‬Estudos Bíblicos Avançados – Conceito da Divindade como Justiceiro

‫הוָה עַ ל‬-‫שּוב ֵמחֲ רֹ‍ון אַ פֶ ָך ו ְִהּנ ֵָחם עַ ל ָה ָרעָ ה ְלעַ ֶּמָך … וַיִ ּנ ֶָחם ְי‬
. ‫ָה ָרעָ ה אֲ ֶשר ִדבֶ ר לַ עֲ שֹ‍ות ְלעַ ּמֹ‍ו‬

...Volta-te da tua ira ardente! Compadece-te! Não tragas


tamanho desastre sobre teu povo!...Então, HaShem mudou de
ideia a respeito do desastre que planejou trazer [sobre] seu
povo.

O que fica implícito é que, o texto em Shemot inspirou o final em


Ioná e Ioel; ambos, textos tardios. Por outro lado, eles podem
estar simplesmente invocando uma versão variante, popular em
uso litúrgico, entre todos estes textos.

2. Hashem como Justiceiro

A ideia de que HaShem nunca isenta de punição, contradiz a


ideia dos atributos de misericórdia; mas, se encaixa em outros
textos bíblicos, aonde Deus é descrito como alguém que, não
perdoa facilmente.

Por exemplo, no decálogo é mostrado que, justamente esta


pouca disposição Divina em isentar de culpa, é um motivo par
deixar preocupado, quem jura falsamente em nome do HaShem
– Shemot 20: 6; Devarim 5: 11:
‫ – למודי תנך מתקדמים‬Estudos Bíblicos Avançados – Conceito da Divindade como Justiceiro

‫ִשא‬
ָ ‫הוָה אֵ ת אֲ ֶשר י‬-‫הוָה אֱ ֹלהֶ יָך לַ ָשוְא כִ י ל ֹא יְ נ ֶַקה ְי‬-‫ל ֺא ִת ָשא אֶ ת ֵשם ְי‬
.‫אֶ ת ְשמֹ‍ו לַ ָשוְא‬

Você não deve jurar falsamente, pelo nome do Hashem; pois


Hashem não isentará de culpa, quem jurar falsamente em Seu
Nome.

A mensagem é clara e simples: Não jure falsamente em nome do


HaShem, pois, se você fizer isso; está garantido que HaShem irá
puni-lo por isso!

Notem que a lista aparece também em Tehilim 145 (verso 8), o qual é uma canção de elogios a

Divindade

‫הוָה אֶ ֶרְך אַ פַ יִם‬-‫חַ ּנּון ו ְַרחּום ְי‬ HaShem é gracioso e compassivo, tardio em irar-se e

.‫ּוגְ ָדל חָ סֶ ד‬ abundante em bondade.

O fato de que esta canção, bem como o trecho em Ioná e Ioel – textos do período do Segundo

Templo, conforme elucidam pesquisadores – citam os dois primeiros atributos, em ordem reversa;

(‫ חנון ורחום‬ao invés de ‫ )רחום וחנון‬serve de exemplo daquilo que o Professor Avi Hurvitz

(Departamento da Língua Hebraica da Universidade Hebraica de Jerusalém) chama de Hebraico

Tardio, no capítulo Diachronic Chiasm in Biblical Hebrew, da obra Bible and Jewish History: Studies

in Bible and Jewish History Dedicated to the Memory of Jacob Liver (ed., Benjamin Uffenheimer; Tel

Aviv: Tel Aviv University, 1971), páginas 248-255 [Hebraico].

