Você está na página 1de 22

EXERCÍCIO RESISTIDO

HISTÓRICO

►Após II Guerra Mundial,

Dr. Thomas DeLorme - TTO

de soldados que sofriam

de fraqueza muscular.
HISTÓRICO

► 1948, DeLorme - Sistema de polias, cabos e


roldanas.
► Década de 50 - Surgimento das primeiras
máquinas.
► Final dos anos 60, início dos anos 70 -
surgimento das primeiras empresas que
desenvolviam equipamentos para resistir ao
movimento.
CONCEITOS DE EXERCÍCIO
RESISTIDO

► Forma de exercício ativo na qual uma


contração muscular dinâmica ou estática é
resistida por uma força externa (manual ou
mecânica) (KISNER & COLBY, 1992).
EXERCÍCIO COM RESISTÊNCIA
MANUAL
► Resistência feita pelo terapeuta

► Não pode ser medida quantitativamente

► Útil nos estágios iníciais de um programa de exercícios

► Útil quando a ADM articular precisa ser bem controlada

► A quantidade de resistência aplicada é limitada apenas


pela força do terapeuta
EXERCÍCIO COM RESISTÊNCIA
MECÂNICA
► Resistência feita por equipamentos ou aparelhos
mecânicos
► A resistência pode ser mensurada quantitativamente e
progredir com o tempo
► Útil quando é necessária uma resistência maior do que
o terapeuta pode aplicar
METAS E INDICAÇÕES DOS
EXERCÍCIOS RESISTIDOS
► Aumento da força muscular
► Aumentar a resistência muscular à fadiga
► Aumento de potência
► Saúde e qualidade de vida
AUMENTO DA FORÇA MUSCULAR
► Força: quantidade de tensão que um músculo em
contração pode produzir

► Ex. Fortalecimento é o procedimento sistemático, de um


músculo ou grupo muscular, de levantar, abaixar ou
controlar cargas pesadas.

► Cargas elevadas com poucas repetições

► Treino de força hipertrofia seletiva das fibras tipo II


AUMENTO DA RESISTÊNCIA
MUSCULAR À FADIGA
►É a habilidade de desenvolver exercícios
repetitivos de baixa intensidade por um período
prolongado de tempo
► Treino: carga baixa e muitas repetições
► Exercícios
visando ao aumento de força também
aumentam a resistência à fadiga
AUMENTO DE POTÊNCIA

► Potência é uma medida do desempenho muscular


e é definida como FORÇA X VELOCIDADE

► Quanto maior a intensidade do exercício e quanto


mais curto o período de tempo necessário para
gerar a força, maior a potência muscular
PRECAUÇÕES
► Cardiovasculares
 Manobra de Valsalva: esforço respiratório
contra a glote fechada
 PA
 Isométricos ou resistidos pesados
 Cuidados com pacientes com história de
coronariopatia, infarto do miocárdio.
PRECAUÇÕES

► Fadigamuscular local: diminuição da


resposta de um músculo a um estímulo
repetido.
 Diminuição
nas reservas de energia, oxigênio e
acúmulo de ácido lático
 Diminuição na condução de estímulos na placa
mioneral (principalmente fibras rápidas)
PRECAUÇÕES
► Fadigamuscular geral: diminuição da
resposta de uma pessoa durante uma
atividade física prolongada (andar, correr)
 Diminuição da glicose sangüínea e glicogênio
 Depleção de potássio (pacientes idosos)
 Atenção para pacientes portadores de doenças
PRECAUÇÕES

► Recuperação do exercício
 Reabastecimento das reservas de energia
 Remoção do ácido lático (1 hora após exercício)
 Reposição do glicogênio (vários dias)
 Exercíciosleves durante a recuperação aceleram
o processo
PRECAUÇÕES
► Osteoporose
 Causas
 Prevenção

► Dor muscular associada ao exercício


 Dormuscular imediata ou aguda ( Inicia
durante ou logo após o exercício)
 Dormuscular tardia ( Inicia 12 a 48 horas após o
exercício, atingindo o pico em 48 a 72 horas)
CONTRA-INDICAÇÕES

► Processo inflamatório
agudo

► Dor
OBRIGADO!!!!!