Você está na página 1de 6

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE

CENTRO DE TECNOLOGIA – CT
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE COMUNICAÇÕES - DCO
LISTA DE EXERCÍCIOS I

1. Qual é a aplicação de um sistema de cabeamento estruturado em edifícios comerciais?

O sistema de cabeamento estruturado tem sua concepção em uma infraestrutura flexível e,


deste modo é capaz de suportar diversos tipos de aplicações simultâneos, como: Dados, voz,
imagem e controles prediais, sendo utilizados obedecendo normas específicas internacionais.

2. Quais são os subsistemas que formam um sistema de cabeamento estruturado?

São 6 subsistemas:
- Cabeamento horizontal;
- Cabeamento de backbone;
- Área de trabalho;
- Sala de telecomunicações;
- Sala de equipamentos;
- Infraestrutura de entrada;
3. Esquematize o subsistema de distribuição horizontal.

O cabeamento horizontal se estende do armário de telecomunicações até a área de trabalho e


os seus subsistemas são:
a. Cabeamento Horizontal;
b. Tomada de Telecomunicações;
c. Terminações de Cabo;
d. Cross-Connections.

 Comprimento máximo admitido para o cabeamento UTP é 100 metros, onde 90


metros é o comprimento máximo do cabo, 7 metros usados no armário de
telecomunicações e 3 metros são para conectar o equipamento do usuário à tomada.
Há a recomendação para um mínimo de 2 tomadas para cada 10 m² de área de
trabalho.
4. Quais são os dois métodos de conectividade permitidos por normas aplicáveis para
conexão de equipamentos ativos a ambos os subsistemas de cabeamento horizontal e
de backbone?

Interconexão: É utilizada para conexão do equipamento ativo de rede ao cabeamento


horizontal.

Conexão cruzada: Configura basicamente, pelo espelhamento das saídas do equipamento ativo
em um patch painel ou grupos de painéis de acordo com a quantidade de portas em questão.

5. Descreva os limites mínimo e máximo definido por normas no subsistema de


cabeamento horizontal. Considere a técnica de cabeamento em edifícios abertos.

O cabeamento horizontal contempla os patch cords (cordões de manobra), como são


conhecidos e definidos em normas aplicáveis, bem como os cordões de equipamentos
(também denominados patch cords, porém usados para conectar o equipamento ativo ao
sistema de distribuição do cabeamento horizontal) do lado do (FD) e os cordões dos usuários,
do lado da área de trabalho. Esses cordões são do tipo flexível (preferencialmente construídos
com cabos que possuem condutores multifilares) e não podem exceder 10m de comprimento
dentro do AT e entre a tomada de telecomunicações OT e o equipamento. Já entre o patch
panel e a OT, não poderá exceder 90m. Assim um canal horizontal completo está limitado a
um comprimento máximo de 100m.

6. Quais são as duas técnicas de conectividade adotadas no cabeamento de edifícios


abertos?

As duas técnicas são: MUTO ou MuTOA ou tomada de telecomunicações multiusuário e CP


(Consolidation Point) ou ponto de consolidação.
7. Esquematize a distribuição de backbone. Quais são os tipos de backbone comumente
encontrado em edifícios ou grupo de edifícios comerciais?

De acordo com as normas a topologia indicada para implementação do backbone é a


estrela com até dois níveis hierárquicos. Os tipos de backbone, podem ser:

• Backbone de edifício: Ocorre quando o sistema interconecta pavimentos do mesmo


edifício;

• Backbone de campus: Ocorre quando o sistema interconecta edifícios à rede.

8. Cite os meios físicos aceitos no subsistema de backbone de edifícios comerciais. Quais


são os seus limites em distâncias?

Essas distâncias se aplicam ao cabeamento entre um distribuidor de campus e qualquer


distribuidor de piso em um edifício comercial.

9. Qual é a principal diferença entre uma sala de equipamento (ER) e uma sala de
telecomunicações (TR)?

As salas de equipamentos (ER) tem como foco atender a um edifício inteiro ou a um campus
inteiro, enquanto que a sala de comunicação (TR) é para atender uma área mais restrita como
um pavimento.

10. Quais são as normas mais usadas como referências para o projeto e instalação de um
sistema de cabeamento estruturado em edifícios comerciais?

São a norma brasileira (NBR-14565:2007), a norma internacional ISO/IEC 11801:2002 2ª edição


e a série de normas americanas ANSI/TIA/EIA-568-B (B.1,B.2 e B.3).

11. Onde está localizado o distribuidor de campus em um edifício comercial e qual a sua
principal função?

O distribuidor de campus localiza-se, tipicamente, na sala de equipamentos do edifício


principal da rede e é responsável pela distribuição do backbone de campus, ou seja, o
backbone que interconecta um ou mais edifícios em um mesmo sistema de cabeamento.
12. Explique a diferença entre os cabos de cobre UTP, F/UTP e S/UTP.

O que diferencia esses cabos é a BANDA de dados que cada um consegue fornecer, e para
conseguir essas diferentes BANDAs são adicionados camadas de blindagem e trançam-se os
fios, para evitar os ruídos.

• UTP: sem camada de blindagem, trançados, menor BANDA, mas mesmo assim o mais
usado;

• F/UTP: Uma camada geral de blindagem aterrada, trançados, maior BANDA;

• S/UTP: Uma cama de blindagem geral e mais uma para cada par, trançados, BANDA
superior ao anterior.

13. Qual é a topologia de distribuição de cabos nos subsistemas horizontal e de backbone?

O cabeamento horizontal e de backbone devem ser instalado na topologia estrela.

14. Quais são os métodos empregados no cabeamento centralizado óptico? Explique

Os métodos são:

- Interconexão/emenda: Consiste na conexão do cabeamento horizontal ao equipamento ativo


óptico sem o uso de distribuidor de piso. Essa conexão é feita na sala de telecomunicações que
serve a área de trabalho do cabeamento horizontal em questão. O comprimento máximo é de
300m (Incluindo os cordões de equipamentos e os cordões dos usuários em ambas as
extremidades, bem como os patch cords ópticos no distribuidor de edifícios). O método
emenda possui as mesmas limitações do método interconexão, porém, em vez de uma
interconexão entre os subsistemas de cabeamento horizontal e backbone, é feita uma emenda
óptica.

- Pull-through (Passagem direta): O cabo que sai do distribuidor óptico centralizado chega a
tomada de telecomunicações da área de trabalho diretamente, sem nenhum bloqueio ou
terminação intermediária. Nesse caso o cabo apenas passa pela sala de telecomunicações.
Nesse caso existe apenas o cabeamento horizontal e o comprimento máximo é de 100 metros
incluindo os cordões de manobras.