Uma Divindade Vingativa: Uma Polêmica


contra os Atributos de Misericórdia?
‫ – למודי תנך מתקדמים‬Estudos Bíblicos Avançados – Conceito da Divindade como Justiceiro

A frase, ‫“ ונקה לא ינקה‬isentar, [Deus] não isentará”, aparece no


registro do profeta Nahum, quando ele descreve a vingança
Divina: Nahum 1: 2, 3 e 6a...
‫אל קנוא ונקם יהוה נקם יהוה ובעל חמה נקם יהוה לצריו ונוטר הוא‬
‫לאיביו‬
‫יהוה ארך אפים וגדול־[וגדל־] כח ונקה לא ינקה יהוה בסופה ובשערה‬
‫ לפני זעמו מי יעמוד ומי יקום בחרון אפו חמתו‬...‫דרכו וענן אבק רגליו‬
...‫נתכה כאש והצרים נתצו ממנו‬

HaShem é El Kanô [Força/Divindade de zelo]. HaShem é


vingativo. HaShem se vingará, ele conhece a Ira. HaShem se
vinga dos seus adversários, guarda ira contra seus inimigos.
HaShem é vagaroso para irar-se, mas, grande em poder e;
Isentar, Ele não Isenta [da punição]... Quem pode suportar sua
fúria? Quem aguenta sua ira ardente? ...

Nahum está claramente, ameaçando seus ouvintes, advertindo-


os que, virá o dia em que a Divindade irá se vingar de seus
inimigos. O fato de que, isto ainda não tinha ocorrido, era devido
ao tempo adequado não ter ainda chegado, mas; com certeza ele
diz, HaShem detém o poder e não isenta da punição.

Além disso, Nahum faz um uso único, próprio da expressão ‫ארך‬


‫< אפים‬Érech Apa’im> aqui. No texto dos atributos, esta
terminologia é usada num sentido positivo de “longânime”, mas,
Nahum usa o termo no sentido negativo, para indicar que Deus
observa, espreita o momento certo para atacar. É possível que
‫ – למודי תנך מתקדמים‬Estudos Bíblicos Avançados – Conceito da Divindade como Justiceiro

Nahum estivesse polemizando com o texto dos atributos aqui,


para ensinar: Não! HaShem não é assim tão misericordioso, ele
se vinga!

Punindo Edomitas

Outro exemplo de uma frase similar, fazendo uso da raiz


Hebraica .‫ה‬.‫ק‬.‫ נ‬mas, em Nifal, ao invés da forma em Piel; é usada
por Irmiahu, na maldição contra os Edomitas:

‫ הוָה ִהּנֵה אֲ ֶשר אֵ ין ִמ ְשפָ טָ ם ִל ְשתֹ‍ות הַ כֹ‍וס ָשתֹ‍ו י ְִשתּו וְאַ ָתה‬-‫כִ י כֺה אָ ַמר ְי‬
.‫הּואנָקֹ ה ִתּנ ֶָקה ל ֹא ִתּנ ֶָקה כִ י ָשתֺה ִת ְש ֶתה‬

Pois, isto é o que diz HaShem: Quem não deveria beber deste
copo, beberá assim mesmo! Você ficará impune? Não! Você não
ficará impune; com certeza! Você beberá dele!

[Irmiahu 49: 12]

Está claro que, esta não é uma evocação dos atributos e que, o
sujeito da ira do HaShem aqui não é Israel, mas, Edom. Não
obstante, o conceito é o mesmo: HaShem não isenta da punição;
todo mundo vai ter que beber do copo da punição,
eventualmente.
‫ – למודי תנך מתקדמים‬Estudos Bíblicos Avançados – Conceito da Divindade como Justiceiro

3. HaShem como quem pune a Iniquidade...e os


Filhos...

