Você está na página 1de 1

Professora: Neire S.

Turma: 5º
Data: ____/____/____

Resumo – Fique ligado!

O 2º Governo de Vargas (1950 – 1954)

Getúlio Vargas foi por duas vezes presidente da república do Brasil: Na primeira vez, de
1930 a 1945, governou o Brasil em três fases distintas: de 1930 a 1934, no governo provisório;
de 1934 a 1937, no governo constitucional, eleito pelo Congresso Nacional; e de 1937 a 1945,
no Estado Novo. Na segunda vez, de 1951 a 1954, governou o Brasil como presidente eleito por
voto direto. O resultado final da eleição de 1950 determinou a vitória de Getúlio Vargas com
48,7% dos votos, totalizando quase 4 milhões de votos contra 29,7% de Eduardo Gomes e
21,5% de Cristiano Machado.Em 1951, Getúlio Vargas retornou ao posto de Presidente da
República.
Em seu discurso, Getúlio Vargas manteve a sua posição como defensor do direito dos
trabalhadores e afirmou que priorizaria também o desenvolvimento do país e a promoção do
bem-estar da população, combatendo, principalmente, a inflação. Getúlio era chamado, pelos
seus simpatizantes, de "pai dos pobres" . No primeiro ano de seu governo, Vargas estabeleceu
o monopólio estatal sobre o petróleo, a partir de uma campanha de cunho nacionalista que
recebeu forte apoio popular. A campanha foi denominada de "O petróleo é nosso", que
resultou na criação da Petrobrás a partir de 1953, que passou a ser a detentora do monopólio
de exploração do petróleo no Brasil a partir de 1954.
Getúlio Vargas incentivou fortemente a industrialização no Sudeste. Como era a região
que mais crescia, muitas pessoas pobres do Brasil inteiro migraram em busca de emprego e
prosperidade. A maior parte das indústrias se concentrava na cidade de São Paulo, destino de
muitos imigrantes que vinham da região nordestina.
A consequência deste êxodo rural foi o crescimento desordenado das cidades. Eram
muitos pessoas que migravam, e não havia um planejamento da parte do governo para
empregar e oferecer habitações de qualidade a todos.
O governo democrático de Vargas foi fortemente marcado pela crise política, crise
econômica – principalmente pelo aumento da inflação – e a tensão social que aconteceu em
decorrência tanto da crise política quanto da econômica, resultando assim, insatisfação da
população com o aumento do custo de vida.
Apesar da forte crise política, a oposição não tinha força suficiente para derrubar Vargas.
Uma tentativa de impeachment foi realizada e fracassou. Vargas estava acuado, mas se
sustentava de alguma forma. Vargas, isolado politicamente, optou por cometer um ato
extremo: suicidou-se, atirando contra o próprio peito, na manhã de 24 de agosto de 1954, em
seu quarto, no Palácio do Catete, na cidade do Rio de Janeiro, então capital federal. Getúlio
Vargas foi o mais controvertido político brasileiro do século XX. Sua influência se estende até
hoje.