Você está na página 1de 78

ESCOLA SUPERIOR NACIONAL DE

SEGUROS DE SÃO PAULO

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO COM


LINHA DE FORMAÇÃO
EM SEGUROS E PREVIDÊNCIA

“Contabilidade Aplicada ao Seguro”

Prof. Ms. Josemar Costa Silva

Ago/2010
Noções de Contabilidade Geral
Princípios de Contabilidade (CFC 750/93):
 Entidade (dono é diferente da empresa)
 Continuidade (não vai fechar)
 Oportunidade (tempestividade e integridade)
 Registro pelo valor original (valor da transação)
 Atualização monetária (efeito da inflação)
 Competência (quando ocorre e não quando paga)
Prudência (menor valor para direitos e maior valor
para obrigações)
Princípio da Entidade

– o patrimônio da entidade não se confunde com o de seus


sócios ou acionistas ou proprietário individual.

– a contabilidade é mantida para a empresa como uma entidade


identificada, registrando os fatos que afetam o seu patrimônio e
não o de seus titulares, sócios ou acionistas.

– este princípio afirma a autonomia patrimonial evidenciando


que este não se confunde com aqueles de seu sócios ou
proprietários, no caso de sociedades ou instituições.
Princípio da Continuidade

– a continuidade ou não da entidade, bem como sua vida


definida ou provável, devem ser consideradas quando da
classificação e avaliação das mutações patrimoniais,
quantitativas e qualitativas.

– pressupõe a continuidade indefinida das atividades


operacionais de uma entidade até que hajam evidências ou
indícios muito fortes em contrário. Por conseqüência, como as
demonstrações financeiras são estáticas não podem e não
devem ser desvinculadas de períodos anteriores e
subseqüentes.
Princípio da Oportunidade

– refere-se simultaneamente, à tempestividade e à integridade


do registro do patrimônio e das suas mutações, determinando
que este seja feito de imediato e com a extensão correta,
independentemente das causas que as originaram.

– reconhecimento imediato de ativos e passivos nos registros


contábeis, considerando-se, inclusive, para os casos em que não
haja uma prova documental concreta, a possibilidade de uma
estimativa técnica, razoável e objetiva, visando evitar o
liberalismo por parte das pessoas.
Princípio do Registro pelo Valor Original

– os componentes do patrimônio devem ser registrados pelos


valore originais das transações com o mundo exterior, expressos
a valor presente na moeda do País, que serão mantidos na
avaliação das variações patrimoniais posteriores, inclusive
quando configurarem agregações ou decomposições no interior
da entidade.
Princípio da Atualização Monetária

– os efeitos da alteração do poder aquisitivo da moeda nacional


devem ser reconhecidos nos registros contábeis através do
ajustamento da expressão formal dos valores dos componentes
patrimoniais.

– indica a necessidade de reconhecimento da perda do poder


aquisitivo da moeda sobre o valores que integram as
demonstrações financeiras.

– o objetivo do princípio da atualização monetária é, o de


eliminar das demonstrações financeiras da entidade as
distorções causadas pela desvalorização da moeda.

- Suspenso desde 1994, com o Plano Real.


Princípio da Competência

– as receitas e as despesas devem ser incluídas na apuração do


resultado do período em que ocorrerem, sempre
simultaneamente quando se relacionarem, independentemente
de recebimento ou pagamento.

– as receitas e as despesas são atribuídos aos períodos de


acordo com a real incorrência dos mesmos, isto é, de acordo
com a data do fato gerador e não quando são recebidos ou
pagos.
Princípio da Prudência

– determina a adoção do menor valor para os componentes do


ATIVO e do maior valor para os componentes do PASSIVO,
sempre que se apresentem alternativas igualmente válidas para
a quantificação das mutações patrimoniais que alterem o
patrimônio líquido.

– visa a prudência na preparação dos registros contábeis, com a


adoção de menor valor par os itens do ativo e da receita, e o de
maior valor para os itens do passivo e de despesa.
Regime de Competência

Para entendermos a Demonstração do Resultado do Exercício


(DRE) necessitamos ter bem definida a palavra “competência”.

Na DRE só constam receitas e despesas. Estas são


contabilizadas pelo regime de competência.

O regime de competência requer que todas as operações de


uma empresa sejam contabilizadas quando o fato ocorre e não
quando as operações são pagas ou recebidas (fluxo de caixa).
Regime de Competência

– Receitas: compreende o valor das vendas de bens e produtos,


das prestações de serviços, da remuneração das aplicações
financeiras etc.
– O reconhecimento da receita ocorre simultaneamente com o
aumento de ativo ou de diminuição de passivo.

– Despesas: constituem-se das despesas pagas ou incorridas


para vender produtos, financiar suas operações e administrar a
empresa.
– O reconhecimento de despesa ocorre simultaneamente com
o aumento do passivo ou com a diminuição do ativo (por
exemplo, a provisão para obrigações trabalhistas ou a
depreciação de um equipamento).

11
Regime de Competência
A competência é um período que pode corresponder:

- a um dia;
- a um mês;
- a um trimestre;
- a um semestre; ou
- a um ano.

Normalmente em uma seguradora a competência é relativa ao


período de um mês, uma vez que as mesmas preparam
mensalmente balancetes para o acompanhamento da
administração, para apuração e recolhimento dos tributos e para
atendimento ao órgão regulador (Susep).

12
Regime de Competência

Em resumo, o registro da despesa deverá ocorrer sempre no mês


em que o serviço for prestado, mesmo quando:

- há atraso na elaboração do contrato;


- não tenha recebido as Notas Fiscais; ou
- há prorrogação do pagamento para períodos seguintes.

Neste caso deve-se adotar controles internos para apurar e


controlar o montante devido, mesmo que para tanto seja
necessária a adoção de critérios de estimativa (mesmo com base
estatística), ajustando no mês seguinte o eventual excesso ou
insuficiência.