Em geral, declarar que Deus pune a iniquidade (‫ )פקד עון‬é um


modo de se ameaçar os outros. Por exemplo, quando Ieshaiahu
adverte o povo a se esconder em casa, ele diz:

‫הוָה יֺ צֵ א ִמ ְּמקֹ‍ומֹ‍ו ִל ְפקֹ ד עֲ ֹ‍ון יֺ ֵשב הָ אָ ֶרץ עָ לָ יו וְגִ ְל ָתה הָ אָ ֶרץ אֶ ת‬-‫כִ י ִהּנֵה ְי‬
‫ֶיה‬
ָ ‫ָד ֶמיהָ וְל ֺא ְתכַסֶ ה עֹ‍וד עַ ל הֲ רּוג‬
Vejam! HaShem sai do seu lugar para castigar os que estão sobre
a terra por sua iniquidade. Então a terra revelará o sangue
derramado nela e não ocultará mais seus mortos.

Ieshaiahu 26: 21

O Decálogo usa esta concepção de punição por múltiplas


gerações, como a base do medo dos atributos vingativos e
terríveis do HaShem (em Shemot 20: 2-5 e Devarim 5: 7 - 10)
‫ֹלהים אֲ חֵ ִרים עַ ל פָ נָי… ל ֺא ִת ְש ַת ְחוֶה לָ הֶ ם וְל ֺא ָתעָ ְב ֵדם כִ י‬ ִ ֱ‫ל ֺא י ְִהיֶה ְלָך א‬
‫הוָה אֱ ֹלהֶ יָך אֵ ל ַקּנָא פֹ ֵקד עֲ ֹ‍ון אָ בֹת עַ ל בָ נִ ים עַ ל ִשלֵ ִשים וְ עַ ל‬-‫אָ נֺכִ י ְי‬
.‫ּולש ְֹמ ֵרי ִמצְ ֹ‍ו ָתי‬
ְ ‫ִרבֵ ִעים ְלשֹנְ אָ י וְעֹ ֶּשה חֶּ סֶּ ד לַ אֲ לָ ִפים ְלאֹ הֲ בַ י‬

Não terás outros Elohim perante Mim... Não se curvarás a eles,


nem os servirás. Pois Eu, HaShem, vosso Elohim, sou El Kaná
[Força/Divindade de Zelo], visito/puno a iniquidade dos pais
sobre os filhos, sobre terceiras e quartas gerações, daqueles
que Me rejeitam; mas, demonstro bondade a mil gerações, dos
que Me amam e guardam meus mandamentos.
‫ – למודי תנך מתקדמים‬Estudos Bíblicos Avançados – Conceito da Divindade como Justiceiro

[É importante parar para refletir aqui. A questão que sobrevoa este texto, consiste na consideração

destes “amantes” e “rejeitadores” de Deus, mencionados no texto, referem-se aos pais ou aos

filhos? O pesquisador, Professor Willian Propp [Especialista em Civilizações e Idiomas do Oriente

Médio e Estudos Judaicos, da Universidade de San Diego] em seu comentário em Shemot, na obra

Exodus 1-18 The Anchor Yale Bible Commentaries (volume 2, página 173) explica que, os

“rejeitadores” ou “odiadores” ali, refere-se aos pais. Similarmente, o Profesor Bernard Levinson (no

mesmo livro) elucida, que tais termos “amantes” e “odiadores” são termos técnicos. Odiadores,

são os que violam o acordo, Amantes, são os que o mantém. Em contraste, a leitura rabínica

considerou o texto, como uma referência aos filhos. Isso é percebido já em Onkelos, que

complementa dizendo ‫ – משלמין בניא למחטי בתר אבהתהון‬Se, os filhos derem continuidade a

iniquidade de seus pais. Esta é a leitura também, do Professor Jacob Milgrom; que considera tal

texto, uma edição da Tradição chamada, deuteronomista, ou simplesmente D. Esta observação é

vista no livro Olam HaTanach , no comentário a Shemot 34. Já o professor William Propp, considera

tal leitura apologética, não acadêmica; e Levinson nota que, tal concepção, torna todo o teor da

ameaça original sem sentido. Ou seja, por qual razão mencionar a aplicação da ameaça, apenas

sobre os filhos, para impedir que os pais fizessem algo errado? Não obstante, esta leitura também

poderia ser a correta e, se for uma edição, reflete a concepção do redator de qualquer modo. ]

