Você está na página 1de 3

Exercícios de literatura

Tema: Estrutura literária

1. (Enem-MEC)

"Do pedacinho de papel ao livro impresso vai uma longa distância. Mas o que o escritor quer, mesmo, é isso: ver o
seu texto em letra de forma. A gaveta é ótima para aplacar a fúria criativa; ela faz amadurecer o texto da mesma
forma que a adega faz amadurecer o vinho. Em certos casos, a cesta de papel é melhor ainda.

O período de maturação na gaveta é necessário, mas não deve se prolongar muito. 'Textos guardados acabam
cheirando mal', disse Silvia Plath, [...] que, com esta frase, deu testemunho das dúvidas que atormentam o escritor:
publicar ou não publicar? Guardar ou jogar fora?"

Moacyr Scliar. O escritor e seus desafios.

Nesse texto, o escritor Moacyr Scliar usa imagens para refletir sobre uma etapa da criação literária. A idéia de que o
processo de maturação do texto nem sempre é o que garante bons resultados está sugerida na seguinte frase:

a) "A gaveta é ótima para aplacar a fúria criativa".

b) "Em certos casos, a cesta de papel é melhor ainda".

c) "O período de maturação na gaveta é necessário, [...]".

d) "Mas o que o escritor quer, mesmo, é isso: ver o seu texto em letra de forma".

e) "ela (a gaveta) faz amadurecer o texto da mesma forma que a adega faz amadurecer o vinho".

2. (Enem-MEC)

"E considerei a glória de um pavão ostentando o esplendor de suas cores; é um luxo imperial. Mas andei lendo livros,
e descobri que aquelas cores todas não existem na pena do pavão. Não há pigmentos. O que há são minúsculas
bolhas d'água em que a luz se fragmenta, como em um prisma. O pavão é um arco-íris de plumas.

Eu considerei que este é o luxo do grande artista, atingir o máximo de matizes com o mínimo de elementos. De água
e luz ele faz seu esplendor; seu grande mistério é a simplicidade.

Considerei, por fim, que assim é o amor, oh! Minha amada; de tudo que ele suscita e esplende e estremece e delira
em mim existem apenas meus olhos recebendo a luz de teu olhar. Ele me cobre de glórias e me faz magnífico."

Rubem Braga. Ai de ti, Copacabana. 20. ed.

O poeta Carlos Drummond de Andrade escreveu assim sobre a obra de Rubem Braga:

"O que ele nos conta é o seu dia, o seu expediente de homem, apanhado no essencial, narrativa direta e econômica.
(…) É o poeta do real, do palpável, que se vai diluindo em cisma. Dá o sentimento da realidade e o remédio para ela."

Em seu texto, Rubem Braga afirma que "este é o luxo do grande artista, atingir o máximo de matizes com o mínimo
de elementos". Afirmação semelhante pode ser encontrada no texto de Carlos Drummond de Andrade, quando, ao
analisar a obra de Braga, diz que ela é:

a) Uma narrativa direta e econômica.

b) Real, palpável.

c) Sentimento de realidade.

d) Seu expediente de homem.


e) Seu remédio.

3. (UEL-PR) No início da década de 1960, a tendência em voga no campo artístico internacional é a Arte Pop. A arte
brasileira do período se apropriará dessa linguagem, assumindo, porém, um trabalho mais crítico, considerando o
momento político no Brasil. Assinale a alternativa cuja imagem apresenta a tendência dominante na arte brasileira
quando da instalação do estado de exceção implantado com o golpe militar de 1964.

4. (UEL-PR) Analise as imagens e leia o texto a seguir.


"Arte é um fruto que cresce no homem, como o fruto da planta ou a criança no ventre da mãe. Mas enquanto o fruto
da planta, o fruto dos animais, o fruto da mãe tomam formas naturais, utiliza a arte o fruto espiritual do homem, em
geral formas tais que se parecem de maneira visível com outras formas."

ARP, Jean. In: Revista Discutindo Arte. Ano 1, n. 1, p. 39, 2005.

Assinale a alternativa que apresenta a aproximação correta entre o texto de Jean Arp e as obras de Constantin
Brancusi e Lygia Clark.

a) Desenvolvimento dos volumes, aproximando-se do cubismo e ameaçando a segurança do olhar que busca uma
narrativa visual.

b) Sublimação da experiência estética, determinada pela perda total do referencial da vida cotidiana.

c) Incorporação do conceito de gênese, ou seja, o entendimento de uma forma simples que gera outras formas.

d) Despreocupação com a graça, anulando a relação dinâmica que as formas têm com o referencial que lhe deu
origem.

e) Aparência agitada das obras, permitindo que identifiquemos estes artistas como herdeiros dos expressionistas
alemães.

GABARITO:

1B 2C 3E 4C

Você também pode gostar