13
Analogia
Assalariado
FLUXO DE CAIXA PESSOAL
Descrição Valor
Receitas
- Salário 1.000
Total das Receitas 1.000
Despesas
- Aluguel 400
- Alimentação 300
- Colégio 200

Total das Despesas 900


Sobra / (Deficit) 100
Você ainda faria o financiamento da TV de
LCD?
Analogia
Assalariado
FLUXO DE CAIXA PESSOAL
Descrição Valor
Receitas
- Salário 1.000
Total das Receitas 1.000
Despesas
- Aluguel 400
- Alimentação 300
- Colégio 200
- Financiamento 150

Total das Despesas 1.050


Sobra / (Deficit) (50)
Fluxo de caixa da seguradora
Receitas e Despesas

 Receitas:
 Prêmio de seguro;
 Despesas:
 Vistoria prévia / inspeção;
 Resseguro (líquido de comissões);
 Cosseguro cedido (líquido de comissões);
 Comissão de corretagem / agenciamento;
 Indenização de sinistro;
 Honorários e despesas de regulação de sinistro;
 Cobrança;
 Desp. Adm. (Pessoal, Localização, Informática,
Viagens, Material de escritório, Papel, etc...)
Fluxo de caixa da seguradora
FLUXO DE CAIXA DA SEGURADORA
Descrição jan/05 fev/05 mar/05 abr/05 mai/05 Total
Receitas
- Prêmio de seguro 1.000 1.000
Total das Receitas 1.000 0 0 0 0 1.000
Despesas
- Resseguro 50 50
- Comissões 250 250
- Sinistros 50 100 200 100 50 500

Total das Despesas 50 350 250 100 50 800


Margem de Contribuição 950 (350) (250) (100) (50) 200
MC Acumulada 950 600 350 250 200 200
Fluxo de caixa da seguradora
FLUXO DE CAIXA DA SEGURADORA
Descrição jan/05 fev/05 mar/05 abr/05 mai/05 Total
Receitas
- Prêmio de seguro 1.000 1.000
Total das Receitas 1.000 0 0 0 0 1.000
Despesas
- Resseguro 50 50
- Comissões 250 250
- Sinistros 50 100 200 100 50 500

Total das Despesas 50 350 250 100 50 800


Margem de Contribuição 950 (350) (250) (100) (50) 200
MC Acumulada 950 600 350 250 200 200
Fluxo de caixa da seguradora
FLUXO DE CAIXA DA SEGURADORA
Descrição jan/05 fev/05 mar/05 abr/05 mai/05 Total
Receitas
- Prêmio de seguro 1.000 1.000
Total das Receitas 1.000 0 0 0 0 1.000
Despesas
- Resseguro 50 50
- Comissões 250 250
- Sinistros 50 100 200 100 50 500

Total das Despesas 50 350 250 100 50 800


Margem de Contribuição 950 (350) (250) (100) (50) 200
MC Acumulada 950 600 350 250 200 200
Fluxo de caixa da seguradora
FLUXO DE CAIXA DA SEGURADORA
Descrição jan/05 fev/05 mar/05 abr/05 mai/05 Total
Receitas
- Prêmio de seguro 1.000 1.000
Total das Receitas 1.000 0 0 0 0 1.000
Despesas
- Resseguro 50 50
- Comissões 250 250
- Sinistros 50 100 200 100 50 500

Total das Despesas 50 350 250 100 50 800


Margem de Contribuição 950 (350) (250) (100) (50) 200
MC Acumulada 950 600 350 250 200 200
Fluxo de caixa da seguradora
FLUXO DE CAIXA DA SEGURADORA
Descrição jan/05 fev/05 mar/05 abr/05 mai/05 Total
Receitas
- Prêmio de seguro 1.000 1.000
Total das Receitas 1.000 0 0 0 0 1.000
Despesas
- Resseguro 50 50
- Comissões 250 250
- Sinistros 50 100 200 100 50 500

Total das Despesas 50 350 250 100 50 800


Margem de Contribuição 950 (350) (250) (100) (50) 200
MC Acumulada 950 600 350 250 200 200
Fluxo de caixa da seguradora

FLUXO DE CAIXA DA SEGURADORA


Descrição jan/05 fev/05 mar/05 abr/05 mai/05 Total
Receitas
- Prêmio de seguro 1.000 1.000
Total das Receitas 1.000 0 0 0 0 1.000
Despesas
- Resseguro 50 50
- Comissões 250 250
- Sinistros 50 100 200 100 50 500

Total das Despesas 50 350 250 100 50 800


Margem de Contribuição 950 (350) (250) (100) (50) 200
MC Acumulada 950 600 350 250 200 200
Linha do tempo
Fluxo do Prêmio de Seguro

COMPETÊNCIA

Cotação / Emissão da
Proposta Apólice / Fatura

Aceitação Recebimento
do Risco do Prêmio

CAIXA
Linha do tempo
Fluxo do Sinistro
COMPETÊNCIA

Ocorrência Aviso Pagamento

IBNR PSL

CAIXA
Fluxo de caixa da seguradora
FLUXO DE CAIXA DA SEGURADORA
Descrição jan/05 fev/05 mar/05 abr/05 mai/05 Total
Receitas
- Prêmio de seguro 1.000 1.000
Total das Receitas 1.000 0 0 0 0 1.000
Despesas
- Resseguro 50 50
- Comissões 250 250
- Sinistros 50 100 200 100 50 500

Total das Despesas 50 350 250 100 50 800


Margem de Contribuição 950 (350) (250) (100) (50) 200
MC Acumulada 950 600 350 250 200 200
Demonstrações Contábeis

Demonstra ção do
Demonstração doResultado
Resultado
Balanço Patrimonial
Balanço Patrimonial
do
doExerc ício
Exercício
Ativo: Bens e Direitos (+) Receitas (-) Despesas =
Passivo: Obrigações com 3os Lucro/Prejuízo
Patrimônio: Capital Próprio

Demonstra ção das


Demonstração dasMuta ções
Mutações Demonstra ção do
Demonstração doFluxo
Fluxode
deCaixa
Caixa
do
doPatrimônio
PatrimônioLLíquido
íquido
Capital (+) Entrada de $$$
Reservas de Capital (-) Saídas de $$$
Lucro/Prejuízo Acumulado

Notas Explicativas: (Complemento às Demonstrações Financeiras)


Demonstrações Contábeis
Relatórios da Administração
• Dados estatísticos diversos;
• Indicadores de produtividade;
• Desenvolvimento tecnológico;
• A empresa no contexto socioeconômico;
• Políticas diversas; recursos humanos, exportação etc.;
• Expectativas com relação ao futuro;
• Dados do orçamento de capital;
• Projetos de expansão;
• Desempenho em relação aos concorrentes etc.
Demonstrações Contábeis

Notas explicativas Complementos das


(Notas de rodapé) demonstrações

• Critérios de cálculos na obtenção de itens que

afetam o lucro;

• Obrigações de longo prazo, destacando os

credores, taxa de juros, garantias à dívida etc.;

• Composição do capital social por tipo de ações;

• Ajustes de exercícios anteriores etc.