Assim, a frase é uma ameaça. Não sirvam outras divindades,


pois, se vocês fizerem isso; HaShem não apenas vai punir vocês,
mas também seus filhos, e seus netos, e até seus bisnetos!
Bernard Levinson, Professor de Bíblia Hebraica da Universidade
de Minnesota, notou que, esta é exatamente a ameaça do
tratado de Essar-Hadom (latinizado, Assaradão) rei Assírio pai de
Sanheriv (Senaqueribe) que reinou de 681 a 669 antes da Era
Comum:

Por todo o tempo em que, nossos filhos, nossos netos viverem;


Assurbanipal, o grande príncipe coroado designado, será nosso
‫ – למודי תנך מתקדמים‬Estudos Bíblicos Avançados – Conceito da Divindade como Justiceiro

rei e nosso senhor. Se nós colocarmos outro rei ou príncipe sobre


nós, nossos filhos ou nossos netos, que todos os deuses
mencionados por nós pelo nome, nossa semente, a semente de
nossa semente; sejam responsabilizados!

[https://web.archive.org/web/20030816212418/http://www.bol
.ucla.edu/~szuchman/Sources.htm]

Os Atributos de Shemot 34, em seu


contexto

Assim, o que temos em Shemot 34 são três passagens distintas,


de Tradições Distintas, que foram combinadas para criar um
único texto. A passagem de abertura é geralmente usada para
exaltar a misericórdia do HaShem, enquanto que as duas
próximas – aquelas que fazem ressalvas – são usadas para
descrever as características vingativas.

Porém, as ressalvas de punição, em face do texto da


misericórdia; não se encaixaram perfeitamente. HaShem estaria
ensinando Moshe sobre seus atributos (no verso 5 a 7), após o
texto descrever o pecado do bezerro de ouro (capítulo 32),
imediatamente após descrever a realização de um pacto com ele
(versos 10 – 11). A razão pela qual, HaShem começa sua
interação com a recitação de seus atributos, volta a sua ameaça,
‫ – למודי תנך מתקדמים‬Estudos Bíblicos Avançados – Conceito da Divindade como Justiceiro

no capítulo 33 de que, embora Israel possa seguir adiante para a


Terra Prometida e conquista-la, eles terão que fazer isso, sem ele
(HaShem):

…‫ כִ י ל ֺא אֶ ֱעלֶ ה ְב ִק ְר ְבָך כִ י עַ ם ְק ֵשה עֺ ֶרף אַ ָתה פֶ ן אֲ כ ְֶלָך בַ ָד ֶרְך‬...

...Eu Mesmo, não irei com vocês, pois são um povo teimoso, a tal
ponto que eu os poderia destruir pelo caminho...

Moshe, fica contrariado com isto, e posteriormente no capítulo,


pede a HaShem que reconsidere:

‫ ּובַ ֶּמה ִיּו ַָדע אֵ פֹ‍וא כִ י‬. ‫ֺאמר אֵ לָ יו ִאם אֵ ין פָ נֶיָך הֺ ְלכִ ים אַ ל ַת ֲעלֵ נּו ִמזֶ ה‬ ֶ ‫וַּי‬
‫אתי חֵ ן ְבעֵ ינֶיָך אֲ נִ י וְעַ ֶּמָך הֲ לֹ‍וא ְבלֶ כְ ְתָך ִע ָּמנּו וְנִ ְפלֵ ינּו אֲ נִ י וְעַ ְּמָך ִמכָל‬
ִ ָ‫ָמצ‬
. ‫הָ עָ ם אֲ ֶשר עַ ל ְפנֵי ָהאֲ ָד ָמה‬

E [Moshe] respondeu a Ele dizendo: Se tua Presença não estiver


conosco, não nos faça partir daqui. Pois de que outra forma se
saberá que encontrei favor em teus olhos, eu e teu povo, senão
indo tu conosco? Isso é o que nos distingue, a mim e a teu povo,
de todos os outros povos da terra?!

