Você está na página 1de 7

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA

DISCIPLINA: FONTES ALTERNATIVA DE ENERGIA I


PROFESSOR: AÍDSON ANTÔNIO DE PAULA

TRABALHO 2
ATUALIZAÇÃO DOS CAPÍTULOS 2 E 3

LUCAS EDUARDO RIBEIRO DUARTE


11611ETE015

UBERLÂNDIA
2018
Atualização de dados referente aos capítulos 02 e 03 do livro Energia e Meio Ambiente
4ª edição norte-americana.

Capítulo 2

2.1) Taxas de Imposto sobre Combustível do automóvel para os


seguintes países selecionados

2.12) Correlação entre o uso de energia per capita e a produção


econômica per capita
A Figura abaixo mostra uma forte correlação entre o uso de energia per capita e
a produção econômica per capita. No entanto, vemos que os países desenvolvidos estão
mais acima da curva de consumo de energia per capita / PIB, enquanto os países em
desenvolvimento, como Índia e China, apesar de seu tamanho econômico absoluto,
permanecem menores na curva de consumo de energia per capita / PIB. Os dados
continuam mostrando que as economias avançadas atuais continuam a ser intensivas em
recursos e uma forte correlação entre crescimento econômico e consumo de energia. Com
os países em desenvolvimento crescendo em taxas tão rápidas, se seus padrões de
consumo e produção imitam os dos países desenvolvidos, isso significaria que o consumo
de energia per capita aumentaria significativamente com repercussões significativas para
a demanda de recursos globais.
Capítulo 3

3.2) Dados históricos de consumo de energia mundial recentemente atualizados


pelo BP

O gráfico abaixo mostra os dados históricos de consumo de energia mundial


recentemente atualizados pelo BP (BP Statistical Review of World Energy 2015).
Podemos perceber um crescimento no consumo de energia mundial em todas as
partes do mundo. Porém, este crescimento é acentuado para o que é chamado "resto do
mundo", que são países em desenvolvimento, como os BRICS. Enquanto isso, os países
desenvolvidos e industrializados, como USA, União Européia, Japão e Canadá, em azul
e vermelho, são os que estão apresentando menor crescimento no consumo de energia.
Fonte: https://ourfiniteworld.com/2015/06/23/bp-data-suggests-we-are-reaching-peak-
energy-demand/comment-page-18/

3.6)

Todos os gráficos abaixo mostram a mesma tendência: os países membros da


OECD (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), ou seja, os
países ricos e desenvolvidos, estão com o crescimento do PIB e consumo de energia bem
menos acentuado que o restante do mundo. O PIB do restante do mundo já ultrapassou o
os países desenvolvidos, assim como o consumo de energia, sendo o PIB com uma taxa
maior de crescimento que o consumo de energia em ambos os casos.
Em alguns países da OCDE, não há crescimento perceptível no consumo de
energia, apesar do crescimento contínuo do PIB e, em alguns casos, da população. A
explicação: melhorias contínuas na eficiência de utilização de energia ou queda da
intensidade de energia - duas faces da mesma moeda.
O resultado é que o consumo de energia per capita dentro da OCDE na verdade
diminuirá nos próximos 20 anos, assim como a demanda geral por combustíveis para
transporte. A posse de carros nos EUA, por exemplo, atingiu o pico e mostra uma leve
tendência de queda, assim como na Europa e Japão.

1)
2)

3)
Fontes:1) http://www.xof1.com/energyConsumption.php
2)https://commons.wikimedia.org/wiki/File:OECD-non-OECD-GDP-1990-2035-
DOEEIA-IEO-2011.png
3) https://www.eia.gov/todayinenergy/detail.php?id=33812

3.3) A urbanização e o aumento dos padrões de vida

A urbanização e o aumento dos padrões de vida são componentes fundamentais


para o aumento do uso de energia nos transportes e nos edifícios em outras economias
asiáticas não pertencentes à OCDE. Igualmente significativas são as mudanças projetadas
nos modos de transporte. Em 2015, cerca de 30% das viagens nesses países foram em
automóveis; até 2040, projetos de EIA que compartilham para chegar a quase 50%.
A urbanização no também está prevista para contribuir para um aumento na
demanda por eletricidade e gás natural em edifícios. O aumento do padrão de vida em
países não membros da OCDE aumenta a demanda por eletrodomésticos, equipamentos
e serviços comerciais. O uso de carvão residencial e comercial permanece relativamente
baixo, enquanto o uso de gás natural usado para cozinhar e aquecimento aumenta.
Fonte: https://www.eia.gov/todayinenergy/detail.php?id=32972