Balanço Patrimonial – Ativo
Balanço Patrimonial – Passivo
Demonstração do Resultado
Demonstração do Fluxo de Caixa
Demonstração das Mutações
do Patrimônio Líquido
AUMENTO RESERVAS DE LUCROS/
CAPITAL (REDUÇÃO) AJUSTE
DISCRIMINAÇÃO PREJUÍZOS TOTAL
SOCIAL CAPITAL EM TVM
CAPITAL REAVALIAÇÃO LUCROS ACUMULADOS
APROVAÇÃO

SALDOS ANTERIORES 500.000 30.000 -5.000 0 525.000

AJUSTES DE EXERCÍCIOS ANTERIORES

AUMENTO/REDUÇÃO DE CAPITAL:
AGO/E de ____/____/____ 300.000 300.000
Portaria SUSEP N.º 300.000 -300.000 0

RESERVAS DE CAPITAL: 0
Ágio na Emissão de Ações 0
Alienação de partes beneficiárias 0
Doações e Subvenções para Investimento 0
Outras Reservas de Capital 0

RESERVA DE REAVALIAÇÃO 0
Constituição 0
Realização 0
Baixa 0

TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS 8.000 8.000

RESULTADO LÍQUIDO DO PERÍODO 125.000 125.000

PROPOSTA P/ DISTRIBUIÇÃO DO RESULTADO 0


Reserva Legal 6.250 -6.250 0
Reserva para Contingências 0 0
Reserva de Lucros a Realizar 0 0
Reservas Estatutárias 37.500 -37.500 0
Juros sobre o Capital Próprio / Dividendos -81.250 -81.250
Outros 0
SALDOS FINAIS 800.000 0 37.500 0 36.250 3.000 0 876.750
Acionistas

Presidência

Auditoria
Interna

Área
Área Área Área
Administrativa /
Comercial Técnica de Tecnologia
Financeira

Desenvol- Contas a Pagar


Canal
vimento de / Contas a
Corretores
Produtos Receber

Canal Atuária /
Investimentos
Bancos Estatística

Análise /
Outros Controladoria /
Aceitação
Canais Contabilidade
de Riscos

Emissão / Administrativo /
Expedição Serviços Gerais

Recursos
Cosseguro
Humanos

Resseguro Jurídico

Sinistros
AMBIENTE EXTERNO AMBIENTE INTERNO

Fase de Negociação Área Comercial Área Técnica / Operacional Área Financeira

PROPOSTA Recebe a Avaliação do RISCO: Vistoria Prévia / Contas a Contas a


de Seguro - Cálculo do Prêmio; Inspeção de Risco Receber Pagar
PROPOSTA - Análise de Rentabilidade;
- Condições do Risco, etc..
ENTRADAS SAÍDAS
S C
O RECEBIMENTO
PAGAMENTO
do
R do IOF
E Prêmio
R Acima do à União Federal
Repasse de
E Limite de Sim
Cosseguro e
T Retenção
Resseguro
G O
?

R F PAGAMENTO
Registro Oficial
L de Comissão de
U de Apólices
Não U Corretagem
D Cobradas
E X
O
R Proposta
S Aceita PAGAMENTO
D
E ? E
de Cosseguro a
A G Não Congêneres
U C
R Sim Emite a A
D O APÓLICE DE I PAGAMENTO
S SEGURO X de Resseguro ao
Devolve Proposta A Ressegurador
O ao Corretor /
Segurado

Encaminha INVESTIMENTO
APÓLICE ao Registro Oficial para Garantia
Segurado/Corretor de Apólices das Provisões
Emitidas
AMBIENTE EXTERNO AMBIENTE INTERNO

Área Técnica / Operacional Área Financeira

Requisita / Recebe
Recebe Provisão de
Documentação
Aviso do Sinistro Sinistros a
do Sinistro Contas a Contas a
OCORRÊNCIA Liquidar Receber
Pagar
do SINISTRO

- Vistoria SAÍDAS ENTRADAS


Pré-Análise
- Perícia
S de Cobertura
- Investigação PAGAMENTO
da VENDA de
Indenização Salvados
E
Tem Sim Comunica
Avaliação Cosseguro /
Comunica dos Prejuízos Cosseguradoras /
Resseguro ?
G ao Resseguradoras
CORRETOR DE PAGAMENTO F Recuperação de
SEGUROS Não de Despesas L Sinistros das
U com Regulação U Cosseguradoras
Aprova do Sinistro X
Sim
Pagamento PAGAR O
R ? INDENIZAÇÃO
Recuperação de
D
Não Há Sim Sinistros do
E
Venda dos
A Salvados
SALVADOS
PAGAMENTO Ressegurador
? de Despesas C
Comunicação com Venda dos
Comunica Não A
D à Salvados
NEGATIVA ao Não I
SEGURADORA Há Recebimento do
Segurado / Corretor X
Ressarci- FIM Ressarcimento
mento? A
O
Sim
PAGAMENTO
de Despesas
Segurado Sim Acordo de com Acordo de
Reclama JURÍDICO RESSARCIMENTO Ressarcimento
Judicialmente?

Não
Prepara
FIM Defesa Judicial
Denominações de Prêmios

DENOMINAÇÃO COMPOSIÇÃO

Prêmio
Cobre os gastos com os sinistros, com base em análise estatística.
Estatístico

Prêmio Prêmio estatístico acrescido de uma margem de segurança para cobrir


Puro eventuais desvios estatísticos.

Prêmio Prêmio puro acrescido dos carregamentos de despesas administrativas,


Comercial de comercialização, de remuneração do capital, de impostos e encargos.