Shemot 33: 15-16

E HaShem responde, ao tornar conhecido a Moshe que ele


ensinará Seus atributos; os quais, revelariam que a natureza de
HaShem é ser, misericordioso e, daria a Moshe a abertura para
pedir perdão por Israel:
‫ – למודי תנך מתקדמים‬Estudos Bíblicos Avançados – Conceito da Divindade como Justiceiro

‫הוָה ְלפָ נֶיָך וְחַ ּנ ִֺתי אֶ ת‬-‫אתי ְב ֵשם ְי‬


ִ ‫טּובי עַ ל פָ נֶיָך ו ְָק ָר‬
ִ ‫ֺאמר אֲ נִ י אַ ע ֲִביר כָל‬ ֶ ‫וַּי‬
.‫אֲ ֶשר אָ חֺ ן ו ְִרחַ ְמ ִתי אֶ ת אֲ ֶשר אֲ ַרחֵ ם‬

Ele [HaShem] respondeu: Farei toda a minha bondade passar


diante de você e, em sua presença, pronunciarei o nome de
HaShem. Além disso, usarei de favor com quem Eu quiser e
mostrarei misericórdia a quem Eu desejar.

Shemot 33: 19

Esta promessa foi cumprida no capítulo 34, quando HaShem


declara seu nome e diz a Moshe sobre sua natureza
misericordiosa. Moshe, então, aproveita a oportunidade para
pedir, formalmente, perdão para Israel:

‫אתי חֵ ן ְבעֵ ינֶיָך אֲ ֺדנָי‬ ִ ָ‫ֺאמר ִאם נָא ָמצ‬ ֶ ‫ וַּי‬.‫ֺשה וַּיִ קֺ ד אַ ְרצָ ה וַּיִ ְש ָתחּו‬
ֶ ‫ַוי ְַמהֵ ר מ‬
‫אתנּו‬
ֵ ָ‫ּולחַ ט‬ ְ ‫יֵלֶ ְך נָא אֲ ֺדנָי ְב ִק ְרבֵ נּו כִ י עַ ם ְק ֵשה עֺ ֶרף הּוא וְסָ לַ ְח ָת לַ עֲֹ‍ונֵנּו‬
‫ּונְ חַ ְל ָתנּו‬
De imediato, Moshe curvou-se até o chão, prostrando-se e disse:
Se eu encontrei favor em teus olhos, HaShem, então, por favor,
que HaShem vá conosco, apesar de eles serem um povo teimoso;
e perdoa nossas ofensas e pecados, e toma-os como tua posse.

Shemot 34: 8

O pedido de Moshe, na realidade, não toca na questão de não


punir “geração após geração”; mas, meio que diminui o
“impacto” da questão. Moshe apresenta sua proposta, como
uma pergunta de “sim” ou “não”. Moshe pede a HaShem que
perdoe Israel e venha com eles para a Terra Prometida. HaShem
‫ – למודי תנך מתקדמים‬Estudos Bíblicos Avançados – Conceito da Divindade como Justiceiro

concede. Apesar de não responder de modo direto ao pedido,


HaShem imediatamente faz o Pacto com Israel, por meio de
Moshe (versos 10, 27); implicando que o pedido de Moshe teria
sido aceito.

