Você está na página 1de 3

UNIFAI – Centro Universitário Assunção

Rogério Escudeiro Almeida

Análise sociológica do filme “A Terra Treme”

São Paulo
2010

Análise sociológica do filme “A Terra Treme”

O objetivo deste ensaio é fazer uma rápida análise do filme A Terra Treme (Terra
trema: Episodio del mare, La, 1948), do cineasta Luchino Visconti e fazer as
comparações através das obras sociológicas dos principais pensadores que foram
abordados durante o ano de 2010 no curso de sociologia. Dentre eles, podemos
citar Auguste Comte, Émile Durkheim, Karl Marx, Max Weber e Karl Manheim.

O filme conta a história de um jovem (Ntoni) pescador que se revolta contra a


exploração de seus superiores e decide trabalhar por conta própria. Entretanto, com
esta decisão, ele enfrentará um império, ao mesmo tempo em que se depara com as
dificuldades de uma realidade ainda mais dura.

Basicamente o filme demonstrará desde o seu início o conceito marxiano de


“luta de classes”. O cenário onde se encontrava o grupo de pescadores é de total
dramaticidade, especificamente no que diz respeito ao modo como que a classe dos
empresários ou comerciantes exploram a vida deles. No instante em que Ntoni se vê
presente em um grupo de pessoas que são freqüentemente exploradas, ele se
insurge, despertando em si a “consciência de classe”, sendo permeada
posteriormente nos demais companheiros que o cercam. Mesmo correndo riscos de
perderem o emprego e, assim, o único meio de sobrevivência, eles protestam e se
revoltam contra aqueles que detém o poder dos meios de produção. A classe
dominante subestima a classe dos pescadores explorados, pois se utilizam todos os
mecanismos que estão à sua disposição, como leis, polícia entre outros.

Um outro aspecto que podemos associar aos pensamentos e teorias de


Auguste Comte e Émile Durkheim diz respeito ao poder que a sociedade reflete
sobre o indivíduo. Em diversos momentos do filme surgem as forças de coerção (ou
leis) que estão presentes nas linhas de pensamento de Comte, forças estas que
regem a sociedade como um todo. Isso chega ao seu máximo quando, ao final do
filme, o jovem Ntoni se mostra derrotado, pois sua família perde praticamente tudo o
que tinha, são obrigados a vender a sua casa, seus bens e vão morar em um local
onde não há a mínima condição de vida. Vendo isto, Ntoni resolve então baixar a
cabeça, regressar ao trabalho de pescador como era de costume. Isso reforça mais
uma vez a teoria de Durkheim, onde ele afirma que a força coercitiva da sociedade
não pode ser combatida pelo indivíduo, devendo este se submeter voluntária ou
involuntariamente a ela.

Por último, vale ressaltar também a teoria de utopia e ideologia de Mannheim,


que também se faz muito presente no filme. De um lado, a classe dos empresários e
comerciantes, detentores do poder, dos meios de produção e, por conseguinte, a

2
ideologia daquela sociedade, resistem sempre às mudanças ou revoluções geradas
por determinados grupos. De outro lado está presente Ntoni e os pescadores,
detentores da utopia, ou seja, a visão de que alguma coisa tem que ser combatida,
tem que ser alterada, a fim de que se surja uma nova ideologia, que seja mais justa
para estes pescadores. Vale mencionar também a visão do avô de Ntoni de que
“nada mudará, tudo foi assim sempre” contrastando com a própria visão de Ntoni de
que “as coisas podem sim mudar, e devem mudar”, ou seja, por um lado, o avô de
Ntoni aceita a idelogia imposta por aquela sociedade (ideologia), já Ntoni luta
desesperadamente para acabar com esta ideologia (utopia).

Terra Treme cumpre com o seu papel sociológico, na medida que buscar
mostrar ao público que o assiste todas as entranhas e particularidades acerca dos
movimentos de sociedade e os seus principais embates. Por seu conteúdo rico, é
altamente recomendável para aqueles que desejam ter uma visão resumida de
como se comporta uma sociedade movida pelo capitalismo e o que pode acontecer
para com aqueles se encontram no menor nível da escala de tal sociedade.