Prêmio Prêmio comercial acrescido de custo apólice, juros sobre fracionamento


Total e IOF. É o valor cobrado do segurado.
Fluxo de Cosseguro e Resseguro

FLUXO DE COSSEGURO FLUXO DE RESSEGURO


SEGURADORA
"A" (60%) Apólice de SEGURADORA
SEGURADO Seguro "A" (100%)
Apólice de
SEGURADO Seguro
SEGURADORA
"B" (40%) Contrato de
Resseguro

SEGURADORA
"N" (n%)
RESSEGURADOR
Práticas Contábeis Adotadas

 Lei 11.638/07
 Normas CVM (para Cias abertas)
 Circulares SUSEP / ANS
 CPC’s aprovados
(1,2,3,4,5,6,7,8,10,11(2010),12,13 e estrutura
conceitual)
Principais alterações provenientes da
Lei 11.638/07

 Ativo Intangível

 Ativo Diferido (remanescente)

 Eliminação das conta Resultado Não Operacional

 Eliminação das conta Resultado de Exercícios


Futuros

 Destinação dos Lucros do Exercício – Anualmente


(lucros acumulados – saldo zero)
Comitê de Pronunciamentos Contábeis
CPC
 Pronunciamento Conceitual Básico - Estrutura Conceitual
 CPC 01 - Redução ao Valor Recuperável de Ativos
 CPC 02 - Efeitos das mudanças nas taxas de câmbio e conversão
de demonstrações contábeis
 CPC 03 - Demonstração dos Fluxos de Caixa
 CPC 04 - Ativo Intangível
 CPC 05 - Divulgação sobre Partes Relacionadas
 CPC 06 - Operações de Arrendamento Mercantil
 CPC 07 - Subvenção e Assistência Governamentais
 CPC 08 - Custos de Transação e Prêmios na Emissão de Títulos e
Valores Mobiliários
 CPC 09 - Demonstração do Valor Adicionado
 CPC 10 - Pagamento Baseado em Ações
 CPC 11 - Contratos de Seguro
 CPC 12 - Ajuste a Valor Presente
 CPC 13 - Adoção Inicial da Lei nº. 11.638/07 e da Medida
Provisória nº. 449/08
Comitê de Pronunciamentos Contábeis
CPC
 CPC 15 - Combinação de Negócios
 CPC 16 - Estoques
 CPC 17 - Contratos de Construção
 CPC 18 - Investimento em Coligada e em Controlada
 CPC 19 - Investimento em Empreendimento Controlado em
Conjunto (Joint Venture)
 CPC 20 - Custos de Empréstimos
 CPC 21 - Demonstração Intermediária
 CPC 22 - Informações por Segmento
 CPC 23 - Políticas Contábeis, Mudança de Estimativa e Retificação
de Erro
 CPC 24 - Evento Subsequente
 CPC 25 - Provisões, Passivos Contingentes e Ativos Contingentes
 CPC 26 - Apresentação das Demonstrações Contábeis
 CPC 27 - Ativo Imobilizado
 CPC 28 - Propriedade para Investimento
Comitê de Pronunciamentos Contábeis
CPC
 CPC 29 - Ativo Biológico e Produto Agrícola
 CPC 30 - Receitas
 CPC 31 - Ativo Não Circulante Mantido para Venda e Operação
Descontinuada
 CPC 32 - Tributos sobre o Lucro
 CPC 33 - Benefícios a Empregados
 CPC 35 - Demonstrações Separadas
 CPC 36 - Demonstrações Consolidadas
 CPC 37 - Adoção Inicial das Normas Internacionais de Contabilidade
 CPC 38 - Instrumentos Financeiros: Reconhecimento e Mensuração
 CPC 39 - Instrumentos Financeiros: Apresentação
 CPC 40 - Instrumentos Financeiros: Evidenciação
 CPC 43 - Adoção Inicial dos Pronunciamentos Técnicos CPC 15 a 40
 CPC PME - Contabilidade para Pequenas e Médias Empresas
Convergência às Normas Internacionais
de Contabilidade - IFRS
Circular SUSEP nº 357/07
A referida Circular dispõe sobre processo de
convergência às normas IFRS na Carta Circular SUSEP
DECON 007/08 ( IFRS 4 ), determinando os tópicos que
serão norteados pelas normas a serem emanadas pela
CNSP e pela própria SUSEP.
 Serão editados normativos objetivando a adoção de
procedimentos para a elaboração e publicação das
demonstrações financeiras consolidadas, referente ao
exercício a findar em 31 de dezembro de 2010, tais
como o CPC 11 – que trata de “Contratos de
Seguros”.
Processo de Contabilização
O Plano de Contas Padronizado, assim como as
normas específicas de contabilização das operações
de seguros, resseguros, previdência e capitalização
são estabelecidas pelas seguintes regulamentações:

• Circular SUSEP nº 385/09 e 379/08; e


• ANS n 28/03 e alterações posteriores
Dados de uma Apólice de Automóvel

• Prêmio Tarifa R$ 2.400,00


• Custo de apólice 100,00
• IOF 175,00
-----------------
2.675,00

• Comissão de Corretagem 15% = R$ 360,00

•Vigência 01/03/2010 a 01/03/2011.


Contabilização:
Emissão de Apólice
BALANÇO PATRIMONIAL EM MARÇO/2010 DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO
ATIVO PASSIVO EM MARÇO/2010
Saldo Saldo
Saldo
Circulante Circulante
Prêmio Retido ..................................................................................................................
Disponibilidades Obrigações a pagar
(+)Prêmio Emitido ............................................................................................................
Bancos Conta Movimento ............................... Obrigações a pagar .......................................................................................................................
(-)Prêmio de Cosseguro Cedido ........................................................................................
Impostos e encargos sociais a recolher .............................................................................................
(+/-)Variação das provisões técnicas ................................................................................
Aplicações
Prêmios Ganhos..................................................................................................................
Aplicações em Renda Fixa - privados............................... Débitos de operações com seguros
Seguradoras...........................................................................................................................
Sinistros Retidos...............................................................................................................
Créditos das operações com seguros Comissões s/ prêmios emitidos................. (-)Sinistros Diretos ...........................................................................................................
Prêmios a receber........................................................................................................................... (+)Recuperações de sinistros ............................................................................................
Seguradoras...........................................................................................................................
Provisões Técnicas - Seguros (+/-)Variação da Provisão de IBNR..................................................................................
Provisão de prêmios não ganhos - PPNG.............................................................................................................................................
Despesas de comercialização diferidas Despesas de Comercialização ..........................................................................................
Sinistros a liquidar.......................................................................................................................................
Despesas de comercialização diferidas.............................................................................................................................................. (-)Comissões .....................................................................................................................
Provisão de IBNR..............................................................................................................................
(+)Recuperações de Comissões ........................................................................................

Permanente Patrimônio Líquido (+/-)Variação das Desp. de Coml. Diferidas ....................................................................