[São variadas as análises críticas necessárias aqui. Primeiramente, parece plausível que toda a

seção (34: 5b a 9) teria sido, originalmente, fruto da Tradição “E” (algo que se encaixa

adequadamente com 33: 19) e, depois, dividida de modo editorial, pelo redator. Originalmente, a

parte “a” do verso 5, seria a sequência imediata do verso 10. Shemot 34, que em parte é de

tradição “J” não considera o relato da tradição “E” do bezerro de ouro (capítulos 32-33); o qual,

continua o relato em Shemot 24: 12-18 das tábuas celestiais da Torá e da Mitzvá; que Moshe

recebeu na montanha. Ao invés disto, a tradição “J” está descrevendo o pacto que HaShem fez com

Moshe, instanciado e focado no Decálogo, incrustrado por Moshe nas pedras. ]

Uma Edição com fins Teológicos

Considerando a característica chocante do “embargo”, conforme


o contexto; a sugestão dada pelo Professor, Rabino Zev Farber
Shlita, é que tal texto implica uma edição posterior. No original,
não havia tal “embargo” e HaShem era simplesmente descrito
como aquele que é misericordioso e perdoador; razão pela qual,
Moshe usa a oportunidade para pedir o perdão por Israel. A
Tradição Rabínica portanto, não alterou texto algum, senão, que
o restituiu ao modo original, para uso litúrgico.
‫ – למודי תנך מתקדמים‬Estudos Bíblicos Avançados – Conceito da Divindade como Justiceiro

Deste modo, percebe-se que algum escriba, inconformado com a


ideia tradicional de HaShem ser amplo perdoador; possivelmente
influenciado pelos acontecimentos pós exílicos; e talvez
motivado por uma teologia sacerdotal do período, de que os
pecados manchariam, permanentemente, o povo e a terra; não
queria perpetuar o conceito de que, HaShem simplesmente
“perdoa”, mas que, deveria haver alguma expiação, tal como um
ritual ou oferta; ou punição.

Na tradição sacerdotal, expiação (o trabalho deles, portanto) era


necessária para pecados não intencionais. Pecados como
rebelião, ou como o Bezerro de Ouro, exigiam mais do que isso.
Assim, se HaShem concordasse em não punir ou lhe ameaçar
com destruição, eles entendiam que, isto deveria significar que,
de algum outro modo, o erro seria expurgado. Um modo, menos
destrutivo talvez. Vemos um processo de concepção similar, no
relato dos espias, em Bamidbar.

Percebe-se que, mesmo em face desta “doutrina”; Profetas


posicionaram-se contra tal concepção. O exemplo foi dado por
Ieheskel (bem como Divrei HaIamim), quando se posicionam
contra a ideia que percorria entre o povo, dizendo que uma
pessoa paga por seu próprio pecado, diretamente!

O uso positivo da não isenção [de


punição]: Irmiahu aos Exilados
‫ – למודי תנך מתקדמים‬Estudos Bíblicos Avançados – Conceito da Divindade como Justiceiro

Uma ideia relacionada foi expressa, repetidamente, por Irmiahu,


numa declaração que visava confortar os exilados:

‫ֱשה כָלָ ה ְבכָל‬ ֶ ‫הוָה כִ י ִא ְתָך אָ נִ י כִ י אֶ ע‬-‫אַ ָתה אַ ל ִת ָירא עַ ְב ִדי ַיעֲקֺ ב נְ אֻ ם ְי‬
‫הַ גֹ‍ויִם אֲ ֶשר ִה ַד ְח ִתיָך ָש ָּמה וְאֺ ְתָך ל ֺא אֶ עֱ ֶשה כָלָ ה ְויִסַ ְר ִתיָך לַ ִּמ ְשפָ ט ְונ ֵַקה‬
.‫ל ֹא אֲ נ ֶַק ָך‬

Mas, você, não tenha medo, Meu servo Iáacov – diz o HaShem –
pois Eu estou com você. Eu porei fim a todas as nações, para as
quais os bani, mas não porei fim a você! Eu te punirei com
medida, apesar de não isentar a punição!

Irmiahu 46: 28 (ver também, 30: 10)

Porque Irmiahu evocaria a não isenção, como parte de sua


tentativa, em confortar? Afinal, pareceria que, sua concepção de
HaShem implicaria que, HaShem aplica punição na medida, isto
deveria ser visto conforme as realidades no exílio. Os Judahitas
precisavam compreender, como é que HaShem os poderia haver
rejeitado, permitindo que os Babilônicos os exilassem da terra e,
ao mesmo tempo; desejasse seu retorno.

