Você está na página 1de 21

Geografia

O Campo e a
Cidade.

Profº Diego Ferreira – diego.ferreira.hist@gmail.com


O campo

Pode-se tratar do campo, como a porção do espaço definida dentro do


perímetro RURAL. É caracterizada pela produção agropecuária, pela
extração mineral ou vegetal, ou simplesmente pelo espaço sem muita
transformação, ao
contrário do meio urbano. Lembramos muitas vezes do campo
pelo modo de vida com tempos e espaços mais dilatados.
ATLAS DO ESPAÇO RURAL BRASILEIRO

- O processo de modernização da agropecuária que antes atravessava um período de grande mecanização,


agora vive um momento de investimento em capital intelectual.
- estatísticas evidenciam que 39% dos 3,9 milhões de produtores que geriam diretamente estabelecimentos
agropecuários, eram analfabetos ou sabiam ler e escrever sem terem frequentado a escola e 43%.
- deslocamento espacial da fronteira agropecuária brasileira em direção às regiões Centro-Oeste e Norte do
país
- 90% dos recursos hídricos do país são destinados à produção agrícola, produção industrial e consumo
humano. As atividades de agricultura irrigada demandam a maior parte da água.
- Há grande desigualdade na densidade dos fluxos econômicos da agropecuária nacional.
- O IBGE afirma que recentemente a fronteira agrícola brasileira avançou em direção aos cerrados do oeste
baiano, sul/sudeste do Maranhão e Piauí, por conta de investimentos na infraestrutura e logística portuária.
Fonte: https://biblioteca.ibge.gov.br/index.php/biblioteca-catalogo?view=detalhes&id=263372
Escravidão Rural

● Até hoje se encontram


pessoas trabalhando
em condições análogas
a escravidão.
Revolução Verde

A expressão Revolução Verde refere-se à invenção e disseminação de


novas sementes e práticas agrícolas que permitiram um vasto aumento na
produção agrícola a partir da década de 1950 nos Estados Unidos e na
Europa e, nas décadas seguintes, em outros países. É um amplo programa
idealizado para aumentar a produção agrícola no mundo por meio do uso
intensivo de insumos industriais, mecanização e redução do custo de
manejo.
O modelo se baseia na intensiva utilização de sementes geneticamente
alteradas (particularmente sementes híbridas), insumos industriais
(fertilizantes e agrotóxicos), mecanização, produção em massa de produtos
homogêneos e diminuição do custo de manejo. Também é creditado, à
Revolução Verde, o uso extensivo de tecnologia no plantio, na irrigação e na
colheita, assim como no gerenciamento de produção.
Os agrotóxicos
A cidade

Pode-se tratar da cidade, como a porção do espaço


profundamente alterada pelo homem, onde se concentra a
maior parte da população, onde circula a maior parte dos
recursos e onde os tempos e espaços são mais apertados
ou
reduzidos. É o perímetro URBANO.
Muito já se escreveu sobre a cidade
Jacques Le Goff e O autor pesquisou a
Jean Lebrun relação entre o corpo
procuram humano e o espaço
fornecer os urbano desde a
modos de Grécia antiga à
compreensão da moderna Nova York,
ruptura urbana da celebração da
que caracterizam Revolução Francesa
nossa época. Por à simples história da
meio de quatro cadeira, da sina dos
temas (a cidade judeus no gueto de
como lugar de Veneza, em plena
troca de diálogo, Renascença, ao
como lugar de destino do cidadão
segurança, de burguês na Paris do
poder e de século XIX. Sennett
aspiração à constrói um ensaio
beleza), os que leva o leitor a
historiadores repensar as questões
analisam a sociais e estéticas do
reconfiguração do tempo.
conjunto de
funções da
cidade.
Belle Epoque e reformas
urbanas
Favelização
Gentrificação
Movimento Pendular
Cidades Dormitório

● Cidade-dormitório é uma designação usada para se referir a


aglomerados urbanos surgidos nos arredores de uma grande
cidade tipicamente para servir de moradia a trabalhadores da
cidade-núcleo da região. Geralmente, a divisão entre subúrbios
e cidades-dormitórios é imprecisa, devido à conurbação das
cidades. Cidades-dormitórios costumam estar ligadas por
meios de transporte de massa aos locais de trabalho da
maioria de seus residentes.
Conurbação

● Conurbação é a unificação da mancha urbana de duas ou mais


cidades, em consequência de seu crescimento geográfico.[1]
Geralmente esse processo dá origem à formação de regiões
metropolitanas. Contudo, o surgimento de uma não é
necessariamente vinculado ao processo de conurbação.

Pavuna – São João de Meriti


Metrópole

● Metrópole, da língua grega metropolis (mētēr = mãe, ventre


pólis = cidade), é o termo empregado para se designar as
cidades centrais de áreas urbanas formadas por cidades
ligadas entre si fisicamente (conurbadas) ou através de fluxos
de pessoas e serviços ou que assumem importante posição
(econômica, política, cultural, comercial, etc.) na rede urbana
da qual fazem parte (correspondentes, na classificação do
IBGE às metrópoles nacionais e regionais).
● Ex: Cidade do Rio de Janeiro – Cidade de São Paulo.
Megacidades

Megacidade é o termo empregado para definir uma cidade que


sedia uma aglomeração urbana com mais de dez milhões de
habitantes e que esteja dotada de um rápido processo de
urbanização. A população das megacidades não contam com a
região metropolitana em seu contorno.
Megalópole

● A expressão megalópole foi criada para designar uma área


hierarquicamente superior às metrópoles. Na verdade, uma
megalópole só existe quando há um eixo socioespacial e
populacional que envolve duas ou mais metrópoles, geralmente
de nível internacional, formando uma urbanização
semicontínua interligada por cidades de médio e pequeno
porte.
Megalópole BosWash
Complexo Metropolitano do Sudeste

● É uma megalópole?
:P