Imobilizado Capital Social .............................................................. Despesas Administrativas .............................................................................................


Imóveis ..................................................................................................................................
Lucro do Período .......................................................................... Salários .........................................................................................................................
Bens Móveis ....................................................................................... Depreciações .....................................................................................................
(-) Depreciações ............................................................................
Resultado Financeiro........................................................................................................
Total do Ativo ................................................. Total do Passivo .................................................
Juros s/ aplicações ............................................................................................................

Lucro do Período .................................................


Contabilização da PPNG e DCD

• Prêmio Tarifa R$ 2.400,00


• Custo de apólice 100,00
• IOF 175,00
-----------------
2.675,00

• Comissão de Corretagem 15% = R$ 360,00

•Vigência 01/03/2010 a 01/03/2011.

• Cálculo da PPNG em 31/03/2010


• PPNG R$ 2.200,00
• DCD 330,00
Contabilização:
PPNG e DCD
BALANÇO PATRIMONIAL EM MARÇO/2010 DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO
ATIVO PASSIVO EM MARÇO/2010
Saldo Saldo
Saldo
Circulante Circulante
Prêmio Retido ..................................................................................................................
Disponibilidades Obrigações a pagar
(+)Prêmio Emitido ............................................................................................................
Bancos Conta Movimento ............................... Obrigações a pagar .......................................................................................................................
(-)Prêmio de Cosseguro Cedido ........................................................................................
Impostos e encargos sociais a recolher .............................................................................................
(+/-)Variação das provisões técnicas ................................................................................
Aplicações
Prêmios Ganhos..................................................................................................................
Aplicações em Renda Fixa - privados............................... Débitos de operações com seguros
Seguradoras...........................................................................................................................
Sinistros Retidos...............................................................................................................
Créditos das operações com seguros Comissões s/ prêmios emitidos................. (-)Sinistros Diretos ...........................................................................................................
Prêmios a receber........................................................................................................................... (+)Recuperações de sinistros ............................................................................................
Seguradoras...........................................................................................................................
Provisões Técnicas - Seguros (+/-)Variação da Provisão de IBNR..................................................................................
Provisão de prêmios não ganhos - PPNG.............................................................................................................................................
Despesas de comercialização diferidas Despesas de Comercialização ..........................................................................................
Sinistros a liquidar.......................................................................................................................................
Despesas de comercialização diferidas.............................................................................................................................................. (-)Comissões .....................................................................................................................
Provisão de IBNR..............................................................................................................................
(+)Recuperações de Comissões ........................................................................................

Permanente Patrimônio Líquido (+/-)Variação das Desp. de Coml. Diferidas ....................................................................

Imobilizado Capital Social .............................................................. Despesas Administrativas .............................................................................................


Imóveis ..................................................................................................................................
Lucro do Período .......................................................................... Salários .........................................................................................................................
Bens Móveis ....................................................................................... Depreciações .....................................................................................................
(-) Depreciações ............................................................................
Resultado Financeiro........................................................................................................
Total do Ativo ................................................. Total do Passivo .................................................
Juros s/ aplicações ............................................................................................................

Lucro do Período .................................................


Dados de uma Apólice de Incêndio
com Resseguro

• Prêmio Tarifa R$ 6.000,00


• Custo de apólice 100,00
• IOF 420,00
-----------------
6.520,00

• Comissão de Corretagem: 20% = R$ 1.200,00

• Resseguro Cedido: 30% = R$ 1.800,00


Comissão de Resseguro Cedido: 25% = R$ 450,00

•Vigência 01/01/2010 a 31/12/2010.


Contabilização:
Emissão de Apólice com Resseguro
BALANÇO PATRIMONIAL EM MARÇO/2010 DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO
ATIVO PASSIVO EM MARÇO/2010
Saldo Saldo
Saldo
Circulante Circulante
Prêmio Retido ..................................................................................................................
Disponibilidades Obrigações a pagar
(+)Prêmio Emitido ............................................................................................................
Bancos Conta Movimento ............................... Obrigações a pagar .......................................................................................................................
(-)Prêmio de Cosseguro Cedido ........................................................................................
Impostos e encargos sociais a recolher .............................................................................................
(+/-)Variação das provisões técnicas ................................................................................
Aplicações
Prêmios Ganhos..................................................................................................................
Aplicações em Renda Fixa - privados............................... Débitos de operações com seguros
Seguradoras...........................................................................................................................
Sinistros Retidos...............................................................................................................
Créditos das operações com seguros Comissões s/ prêmios emitidos................. (-)Sinistros Diretos ...........................................................................................................
Prêmios a receber........................................................................................................................... (+)Recuperações de sinistros ............................................................................................
Seguradoras...........................................................................................................................
Provisões Técnicas - Seguros (+/-)Variação da Provisão de IBNR..................................................................................
Provisão de prêmios não ganhos - PPNG.............................................................................................................................................
Despesas de comercialização diferidas Despesas de Comercialização ..........................................................................................
Sinistros a liquidar.......................................................................................................................................
Despesas de comercialização diferidas.............................................................................................................................................. (-)Comissões .....................................................................................................................
Provisão de IBNR..............................................................................................................................
(+)Recuperações de Comissões ........................................................................................

Permanente Patrimônio Líquido (+/-)Variação das Desp. de Coml. Diferidas ....................................................................

Imobilizado Capital Social .............................................................. Despesas Administrativas .............................................................................................


Imóveis ..................................................................................................................................
Lucro do Período .......................................................................... Salários .........................................................................................................................
Bens Móveis ....................................................................................... Depreciações .....................................................................................................
(-) Depreciações ............................................................................
Resultado Financeiro........................................................................................................
Total do Ativo ................................................. Total do Passivo .................................................
Juros s/ aplicações ............................................................................................................

Lucro do Período .................................................


Contabilização da PPNG e DCD
Apólice com Resseguro
• Prêmio Tarifa R$ 6.000,00
• Custo de apólice 100,00
• IOF 420,00
-----------------
6.520,00

• Comissão de Corretagem: 20% = R$ 1.200,00

• Resseguro Cedido: 30% = R$ 1.800,00


Comissão de Resseguro Cedido: 25% = R$ 450,00

•Vigência 01/01/2010 a 31/12/2010.