A resposta de Irmiahu foi que, HaShem pune de fato, que esta


era uma necessidade ontológica. Sendo assim, HaShem media a
punição, para que não chegasse a completa aniquilação, e assim,
eles poderiam esperar um retorno no futuro. A redação da
oração de Moshe por perdão, dá mostras de ser desta concepção
tradicional. Outro exemplo de uma redação pós-exílio, estaria
‫ – למודי תנך מתקדמים‬Estudos Bíblicos Avançados – Conceito da Divindade como Justiceiro

em Devarim 30; o qual descreve o retorno a terra, uma


possibilidade totalmente ignorada nas ameaças pré exílicas de
Devarim 28.

Selihot: A restauração da Antiga Concepção


Tradicional da Divindade

Com tal criação teológica, o redator demonstra ter assimilado, a


conotação negativa de punição, dentro de textos positivos sobre
perdão, em Shemot 34.

E ainda assim, a frase transmitiu, sua ambivalência negativa, de


uma visão multi-generacional da concepção de punição Divina, e
recusa em isentar de punição.

Teria sido por esta razão, que os sábios de Israel, quando


elaboraram e criaram as Selihot, decidiram restaurar, da melhor
forma que podiam (ou talvez, inconscientemente) o texto
anterior a redação; posto que, o mais provável é que, a versão
pré edição, simplesmente não tivesse o termo ‫ונקה‬. Assim, o
atributo da total e absoluta misericórdia Divina é ressaltado na
oração.

Deus, de fato, na concepção Judaica original, é aquele que


perdoa o pecado.
‫ – למודי תנך מתקדמים‬Estudos Bíblicos Avançados – Conceito da Divindade como Justiceiro

A edição teológica do relato dos espias

Após a reação dos israelitas ao relato dos espias, recusando-se a


prosseguir para a terra, HaShem declara que, destruiria a todos
numa praga (Bamidbar 14: 11, 12).

Moshe então, tenta convencer HaShem de não fazer isso (versos


13-19). Primeiro, ele argumenta que, outras nações imaginariam
que, isso significaria que HaShem não era poderoso o bastante
para sequer, cumprir sua promessa de trazê-los para a terra
(versos 13-16). Então, ele traz a pauta, os atributos de
misericórdia de HaShem:

‫הוָה אֶ ֶרְך אַ פַ יִם ו ְַרב חֶ סֶ ד‬-‫ ְי‬. ‫וְעַ ָתה יִגְ ַדל נָא כֺחַ אֲ ֺדנָי כַאֲ ֶשר ִדבַ ְר ָת לֵ אמֺר‬
‫ ְונ ֵַקה ל ֺא ְינ ֶַקה פֺ ֵקד עֲֹ‍ון אָ בֹ‍ות עַ ל בָ נִ ים עַ ל ִשלֵ ִשים וְעַ ל‬...‫ֺשא עָ ֹ‍ון וָפָ ַשע‬
ֵ ‫נ‬
...‫ִרבֵ ִעים‬

E agora, por favor, que o poder de HaShem seja tão grande como
no momento em que disseste: HaShem é vagaroso para irar-se,
rico em graça, perdoador de ofensas e crimes; entretanto, não
isenta de culpa, mas pune os pecados dos pais sobre os filhos,
sobre terceiras e quartas gerações...