•Cálculo da PPNG em 31/03/2010


Total Resseguro
• PPNG R$ 4.500,00 1.350,00
• DCD 315,00 337,50
Contabilização:
PPNG e DCD com Resseguro
BALANÇO PATRIMONIAL EM MARÇO/2010 DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO
ATIVO PASSIVO EM MARÇO/2010
Saldo Saldo
Saldo
Circulante Circulante
Prêmio Retido ..................................................................................................................
Disponibilidades Obrigações a pagar
(+)Prêmio Emitido ............................................................................................................
Bancos Conta Movimento ............................... Obrigações a pagar .......................................................................................................................
(-)Prêmio de Cosseguro Cedido ........................................................................................
Impostos e encargos sociais a recolher .............................................................................................
(+/-)Variação das provisões técnicas ................................................................................
Aplicações
Prêmios Ganhos..................................................................................................................
Aplicações em Renda Fixa - privados............................... Débitos de operações com seguros
Seguradoras...........................................................................................................................
Sinistros Retidos...............................................................................................................
Créditos das operações com seguros Comissões s/ prêmios emitidos................. (-)Sinistros Diretos ...........................................................................................................
Prêmios a receber........................................................................................................................... (+)Recuperações de sinistros ............................................................................................
Seguradoras...........................................................................................................................
Provisões Técnicas - Seguros (+/-)Variação da Provisão de IBNR..................................................................................
Provisão de prêmios não ganhos - PPNG.............................................................................................................................................
Despesas de comercialização diferidas Despesas de Comercialização ..........................................................................................
Sinistros a liquidar.......................................................................................................................................
Despesas de comercialização diferidas.............................................................................................................................................. (-)Comissões .....................................................................................................................
Provisão de IBNR..............................................................................................................................
(+)Recuperações de Comissões ........................................................................................

Permanente Patrimônio Líquido (+/-)Variação das Desp. de Coml. Diferidas ....................................................................

Imobilizado Capital Social .............................................................. Despesas Administrativas .............................................................................................


Imóveis ..................................................................................................................................
Lucro do Período .......................................................................... Salários .........................................................................................................................
Bens Móveis ....................................................................................... Depreciações .....................................................................................................
(-) Depreciações ............................................................................
Resultado Financeiro........................................................................................................
Total do Ativo ................................................. Total do Passivo .................................................
Juros s/ aplicações ............................................................................................................

Lucro do Período .................................................


Contabilização de Contribuição de
Previdência PGBL
• Contribuições arrecadadas R$ 5.000,00
• Taxa de carregamento 50,00
• Reserva Matemática 4.950,00

• Comissão de Corretagem: 0,4% = R$ 20,00

•Constituição da Prov. Matemática de Beneficios


a Conceder R$ 4.950,00

•Aquisição de Quotas de Fundos PGBL R$ 4.950,00


Contabilização:
PGBL
BALANÇO PATRIMONIAL EM MARÇO/2010 DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO
ATIVO PASSIVO
EM MARÇO/2010
Saldo Saldo
Saldo
Circulante Circulante
Disponibilidades Obrigações a pagar Rendas de Contribuições e Prêmios Retidos..............
Bancos Conta Movimento ............................... (-) Constituição de Benefícios a Conceder...........
Obrigações a pagar .......................................................................................................................
(=) Receitas de Contribuições e Prêmios............
Impostos e encargos sociais a recolher .............................................................................................
Aplicações Contrib. e Prêmios para Cobertura de Riscos...........
Aplicações em Renda Fixa - privados............................... Débitos de operações com previdência (-) Variação da Provisão de Riscos........................
Contribuições a restituir...........................................................................................................................
(=) Receita com Cobertura de Riscos......................
Créditos das operações com previdência Operações com repasses........................................................................................................
Rendas com taxas de Gestão e outras taxas....................
Valores a receber...........................................................................................................................
Outros débitos operacionais........
Operações com repasses previdenciários...................................................................................................................... (-) Variação de Benefícios.............................................................
Provisões Técnicas - Previdência (-) Variação de Outras Provisões Técnicas...............................
Despesas de comercialização diferidas Provisão matemática de benef. a conceder..........................................................................................................................................
(-) Despesas de Comercialização.......................................
Despesas de comercialização diferidas..............................................................................................................................................
Provisões de riscos não expirados.......................................................................................................................................
Provisão de oscilação de riscos.........................................................................................................................
Provisão matemática de benef. concedidos.......................................................................................................................................
Lucro do Período .................................................

Permanente Patrimônio Líquido


Imobilizado Capital Social ..............................................................
Imóveis ..................................................................................................................................
Lucro do Período ..........................................................................
Bens Móveis .......................................................................................
(-) Depreciações ............................................................................

Total do Ativo ................................................. Total do Passivo .................................................


Provisões Técnicas

Definição: As sociedades seguradoras, pela garantia de suas


operações, constituirão provisões técnicas.

I - Provisões indicadas na RES.CNSP 162/06 e 181/07, são


obrigatórias;
(RES.CNSP 204/09 alterou dispositivos da RES. 162)

II - Devem estar especificadas em Nota Técnica Atuarial;

III - Manter por cinco anos, documentação e dados estatísticos,


em meio magnético.
Provisões Técnicas
Seguros e Resseguros

Provisões Critério de constituição

• Provisão de prêmios não ganhos


• Provisão complementar de prêmio “Pro rata dia” (Res CNSP 162/06 e
• Provisão de insuficiência de prêmio 181/07) (RES 204 a partir de maio/09)

• Provisão de benefícios a conceder


• Provisão de benefícios concedidos
• Provisão de IBNR Cálculos atuariais (Res CNSP 162/06)

• Provisão de sinistros a liquidar


Montante total dos sinistros avisados
Provisão de Prêmios Não Ganhos (PPNG)

PCR
PPNG = x PRAD
PTCR

onde:

 PPNG = Provisão de Prêmios Não Ganhos;