Ao declarar que HaShem é misericordioso, Moshe faz seu pedido


em seguida:
‫אתה לָ עָ ם הַ זֶ ה ִמ ִּמצְ ַריִם‬
ָ ‫ְסלַ ח נָא לַ עֲֹ‍ון הָ עָ ם ַהזֶ ה כְ גֺ ֶדל חַ ְס ֶדָך ְוכַאֲ ֶשר נ ָָש‬
.‫וְעַ ד הֵ ּנָה‬
‫ – למודי תנך מתקדמים‬Estudos Bíblicos Avançados – Conceito da Divindade como Justiceiro

Por favor! Perdoa a ofensa deste povo de acordo com a grandeza


da tua graça, como tu tens suportado este povo do Egito até
agora!

Fora o trecho da não isenção de punição mencionado, o texto


como um todo é claro. Moshe argumento que, desde que Deus é
misericordioso por natureza, e poderoso o bastante para
suportar a iniquidade sem responder de acordo; Deus deveria
expressar sua misericórdia neste momento, e perdoar Israel ao
invés de destruí-los. A inclusão da isenção, neste contexto, é
estranha, aos olhos do pesquisador. Além disso, tal como em
Shemot 34, a menção da isenção também não se encaixa na
reação descrita do HaShem:

‫הוָה אֶ ת כָל‬-‫ וְאּולָ ם חַ י אָ נִ י ְוי ִָּמלֵ א כְ בֹ‍וד ְי‬. ‫הוָה סָ לַ ְח ִתי כִ ְדבָ ֶרָך‬-‫ֺאמר ְי‬
ֶ ‫וַּי‬
‫יתי ְב ִמצְ ַריִם‬
ִ ‫ֺתי אֲ ֶשר עָ ִש‬ ַ ‫ כִ י כָל הָ אֲ נ ִָשים הָ ר ִֺאים אֶ ת כְ ב ִֺדי וְאֶ ת אֺ ת‬. ‫הָ אָ ֶרץ‬
‫ ִאם י ְִראּו אֶ ת‬. ‫ֹ‍ולי‬
ִ ‫ּובַ ִּמ ְדבָ ר ַו ְינַסּו אֺ ִתי זֶה עֶ ֶשר ְפעָ ִמים וְל ֺא ָש ְמעּו ְבק‬
. ָ‫ֺתם ְוכָל ְמנַאֲ צַ י ל ֺא י ְִראּוה‬ ָ ‫הָ אָ ֶרץ אֲ ֶשר נִ ְשבַ ְע ִתי לַ אֲ ב‬

HaShem respondeu: Eu perdoo, como você pediu. Entretanto,


tão certo quanto Eu Vivo, e [tão certo quanto o fato de] que toda
a terra está cheia da kavod de Hashem: Ninguém que viu minha
kavod e os sinais que fiz no Egito e no deserto, e mesmo assim
me tentou por dez vezes e não ouviu a minha voz, verá a terra
que jurei a seus ancestrais! Ninguém que me tratou com
desprezo a verá!

A resposta do HaShem é que, ele havia perdoado o povo, no


sentido de que, não os puniria ativamente; como havia dito
‫ – למודי תנך מתקדמים‬Estudos Bíblicos Avançados – Conceito da Divindade como Justiceiro

revelado originalmente a Moshe. Não obstante a isso, HaShem


também não os ajudaria, conduzindo-os a terra. Ao invés disso,
aquela geração toda, morreria no deserto mesmo. Apenas a
próxima geração entraria na terra.

Percebe-se na concepção da tradição desta redação que, ela não


só carece de qualquer conexão com a ideia de punição inter-
generacional (que dispensaria esperar que os pais morressem);
como na verdade mostra o exato oposto: HaShem até guarda
rancor contra perpetradores, mas, seus filhos não correm risco
nenhum!

Assim, fica mais clara a sugestão do Rabino Zev Farber de que,


também neste caso, a ideia de HaShem como aquele que não
isenta de punição, foi uma adição posterior. Originalmente,
Moshe teria declarado simplesmente que HaShem possui
apenas, atributos de misericórdia – sem ressalvas – e, estava
pronto a perdoar aquele que solicita.

Att. A. Bentzion.