 PCR = Prêmio Comercial Retido: Representa o valor recebido do segurado (valor do
prêmio emitido, pago à vista ou parcelado), nas operações de seguro direto ou de
congêneres, nas operações de cosseguro aceito, líquido de quaisquer descontos,
cancelamentos, restituições e de parcelas de prêmios transferidas a terceiros em operações
de cosseguro e/ou resseguro;
 PTCR = Período Total de Cobertura do Risco: Total de dias de vigência do contrato de
seguro, tomando por base as datas de início e fim do período de risco;
 PRAD = Período de Risco a Decorrer: Total de dias a decorrer, tomando por base a data de
constituição da provisão e o final de vigência do contrato de seguro.
Provisão de Prêmios Não Ganhos (PPNG)
O valor do PRÊMIO GANHO, registrado no Demonstrativo de
Resultados da Seguradora XPTZ em 31/12/2000, relativo à
emissão de uma Apólice de R$ 60.000,00 ocorrida em
01/08/2000, com prazo de vigência de 06 meses (01/08/2000
a 31/01/2001), recebimento efetuado em 05 parcelas iguais e
sucessivas, pagamento de 20% a título de Comissão ao
Corretor, CESSÃO em Cosseguro de 40% e em Resseguro de
10%, além das RECUPERAÇÕES de Comissão de Cosseguro de
6% e de Resseguro de 4%, é de:

a) R$ 50.000,00
b) R$ 25.000,00
c) R$ 45.000,00
d) R$ 22.500,00
e) R$ 30.000,00
Provisões Técnicas
Seguros e Resseguros

Provisão Complementar de Prêmio - PCP:

A Provisão Complementar de Prêmio será a diferença, se


positiva, entre a média da soma dos valores apurados
diariamente no mês de constituição e a PPNG constituída,
considerando todos os riscos vigentes, emitidos ou não.

 O cálculo deve constar de Nota Técnica Atuarial

CT IBRACON 01/08 – Orienta os auditores independentes sobre a


qualificação da opinião quando os efeitos da PCP forem relevantes.
Provisões Técnicas
Seguros e Resseguros

Provisão Para Insuficiência de Prêmios - PIP :

 Deve ser constituída se for constatada insuficiência da


Provisão de Prêmios Não Ganhos (PPNG) para a
cobertura dos sinistros a ocorrer, considerando
indenizações e despesas relacionadas, ao longo dos
prazos a decorrer referentes aos riscos vigentes na data
base de cálculo.

 O cálculo deve constar de Nota Técnica Atuarial


Provisões Técnicas
Seguros e Resseguros

Provisão Matemática de Benefícios a Conceder:


 Deve abranger os compromissos assumidos pela
sociedade seguradora com os segurados, enquanto não
iniciado o evento gerador do pagamento da indenização,
sendo calculada conforme metodologia aprovada na nota
técnica atuarial do plano ou produto.

Provisão Matemática de Benefícios Concedidos:


 Deve corresponder ao valor atual da indenização cujo
evento gerador tenha ocorrido, sendo calculada conforme
metodologia aprovada na nota técnica atuarial do plano
ou produto.
Provisões Técnicas
Seguros e Resseguros

Provisão de Sinistros a Liquidar - PSL :


 Deve ser constituída para a cobertura dos valores a pagar por
sinistros avisados até a data base de cálculo, considerando
indenizações e despesas relacionadas, de acordo com a
responsabilidade retida pela sociedade seguradora.

Na inexistência de metodologia de cálculo em nota técnica


atuarial, considerar:

 O valor acordado entre segurado e seguradora;


 O valor reclamado pelo segurado, quando aceito pela seguradora;
 O valor estimado pela seguradora, quando não tenha o segurado
indicado a avaliação do sinistro;
 A média entre o valor reclamado pelo segurado e o oferecido pela
seguradora, limitado ao risco coberto;
 O valor resultante da sentença transitado em julgado;
 O valor máximo individual, nos casos de responsabilidade civil
Provisões Técnicas
Seguros e Resseguros

Provisão de Sinistros Ocorridos e Não Avisados -


IBNR :

 Deve ser constituída para a cobertura dos sinistros


ocorridos e ainda não avisados até a data base de
cálculo, considerando indenizações e despesas
relacionadas, de acordo com a responsabilidade
retida pela sociedade seguradora.
Provisões Técnicas
Previdências

Para Planos Previdenciários Privados e Seguros de Vida


Individual e Seguros de Vida com cobertura por
sobrevivência :
• Benefícios a Regularizar;
• Resgates e/ou outros valores a regularizar;
• Eventos Ocorridos e Não Avisados (IBNR);
• Matemática de Benefícios a Conceder;
• Matemática de Benefícios Concedidos;
• Despesas Administrativas;
• Oscilação de Riscos;
• Insuficiência de Contribuições
• Riscos Não expirados
• Excedentes Técnicos
• Excedentes Financeiros
• Oscilação Financeira.
Provisões Técnicas
Previdências

A Provisão de Benefícios a Regularizar:


corresponde ao valor total dos pecúlios e rendas
vencidos, não pagos em decorrência de eventos
ocorridos, inclusive a atualização de valor cabível;

A Provisão de Resgates e/ou Outros Valores a


Regularizar: abrange os valores referentes aos
resgates a regularizar, às devoluções de
contribuições/prêmios e às portabilidades solicitadas
e, por qualquer motivo, ainda não transferidas para a
entidade/sociedade receptora.
Provisões Técnicas
Previdências

A Provisão de Oscilação de Riscos: deve ser


constituída para a cobertura de eventuais desvios
nos compromissos esperados.

- Deve ser calculada atuarialmente, conforme


metodologia aprovada na nota técnica atuarial
do plano ou produto;

- Nos planos/produtos que não prevejam esta


provisão em nota técnica atuarial, a
entidade/sociedade seguradora deve efetuar
estudo e verificar a necessidade de sua
constituição.
Provisões Técnicas
Previdências

A Provisão de Insuficiência de Contribuições


(PIC): será constituída se for constatada insuficiência
das provisões matemáticas nos planos estruturados
no regime financeiro de capitalização (benefícios a
conceder e benefícios concedidos), repartição de
capitais de cobertura (riscos não expirados e
benefícios concedidos) e repartição simples (riscos
não expirados).

I - a PIC deve ser calculada atuarialmente para cada


plano/benefício; e

II - a necessidade de constituição desta provisão deve


ser apurada na Avaliação Atuarial, de acordo com os
parâmetros especificados na regulamentação em
vigor.
Provisões Técnicas
Previdências

A Provisão de Riscos Não Expirados (PRNE):


deve ser calculada "pro rata die", com base nas
contribuições líquidas recebidas no mês.

O cálculo da provisão deve contemplar estimativa


para os riscos vigentes mas não recebidos (PRNE-
RVNR), sendo obtida por método previsto em nota
técnica atuarial mantida pela entidade/sociedade
seguradora.
Provisões Técnicas
Capitalização

• Provisão Matemática de Resgates;


• Provisão Administrativa;
• Provisão para Sorteios a Realizar;
• Provisão Para contingências;
• Provisão para resgate de títulos;
• Provisão de Sorteios a Pagar
Provisões Técnicas
Capitalização

A Provisão para Resgate de Títulos: deve ser


constituída a partir da data do evento gerador de
resgate e até a data do pagamento do resgate, nas
modalidades a seguir:

I - títulos vencidos, que deve ser constituída para todos


os títulos com prazo de vigência concluído; e

II - títulos antecipados, que deve ser constituída para


todos os títulos cancelados após o prazo de suspensão
ou em função de evento gerador de resgate.
Provisões Técnicas
Capitalização

A Provisão para Contingências: deve ser


constituída para cobrir eventuais insuficiências
relacionadas aos sorteios realizados e à
remuneração dos títulos, e para distribuição de
bônus, sendo calculada conforme metodologia
aprovada na nota técnica atuarial.

Provisão de Sorteios a Realizar – calculada


conforme definição em nota técnica;

Provisão para Sorteios a Pagar – constituída pelos


sorteios de títulos contemplados;
Avaliação Atuarial

As sociedades ou entidades fiscalizadas deverão solicitar ao atuário


responsável técnico que elabore a avaliação atuarial de suas
respectivas carteiras, observados os parâmetros mínimos
especificados pela SUSEP;

•A avaliação atuarial terá a periodicidade anual e será encaminhada


à SUSEP acompanhada de parecer atuarial, até o último dia útil de
fevereiro de cada ano;

•O parecer atuarial deverá ser publicado conjuntamente às


demonstrações financeiras anuais;

•O período base para a elaboração da avaliação atuarial será o ano


anterior ao da entrega à SUSEP;
Avaliação Atuarial

O relatório de avaliação atuarial deve contemplar as situações


relevantes verificadas, apresentando a conclusão do atuário
responsável e considerações sobre os seguintes tópicos:

a) qualidade dos dados que serviram de base para elaboração


da avaliação atuarial;

b) adequação de cada provisão técnica, indicando as possíveis


soluções para o equacionamento, caso seja constatado déficit ou
superávit;

c) verificação dos ativos frente aos passivos, indicando as possíveis


soluções para o equacionamento, caso seja constatada alguma
inadequação; e

d) apresentação das projeções financeiras dos negócios em vigor,


demonstrando a capacidade da sociedade de honrar seus
compromissos futuros.
Garantia das provisões técnicas

As provisões técnicas, desde que corretamente constituídas, devem ser


cobertas por investimentos que garantam o trinômio: segurança,
rentabilidade e liquidez.

As aplicações das provisões técnicas se fará em inversões que reúnam


os requisitos de:
 Estabilidade: Consiste na escolha de bens de boa cotação no
mercado;
 Rentabilidade: Consiste em aplicar em bens que tenham boa
valorização considerando o capital investido;
 Dispersão: É a aplicação diferenciada em diversas espécies de
bens;
 Facilidade de conversão: Refere-se a inversão em bens de fácil
conversão em dinheiro.”
Garantia das provisões técnicas

Os bens garantidores das provisões técnicas, serão registrados na


SUSEP e não poderão ser alienados, prometidos a alienação ou de
qualquer forma gravados sem sua prévia autorização.
(DL 73 de 21 de novembro de 1966 - Art. 85 e legislação complementar)

• Imovéis - registro na SUSEP e em cartório;

• Títulos e valores mobiliários - comprovação do emitente quanto à


vinculação à SUSEP (CBLC, CETIP ou SELIC);

• Direitos creditórios (prêmios líquidos a receber);

Regulamentado pelas normas constantes da Resolução CMN 3.308/05


(alterada pela 3.358/06) e Circular SUSEP 284/05 (alterada pela 300/05)
e legislação complementar.
Avaliação de Investimentos
Circular SUSEP 379/08 – Classificação TVM’s

I - Títulos para negociação


Adquiridos com propósito de serem ativa e freqüentemente negociados
(ajustados ao valor de mercado - resultado)

II - Títulos disponíveis para venda


Não se enquadrem nas outras categorias (ajustados ao valor de
mercado – patrimônio líquido, ganhos e perdas
serão reconhecidos no resultado quando ocorrer a venda)

III - Títulos mantidos até o vencimento


Títulos e valores mobiliários para quais haja intenção e capacidade
financeira de mantê-los em carteira até o vencimento.
(contabilizado o custo de aquisição, acrescidos dos rendimentos)

(Alterações de classificações somente semestrais nas DF’s dentro de


pre-condições estabelecidas nessa Circular)
REGRAS DE DIVERSIFICAÇÃO DE ATIVOS PARA COBERTURA DE RESERVAS TÉCNICAS
(De Acordo com a Resolução CMN nº 3.308)

Limite Limites por


SEGMENTO ATIVOS
Máximo CNPJ

100% Títulos do Tesouro Nacional, Banco Central e Fundos de Investimentos Soberanos n/a
CDB e RDB 20%
Debêntures 5%
Títulos de Crédito 5%
80%
RENDA FIXA Notas Promissórias emitidas por S.A, destinada a Oferta Pública 5%
Fundos de Investimentos classificados como: Curto Prazo, Referenciados ou Renda Fixa 10%
Cadernetas de Poupança n/a
Fundos de Investimentos em Dívida Externa 10%
10%
Fundos de Investimentos Cambiais 10%
Açoes de Cias. Abertas - Nível de Governança: Novo Mercado 20%
49%
Fundos de Investimentos em Ações - Nível de Governança: Novo Mercado 10%
Açoes de Cias. Abertas - Nível de Governança: Nível 2 20%
40%
Fundos de Investimentos em Ações - Nível de Governança: Nível 2 10%
RENDA
Açoes de Cias. Abertas - Nível de Governança: Nível 1 20%
VARIÁVEL 35%
Fundos de Investimentos em Ações - Nível de Governança: Nível 1 10%
Açoes de Cias. Abertas - Nível de Governança: Nível 0 20%
30%
Fundos de Investimentos em Ações - Nível de Governança: Nível 0 10%
15% Fundos de Investimentos classificados como Multimercado 10%
10% Fundos de Investimentos Imobiliários 10%
IMÓVEIS
8% Imóveis Urbanos 4%